SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
Escola_____________________________________________________________________
Nome______________________________________________________________________
A infância da Bruxa Onilda na escola
Ai, que nervoso! Era meu primeiro dia na escola.
Arrumei minha mochila nova e dentro dela guardei um lápis, o apontador, o
livro de mágica e, é claro, minha querida coruja Olhona!
Fiquei feliz porque minha mãe me acompanhou. Você não gostaria que sua mãe
tivesse um meio de transporte igual ao nosso?
Como Não pegamos nenhum engarrafamento, fomos as primeiras a chegar. Na
hora da entrada, um menino chorava porque não queria ir à escola. Porém,
quando me viu, ele parou de chorar e entramos juntos.
E então, a aula começou! Não sei por que meus colegas gostaram tanto das
coisas que eu levava na mochila. Na hora da leitura, quando chegou a minha vez,
abri o meu livro de mágica e comecei a ler...
Nossa! Eu disse algumas palavras mágicas e apareceram orelhas de coelho na
professora! Depois, ela se transformou num elefante, mas logo voltou a ser
professora. Poxa! Ela ficou brava! Achei melhor adiantar os ponteiros do relógio
para que chegasse logo...a horado recreio!
Recreio, oba! Eu e minhas colegas decidimos pular amarelinha. Porém, quando
transformei uma pedra em aranha, as meninas saíram correndo!
Meu esqueleto me emprestou alguns ossos para brincar. Foi muito divertido!
Meus amigos me acharam o máximo!
Chegou a hora do lanche. Eca! Eu não gostei em um pouco do cardápio.
Pronunciei minhas palavras mágicas e ... Uau! Surgiu um prato de batatas fritas!
Meus colegas protestaram e o cozinheiro pôs a cabeça na porta. Coitado, ele
achava que todo aquele alvoroço era por sua culpa!
Minha última experiência na escola foi um fracasso. Não sei bem onde foi que
eu errei, mas a escola ficou um pouco destruída. Minha mãe teve que ir à escola
para conversar com a professora. Ficou decidido que a escola seria transferida
para minha casa, o castelo.
- Viva! – gritou a turma.
Nome______________________________________________________
Data___________________ professora____________________________
Responda:
1) Em que mês, provavelmente, se passa essa história?
__________________________________________________________
2) Como você descobriu esse mês? Retire do texto, palavras ou expressões que
ajudaram nessa descoberta.
___________________________________________________________
___________________________________________________________
3) Por que os amigos da Onilda gostaram tanto da mochila dela?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
5)
O que aconteceu de especial?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
6) Como Bruxa Onilda resolveu a confusão que sua leitura causou?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
7)
Tudo ia bem no recreio, como em qualquer escola, até que...?
O que aconteceu?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
“CHEGOU A HORA DA LEITURA”
“RECREIO, OBA!”
8) Há no texto, algumas expressões usadas quando queremos manifestar alegria
e nojo. Identifique-as e escreva no lugar certo:
Expressão de alegria
Expressão de nojo:
9) Parece que nem todas as mágicas de Onilda foram engraçadas. O que
aconteceu de grave em uma de suas mágicas?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
10) As expressões destacadas podem ser substituídas por:
a) “E então, a aula começou!”
( ) mais tarde
( ) depois
( ) finalmente
b) “ Meus amigos me acharam o máximo!”
( ) muito grande
( ) genial
( ) desinteressante
C) “Não gostei nem um pouco...”
( ) gostei só um pouquinho
( ) não gostei nada
( ) gostei de algumas coisas
Nome_______________________________________________________
Data_______________________________ professora________________
Bruxa Onilda tinha poderes mágicos e transformava tudo, de acordo com seu
interesse.
Pense em alguma coisa ou situação de que você não goste e diga o que faria para
mudar.
Você pode começar assim:
_______________________________
Á vezes, penso que muitas coisas estão erradas, mas nada é tão ruim quanto
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
Escola_______________________________________________________
Nome_______________________________________________________
Data________________________________________________________
DA OVELHA AO COBERTOR
Fazer lã é uma grande brincadeira
Paula Medeiros de Oliveira
O carneiro é sortudo. Todo ano, quando o tempo
esquenta, ele ganha um corte de cabelo (pelo), que deixa seu
corpo pelado. Apesar de feio, o carneiro fica feliz porque
não sente calor. O corte é a tosquia, e o pelo cortado vira lã. Hoje, quase todas
as formas de fabricação de lã são feitas por máquinas. Mas algumas pessoas
ainda transformam os tufos de lã em fio como se fazia antigamente.
Um carneiro vale três quilos de lã.
Há milhares de anos, o carneiro era um animal que o homem ainda não havia
conseguido domesticar. Ele perdia os pelos durante a primavera para sentir
menos calor. O homem recolhia os tufos (“moinhos”) de lã que ficavam no chão.
Girando os tufos entre as mãos, as pessoas descobriam que podiam transformá-
los em fios. Cruzando os fios, fabricavam tecidos de lãs mais quentes e leves do
que as roupas feitas com peles de bichos.
Hoje os carneiros são tosquiados uma vez por ano. O bom é que o carneiro
não precisa morrer para o homem usar sua lã. Um carneiro adulto dá cerca de
três quilos de lã por ano.
Com esse quantidade, é possível tecer um tapete mais ou menos do tamanho
de uma toalha de banho. A lã de todos os carneiros do mundo não é suficiente
para vestir todas as pessoas. Por isso, os homens inventaram outros fios. São
fios sintéticos. Nenhum deles é tão gostoso como a lã do carneiro.
(Folha de São Paulo, Folhinha, 2/10/93.)
Nome_______________________________________________________
1) Continue fazendo comparações:
Os carneiros ficam pelados como________________
As ovelhas são branquinhas que nem______________
Os fios de lã são tão macios quanto_______________
O carneiro corre como_____________________________________
2) Copie do texto a frase que diz em que estação do ano é feito o corte de lã
dos carneiros.
__________________________________________________________
3) O texto “Da ovelha ao cobertor” compara as roupas feitas com fios de lã ás
de pele de bichos. Qual é a melhor e por quê?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
4) Há milhares de anos, o homem não tosquiava os carneiros. Como, então, estes
animais se defendiam do calor?
___________________________________________________________
5)
Que outros animais você conhece que, para ajudar o homem, não precisam
morrer? Não se esqueça de dizer o que eles produzem. Para que sua resposta
fique bem completa, troque ideias com seus colegas.
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
“OS TUFOS DE LÃ PARECEM NUVENS DE ALGODÃO”
“O bom é que o carneiro não precisa morrer para o homem usar sua lã”
Nome_____________________________________________________
6) Observe o modelo:
O carneiro fica tranquilo na hora da tosquia porque se sente bem sem a lã.
As duas frases do modelo se transformam em uma só. Faça o mesmo com os
pares abaixo, escolhendo a melhor palavra ou expressão para ligar as frases.
Faça as modificações necessárias.
a) Os carneiros perdem a lã. Chega o verão.
______________________________________________
b) O carneiro fica feio, mais feliz.
O carneiro não sente calor.
______________________________________________
c) Os homens tosquiam os carneiros.
Os homens fabricam fios de lã.
_____________________________________________
7) Observe as palavras destacadas e veja como seus significados podem mudar:
 O pelo do carneiro é transformado em fio e depois em lã.
 Os carneiros passeiam livremente pelo pasto.
Construa outras frases com as palavras em destaque:
_________________________________________________________
__________________________________________________________
O carneiro fica tranquilo na hora da tosquia.
O carneiro se sente bem sem a lã
quando
ainda que
embora
como
que
porque
a fim de que
por mais que
mesmo que
Escola_______________________________________________________
Nome_______________________________________________________
Data_____________________________ professora__________________
PRODUZINDO TEXTO
Numa tarde de verão um carneiro, já tosquiado e feliz porque não sentia calor,
encontrou-se com um outro animal e conversaram.
Faça uma história em quadrinhos, criando os desenhos e os balões. Cabe a você
escolher que animal era este que conversa com o carneiro.
1 2
3 4
5 6
Escola_____________________________________________________
Nome______________________________________________________
Data____________________________ professora __________________
Agora que você já sabe quase tudo a respeito de lãs e carneiros, vamos ler este
texto de Ana Maria Machado que nos fala de um carneirinho muito especial:
Bebeto.
Bebeto era um carneirinho cansado de carneirice.
Cansado de fazer tudo o que seu mestre mandava.
Por isso, um dia, quando ouviu chamar:
_ Béééé-béééé-to, vem cortar o cabelo...
Começou a reclamar:
_ Não quero cortar cabelo nenhum. Careca não está na moda. Vou embora e
vou ficar cabeludo como quiser.
Quando o pastor se distraiu, ele subiu a montanha.
No meio do caminho, ainda ouvia a carneirada:
_ Béééé-béééé-to...Bééé-bééé-to...
Depois não ouvia mais nada.
A montanha era calma e linda, tão alta que ficava no meio das nuvens.
Então Bebeto pensou:
_ 0ba, nuvem é uma coisa boa pra ser. Para um carneiro esperto como eu, não
é difícil ser branco e macio, nem ficar pra lá e pra á. Está resolvido: vou virar
nuvem.
MACHADO, Ana Maria
Nome_______________________________________________________
VAMOS INTERPRETAR!
1) O nome do livro é Beto, o carneiro. Neste trecho ele é chamado de Bebeto.
Tanto Beto como Bebeto são apelidos. Qual seria, na sua opinião, o nome
verdadeiro desta personagem?
---------------------------------------------------------------------------------------
2) Retire do texto um trecho que nos mostra que Bebeto é vaidoso.
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------
3) As palavras destacadas nas frases abaixo poderiam ser substituídas por:
a) “Quando o pastor se distraiu,”
( ) depois de
( ) na hora em que
( ) como se fosse
b) “No meio do caminho ainda ouvia a carneirada.”
( ) carneiros pequenos
( ) alguns carneiros
( ) muitos carneiros
c) “Bebeto era um carneirinho”.
( ) carneiro pequeno
( ) carneiro levado
( ) carneiro magro
4) Compare o Bebeto aos carneiros do texto “DA OVELHA AO COBERTOR”.
Vamos registrar as semelhanças e diferenças entre eles.
Bebeto_____________________________________________________
Outros carneiros______________________________________________
Nome______________________________________________________
Pense na palavra liberdade. Pense nos carneiros dos dois textos que você leu.
Quem é mais livre? Por quê?
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------------------------------
Utilizando as informações que você aprendeu no texto “Da ovelha ao cobertor”
responda:
a) Com a fuga de Bebeto, quanto o pastor deixou de colher em lã?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
b) Já que Bebeto não quis cortar o cabelo, o que vai acontecer com sua lã
primavera?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
CURIOSIDADE...
O ano novo chinês cai numa data diferente a cada ano. Ele é um importante festival
anual, celebrado pelos chineses em todo o mundo. O Ano novo chinês 2015 foi
comemorado no 19 de fevereiro e é o ano do Carneiro, o animal mais auspicioso
conforme o zodíaco chinês. Foi festejado de acordo com a tradição chinesa com
atividades culturais, danças, festas, ópera chinesa, artes e ofícios, a competição de
karaokê, delícias culinárias, competições de xadrez, eventos infantis, desfiles de
dragão, entre outros.
Escola_______________________________________________________
Nome_______________________________________________________
Data__________________________ professor_____________________
Leia com atenção e fique sabendo como o lápis foi inventado:
LÁPIS
Descoberto numa mina na Inglaterra, o minério de grafita
que serve para desenhar, no começo era enrolado em pele de
carneiro.
O primeiro lápis de madeira com grafite foi fabricado em 1662.
Depois, com a guerra entre ingleses e franceses, a França teve os portos
bloqueados e não podia receber o minério de que precisava para fazer o lápis.
Napoleão, imperador da França, pediu a seus cientistas que inventassem uma
alternativa para o produto que estava em falta. Foi então que o químico Nicolau
Conté, aquecendo em alta temperatura uma mistura feita de um pouco de grafite
e muita argila, conseguiu fazer o grafite duro que conhecemos hoje.
Adaptação: A criação da pintura. Coleção As origens do saber.
Responda:
1) Qual a diferença entre o primeiro lápis e o que usamos hoje?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
2) O texto “Lápis” nos conta a invenção do lápis preto. Como será a fabricação
dos lápis de cor? Imagine, dê um palpite. Depois, pesquise para confirmar suas
ideias.
___________________________________________________________
___________________________________________________________
3) Em que ano foi fabricado o primeiro lápis de madeira? Já faz quanto tempo?
___________________________________________________________
4) Retire do texto todos os nomes próprios que encontramos no texto “Lápis”.
___________________________________________________________
___________________________________________________________
Escola______________________________________________________
Nome______________________________________________________
Data___________________________ professora__________________
Lápis de Cor
No meu coração vermelho
abriu-se um sol amarelo
que o pintou de cor de fogo
- coração apaixonado.
Depois de uma sombra escura
cor de roxo machucado
o tingiu de amor perdido
- coração abandonado.
Agora meu coração
cobriu-se de um colorido
ainda não inventado
e procura branco, branco
por um novo namorado.
Lemos o poema “lápis de cor” que:
O vermelho pintou o coração apaixonado
O roxo tingiu o coração abandonado.
E o lápis preto?
Que coração você acha que ele pode colorir?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
Escola______________________________________________________
Nome_______________________________________________________
Data___________________________ professora ___________________
Um mundo sem planta
Você já imaginou um mundo sem plantas?
Você andando de um lado para o outro ao longo das ruas e só vendo pedras,
prédios, carros, lojas e fábricas? Ainda que fossem bonitos, teria a impressão
de estar faltando algo. Mas, será que as plantas são apenas para enfeites?
As plantas estão presentes na nossa vida diária, mas na maioria das vezes, nem
nos damos conta. Pegue lápis e papel e faça uma lista das coisas que você está
vendo e que foram feitas a partir de plantas. Quantas coisas encontrou? Peça a
um amigo ou uma pessoa que esteja perto que faça o mesmo. Compare as listas.
Que tal você se saiu?
Além das frutas, legumes e verduras que comemos, as geleias, os pães, o
chocolate, o açúcar e muitas outras delícias vêm das plantas. Até mesmo a carne
que comemos existe por causa delas, como o boi com seu capim e a galinha com o
milho. Viu só? Isso sem falar nos papéis, móveis e no próprio oxigênio. Tudo isso
existe graças a elas. Se não fossem as plantas, nós e os outros animais não
estaríamos aqui, agora.
Na verdade, vivemos num imenso jardim.
(BERCHTOLD, Edith. De mãos dadas com a natureza – plantas – Salamandra.)
1) Vamos ler as frases.
a) As plantas estão presentes na nossa vida diária.
b) No meu aniversário, ganhei muitos presentes.
As palavras destacadas têm significados diferentes nas frases acima. Mostre
que você compreendeu estas diferenças construindo novas frases.
a) ______________________________________________________
b) ______________________________________________________
Nome____________________________________________________
2)
“Você já imaginou...”
“Você andando...”
A palavra você nas frases acima mostra que o autor:
( ) gosta de falar sozinho
( ) chama a atenção de quem destrói a natureza
( ) está se dirigindo a quem lê o texto
3)
“Além das frutas...”
A palavra além sugere que:
( ) só as frutas vêm das plantas
( ) as plantas nos dão frutas e muito mais
( ) as frutas estão fora da natureza
4) Ao ler o texto, você deve ter percebido que há nele algumas perguntas sem
respostas. Usando a sua imaginação, comece a responde-las:
a) Você já imaginou um mundo sem plantas? Como seria?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
b) Será que as plantas são apenas enfeites? Que outras utilidades elas têm?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
Nome_______________________________________________________
Data______________________________ professora _________________
5) Todas as palavras destacadas nas frases abaixo são fatos que já
aconteceram. Reescreva as frases, mudando os fatos destacados para o tempo
pedido entre parênteses.
a) O nosso país tinha uma das maiores florestas do mundo. (Presente)
___________________________________________________________
b) Cerca de dois milhões de árvores eram derrubadas por dia. (Futuro)
_______________________________________________________________________________________________
c) Afinal, que tipo de plantas existiram? (Presente)
_______________________________________________________________________________________________
6) Dê outras características para o nome em destaque.
Encontrei no jardim alguns cogumelos venenosos.
VENENOSOS
____________________
____________________
____________________
Escola ___________________________________________________
Nome ____________________________________________________
Data _______________________________ professora _____________
Produzindo texto
O texto abaixo está apresentado em um único bloco. No entanto, ele deveria ter
3 parágrafos, organizados da seguinte maneira:
1º parágrafo – onde vivem as bromélias.
2º parágrafo – como são suas folhas e flores.
3º - por que estão ameaçadas de extinção.
Reescreva o texto abaixo na página seguinte, dividindo-o em parágrafos.
AS BROMÉLIAS
A PLANTA CONHECIDA PELO NOME DE BROMÉLIA OU GRAVATÁ É TÍPICA DA MATA
ATLÂNTICA, NAS REGIÕES MAIS ÚMIDAS E ALTAS DA SERRA DO MAR. SUAS FOLHAS
GROSSAS SÃO DESENHADAS NA COR VERDE ESCURO E PODEM ACUMULAR ÁGUA DE
CHUVA. SUAS FLORES SAEM DO CENTRO, MEDEM ATÉ 2 METROS DE ALTURA E SÓ
ABREM À NOITE. A BROMÉLIA POR SER MUITO BONITA TEM SIO ARRANCADA DA
MATA E VENDIDA PARA ORNAMENTAR AS CASAS. ESSA ATIVIDADE PODERÁ LEVÁ-LA À
EXTINÇÃO.
Revista Ciência Hoje das crianças – SBPC – nº 39/ano7/1994.
Escola ______________________________________________________
Nome _______________________________________________________
Data _________________________________ professora _____________MINICONTO - A vida é um palco (episódio I)
Foi por causa de um castelo.
A Lucinha terminou de erguer a torre. A areia ainda estava mole. Eu fiz
as janelas. O lago, a gente encheu com peixe de plástico. Ficou tão legal que todo
mundo gostou: A Paula, da outra classe, o André, que detesta areia, a dona
Mercedes, da lanchonete, e o seu João do portão.
Foi juntando gente para brincar, mas a Lucinha tinha ciúme do castelo e
não queria mais ninguém. Para mim, tudo bem, mas eu fiquei brava quando tiraram
o cavalo do jardim para colocar dentro do salão. Cavalo dentro de casa, não.
Depois, o André, que detesta areia, fez um buraco, as paredes desmancharam, e
ele riu. A Lucinha encheu o balde de areia e jogou nele que ficou irado e pegou o
balde para bater nela. Lucinha desviou.
Então André caiu por cima do castelo e desmanchou tudo, mas a roupa
dele ficou suja de areia, eu ri e ele disse que ia me matar. Saímos correndo,
pisamos na lama do castelo, chutamos o balde, tropeçamos na Paula, esbarramos
na Dona Mercedes, derrubamos o lixo e foi a maior sujeira, mas sujeira pior foi
quando trombamos com seu João do portão.
Todo mundo para a diretoria. Na sala da diretora, tinha um espelho e
foi nele que a gente viu o André sem boné, a Lucinha sem óculos e eu sem
sapato. No espelho era tudo bem engraçado. Primeiro foi o André quem riu,
depois foi a Lucinha, depois fui eu.
_ Ei, vocês três, ficaram amigos outra vez? a diretora parecia brava, a
gente sabia, a gente sentia que atrás da bronca, o que ela escondia era
bastante vontade de dar risada...
(PIETRO, Heloísa, Folhinha de São Paulo – 23/07/2005)
Escola____________________________________________________
Nome_____________________________________________________
Data ___________________________ professora _________________
1 – O miniconto começa assim:
O que aconteceu por causa de um castelo?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
2) Quem narra a história?
( ) Lucinha
( ) André
( ) Paula
( ) um outro menino
( ) uma outra menina
3) Retire do texto uma passagem que confirme a sua resposta à questão 2.
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
4) Lucinha não queria que mais ninguém entrasse na brincadeira do castelo.
Lucinha mostrou-se:
Engraçada
“Foi por causa de um castelo”
Esperta
Ciumenta
Escola_____________________________________________________
Nome_____________________________________________________
Data _____________________________ professora _______________
5) A personagem narradora mostrou ser diferente de Lucinha, pois não se
importava que outras crianças participassem da brincadeira. Copie do texto um
trecho que comprove essa atitude.
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
6) A brincadeira começou bem. O que cada um fez para ciar confusão e tornar
um verdadeiro desastre?
Lucinha
___________________________________________________________
___________________________________________________________
André
___________________________________________________________
___________________________________________________________
A personagem que narra
___________________________________________________________
___________________________________________________________
7) Quando as crianças envolvidas na brincadeira se dão conta de todo o estrago
que fizeram?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
8) “A vida é um palco” não é conto de fadas, mas termina bem. A diretora até
diz: “Ei, vocês três, ficaram amigos outra vez?”. Por que a diretora percebeu que
as crianças eram amigas de novo?
___________________________________________________________
___________________________________________________________
Escola_______________________________________________________
Nome_______________________________________________________
Data_________________________________ professora ______________
Como nasce uma planta.
É espantoso saber que de pequenas sementes crescem enormes
vegetais, mas o que acontece com os vegetais é bastante natural.
Primeiro, das sementes formam-se pequenas raízes que, pouco a
pouco, vão se afundando na terra.
Em seguida, após alguns dias, desenvolve-se um pequeno caule.
Ele Ainda é frágil, mas ultrapassa a superfície da terra em busca do
calor e da luz solar.
Depois, o vegetal cresce e cresce. O caule torna-se maior, e dele
brotam galhos e folhas.
1) Observe as expressões destacadas no texto acima:
O autor usou as expressões destacadas para indicar quando ocorre
cada etapa do nascimento de uma nova planta.
Como essas expressões foram usadas para indicar quando os fatos
aconteceram, dizemos que elas indicam circunstância de tempo.
2) Ilumine, nas frases abaixo, as circunstâncias de tempo:
 Hoje, visitamos a horta do colégio.
 Faremos todas as tarefas no final da tarde.
 Esperamos, que qualquer momento, a grande notícia.
Escola_______________________________________________
Nome________________________________________________
Data_________________________ professora ______________
O sítio de Pedro.
O sítio de Pedro fica em um terreno inclinado, com muitas árvores. Olhando
da parte mais alta, vê-se a casa de barro bem no centro do sítio; atrás da casa
há três hortas e, na frente, um gramado.
Á esquerda da casa, existe um pomar cheio de árvores frutíferas e plantas
menores, À direita, um galinheiro e um pequeno chiqueiro.
Na parte mais baixa, após o rio que atravessa o sítio, avista-se ao longe
um enorme milharal.
Desenhe o sítio de Pedro, observando atentamente as expressões destacadas:
Escola_______________________________________________________
Nome _______________________________________________________
Data _____________________________ professora _________________
As expressões destacadas no texto foram usadas para indicar onde se
encontram alguns elementos do sítio de Pedro.
De acordo com as respostas que você escreveu no exercício um, relacione os
marcadores de tempo especiais ás circunstâncias que eles representam.
( 1 ) Marcadores de tempo ( ) circunstâncias de lugar
( 2 ) Marcadores especiais ( ) circunstância de tempo
Agora que você já conhece as circunstâncias de lugar e tempo, poderá usá-las em
seus textos para que eles fiquem mais interessantes e completos.
Vamos experimentar? Faça, a seguir as atividades propostas:
1 – Identifique, na frase as circunstâncias e escreva-as a seguir.
Naquele dia, as crianças brincaram no sítio.
Quando as crianças brincaram? _________________________________
Essa é uma circunstância de ___________________________________
Onde as crianças brincaram? ___________________________________
Essa é uma circunstância de ____________________________________
Como essas expressões foram usadas para indicar onde se encontram
esses elementos, dizemos que elas são circunstâncias de lugar
Escola_______________________________________________________
Nome_______________________________________________________
Data ______________________________ professora ________________
2 - Forme frases de acordo com o esquema, usando as palavras do retângulo.
Faça pontuação!
Na praia Marcos hoje
As crianças brincam saiu
a) Quem? + O que faz + Onde
_________________________________________________________
b) Quando? + Quem? + O que faz?
_________________________________________________________
3 – Amplie as frases, acrescentando a ideia perdida.
a) As alunas estudam. (Onde?)
_________________________________________________________
b) Joana e sua mãe conversam muito. (Quando? – tempo)
__________________________________________________________
4) Circule os sinais de pontuação das frases e escreva o nome de cada um deles.
a) Não é só isso, meu filho.
___________________________________________________________
b) Mistério...
___________________________________________________________
c) Está tudo no carro?
___________________________________________________________
d) Que dia lindo!
___________________________________________________________
Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ATIVIDADES O CORVO E A RAPOSA.docx
ATIVIDADES   O CORVO E A RAPOSA.docxATIVIDADES   O CORVO E A RAPOSA.docx
ATIVIDADES O CORVO E A RAPOSA.docxJoao Paulo Souza
 
Substantivo coletivo atividades 2
Substantivo coletivo atividades 2Substantivo coletivo atividades 2
Substantivo coletivo atividades 2arlan2000
 
Interpretacao de-texto-fabulas-o-rato-do-campo-e-o-rato-da-cidade
Interpretacao de-texto-fabulas-o-rato-do-campo-e-o-rato-da-cidadeInterpretacao de-texto-fabulas-o-rato-do-campo-e-o-rato-da-cidade
Interpretacao de-texto-fabulas-o-rato-do-campo-e-o-rato-da-cidadefilipa silva
 
Avaliação de Port 2º ano_2º Bimestre
Avaliação de Port 2º ano_2º BimestreAvaliação de Port 2º ano_2º Bimestre
Avaliação de Port 2º ano_2º BimestreSusana Felix
 
Atividade de composição e decomposição numérica
Atividade de composição e decomposição numéricaAtividade de composição e decomposição numérica
Atividade de composição e decomposição numéricaPaulo Alves de Araujo
 
Avaliação Bimestral Geografia e História 2º B 2017
Avaliação Bimestral Geografia e História   2º B 2017Avaliação Bimestral Geografia e História   2º B 2017
Avaliação Bimestral Geografia e História 2º B 2017Cristhiane Guimarães
 
Avaliação de Matemática
Avaliação de MatemáticaAvaliação de Matemática
Avaliação de MatemáticaKelry Carvalho
 
Oficina para casa 3º ano
Oficina para casa 3º anoOficina para casa 3º ano
Oficina para casa 3º anoJoides2014
 
Oficina para casa 1º ano
Oficina para casa 1º anoOficina para casa 1º ano
Oficina para casa 1º anoCláudia Cacal
 
CADERNO DE ATIVIDADES - FOLCLORE.pdf
CADERNO DE ATIVIDADES - FOLCLORE.pdfCADERNO DE ATIVIDADES - FOLCLORE.pdf
CADERNO DE ATIVIDADES - FOLCLORE.pdfgiovanagoldnerdiassf
 
2ª avaliação de portugues 2ª unidade 2015
2ª avaliação de portugues 2ª  unidade 20152ª avaliação de portugues 2ª  unidade 2015
2ª avaliação de portugues 2ª unidade 2015julliana brito
 
Avaliação de Português, História e Geografia
Avaliação de Português, História e Geografia Avaliação de Português, História e Geografia
Avaliação de Português, História e Geografia Kelry Carvalho
 
Avaliação de Português
Avaliação de Português Avaliação de Português
Avaliação de Português Kelry Carvalho
 

Mais procurados (20)

ATIVIDADES O CORVO E A RAPOSA.docx
ATIVIDADES   O CORVO E A RAPOSA.docxATIVIDADES   O CORVO E A RAPOSA.docx
ATIVIDADES O CORVO E A RAPOSA.docx
 
Ciranda das sílabas volume 6
Ciranda das sílabas   volume 6Ciranda das sílabas   volume 6
Ciranda das sílabas volume 6
 
Substantivo coletivo atividades 2
Substantivo coletivo atividades 2Substantivo coletivo atividades 2
Substantivo coletivo atividades 2
 
Interpretacao de-texto-fabulas-o-rato-do-campo-e-o-rato-da-cidade
Interpretacao de-texto-fabulas-o-rato-do-campo-e-o-rato-da-cidadeInterpretacao de-texto-fabulas-o-rato-do-campo-e-o-rato-da-cidade
Interpretacao de-texto-fabulas-o-rato-do-campo-e-o-rato-da-cidade
 
Avaliação de Port 2º ano_2º Bimestre
Avaliação de Port 2º ano_2º BimestreAvaliação de Port 2º ano_2º Bimestre
Avaliação de Port 2º ano_2º Bimestre
 
Atividade de matemática: Composição e decomposição dos números naturais – 3º ano
Atividade de matemática: Composição e decomposição dos números naturais – 3º anoAtividade de matemática: Composição e decomposição dos números naturais – 3º ano
Atividade de matemática: Composição e decomposição dos números naturais – 3º ano
 
Trava língua O Rato -
Trava língua O Rato - Trava língua O Rato -
Trava língua O Rato -
 
Produzindo texto
Produzindo textoProduzindo texto
Produzindo texto
 
Atividade de composição e decomposição numérica
Atividade de composição e decomposição numéricaAtividade de composição e decomposição numérica
Atividade de composição e decomposição numérica
 
Interpretação de texto: Bernardo, o coelho – 2º ou 3º ano
Interpretação de texto: Bernardo, o coelho – 2º ou 3º anoInterpretação de texto: Bernardo, o coelho – 2º ou 3º ano
Interpretação de texto: Bernardo, o coelho – 2º ou 3º ano
 
Avaliação Bimestral Geografia e História 2º B 2017
Avaliação Bimestral Geografia e História   2º B 2017Avaliação Bimestral Geografia e História   2º B 2017
Avaliação Bimestral Geografia e História 2º B 2017
 
Avaliação de Matemática
Avaliação de MatemáticaAvaliação de Matemática
Avaliação de Matemática
 
Avaliação de Matematica 2º ano
Avaliação de Matematica 2º anoAvaliação de Matematica 2º ano
Avaliação de Matematica 2º ano
 
Avaliação de Língua Portuguesa
Avaliação de Língua Portuguesa  Avaliação de Língua Portuguesa
Avaliação de Língua Portuguesa
 
Oficina para casa 3º ano
Oficina para casa 3º anoOficina para casa 3º ano
Oficina para casa 3º ano
 
Oficina para casa 1º ano
Oficina para casa 1º anoOficina para casa 1º ano
Oficina para casa 1º ano
 
CADERNO DE ATIVIDADES - FOLCLORE.pdf
CADERNO DE ATIVIDADES - FOLCLORE.pdfCADERNO DE ATIVIDADES - FOLCLORE.pdf
CADERNO DE ATIVIDADES - FOLCLORE.pdf
 
2ª avaliação de portugues 2ª unidade 2015
2ª avaliação de portugues 2ª  unidade 20152ª avaliação de portugues 2ª  unidade 2015
2ª avaliação de portugues 2ª unidade 2015
 
Avaliação de Português, História e Geografia
Avaliação de Português, História e Geografia Avaliação de Português, História e Geografia
Avaliação de Português, História e Geografia
 
Avaliação de Português
Avaliação de Português Avaliação de Português
Avaliação de Português
 

Semelhante a Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.

Atividade avaliativa 6 ano
Atividade avaliativa 6 anoAtividade avaliativa 6 ano
Atividade avaliativa 6 anoKatiuscia Soares
 
Livrinho explicacao e atividades de pontuação
Livrinho explicacao e atividades de pontuaçãoLivrinho explicacao e atividades de pontuação
Livrinho explicacao e atividades de pontuaçãoAline França Russo
 
Teste 1B- 6.º Ano - outubro 2023-2024.docx
Teste 1B- 6.º Ano - outubro 2023-2024.docxTeste 1B- 6.º Ano - outubro 2023-2024.docx
Teste 1B- 6.º Ano - outubro 2023-2024.docxMiranda Goreti
 
Atividades com o livro "A família Gorgonzola"
Atividades com o livro "A família Gorgonzola"Atividades com o livro "A família Gorgonzola"
Atividades com o livro "A família Gorgonzola"Fabiana Esteves
 
Porque o anel de casamento é usado no 4 dedo da mão
Porque o anel de casamento é usado no 4 dedo da mãoPorque o anel de casamento é usado no 4 dedo da mão
Porque o anel de casamento é usado no 4 dedo da mãoRoseli Aparecida Tavares
 
Atividades Da Turma 31
Atividades Da Turma 31Atividades Da Turma 31
Atividades Da Turma 31cris stocker
 
Verificação de aprendizagem português 3º ano
Verificação  de  aprendizagem português 3º anoVerificação  de  aprendizagem português 3º ano
Verificação de aprendizagem português 3º anoKelry Carvalho
 
Funções_sintaticas.docx
Funções_sintaticas.docxFunções_sintaticas.docx
Funções_sintaticas.docxEva Santos
 
Funcionamento da língua_português_exercícios_6ºano
Funcionamento da língua_português_exercícios_6ºanoFuncionamento da língua_português_exercícios_6ºano
Funcionamento da língua_português_exercícios_6ºanoSandra Boucinha
 
Ficheiro de ortografia
Ficheiro de ortografiaFicheiro de ortografia
Ficheiro de ortografiajumagalhaes
 
Escola municipal alvorada
Escola municipal alvoradaEscola municipal alvorada
Escola municipal alvoradaDayse Neco
 
Avaliação Língua Portuguesa - 2.º período
Avaliação Língua Portuguesa - 2.º períodoAvaliação Língua Portuguesa - 2.º período
Avaliação Língua Portuguesa - 2.º períodoGeorgina Pinto
 
Avaliação de p ortugues
Avaliação de p ortuguesAvaliação de p ortugues
Avaliação de p ortuguesRomildo Da Cruz
 

Semelhante a Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática. (20)

Avaliacao de-portugues 5º-ano
Avaliacao de-portugues 5º-anoAvaliacao de-portugues 5º-ano
Avaliacao de-portugues 5º-ano
 
Atividade avaliativa 6 ano
Atividade avaliativa 6 anoAtividade avaliativa 6 ano
Atividade avaliativa 6 ano
 
Livrinho explicacao e atividades de pontuação
Livrinho explicacao e atividades de pontuaçãoLivrinho explicacao e atividades de pontuação
Livrinho explicacao e atividades de pontuação
 
Teste 1B- 6.º Ano - outubro 2023-2024.docx
Teste 1B- 6.º Ano - outubro 2023-2024.docxTeste 1B- 6.º Ano - outubro 2023-2024.docx
Teste 1B- 6.º Ano - outubro 2023-2024.docx
 
Atividades com o livro "A família Gorgonzola"
Atividades com o livro "A família Gorgonzola"Atividades com o livro "A família Gorgonzola"
Atividades com o livro "A família Gorgonzola"
 
Porque o anel de casamento é usado no 4 dedo da mão
Porque o anel de casamento é usado no 4 dedo da mãoPorque o anel de casamento é usado no 4 dedo da mão
Porque o anel de casamento é usado no 4 dedo da mão
 
Atividades Da Turma 31
Atividades Da Turma 31Atividades Da Turma 31
Atividades Da Turma 31
 
Verificação de aprendizagem português 3º ano
Verificação  de  aprendizagem português 3º anoVerificação  de  aprendizagem português 3º ano
Verificação de aprendizagem português 3º ano
 
Língua portuguesa gramática (3)
Língua portuguesa   gramática (3)Língua portuguesa   gramática (3)
Língua portuguesa gramática (3)
 
Funções_sintaticas.docx
Funções_sintaticas.docxFunções_sintaticas.docx
Funções_sintaticas.docx
 
Fábulas a cigarra e a formiga e
Fábulas a cigarra e a formiga eFábulas a cigarra e a formiga e
Fábulas a cigarra e a formiga e
 
Funcionamento da língua_português_exercícios_6ºano
Funcionamento da língua_português_exercícios_6ºanoFuncionamento da língua_português_exercícios_6ºano
Funcionamento da língua_português_exercícios_6ºano
 
Lp natal
Lp natalLp natal
Lp natal
 
Ficheiro de ortografia
Ficheiro de ortografiaFicheiro de ortografia
Ficheiro de ortografia
 
português.docx
português.docxportuguês.docx
português.docx
 
Escola municipal alvorada
Escola municipal alvoradaEscola municipal alvorada
Escola municipal alvorada
 
Avaliação Língua Portuguesa - 2.º período
Avaliação Língua Portuguesa - 2.º períodoAvaliação Língua Portuguesa - 2.º período
Avaliação Língua Portuguesa - 2.º período
 
3º ano editável
3º ano editável3º ano editável
3º ano editável
 
3º ano editável
3º ano editável3º ano editável
3º ano editável
 
Avaliação de p ortugues
Avaliação de p ortuguesAvaliação de p ortugues
Avaliação de p ortugues
 

Mais de Sonia Amaral

Continuação da história da subtração centenas
Continuação da história da subtração   centenasContinuação da história da subtração   centenas
Continuação da história da subtração centenasSonia Amaral
 
Sonia amaral pais.ppt
Sonia amaral pais.pptSonia amaral pais.ppt
Sonia amaral pais.pptSonia Amaral
 
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMALDIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMALSonia Amaral
 
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livroLeitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livroSonia Amaral
 
Vebos ilustrados jogo
Vebos ilustrados  jogoVebos ilustrados  jogo
Vebos ilustrados jogoSonia Amaral
 
Projeto brasil verde
Projeto brasil verde Projeto brasil verde
Projeto brasil verde Sonia Amaral
 
Bingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de históriasBingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de históriasSonia Amaral
 
Historia em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividadesHistoria em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividadesSonia Amaral
 
Atividades com os continentes olimpiada 2016
Atividades com os continentes   olimpiada 2016Atividades com os continentes   olimpiada 2016
Atividades com os continentes olimpiada 2016Sonia Amaral
 
Tocha olímpica rio 2016
Tocha olímpica   rio 2016Tocha olímpica   rio 2016
Tocha olímpica rio 2016Sonia Amaral
 
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016Sonia Amaral
 
Produção de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciapeProdução de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciapeSonia Amaral
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSonia Amaral
 
Especial dia dos namorados
Especial dia dos namoradosEspecial dia dos namorados
Especial dia dos namoradosSonia Amaral
 
Chapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelhoChapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelhoSonia Amaral
 
Personagens do rio
Personagens do rioPersonagens do rio
Personagens do rioSonia Amaral
 

Mais de Sonia Amaral (20)

Continuação da história da subtração centenas
Continuação da história da subtração   centenasContinuação da história da subtração   centenas
Continuação da história da subtração centenas
 
Sonia amaral pais.ppt
Sonia amaral pais.pptSonia amaral pais.ppt
Sonia amaral pais.ppt
 
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMALDIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
DIA DAS MÃES NO MUNDO ANIMAL
 
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livroLeitura e interpretaçãapartir de capa de livro
Leitura e interpretaçãapartir de capa de livro
 
Vebos ilustrados jogo
Vebos ilustrados  jogoVebos ilustrados  jogo
Vebos ilustrados jogo
 
Projeto brasil verde
Projeto brasil verde Projeto brasil verde
Projeto brasil verde
 
Jogo do chapeu
Jogo do chapeuJogo do chapeu
Jogo do chapeu
 
Bingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de históriasBingo de sentença de histórias
Bingo de sentença de histórias
 
Historia em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividadesHistoria em 3 atos com atividades
Historia em 3 atos com atividades
 
Atividades com os continentes olimpiada 2016
Atividades com os continentes   olimpiada 2016Atividades com os continentes   olimpiada 2016
Atividades com os continentes olimpiada 2016
 
Tocha olímpica rio 2016
Tocha olímpica   rio 2016Tocha olímpica   rio 2016
Tocha olímpica rio 2016
 
Mascotes rio 2016
Mascotes  rio 2016Mascotes  rio 2016
Mascotes rio 2016
 
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016Alfabetário olimpíadas do rio 2016
Alfabetário olimpíadas do rio 2016
 
Produção de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciapeProdução de texto pequeno prínciape
Produção de texto pequeno prínciape
 
Provérbios
ProvérbiosProvérbios
Provérbios
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amarelo
 
Especial dia dos namorados
Especial dia dos namoradosEspecial dia dos namorados
Especial dia dos namorados
 
Chapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelhoChapeuzinho vermelho
Chapeuzinho vermelho
 
Favelas
FavelasFavelas
Favelas
 
Personagens do rio
Personagens do rioPersonagens do rio
Personagens do rio
 

Último

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 

Último (20)

Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 

Leitura, interpretação, produdação escrita e gramática.

  • 1. Escola_____________________________________________________________________ Nome______________________________________________________________________ A infância da Bruxa Onilda na escola Ai, que nervoso! Era meu primeiro dia na escola. Arrumei minha mochila nova e dentro dela guardei um lápis, o apontador, o livro de mágica e, é claro, minha querida coruja Olhona! Fiquei feliz porque minha mãe me acompanhou. Você não gostaria que sua mãe tivesse um meio de transporte igual ao nosso? Como Não pegamos nenhum engarrafamento, fomos as primeiras a chegar. Na hora da entrada, um menino chorava porque não queria ir à escola. Porém, quando me viu, ele parou de chorar e entramos juntos. E então, a aula começou! Não sei por que meus colegas gostaram tanto das coisas que eu levava na mochila. Na hora da leitura, quando chegou a minha vez, abri o meu livro de mágica e comecei a ler... Nossa! Eu disse algumas palavras mágicas e apareceram orelhas de coelho na professora! Depois, ela se transformou num elefante, mas logo voltou a ser professora. Poxa! Ela ficou brava! Achei melhor adiantar os ponteiros do relógio para que chegasse logo...a horado recreio! Recreio, oba! Eu e minhas colegas decidimos pular amarelinha. Porém, quando transformei uma pedra em aranha, as meninas saíram correndo! Meu esqueleto me emprestou alguns ossos para brincar. Foi muito divertido! Meus amigos me acharam o máximo! Chegou a hora do lanche. Eca! Eu não gostei em um pouco do cardápio. Pronunciei minhas palavras mágicas e ... Uau! Surgiu um prato de batatas fritas! Meus colegas protestaram e o cozinheiro pôs a cabeça na porta. Coitado, ele achava que todo aquele alvoroço era por sua culpa! Minha última experiência na escola foi um fracasso. Não sei bem onde foi que eu errei, mas a escola ficou um pouco destruída. Minha mãe teve que ir à escola para conversar com a professora. Ficou decidido que a escola seria transferida para minha casa, o castelo. - Viva! – gritou a turma.
  • 2. Nome______________________________________________________ Data___________________ professora____________________________ Responda: 1) Em que mês, provavelmente, se passa essa história? __________________________________________________________ 2) Como você descobriu esse mês? Retire do texto, palavras ou expressões que ajudaram nessa descoberta. ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 3) Por que os amigos da Onilda gostaram tanto da mochila dela? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 5) O que aconteceu de especial? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 6) Como Bruxa Onilda resolveu a confusão que sua leitura causou? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 7) Tudo ia bem no recreio, como em qualquer escola, até que...? O que aconteceu? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ “CHEGOU A HORA DA LEITURA” “RECREIO, OBA!”
  • 3. 8) Há no texto, algumas expressões usadas quando queremos manifestar alegria e nojo. Identifique-as e escreva no lugar certo: Expressão de alegria Expressão de nojo: 9) Parece que nem todas as mágicas de Onilda foram engraçadas. O que aconteceu de grave em uma de suas mágicas? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 10) As expressões destacadas podem ser substituídas por: a) “E então, a aula começou!” ( ) mais tarde ( ) depois ( ) finalmente b) “ Meus amigos me acharam o máximo!” ( ) muito grande ( ) genial ( ) desinteressante C) “Não gostei nem um pouco...” ( ) gostei só um pouquinho ( ) não gostei nada ( ) gostei de algumas coisas
  • 4. Nome_______________________________________________________ Data_______________________________ professora________________ Bruxa Onilda tinha poderes mágicos e transformava tudo, de acordo com seu interesse. Pense em alguma coisa ou situação de que você não goste e diga o que faria para mudar. Você pode começar assim: _______________________________ Á vezes, penso que muitas coisas estão erradas, mas nada é tão ruim quanto ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
  • 5. Escola_______________________________________________________ Nome_______________________________________________________ Data________________________________________________________ DA OVELHA AO COBERTOR Fazer lã é uma grande brincadeira Paula Medeiros de Oliveira O carneiro é sortudo. Todo ano, quando o tempo esquenta, ele ganha um corte de cabelo (pelo), que deixa seu corpo pelado. Apesar de feio, o carneiro fica feliz porque não sente calor. O corte é a tosquia, e o pelo cortado vira lã. Hoje, quase todas as formas de fabricação de lã são feitas por máquinas. Mas algumas pessoas ainda transformam os tufos de lã em fio como se fazia antigamente. Um carneiro vale três quilos de lã. Há milhares de anos, o carneiro era um animal que o homem ainda não havia conseguido domesticar. Ele perdia os pelos durante a primavera para sentir menos calor. O homem recolhia os tufos (“moinhos”) de lã que ficavam no chão. Girando os tufos entre as mãos, as pessoas descobriam que podiam transformá- los em fios. Cruzando os fios, fabricavam tecidos de lãs mais quentes e leves do que as roupas feitas com peles de bichos. Hoje os carneiros são tosquiados uma vez por ano. O bom é que o carneiro não precisa morrer para o homem usar sua lã. Um carneiro adulto dá cerca de três quilos de lã por ano. Com esse quantidade, é possível tecer um tapete mais ou menos do tamanho de uma toalha de banho. A lã de todos os carneiros do mundo não é suficiente para vestir todas as pessoas. Por isso, os homens inventaram outros fios. São fios sintéticos. Nenhum deles é tão gostoso como a lã do carneiro. (Folha de São Paulo, Folhinha, 2/10/93.)
  • 6. Nome_______________________________________________________ 1) Continue fazendo comparações: Os carneiros ficam pelados como________________ As ovelhas são branquinhas que nem______________ Os fios de lã são tão macios quanto_______________ O carneiro corre como_____________________________________ 2) Copie do texto a frase que diz em que estação do ano é feito o corte de lã dos carneiros. __________________________________________________________ 3) O texto “Da ovelha ao cobertor” compara as roupas feitas com fios de lã ás de pele de bichos. Qual é a melhor e por quê? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 4) Há milhares de anos, o homem não tosquiava os carneiros. Como, então, estes animais se defendiam do calor? ___________________________________________________________ 5) Que outros animais você conhece que, para ajudar o homem, não precisam morrer? Não se esqueça de dizer o que eles produzem. Para que sua resposta fique bem completa, troque ideias com seus colegas. ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ “OS TUFOS DE LÃ PARECEM NUVENS DE ALGODÃO” “O bom é que o carneiro não precisa morrer para o homem usar sua lã”
  • 7. Nome_____________________________________________________ 6) Observe o modelo: O carneiro fica tranquilo na hora da tosquia porque se sente bem sem a lã. As duas frases do modelo se transformam em uma só. Faça o mesmo com os pares abaixo, escolhendo a melhor palavra ou expressão para ligar as frases. Faça as modificações necessárias. a) Os carneiros perdem a lã. Chega o verão. ______________________________________________ b) O carneiro fica feio, mais feliz. O carneiro não sente calor. ______________________________________________ c) Os homens tosquiam os carneiros. Os homens fabricam fios de lã. _____________________________________________ 7) Observe as palavras destacadas e veja como seus significados podem mudar:  O pelo do carneiro é transformado em fio e depois em lã.  Os carneiros passeiam livremente pelo pasto. Construa outras frases com as palavras em destaque: _________________________________________________________ __________________________________________________________ O carneiro fica tranquilo na hora da tosquia. O carneiro se sente bem sem a lã quando ainda que embora como que porque a fim de que por mais que mesmo que
  • 8. Escola_______________________________________________________ Nome_______________________________________________________ Data_____________________________ professora__________________ PRODUZINDO TEXTO Numa tarde de verão um carneiro, já tosquiado e feliz porque não sentia calor, encontrou-se com um outro animal e conversaram. Faça uma história em quadrinhos, criando os desenhos e os balões. Cabe a você escolher que animal era este que conversa com o carneiro. 1 2 3 4 5 6
  • 9. Escola_____________________________________________________ Nome______________________________________________________ Data____________________________ professora __________________ Agora que você já sabe quase tudo a respeito de lãs e carneiros, vamos ler este texto de Ana Maria Machado que nos fala de um carneirinho muito especial: Bebeto. Bebeto era um carneirinho cansado de carneirice. Cansado de fazer tudo o que seu mestre mandava. Por isso, um dia, quando ouviu chamar: _ Béééé-béééé-to, vem cortar o cabelo... Começou a reclamar: _ Não quero cortar cabelo nenhum. Careca não está na moda. Vou embora e vou ficar cabeludo como quiser. Quando o pastor se distraiu, ele subiu a montanha. No meio do caminho, ainda ouvia a carneirada: _ Béééé-béééé-to...Bééé-bééé-to... Depois não ouvia mais nada. A montanha era calma e linda, tão alta que ficava no meio das nuvens. Então Bebeto pensou: _ 0ba, nuvem é uma coisa boa pra ser. Para um carneiro esperto como eu, não é difícil ser branco e macio, nem ficar pra lá e pra á. Está resolvido: vou virar nuvem. MACHADO, Ana Maria
  • 10. Nome_______________________________________________________ VAMOS INTERPRETAR! 1) O nome do livro é Beto, o carneiro. Neste trecho ele é chamado de Bebeto. Tanto Beto como Bebeto são apelidos. Qual seria, na sua opinião, o nome verdadeiro desta personagem? --------------------------------------------------------------------------------------- 2) Retire do texto um trecho que nos mostra que Bebeto é vaidoso. ----------------------------------------------------------------------------------------- ----------------------------------------------------------------------------------------- 3) As palavras destacadas nas frases abaixo poderiam ser substituídas por: a) “Quando o pastor se distraiu,” ( ) depois de ( ) na hora em que ( ) como se fosse b) “No meio do caminho ainda ouvia a carneirada.” ( ) carneiros pequenos ( ) alguns carneiros ( ) muitos carneiros c) “Bebeto era um carneirinho”. ( ) carneiro pequeno ( ) carneiro levado ( ) carneiro magro 4) Compare o Bebeto aos carneiros do texto “DA OVELHA AO COBERTOR”. Vamos registrar as semelhanças e diferenças entre eles. Bebeto_____________________________________________________ Outros carneiros______________________________________________
  • 11. Nome______________________________________________________ Pense na palavra liberdade. Pense nos carneiros dos dois textos que você leu. Quem é mais livre? Por quê? ----------------------------------------------------------------------------------------- ----------------------------------------------------------------------------------------- ----------------------------------------------------------------------------------------- Utilizando as informações que você aprendeu no texto “Da ovelha ao cobertor” responda: a) Com a fuga de Bebeto, quanto o pastor deixou de colher em lã? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ b) Já que Bebeto não quis cortar o cabelo, o que vai acontecer com sua lã primavera? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ CURIOSIDADE... O ano novo chinês cai numa data diferente a cada ano. Ele é um importante festival anual, celebrado pelos chineses em todo o mundo. O Ano novo chinês 2015 foi comemorado no 19 de fevereiro e é o ano do Carneiro, o animal mais auspicioso conforme o zodíaco chinês. Foi festejado de acordo com a tradição chinesa com atividades culturais, danças, festas, ópera chinesa, artes e ofícios, a competição de karaokê, delícias culinárias, competições de xadrez, eventos infantis, desfiles de dragão, entre outros.
  • 12. Escola_______________________________________________________ Nome_______________________________________________________ Data__________________________ professor_____________________ Leia com atenção e fique sabendo como o lápis foi inventado: LÁPIS Descoberto numa mina na Inglaterra, o minério de grafita que serve para desenhar, no começo era enrolado em pele de carneiro. O primeiro lápis de madeira com grafite foi fabricado em 1662. Depois, com a guerra entre ingleses e franceses, a França teve os portos bloqueados e não podia receber o minério de que precisava para fazer o lápis. Napoleão, imperador da França, pediu a seus cientistas que inventassem uma alternativa para o produto que estava em falta. Foi então que o químico Nicolau Conté, aquecendo em alta temperatura uma mistura feita de um pouco de grafite e muita argila, conseguiu fazer o grafite duro que conhecemos hoje. Adaptação: A criação da pintura. Coleção As origens do saber. Responda: 1) Qual a diferença entre o primeiro lápis e o que usamos hoje? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 2) O texto “Lápis” nos conta a invenção do lápis preto. Como será a fabricação dos lápis de cor? Imagine, dê um palpite. Depois, pesquise para confirmar suas ideias. ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 3) Em que ano foi fabricado o primeiro lápis de madeira? Já faz quanto tempo? ___________________________________________________________ 4) Retire do texto todos os nomes próprios que encontramos no texto “Lápis”. ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
  • 13. Escola______________________________________________________ Nome______________________________________________________ Data___________________________ professora__________________ Lápis de Cor No meu coração vermelho abriu-se um sol amarelo que o pintou de cor de fogo - coração apaixonado. Depois de uma sombra escura cor de roxo machucado o tingiu de amor perdido - coração abandonado. Agora meu coração cobriu-se de um colorido ainda não inventado e procura branco, branco por um novo namorado. Lemos o poema “lápis de cor” que: O vermelho pintou o coração apaixonado O roxo tingiu o coração abandonado. E o lápis preto? Que coração você acha que ele pode colorir? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
  • 14. Escola______________________________________________________ Nome_______________________________________________________ Data___________________________ professora ___________________ Um mundo sem planta Você já imaginou um mundo sem plantas? Você andando de um lado para o outro ao longo das ruas e só vendo pedras, prédios, carros, lojas e fábricas? Ainda que fossem bonitos, teria a impressão de estar faltando algo. Mas, será que as plantas são apenas para enfeites? As plantas estão presentes na nossa vida diária, mas na maioria das vezes, nem nos damos conta. Pegue lápis e papel e faça uma lista das coisas que você está vendo e que foram feitas a partir de plantas. Quantas coisas encontrou? Peça a um amigo ou uma pessoa que esteja perto que faça o mesmo. Compare as listas. Que tal você se saiu? Além das frutas, legumes e verduras que comemos, as geleias, os pães, o chocolate, o açúcar e muitas outras delícias vêm das plantas. Até mesmo a carne que comemos existe por causa delas, como o boi com seu capim e a galinha com o milho. Viu só? Isso sem falar nos papéis, móveis e no próprio oxigênio. Tudo isso existe graças a elas. Se não fossem as plantas, nós e os outros animais não estaríamos aqui, agora. Na verdade, vivemos num imenso jardim. (BERCHTOLD, Edith. De mãos dadas com a natureza – plantas – Salamandra.) 1) Vamos ler as frases. a) As plantas estão presentes na nossa vida diária. b) No meu aniversário, ganhei muitos presentes. As palavras destacadas têm significados diferentes nas frases acima. Mostre que você compreendeu estas diferenças construindo novas frases. a) ______________________________________________________ b) ______________________________________________________
  • 15. Nome____________________________________________________ 2) “Você já imaginou...” “Você andando...” A palavra você nas frases acima mostra que o autor: ( ) gosta de falar sozinho ( ) chama a atenção de quem destrói a natureza ( ) está se dirigindo a quem lê o texto 3) “Além das frutas...” A palavra além sugere que: ( ) só as frutas vêm das plantas ( ) as plantas nos dão frutas e muito mais ( ) as frutas estão fora da natureza 4) Ao ler o texto, você deve ter percebido que há nele algumas perguntas sem respostas. Usando a sua imaginação, comece a responde-las: a) Você já imaginou um mundo sem plantas? Como seria? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ b) Será que as plantas são apenas enfeites? Que outras utilidades elas têm? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
  • 16. Nome_______________________________________________________ Data______________________________ professora _________________ 5) Todas as palavras destacadas nas frases abaixo são fatos que já aconteceram. Reescreva as frases, mudando os fatos destacados para o tempo pedido entre parênteses. a) O nosso país tinha uma das maiores florestas do mundo. (Presente) ___________________________________________________________ b) Cerca de dois milhões de árvores eram derrubadas por dia. (Futuro) _______________________________________________________________________________________________ c) Afinal, que tipo de plantas existiram? (Presente) _______________________________________________________________________________________________ 6) Dê outras características para o nome em destaque. Encontrei no jardim alguns cogumelos venenosos. VENENOSOS ____________________ ____________________ ____________________
  • 17. Escola ___________________________________________________ Nome ____________________________________________________ Data _______________________________ professora _____________ Produzindo texto O texto abaixo está apresentado em um único bloco. No entanto, ele deveria ter 3 parágrafos, organizados da seguinte maneira: 1º parágrafo – onde vivem as bromélias. 2º parágrafo – como são suas folhas e flores. 3º - por que estão ameaçadas de extinção. Reescreva o texto abaixo na página seguinte, dividindo-o em parágrafos. AS BROMÉLIAS A PLANTA CONHECIDA PELO NOME DE BROMÉLIA OU GRAVATÁ É TÍPICA DA MATA ATLÂNTICA, NAS REGIÕES MAIS ÚMIDAS E ALTAS DA SERRA DO MAR. SUAS FOLHAS GROSSAS SÃO DESENHADAS NA COR VERDE ESCURO E PODEM ACUMULAR ÁGUA DE CHUVA. SUAS FLORES SAEM DO CENTRO, MEDEM ATÉ 2 METROS DE ALTURA E SÓ ABREM À NOITE. A BROMÉLIA POR SER MUITO BONITA TEM SIO ARRANCADA DA MATA E VENDIDA PARA ORNAMENTAR AS CASAS. ESSA ATIVIDADE PODERÁ LEVÁ-LA À EXTINÇÃO. Revista Ciência Hoje das crianças – SBPC – nº 39/ano7/1994.
  • 18. Escola ______________________________________________________ Nome _______________________________________________________ Data _________________________________ professora _____________MINICONTO - A vida é um palco (episódio I) Foi por causa de um castelo. A Lucinha terminou de erguer a torre. A areia ainda estava mole. Eu fiz as janelas. O lago, a gente encheu com peixe de plástico. Ficou tão legal que todo mundo gostou: A Paula, da outra classe, o André, que detesta areia, a dona Mercedes, da lanchonete, e o seu João do portão. Foi juntando gente para brincar, mas a Lucinha tinha ciúme do castelo e não queria mais ninguém. Para mim, tudo bem, mas eu fiquei brava quando tiraram o cavalo do jardim para colocar dentro do salão. Cavalo dentro de casa, não. Depois, o André, que detesta areia, fez um buraco, as paredes desmancharam, e ele riu. A Lucinha encheu o balde de areia e jogou nele que ficou irado e pegou o balde para bater nela. Lucinha desviou. Então André caiu por cima do castelo e desmanchou tudo, mas a roupa dele ficou suja de areia, eu ri e ele disse que ia me matar. Saímos correndo, pisamos na lama do castelo, chutamos o balde, tropeçamos na Paula, esbarramos na Dona Mercedes, derrubamos o lixo e foi a maior sujeira, mas sujeira pior foi quando trombamos com seu João do portão. Todo mundo para a diretoria. Na sala da diretora, tinha um espelho e foi nele que a gente viu o André sem boné, a Lucinha sem óculos e eu sem sapato. No espelho era tudo bem engraçado. Primeiro foi o André quem riu, depois foi a Lucinha, depois fui eu. _ Ei, vocês três, ficaram amigos outra vez? a diretora parecia brava, a gente sabia, a gente sentia que atrás da bronca, o que ela escondia era bastante vontade de dar risada... (PIETRO, Heloísa, Folhinha de São Paulo – 23/07/2005)
  • 19. Escola____________________________________________________ Nome_____________________________________________________ Data ___________________________ professora _________________ 1 – O miniconto começa assim: O que aconteceu por causa de um castelo? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 2) Quem narra a história? ( ) Lucinha ( ) André ( ) Paula ( ) um outro menino ( ) uma outra menina 3) Retire do texto uma passagem que confirme a sua resposta à questão 2. ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 4) Lucinha não queria que mais ninguém entrasse na brincadeira do castelo. Lucinha mostrou-se: Engraçada “Foi por causa de um castelo” Esperta Ciumenta
  • 20. Escola_____________________________________________________ Nome_____________________________________________________ Data _____________________________ professora _______________ 5) A personagem narradora mostrou ser diferente de Lucinha, pois não se importava que outras crianças participassem da brincadeira. Copie do texto um trecho que comprove essa atitude. ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 6) A brincadeira começou bem. O que cada um fez para ciar confusão e tornar um verdadeiro desastre? Lucinha ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ André ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ A personagem que narra ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 7) Quando as crianças envolvidas na brincadeira se dão conta de todo o estrago que fizeram? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________ 8) “A vida é um palco” não é conto de fadas, mas termina bem. A diretora até diz: “Ei, vocês três, ficaram amigos outra vez?”. Por que a diretora percebeu que as crianças eram amigas de novo? ___________________________________________________________ ___________________________________________________________
  • 21. Escola_______________________________________________________ Nome_______________________________________________________ Data_________________________________ professora ______________ Como nasce uma planta. É espantoso saber que de pequenas sementes crescem enormes vegetais, mas o que acontece com os vegetais é bastante natural. Primeiro, das sementes formam-se pequenas raízes que, pouco a pouco, vão se afundando na terra. Em seguida, após alguns dias, desenvolve-se um pequeno caule. Ele Ainda é frágil, mas ultrapassa a superfície da terra em busca do calor e da luz solar. Depois, o vegetal cresce e cresce. O caule torna-se maior, e dele brotam galhos e folhas. 1) Observe as expressões destacadas no texto acima: O autor usou as expressões destacadas para indicar quando ocorre cada etapa do nascimento de uma nova planta. Como essas expressões foram usadas para indicar quando os fatos aconteceram, dizemos que elas indicam circunstância de tempo. 2) Ilumine, nas frases abaixo, as circunstâncias de tempo:  Hoje, visitamos a horta do colégio.  Faremos todas as tarefas no final da tarde.  Esperamos, que qualquer momento, a grande notícia.
  • 22. Escola_______________________________________________ Nome________________________________________________ Data_________________________ professora ______________ O sítio de Pedro. O sítio de Pedro fica em um terreno inclinado, com muitas árvores. Olhando da parte mais alta, vê-se a casa de barro bem no centro do sítio; atrás da casa há três hortas e, na frente, um gramado. Á esquerda da casa, existe um pomar cheio de árvores frutíferas e plantas menores, À direita, um galinheiro e um pequeno chiqueiro. Na parte mais baixa, após o rio que atravessa o sítio, avista-se ao longe um enorme milharal. Desenhe o sítio de Pedro, observando atentamente as expressões destacadas:
  • 23. Escola_______________________________________________________ Nome _______________________________________________________ Data _____________________________ professora _________________ As expressões destacadas no texto foram usadas para indicar onde se encontram alguns elementos do sítio de Pedro. De acordo com as respostas que você escreveu no exercício um, relacione os marcadores de tempo especiais ás circunstâncias que eles representam. ( 1 ) Marcadores de tempo ( ) circunstâncias de lugar ( 2 ) Marcadores especiais ( ) circunstância de tempo Agora que você já conhece as circunstâncias de lugar e tempo, poderá usá-las em seus textos para que eles fiquem mais interessantes e completos. Vamos experimentar? Faça, a seguir as atividades propostas: 1 – Identifique, na frase as circunstâncias e escreva-as a seguir. Naquele dia, as crianças brincaram no sítio. Quando as crianças brincaram? _________________________________ Essa é uma circunstância de ___________________________________ Onde as crianças brincaram? ___________________________________ Essa é uma circunstância de ____________________________________ Como essas expressões foram usadas para indicar onde se encontram esses elementos, dizemos que elas são circunstâncias de lugar
  • 24. Escola_______________________________________________________ Nome_______________________________________________________ Data ______________________________ professora ________________ 2 - Forme frases de acordo com o esquema, usando as palavras do retângulo. Faça pontuação! Na praia Marcos hoje As crianças brincam saiu a) Quem? + O que faz + Onde _________________________________________________________ b) Quando? + Quem? + O que faz? _________________________________________________________ 3 – Amplie as frases, acrescentando a ideia perdida. a) As alunas estudam. (Onde?) _________________________________________________________ b) Joana e sua mãe conversam muito. (Quando? – tempo) __________________________________________________________ 4) Circule os sinais de pontuação das frases e escreva o nome de cada um deles. a) Não é só isso, meu filho. ___________________________________________________________ b) Mistério... ___________________________________________________________ c) Está tudo no carro? ___________________________________________________________ d) Que dia lindo! ___________________________________________________________