SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Mª João

5º ano
Para que a reprodução sexuada se realize é
necessário a presença de um macho e de uma
fêmea. No entanto, existem espécies em que
um individuo modifica o seu sexo para se
reproduzir. Descobre pelo menos dois desses
animais e explica o que lhes acontece.
Data de entrega: 31 de janeiro
Reprodução:
capacidade
que os seres vivos têm de
originar
seres
com
características semelhantes.
Esta função tem como
finalidade dar continuidade
às espécies , impedindo a
sua extinção.

Reprodução
Sexuada
São necessários 2
seres vivos para
dar origem a outros.

Assexuada
Um único ser
divide-se e dá
origem a descendentes.
Ex: estrela-do-mar.
Procura no teu livro, na página 56, um exemplo de
um animal que possua reprodução assexuada.
Multiplicação vegetativa
A REPRODUÇÃO SEXUADA nos
animais caracteriza-se pelo
acasalamento de um macho com
uma fêmea, permitindo a
fecundação.
Os machos produzem células
sexuais masculinas –
espermatozóides – e as fêmeas as
células sexuais femininas – óvulos.
Da união destes dois tipos de
células resulta o ovo.
Reprodução
sexuada

Macho

Fêmea

Espermatozoides

Óvulos

OVO
Existem espécies em que é possível
distinguir
perfeitamente
os
indivíduos dos dois sexos –
Dimorfismo sexual.
Dimorfismo sexual pouco acentuado.
As tartarugas só alcançam a
maturidade sexual aos 3 anos;
Garras nos machos são muito mais
largas;
As garras das fêmeas podem ser
grandes mas proporcionais;
A cauda do macho é mais espessa e
longa;
A carapaça dos machos tem uma
curvatura ligeiramente maior
A época de reprodução
é altura do ano em que os animais
acasalam.
O macho e a fêmea envolvem-se
numa série de comportamentos –
parada nupcial – que tem como
finalidade o reconhecimento dos
animais da mesma espécie.
ETAPAS DO COMPORTAMENTO ANIMAL

Comunicação

•Sinais sonoros
(Ex: sapo, o cuco, o gato)
•Sinais odoríferos
( Ex: Insectos)
•Sinais visuais
( Ex: pavão)

Reconhecimento

Se a aceitação for mutua existe
por vezes a oferta de
presentes, bailados, gestos de
amor e combates.

A este conjunto de comportamentos
chamamos Parada Nupcial

Acasalamento.

Que resultará novos seres.
Comportamento dos animais na
época da reprodução
Época de reprodução: época do ano em que
os animais acasalam.

Geralmente a altura do nascimento das crias
coincide com a época em que o alimento é
mais abundante, necessário à sobrevivência
das crias.
Parada nupcial: conjunto de comportamentos
antes, durante e após o acasalamento.

Os animais utilizam os órgãos dos sentidos para comunicar.
Relaciona. Página 54
Sabes interpretar? Página 55
No interior do corpo da mãe e
alimenta-se das substâncias
que a mãe lhe fornece.
Pág. 57 – Questões aula.
Dá exemplos de animais vivíparos.
O embrião desenvolve-se no exterior do corpo da mãe, num
ovo e alimenta-se das substâncias que o ovo contém.
•Postura
•Eclosão
•Incubação

Pág. 58
Questões aula
Quando o novo ser se desenvolve dentro de um ovo que está dentro do
corpo materno e se alimenta das reservas alimentares que estão no
ovo.
x: São ovovíparos numerosos insectos, alguns
gastrópodes, peixes, e alguns sáurios (lagarto) e ofídios (cobra).
O desenvolvimento do novo ser inicia-se logo a seguir da
fecundação. E conforme a espécie pode ocorrer fora ou
dentro do corpo da mãe.
•Ovíparo: quando o novo ser se desenvolve dentro de
um ovo e o seu alimento é as reservas que estão no ovo.
•Vivíparo: quando o novo ser se desenvolve dentro do
corpo da materno e se alimenta de substâncias que a
mãe lhe fornece.
•Ovovivíparo: quando o novo ser se desenvolve dentro
de um ovo que está dentro do corpo materno e se
alimenta das reservas alimentares que estão no ovo.
Dá exemplo de um animal que seja ovíparo.
Define animal ovíparo.
Pág.59. Sabes interpretar?
B 1º dia - no alto da gema surge um pequeno disco que representa o
embrião em desenvolvimento.
E 3º dia - rede de vasos sanguíneos que vão levar o alimento da gema para
o embrião.
F 7º dia – a gema aumenta e inicia-se a formação das asas e das pernas.
D 12º dia – forma-se o bico e no corpo aparecem pequenas manchas onde
vão crescer as penas.
A 20º dia – está completamente formado e irá nascer no dia seguinte.

1. H C B E F D A G
2.1. Dentro do ovo e fora do corpo da mãe.
2.2. a partir das substâncias do ovo.
Existem animais como o bicho-da-seda e a rã que nascem com um aspeto muito
diferente dos progenitores. – Desenvolvimento Indireto.
Assim só depois de sofrerem transformações internas e externas – Metamorfoses - é
que ficam semelhantes aos seus pais.
A metamorfose é completa quando os animais passam por 3 fases:
•LARVA
•NINFA
•ADULTO
Sabes interpretar Pág. 60
1. As metamorfoses da rã ocorrem no ambiente aquático.
2. Girino.
3.1. Primeiro formam-se os membros posteriores e a seguir os membros
anteriores.

3.2. A cauda inicialmente comprida vai diminuindo à medida que a rã
cresce e acaba por desaparecer.
3.3. Inicialmente, a rã respira por brânquias e, no estado adulto, respira
por pulmões.
Relaciona Pág.61
1 – D; 2 – C; 3 – B; 4 – E; 5 - A
Experimentando– Pág.62
1. Metamorfoses são as transformações de alguns animais desde a eclosão
até ao estado adulto.
2. Do ovo eclode uma larva ou lagarta com alguns milímetros que se alimenta
de folhas de amoreira até atingir cerca de 10 cm. A lagarta constrói um casulo
de seda e transforma-se em pupa. Ao fim de alguns dias sai do casulo a
borboleta que, após o acasalamento, põe ovos.
3. A forma adulta do bicho-da-seda denomina-se borboleta.
4. O bicho-da-seda passa por metamorfoses: ovo, lagarta, pupa e borboleta.
Verifica o que aprendeste – Pág.63
1.1. Guppy, pardal e veado.
1.2.1. C

1.2.2. C

1.3. Pavão e galo.

2.1. As metamorfoses da joaninha são completas, porque passa por alterações
profundas com fases distintas: ovo, larva, pupa e forma adulta.

2.2. O ambiente em que acontecem as metamorfoses da rã é o ambiente
aquático.
2.3. A – Joaninha adulta
B – Ovos
C – Eclosão
D - Larva
E – Pupa
F - Joaninha jovem
G - Acasalamento
2.4. A – Acasalamento
B – Ovos
C – Larva
D - Girino com cauda
E - Girino com membros posteriores F - Girino com membros posteriores e
anteriores G - Jovem rã H - Rã adulta
2.5. C
3.1. Parada nupcial é o conjunto de comportamentos que acontecem
antes, durante e após o acasalamento.
3.2. A – fêmea da abetarda

B - macho de abetarda

3.3. “Começam por levantar a cauda e pôr o pescoço para trás”, ou “Incham o
pescoço como um balão, de tal forma que a cabeça a funda nas penas, exibindo
ao mesmo tempo os longos e brilhantes bigodes.”, ou “ Vira as penas brancas
como a neve da cauda e das asas.
3.4. A ave fragata, ou lince, ou gralha ou cegonha.
Mudança de Sexo nos
Animais
Trabalho realizado por Inês Freire
5º F Nº 15
32
Peixe-Palhaço

Anémona

Os peixes palhaços nascem machos, mas dentro deles estão os órgãos
reprodutores necessários para se tornarem fêmeas. Se a fêmea de um grupo
morre, o macho dominante muda para fêmea e um dos machos não
dominantes assume o comando. Antes de acasalar, os machos tornam-se
agressivos, atacando as fêmeas e estendendo as suas barbatanas.
Selecionam um local “tipo ninho”, dentro da boca da anémona (os ovos são
protegidos por cobertura com o muco da anémona). A fêmea liberta os ovos
para o “ninho” para serem fertilizados e protegidos pelo macho.
33
A Rã

As rãs do sexo masculino mudam de sexo quando expostas a um pesticida
comum “Atrazina“ que é utilizado na agricultura. Relacionam-se com outros
machos, ao ponto de serem capazes de produzirem ovos.

34
Peixe Napoleão

Nascem todos machos e mais tarde mudam de sexo, tornando-se fêmeas.
Num grupo, apenas um dos machos não muda de sexo, e é o único a
fertilizar os ovos de todas as fêmeas. Se este morrer, a fêmea de maiores
dimensões, assume o papel de macho dominante.

35
Lagarto Barbado

Mudar de sexo não é nem um pouco complicado para um embrião de
lagarto-barbado. Uma mudança de temperatura pode levar o organismo a
ignorar a programação do DNA e alterar o sexo ao longo do
desenvolvimento mais especificamente, supostos machos acabam
nascendo fêmeas.

36
Garoupa (Peixe)

As garoupas são peixes muito apreciados na culinária, devido a sua carne
branca.
Estes peixes nascem fêmeas e após anos tornam-se machos.
Acredita-se que esta inversão ocorra entre os 9 e 16 anos de vida, com
indivíduos pesando mais de 9 quilos.

37
Mudança de Sexo nos Animais

Fim
Bibliografia: Pesquisa na Internet

38
 Reprodução nos Animais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Leonardo Kaplan
 
1.1 diversidade dos animais - forma e revestimento - ficha informativa
1.1   diversidade dos animais - forma e revestimento - ficha informativa1.1   diversidade dos animais - forma e revestimento - ficha informativa
1.1 diversidade dos animais - forma e revestimento - ficha informativa
Hugo Esteves
 
Forma Dos Animais E Simetria
Forma Dos Animais E SimetriaForma Dos Animais E Simetria
Forma Dos Animais E Simetria
fernandesilvia
 
Animais invertebrdos e vertebrados
Animais invertebrdos e vertebradosAnimais invertebrdos e vertebrados
Animais invertebrdos e vertebrados
SESI 422 - Americana
 
Revestimento dos animais 5º ano
Revestimento dos animais 5º anoRevestimento dos animais 5º ano
Revestimento dos animais 5º ano
Isabel Ribeiro
 
Ficha de trabalho sistema digestivo
Ficha de trabalho sistema digestivoFicha de trabalho sistema digestivo
Ficha de trabalho sistema digestivo
Cristina Jesus
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animais
Joaquim André
 

Mais procurados (20)

III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
 
Regimes alimentares
Regimes alimentaresRegimes alimentares
Regimes alimentares
 
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
 
14 15 regimes-alimentares
14 15 regimes-alimentares14 15 regimes-alimentares
14 15 regimes-alimentares
 
Formas dos animais
Formas dos animaisFormas dos animais
Formas dos animais
 
1.1 diversidade dos animais - forma e revestimento - ficha informativa
1.1   diversidade dos animais - forma e revestimento - ficha informativa1.1   diversidade dos animais - forma e revestimento - ficha informativa
1.1 diversidade dos animais - forma e revestimento - ficha informativa
 
Bilhete identidade (2)
Bilhete identidade (2)Bilhete identidade (2)
Bilhete identidade (2)
 
Ciclo de vida das plantas
Ciclo de vida das plantasCiclo de vida das plantas
Ciclo de vida das plantas
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
 
Regime alimentar -Animais
Regime alimentar -AnimaisRegime alimentar -Animais
Regime alimentar -Animais
 
Forma Dos Animais E Simetria
Forma Dos Animais E SimetriaForma Dos Animais E Simetria
Forma Dos Animais E Simetria
 
Animais invertebrdos e vertebrados
Animais invertebrdos e vertebradosAnimais invertebrdos e vertebrados
Animais invertebrdos e vertebrados
 
IV.3 Répteis
IV.3 RépteisIV.3 Répteis
IV.3 Répteis
 
Animais vertebrados e invertebrados
Animais vertebrados e invertebradosAnimais vertebrados e invertebrados
Animais vertebrados e invertebrados
 
Revestimento dos animais 5º ano
Revestimento dos animais 5º anoRevestimento dos animais 5º ano
Revestimento dos animais 5º ano
 
Ficha de trabalho sistema digestivo
Ficha de trabalho sistema digestivoFicha de trabalho sistema digestivo
Ficha de trabalho sistema digestivo
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animais
 
Ciencias naturais 3
Ciencias naturais 3Ciencias naturais 3
Ciencias naturais 3
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Estudo do Meio 4º ano
Estudo do Meio 4º anoEstudo do Meio 4º ano
Estudo do Meio 4º ano
 

Destaque

Reprodução seres vivos 2011
Reprodução seres vivos   2011Reprodução seres vivos   2011
Reprodução seres vivos 2011
Roberto Bagatini
 
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genéticaReprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Thiago Souza
 
Reprodução assexuada nos seres vivos
Reprodução assexuada nos seres vivos   Reprodução assexuada nos seres vivos
Reprodução assexuada nos seres vivos
Isabel Lopes
 
Teste reprodução animal
Teste reprodução animalTeste reprodução animal
Teste reprodução animal
marcommendes
 
Reprodução aula 05 de luzia
Reprodução aula 05 de luziaReprodução aula 05 de luzia
Reprodução aula 05 de luzia
luziabiologa2010
 
2 s reino metazoa embrio 2015 para postar
2 s  reino metazoa  embrio 2015 para postar2 s  reino metazoa  embrio 2015 para postar
2 s reino metazoa embrio 2015 para postar
Ionara Urrutia Moura
 
Bases da reprodução
Bases da reproduçãoBases da reprodução
Bases da reprodução
letyap
 
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genéticaReprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Thiago Souza
 
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
Ppt 14    ReproduçãO Sexuada   MeiosePpt 14    ReproduçãO Sexuada   Meiose
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
Nuno Correia
 
Reprodução sexuada meiose e fecundação
Reprodução sexuada   meiose e fecundaçãoReprodução sexuada   meiose e fecundação
Reprodução sexuada meiose e fecundação
Isabel Lopes
 
Reprodução -- 5ºano
Reprodução -- 5ºanoReprodução -- 5ºano
Reprodução -- 5ºano
Rosa Pereira
 

Destaque (20)

Parada Nupcial
Parada NupcialParada Nupcial
Parada Nupcial
 
Reprodução seres vivos 2011
Reprodução seres vivos   2011Reprodução seres vivos   2011
Reprodução seres vivos 2011
 
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genéticaReprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
 
Reprodução assexuada nos seres vivos
Reprodução assexuada nos seres vivos   Reprodução assexuada nos seres vivos
Reprodução assexuada nos seres vivos
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução assexuada e sexuada
Reprodução assexuada  e sexuadaReprodução assexuada  e sexuada
Reprodução assexuada e sexuada
 
Teste reprodução animal
Teste reprodução animalTeste reprodução animal
Teste reprodução animal
 
Aula 20 05 - alcidenio
Aula 20 05 - alcidenioAula 20 05 - alcidenio
Aula 20 05 - alcidenio
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução aula 05 de luzia
Reprodução aula 05 de luziaReprodução aula 05 de luzia
Reprodução aula 05 de luzia
 
2 s reino metazoa embrio 2015 para postar
2 s  reino metazoa  embrio 2015 para postar2 s  reino metazoa  embrio 2015 para postar
2 s reino metazoa embrio 2015 para postar
 
Bases da reprodução
Bases da reproduçãoBases da reprodução
Bases da reprodução
 
Reprodução capitão-2014
Reprodução capitão-2014Reprodução capitão-2014
Reprodução capitão-2014
 
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genéticaReprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
Reprodução assexuada, sexuada e variabilidade genética
 
Elefante
ElefanteElefante
Elefante
 
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia ComparadaSistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
Sistema Reprodutor Comparado - Fisiologia Comparada
 
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
Ppt 14    ReproduçãO Sexuada   MeiosePpt 14    ReproduçãO Sexuada   Meiose
Ppt 14 ReproduçãO Sexuada Meiose
 
Variabilidade
VariabilidadeVariabilidade
Variabilidade
 
Reprodução sexuada meiose e fecundação
Reprodução sexuada   meiose e fecundaçãoReprodução sexuada   meiose e fecundação
Reprodução sexuada meiose e fecundação
 
Reprodução -- 5ºano
Reprodução -- 5ºanoReprodução -- 5ºano
Reprodução -- 5ºano
 

Semelhante a Reprodução nos Animais

Reprodução nos-animais
Reprodução nos-animaisReprodução nos-animais
Reprodução nos-animais
Carla Gomes
 
ReproduçãO Nos Animais
ReproduçãO Nos AnimaisReproduçãO Nos Animais
ReproduçãO Nos Animais
ilda
 
Reprodução dos animais (alterada)
Reprodução dos animais (alterada)Reprodução dos animais (alterada)
Reprodução dos animais (alterada)
Isabel Ribeiro
 
Reprodução Nos Animais
Reprodução Nos AnimaisReprodução Nos Animais
Reprodução Nos Animais
visiense
 
04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais
Carla Gomes
 
04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais
Carla Gomes
 
Ficha ciências da natureza 5º ano
Ficha ciências da natureza 5º anoFicha ciências da natureza 5º ano
Ficha ciências da natureza 5º ano
Marta Vale
 

Semelhante a Reprodução nos Animais (20)

4 Processos Reprodutivos nos animais 2016
4 Processos Reprodutivos nos animais 20164 Processos Reprodutivos nos animais 2016
4 Processos Reprodutivos nos animais 2016
 
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º anoReprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
Reprodução nos Animais - 2.º ciclo 5.º ano
 
reproducao 2.ppt
reproducao 2.pptreproducao 2.ppt
reproducao 2.ppt
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animais
 
Reprodução nos-animais
Reprodução nos-animaisReprodução nos-animais
Reprodução nos-animais
 
ReproduçãO Nos Animais
ReproduçãO Nos AnimaisReproduçãO Nos Animais
ReproduçãO Nos Animais
 
Aula sexo
Aula sexoAula sexo
Aula sexo
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução dos Animais
Reprodução dos AnimaisReprodução dos Animais
Reprodução dos Animais
 
Reprodução dos animais (alterada)
Reprodução dos animais (alterada)Reprodução dos animais (alterada)
Reprodução dos animais (alterada)
 
Reprodução Nos Animais
Reprodução Nos AnimaisReprodução Nos Animais
Reprodução Nos Animais
 
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraInsetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
 
Sexo
SexoSexo
Sexo
 
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
67347132 sesi-texto-sobre-reproducao
 
Reprodução em animais
Reprodução em animaisReprodução em animais
Reprodução em animais
 
04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais
 
04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais04 como se reproduzem os animais
04 como se reproduzem os animais
 
Ficha Informativa 2
Ficha Informativa 2Ficha Informativa 2
Ficha Informativa 2
 
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdf
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdfciencias_-_8o_ano_aula_6.pdf
ciencias_-_8o_ano_aula_6.pdf
 
Ficha ciências da natureza 5º ano
Ficha ciências da natureza 5º anoFicha ciências da natureza 5º ano
Ficha ciências da natureza 5º ano
 

Mais de MariaJoão Agualuza

Mais de MariaJoão Agualuza (20)

Locomoção dos animais - Ciências Naturais
Locomoção dos animais - Ciências NaturaisLocomoção dos animais - Ciências Naturais
Locomoção dos animais - Ciências Naturais
 
4 FormasSimetriaRevestimento
4 FormasSimetriaRevestimento4 FormasSimetriaRevestimento
4 FormasSimetriaRevestimento
 
3 Revestimento.pptx
3 Revestimento.pptx3 Revestimento.pptx
3 Revestimento.pptx
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Diversidade Animal 5D
Diversidade Animal 5DDiversidade Animal 5D
Diversidade Animal 5D
 
Diversidade Animal 5D
Diversidade Animal 5DDiversidade Animal 5D
Diversidade Animal 5D
 
Animais Reprodução 5F
Animais Reprodução 5F Animais Reprodução 5F
Animais Reprodução 5F
 
Alimentacao 5F
 Alimentacao 5F Alimentacao 5F
Alimentacao 5F
 
Revestimento 5ºF
Revestimento 5ºFRevestimento 5ºF
Revestimento 5ºF
 
Forma dos animais 5F
Forma dos animais 5FForma dos animais 5F
Forma dos animais 5F
 
Animal Reproducao
Animal ReproducaoAnimal Reproducao
Animal Reproducao
 
Animais
Animais Animais
Animais
 
Animais Locomoção
Animais LocomoçãoAnimais Locomoção
Animais Locomoção
 
Animais Revestimento
Animais RevestimentoAnimais Revestimento
Animais Revestimento
 
Animais Revestimento
Animais RevestimentoAnimais Revestimento
Animais Revestimento
 
Formas dos Animais
Formas dos AnimaisFormas dos Animais
Formas dos Animais
 
Grelha Animais de Portugal
Grelha Animais de Portugal Grelha Animais de Portugal
Grelha Animais de Portugal
 
Triangulo angulointerno5ano
Triangulo angulointerno5anoTriangulo angulointerno5ano
Triangulo angulointerno5ano
 
W 5 c_n5
W 5 c_n5W 5 c_n5
W 5 c_n5
 
Triangulos paralelogramos
Triangulos paralelogramosTriangulos paralelogramos
Triangulos paralelogramos
 

Reprodução nos Animais

  • 2. Para que a reprodução sexuada se realize é necessário a presença de um macho e de uma fêmea. No entanto, existem espécies em que um individuo modifica o seu sexo para se reproduzir. Descobre pelo menos dois desses animais e explica o que lhes acontece. Data de entrega: 31 de janeiro
  • 3. Reprodução: capacidade que os seres vivos têm de originar seres com características semelhantes. Esta função tem como finalidade dar continuidade às espécies , impedindo a sua extinção. Reprodução Sexuada São necessários 2 seres vivos para dar origem a outros. Assexuada Um único ser divide-se e dá origem a descendentes. Ex: estrela-do-mar.
  • 4. Procura no teu livro, na página 56, um exemplo de um animal que possua reprodução assexuada.
  • 6. A REPRODUÇÃO SEXUADA nos animais caracteriza-se pelo acasalamento de um macho com uma fêmea, permitindo a fecundação. Os machos produzem células sexuais masculinas – espermatozóides – e as fêmeas as células sexuais femininas – óvulos. Da união destes dois tipos de células resulta o ovo.
  • 7.
  • 9. Existem espécies em que é possível distinguir perfeitamente os indivíduos dos dois sexos – Dimorfismo sexual.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Dimorfismo sexual pouco acentuado. As tartarugas só alcançam a maturidade sexual aos 3 anos; Garras nos machos são muito mais largas; As garras das fêmeas podem ser grandes mas proporcionais; A cauda do macho é mais espessa e longa; A carapaça dos machos tem uma curvatura ligeiramente maior
  • 14. A época de reprodução é altura do ano em que os animais acasalam. O macho e a fêmea envolvem-se numa série de comportamentos – parada nupcial – que tem como finalidade o reconhecimento dos animais da mesma espécie.
  • 15. ETAPAS DO COMPORTAMENTO ANIMAL Comunicação •Sinais sonoros (Ex: sapo, o cuco, o gato) •Sinais odoríferos ( Ex: Insectos) •Sinais visuais ( Ex: pavão) Reconhecimento Se a aceitação for mutua existe por vezes a oferta de presentes, bailados, gestos de amor e combates. A este conjunto de comportamentos chamamos Parada Nupcial Acasalamento. Que resultará novos seres.
  • 16. Comportamento dos animais na época da reprodução Época de reprodução: época do ano em que os animais acasalam. Geralmente a altura do nascimento das crias coincide com a época em que o alimento é mais abundante, necessário à sobrevivência das crias.
  • 17. Parada nupcial: conjunto de comportamentos antes, durante e após o acasalamento. Os animais utilizam os órgãos dos sentidos para comunicar.
  • 18.
  • 19. Relaciona. Página 54 Sabes interpretar? Página 55
  • 20. No interior do corpo da mãe e alimenta-se das substâncias que a mãe lhe fornece. Pág. 57 – Questões aula. Dá exemplos de animais vivíparos.
  • 21. O embrião desenvolve-se no exterior do corpo da mãe, num ovo e alimenta-se das substâncias que o ovo contém. •Postura •Eclosão •Incubação Pág. 58 Questões aula
  • 22. Quando o novo ser se desenvolve dentro de um ovo que está dentro do corpo materno e se alimenta das reservas alimentares que estão no ovo. x: São ovovíparos numerosos insectos, alguns gastrópodes, peixes, e alguns sáurios (lagarto) e ofídios (cobra).
  • 23. O desenvolvimento do novo ser inicia-se logo a seguir da fecundação. E conforme a espécie pode ocorrer fora ou dentro do corpo da mãe. •Ovíparo: quando o novo ser se desenvolve dentro de um ovo e o seu alimento é as reservas que estão no ovo. •Vivíparo: quando o novo ser se desenvolve dentro do corpo da materno e se alimenta de substâncias que a mãe lhe fornece. •Ovovivíparo: quando o novo ser se desenvolve dentro de um ovo que está dentro do corpo materno e se alimenta das reservas alimentares que estão no ovo.
  • 24. Dá exemplo de um animal que seja ovíparo. Define animal ovíparo. Pág.59. Sabes interpretar?
  • 25. B 1º dia - no alto da gema surge um pequeno disco que representa o embrião em desenvolvimento. E 3º dia - rede de vasos sanguíneos que vão levar o alimento da gema para o embrião. F 7º dia – a gema aumenta e inicia-se a formação das asas e das pernas. D 12º dia – forma-se o bico e no corpo aparecem pequenas manchas onde vão crescer as penas. A 20º dia – está completamente formado e irá nascer no dia seguinte. 1. H C B E F D A G 2.1. Dentro do ovo e fora do corpo da mãe. 2.2. a partir das substâncias do ovo.
  • 26. Existem animais como o bicho-da-seda e a rã que nascem com um aspeto muito diferente dos progenitores. – Desenvolvimento Indireto. Assim só depois de sofrerem transformações internas e externas – Metamorfoses - é que ficam semelhantes aos seus pais. A metamorfose é completa quando os animais passam por 3 fases: •LARVA •NINFA •ADULTO
  • 27. Sabes interpretar Pág. 60 1. As metamorfoses da rã ocorrem no ambiente aquático. 2. Girino. 3.1. Primeiro formam-se os membros posteriores e a seguir os membros anteriores. 3.2. A cauda inicialmente comprida vai diminuindo à medida que a rã cresce e acaba por desaparecer. 3.3. Inicialmente, a rã respira por brânquias e, no estado adulto, respira por pulmões.
  • 28.
  • 29. Relaciona Pág.61 1 – D; 2 – C; 3 – B; 4 – E; 5 - A Experimentando– Pág.62 1. Metamorfoses são as transformações de alguns animais desde a eclosão até ao estado adulto. 2. Do ovo eclode uma larva ou lagarta com alguns milímetros que se alimenta de folhas de amoreira até atingir cerca de 10 cm. A lagarta constrói um casulo de seda e transforma-se em pupa. Ao fim de alguns dias sai do casulo a borboleta que, após o acasalamento, põe ovos. 3. A forma adulta do bicho-da-seda denomina-se borboleta. 4. O bicho-da-seda passa por metamorfoses: ovo, lagarta, pupa e borboleta.
  • 30. Verifica o que aprendeste – Pág.63 1.1. Guppy, pardal e veado. 1.2.1. C 1.2.2. C 1.3. Pavão e galo. 2.1. As metamorfoses da joaninha são completas, porque passa por alterações profundas com fases distintas: ovo, larva, pupa e forma adulta. 2.2. O ambiente em que acontecem as metamorfoses da rã é o ambiente aquático. 2.3. A – Joaninha adulta B – Ovos C – Eclosão D - Larva E – Pupa F - Joaninha jovem G - Acasalamento 2.4. A – Acasalamento B – Ovos C – Larva D - Girino com cauda E - Girino com membros posteriores F - Girino com membros posteriores e anteriores G - Jovem rã H - Rã adulta 2.5. C
  • 31. 3.1. Parada nupcial é o conjunto de comportamentos que acontecem antes, durante e após o acasalamento. 3.2. A – fêmea da abetarda B - macho de abetarda 3.3. “Começam por levantar a cauda e pôr o pescoço para trás”, ou “Incham o pescoço como um balão, de tal forma que a cabeça a funda nas penas, exibindo ao mesmo tempo os longos e brilhantes bigodes.”, ou “ Vira as penas brancas como a neve da cauda e das asas. 3.4. A ave fragata, ou lince, ou gralha ou cegonha.
  • 32. Mudança de Sexo nos Animais Trabalho realizado por Inês Freire 5º F Nº 15 32
  • 33. Peixe-Palhaço Anémona Os peixes palhaços nascem machos, mas dentro deles estão os órgãos reprodutores necessários para se tornarem fêmeas. Se a fêmea de um grupo morre, o macho dominante muda para fêmea e um dos machos não dominantes assume o comando. Antes de acasalar, os machos tornam-se agressivos, atacando as fêmeas e estendendo as suas barbatanas. Selecionam um local “tipo ninho”, dentro da boca da anémona (os ovos são protegidos por cobertura com o muco da anémona). A fêmea liberta os ovos para o “ninho” para serem fertilizados e protegidos pelo macho. 33
  • 34. A Rã As rãs do sexo masculino mudam de sexo quando expostas a um pesticida comum “Atrazina“ que é utilizado na agricultura. Relacionam-se com outros machos, ao ponto de serem capazes de produzirem ovos. 34
  • 35. Peixe Napoleão Nascem todos machos e mais tarde mudam de sexo, tornando-se fêmeas. Num grupo, apenas um dos machos não muda de sexo, e é o único a fertilizar os ovos de todas as fêmeas. Se este morrer, a fêmea de maiores dimensões, assume o papel de macho dominante. 35
  • 36. Lagarto Barbado Mudar de sexo não é nem um pouco complicado para um embrião de lagarto-barbado. Uma mudança de temperatura pode levar o organismo a ignorar a programação do DNA e alterar o sexo ao longo do desenvolvimento mais especificamente, supostos machos acabam nascendo fêmeas. 36
  • 37. Garoupa (Peixe) As garoupas são peixes muito apreciados na culinária, devido a sua carne branca. Estes peixes nascem fêmeas e após anos tornam-se machos. Acredita-se que esta inversão ocorra entre os 9 e 16 anos de vida, com indivíduos pesando mais de 9 quilos. 37
  • 38. Mudança de Sexo nos Animais Fim Bibliografia: Pesquisa na Internet 38