SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Reprodução da tartaruga marinha
.
•   As fêmeas atingem a maturidade sexual por volta dos 30 anos de idade. Nesta
    fase, ela retorna para a praia onde nasceu para depositar os ovos. Estima-se que
    entre 100 filhotes nascidos, apenas um chegará a vida adulta.
•   Possuem um comportamento solitário e vivem grande parte do tempo submersas
    nas águas dos oceanos.
•   O acasalamento das tartarugas ocorre nas águas costeiras ou profundas dos
    oceanos.
•   Dependendo da espécie, a cor das tartarugas pode variar do marrom ao verde.
•   Possuem sistemas de audição e visão bem desenvolvidos.
•   Em função da caça predatória por vários anos, grande parte das espécies encontra-
    se em situação de extinção.
•   CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS:
•   Peso: em média de 300 a 600 (animal adulto)
    Comprimento: pode atingir até 2 metros de comprimento e 1,5 metros de largura
    (depende da espécie)
    Reprodução: fecundação interna com 3 a 5 desovas numa mesma temporada de
    reprodução.
Reprodução do Jacaré
A reprodução nos jacarés, em geral, ocorre no período de
   julho a outubro. A maturidade sexual chega aos sete
   anos para a fêmea e para o macho aos dez. Os filhotes
   nascem com a aparência igual a dos pais, porém com
   apenas 25 cm de comprimento. Nesta fase, a
   alimentação é de insetos, sapos, ratos e peixes.
Reprodução do tucano

• Sua reprodução ocorre no final da primavera e a fêmea bota de 2 a
  4 ovos em ninhos localizados no alto dos troncos das árvores. O
  casal se reveza na tarefa de chocar os ovos, os quais eclodem
  entre 16 e 20 dias. Quando nascem, sua aparência é
  desproporcional; seu bico é grande e o corpo, pequeno; os olhos só
  abrem após três semanas e os pais cuidam de seus filhotes até eles
  saírem dos ninhos, o que ocorre em seis semanas. A coloração do
  bico só é definida meses após o nascimento.O tucano-toco ainda
  não é uma espécie ameaçada de extinção, entretanto tem sido
  capturado e traficado para outros países a fim de ser vendido em
  lojas de animais. Isto tem, como consequência, a diminuição de sua
  população nas florestas, pondo em risco a variabilidade
  genética, como também a morte de muitos animais durante o
  transporte.
Reprodução dos Pingüins



Há espécies de pingüins cujos pares reprodutores acasalam para toda a
  vida enquanto que outros fazem-no apenas durante uma época de
  reprodução. Normalmente, os progenitores cooperam nos cuidados
  com os ovos e com os juvenis. A forma do ninho varia, segundo a
  espécie de pingüim: alguns cavam uma pequena fossa, outros
  constroem o ninho com pedras e outros utilizam uma dobra de pele
  que possuem ventralmente para cobrir o ovo. Normalmente, o macho
  fica com o ovo e mantém-no quente, e a fêmea dirige-se para o mar
  com vista a encontrar alimento. Quando no seu regresso, o filhote terá
  alimento e então os papéis invertem-se: a fêmea fica em terra e o
  macho vai à procura de alimentos.
Reprodução da Serpente




•   O pulmão esquerdo é muito pequeno ou mesmo ausente, uma vez que o corpo
    em forma tubular requer que todos os órgãos sejam compridos e estreitos. Para
    que caibam no corpo, só um pulmão funciona. Além disso muitos dos órgãos que
    são pares, como os rins ou órgãos reprodutivos estão distribuídos ao longo do
    corpo de modo que um esteja à frente do outro, sendo um exemplo de excepção
    da simetria bilateral . As serpentes usam um vasto número de modos de
    reprodução. Todas usam fertilização interna, conseguida por meio de hemipénis
    bifurcados, que são armazenados invertidamente na cauda do macho. A maior
    parte das serpentes põe ovos e a maior parte destas abandona-os pouco depois
    de os pôr; no entanto, algumas autores entendem que essas espécies são
    ovovivíparas e retém os ovos dentro dos seus corpos até estes se encontrarem
    prestes a eclodir.
•   Recentemente, foi confirmado que várias espécies de cobras desenvolvem os
    seus descendentes completamente dentro de si, nutrindo-os através de uma
    placenta e um saco amniótico. A retenção de ovos e os partos ao vivo são
    normalmente, mas não exclusivamente, associados a climas frios, sendo que a
    retenção dos descendentes dentro da fêmea permite-lhe controlar as suas
    temperaturas com maior eficácia do que se estes se encontrassem no exterior.
Ketly Eduarda e Douglas Machado

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermosAnelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermosamollaop
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesClaudiapadao
 
Aula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
Aula de Biologia: Répteis, Aves e MamíferosAula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
Aula de Biologia: Répteis, Aves e MamíferosRonaldo Santana
 
Apresentação sobre mamíferos.
Apresentação sobre  mamíferos.Apresentação sobre  mamíferos.
Apresentação sobre mamíferos.Victor Ygor
 
Seminário sobre Répteis
Seminário sobre RépteisSeminário sobre Répteis
Seminário sobre RépteisSimone Costa
 
DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE MAMÍFEROS
DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE MAMÍFEROSDIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE MAMÍFEROS
DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE MAMÍFEROSLinique Logan
 
Invertebrados
InvertebradosInvertebrados
InvertebradosMarilia
 
2EM #16 Amniotas: répteis
2EM #16 Amniotas: répteis2EM #16 Amniotas: répteis
2EM #16 Amniotas: répteisProfessô Kyoshi
 
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)Ronaldo Santana
 
Moluscos - Biologia
Moluscos - BiologiaMoluscos - Biologia
Moluscos - BiologiaBruna M
 
Filo artrópodes 01 características e anatomia
Filo artrópodes 01   características e anatomiaFilo artrópodes 01   características e anatomia
Filo artrópodes 01 características e anatomiaprestao
 
Filo artrópodes 04 crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomiaFilo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04 crustáceos - características e anatomiaprestao
 
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: AnfíbiosProfessô Kyoshi
 

Mais procurados (20)

Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermosAnelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
Anelídeos, moluscos, artrópodes, equinodermos
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Aula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
Aula de Biologia: Répteis, Aves e MamíferosAula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
Aula de Biologia: Répteis, Aves e Mamíferos
 
Apresentação sobre mamíferos.
Apresentação sobre  mamíferos.Apresentação sobre  mamíferos.
Apresentação sobre mamíferos.
 
Seminário sobre Répteis
Seminário sobre RépteisSeminário sobre Répteis
Seminário sobre Répteis
 
DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE MAMÍFEROS
DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE MAMÍFEROSDIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE MAMÍFEROS
DIVERSIDADE E CLASSIFICAÇÃO DE MAMÍFEROS
 
RéPteis
RéPteisRéPteis
RéPteis
 
Invertebrados
InvertebradosInvertebrados
Invertebrados
 
2EM #16 Amniotas: répteis
2EM #16 Amniotas: répteis2EM #16 Amniotas: répteis
2EM #16 Amniotas: répteis
 
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
Aula 2° ano Ensino Médio: Invertebrados II (Artrópodes e Equinodermos)
 
Moluscos - Biologia
Moluscos - BiologiaMoluscos - Biologia
Moluscos - Biologia
 
Filo artrópodes 01 características e anatomia
Filo artrópodes 01   características e anatomiaFilo artrópodes 01   características e anatomia
Filo artrópodes 01 características e anatomia
 
Répteis 3B
Répteis 3BRépteis 3B
Répteis 3B
 
Reptilia
ReptiliaReptilia
Reptilia
 
Filo artrópodes 04 crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomiaFilo artrópodes 04   crustáceos - características e anatomia
Filo artrópodes 04 crustáceos - características e anatomia
 
Animais vertebrados e invertebrados
Animais vertebrados e invertebradosAnimais vertebrados e invertebrados
Animais vertebrados e invertebrados
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
 

Destaque

ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1amlisss
 
Animais em Vias de Extinção
Animais em Vias de ExtinçãoAnimais em Vias de Extinção
Animais em Vias de Extinçãogtsantos
 
Planeta terra imagens sensacionais
Planeta terra  imagens sensacionaisPlaneta terra  imagens sensacionais
Planeta terra imagens sensacionaisjrcruzoficial
 
Répteis e anfíbios em vias de extinção 6ºe prof fátima alves
Répteis e anfíbios em vias de extinção 6ºe prof fátima alvesRépteis e anfíbios em vias de extinção 6ºe prof fátima alves
Répteis e anfíbios em vias de extinção 6ºe prof fátima alvesMaria Costa
 
Trabalhos Dos Alunos Sobre Animais Em ExtinçãO
Trabalhos Dos Alunos Sobre Animais Em  ExtinçãOTrabalhos Dos Alunos Sobre Animais Em  ExtinçãO
Trabalhos Dos Alunos Sobre Animais Em ExtinçãOdaiaprof
 
Animais em vias de Extinção
Animais em vias de ExtinçãoAnimais em vias de Extinção
Animais em vias de ExtinçãoEduardo1
 
Animais em vias de extinção power point
Animais em vias de extinção power pointAnimais em vias de extinção power point
Animais em vias de extinção power pointXtrem199
 

Destaque (10)

ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
Animais em Vias de Extinção
Animais em Vias de ExtinçãoAnimais em Vias de Extinção
Animais em Vias de Extinção
 
Planeta terra imagens sensacionais
Planeta terra  imagens sensacionaisPlaneta terra  imagens sensacionais
Planeta terra imagens sensacionais
 
Répteis e anfíbios em vias de extinção 6ºe prof fátima alves
Répteis e anfíbios em vias de extinção 6ºe prof fátima alvesRépteis e anfíbios em vias de extinção 6ºe prof fátima alves
Répteis e anfíbios em vias de extinção 6ºe prof fátima alves
 
A Tartaruga
A TartarugaA Tartaruga
A Tartaruga
 
Animais em extinção - 3º Ano
Animais em extinção - 3º AnoAnimais em extinção - 3º Ano
Animais em extinção - 3º Ano
 
Trabalhos Dos Alunos Sobre Animais Em ExtinçãO
Trabalhos Dos Alunos Sobre Animais Em  ExtinçãOTrabalhos Dos Alunos Sobre Animais Em  ExtinçãO
Trabalhos Dos Alunos Sobre Animais Em ExtinçãO
 
Animais em extinção
Animais em extinçãoAnimais em extinção
Animais em extinção
 
Animais em vias de Extinção
Animais em vias de ExtinçãoAnimais em vias de Extinção
Animais em vias de Extinção
 
Animais em vias de extinção power point
Animais em vias de extinção power pointAnimais em vias de extinção power point
Animais em vias de extinção power point
 

Semelhante a Reprodução de animais selvagens

Adaptações reprodutivas
Adaptações reprodutivasAdaptações reprodutivas
Adaptações reprodutivasunesp
 
João arthur e jorge
João arthur e jorgeJoão arthur e jorge
João arthur e jorgece263
 
Bilhete identidade (2)
Bilhete identidade (2)Bilhete identidade (2)
Bilhete identidade (2)ebgandra
 
Ambiente concluido
Ambiente concluidoAmbiente concluido
Ambiente concluidoAna Beatriz
 
Ludmila
LudmilaLudmila
Ludmilace263
 
Trabalho julho e júnior ciências
Trabalho julho e júnior ciênciasTrabalho julho e júnior ciências
Trabalho julho e júnior ciênciasce263
 
Reino Dos Animais
Reino Dos AnimaisReino Dos Animais
Reino Dos Animaismonique
 
Pinguim Imperador
Pinguim ImperadorPinguim Imperador
Pinguim Imperadorguest837892
 
Venâncio e elias
Venâncio e eliasVenâncio e elias
Venâncio e eliasce263
 
Gabriel pozato
Gabriel pozatoGabriel pozato
Gabriel pozatoce263
 
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfosProdução e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfosEvelyn Golin
 
Animais marinhos em vias de extinção 6ºe prof fátima alves blog
Animais marinhos em vias de extinção 6ºe prof fátima alves blog Animais marinhos em vias de extinção 6ºe prof fátima alves blog
Animais marinhos em vias de extinção 6ºe prof fátima alves blog Maria Costa
 
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraInsetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraErnandez Oliveira
 

Semelhante a Reprodução de animais selvagens (20)

Adaptações reprodutivas
Adaptações reprodutivasAdaptações reprodutivas
Adaptações reprodutivas
 
João arthur e jorge
João arthur e jorgeJoão arthur e jorge
João arthur e jorge
 
Bilhete identidade (2)
Bilhete identidade (2)Bilhete identidade (2)
Bilhete identidade (2)
 
Ambiente concluido
Ambiente concluidoAmbiente concluido
Ambiente concluido
 
Ludmila
LudmilaLudmila
Ludmila
 
Trabalho julho e júnior ciências
Trabalho julho e júnior ciênciasTrabalho julho e júnior ciências
Trabalho julho e júnior ciências
 
Ficha trabalho2 11
Ficha trabalho2 11Ficha trabalho2 11
Ficha trabalho2 11
 
Reprodução dos animais
Reprodução dos animaisReprodução dos animais
Reprodução dos animais
 
Reino Dos Animais
Reino Dos AnimaisReino Dos Animais
Reino Dos Animais
 
Reprodução Artificial de Peixes
Reprodução Artificial de PeixesReprodução Artificial de Peixes
Reprodução Artificial de Peixes
 
Pinguim Imperador
Pinguim ImperadorPinguim Imperador
Pinguim Imperador
 
Pinguim Imperador
Pinguim ImperadorPinguim Imperador
Pinguim Imperador
 
Phototheria
PhototheriaPhototheria
Phototheria
 
Venâncio e elias
Venâncio e eliasVenâncio e elias
Venâncio e elias
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
A reproduo do_caranguejo
A reproduo do_caranguejoA reproduo do_caranguejo
A reproduo do_caranguejo
 
Gabriel pozato
Gabriel pozatoGabriel pozato
Gabriel pozato
 
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfosProdução e Reprodução de Roedores e lagomorfos
Produção e Reprodução de Roedores e lagomorfos
 
Animais marinhos em vias de extinção 6ºe prof fátima alves blog
Animais marinhos em vias de extinção 6ºe prof fátima alves blog Animais marinhos em vias de extinção 6ºe prof fátima alves blog
Animais marinhos em vias de extinção 6ºe prof fátima alves blog
 
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez OliveiraInsetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
Insetos e Crustáceos by Ernandez Oliveira
 

Mais de ce263

Todos contra as drogas !, patricia , lais , ariane gabrielppt
Todos contra as drogas !, patricia , lais , ariane gabrielpptTodos contra as drogas !, patricia , lais , ariane gabrielppt
Todos contra as drogas !, patricia , lais , ariane gabrielpptce263
 
Método contraceptivo
Método contraceptivoMétodo contraceptivo
Método contraceptivoce263
 
Camisinhas como coloca la
Camisinhas como coloca laCamisinhas como coloca la
Camisinhas como coloca lace263
 
Apresentação1.ppt larissa e vitória
Apresentação1.ppt larissa e vitóriaApresentação1.ppt larissa e vitória
Apresentação1.ppt larissa e vitóriace263
 
Jessica natalia larissa eduarda
Jessica natalia larissa eduardaJessica natalia larissa eduarda
Jessica natalia larissa eduardace263
 
Diga não as drogas gustavo joao douglas novo slide
Diga não as drogas gustavo joao douglas novo slideDiga não as drogas gustavo joao douglas novo slide
Diga não as drogas gustavo joao douglas novo slidece263
 

Mais de ce263 (6)

Todos contra as drogas !, patricia , lais , ariane gabrielppt
Todos contra as drogas !, patricia , lais , ariane gabrielpptTodos contra as drogas !, patricia , lais , ariane gabrielppt
Todos contra as drogas !, patricia , lais , ariane gabrielppt
 
Método contraceptivo
Método contraceptivoMétodo contraceptivo
Método contraceptivo
 
Camisinhas como coloca la
Camisinhas como coloca laCamisinhas como coloca la
Camisinhas como coloca la
 
Apresentação1.ppt larissa e vitória
Apresentação1.ppt larissa e vitóriaApresentação1.ppt larissa e vitória
Apresentação1.ppt larissa e vitória
 
Jessica natalia larissa eduarda
Jessica natalia larissa eduardaJessica natalia larissa eduarda
Jessica natalia larissa eduarda
 
Diga não as drogas gustavo joao douglas novo slide
Diga não as drogas gustavo joao douglas novo slideDiga não as drogas gustavo joao douglas novo slide
Diga não as drogas gustavo joao douglas novo slide
 

Último

Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavrasMary Alvarenga
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfArthurRomanof1
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
COMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM - REDAÇÃO ENEM
COMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM - REDAÇÃO ENEMCOMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM - REDAÇÃO ENEM
COMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM - REDAÇÃO ENEMVanessaCavalcante37
 
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptxthaisamaral9365923
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptxPedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptxleandropereira983288
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSlides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSilvana Silva
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasillucasp132400
 

Último (20)

Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavras
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
COMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM - REDAÇÃO ENEM
COMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM - REDAÇÃO ENEMCOMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM - REDAÇÃO ENEM
COMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM - REDAÇÃO ENEM
 
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptxPedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSlides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
 

Reprodução de animais selvagens

  • 1. Reprodução da tartaruga marinha . • As fêmeas atingem a maturidade sexual por volta dos 30 anos de idade. Nesta fase, ela retorna para a praia onde nasceu para depositar os ovos. Estima-se que entre 100 filhotes nascidos, apenas um chegará a vida adulta. • Possuem um comportamento solitário e vivem grande parte do tempo submersas nas águas dos oceanos. • O acasalamento das tartarugas ocorre nas águas costeiras ou profundas dos oceanos. • Dependendo da espécie, a cor das tartarugas pode variar do marrom ao verde. • Possuem sistemas de audição e visão bem desenvolvidos. • Em função da caça predatória por vários anos, grande parte das espécies encontra- se em situação de extinção. • CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS: • Peso: em média de 300 a 600 (animal adulto) Comprimento: pode atingir até 2 metros de comprimento e 1,5 metros de largura (depende da espécie) Reprodução: fecundação interna com 3 a 5 desovas numa mesma temporada de reprodução.
  • 2. Reprodução do Jacaré A reprodução nos jacarés, em geral, ocorre no período de julho a outubro. A maturidade sexual chega aos sete anos para a fêmea e para o macho aos dez. Os filhotes nascem com a aparência igual a dos pais, porém com apenas 25 cm de comprimento. Nesta fase, a alimentação é de insetos, sapos, ratos e peixes.
  • 3. Reprodução do tucano • Sua reprodução ocorre no final da primavera e a fêmea bota de 2 a 4 ovos em ninhos localizados no alto dos troncos das árvores. O casal se reveza na tarefa de chocar os ovos, os quais eclodem entre 16 e 20 dias. Quando nascem, sua aparência é desproporcional; seu bico é grande e o corpo, pequeno; os olhos só abrem após três semanas e os pais cuidam de seus filhotes até eles saírem dos ninhos, o que ocorre em seis semanas. A coloração do bico só é definida meses após o nascimento.O tucano-toco ainda não é uma espécie ameaçada de extinção, entretanto tem sido capturado e traficado para outros países a fim de ser vendido em lojas de animais. Isto tem, como consequência, a diminuição de sua população nas florestas, pondo em risco a variabilidade genética, como também a morte de muitos animais durante o transporte.
  • 4. Reprodução dos Pingüins Há espécies de pingüins cujos pares reprodutores acasalam para toda a vida enquanto que outros fazem-no apenas durante uma época de reprodução. Normalmente, os progenitores cooperam nos cuidados com os ovos e com os juvenis. A forma do ninho varia, segundo a espécie de pingüim: alguns cavam uma pequena fossa, outros constroem o ninho com pedras e outros utilizam uma dobra de pele que possuem ventralmente para cobrir o ovo. Normalmente, o macho fica com o ovo e mantém-no quente, e a fêmea dirige-se para o mar com vista a encontrar alimento. Quando no seu regresso, o filhote terá alimento e então os papéis invertem-se: a fêmea fica em terra e o macho vai à procura de alimentos.
  • 5. Reprodução da Serpente • O pulmão esquerdo é muito pequeno ou mesmo ausente, uma vez que o corpo em forma tubular requer que todos os órgãos sejam compridos e estreitos. Para que caibam no corpo, só um pulmão funciona. Além disso muitos dos órgãos que são pares, como os rins ou órgãos reprodutivos estão distribuídos ao longo do corpo de modo que um esteja à frente do outro, sendo um exemplo de excepção da simetria bilateral . As serpentes usam um vasto número de modos de reprodução. Todas usam fertilização interna, conseguida por meio de hemipénis bifurcados, que são armazenados invertidamente na cauda do macho. A maior parte das serpentes põe ovos e a maior parte destas abandona-os pouco depois de os pôr; no entanto, algumas autores entendem que essas espécies são ovovivíparas e retém os ovos dentro dos seus corpos até estes se encontrarem prestes a eclodir. • Recentemente, foi confirmado que várias espécies de cobras desenvolvem os seus descendentes completamente dentro de si, nutrindo-os através de uma placenta e um saco amniótico. A retenção de ovos e os partos ao vivo são normalmente, mas não exclusivamente, associados a climas frios, sendo que a retenção dos descendentes dentro da fêmea permite-lhe controlar as suas temperaturas com maior eficácia do que se estes se encontrassem no exterior.
  • 6. Ketly Eduarda e Douglas Machado