SlideShare uma empresa Scribd logo
NaturezaeSociedade
Profa. Dra. Lidia Moura
https://encurtador.com.br/egilm
Tutor:
https://images.app.goo.gl/XmLk1GQbPJahLeiu6
Apresentação
Bem-vindo à disciplina
Natureza
e Sociedade
• A relação natureza e sociedade ou sociedade e natureza é muito
interessante, importante e ampla. Neste encontro, iremos
conhecer a Teoria da Paisagem como metodologia de estudo
para as relações entre a sociedade e a natureza.
Quais são os tipos de relações entre a sociedade e a
natureza que você identifica?
O sistema terrestre é complexo e as interações entre os elementos
naturais somados à ação humana formam a paisagem humanizada.
Compreender como esse sistema funciona é fundamental para:
identificar de que maneira
ele afeta a sociedade
Entender como a
sociedade impacta a
natureza
Também é importante para analisar os principais problemas que a sociedade
enfrenta de ordem natural. Quais desses problemas podemos pontuar como
exemplo?
A disciplina NATUREZA E SOCIEDADE está dividida em
três unidades:
1º UNIDADE - ANÁLISE INTEGRADA DA PAISAGEM: NATUREZA E SOCIEDADE
A partir desta unidade, você será capaz de:
• Compreender a teoria da paisagem como metodologia para o estudo da relação entre a sociedade e
a natureza.
• Identificar o método de estudo da paisagem GTP.
• Compreender de modo geral os principais aspectos do Sistema Terrestre.
• Reconhecer a influência das placas tectônicas na paisagem.
• Reconhecer as propriedades essenciais da hidrografia, atmosfera e clima e da vegetação.
A disciplina NATUREZA E SOCIEDADE está dividida em
três unidades:
2º UNIDADE - INDÚSTRIA, URBANIZAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO NO ESPAÇO
GEOGRÁFICO
A partir desta unidade, você será capaz de:
• Conhecer a relação existente entre a industrialização e as transformações no espaço geográfico.
• Identificar impactos causados pelas mudanças climáticas.
• Compreender as causas e consequências da poluição atmosférica.
• Analisar o tratamento e destinação do lixo industrial.
• Conhecer os principais problemas ambientais urbanos.
A disciplina NATUREZA E SOCIEDADE está dividida em
três unidades:
3º UNIDADE - REFLEXOS DO CRESCIMENTO POPULACIONAL MUNDIAL NO
CONSUMO DE ENERGIA
A partir desta unidade, você será capaz de:
• Conhecer a relação existente entre o crescimento da população mundial e a demanda por energia.
• Identificar as principais fontes de energia renováveis disponíveis.
• Observar os prejuízos a curto e longo prazo das fontes de energia não renováveis.
• Identificar a compra sustentável
• Conhecer a importância dos recursos hídricos para a sociedade, bem como os principais reservatórios.
• Identificar os mais comuns tipos de poluição das águas.
• Analisar algumas possíveis soluções para o problema da poluição das águas.
• Compreender a questão da escassez da água no planeta.
• Conhecer a relação existente entre o aumento de CO2 na atmosfera e as mudanças climáticas.
• Nesta disciplina faremos atividades 3 práticas, que poderão acontecer
duranteoencontroouemformadeautoestudo (apósaaula).
• Essas práticas deverão ser postadas em seu AVA na opção Produção
Acadêmica.
• Fique atento aos prazos de postagem em cada uma delas para que sua
notanãosejaprejudicada.
• Além disso, no último encontro faremos uma avaliação objetiva, sobre
todoconteúdoestudado.
Destacamos aqui uma informação importante:
Lembre-se que a nota desta avaliação objetiva e das atividades práticas formaram
sua média na disciplina. Então não perca nenhuma das práticas nem a avaliação!
ATIVIDADES
PRÁTICAS
Prática Tipo Local na Trilha Prazo
Prática 1 –
Autoestudo
Durante o
encontro
Unidade 1
Durante o 1º
encontro
Prática 2 -
Autoestudo
Durante o
encontro
Unidade 2
Durante o 2º
encontro
Prática 3 –
Atividade
Avaliativa
Durante o
encontro e
Autoestudo
Unidade 3
Postar até o 4º
encontro
Unidade 1
ANÁLISE INTEGRADA DA PAISAGEM: NATUREZA E
SOCIEDADE
https://encurtador.com.br/gkCOQ
Tópico 01 - Análise Integrada da Paisagem:
Natureza e Sociedade
Tópico 2 - GTP - Geossistema, Território e
Paisagem
Tópico 3 - O Sistema Terrestre
Tópico 4 – Placas Tectônicas
Tópico 5 - Hidrografia, Clima e Vegetação
TÓPICO1
ANÁLISEINTEGRADADAPAISAGEM:NATUREZA
SOCIEDADE
Estabelecer relações
com a Natureza fez
parte das estratégias
de sobrevivência dos
grupos humanos
Para os povos caçadores e coletores, foi fundamental observar a dinâmica
das estações do ano e conhecer o ciclo reprodutivo da natureza.
Para os povos navegadores e, predominantemente, pescadores,
conhecer a direção e a dinâmica dos ventos, o movimento das marés e
as correntes marítimas eram condições de existência.
Para os primeiros povos agricultores, foi essencial conhecer as variações
climáticas e a alternância entre período seco e período chuvoso
...Esses conhecimentos e relações permitiram benefícios às sociedades e ocasionaram diferentes mudanças...
TÓPICO1
ANÁLISEINTEGRADADAPAISAGEM:NATUREZA
SOCIEDADE
Teoria da Paisagem
Uma totalidade de sistemas naturais, como a própria fisionomia,
morfologia e a forma do espaço, e uma percepção que tem a
população do seu próprio entorno.
TÓPICO2
GTP-GEOSSISTEMA,TERRITÓRIOEPAISAGEM
ENTRADA NATURALISTA Trabalhada a partir do conceito de Geossistema, em que se
analisa a estrutura e funcionalmente biofísico
ENTRADA
SOCIOECONÔMICA
Considerada a partir do conceito de Território que permite
analisar as repercussões da organização e dos funcionamentos
sociais e econômicos sobre o espaço considerado
ENTRADA
SOCIOCULTURAL
Que se dá a partir da noção de Paisagem, estudada a partir do
processo de artificialização da paisagem
A construção da paisagem não só está ligada aos resultados dos fatores
geomorfológicos, hidrológicos, mas também da ação do homem ao longo do tempo.
TÓPICO2
GTP-GEOSSISTEMA,TERRITÓRIOEPAISAGEM
GEOSSISTEMA
complexo formado pelas
relações naturais
existentes entre os
elementos bióticos e
abióticos
TERRITÓRIO
uso político, social e
econômico do espaço
geográfico
PAISAGEM
expressão cultural, manifestada por meio
da apropriação, da utilização e do
significado que é atribuído aos elementos
que compõem o geossistema, pela
comunidade a ele aferida.
TÓPICO2
GTP-GEOSSISTEMA,TERRITÓRIOEPAISAGEM
GEOSSISTEMA
Potencial ecológico
(geomorfologia + clima
+ hidrologia)
Exploração biológica
(vegetação + solo +
fauna)
GEOSSISTEMA
Ação antrópica
TÓPICO2
GTP-GEOSSISTEMA,TERRITÓRIOEPAISAGEM
ANÁLISE DA PAISAGEM
1
Deve-se analisar três aspectos:
Os atores da paisagem, individuais ou coletivos, que
intervêm diferentemente na paisagem, do simples passante
ao construtor
2
Os locais, que correspondem à análise socioeconômica e
geossistêmica do território, com uma atenção particular
concedida aos diferentes zoneamentos.
3
O tempo, por um lado, situa a paisagem no tempo, mas ao longo da
história que, por outro lado, também se situa nos ritmos sazonais,
bioecológicos (fenológicos) ou socioculturais (calendários).
TÓPICO3
Osistematerrestre
formas de relevo e suas
influências endógenas (internas)
e exógenas (externas)
Dinâmica climática
Dinâmica cíclica da água
Sistema terrestre como
a relação entre os
diferentes componentes
da litosfera, atmosfera e
hidrosfera, com a
consequente formação
da biosfera.
TÓPICO3
Osistematerrestre
Litosfera
A estrutura física e sólida do planeta. Isso envolve, portanto, as rochas,
as formas de relevo e as dinâmicas relacionadas aos seus processos de
atuação e transformação
Atmosfera
Camada gasosa que envolve a Terra, responsável pela dinâmica climática
e dos gases que envolvem a camada de ar.
TÓPICO3
Osistematerrestre
Hidrosfera
A estrutura de água que compõe o ambiente da Terra, elemento que está
presente em 70% da superfície. No caso, não se fala somente em água
líquida, mas também nos seus estados sólido e gasoso e nas dinâmicas a
ela relacionadas.
Inter-relação entre as três esferas apresentadas, formando o ambiente
próprio para a manutenção da vida. Portanto, falar de biosfera é falar nas
condições para o assentamento das vegetações e também dos animais, dos
quais os seres humanos não se excluem, embora a humanidade seja a maior
interventora entre os seres vivos sobre o meio natural em que habita.
Biosfera
TÓPICO3
Osistematerrestre
Milhões
de anos
atrás
Holoceno
Pleistoceno
Plioceno
Mioceno
Oligoceno
Eoceno
CENOZOICO
Paleoceno
Cretáceo
Jurássico
Triássico
Permiano
Pensilvânico
Mississípico
Devoniano
Siluriano
Ordoviciano
Cambriano
Proterozóico
Arqueano
MESOZOICO
PALEOZOICO
Escala de tempo geológico representa a
linha do tempo desde o presente até a
formação da Terra, dividida em éons, eras,
períodos, épocas e idades, que se baseiam
nos grandes eventos geológicos da história
do planeta.
A relação sociedade e natureza ocorre no
tempo geológico. No entanto, sua análise
deve estudar a paisagem, seus
componentes e sua interação. Iniciando
pelo mais antigo, é estudado as rochas.
TÓPICO4
Placastectônicas
As principais Placas Tectônicas da Crosta Terrestre são:
Placa Sul Americana - onde situa-se o Brasil e quase toda a
América do Sul
 Placa de Nazca
Placa Norte-Americana
 Placa Africana
 Placa Euroasiática
 Placa do Pacífico
Placa Indo-Australiana
Placa Antártica.
TÓPICO4
Placastectônicas
Os movimentos das placas acontecem devidos às “correntes de convecção”
que ocorrem na astenosfera (camada logo abaixo da litosfera). Essas correntes
são causadas pelo movimento ascendente dos materiais mais quentes do
manto (magma) em direção à litosfera, que, chegando à sua base, tende a se
movimentar lateralmente e perder calor por causa da resistência da litosfera,
descendo novamente, dando lugar a mais material aquecido
https://encurtador.com.br/rCJNZ
TÓPICO4
Placastectônicas
https://encurtador.com.br/koAC1
O relevo terrestre pode ser definido
como as formas da superfície do
planeta. Ele se origina e se transforma
sob a interferência de dois tipos de
agentes: os agentes internos e
externos. Os endógenos atuam de
dentro para fora (deformando), tais
como o vulcanismo e o tectonismo; já
os exógenos atuam na superfície
(modelando), tais como o
intemperismo e a antropicidade.
TÓPICO5
Hidrografia,ClimaeVegetação
https://encurtador.com.br/uI023
O ciclo hidrológico é o movimento natural
da água nos vários reservatórios naturais
como: atmosfera, nos rios, nos lagos, nos
oceanos, no lençol freático, nas geleiras, nos
aquíferos, além dos vários organismos.
TÓPICO5
Hidrografia,ClimaeVegetação
A atmosfera terrestre é uma camada de
gases que envolve a Terra e é retida pela
força da gravidade. Ela protege a vida na
Terra, absorvendo a radiação ultravioleta
solar, aquecendo a superfície por meio da
retenção de calor (efeito estufa) e reduzindo
os extremos de temperatura entre o dia e a
noite.
https://encurtador.com.br/kAJKR
TÓPICO5
Hidrografia,ClimaeVegetação
Climas da Terra
Os climas da terra são uma combinação num determinado lugar e durante um
longo período de tempo, de uma série de elementos do clima como, os valores
da temperatura, precipitação, pressão atmosférica, ventos, nebulosidade,
umidade, etc.
FATORES
CLIMÁTICOS
Os fatores do clima são
agentes causais que
determinam os
elementos do clima
ELEMENTOS
CLIMÁTICOS
Os valores que se combinando,
caracterizam o clima de um lugar.
EXEMPLO: latitude,
altitude, precipitações,
ventos
HORA DA
ATIVIDADE
PRÁTICA 1!
http://bit.do/eNSP9
Unidade 2
INDÚSTRIA, URBANIZAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO NO
ESPAÇO GEOGRÁFICO
Tópico 01 – Indústria, urbanização e
transformação no espaço geográfico
Tópico 2 – Mudanças climáticas
Tópico 3 – Poluição atmosférica
Tópico 4 – Tratamento e destino do
resíduo/lixo industrial
Tópico 5 – Outros problemas ambientais
urbanos
https://images.app.goo.gl/Ffno7Em8sfa2dPHM6
TÓPICO1
Indústria,urbanizaçãoetransformaçãonoespaço
geográfico
O avanço técnico e científico e o crescente processo de industrialização, seja nos
países ricos, seja nos países pobres, nos capitalistas ou nos socialistas, vêm
progressivamente interferindo, agredindo e alterando a natureza em benefício
dos interesses imediatos dos homens.
TÓPICO1
Indústria,urbanizaçãoetransformaçãonoespaço
geográfico
Revolução
industrial
• Crescimento da
burguesia
• Desenvolvimento de
áreas urbanas
Aumento da
qualidade de vida
• Produtos e processos
acessíveis
• Inovação em bens de
consumo
Transformação da
relação homem -
ambiente
• Domínio dos
ambientes
• Exploração dos
recursos naturais
TÓPICO2
Mudançasclimáticas
Há várias décadas, ambientalistas e cientistas vêm alertando sobre os
riscos do aquecimento do planeta por conta do mau uso dos recursos
naturais, mas apenas com os últimos relatórios do IPCC parece que o
mundo se deu conta do real perigo.
O conceito de mudanças climáticas ou aquecimento global finalmente
entrou na agenda mundial? E existe diferença entre esses termos?
TÓPICO2
Mudançasclimáticas
MUDANÇAS GLOBAIS
MUDANÇAS
CLIMÁTICAS
AQUECIMENTO
GLOBAL
O homem, através do
aumento da concentração
dos gases de efeito estufa,
está alterando a composição
da atmosfera, e com isso é
alterado o balanço de
radiação que mantém a vida
do nosso planeta.
Alterações nos recursos
minerais e nos ciclos
biogeoquímicos decorrente
das ações antrópicas. O
homem como interferente
geológico, devido a
intensidade das atividades
antrópicas (por exemplo:
indústrias)
elevação da temperatura global
pelo aumento da radiação que
a gente está armazenando no
planeta, em consequência do
aumento dos gases de efeito
estufa.
Elevação da temperatura
global pelo aumento da
radiação que a gente está
armazenando no planeta,
em consequência do
aumento dos gases de
efeito estufa.
O homem é indubitavelmente responsável pelo aquecimento global?
TÓPICO2
Mudançasclimáticas
O clima do planeta é dominado por processos naturais e por processos associados à ação do
homem. Entre os processos naturais relevantes estão alterações no brilho do sol, emissões
de aerossóis vulcânicos e uma série de processos que alteram a biosfera do planeta.
...Esses processos
naturais dominavam
o balanço de
radiação
atmosférica.
Nos
últimos
150
anos
Devagarinho a ação do
homem começou a tomar
conta não só da superfície
do planeta, mas também
da composição da
atmosfera.
Nos
últimos
30 anos
A concentração dos gases de
efeito estufa foi de 280
partes por milhão para 375
partes por milhão, e a
concentração de metano
dobrou, o que está
causando o aquecimento
global.
Até 150
anos
atrás
TÓPICO3
Poluiçãoatmosférica
A poluição gerada nas cidades de hoje são resultado, principalmente, da queima de
combustíveis fósseis como, por exemplo, carvão mineral e derivados do petróleo (gasolina e
diesel). A queima destes produtos tem lançado uma grande quantidade de monóxido de
carbono e dióxido de carbono (gás carbônico) na atmosfera
Estes dois combustíveis são responsáveis pela geração de energia que alimenta os setores
industrial, elétrico e de transportes de grande parte das economias do mundo. Por isso,
deixá-los de lado atualmente é extremamente difícil.
TÓPICO3
Poluiçãoatmosférica
Impactos negativos
https://images.app.goo.gl/8p7JRu6rgchRKQPS9
Aumento da frequência e
gravidade de doenças
respiratórias
https://images.app.goo.gl/gFhnq852Shw5isni8
Prejuízo aos ecossistemas e ao
patrimônio histórico. Fruto desta
poluição, a chuva ácida mata plantas,
animais e vai corroendo, com o tempo,
monumentos históricos.
https://images.app.goo.gl/26ncJcP355gcXGxH9
Intensificação do efeito estufa.
TÓPICO4
Tratamentoedestinodoresíduo/lixoindustrial
O resíduo ou lixo industrial possui três classificações:
Classe I: perigosos
Classe II: não
inertes
Classe III: inertes
Apresentam mais riscos ao meio ambiente
TÓPICO4
Tratamentoedestinodoresíduo/lixoindustrial
Principais técnicas de tratamento:
Incineração
Processo que reduz os
resíduos a gases e materiais
inertes através da queima
controlada
Resíduos
compostos por
carbono,
hidrogênio e
oxigênio
Exige-se apenas um processo
eficiente de remoção das cinzas
Resíduos
tóxicos, com
cloro, fósforo
ou enxofre
É necessário um sistema complexo e
avançado de tratamento dos gases
resultantes para que possam ser lançados
com segurança na atmosfera.
TÓPICO4
Tratamentoedestinodoresíduo/lixoindustrial
Principais técnicas de tratamento:
Aterros
industriais
Os aterros sanitários industriais devem
possuir sistema duplo de
impermeabilização, que geralmente
são feitos com uma manta sintética
sobreposta a uma camada de argila
compactada, mantendo-se a uma
distância de pelo menos 2 metros dos
lençóis freáticos.
Classe I:
perigosos
É necessário utilizar um local
naturalmente impermeável,
caracterizado pela predominância
de material argiloso e pelo baixo
grau de saturação do solo.
Custo mais baixo que os custos para incineração
TÓPICO4
Tratamentoedestinodoresíduo/lixoindustrial
Principais técnicas de tratamento:
Reciclagem
Doação ou venda como
matéria-prima para outras
indústrias.
Para incentivar este tipo de reaproveitamento, que traz
vantagens econômicas e ambientais, foi criado, pela
Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Sistema
Integrado de Bolsa de Resíduos, que reúne mais de 6.300
empresas que oferecem ou têm interesse nesse tipo de
material.
TÓPICO5
Outrosproblemasambientaisurbanos
A retirada da vegetação Construções Lançamento de poluentes
MULTIPLOS IMPACTOS NEGATIVOS EM TODOS OS
COMPARTIMENTOS DO AMBIENTE
Quais impactos negativos podem ser atribuídos a essa combinação de
atividades antrópicas?
HORA DA
ATIVIDADE
PRÁTICA 2!
http://bit.do/eNSP9
Unidade 3
REFLEXOS DO CRESCIMENTO POPULACIONAL MUNDIAL
NO CONSUMO DE ENERGIA
Tópico 1 – Reflexos do crescimento populacional mundial no consumo de
energia
Tópicos 2 e 3 – Fontes de energia renováveis e não renováveis
Tópico 4 – Compra sustentável
Tópicos 5 e 6 – Água, aproveitamento e conservação e os vários
tipos de poluição das águas
Tópico 7 – Algumas soluções para o problema da poluição das águas
Tópico 8 – A questão da escassez da água
Tópico 9 – O aumento de CO2 na atmosfera e as mudanças climáticas
https://images.app.goo.gl/25v6kCdYcHzfnxx48
TÓPICO1
Reflexosdocrescimentopopulacionalmundialno
consumodeenergia
População
Tempo
1974
4
bilhões
1987
5
bilhões
1999
6
bilhões
2012
7
bilhões
2027
8 bilhões
2046
9 bilhões
https://images.app.goo.gl/1gYwUmMJp419GnTTA
O crescimento populacional exponencial que vemos hoje
Só foi possível graças às grandes revoluções industrial, médica e agrícola
os riscos de fome
resultantes de safras
desastrosas diminuíram.
Tornou-se possível
transportar alimentos e
outros insumos de um
continente a outro
Aumento do bem
estar geral
Grandes avanços da
medicina
TÓPICO1
Reflexosdocrescimentopopulacionalmundialno
consumodeenergia
A aceleração da expansão demográfica é cumulativa e trás alguns problemas
1 CONSUMO DE ENERGIA
2 ESTILO DE VIDA BASEADO EM PETRÓLEO
3 CRESCIMENTO DO DESPERDÍCIO DE ENERGIA
Esses três itens podem, ainda, estarem interligados? Tratando-se de
energia, como podemos substituir?
TÓPICO2
Fontesdeenergiarenovável
Os meios de transporte e comunicação, além das residências, indústrias,
comércio, agricultura e vários campos da sociedade, dependem totalmente
da disponibilidade de energia, tanto a eletricidade quanto os combustíveis.
E
EÓLICA
Os ventos fazem os chamados
aerogeradores, que ativam
turbinas e geradores
cnvertendo a energia
mecânica produzida em
energia elétrica.
SOLAR
Existem duas formas de
aproveitamento da
energia solar: a
fotovoltaica e a
térmica.
TÓPICO2
Fontesdeenergiarenovável
HIDRELETRICA
Nas usinas hidroelétricas, constroem-se
barragens no leito do rio para o
represamento da água que será utilizada
no processo de geração de eletricidade.
Nesse caso, o mais aconselhável é a
construção de barragens em rios que
apresentem desníveis em seus terrenos,
com o objetivo de diminuir a superfície
inundada.
BIOMASSA
A utilização da biomassa consiste na queima de substâncias de
origem orgânica para a produção de energia, ocorrendo por meio
da combustão de materiais como a lenha, o bagaço de cana e
outros resíduos agrícolas, restos florestais e até excrementos de
animais. É considerada uma fonte de energia renovável porque o
dióxido de carbono produzido durante a queima é utilizado pela
própria vegetação na realização da fotossíntese, o que significa
que, desde que haja controle, o seu uso é sustentável por não
alterar a macrocomposição da atmosfera terrestre.
TÓPICO3
FontesdeenergiaNÃOrenováveis
COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS
As fontes não renováveis de energia são aquelas que poderão esgotar-se em
um futuro relativamente próximo. Alguns recursos energéticos, como o
petróleo, possuem o seu esgotamento estimado para algumas poucas
décadas, o que eleva o caráter estratégico que esses elementos possuem
Há alguma possibilidade de que as fontes de energia renováveis possam ser
NÃO renováveis em algum momento de nossa história?
TÓPICO4
Comprasustentável
Na última década, estimativas de organismos internacionais apontam que a
retomada econômica em diferentes países tenha tirado centenas de milhões de
pessoas da miséria, criando uma nova classe média que move as estratégias de
produção a partir do acesso a crédito e a bens anteriormente de consumo mais
restrito.
Nos próximos 25 anos, cerca de 3 bilhões de novos consumidores de classe
média aumentam a pressão sobre os recursos naturais, exigindo soluções
de gestão e tecnologia para virar o jogo da destruição.
Como garantir que tal exigência possa ser considerada a favor
de novos processos produtivos e produtos mais sustentáveis?
TÓPICO5
Água,aproveitamentoeconservação
Um dos recursos a ser considerado em essência nos novos
processos produtivos e produtos é a água
Por ser um recurso que circula pelo
planeta em diferentes estados,
sendo impulsionado pela energia
solar, este é um recurso renovável
Entretanto, pode-se considerar não
renovável considerando que a má
gestão aliada à poluição podem
diminuir sua disponibilidade para os
usos múltiplos
TÓPICO5
Água,aproveitamentoeconservação
Um dos recursos a ser considerado em essência nos novos
processos produtivos e produtos é a água
Atualmente, a maior discussão sobre os problemas ambientais do
planeta está voltado para a água, ou melhor, para a falta de água.
Os cientistas alertam que o problema da falta de água não se deve
à ausência de chuvas, mais sim ao tipo de desenvolvimento (os
estudiosos chamam de “modelo de desenvolvimento”) que temos
escolhido praticamente desde a Revolução Industrial, no final do
século XIX, baseado no lucro imediato sem planejamento das
ações humanas. Entre as características desse modelo, está uma
série de agressões ao meio ambiente, a água e seu ciclo em
especial. Entre elas, podemos destacar: o rápido crescimento da
população mundial, o crescimento industrial, a destruição das
florestas, a destruição de áreas de mananciais por ocupação
imobiliária ou pela poluição, a destruição de matas ciliares etc.
TÓPICO6
Osváriostiposdepoluiçãodaságuas
https://images.app.goo.gl/4AJwsgxPmoLdBQut5
A bioacumulação é o fenômeno por meio do
qual os organismos vivos retêm, dentro de si,
substância tóxicas, sem poder eliminá-las.
TÓPICO6
Osváriostiposdepoluiçãodaságuas
https://images.app.goo.gl/eBLyMoF7TKgaA7xNA
A eutrofização é o fenômeno que ocorre devido
fertilização excessiva dos corpos hídricos
(principalmente com nitrogênio e fósforo)
Isso acarreta um desequilíbrio, desenvolvimento
anormal de organismos autótrofos, que acabam por
consumir a maior parte do oxigênio da água, matando
peixes e comprometendo a qualidade dela.
TÓPICO6
Osváriostiposdepoluiçãodaságuas
https://images.app.goo.gl/U5RXDGipiBXs2ZaR6
Os esgotos contaminam a água que consumimos,
principalmente, pela falta de sistemas adequados para
sua captação, transporte e tratamento. Quando isso
acontece, eles são despejados sem nenhum cuidado, nas
proximidades das casas, de onde são arrastados pelas
chuvas para os córregos, rios e mares, contaminando-os.
A contaminação por bactérias patogênicas está ligada à
questão higiênica, sendo que a contaminação por matéria
vinda das fezes humanas é a mais importante. Por isto, o
encanamento e tratamento adequado desse tipo de
esgoto é imprescindível. Um litro de água de esgoto pode
conter até 20 bilhões de bactérias, muitas delas
patogênicas, que podem contaminar se ingeridas pelas
pessoas ou se absorvida pela pele.
TÓPICO7
Algumassoluçõesparaoproblemadapoluiçãodas
águas
Poluição por
esgotos
Tratamento em estações
especializadas, por processos
físicos, químicos e biológicos
para reduzir a carga orgânica e
patógenos da água residuária
Agricultura
Técnicas para que os elementos eutrofizantes
(esterco, fertilizantes, restos de alimentos)
não atinjam as águas superficiais. Manejo das
matérias-primas sem desperdício: silos e
depósitos de estrume bem construídos,
planejamento da localização de pastos, uso
correto de fertilizantes e mata ciliar,
desenvolvimento de materiais menos tóxicos
e controle biológico.
TÓPICO7
Algumassoluçõesparaoproblemadapoluiçãodas
águas
Águas
industriais
Proibição internacional de
lavar os tanques dos navios
petroleiros, a menos de 70
km do litoral, utilizar-se de
diques especiais para a
lavagem, que possibilitem o
reaproveitamento do óleo
lavado.
Poluição
térmica
Verificar a capacidade do rio de
dissipar calor, utilizar torres de
refrigeração, que eliminam o calor
para o ar, ou lagoas artificiais que
promovem um primeiro
resfriamento antes do despejo
definitivo nos corpos d’água.
TÓPICO8
Aquestãodaescassezdaágua
A questão da escassez de água se repete em muitos grandes rios pelo
mundo.
O Mar Morto, que depende
do Rio Jordão, está secando
1 metro por ano
Na índia, a irrigação intensiva para produzir alimentos
para uma grande população tem feito com muitos
poços sequem. Na Índia Ocidental, 30% dos poços
foram abandonados, grandes reservatórios são
construídos com as mãos para alimentar os aquíferos
durante as chuvas monçônicas
TÓPICO8
Aquestãodaescassezdaágua
A questão da escassez de água se repete em muitos grandes rios pelo
mundo.
A falta de água pode afetar 2 bilhões de pessoas em todo o mundo até 2025, ainda assim, a água ainda é
abundante em áreas preservadas. Os pântanos representam 6% da superfície do planeta, são
importantes na regulação da umidade, filtrando água, armazenado nos períodos úmidos e liberando na
seca.
TÓPICO8
Aquestãodaescassezdaágua
A importância das florestas:
A cobertura
vegetal protege
o solo da erosão
Regulam o clima pela evapotranspiração e armazenam
carbono
As florestas provem o habitat para ¼ da biodiversidade da
Terra
ESSENCIAIS PARA
PREVENÇÃO DE SECAS
DEVIDO INFLUENCIA NO
CICLO HIDROLÓGICO
TÓPICO9
Oaumentodeco2naatmosferaeasmudanças
climáticas
COMPOSIÇÃO DA ATMOSFERA
O vapor d’água (H2O) e o dióxido de carbono são os principais gases-estufa. Se não
existissem os gases-estufa, o calor gerado pela radiação solar se distribuiria
facilmente pela atmosfera e o clima da Terra seria muito mais frio. Os gases-estufa
absorvem a radiação solar com determinado comprimento de onda, elevando a
temperatura da superfície.
TÓPICO9
Oaumentodeco2naatmosferaeasmudanças
climáticas
https://images.app.goo.gl/2EGQnnDo4gJHUreX6
A queima de combustíveis fósseis e o desmatamento têm
aumentado substancialmente a quantidade de CO2
atmosférico durante o mesmo período, e as atividades
humanas também geraram significativos aumentos em
outros gases-estufa, como o metano.
TÓPICO9
Oaumentodeco2naatmosferaeasmudanças
climáticas
Contudo, como podemos ter certeza de que o
aquecimento do século XX foi uma consequência
direta do CO2 - isto é, um resultado da intensificação
do efeito estufa – e não de certas mudanças fortuitas
associadas com a variabilidade climática natural?
TÓPICO9
Oaumentodeco2naatmosferaeasmudanças
climáticas
Uma tendência recente de aquecimento
correlaciona-se com o aumento de CO2 a
partir das emissões desde a Revolução
Industrial do século XIX. O registro do
século XX é claramente anômalo quando
comparado com a mudança climática
documentada durante o último milênio
Uma comparação entre a média anual da
temperatura da superfície terrestre e a concentração
de CO2 na atmosfera mostra que a tendência do
recente aquecimento se correlaciona com o aumento
de CO2 causado pelas atividades humanas desde a
Revolução Industrial
HORA DA
ATIVIDADE
PRÁTICA 3!
http://bit.do/eNSP9

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a slides de apoio - natureza e sociedade - TODOS OS SLIDES.ppt

Geocina
GeocinaGeocina
Geocina
João Júnior
 
Ensaio-Introdução à Engenharia Ambiental
Ensaio-Introdução à Engenharia AmbientalEnsaio-Introdução à Engenharia Ambiental
Ensaio-Introdução à Engenharia Ambiental
Almeida Meque Gomundanhe
 
Manual de educação ambiental vol 1
Manual de educação ambiental vol 1Manual de educação ambiental vol 1
Manual de educação ambiental vol 1
Ananda Helena
 
Manual de educação ambiental vol 1
Manual de educação ambiental vol 1Manual de educação ambiental vol 1
Manual de educação ambiental vol 1
Ananda Helena
 
Ecologia e recursos naturais
Ecologia e recursos naturaisEcologia e recursos naturais
1 ecologia e recursos naturais
1   ecologia e recursos naturais1   ecologia e recursos naturais
1 ecologia e recursos naturais
SANEAR Ambiental Engenharia e Treinamentos Ltda.
 
Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos
Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidosVulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos
Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos
Eduardo Lando Bernardo
 
Educ amb-ciclos-biogeoquimicos
Educ amb-ciclos-biogeoquimicosEduc amb-ciclos-biogeoquimicos
Educ amb-ciclos-biogeoquimicos
alfred cutipa canaza
 
Pcn 10.3 Tt Meio Ambiente
Pcn   10.3   Tt Meio AmbientePcn   10.3   Tt Meio Ambiente
Pcn 10.3 Tt Meio Ambiente
literatoliberato
 
Meioambiente
MeioambienteMeioambiente
Meioambiente
liarosamoura
 
PCN meio ambiente
PCN meio ambientePCN meio ambiente
PCN meio ambiente
klimata
 
Meioambiente
MeioambienteMeioambiente
Meioambiente
isabela30
 
Meioambiente
MeioambienteMeioambiente
Meioambiente
Carla Rodrigues
 
Meioambiente
MeioambienteMeioambiente
Meioambiente
marinaldootaviano
 
Apostila pericia ambiental
Apostila   pericia ambientalApostila   pericia ambiental
Apostila pericia ambiental
Angel Lopes Casa
 
Sociedade e natureza
Sociedade e naturezaSociedade e natureza
Sociedade e natureza
Ageusouza90
 
Slide Fundamentoss_20230831_150456_0000.pptx
Slide Fundamentoss_20230831_150456_0000.pptxSlide Fundamentoss_20230831_150456_0000.pptx
Slide Fundamentoss_20230831_150456_0000.pptx
Rosiney1
 
Introdução à Engenharia Ambiental
Introdução à Engenharia AmbientalIntrodução à Engenharia Ambiental
Introdução à Engenharia Ambiental
Almeida Meque Gomundanhe
 
Eco bra a03_md_gr_230610
Eco bra a03_md_gr_230610Eco bra a03_md_gr_230610
Eco bra a03_md_gr_230610
jssilva90
 
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptxAula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
MrcioHenrique50
 

Semelhante a slides de apoio - natureza e sociedade - TODOS OS SLIDES.ppt (20)

Geocina
GeocinaGeocina
Geocina
 
Ensaio-Introdução à Engenharia Ambiental
Ensaio-Introdução à Engenharia AmbientalEnsaio-Introdução à Engenharia Ambiental
Ensaio-Introdução à Engenharia Ambiental
 
Manual de educação ambiental vol 1
Manual de educação ambiental vol 1Manual de educação ambiental vol 1
Manual de educação ambiental vol 1
 
Manual de educação ambiental vol 1
Manual de educação ambiental vol 1Manual de educação ambiental vol 1
Manual de educação ambiental vol 1
 
Ecologia e recursos naturais
Ecologia e recursos naturaisEcologia e recursos naturais
Ecologia e recursos naturais
 
1 ecologia e recursos naturais
1   ecologia e recursos naturais1   ecologia e recursos naturais
1 ecologia e recursos naturais
 
Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos
Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidosVulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos
Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos
 
Educ amb-ciclos-biogeoquimicos
Educ amb-ciclos-biogeoquimicosEduc amb-ciclos-biogeoquimicos
Educ amb-ciclos-biogeoquimicos
 
Pcn 10.3 Tt Meio Ambiente
Pcn   10.3   Tt Meio AmbientePcn   10.3   Tt Meio Ambiente
Pcn 10.3 Tt Meio Ambiente
 
Meioambiente
MeioambienteMeioambiente
Meioambiente
 
PCN meio ambiente
PCN meio ambientePCN meio ambiente
PCN meio ambiente
 
Meioambiente
MeioambienteMeioambiente
Meioambiente
 
Meioambiente
MeioambienteMeioambiente
Meioambiente
 
Meioambiente
MeioambienteMeioambiente
Meioambiente
 
Apostila pericia ambiental
Apostila   pericia ambientalApostila   pericia ambiental
Apostila pericia ambiental
 
Sociedade e natureza
Sociedade e naturezaSociedade e natureza
Sociedade e natureza
 
Slide Fundamentoss_20230831_150456_0000.pptx
Slide Fundamentoss_20230831_150456_0000.pptxSlide Fundamentoss_20230831_150456_0000.pptx
Slide Fundamentoss_20230831_150456_0000.pptx
 
Introdução à Engenharia Ambiental
Introdução à Engenharia AmbientalIntrodução à Engenharia Ambiental
Introdução à Engenharia Ambiental
 
Eco bra a03_md_gr_230610
Eco bra a03_md_gr_230610Eco bra a03_md_gr_230610
Eco bra a03_md_gr_230610
 
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptxAula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
Aula 2 - Projeto Conexões (UFAL) - Pré - Enem..pptx
 

Mais de ClaudiaSiano

Unidade 2 - DA INFORMAÇÃO, E-COMMERCE E E-- SLIDE AULA 2.pdf
Unidade 2 - DA INFORMAÇÃO, E-COMMERCE E E-- SLIDE AULA 2.pdfUnidade 2 - DA INFORMAÇÃO, E-COMMERCE E E-- SLIDE AULA 2.pdf
Unidade 2 - DA INFORMAÇÃO, E-COMMERCE E E-- SLIDE AULA 2.pdf
ClaudiaSiano
 
Unidade 1 - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO- SLIDE AULA 1.pdf
Unidade 1 - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO- SLIDE AULA 1.pdfUnidade 1 - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO- SLIDE AULA 1.pdf
Unidade 1 - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO- SLIDE AULA 1.pdf
ClaudiaSiano
 
BRASILEIRO NATO E NATURALIZADO CONSTITUI
BRASILEIRO NATO E NATURALIZADO CONSTITUIBRASILEIRO NATO E NATURALIZADO CONSTITUI
BRASILEIRO NATO E NATURALIZADO CONSTITUI
ClaudiaSiano
 
AULA 1- AUDITORIA.pdf
AULA 1- AUDITORIA.pdfAULA 1- AUDITORIA.pdf
AULA 1- AUDITORIA.pdf
ClaudiaSiano
 
AULA 3.pdf
AULA 3.pdfAULA 3.pdf
AULA 3.pdf
ClaudiaSiano
 
AULA 2.pdf
AULA 2.pdfAULA 2.pdf
AULA 2.pdf
ClaudiaSiano
 
AULA 1.pdf
AULA 1.pdfAULA 1.pdf
AULA 1.pdf
ClaudiaSiano
 
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdfAULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
ClaudiaSiano
 
AULA 2- DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS.ppt
AULA 2- DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS.pptAULA 2- DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS.ppt
AULA 2- DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS.ppt
ClaudiaSiano
 
AULA 1- CONSTITUIÇÃO DE 1988.ppt
AULA 1- CONSTITUIÇÃO DE 1988.pptAULA 1- CONSTITUIÇÃO DE 1988.ppt
AULA 1- CONSTITUIÇÃO DE 1988.ppt
ClaudiaSiano
 
SLIDES_Aula 03- DIREITO MODERNO.ppt
SLIDES_Aula 03- DIREITO MODERNO.pptSLIDES_Aula 03- DIREITO MODERNO.ppt
SLIDES_Aula 03- DIREITO MODERNO.ppt
ClaudiaSiano
 
SLIDES_Aula 02- Noçoes de Direito.ppt
SLIDES_Aula 02- Noçoes de Direito.pptSLIDES_Aula 02- Noçoes de Direito.ppt
SLIDES_Aula 02- Noçoes de Direito.ppt
ClaudiaSiano
 
SLIDES_Aula 01- Noçoes de Direito.ppt
SLIDES_Aula 01- Noçoes de Direito.pptSLIDES_Aula 01- Noçoes de Direito.ppt
SLIDES_Aula 01- Noçoes de Direito.ppt
ClaudiaSiano
 
SLIDES_Aula 01- LINGUAGEM JURIDICA.ppt
SLIDES_Aula 01- LINGUAGEM JURIDICA.pptSLIDES_Aula 01- LINGUAGEM JURIDICA.ppt
SLIDES_Aula 01- LINGUAGEM JURIDICA.ppt
ClaudiaSiano
 
SLIDES_APOIO_-_COMPLETO2.ppt
SLIDES_APOIO_-_COMPLETO2.pptSLIDES_APOIO_-_COMPLETO2.ppt
SLIDES_APOIO_-_COMPLETO2.ppt
ClaudiaSiano
 
RESUMO AULA 3.ppt
RESUMO AULA 3.pptRESUMO AULA 3.ppt
RESUMO AULA 3.ppt
ClaudiaSiano
 
RESUMO AULA 2.ppt
RESUMO AULA 2.pptRESUMO AULA 2.ppt
RESUMO AULA 2.ppt
ClaudiaSiano
 
SLIDES_APOIO UNIDADE 1- AULA 1.pdf
SLIDES_APOIO  UNIDADE 1- AULA 1.pdfSLIDES_APOIO  UNIDADE 1- AULA 1.pdf
SLIDES_APOIO UNIDADE 1- AULA 1.pdf
ClaudiaSiano
 

Mais de ClaudiaSiano (18)

Unidade 2 - DA INFORMAÇÃO, E-COMMERCE E E-- SLIDE AULA 2.pdf
Unidade 2 - DA INFORMAÇÃO, E-COMMERCE E E-- SLIDE AULA 2.pdfUnidade 2 - DA INFORMAÇÃO, E-COMMERCE E E-- SLIDE AULA 2.pdf
Unidade 2 - DA INFORMAÇÃO, E-COMMERCE E E-- SLIDE AULA 2.pdf
 
Unidade 1 - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO- SLIDE AULA 1.pdf
Unidade 1 - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO- SLIDE AULA 1.pdfUnidade 1 - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO- SLIDE AULA 1.pdf
Unidade 1 - TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO- SLIDE AULA 1.pdf
 
BRASILEIRO NATO E NATURALIZADO CONSTITUI
BRASILEIRO NATO E NATURALIZADO CONSTITUIBRASILEIRO NATO E NATURALIZADO CONSTITUI
BRASILEIRO NATO E NATURALIZADO CONSTITUI
 
AULA 1- AUDITORIA.pdf
AULA 1- AUDITORIA.pdfAULA 1- AUDITORIA.pdf
AULA 1- AUDITORIA.pdf
 
AULA 3.pdf
AULA 3.pdfAULA 3.pdf
AULA 3.pdf
 
AULA 2.pdf
AULA 2.pdfAULA 2.pdf
AULA 2.pdf
 
AULA 1.pdf
AULA 1.pdfAULA 1.pdf
AULA 1.pdf
 
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdfAULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
AULA 1- GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGOCIO.pdf
 
AULA 2- DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS.ppt
AULA 2- DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS.pptAULA 2- DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS.ppt
AULA 2- DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS.ppt
 
AULA 1- CONSTITUIÇÃO DE 1988.ppt
AULA 1- CONSTITUIÇÃO DE 1988.pptAULA 1- CONSTITUIÇÃO DE 1988.ppt
AULA 1- CONSTITUIÇÃO DE 1988.ppt
 
SLIDES_Aula 03- DIREITO MODERNO.ppt
SLIDES_Aula 03- DIREITO MODERNO.pptSLIDES_Aula 03- DIREITO MODERNO.ppt
SLIDES_Aula 03- DIREITO MODERNO.ppt
 
SLIDES_Aula 02- Noçoes de Direito.ppt
SLIDES_Aula 02- Noçoes de Direito.pptSLIDES_Aula 02- Noçoes de Direito.ppt
SLIDES_Aula 02- Noçoes de Direito.ppt
 
SLIDES_Aula 01- Noçoes de Direito.ppt
SLIDES_Aula 01- Noçoes de Direito.pptSLIDES_Aula 01- Noçoes de Direito.ppt
SLIDES_Aula 01- Noçoes de Direito.ppt
 
SLIDES_Aula 01- LINGUAGEM JURIDICA.ppt
SLIDES_Aula 01- LINGUAGEM JURIDICA.pptSLIDES_Aula 01- LINGUAGEM JURIDICA.ppt
SLIDES_Aula 01- LINGUAGEM JURIDICA.ppt
 
SLIDES_APOIO_-_COMPLETO2.ppt
SLIDES_APOIO_-_COMPLETO2.pptSLIDES_APOIO_-_COMPLETO2.ppt
SLIDES_APOIO_-_COMPLETO2.ppt
 
RESUMO AULA 3.ppt
RESUMO AULA 3.pptRESUMO AULA 3.ppt
RESUMO AULA 3.ppt
 
RESUMO AULA 2.ppt
RESUMO AULA 2.pptRESUMO AULA 2.ppt
RESUMO AULA 2.ppt
 
SLIDES_APOIO UNIDADE 1- AULA 1.pdf
SLIDES_APOIO  UNIDADE 1- AULA 1.pdfSLIDES_APOIO  UNIDADE 1- AULA 1.pdf
SLIDES_APOIO UNIDADE 1- AULA 1.pdf
 

Último

Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 

Último (20)

Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 

slides de apoio - natureza e sociedade - TODOS OS SLIDES.ppt

  • 1. NaturezaeSociedade Profa. Dra. Lidia Moura https://encurtador.com.br/egilm Tutor:
  • 3. • A relação natureza e sociedade ou sociedade e natureza é muito interessante, importante e ampla. Neste encontro, iremos conhecer a Teoria da Paisagem como metodologia de estudo para as relações entre a sociedade e a natureza. Quais são os tipos de relações entre a sociedade e a natureza que você identifica?
  • 4. O sistema terrestre é complexo e as interações entre os elementos naturais somados à ação humana formam a paisagem humanizada. Compreender como esse sistema funciona é fundamental para: identificar de que maneira ele afeta a sociedade Entender como a sociedade impacta a natureza Também é importante para analisar os principais problemas que a sociedade enfrenta de ordem natural. Quais desses problemas podemos pontuar como exemplo?
  • 5. A disciplina NATUREZA E SOCIEDADE está dividida em três unidades: 1º UNIDADE - ANÁLISE INTEGRADA DA PAISAGEM: NATUREZA E SOCIEDADE A partir desta unidade, você será capaz de: • Compreender a teoria da paisagem como metodologia para o estudo da relação entre a sociedade e a natureza. • Identificar o método de estudo da paisagem GTP. • Compreender de modo geral os principais aspectos do Sistema Terrestre. • Reconhecer a influência das placas tectônicas na paisagem. • Reconhecer as propriedades essenciais da hidrografia, atmosfera e clima e da vegetação.
  • 6. A disciplina NATUREZA E SOCIEDADE está dividida em três unidades: 2º UNIDADE - INDÚSTRIA, URBANIZAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO NO ESPAÇO GEOGRÁFICO A partir desta unidade, você será capaz de: • Conhecer a relação existente entre a industrialização e as transformações no espaço geográfico. • Identificar impactos causados pelas mudanças climáticas. • Compreender as causas e consequências da poluição atmosférica. • Analisar o tratamento e destinação do lixo industrial. • Conhecer os principais problemas ambientais urbanos.
  • 7. A disciplina NATUREZA E SOCIEDADE está dividida em três unidades: 3º UNIDADE - REFLEXOS DO CRESCIMENTO POPULACIONAL MUNDIAL NO CONSUMO DE ENERGIA A partir desta unidade, você será capaz de: • Conhecer a relação existente entre o crescimento da população mundial e a demanda por energia. • Identificar as principais fontes de energia renováveis disponíveis. • Observar os prejuízos a curto e longo prazo das fontes de energia não renováveis. • Identificar a compra sustentável • Conhecer a importância dos recursos hídricos para a sociedade, bem como os principais reservatórios. • Identificar os mais comuns tipos de poluição das águas. • Analisar algumas possíveis soluções para o problema da poluição das águas. • Compreender a questão da escassez da água no planeta. • Conhecer a relação existente entre o aumento de CO2 na atmosfera e as mudanças climáticas.
  • 8. • Nesta disciplina faremos atividades 3 práticas, que poderão acontecer duranteoencontroouemformadeautoestudo (apósaaula). • Essas práticas deverão ser postadas em seu AVA na opção Produção Acadêmica. • Fique atento aos prazos de postagem em cada uma delas para que sua notanãosejaprejudicada. • Além disso, no último encontro faremos uma avaliação objetiva, sobre todoconteúdoestudado. Destacamos aqui uma informação importante: Lembre-se que a nota desta avaliação objetiva e das atividades práticas formaram sua média na disciplina. Então não perca nenhuma das práticas nem a avaliação!
  • 9. ATIVIDADES PRÁTICAS Prática Tipo Local na Trilha Prazo Prática 1 – Autoestudo Durante o encontro Unidade 1 Durante o 1º encontro Prática 2 - Autoestudo Durante o encontro Unidade 2 Durante o 2º encontro Prática 3 – Atividade Avaliativa Durante o encontro e Autoestudo Unidade 3 Postar até o 4º encontro
  • 10. Unidade 1 ANÁLISE INTEGRADA DA PAISAGEM: NATUREZA E SOCIEDADE https://encurtador.com.br/gkCOQ Tópico 01 - Análise Integrada da Paisagem: Natureza e Sociedade Tópico 2 - GTP - Geossistema, Território e Paisagem Tópico 3 - O Sistema Terrestre Tópico 4 – Placas Tectônicas Tópico 5 - Hidrografia, Clima e Vegetação
  • 11. TÓPICO1 ANÁLISEINTEGRADADAPAISAGEM:NATUREZA SOCIEDADE Estabelecer relações com a Natureza fez parte das estratégias de sobrevivência dos grupos humanos Para os povos caçadores e coletores, foi fundamental observar a dinâmica das estações do ano e conhecer o ciclo reprodutivo da natureza. Para os povos navegadores e, predominantemente, pescadores, conhecer a direção e a dinâmica dos ventos, o movimento das marés e as correntes marítimas eram condições de existência. Para os primeiros povos agricultores, foi essencial conhecer as variações climáticas e a alternância entre período seco e período chuvoso ...Esses conhecimentos e relações permitiram benefícios às sociedades e ocasionaram diferentes mudanças...
  • 12. TÓPICO1 ANÁLISEINTEGRADADAPAISAGEM:NATUREZA SOCIEDADE Teoria da Paisagem Uma totalidade de sistemas naturais, como a própria fisionomia, morfologia e a forma do espaço, e uma percepção que tem a população do seu próprio entorno.
  • 13. TÓPICO2 GTP-GEOSSISTEMA,TERRITÓRIOEPAISAGEM ENTRADA NATURALISTA Trabalhada a partir do conceito de Geossistema, em que se analisa a estrutura e funcionalmente biofísico ENTRADA SOCIOECONÔMICA Considerada a partir do conceito de Território que permite analisar as repercussões da organização e dos funcionamentos sociais e econômicos sobre o espaço considerado ENTRADA SOCIOCULTURAL Que se dá a partir da noção de Paisagem, estudada a partir do processo de artificialização da paisagem A construção da paisagem não só está ligada aos resultados dos fatores geomorfológicos, hidrológicos, mas também da ação do homem ao longo do tempo.
  • 14. TÓPICO2 GTP-GEOSSISTEMA,TERRITÓRIOEPAISAGEM GEOSSISTEMA complexo formado pelas relações naturais existentes entre os elementos bióticos e abióticos TERRITÓRIO uso político, social e econômico do espaço geográfico PAISAGEM expressão cultural, manifestada por meio da apropriação, da utilização e do significado que é atribuído aos elementos que compõem o geossistema, pela comunidade a ele aferida.
  • 15. TÓPICO2 GTP-GEOSSISTEMA,TERRITÓRIOEPAISAGEM GEOSSISTEMA Potencial ecológico (geomorfologia + clima + hidrologia) Exploração biológica (vegetação + solo + fauna) GEOSSISTEMA Ação antrópica
  • 16. TÓPICO2 GTP-GEOSSISTEMA,TERRITÓRIOEPAISAGEM ANÁLISE DA PAISAGEM 1 Deve-se analisar três aspectos: Os atores da paisagem, individuais ou coletivos, que intervêm diferentemente na paisagem, do simples passante ao construtor 2 Os locais, que correspondem à análise socioeconômica e geossistêmica do território, com uma atenção particular concedida aos diferentes zoneamentos. 3 O tempo, por um lado, situa a paisagem no tempo, mas ao longo da história que, por outro lado, também se situa nos ritmos sazonais, bioecológicos (fenológicos) ou socioculturais (calendários).
  • 17. TÓPICO3 Osistematerrestre formas de relevo e suas influências endógenas (internas) e exógenas (externas) Dinâmica climática Dinâmica cíclica da água Sistema terrestre como a relação entre os diferentes componentes da litosfera, atmosfera e hidrosfera, com a consequente formação da biosfera.
  • 18. TÓPICO3 Osistematerrestre Litosfera A estrutura física e sólida do planeta. Isso envolve, portanto, as rochas, as formas de relevo e as dinâmicas relacionadas aos seus processos de atuação e transformação Atmosfera Camada gasosa que envolve a Terra, responsável pela dinâmica climática e dos gases que envolvem a camada de ar.
  • 19. TÓPICO3 Osistematerrestre Hidrosfera A estrutura de água que compõe o ambiente da Terra, elemento que está presente em 70% da superfície. No caso, não se fala somente em água líquida, mas também nos seus estados sólido e gasoso e nas dinâmicas a ela relacionadas. Inter-relação entre as três esferas apresentadas, formando o ambiente próprio para a manutenção da vida. Portanto, falar de biosfera é falar nas condições para o assentamento das vegetações e também dos animais, dos quais os seres humanos não se excluem, embora a humanidade seja a maior interventora entre os seres vivos sobre o meio natural em que habita. Biosfera
  • 20. TÓPICO3 Osistematerrestre Milhões de anos atrás Holoceno Pleistoceno Plioceno Mioceno Oligoceno Eoceno CENOZOICO Paleoceno Cretáceo Jurássico Triássico Permiano Pensilvânico Mississípico Devoniano Siluriano Ordoviciano Cambriano Proterozóico Arqueano MESOZOICO PALEOZOICO Escala de tempo geológico representa a linha do tempo desde o presente até a formação da Terra, dividida em éons, eras, períodos, épocas e idades, que se baseiam nos grandes eventos geológicos da história do planeta. A relação sociedade e natureza ocorre no tempo geológico. No entanto, sua análise deve estudar a paisagem, seus componentes e sua interação. Iniciando pelo mais antigo, é estudado as rochas.
  • 21. TÓPICO4 Placastectônicas As principais Placas Tectônicas da Crosta Terrestre são: Placa Sul Americana - onde situa-se o Brasil e quase toda a América do Sul  Placa de Nazca Placa Norte-Americana  Placa Africana  Placa Euroasiática  Placa do Pacífico Placa Indo-Australiana Placa Antártica.
  • 22. TÓPICO4 Placastectônicas Os movimentos das placas acontecem devidos às “correntes de convecção” que ocorrem na astenosfera (camada logo abaixo da litosfera). Essas correntes são causadas pelo movimento ascendente dos materiais mais quentes do manto (magma) em direção à litosfera, que, chegando à sua base, tende a se movimentar lateralmente e perder calor por causa da resistência da litosfera, descendo novamente, dando lugar a mais material aquecido https://encurtador.com.br/rCJNZ
  • 23. TÓPICO4 Placastectônicas https://encurtador.com.br/koAC1 O relevo terrestre pode ser definido como as formas da superfície do planeta. Ele se origina e se transforma sob a interferência de dois tipos de agentes: os agentes internos e externos. Os endógenos atuam de dentro para fora (deformando), tais como o vulcanismo e o tectonismo; já os exógenos atuam na superfície (modelando), tais como o intemperismo e a antropicidade.
  • 24. TÓPICO5 Hidrografia,ClimaeVegetação https://encurtador.com.br/uI023 O ciclo hidrológico é o movimento natural da água nos vários reservatórios naturais como: atmosfera, nos rios, nos lagos, nos oceanos, no lençol freático, nas geleiras, nos aquíferos, além dos vários organismos.
  • 25. TÓPICO5 Hidrografia,ClimaeVegetação A atmosfera terrestre é uma camada de gases que envolve a Terra e é retida pela força da gravidade. Ela protege a vida na Terra, absorvendo a radiação ultravioleta solar, aquecendo a superfície por meio da retenção de calor (efeito estufa) e reduzindo os extremos de temperatura entre o dia e a noite. https://encurtador.com.br/kAJKR
  • 26. TÓPICO5 Hidrografia,ClimaeVegetação Climas da Terra Os climas da terra são uma combinação num determinado lugar e durante um longo período de tempo, de uma série de elementos do clima como, os valores da temperatura, precipitação, pressão atmosférica, ventos, nebulosidade, umidade, etc. FATORES CLIMÁTICOS Os fatores do clima são agentes causais que determinam os elementos do clima ELEMENTOS CLIMÁTICOS Os valores que se combinando, caracterizam o clima de um lugar. EXEMPLO: latitude, altitude, precipitações, ventos
  • 29. Unidade 2 INDÚSTRIA, URBANIZAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO NO ESPAÇO GEOGRÁFICO Tópico 01 – Indústria, urbanização e transformação no espaço geográfico Tópico 2 – Mudanças climáticas Tópico 3 – Poluição atmosférica Tópico 4 – Tratamento e destino do resíduo/lixo industrial Tópico 5 – Outros problemas ambientais urbanos https://images.app.goo.gl/Ffno7Em8sfa2dPHM6
  • 30. TÓPICO1 Indústria,urbanizaçãoetransformaçãonoespaço geográfico O avanço técnico e científico e o crescente processo de industrialização, seja nos países ricos, seja nos países pobres, nos capitalistas ou nos socialistas, vêm progressivamente interferindo, agredindo e alterando a natureza em benefício dos interesses imediatos dos homens.
  • 31. TÓPICO1 Indústria,urbanizaçãoetransformaçãonoespaço geográfico Revolução industrial • Crescimento da burguesia • Desenvolvimento de áreas urbanas Aumento da qualidade de vida • Produtos e processos acessíveis • Inovação em bens de consumo Transformação da relação homem - ambiente • Domínio dos ambientes • Exploração dos recursos naturais
  • 32. TÓPICO2 Mudançasclimáticas Há várias décadas, ambientalistas e cientistas vêm alertando sobre os riscos do aquecimento do planeta por conta do mau uso dos recursos naturais, mas apenas com os últimos relatórios do IPCC parece que o mundo se deu conta do real perigo. O conceito de mudanças climáticas ou aquecimento global finalmente entrou na agenda mundial? E existe diferença entre esses termos?
  • 33. TÓPICO2 Mudançasclimáticas MUDANÇAS GLOBAIS MUDANÇAS CLIMÁTICAS AQUECIMENTO GLOBAL O homem, através do aumento da concentração dos gases de efeito estufa, está alterando a composição da atmosfera, e com isso é alterado o balanço de radiação que mantém a vida do nosso planeta. Alterações nos recursos minerais e nos ciclos biogeoquímicos decorrente das ações antrópicas. O homem como interferente geológico, devido a intensidade das atividades antrópicas (por exemplo: indústrias) elevação da temperatura global pelo aumento da radiação que a gente está armazenando no planeta, em consequência do aumento dos gases de efeito estufa. Elevação da temperatura global pelo aumento da radiação que a gente está armazenando no planeta, em consequência do aumento dos gases de efeito estufa. O homem é indubitavelmente responsável pelo aquecimento global?
  • 34. TÓPICO2 Mudançasclimáticas O clima do planeta é dominado por processos naturais e por processos associados à ação do homem. Entre os processos naturais relevantes estão alterações no brilho do sol, emissões de aerossóis vulcânicos e uma série de processos que alteram a biosfera do planeta. ...Esses processos naturais dominavam o balanço de radiação atmosférica. Nos últimos 150 anos Devagarinho a ação do homem começou a tomar conta não só da superfície do planeta, mas também da composição da atmosfera. Nos últimos 30 anos A concentração dos gases de efeito estufa foi de 280 partes por milhão para 375 partes por milhão, e a concentração de metano dobrou, o que está causando o aquecimento global. Até 150 anos atrás
  • 35. TÓPICO3 Poluiçãoatmosférica A poluição gerada nas cidades de hoje são resultado, principalmente, da queima de combustíveis fósseis como, por exemplo, carvão mineral e derivados do petróleo (gasolina e diesel). A queima destes produtos tem lançado uma grande quantidade de monóxido de carbono e dióxido de carbono (gás carbônico) na atmosfera Estes dois combustíveis são responsáveis pela geração de energia que alimenta os setores industrial, elétrico e de transportes de grande parte das economias do mundo. Por isso, deixá-los de lado atualmente é extremamente difícil.
  • 36. TÓPICO3 Poluiçãoatmosférica Impactos negativos https://images.app.goo.gl/8p7JRu6rgchRKQPS9 Aumento da frequência e gravidade de doenças respiratórias https://images.app.goo.gl/gFhnq852Shw5isni8 Prejuízo aos ecossistemas e ao patrimônio histórico. Fruto desta poluição, a chuva ácida mata plantas, animais e vai corroendo, com o tempo, monumentos históricos. https://images.app.goo.gl/26ncJcP355gcXGxH9 Intensificação do efeito estufa.
  • 37. TÓPICO4 Tratamentoedestinodoresíduo/lixoindustrial O resíduo ou lixo industrial possui três classificações: Classe I: perigosos Classe II: não inertes Classe III: inertes Apresentam mais riscos ao meio ambiente
  • 38. TÓPICO4 Tratamentoedestinodoresíduo/lixoindustrial Principais técnicas de tratamento: Incineração Processo que reduz os resíduos a gases e materiais inertes através da queima controlada Resíduos compostos por carbono, hidrogênio e oxigênio Exige-se apenas um processo eficiente de remoção das cinzas Resíduos tóxicos, com cloro, fósforo ou enxofre É necessário um sistema complexo e avançado de tratamento dos gases resultantes para que possam ser lançados com segurança na atmosfera.
  • 39. TÓPICO4 Tratamentoedestinodoresíduo/lixoindustrial Principais técnicas de tratamento: Aterros industriais Os aterros sanitários industriais devem possuir sistema duplo de impermeabilização, que geralmente são feitos com uma manta sintética sobreposta a uma camada de argila compactada, mantendo-se a uma distância de pelo menos 2 metros dos lençóis freáticos. Classe I: perigosos É necessário utilizar um local naturalmente impermeável, caracterizado pela predominância de material argiloso e pelo baixo grau de saturação do solo. Custo mais baixo que os custos para incineração
  • 40. TÓPICO4 Tratamentoedestinodoresíduo/lixoindustrial Principais técnicas de tratamento: Reciclagem Doação ou venda como matéria-prima para outras indústrias. Para incentivar este tipo de reaproveitamento, que traz vantagens econômicas e ambientais, foi criado, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Sistema Integrado de Bolsa de Resíduos, que reúne mais de 6.300 empresas que oferecem ou têm interesse nesse tipo de material.
  • 41. TÓPICO5 Outrosproblemasambientaisurbanos A retirada da vegetação Construções Lançamento de poluentes MULTIPLOS IMPACTOS NEGATIVOS EM TODOS OS COMPARTIMENTOS DO AMBIENTE Quais impactos negativos podem ser atribuídos a essa combinação de atividades antrópicas?
  • 44. Unidade 3 REFLEXOS DO CRESCIMENTO POPULACIONAL MUNDIAL NO CONSUMO DE ENERGIA Tópico 1 – Reflexos do crescimento populacional mundial no consumo de energia Tópicos 2 e 3 – Fontes de energia renováveis e não renováveis Tópico 4 – Compra sustentável Tópicos 5 e 6 – Água, aproveitamento e conservação e os vários tipos de poluição das águas Tópico 7 – Algumas soluções para o problema da poluição das águas Tópico 8 – A questão da escassez da água Tópico 9 – O aumento de CO2 na atmosfera e as mudanças climáticas https://images.app.goo.gl/25v6kCdYcHzfnxx48
  • 45. TÓPICO1 Reflexosdocrescimentopopulacionalmundialno consumodeenergia População Tempo 1974 4 bilhões 1987 5 bilhões 1999 6 bilhões 2012 7 bilhões 2027 8 bilhões 2046 9 bilhões https://images.app.goo.gl/1gYwUmMJp419GnTTA O crescimento populacional exponencial que vemos hoje Só foi possível graças às grandes revoluções industrial, médica e agrícola os riscos de fome resultantes de safras desastrosas diminuíram. Tornou-se possível transportar alimentos e outros insumos de um continente a outro Aumento do bem estar geral Grandes avanços da medicina
  • 46. TÓPICO1 Reflexosdocrescimentopopulacionalmundialno consumodeenergia A aceleração da expansão demográfica é cumulativa e trás alguns problemas 1 CONSUMO DE ENERGIA 2 ESTILO DE VIDA BASEADO EM PETRÓLEO 3 CRESCIMENTO DO DESPERDÍCIO DE ENERGIA Esses três itens podem, ainda, estarem interligados? Tratando-se de energia, como podemos substituir?
  • 47. TÓPICO2 Fontesdeenergiarenovável Os meios de transporte e comunicação, além das residências, indústrias, comércio, agricultura e vários campos da sociedade, dependem totalmente da disponibilidade de energia, tanto a eletricidade quanto os combustíveis. E EÓLICA Os ventos fazem os chamados aerogeradores, que ativam turbinas e geradores cnvertendo a energia mecânica produzida em energia elétrica. SOLAR Existem duas formas de aproveitamento da energia solar: a fotovoltaica e a térmica.
  • 48. TÓPICO2 Fontesdeenergiarenovável HIDRELETRICA Nas usinas hidroelétricas, constroem-se barragens no leito do rio para o represamento da água que será utilizada no processo de geração de eletricidade. Nesse caso, o mais aconselhável é a construção de barragens em rios que apresentem desníveis em seus terrenos, com o objetivo de diminuir a superfície inundada. BIOMASSA A utilização da biomassa consiste na queima de substâncias de origem orgânica para a produção de energia, ocorrendo por meio da combustão de materiais como a lenha, o bagaço de cana e outros resíduos agrícolas, restos florestais e até excrementos de animais. É considerada uma fonte de energia renovável porque o dióxido de carbono produzido durante a queima é utilizado pela própria vegetação na realização da fotossíntese, o que significa que, desde que haja controle, o seu uso é sustentável por não alterar a macrocomposição da atmosfera terrestre.
  • 49. TÓPICO3 FontesdeenergiaNÃOrenováveis COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS As fontes não renováveis de energia são aquelas que poderão esgotar-se em um futuro relativamente próximo. Alguns recursos energéticos, como o petróleo, possuem o seu esgotamento estimado para algumas poucas décadas, o que eleva o caráter estratégico que esses elementos possuem Há alguma possibilidade de que as fontes de energia renováveis possam ser NÃO renováveis em algum momento de nossa história?
  • 50. TÓPICO4 Comprasustentável Na última década, estimativas de organismos internacionais apontam que a retomada econômica em diferentes países tenha tirado centenas de milhões de pessoas da miséria, criando uma nova classe média que move as estratégias de produção a partir do acesso a crédito e a bens anteriormente de consumo mais restrito. Nos próximos 25 anos, cerca de 3 bilhões de novos consumidores de classe média aumentam a pressão sobre os recursos naturais, exigindo soluções de gestão e tecnologia para virar o jogo da destruição. Como garantir que tal exigência possa ser considerada a favor de novos processos produtivos e produtos mais sustentáveis?
  • 51. TÓPICO5 Água,aproveitamentoeconservação Um dos recursos a ser considerado em essência nos novos processos produtivos e produtos é a água Por ser um recurso que circula pelo planeta em diferentes estados, sendo impulsionado pela energia solar, este é um recurso renovável Entretanto, pode-se considerar não renovável considerando que a má gestão aliada à poluição podem diminuir sua disponibilidade para os usos múltiplos
  • 52. TÓPICO5 Água,aproveitamentoeconservação Um dos recursos a ser considerado em essência nos novos processos produtivos e produtos é a água Atualmente, a maior discussão sobre os problemas ambientais do planeta está voltado para a água, ou melhor, para a falta de água. Os cientistas alertam que o problema da falta de água não se deve à ausência de chuvas, mais sim ao tipo de desenvolvimento (os estudiosos chamam de “modelo de desenvolvimento”) que temos escolhido praticamente desde a Revolução Industrial, no final do século XIX, baseado no lucro imediato sem planejamento das ações humanas. Entre as características desse modelo, está uma série de agressões ao meio ambiente, a água e seu ciclo em especial. Entre elas, podemos destacar: o rápido crescimento da população mundial, o crescimento industrial, a destruição das florestas, a destruição de áreas de mananciais por ocupação imobiliária ou pela poluição, a destruição de matas ciliares etc.
  • 53. TÓPICO6 Osváriostiposdepoluiçãodaságuas https://images.app.goo.gl/4AJwsgxPmoLdBQut5 A bioacumulação é o fenômeno por meio do qual os organismos vivos retêm, dentro de si, substância tóxicas, sem poder eliminá-las.
  • 54. TÓPICO6 Osváriostiposdepoluiçãodaságuas https://images.app.goo.gl/eBLyMoF7TKgaA7xNA A eutrofização é o fenômeno que ocorre devido fertilização excessiva dos corpos hídricos (principalmente com nitrogênio e fósforo) Isso acarreta um desequilíbrio, desenvolvimento anormal de organismos autótrofos, que acabam por consumir a maior parte do oxigênio da água, matando peixes e comprometendo a qualidade dela.
  • 55. TÓPICO6 Osváriostiposdepoluiçãodaságuas https://images.app.goo.gl/U5RXDGipiBXs2ZaR6 Os esgotos contaminam a água que consumimos, principalmente, pela falta de sistemas adequados para sua captação, transporte e tratamento. Quando isso acontece, eles são despejados sem nenhum cuidado, nas proximidades das casas, de onde são arrastados pelas chuvas para os córregos, rios e mares, contaminando-os. A contaminação por bactérias patogênicas está ligada à questão higiênica, sendo que a contaminação por matéria vinda das fezes humanas é a mais importante. Por isto, o encanamento e tratamento adequado desse tipo de esgoto é imprescindível. Um litro de água de esgoto pode conter até 20 bilhões de bactérias, muitas delas patogênicas, que podem contaminar se ingeridas pelas pessoas ou se absorvida pela pele.
  • 56. TÓPICO7 Algumassoluçõesparaoproblemadapoluiçãodas águas Poluição por esgotos Tratamento em estações especializadas, por processos físicos, químicos e biológicos para reduzir a carga orgânica e patógenos da água residuária Agricultura Técnicas para que os elementos eutrofizantes (esterco, fertilizantes, restos de alimentos) não atinjam as águas superficiais. Manejo das matérias-primas sem desperdício: silos e depósitos de estrume bem construídos, planejamento da localização de pastos, uso correto de fertilizantes e mata ciliar, desenvolvimento de materiais menos tóxicos e controle biológico.
  • 57. TÓPICO7 Algumassoluçõesparaoproblemadapoluiçãodas águas Águas industriais Proibição internacional de lavar os tanques dos navios petroleiros, a menos de 70 km do litoral, utilizar-se de diques especiais para a lavagem, que possibilitem o reaproveitamento do óleo lavado. Poluição térmica Verificar a capacidade do rio de dissipar calor, utilizar torres de refrigeração, que eliminam o calor para o ar, ou lagoas artificiais que promovem um primeiro resfriamento antes do despejo definitivo nos corpos d’água.
  • 58. TÓPICO8 Aquestãodaescassezdaágua A questão da escassez de água se repete em muitos grandes rios pelo mundo. O Mar Morto, que depende do Rio Jordão, está secando 1 metro por ano Na índia, a irrigação intensiva para produzir alimentos para uma grande população tem feito com muitos poços sequem. Na Índia Ocidental, 30% dos poços foram abandonados, grandes reservatórios são construídos com as mãos para alimentar os aquíferos durante as chuvas monçônicas
  • 59. TÓPICO8 Aquestãodaescassezdaágua A questão da escassez de água se repete em muitos grandes rios pelo mundo. A falta de água pode afetar 2 bilhões de pessoas em todo o mundo até 2025, ainda assim, a água ainda é abundante em áreas preservadas. Os pântanos representam 6% da superfície do planeta, são importantes na regulação da umidade, filtrando água, armazenado nos períodos úmidos e liberando na seca.
  • 60. TÓPICO8 Aquestãodaescassezdaágua A importância das florestas: A cobertura vegetal protege o solo da erosão Regulam o clima pela evapotranspiração e armazenam carbono As florestas provem o habitat para ¼ da biodiversidade da Terra ESSENCIAIS PARA PREVENÇÃO DE SECAS DEVIDO INFLUENCIA NO CICLO HIDROLÓGICO
  • 62. O vapor d’água (H2O) e o dióxido de carbono são os principais gases-estufa. Se não existissem os gases-estufa, o calor gerado pela radiação solar se distribuiria facilmente pela atmosfera e o clima da Terra seria muito mais frio. Os gases-estufa absorvem a radiação solar com determinado comprimento de onda, elevando a temperatura da superfície. TÓPICO9 Oaumentodeco2naatmosferaeasmudanças climáticas https://images.app.goo.gl/2EGQnnDo4gJHUreX6
  • 63. A queima de combustíveis fósseis e o desmatamento têm aumentado substancialmente a quantidade de CO2 atmosférico durante o mesmo período, e as atividades humanas também geraram significativos aumentos em outros gases-estufa, como o metano. TÓPICO9 Oaumentodeco2naatmosferaeasmudanças climáticas Contudo, como podemos ter certeza de que o aquecimento do século XX foi uma consequência direta do CO2 - isto é, um resultado da intensificação do efeito estufa – e não de certas mudanças fortuitas associadas com a variabilidade climática natural?
  • 64. TÓPICO9 Oaumentodeco2naatmosferaeasmudanças climáticas Uma tendência recente de aquecimento correlaciona-se com o aumento de CO2 a partir das emissões desde a Revolução Industrial do século XIX. O registro do século XX é claramente anômalo quando comparado com a mudança climática documentada durante o último milênio Uma comparação entre a média anual da temperatura da superfície terrestre e a concentração de CO2 na atmosfera mostra que a tendência do recente aquecimento se correlaciona com o aumento de CO2 causado pelas atividades humanas desde a Revolução Industrial