SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 
SIMULADO UNIFICADO 
NOME:_____________________________nº____SÉRIE 1º EM TURMA:____NOTA:______ 
Orientações para fazer o Simulado. 
1. Preencha o cabeçalho com seu nome, série, turma e número da chamada. 
2. Leia a questões mais de uma vez, não será permitida rasura. 
3. Marque apenas um alternativa, caso marque duas ou mais a questão será anulada. 
4. Só marque mais de uma alternativa quando a questão assim pedir que faça. 
5. Faça o simulado com calma, pois ele é avaliação deste bimestre. 
6. Marque o gabarito sem cometer rasuras. 
LÍNGUA PORTUGUESA 
PROFESSORA LÍBIA 
O texto abaixo servirá de referência para responder as 
questões de 1 a 3: 
A nuvem 
- Fico admirado como é que você, morando nesta 
cidade, consegue escrever uma semana inteira sem reclamar, 
sem protestar, sem espinafrar! E meu amigo falou da água, 
telefone, Light em geral, carne, batata, transporte, custo de 
vida, buracos na rua, etc. etc. etc. Meu amigo está, como 
dizem as pessoas exageradas, grávido de razões. Mas que 
posso fazer? Até que tenho reclamado muito isto e aquilo. 
Mas se eu for ficar rezingando todo dia, estou roubado: quem 
é que vai aguentar me ler? Acho que o leitor gosta de ver 
suas queixas no jornal, mas em termos. 
Além disso, a verdade não está apenas nos buracos 
das ruas e outras mazelas. Não é verdade que as 
amendoeiras neste inverno deram um show luxuoso de 
folhas vermelhas voando no ar? E ficaria demasiado feio eu 
confessar que há uma jovem gostando de mim? Ah, bem sei 
que esses encantamentos de moça por um senhor maduro 
duram pouco. São caprichos de certa fase. Mas que importa? 
Esse carinho me faz bem; eu o recebo terna e gravemente; 
sem melancolia, porque sem ilusão. Ele se irá como veio, leve 
nuvem solta na brisa, que se tinge um instante de púrpura 
sobre as cinzas de meu crepúsculo. 
E olhem só que tipo de frase estou escrevendo! 
Tome tenência, velho Braga. Deixe a nuvem, olhe para o chão 
- e seus tradicionais buracos. 
(Rubem Braga, Ai de ti, Copacabana) 
QUESTÃO 1) É correto afirmar que, a partir da crítica que o 
amigo lhe dirige, o narrador cronista: 
a) sente-se obrigado a escrever sobre assuntos exigidos pelo 
público; 
b) reflete sobre a oposição entre literatura e realidade; 
c) reflete sobre diversos aspectos da realidade e sua 
representação na literatura; 
d) defende a posição de que a literatura não deve ocupar -se 
com problemas sociais; 
e) sente que deve mudar seus temas, pois sua escrita não 
está acompanhando os novos tempos. 
QUESTÃO 2) Em "E olhem só que tipo de frase estou 
escrevendo! Tome tenência, velho Braga", o narrador: 
a) chama a atenção dos leitores para a beleza do estilo que 
empregou; 
b) revela ter consciência de que cometeu excessos com a 
linguagem metafórica; 
c) exalta o estilo por ele conquistado e convida-se a 
reverenciá-lo; 
d) percebe que, por estar velho, seu estilo também 
envelheceu; 
e) dá-se conta de que sua linguagem não será entendida pelo 
leitor comum. 
QUESTÃO 3) Com relação ao gênero do texto, é correto 
afirmar que a crônica: 
a) parte do assunto cotidiano e acaba por criar reflexões mais 
amplas; 
b) tem como função informar o leitor sobre os problemas 
cotidianos; 
c) apresenta uma linguagem distante da coloquial, afastando 
o público leitor; 
d) tem um modelo fixo, com um diálogo inicial seguido de 
argumentação objetiva; 
e) consiste na apresentação de situações pouco realistas, em 
linguagem metafórica. 
QUESTÃO 4) Após a leitura do texto, assinale a alternativa 
que apresenta certo preconceito linguístico quanto aos 
registros e variações da língua. 
Diante de uma tabuleta escrita colégio é provável que um 
pernambucano, lendo-a em voz alta, diga còlégio, que um 
carioca diga culégio, que um paulistano diga côlégio. E agora? 
Quem está certo? Ora, todos estão 
igualmente certos. O que acontece é que em todas as línguas 
existe um fenômeno chamado variação, isto
é, nenhuma língua é falada do mesmo jeito em todos os 
lugares, assim como nem todas as pessoas falam a 
própria língua de modo idêntico. 
(Marcos Bagno, Preconceito Linguístico, p.52) 
a) “Essas crenças sobre a superioridade de uma variante ou 
falar sobre os demais é um dos mitos que se arraigam na 
cultura brasileira. Toda variedade regional ou falar é, antes 
de tudo, um instrumento identitário, isto é, um recurso que 
confere identidade a um grupo social.” (Stella Maris Bortoni - 
Ricardo, Educação em Língua Materna, p. 33) 
b) “Podemos flagrar variação em todos os níveis de língua. 
Por exemplo, no nível lexical, poderíamos citar conhecidas 
oposições de forma: ‘jerimum’ (Bahia) e ‘abóbora’ (Rio de 
Janeiro). No nível gramatical, vimos a variação ‘elas 
brincam/brinca’.” (Mário Eduardo Martelotta, Manual de 
Linguística, p.145) 
c) “As variedades linguísticas são as variações que uma língua 
apresenta, de acordo com as condições sociais, culturais, 
regionais e históricas em que é utilizada.” (Revista 
Conhecimento Prático de Língua Portuguesa, edição 16, p. 
57) 
d) “Fiat lux. E a luz se fez. Clareou este mundão cheinho de 
jecas-tatus. (...) Falamos o caipirês. Sem nenhum 
compromisso com a gramática portuguesa. Vale tudo: eu era, 
tu era, nós era, eles era.” (Dad Squarisi, Correio Braziliense, 
22/6/1996) 
e) “Existe muito preconceito decorrente do valor atribuído às 
variedades padrão e ao estigma associado às variedades não 
padrão, consideradas inferiores ou erradas pela gramática.” 
(Parâmetros Curriculares Nacionais, Língua Portuguesa, p.31) 
QUESTÃO 5) (UNIV. FED. DE SANTA MARIA) Sobre a 
literatura produzida no primeiro século da vida colonial 
brasileira, é correto afirmar que: 
a) É formada principalmente de poemas narrativos e textos 
dramáticos que visavam à catequese. 
b) Inicia com Prosopopéia, de Bento Teixeira. 
c) É constituída por documentos que informam acerca da 
terra brasileira e pela literatura jesuítica. 
d) Os textos que a constituem apresentam evidente 
preocupação artística e pedagógica. 
e) Descreve com fidelidade e sem idealizações a terra e o 
homem, ao relatar as condições encontradas no Novo 
Mundo. 
(Ufscar-SP) Leia o fragmento do Sermão de Padre Antônio 
Vieira e responda à questão 6 
O pregar há de ser como quem semeia, e não como quem 
ladrilha ou azuleja. Ordenado, mas como as estrelas. [...] 
Todas as estrelas estão por sua ordem; mas é ordem que faz 
influência, não é ordem que faça lavor. Não fez Deus o céu 
em xadrez de estrelas, como os pregadores fazem o sermão 
em xadrez de palavras. Se de uma parte há-de estar branco, 
da outra há-de estar negro; se de uma parte está dia, da 
outra há-de estar noite; se de uma parte dizem luz, da outra 
hão-de dizer sombra; se de uma parte dizem desceu, da outra 
hão-de dizer subiu. Basta que não havemos de ver num 
sermão duas palavras em paz? Todas hão-de estar sempre 
em fronteira com o seu contrário? Aprendamos do céu o 
estilo da disposição, e também o das palavras. 
(VIEIRA, A. Sermão da Sexagésima.) 
QUESTÃO 6) No texto, Vieira critica um certo estilo de fazer 
sermão, que era comum na arte de pregar dos padres 
dominicanos da época. O uso da palavra xadrez tem o 
objetivo de 
a) defender a ordenação das ideias em um sermão. 
b) fazer alusão metafórica a um certo tipo de tecido. 
c) comparar o sermão de certos pregadores a uma 
verdadeira prisão. 
d) mostrar que o xadrez se assemelha ao semear. 
e) criticar a preocupação com a simetria do sermão. 
QUESTÃO 7) Leia o quarteto abaixo e responda: 
“Ofendi -vos, meu Deus, é bem verdade, 
É verdade, Senhor, que hei delinquido, 
Delinquido vos tenho, e ofendido 
Ofendido vos tem minha maldade.” 
(MATOS, Gregório de. In: Poemas escolhidos.) 
A abundância dos elementos que compõem os versos de 
Gregório de Matos, trata-se de uma linguagem: 
a) neologista (nova) 
b) racionalista (racional) 
c) rebuscada (exagerada). 
d) sarcástica (irônica). 
e) ingênua (simples) 
BIOLOGIA 
PROFESSOR IVAN 
QUESTÃO 8) (PUC - RJ-2008) A produção de álcool 
combustível a partir do açúcar da cana está diretamente 
relacionada a qual dos processos metabólicos de 
microrganismos abaixo relacionados? 
a) Respiração. b) Fermentação. c) Digestão. d) Fixação 
de N2 e) Quimiossíntese.
QUESTÃO 9) (FaZU-2001) Nutrição heterótrofa é aquela 
feita por organismos incapazes de sintetizar compostos 
orgânicos a partir de inorgânicos. Assinale abaixo a resposta 
em que todos os componentes são heterótrofos. 
a) vegetais, os fungos e a minoria das bactérias. 
b) os animais, os fungos e a maioria das bactérias. 
c) os animais, todas as algas e a maioria das bactérias. 
d) os animais, os liquens e a minoria das bactérias. 
e) os vegetais, os liquens a minoria das bactérias. 
QUESTÃO 10) (Vunesp-1995) A parte comestível do 
cogumelo ("champignon") corresponde ao: 
a) micélio monocariótico do Ascomiceto. 
b) corpo de frutificação do Ascomiceto. 
c) micélio monocariótico do Basidiomiceto. 
d) corpo de frutificação do Basidiomiceto. 
e) sorédio do fungo. 
QUESTÃO 11) (PUC - RJ-2008) Assinale a opção que NÃO 
apresenta uma característica dos seres pertencentes ao 
Reino Fungi. 
a) São autotróficos e realizam fotossíntese. 
b) Produzem antibióticos. 
c) São capazes de realizar fermentação. 
d) Realizam decomposição de matéria orgânica. 
e) Suas células não possuem cloroplastos. 
FILOSOFIA 
PROFESSOR AUGUSTO. 
O MERCADO MANDA MESMO? 
01 Quem se dedicar hoje a ler todos os livros, manuais e 
artigos sobre o que é ser um ''bom 
02 profissional'' certamente vai desistir de tentar qualquer 
emprego. Em primeiro lugar, as 
03 descrições que encontramos são sempre de ''super - 
homens'', que nunca têm estresse, não 
04 se cansam, são capazes de infinitas adaptações, nunca 
brigam com a família... Ou seja, 
05 não é descrição de gente. 
06 Em segundo lugar, o conjunto dessas fórmulas é 
francamente contraditório. O que uns di - 
07 -zem que é bom outros acham que não. É como se cada 
autor, cada consultor, cada 
08 articulista pegasse uma ideia, transformasse em regra e 
quisesse aplicá-la a todos os seres 
09 humanos, de qualquer sexo e de qualquer cultura. 
10 Não é preciso muita sociologia para perceber que esse 
emaranhado todo, ao pretender indi - 
11 -car o bom caminho para o profissional, desenha uma 
espécie de ''tipo ideal'' de trabalhador 
12 para as necessidades do mercado. E como o próprio 
mercado é todo cheio de ambiguidades 
13 e necessidades que são contrárias umas às outras, o que 
sobra para nós é uma grande 
14 perplexidade. 
15 Então que tal parar um pouco de pensar no mercado e 
pensar em você mesmo? Qual é o 
16 ''algo a mais'' que você, com sua personalidade, suas 
aptidões, seu jeito de ser, qual é esse 
17 ''algo'' que você pode desenvolver? É preciso saber que 
formação é a mais adequada para 
18 você, não a formação mais adequada para o mercado. 
19 As diferentes cartilhas, as diversas teorias, as fórmulas 
mágicas servem apenas para tentar 
20 conduzir todo mundo para o mesmo lugar. O desafio é sair 
desse lugar e se tornar alguém 
21 incomum, de acordo com seus desejos e interesses. Então, 
não será apenas uma questão 
22 de ''empregabilidade'', como dizem, mas de vida. 
23 Pode até não parecer, mas nós somos seres humanos, 
com dignidade. No mercado, há 
24 obviamente mercadorias, simplesmente com preço. E 
fazer o melhor por si mesmo, e não 
25 pelo mercado, é algo que não tem preço. 
(In: FOLHA DE SÃO PAULO - Especial: Empregos, 22 de abril 
de 2001 - p.10 - texto adaptado) 
QUESTÃO 12) A principal relação de ideias presente no 
texto é a oposição entre mercado e... 
A) sociedade. 
B) emprego. 
C) consultores. 
D) teorias. 
E) indivíduo. 
QUESTÃO 13) A crítica do autor dirige-se às publicações 
que, para vender a imagem do ''bom profissional'', 
apresentam orientações: 
A) extraordinárias e incoerentes com o mercado. 
B) inaceitáveis e muito cheias de regras. 
C) extravagantes e indiferentes à cultura de cada um. 
D) irrealizáveis e incompatíveis entre si. 
E) enganadoras e pouco criativas. 
QUESTÃO 14) Com a expressão ''super-homens'' (linha 
03), o autor tem a intenção de: 
A) fazer alusão ao potencial extraordinário das pessoas que 
buscam o constante aperfeiçoamento profissional. 
B) ressaltar a admiração que os modelos de profissional 
apresentados pelos manuais despertam no leitor. 
C) evidenciar a distância entre o que se recomenda nos 
livros e o que, de fato, as pessoas conseguem ser. 
D) incitar os futuros profissionais a se equipararem com os
heróis modernos. 
E) reforçar a necessidade de preparação para que os jovens 
possam acompanhar, com um mínimo de segurança, os 
''voos'' do mercado. 
QUESTÃO 15) As expressões abaixo, extraídas do texto, 
referem-se todas ao conteúdo dos livros, manuais e artigos 
criticados pelo autor, EXCETO a da alternativa: 
A) ''as descrições que encontramos'' (linhas 02 e 03). 
B) ''o conjunto dessas fórmulas'' (linha 06). 
C) ''esse emaranhado todo'' (linha 10). 
D) '' uma grande perplexidade'' (linhas 13 e 14). 
E) ''as diversas teorias'' (linha 19). 
SOCIOLOGIA 
PROFESSOR GABRIEL 
(Enem, 2001) O franciscano Roger Bacon foi condenado 
entre 1227 e 1279, por dirigir ataques aos teólogos, por uma 
suposta crença na alquimia, na astrologia e no método 
experimental, e também por introduzir, no ensino, as ideias 
de Aristóteles. Em 1260, Roger Bacon escreveu: 
“Pode ser qu e se fabriquem máquinas graças às quais os 
maiores navios, dirigidos por um único homem, se desloquem 
mais depressa do que se fossem cheios de remadores, que se 
construam carros que avancem a uma velocidade incrível sem 
a ajuda dos animais, que se fabriquem máquinas voadoras 
nas quais um homem […] bata o ar com asas como um 
pássaro. […] Máquinas que permitam ir ao fundo dos mares e 
dos rios.” 
(Apud Fernand Braudel. Civilização material, economia e 
capitalismo: séculos XV – XVIII. São Paulo Martins Fontes, 
1996. v.3.) 
QUESTÃO 16) Considerando a dinâmica do processo 
histórico, pode-se afirmar que as ideias de Roger Bacon 
(A) inseriam-se plenamente no espírito da Idade Média ao 
privilegiarem a crença em Deus como o principal meio para 
antecipar as descobertas da humanidade. 
(B) estavam em atraso com relação ao seu tempo ao 
desconsiderarem os instrumentos intelectuais oferecidos pela 
Igreja para o avanço científico da humanidade. 
(C) opunham-se ao desencadeamento da Primeira Revolução 
Industrial, ao rejeitarem a aplicação da matemática e do 
método experimental nas invenções industriais. 
(D) eram fundamentalmente voltadas para o passado, pois 
não apenas seguiam Aristóteles, como também se baseavam 
na tradição e na teologia. 
(E) inseriam-se num movimento que convergiria mais tarde 
para o Renascimento, ao contemplarem a possibilidade de o 
ser humano controlar a natureza por meio das invenções. 
QUESTÃO 17) Marque a opção em que todos os fatores 
históricos foram determinantes para o surgimento da 
Sociologia. 
a) As invasões bárbaras, o mercantilismo, a queda do Império 
Romano e a formação dos estados nacionais. 
b) A queda do poder absolutista, a descoberta do Novo 
Mundo, as invasões bárbaras e o sistema monetário 
internacional. 
c) A globalização, o mercantilismo, a queda do Império 
Romano e a Reforma protestante. 
d) O teocentrismo, o iluminismo, o racionalismo e a queda do 
sistema feudal. 
e) A queda do sistema feudal, as Revoluções Industrial e 
Francesa e a ascensão da burguesia ao poder econômico e 
político. 
QUESTÃO 18) Sobre o modelo de estratificação social 
conhecido por classes sociais podemos afirmar que: 
a) POSIÇÕES SOCIAIS HERDADAS, DETERMINISMO RELIGIOSO, 
MUITO COMUM NA ÍNDIA. 
b) SURGE NA MODERNIDADE E POSSIBILITA AOS INDIVÍDUOS 
MUDAREM DE POSIÇÃO SOCIAL. 
c) SISTEMA COMUM À MAIORIA DAS SOCIEDADES 
OCIDENTAIS DURANTE A IDADE MÉDIA. AS POSIÇÕES SOCIAIS 
ERAM RÍGIDAS E TRANSMITIDAS HEREDITARIAMENTE. 
d) FORMA DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL MUITO COMUM EM 
SOCIEDADES PRIMITIVAS. SOLIDARIEDADE MECÂNICA E 
BAIXA COESÃO SOCIAL. 
QUESTÃO 19) No contexto de rápidas mudanças, novas 
formas de sociabil idade emergem no século XXI. Nos centros 
urbanos surgem novos tipos de sociabilidade. Exemplos 
desses novos grupos são os punks, os surfistas, os skinheads, 
os góticos, entre outros. Esse fenômeno foi denominado de: 
a) Aculturação 
b) Endoculturação. 
c) Socialização. 
d) Tribalismo/Tribos Urbanas. 
e) Globalização 
QUÍMICA 
PROFESSOR CLÁUDIO 
QUESTÃO 20) O estanho, Sn, está na família 4A e no 
quinto período da tabela periódica. A sua configuração 
eletrônica permitirá concluir que seu número atômico é: 
a) 50. 
b) 32.
c) 34 
d) 82 
e) 90. 
QUESTÃO 21) Na classificação periódica, os elementos 
químicos situados nas colunas 1A e 2A são denominados, 
respectivamente: 
a) Halogênios e metais alcalinos. 
b) Metais alcalinos e metais alcalinos terrosos. 
c) Halogênios e calcogênios. 
d) Metais alcalinos e halogênios. 
e) Halogênios e gases nobres. 
QUESTÃO 22) O elemento cobalto pertence a que 
família da tabela periódica? 
a) Metais alcalinos. 
b) Metais de transição. 
c) Halogênios. 
d) Alcalinos-terrosos. 
e) Gases nobres. 
QUESTÃO 23) Marque a série que é composta de 
halogênio, metal alcalino e gás nobre, respectivamente: 
a) Cl, Ca e Na. 
b) F, Na e He. 
c) K, Cl e Al. 
d) B, C e O. 
e) Br, Mg e Kr 
QUESTÃO 24) Considerando os elementos X (Z = 17) 
e Y (Z = 12), podemos afirmar que: 
a) X é metal e Y é ametal. 
b) X e Y são metais. 
c) X é ametal e Y é metal. 
d) X e Y são ametais. 
e) X e Y são semi -metais. 
ARTES 
PROFESSORA ALICE. 
Com relação às diversas funções da 5fotografia, à técnica 
fotográfica e a História da fotografia, responda as questões 
abaixo. Marque um X na alternativa CORRETA. 
QUESTÃO 25) A primeira máquina portátil que fazia 
fotografias foi inventada por um homem chamado Louis 
Daguerre. Qual era o nome dessa máquina: 
a) Kodac 
b) Daguerreótipo 
c) máquina de fotos 
d) câmara escura 
QUESTÃO 26) A fotografia jornalística tem a função de: 
a) vender um produto no jornal 
b) flagrar as celebridades 
c) ilustrar uma matéria jornalística 
d) ganhar prêmios internacionais 
QUESTÃO 27) A fotografia publicitária tem a função de: 
a) Despertar no consumidor a vontade de comprar aquele 
produto ou ideia 
b) Usar bastante photoshop 
c) ganhar prêmios de moda 
d) fotografar os famosos 
QUESTÃO 28) As fotos de "santinho" dos candidatos 
políticos seriam consideradas qual função: 
a) Jornalística, pois noticíam coisas sobre os candidatos 
b) Documental, pois documentam que aquela pessoa se 
candidatou 
c) De moda, por que eles se importam muito com a roupa 
que estão vestindo 
d) Publicitária, pois tem a intenção de te convencer de uma 
ideia, que no caso é o voto. 
QUESTÃO 29) O que faz uma fotografia se tornar 
fotografia jornalística: 
a) O fato dela flagar uma situação 
b) o fato dela ser real 
c) o fato de ter uma matéria jornalística acompanhando essa 
foto 
d) o fato do fotógrafo ser contratado por um jornal 
HISTÓRIA 
PROFESSORA CRISTIANE 
QUESTÃO 30) CAED-UFJF) O texto, abaixo, foi escrito por 
Pero Vaz de Caminha ao rei de Portugal, em 1500. Carta de 
Pero Vaz de Caminha. 
À tarde vimos terra. Antes, uma grande montanha, muito alta 
e redonda. Vimos outras terras mais baixas, ao sul dessa 
montanha, e vimos mais terra, com muitas árvores.Esse 
trecho da carta: 
A) apresenta sugestões para o aproveitamento da terra. 
B) descreve os aspectos físicos da terra descoberta. 
C) relata a impressão sobre os costumes dos índios. 
D) sugere que a nova terra descoberta era uma ilha.
QUESTÃO 31) (CAED UFJF) Veja a imagem abaixo. 
De acordo com essa imagem, nos séculos XIV e XV, o 
imaginário europeu sobre o Oceano Atlântico era baseado 
em: 
A) descrições de navegantes que destacavam a ausência de 
ilhas. 
B) mapas precisos sobre a distância entre a Europa e a 
América. 
C) mitos que o caracterizavam como um espaço cheio de 
perigos. 
D) narrativas de viajantes fascinados por suas viagens 
marítimas. 
(CAED UFJF) Leia o poema, abaixo, sobre a conquista dos 
mares no início da era moderna, para responder à questão 
32 
Ó mar salgado, quanto do teu sal 
São lágrimas de Portugal! 
Por te cruzarmos, quantas mães choraram, 
Quantos filhos em vão rezaram! 
Quantas noivas ficaram sem casar 
Para que fosses nosso, ó mar! 
Valeu a pena? 
Tudo vale a pena 
Se a alma não é pequena. 
Quem, quer passar além do Bojador 
Tem que passar além da dor. 
Deus ao mar o perigo e o abismo deu. 
Mas nele é que espelhou o céu. 
PESSOA, Fernando. Mar português. Rio de Janeiro: José 
Aguilar, 1960. 
QUESTÃO 32) De acordo com esse poema, a expansão 
marítima está relacionada à: 
A) aliança com as cidades italianas. 
B) busca de uma rota comercial para as Índias. 
C) conquista de Portugal pelos mouros. 
D) descentralização do governo de Portugal. 
QUESTÃO 33) (CAED-UFJF) Leia o texto abaixo: 
Os primeiros habitantes do Brasil foram vítimas do processo 
colonizador. O europeu, com visão de mundo calcada em 
preconceitos, menosprezou o indígena e sua cultura. Se 
creditarmos nos depoimentos deixados pelos viajantes e 
missionários, a partir de meados do século XVI, houve um 
decréscimo da população indígena, que se agravou nos 
séculos seguintes. Disponível em: 
<http://recantodasletras.uol.com.br/redacoes/478917>. 
Acesso em: 06 fev. 2011. 
Os fatores que contribuíram para o decréscimo da 
população indígena foram: 
A) a exploração do trabalho indígena e o espírito sanguinário 
do índio. 
B) a prática do canibalismo e as missões jesuíticas do vale 
amazônico. 
C) as epidemias introduzidas pelos europeus e a escravidão 
dos índios. 
D) as guerras entre as tribos indígenas e entre os índios e os 
brancos. 
INGLÊS 
PROFESSOR RICARDO 
Leia o texto abaixo para responder a questão 34 
THE WEATHER MAN 
They say that the British love talking about the weather. For 
other nationalities this can be a banal and boring subject of 
conversation, something that people talk about when they 
have nothing else to say to each other. And yet the weather 
is a very important part of our lives. That at least is the 
opinion of Barry Gromett press officer for The Met Office. 
This is located in Exeter, a pretty cathedral city in the 
southwest of England. Here employees – and computers - 
supply weather forecasts for much of the world. 
QUESTÃO 34) Ao conversar sobre a previsão do tempo, o 
texto mostra 
a) o aborrecimento do cidadão britânico ao falar sobre 
banalidades. 
b) a falta de ter o que falar em situações de avaliação de 
línguas. 
c) a importância de se entender sobre meteorologia para 
falar inglês. 
d) as diferenças e as particularidades culturais no uso de uma 
língua. 
e) o conflito entre diferentes ideais e opiniões ao se 
comunicar em inglês 
Leia o texto abaixo para responder à questão 35.
Viva la Vida 
''I used to rule the world 
Seas would rise when I gave the word 
Now in the morning and I sleep alone 
Sweep the streets I used to own 
I used to ROLL THE DICE 
Feel the fear in my enemy’s eyes 
Listen as the crowd would sing 
“Now the old king is dead! Long live the king!” 
One minute I held the key 
Next the walls were closed on me 
And I discovered that my castles stand 
Upon pillars of salt and pillars of sand.'' 
[…] 
MARTIN, C. Viva la vida, Coldplay. In: Viva la vida or Death 
and all his friends. Parlophone, 2008. 
QUESTÃO 35) Letras de músicas abordam temas que, de 
certa forma, podem ser reforçados pela repetição de trechos 
ou palavras. O fragmento da canção Viva la vida, por 
exemplo, permite conhecer o relato de alguém que: 
a) costumava ter o mundo aos seus pés e, de repente, se viu 
sem nada. 
b) almeja o título de rei e, por ele, tem enfrentado inúmeros 
inimigos. 
c) causa pouco temor a seus inimigos, embora tenha muito 
poder. 
d) limpava as ruas e, com seu esforço, tornou-se rei de seu 
povo. 
e) tinha a chave para todos os castelos nos quais desejava 
morar 
GEOGRAFIA 
PROFESSORA: ELIANA 
1-Observe o mapa, e responda à questão 36 
QUESTÃO 36) O Brasil é o maior país em extensão 
territorial da América do Sul, possuindo fronteiras com várias 
nações desse subcontinente. Marque a alternativa que 
corresponde aos dois países sul-americanos que não se 
limitam com o território brasileiro. 
a) Peru e Equador 
b) Suriname e Colômbia 
c) Chile e Equador 
d) Argentina e Uruguai 
QUESTÃO 37) (FESP) Examine atentamente as sentenças a 
seguir e assinale o grupo das que lhe parecerem corretas. 
a - Paralelamente ao Equador ficam dispostos círculos que 
diminuem de tamanho à proporção que estão mais próximos 
dos pólos. 
b - A latitude de um lugar é medida em km e representa a 
distância entre dois pontos na superfície do planeta. 
c - As coordenadas geográficas compreendem a latitude, a 
longitude, a distância em metros em relação ao nível do mar 
e as isoietas. 
d - A longitude é o afastamento, medido em graus, de um 
meridiano em relação a outro, chamado meridiano de 
Greenwich. 
e - Quando se projeta a rede de paralelos e meridianos sobre 
o papel, tem-se uma projeção cartográfica. 
Assinale: 
a) se todas são corretas: 
b) se apenas a, b e c são corretas; 
c) se apenas a, d e e são corretas; 
d) se apenas b, c e e são corretas; 
e) se apenas b, d e e são corretas. 
(PUC-RS) Responder à questão 37 com base no mapa e nas 
afirmativas abaixo do mesmo. 
I. É uma projeção cilíndrica, caracterizando uma visão de 
mundo eurocêntrica, privilegiando a forma dos continentes.
II. Publicada pela primeira vez em 1973, pelo historiador 
alemão Arno Peters, indica uma projeção cilíndrica 
equivalente. 
III. Pretende demonstrar uma visão geopolítica dos países 
subdesenvolvidos, pois enfatiza o ponto de vista do Sul, 
apesar de comprometer a forma dos continentes. 
IV. É um mapa equivocado, pois o Norte está “embaixo” e o 
Sul “em cima”. 
V. Foi idealizada no século XVI, pelo belga Mercator, e se 
caracteriza por ser uma projeção conforme, sendo muito 
utilizada nas Grandes Navegações. 
QUESTÃO 38) A análise das afirmativas, relacionadas ao 
mapa, permite concluir que está correta a alternativa 
a) I, II e III 
b) I, III e V 
c) I e V 
d) II, III e IV 
e) II e III 
QUESTÃO 39) (PUC-RS) Que hora solar verdadeira e hora 
legal são correspondentes respectivamente em uma cidade 
localizada a 48O de longitude Oeste e 30O de latitude Sul, 
sabendo que, no centro do fuso horário onde s e localiza a 
cidade, os relógios marcam 12h? 
a) 12h e 12min – 11h 
b) 10h e 48min – 11h 
c) 12h – 12h e12min 
d) 11h e 48min – 12h 
e) 12h – 12h 
MATEMÁTICA 
PROFESSORA GICELE. 
QUESTÃO 40) Em uma chácara há 120 animais entre 
porcos e galinhas.Sabendo que o dobro do número de porcos 
é igual a metade do número de galinhas, calcule a quantidade 
de porcos e galinhas . 
(a) 40 porcos e 80 galinhas 
(b) 80 porcos e 40 galinhas 
(c) 100 porcos e 20 galinhas 
(d) 20 galinhas e 100 porcos. 
QUESTÃO 41) De acordo com a resposta de Pedrinho a 
equação x²-8x+12=0 apresenta as seguintes raízes : 
(a) 2,5 
(b) 2,6 
(c) 2,7 
(d) 2,0 
QUESTÃO 42) Qual dos números não pertence à seguinte 
série numérica 
1-2-5-10-13-26-29-48 
(a) 13- 
(b) 26 
(c) 29 
(d) 48 
QUESTÃO 43) Devo construir uma piscina de 8 m e 
comprimento e 5m de largura e 1,5 de profundidade. Qual 
deve ser o volume de terra retirado do terreno 
(a) 12metros cúbicos 
(b) 14 metros cúbicos 
(c) 40 metros cúbicos 
(d) 60 metros cúbicos 
QUESTÃO 44) Durante a aula dois celulares tocaram ao 
mesmo tempo. A professora indaga os alunos perguntando 
de quem são os celulares que tocaram. Guto disse: “o meu 
não tocou”. Carlos disse : “ o meu tocou ” e Bernardo disse: “ 
o de Guto não tocou”. Sabe-se que um dos meninos disse a 
verdade e os outros dois mentiram. Qual das seguintes 
afirmativas é verdadeira 
(a) O celular de Carlos tocou e o de Guto não tocou 
(b) Bernardo mentiu 
(c) Os celulares de Guto e Carlos não tocaram 
(d) Carlos mentiu 
(e) Guto falou a verdade. 
QUESTÃO 45) dada a função quadrática y=x²-2x-8 
assinale os zeros ou raízes : 
(a) 4,3 
(b) 4,2 
(c) 4,1 
(d) 4,0 
QUESTÃO 46) Qual a diferença entre o dobro de 25 e a terça 
parte de 90 
(a)10 
(b) 20 
(c) 25 
(d) 30 
QUESTÃO 47) Se uma geladeira custa R$ 1200,00 á vista e 
sua opção de pagamento foi parcelar em 10 vezes com juros 
simples de 0,3% ao mês qual será o valor da prestação a ser 
paga . 
(a) R$122,60 
(b) R$ 123,60 
(c) R$ 360,00 
(d) R$ 120,00

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográficoAtividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
anne carolyne
 
Português – tipos de predicado 02 – 2014 – ifba
Português – tipos de predicado 02 – 2014 – ifbaPortuguês – tipos de predicado 02 – 2014 – ifba
Português – tipos de predicado 02 – 2014 – ifba
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Val Valença
 
Exercícios classe de palavras gabarito
Exercícios classe de palavras   gabaritoExercícios classe de palavras   gabarito
Exercícios classe de palavras gabarito
ProfFernandaBraga
 
Exercício sobre a democracia no Brasil 3º ano
Exercício sobre a democracia no Brasil   3º anoExercício sobre a democracia no Brasil   3º ano
Exercício sobre a democracia no Brasil 3º ano
Antônio Marques Sobrinho
 
Avaliação do conceito de cidadania consumo e educação - 3º Sociologia - Prof...
Avaliação do conceito de cidadania  consumo e educação - 3º Sociologia - Prof...Avaliação do conceito de cidadania  consumo e educação - 3º Sociologia - Prof...
Avaliação do conceito de cidadania consumo e educação - 3º Sociologia - Prof...
Prof. Noe Assunção
 
Avaliação de filosofia 2 b
Avaliação de filosofia 2 bAvaliação de filosofia 2 b
Avaliação de filosofia 2 b
Marcia Oliveira
 
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docxAVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
Prof. Noe Assunção
 
Saego lp
Saego lpSaego lp
Saego lp
Linna Braga
 
Aula 8 preposição e conjunção
Aula 8   preposição e conjunçãoAula 8   preposição e conjunção
Aula 8 preposição e conjunção
J M
 
Guia de aprendizagem 3ª série do ensino médio janice lp 3º bi
Guia de aprendizagem 3ª série do ensino médio janice lp 3º biGuia de aprendizagem 3ª série do ensino médio janice lp 3º bi
Guia de aprendizagem 3ª série do ensino médio janice lp 3º bi
CEPI-INDEPENDENCIA
 
Exercícios revisão intertextualidade
Exercícios revisão intertextualidade Exercícios revisão intertextualidade
Exercícios revisão intertextualidade
Olivier Fausti Olivier
 
Exercicios português
Exercicios portuguêsExercicios português
Exercicios português
Fabiana Araujo
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
Marcelo Cordeiro Souza
 
1 exercicio de estrutura das palavras
1 exercicio de estrutura das palavras1 exercicio de estrutura das palavras
1 exercicio de estrutura das palavras
Rita Leite Santos
 
Avaliação de filosofia 1º ano
Avaliação de filosofia   1º anoAvaliação de filosofia   1º ano
Avaliação de filosofia 1º ano
Dayana Marques Carvalho
 
Atividade sobre musica e filosofia - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade sobre musica e filosofia - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade sobre musica e filosofia - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade sobre musica e filosofia - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Plano de aula o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
Plano de aula   o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidianoPlano de aula   o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
Plano de aula o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
PIBID - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
 
Cruzadinha substantivos.docx
Cruzadinha substantivos.docxCruzadinha substantivos.docx
Cruzadinha substantivos.docx
FelipeFreitas599696
 
Atividade de transitividade verbal
Atividade de transitividade verbalAtividade de transitividade verbal
Atividade de transitividade verbal
Mônica Vieira de Brito
 

Mais procurados (20)

Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográficoAtividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
 
Português – tipos de predicado 02 – 2014 – ifba
Português – tipos de predicado 02 – 2014 – ifbaPortuguês – tipos de predicado 02 – 2014 – ifba
Português – tipos de predicado 02 – 2014 – ifba
 
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
 
Exercícios classe de palavras gabarito
Exercícios classe de palavras   gabaritoExercícios classe de palavras   gabarito
Exercícios classe de palavras gabarito
 
Exercício sobre a democracia no Brasil 3º ano
Exercício sobre a democracia no Brasil   3º anoExercício sobre a democracia no Brasil   3º ano
Exercício sobre a democracia no Brasil 3º ano
 
Avaliação do conceito de cidadania consumo e educação - 3º Sociologia - Prof...
Avaliação do conceito de cidadania  consumo e educação - 3º Sociologia - Prof...Avaliação do conceito de cidadania  consumo e educação - 3º Sociologia - Prof...
Avaliação do conceito de cidadania consumo e educação - 3º Sociologia - Prof...
 
Avaliação de filosofia 2 b
Avaliação de filosofia 2 bAvaliação de filosofia 2 b
Avaliação de filosofia 2 b
 
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docxAVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
 
Saego lp
Saego lpSaego lp
Saego lp
 
Aula 8 preposição e conjunção
Aula 8   preposição e conjunçãoAula 8   preposição e conjunção
Aula 8 preposição e conjunção
 
Guia de aprendizagem 3ª série do ensino médio janice lp 3º bi
Guia de aprendizagem 3ª série do ensino médio janice lp 3º biGuia de aprendizagem 3ª série do ensino médio janice lp 3º bi
Guia de aprendizagem 3ª série do ensino médio janice lp 3º bi
 
Exercícios revisão intertextualidade
Exercícios revisão intertextualidade Exercícios revisão intertextualidade
Exercícios revisão intertextualidade
 
Exercicios português
Exercicios portuguêsExercicios português
Exercicios português
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
1 exercicio de estrutura das palavras
1 exercicio de estrutura das palavras1 exercicio de estrutura das palavras
1 exercicio de estrutura das palavras
 
Avaliação de filosofia 1º ano
Avaliação de filosofia   1º anoAvaliação de filosofia   1º ano
Avaliação de filosofia 1º ano
 
Atividade sobre musica e filosofia - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade sobre musica e filosofia - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade sobre musica e filosofia - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade sobre musica e filosofia - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Plano de aula o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
Plano de aula   o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidianoPlano de aula   o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
Plano de aula o escravo negro no brasil colonia - tráfico e cotidiano
 
Cruzadinha substantivos.docx
Cruzadinha substantivos.docxCruzadinha substantivos.docx
Cruzadinha substantivos.docx
 
Atividade de transitividade verbal
Atividade de transitividade verbalAtividade de transitividade verbal
Atividade de transitividade verbal
 

Semelhante a SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 1º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.

Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Valéria Alves de Arantes
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Valéria Alves de Arantes
 
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinhaAtividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
sandraalvesnunes
 
Literatura 1º-ano
Literatura 1º-anoLiteratura 1º-ano
Literatura 1º-ano
moisaniel furtado
 
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
Antônio Fernandes
 
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdfVariação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
JaineCarolaineLima
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
Estude Mais
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
Cláudia Heloísa
 
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
Antônio Fernandes
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
Natália Moura
 
PEB II - PORTUGUÊS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
PEB II - PORTUGUÊS  -  SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSPEB II - PORTUGUÊS  -  SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
PEB II - PORTUGUÊS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
Valdeci Correia
 
Variacao linguistica
Variacao linguisticaVariacao linguistica
Variacao linguistica
Deníx Nascimento
 
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpeSimulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Marly Lima
 
2º para 3º ano português - com gabarito
2º para 3º ano   português - com gabarito2º para 3º ano   português - com gabarito
2º para 3º ano português - com gabarito
JaneteFederico3
 
Caderno 7 ano
Caderno 7 anoCaderno 7 ano
Caderno 7 ano
Nivea Neves
 
Exrciciios
ExrciciiosExrciciios
Exrciciios
Breno Lacerda
 
Prova: funçoes da linguagem
Prova: funçoes da linguagemProva: funçoes da linguagem
Prova: funçoes da linguagem
Marilza Fuentes
 
Prova: funções da linguagem
Prova: funções da linguagemProva: funções da linguagem
Prova: funções da linguagem
Marilza Fuentes
 
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docxAvaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
EdilmaBrando1
 
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
Antônio Fernandes
 

Semelhante a SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 1º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO. (20)

Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
 
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enemConteúdo de linguagem cobrado no enem
Conteúdo de linguagem cobrado no enem
 
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinhaAtividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
Atividades pc mod. iii de 1 a 4 glorinha
 
Literatura 1º-ano
Literatura 1º-anoLiteratura 1º-ano
Literatura 1º-ano
 
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 3º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
 
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdfVariação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
Variação linguística - Atividade 09999999999999.pdf
 
Funcoes da linguagem enem
Funcoes da linguagem   enemFuncoes da linguagem   enem
Funcoes da linguagem enem
 
Variedades linguísticas- exercício
Variedades linguísticas-  exercícioVariedades linguísticas-  exercício
Variedades linguísticas- exercício
 
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
 
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdfFICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
FICHA - TIPOLOGIAS TEXTUAIS - Gabarito.pdf
 
PEB II - PORTUGUÊS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
PEB II - PORTUGUÊS  -  SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSPEB II - PORTUGUÊS  -  SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
PEB II - PORTUGUÊS - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
 
Variacao linguistica
Variacao linguisticaVariacao linguistica
Variacao linguistica
 
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpeSimulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
Simulado assistente-em-administr aca-o-ufpe
 
2º para 3º ano português - com gabarito
2º para 3º ano   português - com gabarito2º para 3º ano   português - com gabarito
2º para 3º ano português - com gabarito
 
Caderno 7 ano
Caderno 7 anoCaderno 7 ano
Caderno 7 ano
 
Exrciciios
ExrciciiosExrciciios
Exrciciios
 
Prova: funçoes da linguagem
Prova: funçoes da linguagemProva: funçoes da linguagem
Prova: funçoes da linguagem
 
Prova: funções da linguagem
Prova: funções da linguagemProva: funções da linguagem
Prova: funções da linguagem
 
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docxAvaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
 
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
 

Mais de Antônio Fernandes

A CADA 100 JOVENS NO BRASIL. UM TRISTE RELATO
A CADA 100 JOVENS NO BRASIL. UM TRISTE RELATOA CADA 100 JOVENS NO BRASIL. UM TRISTE RELATO
A CADA 100 JOVENS NO BRASIL. UM TRISTE RELATO
Antônio Fernandes
 
JORNAL DIREÇÃO CERTA. SEU INFORMATIVO SOBRE TUDO O QUE ACONTECE NA ESCOLA COR...
JORNAL DIREÇÃO CERTA. SEU INFORMATIVO SOBRE TUDO O QUE ACONTECE NA ESCOLA COR...JORNAL DIREÇÃO CERTA. SEU INFORMATIVO SOBRE TUDO O QUE ACONTECE NA ESCOLA COR...
JORNAL DIREÇÃO CERTA. SEU INFORMATIVO SOBRE TUDO O QUE ACONTECE NA ESCOLA COR...
Antônio Fernandes
 
EXEMPLO MAPA TEXTUAL. REDAÇÃO ENEM. TEMA POLÊMICO. IDEOLOGIA DE GÊNERO
EXEMPLO MAPA TEXTUAL. REDAÇÃO ENEM. TEMA POLÊMICO. IDEOLOGIA DE GÊNEROEXEMPLO MAPA TEXTUAL. REDAÇÃO ENEM. TEMA POLÊMICO. IDEOLOGIA DE GÊNERO
EXEMPLO MAPA TEXTUAL. REDAÇÃO ENEM. TEMA POLÊMICO. IDEOLOGIA DE GÊNERO
Antônio Fernandes
 
AULÃO DE REDAÇÃO PREPARATÓRIO PARA ENEM 2017. PROFESSOR: ANTÔNIO FERNANDES NETO
AULÃO DE REDAÇÃO PREPARATÓRIO PARA ENEM 2017. PROFESSOR: ANTÔNIO FERNANDES NETOAULÃO DE REDAÇÃO PREPARATÓRIO PARA ENEM 2017. PROFESSOR: ANTÔNIO FERNANDES NETO
AULÃO DE REDAÇÃO PREPARATÓRIO PARA ENEM 2017. PROFESSOR: ANTÔNIO FERNANDES NETO
Antônio Fernandes
 
Resolução SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MG 3118 16-r
Resolução SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MG 3118 16-rResolução SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MG 3118 16-r
Resolução SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MG 3118 16-r
Antônio Fernandes
 
PGE EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 2017
PGE EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 2017PGE EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 2017
PGE EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 2017
Antônio Fernandes
 
PASSO A PASSO PARA TRABALHO COM DIÁRIO ESCOLAR DIGITAL
PASSO A PASSO PARA TRABALHO COM DIÁRIO ESCOLAR  DIGITALPASSO A PASSO PARA TRABALHO COM DIÁRIO ESCOLAR  DIGITAL
PASSO A PASSO PARA TRABALHO COM DIÁRIO ESCOLAR DIGITAL
Antônio Fernandes
 
PPP. EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA encerrado definitivamente 2016
PPP. EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA encerrado definitivamente 2016PPP. EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA encerrado definitivamente 2016
PPP. EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA encerrado definitivamente 2016
Antônio Fernandes
 
Documentos que devem ser apresentados no ato da designação
Documentos que devem ser apresentados no ato da designaçãoDocumentos que devem ser apresentados no ato da designação
Documentos que devem ser apresentados no ato da designação
Antônio Fernandes
 
cadê os batedores de panelas? VERGONHA DE SER BRASILEIRO.
cadê os batedores de panelas? VERGONHA DE SER BRASILEIRO.cadê os batedores de panelas? VERGONHA DE SER BRASILEIRO.
cadê os batedores de panelas? VERGONHA DE SER BRASILEIRO.
Antônio Fernandes
 
CATÁLOGO DE AUTORIAS DA DIVERSIDADE. OBRAS ADQUIRIDAS PELA DIREÇÃO ESCOLA COR...
CATÁLOGO DE AUTORIAS DA DIVERSIDADE. OBRAS ADQUIRIDAS PELA DIREÇÃO ESCOLA COR...CATÁLOGO DE AUTORIAS DA DIVERSIDADE. OBRAS ADQUIRIDAS PELA DIREÇÃO ESCOLA COR...
CATÁLOGO DE AUTORIAS DA DIVERSIDADE. OBRAS ADQUIRIDAS PELA DIREÇÃO ESCOLA COR...
Antônio Fernandes
 
Resolução SEE-MG 3118 2016-estabelece critérios e define procedimentos para ...
Resolução SEE-MG  3118 2016-estabelece critérios e define procedimentos para ...Resolução SEE-MG  3118 2016-estabelece critérios e define procedimentos para ...
Resolução SEE-MG 3118 2016-estabelece critérios e define procedimentos para ...
Antônio Fernandes
 
PLANTÃO DO ENEM. MANUAL DE REDAÇÃO 2016
PLANTÃO DO ENEM. MANUAL DE REDAÇÃO 2016PLANTÃO DO ENEM. MANUAL DE REDAÇÃO 2016
PLANTÃO DO ENEM. MANUAL DE REDAÇÃO 2016
Antônio Fernandes
 
Escola aberta 2016 escola cornélia portfólio finalizado (1)
Escola aberta 2016 escola cornélia portfólio finalizado (1)Escola aberta 2016 escola cornélia portfólio finalizado (1)
Escola aberta 2016 escola cornélia portfólio finalizado (1)
Antônio Fernandes
 
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
Antônio Fernandes
 
ESTÁGIO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PARA ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS PÚBLIC...
ESTÁGIO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PARA ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS PÚBLIC...ESTÁGIO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PARA ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS PÚBLIC...
ESTÁGIO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PARA ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS PÚBLIC...
Antônio Fernandes
 
Como pedir isenção de taxa de inscrição em concursos públicos
Como pedir isenção de taxa de inscrição em concursos públicosComo pedir isenção de taxa de inscrição em concursos públicos
Como pedir isenção de taxa de inscrição em concursos públicos
Antônio Fernandes
 
LISTAGEM CONCURSO EDUCAÇÃO MG 2014
LISTAGEM CONCURSO EDUCAÇÃO MG 2014LISTAGEM CONCURSO EDUCAÇÃO MG 2014
LISTAGEM CONCURSO EDUCAÇÃO MG 2014
Antônio Fernandes
 
LISTAGEM FINAL CONCURSO EDUCAÇÃO MINAS GERAIS 2011
LISTAGEM FINAL CONCURSO EDUCAÇÃO MINAS GERAIS  2011LISTAGEM FINAL CONCURSO EDUCAÇÃO MINAS GERAIS  2011
LISTAGEM FINAL CONCURSO EDUCAÇÃO MINAS GERAIS 2011
Antônio Fernandes
 
RESOLUÇÃO SEE Nº 2836, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015
RESOLUÇÃO SEE Nº 2836, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015RESOLUÇÃO SEE Nº 2836, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015
RESOLUÇÃO SEE Nº 2836, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015
Antônio Fernandes
 

Mais de Antônio Fernandes (20)

A CADA 100 JOVENS NO BRASIL. UM TRISTE RELATO
A CADA 100 JOVENS NO BRASIL. UM TRISTE RELATOA CADA 100 JOVENS NO BRASIL. UM TRISTE RELATO
A CADA 100 JOVENS NO BRASIL. UM TRISTE RELATO
 
JORNAL DIREÇÃO CERTA. SEU INFORMATIVO SOBRE TUDO O QUE ACONTECE NA ESCOLA COR...
JORNAL DIREÇÃO CERTA. SEU INFORMATIVO SOBRE TUDO O QUE ACONTECE NA ESCOLA COR...JORNAL DIREÇÃO CERTA. SEU INFORMATIVO SOBRE TUDO O QUE ACONTECE NA ESCOLA COR...
JORNAL DIREÇÃO CERTA. SEU INFORMATIVO SOBRE TUDO O QUE ACONTECE NA ESCOLA COR...
 
EXEMPLO MAPA TEXTUAL. REDAÇÃO ENEM. TEMA POLÊMICO. IDEOLOGIA DE GÊNERO
EXEMPLO MAPA TEXTUAL. REDAÇÃO ENEM. TEMA POLÊMICO. IDEOLOGIA DE GÊNEROEXEMPLO MAPA TEXTUAL. REDAÇÃO ENEM. TEMA POLÊMICO. IDEOLOGIA DE GÊNERO
EXEMPLO MAPA TEXTUAL. REDAÇÃO ENEM. TEMA POLÊMICO. IDEOLOGIA DE GÊNERO
 
AULÃO DE REDAÇÃO PREPARATÓRIO PARA ENEM 2017. PROFESSOR: ANTÔNIO FERNANDES NETO
AULÃO DE REDAÇÃO PREPARATÓRIO PARA ENEM 2017. PROFESSOR: ANTÔNIO FERNANDES NETOAULÃO DE REDAÇÃO PREPARATÓRIO PARA ENEM 2017. PROFESSOR: ANTÔNIO FERNANDES NETO
AULÃO DE REDAÇÃO PREPARATÓRIO PARA ENEM 2017. PROFESSOR: ANTÔNIO FERNANDES NETO
 
Resolução SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MG 3118 16-r
Resolução SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MG 3118 16-rResolução SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MG 3118 16-r
Resolução SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MG 3118 16-r
 
PGE EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 2017
PGE EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 2017PGE EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 2017
PGE EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA 2017
 
PASSO A PASSO PARA TRABALHO COM DIÁRIO ESCOLAR DIGITAL
PASSO A PASSO PARA TRABALHO COM DIÁRIO ESCOLAR  DIGITALPASSO A PASSO PARA TRABALHO COM DIÁRIO ESCOLAR  DIGITAL
PASSO A PASSO PARA TRABALHO COM DIÁRIO ESCOLAR DIGITAL
 
PPP. EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA encerrado definitivamente 2016
PPP. EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA encerrado definitivamente 2016PPP. EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA encerrado definitivamente 2016
PPP. EE CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA encerrado definitivamente 2016
 
Documentos que devem ser apresentados no ato da designação
Documentos que devem ser apresentados no ato da designaçãoDocumentos que devem ser apresentados no ato da designação
Documentos que devem ser apresentados no ato da designação
 
cadê os batedores de panelas? VERGONHA DE SER BRASILEIRO.
cadê os batedores de panelas? VERGONHA DE SER BRASILEIRO.cadê os batedores de panelas? VERGONHA DE SER BRASILEIRO.
cadê os batedores de panelas? VERGONHA DE SER BRASILEIRO.
 
CATÁLOGO DE AUTORIAS DA DIVERSIDADE. OBRAS ADQUIRIDAS PELA DIREÇÃO ESCOLA COR...
CATÁLOGO DE AUTORIAS DA DIVERSIDADE. OBRAS ADQUIRIDAS PELA DIREÇÃO ESCOLA COR...CATÁLOGO DE AUTORIAS DA DIVERSIDADE. OBRAS ADQUIRIDAS PELA DIREÇÃO ESCOLA COR...
CATÁLOGO DE AUTORIAS DA DIVERSIDADE. OBRAS ADQUIRIDAS PELA DIREÇÃO ESCOLA COR...
 
Resolução SEE-MG 3118 2016-estabelece critérios e define procedimentos para ...
Resolução SEE-MG  3118 2016-estabelece critérios e define procedimentos para ...Resolução SEE-MG  3118 2016-estabelece critérios e define procedimentos para ...
Resolução SEE-MG 3118 2016-estabelece critérios e define procedimentos para ...
 
PLANTÃO DO ENEM. MANUAL DE REDAÇÃO 2016
PLANTÃO DO ENEM. MANUAL DE REDAÇÃO 2016PLANTÃO DO ENEM. MANUAL DE REDAÇÃO 2016
PLANTÃO DO ENEM. MANUAL DE REDAÇÃO 2016
 
Escola aberta 2016 escola cornélia portfólio finalizado (1)
Escola aberta 2016 escola cornélia portfólio finalizado (1)Escola aberta 2016 escola cornélia portfólio finalizado (1)
Escola aberta 2016 escola cornélia portfólio finalizado (1)
 
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
PPP PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO ESCOLA CORNÉLIA 2016-2018
 
ESTÁGIO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PARA ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS PÚBLIC...
ESTÁGIO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PARA ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS PÚBLIC...ESTÁGIO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PARA ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS PÚBLIC...
ESTÁGIO NA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PARA ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS PÚBLIC...
 
Como pedir isenção de taxa de inscrição em concursos públicos
Como pedir isenção de taxa de inscrição em concursos públicosComo pedir isenção de taxa de inscrição em concursos públicos
Como pedir isenção de taxa de inscrição em concursos públicos
 
LISTAGEM CONCURSO EDUCAÇÃO MG 2014
LISTAGEM CONCURSO EDUCAÇÃO MG 2014LISTAGEM CONCURSO EDUCAÇÃO MG 2014
LISTAGEM CONCURSO EDUCAÇÃO MG 2014
 
LISTAGEM FINAL CONCURSO EDUCAÇÃO MINAS GERAIS 2011
LISTAGEM FINAL CONCURSO EDUCAÇÃO MINAS GERAIS  2011LISTAGEM FINAL CONCURSO EDUCAÇÃO MINAS GERAIS  2011
LISTAGEM FINAL CONCURSO EDUCAÇÃO MINAS GERAIS 2011
 
RESOLUÇÃO SEE Nº 2836, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015
RESOLUÇÃO SEE Nº 2836, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015RESOLUÇÃO SEE Nº 2836, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015
RESOLUÇÃO SEE Nº 2836, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2015
 

Último

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 

SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 1º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.

  • 1. ESCOLA CORNÉLIA FERREIRA LADEIRA SIMULADO UNIFICADO NOME:_____________________________nº____SÉRIE 1º EM TURMA:____NOTA:______ Orientações para fazer o Simulado. 1. Preencha o cabeçalho com seu nome, série, turma e número da chamada. 2. Leia a questões mais de uma vez, não será permitida rasura. 3. Marque apenas um alternativa, caso marque duas ou mais a questão será anulada. 4. Só marque mais de uma alternativa quando a questão assim pedir que faça. 5. Faça o simulado com calma, pois ele é avaliação deste bimestre. 6. Marque o gabarito sem cometer rasuras. LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSORA LÍBIA O texto abaixo servirá de referência para responder as questões de 1 a 3: A nuvem - Fico admirado como é que você, morando nesta cidade, consegue escrever uma semana inteira sem reclamar, sem protestar, sem espinafrar! E meu amigo falou da água, telefone, Light em geral, carne, batata, transporte, custo de vida, buracos na rua, etc. etc. etc. Meu amigo está, como dizem as pessoas exageradas, grávido de razões. Mas que posso fazer? Até que tenho reclamado muito isto e aquilo. Mas se eu for ficar rezingando todo dia, estou roubado: quem é que vai aguentar me ler? Acho que o leitor gosta de ver suas queixas no jornal, mas em termos. Além disso, a verdade não está apenas nos buracos das ruas e outras mazelas. Não é verdade que as amendoeiras neste inverno deram um show luxuoso de folhas vermelhas voando no ar? E ficaria demasiado feio eu confessar que há uma jovem gostando de mim? Ah, bem sei que esses encantamentos de moça por um senhor maduro duram pouco. São caprichos de certa fase. Mas que importa? Esse carinho me faz bem; eu o recebo terna e gravemente; sem melancolia, porque sem ilusão. Ele se irá como veio, leve nuvem solta na brisa, que se tinge um instante de púrpura sobre as cinzas de meu crepúsculo. E olhem só que tipo de frase estou escrevendo! Tome tenência, velho Braga. Deixe a nuvem, olhe para o chão - e seus tradicionais buracos. (Rubem Braga, Ai de ti, Copacabana) QUESTÃO 1) É correto afirmar que, a partir da crítica que o amigo lhe dirige, o narrador cronista: a) sente-se obrigado a escrever sobre assuntos exigidos pelo público; b) reflete sobre a oposição entre literatura e realidade; c) reflete sobre diversos aspectos da realidade e sua representação na literatura; d) defende a posição de que a literatura não deve ocupar -se com problemas sociais; e) sente que deve mudar seus temas, pois sua escrita não está acompanhando os novos tempos. QUESTÃO 2) Em "E olhem só que tipo de frase estou escrevendo! Tome tenência, velho Braga", o narrador: a) chama a atenção dos leitores para a beleza do estilo que empregou; b) revela ter consciência de que cometeu excessos com a linguagem metafórica; c) exalta o estilo por ele conquistado e convida-se a reverenciá-lo; d) percebe que, por estar velho, seu estilo também envelheceu; e) dá-se conta de que sua linguagem não será entendida pelo leitor comum. QUESTÃO 3) Com relação ao gênero do texto, é correto afirmar que a crônica: a) parte do assunto cotidiano e acaba por criar reflexões mais amplas; b) tem como função informar o leitor sobre os problemas cotidianos; c) apresenta uma linguagem distante da coloquial, afastando o público leitor; d) tem um modelo fixo, com um diálogo inicial seguido de argumentação objetiva; e) consiste na apresentação de situações pouco realistas, em linguagem metafórica. QUESTÃO 4) Após a leitura do texto, assinale a alternativa que apresenta certo preconceito linguístico quanto aos registros e variações da língua. Diante de uma tabuleta escrita colégio é provável que um pernambucano, lendo-a em voz alta, diga còlégio, que um carioca diga culégio, que um paulistano diga côlégio. E agora? Quem está certo? Ora, todos estão igualmente certos. O que acontece é que em todas as línguas existe um fenômeno chamado variação, isto
  • 2. é, nenhuma língua é falada do mesmo jeito em todos os lugares, assim como nem todas as pessoas falam a própria língua de modo idêntico. (Marcos Bagno, Preconceito Linguístico, p.52) a) “Essas crenças sobre a superioridade de uma variante ou falar sobre os demais é um dos mitos que se arraigam na cultura brasileira. Toda variedade regional ou falar é, antes de tudo, um instrumento identitário, isto é, um recurso que confere identidade a um grupo social.” (Stella Maris Bortoni - Ricardo, Educação em Língua Materna, p. 33) b) “Podemos flagrar variação em todos os níveis de língua. Por exemplo, no nível lexical, poderíamos citar conhecidas oposições de forma: ‘jerimum’ (Bahia) e ‘abóbora’ (Rio de Janeiro). No nível gramatical, vimos a variação ‘elas brincam/brinca’.” (Mário Eduardo Martelotta, Manual de Linguística, p.145) c) “As variedades linguísticas são as variações que uma língua apresenta, de acordo com as condições sociais, culturais, regionais e históricas em que é utilizada.” (Revista Conhecimento Prático de Língua Portuguesa, edição 16, p. 57) d) “Fiat lux. E a luz se fez. Clareou este mundão cheinho de jecas-tatus. (...) Falamos o caipirês. Sem nenhum compromisso com a gramática portuguesa. Vale tudo: eu era, tu era, nós era, eles era.” (Dad Squarisi, Correio Braziliense, 22/6/1996) e) “Existe muito preconceito decorrente do valor atribuído às variedades padrão e ao estigma associado às variedades não padrão, consideradas inferiores ou erradas pela gramática.” (Parâmetros Curriculares Nacionais, Língua Portuguesa, p.31) QUESTÃO 5) (UNIV. FED. DE SANTA MARIA) Sobre a literatura produzida no primeiro século da vida colonial brasileira, é correto afirmar que: a) É formada principalmente de poemas narrativos e textos dramáticos que visavam à catequese. b) Inicia com Prosopopéia, de Bento Teixeira. c) É constituída por documentos que informam acerca da terra brasileira e pela literatura jesuítica. d) Os textos que a constituem apresentam evidente preocupação artística e pedagógica. e) Descreve com fidelidade e sem idealizações a terra e o homem, ao relatar as condições encontradas no Novo Mundo. (Ufscar-SP) Leia o fragmento do Sermão de Padre Antônio Vieira e responda à questão 6 O pregar há de ser como quem semeia, e não como quem ladrilha ou azuleja. Ordenado, mas como as estrelas. [...] Todas as estrelas estão por sua ordem; mas é ordem que faz influência, não é ordem que faça lavor. Não fez Deus o céu em xadrez de estrelas, como os pregadores fazem o sermão em xadrez de palavras. Se de uma parte há-de estar branco, da outra há-de estar negro; se de uma parte está dia, da outra há-de estar noite; se de uma parte dizem luz, da outra hão-de dizer sombra; se de uma parte dizem desceu, da outra hão-de dizer subiu. Basta que não havemos de ver num sermão duas palavras em paz? Todas hão-de estar sempre em fronteira com o seu contrário? Aprendamos do céu o estilo da disposição, e também o das palavras. (VIEIRA, A. Sermão da Sexagésima.) QUESTÃO 6) No texto, Vieira critica um certo estilo de fazer sermão, que era comum na arte de pregar dos padres dominicanos da época. O uso da palavra xadrez tem o objetivo de a) defender a ordenação das ideias em um sermão. b) fazer alusão metafórica a um certo tipo de tecido. c) comparar o sermão de certos pregadores a uma verdadeira prisão. d) mostrar que o xadrez se assemelha ao semear. e) criticar a preocupação com a simetria do sermão. QUESTÃO 7) Leia o quarteto abaixo e responda: “Ofendi -vos, meu Deus, é bem verdade, É verdade, Senhor, que hei delinquido, Delinquido vos tenho, e ofendido Ofendido vos tem minha maldade.” (MATOS, Gregório de. In: Poemas escolhidos.) A abundância dos elementos que compõem os versos de Gregório de Matos, trata-se de uma linguagem: a) neologista (nova) b) racionalista (racional) c) rebuscada (exagerada). d) sarcástica (irônica). e) ingênua (simples) BIOLOGIA PROFESSOR IVAN QUESTÃO 8) (PUC - RJ-2008) A produção de álcool combustível a partir do açúcar da cana está diretamente relacionada a qual dos processos metabólicos de microrganismos abaixo relacionados? a) Respiração. b) Fermentação. c) Digestão. d) Fixação de N2 e) Quimiossíntese.
  • 3. QUESTÃO 9) (FaZU-2001) Nutrição heterótrofa é aquela feita por organismos incapazes de sintetizar compostos orgânicos a partir de inorgânicos. Assinale abaixo a resposta em que todos os componentes são heterótrofos. a) vegetais, os fungos e a minoria das bactérias. b) os animais, os fungos e a maioria das bactérias. c) os animais, todas as algas e a maioria das bactérias. d) os animais, os liquens e a minoria das bactérias. e) os vegetais, os liquens a minoria das bactérias. QUESTÃO 10) (Vunesp-1995) A parte comestível do cogumelo ("champignon") corresponde ao: a) micélio monocariótico do Ascomiceto. b) corpo de frutificação do Ascomiceto. c) micélio monocariótico do Basidiomiceto. d) corpo de frutificação do Basidiomiceto. e) sorédio do fungo. QUESTÃO 11) (PUC - RJ-2008) Assinale a opção que NÃO apresenta uma característica dos seres pertencentes ao Reino Fungi. a) São autotróficos e realizam fotossíntese. b) Produzem antibióticos. c) São capazes de realizar fermentação. d) Realizam decomposição de matéria orgânica. e) Suas células não possuem cloroplastos. FILOSOFIA PROFESSOR AUGUSTO. O MERCADO MANDA MESMO? 01 Quem se dedicar hoje a ler todos os livros, manuais e artigos sobre o que é ser um ''bom 02 profissional'' certamente vai desistir de tentar qualquer emprego. Em primeiro lugar, as 03 descrições que encontramos são sempre de ''super - homens'', que nunca têm estresse, não 04 se cansam, são capazes de infinitas adaptações, nunca brigam com a família... Ou seja, 05 não é descrição de gente. 06 Em segundo lugar, o conjunto dessas fórmulas é francamente contraditório. O que uns di - 07 -zem que é bom outros acham que não. É como se cada autor, cada consultor, cada 08 articulista pegasse uma ideia, transformasse em regra e quisesse aplicá-la a todos os seres 09 humanos, de qualquer sexo e de qualquer cultura. 10 Não é preciso muita sociologia para perceber que esse emaranhado todo, ao pretender indi - 11 -car o bom caminho para o profissional, desenha uma espécie de ''tipo ideal'' de trabalhador 12 para as necessidades do mercado. E como o próprio mercado é todo cheio de ambiguidades 13 e necessidades que são contrárias umas às outras, o que sobra para nós é uma grande 14 perplexidade. 15 Então que tal parar um pouco de pensar no mercado e pensar em você mesmo? Qual é o 16 ''algo a mais'' que você, com sua personalidade, suas aptidões, seu jeito de ser, qual é esse 17 ''algo'' que você pode desenvolver? É preciso saber que formação é a mais adequada para 18 você, não a formação mais adequada para o mercado. 19 As diferentes cartilhas, as diversas teorias, as fórmulas mágicas servem apenas para tentar 20 conduzir todo mundo para o mesmo lugar. O desafio é sair desse lugar e se tornar alguém 21 incomum, de acordo com seus desejos e interesses. Então, não será apenas uma questão 22 de ''empregabilidade'', como dizem, mas de vida. 23 Pode até não parecer, mas nós somos seres humanos, com dignidade. No mercado, há 24 obviamente mercadorias, simplesmente com preço. E fazer o melhor por si mesmo, e não 25 pelo mercado, é algo que não tem preço. (In: FOLHA DE SÃO PAULO - Especial: Empregos, 22 de abril de 2001 - p.10 - texto adaptado) QUESTÃO 12) A principal relação de ideias presente no texto é a oposição entre mercado e... A) sociedade. B) emprego. C) consultores. D) teorias. E) indivíduo. QUESTÃO 13) A crítica do autor dirige-se às publicações que, para vender a imagem do ''bom profissional'', apresentam orientações: A) extraordinárias e incoerentes com o mercado. B) inaceitáveis e muito cheias de regras. C) extravagantes e indiferentes à cultura de cada um. D) irrealizáveis e incompatíveis entre si. E) enganadoras e pouco criativas. QUESTÃO 14) Com a expressão ''super-homens'' (linha 03), o autor tem a intenção de: A) fazer alusão ao potencial extraordinário das pessoas que buscam o constante aperfeiçoamento profissional. B) ressaltar a admiração que os modelos de profissional apresentados pelos manuais despertam no leitor. C) evidenciar a distância entre o que se recomenda nos livros e o que, de fato, as pessoas conseguem ser. D) incitar os futuros profissionais a se equipararem com os
  • 4. heróis modernos. E) reforçar a necessidade de preparação para que os jovens possam acompanhar, com um mínimo de segurança, os ''voos'' do mercado. QUESTÃO 15) As expressões abaixo, extraídas do texto, referem-se todas ao conteúdo dos livros, manuais e artigos criticados pelo autor, EXCETO a da alternativa: A) ''as descrições que encontramos'' (linhas 02 e 03). B) ''o conjunto dessas fórmulas'' (linha 06). C) ''esse emaranhado todo'' (linha 10). D) '' uma grande perplexidade'' (linhas 13 e 14). E) ''as diversas teorias'' (linha 19). SOCIOLOGIA PROFESSOR GABRIEL (Enem, 2001) O franciscano Roger Bacon foi condenado entre 1227 e 1279, por dirigir ataques aos teólogos, por uma suposta crença na alquimia, na astrologia e no método experimental, e também por introduzir, no ensino, as ideias de Aristóteles. Em 1260, Roger Bacon escreveu: “Pode ser qu e se fabriquem máquinas graças às quais os maiores navios, dirigidos por um único homem, se desloquem mais depressa do que se fossem cheios de remadores, que se construam carros que avancem a uma velocidade incrível sem a ajuda dos animais, que se fabriquem máquinas voadoras nas quais um homem […] bata o ar com asas como um pássaro. […] Máquinas que permitam ir ao fundo dos mares e dos rios.” (Apud Fernand Braudel. Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV – XVIII. São Paulo Martins Fontes, 1996. v.3.) QUESTÃO 16) Considerando a dinâmica do processo histórico, pode-se afirmar que as ideias de Roger Bacon (A) inseriam-se plenamente no espírito da Idade Média ao privilegiarem a crença em Deus como o principal meio para antecipar as descobertas da humanidade. (B) estavam em atraso com relação ao seu tempo ao desconsiderarem os instrumentos intelectuais oferecidos pela Igreja para o avanço científico da humanidade. (C) opunham-se ao desencadeamento da Primeira Revolução Industrial, ao rejeitarem a aplicação da matemática e do método experimental nas invenções industriais. (D) eram fundamentalmente voltadas para o passado, pois não apenas seguiam Aristóteles, como também se baseavam na tradição e na teologia. (E) inseriam-se num movimento que convergiria mais tarde para o Renascimento, ao contemplarem a possibilidade de o ser humano controlar a natureza por meio das invenções. QUESTÃO 17) Marque a opção em que todos os fatores históricos foram determinantes para o surgimento da Sociologia. a) As invasões bárbaras, o mercantilismo, a queda do Império Romano e a formação dos estados nacionais. b) A queda do poder absolutista, a descoberta do Novo Mundo, as invasões bárbaras e o sistema monetário internacional. c) A globalização, o mercantilismo, a queda do Império Romano e a Reforma protestante. d) O teocentrismo, o iluminismo, o racionalismo e a queda do sistema feudal. e) A queda do sistema feudal, as Revoluções Industrial e Francesa e a ascensão da burguesia ao poder econômico e político. QUESTÃO 18) Sobre o modelo de estratificação social conhecido por classes sociais podemos afirmar que: a) POSIÇÕES SOCIAIS HERDADAS, DETERMINISMO RELIGIOSO, MUITO COMUM NA ÍNDIA. b) SURGE NA MODERNIDADE E POSSIBILITA AOS INDIVÍDUOS MUDAREM DE POSIÇÃO SOCIAL. c) SISTEMA COMUM À MAIORIA DAS SOCIEDADES OCIDENTAIS DURANTE A IDADE MÉDIA. AS POSIÇÕES SOCIAIS ERAM RÍGIDAS E TRANSMITIDAS HEREDITARIAMENTE. d) FORMA DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL MUITO COMUM EM SOCIEDADES PRIMITIVAS. SOLIDARIEDADE MECÂNICA E BAIXA COESÃO SOCIAL. QUESTÃO 19) No contexto de rápidas mudanças, novas formas de sociabil idade emergem no século XXI. Nos centros urbanos surgem novos tipos de sociabilidade. Exemplos desses novos grupos são os punks, os surfistas, os skinheads, os góticos, entre outros. Esse fenômeno foi denominado de: a) Aculturação b) Endoculturação. c) Socialização. d) Tribalismo/Tribos Urbanas. e) Globalização QUÍMICA PROFESSOR CLÁUDIO QUESTÃO 20) O estanho, Sn, está na família 4A e no quinto período da tabela periódica. A sua configuração eletrônica permitirá concluir que seu número atômico é: a) 50. b) 32.
  • 5. c) 34 d) 82 e) 90. QUESTÃO 21) Na classificação periódica, os elementos químicos situados nas colunas 1A e 2A são denominados, respectivamente: a) Halogênios e metais alcalinos. b) Metais alcalinos e metais alcalinos terrosos. c) Halogênios e calcogênios. d) Metais alcalinos e halogênios. e) Halogênios e gases nobres. QUESTÃO 22) O elemento cobalto pertence a que família da tabela periódica? a) Metais alcalinos. b) Metais de transição. c) Halogênios. d) Alcalinos-terrosos. e) Gases nobres. QUESTÃO 23) Marque a série que é composta de halogênio, metal alcalino e gás nobre, respectivamente: a) Cl, Ca e Na. b) F, Na e He. c) K, Cl e Al. d) B, C e O. e) Br, Mg e Kr QUESTÃO 24) Considerando os elementos X (Z = 17) e Y (Z = 12), podemos afirmar que: a) X é metal e Y é ametal. b) X e Y são metais. c) X é ametal e Y é metal. d) X e Y são ametais. e) X e Y são semi -metais. ARTES PROFESSORA ALICE. Com relação às diversas funções da 5fotografia, à técnica fotográfica e a História da fotografia, responda as questões abaixo. Marque um X na alternativa CORRETA. QUESTÃO 25) A primeira máquina portátil que fazia fotografias foi inventada por um homem chamado Louis Daguerre. Qual era o nome dessa máquina: a) Kodac b) Daguerreótipo c) máquina de fotos d) câmara escura QUESTÃO 26) A fotografia jornalística tem a função de: a) vender um produto no jornal b) flagrar as celebridades c) ilustrar uma matéria jornalística d) ganhar prêmios internacionais QUESTÃO 27) A fotografia publicitária tem a função de: a) Despertar no consumidor a vontade de comprar aquele produto ou ideia b) Usar bastante photoshop c) ganhar prêmios de moda d) fotografar os famosos QUESTÃO 28) As fotos de "santinho" dos candidatos políticos seriam consideradas qual função: a) Jornalística, pois noticíam coisas sobre os candidatos b) Documental, pois documentam que aquela pessoa se candidatou c) De moda, por que eles se importam muito com a roupa que estão vestindo d) Publicitária, pois tem a intenção de te convencer de uma ideia, que no caso é o voto. QUESTÃO 29) O que faz uma fotografia se tornar fotografia jornalística: a) O fato dela flagar uma situação b) o fato dela ser real c) o fato de ter uma matéria jornalística acompanhando essa foto d) o fato do fotógrafo ser contratado por um jornal HISTÓRIA PROFESSORA CRISTIANE QUESTÃO 30) CAED-UFJF) O texto, abaixo, foi escrito por Pero Vaz de Caminha ao rei de Portugal, em 1500. Carta de Pero Vaz de Caminha. À tarde vimos terra. Antes, uma grande montanha, muito alta e redonda. Vimos outras terras mais baixas, ao sul dessa montanha, e vimos mais terra, com muitas árvores.Esse trecho da carta: A) apresenta sugestões para o aproveitamento da terra. B) descreve os aspectos físicos da terra descoberta. C) relata a impressão sobre os costumes dos índios. D) sugere que a nova terra descoberta era uma ilha.
  • 6. QUESTÃO 31) (CAED UFJF) Veja a imagem abaixo. De acordo com essa imagem, nos séculos XIV e XV, o imaginário europeu sobre o Oceano Atlântico era baseado em: A) descrições de navegantes que destacavam a ausência de ilhas. B) mapas precisos sobre a distância entre a Europa e a América. C) mitos que o caracterizavam como um espaço cheio de perigos. D) narrativas de viajantes fascinados por suas viagens marítimas. (CAED UFJF) Leia o poema, abaixo, sobre a conquista dos mares no início da era moderna, para responder à questão 32 Ó mar salgado, quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram, Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram sem casar Para que fosses nosso, ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. Quem, quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor. Deus ao mar o perigo e o abismo deu. Mas nele é que espelhou o céu. PESSOA, Fernando. Mar português. Rio de Janeiro: José Aguilar, 1960. QUESTÃO 32) De acordo com esse poema, a expansão marítima está relacionada à: A) aliança com as cidades italianas. B) busca de uma rota comercial para as Índias. C) conquista de Portugal pelos mouros. D) descentralização do governo de Portugal. QUESTÃO 33) (CAED-UFJF) Leia o texto abaixo: Os primeiros habitantes do Brasil foram vítimas do processo colonizador. O europeu, com visão de mundo calcada em preconceitos, menosprezou o indígena e sua cultura. Se creditarmos nos depoimentos deixados pelos viajantes e missionários, a partir de meados do século XVI, houve um decréscimo da população indígena, que se agravou nos séculos seguintes. Disponível em: <http://recantodasletras.uol.com.br/redacoes/478917>. Acesso em: 06 fev. 2011. Os fatores que contribuíram para o decréscimo da população indígena foram: A) a exploração do trabalho indígena e o espírito sanguinário do índio. B) a prática do canibalismo e as missões jesuíticas do vale amazônico. C) as epidemias introduzidas pelos europeus e a escravidão dos índios. D) as guerras entre as tribos indígenas e entre os índios e os brancos. INGLÊS PROFESSOR RICARDO Leia o texto abaixo para responder a questão 34 THE WEATHER MAN They say that the British love talking about the weather. For other nationalities this can be a banal and boring subject of conversation, something that people talk about when they have nothing else to say to each other. And yet the weather is a very important part of our lives. That at least is the opinion of Barry Gromett press officer for The Met Office. This is located in Exeter, a pretty cathedral city in the southwest of England. Here employees – and computers - supply weather forecasts for much of the world. QUESTÃO 34) Ao conversar sobre a previsão do tempo, o texto mostra a) o aborrecimento do cidadão britânico ao falar sobre banalidades. b) a falta de ter o que falar em situações de avaliação de línguas. c) a importância de se entender sobre meteorologia para falar inglês. d) as diferenças e as particularidades culturais no uso de uma língua. e) o conflito entre diferentes ideais e opiniões ao se comunicar em inglês Leia o texto abaixo para responder à questão 35.
  • 7. Viva la Vida ''I used to rule the world Seas would rise when I gave the word Now in the morning and I sleep alone Sweep the streets I used to own I used to ROLL THE DICE Feel the fear in my enemy’s eyes Listen as the crowd would sing “Now the old king is dead! Long live the king!” One minute I held the key Next the walls were closed on me And I discovered that my castles stand Upon pillars of salt and pillars of sand.'' […] MARTIN, C. Viva la vida, Coldplay. In: Viva la vida or Death and all his friends. Parlophone, 2008. QUESTÃO 35) Letras de músicas abordam temas que, de certa forma, podem ser reforçados pela repetição de trechos ou palavras. O fragmento da canção Viva la vida, por exemplo, permite conhecer o relato de alguém que: a) costumava ter o mundo aos seus pés e, de repente, se viu sem nada. b) almeja o título de rei e, por ele, tem enfrentado inúmeros inimigos. c) causa pouco temor a seus inimigos, embora tenha muito poder. d) limpava as ruas e, com seu esforço, tornou-se rei de seu povo. e) tinha a chave para todos os castelos nos quais desejava morar GEOGRAFIA PROFESSORA: ELIANA 1-Observe o mapa, e responda à questão 36 QUESTÃO 36) O Brasil é o maior país em extensão territorial da América do Sul, possuindo fronteiras com várias nações desse subcontinente. Marque a alternativa que corresponde aos dois países sul-americanos que não se limitam com o território brasileiro. a) Peru e Equador b) Suriname e Colômbia c) Chile e Equador d) Argentina e Uruguai QUESTÃO 37) (FESP) Examine atentamente as sentenças a seguir e assinale o grupo das que lhe parecerem corretas. a - Paralelamente ao Equador ficam dispostos círculos que diminuem de tamanho à proporção que estão mais próximos dos pólos. b - A latitude de um lugar é medida em km e representa a distância entre dois pontos na superfície do planeta. c - As coordenadas geográficas compreendem a latitude, a longitude, a distância em metros em relação ao nível do mar e as isoietas. d - A longitude é o afastamento, medido em graus, de um meridiano em relação a outro, chamado meridiano de Greenwich. e - Quando se projeta a rede de paralelos e meridianos sobre o papel, tem-se uma projeção cartográfica. Assinale: a) se todas são corretas: b) se apenas a, b e c são corretas; c) se apenas a, d e e são corretas; d) se apenas b, c e e são corretas; e) se apenas b, d e e são corretas. (PUC-RS) Responder à questão 37 com base no mapa e nas afirmativas abaixo do mesmo. I. É uma projeção cilíndrica, caracterizando uma visão de mundo eurocêntrica, privilegiando a forma dos continentes.
  • 8. II. Publicada pela primeira vez em 1973, pelo historiador alemão Arno Peters, indica uma projeção cilíndrica equivalente. III. Pretende demonstrar uma visão geopolítica dos países subdesenvolvidos, pois enfatiza o ponto de vista do Sul, apesar de comprometer a forma dos continentes. IV. É um mapa equivocado, pois o Norte está “embaixo” e o Sul “em cima”. V. Foi idealizada no século XVI, pelo belga Mercator, e se caracteriza por ser uma projeção conforme, sendo muito utilizada nas Grandes Navegações. QUESTÃO 38) A análise das afirmativas, relacionadas ao mapa, permite concluir que está correta a alternativa a) I, II e III b) I, III e V c) I e V d) II, III e IV e) II e III QUESTÃO 39) (PUC-RS) Que hora solar verdadeira e hora legal são correspondentes respectivamente em uma cidade localizada a 48O de longitude Oeste e 30O de latitude Sul, sabendo que, no centro do fuso horário onde s e localiza a cidade, os relógios marcam 12h? a) 12h e 12min – 11h b) 10h e 48min – 11h c) 12h – 12h e12min d) 11h e 48min – 12h e) 12h – 12h MATEMÁTICA PROFESSORA GICELE. QUESTÃO 40) Em uma chácara há 120 animais entre porcos e galinhas.Sabendo que o dobro do número de porcos é igual a metade do número de galinhas, calcule a quantidade de porcos e galinhas . (a) 40 porcos e 80 galinhas (b) 80 porcos e 40 galinhas (c) 100 porcos e 20 galinhas (d) 20 galinhas e 100 porcos. QUESTÃO 41) De acordo com a resposta de Pedrinho a equação x²-8x+12=0 apresenta as seguintes raízes : (a) 2,5 (b) 2,6 (c) 2,7 (d) 2,0 QUESTÃO 42) Qual dos números não pertence à seguinte série numérica 1-2-5-10-13-26-29-48 (a) 13- (b) 26 (c) 29 (d) 48 QUESTÃO 43) Devo construir uma piscina de 8 m e comprimento e 5m de largura e 1,5 de profundidade. Qual deve ser o volume de terra retirado do terreno (a) 12metros cúbicos (b) 14 metros cúbicos (c) 40 metros cúbicos (d) 60 metros cúbicos QUESTÃO 44) Durante a aula dois celulares tocaram ao mesmo tempo. A professora indaga os alunos perguntando de quem são os celulares que tocaram. Guto disse: “o meu não tocou”. Carlos disse : “ o meu tocou ” e Bernardo disse: “ o de Guto não tocou”. Sabe-se que um dos meninos disse a verdade e os outros dois mentiram. Qual das seguintes afirmativas é verdadeira (a) O celular de Carlos tocou e o de Guto não tocou (b) Bernardo mentiu (c) Os celulares de Guto e Carlos não tocaram (d) Carlos mentiu (e) Guto falou a verdade. QUESTÃO 45) dada a função quadrática y=x²-2x-8 assinale os zeros ou raízes : (a) 4,3 (b) 4,2 (c) 4,1 (d) 4,0 QUESTÃO 46) Qual a diferença entre o dobro de 25 e a terça parte de 90 (a)10 (b) 20 (c) 25 (d) 30 QUESTÃO 47) Se uma geladeira custa R$ 1200,00 á vista e sua opção de pagamento foi parcelar em 10 vezes com juros simples de 0,3% ao mês qual será o valor da prestação a ser paga . (a) R$122,60 (b) R$ 123,60 (c) R$ 360,00 (d) R$ 120,00