SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 67
Moderna PLUS
CADERNO DO PROFESSOR
100% de questões inéditas e exclusivas
capas_plus.indd 4 15/9/14 11:06 AM
Os simulados estão estruturados da seguinte forma:
c Simulados de revisão do 1º ano: distribuídos
em 4 cadernos com 45 questões cada, um
para cada área do conhecimento: Linguagens e
suas tecnologias + Redação; Matemática e suas
tecnologias; Ciências Naturais e suas tecnologias;
e Ciências Humanas e suas tecnologias.
c Simulados de revisão do 1º e 2º anos: distribuídos
em 4 cadernos com 45 questões cada.
c Simulados de revisão de todo o Ensino Médio:
distribuídos em 4 cadernos com 45 questões cada.
Cada simulado tem 2 versões, uma para o professor,
com comentários baseados nos distratores e descritivos
do binômio competência-habilidade desenvolvida na
questão; e outra para o aluno, oferecida em nosso site
em arquivos prontos para imprimir com espaços para
resolução, seguindo formato idêntico ao Enem. Tudo
para que o aluno tenha uma vivência significativa.
Além disso, a escola poderá realizar um grande simulado,
reunindo os 4 cadernos de cada ano para formar
um exame com as 180 questões e uma proposta de
redação, como proposto na prova original do ENEM.
Esperamos levar para você uma forma prática
de promover uma revisão dos conteúdos e
acompanhar o desempenho dos alunos, de forma
conectada com as demandas da atualidade.
Boa revisão!
Este material faz parte da coleção de Simulados
ENEM, com 100% de questões inéditas e exclusivas
para alunos e professores da rede pública de ensino.
Desenvolvemos 12 simulados especiais, considerando
as novas demandas do Ensino Médio, a partir das
quatro grandes áreas do conhecimento propostas
pelo Enem. Nosso objetivo é oferecer um subsídio
diferenciado para ajudá-lo a compreender a
matriz de referência do ENEM na prática e,
sobretudo, auxiliar o processo de preparação
dos alunos para o maior exame do país.
Caro educador,
instrucoes_plus.indd 1 15/9/14 11:16 AM
www.modernaplus.com.br
Conheça os simulados
por dentro:
c No início de cada questão, o
binômio competência-habilidade
permite compreender na prática a
matriz de referência do ENEM.
c Os comentários são inseridos somente
no material do professor, com base
nos distratores de cada item.
cAs páginas de questões seguem
a mesma numeração dos
simulados do aluno, para
facilitar a localização.
Baixe todas os volumes
do professor e do aluno.
Acesse o menu ENEM
e selecione o item
Simulados Enem.
cNo site, você encontra os
simulados do aluno, que
vêm prontos para imprimir.
instrucoes_plus.indd 2 15/9/14 11:16 AM
Desde 1998, o MEC aplica anualmente uma prova voltada aos estudantes de Ensino
Médio do Brasil – é o Exame Nacional do Ensino Médio, ou simplesmente Enem.
O objetivo principal do Exame é diagnosticar a qualidade do ensino no
país. Contudo, ao longo dos anos de aplicação, e com adoção de melhorias
metodológicas, outras funções foram agregadas a essa avaliação.
DIFERENTES OBJETIVOS AO LONGO DOS ANOS
Em 1998
c Avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica, para aferir o
desenvolvimento de competências fundamentais ao exercício pleno da cidadania.
c Oferecer uma referência para que cada estudante possa proceder
à sua autoavaliação, visando às escolhas futuras, tanto em relação
ao mercado de trabalho quanto à continuidade dos estudos.
c Estruturar uma avaliação da educação básica que sirva como
modalidade alternativa ou complementar aos processos de
seleção nos diferentes setores do mundo do trabalho.
c Estruturar uma avaliação da educação básica que sirva como
modalidade alternativa ou complementar aos exames de acesso
aos cursos profissionalizantes pós-médios e ao Ensino Superior.
Em 2006
Como o Enem não é uma avaliação obrigatória, para incentivar a participação
dos estudantes, diversas universidades (em especial, as públicas), passaram
a permitir o uso das notas no Enem como parte de seus processos
seletivos. Nesse contexto, os objetivos do Exame passaram a ser:
c Avaliar competências e habilidades desenvolvidas ao longo da educação básica.
c Possibilitar que o aluno faça uso dos resultados alcançados no Enem em processos
de seleção para o mercado de trabalho, nas instituições que utilizarem tal critério.
c Permitir que o aluno use o Enem como alternativa ou como reforço ao
vestibular, nas instituições que oferecerem esta possibilidade.
c Proporcionar ao aluno a possibilidade de concorrer a uma bolsa pelo
ProUni e outros programas governamentais de auxílio financeiro.
Desde 2009
Com a adoção da Teoria de Resposta ao Item (TRI)para o cálculo
das notas, os resultados das aplicações do Enem começaram a ser
passíveis de comparação, o que possibilitou um acompanhamento
das tendências de crescimento ou queda da aprendizagem.
c Servir de referência para que cada cidadão possa proceder à sua
autoavaliação com vistas em suas escolhas futuras, tanto em relação ao
mundo do trabalho, quanto em relação à continuidade dos estudos.
c Atuar como modalidade alternativa ou complementar aos processos
de seleção nos diferentes setores do mundo do trabalho.
c Atuar como modalidade alternativa ou complementar aos exames de acesso
aos cursos profissionalizantes, pós-médios e à educação superior.
Um panorama do Enem
panorama_plus.indd 1 15/9/14 4:58 PM
c Possibilitar a participação e criar condições de
acesso a programas governamentais.
c Promover a certificação de jovens e adultos no nível de conclusão do Ensino Médio.
c Promover a avaliação do desempenho acadêmico das escolas de Ensino
Médio, de forma que cada unidade escolar receba o resultado global.
c Promover a avaliação do desempenho acadêmico dos estudantes
ingressantes nas instituições de Ensino Superior.
PORTAS ABERTAS PELO EXAME
Um bom desempenho no Enem pode garantir ao participante o
acesso a programas de incentivo governamentais, como:
Prouni (Programa Universidade para Todos)
Dirigido aos estudantes egressos do Ensino Médio da rede pública ou particular na
condição de bolsistas integrais, com renda per capita familiar de até três salários
mínimos, visa à concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de
graduação e de formação específica, em instituições privadas de Ensino Superior.
Sisu (Sistema de Seleção Unificada)
Tendo a nota do Enem como único critério, o Sisu seleciona os candidatos
às vagas das instituições públicas de Ensino Superior cadastradas.
Ciência sem Fronteiras
Programa do Governo Federal criado em 2011, que incentiva estudantes e
pesquisadores a realizarem intercâmbio em instituições estrangeiras de alto nível, com
o objetivo de potencializar o desenvolvimento tecnológico e científico. Desta maneira,
as áreas prioritárias em que as bolsas são concedidas são ciências exatas e biológicas.
AS UNIVERSIDADES
Como já vimos, desde 2009, um dos objetivos do Enem é promover o acesso às
instituições de Ensino Superior. Hoje em dia, diversas universidades utilizam a
nota do Enem em seu processo seletivo, adotando uma das seguintes formas:
c Como critério único de seleção, em substituição ao vestibular tradicional.
c Como primeira fase do processo seletivo, mantendo
a segunda fase elaborada pela instituição.
c Com a concessão de um acréscimo à pontuação do candidato no processo
seletivo organizado pela instituição, dependendo da pontuação obtida no Enem.
c Como critério de preenchimento de vagas remanescentes.
panorama_plus.indd 2 15/9/14 4:58 PM
VANTAGENS DO NOVO ENEM
Até 2008, a prova do Enem trazia 63 questões interdisciplinares, além da proposta
de redação. As perguntas de múltipla escolha careciam de uma articulação
direta com os conteúdos do Ensino Médio, e a metodologia de contabilização
das notas impossibilitava a comparação dos resultados de diferentes edições.
A partir de 2009, o exame passou a ser pensado de maneira que pudesse ser
comparável no tempo, ou seja, a pontuação obtida em um determinado ano poderá
ser cotejada com a de anos seguintes, de modo a permitir um acompanhamento
das tendências de melhoria ou decréscimo da aprendizagem. Além disso, ele
aborda mais explicitamente os componentes curriculares do Ensino Médio,
com cada uma das provas sendo relativa a uma área do conhecimento:
1. Linguagens, códigos e suas tecnologias (Língua Portuguesa, Arte, Educação Física,
Língua Estrangeira Moderna – Inglês e Espanhol e uma proposta de redação).
2. Matemática e suas tecnologias.
3. Ciências da natureza e suas tecnologias (Biologia, Física e Química).
4. Ciências humanas e suas tecnologias (História, Geografia, Sociologia e Filosofia).
INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO
Sendo agrupadas em áreas de conhecimento ao invés das tradicionais
disciplinas escolares, as questões do Enem são coerentes com o
próprio conhecimento humano, que não é subdividido em “gavetas”, e
sim concebido como uma ampla rede, mutável e heterogênea.
Outra característica das questões do Enem é a contextualização, cujo objetivo é
estabelecer relações entre o conhecimento e o mundo ao redor. No enunciado,
elas apresentam uma situação-problema, desafiadora e claramente relacionada
ao contexto. Para responder às questões, o aluno deverá se apoiar tanto em seus
conhecimentos prévios como nas informações trazidas no próprio enunciado.
Desta maneira, o candidato terá cinco notas diferentes: para as quatro áreas do
conhecimento e para a redação. Assim, apesar do Enem não contemplar pesos
distintos a essas áreas, as instituições de Ensino Superior podem atribuir seus próprios
critérios, com a finalidade de classificar os candidatos entre as carreiras pleiteadas.
TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM (TRI)
Como vimos anteriormente, o Enem é pensado para que seja possível
estabelecer uma comparação entre as notas de suas edições. Este é um
dos atributos da metodologia chamada de Teoria de Resposta ao Item,
que reúne o conjunto de modelos que relacionam uma ou mais habilidades
com a probabilidade do candidato selecionar a resposta correta.
A Teoria de Resposta ao Item engloba um conjunto de modelos matemáticos
utilizados para o cálculo das proficiências dos alunos em um teste. Tomando
como unidade básica de análise cada item isoladamente, a TRI relaciona a
probabilidade de acerto do item com a competência do aluno. Essa relação
tem sempre um caráter crescente; dessa forma, quanto maior a competência
do respondente, maior a sua probabilidade de acertar o item.
panorama_plus.indd 3 15/9/14 4:58 PM
Os principais benefícios trazidos por essa Teoria são a garantia de
comparabilidade dos resultados entre os anos de aplicação da avaliação
(condição obrigatória para a verificação dos movimentos de melhoria ou de
queda de rendimento do sistema educacional) e o auxílio ao desenvolvimento
de uma interpretação pedagógica dos resultados, isto é, um diagnóstico
dos conhecimentos e habilidades que os alunos demonstraram conhecer
e realizar, e também daqueles que ainda precisam ser reforçados.
Caráter nacional e sem decoreba
Como um dos objetivos do Enem é democratizar o ensino, possibilitando aos
estudantes uma maior mobilidade entre as universidades do país, o conteúdo
das questões do Exame não contêm particularidades pontuais de determinadas
regiões do país, garantindo igualdade aos candidatos dos mais diversos lugares.
Além disso, as provas correlacionam mais diretamente as habilidades ao conjunto
dos conteúdos habitualmente estudados no Ensino Médio. Desta maneira,
preserva-se o predomínio absoluto de questões que buscam explorar não o
simples resgate da informação, mas a aplicação prática do conhecimento.
ENEM 2014
A edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio bateu o recorde
de candidatos aptos, com 8.721.946 pessoas – 21% de crescimento em
relação ao ano passado. Este é apenas um entre outros números expressivos
da prova que acontecerá nos dias 8 e 9 de novembro de 2014.
De acordo com o ministro da Educação, Henrique Paim, o crescimento
foi acima da expectativa, que era de 8 milhões de inscritos, e tem como
justificativa um “despertar em torno da questão da educação, especialmente
com o crescimento das oportunidades oferecidas pelo Governo Federal”.
Outro número de destaque foi o de inscritos com mais de 20 anos: quase
4 milhões, sendo que 1,35 milhão está acima dos 30. “Nós temos uma dívida
educacional muito grande. Essa é uma boa notícia. As pessoas estão vendo
que podem retomar os estudos. Isso é bom para o País”, afirmou Paim.
Confira outros números relacionados às inscrições do Enem 2014 (Fonte: INEP):
c Gênero: 58,11% são homens e 44,88% são mulheres
c Regiões:
Sudeste – 35,27%;
Nordeste – 32,99%;
Sul – 11,97%;
Norte – 10,89%;
Centro-Oeste e Distrito Federal – 8,88%
panorama_plus.indd 4 15/9/14 4:58 PM
LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS
Competência de área 1: Aplicar as tecnologias da comunicação e da informação
na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida.
H1 - Identificar as diferentes linguagens e seus recursos expressivos
como elementos de caracterização dos sistemas de comunicação.
H2 - Recorrer aos conhecimentos sobre as linguagens dos sistemas
de comunicação e informação para resolver problemas sociais.
H3 - Relacionar informações geradas nos sistemas de comunicação
e informação, considerando a função social desses sistemas.
H4 - Reconhecer posições críticas aos usos sociais que são feitos das
linguagens e dos sistemas de comunicação e informação.
Competência de área 2: Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s)
como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e grupos sociais.
H5 – Associar vocábulos e expressões de um texto em LEM ao seu tema.
H6 - Utilizar os conhecimentos da LEM e de seus mecanismos como meio de
ampliar as possibilidades de acesso a informações, tecnologias e culturas.
H7 – Relacionar um texto em LEM, as estruturas linguísticas, sua função e seu uso social.
H8 - Reconhecer a importância da produção cultural em LEM
como representação da diversidade cultural e linguística.
Competência de área 3: Compreender e usar a linguagem corporal como
relevante para a própria vida, integradora social e formadora da identidade.
H9 - Reconhecer as manifestações corporais de movimento como
originárias de necessidades cotidianas de um grupo social.
H10 - Reconhecer a necessidade de transformação de hábitos
corporais em função das necessidades cinestésicas.
H11 - Reconhecer a linguagem corporal como meio de interação social, considerando
os limites de desempenho e as alternativas de adaptação para diferentes indivíduos.
Competência de área 4: Compreender a arte como saber cultural e estético gerador
de significação e integrador da organização do mundo e da própria identidade.
H12 - Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho da
produção dos artistas em seus meios culturais.
H13 - Analisar as diversas produções artísticas como meio de explicar
diferentes culturas, padrões de beleza e preconceitos.
H14 - Reconhecer o valor da diversidade artística e das inter-relações de elementos
que se apresentam nas manifestações de vários grupos sociais e étnicos.
Competência de área 5: Analisar, interpretar e aplicar recursos
expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos,
mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações,
de acordo com as condições de produção e recepção.
H15 - Estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua
produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político.
Matriz de Referência do Enem
matrizes_plus.indd 1 15/9/14 4:43 PM
H16 - Relacionar informações sobre concepções artísticas e
procedimentos de construção do texto literário.
H17 - Reconhecer a presença de valores sociais e humanos
atualizáveis e permanentes no patrimônio literário nacional.
Competência de área 6: Compreender e usar os sistemas simbólicos das
diferentes linguagens como meios de organização cognitiva da realidade
pela constituição de significados, expressão, comunicação e informação.
H18 - Identificar os elementos que concorrem para a progressão temática e
para a organização e estruturação de textos de diferentes gêneros e tipos.
H19 - Analisar a função da linguagem predominante nos
textos em situações específicas de interlocução.
H20 - Reconhecer a importância do patrimônio linguístico para
a preservação da memória e da identidade nacional.
Competência de área 7: Confrontar opiniões e pontos de vista sobre
as diferentes linguagens e suas manifestações específicas.
H21 - Reconhecer em textos de diferentes gêneros, recursos verbais e não verbais
utilizados com a finalidade de criar e mudar comportamentos e hábitos.
H22 - Relacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos.
H23 - Inferir em um texto quais são os objetivos de seu produtor e quem é seu
público-alvo, pela análise dos procedimentos argumentativos utilizados.
H24 - Reconhecer no texto estratégias argumentativas empregadas
para o convencimento do público, tais como intimidação,
sedução, comoção, chantagem, entre outras.
Competência de área 8: Compreender e usar a língua portuguesa
como língua materna, geradora de significação e integradora
da organização do mundo e da própria identidade.
H25 - Identificar, em textos de diferentes gêneros, as marcas linguísticas que
singularizam as variedades linguísticas sociais, regionais e de registro.
H26 - Relacionar as variedades linguísticas a situações específicas de uso social.
H27 - Reconhecer os usos da norma padrão da língua
portuguesa nas diferentes situações de comunicação.
Competência de área 9: Entender os princípios, a natureza, a função e o
impacto das tecnologias da comunicação e da informação na sua vida pessoal e
social, no desenvolvimento do conhecimento, associando-o aos conhecimentos
científicos, às linguagens que lhes dão suporte, às demais tecnologias, aos
processos de produção e aos problemas que se propõem solucionar.
H28 - Reconhecer a função e o impacto social das diferentes
tecnologias da comunicação e informação.
H29 - Identificar pela análise de suas linguagens, as
tecnologias da comunicação e informação.
H30 - Relacionar as tecnologias de comunicação e informação ao
desenvolvimento das sociedades e ao conhecimento que elas produzem.
matrizes_plus.indd 2 15/9/14 4:43 PM
Material do
Professor
PROVA DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS E
REDAÇÃO
Leia atentamente as instruções seguintes
1. Este caderno de teste contém 45 questões numeradas de 1 a 45, dispostas da seguinte maneira:
a. As questões de 1 a 45 são relativas à área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;
b. As questões de 1 a 5 são relativas à Língua Estrangeira (inglês ou espanhol);
c. A Proposta de Redação.
2. Não dobre, não amasse, nem rasure a Folha de Respostas. Ela não pode ser substituída.
3. Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 opções, identificadas pelas letras
A, B, C, D e E. Apenas uma responde corretamente a questão.
4. Na Folha de Respostas, marque, para cada questão, a letra correspondente à opção escolhida para
a resposta, preenchendo todo o espaço da alternativa, com caneta esferográfica de tinta azul ou preta,
conforme o exemplo abaixo:
A B C D E
Você deve, portanto, assinalar apenas uma opção em cada questão. A marcação em mais de uma
opção anula a questão, mesmo que uma das respostas esteja correta.
Atenção: utilize a Folha de Redação para transcrever sua redação com caneta esferográfica de tinta
azul ou preta.
5. O tempo disponível para esta prova será determinado pelo professor aplicador.
6. Reserve os 15 minutos finais para marcar sua Folha de Respostas. Os rascunhos e as marcações
assinaladas neste caderno não serão considerados na avaliação.
7. Quando terminar a prova, devolva sua Folha de Respostas e a Folha de Redação para o aplicador.
8. Você será excluído do exame caso:
a. utilize, durante a realização da prova, máquinas e/ou relógios de calcular, bem como rádios,
gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie;
b. se ausente da sala de provas levando consigo o caderno de questões e/ou a Folha de Respostas
antes do prazo estabelecido;
c. aja com incorreção ou descortesia para com qualquer participante do processo de aplicação das
provas;
d. se comunique com outro participante, verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma.
SIMULADO DO EXAME NACIONAL
DO ENSINO MÉDIO
EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO
UM ENSINO PARA A VIDA
neme
SIMULADO ENEM – PÁG. 2
Aqui começa o teste de Língua Inglesa. Se você
optar por responder o de Língua Espanhola, vá
para a página 8. Não se esqueça de marcar sua
opção na Folha de Respostas.
Questão 1
QE00239
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H6
Utilizar os conhecimentos da LEM e de
seus mecanismos como meio de ampliar
as possibilidades de acesso a informa-
ções, tecnologias e culturas.
RIO TRAINS POLICE WITH ENGLISH
LANGUAGE CLASSES: DAILY
By William Jones on January 11, 2014
THE POLICE IN RIO ARE BEGINNING THEIR
PREPARATIONS TO HOST THE WORLD
CUP BY TRAINING BI-LINGUAL OFFICERS.
By William Jones, Contributing Reporter
RIO DE JANEIRO, BRAZIL – As Brazil and
Rio prepares to host some of the world’s big-
gest sporting events the state’s police are pre-
paring for the influx of visitors by providing the
city’s military police (PMs) with English lan-
guage classes. The new programme aims to
develop the skills of comprehension and oral
production of PMs who work intensively on big
events like the World Cup and the Olympics.
In the initial stages of the course which be-
gin next week the initiative is expected to give
classes to 120 officers, but the number will re-
ach double or even triple that by the time that
the second phase of the program has begun
according to Director General of Education
of the Military Police, Colonel Antonio Carlos
Carballo Blanco.
Disponível em: <http://riotimesonline.com/brazil-news/rio-
daily/rio-trains-police-with-english-language-classes/>.
Acesso em: 13 jan. 2014.
De acordo com o texto, o governo do Rio de Ja-
neiro está investindo em aulas de inglês para os
policiais
A civis para que eles possam trabalhar nos ae-
roportos durante a Copa do Mundo.
B civis a fim de que eles possam receber os tu-
ristas estrangeiros durante as Olimpíadas.
C militares que receberão os turistas nos hotéis e
pousadas durante a Copa das Confederações.
D civis para que eles ensinem a língua aos ven-
dedores ambulantes que trabalharão no Rio
durante a Copa do Mundo.
E militares que atuam em grandes eventos es-
portivos, como a Copa do Mundo ou as Olim-
píadas.
Justificativa:
O item avalia a habilidade dos alunos de
utilizar os conhecimentos da LEM e de
seus mecanismos como meio de ampliar
as possibilidades de acesso a informa-
ções, tecnologias e cultura (H6). Os alu-
nos que escolheram a alternativa E en-
tenderam que os policiais a que o texto
se refere são os militares e que as aulas
de inglês são dadas para que eles usem
a língua em todos os grandes eventos es-
portivos, não somente na Copa do Mun-
do, como está sugerido no lead. Os que
optaram pela alternativa C entenderam
se tratar de policiais militares, mas não
se ativeram ao detalhe de que não se fa-
lou no texto da Copa das Confederações.
Aqueles que escolheram as alternativas
(A, B ou D) não prestaram atenção ao fato
de que os policiais citados no texto não
são os civis, além de outros detalhes em
desacordo com o texto.
Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias
SIMULADO ENEM – PÁG. 3
Questão 2
QE00238
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H8
Reconhecer a importância da produção
cultural em LEM como representação da
diversidade cultural e linguística.
PRIDE AND PREJUDICE
Pride and Prejudice is a novel of manners
by Jane Austen, first published in 1813. The
story follows the main character Elizabeth
Bennet as she deals with issues of manners,
upbringing, morality, education, and marria-
ge in the society of the landed gentry of early
19th-century England. Elizabeth is the second
of five daughters of a country gentleman li-
ving near the fictional town of Meryton in Her-
tfordshire, near London.
Though the story is set at the turn of the
19th century, it retains a fascination for mo-
dern readers, continuing near the top of lists
of “most loved books” such as The Big Read.
[1] It has become one of the most popu-
lar novels in English literature and receives
considerable attention from literary scholars.
Modern interest in the book has resulted in a
number of dramatic adaptations and an abun-
dance of novels and stories imitating Austen’s
memorable characters or themes. To date,
the book has sold some 20 million copies
worldwide.[2]
As Anna Quindlen wrote,
Pride and Prejudice is also about that thing
that all great novels consider, the search for
self. And it is the first great novel that teaches
us this search is as surely undertaken in the
drawing room making small talk as in the pur-
suit of a great white whale or the public pu-
nishment of adultery.[3]
Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Pride_and_
Prejudice>. Acesso em 14 jan. 2014.
“Pride and Prejudice” é um livro que, apesar de
ter sido escrito no século XIX, continua a atrair
a atenção dos leitores modernos. Segundo Ann
Quindlen, ele tem um ingrediente comum a todas
as grandes obras literárias, porque trata
A de uma punição pública de um adultério.
B da perseguição de uma grande baleia branca.
C de um segredo muito antigo.
D da busca de si mesmo.
E de um caso de assassinato misterioso.
Justificativa:
O item avalia a habilidade dos alunos de
reconhecer a importância da produção
cultural em LEM como representação da
diversidade cultural e artística (H8). Os
alunos que optaram pela alternativa D en-
tenderam que o romance “Pride and Preju-
dice” é um clássico que ainda desperta o
interesse nos leitores de hoje porque fala
de um assunto considerado atemporal: a
eterna busca de si mesmo. Aqueles que
optaram pelas alternativas A ou B ative-
ram-se a informações presentes no texto,
mas que não são elementos presentes em
todas as grandes obras literárias. Já os
que escolheram as alternativas C ou E não
entenderam o texto, uma vez que essas in-
formações não fazem parte dele.
SIMULADO ENEM – PÁG. 4
Questão 3
QE00237
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H7
Relacionar um texto em LEM, as estru-
turas linguísticas, sua função e seu uso
social.
Disponível em: <https://www.facebook.com/photo.php?fbid=7537
90451300765&set=a.384715731541574.98999.384707561542391
&type=1&theater> Acesso em: 16 fev. 2014.
A palavra que foi omitida no texto e substituída
pela vírgula é
A men.
B wise.
C talk.
D have.
E they.
Justificativa:
O item avalia a habilidade dos alunos de re-
lacionar um texto em LEM, as estruturas lin-
guísticas, sua função e seu uso social (H7).
Os alunos que optaram pela alternativa C
entenderam que a vírgula usada no tex-
to substitui um termo já mencionado an-
teriormente, facilmente identificado pelo
contexto (to talk), sendo o único a conferir
sentido ao texto.
Aqueles que escolheram as demais alterna-
tivas (A, B, D ou E) ativeram-se a palavras
presentes no texto, mas que não fazem sen-
tido no contexto. Não conseguiram, portan-
to, estabelecer uma relação adequada entre
as estruturas linguísticas e o texto.
SIMULADO ENEM – PÁG. 5
Questão 4
QE00236
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H5
Associar vocábulos e expressões de um
texto em LEM ao seu tema.
“If most of us are ashamed of shabby clothes
and shoddy furniture let us be more ashamed
of shabby ideas and shoddy philosophies.... It
would be a sad situation if the wrapper were
better than the meat wrapped inside it.”
Albert Einstein
Disponível em: <http://www.goodreads.com/author/
show/9810.Albert_Einstein>. Acesso em: 16 fev. 2014.
Einstein fala de roupas gastas e móveis de má
qualidade para mostrar que
A é melhor trabalhar duro para comprar coisas
boas e não ter do que se envergonhar.
B pior do que a pobreza material é a pobreza de
ideias e de ruins filosofias.
C é lamentável quando o conteúdo é melhor do
que a embalagem.
D é uma situação triste quando as ideias são po-
bres, mas as filosofias, não.
E a maioria deveria se envergonhar por usar
roupas velhas e ter móveis baratos.
Justificativa:
O item avalia a habilidade dos alunos de
associar vocábulos e expressões de um
texto em LEM ao seu tema (H5). Os alu-
nos que optaram pela alternativa B con-
seguiram associar palavras e expressões
encontradas no texto ao seu tema, que é
a questão da pobreza de ideias e de filo-
sofias. Os alunos que optaram pela alter-
nativa A subverteram o sentido do texto,
pois este afirma que muitos se envergo-
nham de usar roupas velhas e móveis ba-
ratos, mas deveriam se envergonhar mais
de ideias e filosofias pobres e gastas. Os
alunos que marcaram a alternativa C não
entenderam que a asserção é exatamente
oposta ao que se diz no texto, ou seja, é
lamentável quando a “embalagem” é me-
lhor do que o conteúdo. Aqueles que es-
colheram a alternativa D demonstraram
não ter entendido que o texto trata de
ideias e de filosofias pobres, não apenas
de ideias. Já os que optaram pela E não
perceberam que o texto afirma o contrá-
rio do que diz a alternativa, demonstrando
não terem conseguido construir uma inter-
pretação adequada.
SIMULADO ENEM – PÁG. 6
Questão 5
QE00235
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H6
Utilizar os conhecimentos da LEM e de
seus mecanismos como meio de ampliar
as possibilidades de acesso a informa-
ções, tecnologias e culturas.
CAFFEINE MIGHT IMPROVE LONG-TERM
MEMORY
Posted January 13th, 2014
A hot cup of coffee provides drinkers with a
quick dose of caffeine. (Greenray studios/Alex
Upshur via Wikimedia Commons)
Caffeine not only gives us a daily jump
start, but new research suggests it also can
enhance long-term memory.
According to the US Food and Drug Adminis-
tration, nearly 90 percent of people worldwide
consume about 200 milligrams of caffeine each
day. That’s equivalent to about one strong cup
of coffee a day. Writing in “Nature Neuroscien-
ce”, Johns Hopkins University researchers say
their findings show caffeine boosts certain me-
mories for up to 24 hours after being ingested.
“We’ve always known that caffeine has
cognitive-enhancing effects, but its particu-
lar effects on strengthening memories and
making them resistant to forgetting has never
been examined in detail in humans,” said se-
nior author of the paper Michael Yassa, for-
merly of Johns Hopkins and now the Universi-
ty of California, Irvine. “We report for the first
time a specific effect of caffeine on reducing
forgetting over 24 hours.”
Conducting a double-blind trial, the resear-
chers worked with a test group of people who
didn’t regularly consume caffeinated products.
Five minutes after studying a series of ima-
ges, the test subjects were given either apla-
cebo or a 200-milligram caffeine tablet.
To check the caffeine levels of their test
subjects, the research team took saliva sam-
ples from them before they took their tablets
and again one, three and 24 hours afterwards.
Both groups of test participants (those who
took the placebo and those who took the ca-
ffeine tablet) were tested the following day to
see if they recognized images they’d seen the
previous day.
The researchers found that more members
of the group who were given the caffeine ta-
blets were able to correctly identify some of
the new images as “similar” to previously
viewed images rather than incorrectly identi-
fying them as the same.
Disponível em: <http://blogs.voanews.com/science-
world/2014/01/13/caffeine-might-improve-long-term-
memory/.> Acesso em: 14 jan. 2014.
De acordo com o texto, foi realizada uma pesqui-
sa para saber o efeito da cafeína na memória de
longo prazo. Foram apresentadas imagens a dois
grupos de pessoas e descobriu-se que
A os dois grupos reconheceram, na mesma pro-
porção, as imagens que haviam sido mostra-
das a eles no mesmo dia pela manhã.
B o grupo que tomou placebo somente reconhe-
ceu as imagens no mesmo dia em que elas
haviam sido mostradas.
C o grupo que tomou cafeína se saiu melhor no
reconhecimento das imagens mostradas pre-
viamente.
D o grupo que tomou placebo identificou corre-
tamente as imagens similares às que haviam
sido mostradas anteriormente.
E o grupo que tomou cafeína teve mais dificul-
dade em identificar as novas imagens introdu-
zidas à série mostrada no dia anterior.
SIMULADO ENEM – PÁG. 7
Justificativa:
O item avalia a competência de conhecer
e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s)
como instrumento de acesso a informações
e a outras culturas e grupos sociais (C2) e a
habilidade de utilizar os conhecimentos da
LEM e de seus mecanismos como meio de
ampliar as possibilidades de acesso a infor-
mações, tecnologias e culturas (H6).
Os alunos que assinalaram a alternativa C
entenderam que o uso de cafeína melhora
a memória e, portanto, o grupo que a inge-
riu se saiu melhor no teste de reconheci-
mento de imagens.
Os alunos que optaram pela alternativa A
não notaram que o rendimento dos dois
grupos não foi igual, demonstrando que
não entenderam nem mesmo o título, que
permite inferir que quem ingeriu cafeína se
saiu melhor no teste. Os alunos que opta-
ram pela alternativa B não compreenderam
que o teste foi feito no dia seguinte e não
no mesmo dia em que as imagens foram
mostradas. Os alunos que marcaram a al-
ternativa D não entenderam que o grupo
que tomou placebo teve mais dificuldade
para identificar as imagens do que o grupo
que tomou cafeína. Já os alunos que mar-
caram a alternativa E não compreenderam
o objetivo do texto, que é, justamente, o de
informar que a cafeína melhora a memória,
baseado no resultado obtido na pesquisa
que indicou que quem a ingeriu teve mais
facilidade para reconhecer as imagens do
que os que não o fizeram.
Aqui começa o teste de Língua Espanhola. Se
você optar por responder o de Língua Inglesa,
volte para a página 2. Não se esqueça de marcar
sua opção na Folha de Respostas.
Questão 1
QE00532
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H6
Utilizar os conhecimentos da LEM e de
seus mecanismos como meio de ampliar
as possibilidades de acesso a informa-
ções, tecnologias e culturas.
MANDELA, LA ÚLTIMA GRAN FIGURA
DEL SIGLO XX
Pedro García Luaces
jueves, 05/12/13 – 23:37
JUNTO AL GRAN PACIFISTA MAHATMA
GANDHI, EL GENIO DE CHURCHILL Y SU
VOLUNTAD DE VICTORIA, LA VIDA DE
CARIDAD Y SERVICIO DE LA MADRE TE-
RESA DE CALCUTA Y EL SACRIFICIO POR
LA IGUALDAD DE MARTIN LUTHER KING,
NELSON MANDELA YA FORMA PARTE DE
LAS GRANDES FIGURAS DEL SIGLO XX.
Nelson Rolihlahla Mandela nació en el
seno de la familia real de Transkei, una re-
gión de 40.000 metros cuadrados y 3,5 millo-
nes de habitantes en el sureste de Sudáfri-
ca. Era el hijo mayor de un jefe tembu y a la
muerte de su padre fue educado directamen-
te por el jefe supremo de la tribu. Por posici-
ón y linaje, Mandela podría haber llevado una
vida plácida como colaboracionista del Go-
bierno pero el conformismo, desde luego, no
iba a ser el espíritu que inspirase su compor-
tamiento. Renunciando a sus derechos dinás-
ticos y huyendo también de una boda tribal
que sus tíos le habían concertado, Mandela
se instala en Johannesburgo, donde termina-
rá el bachillerato y se graduará en derecho,
involucrándose de lleno en el activismo políti-
co y la defensa de la mayoría negra. […]
SIMULADO ENEM – PÁG. 8
En 1948 el Partido Nacional llega al poder
en Sudáfrica y la segregación se convierte en
ley. La represión del Gobierno sobre los acti-
vistas pro negros se recrudece y en respues-
ta, los activistas pasan de la desobediencia
civil a la resistencia armada, que tiene como
principal recurso el sabotaje. Mandela recibe
adiestramiento de guerrillas y viaja por multi-
tud de países para recabar apoyo económico.
En Sudáfrica, su vida pasa por la clandesti-
nidad. En pleno estado de excepción, el Go-
bierno sudafricano logra apresar a los líderes
de la oposición, entre ellos a Mandela, que
es condenado a cinco años de cárcel por la
huelga general de 1961. Antes de que termi-
ne de cumplir condena es llevado de nuevo al
banquillo donde se le culpa de sabotaje y de
tratar de derrocar al Gobierno. La pena es de
cadena perpetua.
Hasta aquí, la vida de Mandela fue la de un
líder carismático que sacrificó su libertad por
su pueblo, pero su verdadera grandeza, lo que
le coloca a la altura de los grandes hombres
del siglo XX vendría después, en el momento
de su liberación. Porque en los 27 años que
Nelson Mandela pasó en cautividad, la opinión
internacional cambió su veredicto respecto a
Sudáfrica. Mandela, que había sido tachado
de terrorista, recuperó su estatus de activista y
el vergonzoso régimen del apartheid agoniza-
ba en los márgenes de la geopolítica, bloque-
ado económicamente por occidente gracias al
activismo de otros políticos carismáticos, como
el dirigente sueco Olof Palme.
[…] En 1994, en las primeras elecciones en
las que negros y blancos votaban en Sudá-
frica, alcanzó la presidencia, proponiéndose
avanzar en una política de reconciliación na-
cional. “El perdón – dirá Mandela – libera el
alma, elimina el miedo”.
Nelson Mandela, el eterno Mandiba – anciano honorable –,
ya es uno de los grandes hombres del siglo XX. Disponível
em: http://noticias.lainformacion.com/mundo/mandela-la-
ultima-gran-figura-del-siglo-xx_xLUf0d7Nrb6lpvUsczL3N2/
Acesso em: 18 jan. 2014.
O texto relata a história de vida de Nelson Man-
dela, líder político sul-africano, falecido no final
de 2013. Comparado a grandes líderes pacifistas
mundiais como Gandhi e madre Teresa de Cal-
cutá, Mandela é apresentado como um homem
carismático, cujo objetivo maior era combater a
segregação. No entanto, para alcançar seu obje-
tivo, a trajetória foi longa, pois o líder sul-africano
foi condenado a
A 27 anos de cadeia, sendo 5 anos pela greve
geral de 1961 e os demais pela intenção de
derrubar o governo.
B 27 anos de cadeia pela greve geral de 1969
e os demais pela intenção de derrubar o go-
verno, graças à intervenção internacional e a
mudanças políticas na África.
C 5 anos de cadeia pelo vandalismo geral de
1961 e prisão perpétua pela intenção de der-
rubar o governo, graças à intervenção interna-
cional e a mudanças políticas na África.
D 5 anos de cadeia pela greve geral de 1961 e
prisão perpétua pela intenção de derrubar o
governo, graças à intervenção internacional e
a mudanças políticas na África.
E 5 anos de cadeia pela guerra civil geral de
1961 e prisão perpétua pela intenção de der-
rubar o governo, graças à intervenção interna-
cional e a mudanças políticas na África.
SIMULADO ENEM – PÁG. 9
Justificativa:
O item avalia a habilidade de utilizar os co-
nhecimentos da LEM e de seus mecanis-
mos como meio de ampliar as possibilida-
des de acesso a informações, tecnologias
e culturas. (H6)
Os alunos que optaram pela alternativa D
demonstram aptidão para a leitura e inter-
pretação em LEM, utilizam seus conheci-
mentos prévios (lexicais, morfossintáticos,
semânticos e socioculturais) e seus conhe-
cimentos de mundo para ter acesso à divul-
gação da morte de Mandela por meio de um
texto jornalístico biográfico, ampliando seus
conhecimentos sobre o assunto, como for-
ma de acesso à História e ao universo sul-
-africano. Já aqueles que assinalaram A, B,
C ou E não conseguiram fazer associações
adequadas nem por meio dos mecanismos
linguísticos, nem pelo conhecimento de
mundo. Assim, esses distratores são pauta-
dos nas seguintes explicações:
A e B: a comanda do enunciado pede que o
aluno indique o tempo de condenação e não
o tempo de prisão de Nelson Mandela suge-
ridos nesses distratores, obrigando o aluno
a utilizar seus conhecimentos lexicais em
LEM para uma leitura minuciosa do texto.
C e E: esses distratores estão intimamente
relacionados ao conhecimento lexical em
LEM, porque para obter acesso à informa-
ção é preciso que o estudante saiba que a
expressão “huelga general” significa “gre-
ve geral” e não “vandalismo”(C) ou “guer-
ra civil” (D).
D: é a alternativa correta, ao selecioná-la,
o aluno demonstra compreender adequa-
damente o que foi solicitado no enuncia-
do do item e, por meio do conhecimento
lexical em LEM, consegue relacionar de
forma adequada o assunto ao fato atual,
tendo acesso à informação. Além disso,
por meio de estratégias cognitivas de lei-
tura, esse aluno consegue ampliar seus
conhecimentos sobre a história do líder
africano, uma vez que o texto apresenta
explicitamente que Mandela foi condena-
do a cinco anos por sua participação na
greve geral e, antes mesmo de finalizar a
pena, foi condenado à prisão perpétua.
Questão 2
QE00351
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H8
Reconhecer a importância da produção
cultural em LEM como representação da
diversidade cultural e linguística.
PREMIO NOBEL DE LITERATURA
El Premio Nobel de Literatura ha sido con-
cedido en 102 ocasiones, siendo un total de
106 los premiados inclusive los Premios No-
bel 2009. Aunque el acta fundacional de los
Premios Nobel se refería a que el galardón
anualmente se concedería a “la obra literaria
más notable en el sentido del idealismo”, lo
cierto es que el Premio Nobel de Literatura
se viene otorgando a la totalidad de la obra de
un autor literario determinado, por lo que no
es de extrañar que nadie haya recibido el Pre-
mio Nobel de Literatura dos o más veces.
El Premio Nobel de Literatura ha sido la
categoría de los Premios Nobel que más ve-
ces ha recaído en ciudadanos españoles o
hispanoamericanos: entre los escritores es-
pañoles que han ganado el Premio Nobel de
Literatura encontramos a José Echegaray, a
Jacinto Benavente, a Juan Ramón Jiménez,
a Vicente Aleixandre y a Camilo José Cela, el
último premiado, en el año 1989. Los escrito-
res latinoamericanos que han recibido el Pre-
mio Nobel de Literatura son, hasta la fecha:
Gabriela Mistral, en 1945; Miguel Ángel As-
turias, en 1967; Pablo Neruda, en 1971; Ga-
briel García Márquez, en 1982, Octavio Paz,
en 1990 y el último Mario Vargas Llosa, en
el año 2010. El gran olvidado de los Premios
Nobel de Literatura en el ámbito hispanoa-
mericano fue el escritor argentino Jorge Luis
Borges. Entre los escritores galardonados que
rechazaron el Premio Nobel de Literatura fi-
guran Boris Pasternak y Jean-Paul Sartre.
Disponível em: <http://www.rincondelvago.com/informacion/
premios-nobel/premio-nobel-de-literatura>.
Acesso em: 30 jan. 2014.
SIMULADO ENEM – PÁG. 10
O texto apresenta uma síntese sobre o Prêmio
Nobel de Literatura e os autores que o ganha-
ram, entre espanhóis e latino-americanos, de-
monstrando que
A embora ninguém tenha sido premiado duas
vezes ou mais, a produção literária em língua
espanhola ocupa papel relevante na premia-
ção, havendo somente uma mulher entre eles,
e o argentino Jorge Luis Borges foi esquecido.
B alguns foram premiados duas vezes ou mais,
por isso a produção literária em língua espa-
nhola ocupa papel muito relevante na premia-
ção, havendo somente uma mulher entre eles,
e o argentino Jorge Luis Borges foi esquecido.
C apesar de ninguém ter sido premiado duas ve-
zes ou mais, a produção literária em língua es-
panhola ocupa papel irrelevante na premiação,
somente uma mulher foi premiada, e o argenti-
no Jorge Luis Borges foi homenageado.
D alguns foram premiados duas vezes ou mais,
por isso a produção literária em língua espa-
nhola ocupa papel muito relevante na premia-
ção, havendo somente uma autora entre eles,
e o argentino Otávio Paz foi esquecido.
E embora ninguém tenha sido premiado duas
vezes ou mais, a produção literária em língua
espanhola ocupa papel relevante na premia-
ção, não havendo autoras entre eles, e o ar-
gentino Jorge Luis Borges foi homenageado.
Justificativa:
O item avalia a habilidade de reconhecer a
importância da produção cultural em LEM
como representação da diversidade cultu-
ral e linguística. (H8)
O aluno que respondeu a alternativa A de-
monstra que compreendeu a relevância da
diversidade da produção literária no uni-
verso hispânico, a partir das informações
apresentadas no texto. Já aqueles que res-
ponderam B, C, D ou E denotam que não
conseguiram reconhecer a relevância da
produção literária no universo hispânico,
apesar das informações presentes no tex-
to. A alternativa correta é a A, pois denota
a relevância da Literatura Espanhola na
premiação de ressonância mundial, reite-
rando ainda a presença de uma mulher en-
tre os premiados e destacando a ausência
de um autor importante para a Literatura
Hispanoamericana como Jorge Luis Bor-
ges, informações presentes no texto que
fazem com que os estudantes avaliem e
reconheçam a importância da produção li-
terária de escrita espanhola. Já os distrato-
res distinguem-se pelas seguintes razões:
B Apresenta informação incorreta, quan-
do relacionada ao texto, pois ninguém
foi premiado duas vezes.
C Nega a relevância da Literatura em lín-
gua espanhola.
D Apesar de intensificar a relevância da
Literatura de língua espanhola, apre-
senta informações incorretas, quando
relacionadas ao texto, pois, por exem-
plo, Octavio Paz foi premiado.
E Nesta alternativa, além da exclusão do
fato de Gabriela Mistral ter sido pre-
miada, ainda há uma relação lexical
importante a ser considerada na inter-
pretação da alternativa, pois “olvida-
do” não significa homenageado.
SIMULADO ENEM – PÁG. 11
Questão 3
QE00347
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H7
Relacionar um texto em LEM, as estru-
turas linguísticas, sua função e seu uso
social.
Disponível em: <http://www.taringa.net/posts/humor/16889667/
Post-De-Mafalda-n-n.html>. Acesso em: 24 jun. 2014.
No diálogo estabelecido entre Mafalda e sua mãe,
o humor se constrói por meio da crítica social feita
pela
A menina com a adição de ideias relacionadas
à fome mundial e à atitude infantil da mãe,
evidente no primeiro quadrinho e reforçada no
segundo.
B mãe ao apresentar-se contra os padrões de
beleza impostos pela mídia, o que fica eviden-
te no primeiro quadrinho e reforçado no último.
C menina na contraposição de ideias entre a fome
mundial e a atitude infantil da mãe, evidente no
segundo quadrinho e reforçada no último.
D menina pela junção de ideias complementares
como beleza e fome mundial, evidentes no se-
gundo quadrinho.
E mãe ao não se importar com as palavras da
filha, somente com o biquíni, postura evidente
no primeiro quadrinho.
Justificativa:
O item avalia a habilidade de relacionar
um texto em LEM, as estruturas linguísti-
cas, sua função e seu uso social. (H7)
Os alunos que optaram pela alternativa C
demonstram habilidade para relacionar o
que foi dito pela personagem Mafalda à re-
alidade, bem como reconhecem nas estru-
turas linguísticas do diálogo a troca de pa-
péis e a crítica, que são responsáveis pelo
humor no diálogo estabelecido. Esses alu-
nos ainda relacionam o papel dos conecti-
vos e operadores argumentativos que con-
trapõem ideias, diferenciando-os daqueles
que simplesmente adicionam. Já os alunos
que optaram por A, B, D ou E demonstram
não relacionar as estruturas linguísticas,
sua função e uso social adequadamente.
A alternativa correta é a C porque, ao as-
sinalá-la, o aluno demonstra habilidade de
relacionar seus conhecimentos de LEM na
leitura de HQ´s e na análise das estruturas
linguísticas de um diálogo gerador de hu-
mor e de ironia, pois a personagem contra-
põe ideias na construção de seu argumento
ao relacionar a atitude da mãe à fome mun-
dial. Essa estratégia e a inversão de papéis
no diálogo entre mãe e filha constroem o
humor, por meio da contraposição entre
fome mundial x atitude infantil de adultos.
Contraposição reiterada, inclusive, pela uti-
lização do conectivo “pero vos necesitás
consolo...”, daí a relação estabelecida entre
o que foi dito no segundo quadrinho e no
último, estratégia que também estabelece
um tom irônico à fala. Já os distratores jus-
tificam-se pelas seguintes razões:
A Na construção de um diálogo em HQ´s
há uma tendência a considerar cada
quadro como uma adição, entretanto,
a disposição dos argumentos internos
para a construção de um argumento
nem sempre é linear e não significa,
necessariamente, acréscimo de ideias,
embora o acréscimo sempre exista
de alguma forma, essa relação não se
mantém na comparação entre o primei-
ro e o último quadrinho, proposta da
alternativa.
SIMULADO ENEM – PÁG. 12
B Ainda que a questão relacionada aos
padrões de beleza contemporâneos es-
teja implícita na atitude da mãe, essa
alternativa está incorreta, porque a
mãe não se posiciona contra isso.
D Nesse texto, especificamente, fome e
beleza não são ideias complementares.
E A mãe não apresenta uma postura crí-
tica, portanto, a informação da alterna-
tiva está incorreta.
Texto para as questões 4 e 5.
Disponível em: <http://www.eldiario.es/turing/Grafico-internet-movil-
menores-Espana_0_193181384.html>. Acesso em: 20 jan. 2014.
SIMULADO ENEM – PÁG. 13
Questão 4
QE00346
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H5
Associar vocábulos e expressões de um
texto em LEM ao seu tema.
A pesquisa feita pelo INE (Instituto Nacional de
España) apresenta um estudo sobre a utilização
das tecnologias por menores em 2013. O estudo
leva em consideração, inclusive, o tamanho da fa-
mília e o local de acesso. Uma das palavras que
relaciona os jovens à família é
A comunidades.
B usuarios.
C menores.
D ordenador.
E hogar.
Justificativa:
O item avalia a habilidade de associar vo-
cábulos e expressões de um texto em LEM
ao seu tema. (H5)
Os alunos que optaram pela alternativa E
demonstram aptidão para a leitura de info-
gráficos, gêneros multimodais que exigem
do leitor a competência de relacionar as
informações apresentadas, neste caso, em
linguagem verbal, não verbal e matemática
à atualidade sociodiscursiva e ao contex-
to de produção; além disso, esses alunos
associam o significado do vocábulo hogar
(lar) ao universo familiar, um dos âmbitos
da pesquisa. Já aqueles que escolheram
as outras alternativas A, B, C e D compa-
raram inadequadamente as informações
apresentadas.
Assim, uma vez que a habilidade está inti-
mamente relacionada ao significado lexi-
cal, os distratores são as alternativas A, B,
C e D pelas seguintes razões:
A O termo “comunidades”, nesse texto,
refere-se às Comunidades Autónomas,
como são designadas as divisões geo-
gráficas da Espanha.
B O vocábulo “usuarios” está relacionado
à utilização da internet, e não à família.
C O termo “menores” refere-se à faixa
etária dos usuários e não está neces-
sariamente relacionado à família.
D O vocábulo “ordenadores” significa
computadores e está relacionado às
Tecnologias de Informação.
A alternativa correta é a
E Porque o termo “hogar” significa lar e
está intimamente relacionado à família.
Fazendo uma análise geral das infor-
mações do infográfico, percebe-se que
os dados relacionados à utilização das
TIC´s traçam um perfil dos jovens es-
panhóis, consequentemente, apresen-
tam-se características de uma parte da
família espanhola.
Gêneros multimodais são aqueles em que
interagem diferentes linguagens e/ou re-
presentações discursivas e sociais. Em-
bora, em tese, em todos os gêneros haja
uma multiplicidade de representações, os
multimodais apresentam características
típicas. Neste caso específico, trata-se de
um infográfico, onde interagem a lingua-
gem verbal, a não verbal e a linguagem
matemática. Discursivamente, ainda rela-
ciona-se ao universo virtual. O infográfico,
atualmente, está presente em diferentes
meios de divulgação e suportes.
SIMULADO ENEM – PÁG. 14
Questão 5
QE00345
C2
Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s)
moderna(s) como instrumento de acesso
a informações e a outras culturas e gru-
pos sociais.
H7
Relacionar um texto em LEM, as estruturas
linguísticas, sua função e seu uso social.
O texto demonstra como os jovens espanhóis têm
se comportado em relação ao acesso à internet
que cresceu em todo o mundo. Comparando as
informações apresentadas pela pesquisa do INE
(Instituto Nacional de España) presentes no Jornal
El Diário, nota-se que o percentual de
A meninos, entre 10 e 15 anos, que acessam a
internet é maior do que o número de usuárias.
B meninos com 10 anos é maior do que o per-
centual de acessos na Espanha inteira.
C meninas, entre 10 e 15 anos, que acessam a
internet é maior do que o número de meninos.
D acessos pelo celular é maior do que o percen-
tual de acessos por computadores.
E usuários de diferentes idades é semelhante,
independentemente da idade, do local ou da
ferramenta.
Justificativa:
O item avalia a habilidade de relacionar
um texto em LEM, as estruturas linguísti-
cas, sua função e seu uso social. (H7)
Os alunos que optaram pela alternativa C
demonstram aptidão para a leitura de in-
fográficos, gêneros multimodais, que exi-
gem do leitor a competência de relacionar
as informações apresentadas, neste caso,
em linguagem verbal, não verbal e mate-
mática à atualidade sociodiscursiva e ao
contexto de produção. Já aqueles que es-
colheram as outras alternativas A, B, D e E
compararam inadequadamente as informa-
ções apresentadas.
A alternativa C é a correta, porque o item
leva em consideração as estratégias cog-
nitivas necessárias para a leitura de info-
gráficos (gênero social que relaciona infor-
mações expressas de forma verbal e não
verbal). Logo, ao encontrar as informações
explícitas no infográfico, relacionando-as
às imagens, à linguagem matemática e à
realidade social de utilização midiática, o
estudante perceberá que o percentual de
usuárias é maior do que o de usuários nes-
sa idade. Já os distratores estão incorretos
pelas seguintes razões:
A A relação percentual apresentada não
possibilita afirmar que o número de
meninos (94,1%) seja maior que o de
meninas (96,2%).
B É importante que o aluno perceba que
o percentual de meninos com 10 anos
de idade é apenas uma fração do total,
fato que pode ser verificado na leitura
global do infográfico.
D Comparando de forma geral o número
de usuários de computadores por ida-
de (presentes na coluna da esquerda,
na parte de cima do infográfico) com
os usuários que têm celulares (à di-
reita), verifica-se que essa alternativa
está incorreta, pois o percentual de
usuários de computadores por idade é
bem maior do que o percentual de pro-
prietários de celulares por idade.
SIMULADO ENEM – PÁG. 15
E Na leitura global do infográfico, perce-
be-se que esta alternativa está incor-
reta, pois o percentual varia de acordo
com a idade e a ferramenta.
Gêneros multimodais são aqueles em que
interagem diferentes linguagens e/ou re-
presentações discursivas e sociais. Em-
bora, em tese, em todos os gêneros haja
uma multiplicidade de representações, os
multimodais apresentam características
típicas. Neste caso específico, trata-se de
um infográfico, onde interagem a lingua-
gem verbal, a não verbal e a linguagem
matemática. Discursivamente, ainda rela-
ciona-se ao universo virtual. O infográfico,
atualmente, está presente em diferentes
meios de divulgação e suportes.
Texto para as questões 6 e 7.
É ela, a bola. Um dos brinquedos mais an-
tigos e universais da humanidade. Uma velha
amiga dos jogos e das brincadeiras. É quase
impossível ficar imóvel quando uma bola apa-
rece. A bola parece pedir para ser chutada,
quicada, jogada de um lado para outro, de
uma pessoa para outra. Vive escapando do
controle, rolando para longe; precisa ser domi-
nada mesmo quando se chuta ela para longe
só para poder correr atrás. Uma bola, quando
deixada num canto qualquer, fica triste.
Mesmo para uma pessoa sozinha, a bola é
uma ótima companheira. Mas, o melhor mes-
mo é ter pelo menos um amigo para jogar,
pois são inúmeros os jogos para dois, três ou
dez jogadores, jogos de crianças, jovens e
adultos, jogos de competição e jogos de co-
operação.
Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/
download/texto/me000350.pdf>. Acesso em: 13 fev. 2014.
Questão 6
QE00357
C3
Compreender e usar a linguagem corporal
como relevante para a própria vida, inte-
gradora social e formadora da identidade.
H10
Reconhecer a necessidade de transforma-
ção de hábitos corporais em função das
necessidades cinestésicas.
De acordo com o texto, a simples presença da
bola compele ao movimento corporal. A alterna-
tiva que relaciona corretamente a capacidade de-
senvolvida em jogos com bola e sua exemplifica-
ção é
A estética: aumentar a prática de exercícios do
autocontrole e do respeito mútuo.
B ética: maior observação das habilidades físi-
cas de si mesmo e dos demais.
C cognitiva: ampliação de noções de sociabilida-
de e percepção da autoimagem.
D corporal: desenvolvimento de noções como
precisão, força e velocidade.
E afetiva: agilidade no cálculo de trajetórias (re-
lações espaço-temporais).
SIMULADO ENEM – PÁG. 16
Justificativa:
Este item enfatiza a habilidade do estudan-
te em “reconhecer a necessidade de trans-
formação de hábitos corporais em função
das necessidades cinestésicas” (H10).
O aluno deve reconhecer que cada alternati-
va indica uma capacidade desenvolvida em
jogos com bola e deve analisar a pertinência
da exemplificação dessa capacidade.
Assim, os distratores são as alternativas
A, B, C, E, pelas seguintes razões:
A estética: observação das habilidades
físicas de si mesmo e dos demais.
B ética: exercícios de autocontrole e de
respeito mútuo.
C cognitiva: cálculo de trajetórias; esta-
belecimento de relações espaço-tem-
porais.
E afetiva: noções de sociabilidade e per-
cepção da autoimagem.
A alternativa correta é a D. A habilidade
em questão enfatiza a cinestesia. Aliás, o
próprio texto-suporte direciona para a re-
levância da movimentação corporal.
Questão 7
QE00356
C3
Compreender e usar a linguagem corporal
como relevante para a própria vida, inte-
gradora social e formadora da identidade.
H9
Reconhecer as manifestações corporais
de movimento como originárias de neces-
sidades cotidianas de um grupo social.
A bola é um dos objetos mais frequentes em jo-
gos e brincadeiras porque
A possibilita a realização de atividades físicas,
individuais ou coletivas, em espaços públicos
e privados, independentemente do barulho que
desencadeia e do número de participantes.
B auxilia o desenvolvimento da coordenação
motora dos participantes e favorece a integra-
ção entre eles, funcionando como um meio de
interação social.
C estimula a competição, incentivando a vitória
como principal recompensa e a formação de
times ou equipes com espírito de rivalidade,
superioridade e exclusividade.
D favorece a cooperação entre os participantes,
pois todos os membros devem conhecer as
regras da prática esportiva, que se tornam,
assim, facultativas.
E contribui para a preservação de práticas es-
portivas tradicionais como o futebol, o volei-
bol, o basquetebol, reforçando o espírito de
times autônomos e independentes.
Justificativa:
Esse item enfatiza a habilidade do estudante
em “reconhecer as manifestações corporais
de movimento como originárias de necessi-
dades cotidianas de um grupo social” (H9).
O aluno deve acionar seu conhecimento
de mundo, recuperar algumas modalida-
des esportivas que envolvem a utilização
de bola e, também com base nas reflexões
sobre práticas corporais, desenvolvidas
em disciplinas afins e especialmente em
Educação Física, reconhecer que a bola
funciona como um elemento mediador de
integração social.
SIMULADO ENEM – PÁG. 17
Assim, os distratores são as alternativas
A, C, D e E, pelas seguintes razões:
A Ainda que jogos e brincadeiras com
bola possibilitem a realização de ativi-
dades físicas, individuais ou coletivas,
em espaços públicos e privados, inde-
pendentemente do número de partici-
pantes, há restrições legais quanto ao
barulho e quanto aos níveis de ruído.
C Ainda que jogos e brincadeiras com
bola estimulem a competição, há o
incentivo para a interação e respeito
mútuo, o que coloca a vitória em um
plano secundário. Além disso, a forma-
ção de times ou equipes é exigência da
própria dinâmica de alguns jogos e de
algumas brincadeiras, mas tal forma-
ção visa à prática corporal integradora,
equitativa e cooperativa.
D Ainda que jogos e brincadeiras com
bola favoreçam a cooperação entre os
participantes inclusive porque todos
os membros devem conhecer as re-
gras da prática esportiva, tais regras
são obrigatórias. É o contrato social
funcionando em situações cotidianas.
E Ainda que jogos e brincadeiras com
bola contribuam para a preservação de
práticas esportivas tradicionais como
o futebol, o voleibol, o basquetebol, há
o reforço para o espírito de times autô-
nomos, mas independentes: cada time
desenvolve sua unidade, sua forma de
jogar, a sua estratégia, mas só haverá
jogo se houver outro time disponível,
se outra equipe autônoma também qui-
ser jogar.
A alternativa correta é a B: jogos e brin-
cadeiras com bola auxiliam o desenvolvi-
mento da coordenação motora dos parti-
cipantes e favorecem a integração entre
eles, funcionando como meios de intera-
ção social.
Questão 8
QE00475
C5
Analisar, interpretar e aplicar recursos
expressivos das linguagens, relacionando
textos com seus contextos, mediante a
natureza, função, organização, estrutura
das manifestações, de acordo com as
condições de produção e recepção.
H16
Relacionar informações sobre concepções
artísticas e procedimentos de construção
do texto literário.
Camilo quis sinceramente fugir, mas já não
pôde. Rita, como uma serpente, foi-se acer-
cando dele, envolveu-o todo, fez-lhe estalar
os ossos num espasmo, e pingou-lhe o ve-
neno na boca. Ele ficou atordoado e subjuga-
do. Vexame, sustos, remorsos, desejos, tudo
sentiu de mistura; mas a batalha foi curta e a
vitória delirante. Adeus, escrúpulos! Não tar-
dou que o sapato se acomodasse ao pé, e
aí foram ambos, estrada fora, braços dados,
pisando folgadamente por cima de ervas e
pedregulhos, sem padecer nada mais que al-
gumas saudades, quando estavam ausentes
um do outro. A confiança e estima de Vilela
continuavam a ser as mesmas.
Disponível em: <http://machado.mec.gov.br/images/stories/
pdf/contos/macn005.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2014.
Machado de Assis utiliza largamente em suas
obras, o recurso da metáfora, que consiste numa
comparação implícita. Neste trecho do conto “A
cartomante”, encontra-se um exemplo disso em
A “Rita, como uma serpente, foi se acercando
dele”, em que Rita é comparada a uma cobra
por ser má e perigosa.
B “Vexame, sustos, remorsos, desejos, tudo
sentiu de mistura”, em que há uma compara-
ção entre os sentimentos e a mistura que isso
provocou na vida de Camilo.
C “sem padecer nada mais que algumas sauda-
des”, em que a comparação se dá entre as
saudades e o padecimento de quem sofre
com esse sentimento.
D “Não tardou que o sapato se acomodasse
ao pé”, em que a situação vivida por Camilo
e Rita foi comparada a um sapato novo que
é apertado, mas depois, laceia, ou seja, fica
confortável.
SIMULADO ENEM – PÁG. 18
E “A confiança e a estima de Vilela continuavam
a ser as mesmas”, em que se compara a con-
fiança e a estima de Vilela com o que ele sen-
tia antes do caso secreto mantido por Camilo
e Rita.
Justificativa:
O item avalia a habilidade dos alunos de
relacionar informações sobre concepções
artísticas e procedimentos de construção
do texto literário (H16). Os alunos que op-
taram pela alternativa D entenderam que a
metáfora faz referência ao caso extracon-
jugal mantido por Rita e Camilo no conto
“A Cartomante”. Todos os sentimentos vi-
venciados por Camilo (sustos, remorsos,
vexame, desejos) foram, aos poucos, se
arrefecendo e, depois de um tempo, ele
se acomodou à situação de trair o me-
lhor amigo, tal qual um sapato que, quan-
do novo, aperta o pé, mas logo se torna
confortável. Os alunos que optaram pela
alternativa A não perceberam que a com-
paração entre Rita e a serpente é explícita,
além de a personagem não ser má, como é
afirmado na alternativa. Já aqueles que as-
sinalaram as demais alternativas B, C ou E
fizeram suas escolhas de forma aleatória,
pois trata-se de trechos do texto em que
não há metáforas.
Questão 9
QE00389
C7
Confrontar opiniões e pontos de vista
sobre as diferentes linguagens e suas
manifestações específicas.
H24
Reconhecer no texto estratégias argumen-
tativas empregadas para o convencimento
do público, tais como a intimidação, sedu-
ção, comoção, chantagem, entre outras.
“A menina que roubava livros”, de Markus
Zusak, se tornou um best-seller. O livro ga-
nhou edição especial com capa inspirada no
pôster do filme.
A trajetória de Liesel Meminger é contada
por uma narradora mórbida, surpreendente-
mente simpática. Ao perceber que a pequena
ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se
à menina e rastreia suas pegadas de 1939
a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe
comunista, perseguida pelo nazismo, envia
Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de
uma cidade alemã, onde um casal se dispõe
a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no
trajeto e é enterrado por um coveiro que dei-
xa cair um livro na neve. É o primeiro de uma
série que a menina vai surrupiar ao longo dos
anos. O único vínculo com a família é esta
obra, que ela ainda não sabe ler.
SIMULADO ENEM – PÁG. 19
Assombrada por pesadelos, ela compensa
o medo e a solidão das noites com a coni-
vência do pai adotivo, um pintor de parede
bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabe-
tizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel
canaliza urgências para a literatura. Em tem-
pos de livros incendiados, ela os furta, ou os
lê na biblioteca do prefeito da cidade.
A vida ao redor é a pseudo-realidade cria-
da em torno do culto a Hitler na Segunda
Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do
aniversário do Führer pela vizinhança. Teme
a dona da loja da esquina, colaboradora do
Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto
obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E
ajuda o pai a esconder no porão um judeu
que escreve livros artesanais para contar a
sua parte naquela História. A Morte, perplexa
diante da violência humana, dá um tom leve e
divertido à narrativa deste duro confronto en-
tre a infância perdida e a crueldade do mundo
adulto, um sucesso absoluto — e raro — de
crítica e público.
Disponível em: <http://www.leitura.com/site/produto.
php?id=43.> Acesso em: 13 fev. 2014.
Com o objetivo de convencer mais pessoas a ler
“A menina que roubava livros”, além da nova capa
baseada no filme, foi
A suavizado o fato de a narradora ser a Morte, o
que deu um tom mórbido à narrativa.
B utilizada a expressão “best-seller”, o que torna o
livro mais atraente para leitores especializados.
C dada ênfase ao fato de ser um livro de terror, o
que atrai pessoas que gostam desse gênero.
D deixado subentendido que se trata de um livro
para crianças com problemas para aprender a
ler.
E feito um resumo da história com termos que
procuram seduzir os leitores em potencial.
Justificativa:
O item avalia a habilidade de reconhecer
no texto estratégias argumentativas em-
pregadas para o convencimento do pú-
blico, tais como intimidação, sedução,
comoção, chantagem, entre outras (H24).
Os alunos que escolheram a alternativa E
conseguiram identificar as estratégias lin-
guísticas utilizadas para seduzir o público:
a nova capa baseada no filme e um resumo
cuidadoso da história, com termos atraen-
tes e que incitam a curiosidade do leitor
em potencial. Os que escolheram a alterna-
tiva A entenderam que a narradora do livro
é a Morte, mas não perceberam que, nes-
te caso específico, ela dá um tom leve ao
texto. Aqueles que optaram pela alternati-
va B associaram a expressão best-seller à
leitura especializada. Os que escolheram
a alternativa C associaram os elementos
morte, enterro, coveiro, entre outros, a his-
tórias de terror. Já aqueles que optaram
pela alternativa D associaram problemas
para aprender a ler com o fato de a menina
ter sido alfabetizada na história.
SIMULADO ENEM – PÁG. 20
Texto para as questões 10 e 11
Já se afastou de nós o Inverno agreste
Envolto nos seus húmidos vapores;
A fértil Primavera, a mãe das flores
O prado ameno de boninas veste:
Varrendo os ares o sutil nordeste
Os torna azuis; as aves de mil cores
Adejam entre Zéfiros e Amores,
E toma o fresco Tejo a cor celeste:
Vem, ó Marília, vem lograr comigo
Destes alegres campos a beleza,
Destas copadas árvores o abrigo:
Deixa louvar da corte a vã grandeza:
Quanto me agrada mais estar contigo
Notando as perfeições da Natureza!
Manuel Maria Barbosa Du Bocage
Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/
download/texto/wk000246.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2014.
Vocabulário:
Bonina: espécie de flor.
Oiteiro: colina.
Gabão: capote de mangas ou casacão, com ca-
puz e cabeção (“espécie de gola”).
Lograr: desfrutar.
Deixar: despojar-se de, abandonar.
Vã: falsa; insignificante.
Zéfiro: vento que sopra do ocidente.
Adejar: agitar as asas.
Questão 10
QE00463
C5
Analisar, interpretar e aplicar recursos
expressivos das linguagens, relacionando
textos com seus contextos, mediante a
natureza, função, organização, estrutura
das manifestações, de acordo com as
condições de produção e recepção.
H16
Relacionar informações sobre concepções
artísticas e procedimentos de construção
do texto literário.
A obra de Manuel Maria Barbosa Du Bocage re-
presenta, na literatura portuguesa, um momento
de transição entre os ideais árcades do século
XVIII e a concepção romântica que entraria em
voga no início do século XIX. Considerando os
procedimentos de construção do poema, é correto
afirmar que, nesses versos,
A a presença de um sentimentalismo melancóli-
co revela um distanciamento dos ideais árca-
des de contenção, equilíbrio e simplicidade.
B revela-se um desvio em relação à simplici-
dade formal do Arcadismo, comprovado pela
presença de inversões da ordem sintática ca-
racterística da língua portuguesa.
C predomina o tratamento da temática amorosa,
própria do Romantismo, evidenciada pelo vo-
cativo “ó Marília”.
D observa-se um equilíbrio formal típico do Ar-
cadismo, construído mediante estruturas sin-
táticas simples e ausência de metáforas,.
E revela-se um subjetivismo exacerbado, con-
trário aos ideais árcades.
SIMULADO ENEM – PÁG. 21
Justificativa:
Este item avalia a habilidade do estudan-
te em “relacionar informações sobre con-
cepções artísticas e procedimentos de
construção do texto literário” (H16). Os
versos do soneto “Já se afastou de nós
o Inverno agreste” revelam uma temáti-
ca típica da poesia árcade – a exaltação
do ambiente campestre – em oposição ao
desprezo pela vida urbana. A presença de
hipérbatos (inversões sintáticas) indica
uma transgressão da singeleza árcade.
Essa inversão da ordem natural das pala-
vras de uma oração, para efeito estilístico,
acontece em "Já se afastou de nós o In-
verso agreste" em lugar da ordem direta
"o Inverno agreste já se afastou de nós",
em "Destes alegres campos a beleza" (a
beleza destes campos alegres) e em "Dei-
xa louvar da corte a vã grandeza" (deixa
louvar a vã grandeza da corte). Tais inver-
sões, por contradizerem a simplicidade
formal do Arcadismo, tornam incorreta a
alternativa D. Quanto às A, C e E, não se
verifica no texto o sentimentalismo melan-
cólico – uma vez que a atmosfera do poe-
ma é alegre – ou o subjetivismo exacerba-
do – já que não há referências ao universo
interior do eu lírico. Assim, a alternativa
correta é a B, pois de fato a simplicidade
formal do Arcadismo está contrariada pela
presença de inversões da ordem sintática
característica da língua portuguesa (SVO,
ou mais detalhadamente, sujeito + verbo +
complemento ou atributo + circunstância).
Questão 11
QE00464
C5
Analisar, interpretar e aplicar recursos
expressivos das linguagens, relacionando
textos com seus contextos, mediante a
natureza, função, organização, estrutura
das manifestações, de acordo com as
condições de produção e recepção.
H16
Relacionar informações sobre concepções
artísticas e procedimentos de construção
do texto literário.
Os poetas do Arcadismo apoiaram-se em valores
da Antiguidade Clássica para compor seus poe-
mas, geralmente ambientados em um local bucó-
lico e simples. Um dos ideais presentes nas com-
posições arcádicas é o “carpe diem”, que sugere
o desejo de se aproveitar o momento presente e
de se distanciar das inquietações da vida munda-
na. Assinale a alternativa cujos versos revelam a
presença do “carpe diem”.
A “A fértil Primavera, a mãe das flores / O prado
ameno de boninas veste”.
B “Já se afastou de nós o Inverno agreste / En-
volto nos seus húmidos vapores”.
C “Quanto me agrada mais estar contigo”.
D “Vem, ó Marília, vem lograr comigo / Destes
alegres campos a beleza”.
E “Deixa louvar da corte a vã grandeza”.
Justificativa:
Este item avalia a habilidade do estudante
em “relacionar informações sobre concep-
ções artísticas e procedimentos de cons-
trução do texto literário” (H16). O ideal
latino “carpe diem”, presente nos textos
do Arcadismo, refere-se ao desejo de se
aproveitar a vida. Essa característica re-
vela-se no soneto de Bocage no momento
em que o eu lírico pede a Marília, sua ama-
da, para que ambos desfrutem da Nature-
za: “Vem, ó Marília, vem lograr comigo /
Destes alegres campos a beleza, / Destas
copadas árvores o abrigo”. As alternativas
A, B, C e E são distratores, pois não fazem
referência ao ideal de “carpe diem”.
SIMULADO ENEM – PÁG. 22
Questão 12
QE00396
C7
Confrontar opiniões e pontos de vista
sobre as diferentes linguagens e suas
manifestações específicas.
H23
Inferir em um texto quais são os objetivos
de seu produtor e quem é seu público-
-alvo, pela análise dos procedimentos
argumentativos utilizados.
Disponível em: <http://www.educacao.sp.gov.br/portal/area-
reservada/pais-e-alunos/chega-de-bullying-nao-fique-calado>.
Acesso em: 12 fev. 2014.
É correto afirmar que o objetivo do produtor do
texto, ao utilizar o termo bullying, no lugar de um
correspondente em língua portuguesa, é
A tornar a linguagem do texto mais sofisticada e
atraente pela presença do estrangeirismo.
B facilitar o entendimento do texto pelos estran-
geiros residentes no país.
C dificultar o entendimento do texto pelas crian-
ças, já que ele se destina apenas a adultos.
D facilitar o entendimento do texto, por ser esse
o termo mais usual para designar situações
de perseguição e intimidação.
E dificultar o entendimento do texto para as pes-
soas que não são falantes da língua inglesa.
Justificativa:
O item tem por objetivo avaliar a habilida-
de dos alunos de inferir em um texto quais
são os objetivos de seu produtor e quem é
seu público-alvo, pela análise dos procedi-
mentos argumentativos utilizados (H23). Os
alunos que optaram pela alternativa D inferi-
ram que o objetivo do produtor do texto era
torná-lo de mais fácil entendimento a todos,
daí ter dado preferência ao termo “bullying”,
em inglês, por ser o mais recorrentemente
utilizado. Os que escolheram a alternativa A
sabem que brasileiros, em geral, apreciam o
uso de estrangeirismos, mas não entende-
ram que não era este o objetivo do produtor
desse texto. Os que optaram pela alternativa
B não perceberam que o texto é destinado a
todos, e não somente a estrangeiros. Aque-
les que selecionaram a alternativa C não
perceberam que o público-alvo do texto não
são apenas os adultos, mas, especialmente,
as crianças, principais alvos de bullying nas
escolas. Os que escolheram a alternativa E
não perceberam que bullying já é uma pala-
vra habitualmente usada pelos brasileiros,
independentemente de falarem ou não a lín-
gua inglesa.
SIMULADO ENEM – PÁG. 23
Questão 13
QE00391
C1
Aplicar as tecnologias da comunicação e
da informação na escola, no trabalho e em
outros contextos relevantes para sua vida.
H1
Identificar as diferentes linguagens e
seus recursos expressivos como elemen-
tos de caracterização dos sistemas de
comunicação.
Disponível em: <http://www.ivancabral.com>.
Acesso em 17 fev. 2014.
As charges sempre apresentam uma crítica con-
tundente ligada à atualidade. O principal recurso
empregado para isso, no caso desta charge, é
A a comparação, pelo fato de a praia ser suja e
seu nome ser praia de areia preta, o que reme-
te à cor a qual se costuma associar à sujeira.
B o humor, graças à quebra de expectativa do
leitor, que imagina que o protetor seja solar
e é surpreendido pelo pregador no nariz do
personagem.
C a hipérbole, já que é um exagero o perso-
nagem tapar o nariz para poder frequentar a
praia.
D a onomatopeia, ou seja, a imitação do som
proferido na resposta do personagem à per-
gunta feita pela mulher.
E ao eufemismo, que consiste na suavização da
mensagem, empregado pela mulher ao cha-
mar o pregador de protetor.
Justificativa:
O item envolve a competência de aplicar
as tecnologias da comunicação e da infor-
mação na escola, no trabalho e em outros
contextos relevantes para sua vida (C1)
e a habilidade de identificar as diferentes
linguagens e seus recursos expressivos
como elementos de caracterização dos sis-
temas de comunicação (H1). Os alunos que
assinalaram a alternativa B entendem que
o humor pode ser utilizado para fazer uma
crítica e reconheceram que o leitor, ao ler
a palavra protetor associada à imagem da
praia, pensa em protetor solar, e sua expec-
tativa é quebrada, quando ele descobre que
o protetor é um pregador de roupas, usa-
do para tapar o nariz do personagem a fim
de que ele não sinta o mau cheiro da praia
poluída. Fazendo essa associação, compre-
enderam que a crítica é relativa à poluição
ambiental. Os alunos que optaram pela al-
ternativa A não entenderam que não ocor-
reu a comparação explícita entre o nome da
praia e a cor preta e que a crítica não reside
nessa questão. Aqueles que escolheram a
alternativa C não entenderam que não ocor-
reu uma hipérbole (figura de linguagem
que consiste em expressar uma ideia de
forma exagerada), tampouco perceberam
que a crítica não está no uso do pregador
no nariz. Os que assinalaram a alternativa D
não compreenderam que a crítica pretendi-
da pelo autor não reside na maneira como
o personagem fala a palavra “peguei”. Já
aqueles que optaram pela alternativa E não
entenderam que a crítica não está no fato
de a mulher chamar o pregador de roupas
de protetor, além do fato de isso não con-
sistir num eufemismo (figura de linguagem
em que se usam termos mais agradáveis
para suavizar a mensagem).
SIMULADO ENEM – PÁG. 24
Questão 14
QE00393
C7
Confrontar opiniões e pontos de vista
sobre as diferentes linguagens e suas
manifestações específicas.
H22
Relacionar, em diferentes textos, opiniões,
temas, assuntos e recursos linguísticos.
Disponível em: <http://peloburacodaagulha.wordpress.
com/2012/05/10/susanita-dizendo-algo-sensato/>.
Acesso em: 22 fev. 2014.
O que mais me surpreende na humanidade
são os homens. Porque perdem a saúde para
juntar dinheiro. Depois perdem dinheiro para re-
cuperar a saúde. E, por pensarem ansiosamen-
te no futuro, esquecem do presente de tal forma
que acabam por não viver nem o presente nem
o futuro. E vivem como se nunca fossem mor-
rer. E morrem como se nunca tivessem vivido.
Dalai Lama
Disponível em: <http://mensagensepoemas.uol.com.br/
mensagem/o-que-mais-me-surpreende-na-humanidade-sao-
os-homens-porque-perdem-saude-para-juntar>.
Acesso em: 24 fev. 2014
Comparando os dois textos, é correto afirmar que
A o do Dalai Lama trata de um assunto sério,
enquanto o outro é uma simples conversa de
criança em que fica evidente a curiosidade tí-
pica dessa faixa etária.
B o do Dalai Lama pretende levar à reflexão, e o
outro tem o objetivo de divertir o leitor com a
ingenuidade das personagens.
C eles não estabelecem relação entre si já que
são totalmente distintos quanto ao tema e ao
propósito comunicativo.
D em ambos está presente uma crítica ao modo
de vida da maioria das pessoas da atualidade.
E ambos são do mesmo gênero textual e têm o
propósito comunicativo de relacionar o dinhei-
ro ao mundo do trabalho.
Justificativa:
O item avalia a habilidade dos alunos de
relacionar, em textos diferentes, opiniões,
temas, assuntos e recursos linguísticos
(H22). Aqueles que escolheram a alternati-
va D reconheceram o tema semelhante, já
que ambos os textos criticam o modo de
vida da maioria das pessoas que trabalha
demais e não aproveita a vida como deveria.
Aqueles que optaram pelas alternativas A, B
ou C não identificaram a semelhança entre o
tema dos textos e não sabem que os textos
do gênero tira também podem ter o propósi-
to de levar o leitor à reflexão. Os alunos que
escolheram a alternativa E não souberam
reconhecer a similaridade dos temas e tam-
pouco distinguir os gêneros textuais.
SIMULADO ENEM – PÁG. 25
Texto para as questões 15, 16 e 17
A IMPRENSA, A DEMOCRACIA E A
CIDADANIA
Jorge Werthein
REPRESENTANTE DA UNESCO NO BRASIL
O conceito clássico de democracia pressupõe
três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciá-
rio – equilibrados e exercendo mútuo controle
em benefício do conjunto da sociedade. A im-
prensa e os meios de comunicação formam
hoje uma parte indissolúvel do sistema demo-
crático moderno.
Não há como conceber democracia sem
uma imprensa livre e vigorosa. A imprensa é
um dos canais por meio dos quais a socie-
dade civil se manifesta, emite opiniões, troca
informações, vigia, denuncia e cobra dos três
poderes clássicos o perfeito funcionamento
daquilo que entendemos como democracia.
Por isto mesmo, por se tratar de parte tão
importante e sensível da democracia, a im-
prensa deve merecer uma permanente refle-
xão de todos nós. Um ponto central para esta
reflexão é a concepção de que a informação,
matéria-prima da imprensa, não pode ser
considerada mera mercadoria, já que ela é,
antes de tudo, um bem social, que deve estar
a serviço dos cidadãos e da cidadania.
Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/
texto/ue000254.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2014 (Adaptado).
Questão 15
QE00441
C6
Compreender e usar os sistemas simbóli-
cos das diferentes linguagens como meios
de organização cognitiva da realidade
pela constituição de significados, expres-
são, comunicação e informação.
H18
Identificar os elementos que concorrem
para a progressão temática e para a
organização e estruturação de textos de
diferentes gêneros e tipos.
A expressão que inicia o terceiro parágrafo esta-
belece uma relação semântica de
A adversidade.
B temporalidade.
C condicionalidade.
D causalidade.
E finalidade.
Justificativa:
A habilidade avaliada neste item é H18 -
Identificar os elementos que concorrem
para a progressão temática e para a orga-
nização e estruturação de textos de dife-
rentes gêneros e tipos.
O item tem por objetivo avaliar a capacida-
de do aluno de reconhecer que o uso do
elemento de conexão que inicia o terceiro
parágrafo estabelece relação de causalida-
de com o parágrafo anterior. Por essa ra-
zão, o aluno que assinalar a alternativa D
demonstra identificar esse recurso coesivo
e a relação semântica que ele estabelece
com o parágrafo anterior, que é de causa/
consequência. Já o aluno que assinalar as
alternativas A, B, C ou E pôde até identi-
ficar a expressão “por isto mesmo” como
elemento de ligação entre os parágrafos,
entretanto, não soube reconhecer qual a
relação semântica estabelecida pelo uso
do conectivo. Em A, a relação estabele-
cida seria de oposição ao que foi dito no
parágrafo anterior; em B, a relação seria
de continuidade na sequência temporal do
texto; em C, a relação de condicionalidade
expressaria que o que está registrado no
parágrafo anterior é condição para que o
expresso posteriormente seja verdadeiro.
Por fim, em E, a relação estabelecida teria
a intenção de indicar a finalidade do que
se declarou no parágrafo anterior.
SIMULADO ENEM – PÁG. 26
Questão 16
QE00439
C1
Aplicar as tecnologias da comunicação e
da informação na escola, no trabalho e em
outros contextos relevantes para sua vida.
H3
Relacionar informações geradas nos siste-
mas de comunicação e informação, consi-
derando a função social desses sistemas.
Ao relacionar a imprensa, a democracia e a cida-
dania, o texto esclarece
A o conceito de sociedade civil como manifes-
tação livre e vigorosa.
B o conteúdo que a imprensa tem de divulgar.
C a ideia de sociedade moderna.
D a concepção de informação como bem social.
E qual a matéria-prima da democracia.
Justificativa:
A habilidade avaliada neste item é H3 - Re-
lacionar informações geradas nos siste-
mas de comunicação e informação, consi-
derando a função social desses sistemas.
O item tem por objetivo verificar a capaci-
dade do aluno de relacionar as informações
apresentadas no texto a fim de identificar a
ideia resultante dessa relação. No caso, a
opção pela alternativa D demonstra que o
aluno conseguiu entender que, ao relacio-
nar imprensa, democracia e cidadania, o au-
tor tem por objetivo esclarecer a concepção
de informação como bem social. Já a opção
pelas alternativas A, B, C ou E demonstra
que o aluno não conseguiu reconhecer que
a relação feita pelo autor resulta na ideia de
informação como bem social, pois
Em A: no texto, “livre e vigorosa” são ter-
mos que se referem à imprensa apenas.
Em B: o autor não faz menção exatamen-
te ao conteúdo que a imprensa tem de
divulgar.
Em C: a ideia de sociedade moderna não
resulta, no texto, da relação entre impren-
sa, democracia e cidadania.
Em E: no texto, a informação é tratada
como a matéria-prima da imprensa, não da
democracia.
Questão 17
QE00440
C7
Confrontar opiniões e pontos de vista
sobre as diferentes linguagens e suas
manifestações específicas.
H22
Relacionar, em diferentes textos, opiniões,
temas, assuntos e recursos linguísticos.
No primeiro parágrafo do texto, os travessões são
empregados para
A justificar que, para haver democracia, é preci-
so que haja três poderes.
B explicar o que fazem os três poderes que sus-
tentam a democracia.
C explicitar os poderes referentes ao conceito
clássico de democracia.
D evidenciar a ordem de relevância referente
aos três poderes numa democracia.
E classificar os três poderes numa ordem de-
crescente de importância.
SIMULADO ENEM – PÁG. 27
Justificativa:
A habilidade avaliada neste item é H22 -
Relacionar, em diferentes textos, opiniões,
temas, assuntos e recursos linguísticos.
Por essa razão, o objetivo do item é veri-
ficar se o aluno reconhece o emprego do
travessão como recurso linguístico que,
no caso, tem a função de explicitar quais
os três poderes pressupostos pelo concei-
to clássico de democracia.
Assim, o aluno que assinalar a alternativa
C demonstra reconhecer essa função. Já a
opção pelas alternativas A, B, D ou E indi-
ca que o aluno não reconheceu a relação
entre o emprego do travessão e o efeito
de sentido decorrente desse uso no texto,
pois, apesar de os três poderes estarem
entre os travessões, em
A, o travessão não é empregado para justi-
ficar que para existir democracia é preciso
existir três poderes.
B, o travessão não é usado para explicar
a função dos três poderes como sustenta-
ção da democracia.
D e E, o travessão não é utilizado para evi-
denciar e/ou classificar a ordem de rele-
vância dos três poderes, apenas para ex-
plicitar quais são eles.
Questão 18
QE00448
C1
Aplicar as tecnologias da comunicação e
da informação na escola, no trabalho e em
outros contextos relevantes para sua vida.
H2
Recorrer aos conhecimentos sobre as
linguagens dos sistemas de comunicação
e informação para resolver problemas
sociais.
Glossário
Agregador – Leitor de arquivos RSS. Pode
ser instalado no computador ou
ser baseado na web.
Blog – Site atualizado regularmente com es-
trutura cronológica. O nome vem da
contração de duas palavras em inglês,
web (world wide web) e log, que signi-
fica registro.
E-mail – É o correio eletrônico, um modo de
trocar correspondência entre equi-
pamentos conectados à internet. É
um dos recursos mais utilizados por
todos os internautas ao redor do
mundo.
Download – Transferir dados ou programas
de um servidor para um compu-
tador. Em português, diz-se “bai-
xar” da internet, ou seja, buscar
algo que está online, no ar, e tra-
zer para o computador pessoal.
O oposto de upload.
Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/
download/texto/ea000095.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2014.
Usuários da internet recorrem ao glossário para
A obter esclarecimento sobre termos típicos do
mundo virtual.
B seguir instruções de como realizar a transfe-
rência de dados ou programas.
C conversar com outros internautas.
D escrever em blogs das mais diferentes
naturezas.
E registrar impressões pessoais e partilhá-las
nas redes sociais.
SIMULADO ENEM – PÁG. 28
Justificativa:
A habilidade avaliada neste item é H2 - Re-
correr aos conhecimentos sobre as lingua-
gens dos sistemas de comunicação e in-
formação para resolver problemas sociais.
Em razão disso, o objetivo do item é averi-
guar se o aluno sabe que é necessário se-
lecionar e acessar fontes de informações
adequadas para resolução de determinados
problemas. Assim, o aluno que assinalar a
alternativa A identifica o glossário como
um gênero que comporta informações so-
bre determinados termos, no caso, do mun-
do virtual. Já o aluno que assinalar B, C, D
ou E não reconhece que as ações expres-
sas nessas alternativas não demandam a
consulta a um glossário; algumas dessas
ações dependem, inclusive, de suportes vir-
tuais para serem realizadas. Em B, o gênero
mais adequado a ser consultado seria um
manual de instruções ou um tutorial. Em C,
seria necessário acessar, por exemplo, si-
tes de relacionamento, salas de bate-papo
virtual, fóruns virtuais, ou utilizar progra-
mas de compartilhamento de mensagens
instantâneas. Em D, a ferramenta utilizada
seria o blog, em que é possível digitar tex-
tos e disponibilizá-los para leitura de outros
internautas. Por fim, em E, seria necessá-
rio acessar as redes sociais para registrar e
compartilhar impressões pessoais.
Questão 19
QE00433
C9
Entender os princípios, a natureza, a
função e o impacto das tecnologias da
comunicação e da informação na sua vida
pessoal e social, no desenvolvimento do
conhecimento, associando-o aos conheci-
mentos científicos, às linguagens que lhes
dão suporte, às demais tecnologias, aos
processos de produção e aos problemas
que se propõem solucionar.
H30
Relacionar as tecnologias de comunica-
ção e informação ao desenvolvimento das
sociedades e ao conhecimento que elas
produzem.
NATIVO DIGITAL
Pela primeira vez a UIT [União Internacio-
nal de Telecomunicações] elaborou um mo-
delo para estimar a população nativa digital
no mundo. São considerados nativos digitais
os jovens conectados, de 15 a 24 anos de
idade, com cinco ou mais anos de experi-
ência online. O Brasil ocupa o 37º lugar no
ranking, com 60,2% dos jovens dessa faixa
etária conectados, equivalente a 20.081.178
pessoas, o que corresponde a 10,1% da po-
pulação total do País.
Excerto. Domicílios com acesso à Internet no Brasil
crescem de 38% em 2011 para 45% em 2012. 07 out. 2013.
Disponível em: < http://www.brasil.gov.br/governo/2013/10/
domicilios-com-acesso-a-internet-no-brasil-crescem-de-38-
2011-para-45-em-2012>. Acesso em: 24 fev. 2014.
Diante dos avanços das Tecnologias de Informa-
ção e Comunicação, é correto afirmar que nos
próximos anos
A a internet será expandida somente entre os
mais jovens.
B as redes sociais ficarão restritas aos que tive-
rem cinco anos de experiência online.
C haverá um aumento do número de jovens na-
tivos digitais.
D ocorrerá um declínio das redes sociais pelos
jovens nativos digitais.
E haverá exclusividade do uso da internet pelos
jovens nativos digitais.
SIMULADO ENEM – PÁG. 29
Justificativa:
O item avalia a habilidade H30 – Relacionar
as tecnologias da comunicação e informa-
ção ao desenvolvimento das sociedades e
ao conhecimento que elas produzem.
O item verifica a compreensão dos dados
do texto e a capacidade do aluno relacioná-
-los ao seu contexto. O aluno precisa con-
siderar que a tendência é o crescimento
do acesso às novas tecnologias, de modo
a propiciar uma maior inserção dos jovens
no meio digital. Assim, a alternativa corre-
ta é a C. A opção pelas alternativas A ou E
indica que o aluno ateve-se ao fato contex-
tual de os jovens serem os que mais aces-
sam a internet, sem considerar que todos,
independentemente da faixa etária, serão
afetados. A opção pelas alternativas B ou
D demonstra que o aluno não reconheceu
que os avanços tecnológicos cada vez mais
favorecerão o acesso às redes sociais e que
não ficarão restritos a determinados grupos.
Questão 20
QE00394
C8
Compreender e usar a língua portuguesa
como língua materna, geradora de signi-
ficação e integradora da organização do
mundo e da própria identidade.
H25
Identificar, em textos de diferentes gêne-
ros, as marcas linguísticas que singula-
rizam as variedades linguísticas sociais,
regionais e de registro.
— DIA, CUMADE! O CUMPADE TÁ?
— NUM TÁ NÃO... FOI CAÇÁ PACA, LÁ
PRAS BANDA DO MATÃO...
— OIA, CUMADE, QUE NAQUELAS BAN-
DA TEM ONÇA PINTADA! O CUMPADE FOI
ANSIM MERMO?
— I NUM É QUE FOI? I EU DISSE PRA
ELE: ‘HOME, OIA QUE É PERIGOSO’...
— I QUE FOI QUE ELE RISPONDEU?
— A ONÇA VEM I EU PEGO ELA DI JEI-
TO, MUIÉ, NUM SI PRIOCUPE...
— QUÉ ENTRÁ UN POCO, I PROVÁ DA
MINHA CUMIDA, CUMPADE?
— OBRIGADU POR MI OFRECÊ DA SUA
CUMIDA, CUMADE, MÁ ANGORA MI VÔ
MERMO!
Disponível em: <http://www.luso-poemas.net/modules/news/
article.php?storyid=125601>. Acesso em: 19 fev. 2014.
(Adaptado)
Analisando-se a linguagem do diálogo, é correto
afirmar que ela é característica de pessoas
A analfabetas que não tiveram o privilégio de
aprender a falar corretamente a língua portu-
guesa.
B consideradas analfabetas funcionais, já que
apresentam dificuldade em utilizar a norma
culta.
C que não têm muita intimidade, por isso a pre-
ferência pela formalidade, demonstrada, inclu-
sive, pela recusa ao convite para comer.
D residentes na zona rural, constituindo-se num
exemplo da chamada variedade caipira.
E que têm intimidade e que, por isso, dão pre-
ferência à linguagem coloquial típica da zona
urbana.
SIMULADO ENEM – PÁG. 30
Justificativa:
O item avalia a habilidade dos alunos de
identificar as marcas linguísticas que singu-
larizam as variedades linguísticas sociais,
regionais e de registro (H25). Os alunos que
marcaram a alternativa D conseguiram re-
conhecer que a linguagem utilizada no tex-
to é uma variedade regional, chamada de
linguagem caipira, própria de quem mora
na zona rural. Já os que escolheram as al-
ternativas A ou B demonstraram que ainda
pensam que as pessoas da zona rural falam
de maneira errada e que a fala da cidade é
superior. Os que optaram pela alternativa C
não atentaram para o fato de que o diálogo
se dá entre compadres, o que pressupõe
que sejam pessoas próximas, além do fato
de que a linguagem utilizada não é nada for-
mal. Aqueles que escolheram a alternativa
E não perceberam que a linguagem utiliza-
da no diálogo não é própria da cidade.
Questão 21
QE00395
C1
Aplicar as tecnologias da comunicação e
da informação na escola, no trabalho e em
outros contextos relevantes para sua vida.
H4
Reconhecer posições críticas aos usos so-
ciais que são feitos das linguagens e dos
sistemas de comunicação e informação.
FALA DO VELHO DO RESTELO AO
ASTRONAUTA
de José Saramago
Aqui, na Terra, a fome continua,
A miséria, o luto, e outra vez a fome.
Acendemos cigarros em fogos de napalme
E dizemos amor sem saber o que seja.
Mas fizemos de ti a prova da riqueza,
E também da pobreza, e da fome outra vez.
E pusemos em ti sei lá bem que desejo
De mais alto que nós, e melhor e mais puro.
No jornal, de olhos tensos, soletramos
As vertigens do espaço e maravilhas:
Oceanos salgados que circundam
Ilhas mortas de sede, onde não chove.
Mas o mundo, astronauta, é boa mesa
Onde come, brincando, só a fome,
Só a fome, astronauta, só a fome,
E são brinquedos as bombas de napalme.
In: OS POEMAS POSSÍVEIS, Editorial CAMINHO, Lisboa,
1981. 3ª edição.
Disponível em: <http://blogdospoetas.com.br/poemas/fala-do-
velho-do-restelo-ao-astronauta/>. Acesso em: 19 fev. 2014.
A mensagem veiculada no texto do poeta portu-
guês José Saramago
A exalta a contribuição dos astronautas para o
progresso da Terra.
B ressalta as maravilhas do espaço sideral que
compensam o que há de ruim na Terra.
C evidencia a fartura de alimentos no verso
“Mas o mundo, astronauta, é boa mesa”.
D salienta o amor, que tende a crescer, nos difí-
ceis tempos de guerra.
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores
Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
Linha de tempo
Linha de tempo Linha de tempo
Linha de tempo
 
Prosa e Poesia
Prosa e PoesiaProsa e Poesia
Prosa e Poesia
 
10460 teoria literaria
10460 teoria literaria10460 teoria literaria
10460 teoria literaria
 
Carta Pessoal
Carta PessoalCarta Pessoal
Carta Pessoal
 
O romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geraçãoO romantismo da segunda geração
O romantismo da segunda geração
 
Prosa x poema x soneto
Prosa x poema x sonetoProsa x poema x soneto
Prosa x poema x soneto
 
Seminário de Literatura para Ensino Médio
Seminário de Literatura para Ensino MédioSeminário de Literatura para Ensino Médio
Seminário de Literatura para Ensino Médio
 
Classicismo
ClassicismoClassicismo
Classicismo
 
teatro romantico
teatro romanticoteatro romantico
teatro romantico
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Semantica
SemanticaSemantica
Semantica
 
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1Atividade extra-sobre-variação-linguística-1
Atividade extra-sobre-variação-linguística-1
 
Gênero poesia
Gênero poesiaGênero poesia
Gênero poesia
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
 
I - Juca Pirama
I - Juca Pirama I - Juca Pirama
I - Juca Pirama
 
ROMANTISMO
ROMANTISMOROMANTISMO
ROMANTISMO
 
Currículo de Língua Portuguesa para o Ensino Médio - PE
Currículo de  Língua Portuguesa para o Ensino Médio -  PECurrículo de  Língua Portuguesa para o Ensino Médio -  PE
Currículo de Língua Portuguesa para o Ensino Médio - PE
 
Resposta das questôes os sertões- euclides da cunha
Resposta das questôes   os sertões-  euclides da cunhaResposta das questôes   os sertões-  euclides da cunha
Resposta das questôes os sertões- euclides da cunha
 

Semelhante a Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores

I Colóquio “Sintonizados no ENEM”
I Colóquio “Sintonizados no ENEM” I Colóquio “Sintonizados no ENEM”
I Colóquio “Sintonizados no ENEM” EEEP Edson Queiroz
 
Manual do estudante_do_ensino_medio_2015
Manual do estudante_do_ensino_medio_2015Manual do estudante_do_ensino_medio_2015
Manual do estudante_do_ensino_medio_2015josiel rodrigues
 
Reunião 3 colegiais
Reunião 3 colegiaisReunião 3 colegiais
Reunião 3 colegiaisrobertaoliva
 
Prova saerj matemática terceiro ano
Prova saerj matemática terceiro anoProva saerj matemática terceiro ano
Prova saerj matemática terceiro anoRodolfo Freitas
 
Prova saerj matemática sexto ano
Prova saerj matemática sexto anoProva saerj matemática sexto ano
Prova saerj matemática sexto anoRodolfo Freitas
 
Prova saerj matemática nono ano
Prova saerj matemática nono anoProva saerj matemática nono ano
Prova saerj matemática nono anoRodolfo Freitas
 
CADERNO DO PROFESSOR - COLETÂNEA ENEM (1).pdf
CADERNO DO PROFESSOR - COLETÂNEA ENEM (1).pdfCADERNO DO PROFESSOR - COLETÂNEA ENEM (1).pdf
CADERNO DO PROFESSOR - COLETÂNEA ENEM (1).pdfOSIELDEOLIVEIRAANDRA
 
A gestão da escola aprendente
A gestão da escola aprendenteA gestão da escola aprendente
A gestão da escola aprendentetelasnorte1
 
Prática de Ensino do Ensino Médio - Aula dia 1303.pdf
Prática de Ensino do Ensino Médio - Aula dia 1303.pdfPrática de Ensino do Ensino Médio - Aula dia 1303.pdf
Prática de Ensino do Ensino Médio - Aula dia 1303.pdfHeldelene Cavalcanti
 
[INFOGRÁFICO] Novo Ensino Médio.pdf
[INFOGRÁFICO] Novo Ensino Médio.pdf[INFOGRÁFICO] Novo Ensino Médio.pdf
[INFOGRÁFICO] Novo Ensino Médio.pdfdjincognito
 
Pnaic 4ª aula avaliação parte i diferentes propostas de avaliações na rmc
Pnaic 4ª aula avaliação   parte i  diferentes propostas de avaliações  na rmcPnaic 4ª aula avaliação   parte i  diferentes propostas de avaliações  na rmc
Pnaic 4ª aula avaliação parte i diferentes propostas de avaliações na rmctlfleite
 
{4 da513b4 3453-4b47-a322-13cd37811a9c}-matemática final
{4 da513b4 3453-4b47-a322-13cd37811a9c}-matemática final{4 da513b4 3453-4b47-a322-13cd37811a9c}-matemática final
{4 da513b4 3453-4b47-a322-13cd37811a9c}-matemática finalSuellen Pessoa
 

Semelhante a Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores (20)

I Colóquio “Sintonizados no ENEM”
I Colóquio “Sintonizados no ENEM” I Colóquio “Sintonizados no ENEM”
I Colóquio “Sintonizados no ENEM”
 
Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013Informações sobre o ENEM 2013
Informações sobre o ENEM 2013
 
Manual do estudante_do_ensino_medio_2015
Manual do estudante_do_ensino_medio_2015Manual do estudante_do_ensino_medio_2015
Manual do estudante_do_ensino_medio_2015
 
Reunião 3 colegiais
Reunião 3 colegiaisReunião 3 colegiais
Reunião 3 colegiais
 
Manual enem-2014
Manual enem-2014Manual enem-2014
Manual enem-2014
 
Prova saerj matemática terceiro ano
Prova saerj matemática terceiro anoProva saerj matemática terceiro ano
Prova saerj matemática terceiro ano
 
Prova saerj matemática sexto ano
Prova saerj matemática sexto anoProva saerj matemática sexto ano
Prova saerj matemática sexto ano
 
Prova saerj matemática nono ano
Prova saerj matemática nono anoProva saerj matemática nono ano
Prova saerj matemática nono ano
 
Enem
EnemEnem
Enem
 
CADERNO DO PROFESSOR - COLETÂNEA ENEM (1).pdf
CADERNO DO PROFESSOR - COLETÂNEA ENEM (1).pdfCADERNO DO PROFESSOR - COLETÂNEA ENEM (1).pdf
CADERNO DO PROFESSOR - COLETÂNEA ENEM (1).pdf
 
A gestão da escola aprendente
A gestão da escola aprendenteA gestão da escola aprendente
A gestão da escola aprendente
 
FAQ - EstamosON
FAQ - EstamosONFAQ - EstamosON
FAQ - EstamosON
 
Prática de Ensino do Ensino Médio - Aula dia 1303.pdf
Prática de Ensino do Ensino Médio - Aula dia 1303.pdfPrática de Ensino do Ensino Médio - Aula dia 1303.pdf
Prática de Ensino do Ensino Médio - Aula dia 1303.pdf
 
SISTEMAS ENEM/SISU
SISTEMAS ENEM/SISUSISTEMAS ENEM/SISU
SISTEMAS ENEM/SISU
 
[INFOGRÁFICO] Novo Ensino Médio.pdf
[INFOGRÁFICO] Novo Ensino Médio.pdf[INFOGRÁFICO] Novo Ensino Médio.pdf
[INFOGRÁFICO] Novo Ensino Médio.pdf
 
Slide alunos 2015 revisado-1
Slide alunos 2015 revisado-1Slide alunos 2015 revisado-1
Slide alunos 2015 revisado-1
 
Saeb10 cb 004_01
Saeb10 cb 004_01Saeb10 cb 004_01
Saeb10 cb 004_01
 
Enem
EnemEnem
Enem
 
Pnaic 4ª aula avaliação parte i diferentes propostas de avaliações na rmc
Pnaic 4ª aula avaliação   parte i  diferentes propostas de avaliações  na rmcPnaic 4ª aula avaliação   parte i  diferentes propostas de avaliações  na rmc
Pnaic 4ª aula avaliação parte i diferentes propostas de avaliações na rmc
 
{4 da513b4 3453-4b47-a322-13cd37811a9c}-matemática final
{4 da513b4 3453-4b47-a322-13cd37811a9c}-matemática final{4 da513b4 3453-4b47-a322-13cd37811a9c}-matemática final
{4 da513b4 3453-4b47-a322-13cd37811a9c}-matemática final
 

Mais de Privada

Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoPrivada
 
Idade Média - Curso completo
Idade Média - Curso completoIdade Média - Curso completo
Idade Média - Curso completoPrivada
 
Culturas indigenas-pre-colombianas
Culturas indigenas-pre-colombianasCulturas indigenas-pre-colombianas
Culturas indigenas-pre-colombianasPrivada
 
Matrículas abertas e com novidades
Matrículas abertas e com novidadesMatrículas abertas e com novidades
Matrículas abertas e com novidadesPrivada
 
Matrículas abertas e com novidades
Matrículas abertas e com novidadesMatrículas abertas e com novidades
Matrículas abertas e com novidadesPrivada
 
Nova republica
Nova republicaNova republica
Nova republicaPrivada
 
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)Privada
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade modernaPrivada
 
Egito Antigo - 1º Ano
Egito Antigo - 1º AnoEgito Antigo - 1º Ano
Egito Antigo - 1º AnoPrivada
 
Mesopotâmia 1º Ano
Mesopotâmia 1º AnoMesopotâmia 1º Ano
Mesopotâmia 1º AnoPrivada
 
Mesopotamia 1 1 ano (1)
Mesopotamia 1   1 ano (1)Mesopotamia 1   1 ano (1)
Mesopotamia 1 1 ano (1)Privada
 
Pré-história
Pré-históriaPré-história
Pré-históriaPrivada
 
Primeira guerra 9º ano
Primeira guerra 9º anoPrimeira guerra 9º ano
Primeira guerra 9º anoPrivada
 
Ano novo
Ano novoAno novo
Ano novoPrivada
 
UESB Manual do-candidato-2016
UESB Manual do-candidato-2016UESB Manual do-candidato-2016
UESB Manual do-candidato-2016Privada
 
Uesb2015 cad2
Uesb2015 cad2Uesb2015 cad2
Uesb2015 cad2Privada
 
Ditadura releitura
Ditadura   releituraDitadura   releitura
Ditadura releituraPrivada
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militarPrivada
 
Governos populistas(1945-1964) resumo
Governos populistas(1945-1964)   resumoGovernos populistas(1945-1964)   resumo
Governos populistas(1945-1964) resumoPrivada
 

Mais de Privada (20)

Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
 
Idade Média - Curso completo
Idade Média - Curso completoIdade Média - Curso completo
Idade Média - Curso completo
 
Culturas indigenas-pre-colombianas
Culturas indigenas-pre-colombianasCulturas indigenas-pre-colombianas
Culturas indigenas-pre-colombianas
 
Matrículas abertas e com novidades
Matrículas abertas e com novidadesMatrículas abertas e com novidades
Matrículas abertas e com novidades
 
Matrículas abertas e com novidades
Matrículas abertas e com novidadesMatrículas abertas e com novidades
Matrículas abertas e com novidades
 
Nova republica
Nova republicaNova republica
Nova republica
 
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
Grécia
GréciaGrécia
Grécia
 
Egito Antigo - 1º Ano
Egito Antigo - 1º AnoEgito Antigo - 1º Ano
Egito Antigo - 1º Ano
 
Mesopotâmia 1º Ano
Mesopotâmia 1º AnoMesopotâmia 1º Ano
Mesopotâmia 1º Ano
 
Mesopotamia 1 1 ano (1)
Mesopotamia 1   1 ano (1)Mesopotamia 1   1 ano (1)
Mesopotamia 1 1 ano (1)
 
Pré-história
Pré-históriaPré-história
Pré-história
 
Primeira guerra 9º ano
Primeira guerra 9º anoPrimeira guerra 9º ano
Primeira guerra 9º ano
 
Ano novo
Ano novoAno novo
Ano novo
 
UESB Manual do-candidato-2016
UESB Manual do-candidato-2016UESB Manual do-candidato-2016
UESB Manual do-candidato-2016
 
Uesb2015 cad2
Uesb2015 cad2Uesb2015 cad2
Uesb2015 cad2
 
Ditadura releitura
Ditadura   releituraDitadura   releitura
Ditadura releitura
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Governos populistas(1945-1964) resumo
Governos populistas(1945-1964)   resumoGovernos populistas(1945-1964)   resumo
Governos populistas(1945-1964) resumo
 

Último

Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptxPedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptxleandropereira983288
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasillucasp132400
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxAD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxkarinedarozabatista
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptxLírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptxfabiolalopesmartins1
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavrasMary Alvarenga
 
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSlides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSilvana Silva
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 

Último (20)

Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptxPedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
Pedologia- Geografia - Geologia - aula_01.pptx
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxAD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptxLírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavras
 
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSlides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 

Simulados ENEM Moderna PLUS guia professores

  • 1. Moderna PLUS CADERNO DO PROFESSOR 100% de questões inéditas e exclusivas capas_plus.indd 4 15/9/14 11:06 AM
  • 2. Os simulados estão estruturados da seguinte forma: c Simulados de revisão do 1º ano: distribuídos em 4 cadernos com 45 questões cada, um para cada área do conhecimento: Linguagens e suas tecnologias + Redação; Matemática e suas tecnologias; Ciências Naturais e suas tecnologias; e Ciências Humanas e suas tecnologias. c Simulados de revisão do 1º e 2º anos: distribuídos em 4 cadernos com 45 questões cada. c Simulados de revisão de todo o Ensino Médio: distribuídos em 4 cadernos com 45 questões cada. Cada simulado tem 2 versões, uma para o professor, com comentários baseados nos distratores e descritivos do binômio competência-habilidade desenvolvida na questão; e outra para o aluno, oferecida em nosso site em arquivos prontos para imprimir com espaços para resolução, seguindo formato idêntico ao Enem. Tudo para que o aluno tenha uma vivência significativa. Além disso, a escola poderá realizar um grande simulado, reunindo os 4 cadernos de cada ano para formar um exame com as 180 questões e uma proposta de redação, como proposto na prova original do ENEM. Esperamos levar para você uma forma prática de promover uma revisão dos conteúdos e acompanhar o desempenho dos alunos, de forma conectada com as demandas da atualidade. Boa revisão! Este material faz parte da coleção de Simulados ENEM, com 100% de questões inéditas e exclusivas para alunos e professores da rede pública de ensino. Desenvolvemos 12 simulados especiais, considerando as novas demandas do Ensino Médio, a partir das quatro grandes áreas do conhecimento propostas pelo Enem. Nosso objetivo é oferecer um subsídio diferenciado para ajudá-lo a compreender a matriz de referência do ENEM na prática e, sobretudo, auxiliar o processo de preparação dos alunos para o maior exame do país. Caro educador, instrucoes_plus.indd 1 15/9/14 11:16 AM
  • 3. www.modernaplus.com.br Conheça os simulados por dentro: c No início de cada questão, o binômio competência-habilidade permite compreender na prática a matriz de referência do ENEM. c Os comentários são inseridos somente no material do professor, com base nos distratores de cada item. cAs páginas de questões seguem a mesma numeração dos simulados do aluno, para facilitar a localização. Baixe todas os volumes do professor e do aluno. Acesse o menu ENEM e selecione o item Simulados Enem. cNo site, você encontra os simulados do aluno, que vêm prontos para imprimir. instrucoes_plus.indd 2 15/9/14 11:16 AM
  • 4. Desde 1998, o MEC aplica anualmente uma prova voltada aos estudantes de Ensino Médio do Brasil – é o Exame Nacional do Ensino Médio, ou simplesmente Enem. O objetivo principal do Exame é diagnosticar a qualidade do ensino no país. Contudo, ao longo dos anos de aplicação, e com adoção de melhorias metodológicas, outras funções foram agregadas a essa avaliação. DIFERENTES OBJETIVOS AO LONGO DOS ANOS Em 1998 c Avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica, para aferir o desenvolvimento de competências fundamentais ao exercício pleno da cidadania. c Oferecer uma referência para que cada estudante possa proceder à sua autoavaliação, visando às escolhas futuras, tanto em relação ao mercado de trabalho quanto à continuidade dos estudos. c Estruturar uma avaliação da educação básica que sirva como modalidade alternativa ou complementar aos processos de seleção nos diferentes setores do mundo do trabalho. c Estruturar uma avaliação da educação básica que sirva como modalidade alternativa ou complementar aos exames de acesso aos cursos profissionalizantes pós-médios e ao Ensino Superior. Em 2006 Como o Enem não é uma avaliação obrigatória, para incentivar a participação dos estudantes, diversas universidades (em especial, as públicas), passaram a permitir o uso das notas no Enem como parte de seus processos seletivos. Nesse contexto, os objetivos do Exame passaram a ser: c Avaliar competências e habilidades desenvolvidas ao longo da educação básica. c Possibilitar que o aluno faça uso dos resultados alcançados no Enem em processos de seleção para o mercado de trabalho, nas instituições que utilizarem tal critério. c Permitir que o aluno use o Enem como alternativa ou como reforço ao vestibular, nas instituições que oferecerem esta possibilidade. c Proporcionar ao aluno a possibilidade de concorrer a uma bolsa pelo ProUni e outros programas governamentais de auxílio financeiro. Desde 2009 Com a adoção da Teoria de Resposta ao Item (TRI)para o cálculo das notas, os resultados das aplicações do Enem começaram a ser passíveis de comparação, o que possibilitou um acompanhamento das tendências de crescimento ou queda da aprendizagem. c Servir de referência para que cada cidadão possa proceder à sua autoavaliação com vistas em suas escolhas futuras, tanto em relação ao mundo do trabalho, quanto em relação à continuidade dos estudos. c Atuar como modalidade alternativa ou complementar aos processos de seleção nos diferentes setores do mundo do trabalho. c Atuar como modalidade alternativa ou complementar aos exames de acesso aos cursos profissionalizantes, pós-médios e à educação superior. Um panorama do Enem panorama_plus.indd 1 15/9/14 4:58 PM
  • 5. c Possibilitar a participação e criar condições de acesso a programas governamentais. c Promover a certificação de jovens e adultos no nível de conclusão do Ensino Médio. c Promover a avaliação do desempenho acadêmico das escolas de Ensino Médio, de forma que cada unidade escolar receba o resultado global. c Promover a avaliação do desempenho acadêmico dos estudantes ingressantes nas instituições de Ensino Superior. PORTAS ABERTAS PELO EXAME Um bom desempenho no Enem pode garantir ao participante o acesso a programas de incentivo governamentais, como: Prouni (Programa Universidade para Todos) Dirigido aos estudantes egressos do Ensino Médio da rede pública ou particular na condição de bolsistas integrais, com renda per capita familiar de até três salários mínimos, visa à concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e de formação específica, em instituições privadas de Ensino Superior. Sisu (Sistema de Seleção Unificada) Tendo a nota do Enem como único critério, o Sisu seleciona os candidatos às vagas das instituições públicas de Ensino Superior cadastradas. Ciência sem Fronteiras Programa do Governo Federal criado em 2011, que incentiva estudantes e pesquisadores a realizarem intercâmbio em instituições estrangeiras de alto nível, com o objetivo de potencializar o desenvolvimento tecnológico e científico. Desta maneira, as áreas prioritárias em que as bolsas são concedidas são ciências exatas e biológicas. AS UNIVERSIDADES Como já vimos, desde 2009, um dos objetivos do Enem é promover o acesso às instituições de Ensino Superior. Hoje em dia, diversas universidades utilizam a nota do Enem em seu processo seletivo, adotando uma das seguintes formas: c Como critério único de seleção, em substituição ao vestibular tradicional. c Como primeira fase do processo seletivo, mantendo a segunda fase elaborada pela instituição. c Com a concessão de um acréscimo à pontuação do candidato no processo seletivo organizado pela instituição, dependendo da pontuação obtida no Enem. c Como critério de preenchimento de vagas remanescentes. panorama_plus.indd 2 15/9/14 4:58 PM
  • 6. VANTAGENS DO NOVO ENEM Até 2008, a prova do Enem trazia 63 questões interdisciplinares, além da proposta de redação. As perguntas de múltipla escolha careciam de uma articulação direta com os conteúdos do Ensino Médio, e a metodologia de contabilização das notas impossibilitava a comparação dos resultados de diferentes edições. A partir de 2009, o exame passou a ser pensado de maneira que pudesse ser comparável no tempo, ou seja, a pontuação obtida em um determinado ano poderá ser cotejada com a de anos seguintes, de modo a permitir um acompanhamento das tendências de melhoria ou decréscimo da aprendizagem. Além disso, ele aborda mais explicitamente os componentes curriculares do Ensino Médio, com cada uma das provas sendo relativa a uma área do conhecimento: 1. Linguagens, códigos e suas tecnologias (Língua Portuguesa, Arte, Educação Física, Língua Estrangeira Moderna – Inglês e Espanhol e uma proposta de redação). 2. Matemática e suas tecnologias. 3. Ciências da natureza e suas tecnologias (Biologia, Física e Química). 4. Ciências humanas e suas tecnologias (História, Geografia, Sociologia e Filosofia). INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO Sendo agrupadas em áreas de conhecimento ao invés das tradicionais disciplinas escolares, as questões do Enem são coerentes com o próprio conhecimento humano, que não é subdividido em “gavetas”, e sim concebido como uma ampla rede, mutável e heterogênea. Outra característica das questões do Enem é a contextualização, cujo objetivo é estabelecer relações entre o conhecimento e o mundo ao redor. No enunciado, elas apresentam uma situação-problema, desafiadora e claramente relacionada ao contexto. Para responder às questões, o aluno deverá se apoiar tanto em seus conhecimentos prévios como nas informações trazidas no próprio enunciado. Desta maneira, o candidato terá cinco notas diferentes: para as quatro áreas do conhecimento e para a redação. Assim, apesar do Enem não contemplar pesos distintos a essas áreas, as instituições de Ensino Superior podem atribuir seus próprios critérios, com a finalidade de classificar os candidatos entre as carreiras pleiteadas. TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM (TRI) Como vimos anteriormente, o Enem é pensado para que seja possível estabelecer uma comparação entre as notas de suas edições. Este é um dos atributos da metodologia chamada de Teoria de Resposta ao Item, que reúne o conjunto de modelos que relacionam uma ou mais habilidades com a probabilidade do candidato selecionar a resposta correta. A Teoria de Resposta ao Item engloba um conjunto de modelos matemáticos utilizados para o cálculo das proficiências dos alunos em um teste. Tomando como unidade básica de análise cada item isoladamente, a TRI relaciona a probabilidade de acerto do item com a competência do aluno. Essa relação tem sempre um caráter crescente; dessa forma, quanto maior a competência do respondente, maior a sua probabilidade de acertar o item. panorama_plus.indd 3 15/9/14 4:58 PM
  • 7. Os principais benefícios trazidos por essa Teoria são a garantia de comparabilidade dos resultados entre os anos de aplicação da avaliação (condição obrigatória para a verificação dos movimentos de melhoria ou de queda de rendimento do sistema educacional) e o auxílio ao desenvolvimento de uma interpretação pedagógica dos resultados, isto é, um diagnóstico dos conhecimentos e habilidades que os alunos demonstraram conhecer e realizar, e também daqueles que ainda precisam ser reforçados. Caráter nacional e sem decoreba Como um dos objetivos do Enem é democratizar o ensino, possibilitando aos estudantes uma maior mobilidade entre as universidades do país, o conteúdo das questões do Exame não contêm particularidades pontuais de determinadas regiões do país, garantindo igualdade aos candidatos dos mais diversos lugares. Além disso, as provas correlacionam mais diretamente as habilidades ao conjunto dos conteúdos habitualmente estudados no Ensino Médio. Desta maneira, preserva-se o predomínio absoluto de questões que buscam explorar não o simples resgate da informação, mas a aplicação prática do conhecimento. ENEM 2014 A edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio bateu o recorde de candidatos aptos, com 8.721.946 pessoas – 21% de crescimento em relação ao ano passado. Este é apenas um entre outros números expressivos da prova que acontecerá nos dias 8 e 9 de novembro de 2014. De acordo com o ministro da Educação, Henrique Paim, o crescimento foi acima da expectativa, que era de 8 milhões de inscritos, e tem como justificativa um “despertar em torno da questão da educação, especialmente com o crescimento das oportunidades oferecidas pelo Governo Federal”. Outro número de destaque foi o de inscritos com mais de 20 anos: quase 4 milhões, sendo que 1,35 milhão está acima dos 30. “Nós temos uma dívida educacional muito grande. Essa é uma boa notícia. As pessoas estão vendo que podem retomar os estudos. Isso é bom para o País”, afirmou Paim. Confira outros números relacionados às inscrições do Enem 2014 (Fonte: INEP): c Gênero: 58,11% são homens e 44,88% são mulheres c Regiões: Sudeste – 35,27%; Nordeste – 32,99%; Sul – 11,97%; Norte – 10,89%; Centro-Oeste e Distrito Federal – 8,88% panorama_plus.indd 4 15/9/14 4:58 PM
  • 8. LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Competência de área 1: Aplicar as tecnologias da comunicação e da informação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida. H1 - Identificar as diferentes linguagens e seus recursos expressivos como elementos de caracterização dos sistemas de comunicação. H2 - Recorrer aos conhecimentos sobre as linguagens dos sistemas de comunicação e informação para resolver problemas sociais. H3 - Relacionar informações geradas nos sistemas de comunicação e informação, considerando a função social desses sistemas. H4 - Reconhecer posições críticas aos usos sociais que são feitos das linguagens e dos sistemas de comunicação e informação. Competência de área 2: Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e grupos sociais. H5 – Associar vocábulos e expressões de um texto em LEM ao seu tema. H6 - Utilizar os conhecimentos da LEM e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a informações, tecnologias e culturas. H7 – Relacionar um texto em LEM, as estruturas linguísticas, sua função e seu uso social. H8 - Reconhecer a importância da produção cultural em LEM como representação da diversidade cultural e linguística. Competência de área 3: Compreender e usar a linguagem corporal como relevante para a própria vida, integradora social e formadora da identidade. H9 - Reconhecer as manifestações corporais de movimento como originárias de necessidades cotidianas de um grupo social. H10 - Reconhecer a necessidade de transformação de hábitos corporais em função das necessidades cinestésicas. H11 - Reconhecer a linguagem corporal como meio de interação social, considerando os limites de desempenho e as alternativas de adaptação para diferentes indivíduos. Competência de área 4: Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrador da organização do mundo e da própria identidade. H12 - Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho da produção dos artistas em seus meios culturais. H13 - Analisar as diversas produções artísticas como meio de explicar diferentes culturas, padrões de beleza e preconceitos. H14 - Reconhecer o valor da diversidade artística e das inter-relações de elementos que se apresentam nas manifestações de vários grupos sociais e étnicos. Competência de área 5: Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção. H15 - Estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político. Matriz de Referência do Enem matrizes_plus.indd 1 15/9/14 4:43 PM
  • 9. H16 - Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário. H17 - Reconhecer a presença de valores sociais e humanos atualizáveis e permanentes no patrimônio literário nacional. Competência de área 6: Compreender e usar os sistemas simbólicos das diferentes linguagens como meios de organização cognitiva da realidade pela constituição de significados, expressão, comunicação e informação. H18 - Identificar os elementos que concorrem para a progressão temática e para a organização e estruturação de textos de diferentes gêneros e tipos. H19 - Analisar a função da linguagem predominante nos textos em situações específicas de interlocução. H20 - Reconhecer a importância do patrimônio linguístico para a preservação da memória e da identidade nacional. Competência de área 7: Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas. H21 - Reconhecer em textos de diferentes gêneros, recursos verbais e não verbais utilizados com a finalidade de criar e mudar comportamentos e hábitos. H22 - Relacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos. H23 - Inferir em um texto quais são os objetivos de seu produtor e quem é seu público-alvo, pela análise dos procedimentos argumentativos utilizados. H24 - Reconhecer no texto estratégias argumentativas empregadas para o convencimento do público, tais como intimidação, sedução, comoção, chantagem, entre outras. Competência de área 8: Compreender e usar a língua portuguesa como língua materna, geradora de significação e integradora da organização do mundo e da própria identidade. H25 - Identificar, em textos de diferentes gêneros, as marcas linguísticas que singularizam as variedades linguísticas sociais, regionais e de registro. H26 - Relacionar as variedades linguísticas a situações específicas de uso social. H27 - Reconhecer os usos da norma padrão da língua portuguesa nas diferentes situações de comunicação. Competência de área 9: Entender os princípios, a natureza, a função e o impacto das tecnologias da comunicação e da informação na sua vida pessoal e social, no desenvolvimento do conhecimento, associando-o aos conhecimentos científicos, às linguagens que lhes dão suporte, às demais tecnologias, aos processos de produção e aos problemas que se propõem solucionar. H28 - Reconhecer a função e o impacto social das diferentes tecnologias da comunicação e informação. H29 - Identificar pela análise de suas linguagens, as tecnologias da comunicação e informação. H30 - Relacionar as tecnologias de comunicação e informação ao desenvolvimento das sociedades e ao conhecimento que elas produzem. matrizes_plus.indd 2 15/9/14 4:43 PM
  • 10. Material do Professor PROVA DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS E REDAÇÃO Leia atentamente as instruções seguintes 1. Este caderno de teste contém 45 questões numeradas de 1 a 45, dispostas da seguinte maneira: a. As questões de 1 a 45 são relativas à área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; b. As questões de 1 a 5 são relativas à Língua Estrangeira (inglês ou espanhol); c. A Proposta de Redação. 2. Não dobre, não amasse, nem rasure a Folha de Respostas. Ela não pode ser substituída. 3. Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 opções, identificadas pelas letras A, B, C, D e E. Apenas uma responde corretamente a questão. 4. Na Folha de Respostas, marque, para cada questão, a letra correspondente à opção escolhida para a resposta, preenchendo todo o espaço da alternativa, com caneta esferográfica de tinta azul ou preta, conforme o exemplo abaixo: A B C D E Você deve, portanto, assinalar apenas uma opção em cada questão. A marcação em mais de uma opção anula a questão, mesmo que uma das respostas esteja correta. Atenção: utilize a Folha de Redação para transcrever sua redação com caneta esferográfica de tinta azul ou preta. 5. O tempo disponível para esta prova será determinado pelo professor aplicador. 6. Reserve os 15 minutos finais para marcar sua Folha de Respostas. Os rascunhos e as marcações assinaladas neste caderno não serão considerados na avaliação. 7. Quando terminar a prova, devolva sua Folha de Respostas e a Folha de Redação para o aplicador. 8. Você será excluído do exame caso: a. utilize, durante a realização da prova, máquinas e/ou relógios de calcular, bem como rádios, gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie; b. se ausente da sala de provas levando consigo o caderno de questões e/ou a Folha de Respostas antes do prazo estabelecido; c. aja com incorreção ou descortesia para com qualquer participante do processo de aplicação das provas; d. se comunique com outro participante, verbalmente, por escrito ou por qualquer outra forma. SIMULADO DO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO UM ENSINO PARA A VIDA neme
  • 11. SIMULADO ENEM – PÁG. 2 Aqui começa o teste de Língua Inglesa. Se você optar por responder o de Língua Espanhola, vá para a página 8. Não se esqueça de marcar sua opção na Folha de Respostas. Questão 1 QE00239 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H6 Utilizar os conhecimentos da LEM e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a informa- ções, tecnologias e culturas. RIO TRAINS POLICE WITH ENGLISH LANGUAGE CLASSES: DAILY By William Jones on January 11, 2014 THE POLICE IN RIO ARE BEGINNING THEIR PREPARATIONS TO HOST THE WORLD CUP BY TRAINING BI-LINGUAL OFFICERS. By William Jones, Contributing Reporter RIO DE JANEIRO, BRAZIL – As Brazil and Rio prepares to host some of the world’s big- gest sporting events the state’s police are pre- paring for the influx of visitors by providing the city’s military police (PMs) with English lan- guage classes. The new programme aims to develop the skills of comprehension and oral production of PMs who work intensively on big events like the World Cup and the Olympics. In the initial stages of the course which be- gin next week the initiative is expected to give classes to 120 officers, but the number will re- ach double or even triple that by the time that the second phase of the program has begun according to Director General of Education of the Military Police, Colonel Antonio Carlos Carballo Blanco. Disponível em: <http://riotimesonline.com/brazil-news/rio- daily/rio-trains-police-with-english-language-classes/>. Acesso em: 13 jan. 2014. De acordo com o texto, o governo do Rio de Ja- neiro está investindo em aulas de inglês para os policiais A civis para que eles possam trabalhar nos ae- roportos durante a Copa do Mundo. B civis a fim de que eles possam receber os tu- ristas estrangeiros durante as Olimpíadas. C militares que receberão os turistas nos hotéis e pousadas durante a Copa das Confederações. D civis para que eles ensinem a língua aos ven- dedores ambulantes que trabalharão no Rio durante a Copa do Mundo. E militares que atuam em grandes eventos es- portivos, como a Copa do Mundo ou as Olim- píadas. Justificativa: O item avalia a habilidade dos alunos de utilizar os conhecimentos da LEM e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a informa- ções, tecnologias e cultura (H6). Os alu- nos que escolheram a alternativa E en- tenderam que os policiais a que o texto se refere são os militares e que as aulas de inglês são dadas para que eles usem a língua em todos os grandes eventos es- portivos, não somente na Copa do Mun- do, como está sugerido no lead. Os que optaram pela alternativa C entenderam se tratar de policiais militares, mas não se ativeram ao detalhe de que não se fa- lou no texto da Copa das Confederações. Aqueles que escolheram as alternativas (A, B ou D) não prestaram atenção ao fato de que os policiais citados no texto não são os civis, além de outros detalhes em desacordo com o texto. Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias
  • 12. SIMULADO ENEM – PÁG. 3 Questão 2 QE00238 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H8 Reconhecer a importância da produção cultural em LEM como representação da diversidade cultural e linguística. PRIDE AND PREJUDICE Pride and Prejudice is a novel of manners by Jane Austen, first published in 1813. The story follows the main character Elizabeth Bennet as she deals with issues of manners, upbringing, morality, education, and marria- ge in the society of the landed gentry of early 19th-century England. Elizabeth is the second of five daughters of a country gentleman li- ving near the fictional town of Meryton in Her- tfordshire, near London. Though the story is set at the turn of the 19th century, it retains a fascination for mo- dern readers, continuing near the top of lists of “most loved books” such as The Big Read. [1] It has become one of the most popu- lar novels in English literature and receives considerable attention from literary scholars. Modern interest in the book has resulted in a number of dramatic adaptations and an abun- dance of novels and stories imitating Austen’s memorable characters or themes. To date, the book has sold some 20 million copies worldwide.[2] As Anna Quindlen wrote, Pride and Prejudice is also about that thing that all great novels consider, the search for self. And it is the first great novel that teaches us this search is as surely undertaken in the drawing room making small talk as in the pur- suit of a great white whale or the public pu- nishment of adultery.[3] Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Pride_and_ Prejudice>. Acesso em 14 jan. 2014. “Pride and Prejudice” é um livro que, apesar de ter sido escrito no século XIX, continua a atrair a atenção dos leitores modernos. Segundo Ann Quindlen, ele tem um ingrediente comum a todas as grandes obras literárias, porque trata A de uma punição pública de um adultério. B da perseguição de uma grande baleia branca. C de um segredo muito antigo. D da busca de si mesmo. E de um caso de assassinato misterioso. Justificativa: O item avalia a habilidade dos alunos de reconhecer a importância da produção cultural em LEM como representação da diversidade cultural e artística (H8). Os alunos que optaram pela alternativa D en- tenderam que o romance “Pride and Preju- dice” é um clássico que ainda desperta o interesse nos leitores de hoje porque fala de um assunto considerado atemporal: a eterna busca de si mesmo. Aqueles que optaram pelas alternativas A ou B ative- ram-se a informações presentes no texto, mas que não são elementos presentes em todas as grandes obras literárias. Já os que escolheram as alternativas C ou E não entenderam o texto, uma vez que essas in- formações não fazem parte dele.
  • 13. SIMULADO ENEM – PÁG. 4 Questão 3 QE00237 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H7 Relacionar um texto em LEM, as estru- turas linguísticas, sua função e seu uso social. Disponível em: <https://www.facebook.com/photo.php?fbid=7537 90451300765&set=a.384715731541574.98999.384707561542391 &type=1&theater> Acesso em: 16 fev. 2014. A palavra que foi omitida no texto e substituída pela vírgula é A men. B wise. C talk. D have. E they. Justificativa: O item avalia a habilidade dos alunos de re- lacionar um texto em LEM, as estruturas lin- guísticas, sua função e seu uso social (H7). Os alunos que optaram pela alternativa C entenderam que a vírgula usada no tex- to substitui um termo já mencionado an- teriormente, facilmente identificado pelo contexto (to talk), sendo o único a conferir sentido ao texto. Aqueles que escolheram as demais alterna- tivas (A, B, D ou E) ativeram-se a palavras presentes no texto, mas que não fazem sen- tido no contexto. Não conseguiram, portan- to, estabelecer uma relação adequada entre as estruturas linguísticas e o texto.
  • 14. SIMULADO ENEM – PÁG. 5 Questão 4 QE00236 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H5 Associar vocábulos e expressões de um texto em LEM ao seu tema. “If most of us are ashamed of shabby clothes and shoddy furniture let us be more ashamed of shabby ideas and shoddy philosophies.... It would be a sad situation if the wrapper were better than the meat wrapped inside it.” Albert Einstein Disponível em: <http://www.goodreads.com/author/ show/9810.Albert_Einstein>. Acesso em: 16 fev. 2014. Einstein fala de roupas gastas e móveis de má qualidade para mostrar que A é melhor trabalhar duro para comprar coisas boas e não ter do que se envergonhar. B pior do que a pobreza material é a pobreza de ideias e de ruins filosofias. C é lamentável quando o conteúdo é melhor do que a embalagem. D é uma situação triste quando as ideias são po- bres, mas as filosofias, não. E a maioria deveria se envergonhar por usar roupas velhas e ter móveis baratos. Justificativa: O item avalia a habilidade dos alunos de associar vocábulos e expressões de um texto em LEM ao seu tema (H5). Os alu- nos que optaram pela alternativa B con- seguiram associar palavras e expressões encontradas no texto ao seu tema, que é a questão da pobreza de ideias e de filo- sofias. Os alunos que optaram pela alter- nativa A subverteram o sentido do texto, pois este afirma que muitos se envergo- nham de usar roupas velhas e móveis ba- ratos, mas deveriam se envergonhar mais de ideias e filosofias pobres e gastas. Os alunos que marcaram a alternativa C não entenderam que a asserção é exatamente oposta ao que se diz no texto, ou seja, é lamentável quando a “embalagem” é me- lhor do que o conteúdo. Aqueles que es- colheram a alternativa D demonstraram não ter entendido que o texto trata de ideias e de filosofias pobres, não apenas de ideias. Já os que optaram pela E não perceberam que o texto afirma o contrá- rio do que diz a alternativa, demonstrando não terem conseguido construir uma inter- pretação adequada.
  • 15. SIMULADO ENEM – PÁG. 6 Questão 5 QE00235 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H6 Utilizar os conhecimentos da LEM e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a informa- ções, tecnologias e culturas. CAFFEINE MIGHT IMPROVE LONG-TERM MEMORY Posted January 13th, 2014 A hot cup of coffee provides drinkers with a quick dose of caffeine. (Greenray studios/Alex Upshur via Wikimedia Commons) Caffeine not only gives us a daily jump start, but new research suggests it also can enhance long-term memory. According to the US Food and Drug Adminis- tration, nearly 90 percent of people worldwide consume about 200 milligrams of caffeine each day. That’s equivalent to about one strong cup of coffee a day. Writing in “Nature Neuroscien- ce”, Johns Hopkins University researchers say their findings show caffeine boosts certain me- mories for up to 24 hours after being ingested. “We’ve always known that caffeine has cognitive-enhancing effects, but its particu- lar effects on strengthening memories and making them resistant to forgetting has never been examined in detail in humans,” said se- nior author of the paper Michael Yassa, for- merly of Johns Hopkins and now the Universi- ty of California, Irvine. “We report for the first time a specific effect of caffeine on reducing forgetting over 24 hours.” Conducting a double-blind trial, the resear- chers worked with a test group of people who didn’t regularly consume caffeinated products. Five minutes after studying a series of ima- ges, the test subjects were given either apla- cebo or a 200-milligram caffeine tablet. To check the caffeine levels of their test subjects, the research team took saliva sam- ples from them before they took their tablets and again one, three and 24 hours afterwards. Both groups of test participants (those who took the placebo and those who took the ca- ffeine tablet) were tested the following day to see if they recognized images they’d seen the previous day. The researchers found that more members of the group who were given the caffeine ta- blets were able to correctly identify some of the new images as “similar” to previously viewed images rather than incorrectly identi- fying them as the same. Disponível em: <http://blogs.voanews.com/science- world/2014/01/13/caffeine-might-improve-long-term- memory/.> Acesso em: 14 jan. 2014. De acordo com o texto, foi realizada uma pesqui- sa para saber o efeito da cafeína na memória de longo prazo. Foram apresentadas imagens a dois grupos de pessoas e descobriu-se que A os dois grupos reconheceram, na mesma pro- porção, as imagens que haviam sido mostra- das a eles no mesmo dia pela manhã. B o grupo que tomou placebo somente reconhe- ceu as imagens no mesmo dia em que elas haviam sido mostradas. C o grupo que tomou cafeína se saiu melhor no reconhecimento das imagens mostradas pre- viamente. D o grupo que tomou placebo identificou corre- tamente as imagens similares às que haviam sido mostradas anteriormente. E o grupo que tomou cafeína teve mais dificul- dade em identificar as novas imagens introdu- zidas à série mostrada no dia anterior.
  • 16. SIMULADO ENEM – PÁG. 7 Justificativa: O item avalia a competência de conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e grupos sociais (C2) e a habilidade de utilizar os conhecimentos da LEM e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a infor- mações, tecnologias e culturas (H6). Os alunos que assinalaram a alternativa C entenderam que o uso de cafeína melhora a memória e, portanto, o grupo que a inge- riu se saiu melhor no teste de reconheci- mento de imagens. Os alunos que optaram pela alternativa A não notaram que o rendimento dos dois grupos não foi igual, demonstrando que não entenderam nem mesmo o título, que permite inferir que quem ingeriu cafeína se saiu melhor no teste. Os alunos que opta- ram pela alternativa B não compreenderam que o teste foi feito no dia seguinte e não no mesmo dia em que as imagens foram mostradas. Os alunos que marcaram a al- ternativa D não entenderam que o grupo que tomou placebo teve mais dificuldade para identificar as imagens do que o grupo que tomou cafeína. Já os alunos que mar- caram a alternativa E não compreenderam o objetivo do texto, que é, justamente, o de informar que a cafeína melhora a memória, baseado no resultado obtido na pesquisa que indicou que quem a ingeriu teve mais facilidade para reconhecer as imagens do que os que não o fizeram. Aqui começa o teste de Língua Espanhola. Se você optar por responder o de Língua Inglesa, volte para a página 2. Não se esqueça de marcar sua opção na Folha de Respostas. Questão 1 QE00532 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H6 Utilizar os conhecimentos da LEM e de seus mecanismos como meio de ampliar as possibilidades de acesso a informa- ções, tecnologias e culturas. MANDELA, LA ÚLTIMA GRAN FIGURA DEL SIGLO XX Pedro García Luaces jueves, 05/12/13 – 23:37 JUNTO AL GRAN PACIFISTA MAHATMA GANDHI, EL GENIO DE CHURCHILL Y SU VOLUNTAD DE VICTORIA, LA VIDA DE CARIDAD Y SERVICIO DE LA MADRE TE- RESA DE CALCUTA Y EL SACRIFICIO POR LA IGUALDAD DE MARTIN LUTHER KING, NELSON MANDELA YA FORMA PARTE DE LAS GRANDES FIGURAS DEL SIGLO XX. Nelson Rolihlahla Mandela nació en el seno de la familia real de Transkei, una re- gión de 40.000 metros cuadrados y 3,5 millo- nes de habitantes en el sureste de Sudáfri- ca. Era el hijo mayor de un jefe tembu y a la muerte de su padre fue educado directamen- te por el jefe supremo de la tribu. Por posici- ón y linaje, Mandela podría haber llevado una vida plácida como colaboracionista del Go- bierno pero el conformismo, desde luego, no iba a ser el espíritu que inspirase su compor- tamiento. Renunciando a sus derechos dinás- ticos y huyendo también de una boda tribal que sus tíos le habían concertado, Mandela se instala en Johannesburgo, donde termina- rá el bachillerato y se graduará en derecho, involucrándose de lleno en el activismo políti- co y la defensa de la mayoría negra. […]
  • 17. SIMULADO ENEM – PÁG. 8 En 1948 el Partido Nacional llega al poder en Sudáfrica y la segregación se convierte en ley. La represión del Gobierno sobre los acti- vistas pro negros se recrudece y en respues- ta, los activistas pasan de la desobediencia civil a la resistencia armada, que tiene como principal recurso el sabotaje. Mandela recibe adiestramiento de guerrillas y viaja por multi- tud de países para recabar apoyo económico. En Sudáfrica, su vida pasa por la clandesti- nidad. En pleno estado de excepción, el Go- bierno sudafricano logra apresar a los líderes de la oposición, entre ellos a Mandela, que es condenado a cinco años de cárcel por la huelga general de 1961. Antes de que termi- ne de cumplir condena es llevado de nuevo al banquillo donde se le culpa de sabotaje y de tratar de derrocar al Gobierno. La pena es de cadena perpetua. Hasta aquí, la vida de Mandela fue la de un líder carismático que sacrificó su libertad por su pueblo, pero su verdadera grandeza, lo que le coloca a la altura de los grandes hombres del siglo XX vendría después, en el momento de su liberación. Porque en los 27 años que Nelson Mandela pasó en cautividad, la opinión internacional cambió su veredicto respecto a Sudáfrica. Mandela, que había sido tachado de terrorista, recuperó su estatus de activista y el vergonzoso régimen del apartheid agoniza- ba en los márgenes de la geopolítica, bloque- ado económicamente por occidente gracias al activismo de otros políticos carismáticos, como el dirigente sueco Olof Palme. […] En 1994, en las primeras elecciones en las que negros y blancos votaban en Sudá- frica, alcanzó la presidencia, proponiéndose avanzar en una política de reconciliación na- cional. “El perdón – dirá Mandela – libera el alma, elimina el miedo”. Nelson Mandela, el eterno Mandiba – anciano honorable –, ya es uno de los grandes hombres del siglo XX. Disponível em: http://noticias.lainformacion.com/mundo/mandela-la- ultima-gran-figura-del-siglo-xx_xLUf0d7Nrb6lpvUsczL3N2/ Acesso em: 18 jan. 2014. O texto relata a história de vida de Nelson Man- dela, líder político sul-africano, falecido no final de 2013. Comparado a grandes líderes pacifistas mundiais como Gandhi e madre Teresa de Cal- cutá, Mandela é apresentado como um homem carismático, cujo objetivo maior era combater a segregação. No entanto, para alcançar seu obje- tivo, a trajetória foi longa, pois o líder sul-africano foi condenado a A 27 anos de cadeia, sendo 5 anos pela greve geral de 1961 e os demais pela intenção de derrubar o governo. B 27 anos de cadeia pela greve geral de 1969 e os demais pela intenção de derrubar o go- verno, graças à intervenção internacional e a mudanças políticas na África. C 5 anos de cadeia pelo vandalismo geral de 1961 e prisão perpétua pela intenção de der- rubar o governo, graças à intervenção interna- cional e a mudanças políticas na África. D 5 anos de cadeia pela greve geral de 1961 e prisão perpétua pela intenção de derrubar o governo, graças à intervenção internacional e a mudanças políticas na África. E 5 anos de cadeia pela guerra civil geral de 1961 e prisão perpétua pela intenção de der- rubar o governo, graças à intervenção interna- cional e a mudanças políticas na África.
  • 18. SIMULADO ENEM – PÁG. 9 Justificativa: O item avalia a habilidade de utilizar os co- nhecimentos da LEM e de seus mecanis- mos como meio de ampliar as possibilida- des de acesso a informações, tecnologias e culturas. (H6) Os alunos que optaram pela alternativa D demonstram aptidão para a leitura e inter- pretação em LEM, utilizam seus conheci- mentos prévios (lexicais, morfossintáticos, semânticos e socioculturais) e seus conhe- cimentos de mundo para ter acesso à divul- gação da morte de Mandela por meio de um texto jornalístico biográfico, ampliando seus conhecimentos sobre o assunto, como for- ma de acesso à História e ao universo sul- -africano. Já aqueles que assinalaram A, B, C ou E não conseguiram fazer associações adequadas nem por meio dos mecanismos linguísticos, nem pelo conhecimento de mundo. Assim, esses distratores são pauta- dos nas seguintes explicações: A e B: a comanda do enunciado pede que o aluno indique o tempo de condenação e não o tempo de prisão de Nelson Mandela suge- ridos nesses distratores, obrigando o aluno a utilizar seus conhecimentos lexicais em LEM para uma leitura minuciosa do texto. C e E: esses distratores estão intimamente relacionados ao conhecimento lexical em LEM, porque para obter acesso à informa- ção é preciso que o estudante saiba que a expressão “huelga general” significa “gre- ve geral” e não “vandalismo”(C) ou “guer- ra civil” (D). D: é a alternativa correta, ao selecioná-la, o aluno demonstra compreender adequa- damente o que foi solicitado no enuncia- do do item e, por meio do conhecimento lexical em LEM, consegue relacionar de forma adequada o assunto ao fato atual, tendo acesso à informação. Além disso, por meio de estratégias cognitivas de lei- tura, esse aluno consegue ampliar seus conhecimentos sobre a história do líder africano, uma vez que o texto apresenta explicitamente que Mandela foi condena- do a cinco anos por sua participação na greve geral e, antes mesmo de finalizar a pena, foi condenado à prisão perpétua. Questão 2 QE00351 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H8 Reconhecer a importância da produção cultural em LEM como representação da diversidade cultural e linguística. PREMIO NOBEL DE LITERATURA El Premio Nobel de Literatura ha sido con- cedido en 102 ocasiones, siendo un total de 106 los premiados inclusive los Premios No- bel 2009. Aunque el acta fundacional de los Premios Nobel se refería a que el galardón anualmente se concedería a “la obra literaria más notable en el sentido del idealismo”, lo cierto es que el Premio Nobel de Literatura se viene otorgando a la totalidad de la obra de un autor literario determinado, por lo que no es de extrañar que nadie haya recibido el Pre- mio Nobel de Literatura dos o más veces. El Premio Nobel de Literatura ha sido la categoría de los Premios Nobel que más ve- ces ha recaído en ciudadanos españoles o hispanoamericanos: entre los escritores es- pañoles que han ganado el Premio Nobel de Literatura encontramos a José Echegaray, a Jacinto Benavente, a Juan Ramón Jiménez, a Vicente Aleixandre y a Camilo José Cela, el último premiado, en el año 1989. Los escrito- res latinoamericanos que han recibido el Pre- mio Nobel de Literatura son, hasta la fecha: Gabriela Mistral, en 1945; Miguel Ángel As- turias, en 1967; Pablo Neruda, en 1971; Ga- briel García Márquez, en 1982, Octavio Paz, en 1990 y el último Mario Vargas Llosa, en el año 2010. El gran olvidado de los Premios Nobel de Literatura en el ámbito hispanoa- mericano fue el escritor argentino Jorge Luis Borges. Entre los escritores galardonados que rechazaron el Premio Nobel de Literatura fi- guran Boris Pasternak y Jean-Paul Sartre. Disponível em: <http://www.rincondelvago.com/informacion/ premios-nobel/premio-nobel-de-literatura>. Acesso em: 30 jan. 2014.
  • 19. SIMULADO ENEM – PÁG. 10 O texto apresenta uma síntese sobre o Prêmio Nobel de Literatura e os autores que o ganha- ram, entre espanhóis e latino-americanos, de- monstrando que A embora ninguém tenha sido premiado duas vezes ou mais, a produção literária em língua espanhola ocupa papel relevante na premia- ção, havendo somente uma mulher entre eles, e o argentino Jorge Luis Borges foi esquecido. B alguns foram premiados duas vezes ou mais, por isso a produção literária em língua espa- nhola ocupa papel muito relevante na premia- ção, havendo somente uma mulher entre eles, e o argentino Jorge Luis Borges foi esquecido. C apesar de ninguém ter sido premiado duas ve- zes ou mais, a produção literária em língua es- panhola ocupa papel irrelevante na premiação, somente uma mulher foi premiada, e o argenti- no Jorge Luis Borges foi homenageado. D alguns foram premiados duas vezes ou mais, por isso a produção literária em língua espa- nhola ocupa papel muito relevante na premia- ção, havendo somente uma autora entre eles, e o argentino Otávio Paz foi esquecido. E embora ninguém tenha sido premiado duas vezes ou mais, a produção literária em língua espanhola ocupa papel relevante na premia- ção, não havendo autoras entre eles, e o ar- gentino Jorge Luis Borges foi homenageado. Justificativa: O item avalia a habilidade de reconhecer a importância da produção cultural em LEM como representação da diversidade cultu- ral e linguística. (H8) O aluno que respondeu a alternativa A de- monstra que compreendeu a relevância da diversidade da produção literária no uni- verso hispânico, a partir das informações apresentadas no texto. Já aqueles que res- ponderam B, C, D ou E denotam que não conseguiram reconhecer a relevância da produção literária no universo hispânico, apesar das informações presentes no tex- to. A alternativa correta é a A, pois denota a relevância da Literatura Espanhola na premiação de ressonância mundial, reite- rando ainda a presença de uma mulher en- tre os premiados e destacando a ausência de um autor importante para a Literatura Hispanoamericana como Jorge Luis Bor- ges, informações presentes no texto que fazem com que os estudantes avaliem e reconheçam a importância da produção li- terária de escrita espanhola. Já os distrato- res distinguem-se pelas seguintes razões: B Apresenta informação incorreta, quan- do relacionada ao texto, pois ninguém foi premiado duas vezes. C Nega a relevância da Literatura em lín- gua espanhola. D Apesar de intensificar a relevância da Literatura de língua espanhola, apre- senta informações incorretas, quando relacionadas ao texto, pois, por exem- plo, Octavio Paz foi premiado. E Nesta alternativa, além da exclusão do fato de Gabriela Mistral ter sido pre- miada, ainda há uma relação lexical importante a ser considerada na inter- pretação da alternativa, pois “olvida- do” não significa homenageado.
  • 20. SIMULADO ENEM – PÁG. 11 Questão 3 QE00347 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H7 Relacionar um texto em LEM, as estru- turas linguísticas, sua função e seu uso social. Disponível em: <http://www.taringa.net/posts/humor/16889667/ Post-De-Mafalda-n-n.html>. Acesso em: 24 jun. 2014. No diálogo estabelecido entre Mafalda e sua mãe, o humor se constrói por meio da crítica social feita pela A menina com a adição de ideias relacionadas à fome mundial e à atitude infantil da mãe, evidente no primeiro quadrinho e reforçada no segundo. B mãe ao apresentar-se contra os padrões de beleza impostos pela mídia, o que fica eviden- te no primeiro quadrinho e reforçado no último. C menina na contraposição de ideias entre a fome mundial e a atitude infantil da mãe, evidente no segundo quadrinho e reforçada no último. D menina pela junção de ideias complementares como beleza e fome mundial, evidentes no se- gundo quadrinho. E mãe ao não se importar com as palavras da filha, somente com o biquíni, postura evidente no primeiro quadrinho. Justificativa: O item avalia a habilidade de relacionar um texto em LEM, as estruturas linguísti- cas, sua função e seu uso social. (H7) Os alunos que optaram pela alternativa C demonstram habilidade para relacionar o que foi dito pela personagem Mafalda à re- alidade, bem como reconhecem nas estru- turas linguísticas do diálogo a troca de pa- péis e a crítica, que são responsáveis pelo humor no diálogo estabelecido. Esses alu- nos ainda relacionam o papel dos conecti- vos e operadores argumentativos que con- trapõem ideias, diferenciando-os daqueles que simplesmente adicionam. Já os alunos que optaram por A, B, D ou E demonstram não relacionar as estruturas linguísticas, sua função e uso social adequadamente. A alternativa correta é a C porque, ao as- sinalá-la, o aluno demonstra habilidade de relacionar seus conhecimentos de LEM na leitura de HQ´s e na análise das estruturas linguísticas de um diálogo gerador de hu- mor e de ironia, pois a personagem contra- põe ideias na construção de seu argumento ao relacionar a atitude da mãe à fome mun- dial. Essa estratégia e a inversão de papéis no diálogo entre mãe e filha constroem o humor, por meio da contraposição entre fome mundial x atitude infantil de adultos. Contraposição reiterada, inclusive, pela uti- lização do conectivo “pero vos necesitás consolo...”, daí a relação estabelecida entre o que foi dito no segundo quadrinho e no último, estratégia que também estabelece um tom irônico à fala. Já os distratores jus- tificam-se pelas seguintes razões: A Na construção de um diálogo em HQ´s há uma tendência a considerar cada quadro como uma adição, entretanto, a disposição dos argumentos internos para a construção de um argumento nem sempre é linear e não significa, necessariamente, acréscimo de ideias, embora o acréscimo sempre exista de alguma forma, essa relação não se mantém na comparação entre o primei- ro e o último quadrinho, proposta da alternativa.
  • 21. SIMULADO ENEM – PÁG. 12 B Ainda que a questão relacionada aos padrões de beleza contemporâneos es- teja implícita na atitude da mãe, essa alternativa está incorreta, porque a mãe não se posiciona contra isso. D Nesse texto, especificamente, fome e beleza não são ideias complementares. E A mãe não apresenta uma postura crí- tica, portanto, a informação da alterna- tiva está incorreta. Texto para as questões 4 e 5. Disponível em: <http://www.eldiario.es/turing/Grafico-internet-movil- menores-Espana_0_193181384.html>. Acesso em: 20 jan. 2014.
  • 22. SIMULADO ENEM – PÁG. 13 Questão 4 QE00346 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H5 Associar vocábulos e expressões de um texto em LEM ao seu tema. A pesquisa feita pelo INE (Instituto Nacional de España) apresenta um estudo sobre a utilização das tecnologias por menores em 2013. O estudo leva em consideração, inclusive, o tamanho da fa- mília e o local de acesso. Uma das palavras que relaciona os jovens à família é A comunidades. B usuarios. C menores. D ordenador. E hogar. Justificativa: O item avalia a habilidade de associar vo- cábulos e expressões de um texto em LEM ao seu tema. (H5) Os alunos que optaram pela alternativa E demonstram aptidão para a leitura de info- gráficos, gêneros multimodais que exigem do leitor a competência de relacionar as informações apresentadas, neste caso, em linguagem verbal, não verbal e matemática à atualidade sociodiscursiva e ao contex- to de produção; além disso, esses alunos associam o significado do vocábulo hogar (lar) ao universo familiar, um dos âmbitos da pesquisa. Já aqueles que escolheram as outras alternativas A, B, C e D compa- raram inadequadamente as informações apresentadas. Assim, uma vez que a habilidade está inti- mamente relacionada ao significado lexi- cal, os distratores são as alternativas A, B, C e D pelas seguintes razões: A O termo “comunidades”, nesse texto, refere-se às Comunidades Autónomas, como são designadas as divisões geo- gráficas da Espanha. B O vocábulo “usuarios” está relacionado à utilização da internet, e não à família. C O termo “menores” refere-se à faixa etária dos usuários e não está neces- sariamente relacionado à família. D O vocábulo “ordenadores” significa computadores e está relacionado às Tecnologias de Informação. A alternativa correta é a E Porque o termo “hogar” significa lar e está intimamente relacionado à família. Fazendo uma análise geral das infor- mações do infográfico, percebe-se que os dados relacionados à utilização das TIC´s traçam um perfil dos jovens es- panhóis, consequentemente, apresen- tam-se características de uma parte da família espanhola. Gêneros multimodais são aqueles em que interagem diferentes linguagens e/ou re- presentações discursivas e sociais. Em- bora, em tese, em todos os gêneros haja uma multiplicidade de representações, os multimodais apresentam características típicas. Neste caso específico, trata-se de um infográfico, onde interagem a lingua- gem verbal, a não verbal e a linguagem matemática. Discursivamente, ainda rela- ciona-se ao universo virtual. O infográfico, atualmente, está presente em diferentes meios de divulgação e suportes.
  • 23. SIMULADO ENEM – PÁG. 14 Questão 5 QE00345 C2 Conhecer e usar língua(s) estrangeira(s) moderna(s) como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais. H7 Relacionar um texto em LEM, as estruturas linguísticas, sua função e seu uso social. O texto demonstra como os jovens espanhóis têm se comportado em relação ao acesso à internet que cresceu em todo o mundo. Comparando as informações apresentadas pela pesquisa do INE (Instituto Nacional de España) presentes no Jornal El Diário, nota-se que o percentual de A meninos, entre 10 e 15 anos, que acessam a internet é maior do que o número de usuárias. B meninos com 10 anos é maior do que o per- centual de acessos na Espanha inteira. C meninas, entre 10 e 15 anos, que acessam a internet é maior do que o número de meninos. D acessos pelo celular é maior do que o percen- tual de acessos por computadores. E usuários de diferentes idades é semelhante, independentemente da idade, do local ou da ferramenta. Justificativa: O item avalia a habilidade de relacionar um texto em LEM, as estruturas linguísti- cas, sua função e seu uso social. (H7) Os alunos que optaram pela alternativa C demonstram aptidão para a leitura de in- fográficos, gêneros multimodais, que exi- gem do leitor a competência de relacionar as informações apresentadas, neste caso, em linguagem verbal, não verbal e mate- mática à atualidade sociodiscursiva e ao contexto de produção. Já aqueles que es- colheram as outras alternativas A, B, D e E compararam inadequadamente as informa- ções apresentadas. A alternativa C é a correta, porque o item leva em consideração as estratégias cog- nitivas necessárias para a leitura de info- gráficos (gênero social que relaciona infor- mações expressas de forma verbal e não verbal). Logo, ao encontrar as informações explícitas no infográfico, relacionando-as às imagens, à linguagem matemática e à realidade social de utilização midiática, o estudante perceberá que o percentual de usuárias é maior do que o de usuários nes- sa idade. Já os distratores estão incorretos pelas seguintes razões: A A relação percentual apresentada não possibilita afirmar que o número de meninos (94,1%) seja maior que o de meninas (96,2%). B É importante que o aluno perceba que o percentual de meninos com 10 anos de idade é apenas uma fração do total, fato que pode ser verificado na leitura global do infográfico. D Comparando de forma geral o número de usuários de computadores por ida- de (presentes na coluna da esquerda, na parte de cima do infográfico) com os usuários que têm celulares (à di- reita), verifica-se que essa alternativa está incorreta, pois o percentual de usuários de computadores por idade é bem maior do que o percentual de pro- prietários de celulares por idade.
  • 24. SIMULADO ENEM – PÁG. 15 E Na leitura global do infográfico, perce- be-se que esta alternativa está incor- reta, pois o percentual varia de acordo com a idade e a ferramenta. Gêneros multimodais são aqueles em que interagem diferentes linguagens e/ou re- presentações discursivas e sociais. Em- bora, em tese, em todos os gêneros haja uma multiplicidade de representações, os multimodais apresentam características típicas. Neste caso específico, trata-se de um infográfico, onde interagem a lingua- gem verbal, a não verbal e a linguagem matemática. Discursivamente, ainda rela- ciona-se ao universo virtual. O infográfico, atualmente, está presente em diferentes meios de divulgação e suportes. Texto para as questões 6 e 7. É ela, a bola. Um dos brinquedos mais an- tigos e universais da humanidade. Uma velha amiga dos jogos e das brincadeiras. É quase impossível ficar imóvel quando uma bola apa- rece. A bola parece pedir para ser chutada, quicada, jogada de um lado para outro, de uma pessoa para outra. Vive escapando do controle, rolando para longe; precisa ser domi- nada mesmo quando se chuta ela para longe só para poder correr atrás. Uma bola, quando deixada num canto qualquer, fica triste. Mesmo para uma pessoa sozinha, a bola é uma ótima companheira. Mas, o melhor mes- mo é ter pelo menos um amigo para jogar, pois são inúmeros os jogos para dois, três ou dez jogadores, jogos de crianças, jovens e adultos, jogos de competição e jogos de co- operação. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/ download/texto/me000350.pdf>. Acesso em: 13 fev. 2014. Questão 6 QE00357 C3 Compreender e usar a linguagem corporal como relevante para a própria vida, inte- gradora social e formadora da identidade. H10 Reconhecer a necessidade de transforma- ção de hábitos corporais em função das necessidades cinestésicas. De acordo com o texto, a simples presença da bola compele ao movimento corporal. A alterna- tiva que relaciona corretamente a capacidade de- senvolvida em jogos com bola e sua exemplifica- ção é A estética: aumentar a prática de exercícios do autocontrole e do respeito mútuo. B ética: maior observação das habilidades físi- cas de si mesmo e dos demais. C cognitiva: ampliação de noções de sociabilida- de e percepção da autoimagem. D corporal: desenvolvimento de noções como precisão, força e velocidade. E afetiva: agilidade no cálculo de trajetórias (re- lações espaço-temporais).
  • 25. SIMULADO ENEM – PÁG. 16 Justificativa: Este item enfatiza a habilidade do estudan- te em “reconhecer a necessidade de trans- formação de hábitos corporais em função das necessidades cinestésicas” (H10). O aluno deve reconhecer que cada alternati- va indica uma capacidade desenvolvida em jogos com bola e deve analisar a pertinência da exemplificação dessa capacidade. Assim, os distratores são as alternativas A, B, C, E, pelas seguintes razões: A estética: observação das habilidades físicas de si mesmo e dos demais. B ética: exercícios de autocontrole e de respeito mútuo. C cognitiva: cálculo de trajetórias; esta- belecimento de relações espaço-tem- porais. E afetiva: noções de sociabilidade e per- cepção da autoimagem. A alternativa correta é a D. A habilidade em questão enfatiza a cinestesia. Aliás, o próprio texto-suporte direciona para a re- levância da movimentação corporal. Questão 7 QE00356 C3 Compreender e usar a linguagem corporal como relevante para a própria vida, inte- gradora social e formadora da identidade. H9 Reconhecer as manifestações corporais de movimento como originárias de neces- sidades cotidianas de um grupo social. A bola é um dos objetos mais frequentes em jo- gos e brincadeiras porque A possibilita a realização de atividades físicas, individuais ou coletivas, em espaços públicos e privados, independentemente do barulho que desencadeia e do número de participantes. B auxilia o desenvolvimento da coordenação motora dos participantes e favorece a integra- ção entre eles, funcionando como um meio de interação social. C estimula a competição, incentivando a vitória como principal recompensa e a formação de times ou equipes com espírito de rivalidade, superioridade e exclusividade. D favorece a cooperação entre os participantes, pois todos os membros devem conhecer as regras da prática esportiva, que se tornam, assim, facultativas. E contribui para a preservação de práticas es- portivas tradicionais como o futebol, o volei- bol, o basquetebol, reforçando o espírito de times autônomos e independentes. Justificativa: Esse item enfatiza a habilidade do estudante em “reconhecer as manifestações corporais de movimento como originárias de necessi- dades cotidianas de um grupo social” (H9). O aluno deve acionar seu conhecimento de mundo, recuperar algumas modalida- des esportivas que envolvem a utilização de bola e, também com base nas reflexões sobre práticas corporais, desenvolvidas em disciplinas afins e especialmente em Educação Física, reconhecer que a bola funciona como um elemento mediador de integração social.
  • 26. SIMULADO ENEM – PÁG. 17 Assim, os distratores são as alternativas A, C, D e E, pelas seguintes razões: A Ainda que jogos e brincadeiras com bola possibilitem a realização de ativi- dades físicas, individuais ou coletivas, em espaços públicos e privados, inde- pendentemente do número de partici- pantes, há restrições legais quanto ao barulho e quanto aos níveis de ruído. C Ainda que jogos e brincadeiras com bola estimulem a competição, há o incentivo para a interação e respeito mútuo, o que coloca a vitória em um plano secundário. Além disso, a forma- ção de times ou equipes é exigência da própria dinâmica de alguns jogos e de algumas brincadeiras, mas tal forma- ção visa à prática corporal integradora, equitativa e cooperativa. D Ainda que jogos e brincadeiras com bola favoreçam a cooperação entre os participantes inclusive porque todos os membros devem conhecer as re- gras da prática esportiva, tais regras são obrigatórias. É o contrato social funcionando em situações cotidianas. E Ainda que jogos e brincadeiras com bola contribuam para a preservação de práticas esportivas tradicionais como o futebol, o voleibol, o basquetebol, há o reforço para o espírito de times autô- nomos, mas independentes: cada time desenvolve sua unidade, sua forma de jogar, a sua estratégia, mas só haverá jogo se houver outro time disponível, se outra equipe autônoma também qui- ser jogar. A alternativa correta é a B: jogos e brin- cadeiras com bola auxiliam o desenvolvi- mento da coordenação motora dos parti- cipantes e favorecem a integração entre eles, funcionando como meios de intera- ção social. Questão 8 QE00475 C5 Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção. H16 Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário. Camilo quis sinceramente fugir, mas já não pôde. Rita, como uma serpente, foi-se acer- cando dele, envolveu-o todo, fez-lhe estalar os ossos num espasmo, e pingou-lhe o ve- neno na boca. Ele ficou atordoado e subjuga- do. Vexame, sustos, remorsos, desejos, tudo sentiu de mistura; mas a batalha foi curta e a vitória delirante. Adeus, escrúpulos! Não tar- dou que o sapato se acomodasse ao pé, e aí foram ambos, estrada fora, braços dados, pisando folgadamente por cima de ervas e pedregulhos, sem padecer nada mais que al- gumas saudades, quando estavam ausentes um do outro. A confiança e estima de Vilela continuavam a ser as mesmas. Disponível em: <http://machado.mec.gov.br/images/stories/ pdf/contos/macn005.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2014. Machado de Assis utiliza largamente em suas obras, o recurso da metáfora, que consiste numa comparação implícita. Neste trecho do conto “A cartomante”, encontra-se um exemplo disso em A “Rita, como uma serpente, foi se acercando dele”, em que Rita é comparada a uma cobra por ser má e perigosa. B “Vexame, sustos, remorsos, desejos, tudo sentiu de mistura”, em que há uma compara- ção entre os sentimentos e a mistura que isso provocou na vida de Camilo. C “sem padecer nada mais que algumas sauda- des”, em que a comparação se dá entre as saudades e o padecimento de quem sofre com esse sentimento. D “Não tardou que o sapato se acomodasse ao pé”, em que a situação vivida por Camilo e Rita foi comparada a um sapato novo que é apertado, mas depois, laceia, ou seja, fica confortável.
  • 27. SIMULADO ENEM – PÁG. 18 E “A confiança e a estima de Vilela continuavam a ser as mesmas”, em que se compara a con- fiança e a estima de Vilela com o que ele sen- tia antes do caso secreto mantido por Camilo e Rita. Justificativa: O item avalia a habilidade dos alunos de relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário (H16). Os alunos que op- taram pela alternativa D entenderam que a metáfora faz referência ao caso extracon- jugal mantido por Rita e Camilo no conto “A Cartomante”. Todos os sentimentos vi- venciados por Camilo (sustos, remorsos, vexame, desejos) foram, aos poucos, se arrefecendo e, depois de um tempo, ele se acomodou à situação de trair o me- lhor amigo, tal qual um sapato que, quan- do novo, aperta o pé, mas logo se torna confortável. Os alunos que optaram pela alternativa A não perceberam que a com- paração entre Rita e a serpente é explícita, além de a personagem não ser má, como é afirmado na alternativa. Já aqueles que as- sinalaram as demais alternativas B, C ou E fizeram suas escolhas de forma aleatória, pois trata-se de trechos do texto em que não há metáforas. Questão 9 QE00389 C7 Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas. H24 Reconhecer no texto estratégias argumen- tativas empregadas para o convencimento do público, tais como a intimidação, sedu- ção, comoção, chantagem, entre outras. “A menina que roubava livros”, de Markus Zusak, se tornou um best-seller. O livro ga- nhou edição especial com capa inspirada no pôster do filme. A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendente- mente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que dei- xa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler.
  • 28. SIMULADO ENEM – PÁG. 19 Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a coni- vência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabe- tizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tem- pos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A vida ao redor é a pseudo-realidade cria- da em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto en- tre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto, um sucesso absoluto — e raro — de crítica e público. Disponível em: <http://www.leitura.com/site/produto. php?id=43.> Acesso em: 13 fev. 2014. Com o objetivo de convencer mais pessoas a ler “A menina que roubava livros”, além da nova capa baseada no filme, foi A suavizado o fato de a narradora ser a Morte, o que deu um tom mórbido à narrativa. B utilizada a expressão “best-seller”, o que torna o livro mais atraente para leitores especializados. C dada ênfase ao fato de ser um livro de terror, o que atrai pessoas que gostam desse gênero. D deixado subentendido que se trata de um livro para crianças com problemas para aprender a ler. E feito um resumo da história com termos que procuram seduzir os leitores em potencial. Justificativa: O item avalia a habilidade de reconhecer no texto estratégias argumentativas em- pregadas para o convencimento do pú- blico, tais como intimidação, sedução, comoção, chantagem, entre outras (H24). Os alunos que escolheram a alternativa E conseguiram identificar as estratégias lin- guísticas utilizadas para seduzir o público: a nova capa baseada no filme e um resumo cuidadoso da história, com termos atraen- tes e que incitam a curiosidade do leitor em potencial. Os que escolheram a alterna- tiva A entenderam que a narradora do livro é a Morte, mas não perceberam que, nes- te caso específico, ela dá um tom leve ao texto. Aqueles que optaram pela alternati- va B associaram a expressão best-seller à leitura especializada. Os que escolheram a alternativa C associaram os elementos morte, enterro, coveiro, entre outros, a his- tórias de terror. Já aqueles que optaram pela alternativa D associaram problemas para aprender a ler com o fato de a menina ter sido alfabetizada na história.
  • 29. SIMULADO ENEM – PÁG. 20 Texto para as questões 10 e 11 Já se afastou de nós o Inverno agreste Envolto nos seus húmidos vapores; A fértil Primavera, a mãe das flores O prado ameno de boninas veste: Varrendo os ares o sutil nordeste Os torna azuis; as aves de mil cores Adejam entre Zéfiros e Amores, E toma o fresco Tejo a cor celeste: Vem, ó Marília, vem lograr comigo Destes alegres campos a beleza, Destas copadas árvores o abrigo: Deixa louvar da corte a vã grandeza: Quanto me agrada mais estar contigo Notando as perfeições da Natureza! Manuel Maria Barbosa Du Bocage Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/ download/texto/wk000246.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2014. Vocabulário: Bonina: espécie de flor. Oiteiro: colina. Gabão: capote de mangas ou casacão, com ca- puz e cabeção (“espécie de gola”). Lograr: desfrutar. Deixar: despojar-se de, abandonar. Vã: falsa; insignificante. Zéfiro: vento que sopra do ocidente. Adejar: agitar as asas. Questão 10 QE00463 C5 Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção. H16 Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário. A obra de Manuel Maria Barbosa Du Bocage re- presenta, na literatura portuguesa, um momento de transição entre os ideais árcades do século XVIII e a concepção romântica que entraria em voga no início do século XIX. Considerando os procedimentos de construção do poema, é correto afirmar que, nesses versos, A a presença de um sentimentalismo melancóli- co revela um distanciamento dos ideais árca- des de contenção, equilíbrio e simplicidade. B revela-se um desvio em relação à simplici- dade formal do Arcadismo, comprovado pela presença de inversões da ordem sintática ca- racterística da língua portuguesa. C predomina o tratamento da temática amorosa, própria do Romantismo, evidenciada pelo vo- cativo “ó Marília”. D observa-se um equilíbrio formal típico do Ar- cadismo, construído mediante estruturas sin- táticas simples e ausência de metáforas,. E revela-se um subjetivismo exacerbado, con- trário aos ideais árcades.
  • 30. SIMULADO ENEM – PÁG. 21 Justificativa: Este item avalia a habilidade do estudan- te em “relacionar informações sobre con- cepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário” (H16). Os versos do soneto “Já se afastou de nós o Inverno agreste” revelam uma temáti- ca típica da poesia árcade – a exaltação do ambiente campestre – em oposição ao desprezo pela vida urbana. A presença de hipérbatos (inversões sintáticas) indica uma transgressão da singeleza árcade. Essa inversão da ordem natural das pala- vras de uma oração, para efeito estilístico, acontece em "Já se afastou de nós o In- verso agreste" em lugar da ordem direta "o Inverno agreste já se afastou de nós", em "Destes alegres campos a beleza" (a beleza destes campos alegres) e em "Dei- xa louvar da corte a vã grandeza" (deixa louvar a vã grandeza da corte). Tais inver- sões, por contradizerem a simplicidade formal do Arcadismo, tornam incorreta a alternativa D. Quanto às A, C e E, não se verifica no texto o sentimentalismo melan- cólico – uma vez que a atmosfera do poe- ma é alegre – ou o subjetivismo exacerba- do – já que não há referências ao universo interior do eu lírico. Assim, a alternativa correta é a B, pois de fato a simplicidade formal do Arcadismo está contrariada pela presença de inversões da ordem sintática característica da língua portuguesa (SVO, ou mais detalhadamente, sujeito + verbo + complemento ou atributo + circunstância). Questão 11 QE00464 C5 Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção. H16 Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário. Os poetas do Arcadismo apoiaram-se em valores da Antiguidade Clássica para compor seus poe- mas, geralmente ambientados em um local bucó- lico e simples. Um dos ideais presentes nas com- posições arcádicas é o “carpe diem”, que sugere o desejo de se aproveitar o momento presente e de se distanciar das inquietações da vida munda- na. Assinale a alternativa cujos versos revelam a presença do “carpe diem”. A “A fértil Primavera, a mãe das flores / O prado ameno de boninas veste”. B “Já se afastou de nós o Inverno agreste / En- volto nos seus húmidos vapores”. C “Quanto me agrada mais estar contigo”. D “Vem, ó Marília, vem lograr comigo / Destes alegres campos a beleza”. E “Deixa louvar da corte a vã grandeza”. Justificativa: Este item avalia a habilidade do estudante em “relacionar informações sobre concep- ções artísticas e procedimentos de cons- trução do texto literário” (H16). O ideal latino “carpe diem”, presente nos textos do Arcadismo, refere-se ao desejo de se aproveitar a vida. Essa característica re- vela-se no soneto de Bocage no momento em que o eu lírico pede a Marília, sua ama- da, para que ambos desfrutem da Nature- za: “Vem, ó Marília, vem lograr comigo / Destes alegres campos a beleza, / Destas copadas árvores o abrigo”. As alternativas A, B, C e E são distratores, pois não fazem referência ao ideal de “carpe diem”.
  • 31. SIMULADO ENEM – PÁG. 22 Questão 12 QE00396 C7 Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas. H23 Inferir em um texto quais são os objetivos de seu produtor e quem é seu público- -alvo, pela análise dos procedimentos argumentativos utilizados. Disponível em: <http://www.educacao.sp.gov.br/portal/area- reservada/pais-e-alunos/chega-de-bullying-nao-fique-calado>. Acesso em: 12 fev. 2014. É correto afirmar que o objetivo do produtor do texto, ao utilizar o termo bullying, no lugar de um correspondente em língua portuguesa, é A tornar a linguagem do texto mais sofisticada e atraente pela presença do estrangeirismo. B facilitar o entendimento do texto pelos estran- geiros residentes no país. C dificultar o entendimento do texto pelas crian- ças, já que ele se destina apenas a adultos. D facilitar o entendimento do texto, por ser esse o termo mais usual para designar situações de perseguição e intimidação. E dificultar o entendimento do texto para as pes- soas que não são falantes da língua inglesa. Justificativa: O item tem por objetivo avaliar a habilida- de dos alunos de inferir em um texto quais são os objetivos de seu produtor e quem é seu público-alvo, pela análise dos procedi- mentos argumentativos utilizados (H23). Os alunos que optaram pela alternativa D inferi- ram que o objetivo do produtor do texto era torná-lo de mais fácil entendimento a todos, daí ter dado preferência ao termo “bullying”, em inglês, por ser o mais recorrentemente utilizado. Os que escolheram a alternativa A sabem que brasileiros, em geral, apreciam o uso de estrangeirismos, mas não entende- ram que não era este o objetivo do produtor desse texto. Os que optaram pela alternativa B não perceberam que o texto é destinado a todos, e não somente a estrangeiros. Aque- les que selecionaram a alternativa C não perceberam que o público-alvo do texto não são apenas os adultos, mas, especialmente, as crianças, principais alvos de bullying nas escolas. Os que escolheram a alternativa E não perceberam que bullying já é uma pala- vra habitualmente usada pelos brasileiros, independentemente de falarem ou não a lín- gua inglesa.
  • 32. SIMULADO ENEM – PÁG. 23 Questão 13 QE00391 C1 Aplicar as tecnologias da comunicação e da informação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida. H1 Identificar as diferentes linguagens e seus recursos expressivos como elemen- tos de caracterização dos sistemas de comunicação. Disponível em: <http://www.ivancabral.com>. Acesso em 17 fev. 2014. As charges sempre apresentam uma crítica con- tundente ligada à atualidade. O principal recurso empregado para isso, no caso desta charge, é A a comparação, pelo fato de a praia ser suja e seu nome ser praia de areia preta, o que reme- te à cor a qual se costuma associar à sujeira. B o humor, graças à quebra de expectativa do leitor, que imagina que o protetor seja solar e é surpreendido pelo pregador no nariz do personagem. C a hipérbole, já que é um exagero o perso- nagem tapar o nariz para poder frequentar a praia. D a onomatopeia, ou seja, a imitação do som proferido na resposta do personagem à per- gunta feita pela mulher. E ao eufemismo, que consiste na suavização da mensagem, empregado pela mulher ao cha- mar o pregador de protetor. Justificativa: O item envolve a competência de aplicar as tecnologias da comunicação e da infor- mação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida (C1) e a habilidade de identificar as diferentes linguagens e seus recursos expressivos como elementos de caracterização dos sis- temas de comunicação (H1). Os alunos que assinalaram a alternativa B entendem que o humor pode ser utilizado para fazer uma crítica e reconheceram que o leitor, ao ler a palavra protetor associada à imagem da praia, pensa em protetor solar, e sua expec- tativa é quebrada, quando ele descobre que o protetor é um pregador de roupas, usa- do para tapar o nariz do personagem a fim de que ele não sinta o mau cheiro da praia poluída. Fazendo essa associação, compre- enderam que a crítica é relativa à poluição ambiental. Os alunos que optaram pela al- ternativa A não entenderam que não ocor- reu a comparação explícita entre o nome da praia e a cor preta e que a crítica não reside nessa questão. Aqueles que escolheram a alternativa C não entenderam que não ocor- reu uma hipérbole (figura de linguagem que consiste em expressar uma ideia de forma exagerada), tampouco perceberam que a crítica não está no uso do pregador no nariz. Os que assinalaram a alternativa D não compreenderam que a crítica pretendi- da pelo autor não reside na maneira como o personagem fala a palavra “peguei”. Já aqueles que optaram pela alternativa E não entenderam que a crítica não está no fato de a mulher chamar o pregador de roupas de protetor, além do fato de isso não con- sistir num eufemismo (figura de linguagem em que se usam termos mais agradáveis para suavizar a mensagem).
  • 33. SIMULADO ENEM – PÁG. 24 Questão 14 QE00393 C7 Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas. H22 Relacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos. Disponível em: <http://peloburacodaagulha.wordpress. com/2012/05/10/susanita-dizendo-algo-sensato/>. Acesso em: 22 fev. 2014. O que mais me surpreende na humanidade são os homens. Porque perdem a saúde para juntar dinheiro. Depois perdem dinheiro para re- cuperar a saúde. E, por pensarem ansiosamen- te no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro. E vivem como se nunca fossem mor- rer. E morrem como se nunca tivessem vivido. Dalai Lama Disponível em: <http://mensagensepoemas.uol.com.br/ mensagem/o-que-mais-me-surpreende-na-humanidade-sao- os-homens-porque-perdem-saude-para-juntar>. Acesso em: 24 fev. 2014 Comparando os dois textos, é correto afirmar que A o do Dalai Lama trata de um assunto sério, enquanto o outro é uma simples conversa de criança em que fica evidente a curiosidade tí- pica dessa faixa etária. B o do Dalai Lama pretende levar à reflexão, e o outro tem o objetivo de divertir o leitor com a ingenuidade das personagens. C eles não estabelecem relação entre si já que são totalmente distintos quanto ao tema e ao propósito comunicativo. D em ambos está presente uma crítica ao modo de vida da maioria das pessoas da atualidade. E ambos são do mesmo gênero textual e têm o propósito comunicativo de relacionar o dinhei- ro ao mundo do trabalho. Justificativa: O item avalia a habilidade dos alunos de relacionar, em textos diferentes, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos (H22). Aqueles que escolheram a alternati- va D reconheceram o tema semelhante, já que ambos os textos criticam o modo de vida da maioria das pessoas que trabalha demais e não aproveita a vida como deveria. Aqueles que optaram pelas alternativas A, B ou C não identificaram a semelhança entre o tema dos textos e não sabem que os textos do gênero tira também podem ter o propósi- to de levar o leitor à reflexão. Os alunos que escolheram a alternativa E não souberam reconhecer a similaridade dos temas e tam- pouco distinguir os gêneros textuais.
  • 34. SIMULADO ENEM – PÁG. 25 Texto para as questões 15, 16 e 17 A IMPRENSA, A DEMOCRACIA E A CIDADANIA Jorge Werthein REPRESENTANTE DA UNESCO NO BRASIL O conceito clássico de democracia pressupõe três poderes – Executivo, Legislativo e Judiciá- rio – equilibrados e exercendo mútuo controle em benefício do conjunto da sociedade. A im- prensa e os meios de comunicação formam hoje uma parte indissolúvel do sistema demo- crático moderno. Não há como conceber democracia sem uma imprensa livre e vigorosa. A imprensa é um dos canais por meio dos quais a socie- dade civil se manifesta, emite opiniões, troca informações, vigia, denuncia e cobra dos três poderes clássicos o perfeito funcionamento daquilo que entendemos como democracia. Por isto mesmo, por se tratar de parte tão importante e sensível da democracia, a im- prensa deve merecer uma permanente refle- xão de todos nós. Um ponto central para esta reflexão é a concepção de que a informação, matéria-prima da imprensa, não pode ser considerada mera mercadoria, já que ela é, antes de tudo, um bem social, que deve estar a serviço dos cidadãos e da cidadania. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/ texto/ue000254.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2014 (Adaptado). Questão 15 QE00441 C6 Compreender e usar os sistemas simbóli- cos das diferentes linguagens como meios de organização cognitiva da realidade pela constituição de significados, expres- são, comunicação e informação. H18 Identificar os elementos que concorrem para a progressão temática e para a organização e estruturação de textos de diferentes gêneros e tipos. A expressão que inicia o terceiro parágrafo esta- belece uma relação semântica de A adversidade. B temporalidade. C condicionalidade. D causalidade. E finalidade. Justificativa: A habilidade avaliada neste item é H18 - Identificar os elementos que concorrem para a progressão temática e para a orga- nização e estruturação de textos de dife- rentes gêneros e tipos. O item tem por objetivo avaliar a capacida- de do aluno de reconhecer que o uso do elemento de conexão que inicia o terceiro parágrafo estabelece relação de causalida- de com o parágrafo anterior. Por essa ra- zão, o aluno que assinalar a alternativa D demonstra identificar esse recurso coesivo e a relação semântica que ele estabelece com o parágrafo anterior, que é de causa/ consequência. Já o aluno que assinalar as alternativas A, B, C ou E pôde até identi- ficar a expressão “por isto mesmo” como elemento de ligação entre os parágrafos, entretanto, não soube reconhecer qual a relação semântica estabelecida pelo uso do conectivo. Em A, a relação estabele- cida seria de oposição ao que foi dito no parágrafo anterior; em B, a relação seria de continuidade na sequência temporal do texto; em C, a relação de condicionalidade expressaria que o que está registrado no parágrafo anterior é condição para que o expresso posteriormente seja verdadeiro. Por fim, em E, a relação estabelecida teria a intenção de indicar a finalidade do que se declarou no parágrafo anterior.
  • 35. SIMULADO ENEM – PÁG. 26 Questão 16 QE00439 C1 Aplicar as tecnologias da comunicação e da informação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida. H3 Relacionar informações geradas nos siste- mas de comunicação e informação, consi- derando a função social desses sistemas. Ao relacionar a imprensa, a democracia e a cida- dania, o texto esclarece A o conceito de sociedade civil como manifes- tação livre e vigorosa. B o conteúdo que a imprensa tem de divulgar. C a ideia de sociedade moderna. D a concepção de informação como bem social. E qual a matéria-prima da democracia. Justificativa: A habilidade avaliada neste item é H3 - Re- lacionar informações geradas nos siste- mas de comunicação e informação, consi- derando a função social desses sistemas. O item tem por objetivo verificar a capaci- dade do aluno de relacionar as informações apresentadas no texto a fim de identificar a ideia resultante dessa relação. No caso, a opção pela alternativa D demonstra que o aluno conseguiu entender que, ao relacio- nar imprensa, democracia e cidadania, o au- tor tem por objetivo esclarecer a concepção de informação como bem social. Já a opção pelas alternativas A, B, C ou E demonstra que o aluno não conseguiu reconhecer que a relação feita pelo autor resulta na ideia de informação como bem social, pois Em A: no texto, “livre e vigorosa” são ter- mos que se referem à imprensa apenas. Em B: o autor não faz menção exatamen- te ao conteúdo que a imprensa tem de divulgar. Em C: a ideia de sociedade moderna não resulta, no texto, da relação entre impren- sa, democracia e cidadania. Em E: no texto, a informação é tratada como a matéria-prima da imprensa, não da democracia. Questão 17 QE00440 C7 Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas. H22 Relacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos. No primeiro parágrafo do texto, os travessões são empregados para A justificar que, para haver democracia, é preci- so que haja três poderes. B explicar o que fazem os três poderes que sus- tentam a democracia. C explicitar os poderes referentes ao conceito clássico de democracia. D evidenciar a ordem de relevância referente aos três poderes numa democracia. E classificar os três poderes numa ordem de- crescente de importância.
  • 36. SIMULADO ENEM – PÁG. 27 Justificativa: A habilidade avaliada neste item é H22 - Relacionar, em diferentes textos, opiniões, temas, assuntos e recursos linguísticos. Por essa razão, o objetivo do item é veri- ficar se o aluno reconhece o emprego do travessão como recurso linguístico que, no caso, tem a função de explicitar quais os três poderes pressupostos pelo concei- to clássico de democracia. Assim, o aluno que assinalar a alternativa C demonstra reconhecer essa função. Já a opção pelas alternativas A, B, D ou E indi- ca que o aluno não reconheceu a relação entre o emprego do travessão e o efeito de sentido decorrente desse uso no texto, pois, apesar de os três poderes estarem entre os travessões, em A, o travessão não é empregado para justi- ficar que para existir democracia é preciso existir três poderes. B, o travessão não é usado para explicar a função dos três poderes como sustenta- ção da democracia. D e E, o travessão não é utilizado para evi- denciar e/ou classificar a ordem de rele- vância dos três poderes, apenas para ex- plicitar quais são eles. Questão 18 QE00448 C1 Aplicar as tecnologias da comunicação e da informação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida. H2 Recorrer aos conhecimentos sobre as linguagens dos sistemas de comunicação e informação para resolver problemas sociais. Glossário Agregador – Leitor de arquivos RSS. Pode ser instalado no computador ou ser baseado na web. Blog – Site atualizado regularmente com es- trutura cronológica. O nome vem da contração de duas palavras em inglês, web (world wide web) e log, que signi- fica registro. E-mail – É o correio eletrônico, um modo de trocar correspondência entre equi- pamentos conectados à internet. É um dos recursos mais utilizados por todos os internautas ao redor do mundo. Download – Transferir dados ou programas de um servidor para um compu- tador. Em português, diz-se “bai- xar” da internet, ou seja, buscar algo que está online, no ar, e tra- zer para o computador pessoal. O oposto de upload. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/ download/texto/ea000095.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2014. Usuários da internet recorrem ao glossário para A obter esclarecimento sobre termos típicos do mundo virtual. B seguir instruções de como realizar a transfe- rência de dados ou programas. C conversar com outros internautas. D escrever em blogs das mais diferentes naturezas. E registrar impressões pessoais e partilhá-las nas redes sociais.
  • 37. SIMULADO ENEM – PÁG. 28 Justificativa: A habilidade avaliada neste item é H2 - Re- correr aos conhecimentos sobre as lingua- gens dos sistemas de comunicação e in- formação para resolver problemas sociais. Em razão disso, o objetivo do item é averi- guar se o aluno sabe que é necessário se- lecionar e acessar fontes de informações adequadas para resolução de determinados problemas. Assim, o aluno que assinalar a alternativa A identifica o glossário como um gênero que comporta informações so- bre determinados termos, no caso, do mun- do virtual. Já o aluno que assinalar B, C, D ou E não reconhece que as ações expres- sas nessas alternativas não demandam a consulta a um glossário; algumas dessas ações dependem, inclusive, de suportes vir- tuais para serem realizadas. Em B, o gênero mais adequado a ser consultado seria um manual de instruções ou um tutorial. Em C, seria necessário acessar, por exemplo, si- tes de relacionamento, salas de bate-papo virtual, fóruns virtuais, ou utilizar progra- mas de compartilhamento de mensagens instantâneas. Em D, a ferramenta utilizada seria o blog, em que é possível digitar tex- tos e disponibilizá-los para leitura de outros internautas. Por fim, em E, seria necessá- rio acessar as redes sociais para registrar e compartilhar impressões pessoais. Questão 19 QE00433 C9 Entender os princípios, a natureza, a função e o impacto das tecnologias da comunicação e da informação na sua vida pessoal e social, no desenvolvimento do conhecimento, associando-o aos conheci- mentos científicos, às linguagens que lhes dão suporte, às demais tecnologias, aos processos de produção e aos problemas que se propõem solucionar. H30 Relacionar as tecnologias de comunica- ção e informação ao desenvolvimento das sociedades e ao conhecimento que elas produzem. NATIVO DIGITAL Pela primeira vez a UIT [União Internacio- nal de Telecomunicações] elaborou um mo- delo para estimar a população nativa digital no mundo. São considerados nativos digitais os jovens conectados, de 15 a 24 anos de idade, com cinco ou mais anos de experi- ência online. O Brasil ocupa o 37º lugar no ranking, com 60,2% dos jovens dessa faixa etária conectados, equivalente a 20.081.178 pessoas, o que corresponde a 10,1% da po- pulação total do País. Excerto. Domicílios com acesso à Internet no Brasil crescem de 38% em 2011 para 45% em 2012. 07 out. 2013. Disponível em: < http://www.brasil.gov.br/governo/2013/10/ domicilios-com-acesso-a-internet-no-brasil-crescem-de-38- 2011-para-45-em-2012>. Acesso em: 24 fev. 2014. Diante dos avanços das Tecnologias de Informa- ção e Comunicação, é correto afirmar que nos próximos anos A a internet será expandida somente entre os mais jovens. B as redes sociais ficarão restritas aos que tive- rem cinco anos de experiência online. C haverá um aumento do número de jovens na- tivos digitais. D ocorrerá um declínio das redes sociais pelos jovens nativos digitais. E haverá exclusividade do uso da internet pelos jovens nativos digitais.
  • 38. SIMULADO ENEM – PÁG. 29 Justificativa: O item avalia a habilidade H30 – Relacionar as tecnologias da comunicação e informa- ção ao desenvolvimento das sociedades e ao conhecimento que elas produzem. O item verifica a compreensão dos dados do texto e a capacidade do aluno relacioná- -los ao seu contexto. O aluno precisa con- siderar que a tendência é o crescimento do acesso às novas tecnologias, de modo a propiciar uma maior inserção dos jovens no meio digital. Assim, a alternativa corre- ta é a C. A opção pelas alternativas A ou E indica que o aluno ateve-se ao fato contex- tual de os jovens serem os que mais aces- sam a internet, sem considerar que todos, independentemente da faixa etária, serão afetados. A opção pelas alternativas B ou D demonstra que o aluno não reconheceu que os avanços tecnológicos cada vez mais favorecerão o acesso às redes sociais e que não ficarão restritos a determinados grupos. Questão 20 QE00394 C8 Compreender e usar a língua portuguesa como língua materna, geradora de signi- ficação e integradora da organização do mundo e da própria identidade. H25 Identificar, em textos de diferentes gêne- ros, as marcas linguísticas que singula- rizam as variedades linguísticas sociais, regionais e de registro. — DIA, CUMADE! O CUMPADE TÁ? — NUM TÁ NÃO... FOI CAÇÁ PACA, LÁ PRAS BANDA DO MATÃO... — OIA, CUMADE, QUE NAQUELAS BAN- DA TEM ONÇA PINTADA! O CUMPADE FOI ANSIM MERMO? — I NUM É QUE FOI? I EU DISSE PRA ELE: ‘HOME, OIA QUE É PERIGOSO’... — I QUE FOI QUE ELE RISPONDEU? — A ONÇA VEM I EU PEGO ELA DI JEI- TO, MUIÉ, NUM SI PRIOCUPE... — QUÉ ENTRÁ UN POCO, I PROVÁ DA MINHA CUMIDA, CUMPADE? — OBRIGADU POR MI OFRECÊ DA SUA CUMIDA, CUMADE, MÁ ANGORA MI VÔ MERMO! Disponível em: <http://www.luso-poemas.net/modules/news/ article.php?storyid=125601>. Acesso em: 19 fev. 2014. (Adaptado) Analisando-se a linguagem do diálogo, é correto afirmar que ela é característica de pessoas A analfabetas que não tiveram o privilégio de aprender a falar corretamente a língua portu- guesa. B consideradas analfabetas funcionais, já que apresentam dificuldade em utilizar a norma culta. C que não têm muita intimidade, por isso a pre- ferência pela formalidade, demonstrada, inclu- sive, pela recusa ao convite para comer. D residentes na zona rural, constituindo-se num exemplo da chamada variedade caipira. E que têm intimidade e que, por isso, dão pre- ferência à linguagem coloquial típica da zona urbana.
  • 39. SIMULADO ENEM – PÁG. 30 Justificativa: O item avalia a habilidade dos alunos de identificar as marcas linguísticas que singu- larizam as variedades linguísticas sociais, regionais e de registro (H25). Os alunos que marcaram a alternativa D conseguiram re- conhecer que a linguagem utilizada no tex- to é uma variedade regional, chamada de linguagem caipira, própria de quem mora na zona rural. Já os que escolheram as al- ternativas A ou B demonstraram que ainda pensam que as pessoas da zona rural falam de maneira errada e que a fala da cidade é superior. Os que optaram pela alternativa C não atentaram para o fato de que o diálogo se dá entre compadres, o que pressupõe que sejam pessoas próximas, além do fato de que a linguagem utilizada não é nada for- mal. Aqueles que escolheram a alternativa E não perceberam que a linguagem utiliza- da no diálogo não é própria da cidade. Questão 21 QE00395 C1 Aplicar as tecnologias da comunicação e da informação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida. H4 Reconhecer posições críticas aos usos so- ciais que são feitos das linguagens e dos sistemas de comunicação e informação. FALA DO VELHO DO RESTELO AO ASTRONAUTA de José Saramago Aqui, na Terra, a fome continua, A miséria, o luto, e outra vez a fome. Acendemos cigarros em fogos de napalme E dizemos amor sem saber o que seja. Mas fizemos de ti a prova da riqueza, E também da pobreza, e da fome outra vez. E pusemos em ti sei lá bem que desejo De mais alto que nós, e melhor e mais puro. No jornal, de olhos tensos, soletramos As vertigens do espaço e maravilhas: Oceanos salgados que circundam Ilhas mortas de sede, onde não chove. Mas o mundo, astronauta, é boa mesa Onde come, brincando, só a fome, Só a fome, astronauta, só a fome, E são brinquedos as bombas de napalme. In: OS POEMAS POSSÍVEIS, Editorial CAMINHO, Lisboa, 1981. 3ª edição. Disponível em: <http://blogdospoetas.com.br/poemas/fala-do- velho-do-restelo-ao-astronauta/>. Acesso em: 19 fev. 2014. A mensagem veiculada no texto do poeta portu- guês José Saramago A exalta a contribuição dos astronautas para o progresso da Terra. B ressalta as maravilhas do espaço sideral que compensam o que há de ruim na Terra. C evidencia a fartura de alimentos no verso “Mas o mundo, astronauta, é boa mesa”. D salienta o amor, que tende a crescer, nos difí- ceis tempos de guerra.