2ª Fase do Modernismo (Poesia)

27.559 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
27.559
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
676
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2ª Fase do Modernismo (Poesia)

  1. 1. SEGUNDA FASE DOMODERNISMO - (POESIA)Escola de Educação Básica Maria Corrêa SaadProfessora: Carmen Liane MarquesDisciplina de Língua PortuguesaAlunos: Érica Helena Cândido Ricardo e Mateus dos Santos MartinsEnsino Médio – 3ª série 02 - Matutino
  2. 2. SEGUNDA FASE DOMODERNISMO (POESIA)
  3. 3. CECÍLIA MEIRELES VIDA ● Criadora da primeira biblioteca infantil do Brasil; ● Lecionou Literatura e Cultura Brasileira na Universidade do Texas (EUA). OBRA● Contribuição com a revista Festa;● Tendência “passadista”, ainda que não se enquadre completamente em nenhuma escola do século XIX. “Nunca me esforcei por ganhar nem me espantei por perder. A noção ou o sentimento da transitoriedade de tudo é o fundamento minha personalidade. (...) Minha infância de menina sozinha deu-me duas coisas que parecem negativas, e foram sempre positivas para mim: silêncio e solidão.”
  4. 4. CECÍLIA MEIRELES CARACTERÍSTICAS DA OBRA● Não usa coloquialismos;● Simbolista;● Tendência à musicalidade;● Intimista, introspectiva, melancólica;● Temática do abandono, da solidão;● Consciência da breve passagem do tempo;● Sensação do absurdo e da falta se sentido da vida contemporânea. “O rumor de suas penas “Eu não tinha este rosto de hoje, era um rumor de fontes assim calmo, assim triste, assim brancas em tardes morenas.” magro, nem estes olhos tão vazios, “Eu canto porque o instante existe nem o lábio tão amargo. e a minha vida está completa. Eu não tinha estas mãos sem força, Não sou alegre nem sou triste: tão paradas e frias e mortas; sou poeta.” (Motivo) eu não tinha este coração que nem se mostra. Eu não dei por conta esta mudança, tão simples, tão certa e fácil: Em que espelho ficou perdida a minha face?” (Retrato)
  5. 5. JORGE DE LIMA VIDA E OBRA ● Nascido em Alagoas. Médico, político, artista plástico, professor e poeta; ● Vence concurso literário do jornal Correio da Tarde. CARACTERÍSTICAS DA OBRA● Primeira obra com versos brancos;● Primeira fase de caráter regionalista, voltado para o Nordeste;● Segunda fase, voltada para o meio social;● Acaba voltando a algumas tendências parnasianistas.
  6. 6. JORGE DE LIMA“Ora, se deu que chegou “Senhor Jesus, o século está pobre.(isso já faz muito tempo) Onde é que vou buscar poesia?no bangüê dum meu avô Devo despir-me de todos os mantos,uma negra bonitinha, os belos mantos que o mundo me deu.chamada negra Fulô. Devo despir o manto da poesia. Devo despir o manto mais puro.(...) Senhor Jesus, o século está doente, o século está rico, o século está gordo.Ó Fulô! Ó Fulô! (...)” (O Poeta Diante de Deus)(Era a fala da Sinhá)— Vai forrar a minha camapentear os meus cabelos,vem ajudar a tirara minha roupa, Fulô!Essa negra Fulô!Essa negrinha Fulô!ficou logo pra mucamapra vigiar a Sinhá,pra engomar pro Sinhô!”(Essa negra Fulô)
  7. 7. CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE ● Nasceu em Itabira (MG), em 1902; ● Carreira literária a partir dos anos 50; ● Faleceu em 1987n no Rio Grande do Sul ● Considerado um dos maiores poetas brasileiros.
  8. 8. CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE CARREIRA POÉTICA● 1ª FASE – pessimismo, isolamento, individualismo e procupação religiosa;● 2ª FASE – solidariedade com os problemas do mundo;● 3ª FASE – questionamento à própria poesia. Analogias e aliterações;● 4ª E ÚLTIMA FASE – recordações.
  9. 9. VINÍCIUS DE MORAES ● Nasceu em 1913 no Rio de Janeiro; ● Formou-se em Letras e Direito, foi crítico de cinema e diplomata, conheceu artistas de todo o mundo; ● Morreu em 1980 no Rio de Janeiro e também é considerado um dos maiores poetas brasileiros.
  10. 10. VINÍCIUS DE MORAES CARREIRA POÉTICA1ª FASE – angústias, preocupação religiosa;2ª FASE – brincadeiras e amores além da indignação social;3ª FASE – da poesia à música.

×