SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Não é um
Bicho-de-sete-cabeças
Conhecimento
Científico
Os professores devem ter
conhecimento científico, para
que possam orientar as crianças
com segurança e sem
preconceitos. Em vez de
reprimir, devem compreender a
expressão da sexualidade, no
sentido amplo, desde a infância.
Fase oral
(0 -1 ano)
Zona erógena: boca
Instâncias: id
(prazer) e ego (razão)
Conflito:
desmamo
Fase anal
(1 – 3 anos)
Zona erógena:
mucosa intestinal
Instâncias: id e ego
Conflito:
ambivalência da
dor e ambivalência
do prazer
Fase fálica
(3 - 5 anos)
Zona erógena são os
genitais
Instâncias: id, ego e su
perego (moralidade)
Conflito:
Conflito de
Édipo-Electra
FASES DO DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL - FREUD
Postura adequada segundo os PCNs:
O professor ocupa
lugar de maior poder,
constituindo-se em
referência muito
importante para o
aluno.
Namoro na Infância
O Primeiro Beijo de Duas Crianças:
Concepções Sobre Sexualidade, Comuns Na
Infância
JOGO SIMBÓLICO NO DESENVOLVIMENTO
DA SEXUALIDADE INFANTIL
Seres Sexuados
A educação sexual infantil deve
considerar as crianças como seres
sexuados, que manifestam sua
sexualidade e criam suas próprias
teorias sobre o sexo. Deve também
reconhecer que meninos e meninas
podem brincar e transitar
livremente entre os brinquedos e
brincadeiras de ambos os sexos sem
que isso possa definir sua identidade
sexual e que brincadeiras são um
caminho para descobrir o prazer.
Do ponto de vista da criança não é necessário que ela tenha
presenciado cenas de sexo para que se envolvam em
explorações ou jogos sexuais. Contudo, a mídia atual vem
promovendo um amadurecimento (errôneo) precoce e
distorcido sobre sexualidade em nossas crianças e
adolescentes. As cenas, as discussões e a forma como a mídia
vem explorando o tema, obriga nossas crianças a uma reflexão
prematura em alto grau de complexidade para essa faixa
etária.
Brincadeiras sexuais são normais, não devem se transformar em
experiências precoces. O “Brincar infantil” não diretamente,
sexual, envolve sexualidade;
HORA DE COLOCAR A MÃO NA MASSA!!
CASO 1 – Uma
menina não para
de se masturbar.
• Uma criança de 5 anos se masturbava movimentando os
quadris num banquinho. Não é coceira, pois, ela só repete
esses movimentos quando se senta nesse cantinho.
Caso 02 – Você
Vê Garotos Se
Acariciando No
Banheiro.
• Dois garotos de 5 anos de idade estavam no banheiro da
escola trocando carícias. Um havia pedido para colocar o
pipi no bumbum do outro.
Caso 03 – Um
garoto novato
tem duas mães.
• Entra um aluno novo na turma e ao apresentar-se ele diz
que tem duas mães. Diante do espanto de todos e da
intervenção de um outro colega que alegou não haver
como se ter duas mães, apenas pai e mãe, o aluno afirma
que tinha pai e mãe que o maltratavam e agora tem duas
mães que o adotaram e cuidam muito bem dele.
Masturbação Infantil
• Entender e explicar que
aquilo pode ser bom de
fazer, mas, que na escola
tem coisas melhores para
serem feitas.
• Evidenciar que as partes
íntimas são parte privada
do corpo e não devem
ser tocadas
publicamente, por isso,
que vamos ao banheiro
para fazer xixi e cocô.
Experiências Sexuais
entre crianças.
• Explicar que as partes do
corpo não devem ser
tocadas por outras
crianças.
• Restringir o uso do
banheiro a uma única
criança por vez;
• Comunicar aos pais, pois
pode haver interferência
do convívio com adultos
(dorme com os pais, vê
os pais em determinada
situação etc.)
Famílias Modernas
• Entender a história da
família;
• Introduzir o tema :
Novas famílias a partir
de literatura infantil,
fantoches, desenhos
animados e etc.;
• Realizar um trabalho
junto à comunidade
escolar, em especial, com
os pais da turma.
 A sexualidade infantil é diferente da sexualidade adulta,
não contém os mesmos componentes e interesses.
 Através da dramatização, a criança compreende, elabora,
vivencia a realidade que vive ( compreender papéis como:
mãe, pai, filho, homem, mulher, etc);
 Os educadores têm a responsabilidade de fazer com que a
educação sexual seja transferida do papel, dos referenciais,
dos parâmetros e das leis para se inserir definitivamente nas
instituições educacionais com os princípios éticos, políticos e
estéticos.
IMPORTANTE:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Alinebrauna Brauna
 
Adolescencia e sexualidade (1)
Adolescencia e sexualidade (1)Adolescencia e sexualidade (1)
Adolescencia e sexualidade (1)
Lulusinhah
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Luisa Sena
 

Mais procurados (20)

Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
Gênero e sexualidade na Educação Infantil (Jonas Alves da Silva Junior)
 
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
Como ensinar os conceitos de Sexo e de Sexualidade na escola?
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Slides infanto completo
Slides infanto completoSlides infanto completo
Slides infanto completo
 
18 de Maio
18 de Maio 18 de Maio
18 de Maio
 
Adolescencia e sexualidade (1)
Adolescencia e sexualidade (1)Adolescencia e sexualidade (1)
Adolescencia e sexualidade (1)
 
Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantilDesenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil
 
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentesPalestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
Palestra Violência Sexual contra crianças e adolescentes
 
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovo
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovoA sexualidade dos 2 aos 10 ano snovo
A sexualidade dos 2 aos 10 ano snovo
 
Adolescência e puberdade
Adolescência e puberdadeAdolescência e puberdade
Adolescência e puberdade
 
Adolescencia
AdolescenciaAdolescencia
Adolescencia
 
Sexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e AprendizagemSexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e Aprendizagem
 
Autismo e educação
Autismo e educaçãoAutismo e educação
Autismo e educação
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
Sexualidade powerpoint
Sexualidade  powerpointSexualidade  powerpoint
Sexualidade powerpoint
 
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
Habilidades sociais oficina   apostila-pdfHabilidades sociais oficina   apostila-pdf
Habilidades sociais oficina apostila-pdf
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Educação Sexual
Educação SexualEducação Sexual
Educação Sexual
 
Chegou a adolescência
Chegou a adolescênciaChegou a adolescência
Chegou a adolescência
 
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescenteAbuso e exploração sexual de criança e adolescente
Abuso e exploração sexual de criança e adolescente
 

Semelhante a Sexualidade na educação infantil

1203276436 freud
1203276436 freud1203276436 freud
1203276436 freud
catia
 
Relação através da linguagem entre a educadora e as crianças do grupo
Relação através da linguagem entre a educadora e as crianças do grupoRelação através da linguagem entre a educadora e as crianças do grupo
Relação através da linguagem entre a educadora e as crianças do grupo
Miriam Camargo
 
Sexualidade Infantil - Claudinéia da Silva Barbosa. Curso de Psicologia Escol...
Sexualidade Infantil - Claudinéia da Silva Barbosa. Curso de Psicologia Escol...Sexualidade Infantil - Claudinéia da Silva Barbosa. Curso de Psicologia Escol...
Sexualidade Infantil - Claudinéia da Silva Barbosa. Curso de Psicologia Escol...
Claudinéia Barbosa
 
Educação Sexual - 2º Ciclo
Educação Sexual - 2º CicloEducação Sexual - 2º Ciclo
Educação Sexual - 2º Ciclo
Jorge Barbosa
 

Semelhante a Sexualidade na educação infantil (20)

Orientacao sexual
Orientacao sexualOrientacao sexual
Orientacao sexual
 
Sexualidade simone helen drumond
Sexualidade simone helen  drumondSexualidade simone helen  drumond
Sexualidade simone helen drumond
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
 
Freud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimentoFreud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimento
 
Orientacao sexual
Orientacao sexualOrientacao sexual
Orientacao sexual
 
Sexualidade na escola 06-04-16
Sexualidade na escola 06-04-16Sexualidade na escola 06-04-16
Sexualidade na escola 06-04-16
 
Diferentes fontes de informação sobre sexualidade.
Diferentes fontes de informação sobre sexualidade.Diferentes fontes de informação sobre sexualidade.
Diferentes fontes de informação sobre sexualidade.
 
1203276436 freud
1203276436 freud1203276436 freud
1203276436 freud
 
Sexualidade na Infância e na Adolescência.
Sexualidade na Infância e na Adolescência. Sexualidade na Infância e na Adolescência.
Sexualidade na Infância e na Adolescência.
 
Freudeodesenvolvimento
FreudeodesenvolvimentoFreudeodesenvolvimento
Freudeodesenvolvimento
 
Sexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e AprendizagemSexualidade e Aprendizagem
Sexualidade e Aprendizagem
 
Slides revisao e concordancia
Slides revisao e concordanciaSlides revisao e concordancia
Slides revisao e concordancia
 
Relação através da linguagem entre a educadora e as crianças do grupo
Relação através da linguagem entre a educadora e as crianças do grupoRelação através da linguagem entre a educadora e as crianças do grupo
Relação através da linguagem entre a educadora e as crianças do grupo
 
Desenvolvimento da-criana-6 a 12anos vanessa
Desenvolvimento da-criana-6 a 12anos vanessaDesenvolvimento da-criana-6 a 12anos vanessa
Desenvolvimento da-criana-6 a 12anos vanessa
 
Sexualidade Infantil - Claudinéia da Silva Barbosa. Curso de Psicologia Escol...
Sexualidade Infantil - Claudinéia da Silva Barbosa. Curso de Psicologia Escol...Sexualidade Infantil - Claudinéia da Silva Barbosa. Curso de Psicologia Escol...
Sexualidade Infantil - Claudinéia da Silva Barbosa. Curso de Psicologia Escol...
 
Educação Sexual - 2º Ciclo
Educação Sexual - 2º CicloEducação Sexual - 2º Ciclo
Educação Sexual - 2º Ciclo
 
A criança de seis anos no ensino fundamental
A criança de seis anos no ensino fundamentalA criança de seis anos no ensino fundamental
A criança de seis anos no ensino fundamental
 
Artigo orientação sexual
Artigo orientação sexualArtigo orientação sexual
Artigo orientação sexual
 
Gravidez
GravidezGravidez
Gravidez
 
Cartilha para fases da crianças 1
Cartilha para fases da crianças 1Cartilha para fases da crianças 1
Cartilha para fases da crianças 1
 

Último

ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 

Sexualidade na educação infantil

  • 2.
  • 3. Conhecimento Científico Os professores devem ter conhecimento científico, para que possam orientar as crianças com segurança e sem preconceitos. Em vez de reprimir, devem compreender a expressão da sexualidade, no sentido amplo, desde a infância.
  • 4. Fase oral (0 -1 ano) Zona erógena: boca Instâncias: id (prazer) e ego (razão) Conflito: desmamo Fase anal (1 – 3 anos) Zona erógena: mucosa intestinal Instâncias: id e ego Conflito: ambivalência da dor e ambivalência do prazer Fase fálica (3 - 5 anos) Zona erógena são os genitais Instâncias: id, ego e su perego (moralidade) Conflito: Conflito de Édipo-Electra FASES DO DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL - FREUD
  • 6. O professor ocupa lugar de maior poder, constituindo-se em referência muito importante para o aluno.
  • 8. O Primeiro Beijo de Duas Crianças:
  • 9. Concepções Sobre Sexualidade, Comuns Na Infância
  • 10. JOGO SIMBÓLICO NO DESENVOLVIMENTO DA SEXUALIDADE INFANTIL
  • 11.
  • 12. Seres Sexuados A educação sexual infantil deve considerar as crianças como seres sexuados, que manifestam sua sexualidade e criam suas próprias teorias sobre o sexo. Deve também reconhecer que meninos e meninas podem brincar e transitar livremente entre os brinquedos e brincadeiras de ambos os sexos sem que isso possa definir sua identidade sexual e que brincadeiras são um caminho para descobrir o prazer.
  • 13. Do ponto de vista da criança não é necessário que ela tenha presenciado cenas de sexo para que se envolvam em explorações ou jogos sexuais. Contudo, a mídia atual vem promovendo um amadurecimento (errôneo) precoce e distorcido sobre sexualidade em nossas crianças e adolescentes. As cenas, as discussões e a forma como a mídia vem explorando o tema, obriga nossas crianças a uma reflexão prematura em alto grau de complexidade para essa faixa etária. Brincadeiras sexuais são normais, não devem se transformar em experiências precoces. O “Brincar infantil” não diretamente, sexual, envolve sexualidade;
  • 14.
  • 15. HORA DE COLOCAR A MÃO NA MASSA!!
  • 16. CASO 1 – Uma menina não para de se masturbar. • Uma criança de 5 anos se masturbava movimentando os quadris num banquinho. Não é coceira, pois, ela só repete esses movimentos quando se senta nesse cantinho. Caso 02 – Você Vê Garotos Se Acariciando No Banheiro. • Dois garotos de 5 anos de idade estavam no banheiro da escola trocando carícias. Um havia pedido para colocar o pipi no bumbum do outro. Caso 03 – Um garoto novato tem duas mães. • Entra um aluno novo na turma e ao apresentar-se ele diz que tem duas mães. Diante do espanto de todos e da intervenção de um outro colega que alegou não haver como se ter duas mães, apenas pai e mãe, o aluno afirma que tinha pai e mãe que o maltratavam e agora tem duas mães que o adotaram e cuidam muito bem dele.
  • 17. Masturbação Infantil • Entender e explicar que aquilo pode ser bom de fazer, mas, que na escola tem coisas melhores para serem feitas. • Evidenciar que as partes íntimas são parte privada do corpo e não devem ser tocadas publicamente, por isso, que vamos ao banheiro para fazer xixi e cocô. Experiências Sexuais entre crianças. • Explicar que as partes do corpo não devem ser tocadas por outras crianças. • Restringir o uso do banheiro a uma única criança por vez; • Comunicar aos pais, pois pode haver interferência do convívio com adultos (dorme com os pais, vê os pais em determinada situação etc.) Famílias Modernas • Entender a história da família; • Introduzir o tema : Novas famílias a partir de literatura infantil, fantoches, desenhos animados e etc.; • Realizar um trabalho junto à comunidade escolar, em especial, com os pais da turma.
  • 18.  A sexualidade infantil é diferente da sexualidade adulta, não contém os mesmos componentes e interesses.  Através da dramatização, a criança compreende, elabora, vivencia a realidade que vive ( compreender papéis como: mãe, pai, filho, homem, mulher, etc);  Os educadores têm a responsabilidade de fazer com que a educação sexual seja transferida do papel, dos referenciais, dos parâmetros e das leis para se inserir definitivamente nas instituições educacionais com os princípios éticos, políticos e estéticos. IMPORTANTE: