SlideShare uma empresa Scribd logo
SCRUM
SOBRE MIM
•   Márcio Youji Oya

•   Comecei como programador em 1997, depois me tornei DBA na Telemar, desenvolvedor web,
    gerente de TI, diretor de TI da Lazo Digital, fundador e ex-sócio da Plan B Comunicação Online e
    consultor pela Oya Solutions.

•   Desde 2006 faço parte da Assessoria de Informática da Fundep, desenvolvendo sistemas web e
    treinando equipes em Agile usando SCRUM. Treinamos e coordenamos mais de 6 equipes, mais de
    40 pessoas no projeto de migração de plataforma dos softwares da Fundação nos últimos 2 anos.

•   Formado em Ciência da Computação pela PUC-MG em 2000.

•   Certified Scrum Master pela Teamware com Boris Gloger.

•   Fascinado por pessoas, tecnologia, inovação e empreendedorismo.
ESTA PALESTRA

• Visão   Geral sobre Gestão Ágil e SCRUM

• Minha   experiência

• Despertar   a curiosidade
MOTIVADORES

• Gestão    De Projetos 1.0

• Software   x Engenharia Civil

• Pessoas, comportamentos     e criatividade

• Alto   índice de falhas

• Honestidade    e Transparência
PREMISSAS
PREMISSAS
•   Lei de Ziv
PREMISSAS
•   Lei de Ziv
    •   “Especificações nunca serão completamente compreendidas.”
PREMISSAS
•   Lei de Ziv
    •   “Especificações nunca serão completamente compreendidas.”

•   Lei de Humphrey
PREMISSAS
•   Lei de Ziv
    •   “Especificações nunca serão completamente compreendidas.”

•   Lei de Humphrey
    •   “O usuário não saberá o que ele quer até utilizar o sistema real (talvez nem
        assim).”
PREMISSAS
•   Lei de Ziv
    •   “Especificações nunca serão completamente compreendidas.”

•   Lei de Humphrey
    •   “O usuário não saberá o que ele quer até utilizar o sistema real (talvez nem
        assim).”

•   Lei de Wegner / Teorema de Godel
PREMISSAS
•   Lei de Ziv
    •   “Especificações nunca serão completamente compreendidas.”

•   Lei de Humphrey
    •   “O usuário não saberá o que ele quer até utilizar o sistema real (talvez nem
        assim).”

•   Lei de Wegner / Teorema de Godel
    •   “Um sistema interativo nunca estará completamente especificado e/ou
        testado.”
PREMISSAS
•   Lei de Ziv
    •   “Especificações nunca serão completamente compreendidas.”

•   Lei de Humphrey
    •   “O usuário não saberá o que ele quer até utilizar o sistema real (talvez nem
        assim).”

•   Lei de Wegner / Teorema de Godel
    •   “Um sistema interativo nunca estará completamente especificado e/ou
        testado.”

    “É típico adotar a abordagem de modelagem teórica quando todos os fatores
    pelos quais um processo opera estão razoavelmente bem entendidos. Quando
    o processo é complicado demais para a abordagem teórica, uma abordagem
    empírica é a melhor escolha.” Process Dynamics, Modeling, and Control, Ogunnaike e Ray, Oxford University Press, 1992
Scrum em 1h.
MANIFESTO ÁGIL
Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver
software, fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a
fazerem o mesmo. Através deste trabalho, passamos a valorizar:

Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas
Software em funcionamento mais que documentação abrangente
Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos
Responder a mudanças mais que seguir um plano

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à
esquerda.
PRINCÍPIOS
1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor
   agregado.
2. Mudanças nos requisitos são bem-vindas, mesmo tardiamente no desenvolvimento. Processos ágeis tiram
   vantagem das mudanças visando vantagem competitiva para o cliente.
3. Entregar freqüentemente software funcionando, de poucas semanas a poucos meses, com preferência à menor
   escala de tempo.
4. Pessoas de negócio e desenvolvedores devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto.
5. Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte necessário e confie neles
   para fazer o trabalho.
6. O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é através de
   conversa face a face.
7. Software funcionando é a medida primária de progresso.
8. Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser
   capazes de manter um ritmo constante indefinidamente.
9. Contínua atenção à excelência técnica e bom design aumenta a agilidade.
10.Simplicidade--a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado--é essencial.
11.As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de equipes auto-organizáveis.
12.Em intervalos regulares, a equipe reflete sobe como se tornar mais eficaz e então refina e ajusta seu
   comportamento de acordo.
O QUE É O SCRUM?
•   Modo empírico de gerenciar projetos de desenvolvimento de software
•   Feito de um conjunto simples de regras e garante que todos os membros da equipe sintam a
    responsabilidade de um projeto
•   Inspeção e adaptação com base em feedback
•   Usado para gerenciar projetos complexos desde 1990
•   Entrega de funcionalidades de negócio em 30 dias
•   Escalabilidade na distribuição de projetos grandes e longos
•   Compatível com CMM Level 3 e ISO 9001
•   Extremamente simples mas de difícil implementação
Scrum em 1h.
PRINCÍPIOS
• Time   responsável e comprometido

• Honestidade

• Transparência

• Partes   potencialmente entregáveis

• Timebox
HONESTIDADE X
CONFORMIDADE
SCRUM ROLES

•Product   Owner
•Scrum   Master
•Team
PAPÉIS NO SCRUM
 Atividade        Papel     Responsabilidade

 Gerencia a       Product   O Product Owner estabelece, mantem viva e comunica a visão do produto. Ele demonstra que o

 visão            Owner     projeto é alcançável e o financia criando a visão dos releases e do Product Backlog inicial.


                  Product   O Product Owner monitora o projeto, mantém de acordo com o ROI estabelecido. Ele atualiza as
 Gerencia o                 prioridade do Product Backlog para assegurar-se que as tarefas de maior valor funcional sejam
                  Owner
 ROI                        produzidas primeiro. Ele prioriza o Product Backlog and mede o sucesso para assegurar que o
                            projeto está no caminho certo.

Gerencia as       Team
                            Durante uma iteração o time seleciona e desenvolve os requisitos de maior prioridade do Product
iterações de                Backlog. Coletivamente, o time expande os itens do Product Backlog para tarefas mais explícitas no
                            Sprint Backlog e gerenciam o trabalho e a sua própria organização para entregar os itens desejados
desenvolvimento             naquela iteração. O time se gerencia para cumprir o compromissos.

                  Scrum
                  Master    O Scrum Master é responsável por ajustar a equipe acima tentando assegurar o sucesso do projeto
 Gerencia o                 e otimizar a cultura organizacional para encontrar os objetivos no projeto. Isto envolve organizar a
 processo                   Sprint Planning Meeting, a Sprint Review Meeting, protegendo a equipe dos distúrbios externos,
                            realizando as Daily Scrum Meetings, e removendo impedimentos para o progresso do projeto.


                  Product
                  Owner     O Product Owner toma decisões sobre quando criar um release oficial. Por uma série de razões não
 Gerencia os                é desejável liberar um realease a cada incremento. O Product Owner toma esta decisões de
 releases                   maneira consistente com base na visão de investimento que foi estabelecida para o projeto.
CHICKENS AND PIGS
CENOURAS E CHICOTES
FASES
FLUXO DO SCRUM
O QUE É UM BACKLOG ITEM?



 Como <user role> eu quero <feature> para
         que <business value>
PRODUCT BACKLOG
•   Lista de funcionalidades, tecnologia a ser aplicada, issues
•   Issues são situações/assuntos do projeto que terão o trabalho definido mais tarde
•   Itens priorizados e estimados
•   Maior detalhamento sobre os itens de maior prioridade
•   O Product Owner é responsável pela priorização
•   Qualquer um da equipe pode contribuir
•   Mantido e fixado em local visível
•   Derivado do plano de negócio e da visão estabelecida, que tem que ser criada em conjunto com o
    cliente
•   Estimation Meeting
ESTIMATIVA
    PLANNING POKER
•   Chile
•   Argentina
•   Venezuela
•   Brasil
•   Uruguai
•   Paraguai
•   Egito
•   Itália


1, 2, 3, 5, 8, 13, 21
SPRINT PLANNING 1



• Definir   o Sprint Goal e o Selected Product Backlog
SPRINT PLANNING 2

• Define as tarefas para realizar o Sprint Backlog e alinha ao
 Sprint Goal

• Junta   a estimativa com a realidade da equipe e do projeto

• Design   é detalhado nesta sessão

• Vamos    ao quadro!
KANBAN
MÉTRICAS

• Sprint   Burndown

• Product    Burndown

• Velocity   per Sprint

• Business Value   Evolution
DAILY MEETING

•   Objetivo: Sincronizar a equipe
    -   Quais as tarefas foram realizadas ontem?
    -   Quais as tarefas serão desempenhadas hoje?
    -   Quais os impedimentos encontrados durante o seu trabalho?
•   Mover as tarefas dentro do quadro de acordo com a sua execução
•   Resultados
    -   Atualização do Impediment Backlog
    -   Atualização do Sprint Backlog
    -   Atualização dos gráficos Burndown
•   Novas funcionalidades que surgirem serão armazenadas para avaliação ao final do Sprint
DONE!

• Quando   uma tarefa esta realmente concluída?
IMPEDIMENTS BACKLOG
•   Recursos
•   Skills
•   Prazo Impossível
•   Infra-estrutura
•   Ausência de feedback do cliente
•   Escopo não definido
•   Problemas Contratuais
•   Falta de Prioridade
•   Falte de unidade entre equipes
•   Burocracia
ABNORMAL TERMINATION

• Sprints   podem ser cancelados antes do final do Sprint
SPRINT REVIEW

•O   team deve apresentar os resultados do Sprint e as novas
  funcionalidades desenvolvidas
• Se surgirem novas funcionalidades ou alteração, os novos itens
  irão para o Backlog para serem estimados e priorizados
• O team deve reportar os impedimentos durante o
  desenvolvimento
• Ao final todos envolvidos no projeto devem entender a
  evolução do projeto e os impedimentos
SPRINT RETROSPECTIVE

•O   processo é aprimorado ao final de cada Sprint

• Facilitado   pelo ScrumMaster

•O que aconteceu de bom que nós podemos utilizar
 como melhoria?

• ScrumMaster     basea a prioridade de acordo com o team

•A equipe planeja a solução dos problemas de sua
 responsabilidade
RETROSPECTIVA

“Independente do que nós descubramos, nós
compreendemos e acreditamos verdadeiramente que todos
fizeram o melhor trabalho que poderiam, deram o que sabiam
naquele momento, seus conhecimentos e suas habilidades, os
recursos disponíveis, e a situação disponível.”
ESCALABILIDADE COM
      SCRUM
RESUMO

• Roles: Product   Owner, Team, ScrumMaster

• Artifacts: Product
                  Backlog, Selected Product Backlog, Sprint
 Backlog, Impediment Backlog

• Scrum Meetings: Daily Scrum Meeting, Estimation Meeting,
 Sprint Planning 1, Sprint Planning 2, Sprint Review Meeting,
 Retrospective
COMEÇANDO
• Ensine os conceitos, teoria e práticas do SCRUM
• Apresente a Visão do Projeto, Objetivos e timelines
• Ensine o Sprint Planning
• Defina o Product Backlog para pelo menos 3 sprints
• Faça um brainstorm dos possíveis impedimentos
• Faça um brainstorm sobre o próximo Sprint - aceite da
  equipe
• A equipe define o Sprint Backlog
• Ensine Daily Meeting, Sprint Review e auto-organização
• Discuta sobre ferramentas, práticas e arquiteturas.
INDO ALÉM

• XP

• Pair   Programming

• BDD     - TDD

• Lean

• Kanban

• etc
DÚVIDAS?




•   marciooya@gmail.com


•   Twitter @marciooya


•   (31) 9722-7170

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel PimentelScrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Manoel Pimentel Medeiros
 
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com ScrumGestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Marcos Garrido
 
Treinamento - Product Owner - CLARO-NET-EMBRATEL
Treinamento - Product Owner - CLARO-NET-EMBRATELTreinamento - Product Owner - CLARO-NET-EMBRATEL
Treinamento - Product Owner - CLARO-NET-EMBRATEL
Daniel Calmazini
 
Introdução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Introdução ao desenvolvimento ágil com ScrumIntrodução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Introdução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Inove
 
Treinamento Ágil / Scrum
Treinamento Ágil / ScrumTreinamento Ágil / Scrum
Treinamento Ágil / Scrum
Alessandro Rodrigues, CSM, SFC
 
Quem é e qual o papel do Product Owner para o Negócio
Quem é e qual o papel do Product Owner para o NegócioQuem é e qual o papel do Product Owner para o Negócio
Quem é e qual o papel do Product Owner para o Negócio
Daniel Calmazini
 
O Time Scrum e suas responsabilidades - Papéis do Scrum
O Time Scrum e suas responsabilidades - Papéis do ScrumO Time Scrum e suas responsabilidades - Papéis do Scrum
O Time Scrum e suas responsabilidades - Papéis do Scrum
ScrumHalf Tool
 
Apostila introdutória ao Scrum (V1)
Apostila introdutória ao Scrum (V1)Apostila introdutória ao Scrum (V1)
Apostila introdutória ao Scrum (V1)
Rafael Barbosa Camargo
 
Scrum - As Regras do Jogo segundo o Guia do Scrum
Scrum - As Regras do Jogo segundo o Guia do ScrumScrum - As Regras do Jogo segundo o Guia do Scrum
Scrum - As Regras do Jogo segundo o Guia do Scrum
André Borgonovo
 
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
Vanilton Pinheiro
 
Introdução às Metodologias Ágeis de Desenvolvimento
Introdução às Metodologias Ágeis de DesenvolvimentoIntrodução às Metodologias Ágeis de Desenvolvimento
Introdução às Metodologias Ágeis de Desenvolvimento
Jerry Medeiros
 
Scrum - Desenvolvimento Ágil
Scrum - Desenvolvimento ÁgilScrum - Desenvolvimento Ágil
Scrum - Desenvolvimento Ágil
Israel Santiago
 
Scrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutosScrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutos
Serge Rehem
 
Scrum - Gerenciamento de Projetos
Scrum - Gerenciamento de ProjetosScrum - Gerenciamento de Projetos
Scrum - Gerenciamento de Projetos
William Lima
 
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum MasterGuia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Paulo Lomanto
 
Agile SCRUM
Agile SCRUMAgile SCRUM
Agile SCRUM
Eduardo Bregaida
 
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Annelise Gripp
 
Gestao agil de projetos com Scrum
Gestao agil de projetos com ScrumGestao agil de projetos com Scrum
Gestao agil de projetos com Scrum
Igor Macaubas
 
Scrum
ScrumScrum
Porque devo usar Scrum em meus projetos
Porque devo usar Scrum em meus projetosPorque devo usar Scrum em meus projetos
Porque devo usar Scrum em meus projetos
Eamon Sousa, PMP
 

Mais procurados (20)

Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel PimentelScrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
Scrum - Conceitos, Práticas e Experiências - Manoel Pimentel
 
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com ScrumGestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
 
Treinamento - Product Owner - CLARO-NET-EMBRATEL
Treinamento - Product Owner - CLARO-NET-EMBRATELTreinamento - Product Owner - CLARO-NET-EMBRATEL
Treinamento - Product Owner - CLARO-NET-EMBRATEL
 
Introdução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Introdução ao desenvolvimento ágil com ScrumIntrodução ao desenvolvimento ágil com Scrum
Introdução ao desenvolvimento ágil com Scrum
 
Treinamento Ágil / Scrum
Treinamento Ágil / ScrumTreinamento Ágil / Scrum
Treinamento Ágil / Scrum
 
Quem é e qual o papel do Product Owner para o Negócio
Quem é e qual o papel do Product Owner para o NegócioQuem é e qual o papel do Product Owner para o Negócio
Quem é e qual o papel do Product Owner para o Negócio
 
O Time Scrum e suas responsabilidades - Papéis do Scrum
O Time Scrum e suas responsabilidades - Papéis do ScrumO Time Scrum e suas responsabilidades - Papéis do Scrum
O Time Scrum e suas responsabilidades - Papéis do Scrum
 
Apostila introdutória ao Scrum (V1)
Apostila introdutória ao Scrum (V1)Apostila introdutória ao Scrum (V1)
Apostila introdutória ao Scrum (V1)
 
Scrum - As Regras do Jogo segundo o Guia do Scrum
Scrum - As Regras do Jogo segundo o Guia do ScrumScrum - As Regras do Jogo segundo o Guia do Scrum
Scrum - As Regras do Jogo segundo o Guia do Scrum
 
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos - Cenartec 2014
 
Introdução às Metodologias Ágeis de Desenvolvimento
Introdução às Metodologias Ágeis de DesenvolvimentoIntrodução às Metodologias Ágeis de Desenvolvimento
Introdução às Metodologias Ágeis de Desenvolvimento
 
Scrum - Desenvolvimento Ágil
Scrum - Desenvolvimento ÁgilScrum - Desenvolvimento Ágil
Scrum - Desenvolvimento Ágil
 
Scrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutosScrum em 15 minutos
Scrum em 15 minutos
 
Scrum - Gerenciamento de Projetos
Scrum - Gerenciamento de ProjetosScrum - Gerenciamento de Projetos
Scrum - Gerenciamento de Projetos
 
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum MasterGuia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
Guia do Papel e Responsabilidade do Scrum Master
 
Agile SCRUM
Agile SCRUMAgile SCRUM
Agile SCRUM
 
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
Scrum - Fundamentos, teorias e práticas!
 
Gestao agil de projetos com Scrum
Gestao agil de projetos com ScrumGestao agil de projetos com Scrum
Gestao agil de projetos com Scrum
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Porque devo usar Scrum em meus projetos
Porque devo usar Scrum em meus projetosPorque devo usar Scrum em meus projetos
Porque devo usar Scrum em meus projetos
 

Destaque

Technical Debt | PMI - ACP Webinar Series | iZenBridge
Technical Debt | PMI - ACP Webinar Series | iZenBridge Technical Debt | PMI - ACP Webinar Series | iZenBridge
Technical Debt | PMI - ACP Webinar Series | iZenBridge
Saket Bansal
 
Porter Forces and eBusiness Strategies
Porter Forces and  eBusiness StrategiesPorter Forces and  eBusiness Strategies
Porter Forces and eBusiness Strategies
Upekha Vandebona
 
Crucial Conversations
Crucial ConversationsCrucial Conversations
Crucial Conversations
ShazMoore
 
Sprint
SprintSprint
The Product Owner Playbook - Introduction
The Product Owner Playbook - IntroductionThe Product Owner Playbook - Introduction
The Product Owner Playbook - Introduction
Cprime
 
Scrum - Requirements and User Stories
Scrum - Requirements and User StoriesScrum - Requirements and User Stories
Scrum - Requirements and User Stories
Upekha Vandebona
 
Scrum - Product Owner
Scrum - Product OwnerScrum - Product Owner
Scrum - Product Owner
Márcio Oya
 
Scrum Framework
Scrum FrameworkScrum Framework
Scrum Framework
Upekha Vandebona
 
The Product Owner Role
The Product Owner RoleThe Product Owner Role
The Product Owner Role
Nigel Thurlow
 
Need for Software Engineering
Need for Software EngineeringNeed for Software Engineering
Need for Software Engineering
Upekha Vandebona
 
Scrum - Product Backlog
Scrum - Product BacklogScrum - Product Backlog
Scrum - Product Backlog
Upekha Vandebona
 
The Product Canvas Tutorial V1.0
The Product Canvas Tutorial V1.0The Product Canvas Tutorial V1.0
The Product Canvas Tutorial V1.0
Roman Pichler
 
Creating A Product Backlog
Creating A Product BacklogCreating A Product Backlog
Creating A Product Backlog
Russell Pannone
 

Destaque (13)

Technical Debt | PMI - ACP Webinar Series | iZenBridge
Technical Debt | PMI - ACP Webinar Series | iZenBridge Technical Debt | PMI - ACP Webinar Series | iZenBridge
Technical Debt | PMI - ACP Webinar Series | iZenBridge
 
Porter Forces and eBusiness Strategies
Porter Forces and  eBusiness StrategiesPorter Forces and  eBusiness Strategies
Porter Forces and eBusiness Strategies
 
Crucial Conversations
Crucial ConversationsCrucial Conversations
Crucial Conversations
 
Sprint
SprintSprint
Sprint
 
The Product Owner Playbook - Introduction
The Product Owner Playbook - IntroductionThe Product Owner Playbook - Introduction
The Product Owner Playbook - Introduction
 
Scrum - Requirements and User Stories
Scrum - Requirements and User StoriesScrum - Requirements and User Stories
Scrum - Requirements and User Stories
 
Scrum - Product Owner
Scrum - Product OwnerScrum - Product Owner
Scrum - Product Owner
 
Scrum Framework
Scrum FrameworkScrum Framework
Scrum Framework
 
The Product Owner Role
The Product Owner RoleThe Product Owner Role
The Product Owner Role
 
Need for Software Engineering
Need for Software EngineeringNeed for Software Engineering
Need for Software Engineering
 
Scrum - Product Backlog
Scrum - Product BacklogScrum - Product Backlog
Scrum - Product Backlog
 
The Product Canvas Tutorial V1.0
The Product Canvas Tutorial V1.0The Product Canvas Tutorial V1.0
The Product Canvas Tutorial V1.0
 
Creating A Product Backlog
Creating A Product BacklogCreating A Product Backlog
Creating A Product Backlog
 

Semelhante a Scrum em 1h.

Slides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Slides da Aula de Gestão de Projetos DigitaisSlides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Slides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Márcio Oya
 
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetosCenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
João Clineu - CTFL, CSM, CSD
 
Gerenciamento ágil de processos - SCRUM
Gerenciamento ágil de processos - SCRUMGerenciamento ágil de processos - SCRUM
Gerenciamento ágil de processos - SCRUM
Lucas Vinícius
 
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Rafael de Oliveira
 
Aula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de SoftwareAula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de Software
Rudson Kiyoshi Souza Carvalho
 
Scrum
ScrumScrum
Gerenciamento ágil de projetos com scrum
Gerenciamento ágil de projetos com scrumGerenciamento ágil de projetos com scrum
Gerenciamento ágil de projetos com scrum
Audasi Tecnologia e Inovação
 
Scrum - Hands On
Scrum - Hands OnScrum - Hands On
Scrum - Hands On
Adriano Fialho
 
Scrum agil
Scrum agilScrum agil
Metodologias Ágeis
Metodologias ÁgeisMetodologias Ágeis
Metodologias Ágeis
Profa Karen Borges
 
SCRUM - Aula1
SCRUM - Aula1SCRUM - Aula1
SCRUM - Aula1
Saulo Arruda
 
Workshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horasWorkshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horas
Wise Systems
 
Extreme Programming (XP) e Scrum
Extreme Programming (XP) e ScrumExtreme Programming (XP) e Scrum
Extreme Programming (XP) e Scrum
Rafael Souza
 
Scrum 8
Scrum 8Scrum 8
Metodologia ágil
Metodologia ágilMetodologia ágil
Metodologia ágil
rolfczekus
 
PDS_SCRUM.pptx
PDS_SCRUM.pptxPDS_SCRUM.pptx
PDS_SCRUM.pptx
luismota86
 
Minicurso SCRUM
Minicurso SCRUMMinicurso SCRUM
Minicurso SCRUM
Thiago Reis da Silva
 
SCRUM.pptx
SCRUM.pptxSCRUM.pptx
SCRUM.pptx
Ricardo Santos
 
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com ScrumGestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Noaldo Sales
 
Implementing lean software development
Implementing lean software developmentImplementing lean software development
Implementing lean software development
Luiz Faias Junior
 

Semelhante a Scrum em 1h. (20)

Slides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Slides da Aula de Gestão de Projetos DigitaisSlides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
Slides da Aula de Gestão de Projetos Digitais
 
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetosCenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
Cenartec 2014 - FPF Tech - SCRUM - Framework para desenvolver projetos
 
Gerenciamento ágil de processos - SCRUM
Gerenciamento ágil de processos - SCRUMGerenciamento ágil de processos - SCRUM
Gerenciamento ágil de processos - SCRUM
 
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
Palestra sobre Fundamentos do Scrum e Kanban.
 
Aula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de SoftwareAula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de Software
 
Scrum
ScrumScrum
Scrum
 
Gerenciamento ágil de projetos com scrum
Gerenciamento ágil de projetos com scrumGerenciamento ágil de projetos com scrum
Gerenciamento ágil de projetos com scrum
 
Scrum - Hands On
Scrum - Hands OnScrum - Hands On
Scrum - Hands On
 
Scrum agil
Scrum agilScrum agil
Scrum agil
 
Metodologias Ágeis
Metodologias ÁgeisMetodologias Ágeis
Metodologias Ágeis
 
SCRUM - Aula1
SCRUM - Aula1SCRUM - Aula1
SCRUM - Aula1
 
Workshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horasWorkshop Scrum - 8 horas
Workshop Scrum - 8 horas
 
Extreme Programming (XP) e Scrum
Extreme Programming (XP) e ScrumExtreme Programming (XP) e Scrum
Extreme Programming (XP) e Scrum
 
Scrum 8
Scrum 8Scrum 8
Scrum 8
 
Metodologia ágil
Metodologia ágilMetodologia ágil
Metodologia ágil
 
PDS_SCRUM.pptx
PDS_SCRUM.pptxPDS_SCRUM.pptx
PDS_SCRUM.pptx
 
Minicurso SCRUM
Minicurso SCRUMMinicurso SCRUM
Minicurso SCRUM
 
SCRUM.pptx
SCRUM.pptxSCRUM.pptx
SCRUM.pptx
 
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com ScrumGestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
 
Implementing lean software development
Implementing lean software developmentImplementing lean software development
Implementing lean software development
 

Último

Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 

Último (20)

Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 

Scrum em 1h.

  • 2. SOBRE MIM • Márcio Youji Oya • Comecei como programador em 1997, depois me tornei DBA na Telemar, desenvolvedor web, gerente de TI, diretor de TI da Lazo Digital, fundador e ex-sócio da Plan B Comunicação Online e consultor pela Oya Solutions. • Desde 2006 faço parte da Assessoria de Informática da Fundep, desenvolvendo sistemas web e treinando equipes em Agile usando SCRUM. Treinamos e coordenamos mais de 6 equipes, mais de 40 pessoas no projeto de migração de plataforma dos softwares da Fundação nos últimos 2 anos. • Formado em Ciência da Computação pela PUC-MG em 2000. • Certified Scrum Master pela Teamware com Boris Gloger. • Fascinado por pessoas, tecnologia, inovação e empreendedorismo.
  • 3. ESTA PALESTRA • Visão Geral sobre Gestão Ágil e SCRUM • Minha experiência • Despertar a curiosidade
  • 4. MOTIVADORES • Gestão De Projetos 1.0 • Software x Engenharia Civil • Pessoas, comportamentos e criatividade • Alto índice de falhas • Honestidade e Transparência
  • 6. PREMISSAS • Lei de Ziv
  • 7. PREMISSAS • Lei de Ziv • “Especificações nunca serão completamente compreendidas.”
  • 8. PREMISSAS • Lei de Ziv • “Especificações nunca serão completamente compreendidas.” • Lei de Humphrey
  • 9. PREMISSAS • Lei de Ziv • “Especificações nunca serão completamente compreendidas.” • Lei de Humphrey • “O usuário não saberá o que ele quer até utilizar o sistema real (talvez nem assim).”
  • 10. PREMISSAS • Lei de Ziv • “Especificações nunca serão completamente compreendidas.” • Lei de Humphrey • “O usuário não saberá o que ele quer até utilizar o sistema real (talvez nem assim).” • Lei de Wegner / Teorema de Godel
  • 11. PREMISSAS • Lei de Ziv • “Especificações nunca serão completamente compreendidas.” • Lei de Humphrey • “O usuário não saberá o que ele quer até utilizar o sistema real (talvez nem assim).” • Lei de Wegner / Teorema de Godel • “Um sistema interativo nunca estará completamente especificado e/ou testado.”
  • 12. PREMISSAS • Lei de Ziv • “Especificações nunca serão completamente compreendidas.” • Lei de Humphrey • “O usuário não saberá o que ele quer até utilizar o sistema real (talvez nem assim).” • Lei de Wegner / Teorema de Godel • “Um sistema interativo nunca estará completamente especificado e/ou testado.” “É típico adotar a abordagem de modelagem teórica quando todos os fatores pelos quais um processo opera estão razoavelmente bem entendidos. Quando o processo é complicado demais para a abordagem teórica, uma abordagem empírica é a melhor escolha.” Process Dynamics, Modeling, and Control, Ogunnaike e Ray, Oxford University Press, 1992
  • 14. MANIFESTO ÁGIL Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software, fazendo-o nós mesmos e ajudando outros a fazerem o mesmo. Através deste trabalho, passamos a valorizar: Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software em funcionamento mais que documentação abrangente Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos Responder a mudanças mais que seguir um plano Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda.
  • 15. PRINCÍPIOS 1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado. 2. Mudanças nos requisitos são bem-vindas, mesmo tardiamente no desenvolvimento. Processos ágeis tiram vantagem das mudanças visando vantagem competitiva para o cliente. 3. Entregar freqüentemente software funcionando, de poucas semanas a poucos meses, com preferência à menor escala de tempo. 4. Pessoas de negócio e desenvolvedores devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto. 5. Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte necessário e confie neles para fazer o trabalho. 6. O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é através de conversa face a face. 7. Software funcionando é a medida primária de progresso. 8. Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante indefinidamente. 9. Contínua atenção à excelência técnica e bom design aumenta a agilidade. 10.Simplicidade--a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado--é essencial. 11.As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de equipes auto-organizáveis. 12.Em intervalos regulares, a equipe reflete sobe como se tornar mais eficaz e então refina e ajusta seu comportamento de acordo.
  • 16. O QUE É O SCRUM? • Modo empírico de gerenciar projetos de desenvolvimento de software • Feito de um conjunto simples de regras e garante que todos os membros da equipe sintam a responsabilidade de um projeto • Inspeção e adaptação com base em feedback • Usado para gerenciar projetos complexos desde 1990 • Entrega de funcionalidades de negócio em 30 dias • Escalabilidade na distribuição de projetos grandes e longos • Compatível com CMM Level 3 e ISO 9001 • Extremamente simples mas de difícil implementação
  • 18. PRINCÍPIOS • Time responsável e comprometido • Honestidade • Transparência • Partes potencialmente entregáveis • Timebox
  • 20. SCRUM ROLES •Product Owner •Scrum Master •Team
  • 21. PAPÉIS NO SCRUM Atividade Papel Responsabilidade Gerencia a Product O Product Owner estabelece, mantem viva e comunica a visão do produto. Ele demonstra que o visão Owner projeto é alcançável e o financia criando a visão dos releases e do Product Backlog inicial. Product O Product Owner monitora o projeto, mantém de acordo com o ROI estabelecido. Ele atualiza as Gerencia o prioridade do Product Backlog para assegurar-se que as tarefas de maior valor funcional sejam Owner ROI produzidas primeiro. Ele prioriza o Product Backlog and mede o sucesso para assegurar que o projeto está no caminho certo. Gerencia as Team Durante uma iteração o time seleciona e desenvolve os requisitos de maior prioridade do Product iterações de Backlog. Coletivamente, o time expande os itens do Product Backlog para tarefas mais explícitas no Sprint Backlog e gerenciam o trabalho e a sua própria organização para entregar os itens desejados desenvolvimento naquela iteração. O time se gerencia para cumprir o compromissos. Scrum Master O Scrum Master é responsável por ajustar a equipe acima tentando assegurar o sucesso do projeto Gerencia o e otimizar a cultura organizacional para encontrar os objetivos no projeto. Isto envolve organizar a processo Sprint Planning Meeting, a Sprint Review Meeting, protegendo a equipe dos distúrbios externos, realizando as Daily Scrum Meetings, e removendo impedimentos para o progresso do projeto. Product Owner O Product Owner toma decisões sobre quando criar um release oficial. Por uma série de razões não Gerencia os é desejável liberar um realease a cada incremento. O Product Owner toma esta decisões de releases maneira consistente com base na visão de investimento que foi estabelecida para o projeto.
  • 24. FASES
  • 26. O QUE É UM BACKLOG ITEM? Como <user role> eu quero <feature> para que <business value>
  • 27. PRODUCT BACKLOG • Lista de funcionalidades, tecnologia a ser aplicada, issues • Issues são situações/assuntos do projeto que terão o trabalho definido mais tarde • Itens priorizados e estimados • Maior detalhamento sobre os itens de maior prioridade • O Product Owner é responsável pela priorização • Qualquer um da equipe pode contribuir • Mantido e fixado em local visível • Derivado do plano de negócio e da visão estabelecida, que tem que ser criada em conjunto com o cliente • Estimation Meeting
  • 28. ESTIMATIVA PLANNING POKER • Chile • Argentina • Venezuela • Brasil • Uruguai • Paraguai • Egito • Itália 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21
  • 29. SPRINT PLANNING 1 • Definir o Sprint Goal e o Selected Product Backlog
  • 30. SPRINT PLANNING 2 • Define as tarefas para realizar o Sprint Backlog e alinha ao Sprint Goal • Junta a estimativa com a realidade da equipe e do projeto • Design é detalhado nesta sessão • Vamos ao quadro!
  • 32. MÉTRICAS • Sprint Burndown • Product Burndown • Velocity per Sprint • Business Value Evolution
  • 33. DAILY MEETING • Objetivo: Sincronizar a equipe - Quais as tarefas foram realizadas ontem? - Quais as tarefas serão desempenhadas hoje? - Quais os impedimentos encontrados durante o seu trabalho? • Mover as tarefas dentro do quadro de acordo com a sua execução • Resultados - Atualização do Impediment Backlog - Atualização do Sprint Backlog - Atualização dos gráficos Burndown • Novas funcionalidades que surgirem serão armazenadas para avaliação ao final do Sprint
  • 34. DONE! • Quando uma tarefa esta realmente concluída?
  • 35. IMPEDIMENTS BACKLOG • Recursos • Skills • Prazo Impossível • Infra-estrutura • Ausência de feedback do cliente • Escopo não definido • Problemas Contratuais • Falta de Prioridade • Falte de unidade entre equipes • Burocracia
  • 36. ABNORMAL TERMINATION • Sprints podem ser cancelados antes do final do Sprint
  • 37. SPRINT REVIEW •O team deve apresentar os resultados do Sprint e as novas funcionalidades desenvolvidas • Se surgirem novas funcionalidades ou alteração, os novos itens irão para o Backlog para serem estimados e priorizados • O team deve reportar os impedimentos durante o desenvolvimento • Ao final todos envolvidos no projeto devem entender a evolução do projeto e os impedimentos
  • 38. SPRINT RETROSPECTIVE •O processo é aprimorado ao final de cada Sprint • Facilitado pelo ScrumMaster •O que aconteceu de bom que nós podemos utilizar como melhoria? • ScrumMaster basea a prioridade de acordo com o team •A equipe planeja a solução dos problemas de sua responsabilidade
  • 39. RETROSPECTIVA “Independente do que nós descubramos, nós compreendemos e acreditamos verdadeiramente que todos fizeram o melhor trabalho que poderiam, deram o que sabiam naquele momento, seus conhecimentos e suas habilidades, os recursos disponíveis, e a situação disponível.”
  • 41. RESUMO • Roles: Product Owner, Team, ScrumMaster • Artifacts: Product Backlog, Selected Product Backlog, Sprint Backlog, Impediment Backlog • Scrum Meetings: Daily Scrum Meeting, Estimation Meeting, Sprint Planning 1, Sprint Planning 2, Sprint Review Meeting, Retrospective
  • 42. COMEÇANDO • Ensine os conceitos, teoria e práticas do SCRUM • Apresente a Visão do Projeto, Objetivos e timelines • Ensine o Sprint Planning • Defina o Product Backlog para pelo menos 3 sprints • Faça um brainstorm dos possíveis impedimentos • Faça um brainstorm sobre o próximo Sprint - aceite da equipe • A equipe define o Sprint Backlog • Ensine Daily Meeting, Sprint Review e auto-organização • Discuta sobre ferramentas, práticas e arquiteturas.
  • 43. INDO ALÉM • XP • Pair Programming • BDD - TDD • Lean • Kanban • etc
  • 44. DÚVIDAS? • marciooya@gmail.com • Twitter @marciooya • (31) 9722-7170

Notas do Editor

  1. Para cada Backlog Item do Product Backlog O Product Owner deve explicar a hist&amp;#xF3;ria por tr&amp;#xE1;s do item Cada membro da equipe deve mostrar a sua estimativa para o item Se as estimativas da equipe forem diferentes, o menor e o maior valor devem ser explicados at&amp;#xE9; que cheguem em um acordo