SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 88
Baixar para ler offline
ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO
OBJETIVO
Conhecer a metodologia de Cenários
Prospectivos utilizada pelo Exército
Brasileiro
O Exército Brasileiro utiliza Cenários
Prospectivos Probabilísticos baseado noProspectivos Probabilísticos baseado no
Método GRUMBACH, da Consultoria
Brainstorming, com apoio do Software PUMA
na construção do Cenário mais Provável (dos
Especialistas). .
CENÁRIOS
INTRODUÇÃO
CENÁRIOS
PROSPECTIVOS???
Tratam de explorar possibilidades de futuro em
um mundo de grandes mudanças, mapeando e
PARA QUE SERVEM?
um mundo de grandes mudanças, mapeando e
organizando as incertezas e tendências.
São eficazes para antecipar futuros
alternativos e assim melhorar as decisões
tomadas no presente.
- O desafio principal não é detectar “o futuro mais provável”,
porém minimizar as probabilidades de ocorrência dos
acontecimentos desfavoráveis e fortalecer o aproveitamento dos
fatos favoráveis, ocorridos na esfera de atuação da Instituição.
COMO DEVEM SER UTILIZADOS?
fatos favoráveis, ocorridos na esfera de atuação da Instituição.
- Os Cenários Prospectivos são uma ferramenta valiosa para
lançar uma luz sobre as alternativas do futuro no médio e longo
prazo e construir-se, a partir do presente, o futuro desejado.
(PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO).
POR QUE PLANEJAR?
“Se você não sabe para onde está indo, qualquer
caminho te leva lá”
“Se você não sabe para onde está indo, qualquer
caminho te leva lá”
AlcorãoAlcorão
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
INTRODUÇÃO
“ ... O cenário descrito, portanto, exige disposição e
ação das instituições brasileiras, aí incluído o
desenvolvimento das capacidades necessárias ao
Exército para respaldar a atuação do Brasil nas áreas
de interesse estratégico do País.
Ao Exército, nesse contexto de mudanças, cabe
Diretriz GeralDiretriz Geral CmtCmt Ex 2011Ex 2011--20142014
Ao Exército, nesse contexto de mudanças, cabe
transformar-se. Esse processo é de longo prazo, amplo
e profundo; não é modismo e é urgente.
... não podemos estar tão distantes da realidade,
quando as ameaças se revelarem. Para isso, temos que
ousar nas ideias, gerando energia criativa em soluções
inovadoras e factíveis.
Nessa trajetória, a maioria das respostas poderá ser
encontrada na elaboração, execução e controle de um
criterioso e coerente Planejamento Estratégico...”
CARACTERÍSTICAS DO Plj Estrt
- Encontra-se no mais alto nível de decisão da organização;
- É um processo de desenvolvimento de estratégias para alcançar
objetivos definidos;objetivos definidos;
- É de longo alcance e prevê ações estratégicas e projetos para
conformar futuros desejáveis, influenciando o ambiente exterior;
- É integrador da Organização, ou seja, todos os níveis de
planejamento devem seguir o que foi estabelecido pelo
planejamento estratégico;
- É CONTÍNUO, DINÂMICO E FLEXÍVEL.
CHEFIA
VICE
CHEFIA
GABINETE
ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITOESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO
ASSESSORIA JURÍDICA
GABINETE
EME
ECONOMIA E
FINANÇAS
6ª SUBCHEFIA
ASSUNTOS
ESPECIAIS E
INTERNACIONAIS
5ª SUBCHEFIA
ESCRITÓRIO DE PROJETOS
DO EXÉRCITO (EPEx)
INFORMAÇÃO E
DEFESA
CIBERNÉTICA
2ª SUBCHEFIA
PESSOAL
EDUCAÇÃO
CULTURA
1ª SUBCHEFIA
DOUTRINA
3ª SUBCHEFIA
LOGÍSTICA,
MOBILIZAÇÃO E
C & T
4ª SUBCHEFIA
PROJETOS
ESTRATÉGICOS
DO EB
POLÍTICA E
ESTRATÉGIA
7ª SUBCHEFIA
ASSTASST
SUBCHEFIA DE POLÍTICA ESUBCHEFIA DE POLÍTICA E
ESTRATÉGIAESTRATÉGIA
ASSTASST
SPE – 1
CENTRO DE
ESTUDOS
ESTRATÉGICOS
SPE - 2
PLANEJAMENTO
ESTRATÉGICO
SPE - 3
ACOMPANHAMENTOACOMPANHAMENTO
ESTRATÉGICO
MARCO LEGALMARCO LEGAL
CF / LC / LBDCF / LC / LBD
PND / ENDPND / END
SISPEDSISPED
CEExCEEx//DtzDtz CmtCmt ExEx
EstratégiaEstratégia
Mil TerMil Ter
PolíticaPolítica
Mil TerMil Ter
SISTEMÁTICA INTEGRADA DE PLANEJAMENTOSISTEMÁTICA INTEGRADA DE PLANEJAMENTO
ESTRATÉGICO DO EXÉRCITO (ESTRATÉGICO DO EXÉRCITO (SIPLExSIPLEx))
OrçamentaçãoOrçamentação
e Contrataçãoe Contratação
PEExPEEx
AnáliseAnálise
EstratégicaEstratégicaMissãoMissão
GESTÃO DE RISCO
E
X
E
C
U
Ç
Ã
O
Medição do Desempenho Organizacional /realimentação
EstratégiasEstratégias
Ações EstratégicasAções Estratégicas
ObjetivosObjetivos
EstratégicosEstratégicos
ExércitoExército
MapaMapa EstrtEstrt
e Contrataçãoe Contratação
Contrato deContrato de
ObjetivosObjetivos
EstratégicosEstratégicos
CenáriosCenários
EBEB--20302030
DiagnósticoDiagnóstico
EstratégicoEstratégico
IndicaçõesIndicações
(Competências(Competências
ee
Capacidades)Capacidades)
VisãoVisão
dede
FuturoFuturo
ValoresValores
Sem tempo para o Alinhamento Estratégico…
EME
Não obrigado Estamos ocupados
DEFESADEFESA
ANTIAÉREAANTIAÉREA
SISTEMASISTEMA
DEFESADEFESA
CIBERNÉTICACIBERNÉTICA
RECUPERAÇÃO DARECUPERAÇÃO DA
CAPACIDADECAPACIDADE
OPERACIONALOPERACIONAL
PROJETOS ESTRATÉGICOSPROJETOS ESTRATÉGICOS
ASTROSASTROS 20202020
GUARANIGUARANI PROTEGERPROTEGER
SISTEMASISTEMA
INTEGRADO DEINTEGRADO DE
MONITORAMENTOMONITORAMENTO
DE FRONTEIRASDE FRONTEIRAS --
SISFRONSISFRON
CC CENÁRIOS NO EB
- Criação do CEEEx – 2004.
- Utilização de Cenários no SIPLEx – 2005.- Utilização de Cenários no SIPLEx – 2005.
- Cenários EB 2022 – Método Grumbach.
- Criação do Grupo de Controle Lince.
- Dificuldade de interagir com os Stakeholders e
monitorar os cenários.
Estratégia Nacional de Defesa
- Marco para os estudos de Defesa no Brasil.
- Estabeleceu estratégias e metas de curto, médio e
longo prazos até o horizonte temporal de 2030.
- Atualização dos cenários EB 2022 para EB 2030.
Atitude Prospectiva
- Pré-ativa: consiste em antecipar as
mudanças previsíveis para melhor semudanças previsíveis para melhor se
preparar para elas e delas tirar
proveito.
- Pró-ativa: consiste em provocar as
mudanças desejadas através de
ações.
passadopassado
futuros possíveisfuturos possíveis
ABORDAGEM PROSPECTIVA
futuros possíveisfuturos possíveis
passadopassado
presentepresente
futuros prováveisfuturos prováveis
Análise Prospectiva
É a busca da identificação de diversos futuros possíveis
(cenários prospectivos), dentro de um horizonte temporal
específico, com o propósito de definir estratégias
capazes de:
- Preparar a Organização para o enfrentamento (ou
aproveitamento) dos acontecimentos fora de sua
competência; e/ou
- Alterar, em favor da Organização, as probabilidades de
ocorrência dos acontecimentos abrangidos por sua
esfera de competência.
Tipos de Cenários
Cenários Exploratórios
Descrevem, a partir de uma situação presente
e das tendências que aí prevalecem, uma
sequência de acontecimentos que conduzem,
de uma maneira lógica, a um futuro possível.
Tipos de Cenários
Cenários Normativos
Partem não de uma situação presente, mas
de uma imagem de um futuro desejável,de uma imagem de um futuro desejável,
descrito a partir de um conjunto de objetivos
a realizar; depois elabora-se uma sequência
de acontecimentos ligando o futuro ao
presente.
Níveis de Cenários
Global
RegionalRegional
Nacional
Setorial
Subsetorial
Decisor Estratégico
responsável pelas
decisões da
instituição
Especialistas
Grupo de Controle
METODOLOGIA
- GEPEEx
- consultores
- convidados
externos, de
notável saber
Grupo de Controle
Grupo de analistas
- CEEEx
METODOLOGIA
I - Planejamento inicial
II - Diagnóstico estratégico
III - Elaboração dos cenáriosIII - Elaboração dos cenários
IV - Elaboração das indicações
V - Monitoramento dos cenários
- Identificação do Sistema
- Horizonte Temporal
METODOLOGIA
- Tempo disponível
- Delimitação do Sistema
- Método
PLANEJAMENTOPLANEJAMENTO
INICIALINICIAL
I - Planejamento inicial
II - Diagnóstico estratégico
III - Elaboração dos cenários
METODOLOGIA
III - Elaboração dos cenários
IV - Elaboração das indicações
V – Monitoramento dos cenários
- Radiografia do Sistema Exército
METODOLOGIA
DIAGNÓSTICODIAGNÓSTICO
ESTRATÉGICOESTRATÉGICO
- Fatos Portadores de Futuro
- Indicações
GESTÃO
PESSOAL
OPERACIONAL
COMANDO E
CONTROLE
DOUTRINA
PONTOSPONTOS
FORTESFORTES
PONTOSPONTOS
FORTESFORTES
PONTOSPONTOS
FRACOSFRACOS
METODOLOGIA
DE ATIVIDADESDE ATIVIDADES
COMUNICAÇÃO
SOCIAL
ECONOMIA E
FINAÇAS
INTELIGÊNCIA
ENGENHARIA
E
CONSTRUÇÃO
MOBILIZAÇÃO
LOGÍSTICO
EDUCAÇÃO E
CULTURA
CIÊNCIA E
TECNOLOGIASISTEMA
PONTOSPONTOS
FORTESFORTES
PONTOSPONTOS
FORTESFORTES
PONTOSPONTOS
FRACOSFRACOS
PONTOSPONTOS
FRACOSFRACOS
SISTEMA NAÇÃO BRASILEIRASISTEMA NAÇÃO BRASILEIRA
SISTEMA AMÉRICA DO SUL E ENTORNOSISTEMA AMÉRICA DO SUL E ENTORNO
SISTEMA MUNDIAL
METODOLOGIAMETODOLOGIA
AMEAÇASAMEAÇASOPORTUNIDADESOPORTUNIDADES
SISTEMA DEFESASISTEMA DEFESA
AMEAÇASAMEAÇAS OPORTUNIDADESOPORTUNIDADES
SISTEMA EXÉRCITO
METODOLOGIAMETODOLOGIA
DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO
Produto Final
“Análise e identificação dos FPF do
Sistema e do Ambiente externo que
servirão de base para o levantamento dos
Eventos Preliminares dos Cenários
Prospectivos”
I - Planejamento inicial
II - Diagnóstico estratégico
III - Elaboração dos cenários
METODOLOGIAMETODOLOGIA
III - Elaboração dos cenários
IV - Elaboração das indicações
V - Monitoramento dos cenários
- Eventos Preliminares
- Eventos Definitivos
- Consulta aos Especialistas
METODOLOGIA
- Consulta aos Especialistas
- Consolidação (Cenários Mais
Provável e Ideal)
- Elaboração do Cenário Alvo
Elaboração dos Eventos Preliminares
METODOLOGIAMETODOLOGIA
Diagnóstico Estratégico
Brainstorming
PND/END
Cenários Prospectivos
do MD
Análise das tendências
históricas
Lista dos Fatos
Portadores de Futuro
Lista de Eventos PreliminaresLista de Eventos Preliminares
Brainstorming
Brainstorming
Elaboração dos Eventos Definitivos
METODOLOGIAMETODOLOGIA
Lista de Eventos
Preliminares
Lista de Eventos
Definitivos
Submetido ao Decisor
Estratégico
EVENTOS
DOS
2.FORTALECIMENTO DA INTEGRAÇÃO
DA AMÉRICA DO SUL
4. AGRAVAMENTO DA QUESTÃO
AMBIENTAL
14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES
CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO
BRASILEIRO
13. AGRAVAMENTO DAS TENSÕES
SOCIAIS
12.AUMENTO DA INFLUÊNCIA DE
ATORES NÃO GOVERNAMENTAIS
3.INCREMENTO DAS PRESSÕES
INTERNACIONAIS SOBRE A AMAZÔNIA
1.REAÇÕES INTERNACIONAIS AO
PROTAGONISMO BRASILEIRO
15. AUMENTO DOS INVESTIMENTOS EM
CIÊNCIA E TECNOLOGIA
7. DESENVOLVIMENTO DA
MENTALIDADE DE DEFESA NO BRASIL
8. FORTALECIMENTO DA
INDÚSTRIA DE DEFESA DO BRASIL
DOS
CENÁRIOS
PROSPECTIVOS
EB 2030
6.AGRAVAMENTO DA PROBLEMÁTICA
DA SEGURANÇA PÚBLICA
BRASILEIRA
11.AUMENTO DO INTERESSE
INTERNACIONAL SOBRE ÁREAS
ESTRATÉGICAS DO BRASIL
5. OCORRÊNCIA DE ATIVIDADES
TERRORISTAS EM TERRITÓRIO
BRASILEIRO
10. ADEQUAÇÃO DAS
INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS ÀS
NECESSIDADES DE DEFESA
9. CRESCIMENTO E SEGURANÇA
DO FLUXO DO ORÇAMENTO DO
EXÉRCITO BRASILEIRO (EB)
1. REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO BRASILEIRO
O mundo convive com vários focos de instabilidade, como os conflitos no
Oriente Médio, na Ásia e na África, com consequentes riscos à paz global. Além
destes, delineia-se no futuro uma disputa pelo controle de recursos estratégicos
dos quais o Brasil é um dos grandes detentores.
Enquanto países desenvolvidos mantêm suas posições usando seu próprio
poder, ou construindo acordos internacionais favoráveis a seus interesses,
Evento - exemplo
METODOLOGIAMETODOLOGIA
poder, ou construindo acordos internacionais favoráveis a seus interesses,
nações em desenvolvimento têm de lutar por acesso a novas oportunidades.
Embora não esteja envolvido em conflitos de vulto, o Brasil está inserido nesse
contexto de desafios e pretende modificar sua posição no jogo internacional,
superando barreiras típicas de países localizados na periferia do poder mundial.
Esta atitude brasileira poderá propiciar o surgimento de situações conflituosas
decorrentes de reações dos estados forçados a ceder espaços e da cobiça
internacional pelo grande volume de recursos naturais do País.
A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, as reações
ao protagonismo brasileiro sejam de tal vulto que dificultem a
consecução dos objetivos nacionais, a ponto de exigir, desde já, o
aumento progressivo da capacidade de projeção de poder militar e de
dissuasão extrarregional do Brasil.
Tipos de Cenários
Mais Provável
METODOLOGIAMETODOLOGIA
Ideal
Alvo
METODOLOGIA
A ocorrência do evento é Probabilidade (%)
Certa 100
Quase certa 81 a 99
Muito Provável 61 a 80
CENÁRIO MAIS PROVÁVEL
Muito Provável 61 a 80
Incerta 41 a 60
Pouco Provável 21 a 40
Improvável 1 a 20
Impossível 0
Probabilidade de ocorrência de eventos
ORDEM EVENTO
PROBABILIDADE
(%)
1º 4. AGRAVAMENTO DA QUESTÃO AMBIENTAL 72
2º 1. REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO BRASILEIRO 68
3º 12. AUMENTO DA INFLUÊNCIA DE ATORES NÃO GOVERNAMENTAIS 67
4º 3. INCREMENTO DAS PRESSÕES INTERNACIONAIS SOBRE A AMAZÔNIA 66
5º
11. AUMENTO DO INTERESSE INTERNACIONAL SOBRE ÁREAS ESTRATÉGICAS DO BRASIL
66
6º 14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO 65
METODOLOGIA
7º 7. DESENVOLVIMENTO DE UMA MENTALIDADE DE DEFESA NO BRASIL 63
8º 6. AGRAVAMENTO DA PROBLEMÁTICA DA SEGURANÇA PÚBLICA BRASILEIRA 59
9º 2. FORTALECIMENTO DA INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL 59
10º
8. FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA DE DEFESA DO BRASIL
56
11º 15. AUMENTO DOS INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA 56
12º 13. AGRAVAMENTO DAS TENSÕES SOCIAIS 53
13º 9. CRESCIMENTO E SEGURANÇA DE FLUXO DO ORÇAMENTO DO EXÉRCITO BRASILEIRO 49
14º 5. OCORRÊNCIA DE ATIVIDADES TERRORISTAS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO 48
15º 10. ADEQUAÇÃO DA INFRAESTRUTURA CRÍTICA ÀS NECESSIDADES DE DEFESA 46
Cenário Mais Provável – EB 2030
III - ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS
Elaboração do Cenário Ideal
METODOLOGIA
- É o Cenário em que ocorrem os eventos favoráveis e não
ocorrem os desfavoráveis à Instituição;
- É o Cenário que melhor atende ao cumprimento da missão
do Exército;
- É prerrogativa do Decisor Estratégico a sua definição.
III - ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS
Elaboração do Cenário Alvo
- Solução desejada e exequível, do ponto de vista do Sistema
EB, o mais próximo possível do Cenário Ideal;
- Leva em consideração a ação provável de atores com
METODOLOGIA
- Leva em consideração a ação provável de atores com
poder de impactar, ou não, a ocorrência do evento;
- Leva em consideração a possibilidade de o Sistema EB
influenciar, ou não, a ação dos atores no sentido de
aproximar, o máximo possível, o Cenário mais Provável do
Ideal;
- É o Cenário de onde são baseadas as indicações para a
Política Militar Terrestre.
METODOLOGIA
EVENTOS
CENÁRIOS
MP IDEAL ALVO
1. REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO BRASILEIRO O N O
2. FORTALECIMENTO DA INTEGRAÇÃO DAAMÉRICA DO SUL O O O
3. INCREMENTO DAS PRESSÕES INTERNACIONAIS SOBRE AAMAZÔNIA O N O
4. AGRAVAMENTO DA QUESTÃO AMBIENTAL O N O
5. OCORRÊNCIA DE ATIVIDADES TERRORISTAS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO N N N
6. AGRAVAMENTO DA PROBLEMÁTICA DA SEGURANÇA PÚBLICA BRASILEIRA O N N
METODOLOGIA
7. DESENVOLVIMENTO DE UMA MENTALIDADE DE DEFESA NO BRASIL O O O
8. FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA DE DEFESA DO BRASIL O O O
9. CRESCIMENTO E SEGURANÇA DO FLUXO DO ORÇAMENTO DO EXÉRCITO
BRASILEIRO
N O N
10. ADEQUAÇÃO DA INFRAESTRUTURA CRÍTICA ÀS NECESSIDADES DE
DEFESA
N O N
11. AUMENTO DO INTERESSE INTERNACIONAL SOBRE ÁREAS ESTRATÉGICAS
DO BRASIL
O N O
12. AUMENTO DA INFLUÊNCIA DE ATORES NÃO GOVERNAMENTAIS O N O
13. AGRAVAMENTO DAS TENSÕES SOCIAIS O N N
14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO O N O
15. AUMENTO DOS INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA O O O
EVENTOS MP IDEAL ALVO
I - Planejamento inicial
II - Diagnóstico estratégico
III - Elaboração dos cenários
METODOLOGIAMETODOLOGIA
III - Elaboração dos cenários
IV - Elaboração das indicações
V - Monitoramento dos cenários
METODOLOGIA
INDICAÇÕES
“São ações de natureza estratégica que“São ações de natureza estratégica que
irão orientar a formulação dos objetivos
da Política Militar Terrestre e das
estratégias decorrentes”
Cenário Alvo
Indicações orientam as ações do presente à luz do futuro desejado
METODOLOGIAMETODOLOGIA
presente
Evento Nr 1 (ocorre)
PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS INDICAÇÕES
METODOLOGIAMETODOLOGIA
oportunidades ameaças
indicações
Evento 1 – Reações Internacionais ao protagonismo brasileiro
INDICAÇÕESINDICAÇÕES -- exemploexemplo
METODOLOGIA
- Desenvolver capacidade de dissuasão de alcance
internacional, alargando a atual concepção que se
limita à dimensão essencialmente regional.
- Participar de ações e operações de paz sob a
égide de organismos internacionais.
-Transformar o Exército, dotando-o de estrutura
compatível com a dimensão geopolítica do Brasil em
2030.
14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO
A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, ataques cibernéticos de vulto
venham a ocorrer no Brasil, de modo a comprometer a infraestrutura crítica do País, levando
ao envolvimento decisivo das Forças Armadas.
Cenário Alvo
Ocorrência do evento.
METODOLOGIA
Ocorrência do evento.
b. Indicações
1) Capacitar pessoal de forma a formar massa crítica na área cibernética a fim de atender as
necessidades do Centro de Defesa Cibernética do EB.
2) Desenvolver parcerias com instituições públicas e privadas na área cibernética.
3) Contribuir com o desenvolvimento do Sistema Nacional de Segurança e Defesa Cibernética.
4) Incentivar a cooperação com o meio acadêmico na área de Segurança e Defesa Cibernética.
5) Aperfeiçoar a gestão do conhecimento de modo a neutralizar o risco de ações hostis aos
sistemas de TI.
6) Implementar uma configuração de estrutura de Tecnologia da Informação e Comunicações
para atuar em rede integrada com as demais FA.
7) Estudar e implementar alternativas para a configuração de uma estrutura de atuação no
ambiente cibernético tanto na situação de normalidade institucional, quanto nas situações de
crise, ou mesmo situações que caracterizam o estado de conflito armado.
I - Planejamento inicial
II - Diagnóstico estratégico
METODOLOGIAMETODOLOGIA
I - Planejamento inicial
II - Diagnóstico estratégico
III - Elaboração dos cenários
IV - Elaboração das indicações
V - Divulgação e monitoramento
III - Elaboração dos cenários
IV - Elaboração das indicações
V - Monitoramento dos cenários
Monitoramento dos Cenários
- É realizado pelo CEEEx, com apoio do GpCt (GEPEEx),
baseado no acompanhamento da conjuntura proporcionado
METODOLOGIA
pelo Quadro de Monitoramento de Eventos (QME),
documento elaborado mensalmente.
- O QME tem papel relevante na detecção de fatos novos
que indiquem uma ruptura de tendência, mudanças nas
estratégias do atores, aliança de atores ou novos atores que
possam impactar o Cenário mais Provável e o Cenário Alvo.
METODOLOGIA
Mais provável 2
passadopassado
presentepresente
Alvo 1
Mais provável 1
Alvo 2
Ideal
Ruptura de
Tendência
METODOLOGIA
METODOLOGIA
METODOLOGIA
Quadro de Monitoramento de Eventos - Junho
Evento
Cenário mais
Provável
TENDÊNCIA ATORES
Possibilidade de
gerar novas
Indicações
Observações sobre a
Psb de Ruptura,
Mudança na Estrt dos
Atores ou Aliança entre
Atores
Acompanh
amento de
tendências
Tendência
Mensal
Possibilidade de
Ruptura de
Tendência
Atores Atuantes Novos Atores
Aliança
entre
Atores
Favorece
/ não
favorece
Mudança de
Estrt dos
Atores
1. Reações Intern ao
Protagonismo
Brasileiro
O O O NÃO
8u - Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e
Comércio Exterior (MDIC)
Favorece NÃO
NÃO
Mud Estrt Pres Rep -
Mudança de atitude em
função de sua postura
inicial.
8z - Presidência da República Favorece SIM
8. Poder Executivo Favorece NÃO
12a - China Favorece NÃO
1x - UNASUL/CDS Favorece NÃO
METODOLOGIA
2. Fortalecimento da
Integração da AS
O O N NÃO
1x - UNASUL/CDS Favorece NÃO
SIM
1 - Houve aliança entre
estes países, mais o
México na formação da
Aliança do Pacífico.
2 - Houve aliança entre
os membros do
MERCOSUL para
suspender Paraguai do
Bloco e incluir
imediatamente a
Venezuela.
(Mud Estrt) - Mercosul
atuou em desacordo
com seus princípios
democráticos
4a – Exército Favorece NÃO
8k - Ministério da Defesa (MD) Favorece NÃO
11a - Argentina 2 Favorece NÃO
1b - ALBA
Não
Favorece
NÃO
11b - Bolívia
Não
Favorece
NÃO
11c - Chile 1
Não
Favorece
NÃO
11d - Colômbia 1
Não
Favorece
NÃO
1n - MERCOSUL
Não
Favorece
SIM
11k - Uruguai 2
Não
Favorece
NÃO
11h - Paraguai
Não
Favorece
NÃO
8z - Presidência da República 2
Não
Favorece
NÃO
11i - Peru 1
Não
Favorece
NÃO
11l - Venezuela
Não
Favorece
NÃO
3. Pressões Intern
sobre a Amazônia
O O N NÃO
8i - INPE
Não
Favorece
NÃO
NÃO
8h - IBGE
Não
Favorece
NÃO
8g - Governo Estadual
Não
Favorece
NÃO
Ensinamentos do Monitoramento
- Importância do acompanhamento e análise;
sistemática da atuação dos atores;
- Dificuldade de relacionar a influência de atores x
METODOLOGIAMETODOLOGIA
- Dificuldade de relacionar a influência de atores x
eventos, atores x atores e eventos x eventos;
- Necessidade da utilização de ferramenta de TI para
apoio às análises;
- Necessidade de se dispor de um banco de dados
informatizado.
OsOs CenáriosCenários ProspectivosProspectivos nãonão sãosão umum fimfim
emem sisi mesmos,mesmos, devemdevem serser utilizadosutilizados parapara
CONCLUSÃO
minimizarminimizar asas incertezasincertezas dodo futurofuturo nono médiomédio ee
longolongo prazoprazo e,e, sese nãonão foremforem utilizadosutilizados nana
formulação de Objetivos e das Estratégias
decorrentes, todotodo esforçoesforço despendidodespendido emem
suasua confecçãoconfecção tornatorna--sese inútilinútil..
“Todos os que pretendem
predizer ou prever o futuro são
impostores, pois o futuro não
CONCLUSÃO
impostores, pois o futuro não
está escrito em parte alguma,
está para ser feito”
Michel Godet
ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO
1. REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO
BRASILEIRO
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, as reações ao protagonismo do
Brasil sejam de tal vulto que dificultem a
CENÁRIOS EB 2030
Brasil sejam de tal vulto que dificultem a
consecução dos objetivos nacionais, a ponto de
exigir, desde já, o aumento progressivo da
capacidade de projeção de poder militar e de
dissuasão extrarregional do Brasil.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
2. FORTALECIMENTO DA INTEGRAÇÃO DA
AMÉRICA DO SUL
A questão se refere à probabilidade de que,
até 31/12/2030, a integração regional evolua
favoravelmente, a ponto de evitar a ocorrência
CENÁRIOS EB 2030
favoravelmente, a ponto de evitar a ocorrência
de conflitos na América do Sul, com reflexos
para o Poder Militar do Brasil.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
CENÁRIOS EB 2030
3. INCREMENTO DE PRESSÕES INTERNACIONAIS
SOBRE A AMAZÔNIA
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, as pressões por uma gestão compartilhada
da região amazônica se incrementem, a ponto deda região amazônica se incrementem, a ponto de
colocar em risco a soberania e a integridade territorial
do Brasil.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
4. AGRAVAMENTO DA QUESTÃO AMBIENTAL
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, a questão ambiental se agrave a ponto de
exigir uma crescente participação das Forças Armadas
no apoio às ações contra os delitos ambientais.
CENÁRIOS EB 2030
no apoio às ações contra os delitos ambientais.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
5. OCORRÊNCIA DE ATIVIDADES TERRORISTAS EM
TERRITÓRIO BRASILEIRO
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, ocorram atividades terroristas de vulto no
CENÁRIOS EB 2030
31/12/2030, ocorram atividades terroristas de vulto no
Brasil.
Cenário Especialistas: Não Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Não Ocorre
6. AGRAVAMENTO DA PROBLEMÁTICA DA SEGURANÇA
PÚBLICA BRASILEIRA
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, a segurança pública se deteriore a ponto,
intensificando o emprego das Forças Armadas nessa
CENÁRIOS EB 2030
intensificando o emprego das Forças Armadas nessa
atividade.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Não Ocorre
CENÁRIOS EB 2030
7. DESENVOLVIMENTO DE UMA MENTALIDADE DE
DEFESA NO BRASIL
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, os assuntos de defesa cresçam de31/12/2030, os assuntos de defesa cresçam de
importância na agenda nacional, a ponto de influenciar
significativamente as decisões políticas.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
8. FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE
DEFESA.
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, ocorra o fortalecimento da Base Industrial
de Defesa brasileira, a ponto de suprir, no mínimo,
CENÁRIOS EB 2030
de Defesa brasileira, a ponto de suprir, no mínimo,
metade das necessidades de material de defesa do EB.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
Cenário Tendência: Ocorre
9. CRESCIMENTO E SEGURANÇA DE FLUXO DO
ORÇAMENTO EB
A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/
2030, sejam aumentados os recursos orçamentários e
assegure-se um fluxo regular e crescente destinado a
CENÁRIOS EB 2030
assegure-se um fluxo regular e crescente destinado a
custeio e investimentos do Exército Brasileiro, de modo
a atingir e manter o patamar entre 0,5% e 1,0% do PIB.
Cenário Especialistas: Não Ocorre
Cenário Ideal: Ocorre
Cenário Alvo: Não Ocorre
10. ADEQUAÇÃO DA INFRAESTRUTURA CRÍTICA ÀS
NECESSIDADES DE DEFESA
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, as obras de infraestrutura crítica do País
CENÁRIOS EB 2030
31/12/2030, as obras de infraestrutura crítica do País
atendam às necessidades de defesa.
Cenário Especialistas: Não Ocorre
Cenário Ideal: Ocorre
Cenário Alvo: Não Ocorre
11. AUMENTO DO INTERESSE INTERNACIONAL SOBRE
ÁREAS ESTRATÉGICAS DO BRASIL
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, as áreas estratégicas do Brasil, exceto a
Amazônia, sejam alvo de crescente interesse
CENÁRIOS EB 2030
Amazônia, sejam alvo de crescente interesse
internacional, a ponto de suscitar ações por parte do
Estado brasileiro para assegurar a defesa dos interesses
nacionais nessas áreas.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
12. AUMENTO DA INFLUÊNCIA DE ATORES NÃO-
GOVERNAMENTAIS
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, os ANG tenham Cpcd de atuar sobre o
CENÁRIOS EB 2030
31/12/2030, os ANG tenham Cpcd de atuar sobre o
governo, a ponto de influenciar as Dcs relativas à
Seg e à Def.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
CENÁRIOS EB 2030
13. AGRAVAMENTO DAS TENSÕES SOCIAIS
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, as tensões sociais no Brasil se agravem a tal31/12/2030, as tensões sociais no Brasil se agravem a tal
ponto que possam comprometer a paz social no País.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Não Ocorre
CENÁRIOS EB 2030
14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM
TERRITÓRIO BRASILEIRO
A questão se refere à probabilidade de que, até
31/12/2030, ataques cibernéticos de vulto venham a
ocorrer no Brasil, de modo a comprometer aocorrer no Brasil, de modo a comprometer a
infraestrutura crítica do País, levando ao envolvimento
decisivo das Forças Armadas.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Não Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
15. AUMENTO DE INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E
TECNOLOGIA
A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/
2030, haja aumento progressivo dos recursos aplicados
em C & T no setor de defesa do Brasil, a fim de
CENÁRIOS EB 2030
em C & T no setor de defesa do Brasil, a fim de
assegurar um fluxo regular e crescente destinado a
investimentos do EB nessa área de atividade.
Cenário Especialistas: Ocorre
Cenário Ideal: Ocorre
Cenário Alvo: Ocorre
S I P L E X
SIPLExSIPLEx / Transformação/ Transformação
MODERNI
ZAÇÃO/2015
PROTEGER
SISFRON
Def Aae
Concepção Estratégica
TRANSFOR
MAÇÃO/2022
Def Aae
GUARANI
Rec Cpcd Op
Astros 2020
Def CIBERNÉTICA
Concepção Estratégica
Vetores Transformação
Áreas Críticas
APRIMORAR A
IMPLANTAR UM NOVO E
EFETIVO SISTEMA DE DOUTRINA AUMENTAR A
CONTRIBUIR COM A DISSUASÃO
EXTRARREGIONAL
AMPLIAR A PROJEÇÃO DO
EXÉRCITO NO CENÁRIO
INTERNACIONAL
ATUAR NO ESPAÇO
CIBERNÉTICO COM
LIBERDADE DE AÇÃO
CONTRIBUIR COM O
DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL E A PAZ SOCIAL
a. MISSÃO: CONTRIBUIR PARA A GARANTIA DA SOBERANIA NACIONAL, DOS PODERES CONSTITUÍDOS, DA
LEI E DA ORDEM, SALVAGUARDANDO OS INTERESSES NACIONAIS E COOPERANDO COM O
DESENVOLVIMENTO NACIONAL E O BEM-ESTAR SOCIAL.
b. PARA ISTO, PREPARAR A FORÇA TERRESTRE, MANTENDO-A EM PERMANENTE ESTADO DE PRONTIDÃO.
VISÃO: ATÉ 2022, O PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO DO EXÉRCITO CHEGARÁ A UMA NOVA DOUTRINA, COM
O EMPREGO DE PRODUTOS DE DEFESA TECNOLOGICAMENTE AVANÇADOS E PROFISSIONAIS ALTAMENTE
CAPACITADOS E MOTIVADOS, PARA QUE O EXÉRCITO ENFRENTE, COM OS MEIOS ADEQUADOS, OS
DESAFIOS DO SÉCULO XXI, RESPALDANDO AS DECISÕES SOBERANAS DO BRASIL NO CENÁRIO
INTERNACIONAL.
Braço ForteBraço Forte Mão AmigaMão Amiga
SOCIEDADE
(RESULTADO)
FORTALECER A
DIMENSÃO HUMANA
APRIMORAR A
GOVERNANÇA DE TI
AMPLIAR A INTEGRAÇÃO
DO EXÉRCITO COM A
SOCIEDADE
FORTALECER OS VALORES, OS
DEVERES E A ÉTICA MILITAR
IMPLANTAR UM NOVO E
EFETIVO SISTEMA DE EDUCAÇÃO
E CULTURA
EFETIVO SISTEMA DE DOUTRINA
MILITAR TERRESTRE
IMPLANTAR UM NOVO E
EFETIVO SISTEMA DE CT&I
AUMENTAR A
EFETIVIDADE NA GESTÃO
DO BEM PÚBLICO
MAXIMIZAR A OBTENÇÃO DE
RECURSOS DO ORÇAMENTO E
DE OUTRAS FONTES
IMPLANTAR UM NOVO E
EFETIVO SISTEMA LOGÍSTICO
MILITAR TERRESTRE
PROCESSOS
CRÍTICOS
PROJETOS ESTRATÉGICOSPROJETOS ESTRATÉGICOS
SISFRONSISFRON
PROTEGERPROTEGER
ASTROSASTROS 20202020
GUARANIGUARANI
RECOPRECOP (Até(Até 8080%%))
DefesaDefesa CibernéticaCibernética
DAAeDAAe
P
E
E
Projetos
EstruturantesEstruturantes
SentinelaSentinela dada PátriaPátria (Até(Até 100100%%)) -- EMEEME
AmazôniaAmazônia ProtegidaProtegida -- EMEEME
NovoNovo PreparoPreparo ee EmpregoEmprego -- COTERCOTER
NovoNovo SIDOMTSIDOMT -- EMEEME
GovernançaGovernança TITI -- EMEEME ee DCTDCT
NovaNova LogísticaLogística MilitarMilitar TerrestreTerrestre -- EMEEME ee COLOGCOLOG
PCTEGPCTEG (Aguardar(Aguardar EVTE)EVTE) -- DCTDCT
NovoNovo SistemaSistema dede EngenhariaEngenharia -- DECDEC
GestãoGestão ee InovaçãoInovação -- EMEEME ee SEFSEF
NovaNova EducaçãoEducação ee CulturaCultura -- EMEEME ee DECExDECEx
ForçaForça dada nossanossa ForçaForça -- EMEEME ee DGPDGP
MJ
MRE
GSI/PR
MD
MME
- Sistema que visa a
proteger 90% das
Estruturas
Estratégicas (EE) do
País, as quais
impactam 96% do
MC
MCT
MMA
MT
OSP
MI
Empresas ...
SistemaSistema
PROTEGERPROTEGER
impactam 96% do
PIB.
- Dos BRICS, apenas o
Brasil ainda não tem
um sistema nacional
de proteção de suas
EE.
Min Faz - SRF
MRE
Min Justiça – SENASP/PF/PRF/FUNAI
MD
MS/MEC
- Sistema de
monitoramento, que visa
dotar o BRASIL de meios
para uma efetiva
presença do Exército,
SIPAM
GSI/PR
Polícias Militares
MMA-IBAMA
Organizações Estaduais e Municipais
SAE
MS/MEC
...
presença do Exército,
particularmente, na Faixa
de Fronteira.
– Apoia-se em um
complexo sistema de
sensoriamento,
integração, comando e
controle, apoio à decisão
e atuação estratégica
integrada com os
diversos órgãos da
República.
SENSORES DECISORES ATUADORES
COMANDO E
CONTROLE
LOGÍSTICA
SENSORIAMENTO
PROCESSAMENTO,
COMPARAÇÃO E DECISÃO
AÇÃO
- Integrada ao MD,
moderniza os meios de
artilharia antiaérea do
Exército, para defender, em
particular, as Estruturas
Estratégicas.
- Colabora com a segurança
dos grandes eventos
internacionais patrocinadosinternacionais patrocinados
pelo Brasil.
- Contribui com o Sistema
de Defesa Aeroespacial
Brasileiro (SISDABRA)
O Projeto prevê:
- aquisição de mísseis e meios dos subsistemas Log, de
Com e de controle e alerta;
-- desenvolvimento do míssil AS 3.1;desenvolvimento do míssil AS 3.1;
- estruturação das Seções e Baterias de AAAe; e
- aquisição emergencial de mísseis IGLA-S.
- Projeto de uma nova
família de blindados que
visa substituir as viaturas
URUTU e CASCAVEL
adquiridas há mais de 40
anos.
- Oferece ao Exército
maior mobilidade e
proteção blindada para
maior mobilidade e
proteção blindada para
atender ao cumprimento
de suas missões
constitucionais.
- Recupera a capacidade
brasileira de produção de
veículos blindados de
combate.
- Projeto que
fornece ao
Exército um
Produto
Estratégico de
Defesa (PED) com
elevada
capacidade de
dissuasão.
- Tem solução 100%- Tem solução 100%
brasileira, com
total
independência
tecnológica e
domínio
intelectual.
- Gerará por volta
de 6000
empregos em SP
e 1000 em GO.
- Projeto que
implanta o Setor
Cibernético no
Exército Brasileiro.
- Visa coordenar e
Defesa Cibernética
SimuladorSimulador
- Visa coordenar e
integrar a
estruturação do
Setor Cibernético
no Ministério da
Defesa. II Seminário de Defesa Cibernética

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão de compras - atribuições, organização, modalidade, ética 11.08.2015
Gestão de compras - atribuições, organização, modalidade, ética  11.08.2015Gestão de compras - atribuições, organização, modalidade, ética  11.08.2015
Gestão de compras - atribuições, organização, modalidade, ética 11.08.2015Antonio Marcos Montai Messias
 
Comando de Operações Especiais
Comando de Operações EspeciaisComando de Operações Especiais
Comando de Operações EspeciaisFalcão Brasil
 
03 princípios, conceitos, teorias, leis
03 princípios, conceitos, teorias, leis03 princípios, conceitos, teorias, leis
03 princípios, conceitos, teorias, leisJoao Balbi
 
Método estatístico
Método estatísticoMétodo estatístico
Método estatísticoPaulo Carioca
 
Aula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaAula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaMarina Atzingen
 
Fichamento
FichamentoFichamento
FichamentoLxa Alx
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientificajaddy xavier
 
Mtc métodos e técnicas de pesquisa - 2012
Mtc   métodos e técnicas de pesquisa - 2012Mtc   métodos e técnicas de pesquisa - 2012
Mtc métodos e técnicas de pesquisa - 2012Jailson Borges Soares
 
CGCFN-1004 - Manual do Combatente Anfíbio
CGCFN-1004 - Manual do Combatente AnfíbioCGCFN-1004 - Manual do Combatente Anfíbio
CGCFN-1004 - Manual do Combatente AnfíbioFalcão Brasil
 
Controle de Qualidade em Cosmeticos
Controle de Qualidade em CosmeticosControle de Qualidade em Cosmeticos
Controle de Qualidade em CosmeticosSafia Naser
 
CGCFN-1001 - Manual de Ordem Unida
CGCFN-1001 - Manual de Ordem UnidaCGCFN-1001 - Manual de Ordem Unida
CGCFN-1001 - Manual de Ordem UnidaFalcão Brasil
 
Producao de instrumentos de recolhas de dados
Producao de instrumentos de recolhas de dadosProducao de instrumentos de recolhas de dados
Producao de instrumentos de recolhas de dadosUniversidade Pedagogica
 
Plantas Medicinais da Amazônia e Mata Atlântica
Plantas Medicinais da Amazônia e Mata AtlânticaPlantas Medicinais da Amazônia e Mata Atlântica
Plantas Medicinais da Amazônia e Mata AtlânticaSafia Naser
 
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011Falcão Brasil
 

Mais procurados (20)

Gestão de compras - atribuições, organização, modalidade, ética 11.08.2015
Gestão de compras - atribuições, organização, modalidade, ética  11.08.2015Gestão de compras - atribuições, organização, modalidade, ética  11.08.2015
Gestão de compras - atribuições, organização, modalidade, ética 11.08.2015
 
Pesquisa De Campo
Pesquisa De CampoPesquisa De Campo
Pesquisa De Campo
 
Coleta de dados
Coleta de dadosColeta de dados
Coleta de dados
 
Comando de Operações Especiais
Comando de Operações EspeciaisComando de Operações Especiais
Comando de Operações Especiais
 
Modalidades de pesquisa
Modalidades de pesquisaModalidades de pesquisa
Modalidades de pesquisa
 
JIT KANBAN - CALCULAR
JIT KANBAN - CALCULARJIT KANBAN - CALCULAR
JIT KANBAN - CALCULAR
 
03 princípios, conceitos, teorias, leis
03 princípios, conceitos, teorias, leis03 princípios, conceitos, teorias, leis
03 princípios, conceitos, teorias, leis
 
Log+¡stica2
Log+¡stica2Log+¡stica2
Log+¡stica2
 
Método estatístico
Método estatísticoMétodo estatístico
Método estatístico
 
Aula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaAula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científica
 
Fichamento
FichamentoFichamento
Fichamento
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
Mtc métodos e técnicas de pesquisa - 2012
Mtc   métodos e técnicas de pesquisa - 2012Mtc   métodos e técnicas de pesquisa - 2012
Mtc métodos e técnicas de pesquisa - 2012
 
CGCFN-1004 - Manual do Combatente Anfíbio
CGCFN-1004 - Manual do Combatente AnfíbioCGCFN-1004 - Manual do Combatente Anfíbio
CGCFN-1004 - Manual do Combatente Anfíbio
 
Controle de Qualidade em Cosmeticos
Controle de Qualidade em CosmeticosControle de Qualidade em Cosmeticos
Controle de Qualidade em Cosmeticos
 
CGCFN-1001 - Manual de Ordem Unida
CGCFN-1001 - Manual de Ordem UnidaCGCFN-1001 - Manual de Ordem Unida
CGCFN-1001 - Manual de Ordem Unida
 
Producao de instrumentos de recolhas de dados
Producao de instrumentos de recolhas de dadosProducao de instrumentos de recolhas de dados
Producao de instrumentos de recolhas de dados
 
Plantas Medicinais da Amazônia e Mata Atlântica
Plantas Medicinais da Amazônia e Mata AtlânticaPlantas Medicinais da Amazônia e Mata Atlântica
Plantas Medicinais da Amazônia e Mata Atlântica
 
Slides - Diagrama de Ishikawa
Slides - Diagrama de Ishikawa Slides - Diagrama de Ishikawa
Slides - Diagrama de Ishikawa
 
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
PROGRAMA-PADRÃO DE INSTRUÇÃO INDIVIDUAL BÁSICA EB70-PP-11.011
 

Destaque

ApresentaçãO Pda 2011 Curitiba
ApresentaçãO Pda 2011   CuritibaApresentaçãO Pda 2011   Curitiba
ApresentaçãO Pda 2011 Curitibathaiscorrea
 
Marechal Mallet – patrono da Artilharia
Marechal Mallet – patrono da ArtilhariaMarechal Mallet – patrono da Artilharia
Marechal Mallet – patrono da ArtilhariaMinistério da Defesa
 
Fotografias históricas
Fotografias históricasFotografias históricas
Fotografias históricasSylvio Bazote
 
Comuna de paris (1871)
Comuna de paris (1871)Comuna de paris (1871)
Comuna de paris (1871)André Janzon
 
RUE - Anexo A - Dos Uniformes
RUE - Anexo A - Dos UniformesRUE - Anexo A - Dos Uniformes
RUE - Anexo A - Dos UniformesFalcão Brasil
 
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009 CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009 Falcão Brasil
 

Destaque (11)

ApresentaçãO Pda 2011 Curitiba
ApresentaçãO Pda 2011   CuritibaApresentaçãO Pda 2011   Curitiba
ApresentaçãO Pda 2011 Curitiba
 
Marechal Mallet – patrono da Artilharia
Marechal Mallet – patrono da ArtilhariaMarechal Mallet – patrono da Artilharia
Marechal Mallet – patrono da Artilharia
 
Fotografias históricas
Fotografias históricasFotografias históricas
Fotografias históricas
 
Brasil a nova defesa
Brasil   a nova defesaBrasil   a nova defesa
Brasil a nova defesa
 
Exército Brasileiro - Thalia
Exército Brasileiro - ThaliaExército Brasileiro - Thalia
Exército Brasileiro - Thalia
 
Cenários Prospectivos: "Estimulando pessoas a pensarem estrategicamente o fut...
Cenários Prospectivos: "Estimulando pessoas a pensarem estrategicamente o fut...Cenários Prospectivos: "Estimulando pessoas a pensarem estrategicamente o fut...
Cenários Prospectivos: "Estimulando pessoas a pensarem estrategicamente o fut...
 
Exército Brasileiro
Exército BrasileiroExército Brasileiro
Exército Brasileiro
 
Comuna de paris (1871)
Comuna de paris (1871)Comuna de paris (1871)
Comuna de paris (1871)
 
A Comuna de Paris (1871)
A Comuna de Paris (1871)A Comuna de Paris (1871)
A Comuna de Paris (1871)
 
RUE - Anexo A - Dos Uniformes
RUE - Anexo A - Dos UniformesRUE - Anexo A - Dos Uniformes
RUE - Anexo A - Dos Uniformes
 
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009 CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
CAPACITAÇÃO TÉCNICA E TÁTICA DO EFETIVO PROFISSIONAL CTTEP EDIÇÃO 2009
 

Semelhante a Metodologia de Cenários Prospectivos do Exército Brasileiro

Ascensão e queda do planejamento estratégico
Ascensão e queda do planejamento estratégicoAscensão e queda do planejamento estratégico
Ascensão e queda do planejamento estratégicoVALDIR CONCEICAO
 
Workshop Elaboração de Cenários com Foco no Planejamento Orçamentário
Workshop Elaboração de Cenários com Foco no Planejamento OrçamentárioWorkshop Elaboração de Cenários com Foco no Planejamento Orçamentário
Workshop Elaboração de Cenários com Foco no Planejamento OrçamentárioLauro Jorge Prado
 
Aula 4 cenários econômicos e de negócios
Aula 4   cenários econômicos e de negóciosAula 4   cenários econômicos e de negócios
Aula 4 cenários econômicos e de negóciosAntonio Lobosco
 
Planejamento_estratégico_tático_e_operacional
Planejamento_estratégico_tático_e_operacionalPlanejamento_estratégico_tático_e_operacional
Planejamento_estratégico_tático_e_operacionalJordanio Silva Santos
 
Karen Lowhany - Planejamento de Marketing
Karen Lowhany  - Planejamento de Marketing Karen Lowhany  - Planejamento de Marketing
Karen Lowhany - Planejamento de Marketing Karen Costa
 
Noções básicas de estratega empresarial
Noções básicas de estratega empresarialNoções básicas de estratega empresarial
Noções básicas de estratega empresarialUniversidade Pedagogica
 
Programa de modernização integrada do Ministério da Fazenda Fernando Barbos...
Programa de modernização integrada do Ministério da Fazenda   Fernando Barbos...Programa de modernização integrada do Ministério da Fazenda   Fernando Barbos...
Programa de modernização integrada do Ministério da Fazenda Fernando Barbos...EloGroup
 
White Paper Cenários Prospectivos
White Paper Cenários ProspectivosWhite Paper Cenários Prospectivos
White Paper Cenários ProspectivosEloGroup
 
Cenários Estratégicos Eduardo Duarte Ed Consulting
Cenários Estratégicos Eduardo Duarte Ed ConsultingCenários Estratégicos Eduardo Duarte Ed Consulting
Cenários Estratégicos Eduardo Duarte Ed ConsultingED Consulting
 
11.01 - ISO 31000.2018 COSO - Capacitação Gestao de Riscos e Controles Intern...
11.01 - ISO 31000.2018 COSO - Capacitação Gestao de Riscos e Controles Intern...11.01 - ISO 31000.2018 COSO - Capacitação Gestao de Riscos e Controles Intern...
11.01 - ISO 31000.2018 COSO - Capacitação Gestao de Riscos e Controles Intern...Victor Lima
 
PMO em LISARB por SLZPMO
PMO em LISARB por SLZPMOPMO em LISARB por SLZPMO
PMO em LISARB por SLZPMOMarco Coghi
 
PMO em LISARB por SLZPMO
PMO em LISARB por SLZPMOPMO em LISARB por SLZPMO
PMO em LISARB por SLZPMOMarco Coghi
 
Prospectiva e Foresight - BuzzMedia Jul15
Prospectiva e Foresight - BuzzMedia Jul15Prospectiva e Foresight - BuzzMedia Jul15
Prospectiva e Foresight - BuzzMedia Jul15Luis Rasquilha
 

Semelhante a Metodologia de Cenários Prospectivos do Exército Brasileiro (20)

03 cenários
03 cenários03 cenários
03 cenários
 
Ascensão e queda do planejamento estratégico
Ascensão e queda do planejamento estratégicoAscensão e queda do planejamento estratégico
Ascensão e queda do planejamento estratégico
 
Workshop Elaboração de Cenários com Foco no Planejamento Orçamentário
Workshop Elaboração de Cenários com Foco no Planejamento OrçamentárioWorkshop Elaboração de Cenários com Foco no Planejamento Orçamentário
Workshop Elaboração de Cenários com Foco no Planejamento Orçamentário
 
Aula 4 cenários econômicos e de negócios
Aula 4   cenários econômicos e de negóciosAula 4   cenários econômicos e de negócios
Aula 4 cenários econômicos e de negócios
 
Artigo porque planejar-aero18
Artigo porque planejar-aero18Artigo porque planejar-aero18
Artigo porque planejar-aero18
 
Planejamento_estratégico_tático_e_operacional
Planejamento_estratégico_tático_e_operacionalPlanejamento_estratégico_tático_e_operacional
Planejamento_estratégico_tático_e_operacional
 
Macroplan. portfolio
Macroplan.   portfolioMacroplan.   portfolio
Macroplan. portfolio
 
Karen Lowhany - Planejamento de Marketing
Karen Lowhany  - Planejamento de Marketing Karen Lowhany  - Planejamento de Marketing
Karen Lowhany - Planejamento de Marketing
 
Noções básicas de estratega empresarial
Noções básicas de estratega empresarialNoções básicas de estratega empresarial
Noções básicas de estratega empresarial
 
Programa de modernização integrada do Ministério da Fazenda Fernando Barbos...
Programa de modernização integrada do Ministério da Fazenda   Fernando Barbos...Programa de modernização integrada do Ministério da Fazenda   Fernando Barbos...
Programa de modernização integrada do Ministério da Fazenda Fernando Barbos...
 
Gerencia de projetos_Mod1
Gerencia de projetos_Mod1Gerencia de projetos_Mod1
Gerencia de projetos_Mod1
 
White Paper Cenários Prospectivos
White Paper Cenários ProspectivosWhite Paper Cenários Prospectivos
White Paper Cenários Prospectivos
 
Cenários Estratégicos Eduardo Duarte Ed Consulting
Cenários Estratégicos Eduardo Duarte Ed ConsultingCenários Estratégicos Eduardo Duarte Ed Consulting
Cenários Estratégicos Eduardo Duarte Ed Consulting
 
11.01 - ISO 31000.2018 COSO - Capacitação Gestao de Riscos e Controles Intern...
11.01 - ISO 31000.2018 COSO - Capacitação Gestao de Riscos e Controles Intern...11.01 - ISO 31000.2018 COSO - Capacitação Gestao de Riscos e Controles Intern...
11.01 - ISO 31000.2018 COSO - Capacitação Gestao de Riscos e Controles Intern...
 
PMO em LISARB por SLZPMO
PMO em LISARB por SLZPMOPMO em LISARB por SLZPMO
PMO em LISARB por SLZPMO
 
PMO em LISARB por SLZPMO
PMO em LISARB por SLZPMOPMO em LISARB por SLZPMO
PMO em LISARB por SLZPMO
 
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades deAula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
Aula 4 a importância do planejamento estratégico em unidades de
 
Aula16 tga
Aula16 tgaAula16 tga
Aula16 tga
 
Prospectiva e Foresight - BuzzMedia Jul15
Prospectiva e Foresight - BuzzMedia Jul15Prospectiva e Foresight - BuzzMedia Jul15
Prospectiva e Foresight - BuzzMedia Jul15
 
V8n2a07
V8n2a07V8n2a07
V8n2a07
 

Mais de SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República

Mais de SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (20)

Adaptação à Mudança do Clima - Agricultura - Embrapa Modelagem Agroambiental
Adaptação à Mudança do Clima - Agricultura - Embrapa Modelagem AgroambientalAdaptação à Mudança do Clima - Agricultura - Embrapa Modelagem Agroambiental
Adaptação à Mudança do Clima - Agricultura - Embrapa Modelagem Agroambiental
 
Adaptação à Mudança do Clima - Sistema Energético Brasileiro - coppetec
Adaptação à Mudança do Clima - Sistema Energético Brasileiro - coppetecAdaptação à Mudança do Clima - Sistema Energético Brasileiro - coppetec
Adaptação à Mudança do Clima - Sistema Energético Brasileiro - coppetec
 
Análise da Mudança Climática no Setor Elétrico - funceme - ufce
Análise da Mudança Climática no Setor Elétrico - funceme - ufceAnálise da Mudança Climática no Setor Elétrico - funceme - ufce
Análise da Mudança Climática no Setor Elétrico - funceme - ufce
 
Blogs para clipping
Blogs para clippingBlogs para clipping
Blogs para clipping
 
Vulnerabilidade e adaptação na costa brasileira
Vulnerabilidade e adaptação na costa brasileiraVulnerabilidade e adaptação na costa brasileira
Vulnerabilidade e adaptação na costa brasileira
 
Modelos de assistência técnica e gerencial na pecuária
Modelos de assistência técnica e gerencial na pecuáriaModelos de assistência técnica e gerencial na pecuária
Modelos de assistência técnica e gerencial na pecuária
 
Rally da Pecuária
Rally da PecuáriaRally da Pecuária
Rally da Pecuária
 
Crédito ABC – Recuperação de Pastagens: Resultados, Perspectivas e Gargalos
Crédito ABC – Recuperação de Pastagens: Resultados, Perspectivas e GargalosCrédito ABC – Recuperação de Pastagens: Resultados, Perspectivas e Gargalos
Crédito ABC – Recuperação de Pastagens: Resultados, Perspectivas e Gargalos
 
Trajetória do Índice Vegetativo da Cana em Mato Grosso do Sul - Safra 2014/15...
Trajetória do Índice Vegetativo da Cana em Mato Grosso do Sul - Safra 2014/15...Trajetória do Índice Vegetativo da Cana em Mato Grosso do Sul - Safra 2014/15...
Trajetória do Índice Vegetativo da Cana em Mato Grosso do Sul - Safra 2014/15...
 
Perspectivas para a construção de um projeto - Pastosat
Perspectivas para a construção de um projeto - PastosatPerspectivas para a construção de um projeto - Pastosat
Perspectivas para a construção de um projeto - Pastosat
 
Radiografia das Pastagens - Observatório Agricultura de Baixo Carbono, mudanç...
Radiografia das Pastagens - Observatório Agricultura de Baixo Carbono, mudanç...Radiografia das Pastagens - Observatório Agricultura de Baixo Carbono, mudanç...
Radiografia das Pastagens - Observatório Agricultura de Baixo Carbono, mudanç...
 
Cenários da pecuária bovina de corte
Cenários da pecuária bovina de corte Cenários da pecuária bovina de corte
Cenários da pecuária bovina de corte
 
Grupo de trabalho Pecuária Sustentável - Compromissos, ações e resultados
Grupo de trabalho Pecuária Sustentável - Compromissos, ações e resultadosGrupo de trabalho Pecuária Sustentável - Compromissos, ações e resultados
Grupo de trabalho Pecuária Sustentável - Compromissos, ações e resultados
 
Mapeamento qualitativo das pastagens do Brasil
Mapeamento qualitativo das pastagens do Brasil Mapeamento qualitativo das pastagens do Brasil
Mapeamento qualitativo das pastagens do Brasil
 
Brasil 2040 - COP20 - Natalie Unterstell
Brasil 2040 - COP20 - Natalie UnterstellBrasil 2040 - COP20 - Natalie Unterstell
Brasil 2040 - COP20 - Natalie Unterstell
 
República Dominicana: Caso Boca de Cachón, “Infraestructura Resiliente” - Oma...
República Dominicana: Caso Boca de Cachón, “Infraestructura Resiliente” - Oma...República Dominicana: Caso Boca de Cachón, “Infraestructura Resiliente” - Oma...
República Dominicana: Caso Boca de Cachón, “Infraestructura Resiliente” - Oma...
 
The IPCC Fifth Assessment Report and its implications to Latin American - Seb...
The IPCC Fifth Assessment Report and its implications to Latin American - Seb...The IPCC Fifth Assessment Report and its implications to Latin American - Seb...
The IPCC Fifth Assessment Report and its implications to Latin American - Seb...
 
Adaptação Amazonas - SAE/PR na COP20
Adaptação Amazonas - SAE/PR na COP20Adaptação Amazonas - SAE/PR na COP20
Adaptação Amazonas - SAE/PR na COP20
 
Cenários de Mudanças Climáticas: Regionalização ("downscaling")
Cenários de Mudanças Climáticas: Regionalização ("downscaling")Cenários de Mudanças Climáticas: Regionalização ("downscaling")
Cenários de Mudanças Climáticas: Regionalização ("downscaling")
 
Mechanism of Early & further action, "currency climate" and "Bretton Woods lo...
Mechanism of Early & further action, "currency climate" and "Bretton Woods lo...Mechanism of Early & further action, "currency climate" and "Bretton Woods lo...
Mechanism of Early & further action, "currency climate" and "Bretton Woods lo...
 

Metodologia de Cenários Prospectivos do Exército Brasileiro

  • 2. OBJETIVO Conhecer a metodologia de Cenários Prospectivos utilizada pelo Exército Brasileiro
  • 3. O Exército Brasileiro utiliza Cenários Prospectivos Probabilísticos baseado noProspectivos Probabilísticos baseado no Método GRUMBACH, da Consultoria Brainstorming, com apoio do Software PUMA na construção do Cenário mais Provável (dos Especialistas). .
  • 5. Tratam de explorar possibilidades de futuro em um mundo de grandes mudanças, mapeando e PARA QUE SERVEM? um mundo de grandes mudanças, mapeando e organizando as incertezas e tendências. São eficazes para antecipar futuros alternativos e assim melhorar as decisões tomadas no presente.
  • 6. - O desafio principal não é detectar “o futuro mais provável”, porém minimizar as probabilidades de ocorrência dos acontecimentos desfavoráveis e fortalecer o aproveitamento dos fatos favoráveis, ocorridos na esfera de atuação da Instituição. COMO DEVEM SER UTILIZADOS? fatos favoráveis, ocorridos na esfera de atuação da Instituição. - Os Cenários Prospectivos são uma ferramenta valiosa para lançar uma luz sobre as alternativas do futuro no médio e longo prazo e construir-se, a partir do presente, o futuro desejado. (PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO).
  • 7. POR QUE PLANEJAR? “Se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho te leva lá” “Se você não sabe para onde está indo, qualquer caminho te leva lá” AlcorãoAlcorão
  • 9. INTRODUÇÃO “ ... O cenário descrito, portanto, exige disposição e ação das instituições brasileiras, aí incluído o desenvolvimento das capacidades necessárias ao Exército para respaldar a atuação do Brasil nas áreas de interesse estratégico do País. Ao Exército, nesse contexto de mudanças, cabe Diretriz GeralDiretriz Geral CmtCmt Ex 2011Ex 2011--20142014 Ao Exército, nesse contexto de mudanças, cabe transformar-se. Esse processo é de longo prazo, amplo e profundo; não é modismo e é urgente. ... não podemos estar tão distantes da realidade, quando as ameaças se revelarem. Para isso, temos que ousar nas ideias, gerando energia criativa em soluções inovadoras e factíveis. Nessa trajetória, a maioria das respostas poderá ser encontrada na elaboração, execução e controle de um criterioso e coerente Planejamento Estratégico...”
  • 10. CARACTERÍSTICAS DO Plj Estrt - Encontra-se no mais alto nível de decisão da organização; - É um processo de desenvolvimento de estratégias para alcançar objetivos definidos;objetivos definidos; - É de longo alcance e prevê ações estratégicas e projetos para conformar futuros desejáveis, influenciando o ambiente exterior; - É integrador da Organização, ou seja, todos os níveis de planejamento devem seguir o que foi estabelecido pelo planejamento estratégico; - É CONTÍNUO, DINÂMICO E FLEXÍVEL.
  • 11. CHEFIA VICE CHEFIA GABINETE ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITOESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO ASSESSORIA JURÍDICA GABINETE EME ECONOMIA E FINANÇAS 6ª SUBCHEFIA ASSUNTOS ESPECIAIS E INTERNACIONAIS 5ª SUBCHEFIA ESCRITÓRIO DE PROJETOS DO EXÉRCITO (EPEx) INFORMAÇÃO E DEFESA CIBERNÉTICA 2ª SUBCHEFIA PESSOAL EDUCAÇÃO CULTURA 1ª SUBCHEFIA DOUTRINA 3ª SUBCHEFIA LOGÍSTICA, MOBILIZAÇÃO E C & T 4ª SUBCHEFIA PROJETOS ESTRATÉGICOS DO EB POLÍTICA E ESTRATÉGIA 7ª SUBCHEFIA
  • 12.
  • 13. ASSTASST SUBCHEFIA DE POLÍTICA ESUBCHEFIA DE POLÍTICA E ESTRATÉGIAESTRATÉGIA ASSTASST SPE – 1 CENTRO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS SPE - 2 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SPE - 3 ACOMPANHAMENTOACOMPANHAMENTO ESTRATÉGICO
  • 14. MARCO LEGALMARCO LEGAL CF / LC / LBDCF / LC / LBD PND / ENDPND / END SISPEDSISPED CEExCEEx//DtzDtz CmtCmt ExEx EstratégiaEstratégia Mil TerMil Ter PolíticaPolítica Mil TerMil Ter SISTEMÁTICA INTEGRADA DE PLANEJAMENTOSISTEMÁTICA INTEGRADA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO EXÉRCITO (ESTRATÉGICO DO EXÉRCITO (SIPLExSIPLEx)) OrçamentaçãoOrçamentação e Contrataçãoe Contratação PEExPEEx AnáliseAnálise EstratégicaEstratégicaMissãoMissão GESTÃO DE RISCO E X E C U Ç Ã O Medição do Desempenho Organizacional /realimentação EstratégiasEstratégias Ações EstratégicasAções Estratégicas ObjetivosObjetivos EstratégicosEstratégicos ExércitoExército MapaMapa EstrtEstrt e Contrataçãoe Contratação Contrato deContrato de ObjetivosObjetivos EstratégicosEstratégicos CenáriosCenários EBEB--20302030 DiagnósticoDiagnóstico EstratégicoEstratégico IndicaçõesIndicações (Competências(Competências ee Capacidades)Capacidades) VisãoVisão dede FuturoFuturo ValoresValores
  • 15. Sem tempo para o Alinhamento Estratégico… EME Não obrigado Estamos ocupados
  • 16. DEFESADEFESA ANTIAÉREAANTIAÉREA SISTEMASISTEMA DEFESADEFESA CIBERNÉTICACIBERNÉTICA RECUPERAÇÃO DARECUPERAÇÃO DA CAPACIDADECAPACIDADE OPERACIONALOPERACIONAL PROJETOS ESTRATÉGICOSPROJETOS ESTRATÉGICOS ASTROSASTROS 20202020 GUARANIGUARANI PROTEGERPROTEGER SISTEMASISTEMA INTEGRADO DEINTEGRADO DE MONITORAMENTOMONITORAMENTO DE FRONTEIRASDE FRONTEIRAS -- SISFRONSISFRON
  • 17. CC CENÁRIOS NO EB - Criação do CEEEx – 2004. - Utilização de Cenários no SIPLEx – 2005.- Utilização de Cenários no SIPLEx – 2005. - Cenários EB 2022 – Método Grumbach. - Criação do Grupo de Controle Lince. - Dificuldade de interagir com os Stakeholders e monitorar os cenários.
  • 18. Estratégia Nacional de Defesa - Marco para os estudos de Defesa no Brasil. - Estabeleceu estratégias e metas de curto, médio e longo prazos até o horizonte temporal de 2030. - Atualização dos cenários EB 2022 para EB 2030.
  • 19. Atitude Prospectiva - Pré-ativa: consiste em antecipar as mudanças previsíveis para melhor semudanças previsíveis para melhor se preparar para elas e delas tirar proveito. - Pró-ativa: consiste em provocar as mudanças desejadas através de ações.
  • 20. passadopassado futuros possíveisfuturos possíveis ABORDAGEM PROSPECTIVA futuros possíveisfuturos possíveis passadopassado presentepresente futuros prováveisfuturos prováveis
  • 21. Análise Prospectiva É a busca da identificação de diversos futuros possíveis (cenários prospectivos), dentro de um horizonte temporal específico, com o propósito de definir estratégias capazes de: - Preparar a Organização para o enfrentamento (ou aproveitamento) dos acontecimentos fora de sua competência; e/ou - Alterar, em favor da Organização, as probabilidades de ocorrência dos acontecimentos abrangidos por sua esfera de competência.
  • 22. Tipos de Cenários Cenários Exploratórios Descrevem, a partir de uma situação presente e das tendências que aí prevalecem, uma sequência de acontecimentos que conduzem, de uma maneira lógica, a um futuro possível.
  • 23. Tipos de Cenários Cenários Normativos Partem não de uma situação presente, mas de uma imagem de um futuro desejável,de uma imagem de um futuro desejável, descrito a partir de um conjunto de objetivos a realizar; depois elabora-se uma sequência de acontecimentos ligando o futuro ao presente.
  • 25. Decisor Estratégico responsável pelas decisões da instituição Especialistas Grupo de Controle METODOLOGIA - GEPEEx - consultores - convidados externos, de notável saber Grupo de Controle Grupo de analistas - CEEEx
  • 26. METODOLOGIA I - Planejamento inicial II - Diagnóstico estratégico III - Elaboração dos cenáriosIII - Elaboração dos cenários IV - Elaboração das indicações V - Monitoramento dos cenários
  • 27. - Identificação do Sistema - Horizonte Temporal METODOLOGIA - Tempo disponível - Delimitação do Sistema - Método PLANEJAMENTOPLANEJAMENTO INICIALINICIAL
  • 28. I - Planejamento inicial II - Diagnóstico estratégico III - Elaboração dos cenários METODOLOGIA III - Elaboração dos cenários IV - Elaboração das indicações V – Monitoramento dos cenários
  • 29. - Radiografia do Sistema Exército METODOLOGIA DIAGNÓSTICODIAGNÓSTICO ESTRATÉGICOESTRATÉGICO - Fatos Portadores de Futuro - Indicações
  • 30. GESTÃO PESSOAL OPERACIONAL COMANDO E CONTROLE DOUTRINA PONTOSPONTOS FORTESFORTES PONTOSPONTOS FORTESFORTES PONTOSPONTOS FRACOSFRACOS METODOLOGIA DE ATIVIDADESDE ATIVIDADES COMUNICAÇÃO SOCIAL ECONOMIA E FINAÇAS INTELIGÊNCIA ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO MOBILIZAÇÃO LOGÍSTICO EDUCAÇÃO E CULTURA CIÊNCIA E TECNOLOGIASISTEMA PONTOSPONTOS FORTESFORTES PONTOSPONTOS FORTESFORTES PONTOSPONTOS FRACOSFRACOS PONTOSPONTOS FRACOSFRACOS
  • 31. SISTEMA NAÇÃO BRASILEIRASISTEMA NAÇÃO BRASILEIRA SISTEMA AMÉRICA DO SUL E ENTORNOSISTEMA AMÉRICA DO SUL E ENTORNO SISTEMA MUNDIAL METODOLOGIAMETODOLOGIA AMEAÇASAMEAÇASOPORTUNIDADESOPORTUNIDADES SISTEMA DEFESASISTEMA DEFESA AMEAÇASAMEAÇAS OPORTUNIDADESOPORTUNIDADES SISTEMA EXÉRCITO
  • 32. METODOLOGIAMETODOLOGIA DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO Produto Final “Análise e identificação dos FPF do Sistema e do Ambiente externo que servirão de base para o levantamento dos Eventos Preliminares dos Cenários Prospectivos”
  • 33. I - Planejamento inicial II - Diagnóstico estratégico III - Elaboração dos cenários METODOLOGIAMETODOLOGIA III - Elaboração dos cenários IV - Elaboração das indicações V - Monitoramento dos cenários
  • 34. - Eventos Preliminares - Eventos Definitivos - Consulta aos Especialistas METODOLOGIA - Consulta aos Especialistas - Consolidação (Cenários Mais Provável e Ideal) - Elaboração do Cenário Alvo
  • 35. Elaboração dos Eventos Preliminares METODOLOGIAMETODOLOGIA Diagnóstico Estratégico Brainstorming PND/END Cenários Prospectivos do MD Análise das tendências históricas Lista dos Fatos Portadores de Futuro Lista de Eventos PreliminaresLista de Eventos Preliminares Brainstorming Brainstorming
  • 36. Elaboração dos Eventos Definitivos METODOLOGIAMETODOLOGIA Lista de Eventos Preliminares Lista de Eventos Definitivos Submetido ao Decisor Estratégico
  • 37. EVENTOS DOS 2.FORTALECIMENTO DA INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL 4. AGRAVAMENTO DA QUESTÃO AMBIENTAL 14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO 13. AGRAVAMENTO DAS TENSÕES SOCIAIS 12.AUMENTO DA INFLUÊNCIA DE ATORES NÃO GOVERNAMENTAIS 3.INCREMENTO DAS PRESSÕES INTERNACIONAIS SOBRE A AMAZÔNIA 1.REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO BRASILEIRO 15. AUMENTO DOS INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA 7. DESENVOLVIMENTO DA MENTALIDADE DE DEFESA NO BRASIL 8. FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA DE DEFESA DO BRASIL DOS CENÁRIOS PROSPECTIVOS EB 2030 6.AGRAVAMENTO DA PROBLEMÁTICA DA SEGURANÇA PÚBLICA BRASILEIRA 11.AUMENTO DO INTERESSE INTERNACIONAL SOBRE ÁREAS ESTRATÉGICAS DO BRASIL 5. OCORRÊNCIA DE ATIVIDADES TERRORISTAS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO 10. ADEQUAÇÃO DAS INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS ÀS NECESSIDADES DE DEFESA 9. CRESCIMENTO E SEGURANÇA DO FLUXO DO ORÇAMENTO DO EXÉRCITO BRASILEIRO (EB)
  • 38. 1. REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO BRASILEIRO O mundo convive com vários focos de instabilidade, como os conflitos no Oriente Médio, na Ásia e na África, com consequentes riscos à paz global. Além destes, delineia-se no futuro uma disputa pelo controle de recursos estratégicos dos quais o Brasil é um dos grandes detentores. Enquanto países desenvolvidos mantêm suas posições usando seu próprio poder, ou construindo acordos internacionais favoráveis a seus interesses, Evento - exemplo METODOLOGIAMETODOLOGIA poder, ou construindo acordos internacionais favoráveis a seus interesses, nações em desenvolvimento têm de lutar por acesso a novas oportunidades. Embora não esteja envolvido em conflitos de vulto, o Brasil está inserido nesse contexto de desafios e pretende modificar sua posição no jogo internacional, superando barreiras típicas de países localizados na periferia do poder mundial. Esta atitude brasileira poderá propiciar o surgimento de situações conflituosas decorrentes de reações dos estados forçados a ceder espaços e da cobiça internacional pelo grande volume de recursos naturais do País. A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, as reações ao protagonismo brasileiro sejam de tal vulto que dificultem a consecução dos objetivos nacionais, a ponto de exigir, desde já, o aumento progressivo da capacidade de projeção de poder militar e de dissuasão extrarregional do Brasil.
  • 39. Tipos de Cenários Mais Provável METODOLOGIAMETODOLOGIA Ideal Alvo
  • 40. METODOLOGIA A ocorrência do evento é Probabilidade (%) Certa 100 Quase certa 81 a 99 Muito Provável 61 a 80 CENÁRIO MAIS PROVÁVEL Muito Provável 61 a 80 Incerta 41 a 60 Pouco Provável 21 a 40 Improvável 1 a 20 Impossível 0 Probabilidade de ocorrência de eventos
  • 41. ORDEM EVENTO PROBABILIDADE (%) 1º 4. AGRAVAMENTO DA QUESTÃO AMBIENTAL 72 2º 1. REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO BRASILEIRO 68 3º 12. AUMENTO DA INFLUÊNCIA DE ATORES NÃO GOVERNAMENTAIS 67 4º 3. INCREMENTO DAS PRESSÕES INTERNACIONAIS SOBRE A AMAZÔNIA 66 5º 11. AUMENTO DO INTERESSE INTERNACIONAL SOBRE ÁREAS ESTRATÉGICAS DO BRASIL 66 6º 14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO 65 METODOLOGIA 7º 7. DESENVOLVIMENTO DE UMA MENTALIDADE DE DEFESA NO BRASIL 63 8º 6. AGRAVAMENTO DA PROBLEMÁTICA DA SEGURANÇA PÚBLICA BRASILEIRA 59 9º 2. FORTALECIMENTO DA INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL 59 10º 8. FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA DE DEFESA DO BRASIL 56 11º 15. AUMENTO DOS INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA 56 12º 13. AGRAVAMENTO DAS TENSÕES SOCIAIS 53 13º 9. CRESCIMENTO E SEGURANÇA DE FLUXO DO ORÇAMENTO DO EXÉRCITO BRASILEIRO 49 14º 5. OCORRÊNCIA DE ATIVIDADES TERRORISTAS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO 48 15º 10. ADEQUAÇÃO DA INFRAESTRUTURA CRÍTICA ÀS NECESSIDADES DE DEFESA 46 Cenário Mais Provável – EB 2030
  • 42. III - ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS Elaboração do Cenário Ideal METODOLOGIA - É o Cenário em que ocorrem os eventos favoráveis e não ocorrem os desfavoráveis à Instituição; - É o Cenário que melhor atende ao cumprimento da missão do Exército; - É prerrogativa do Decisor Estratégico a sua definição.
  • 43. III - ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS Elaboração do Cenário Alvo - Solução desejada e exequível, do ponto de vista do Sistema EB, o mais próximo possível do Cenário Ideal; - Leva em consideração a ação provável de atores com METODOLOGIA - Leva em consideração a ação provável de atores com poder de impactar, ou não, a ocorrência do evento; - Leva em consideração a possibilidade de o Sistema EB influenciar, ou não, a ação dos atores no sentido de aproximar, o máximo possível, o Cenário mais Provável do Ideal; - É o Cenário de onde são baseadas as indicações para a Política Militar Terrestre.
  • 45. EVENTOS CENÁRIOS MP IDEAL ALVO 1. REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO BRASILEIRO O N O 2. FORTALECIMENTO DA INTEGRAÇÃO DAAMÉRICA DO SUL O O O 3. INCREMENTO DAS PRESSÕES INTERNACIONAIS SOBRE AAMAZÔNIA O N O 4. AGRAVAMENTO DA QUESTÃO AMBIENTAL O N O 5. OCORRÊNCIA DE ATIVIDADES TERRORISTAS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO N N N 6. AGRAVAMENTO DA PROBLEMÁTICA DA SEGURANÇA PÚBLICA BRASILEIRA O N N METODOLOGIA 7. DESENVOLVIMENTO DE UMA MENTALIDADE DE DEFESA NO BRASIL O O O 8. FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA DE DEFESA DO BRASIL O O O 9. CRESCIMENTO E SEGURANÇA DO FLUXO DO ORÇAMENTO DO EXÉRCITO BRASILEIRO N O N 10. ADEQUAÇÃO DA INFRAESTRUTURA CRÍTICA ÀS NECESSIDADES DE DEFESA N O N 11. AUMENTO DO INTERESSE INTERNACIONAL SOBRE ÁREAS ESTRATÉGICAS DO BRASIL O N O 12. AUMENTO DA INFLUÊNCIA DE ATORES NÃO GOVERNAMENTAIS O N O 13. AGRAVAMENTO DAS TENSÕES SOCIAIS O N N 14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO O N O 15. AUMENTO DOS INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA O O O EVENTOS MP IDEAL ALVO
  • 46. I - Planejamento inicial II - Diagnóstico estratégico III - Elaboração dos cenários METODOLOGIAMETODOLOGIA III - Elaboração dos cenários IV - Elaboração das indicações V - Monitoramento dos cenários
  • 47. METODOLOGIA INDICAÇÕES “São ações de natureza estratégica que“São ações de natureza estratégica que irão orientar a formulação dos objetivos da Política Militar Terrestre e das estratégias decorrentes”
  • 48. Cenário Alvo Indicações orientam as ações do presente à luz do futuro desejado METODOLOGIAMETODOLOGIA presente
  • 49. Evento Nr 1 (ocorre) PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS INDICAÇÕES METODOLOGIAMETODOLOGIA oportunidades ameaças indicações
  • 50. Evento 1 – Reações Internacionais ao protagonismo brasileiro INDICAÇÕESINDICAÇÕES -- exemploexemplo METODOLOGIA - Desenvolver capacidade de dissuasão de alcance internacional, alargando a atual concepção que se limita à dimensão essencialmente regional. - Participar de ações e operações de paz sob a égide de organismos internacionais. -Transformar o Exército, dotando-o de estrutura compatível com a dimensão geopolítica do Brasil em 2030.
  • 51. 14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, ataques cibernéticos de vulto venham a ocorrer no Brasil, de modo a comprometer a infraestrutura crítica do País, levando ao envolvimento decisivo das Forças Armadas. Cenário Alvo Ocorrência do evento. METODOLOGIA Ocorrência do evento. b. Indicações 1) Capacitar pessoal de forma a formar massa crítica na área cibernética a fim de atender as necessidades do Centro de Defesa Cibernética do EB. 2) Desenvolver parcerias com instituições públicas e privadas na área cibernética. 3) Contribuir com o desenvolvimento do Sistema Nacional de Segurança e Defesa Cibernética. 4) Incentivar a cooperação com o meio acadêmico na área de Segurança e Defesa Cibernética. 5) Aperfeiçoar a gestão do conhecimento de modo a neutralizar o risco de ações hostis aos sistemas de TI. 6) Implementar uma configuração de estrutura de Tecnologia da Informação e Comunicações para atuar em rede integrada com as demais FA. 7) Estudar e implementar alternativas para a configuração de uma estrutura de atuação no ambiente cibernético tanto na situação de normalidade institucional, quanto nas situações de crise, ou mesmo situações que caracterizam o estado de conflito armado.
  • 52.
  • 53. I - Planejamento inicial II - Diagnóstico estratégico METODOLOGIAMETODOLOGIA I - Planejamento inicial II - Diagnóstico estratégico III - Elaboração dos cenários IV - Elaboração das indicações V - Divulgação e monitoramento III - Elaboração dos cenários IV - Elaboração das indicações V - Monitoramento dos cenários
  • 54. Monitoramento dos Cenários - É realizado pelo CEEEx, com apoio do GpCt (GEPEEx), baseado no acompanhamento da conjuntura proporcionado METODOLOGIA pelo Quadro de Monitoramento de Eventos (QME), documento elaborado mensalmente. - O QME tem papel relevante na detecção de fatos novos que indiquem uma ruptura de tendência, mudanças nas estratégias do atores, aliança de atores ou novos atores que possam impactar o Cenário mais Provável e o Cenário Alvo.
  • 55. METODOLOGIA Mais provável 2 passadopassado presentepresente Alvo 1 Mais provável 1 Alvo 2 Ideal Ruptura de Tendência
  • 59. Quadro de Monitoramento de Eventos - Junho Evento Cenário mais Provável TENDÊNCIA ATORES Possibilidade de gerar novas Indicações Observações sobre a Psb de Ruptura, Mudança na Estrt dos Atores ou Aliança entre Atores Acompanh amento de tendências Tendência Mensal Possibilidade de Ruptura de Tendência Atores Atuantes Novos Atores Aliança entre Atores Favorece / não favorece Mudança de Estrt dos Atores 1. Reações Intern ao Protagonismo Brasileiro O O O NÃO 8u - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) Favorece NÃO NÃO Mud Estrt Pres Rep - Mudança de atitude em função de sua postura inicial. 8z - Presidência da República Favorece SIM 8. Poder Executivo Favorece NÃO 12a - China Favorece NÃO 1x - UNASUL/CDS Favorece NÃO METODOLOGIA 2. Fortalecimento da Integração da AS O O N NÃO 1x - UNASUL/CDS Favorece NÃO SIM 1 - Houve aliança entre estes países, mais o México na formação da Aliança do Pacífico. 2 - Houve aliança entre os membros do MERCOSUL para suspender Paraguai do Bloco e incluir imediatamente a Venezuela. (Mud Estrt) - Mercosul atuou em desacordo com seus princípios democráticos 4a – Exército Favorece NÃO 8k - Ministério da Defesa (MD) Favorece NÃO 11a - Argentina 2 Favorece NÃO 1b - ALBA Não Favorece NÃO 11b - Bolívia Não Favorece NÃO 11c - Chile 1 Não Favorece NÃO 11d - Colômbia 1 Não Favorece NÃO 1n - MERCOSUL Não Favorece SIM 11k - Uruguai 2 Não Favorece NÃO 11h - Paraguai Não Favorece NÃO 8z - Presidência da República 2 Não Favorece NÃO 11i - Peru 1 Não Favorece NÃO 11l - Venezuela Não Favorece NÃO 3. Pressões Intern sobre a Amazônia O O N NÃO 8i - INPE Não Favorece NÃO NÃO 8h - IBGE Não Favorece NÃO 8g - Governo Estadual Não Favorece NÃO
  • 60. Ensinamentos do Monitoramento - Importância do acompanhamento e análise; sistemática da atuação dos atores; - Dificuldade de relacionar a influência de atores x METODOLOGIAMETODOLOGIA - Dificuldade de relacionar a influência de atores x eventos, atores x atores e eventos x eventos; - Necessidade da utilização de ferramenta de TI para apoio às análises; - Necessidade de se dispor de um banco de dados informatizado.
  • 61. OsOs CenáriosCenários ProspectivosProspectivos nãonão sãosão umum fimfim emem sisi mesmos,mesmos, devemdevem serser utilizadosutilizados parapara CONCLUSÃO minimizarminimizar asas incertezasincertezas dodo futurofuturo nono médiomédio ee longolongo prazoprazo e,e, sese nãonão foremforem utilizadosutilizados nana formulação de Objetivos e das Estratégias decorrentes, todotodo esforçoesforço despendidodespendido emem suasua confecçãoconfecção tornatorna--sese inútilinútil..
  • 62. “Todos os que pretendem predizer ou prever o futuro são impostores, pois o futuro não CONCLUSÃO impostores, pois o futuro não está escrito em parte alguma, está para ser feito” Michel Godet
  • 64. 1. REAÇÕES INTERNACIONAIS AO PROTAGONISMO BRASILEIRO A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, as reações ao protagonismo do Brasil sejam de tal vulto que dificultem a CENÁRIOS EB 2030 Brasil sejam de tal vulto que dificultem a consecução dos objetivos nacionais, a ponto de exigir, desde já, o aumento progressivo da capacidade de projeção de poder militar e de dissuasão extrarregional do Brasil. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 65. 2. FORTALECIMENTO DA INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, a integração regional evolua favoravelmente, a ponto de evitar a ocorrência CENÁRIOS EB 2030 favoravelmente, a ponto de evitar a ocorrência de conflitos na América do Sul, com reflexos para o Poder Militar do Brasil. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 66. CENÁRIOS EB 2030 3. INCREMENTO DE PRESSÕES INTERNACIONAIS SOBRE A AMAZÔNIA A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, as pressões por uma gestão compartilhada da região amazônica se incrementem, a ponto deda região amazônica se incrementem, a ponto de colocar em risco a soberania e a integridade territorial do Brasil. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 67. 4. AGRAVAMENTO DA QUESTÃO AMBIENTAL A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, a questão ambiental se agrave a ponto de exigir uma crescente participação das Forças Armadas no apoio às ações contra os delitos ambientais. CENÁRIOS EB 2030 no apoio às ações contra os delitos ambientais. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 68. 5. OCORRÊNCIA DE ATIVIDADES TERRORISTAS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, ocorram atividades terroristas de vulto no CENÁRIOS EB 2030 31/12/2030, ocorram atividades terroristas de vulto no Brasil. Cenário Especialistas: Não Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Não Ocorre
  • 69. 6. AGRAVAMENTO DA PROBLEMÁTICA DA SEGURANÇA PÚBLICA BRASILEIRA A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, a segurança pública se deteriore a ponto, intensificando o emprego das Forças Armadas nessa CENÁRIOS EB 2030 intensificando o emprego das Forças Armadas nessa atividade. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Não Ocorre
  • 70. CENÁRIOS EB 2030 7. DESENVOLVIMENTO DE UMA MENTALIDADE DE DEFESA NO BRASIL A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, os assuntos de defesa cresçam de31/12/2030, os assuntos de defesa cresçam de importância na agenda nacional, a ponto de influenciar significativamente as decisões políticas. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 71. 8. FORTALECIMENTO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE DEFESA. A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, ocorra o fortalecimento da Base Industrial de Defesa brasileira, a ponto de suprir, no mínimo, CENÁRIOS EB 2030 de Defesa brasileira, a ponto de suprir, no mínimo, metade das necessidades de material de defesa do EB. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Ocorre Cenário Alvo: Ocorre Cenário Tendência: Ocorre
  • 72. 9. CRESCIMENTO E SEGURANÇA DE FLUXO DO ORÇAMENTO EB A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/ 2030, sejam aumentados os recursos orçamentários e assegure-se um fluxo regular e crescente destinado a CENÁRIOS EB 2030 assegure-se um fluxo regular e crescente destinado a custeio e investimentos do Exército Brasileiro, de modo a atingir e manter o patamar entre 0,5% e 1,0% do PIB. Cenário Especialistas: Não Ocorre Cenário Ideal: Ocorre Cenário Alvo: Não Ocorre
  • 73. 10. ADEQUAÇÃO DA INFRAESTRUTURA CRÍTICA ÀS NECESSIDADES DE DEFESA A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, as obras de infraestrutura crítica do País CENÁRIOS EB 2030 31/12/2030, as obras de infraestrutura crítica do País atendam às necessidades de defesa. Cenário Especialistas: Não Ocorre Cenário Ideal: Ocorre Cenário Alvo: Não Ocorre
  • 74. 11. AUMENTO DO INTERESSE INTERNACIONAL SOBRE ÁREAS ESTRATÉGICAS DO BRASIL A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, as áreas estratégicas do Brasil, exceto a Amazônia, sejam alvo de crescente interesse CENÁRIOS EB 2030 Amazônia, sejam alvo de crescente interesse internacional, a ponto de suscitar ações por parte do Estado brasileiro para assegurar a defesa dos interesses nacionais nessas áreas. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 75. 12. AUMENTO DA INFLUÊNCIA DE ATORES NÃO- GOVERNAMENTAIS A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, os ANG tenham Cpcd de atuar sobre o CENÁRIOS EB 2030 31/12/2030, os ANG tenham Cpcd de atuar sobre o governo, a ponto de influenciar as Dcs relativas à Seg e à Def. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 76. CENÁRIOS EB 2030 13. AGRAVAMENTO DAS TENSÕES SOCIAIS A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, as tensões sociais no Brasil se agravem a tal31/12/2030, as tensões sociais no Brasil se agravem a tal ponto que possam comprometer a paz social no País. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Não Ocorre
  • 77. CENÁRIOS EB 2030 14. OCORRÊNCIA DE ATAQUES CIBERNÉTICOS EM TERRITÓRIO BRASILEIRO A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/2030, ataques cibernéticos de vulto venham a ocorrer no Brasil, de modo a comprometer aocorrer no Brasil, de modo a comprometer a infraestrutura crítica do País, levando ao envolvimento decisivo das Forças Armadas. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Não Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 78. 15. AUMENTO DE INVESTIMENTOS EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA A questão se refere à probabilidade de que, até 31/12/ 2030, haja aumento progressivo dos recursos aplicados em C & T no setor de defesa do Brasil, a fim de CENÁRIOS EB 2030 em C & T no setor de defesa do Brasil, a fim de assegurar um fluxo regular e crescente destinado a investimentos do EB nessa área de atividade. Cenário Especialistas: Ocorre Cenário Ideal: Ocorre Cenário Alvo: Ocorre
  • 79. S I P L E X SIPLExSIPLEx / Transformação/ Transformação MODERNI ZAÇÃO/2015 PROTEGER SISFRON Def Aae Concepção Estratégica TRANSFOR MAÇÃO/2022 Def Aae GUARANI Rec Cpcd Op Astros 2020 Def CIBERNÉTICA Concepção Estratégica Vetores Transformação Áreas Críticas
  • 80. APRIMORAR A IMPLANTAR UM NOVO E EFETIVO SISTEMA DE DOUTRINA AUMENTAR A CONTRIBUIR COM A DISSUASÃO EXTRARREGIONAL AMPLIAR A PROJEÇÃO DO EXÉRCITO NO CENÁRIO INTERNACIONAL ATUAR NO ESPAÇO CIBERNÉTICO COM LIBERDADE DE AÇÃO CONTRIBUIR COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A PAZ SOCIAL a. MISSÃO: CONTRIBUIR PARA A GARANTIA DA SOBERANIA NACIONAL, DOS PODERES CONSTITUÍDOS, DA LEI E DA ORDEM, SALVAGUARDANDO OS INTERESSES NACIONAIS E COOPERANDO COM O DESENVOLVIMENTO NACIONAL E O BEM-ESTAR SOCIAL. b. PARA ISTO, PREPARAR A FORÇA TERRESTRE, MANTENDO-A EM PERMANENTE ESTADO DE PRONTIDÃO. VISÃO: ATÉ 2022, O PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO DO EXÉRCITO CHEGARÁ A UMA NOVA DOUTRINA, COM O EMPREGO DE PRODUTOS DE DEFESA TECNOLOGICAMENTE AVANÇADOS E PROFISSIONAIS ALTAMENTE CAPACITADOS E MOTIVADOS, PARA QUE O EXÉRCITO ENFRENTE, COM OS MEIOS ADEQUADOS, OS DESAFIOS DO SÉCULO XXI, RESPALDANDO AS DECISÕES SOBERANAS DO BRASIL NO CENÁRIO INTERNACIONAL. Braço ForteBraço Forte Mão AmigaMão Amiga SOCIEDADE (RESULTADO) FORTALECER A DIMENSÃO HUMANA APRIMORAR A GOVERNANÇA DE TI AMPLIAR A INTEGRAÇÃO DO EXÉRCITO COM A SOCIEDADE FORTALECER OS VALORES, OS DEVERES E A ÉTICA MILITAR IMPLANTAR UM NOVO E EFETIVO SISTEMA DE EDUCAÇÃO E CULTURA EFETIVO SISTEMA DE DOUTRINA MILITAR TERRESTRE IMPLANTAR UM NOVO E EFETIVO SISTEMA DE CT&I AUMENTAR A EFETIVIDADE NA GESTÃO DO BEM PÚBLICO MAXIMIZAR A OBTENÇÃO DE RECURSOS DO ORÇAMENTO E DE OUTRAS FONTES IMPLANTAR UM NOVO E EFETIVO SISTEMA LOGÍSTICO MILITAR TERRESTRE PROCESSOS CRÍTICOS
  • 81. PROJETOS ESTRATÉGICOSPROJETOS ESTRATÉGICOS SISFRONSISFRON PROTEGERPROTEGER ASTROSASTROS 20202020 GUARANIGUARANI RECOPRECOP (Até(Até 8080%%)) DefesaDefesa CibernéticaCibernética DAAeDAAe P E E Projetos EstruturantesEstruturantes SentinelaSentinela dada PátriaPátria (Até(Até 100100%%)) -- EMEEME AmazôniaAmazônia ProtegidaProtegida -- EMEEME NovoNovo PreparoPreparo ee EmpregoEmprego -- COTERCOTER NovoNovo SIDOMTSIDOMT -- EMEEME GovernançaGovernança TITI -- EMEEME ee DCTDCT NovaNova LogísticaLogística MilitarMilitar TerrestreTerrestre -- EMEEME ee COLOGCOLOG PCTEGPCTEG (Aguardar(Aguardar EVTE)EVTE) -- DCTDCT NovoNovo SistemaSistema dede EngenhariaEngenharia -- DECDEC GestãoGestão ee InovaçãoInovação -- EMEEME ee SEFSEF NovaNova EducaçãoEducação ee CulturaCultura -- EMEEME ee DECExDECEx ForçaForça dada nossanossa ForçaForça -- EMEEME ee DGPDGP
  • 82. MJ MRE GSI/PR MD MME - Sistema que visa a proteger 90% das Estruturas Estratégicas (EE) do País, as quais impactam 96% do MC MCT MMA MT OSP MI Empresas ... SistemaSistema PROTEGERPROTEGER impactam 96% do PIB. - Dos BRICS, apenas o Brasil ainda não tem um sistema nacional de proteção de suas EE.
  • 83. Min Faz - SRF MRE Min Justiça – SENASP/PF/PRF/FUNAI MD MS/MEC - Sistema de monitoramento, que visa dotar o BRASIL de meios para uma efetiva presença do Exército, SIPAM GSI/PR Polícias Militares MMA-IBAMA Organizações Estaduais e Municipais SAE MS/MEC ... presença do Exército, particularmente, na Faixa de Fronteira. – Apoia-se em um complexo sistema de sensoriamento, integração, comando e controle, apoio à decisão e atuação estratégica integrada com os diversos órgãos da República.
  • 84. SENSORES DECISORES ATUADORES COMANDO E CONTROLE LOGÍSTICA SENSORIAMENTO PROCESSAMENTO, COMPARAÇÃO E DECISÃO AÇÃO
  • 85. - Integrada ao MD, moderniza os meios de artilharia antiaérea do Exército, para defender, em particular, as Estruturas Estratégicas. - Colabora com a segurança dos grandes eventos internacionais patrocinadosinternacionais patrocinados pelo Brasil. - Contribui com o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA) O Projeto prevê: - aquisição de mísseis e meios dos subsistemas Log, de Com e de controle e alerta; -- desenvolvimento do míssil AS 3.1;desenvolvimento do míssil AS 3.1; - estruturação das Seções e Baterias de AAAe; e - aquisição emergencial de mísseis IGLA-S.
  • 86. - Projeto de uma nova família de blindados que visa substituir as viaturas URUTU e CASCAVEL adquiridas há mais de 40 anos. - Oferece ao Exército maior mobilidade e proteção blindada para maior mobilidade e proteção blindada para atender ao cumprimento de suas missões constitucionais. - Recupera a capacidade brasileira de produção de veículos blindados de combate.
  • 87. - Projeto que fornece ao Exército um Produto Estratégico de Defesa (PED) com elevada capacidade de dissuasão. - Tem solução 100%- Tem solução 100% brasileira, com total independência tecnológica e domínio intelectual. - Gerará por volta de 6000 empregos em SP e 1000 em GO.
  • 88. - Projeto que implanta o Setor Cibernético no Exército Brasileiro. - Visa coordenar e Defesa Cibernética SimuladorSimulador - Visa coordenar e integrar a estruturação do Setor Cibernético no Ministério da Defesa. II Seminário de Defesa Cibernética