SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
RUA JOSUÉ
GUIMARÃES, Nº 81:
BIBLIOTECA
Evelise Rosa Faraco de Oliveira –
Mestranda e Acervista ALJOG/UPF
Orientador: Miguel Rettenmaier–
Coordenador ALGOG/UPF
Introdução
Trabalhar com bibliotecas de
escritores é uma forma de entrarmos no
espaço de criação do artista. Ao descobrir
este lugar que foi de leitura do autor,
ingressamos em um território acessível a
poucos. Ali há um espaço de mistérios e
intenções, de descobertas por parte do
autor.
Capítulo 1
A CASA DO AUTOR: ESPAÇO DE
LEITURA E CRIAÇÃO
1.1 O Dono dos livros: vida e obra
1.2 A Bilbioteca particular: descrição
exploratória
Capítulo 2
O LUGAR DAS PALAVRAS: TEXTOS,
LIVROS E MEMÓRIA
2.1 Leitura e Dialogismo
2.2 Linguagem e Interação
2.3 O plurilinguismo no romance
2.1 Leitura e Dialogismo
A leitura de um texto depende da compreensão do
enunciado. O enunciado, realizado pelo autor, carregado
de sentidos, fará com que a compreensão do leitor,
dependa também da sua posição perante o enunciado. As
respostas surgirão conforme a bagagem de sentidos que
traz dentro da sua mala, aqui no papel ativo de leitor.
2.2 Linguagem e Interação
Na obra, Marxismo e Filosofia da Linguagem, Bakhtin
concebe a comunicação como um processo interativo,
muito mais amplo do que a mera transmissão de
informações. Para ele a linguagem e a interação social. Ó
sujeito, ao falar ou escrever, deixa em seu texto marcas
profundas de sua sociedade, seu núcleo familiar, suas
experiências, além de pressuposições sobre o que o
interlocutor gostaria ou não de ouvir ou ler, tendo em vista
também seu contexto social.
2.3 O Plurilinguismo no Romance
O Romance, composto pela voz “do outro” se diferencia
da poesia. Apresenta confrontos dialógicos, coloca-se
frente a frente com os personagens para discutir, criticar,
desenvolver novas ideias e conceitos. Em sua existência
histórica vai se remodelando conforme seus diversos
grupos sócio-ideológicos, entre correntes, escolas,
círculos, etc. Estas diferentes formas de apresentar-se,
transforma o discurso em plurilinguismo.
Capítulo 3
O LIVRO ESCRITO: DEPOIS DO
ÚLTIMO TREM E O DIÁLOGO COM O
FANTÁSTICO
3.1 Antes do Depois…
3.2 O fantástico em Depois…
A obra inspiradora
Relações dialógicas
Capítulo 4
OS LIVROS LIDOS: A HORA DOS
RUMINANTES E PEDRO PÁRAMO
4.1 A obra presente: A hora dos
ruminantes
4.2 A obra ausente: Pedro Páramo
4.3 Relendo os livros de Josué
A obra ausente, não encontrada na
biblioteca de Josué Guimarães, mas
provável referência na constituição de
Depois do último trem. Pedro Páramo, do
autor Juan Rulfo. Aqui, há a ideia de que a
biblioteca de um autor não se restringe aos
exemplares materialmente catalogáveis,
dispostos em suas estantes.
Considerações Finais
Foco no ambiente de criação do autor;
Trabalho com os livros no Aljog/UPF;
Reconhecimento da Literatura Fantástica
dos autores: Josué Guimarães, José J.
Veiga e Juan Rulfo.
Referências
ACERVO LITERÁRIO JOSUÉ GUIMARÃES. Disponível em: www.upf.br/aljog/.
Acesso em 20 nov. 2012
AUTORES GAÚCHOS. Josué Guimarães: escrever é um ato de amor. Porto
Alegre: Instituto Estadual do Livro, 2006.
BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Tradução Antônio de Pádua Danesi. São
Paulo: Martins Fontes, 2ª ed. 2008.
BORDINI, Maria da Glória. Os acervos de escritores sulinos e a memória literária
brasileira. UNESP – FCLAs – CEDAP, v.4, n.2, p. 35-54, jun. 2009. Revista
Patrimônio e Memória. Disponível em
<http://pem.assis.unesp.br/index.php/pem/article/view/54/501> Acesso em 14 de jun.
de 2013.
BECKER, Paulo; RÖSING, Tania. Memória: Jornadas Literárias de Passo Fundo,
20 anos de História. Passo Fundo: Editora UPF/Edelbra, 2001.
BRITO, José Domingos de. Disponível em:
<http://www.tirodeletra.com.br/biografia/JoseJ.Veiga.htm> Acesso em: 12 de jan.
2015.
BAKHTIN, M. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. SãoPaulo:
Hucitec, 2010.
___. Estetica da criacao verbaĺ ̧ ̃ . Sao Paulo: Martins Fontes, 2011.̃
___. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do metodó
sociologico na ciencia da linguagem.́ ̂ 8. ed. São Paulo: Hucitec, 1997.
___. Problemas da Poetica de Dostoievskí ́ . Trad. Paulo Bezerra. 1a. ed. Rio de
Janeiro: Forense Universitaria, 1981.́
CHABAT, Jorge. Disponível em:
<http://www.eluniversal.com.mx/editoriales/35629.html>. Acesso em: 14 de jan. 2015.
DURANTE, Erica. La biblioteca de escritor frente al mundo global. Manuscrítica
24, 2013. <http://www.revistas.fflch.usp.br/manuscritica/article/view/1467/1300>
Acesso em 13 de ago. de 2014
FERREIRA, Jorge; GOMES, Angela de Castro. 1964: o golpe que derrubou um
presidente, pôs fim ao regime democrático e instituiu a ditadura no Brasil. 1ª ed. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.
FUENTES, Waldemar Verdugo. Versión final publicada en Arts&History-México,
febrero de 2002 y en la revista Norte/Sur, México, Argentina, Chile: septiembre 2003.
FURTADO, Filipe. A construção do fantástico na narrativa. Lisboa: Livros
Horizonte, 1980.
GUIMARÃES, Josué. Depois do último trem. 10. ed. Porto Alegre: L&PM, 2007.
JORNADAS LITERÁRIAS. Disponível em
http://www.jornadasliterarias.upf.br/verConteudo.php?cod=346 Acesso em 7 de set. de
2013
 
LOPEZ, Telê Ancona. A CRIAÇÃO LITERÁRIA NA BIBLIOTECA DO
ESCRITOR<http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?pid=S0009-
67252007000100016&script=sci_arttext>Acesso em 13 ago. de 2014
____. "A biblioteca de Mário de Andrade: seara e celeiro da criação". In: Zular,
Roberto, org. Criação em processo: Ensaios de crítica genética. São Paulo, Iluminuras/
Fapesp, 2002, p. 45-72.
PINO, Claudia Amigo. A Beleza da Rasura. In: Zular, Roberto, org. Criação em
processo: Ensaios de crítica genética. São Paulo, Iluminuras/ Fapesp, 2002, p. 298-301.
 PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho
científico: Métodos e técnicas da Pesquisa do Trabalho Acadêmico. Novo Hamburgo: 
Feevale, 2009. 
RETTENMAIER, Miguel. A cegueira das utopias e desencantos da memória. Passo
Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo, 2011.
RÖSING, Tania; Rettenmaier, Miguel. 30 anos de Jornadas Literárias/ESTUDOS,
Ed. Comemorativa. Passo Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo, 2011.
RULFO, Juan. Pedro Páramo. Madrid: Cátedra, 1995.
SAMOYAULT, Tiphaine. Intertextualidade. São Paulo: HUCITEC. 2008.
SOUZA, Agostinho Potenciado de, Um olhar crítico sobre o nosso tempo (Uma 
leitura da obra de José J. Veiga). Departamento de Teoria Literária do Instituto de 
Estudos de Linguagem da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1987.  
VEIGA, José Jacinto. A Hora dos Ruminantes. 37. ed. Rio de Janeiro: Bertrand
Brasil, 2010
ZILBERMAN, Regina; RÖSING, Tania M. K. Leitura e escola: velha crise, novas
alternativas. 1. ed. São Paulo: Global, 2009.
ZILBERMAN, Regina. Brasil: cultura e literatura dos anos 80. Porto Alegre: Ornagon,
1991.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULARCULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULARRita Almeida
 
Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Ana Polo
 
O que é literatura?
O que é literatura?O que é literatura?
O que é literatura?Mayara Santos
 
A Realidade Cantada: a canção enquanto complemento interdiscursivo para liter...
A Realidade Cantada: a canção enquanto complemento interdiscursivo para liter...A Realidade Cantada: a canção enquanto complemento interdiscursivo para liter...
A Realidade Cantada: a canção enquanto complemento interdiscursivo para liter...REVISTANJINGAESEPE
 
O Patriotismo na poesia de Agostinho Neto (1922-1979)
O Patriotismo na poesia de Agostinho Neto (1922-1979)O Patriotismo na poesia de Agostinho Neto (1922-1979)
O Patriotismo na poesia de Agostinho Neto (1922-1979)REVISTANJINGAESEPE
 
Um olhar Bachelardiano a Náusea de Agostinho Neto
Um olhar Bachelardiano a Náusea de Agostinho NetoUm olhar Bachelardiano a Náusea de Agostinho Neto
Um olhar Bachelardiano a Náusea de Agostinho NetoREVISTANJINGAESEPE
 
Biografia de José Jorge Letria
Biografia de José Jorge LetriaBiografia de José Jorge Letria
Biografia de José Jorge Letriaoalvarinho
 
Orientação técnica
Orientação técnicaOrientação técnica
Orientação técnicapcopmaze
 
Apresentação geração da utopia
Apresentação   geração da utopiaApresentação   geração da utopia
Apresentação geração da utopiaErlon Roberto Adam
 
LP Características do diário
LP Características do diárioLP Características do diário
LP Características do diário7F
 
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira P...
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira  P...A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira  P...
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira P...tatiana ribeiro do nascimento
 

Mais procurados (18)

CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULARCULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
CULTURA DE CORDEL_A MULTIPLICIDADE E O SINGULAR
 
Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro" Plano de aula "Dom Casmurro"
Plano de aula "Dom Casmurro"
 
Diario
DiarioDiario
Diario
 
Poesias
PoesiasPoesias
Poesias
 
O que é literatura?
O que é literatura?O que é literatura?
O que é literatura?
 
Poesia, poema, poeta
Poesia, poema, poetaPoesia, poema, poeta
Poesia, poema, poeta
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
A Realidade Cantada: a canção enquanto complemento interdiscursivo para liter...
A Realidade Cantada: a canção enquanto complemento interdiscursivo para liter...A Realidade Cantada: a canção enquanto complemento interdiscursivo para liter...
A Realidade Cantada: a canção enquanto complemento interdiscursivo para liter...
 
O Patriotismo na poesia de Agostinho Neto (1922-1979)
O Patriotismo na poesia de Agostinho Neto (1922-1979)O Patriotismo na poesia de Agostinho Neto (1922-1979)
O Patriotismo na poesia de Agostinho Neto (1922-1979)
 
4180 13908-1-pb
4180 13908-1-pb4180 13908-1-pb
4180 13908-1-pb
 
Modelos de Texto
Modelos de Texto Modelos de Texto
Modelos de Texto
 
O que é literatura
O que é literaturaO que é literatura
O que é literatura
 
Um olhar Bachelardiano a Náusea de Agostinho Neto
Um olhar Bachelardiano a Náusea de Agostinho NetoUm olhar Bachelardiano a Náusea de Agostinho Neto
Um olhar Bachelardiano a Náusea de Agostinho Neto
 
Biografia de José Jorge Letria
Biografia de José Jorge LetriaBiografia de José Jorge Letria
Biografia de José Jorge Letria
 
Orientação técnica
Orientação técnicaOrientação técnica
Orientação técnica
 
Apresentação geração da utopia
Apresentação   geração da utopiaApresentação   geração da utopia
Apresentação geração da utopia
 
LP Características do diário
LP Características do diárioLP Características do diário
LP Características do diário
 
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira P...
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira  P...A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira  P...
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira P...
 

Semelhante a Biblioteca de escritor e diálogo entre obras

Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da HistóriaApresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da HistóriaAna Souza
 
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIOPLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIOIFMA
 
Jouve por que studar literatura resenha
Jouve por que studar literatura resenhaJouve por que studar literatura resenha
Jouve por que studar literatura resenhaKarolyna Luna
 
Crítica ao livro «O Moscardo e Outras Histórias» de João Ricardo Lopes
Crítica ao livro «O Moscardo e Outras Histórias» de João Ricardo LopesCrítica ao livro «O Moscardo e Outras Histórias» de João Ricardo Lopes
Crítica ao livro «O Moscardo e Outras Histórias» de João Ricardo LopesMadga Silva
 
Entre o real e a ficção - as marcas literárias no jornalismo de Eliane Brum
Entre o real e a ficção - as marcas literárias no jornalismo de Eliane BrumEntre o real e a ficção - as marcas literárias no jornalismo de Eliane Brum
Entre o real e a ficção - as marcas literárias no jornalismo de Eliane BrumMárcio Eduardo Borges
 
Lucia agra dll 2010.2x
Lucia agra dll 2010.2xLucia agra dll 2010.2x
Lucia agra dll 2010.2xDLLURCA
 
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXI
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIFolhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXI
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIValter Gomes
 
Monografia: A constituição do espaço em "Vastas emoções e pensamentos imperfe...
Monografia: A constituição do espaço em "Vastas emoções e pensamentos imperfe...Monografia: A constituição do espaço em "Vastas emoções e pensamentos imperfe...
Monografia: A constituição do espaço em "Vastas emoções e pensamentos imperfe...Pedro Lima
 
Projeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano fProjeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano fcaic-2
 
PROJETO DE ESTÁGIO II LEITURA, PRODUÇÃO E ANÁLISE LINGUÍSTICA: as marc...
PROJETO DE ESTÁGIO II        LEITURA, PRODUÇÃO E ANÁLISE LINGUÍSTICA: as marc...PROJETO DE ESTÁGIO II        LEITURA, PRODUÇÃO E ANÁLISE LINGUÍSTICA: as marc...
PROJETO DE ESTÁGIO II LEITURA, PRODUÇÃO E ANÁLISE LINGUÍSTICA: as marc...LOCIMAR MASSALAI
 
A literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do GloboA literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do Globo+ Aloisio Magalhães
 
DOS ROLOS E CÓDICES AOS TEXTOS DIGITAIS: MUDANÇAS E DESAFIOS NAS PRÁTICAS DA...
 DOS ROLOS E CÓDICES AOS TEXTOS DIGITAIS: MUDANÇAS E DESAFIOS NAS PRÁTICAS DA... DOS ROLOS E CÓDICES AOS TEXTOS DIGITAIS: MUDANÇAS E DESAFIOS NAS PRÁTICAS DA...
DOS ROLOS E CÓDICES AOS TEXTOS DIGITAIS: MUDANÇAS E DESAFIOS NAS PRÁTICAS DA...LOCIMAR MASSALAI
 

Semelhante a Biblioteca de escritor e diálogo entre obras (20)

Módulo 3
Módulo 3Módulo 3
Módulo 3
 
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da HistóriaApresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
Apresentação UFMG projeto Literatura Caminhos da História
 
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIOPLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
PLANO DIDÁTICO ANUAL LITERATURA 1º ANO ENSINO MÉDIO
 
Apresentação sd 2016.2
Apresentação sd 2016.2Apresentação sd 2016.2
Apresentação sd 2016.2
 
Jouve por que studar literatura resenha
Jouve por que studar literatura resenhaJouve por que studar literatura resenha
Jouve por que studar literatura resenha
 
Crítica ao livro «O Moscardo e Outras Histórias» de João Ricardo Lopes
Crítica ao livro «O Moscardo e Outras Histórias» de João Ricardo LopesCrítica ao livro «O Moscardo e Outras Histórias» de João Ricardo Lopes
Crítica ao livro «O Moscardo e Outras Histórias» de João Ricardo Lopes
 
Entre o real e a ficção - as marcas literárias no jornalismo de Eliane Brum
Entre o real e a ficção - as marcas literárias no jornalismo de Eliane BrumEntre o real e a ficção - as marcas literárias no jornalismo de Eliane Brum
Entre o real e a ficção - as marcas literárias no jornalismo de Eliane Brum
 
Lucia agra dll 2010.2x
Lucia agra dll 2010.2xLucia agra dll 2010.2x
Lucia agra dll 2010.2x
 
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXI
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXIFolhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXI
Folhetim do Estudante - Ano II - Núm. XXI
 
Boletim Informativo 1
Boletim Informativo 1Boletim Informativo 1
Boletim Informativo 1
 
Monografia: A constituição do espaço em "Vastas emoções e pensamentos imperfe...
Monografia: A constituição do espaço em "Vastas emoções e pensamentos imperfe...Monografia: A constituição do espaço em "Vastas emoções e pensamentos imperfe...
Monografia: A constituição do espaço em "Vastas emoções e pensamentos imperfe...
 
Projeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano fProjeto 3 bimestre 2º ano f
Projeto 3 bimestre 2º ano f
 
PROJETO DE ESTÁGIO II LEITURA, PRODUÇÃO E ANÁLISE LINGUÍSTICA: as marc...
PROJETO DE ESTÁGIO II        LEITURA, PRODUÇÃO E ANÁLISE LINGUÍSTICA: as marc...PROJETO DE ESTÁGIO II        LEITURA, PRODUÇÃO E ANÁLISE LINGUÍSTICA: as marc...
PROJETO DE ESTÁGIO II LEITURA, PRODUÇÃO E ANÁLISE LINGUÍSTICA: as marc...
 
Revista mosaico unesp rio preto em 2010
Revista mosaico unesp rio preto em 2010Revista mosaico unesp rio preto em 2010
Revista mosaico unesp rio preto em 2010
 
A literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do GloboA literatura Infantil na Revista do Globo
A literatura Infantil na Revista do Globo
 
DOS ROLOS E CÓDICES AOS TEXTOS DIGITAIS: MUDANÇAS E DESAFIOS NAS PRÁTICAS DA...
 DOS ROLOS E CÓDICES AOS TEXTOS DIGITAIS: MUDANÇAS E DESAFIOS NAS PRÁTICAS DA... DOS ROLOS E CÓDICES AOS TEXTOS DIGITAIS: MUDANÇAS E DESAFIOS NAS PRÁTICAS DA...
DOS ROLOS E CÓDICES AOS TEXTOS DIGITAIS: MUDANÇAS E DESAFIOS NAS PRÁTICAS DA...
 
elefante
elefanteelefante
elefante
 
EMBATES FILOSOFICOS.pdf
EMBATES FILOSOFICOS.pdfEMBATES FILOSOFICOS.pdf
EMBATES FILOSOFICOS.pdf
 
Nós, os fabulistas
Nós, os fabulistasNós, os fabulistas
Nós, os fabulistas
 
Contacto março 2016
Contacto março 2016Contacto março 2016
Contacto março 2016
 

Último

ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 

Último (20)

ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 

Biblioteca de escritor e diálogo entre obras

  • 1. RUA JOSUÉ GUIMARÃES, Nº 81: BIBLIOTECA Evelise Rosa Faraco de Oliveira – Mestranda e Acervista ALJOG/UPF Orientador: Miguel Rettenmaier– Coordenador ALGOG/UPF
  • 2. Introdução Trabalhar com bibliotecas de escritores é uma forma de entrarmos no espaço de criação do artista. Ao descobrir este lugar que foi de leitura do autor, ingressamos em um território acessível a poucos. Ali há um espaço de mistérios e intenções, de descobertas por parte do autor.
  • 3. Capítulo 1 A CASA DO AUTOR: ESPAÇO DE LEITURA E CRIAÇÃO 1.1 O Dono dos livros: vida e obra 1.2 A Bilbioteca particular: descrição exploratória
  • 4.
  • 5.
  • 6. Capítulo 2 O LUGAR DAS PALAVRAS: TEXTOS, LIVROS E MEMÓRIA 2.1 Leitura e Dialogismo 2.2 Linguagem e Interação 2.3 O plurilinguismo no romance
  • 7. 2.1 Leitura e Dialogismo A leitura de um texto depende da compreensão do enunciado. O enunciado, realizado pelo autor, carregado de sentidos, fará com que a compreensão do leitor, dependa também da sua posição perante o enunciado. As respostas surgirão conforme a bagagem de sentidos que traz dentro da sua mala, aqui no papel ativo de leitor.
  • 8. 2.2 Linguagem e Interação Na obra, Marxismo e Filosofia da Linguagem, Bakhtin concebe a comunicação como um processo interativo, muito mais amplo do que a mera transmissão de informações. Para ele a linguagem e a interação social. Ó sujeito, ao falar ou escrever, deixa em seu texto marcas profundas de sua sociedade, seu núcleo familiar, suas experiências, além de pressuposições sobre o que o interlocutor gostaria ou não de ouvir ou ler, tendo em vista também seu contexto social.
  • 9. 2.3 O Plurilinguismo no Romance O Romance, composto pela voz “do outro” se diferencia da poesia. Apresenta confrontos dialógicos, coloca-se frente a frente com os personagens para discutir, criticar, desenvolver novas ideias e conceitos. Em sua existência histórica vai se remodelando conforme seus diversos grupos sócio-ideológicos, entre correntes, escolas, círculos, etc. Estas diferentes formas de apresentar-se, transforma o discurso em plurilinguismo.
  • 10. Capítulo 3 O LIVRO ESCRITO: DEPOIS DO ÚLTIMO TREM E O DIÁLOGO COM O FANTÁSTICO 3.1 Antes do Depois… 3.2 O fantástico em Depois…
  • 13. Capítulo 4 OS LIVROS LIDOS: A HORA DOS RUMINANTES E PEDRO PÁRAMO 4.1 A obra presente: A hora dos ruminantes 4.2 A obra ausente: Pedro Páramo 4.3 Relendo os livros de Josué
  • 14.
  • 15. A obra ausente, não encontrada na biblioteca de Josué Guimarães, mas provável referência na constituição de Depois do último trem. Pedro Páramo, do autor Juan Rulfo. Aqui, há a ideia de que a biblioteca de um autor não se restringe aos exemplares materialmente catalogáveis, dispostos em suas estantes.
  • 16. Considerações Finais Foco no ambiente de criação do autor; Trabalho com os livros no Aljog/UPF; Reconhecimento da Literatura Fantástica dos autores: Josué Guimarães, José J. Veiga e Juan Rulfo.
  • 17. Referências ACERVO LITERÁRIO JOSUÉ GUIMARÃES. Disponível em: www.upf.br/aljog/. Acesso em 20 nov. 2012 AUTORES GAÚCHOS. Josué Guimarães: escrever é um ato de amor. Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro, 2006. BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Tradução Antônio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 2ª ed. 2008. BORDINI, Maria da Glória. Os acervos de escritores sulinos e a memória literária brasileira. UNESP – FCLAs – CEDAP, v.4, n.2, p. 35-54, jun. 2009. Revista Patrimônio e Memória. Disponível em <http://pem.assis.unesp.br/index.php/pem/article/view/54/501> Acesso em 14 de jun. de 2013. BECKER, Paulo; RÖSING, Tania. Memória: Jornadas Literárias de Passo Fundo, 20 anos de História. Passo Fundo: Editora UPF/Edelbra, 2001. BRITO, José Domingos de. Disponível em: <http://www.tirodeletra.com.br/biografia/JoseJ.Veiga.htm> Acesso em: 12 de jan. 2015.
  • 18. BAKHTIN, M. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. SãoPaulo: Hucitec, 2010. ___. Estetica da criacao verbaĺ ̧ ̃ . Sao Paulo: Martins Fontes, 2011.̃ ___. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do metodó sociologico na ciencia da linguagem.́ ̂ 8. ed. São Paulo: Hucitec, 1997. ___. Problemas da Poetica de Dostoievskí ́ . Trad. Paulo Bezerra. 1a. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitaria, 1981.́ CHABAT, Jorge. Disponível em: <http://www.eluniversal.com.mx/editoriales/35629.html>. Acesso em: 14 de jan. 2015. DURANTE, Erica. La biblioteca de escritor frente al mundo global. Manuscrítica 24, 2013. <http://www.revistas.fflch.usp.br/manuscritica/article/view/1467/1300> Acesso em 13 de ago. de 2014
  • 19. FERREIRA, Jorge; GOMES, Angela de Castro. 1964: o golpe que derrubou um presidente, pôs fim ao regime democrático e instituiu a ditadura no Brasil. 1ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014. FUENTES, Waldemar Verdugo. Versión final publicada en Arts&History-México, febrero de 2002 y en la revista Norte/Sur, México, Argentina, Chile: septiembre 2003. FURTADO, Filipe. A construção do fantástico na narrativa. Lisboa: Livros Horizonte, 1980. GUIMARÃES, Josué. Depois do último trem. 10. ed. Porto Alegre: L&PM, 2007. JORNADAS LITERÁRIAS. Disponível em http://www.jornadasliterarias.upf.br/verConteudo.php?cod=346 Acesso em 7 de set. de 2013  
  • 20. LOPEZ, Telê Ancona. A CRIAÇÃO LITERÁRIA NA BIBLIOTECA DO ESCRITOR<http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?pid=S0009- 67252007000100016&script=sci_arttext>Acesso em 13 ago. de 2014 ____. "A biblioteca de Mário de Andrade: seara e celeiro da criação". In: Zular, Roberto, org. Criação em processo: Ensaios de crítica genética. São Paulo, Iluminuras/ Fapesp, 2002, p. 45-72. PINO, Claudia Amigo. A Beleza da Rasura. In: Zular, Roberto, org. Criação em processo: Ensaios de crítica genética. São Paulo, Iluminuras/ Fapesp, 2002, p. 298-301.  PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: Métodos e técnicas da Pesquisa do Trabalho Acadêmico. Novo Hamburgo:  Feevale, 2009. 
  • 21. RETTENMAIER, Miguel. A cegueira das utopias e desencantos da memória. Passo Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo, 2011. RÖSING, Tania; Rettenmaier, Miguel. 30 anos de Jornadas Literárias/ESTUDOS, Ed. Comemorativa. Passo Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo, 2011. RULFO, Juan. Pedro Páramo. Madrid: Cátedra, 1995. SAMOYAULT, Tiphaine. Intertextualidade. São Paulo: HUCITEC. 2008. SOUZA, Agostinho Potenciado de, Um olhar crítico sobre o nosso tempo (Uma  leitura da obra de José J. Veiga). Departamento de Teoria Literária do Instituto de  Estudos de Linguagem da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 1987.  
  • 22. VEIGA, José Jacinto. A Hora dos Ruminantes. 37. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 ZILBERMAN, Regina; RÖSING, Tania M. K. Leitura e escola: velha crise, novas alternativas. 1. ed. São Paulo: Global, 2009. ZILBERMAN, Regina. Brasil: cultura e literatura dos anos 80. Porto Alegre: Ornagon, 1991.