SlideShare uma empresa Scribd logo
1

CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX
CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
COORDENAÇÃO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO I E
ATIVIDADE PRÁTICA CURRICULAR VI
DOCENTE: MS. LUCIA DE FATIMA DA CUNHA
DISCENTE: MARILENA DA SILVA ALVES

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I
ATIVIDADE PRÁTICA CURRICULAR VI

Natal – RN
2013
2

Marilena da Silva Alves

ESTÁGIO SUPERVISIONADO I
ATIVIDADE PRÁTICA CURRICULAR VI

Relatório

apresentado

Ciências

Biológicas,

ao
como

curso

de

exigência

parcial para a disciplina de Estágio
Supervisionado I.
Orientadora: Prof.ª MS. Lucia de Fatima
da Cunha

Natal – RN
2013
3

AGRADECIMENTOS

Primeiramente ao meu Deus e pela interseção de nossa Senhora Maria, por
nunca faltar-me com sua presença e por tantos objetivos alcançados, com
perseverança para vencer os obstáculos.
Aos meus pais, que me deram grandes ensinamentos e a oportunidade de
seguir em frente com meus próprios pés e por todo ambiente de amor em que
fui criada.
As minhas eternamente e amadas irmãs pelo Incentivo em todos os momentos
direta e indiretamente, me apoiando e incentivando, que tudo dará certo.
Ao meu companheiro Danilo, pela dedicação, força e o incentivo em todos os
momentos, sempre disposto a me ajudar, no que for necessário.
Ao meu cunhado Daniel, pelo incentivo e apoio em todos os momentos.
A minha amiga e querida Rafaela, pelo companheirismo e incentivo em todos
os momentos.
A minha Professora MS. Lucia de Fatima da Cunha, pelas orientações,
disposição, oportunidade de aprendizagem e pelos momentos de dedicação e
respeito a mim e meus colegas de curso.
À Professora e coordenadora Daniele Bezerra, pelas palavras de incentivo e
apoio.
Aos queridos e grandes amigos que tive a oportunidade de conhecer e conviver
durante esses quatro longos anos de curso, Beatriz, Dayse, Kelvin, Lazaro,
Thiago e Daniela, pelo incentivo e aprazível ambiente de ensino e trabalho.
À UNIFACEX, pelo espaço e equipamentos concedidos durante minha
formação acadêmica.
À Escola Estadual Alberto Torres e professores e em especial Professor
Marcelo Henrique Campos de Queiroz pela experiência concedida com a
oportunidade de estágio.
Por último, e não menos importante a todos aqueles que de alguma forma
positiva fizeram parte dessa longa caminhada. O meu muito obrigado.
4

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................... 5
2. DESENVOLVIMENTO ............................................................................................... 6
2.1. Diagnóstico da escola ........................................................................................ 6
2.2. Diário de observação .......................................................................................... 8
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS ...................................................................................... 15
4. REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 16
5. ANEXOS ................................................................................................................... 17
5

INTRODUÇÃO

Este estudo é uma reflexão acerca da experiência na prática de Estágio
Supervisionado I e Atividade Prática Curricular VI – disciplinas oferecidas no
curso de Ciências Biológicas da UNIFACEX – e tem como questão central a
inserção do aluno no campo de estágio e sua preparação para etapa seguinte
a qual será a prática docente. Nessa perspectiva a pesquisa ocorre em duas
etapas pré-estabelecida sendo primeiramente a investigação, buscando
compreender através do espaço escolar, examinando a organização e prática
pedagógica no cotidiano do Professor, investigando e fazendo levantamento de
dados do 6º ao 9º ano da Escola Estadual Alberto Torres de Ensino
Fundamental, localizada na Praça das Flores, em Petrópolis, um dos bairros
nobres da cidade Natal do estado do Rio Grande do Norte. Utilizando-se da
prática de observação com a finalidade de reconhecer no educador, suas
praticas pedagógicas e dificuldades, ou seja, um estudo da consciência
particular do professor, estudo sobre as práticas docentes do professor de
Ciência Marcio Henrique e das atividades que envolvem o cotidiano e a cultura
escolar nesta instituição de ensino. E a segunda etapa será a fase de regência,
aonde eu irei por em pratica a teoria, conhecimentos adquiridos na vida
acadêmica. Onde serão postos em pratica apenas na segunda unidade.
Este relatório tem o objetivo de investigar o cotidiano escolar, através de sua
estrutura física, escolar e de seus alunos, os quais levam para a sala de aula,
experiências singulares vividas em seu cotidiano. Nesta investigação
buscamos identificar a cultura da escola e a cultura escolar, examinando o
ambiente da escola. Posteriormente, ao observar as práticas pedagógicas do
Professor de Ciências do 6º ao 9º ano do ensino fundamental na mesma
escola, podemos identificar a interação entre professores e alunos, o currículo
da escola em ação, o conteúdo escolar, o planejamento do professor, suas
habilidades de ensino e os processos avaliativos. Desse modo, investigando os
diferentes tipos de cultura e observando as relações de ensino e aprendizagem
entre professores e alunos, buscamos compreender o saber-fazer professor,
que entre outras, está condicionado a adaptar seu conteúdo com a realidade
social encontrada nas instituições de ensino.
6

DESENVOLVIMENTO

2.1 - Diagnóstico da escola
A Escola Estadual Alberto Torres de Ensino Fundamental, esta localizada na
Praça das Flores, em Petrópolis, um dos bairros nobres da cidade Natal do
estado do Rio Grande do Norte. Durante o estágio, que compreendeu o
período de 10 a 23 de Setembro de 2013, a diretoria se fez na presença de
Roseane Batista da Luz P.P. Carneto. A despeito disso, os alunos que a
frequentam são, em sua maioria, provenientes do Bairro Periférico de Mãe
Luiza, uma região de alta vulnerabilidade social, considerado historicamente
uma área perigosa e violenta. Tendo em seu quadro de alunos, alguns usuários
de drogas e um número alto de adolescentes gravidas.

Fig. 1: Fachada da Escola Estadual Alberto Torres

Sua estrutura física compreende (01) salas de direção, (01) uma secretaria,
(01) sala de professores para o uso do corpo docente e direção. Possui
também (01) uma sala de leitura/biblioteca (01) sala de TV e vídeo, e de fácil
acesso para portadores de necessidades especiais. De acordo com a
assessoria de direção à escola necessita de e equipamentos para o lazer e a
prática esportiva dos alunos. A instituição de ensino não oferece quadra para
prática esportiva, lazer e cultura. Necessita fazer reparos nas instalações
elétricas, encanamentos, reparos visuais como pintura e reparos no teto.
Necessita de equipamentos didáticos como caneta de lousa, data show para
uma aula mais dinâmica e de fácil entendimento.
7

Atualmente, a escola possui 418 alunos matriculados, 254 no turno matutino e
164 do turno vespertino, distribuídos em 14 turmas do 1º ao 9º ano, sendo 7
turmas no turno matutino e 7 no turno vespertino, com idades entre 10 a 18
anos, contando com 40 professores, funcionários da merenda, 1 funcionário de
limpeza, não possuem porteiro e nem segurança para a escola, além de uma
equipe pedagógica composta por 5 pessoas: uma diretora, uma vice-diretora,
uma tesoureira e duas coordenadoras.
Grande parte dos estudantes que frequentam regularmente a unidade de
ensino apresenta uma realidade socioeconômica de baixo padrão, já que a
maioria possui renda familiar de um salário mínimo. Os pais do corpo discente
possuem baixo nível de escolaridade e baixa qualificação profissional,
ocupando o mercado informal de trabalho ou subempregos.
Em relação ao nível da qualidade de ensino da Escola Estadual Alberto Torres,
percebe-se

que

os

seus

índices

estão

muito

abaixo

do

desejado,

principalmente quando se faz um comparativo com os indicadores do
município, estado, região e país em que ela está inserida. Por mas, que os
professores incentivem seus alunos para a educação que todos devem ter,
para terem um futuro melhor.
Porém, apesar de não estarem incluídas diretamente no cálculo, as taxas de
reprovação e abandono escolar também são levadas em consideração, pois
para que o IDEB de uma escola se eleve é necessário, que o aluno aprenda,
não repita o ano e frequente à sala de aula regularmente. (FERNANDES, 2007)
Assim como acontece em todas as unidades de ensino no país, a Escola
Estadual Alberto Torres também é submetida pelo Ministério da Educação a
alcançar metas de desempenho bianuais do seu IDEB, no período de 2007 a
2021, para que se alcance um sistema educacional de qualidade, adequandose ao valor numérico que os países desenvolvidos apresentam (6,0). Perante
isso, a escola deve evoluir conforme seu ponto de partida, que toma como
base os indicadores de 2005, levando-se em conta a sua realidade
(FERNANDES, 2007).
8

2.2 - Diário de observação e co-participação

6º Ano - 2 aulas:
Iniciada à aula as 16h00mim.
A turma do 6º ano é relativamente pequena, onde foi iniciada à aula as
16h00mim. Os alunos são bem comportados e interessados a aprender. Foram
duas aulas sobre os Parasitas – o Schistosoma Mansoni. O professor iniciou
sua aula fazendo a chamada, onde muitos faltaram e ou não iram mais
comparecer. Logo após, deu sua aula, com auxilio de data show, livro como
auxilio. Sendo assim, de acordo com que o professor iria fazendo sua
apresentação os alunos iriam anotando, passo a passo e verificando em seus
livros. O professor explicou sobre a transmissão do parasita. Dando um devido
tempo para que eles copiem. Pude observar também a dificuldade em escrever
com agilidade, tendo alguns copiando e outros que não queriam nada. O
professor de instantes em instantes era necessário interromper a aula para
chamar a atenção delas, mas logo depois elas começavam a bagunçar e
conversar novamente, cerca de duas alunas. Que se não fizesse silêncio
seriam postas para fora de sala de aula. E volta a explicar o assunto, mas
interrompe a aula novamente, e coloca as duas para fora de aula, chama
atenção e as leva para a diretoria, me solicitando para tomar conta da turma,
enquanto isso. As alunas voltam logo depois com o professor para pegar seus
pertences e se retiram, sendo bem mal educadas, xingando o professor pela
atitude. Continua a explicação sobre os parasitas e em seguida passa um
vídeo sobre o assunto. Os alunos prestam bem atenção. Logo depois coloca
outro sobre ”Água e Saneamento Básico”.
Depois dos vídeos o professor passa um estudo dirigido sobre o assunto, que
estava no livro para trazerem na próxima aula e ele dá o visto.
Termina a aula às 17h20min.

6º Ano - 1 aula:
Iniciada à aula as 15h30mim.
A aula dada ao sexto foi uma aula não planejada, pois cobriu uma professora
que não compareceu. Então o professor resolveu passar um vídeo sobre os
tubarões e Baleias, “Guia completo Tubarões e Baleias” – Discovery na escola.
9

E com isso vai explicando a eles sobre algumas duvidas que eles tenham no
momento e trocando informações com o professor.
Termina a aula ás 16h00min.

7º Ano B- 1 aula:
A aula começou as 13h00mim.
O primeiro dia de estágio foi na turma do 7º ano B, onde foi iniciada à aula as
13h10mim. Fui muito bem recebida, os alunos são bem comportados e
interessados e aprender. Foram duas aulas sobre os Anelídeos. O professor
iniciou sua aula fazendo a chamada, logo após, deu sua aula, com auxilio de
data show, caixa de som, equipamento comprado pelo professor. Sendo assim,
de acordo com que o professor iria fazendo sua apresentação os alunos iriam
anotando, passo a passo. Pude observar a interação do professor com os
alunos, eles sendo bastante curiosos, sobre os assuntos. Logo após suas
explicações sobre o assunto o professor passava exercícios (Estudo dirigidos),
para que o aluno absorva, mas o assunto, eles fizeram em sala e no final o
professor passava o visto, valendo um ponto em todos os vistos dados pelo
professor no calculo final das avaliações. É uma turma bem curiosa e
interessada, fazendo perguntas o tempo todo sobre o assunto. E com isso o
professor tirando as dúvidas. Terminando a aula as Um grande obstáculo
enfrentado nesta turma foi o de cumprir com o que estava previsto para o dia.
Pois os alunos escrevem muito lentamente, impedindo de avançar no assunto.
De um lado tinha que avançar nos conteúdos, devido às greves, para que
assim mais na frente o aluno não se sentisse prejudicado. Por outro lado,
muitas vezes havia a necessidade de recuar, explicar várias vezes o mesmo
conteúdo e rever assuntos que eles não lembravam mais, porque muitos não
estavam entendendo nada.
Termina a aula ás 14h00min.

7º Ano A - 1 aula:
Foi iniciada à aula as 13h00mim. Os alunos são bem comportados e
interessados a aprender. Foi uma aula sobre os Anelídeos, seria uma aula
ministrada com auxilio de data show, mas ocorreu um imprevisto, em que não
funcionou a instalação elétrica, sendo necessária a utilização do quadro
10

branco, para ministrar a aula. O professor explicou sobre o assunto ministrado
no 7º B. Pergunta sempre “Vocês tem alguma dúvida?”.
Sua forma didática nesta Turma é Escrever e depois explicar o assunto.
Mostrou as imagens de alguns Anelídeos para melhor compreensão do
assunto.
O professor chama atenção da turma sobre o uso de celular em sua aula, onde
não o admite, pedindo para que guardem e prestem atenção.
A professora entra na sala, para chamar atenção sobre o fardamento e sobre o
horário, em que vários ainda não haviam anotado e estavam reclamando e
justificando suas demoras em entrar em sala de aula.
Termina a aula ás 14h00min.

7º Ano A - 2 aulas:
A aula começou as 13h00mim.
Foram duas aulas sobre a anelídea continuação do assunto anterior. O
professor iniciou sua aula fazendo a chamada, onde muitos faltaram e ou não
iram mais comparecer. Logo após, deu sua aula, com auxilio de data show e
livro. Sendo assim, de acordo com que o professor iria fazendo sua
apresentação os alunos iriam anotando, passo a passo e verificando em seus
livros. O professor explicou sobre a importância das minhocas, e eles
respondiam. Dando um devido tempo para que eles copiem. Logo após o
professor passa um vídeo sobre os anelídeos, “Minhocas e companhias”.
Enquanto eles assistem ao vídeo o professor iria olhando o livro didático
escolar, preparando um exercício (Estudo dirigido).
De acordo com que vai passando o vídeo ele vai explicado à aula anterior. Ao
termino do vídeo ele pede para abrir o livro na pag. do exercício, informando
quais são as questões.
2º horário – Alguns alunos iniciam o exercício, pesquisando no próprio livro, se
organizando para iniciarem a tarefa. O professor informa que só precisa anotar
a resposta, e levarem para ele dar o visto. Enquanto uns fazem outros nem
ligam para atividade. A todo o momento os alunos o chamam para tirar alguma
duvida sobre o exercício, e o professor sendo bastante atencioso. Por mas que
os alunos não o chamem, o professor se mostra bem atencioso, se dirigindo
até o aluno.
11

Explica a alguns alunos o que lembra o nome anelídeo, “Anéis”.
Assim que os alunos terminam o estudo dirigido ele vai dando o visto no
caderno.
Termina a aula ás 14h40min.

7º Ano A - 2 aulas:
A aula começou às 13h15mim.
O professor iniciou sua aula fazendo a chamada.
Logo depois informa aos alunos, que abram seus livros, na pagina 152, sobre
os vertebrados. Foi uma aula dada com o auxilio de data show e livro didático.
O professor explica o assunto e dá um tempo para eles copiarem alguns
tópicos de interesse. Explica sobre o Ectoparasita – A lampréia.
Logo após o professor passa um vídeo, sobre as características dos peixes.
Par explicar melhor aos alunos sobre as ágnatas (Aventura visual).
Neste momento o professor sai de sala e pede para que eu tome conta da
turma.
Eles ficam bem interessados no vídeo.
Termina a aula ás 14h40min.

8º Ano A e B - 2 aulas:
A aula começou as 14h40mim.
O professor juntou as turmas por serem turmas pequenas. O professor iniciou
sua aula fazendo a chamada. Foram duas aulas sobre a visão, continuação do
assunto anterior. Iniciando com a cobrança do trabalho sobre 4 doenças
relacionadas ao sistema nervoso.
O professor explica sobre visão continuação do assunto.
Chama atenção sobre conversas paralelas e o comportamento dos alunos.
O professor passa um vídeo sobre Ilusão de ótica, foi um vídeo que chamou
bastante atenção dos alunos sobre o assunto, fez com que os alunos se
interagissem com a atividade. Com a participação em conjunto dos alunos, no
vídeo em que eu assisti nas aulas de psicologia. Mostrando que os olhos
acompanham até determinadas resoluções. Fazendo com que eles prestem
bem atenção.
Intervalo
12

E o terceiro vídeo, é sobre a visão e o tato. Durante vinte minutos os alunos se
puseram parados observando o vídeo.
Durante o vídeo pude acompanhar uma reação de alguns alunos mexendo com
um colega em que eles iriam falando coisas, como se tivessem tendo um certo
preconceito sobre a sexualidade do colega. Onde o professor não observou a
atitude dos alunos e não pode fazer nada.
Em respeito ao vídeo, eles continuaram prestando bastante atenção. O
professor interrompeu a apresentação para explicar o vídeo. Voltando em
seguida.
Termina a aula ás 16h00min.

8º Ano B - 1 aula:
A aula começou as 14h40mim.
O professor iniciou, informando que seria em primeiro lugar passado um vídeo
e depois, continuaria o assunto sua aula fazendo a chamada. Foi uma aula
sobre o sentido visão, continuação do assunto anterior.
O vídeo apresentava os bastonetes que enviam para o cérebro informações
das cores e eles são responsáveis. Os alunos ficam atentos ao vídeo
prestando bastante atenção.
Após o vídeo o professor explica sobre o vídeo e o assunto abordado, os
sentidos da visão.
O professor coloca outro vídeo, o professor pediu a atenção deles para o vídeo.
Onde explica sobre a plasticidade fenotípica, que apresenta a metade do
cérebro assume o controle de todos os casos.
E por ultimo coloca o vídeo de ilusão de ótica.
Termina a aula ás 15h30min.

8º Ano B - 1 aula:
A aula começou as 14h00mim.
A aula dada ao sexto foi uma aula não planejada, pois cobriu uma professora
que não compareceu. Então o professor resolveu passar um vídeo sobre o
nazismo e a forma que eles matavam as pessoas, como com as câmaras de
gás. O tipo de gás.
Foi uma hora de vídeo aula.
13

Termina a aula ás 14h40min.

9º Ano A e B - 2 aulas:
As atividades foram desenvolvidas no 9º ano “A” e “B”. O professor juntou as
turmas por serem turmas pequenas. O professor iniciou sua aula fazendo a
chamada. Foram duas aulas sobre Funções Químicas, Funções Orgânica e
inorgânica, continuação do assunto anterior. O professor pede que prestem
atenção no assunto, mostrando as formulas químicas. Da um tempo para
copiar.
Obs.: O 9º ano tem um aluno com Deficiência Intelectual ou atraso cognitivo.
Onde ele apresenta certas limitações no seu funcionamento mental e no
desempenho de tarefas como as de comunicação, cuidado pessoal e de
relacionamento

social.

Estas limitações provocam uma maior lentidão na aprendizagem e no
desenvolvimento. Tendo certo preconceito dos demais colegas, onde ficam
excluindo ele de certas tarefas e vários outros fatores.
É um aluno que, mas demora em anotar o assunto, mas o professor faz questão
em aguardar, e os outros alunos reclama a atitude do professor.

Depois disso o professor, passa um exercício, valendo nota, é uma tarefa que o
professor faz em todas as turmas. Para exercitar o conteúdo ministrado em
sala de aula.
Sobre a aula ele mostrou alguns exemplos de ácidos. Tirando duvidas a todo o
momento em que é solicitado. Mas eles os alunos se ajudam, perguntando
sobre algo aos colegas. Sendo apenas alguns.
2º horário
O professor pede para que anotem, e eles reclamam que é muita coisa, mas o
professor incentiva, dizendo que é bom escrever, pois estimula o interesse no
assunto.
No momento em que aguarda eles copiarem ele anota em uma agenda o nome
de alguns alunos, sobre o comportamento deles.
Passa para o próximo assunto os Ácidos acéticos, dando exemplos.
O envolvimento do professor com os aluno é bem interessante eles conversam
bastante tirando varia duvidas.
Depois fala sobre o Acido sulfúrico, pede respeito pela atenção na explicação.
14

Termina a aula ás 16h40min.

9º Ano A e B - 1 aula:
A aula começou às 16h40min.
Continuação do assunto sobre os ácidos. Foi uma aula com auxilio de data
show, mostrando a falta do acido cítrico, as consequências. Como exemplo: Os
dentes e gengivas sofrem com a doença conhecida como escorbuto, as
gengivas inflamam e os dentes apodrecem e caem.
O professor explica a aula e eles copiam o que necessário.
Pergunta sempre “Vocês tem alguma dúvida?”.
Fala mais sobre as Bases e logo em seguida a aula termina.
Termina a aula ás 17h00min.

9º Ano A e B - 1 aula:
A aula começou às 16h40min.
O professor juntou as turmas por serem turmas pequenas. O professor iniciou
sua aula fazendo a chamada.
Continuação do assunto sobre Bases, explicou sobre seus compostos. Foi uma
aula com auxilio de data show, explicando sobre as frutas que tem sabores
adstringentes, fala ou sobre o refrigerante e seus possíveis problemas de
saúde.
Dá certo tempo para os alunos copiarem e depois explica um pouco mais sobre
as bases. Metal e Hidroxila. Mostrando sempre um bom relacionamento com os
alunos. O tempo todo eles reclamam sobre escrever, que estavam escrevendo
muito.
Logo depois termina a aula, e o professor relembra do exercício para a próxima
aula.
Termina a aula ás 17h10min.
15

CONSIDERAÇÕES FINAIS

As turmas eram relativamente pequenas. A turma do 9º ano foi a turma que
apresentou ser o maior obstáculo. Era uma turma em que todos os professores
comentavam a respeito do mau comportamento dos alunos. A faixa etária de
idade era bastante heterogenia e a maioria deles já haviam sido reprovados,
além de ser muito bagunceira.
Além, de ter um aluno com Deficiência Intelectual ou atraso cognitivo. Onde ele
apresenta certas limitações no seu funcionamento mental e no desempenho de
tarefas como as de comunicação, cuidado pessoal e de relacionamento social.
Estas limitações provocam uma maior lentidão na aprendizagem e no
desenvolvimento. Tendo certo preconceito dos demais colegas, onde ficam
excluindo ele de certas tarefas e vários outros fatores.
De instantes em instantes era necessário interromper a aula para chamar a
atenção deles, mas logo depois eles começavam a bagunçar e conversar
novamente. Entre eles haviam uma faixa, cerca da metade dos alunos, que
realmente queriam estudar, enquanto que a outra, só queria brincar.
Todos os alunos tinham em média uma mesma faixa etária de idade.
Todas as turmas em que pude estar presente, consegui observar que eram
participativas e apresentavam um bom comportamento.
As turmas eram boas de trabalhar, com alunos interessados e participativos,
que faziam os exercícios propostos e prestavam atenção nas aulas. A maioria
das turmas era concentrada e não apresentavam muitos problemas quanto à
indisciplina. Esse fator contribuiu na exposição dos conteúdos e no
cumprimento das atividades que estava previsto no plano de trabalho e no
planejamento do curso elaborado junto ao professor regente.
Mas um ponto bastante negativo vale a pena ressaltar: o baixo nível de
aprendizado dos alunos, Ensino fundamental II. O que mais chamou atenção
era à dificuldade de que eles tinham com relação em anotar, pois escreviam
muito de vagar, e isso prejudicava o andar das aulas, impossibilitando a
progressão das aulas, por isso sempre tinha que estar revisando tais assuntos.
16

REFERÊNCIAS

Gewansdsznajder, F. Coleção Ciências - O Planeta Terra, A Vida na Terra, Nosso
Corpo, Matéria e energia. 4ªed. São Paulo: Ática, 2009.

Fernandes, Cláudia de Oliveira. Indagações sobre currículo: currículo e avaliação.
Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/indag5.pdf>.
Acesso em: 19 set. 2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estagio de observação
Estagio de observaçãoEstagio de observação
Estagio de observação
Bárbara Marcelly
 
Projeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação EspecialProjeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação Especial
Fábio Ribeiro Silva
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
www.estagiosupervisionadofip.blogspot.com
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Edlauva Santos
 
Estágio Educação Infantil
Estágio Educação InfantilEstágio Educação Infantil
Estágio Educação Infantil
Luúh Reis
 
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADORELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
UFMA e UEMA
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
Maryanne Monteiro
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERARELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
UFMA e UEMA
 
Relatório de Regências Ensino Fundamental
Relatório de Regências Ensino Fundamental Relatório de Regências Ensino Fundamental
Relatório de Regências Ensino Fundamental
URCA - Universidade Regional do Cariri
 
Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1
Luis Alberto Bassoli
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
Luciene Vales
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
Fábio Ribeiro Silva
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
pedagogianh
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Linda-maria12
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IIESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
Fábio Ribeiro Silva
 
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucionalRelatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Ravena B
 
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
LOCIMAR MASSALAI
 
Relatório de estágio 11 (reparado) (1)
Relatório de estágio  11 (reparado) (1)Relatório de estágio  11 (reparado) (1)
Relatório de estágio 11 (reparado) (1)
Natália Ferreira
 
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativoRelatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Alessandra Alves
 

Mais procurados (20)

Estagio de observação
Estagio de observaçãoEstagio de observação
Estagio de observação
 
Projeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação EspecialProjeto de Estagio - Educação Especial
Projeto de Estagio - Educação Especial
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
 
Estágio Educação Infantil
Estágio Educação InfantilEstágio Educação Infantil
Estágio Educação Infantil
 
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADORELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
RELATÓRIO DA EJA- DORALICE DOURADO
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERARELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
 
Relatório de Regências Ensino Fundamental
Relatório de Regências Ensino Fundamental Relatório de Regências Ensino Fundamental
Relatório de Regências Ensino Fundamental
 
Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1Apresentação estágio 1
Apresentação estágio 1
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL I
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IIESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
 
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucionalRelatorio estagio psicopedagogia institucional
Relatorio estagio psicopedagogia institucional
 
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
Fichas de acompanhamento de estágio em letras lingua portuguesa e suas liter...
 
Relatório de estágio 11 (reparado) (1)
Relatório de estágio  11 (reparado) (1)Relatório de estágio  11 (reparado) (1)
Relatório de estágio 11 (reparado) (1)
 
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativoRelatorio de estagio supervisionado administrativo
Relatorio de estagio supervisionado administrativo
 

Destaque

Relatório observaçao
Relatório observaçaoRelatório observaçao
Relatório observaçao
António Seromenho
 
Relatorio de estagio 2
Relatorio de estagio 2Relatorio de estagio 2
Relatorio de estagio 2
Jeronimo Oliveira
 
Relatório de observação do aluno 4
Relatório de observação do aluno 4Relatório de observação do aluno 4
Relatório de observação do aluno 4
SimoneHelenDrumond
 
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superiorO estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
diagoprof
 
8149 estagio-supervisionado-de-educacao-infantil-e-anos-iniciais-do-ensino-fu...
8149 estagio-supervisionado-de-educacao-infantil-e-anos-iniciais-do-ensino-fu...8149 estagio-supervisionado-de-educacao-infantil-e-anos-iniciais-do-ensino-fu...
8149 estagio-supervisionado-de-educacao-infantil-e-anos-iniciais-do-ensino-fu...
Káttia Gonçalves
 
Artigo relatório de estágio na educação infantil.
Artigo relatório de estágio na educação infantil.Artigo relatório de estágio na educação infantil.
Artigo relatório de estágio na educação infantil.
renatalguterres
 

Destaque (7)

Relatório observaçao
Relatório observaçaoRelatório observaçao
Relatório observaçao
 
Relatorio de estagio 2
Relatorio de estagio 2Relatorio de estagio 2
Relatorio de estagio 2
 
Relatório de observação do aluno 4
Relatório de observação do aluno 4Relatório de observação do aluno 4
Relatório de observação do aluno 4
 
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superiorO estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
O estagio-curricular-e-sua-eficacia-na-educacao-superior
 
8149 estagio-supervisionado-de-educacao-infantil-e-anos-iniciais-do-ensino-fu...
8149 estagio-supervisionado-de-educacao-infantil-e-anos-iniciais-do-ensino-fu...8149 estagio-supervisionado-de-educacao-infantil-e-anos-iniciais-do-ensino-fu...
8149 estagio-supervisionado-de-educacao-infantil-e-anos-iniciais-do-ensino-fu...
 
modelo relatório
modelo relatóriomodelo relatório
modelo relatório
 
Artigo relatório de estágio na educação infantil.
Artigo relatório de estágio na educação infantil.Artigo relatório de estágio na educação infantil.
Artigo relatório de estágio na educação infantil.
 

Semelhante a Relatorio de estagio observação

Relatório de estagio
Relatório de estagioRelatório de estagio
Relatório de estagio
João Marcelo
 
Modelo de Apresentação do Seminário
Modelo de Apresentação do SeminárioModelo de Apresentação do Seminário
Modelo de Apresentação do Seminário
Marcelle Pires
 
Atps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidadeAtps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidade
Klebiana Correia
 
o espaço escolar na atualidade
o espaço escolar na atualidadeo espaço escolar na atualidade
o espaço escolar na atualidade
Rhaykaisa
 
Prática docente na educação infantil
Prática docente na educação infantilPrática docente na educação infantil
Prática docente na educação infantil
Rosinara Azeredo
 
Projecto curricular de escola 2013 2014
Projecto curricular de escola 2013 2014Projecto curricular de escola 2013 2014
Projecto curricular de escola 2013 2014
passarada
 
Ee. paulo coelho plano quadrienal
Ee. paulo coelho   plano quadrienalEe. paulo coelho   plano quadrienal
Ee. paulo coelho plano quadrienal
brgsto
 
Relatório de estágio i
Relatório de estágio iRelatório de estágio i
Relatório de estágio i
Marcio Cunha
 
Relatório de estagio supervisionado ii joseane
Relatório de estagio supervisionado ii joseaneRelatório de estagio supervisionado ii joseane
Relatório de estagio supervisionado ii joseane
Franck Lima
 
Relatório de estagio supervisionado ii joseane
Relatório de estagio supervisionado ii joseaneRelatório de estagio supervisionado ii joseane
Relatório de estagio supervisionado ii joseane
Franck Lima
 
Mipa - Dom Bosco Maringá
Mipa - Dom Bosco MaringáMipa - Dom Bosco Maringá
Mipa - Dom Bosco Maringá
Liniker Santos
 
EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdfEDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
ArleteModesto2
 
Slide estágio Educação e diversidade; uniasselvi
Slide estágio Educação e diversidade; uniasselviSlide estágio Educação e diversidade; uniasselvi
Slide estágio Educação e diversidade; uniasselvi
TamiresDamaceno
 
4º ano
4º ano4º ano
Programa Ressignificacao Ierp
Programa Ressignificacao IerpPrograma Ressignificacao Ierp
Relatório danilo okkk
Relatório danilo okkkRelatório danilo okkk
Relatório danilo okkk
Marcelo Silva Santos
 
Portifolio charlene
Portifolio charlenePortifolio charlene
Portifolio charlene
familiaestagio
 
Educacao para surdos
Educacao para surdos Educacao para surdos
Educacao para surdos
Eliangela Ferreira Braz Pimentel
 
Relatório de estágio docência
Relatório de estágio   docênciaRelatório de estágio   docência
Relatório de estágio docência
CORTEZ-CORTEZ
 
Relatório final miro
Relatório final miroRelatório final miro
Relatório final miro
Neuzy Quadros
 

Semelhante a Relatorio de estagio observação (20)

Relatório de estagio
Relatório de estagioRelatório de estagio
Relatório de estagio
 
Modelo de Apresentação do Seminário
Modelo de Apresentação do SeminárioModelo de Apresentação do Seminário
Modelo de Apresentação do Seminário
 
Atps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidadeAtps projeto de extensão a comunidade
Atps projeto de extensão a comunidade
 
o espaço escolar na atualidade
o espaço escolar na atualidadeo espaço escolar na atualidade
o espaço escolar na atualidade
 
Prática docente na educação infantil
Prática docente na educação infantilPrática docente na educação infantil
Prática docente na educação infantil
 
Projecto curricular de escola 2013 2014
Projecto curricular de escola 2013 2014Projecto curricular de escola 2013 2014
Projecto curricular de escola 2013 2014
 
Ee. paulo coelho plano quadrienal
Ee. paulo coelho   plano quadrienalEe. paulo coelho   plano quadrienal
Ee. paulo coelho plano quadrienal
 
Relatório de estágio i
Relatório de estágio iRelatório de estágio i
Relatório de estágio i
 
Relatório de estagio supervisionado ii joseane
Relatório de estagio supervisionado ii joseaneRelatório de estagio supervisionado ii joseane
Relatório de estagio supervisionado ii joseane
 
Relatório de estagio supervisionado ii joseane
Relatório de estagio supervisionado ii joseaneRelatório de estagio supervisionado ii joseane
Relatório de estagio supervisionado ii joseane
 
Mipa - Dom Bosco Maringá
Mipa - Dom Bosco MaringáMipa - Dom Bosco Maringá
Mipa - Dom Bosco Maringá
 
EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdfEDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
EDUCAÇÃO ESPECIAL.pdf
 
Slide estágio Educação e diversidade; uniasselvi
Slide estágio Educação e diversidade; uniasselviSlide estágio Educação e diversidade; uniasselvi
Slide estágio Educação e diversidade; uniasselvi
 
4º ano
4º ano4º ano
4º ano
 
Programa Ressignificacao Ierp
Programa Ressignificacao IerpPrograma Ressignificacao Ierp
Programa Ressignificacao Ierp
 
Relatório danilo okkk
Relatório danilo okkkRelatório danilo okkk
Relatório danilo okkk
 
Portifolio charlene
Portifolio charlenePortifolio charlene
Portifolio charlene
 
Educacao para surdos
Educacao para surdos Educacao para surdos
Educacao para surdos
 
Relatório de estágio docência
Relatório de estágio   docênciaRelatório de estágio   docência
Relatório de estágio docência
 
Relatório final miro
Relatório final miroRelatório final miro
Relatório final miro
 

Relatorio de estagio observação

  • 1. 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO FACEX CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENAÇÃO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO I E ATIVIDADE PRÁTICA CURRICULAR VI DOCENTE: MS. LUCIA DE FATIMA DA CUNHA DISCENTE: MARILENA DA SILVA ALVES ESTÁGIO SUPERVISIONADO I ATIVIDADE PRÁTICA CURRICULAR VI Natal – RN 2013
  • 2. 2 Marilena da Silva Alves ESTÁGIO SUPERVISIONADO I ATIVIDADE PRÁTICA CURRICULAR VI Relatório apresentado Ciências Biológicas, ao como curso de exigência parcial para a disciplina de Estágio Supervisionado I. Orientadora: Prof.ª MS. Lucia de Fatima da Cunha Natal – RN 2013
  • 3. 3 AGRADECIMENTOS Primeiramente ao meu Deus e pela interseção de nossa Senhora Maria, por nunca faltar-me com sua presença e por tantos objetivos alcançados, com perseverança para vencer os obstáculos. Aos meus pais, que me deram grandes ensinamentos e a oportunidade de seguir em frente com meus próprios pés e por todo ambiente de amor em que fui criada. As minhas eternamente e amadas irmãs pelo Incentivo em todos os momentos direta e indiretamente, me apoiando e incentivando, que tudo dará certo. Ao meu companheiro Danilo, pela dedicação, força e o incentivo em todos os momentos, sempre disposto a me ajudar, no que for necessário. Ao meu cunhado Daniel, pelo incentivo e apoio em todos os momentos. A minha amiga e querida Rafaela, pelo companheirismo e incentivo em todos os momentos. A minha Professora MS. Lucia de Fatima da Cunha, pelas orientações, disposição, oportunidade de aprendizagem e pelos momentos de dedicação e respeito a mim e meus colegas de curso. À Professora e coordenadora Daniele Bezerra, pelas palavras de incentivo e apoio. Aos queridos e grandes amigos que tive a oportunidade de conhecer e conviver durante esses quatro longos anos de curso, Beatriz, Dayse, Kelvin, Lazaro, Thiago e Daniela, pelo incentivo e aprazível ambiente de ensino e trabalho. À UNIFACEX, pelo espaço e equipamentos concedidos durante minha formação acadêmica. À Escola Estadual Alberto Torres e professores e em especial Professor Marcelo Henrique Campos de Queiroz pela experiência concedida com a oportunidade de estágio. Por último, e não menos importante a todos aqueles que de alguma forma positiva fizeram parte dessa longa caminhada. O meu muito obrigado.
  • 4. 4 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................... 5 2. DESENVOLVIMENTO ............................................................................................... 6 2.1. Diagnóstico da escola ........................................................................................ 6 2.2. Diário de observação .......................................................................................... 8 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS ...................................................................................... 15 4. REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 16 5. ANEXOS ................................................................................................................... 17
  • 5. 5 INTRODUÇÃO Este estudo é uma reflexão acerca da experiência na prática de Estágio Supervisionado I e Atividade Prática Curricular VI – disciplinas oferecidas no curso de Ciências Biológicas da UNIFACEX – e tem como questão central a inserção do aluno no campo de estágio e sua preparação para etapa seguinte a qual será a prática docente. Nessa perspectiva a pesquisa ocorre em duas etapas pré-estabelecida sendo primeiramente a investigação, buscando compreender através do espaço escolar, examinando a organização e prática pedagógica no cotidiano do Professor, investigando e fazendo levantamento de dados do 6º ao 9º ano da Escola Estadual Alberto Torres de Ensino Fundamental, localizada na Praça das Flores, em Petrópolis, um dos bairros nobres da cidade Natal do estado do Rio Grande do Norte. Utilizando-se da prática de observação com a finalidade de reconhecer no educador, suas praticas pedagógicas e dificuldades, ou seja, um estudo da consciência particular do professor, estudo sobre as práticas docentes do professor de Ciência Marcio Henrique e das atividades que envolvem o cotidiano e a cultura escolar nesta instituição de ensino. E a segunda etapa será a fase de regência, aonde eu irei por em pratica a teoria, conhecimentos adquiridos na vida acadêmica. Onde serão postos em pratica apenas na segunda unidade. Este relatório tem o objetivo de investigar o cotidiano escolar, através de sua estrutura física, escolar e de seus alunos, os quais levam para a sala de aula, experiências singulares vividas em seu cotidiano. Nesta investigação buscamos identificar a cultura da escola e a cultura escolar, examinando o ambiente da escola. Posteriormente, ao observar as práticas pedagógicas do Professor de Ciências do 6º ao 9º ano do ensino fundamental na mesma escola, podemos identificar a interação entre professores e alunos, o currículo da escola em ação, o conteúdo escolar, o planejamento do professor, suas habilidades de ensino e os processos avaliativos. Desse modo, investigando os diferentes tipos de cultura e observando as relações de ensino e aprendizagem entre professores e alunos, buscamos compreender o saber-fazer professor, que entre outras, está condicionado a adaptar seu conteúdo com a realidade social encontrada nas instituições de ensino.
  • 6. 6 DESENVOLVIMENTO 2.1 - Diagnóstico da escola A Escola Estadual Alberto Torres de Ensino Fundamental, esta localizada na Praça das Flores, em Petrópolis, um dos bairros nobres da cidade Natal do estado do Rio Grande do Norte. Durante o estágio, que compreendeu o período de 10 a 23 de Setembro de 2013, a diretoria se fez na presença de Roseane Batista da Luz P.P. Carneto. A despeito disso, os alunos que a frequentam são, em sua maioria, provenientes do Bairro Periférico de Mãe Luiza, uma região de alta vulnerabilidade social, considerado historicamente uma área perigosa e violenta. Tendo em seu quadro de alunos, alguns usuários de drogas e um número alto de adolescentes gravidas. Fig. 1: Fachada da Escola Estadual Alberto Torres Sua estrutura física compreende (01) salas de direção, (01) uma secretaria, (01) sala de professores para o uso do corpo docente e direção. Possui também (01) uma sala de leitura/biblioteca (01) sala de TV e vídeo, e de fácil acesso para portadores de necessidades especiais. De acordo com a assessoria de direção à escola necessita de e equipamentos para o lazer e a prática esportiva dos alunos. A instituição de ensino não oferece quadra para prática esportiva, lazer e cultura. Necessita fazer reparos nas instalações elétricas, encanamentos, reparos visuais como pintura e reparos no teto. Necessita de equipamentos didáticos como caneta de lousa, data show para uma aula mais dinâmica e de fácil entendimento.
  • 7. 7 Atualmente, a escola possui 418 alunos matriculados, 254 no turno matutino e 164 do turno vespertino, distribuídos em 14 turmas do 1º ao 9º ano, sendo 7 turmas no turno matutino e 7 no turno vespertino, com idades entre 10 a 18 anos, contando com 40 professores, funcionários da merenda, 1 funcionário de limpeza, não possuem porteiro e nem segurança para a escola, além de uma equipe pedagógica composta por 5 pessoas: uma diretora, uma vice-diretora, uma tesoureira e duas coordenadoras. Grande parte dos estudantes que frequentam regularmente a unidade de ensino apresenta uma realidade socioeconômica de baixo padrão, já que a maioria possui renda familiar de um salário mínimo. Os pais do corpo discente possuem baixo nível de escolaridade e baixa qualificação profissional, ocupando o mercado informal de trabalho ou subempregos. Em relação ao nível da qualidade de ensino da Escola Estadual Alberto Torres, percebe-se que os seus índices estão muito abaixo do desejado, principalmente quando se faz um comparativo com os indicadores do município, estado, região e país em que ela está inserida. Por mas, que os professores incentivem seus alunos para a educação que todos devem ter, para terem um futuro melhor. Porém, apesar de não estarem incluídas diretamente no cálculo, as taxas de reprovação e abandono escolar também são levadas em consideração, pois para que o IDEB de uma escola se eleve é necessário, que o aluno aprenda, não repita o ano e frequente à sala de aula regularmente. (FERNANDES, 2007) Assim como acontece em todas as unidades de ensino no país, a Escola Estadual Alberto Torres também é submetida pelo Ministério da Educação a alcançar metas de desempenho bianuais do seu IDEB, no período de 2007 a 2021, para que se alcance um sistema educacional de qualidade, adequandose ao valor numérico que os países desenvolvidos apresentam (6,0). Perante isso, a escola deve evoluir conforme seu ponto de partida, que toma como base os indicadores de 2005, levando-se em conta a sua realidade (FERNANDES, 2007).
  • 8. 8 2.2 - Diário de observação e co-participação 6º Ano - 2 aulas: Iniciada à aula as 16h00mim. A turma do 6º ano é relativamente pequena, onde foi iniciada à aula as 16h00mim. Os alunos são bem comportados e interessados a aprender. Foram duas aulas sobre os Parasitas – o Schistosoma Mansoni. O professor iniciou sua aula fazendo a chamada, onde muitos faltaram e ou não iram mais comparecer. Logo após, deu sua aula, com auxilio de data show, livro como auxilio. Sendo assim, de acordo com que o professor iria fazendo sua apresentação os alunos iriam anotando, passo a passo e verificando em seus livros. O professor explicou sobre a transmissão do parasita. Dando um devido tempo para que eles copiem. Pude observar também a dificuldade em escrever com agilidade, tendo alguns copiando e outros que não queriam nada. O professor de instantes em instantes era necessário interromper a aula para chamar a atenção delas, mas logo depois elas começavam a bagunçar e conversar novamente, cerca de duas alunas. Que se não fizesse silêncio seriam postas para fora de sala de aula. E volta a explicar o assunto, mas interrompe a aula novamente, e coloca as duas para fora de aula, chama atenção e as leva para a diretoria, me solicitando para tomar conta da turma, enquanto isso. As alunas voltam logo depois com o professor para pegar seus pertences e se retiram, sendo bem mal educadas, xingando o professor pela atitude. Continua a explicação sobre os parasitas e em seguida passa um vídeo sobre o assunto. Os alunos prestam bem atenção. Logo depois coloca outro sobre ”Água e Saneamento Básico”. Depois dos vídeos o professor passa um estudo dirigido sobre o assunto, que estava no livro para trazerem na próxima aula e ele dá o visto. Termina a aula às 17h20min. 6º Ano - 1 aula: Iniciada à aula as 15h30mim. A aula dada ao sexto foi uma aula não planejada, pois cobriu uma professora que não compareceu. Então o professor resolveu passar um vídeo sobre os tubarões e Baleias, “Guia completo Tubarões e Baleias” – Discovery na escola.
  • 9. 9 E com isso vai explicando a eles sobre algumas duvidas que eles tenham no momento e trocando informações com o professor. Termina a aula ás 16h00min. 7º Ano B- 1 aula: A aula começou as 13h00mim. O primeiro dia de estágio foi na turma do 7º ano B, onde foi iniciada à aula as 13h10mim. Fui muito bem recebida, os alunos são bem comportados e interessados e aprender. Foram duas aulas sobre os Anelídeos. O professor iniciou sua aula fazendo a chamada, logo após, deu sua aula, com auxilio de data show, caixa de som, equipamento comprado pelo professor. Sendo assim, de acordo com que o professor iria fazendo sua apresentação os alunos iriam anotando, passo a passo. Pude observar a interação do professor com os alunos, eles sendo bastante curiosos, sobre os assuntos. Logo após suas explicações sobre o assunto o professor passava exercícios (Estudo dirigidos), para que o aluno absorva, mas o assunto, eles fizeram em sala e no final o professor passava o visto, valendo um ponto em todos os vistos dados pelo professor no calculo final das avaliações. É uma turma bem curiosa e interessada, fazendo perguntas o tempo todo sobre o assunto. E com isso o professor tirando as dúvidas. Terminando a aula as Um grande obstáculo enfrentado nesta turma foi o de cumprir com o que estava previsto para o dia. Pois os alunos escrevem muito lentamente, impedindo de avançar no assunto. De um lado tinha que avançar nos conteúdos, devido às greves, para que assim mais na frente o aluno não se sentisse prejudicado. Por outro lado, muitas vezes havia a necessidade de recuar, explicar várias vezes o mesmo conteúdo e rever assuntos que eles não lembravam mais, porque muitos não estavam entendendo nada. Termina a aula ás 14h00min. 7º Ano A - 1 aula: Foi iniciada à aula as 13h00mim. Os alunos são bem comportados e interessados a aprender. Foi uma aula sobre os Anelídeos, seria uma aula ministrada com auxilio de data show, mas ocorreu um imprevisto, em que não funcionou a instalação elétrica, sendo necessária a utilização do quadro
  • 10. 10 branco, para ministrar a aula. O professor explicou sobre o assunto ministrado no 7º B. Pergunta sempre “Vocês tem alguma dúvida?”. Sua forma didática nesta Turma é Escrever e depois explicar o assunto. Mostrou as imagens de alguns Anelídeos para melhor compreensão do assunto. O professor chama atenção da turma sobre o uso de celular em sua aula, onde não o admite, pedindo para que guardem e prestem atenção. A professora entra na sala, para chamar atenção sobre o fardamento e sobre o horário, em que vários ainda não haviam anotado e estavam reclamando e justificando suas demoras em entrar em sala de aula. Termina a aula ás 14h00min. 7º Ano A - 2 aulas: A aula começou as 13h00mim. Foram duas aulas sobre a anelídea continuação do assunto anterior. O professor iniciou sua aula fazendo a chamada, onde muitos faltaram e ou não iram mais comparecer. Logo após, deu sua aula, com auxilio de data show e livro. Sendo assim, de acordo com que o professor iria fazendo sua apresentação os alunos iriam anotando, passo a passo e verificando em seus livros. O professor explicou sobre a importância das minhocas, e eles respondiam. Dando um devido tempo para que eles copiem. Logo após o professor passa um vídeo sobre os anelídeos, “Minhocas e companhias”. Enquanto eles assistem ao vídeo o professor iria olhando o livro didático escolar, preparando um exercício (Estudo dirigido). De acordo com que vai passando o vídeo ele vai explicado à aula anterior. Ao termino do vídeo ele pede para abrir o livro na pag. do exercício, informando quais são as questões. 2º horário – Alguns alunos iniciam o exercício, pesquisando no próprio livro, se organizando para iniciarem a tarefa. O professor informa que só precisa anotar a resposta, e levarem para ele dar o visto. Enquanto uns fazem outros nem ligam para atividade. A todo o momento os alunos o chamam para tirar alguma duvida sobre o exercício, e o professor sendo bastante atencioso. Por mas que os alunos não o chamem, o professor se mostra bem atencioso, se dirigindo até o aluno.
  • 11. 11 Explica a alguns alunos o que lembra o nome anelídeo, “Anéis”. Assim que os alunos terminam o estudo dirigido ele vai dando o visto no caderno. Termina a aula ás 14h40min. 7º Ano A - 2 aulas: A aula começou às 13h15mim. O professor iniciou sua aula fazendo a chamada. Logo depois informa aos alunos, que abram seus livros, na pagina 152, sobre os vertebrados. Foi uma aula dada com o auxilio de data show e livro didático. O professor explica o assunto e dá um tempo para eles copiarem alguns tópicos de interesse. Explica sobre o Ectoparasita – A lampréia. Logo após o professor passa um vídeo, sobre as características dos peixes. Par explicar melhor aos alunos sobre as ágnatas (Aventura visual). Neste momento o professor sai de sala e pede para que eu tome conta da turma. Eles ficam bem interessados no vídeo. Termina a aula ás 14h40min. 8º Ano A e B - 2 aulas: A aula começou as 14h40mim. O professor juntou as turmas por serem turmas pequenas. O professor iniciou sua aula fazendo a chamada. Foram duas aulas sobre a visão, continuação do assunto anterior. Iniciando com a cobrança do trabalho sobre 4 doenças relacionadas ao sistema nervoso. O professor explica sobre visão continuação do assunto. Chama atenção sobre conversas paralelas e o comportamento dos alunos. O professor passa um vídeo sobre Ilusão de ótica, foi um vídeo que chamou bastante atenção dos alunos sobre o assunto, fez com que os alunos se interagissem com a atividade. Com a participação em conjunto dos alunos, no vídeo em que eu assisti nas aulas de psicologia. Mostrando que os olhos acompanham até determinadas resoluções. Fazendo com que eles prestem bem atenção. Intervalo
  • 12. 12 E o terceiro vídeo, é sobre a visão e o tato. Durante vinte minutos os alunos se puseram parados observando o vídeo. Durante o vídeo pude acompanhar uma reação de alguns alunos mexendo com um colega em que eles iriam falando coisas, como se tivessem tendo um certo preconceito sobre a sexualidade do colega. Onde o professor não observou a atitude dos alunos e não pode fazer nada. Em respeito ao vídeo, eles continuaram prestando bastante atenção. O professor interrompeu a apresentação para explicar o vídeo. Voltando em seguida. Termina a aula ás 16h00min. 8º Ano B - 1 aula: A aula começou as 14h40mim. O professor iniciou, informando que seria em primeiro lugar passado um vídeo e depois, continuaria o assunto sua aula fazendo a chamada. Foi uma aula sobre o sentido visão, continuação do assunto anterior. O vídeo apresentava os bastonetes que enviam para o cérebro informações das cores e eles são responsáveis. Os alunos ficam atentos ao vídeo prestando bastante atenção. Após o vídeo o professor explica sobre o vídeo e o assunto abordado, os sentidos da visão. O professor coloca outro vídeo, o professor pediu a atenção deles para o vídeo. Onde explica sobre a plasticidade fenotípica, que apresenta a metade do cérebro assume o controle de todos os casos. E por ultimo coloca o vídeo de ilusão de ótica. Termina a aula ás 15h30min. 8º Ano B - 1 aula: A aula começou as 14h00mim. A aula dada ao sexto foi uma aula não planejada, pois cobriu uma professora que não compareceu. Então o professor resolveu passar um vídeo sobre o nazismo e a forma que eles matavam as pessoas, como com as câmaras de gás. O tipo de gás. Foi uma hora de vídeo aula.
  • 13. 13 Termina a aula ás 14h40min. 9º Ano A e B - 2 aulas: As atividades foram desenvolvidas no 9º ano “A” e “B”. O professor juntou as turmas por serem turmas pequenas. O professor iniciou sua aula fazendo a chamada. Foram duas aulas sobre Funções Químicas, Funções Orgânica e inorgânica, continuação do assunto anterior. O professor pede que prestem atenção no assunto, mostrando as formulas químicas. Da um tempo para copiar. Obs.: O 9º ano tem um aluno com Deficiência Intelectual ou atraso cognitivo. Onde ele apresenta certas limitações no seu funcionamento mental e no desempenho de tarefas como as de comunicação, cuidado pessoal e de relacionamento social. Estas limitações provocam uma maior lentidão na aprendizagem e no desenvolvimento. Tendo certo preconceito dos demais colegas, onde ficam excluindo ele de certas tarefas e vários outros fatores. É um aluno que, mas demora em anotar o assunto, mas o professor faz questão em aguardar, e os outros alunos reclama a atitude do professor. Depois disso o professor, passa um exercício, valendo nota, é uma tarefa que o professor faz em todas as turmas. Para exercitar o conteúdo ministrado em sala de aula. Sobre a aula ele mostrou alguns exemplos de ácidos. Tirando duvidas a todo o momento em que é solicitado. Mas eles os alunos se ajudam, perguntando sobre algo aos colegas. Sendo apenas alguns. 2º horário O professor pede para que anotem, e eles reclamam que é muita coisa, mas o professor incentiva, dizendo que é bom escrever, pois estimula o interesse no assunto. No momento em que aguarda eles copiarem ele anota em uma agenda o nome de alguns alunos, sobre o comportamento deles. Passa para o próximo assunto os Ácidos acéticos, dando exemplos. O envolvimento do professor com os aluno é bem interessante eles conversam bastante tirando varia duvidas. Depois fala sobre o Acido sulfúrico, pede respeito pela atenção na explicação.
  • 14. 14 Termina a aula ás 16h40min. 9º Ano A e B - 1 aula: A aula começou às 16h40min. Continuação do assunto sobre os ácidos. Foi uma aula com auxilio de data show, mostrando a falta do acido cítrico, as consequências. Como exemplo: Os dentes e gengivas sofrem com a doença conhecida como escorbuto, as gengivas inflamam e os dentes apodrecem e caem. O professor explica a aula e eles copiam o que necessário. Pergunta sempre “Vocês tem alguma dúvida?”. Fala mais sobre as Bases e logo em seguida a aula termina. Termina a aula ás 17h00min. 9º Ano A e B - 1 aula: A aula começou às 16h40min. O professor juntou as turmas por serem turmas pequenas. O professor iniciou sua aula fazendo a chamada. Continuação do assunto sobre Bases, explicou sobre seus compostos. Foi uma aula com auxilio de data show, explicando sobre as frutas que tem sabores adstringentes, fala ou sobre o refrigerante e seus possíveis problemas de saúde. Dá certo tempo para os alunos copiarem e depois explica um pouco mais sobre as bases. Metal e Hidroxila. Mostrando sempre um bom relacionamento com os alunos. O tempo todo eles reclamam sobre escrever, que estavam escrevendo muito. Logo depois termina a aula, e o professor relembra do exercício para a próxima aula. Termina a aula ás 17h10min.
  • 15. 15 CONSIDERAÇÕES FINAIS As turmas eram relativamente pequenas. A turma do 9º ano foi a turma que apresentou ser o maior obstáculo. Era uma turma em que todos os professores comentavam a respeito do mau comportamento dos alunos. A faixa etária de idade era bastante heterogenia e a maioria deles já haviam sido reprovados, além de ser muito bagunceira. Além, de ter um aluno com Deficiência Intelectual ou atraso cognitivo. Onde ele apresenta certas limitações no seu funcionamento mental e no desempenho de tarefas como as de comunicação, cuidado pessoal e de relacionamento social. Estas limitações provocam uma maior lentidão na aprendizagem e no desenvolvimento. Tendo certo preconceito dos demais colegas, onde ficam excluindo ele de certas tarefas e vários outros fatores. De instantes em instantes era necessário interromper a aula para chamar a atenção deles, mas logo depois eles começavam a bagunçar e conversar novamente. Entre eles haviam uma faixa, cerca da metade dos alunos, que realmente queriam estudar, enquanto que a outra, só queria brincar. Todos os alunos tinham em média uma mesma faixa etária de idade. Todas as turmas em que pude estar presente, consegui observar que eram participativas e apresentavam um bom comportamento. As turmas eram boas de trabalhar, com alunos interessados e participativos, que faziam os exercícios propostos e prestavam atenção nas aulas. A maioria das turmas era concentrada e não apresentavam muitos problemas quanto à indisciplina. Esse fator contribuiu na exposição dos conteúdos e no cumprimento das atividades que estava previsto no plano de trabalho e no planejamento do curso elaborado junto ao professor regente. Mas um ponto bastante negativo vale a pena ressaltar: o baixo nível de aprendizado dos alunos, Ensino fundamental II. O que mais chamou atenção era à dificuldade de que eles tinham com relação em anotar, pois escreviam muito de vagar, e isso prejudicava o andar das aulas, impossibilitando a progressão das aulas, por isso sempre tinha que estar revisando tais assuntos.
  • 16. 16 REFERÊNCIAS Gewansdsznajder, F. Coleção Ciências - O Planeta Terra, A Vida na Terra, Nosso Corpo, Matéria e energia. 4ªed. São Paulo: Ática, 2009. Fernandes, Cláudia de Oliveira. Indagações sobre currículo: currículo e avaliação. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/indag5.pdf>. Acesso em: 19 set. 2013.