SlideShare uma empresa Scribd logo
1
10ºano Curso de Tecnologia e SegurançaAlimentar
Relatório (nº2) da disciplina de
Métodos e Técnicas Instrumentais de Análise
Gomas
Beatriz Cunha nº7
Aluno x
Aluno y
Aluno z 10ºTSA.1
2
Índice
Objetivos do trabalho………………………………………..………………….P.3
Introdução teórica………………………………………….…………….………..P.3
 Sobres as gomas….
 Coloides ou sistemas coloidais
 Classificação dos coloides
Material/produtos………………………………………………….….….………P.6
Procedimento experimental……………………………………....….……...P.7
Esquema de montagem……………………………………………….………...P.7
Registo de observações……………………………………………………….….P.8
Conclusão…………………………………………………………………..………..…P.9
Bibliografia………………………………………………..……………………….....P.9
3
Objetivos do trabalho
 Produzir Gomas;
 Cumprir regras de segurança no laboratório;
 Desenvolver o espírito crítico e científico;
 Conhecer o material de laboratório de uso mais corrente.
Introdução teórica
Sobre as gomas…
Gelatina é um produto obtido da hidrólise parcial do colagénio,
sendo um ingrediente tradicional na indústria de doces, principalmente
devido as seguintes funções: agente geleificante, aerante, estabilizante e
aglutinante.
As gomas de gelatina apresentamtransparência e brilho, textura
elástica e firme, sabores diferenciados enão aderem aos dentes.
4
Coloides ou Sistemas Coloidais
Também conhecidos como sistemas coloidais, os coloides são misturas emque
as partículas dispersas apresentamum diâmetro na faixa de 1 e 1000 nanômetros,
podendo se apresentar sob a forma de moléculas (coloides moleculares), átomos
(coloides micelares) ou iões (coloides iónicos). Esse tipo de sistema é formado por
um disperso, que é a substância presente em menor quantidade, e um dispersante,
presente em maior quantidade.
Nos coloides, as partículas dispersas, que chamamos de partículas coloidais,
apresentam uma característica muito particular: são bem maiores do que moléculas
individuais, porém, bem menores do que as moléculas que conseguimos ver a olho nu.
O tamanho dessas partículas permite que elas reflitame dispersem a luz, num
processo conhecido como efeito Tyndall.
Também devido ao tamanho de suas partículas, os coloides podem ultrapassar
um filtro, porém não o fazem com membrana semipermeável. Por causa da constante
colisão com as moléculas do dispersante, as partículas coloidais se movimentam de
forma constante, rápida e em ziguezague, tipo de movimento que recebe o nome
de browniano.
5
Classificação de coloides
Conforme a natureza das partículas coloidais e dos dispersantes, podemos classificar
os coloides em:
Aerossol – coloides formados por um líquido ou um sólido disperso num gás. A
neblina, gotículas de água dispersas no ar, é um exemplo de aerossol.
Emulsão – dispersão de um líquido em um sólido ou outro líquido. O leite, o queijo, a
manteiga e a maionese são alguns exemplos comuns de emulsão.
Existemcasos em que os sistemas desse tipo precisamconter alguma substância que
evite a separação do disperso e do dispersante da emulsão, chamadas de agentes
emulsionante. No leite, por exemplo, o agente emulsionante é a caseína, uma proteína
que mantém a água e a gordura unidas no sistema.
Espuma – dispersão de um gás em um sólido ou um líquido. Como exemplo de
espuma podemos citar o chantilly, coloide no qual o ar se encontra disperso no creme
de leite.
Sol – dispersão de um sólido em meio líquido. O plasma sanguíneo é um coloide
composto por moléculas orgânicas grandes dispersas emágua. Outro exemplo de sol é
a goma arábica, uma resina natural composta por glicoproteínas e polissacarídeos
dispersos em água.
Gel – consiste na dispersão de um líquido em um sólido. Em coloides desse tipo, o
líquido (disperso) e o sólido (dispersante) formam um retículo contínuo, de estrutura
gelatinosa, como é o caso da gelatina e da água dispersa em sílica.
6
Material/produtos
 Placa de aquecimento
 Gobelé de 250 ml
 Espátula de silicone
 Formas de silicone
 Vareta de vidro
 Balança
 1 embalagem de
gelatina
 10g de gelatina
neutra em pó
 130 ml de água
7
Procedimento experimental
 Efetuou-se a montagem do material;
 Colocou-se os ingredientes no gobelé, misturando bem e
aquecendo suavemente;
 Deixou-se ebulir durante 5 mim e meio, agitando de vez em
quando com a vareta;
 Verteu-se o preparado para as formas de silicone;
 Colocou-se no frigorifico para arrefecer;
 Quando estavam suficientemente consistentes, retiraram-
se as gomas da forma.
Esquema de montagem
O esquema de montagem do
material utilizado para a realização
do trabalho experimental foi o
representado nas fotografias ao
lado.
8
Registo de observações
Na fase inicial, a mistura da água com a gelatina era muito
fluida. Enquanto a mistura ia aquecendo foi-se colocando a
gelatina neutra que ia conferindo uma textura mais concistente
ao preparado. Adicionou-se o corante e o aroma, intensificando
a cor e o sabor.
Quando se desligou a placa e se verteu o preparado para as
formas de silicone,a mistura embora mais consistente do que
inicialmente era ainda bastante fluida. Após ter ficado cerca de
30 min na arca frigorifica ficou sólida.
9
Conclusão
No presente trabalho pretendemos abordar a confeção das
gomas, falamos sobre as características e modo como são
produzidas bem como os princípios químicos que permitem a
sua produção.
Cumprimos todos os objetivos a que nos propusemos e a
realização das gomas foi bem sucedida.
Este trabalho foi muito importante para o aprofundamento
de conhecimentos neste tema uma vez que nos permitiu
compreende-lo melhor e levou-nos ao aperfeiçoamento de
competências laboratoriais.
Bibliografia
www.tumblr.com
http://www.infoescola.com/quimica/coloides/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Coloide

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
Pirâmide Dos Tecidos
 
TesteAvaliacao_5A (1).doc
TesteAvaliacao_5A (1).docTesteAvaliacao_5A (1).doc
TesteAvaliacao_5A (1).doc
Joana Ferreira
 
Reflexão crítica martinho afonso
Reflexão crítica martinho afonsoReflexão crítica martinho afonso
Reflexão crítica martinho afonso
Marafonso
 
Variedade de formas e revestimentos
Variedade de formas e revestimentosVariedade de formas e revestimentos
Variedade de formas e revestimentos
Carla Gomes
 
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuaçãoFatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Luís Filipe Marinho
 
Tabela de iões
Tabela de iõesTabela de iões
Tabela de iões
Paula Pinto
 
Biomoléculas - Biologia 10º Ano
Biomoléculas - Biologia 10º AnoBiomoléculas - Biologia 10º Ano
Biomoléculas - Biologia 10º Ano
713773
 
Ciências naturais 7 os minerais
Ciências naturais 7   os mineraisCiências naturais 7   os minerais
Ciências naturais 7 os minerais
Nuno Correia
 
Ficha de trabalho - Saúde Individual e Comunitária
Ficha de trabalho - Saúde Individual e ComunitáriaFicha de trabalho - Saúde Individual e Comunitária
Ficha de trabalho - Saúde Individual e Comunitária
Gabriela Bruno
 
Ficha formativa_ Pronomes, Determinantes, Quantificadores
Ficha formativa_ Pronomes, Determinantes, QuantificadoresFicha formativa_ Pronomes, Determinantes, Quantificadores
Ficha formativa_ Pronomes, Determinantes, Quantificadores
Raquel Antunes
 
Testes nº 1 - Versão a
Testes nº 1 - Versão aTestes nº 1 - Versão a
Testes nº 1 - Versão a
Mina Covas
 
Relatorio de Auto-avaliação 2017
Relatorio de Auto-avaliação 2017Relatorio de Auto-avaliação 2017
Relatorio de Auto-avaliação 2017
Henrique Santos
 
SNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
SNC Investimentos Ativos Fixos TangíveisSNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
SNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
Rui Filipe Garcia
 
A pele
A peleA pele
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Isaura Mourão
 
Actividade Experimental nº2
Actividade Experimental nº2Actividade Experimental nº2
Actividade Experimental nº2
Gabriela Bruno
 
Relatório observação do sangue
Relatório observação do sangue   Relatório observação do sangue
Relatório observação do sangue
Maria Freitas
 
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
InesTeixeiraDuarte
 
Método científico
Método científicoMétodo científico
Método científico
Ana Castro
 
Guião visita de estudo
Guião visita de estudoGuião visita de estudo
Guião visita de estudo
Ana T.
 

Mais procurados (20)

Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
 
TesteAvaliacao_5A (1).doc
TesteAvaliacao_5A (1).docTesteAvaliacao_5A (1).doc
TesteAvaliacao_5A (1).doc
 
Reflexão crítica martinho afonso
Reflexão crítica martinho afonsoReflexão crítica martinho afonso
Reflexão crítica martinho afonso
 
Variedade de formas e revestimentos
Variedade de formas e revestimentosVariedade de formas e revestimentos
Variedade de formas e revestimentos
 
Fatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuaçãoFatores abióticos - água e luz (continuação
Fatores abióticos - água e luz (continuação
 
Tabela de iões
Tabela de iõesTabela de iões
Tabela de iões
 
Biomoléculas - Biologia 10º Ano
Biomoléculas - Biologia 10º AnoBiomoléculas - Biologia 10º Ano
Biomoléculas - Biologia 10º Ano
 
Ciências naturais 7 os minerais
Ciências naturais 7   os mineraisCiências naturais 7   os minerais
Ciências naturais 7 os minerais
 
Ficha de trabalho - Saúde Individual e Comunitária
Ficha de trabalho - Saúde Individual e ComunitáriaFicha de trabalho - Saúde Individual e Comunitária
Ficha de trabalho - Saúde Individual e Comunitária
 
Ficha formativa_ Pronomes, Determinantes, Quantificadores
Ficha formativa_ Pronomes, Determinantes, QuantificadoresFicha formativa_ Pronomes, Determinantes, Quantificadores
Ficha formativa_ Pronomes, Determinantes, Quantificadores
 
Testes nº 1 - Versão a
Testes nº 1 - Versão aTestes nº 1 - Versão a
Testes nº 1 - Versão a
 
Relatorio de Auto-avaliação 2017
Relatorio de Auto-avaliação 2017Relatorio de Auto-avaliação 2017
Relatorio de Auto-avaliação 2017
 
SNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
SNC Investimentos Ativos Fixos TangíveisSNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
SNC Investimentos Ativos Fixos Tangíveis
 
A pele
A peleA pele
A pele
 
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
Teste de Biologia e Geologia 10º (1º Teste 2º Período)
 
Actividade Experimental nº2
Actividade Experimental nº2Actividade Experimental nº2
Actividade Experimental nº2
 
Relatório observação do sangue
Relatório observação do sangue   Relatório observação do sangue
Relatório observação do sangue
 
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
 
Método científico
Método científicoMétodo científico
Método científico
 
Guião visita de estudo
Guião visita de estudoGuião visita de estudo
Guião visita de estudo
 

Semelhante a Relatorio de atividade experimental - Gomas de Gelatina

Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Đean Moore
 
Relatório dna helena_dias
Relatório dna helena_diasRelatório dna helena_dias
Relatório dna helena_dias
helenasvdias
 
Aas
AasAas
Sistemas coloidais
Sistemas coloidaisSistemas coloidais
Sistemas coloidais
Gourgel Abias
 
Processamento e secagem do leite - Físico-química
Processamento e secagem do leite - Físico-químicaProcessamento e secagem do leite - Físico-química
Processamento e secagem do leite - Físico-química
Centro de Ciências Agrárias - CECA / Universidade Federal de Alagoas - UFAL
 
E&D Ensino Experimental FQ
E&D Ensino Experimental FQE&D Ensino Experimental FQ
E&D Ensino Experimental FQ
IsabelPereira2010
 
Manual Química Espectacular
Manual Química EspectacularManual Química Espectacular
Manual Química Espectacular
Sónia Rocha
 

Semelhante a Relatorio de atividade experimental - Gomas de Gelatina (7)

Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
 
Relatório dna helena_dias
Relatório dna helena_diasRelatório dna helena_dias
Relatório dna helena_dias
 
Aas
AasAas
Aas
 
Sistemas coloidais
Sistemas coloidaisSistemas coloidais
Sistemas coloidais
 
Processamento e secagem do leite - Físico-química
Processamento e secagem do leite - Físico-químicaProcessamento e secagem do leite - Físico-química
Processamento e secagem do leite - Físico-química
 
E&D Ensino Experimental FQ
E&D Ensino Experimental FQE&D Ensino Experimental FQ
E&D Ensino Experimental FQ
 
Manual Química Espectacular
Manual Química EspectacularManual Química Espectacular
Manual Química Espectacular
 

Mais de BeatrizMarques25

Génese e classificação rochas sedimentares
Génese e classificação rochas sedimentaresGénese e classificação rochas sedimentares
Génese e classificação rochas sedimentares
BeatrizMarques25
 
Eutanásia
EutanásiaEutanásia
Eutanásia
BeatrizMarques25
 
Relatório de atividade experimental - Ponto de ebulição do etanol
Relatório de atividade experimental - Ponto de ebulição do etanolRelatório de atividade experimental - Ponto de ebulição do etanol
Relatório de atividade experimental - Ponto de ebulição do etanol
BeatrizMarques25
 
Quadro de analise geral do Auto da Barca do Inferno (para completar)
Quadro de analise geral do Auto da Barca do Inferno (para completar)Quadro de analise geral do Auto da Barca do Inferno (para completar)
Quadro de analise geral do Auto da Barca do Inferno (para completar)
BeatrizMarques25
 
Ficha de leitura O Diario de Anne Frank
Ficha de leitura  O Diario de Anne FrankFicha de leitura  O Diario de Anne Frank
Ficha de leitura O Diario de Anne Frank
BeatrizMarques25
 
Relatório de aula de educação física
Relatório de aula de educação físicaRelatório de aula de educação física
Relatório de aula de educação física
BeatrizMarques25
 
Pegada ecológica
Pegada ecológicaPegada ecológica
Pegada ecológica
BeatrizMarques25
 
Exame Inglês nivel A2/B1
Exame Inglês nivel A2/B1Exame Inglês nivel A2/B1
Exame Inglês nivel A2/B1
BeatrizMarques25
 
Exame Inglês nivel A2/B1
Exame Inglês nivel A2/B1 Exame Inglês nivel A2/B1
Exame Inglês nivel A2/B1
BeatrizMarques25
 
A evolução da tabela periódica
A evolução da tabela periódicaA evolução da tabela periódica
A evolução da tabela periódica
BeatrizMarques25
 
Veneza destino turistico
Veneza  destino turisticoVeneza  destino turistico
Veneza destino turistico
BeatrizMarques25
 
Transportes
TransportesTransportes
Transportes
BeatrizMarques25
 
Relevo do litoral
Relevo do litoralRelevo do litoral
Relevo do litoral
BeatrizMarques25
 
Reino unido
Reino unidoReino unido
Reino unido
BeatrizMarques25
 
Politica demografia
Politica demografiaPolitica demografia
Politica demografia
BeatrizMarques25
 
Parques naturais
Parques naturaisParques naturais
Parques naturais
BeatrizMarques25
 
Mudança global temperatura
Mudança global   temperaturaMudança global   temperatura
Mudança global temperatura
BeatrizMarques25
 
Migraçoes clandestinas
Migraçoes clandestinasMigraçoes clandestinas
Migraçoes clandestinas
BeatrizMarques25
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
BeatrizMarques25
 
Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
BeatrizMarques25
 

Mais de BeatrizMarques25 (20)

Génese e classificação rochas sedimentares
Génese e classificação rochas sedimentaresGénese e classificação rochas sedimentares
Génese e classificação rochas sedimentares
 
Eutanásia
EutanásiaEutanásia
Eutanásia
 
Relatório de atividade experimental - Ponto de ebulição do etanol
Relatório de atividade experimental - Ponto de ebulição do etanolRelatório de atividade experimental - Ponto de ebulição do etanol
Relatório de atividade experimental - Ponto de ebulição do etanol
 
Quadro de analise geral do Auto da Barca do Inferno (para completar)
Quadro de analise geral do Auto da Barca do Inferno (para completar)Quadro de analise geral do Auto da Barca do Inferno (para completar)
Quadro de analise geral do Auto da Barca do Inferno (para completar)
 
Ficha de leitura O Diario de Anne Frank
Ficha de leitura  O Diario de Anne FrankFicha de leitura  O Diario de Anne Frank
Ficha de leitura O Diario de Anne Frank
 
Relatório de aula de educação física
Relatório de aula de educação físicaRelatório de aula de educação física
Relatório de aula de educação física
 
Pegada ecológica
Pegada ecológicaPegada ecológica
Pegada ecológica
 
Exame Inglês nivel A2/B1
Exame Inglês nivel A2/B1Exame Inglês nivel A2/B1
Exame Inglês nivel A2/B1
 
Exame Inglês nivel A2/B1
Exame Inglês nivel A2/B1 Exame Inglês nivel A2/B1
Exame Inglês nivel A2/B1
 
A evolução da tabela periódica
A evolução da tabela periódicaA evolução da tabela periódica
A evolução da tabela periódica
 
Veneza destino turistico
Veneza  destino turisticoVeneza  destino turistico
Veneza destino turistico
 
Transportes
TransportesTransportes
Transportes
 
Relevo do litoral
Relevo do litoralRelevo do litoral
Relevo do litoral
 
Reino unido
Reino unidoReino unido
Reino unido
 
Politica demografia
Politica demografiaPolitica demografia
Politica demografia
 
Parques naturais
Parques naturaisParques naturais
Parques naturais
 
Mudança global temperatura
Mudança global   temperaturaMudança global   temperatura
Mudança global temperatura
 
Migraçoes clandestinas
Migraçoes clandestinasMigraçoes clandestinas
Migraçoes clandestinas
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Luís vaz de camões
Luís vaz de camõesLuís vaz de camões
Luís vaz de camões
 

Último

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
erico paulo rocha guedes
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
maria-oliveira
 

Último (20)

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.pptESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS- 9º ANO A - 2024.ppt
 

Relatorio de atividade experimental - Gomas de Gelatina

  • 1. 1 10ºano Curso de Tecnologia e SegurançaAlimentar Relatório (nº2) da disciplina de Métodos e Técnicas Instrumentais de Análise Gomas Beatriz Cunha nº7 Aluno x Aluno y Aluno z 10ºTSA.1
  • 2. 2 Índice Objetivos do trabalho………………………………………..………………….P.3 Introdução teórica………………………………………….…………….………..P.3  Sobres as gomas….  Coloides ou sistemas coloidais  Classificação dos coloides Material/produtos………………………………………………….….….………P.6 Procedimento experimental……………………………………....….……...P.7 Esquema de montagem……………………………………………….………...P.7 Registo de observações……………………………………………………….….P.8 Conclusão…………………………………………………………………..………..…P.9 Bibliografia………………………………………………..……………………….....P.9
  • 3. 3 Objetivos do trabalho  Produzir Gomas;  Cumprir regras de segurança no laboratório;  Desenvolver o espírito crítico e científico;  Conhecer o material de laboratório de uso mais corrente. Introdução teórica Sobre as gomas… Gelatina é um produto obtido da hidrólise parcial do colagénio, sendo um ingrediente tradicional na indústria de doces, principalmente devido as seguintes funções: agente geleificante, aerante, estabilizante e aglutinante. As gomas de gelatina apresentamtransparência e brilho, textura elástica e firme, sabores diferenciados enão aderem aos dentes.
  • 4. 4 Coloides ou Sistemas Coloidais Também conhecidos como sistemas coloidais, os coloides são misturas emque as partículas dispersas apresentamum diâmetro na faixa de 1 e 1000 nanômetros, podendo se apresentar sob a forma de moléculas (coloides moleculares), átomos (coloides micelares) ou iões (coloides iónicos). Esse tipo de sistema é formado por um disperso, que é a substância presente em menor quantidade, e um dispersante, presente em maior quantidade. Nos coloides, as partículas dispersas, que chamamos de partículas coloidais, apresentam uma característica muito particular: são bem maiores do que moléculas individuais, porém, bem menores do que as moléculas que conseguimos ver a olho nu. O tamanho dessas partículas permite que elas reflitame dispersem a luz, num processo conhecido como efeito Tyndall. Também devido ao tamanho de suas partículas, os coloides podem ultrapassar um filtro, porém não o fazem com membrana semipermeável. Por causa da constante colisão com as moléculas do dispersante, as partículas coloidais se movimentam de forma constante, rápida e em ziguezague, tipo de movimento que recebe o nome de browniano.
  • 5. 5 Classificação de coloides Conforme a natureza das partículas coloidais e dos dispersantes, podemos classificar os coloides em: Aerossol – coloides formados por um líquido ou um sólido disperso num gás. A neblina, gotículas de água dispersas no ar, é um exemplo de aerossol. Emulsão – dispersão de um líquido em um sólido ou outro líquido. O leite, o queijo, a manteiga e a maionese são alguns exemplos comuns de emulsão. Existemcasos em que os sistemas desse tipo precisamconter alguma substância que evite a separação do disperso e do dispersante da emulsão, chamadas de agentes emulsionante. No leite, por exemplo, o agente emulsionante é a caseína, uma proteína que mantém a água e a gordura unidas no sistema. Espuma – dispersão de um gás em um sólido ou um líquido. Como exemplo de espuma podemos citar o chantilly, coloide no qual o ar se encontra disperso no creme de leite. Sol – dispersão de um sólido em meio líquido. O plasma sanguíneo é um coloide composto por moléculas orgânicas grandes dispersas emágua. Outro exemplo de sol é a goma arábica, uma resina natural composta por glicoproteínas e polissacarídeos dispersos em água. Gel – consiste na dispersão de um líquido em um sólido. Em coloides desse tipo, o líquido (disperso) e o sólido (dispersante) formam um retículo contínuo, de estrutura gelatinosa, como é o caso da gelatina e da água dispersa em sílica.
  • 6. 6 Material/produtos  Placa de aquecimento  Gobelé de 250 ml  Espátula de silicone  Formas de silicone  Vareta de vidro  Balança  1 embalagem de gelatina  10g de gelatina neutra em pó  130 ml de água
  • 7. 7 Procedimento experimental  Efetuou-se a montagem do material;  Colocou-se os ingredientes no gobelé, misturando bem e aquecendo suavemente;  Deixou-se ebulir durante 5 mim e meio, agitando de vez em quando com a vareta;  Verteu-se o preparado para as formas de silicone;  Colocou-se no frigorifico para arrefecer;  Quando estavam suficientemente consistentes, retiraram- se as gomas da forma. Esquema de montagem O esquema de montagem do material utilizado para a realização do trabalho experimental foi o representado nas fotografias ao lado.
  • 8. 8 Registo de observações Na fase inicial, a mistura da água com a gelatina era muito fluida. Enquanto a mistura ia aquecendo foi-se colocando a gelatina neutra que ia conferindo uma textura mais concistente ao preparado. Adicionou-se o corante e o aroma, intensificando a cor e o sabor. Quando se desligou a placa e se verteu o preparado para as formas de silicone,a mistura embora mais consistente do que inicialmente era ainda bastante fluida. Após ter ficado cerca de 30 min na arca frigorifica ficou sólida.
  • 9. 9 Conclusão No presente trabalho pretendemos abordar a confeção das gomas, falamos sobre as características e modo como são produzidas bem como os princípios químicos que permitem a sua produção. Cumprimos todos os objetivos a que nos propusemos e a realização das gomas foi bem sucedida. Este trabalho foi muito importante para o aprofundamento de conhecimentos neste tema uma vez que nos permitiu compreende-lo melhor e levou-nos ao aperfeiçoamento de competências laboratoriais. Bibliografia www.tumblr.com http://www.infoescola.com/quimica/coloides/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Coloide