SlideShare uma empresa Scribd logo
REDE DE COMPUTADORES
Disciplina: Rede de Computadores
Prof.: Jakson Silva
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Introdução
• O que é Rede de Computadores:
Uma rede de computadores é formada por um conjunto de
máquinas eletrônicas e outros dispositivos interligados entre
si, com processadores capazes de trocar informações e
partilhar recursos.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Objetivo
Proporcionar uma visão abrangente dos
fundamentos das redes de computadores,
permitindo o entendimento dos principais
conceitos teóricos e práticos relacionadas
a este campo de conhecimento, que
proporcionará base para aprofundamento
nesta área em aplicações futuras.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Metodologia
• Exposição participada com o uso de suportes em
sala de aula.
– Computador;
– Projetor;
– Quadro Branco;
– Indicação de leitura;
– Atividade de pesquisa de campo; e
– Exercícios sobre temática abordada.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Conteúdos
1. Introdução a redes de computadores;
2. Classificação das redes de computadores;
• Área Geográfica;
• Topologia;
3. Meios de transmissão;
1. Com fio
2. Sem fio
4. Equipamentos de comunicação;
5. Gestão de redes de computadores.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Qual a necessidade?
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Classificação por área
geográfica
• PANs (Personal Area Network);
• LANs (Local Area Network);
• WLAN (Wireless Local Area Network);
• MANs (Metropolitan Área Network);
• WANs (Wide Area Network).
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Redes de Computadores
Tipos de Redes:
 SAN (Storage Area Network – Área de Armazenamento de Rede)
 LAN (Local Area Network – Armazenamento de Rede Local)
 PAN (Personal Area Network - Armazenamento de Rede Pessoal)
 MAN (Metropolitan Area Network - Armazenamento de
Rede Metropolitano)
 WMAN (Wireless Metropolitan Area Network - Armazenamento de Rede
Metropolitano Sem Fio)
 WAN (Wide Area Network – Grande Armazenamento de Rede)
 WWAN (Wireless Wide Area Network - Grande Armazenamento de Rede
Sem Fio)
 RAN (Regional Area Network - Armazenamento de Rede Regional)
 CAN (Campus Area Network - Armazenamento de Rede Escolar)
12
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Tipos de Redes
LAN (Local Area Network – Armazenamento de Rede Local)
Um conceito mais definido seria: é um conjunto de hardware e software que permite a computadores
individuais estabelecerem comunicação entre si, trocando e compartilhando informações e recursos.
MAN (Metropolitan Area Network - Armazenamento de Rede Metropolitano)
Interligam vários LAN geograficamente próximos (no máximo, a algumas dezenas de quilómetros).
WAN (Wide Area Network – Grande Armazenamento de Rede)
É uma rede de computadores que abrange uma grande área geográfica, com frequência um país ou
continente.
WLAN (Local Area Network – Armazenamento de Rede Local Sem Fio)
É uma rede local que usa ondas de rádio para fazer uma conexão Internet ou entre uma rede
SAN (Storage Area Network – Área de Armazenamento de Rede)
É uma rede destinada exclusivamente a armazenar dados.
13
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Tipos de Redes
PAN (Personal Area Network - Armazenamento de Rede Pessoal)
é uma rede doméstica que liga recursos diversos ao longo de uma residência. Através da tecnologia
Bluetooth obtém-se uma rede PAN.
CAN (Campus Area Network - Armazenamento de Rede Escolar)
é uma ligação entre vários computadores de vários edifícios numa determinada área (EX.
Universidades, Escolas, etc).
GAN (Global Area Network – Armazenamento de Rede Global)
é uma conexão de redes de longa distância ao longo do globo. 14
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Topologia de Rede
• A topologia de rede descreve como é o layout de
uma rede de computadores através da qual há o
tráfego de informações, e também como os
dispositivos estão conectados a ela.
• A Topologia de rede influenciará em diversos
pontos considerados críticos, como: flexibilidade,
velocidade e segurança.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Topologias
A topologia de rede é o canal no qual o meio de rede está
conectado aos computadores e outros componentes de
uma rede de computadores. Essencialmente, é a estrutura
topológica da rede, e pode ser descrito física ou
logicamente. A topologia de uma rede de comunicação irá,
muitas vezes caracterizar seu tipo, eficiência e velocidade.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Topologias
Vejamos a seguir alguns exemplos de Topologias
existentes:
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Topologia Anel
A topologia em anel como o próprio nome diz tem um
formato circular. Hoje, esse modelo é mais utilizado em
sistemas de automação industrial.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Topologia em Anel
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Vantagem e Desvantagem
• Vantagens:
– Todos os computadores acessam a rede
igualmente;
– Performance não é impactada com o aumento de
usuários.
• Desvantagens:
– Falha de um computador pode afetar o restante
da rede;
– Problemas são difíceis de isolar.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Topologia Barramento
Rede em barramento é uma topologia de rede em que todos
os computadores são ligados em um mesmo barramento
físico de dados. Quando um computador estiver a transmitir
um sinal, toda a rede fica ocupada e se outro computador
tentar enviar outro sinal ao mesmo tempo, ocorre uma colisão
e é preciso reiniciar a transmissão.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Topologia em Barramento
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
• Vantagens:
– Uso de cabo é econômico;
– Mídia é barrata, fácil de trabalhar e instalar;
– Simples e relativamente confiável;
– Fácil expansão.
• Desvantagens:
– Rede pode ficar extremamente lenta em situações de
tráfego pesado;
– Problemas são difíceis de isolar;
– Falha no cabo paralisa a rede inteira.
Vantagem e Desvantagem
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Topologia Estrela
As conexões partem de um ponto central (concentrador),
normalmente um hub ou switch. É o modelo mais utilizado
atualmente. Neste tipo de rede, todos os usuários comunicam-
se com um nó central, tem o controle supervisor do sistema,
chamado host.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Topologia em Estrela
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
• Vantagens:
– A codificação e adição de novos computadores é
simples;
– Gerenciamento centralizado;
– Falha de um computador não afeta o restante da
rede.
• Desvantagem:
– Uma falha no dispositivo central paralisa a rede
inteira.
Vantagem e Desvantagem
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Topologia Malha
Todos os nós estão atados a todos os outros nós, como se
estivessem entrelaçados. Já que são vários os caminhos
possíveis por onde a informação pode fluir da origem até o
destino, neste tipo de rede, o tempo de espera é reduzido e
eventuais problemas não interrompem o funcionamento da
rede.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Topologia em Malha
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Topologia Árvore
A topologia em árvore é essencialmente uma série de barras
interconectadas. Geralmente existe uma barra central onde
outros ramos menores se conectam. Esta ligação é realizada
através de derivadores e as conexões das estações realizadas
do mesmo modo que no sistema de barra padrão. Atualmente
não se usa a topologia em árvore, por que caso haja falha, a
rede pode ser comprometida.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Topologia em Árvore
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Outras Topologias
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Qual a topologia?
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Tipos de componentes de uma rede
Físicos:
 Hardware de Rede
 Topologias
Lógicos:
 Protocolos
 Arquiteturas
 Recursos
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes Físicos em uma Rede
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Hardware de Rede
Placa de rede
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Placa de Rede
A placa de rede é um dos principais componentes dentro de
uma rede de computadores. Ela pode estar integrada à placa
mãe de um computador ou separada dela. É o componente
que toma a informação do computador e a envia pelo cabo de
rede, ou pelo ar no caso de uma rede sem fio.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Hardware de Rede
Hub
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Hub
Esse componente é o responsável de mover o sinal da rede de
um cabo para outro. No caso de um "hub" básico, o sinal de
um computador é enviado para todos os outros; cada placa de
rede decide se a informação recebida é para ela, e a descarta
em caso negativo.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Hardware de Rede
Switch
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Switch
Os switches são hubs inteligentes, pois podem criar tabelas
que lhe permitem saber qual computador está conectado a
cada uma das portas. Com essa inteligência, um switch não
transmite toda a informação para todos os outros
computadores conectados a ele, e sim apenas ao computador
destino. A tecnologia de switching ajuda a reduzir a congestão
de uma rede e deve ser utilizada em redes de 10 ou mais
computadores.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Hardware de Rede
Roteador
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Roteadores
Os roteadores são switches inteligentes, pois são cientes da
existência de outras redes (os hubs e switches são cientes
apenas da rede à qual servem). Os roteadores são utilizados
para conectar uma rede local (LAN) com outra, muitas vezes
através de grandes distâncias, usando portadoras de dados
comerciais.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Hardware de Rede
Repetidor
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Pacth Panels
• Os pacth panels são utilizados para organizar os
cabos, e possibilitam uma fácil identificação dos
pontos de rede no rack. Eles são utilizados para fazer
a conexão entre o cabeamento que sai do rack e
chegam às tomadas (cabeamento horizontal) ou em
outro patch panel interligando outro rack
(cabeamento vertical). Isso permite que a mudança
de um determinado usuário seja feita fisicamente
no Rack sem a necessidade de alterar o cabeamento
horizontal.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Pacth Panels
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Repetidores
Repetidor é um equipamento utilizado para interligação de redes
idênticas. Ele recebe todos os pacotes de cada uma das redes que
interliga e os repete nas demais redes sem realizar qualquer tipo de
tratamento sobre os mesmos. Não se pode usar muitos destes
dispositivos em uma rede local, pois degeneram o sinal no domínio
digital e causam problemas de sincronismo entre as interfaces de
rede.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede - Meio Físico
O meio mais utilizado hoje é o Ethernet. O padrão Ethernet
vem subdividido em: Coaxial/10base2, Par Trançado Não
Blindado – UTP/10BaseT e UTP/100baseT e Gigabit ethernet.
Também pode ser conectado por Fibra óptica, um fino
filamento contínuo de vidro com uma cobertura de proteção
que pode ser usada para conectar longas distâncias.
E ainda há as redes sem fios, que se subdividem em diversas
tecnologias: Wi-fi, bluetooth, wimax e outras.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Elementos de Cabeamento
Par Trançado (UTP)
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Elementos de Cabeamento
Coaxial
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Placa de Rede Coaxial
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede -
Físicos
• Elementos de Cabeamento
Fibra Óptica
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede - Lógicos
• Protocolos
Um protocolo pode ser definido como "as regras que
governam" a sintaxe, semântica e sincronização da
comunicação entre sistemas computacionais. De um modo
geral, os protocolos são conjuntos de regras que regem a
comunicação. Um exemplo clássico é a comparação entre
protocolos de computadores e protocolos humanos, como
mostra a figura a seguir:
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede - Lógicos
• Exemplos de Protocolos:
 IP (Internet Protocol)
 TCP (Transmission Control Protocol)
 HTTP (Hypertext Transfer Protocol)
 DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol)
 FTP (File Transfer Protocol)
 ICMP (Internet Control Message Protocol)
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede - Lógicos
• Protocolo TCP/IP
Hoje, o protocolo mais usado é o TCP/IP, versão IPv4, e espera-
se que passemos a utilizar o IPv6. Ele é um protocolo
suportado por praticamente todos os sistemas operacionais.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede - Lógicos
• Arquiteturas – Exemplos:
 Cliente/Servidor
 Peer-to-Peer (P2P)
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma Rede - Lógicos
• Arquitetura Cliente/Servidor
O modelo cliente-servidor, em computação, é uma estrutura de
aplicação distribuída que distribui as tarefas e cargas de trabalho
entre os fornecedores de um recurso ou serviço, designados
como servidores, e os requerentes dos serviços, designados como
clientes. Um servidor é um host que está executando um ou mais
serviços ou programas que compartilham recursos com os
clientes. Um cliente não compartilha qualquer de seus recursos,
mas solicita um conteúdo ou função do servidor. Os clientes
iniciam sessões de comunicação com os servidores que aguardam
requisições de entrada.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Exemplo
Em outras palavras
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Componentes de uma
Rede - Lógicos
• Arquitetura Peer-to-Peer (P2P)
Peer-to-peer (do inglês par-a-par ou simplesmente ponto-a-
ponto, com sigla P2P) é uma arquitetura de redes de
computadores onde cada um dos pontos ou nós da rede
funciona tanto como cliente quanto como servidor,
permitindo compartilhamentos de serviços e dados sem a
necessidade de um servidor central. As redes P2P podem ser
configuradas em casa, em Empresas e ainda na Internet.
Todos os pontos da rede devem usar programas compatíveis
para ligar-se um ao outro. Uma rede peer-to-peer pode ser
usada para compartilhar músicas, vídeos, imagens, dados,
enfim qualquer coisa com formato digital.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Arquitetura
Peer-to-Peer (P2P)
Em outras palavras
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Transmissões Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex
• Quanto ao sentidos em que a informação pode ser
transmitida através de um canal entre emissores e
receptores, as transmissões de dados podem ser de
3 tipos:
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Simplex
• Neste caso, as transmissões podem ser feitas apenas
num só sentido, de um dispositivo emissor para um
ou mais dispositivos receptores; é o que se passa,
por exemplo, numa emissão de rádio ou televisão;
em redes de computadores, normalmente, as
transmissões não são desse tipo
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Half-Duplex
• Nesta modalidade, uma transmissão pode ser feita
nos dois sentidos, mas alternadamente, isto é, ora
num sentido ora no outro, e não nos dois sentidos ao
mesmo tempo; este tipo de transmissão é bem
exemplificado pelas comunicações entre
computadores (quando um transmite o outro escuta
e reciprocamente); ocorre em muitas situações na
comunicação entre computadores.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Full-Duplex
• Neste caso, as transmissões podem ser feitas nos
dois sentidos em simultâneo, ou seja, um dispositivo
pode transmitir informação ao mesmo tempo que
pode também recebe-la; um exemplo típico destas
transmissões são as comunicações telefónicas;
também são possíveis entre computadores, desde
que o meio de transmissão utilizado contenha pelo
menos dois canais, um para cada sentido do fluxo
dos dados.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Exemplo
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
• Outro exemplo
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Exemplos
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Resumindo
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Resumindo
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Resumindo
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Resumindo
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Vídeo importante
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
• Disciplina: Rede de Computadores
• Prof.: Jakson Silva
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
• Os cabos sem blindagem são chamados de
UTP (Unshielded Twisted Pair, que significa,
literalmente, "cabo de par trançado sem blindagem"). Os
cabos blindados por sua vez, se dividem em três
categorias: FTP, STP e SSTP.
• Os cabos STP (Shielded Twisted Pair) vão um pouco
além, usando uma blindagem individual para cada par de
cabos. Isso reduz o crosstalk e melhora a tolerância do
cabo com relação à distância, o que pode ser usado em
situações onde for necessário crimpar cabos fora do
padrão, com mais de 100 metros:
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Veja ambos
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Padrão T568A
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
Padrão T568A
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
• Automatic Private IP Addressing - APIPA
• Quando usamos endereçamento IPv4 em uma rede,
é necessário configurar manualmente os IPs nas
estações de trabalho ou então utilizar um servidor
DHCP para atribuir esses endereços
automaticamente - que é o procedimento mais
comum.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
• Porém, se o servidor DHCP falhar ou não estiver
disponível em uma rede Windows, neste caso, as
máquinas na rede local não receberão suas
configurações de rede, incluindo o endereço IP. Para
tentar garantir que, num caso desses, as máquinas
ao menos consigam se comunicar entre si dentro da
própria rede local (LAN), podemos usar o serviço do
APIPA - também conhecido como Endereço de Link
Local.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
• Usando o APIPA é possível garantir que as máquinas
consigam se comunicar em uma rede local, mesmo que
não haja servidores DHCP disponíveis para atribuir
endereços aos hosts, ou que as máquinas não possuam
configuração de IP fixo. Neste caso, o cliente DHCP
atribui a si próprio um endereço IP de uma faixa pré-
determinada, assim como uma máscara de sub-rede.
• Quando um servidor DHCP se tornar disponível na rede
novamente, o cliente efetuará uma requisição de IPs
normalmente, substituindo o endereço APIPA pelo
endereço que será fornecido pelo servidor. De acordo
com a Microsoft, o serviço do APIPA verifica a cada 5
minutos se um servidor DHCP está disponível na rede.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
• Faixa de Endereços do APIPA
• Existe uma faixa de endereços reservados pelo IETF
que são atribuíveis por meio do APIPA:
• 169.254.0.1 até 169.254.255.254
• sendo que o primeiro e último blocos dessa faixa são
reservados, de modo que as estações, na verdade,
irão receber endereços localizados na seguinte faixa:
• 169.254.1.0 até 169.254.254.255
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
• Também será usada a máscara de sub-rede classe
B 255.255.0.0
• A figura a seguir mostra uma máquina com Windows
10 fazendo uso do serviço do APIPA, pois o servidor
DHCP da rede foi desligado e ela não conseguiu obter
configurações de rede. Note o endereço IP
(169.254.61.237) e a máscara de sub-rede utilizada
(255.255.0.0):
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
• O serviço pode ser desativado a partir das
Configurações de Rede do Windows, nas
propriedades do Protocolo TCP/IP, guia
"Configuração Alternativa" (Alternate Configuration),
como podemos ver na figura a seguir:
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
• Utilidade do APIPA
• Se as máquinas em uma rede local estão recebendo
endereços APIPA, isso significa que há algo de errado
na comunicação com o servidor DHCP da rede.
• Neste caso, as máquinas recebem endereços
aleatórios para uso, determinados pelos seus
sistemas operacionais, que emitem pacotes ARP na
rede local para determinar quais endereços podem
ser usados, pois não podemos ter endereços IP
duplicados em uma rede local.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
Os problemas mais comuns que podem levar uma
estação a utilizar endereçamento APIPA incluem:
• Patch Cable defeituoso
• Servidor DHCP com problemas
• Sem conexão adequada à rede sem fio
• Cabeamento fixo com problemas
• Problemas em uma ou mais portas do switch
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
APIPA
• Ou seja, problemas que, em última instância, levem à
quebra de comunicação entre as estações e o
servidor DHCP da rede.
• Um endereço APIPA não permite que seja feito
roteamento para fora da rede local, de modo que o
acesso à Internet não existirá nesse caso.
WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Redes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesRedes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redes
Leonardo Bruno
 
Protocolos de Redes
Protocolos de RedesProtocolos de Redes
Protocolos de Redes
Wellington Oliveira
 
Topologia em redes
Topologia em redesTopologia em redes
Topologia em redes
Yohana Alves
 
Redes de Computadores
Redes de ComputadoresRedes de Computadores
Redes de Computadores
Fábio Eliseu
 
Aula1 historia das redes
Aula1   historia das redesAula1   historia das redes
Aula1 historia das redes
Berenildo Felix JR
 
Topologias de rede
Topologias de redeTopologias de rede
Topologias de rede
Susana Oliveira
 
Equipamentos de Rede
Equipamentos de RedeEquipamentos de Rede
Equipamentos de Rede
Ana Julia F Alves Ferreira
 
Aula 01 - Introdução ao curso - Projeto de Redes de Computadores
Aula 01 - Introdução ao curso - Projeto de Redes de ComputadoresAula 01 - Introdução ao curso - Projeto de Redes de Computadores
Aula 01 - Introdução ao curso - Projeto de Redes de Computadores
Dalton Martins
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Wellington Oliveira
 
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IPAula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
Filipo Mór
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
vini_campos
 
Aula 04: Meios de transmissão
Aula 04: Meios de transmissãoAula 04: Meios de transmissão
Aula 04: Meios de transmissão
Nilson Mori
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
Aron Sporkens
 
Introducao redes
Introducao redesIntroducao redes
Introducao redes
ErikHR
 
Redes 1 introducao historico conceitos
Redes 1 introducao historico conceitosRedes 1 introducao historico conceitos
Redes 1 introducao historico conceitos
Mauro Pereira
 
Redes de Computadores
Redes de ComputadoresRedes de Computadores
Redes de Computadores
deisiweg
 
Fundamentos de Redes
Fundamentos de RedesFundamentos de Redes
Fundamentos de Redes
Filiphe Amorim
 
1ª aula sistema operacional
1ª aula  sistema operacional1ª aula  sistema operacional
1ª aula sistema operacional
João Freire Abramowicz
 
Manutenção de Computadores - Aula 1
Manutenção de Computadores - Aula 1Manutenção de Computadores - Aula 1
Manutenção de Computadores - Aula 1
Guilherme Nonino Rosa
 
Sistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
Sistemas Computacionais - Aula 01 - ApresentaçãoSistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
Sistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
Leinylson Fontinele
 

Mais procurados (20)

Redes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redesRedes de-computadores-tipos-de-redes
Redes de-computadores-tipos-de-redes
 
Protocolos de Redes
Protocolos de RedesProtocolos de Redes
Protocolos de Redes
 
Topologia em redes
Topologia em redesTopologia em redes
Topologia em redes
 
Redes de Computadores
Redes de ComputadoresRedes de Computadores
Redes de Computadores
 
Aula1 historia das redes
Aula1   historia das redesAula1   historia das redes
Aula1 historia das redes
 
Topologias de rede
Topologias de redeTopologias de rede
Topologias de rede
 
Equipamentos de Rede
Equipamentos de RedeEquipamentos de Rede
Equipamentos de Rede
 
Aula 01 - Introdução ao curso - Projeto de Redes de Computadores
Aula 01 - Introdução ao curso - Projeto de Redes de ComputadoresAula 01 - Introdução ao curso - Projeto de Redes de Computadores
Aula 01 - Introdução ao curso - Projeto de Redes de Computadores
 
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de ComputadoresIntrodução - Arquitetura e Organização de Computadores
Introdução - Arquitetura e Organização de Computadores
 
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IPAula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
Aula 6 - Redes de Computadores A - Endereçamento IP
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
 
Aula 04: Meios de transmissão
Aula 04: Meios de transmissãoAula 04: Meios de transmissão
Aula 04: Meios de transmissão
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 
Introducao redes
Introducao redesIntroducao redes
Introducao redes
 
Redes 1 introducao historico conceitos
Redes 1 introducao historico conceitosRedes 1 introducao historico conceitos
Redes 1 introducao historico conceitos
 
Redes de Computadores
Redes de ComputadoresRedes de Computadores
Redes de Computadores
 
Fundamentos de Redes
Fundamentos de RedesFundamentos de Redes
Fundamentos de Redes
 
1ª aula sistema operacional
1ª aula  sistema operacional1ª aula  sistema operacional
1ª aula sistema operacional
 
Manutenção de Computadores - Aula 1
Manutenção de Computadores - Aula 1Manutenção de Computadores - Aula 1
Manutenção de Computadores - Aula 1
 
Sistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
Sistemas Computacionais - Aula 01 - ApresentaçãoSistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
Sistemas Computacionais - Aula 01 - Apresentação
 

Semelhante a Redes de computadores

Rede
RedeRede
Informática Aplicada - Redes
Informática Aplicada - RedesInformática Aplicada - Redes
Informática Aplicada - Redes
Ricardo de Moraes
 
762- Redes.ppt
762- Redes.ppt762- Redes.ppt
762- Redes.ppt
paulalobo22
 
REDES DE COMPUTADORES.pptx
REDES DE COMPUTADORES.pptxREDES DE COMPUTADORES.pptx
REDES DE COMPUTADORES.pptx
JonasVimbane
 
ApresentaçAo Final De Redes
ApresentaçAo Final De RedesApresentaçAo Final De Redes
ApresentaçAo Final De Redes
allanzinhuu
 
Apresentaçao Final De Redes
Apresentaçao Final De RedesApresentaçao Final De Redes
Apresentaçao Final De Redes
guesta9bd8d
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
Carol Pereira
 
Aula2
Aula2Aula2
Introdução rede- I unidade
Introdução rede- I unidadeIntrodução rede- I unidade
Introdução rede- I unidade
João Freire Abramowicz
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
Weslley Andrade
 
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Augusto Nogueira
 
O que é uma rede informática
O que é uma rede informáticaO que é uma rede informática
O que é uma rede informática
filipemolon
 
Rede cabeada
Rede cabeadaRede cabeada
Conceitos de rede
Conceitos de redeConceitos de rede
AULA DE REDES DIA 22.062023.pptx
AULA DE REDES DIA 22.062023.pptxAULA DE REDES DIA 22.062023.pptx
AULA DE REDES DIA 22.062023.pptx
Cidrone
 
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte IIAula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Dalton Martins
 
Redes aula 1
Redes   aula 1Redes   aula 1
Conecçao de rede
Conecçao de redeConecçao de rede
Conecçao de rede
Jojo Cruz
 
Redes de computadores 1 - Conceitos Gerais
Redes de computadores 1 - Conceitos GeraisRedes de computadores 1 - Conceitos Gerais
Redes de computadores 1 - Conceitos Gerais
José Ronaldo Trajano
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores

Semelhante a Redes de computadores (20)

Rede
RedeRede
Rede
 
Informática Aplicada - Redes
Informática Aplicada - RedesInformática Aplicada - Redes
Informática Aplicada - Redes
 
762- Redes.ppt
762- Redes.ppt762- Redes.ppt
762- Redes.ppt
 
REDES DE COMPUTADORES.pptx
REDES DE COMPUTADORES.pptxREDES DE COMPUTADORES.pptx
REDES DE COMPUTADORES.pptx
 
ApresentaçAo Final De Redes
ApresentaçAo Final De RedesApresentaçAo Final De Redes
ApresentaçAo Final De Redes
 
Apresentaçao Final De Redes
Apresentaçao Final De RedesApresentaçao Final De Redes
Apresentaçao Final De Redes
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 
Aula2
Aula2Aula2
Aula2
 
Introdução rede- I unidade
Introdução rede- I unidadeIntrodução rede- I unidade
Introdução rede- I unidade
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
Hardware e redes de computadores (Componente, tipos de redes e topologias)
 
O que é uma rede informática
O que é uma rede informáticaO que é uma rede informática
O que é uma rede informática
 
Rede cabeada
Rede cabeadaRede cabeada
Rede cabeada
 
Conceitos de rede
Conceitos de redeConceitos de rede
Conceitos de rede
 
AULA DE REDES DIA 22.062023.pptx
AULA DE REDES DIA 22.062023.pptxAULA DE REDES DIA 22.062023.pptx
AULA DE REDES DIA 22.062023.pptx
 
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte IIAula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
Aula 07 - Projeto de Topologia e Exercícios - Parte II
 
Redes aula 1
Redes   aula 1Redes   aula 1
Redes aula 1
 
Conecçao de rede
Conecçao de redeConecçao de rede
Conecçao de rede
 
Redes de computadores 1 - Conceitos Gerais
Redes de computadores 1 - Conceitos GeraisRedes de computadores 1 - Conceitos Gerais
Redes de computadores 1 - Conceitos Gerais
 
Redes de computadores
Redes de computadoresRedes de computadores
Redes de computadores
 

Mais de Jakson Silva

Prática - ARTES ORIGAMI.pdf
Prática - ARTES ORIGAMI.pdfPrática - ARTES ORIGAMI.pdf
Prática - ARTES ORIGAMI.pdf
Jakson Silva
 
Hardware
HardwareHardware
Hardware
Jakson Silva
 
Apostila packet tracer 5.3
Apostila packet tracer 5.3Apostila packet tracer 5.3
Apostila packet tracer 5.3
Jakson Silva
 
Apostila Digital
Apostila DigitalApostila Digital
Apostila Digital
Jakson Silva
 
Palestra prof. Galvão Teixeira
Palestra prof. Galvão TeixeiraPalestra prof. Galvão Teixeira
Palestra prof. Galvão Teixeira
Jakson Silva
 
Aula Gestão de Pessoas
Aula Gestão de PessoasAula Gestão de Pessoas
Aula Gestão de Pessoas
Jakson Silva
 
Curso de inglês básico slide
Curso de inglês básico slideCurso de inglês básico slide
Curso de inglês básico slide
Jakson Silva
 
Apostila informática básica
Apostila informática básicaApostila informática básica
Apostila informática básica
Jakson Silva
 
Curso Operador de Caixa
Curso Operador de CaixaCurso Operador de Caixa
Curso Operador de Caixa
Jakson Silva
 
Multimetros
MultimetrosMultimetros
Multimetros
Jakson Silva
 
Palestra Empreendedorismo Digital
Palestra Empreendedorismo DigitalPalestra Empreendedorismo Digital
Palestra Empreendedorismo Digital
Jakson Silva
 
Palestra WordPress Flisol Amontada
Palestra WordPress Flisol Amontada Palestra WordPress Flisol Amontada
Palestra WordPress Flisol Amontada
Jakson Silva
 

Mais de Jakson Silva (12)

Prática - ARTES ORIGAMI.pdf
Prática - ARTES ORIGAMI.pdfPrática - ARTES ORIGAMI.pdf
Prática - ARTES ORIGAMI.pdf
 
Hardware
HardwareHardware
Hardware
 
Apostila packet tracer 5.3
Apostila packet tracer 5.3Apostila packet tracer 5.3
Apostila packet tracer 5.3
 
Apostila Digital
Apostila DigitalApostila Digital
Apostila Digital
 
Palestra prof. Galvão Teixeira
Palestra prof. Galvão TeixeiraPalestra prof. Galvão Teixeira
Palestra prof. Galvão Teixeira
 
Aula Gestão de Pessoas
Aula Gestão de PessoasAula Gestão de Pessoas
Aula Gestão de Pessoas
 
Curso de inglês básico slide
Curso de inglês básico slideCurso de inglês básico slide
Curso de inglês básico slide
 
Apostila informática básica
Apostila informática básicaApostila informática básica
Apostila informática básica
 
Curso Operador de Caixa
Curso Operador de CaixaCurso Operador de Caixa
Curso Operador de Caixa
 
Multimetros
MultimetrosMultimetros
Multimetros
 
Palestra Empreendedorismo Digital
Palestra Empreendedorismo DigitalPalestra Empreendedorismo Digital
Palestra Empreendedorismo Digital
 
Palestra WordPress Flisol Amontada
Palestra WordPress Flisol Amontada Palestra WordPress Flisol Amontada
Palestra WordPress Flisol Amontada
 

Último

A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 

Redes de computadores

  • 1. REDE DE COMPUTADORES Disciplina: Rede de Computadores Prof.: Jakson Silva WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 2. Introdução • O que é Rede de Computadores: Uma rede de computadores é formada por um conjunto de máquinas eletrônicas e outros dispositivos interligados entre si, com processadores capazes de trocar informações e partilhar recursos. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 3. Objetivo Proporcionar uma visão abrangente dos fundamentos das redes de computadores, permitindo o entendimento dos principais conceitos teóricos e práticos relacionadas a este campo de conhecimento, que proporcionará base para aprofundamento nesta área em aplicações futuras. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 4. Metodologia • Exposição participada com o uso de suportes em sala de aula. – Computador; – Projetor; – Quadro Branco; – Indicação de leitura; – Atividade de pesquisa de campo; e – Exercícios sobre temática abordada. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 5. Conteúdos 1. Introdução a redes de computadores; 2. Classificação das redes de computadores; • Área Geográfica; • Topologia; 3. Meios de transmissão; 1. Com fio 2. Sem fio 4. Equipamentos de comunicação; 5. Gestão de redes de computadores. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 7. Classificação por área geográfica • PANs (Personal Area Network); • LANs (Local Area Network); • WLAN (Wireless Local Area Network); • MANs (Metropolitan Área Network); • WANs (Wide Area Network). WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 8. Redes de Computadores Tipos de Redes:  SAN (Storage Area Network – Área de Armazenamento de Rede)  LAN (Local Area Network – Armazenamento de Rede Local)  PAN (Personal Area Network - Armazenamento de Rede Pessoal)  MAN (Metropolitan Area Network - Armazenamento de Rede Metropolitano)  WMAN (Wireless Metropolitan Area Network - Armazenamento de Rede Metropolitano Sem Fio)  WAN (Wide Area Network – Grande Armazenamento de Rede)  WWAN (Wireless Wide Area Network - Grande Armazenamento de Rede Sem Fio)  RAN (Regional Area Network - Armazenamento de Rede Regional)  CAN (Campus Area Network - Armazenamento de Rede Escolar) 12 WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 9. Tipos de Redes LAN (Local Area Network – Armazenamento de Rede Local) Um conceito mais definido seria: é um conjunto de hardware e software que permite a computadores individuais estabelecerem comunicação entre si, trocando e compartilhando informações e recursos. MAN (Metropolitan Area Network - Armazenamento de Rede Metropolitano) Interligam vários LAN geograficamente próximos (no máximo, a algumas dezenas de quilómetros). WAN (Wide Area Network – Grande Armazenamento de Rede) É uma rede de computadores que abrange uma grande área geográfica, com frequência um país ou continente. WLAN (Local Area Network – Armazenamento de Rede Local Sem Fio) É uma rede local que usa ondas de rádio para fazer uma conexão Internet ou entre uma rede SAN (Storage Area Network – Área de Armazenamento de Rede) É uma rede destinada exclusivamente a armazenar dados. 13 WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 10. Tipos de Redes PAN (Personal Area Network - Armazenamento de Rede Pessoal) é uma rede doméstica que liga recursos diversos ao longo de uma residência. Através da tecnologia Bluetooth obtém-se uma rede PAN. CAN (Campus Area Network - Armazenamento de Rede Escolar) é uma ligação entre vários computadores de vários edifícios numa determinada área (EX. Universidades, Escolas, etc). GAN (Global Area Network – Armazenamento de Rede Global) é uma conexão de redes de longa distância ao longo do globo. 14 WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14. Topologia de Rede • A topologia de rede descreve como é o layout de uma rede de computadores através da qual há o tráfego de informações, e também como os dispositivos estão conectados a ela. • A Topologia de rede influenciará em diversos pontos considerados críticos, como: flexibilidade, velocidade e segurança. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 15. Componentes de uma Rede - Físicos • Topologias A topologia de rede é o canal no qual o meio de rede está conectado aos computadores e outros componentes de uma rede de computadores. Essencialmente, é a estrutura topológica da rede, e pode ser descrito física ou logicamente. A topologia de uma rede de comunicação irá, muitas vezes caracterizar seu tipo, eficiência e velocidade. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 16. Componentes de uma Rede - Físicos • Topologias Vejamos a seguir alguns exemplos de Topologias existentes: WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 17. Componentes de uma Rede - Físicos • Topologia Anel A topologia em anel como o próprio nome diz tem um formato circular. Hoje, esse modelo é mais utilizado em sistemas de automação industrial. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 19. Vantagem e Desvantagem • Vantagens: – Todos os computadores acessam a rede igualmente; – Performance não é impactada com o aumento de usuários. • Desvantagens: – Falha de um computador pode afetar o restante da rede; – Problemas são difíceis de isolar. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 20. Componentes de uma Rede - Físicos • Topologia Barramento Rede em barramento é uma topologia de rede em que todos os computadores são ligados em um mesmo barramento físico de dados. Quando um computador estiver a transmitir um sinal, toda a rede fica ocupada e se outro computador tentar enviar outro sinal ao mesmo tempo, ocorre uma colisão e é preciso reiniciar a transmissão. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 22. • Vantagens: – Uso de cabo é econômico; – Mídia é barrata, fácil de trabalhar e instalar; – Simples e relativamente confiável; – Fácil expansão. • Desvantagens: – Rede pode ficar extremamente lenta em situações de tráfego pesado; – Problemas são difíceis de isolar; – Falha no cabo paralisa a rede inteira. Vantagem e Desvantagem WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 23. Componentes de uma Rede - Físicos • Topologia Estrela As conexões partem de um ponto central (concentrador), normalmente um hub ou switch. É o modelo mais utilizado atualmente. Neste tipo de rede, todos os usuários comunicam- se com um nó central, tem o controle supervisor do sistema, chamado host. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 25. • Vantagens: – A codificação e adição de novos computadores é simples; – Gerenciamento centralizado; – Falha de um computador não afeta o restante da rede. • Desvantagem: – Uma falha no dispositivo central paralisa a rede inteira. Vantagem e Desvantagem WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 26. Componentes de uma Rede - Físicos • Topologia Malha Todos os nós estão atados a todos os outros nós, como se estivessem entrelaçados. Já que são vários os caminhos possíveis por onde a informação pode fluir da origem até o destino, neste tipo de rede, o tempo de espera é reduzido e eventuais problemas não interrompem o funcionamento da rede. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 28. Componentes de uma Rede - Físicos • Topologia Árvore A topologia em árvore é essencialmente uma série de barras interconectadas. Geralmente existe uma barra central onde outros ramos menores se conectam. Esta ligação é realizada através de derivadores e as conexões das estações realizadas do mesmo modo que no sistema de barra padrão. Atualmente não se usa a topologia em árvore, por que caso haja falha, a rede pode ser comprometida. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 32. Tipos de componentes de uma rede Físicos:  Hardware de Rede  Topologias Lógicos:  Protocolos  Arquiteturas  Recursos WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 33. Componentes Físicos em uma Rede WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 34. Componentes de uma Rede - Físicos • Hardware de Rede Placa de rede WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 35. Componentes de uma Rede - Físicos • Placa de Rede A placa de rede é um dos principais componentes dentro de uma rede de computadores. Ela pode estar integrada à placa mãe de um computador ou separada dela. É o componente que toma a informação do computador e a envia pelo cabo de rede, ou pelo ar no caso de uma rede sem fio. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 36. Componentes de uma Rede - Físicos • Hardware de Rede Hub WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 37. Componentes de uma Rede - Físicos • Hub Esse componente é o responsável de mover o sinal da rede de um cabo para outro. No caso de um "hub" básico, o sinal de um computador é enviado para todos os outros; cada placa de rede decide se a informação recebida é para ela, e a descarta em caso negativo. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 38. Componentes de uma Rede - Físicos • Hardware de Rede Switch WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 39. Componentes de uma Rede - Físicos • Switch Os switches são hubs inteligentes, pois podem criar tabelas que lhe permitem saber qual computador está conectado a cada uma das portas. Com essa inteligência, um switch não transmite toda a informação para todos os outros computadores conectados a ele, e sim apenas ao computador destino. A tecnologia de switching ajuda a reduzir a congestão de uma rede e deve ser utilizada em redes de 10 ou mais computadores. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 40. Componentes de uma Rede - Físicos • Hardware de Rede Roteador WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 41. Componentes de uma Rede - Físicos • Roteadores Os roteadores são switches inteligentes, pois são cientes da existência de outras redes (os hubs e switches são cientes apenas da rede à qual servem). Os roteadores são utilizados para conectar uma rede local (LAN) com outra, muitas vezes através de grandes distâncias, usando portadoras de dados comerciais. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 42. Componentes de uma Rede - Físicos • Hardware de Rede Repetidor WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 43. Pacth Panels • Os pacth panels são utilizados para organizar os cabos, e possibilitam uma fácil identificação dos pontos de rede no rack. Eles são utilizados para fazer a conexão entre o cabeamento que sai do rack e chegam às tomadas (cabeamento horizontal) ou em outro patch panel interligando outro rack (cabeamento vertical). Isso permite que a mudança de um determinado usuário seja feita fisicamente no Rack sem a necessidade de alterar o cabeamento horizontal. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 45. Componentes de uma Rede - Físicos • Repetidores Repetidor é um equipamento utilizado para interligação de redes idênticas. Ele recebe todos os pacotes de cada uma das redes que interliga e os repete nas demais redes sem realizar qualquer tipo de tratamento sobre os mesmos. Não se pode usar muitos destes dispositivos em uma rede local, pois degeneram o sinal no domínio digital e causam problemas de sincronismo entre as interfaces de rede. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 46. Componentes de uma Rede - Meio Físico O meio mais utilizado hoje é o Ethernet. O padrão Ethernet vem subdividido em: Coaxial/10base2, Par Trançado Não Blindado – UTP/10BaseT e UTP/100baseT e Gigabit ethernet. Também pode ser conectado por Fibra óptica, um fino filamento contínuo de vidro com uma cobertura de proteção que pode ser usada para conectar longas distâncias. E ainda há as redes sem fios, que se subdividem em diversas tecnologias: Wi-fi, bluetooth, wimax e outras. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 47. Componentes de uma Rede - Físicos • Elementos de Cabeamento Par Trançado (UTP) WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 48. Componentes de uma Rede - Físicos • Elementos de Cabeamento Coaxial WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 49. Placa de Rede Coaxial WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 50. Componentes de uma Rede - Físicos • Elementos de Cabeamento Fibra Óptica WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 51. Componentes de uma Rede - Lógicos • Protocolos Um protocolo pode ser definido como "as regras que governam" a sintaxe, semântica e sincronização da comunicação entre sistemas computacionais. De um modo geral, os protocolos são conjuntos de regras que regem a comunicação. Um exemplo clássico é a comparação entre protocolos de computadores e protocolos humanos, como mostra a figura a seguir: WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 53. Componentes de uma Rede - Lógicos • Exemplos de Protocolos:  IP (Internet Protocol)  TCP (Transmission Control Protocol)  HTTP (Hypertext Transfer Protocol)  DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol)  FTP (File Transfer Protocol)  ICMP (Internet Control Message Protocol) WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 54. Componentes de uma Rede - Lógicos • Protocolo TCP/IP Hoje, o protocolo mais usado é o TCP/IP, versão IPv4, e espera- se que passemos a utilizar o IPv6. Ele é um protocolo suportado por praticamente todos os sistemas operacionais. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 55. Componentes de uma Rede - Lógicos • Arquiteturas – Exemplos:  Cliente/Servidor  Peer-to-Peer (P2P) WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 56. Componentes de uma Rede - Lógicos • Arquitetura Cliente/Servidor O modelo cliente-servidor, em computação, é uma estrutura de aplicação distribuída que distribui as tarefas e cargas de trabalho entre os fornecedores de um recurso ou serviço, designados como servidores, e os requerentes dos serviços, designados como clientes. Um servidor é um host que está executando um ou mais serviços ou programas que compartilham recursos com os clientes. Um cliente não compartilha qualquer de seus recursos, mas solicita um conteúdo ou função do servidor. Os clientes iniciam sessões de comunicação com os servidores que aguardam requisições de entrada. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 59. Componentes de uma Rede - Lógicos • Arquitetura Peer-to-Peer (P2P) Peer-to-peer (do inglês par-a-par ou simplesmente ponto-a- ponto, com sigla P2P) é uma arquitetura de redes de computadores onde cada um dos pontos ou nós da rede funciona tanto como cliente quanto como servidor, permitindo compartilhamentos de serviços e dados sem a necessidade de um servidor central. As redes P2P podem ser configuradas em casa, em Empresas e ainda na Internet. Todos os pontos da rede devem usar programas compatíveis para ligar-se um ao outro. Uma rede peer-to-peer pode ser usada para compartilhar músicas, vídeos, imagens, dados, enfim qualquer coisa com formato digital. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 62. Transmissões Simplex, Half-Duplex e Full-Duplex • Quanto ao sentidos em que a informação pode ser transmitida através de um canal entre emissores e receptores, as transmissões de dados podem ser de 3 tipos: WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 63. Simplex • Neste caso, as transmissões podem ser feitas apenas num só sentido, de um dispositivo emissor para um ou mais dispositivos receptores; é o que se passa, por exemplo, numa emissão de rádio ou televisão; em redes de computadores, normalmente, as transmissões não são desse tipo WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 64. Half-Duplex • Nesta modalidade, uma transmissão pode ser feita nos dois sentidos, mas alternadamente, isto é, ora num sentido ora no outro, e não nos dois sentidos ao mesmo tempo; este tipo de transmissão é bem exemplificado pelas comunicações entre computadores (quando um transmite o outro escuta e reciprocamente); ocorre em muitas situações na comunicação entre computadores. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 65. Full-Duplex • Neste caso, as transmissões podem ser feitas nos dois sentidos em simultâneo, ou seja, um dispositivo pode transmitir informação ao mesmo tempo que pode também recebe-la; um exemplo típico destas transmissões são as comunicações telefónicas; também são possíveis entre computadores, desde que o meio de transmissão utilizado contenha pelo menos dois canais, um para cada sentido do fluxo dos dados. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 77. • Disciplina: Rede de Computadores • Prof.: Jakson Silva WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 100. • Os cabos sem blindagem são chamados de UTP (Unshielded Twisted Pair, que significa, literalmente, "cabo de par trançado sem blindagem"). Os cabos blindados por sua vez, se dividem em três categorias: FTP, STP e SSTP. • Os cabos STP (Shielded Twisted Pair) vão um pouco além, usando uma blindagem individual para cada par de cabos. Isso reduz o crosstalk e melhora a tolerância do cabo com relação à distância, o que pode ser usado em situações onde for necessário crimpar cabos fora do padrão, com mais de 100 metros: WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 136. APIPA • Automatic Private IP Addressing - APIPA • Quando usamos endereçamento IPv4 em uma rede, é necessário configurar manualmente os IPs nas estações de trabalho ou então utilizar um servidor DHCP para atribuir esses endereços automaticamente - que é o procedimento mais comum. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 137. APIPA • Porém, se o servidor DHCP falhar ou não estiver disponível em uma rede Windows, neste caso, as máquinas na rede local não receberão suas configurações de rede, incluindo o endereço IP. Para tentar garantir que, num caso desses, as máquinas ao menos consigam se comunicar entre si dentro da própria rede local (LAN), podemos usar o serviço do APIPA - também conhecido como Endereço de Link Local. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 138. APIPA • Usando o APIPA é possível garantir que as máquinas consigam se comunicar em uma rede local, mesmo que não haja servidores DHCP disponíveis para atribuir endereços aos hosts, ou que as máquinas não possuam configuração de IP fixo. Neste caso, o cliente DHCP atribui a si próprio um endereço IP de uma faixa pré- determinada, assim como uma máscara de sub-rede. • Quando um servidor DHCP se tornar disponível na rede novamente, o cliente efetuará uma requisição de IPs normalmente, substituindo o endereço APIPA pelo endereço que será fornecido pelo servidor. De acordo com a Microsoft, o serviço do APIPA verifica a cada 5 minutos se um servidor DHCP está disponível na rede. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 139. APIPA • Faixa de Endereços do APIPA • Existe uma faixa de endereços reservados pelo IETF que são atribuíveis por meio do APIPA: • 169.254.0.1 até 169.254.255.254 • sendo que o primeiro e último blocos dessa faixa são reservados, de modo que as estações, na verdade, irão receber endereços localizados na seguinte faixa: • 169.254.1.0 até 169.254.254.255 WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 140. APIPA • Também será usada a máscara de sub-rede classe B 255.255.0.0 • A figura a seguir mostra uma máquina com Windows 10 fazendo uso do serviço do APIPA, pois o servidor DHCP da rede foi desligado e ela não conseguiu obter configurações de rede. Note o endereço IP (169.254.61.237) e a máscara de sub-rede utilizada (255.255.0.0): WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 142. APIPA • O serviço pode ser desativado a partir das Configurações de Rede do Windows, nas propriedades do Protocolo TCP/IP, guia "Configuração Alternativa" (Alternate Configuration), como podemos ver na figura a seguir: WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 144. • Utilidade do APIPA • Se as máquinas em uma rede local estão recebendo endereços APIPA, isso significa que há algo de errado na comunicação com o servidor DHCP da rede. • Neste caso, as máquinas recebem endereços aleatórios para uso, determinados pelos seus sistemas operacionais, que emitem pacotes ARP na rede local para determinar quais endereços podem ser usados, pois não podemos ter endereços IP duplicados em uma rede local. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 145. APIPA Os problemas mais comuns que podem levar uma estação a utilizar endereçamento APIPA incluem: • Patch Cable defeituoso • Servidor DHCP com problemas • Sem conexão adequada à rede sem fio • Cabeamento fixo com problemas • Problemas em uma ou mais portas do switch WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR
  • 146. APIPA • Ou seja, problemas que, em última instância, levem à quebra de comunicação entre as estações e o servidor DHCP da rede. • Um endereço APIPA não permite que seja feito roteamento para fora da rede local, de modo que o acesso à Internet não existirá nesse caso. WWW.ESCOLAPARCERA.COM.BR