SlideShare uma empresa Scribd logo
EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e
ocódigoCFF158.
fls. 5
Promotoria Regional do Meio Ambiente
9ª Promotoria de Justiça de Criciúma
Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone:
(48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br
Assunto: Recomendação - Tornar sem efeito a Autorização para Corde de Vegetação nº 079/17,
expedida em favor da pessoa jurídica “VILLA FARNESE INCORPORAÇÕES LTDA., CNPJ
13.988.816/0001-17
Ao responder, favor mencionar o IC - Inquérito Civil nº 06.2017.00003916-2
RECOMENDAÇÃO 0029/2017/09PJ/CRI
Senhora Presidente,
CONSIDERANDO que chegou ao conhecimento do Ministério
Público do Estado de Santa Catarina a Representação autuada sob o nº
02.2017.00050043-0, posteriormente convertida na Notíca de Fato nº
01.2017.00013105-6, dando conta de que no imóvel urbano localizado na Rua
Engenheiro Fiuza da Rocha, Bairro Centro, Município de Criciúma, está previsto a
construção do "empreendimento Condomínio Edifício Residencial Monte Cristallo
(edificação vertical), da empresa "Villa Farnese Incorporações LTDA (CNPJ
13.988.816/0001-17), pertencente ao Grupo Fontana";
CONSIDERANDO, segundo esta mesma Representação, que o
referido empreendimento provocará "impactos negativos à área de influência
direta, bem como para toda a comunidade circunvizinha, saúde pública e ao meio
ambiente", sobretudo porque ocorrerá a "destruição da biodiversidade de grande
porte a ser instalado em zona inadequada para a atividade e possuindo
irregularidade em seu processo de obtenção de autorização, junto à Prefeitura e
a Fundação Municipal do Meio Ambiente";
Ilma. Senhora
ANEQUÉSSELEN BITENCOURT FORTUNATO
Presidente da Fundação do Meio Ambiente de Criciúma - FAMCRI
Rua Saldanha da Gama, Bairro Comerciário
NESTA
CEP 88802-470
EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e
ocódigoCFF158.
fls. 6
Promotoria Regional do Meio Ambiente
9ª Promotoria de Justiça de Criciúma
Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone:
(48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br
CONSIDERANDO que a Representação ainda relata que na área do
citado imóvel "possui vegetação em estágio médio de regeneração natural, ou
seja, área de grande valor ecológico, com biodiversidade de fauna e flora, sendo
que deve ser protegido e conservado";
CONSIDERANDO que a Representação também informa que o
nível de inclusão dos diâmetros dos indivíduos apresentado pela bióloga
responsável pelo inventário florestal é inferior aquele fixado na Instrução
Normativa nº 24 da FATMA, que é igual ou superior a 4,0 cm, e que a inclinação
de 30% (trinta por cento) da área do imóvel exige uma atenção especial,
especialmente porque o “solo atualmente é estabilizado pela vegetação que o
sustenta de erosão e processos de movimentação de massa”;
CONSIDERANDO que a Representação sustenta que o imóvel está
localizado em área em que o índice de aproveitamento é de 2 (dois) pavimentos,
entretanto, aponta que “a funcionária da prefeitura, fiscal Lara Thomaz da Silva,
inseriu a caneta, as informações de ampliação da Zona do referido terreno,
autorizando a instalação de mais pavimentos nesta área”, ou seja, classificou
como sendo ZR-3, circunstância que também está sendo analisada pelo
Ministério Público do Estado de Santa Catarina;
CONSIDERANDO que a partir do momento em que a
Representação aportou na 9ª Promotoria de Justiça, com atuação na Defesa do
Meio Ambiente, foi instaurado a Notícia de Fato nº 01.2017.00013105-6,
posteriormente convertido no Inquérito Civil nº 06.2017.00003916-2, com o
objetivo de apurar os fatos noticiados no corpo da Representação;
CONSIDERANDO que, segundo se extrai dos documentos que
acompanham a aludida Representação, em 12 de Agosto de 2016, o setor de
Cadastro e Cartografia do Município de Criciúma, por intermédio da Consulta
Prévia (fl. 16 da NF), consignou que o índice de aproveitamento máximo do
imóvel identificado no Cadastro Territorial nº 10335 é de 2 (dois) pavimentos;
CONSIDERANDO, no entanto, que mesmo diante da informação
inserida na Consulta Prévia noticiada no parágrafo anterior desta Recomendação,
EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e
ocódigoCFF158.
fls. 7
Promotoria Regional do Meio Ambiente
9ª Promotoria de Justiça de Criciúma
Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone:
(48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br
dando conta de que o índice de aproveitamente máximo no imóvel em exame é
de 2 (dois) pavimentos, o Município de Criciúma, em 19 de Agosto de 2016,
expediu o Alvará de Licença nº 35660 em favor do Requerente “Villa Farnese
Incorporações Ltda.”, permitindo a construção de "um edifício de alvenaria para
fim residencial multifamiliar, com 11 pavimentos, constituído de 03 subsolos,
medindo 3.452,14 m2, pav. térreo, medindo 1.323,96 m2, 1º pavimento medindo
898,78 m2, 08 pavimentos tipo, medindo 7.057,04 m2, cobertura duplex, medindo
1.529,42 m2, medindo 34,08 m2, totalizando 14.295 m2, denominado Residencial
Monte Cristalino" (fl. 18 da NF), circunstância que, repita-se, está sendo
analisada pelo Ministério Público do Estado de Santa Catarina;
CONSIDERANDO que, não obstante a expedição do Alvará de
Licença nº 35660 para construção de um edifício e da Autorização para Corte de
Vegetação nº 079/17, extrai-se do Anexo 9 do Mapa de Zoneamento, que integra
os anexos que compõem o Plano Diretor Participativo do Município de Criciúma -
http://www.criciuma.sc.gov.br/site/upload/ckfinder/files/Anexo%2009%20-
%20Mapa%20de%20Zoneamento.pdf), que a área em exame é tratada no
mencionado Plano Diretor como sendo zona de área de proteção ambiental por
conta da declividade acima de 30% (trinta por cento) de inclinação, definida,
portanto, "como área 'Non aedificandi' de preservação do patrimônio ambiental
natural" (art. 152, § 4º, da Lei Complementar nº 095/2012);
CONSIDERANDO que o Instituto de Pesquisas Ambientais e
Tecnológicas (IPAT), em Julho de 2012, entregou para a cliente Fundação do
Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) um estudo denominado "Diagnóstico
Ambiental do Rio Criciúma, Santa Catarina", realizado na Bacia do Rio Criciúma,
oportunidade em que vários dados foram levantados, dentre eles, destaca-se
informações referente à declividade, segundo se extrai do Anexo 1.3 do Estudo
(Mapa de Declividade);
CONSIDERANDO que o estudo apontado no parágrafo anterior,
mais especificamente no Anexo 1.3 (Mapa de Declividade), destaca que a área
do imóvel em exame se encontra numa área com declividade igual ou superior a
EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e
ocódigoCFF158.
fls. 8
Promotoria Regional do Meio Ambiente
9ª Promotoria de Justiça de Criciúma
Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone:
(48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br
30% (trinta por cento);
CONSIDERANDO, portanto, que o Anexo 9 (Mapa de Zoneamento -
http://www.criciuma.sc.gov.br/site/upload/ckfinder/files/Anexo%2009%20-
%20Mapa%20de%20Zoneamento.pdf) do Plano Diretor Participativo do Município
de Criciúma e o citado "Diagnóstico Ambiental do Rio Criciúma" (Anexo 1.3 –
Mapa de Declividade) identificaram que a declividade da área do imóvel objeto
desta Recomendação é igual ou superior de 30% (trinta por cento) de inclinação;
CONSIDERANDO que do caderno do Processo nº 8497, que trata
da autorização para supressão de vegetação que tramita nessa fundação, mais
especificamente no Item 10 do Parecer Técnico nº 251/17, da lavra do
Engenheiro Agrônomo Lucas Michels Périco, CREA-SC 130830-5, Matrícula 120,
lotado na Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI), verifica-se que “o
requerente apresentou um projeto com perfis de declividade de solo, elaborado
pela Engenheira Civil Elaine Lavezzo Amboni (CREA 090468-6; ART 6215302-7),
ressaltando que a declividade máxima do terreno é de 30,30%”, corroborando
com as informações inseridas no Plano Diretor Participativo do Município de
Criciúma e no estudo realizado pelo Instituto de Pesquisas Ambientais e
Tecnológicas (IPAT), este último, frisa-se, contratado pela própria Fundação do
Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI);
CONSIDERANDO que também está anotado na própria Autorização
para Corte de Vegetação (AuC – nº 079/17), no item da licença intitulado
CONSIDERAÇÕES, que o “Projeto com perfis de declividade de solo, elaborado
pela Engenheira Civil Elaine Lavezzo Amboni (CREA 090468-6; ART 6215302-7),
ressaltando que a declividade máxima do terreno é de 30,30%, não
caracterizando a área como área de preservação permanente – APP” (fls.
135/136 do Processo nº 8497 da FAMCRI);
CONSIDERANDO que também se extrai do Processo nº 8497, que
trata da autorização de corte de vegetação na área em exame, que a Fundação
do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) se limitou apenas a analisar as
informações trazidas pelo Requerente “Villa Farnese Incorporações Ltda.”,
EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e
ocódigoCFF158.
fls. 9
Promotoria Regional do Meio Ambiente
9ª Promotoria de Justiça de Criciúma
Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone:
(48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br
deixando, contudo, de consultar a Lei Complementar nº 095/2012, que trata do
Plano Diretor Participativo do Município de Criciúma, e os Anexos que
acompanham o referido Plano Diretor, bem como as informações levantadas pelo
“Diagnóstico Ambiental do Rio Criciúma” contratado em 2012 pela própria
Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI);
CONSIDERANDO que também chama a atenção a informação
acostada no Processo nº 8497 pela própria Bióloga Mariana Mantovani, Crbio
075090/03, contratada pela Requerente “Villa Farnese Incorporações Ltda.”,
dando conta de que “o estudo faunístico não foi solicitado pela FAMCRI, onde
poderiam ser revistos metodologias de resgate de fauna, para pelo menos
minimizar os impactos sobre a fauna local. O técnico em vistoria havia
informado que a necessidade do estudo faunístico iria ser estudada” (grifo
nosso);
CONSIDERANDO que não há, até o presente momento, qualquer
documento nos autos do Processo nº 8497, que tramita na Fundação do Meio
Ambiente de Criciúma (FAMCRI), informando sobre a (des)necessidade do
referido estudo faunístico, mesmo tendo a Bióloga Mariana Mantovani, Crbio
075090/03, chamado a atenção do órgão ambiental municipal sobre a sua
necessidade, “para pelo menos minimizar os impactos sobre a fauna local”;
CONSIDERANDO que além das imagens juntadas no Processo nº
8497 pela Bióloga Mariana Mantovani, Crbio 075090/03, também se verifica pela
imagens vinculadas em redes sociais, que chegaram ao conhecimento do
Ministério Público do Estado de Santa Catarina, que a Fundação do Meio
Ambiente (FAMCRI) deixou de analisar, formalmente, a preocupação
apresentada pela referida Biologa no procedimento que gerou a Autorização de
Corte de Vegetação (AuC) nº 079/17;
CONSIDERANDO que a expedição da Autorização de Corte de
Vegetação (AuC) nº 079/17 foi expedida pela Fundação do Meio Ambiente de
Criciúma (FAMCRI) sem a realização, ou sequer indicação, da imperiosidade do
estudo faunístico alertado pela Bióloga Mariana Mantovani, Crbio 075090/03, de
EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e
ocódigoCFF158.
fls. 10
Promotoria Regional do Meio Ambiente
9ª Promotoria de Justiça de Criciúma
Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone:
(48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br
modo a se mostrar insuficiente a sua exigência no âmbito da autorização de corte
de vegetação sob análise, da sua pontecialidade lesiva ao meio ambiente;
CONSIDERANDO que para que se assegure a todos o direito ao
meio ambiente ecologicamente equilibrado, considerando as informações até aqui
levantadas, o procedimento administrativo que serviu de base para a expedição
da Autorização de Corte (Auc) nº 079/17 expedido pela Fundação do Meio
Ambiente de Criciúma (FAMCRI) não poderia ser resumido a uma mera análise
dos documentos apresentandos pela pessoa jurídica Requerente, devendo
compreender um estudo mais aprofundado, completo e exaustivo que permita o
conhecimento das condições ambientais e legais, avaliando a real dimensão dos
danos que a autorização de corte pode causar e a eficácia das medidas
preventivas e mitigadoras, para que seja possível autorizar-se, com segurança, a
autorização para corte;
CONSIDERANDO, desse modo, em face dos questionamentos sem
respostas ainda existentes entre os fundamentos utilizados para a expedição da
autorização de corte e a legislação a respeito da área em que ocorreu a
intervenção, das ilegalidades e/ou irregularidades que não foram constatadas
quando da instrução do Processo nº 8497, não poderia a Fundação do Meio
Ambiente de Criciúma (FAMCRI) expedir a Autorização de Corte (AuC) nº 079/77;
CONSIDERANDO, ainda, que a supressão noticiada no imóvel em
exame ocorreu, segundo a citada Representação e os demais elementos que
instruem o Processo Administrativo nº 8497, em área de vegetação nativa em
estágio médio de regeneração, pertencendo, na forma prevista na Lei nº
11.428/06 e no artigo 225, § 4º, da Constituição Federal de 1988, ao Bioma Mata
Atlântica, o qual é considerado patrimônio nacional, objeto de especial
preservação, sendo sua utilização autorizada somente em condições que
assegurem a preservação do meio ambiente;
CONSIDERANDO, ainda, que a Administração pode anular seus
próprios atos, quando eivados de vícios que os tornem ilegais, porque deles não
se originam direitos, de conformidade com a Súmula 473 do Supremo Tribunal
EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e
ocódigoCFF158.
fls. 11
Promotoria Regional do Meio Ambiente
9ª Promotoria de Justiça de Criciúma
Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone:
(48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br
Federal;
CONSIDERANDO que além dos princípios da legalidade,
impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, que, a teor do artigo 37 da
Constituição Federal de 1988, devem reger a Administração Pública em todos os
seus atos, outros já consagrados em nosso Estado Democrático de Direito, em
especial o princípio da supremacia do interesse público;
O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA, no
uso de suas atribuições constitucionais e legais, com base no inciso IV do
Parágrafo único do artigo 27 da Lei nº 8.625/93 (Lei Orgânica Nacional do
Ministério Público) RECOMENDA à Presidente da Fundação do Meio Ambiente
de Criciúma (FAMCRI), Anequéselem B. Fortunato, para que, imediatamente,
torne sem efeito a Autorização para Corte de Vegetação nº 079/17, expedida,
em 22 de Junho de 2017, em favor da pessoa jurídica “VILLA FARNESE
INCORPORAÇÕES LTDA., CNPJ 13.988.816/0001-17, com endereço na Rua
Domênico Sônego, 255, Bairro Santa Bárbara, Município de Criciúma, por conta
dos fundamentos acima expostos.
Como consequência do ato de anulação da Autorização para Corte
de Vegetação nº 079/17, RECOMENDA-SE o imediato embargo de qualquer
outra intervenção no imóvel localizado na Rua Fiuza da Rocha, s/nº, Bairro
Centro, Matricula 114.892, exceto obras emergenciais com o objetivo único de
evitar a ocorrência de movimentação de terras, sobretudo porque se trata de área
com declividade superior a 30% (trinta por cento).
RECOMENDA-SE, outrossim, que seja exigido pela Fundação do
Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) o "Estudo Faunístico" no remanescente de
vegetação da área em discussão, bem como seja realizado estudo técnico
visando a apurar de forma exata e imparcial qual a declividade da área em
questão;
EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e
ocódigoCFF158.
fls. 12
Promotoria Regional do Meio Ambiente
9ª Promotoria de Justiça de Criciúma
Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone:
(48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br
REQUISITA-SE, por fim, que Vossa Senhoria informe a esta
Promotoria de Justiça, no prazo de 24:00 horas (vinte e quatro horas), a
contar do recebimento da presente Recomendação, justificada pela urgência
do caso, quanto ao atendimento ou não da presente Recomendação.
Criciúma, 3 de Julho de 2017.
Luiz Fernando Góes Ulysséa
PROMOTOR DE JUSTIÇA
Assinado Digitalmente

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sentença 0902113-08.2014.8.24.0020
Sentença 0902113-08.2014.8.24.0020Sentença 0902113-08.2014.8.24.0020
Sentença 0902113-08.2014.8.24.0020
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Liminar bairro imigrantes
Liminar   bairro imigrantesLiminar   bairro imigrantes
Liminar bairro imigrantes
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Liminar construtora peruchi
Liminar   construtora peruchiLiminar   construtora peruchi
Liminar construtora peruchi
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Sentença locks - frankfurt
Sentença   locks - frankfurtSentença   locks - frankfurt
Sentença locks - frankfurt
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Liminar prad
Liminar   pradLiminar   prad
Autos nº 0900399 76.2015
Autos nº 0900399 76.2015Autos nº 0900399 76.2015
Autos nº 0900399 76.2015
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Adin apa
Adin apaAdin apa
Sentença muro
Sentença   muroSentença   muro
Decisão negando liminar br parking
Decisão negando liminar   br parkingDecisão negando liminar   br parking
Decisão negando liminar br parking
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Decisão
DecisãoDecisão
0900522 06.2017.8.24.0020 (1)
0900522 06.2017.8.24.0020 (1)0900522 06.2017.8.24.0020 (1)
0900522 06.2017.8.24.0020 (1)
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Acordão agravo
Acordão agravoAcordão agravo
0900762 92.2017.8.24.0020 (1)
0900762 92.2017.8.24.0020 (1)0900762 92.2017.8.24.0020 (1)
0900762 92.2017.8.24.0020 (1)
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
0900727 35.2017.8.24.0020 (1)
0900727 35.2017.8.24.0020 (1)0900727 35.2017.8.24.0020 (1)
0900727 35.2017.8.24.0020 (1)
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Document (4)
Document (4)Document (4)
Sentença ademar casagrande
Sentença   ademar casagrandeSentença   ademar casagrande
Sentença ademar casagrande
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Reexame necessário
Reexame necessárioReexame necessário
Reexame necessário
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
310003052240 - eproc - __
   310003052240 - eproc - __   310003052240 - eproc - __
310003052240 - eproc - __
Ministério Público de Santa Catarina
 
Petição Inicial acp licenciamento
Petição Inicial acp licenciamentoPetição Inicial acp licenciamento
Petição Inicial acp licenciamento
Ministério Público de Santa Catarina
 
Ação improbidade gilso cherubin - construção - app [06.2014.00000019-8]
Ação improbidade   gilso cherubin - construção - app [06.2014.00000019-8]Ação improbidade   gilso cherubin - construção - app [06.2014.00000019-8]
Ação improbidade gilso cherubin - construção - app [06.2014.00000019-8]
Eduardo Sens Dos Santos
 

Mais procurados (20)

Sentença 0902113-08.2014.8.24.0020
Sentença 0902113-08.2014.8.24.0020Sentença 0902113-08.2014.8.24.0020
Sentença 0902113-08.2014.8.24.0020
 
Liminar bairro imigrantes
Liminar   bairro imigrantesLiminar   bairro imigrantes
Liminar bairro imigrantes
 
Liminar construtora peruchi
Liminar   construtora peruchiLiminar   construtora peruchi
Liminar construtora peruchi
 
Sentença locks - frankfurt
Sentença   locks - frankfurtSentença   locks - frankfurt
Sentença locks - frankfurt
 
Liminar prad
Liminar   pradLiminar   prad
Liminar prad
 
Autos nº 0900399 76.2015
Autos nº 0900399 76.2015Autos nº 0900399 76.2015
Autos nº 0900399 76.2015
 
Adin apa
Adin apaAdin apa
Adin apa
 
Sentença muro
Sentença   muroSentença   muro
Sentença muro
 
Decisão negando liminar br parking
Decisão negando liminar   br parkingDecisão negando liminar   br parking
Decisão negando liminar br parking
 
Decisão
DecisãoDecisão
Decisão
 
0900522 06.2017.8.24.0020 (1)
0900522 06.2017.8.24.0020 (1)0900522 06.2017.8.24.0020 (1)
0900522 06.2017.8.24.0020 (1)
 
Acordão agravo
Acordão agravoAcordão agravo
Acordão agravo
 
0900762 92.2017.8.24.0020 (1)
0900762 92.2017.8.24.0020 (1)0900762 92.2017.8.24.0020 (1)
0900762 92.2017.8.24.0020 (1)
 
0900727 35.2017.8.24.0020 (1)
0900727 35.2017.8.24.0020 (1)0900727 35.2017.8.24.0020 (1)
0900727 35.2017.8.24.0020 (1)
 
Document (4)
Document (4)Document (4)
Document (4)
 
Sentença ademar casagrande
Sentença   ademar casagrandeSentença   ademar casagrande
Sentença ademar casagrande
 
Reexame necessário
Reexame necessárioReexame necessário
Reexame necessário
 
310003052240 - eproc - __
   310003052240 - eproc - __   310003052240 - eproc - __
310003052240 - eproc - __
 
Petição Inicial acp licenciamento
Petição Inicial acp licenciamentoPetição Inicial acp licenciamento
Petição Inicial acp licenciamento
 
Ação improbidade gilso cherubin - construção - app [06.2014.00000019-8]
Ação improbidade   gilso cherubin - construção - app [06.2014.00000019-8]Ação improbidade   gilso cherubin - construção - app [06.2014.00000019-8]
Ação improbidade gilso cherubin - construção - app [06.2014.00000019-8]
 

Semelhante a Recomendação famcri

Tac parque shopping
Tac   parque shoppingTac   parque shopping
Tac parque shopping
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Liminar valmir zoche
Liminar   valmir zocheLiminar   valmir zoche
Liminar valmir zoche
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Sentença valmir
Sentença   valmirSentença   valmir
Decisão dos autos n. 020.13.022326-3
Decisão dos autos n. 020.13.022326-3Decisão dos autos n. 020.13.022326-3
Decisão dos autos n. 020.13.022326-3
Gabrielrf
 
Decisão liminar loteamento girassóis
Decisão liminar   loteamento girassóisDecisão liminar   loteamento girassóis
Decisão liminar loteamento girassóis
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Edital concurso icm bio 2021
Edital   concurso icm bio 2021Edital   concurso icm bio 2021
Edital concurso icm bio 2021
Danielly Crespi
 
TAC do IC 06.2013.00006250-3
TAC do IC 06.2013.00006250-3TAC do IC 06.2013.00006250-3
TAC do IC 06.2013.00006250-3
Gabrielrf
 
Decisão 020.13.019685-1
Decisão 020.13.019685-1Decisão 020.13.019685-1
Decisão 020.13.019685-1
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Decisão 020.13.019685-1
Decisão 020.13.019685-1Decisão 020.13.019685-1
Decisão 020.13.019685-1
Gabrielrf
 
acao e decisao liminar supermercado gaivotas
acao e decisao liminar supermercado gaivotasacao e decisao liminar supermercado gaivotas
acao e decisao liminar supermercado gaivotas
Ministério Público de Santa Catarina
 
Reexame necessário n. 2014.013189 6
Reexame necessário n. 2014.013189 6Reexame necessário n. 2014.013189 6
Reexame necessário n. 2014.013189 6
Ministério Público de Santa Catarina
 
Tac firmado com Gilmar Fávero
Tac firmado com Gilmar FáveroTac firmado com Gilmar Fávero
Tac firmado com Gilmar Fávero
Ministério Público de Santa Catarina
 
MPSC recomenda que Prefeitura de Chapecó notifique empresa de coleta de lixo ...
MPSC recomenda que Prefeitura de Chapecó notifique empresa de coleta de lixo ...MPSC recomenda que Prefeitura de Chapecó notifique empresa de coleta de lixo ...
MPSC recomenda que Prefeitura de Chapecó notifique empresa de coleta de lixo ...
Ministério Público de Santa Catarina
 
Portaria parque shopping
Portaria   parque shoppingPortaria   parque shopping
Portaria parque shopping
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
8000094 70.2017.8.24.0000
8000094 70.2017.8.24.00008000094 70.2017.8.24.0000
8000094 70.2017.8.24.0000
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
0900407 19.2016.8.24.0020
0900407 19.2016.8.24.00200900407 19.2016.8.24.0020
0900407 19.2016.8.24.0020
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbaraTac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Resgate Cambuí
 
Tac Cetesb/Delta A e outros
Tac Cetesb/Delta A e outrosTac Cetesb/Delta A e outros
Tac Cetesb/Delta A e outros
Laura Magalhães
 
Cetesb-Delta A -LO 2012
Cetesb-Delta A  -LO 2012Cetesb-Delta A  -LO 2012
Cetesb-Delta A -LO 2012
Lia Prado
 
Delta A/Cetesb/ LO 2012
Delta A/Cetesb/ LO 2012Delta A/Cetesb/ LO 2012
Delta A/Cetesb/ LO 2012
Laura Magalhães
 

Semelhante a Recomendação famcri (20)

Tac parque shopping
Tac   parque shoppingTac   parque shopping
Tac parque shopping
 
Liminar valmir zoche
Liminar   valmir zocheLiminar   valmir zoche
Liminar valmir zoche
 
Sentença valmir
Sentença   valmirSentença   valmir
Sentença valmir
 
Decisão dos autos n. 020.13.022326-3
Decisão dos autos n. 020.13.022326-3Decisão dos autos n. 020.13.022326-3
Decisão dos autos n. 020.13.022326-3
 
Decisão liminar loteamento girassóis
Decisão liminar   loteamento girassóisDecisão liminar   loteamento girassóis
Decisão liminar loteamento girassóis
 
Edital concurso icm bio 2021
Edital   concurso icm bio 2021Edital   concurso icm bio 2021
Edital concurso icm bio 2021
 
TAC do IC 06.2013.00006250-3
TAC do IC 06.2013.00006250-3TAC do IC 06.2013.00006250-3
TAC do IC 06.2013.00006250-3
 
Decisão 020.13.019685-1
Decisão 020.13.019685-1Decisão 020.13.019685-1
Decisão 020.13.019685-1
 
Decisão 020.13.019685-1
Decisão 020.13.019685-1Decisão 020.13.019685-1
Decisão 020.13.019685-1
 
acao e decisao liminar supermercado gaivotas
acao e decisao liminar supermercado gaivotasacao e decisao liminar supermercado gaivotas
acao e decisao liminar supermercado gaivotas
 
Reexame necessário n. 2014.013189 6
Reexame necessário n. 2014.013189 6Reexame necessário n. 2014.013189 6
Reexame necessário n. 2014.013189 6
 
Tac firmado com Gilmar Fávero
Tac firmado com Gilmar FáveroTac firmado com Gilmar Fávero
Tac firmado com Gilmar Fávero
 
MPSC recomenda que Prefeitura de Chapecó notifique empresa de coleta de lixo ...
MPSC recomenda que Prefeitura de Chapecó notifique empresa de coleta de lixo ...MPSC recomenda que Prefeitura de Chapecó notifique empresa de coleta de lixo ...
MPSC recomenda que Prefeitura de Chapecó notifique empresa de coleta de lixo ...
 
Portaria parque shopping
Portaria   parque shoppingPortaria   parque shopping
Portaria parque shopping
 
8000094 70.2017.8.24.0000
8000094 70.2017.8.24.00008000094 70.2017.8.24.0000
8000094 70.2017.8.24.0000
 
0900407 19.2016.8.24.0020
0900407 19.2016.8.24.00200900407 19.2016.8.24.0020
0900407 19.2016.8.24.0020
 
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbaraTac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
Tac cetesb aterro delta a pirelli santa barbara
 
Tac Cetesb/Delta A e outros
Tac Cetesb/Delta A e outrosTac Cetesb/Delta A e outros
Tac Cetesb/Delta A e outros
 
Cetesb-Delta A -LO 2012
Cetesb-Delta A  -LO 2012Cetesb-Delta A  -LO 2012
Cetesb-Delta A -LO 2012
 
Delta A/Cetesb/ LO 2012
Delta A/Cetesb/ LO 2012Delta A/Cetesb/ LO 2012
Delta A/Cetesb/ LO 2012
 

Mais de Luiz Fernando Góes Ulysséa

Document (2)
Document (2)Document (2)
Pasta digital 0900700-09.2018.8.24.0023
Pasta digital    0900700-09.2018.8.24.0023Pasta digital    0900700-09.2018.8.24.0023
Pasta digital 0900700-09.2018.8.24.0023
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Scanned image-2
Scanned image-2Scanned image-2
Scanned image-2
Scanned image-2Scanned image-2
Cartilha conselho municipalidoso
Cartilha conselho municipalidosoCartilha conselho municipalidoso
Cartilha conselho municipalidoso
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Ageu spillere 2.pdf
Ageu spillere 2.pdfAgeu spillere 2.pdf
Ageu spillere 2.pdf
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Digitalizar 2017 12_06_10_28_45_445
Digitalizar 2017 12_06_10_28_45_445Digitalizar 2017 12_06_10_28_45_445
Digitalizar 2017 12_06_10_28_45_445
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
8000506 98.2017.8.24.0000
8000506 98.2017.8.24.00008000506 98.2017.8.24.0000
8000506 98.2017.8.24.0000
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
0000052 05.2014.8.24.0020
0000052 05.2014.8.24.00200000052 05.2014.8.24.0020
0000052 05.2014.8.24.0020
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Sentença para o blog
Sentença para o blogSentença para o blog
Sentença para o blog
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
8000472 60.2016.8.24.0000
8000472 60.2016.8.24.00008000472 60.2016.8.24.0000
8000472 60.2016.8.24.0000
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Denuncia08 170714122334
Denuncia08 170714122334Denuncia08 170714122334
Denuncia08 170714122334
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Digitalizar 2017 06_14_17_57_58_700
Digitalizar 2017 06_14_17_57_58_700Digitalizar 2017 06_14_17_57_58_700
Digitalizar 2017 06_14_17_57_58_700
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Sentença ete casan
Sentença ete casanSentença ete casan
Sentença ete casan
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Digitalizar 2017 05_08_16_20_35_253
Digitalizar 2017 05_08_16_20_35_253Digitalizar 2017 05_08_16_20_35_253
Digitalizar 2017 05_08_16_20_35_253
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
Digitalizar 2017 04_27_18_19_05_104
Digitalizar 2017 04_27_18_19_05_104Digitalizar 2017 04_27_18_19_05_104
Digitalizar 2017 04_27_18_19_05_104
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
0900560 52.2016.8.24.0020.pdf
0900560 52.2016.8.24.0020.pdf0900560 52.2016.8.24.0020.pdf
0900560 52.2016.8.24.0020.pdf
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 
(Decisão efeito suspensivo.pdf)
(Decisão efeito suspensivo.pdf)(Decisão efeito suspensivo.pdf)
(Decisão efeito suspensivo.pdf)
Luiz Fernando Góes Ulysséa
 

Mais de Luiz Fernando Góes Ulysséa (20)

Document (2)
Document (2)Document (2)
Document (2)
 
Pasta digital 0900700-09.2018.8.24.0023
Pasta digital    0900700-09.2018.8.24.0023Pasta digital    0900700-09.2018.8.24.0023
Pasta digital 0900700-09.2018.8.24.0023
 
Scanned image-2
Scanned image-2Scanned image-2
Scanned image-2
 
Scanned image-2
Scanned image-2Scanned image-2
Scanned image-2
 
Cartilha conselho municipalidoso
Cartilha conselho municipalidosoCartilha conselho municipalidoso
Cartilha conselho municipalidoso
 
Ageu spillere 2.pdf
Ageu spillere 2.pdfAgeu spillere 2.pdf
Ageu spillere 2.pdf
 
Digitalizar 2017 12_06_10_28_45_445
Digitalizar 2017 12_06_10_28_45_445Digitalizar 2017 12_06_10_28_45_445
Digitalizar 2017 12_06_10_28_45_445
 
8000506 98.2017.8.24.0000
8000506 98.2017.8.24.00008000506 98.2017.8.24.0000
8000506 98.2017.8.24.0000
 
0000052 05.2014.8.24.0020
0000052 05.2014.8.24.00200000052 05.2014.8.24.0020
0000052 05.2014.8.24.0020
 
Sentença para o blog
Sentença para o blogSentença para o blog
Sentença para o blog
 
8000472 60.2016.8.24.0000
8000472 60.2016.8.24.00008000472 60.2016.8.24.0000
8000472 60.2016.8.24.0000
 
Denuncia08 170714122334
Denuncia08 170714122334Denuncia08 170714122334
Denuncia08 170714122334
 
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
 
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
0026182 66.2013.8.24.0020 (1)
 
Digitalizar 2017 06_14_17_57_58_700
Digitalizar 2017 06_14_17_57_58_700Digitalizar 2017 06_14_17_57_58_700
Digitalizar 2017 06_14_17_57_58_700
 
Sentença ete casan
Sentença ete casanSentença ete casan
Sentença ete casan
 
Digitalizar 2017 05_08_16_20_35_253
Digitalizar 2017 05_08_16_20_35_253Digitalizar 2017 05_08_16_20_35_253
Digitalizar 2017 05_08_16_20_35_253
 
Digitalizar 2017 04_27_18_19_05_104
Digitalizar 2017 04_27_18_19_05_104Digitalizar 2017 04_27_18_19_05_104
Digitalizar 2017 04_27_18_19_05_104
 
0900560 52.2016.8.24.0020.pdf
0900560 52.2016.8.24.0020.pdf0900560 52.2016.8.24.0020.pdf
0900560 52.2016.8.24.0020.pdf
 
(Decisão efeito suspensivo.pdf)
(Decisão efeito suspensivo.pdf)(Decisão efeito suspensivo.pdf)
(Decisão efeito suspensivo.pdf)
 

Recomendação famcri

  • 1. EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e ocódigoCFF158. fls. 5 Promotoria Regional do Meio Ambiente 9ª Promotoria de Justiça de Criciúma Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone: (48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br Assunto: Recomendação - Tornar sem efeito a Autorização para Corde de Vegetação nº 079/17, expedida em favor da pessoa jurídica “VILLA FARNESE INCORPORAÇÕES LTDA., CNPJ 13.988.816/0001-17 Ao responder, favor mencionar o IC - Inquérito Civil nº 06.2017.00003916-2 RECOMENDAÇÃO 0029/2017/09PJ/CRI Senhora Presidente, CONSIDERANDO que chegou ao conhecimento do Ministério Público do Estado de Santa Catarina a Representação autuada sob o nº 02.2017.00050043-0, posteriormente convertida na Notíca de Fato nº 01.2017.00013105-6, dando conta de que no imóvel urbano localizado na Rua Engenheiro Fiuza da Rocha, Bairro Centro, Município de Criciúma, está previsto a construção do "empreendimento Condomínio Edifício Residencial Monte Cristallo (edificação vertical), da empresa "Villa Farnese Incorporações LTDA (CNPJ 13.988.816/0001-17), pertencente ao Grupo Fontana"; CONSIDERANDO, segundo esta mesma Representação, que o referido empreendimento provocará "impactos negativos à área de influência direta, bem como para toda a comunidade circunvizinha, saúde pública e ao meio ambiente", sobretudo porque ocorrerá a "destruição da biodiversidade de grande porte a ser instalado em zona inadequada para a atividade e possuindo irregularidade em seu processo de obtenção de autorização, junto à Prefeitura e a Fundação Municipal do Meio Ambiente"; Ilma. Senhora ANEQUÉSSELEN BITENCOURT FORTUNATO Presidente da Fundação do Meio Ambiente de Criciúma - FAMCRI Rua Saldanha da Gama, Bairro Comerciário NESTA CEP 88802-470
  • 2. EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e ocódigoCFF158. fls. 6 Promotoria Regional do Meio Ambiente 9ª Promotoria de Justiça de Criciúma Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone: (48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br CONSIDERANDO que a Representação ainda relata que na área do citado imóvel "possui vegetação em estágio médio de regeneração natural, ou seja, área de grande valor ecológico, com biodiversidade de fauna e flora, sendo que deve ser protegido e conservado"; CONSIDERANDO que a Representação também informa que o nível de inclusão dos diâmetros dos indivíduos apresentado pela bióloga responsável pelo inventário florestal é inferior aquele fixado na Instrução Normativa nº 24 da FATMA, que é igual ou superior a 4,0 cm, e que a inclinação de 30% (trinta por cento) da área do imóvel exige uma atenção especial, especialmente porque o “solo atualmente é estabilizado pela vegetação que o sustenta de erosão e processos de movimentação de massa”; CONSIDERANDO que a Representação sustenta que o imóvel está localizado em área em que o índice de aproveitamento é de 2 (dois) pavimentos, entretanto, aponta que “a funcionária da prefeitura, fiscal Lara Thomaz da Silva, inseriu a caneta, as informações de ampliação da Zona do referido terreno, autorizando a instalação de mais pavimentos nesta área”, ou seja, classificou como sendo ZR-3, circunstância que também está sendo analisada pelo Ministério Público do Estado de Santa Catarina; CONSIDERANDO que a partir do momento em que a Representação aportou na 9ª Promotoria de Justiça, com atuação na Defesa do Meio Ambiente, foi instaurado a Notícia de Fato nº 01.2017.00013105-6, posteriormente convertido no Inquérito Civil nº 06.2017.00003916-2, com o objetivo de apurar os fatos noticiados no corpo da Representação; CONSIDERANDO que, segundo se extrai dos documentos que acompanham a aludida Representação, em 12 de Agosto de 2016, o setor de Cadastro e Cartografia do Município de Criciúma, por intermédio da Consulta Prévia (fl. 16 da NF), consignou que o índice de aproveitamento máximo do imóvel identificado no Cadastro Territorial nº 10335 é de 2 (dois) pavimentos; CONSIDERANDO, no entanto, que mesmo diante da informação inserida na Consulta Prévia noticiada no parágrafo anterior desta Recomendação,
  • 3. EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e ocódigoCFF158. fls. 7 Promotoria Regional do Meio Ambiente 9ª Promotoria de Justiça de Criciúma Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone: (48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br dando conta de que o índice de aproveitamente máximo no imóvel em exame é de 2 (dois) pavimentos, o Município de Criciúma, em 19 de Agosto de 2016, expediu o Alvará de Licença nº 35660 em favor do Requerente “Villa Farnese Incorporações Ltda.”, permitindo a construção de "um edifício de alvenaria para fim residencial multifamiliar, com 11 pavimentos, constituído de 03 subsolos, medindo 3.452,14 m2, pav. térreo, medindo 1.323,96 m2, 1º pavimento medindo 898,78 m2, 08 pavimentos tipo, medindo 7.057,04 m2, cobertura duplex, medindo 1.529,42 m2, medindo 34,08 m2, totalizando 14.295 m2, denominado Residencial Monte Cristalino" (fl. 18 da NF), circunstância que, repita-se, está sendo analisada pelo Ministério Público do Estado de Santa Catarina; CONSIDERANDO que, não obstante a expedição do Alvará de Licença nº 35660 para construção de um edifício e da Autorização para Corte de Vegetação nº 079/17, extrai-se do Anexo 9 do Mapa de Zoneamento, que integra os anexos que compõem o Plano Diretor Participativo do Município de Criciúma - http://www.criciuma.sc.gov.br/site/upload/ckfinder/files/Anexo%2009%20- %20Mapa%20de%20Zoneamento.pdf), que a área em exame é tratada no mencionado Plano Diretor como sendo zona de área de proteção ambiental por conta da declividade acima de 30% (trinta por cento) de inclinação, definida, portanto, "como área 'Non aedificandi' de preservação do patrimônio ambiental natural" (art. 152, § 4º, da Lei Complementar nº 095/2012); CONSIDERANDO que o Instituto de Pesquisas Ambientais e Tecnológicas (IPAT), em Julho de 2012, entregou para a cliente Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) um estudo denominado "Diagnóstico Ambiental do Rio Criciúma, Santa Catarina", realizado na Bacia do Rio Criciúma, oportunidade em que vários dados foram levantados, dentre eles, destaca-se informações referente à declividade, segundo se extrai do Anexo 1.3 do Estudo (Mapa de Declividade); CONSIDERANDO que o estudo apontado no parágrafo anterior, mais especificamente no Anexo 1.3 (Mapa de Declividade), destaca que a área do imóvel em exame se encontra numa área com declividade igual ou superior a
  • 4. EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e ocódigoCFF158. fls. 8 Promotoria Regional do Meio Ambiente 9ª Promotoria de Justiça de Criciúma Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone: (48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br 30% (trinta por cento); CONSIDERANDO, portanto, que o Anexo 9 (Mapa de Zoneamento - http://www.criciuma.sc.gov.br/site/upload/ckfinder/files/Anexo%2009%20- %20Mapa%20de%20Zoneamento.pdf) do Plano Diretor Participativo do Município de Criciúma e o citado "Diagnóstico Ambiental do Rio Criciúma" (Anexo 1.3 – Mapa de Declividade) identificaram que a declividade da área do imóvel objeto desta Recomendação é igual ou superior de 30% (trinta por cento) de inclinação; CONSIDERANDO que do caderno do Processo nº 8497, que trata da autorização para supressão de vegetação que tramita nessa fundação, mais especificamente no Item 10 do Parecer Técnico nº 251/17, da lavra do Engenheiro Agrônomo Lucas Michels Périco, CREA-SC 130830-5, Matrícula 120, lotado na Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI), verifica-se que “o requerente apresentou um projeto com perfis de declividade de solo, elaborado pela Engenheira Civil Elaine Lavezzo Amboni (CREA 090468-6; ART 6215302-7), ressaltando que a declividade máxima do terreno é de 30,30%”, corroborando com as informações inseridas no Plano Diretor Participativo do Município de Criciúma e no estudo realizado pelo Instituto de Pesquisas Ambientais e Tecnológicas (IPAT), este último, frisa-se, contratado pela própria Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI); CONSIDERANDO que também está anotado na própria Autorização para Corte de Vegetação (AuC – nº 079/17), no item da licença intitulado CONSIDERAÇÕES, que o “Projeto com perfis de declividade de solo, elaborado pela Engenheira Civil Elaine Lavezzo Amboni (CREA 090468-6; ART 6215302-7), ressaltando que a declividade máxima do terreno é de 30,30%, não caracterizando a área como área de preservação permanente – APP” (fls. 135/136 do Processo nº 8497 da FAMCRI); CONSIDERANDO que também se extrai do Processo nº 8497, que trata da autorização de corte de vegetação na área em exame, que a Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) se limitou apenas a analisar as informações trazidas pelo Requerente “Villa Farnese Incorporações Ltda.”,
  • 5. EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e ocódigoCFF158. fls. 9 Promotoria Regional do Meio Ambiente 9ª Promotoria de Justiça de Criciúma Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone: (48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br deixando, contudo, de consultar a Lei Complementar nº 095/2012, que trata do Plano Diretor Participativo do Município de Criciúma, e os Anexos que acompanham o referido Plano Diretor, bem como as informações levantadas pelo “Diagnóstico Ambiental do Rio Criciúma” contratado em 2012 pela própria Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI); CONSIDERANDO que também chama a atenção a informação acostada no Processo nº 8497 pela própria Bióloga Mariana Mantovani, Crbio 075090/03, contratada pela Requerente “Villa Farnese Incorporações Ltda.”, dando conta de que “o estudo faunístico não foi solicitado pela FAMCRI, onde poderiam ser revistos metodologias de resgate de fauna, para pelo menos minimizar os impactos sobre a fauna local. O técnico em vistoria havia informado que a necessidade do estudo faunístico iria ser estudada” (grifo nosso); CONSIDERANDO que não há, até o presente momento, qualquer documento nos autos do Processo nº 8497, que tramita na Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI), informando sobre a (des)necessidade do referido estudo faunístico, mesmo tendo a Bióloga Mariana Mantovani, Crbio 075090/03, chamado a atenção do órgão ambiental municipal sobre a sua necessidade, “para pelo menos minimizar os impactos sobre a fauna local”; CONSIDERANDO que além das imagens juntadas no Processo nº 8497 pela Bióloga Mariana Mantovani, Crbio 075090/03, também se verifica pela imagens vinculadas em redes sociais, que chegaram ao conhecimento do Ministério Público do Estado de Santa Catarina, que a Fundação do Meio Ambiente (FAMCRI) deixou de analisar, formalmente, a preocupação apresentada pela referida Biologa no procedimento que gerou a Autorização de Corte de Vegetação (AuC) nº 079/17; CONSIDERANDO que a expedição da Autorização de Corte de Vegetação (AuC) nº 079/17 foi expedida pela Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) sem a realização, ou sequer indicação, da imperiosidade do estudo faunístico alertado pela Bióloga Mariana Mantovani, Crbio 075090/03, de
  • 6. EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e ocódigoCFF158. fls. 10 Promotoria Regional do Meio Ambiente 9ª Promotoria de Justiça de Criciúma Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone: (48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br modo a se mostrar insuficiente a sua exigência no âmbito da autorização de corte de vegetação sob análise, da sua pontecialidade lesiva ao meio ambiente; CONSIDERANDO que para que se assegure a todos o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, considerando as informações até aqui levantadas, o procedimento administrativo que serviu de base para a expedição da Autorização de Corte (Auc) nº 079/17 expedido pela Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) não poderia ser resumido a uma mera análise dos documentos apresentandos pela pessoa jurídica Requerente, devendo compreender um estudo mais aprofundado, completo e exaustivo que permita o conhecimento das condições ambientais e legais, avaliando a real dimensão dos danos que a autorização de corte pode causar e a eficácia das medidas preventivas e mitigadoras, para que seja possível autorizar-se, com segurança, a autorização para corte; CONSIDERANDO, desse modo, em face dos questionamentos sem respostas ainda existentes entre os fundamentos utilizados para a expedição da autorização de corte e a legislação a respeito da área em que ocorreu a intervenção, das ilegalidades e/ou irregularidades que não foram constatadas quando da instrução do Processo nº 8497, não poderia a Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) expedir a Autorização de Corte (AuC) nº 079/77; CONSIDERANDO, ainda, que a supressão noticiada no imóvel em exame ocorreu, segundo a citada Representação e os demais elementos que instruem o Processo Administrativo nº 8497, em área de vegetação nativa em estágio médio de regeneração, pertencendo, na forma prevista na Lei nº 11.428/06 e no artigo 225, § 4º, da Constituição Federal de 1988, ao Bioma Mata Atlântica, o qual é considerado patrimônio nacional, objeto de especial preservação, sendo sua utilização autorizada somente em condições que assegurem a preservação do meio ambiente; CONSIDERANDO, ainda, que a Administração pode anular seus próprios atos, quando eivados de vícios que os tornem ilegais, porque deles não se originam direitos, de conformidade com a Súmula 473 do Supremo Tribunal
  • 7. EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e ocódigoCFF158. fls. 11 Promotoria Regional do Meio Ambiente 9ª Promotoria de Justiça de Criciúma Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone: (48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br Federal; CONSIDERANDO que além dos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, que, a teor do artigo 37 da Constituição Federal de 1988, devem reger a Administração Pública em todos os seus atos, outros já consagrados em nosso Estado Democrático de Direito, em especial o princípio da supremacia do interesse público; O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, com base no inciso IV do Parágrafo único do artigo 27 da Lei nº 8.625/93 (Lei Orgânica Nacional do Ministério Público) RECOMENDA à Presidente da Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI), Anequéselem B. Fortunato, para que, imediatamente, torne sem efeito a Autorização para Corte de Vegetação nº 079/17, expedida, em 22 de Junho de 2017, em favor da pessoa jurídica “VILLA FARNESE INCORPORAÇÕES LTDA., CNPJ 13.988.816/0001-17, com endereço na Rua Domênico Sônego, 255, Bairro Santa Bárbara, Município de Criciúma, por conta dos fundamentos acima expostos. Como consequência do ato de anulação da Autorização para Corte de Vegetação nº 079/17, RECOMENDA-SE o imediato embargo de qualquer outra intervenção no imóvel localizado na Rua Fiuza da Rocha, s/nº, Bairro Centro, Matricula 114.892, exceto obras emergenciais com o objetivo único de evitar a ocorrência de movimentação de terras, sobretudo porque se trata de área com declividade superior a 30% (trinta por cento). RECOMENDA-SE, outrossim, que seja exigido pela Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (FAMCRI) o "Estudo Faunístico" no remanescente de vegetação da área em discussão, bem como seja realizado estudo técnico visando a apurar de forma exata e imparcial qual a declividade da área em questão;
  • 8. EstedocumentoécópiadooriginalassinadodigitalmenteporLUIZFERNANDOGOESULYSSEA.Paraconferirooriginal,acesseositehttp://www.mpsc.mp.br,informeoprocesso06.2017.00003916-2e ocódigoCFF158. fls. 12 Promotoria Regional do Meio Ambiente 9ª Promotoria de Justiça de Criciúma Av. Santos Dumont, s/n, 2º andar, Fórum da Comarca de Criciúma, Milanesi, Criciúma-SC - CEP 88804-500 Telefone: (48) 3431-5368, E-mail: Criciuma09PJ@mp.sc.gov.br REQUISITA-SE, por fim, que Vossa Senhoria informe a esta Promotoria de Justiça, no prazo de 24:00 horas (vinte e quatro horas), a contar do recebimento da presente Recomendação, justificada pela urgência do caso, quanto ao atendimento ou não da presente Recomendação. Criciúma, 3 de Julho de 2017. Luiz Fernando Góes Ulysséa PROMOTOR DE JUSTIÇA Assinado Digitalmente