SlideShare uma empresa Scribd logo
Quimica ambiental
ALTERAÇÕES
AMBIENTAIS:
Poluição das Águas;
Poluição do Ar:
Efeito Estufa;
Camada de Ozônio;
Chuva Ácida.
Poluição dos Solos.
POLUIÇÃO:
Introdução de substâncias no
ambiente que normalmente não
são encontradas, ou que existem
em pequenas quantidades.
Poluente: detrito introduzido num
ecossistema não adaptado a ele,
ou que não o suporta nas
quantidades em que é feito.
O conceito de poluente depende
de fatores como:
 tipo de substância envolvida,
 sua concentração,
 tipo de ecossistema envolvido,
 tolerância dos organismos
envolvidos
 combinação dessa substância
com outros componentes do
ambiente.
O CO2 dependendo da concentração
na atmosfera poderá desempenhar
funções:
Benéficas: Estimulando o processo
fotossintético.
Prejudiciais: Intensificando o
efeito estufa e provocando
aquecimento global.
ExemploExemplo
Poluição das Águas
Agentes poluidores:
 Microorganismos;
 Esgotos residenciais;
 Fertilizantes Agrícolas;
 Compostos Orgânicos: Ex.:
detergentes, solventes, inseticidas.
 Compostos Inorgânicos: Ex. Metais
Pesados.
ESQUEMA DE TRATAMENTO DA
ÁGUA
Aspectos Ligados à Poluição da
Água:
Aumento da matéria orgânica;
Aumento do número de bactérias;
Aumento do consumo de oxigênio e
diminuição desse gás na água;
Morte dos seres aeróbicos;
Proliferação de organismos
anaeróbicos;
Acúmulo de resíduos em função da
degradação incompleta da matéria
orgânica.
Eutrofização das águas
É o aumento da disponibilidade
de nutrientes minerais, de
forma natural ou pela liberação
de esgotos e fertilizantes
químicos, em ambientes
aquáticos, que favorece a
proliferação de algas e plantas.
Quimica ambiental
Maré Vermelha
Eliminação de nutrientes em
ambientes marinhos(nitratos e
fosfatos);
Produção e liberação de toxinas
letais no meio.
Mortalidade de peixes, moluscos,
crustáceos, podendo afetar outros
animais que se alimentam de
outros animais contaminados
Quimica ambiental
Poluição do Ar
Resulta da emissão de gases poluentes
ou de partículas sólidas na atmosfera.
Efeitos sobre a saúde humana:
provoca diversas doenças crônicas tais
como a asma, bronquite crônica,
infecções nos pulmões, enfisema
pulmonar, doenças do coração e câncer
do pulmão.
Efeito Estufa
É um processo que ocorre quando uma
parte da radiação solar refletida pela
superfície terrestre é absorvida por
determinados gases presentes na
atmosfera.
Como consequência disso, o calor fica
retido, não sendo liberado ao espaço.
O efeito estufa dentro de uma
determinada faixa é de vital
importância pois, sem ele, a vida como
a conhecemos não poderia existir.
Gás carbônico (CO2)
Liberado na atmosfera a partir da
queima de combustíveis fósseis, e
queimadas nas florestas
A principal consequência da emissão de
CO2 é o aumento do efeito estufa.
Outros gases que também contribuem
para o aumento do efeito estufa são o
metano, óxido nitroso, vapor de água,
CFC.
Consequências do Efeito
Estufa
aumento da temperatura
atmosférica;
alterações climáticas;
degelo de calotas polares
extinção de espécies;
inundação de áreas
litorâneas.
Quimica ambiental
Quimica ambiental
Chuva Ácida
Decorrente da liberação de resíduos
gasosos ( óxido de enxofre e o óxido
de nitrogênio), na atmosfera
durante a queima de combustíveis
fósseis e atividade industrial.
Na atmosfera esses gases reagem
com a água formando ácidos que
retornam a superfície como
chuva ,contaminando rios, lagos e
solo.
Quimica ambiental
Como evitar a Chuva Ácida:
Conservar a energia;
Transporte coletivo;
Utilizar fontes de energia menos
poluentes;
Purificação dos escapamentos dos
veículos;
Utilizar combustíveis com baixo
teor de enxofre.
Quimica ambiental
Quimica ambiental
Quimica ambiental
Quimica ambiental
Inversão térmica
Alteração nas condições climáticas que
impedem a dispersão de poluentes.
Na inversão térmica ocorre
interposição da camada de ar quente
com a camada de ar frio impedindo que
ocorra dispersão dos poluentes.
Quimica ambiental
Camada de Ozônio
A camada de ozônio ou
ozonosfera é um filtro de
proteção formado pelo gás
ozônio (oxigênio concentrado)
que protege a atmosfera das
radiações liberadas pelo Sol.
Impedir a passagem dos raios
ultravioletas , que se chegassem
à atmosfera acabariam com todo
ser vivo existente.
Buraco na Camada de Ozônio
Uma série de fatores climáticos faz
da estratosfera sobre a Antártida
uma região especialmente
suscetível à destruição do ozônio.
 Toda primavera, no Hemisfério Sul,
aparece um buraco na camada de
ozônio sobre o continente.
 Os cientistas observaram que o
buraco vem crescendo e que seus
efeitos se tornam mais evidentes.
Quimica ambiental
Ação do CFC
Nas camadas altas da atmosfera o
CFC se decompõe por ação da
radiação ultravioleta liberando
átomos de cloro que reagem com o
ozônio formando óxido de cloro e
liberando oxigênio molecular.
Cl + O3 ClO + O2
O óxido de cloro reage com o oxigênio
atômico formando oxigênio molecular e
liberando o átomo de cloro que pode
reagir com outra molécula de ozônio.
ClO + O Cl + O2
Quimica ambiental
Buraco na Camada de
Ozônio
Efeitos da destruição da camada
de ozônio
Aumento das taxas de mutações
em plantas e animais;
Cegueira de insetos polinizadores;
Destruição do fitoplâncton;
Queimaduras na pele;
Aumento da incidência de câncer;
Fragilização do sistema
imunológico;
Alteração da distribuição térmica
e da circulação de ar.
Poluição do Solo
Forma de poluição, que afeta a camada
superficial da crosta terrestre, causando
malefícios diretos ou indiretos à vida
humana, à natureza e ao meio
ambiente em geral.
Consiste na presença indevida, no solo,
de elementos químicos estranhos, de
origem humana, que prejudiquem as
formas de vida e seu desenvolvimento
regular.
Poluição de origem urbana
Nas áreas urbanas o lixo jogado sobre a
superfície, sem o devido tratamento,
são uma das principais causas dessa
poluição.
A presença humana, lançando detritos
e substâncias químicas, como os
derivados do petróleo, constitui-se num
dos problemas ambientais que
necessitam de atenção das autoridades
públicas e da sociedade.
Aterros Sanitários
Uma das formas de se lidar com os
resíduos urbanos é a destinação de
locais de depósito para os mesmos,
denominados aterros.
Nestes lugares todo o lixo urbano é
depositado, sem qualquer forma de
tratamento ou reciclagem.
Fontes de poluição do solo
Pode ocorrer por:
urbanização e ocupação do solo;
atividades agropastoris:
atividades extrativas: mineração;
armazenamento de produtos e resíduos;
acidentes no transporte de cargas:
vazamento de produtos ou resíduos
perigosos;
lançamento de águas residuárias
(esgotos sanitários e efluentes
industriais);
disposição de resíduos sólidos de
diversas origens, destaque para os
industriais em termos de significância
de poluição.
Aterro Sanitário
Poluição de origem agrícola
A contaminação do solo, nas áreas
rurais, dá-se sobretudo pelo uso
indevido de agrotóxicos, técnicas
arcaicas de produção (a exemplo do
subproduto da cana-de-açúcar, o
vinhoto; dos curtumes e a criação de
suínos).
Contaminação do Solo
Quimica ambiental
Lixão
Quimica ambiental
Poluentes do solo
PoluentePoluente OrigemOrigem EfeitosEfeitos
AcidezAcidez
Solos ácidos ouSolos ácidos ou
alterados por chuvasalterados por chuvas
ácidasácidas
Aumenta a solubilidadeAumenta a solubilidade
de metais e inviabiliza ade metais e inviabiliza a
vida de animais evida de animais e
vegetais.vegetais.
MicrorgaMicrorga
nismosnismos
EsgotoEsgoto Bactérias patogênicasBactérias patogênicas
Nitratos eNitratos e
fosfatosfosfatos
Adubos minerais, lodoAdubos minerais, lodo
de esgoto, esterco, etc.de esgoto, esterco, etc.
Tóxicos:cancerígenos.Tóxicos:cancerígenos.
Alteram o ciclo do NAlteram o ciclo do N22..
Eutrofização da águaEutrofização da água
MetaisMetais
Presentes nos solos (Al,Presentes nos solos (Al,
Cd) ,lodo de esgoto eCd) ,lodo de esgoto e
resíduos industriais.resíduos industriais.
Pesticidas (Hg), emPesticidas (Hg), em
tintas (Cd), na gasolinatintas (Cd), na gasolina
(Pb).(Pb).
Tóxicos. O chumbo -Tóxicos. O chumbo -
ossos. O mercúrio-ossos. O mercúrio-
sistema nervoso. Osistema nervoso. O
zinco interfere nozinco interfere no
processo deprocesso de
fotossíntese.fotossíntese.
Sais (salitoSais (salito
negro)negro)
Evaporação da água deEvaporação da água de
irrigação.irrigação. São tóxicos para osSão tóxicos para os
vegetaisvegetais
Gases deGases de
aterroaterro
Locais de disposição deLocais de disposição de
lixolixo
CHCH44é explosivo e o COé explosivo e o CO22 éé
asfixiante. No soloasfixiante. No solo
podem restringir opodem restringir o
crescimento das plantascrescimento das plantas
Lixo eletrônico é todo e qualquer tipo de
material produzido a partir do descarte
de equipamentos eletrônicos, como :
computadores, celulares, baterias, pilhas ,
tablets e etc .(E-lixo)
Eletrodomésticos(geladeiras, fogões,
microondas , etc).
Quimica ambiental
Quimica ambiental
“Nós precisamos ser a
mudança que queremos
ver no mundo.”
Mahatma Gandhi
Obrigado!
Quimica ambiental

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
Killer Max
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
João Paulo Luna
 
Transformações químicas
Transformações químicasTransformações químicas
Transformações químicas
Dulcilene Figueiredo
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
José Nunes da Silva Jr.
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
Pedro Monteiro
 
Reações químicas ppt
Reações químicas pptReações químicas ppt
Reações químicas ppt
professoraludmila
 
Gases e transformações
Gases  e transformaçõesGases  e transformações
Gases e transformações
Aninha Felix Vieira Dias
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
Ajudar Pessoas
 
Aula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódicaAula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódica
Augusto Sérgio Costa Souza
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
Karol Maia
 
Funções nitrogenadas
Funções nitrogenadasFunções nitrogenadas
Funções nitrogenadas
Rosbergue Lúcio
 
Densidade
DensidadeDensidade
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Prof.Paulo/geografia
 
Radiações- tipos de radiação e suas aplicações
Radiações- tipos de radiação e suas aplicaçõesRadiações- tipos de radiação e suas aplicações
Radiações- tipos de radiação e suas aplicações
Marco Casquinha
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
Rebeca Vale
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
João Paulo Luna
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
Simone Peixoto
 
Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Funções Orgânicas Nitrogenadas.Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Ajudar Pessoas
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
mainamgar
 

Mais procurados (20)

Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Transformações químicas
Transformações químicasTransformações químicas
Transformações químicas
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
 
Reações químicas ppt
Reações químicas pptReações químicas ppt
Reações químicas ppt
 
Gases e transformações
Gases  e transformaçõesGases  e transformações
Gases e transformações
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
Aula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódicaAula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódica
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
 
Funções nitrogenadas
Funções nitrogenadasFunções nitrogenadas
Funções nitrogenadas
 
Densidade
DensidadeDensidade
Densidade
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Radiações- tipos de radiação e suas aplicações
Radiações- tipos de radiação e suas aplicaçõesRadiações- tipos de radiação e suas aplicações
Radiações- tipos de radiação e suas aplicações
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
 
Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Funções Orgânicas Nitrogenadas.Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Funções Orgânicas Nitrogenadas.
 
Ciclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicosCiclos biogeoquímicos
Ciclos biogeoquímicos
 

Destaque

Química ambiental - poluição ambiental
 Química ambiental - poluição ambiental Química ambiental - poluição ambiental
Química ambiental - poluição ambiental
Hamilton Hermes de Oliveira
 
Introdução à engenharia ambiental ecologia.sustentabilidade.ciclos biogeoqu...
Introdução à engenharia ambiental   ecologia.sustentabilidade.ciclos biogeoqu...Introdução à engenharia ambiental   ecologia.sustentabilidade.ciclos biogeoqu...
Introdução à engenharia ambiental ecologia.sustentabilidade.ciclos biogeoqu...
José Demontier Vieira de Souza Filho
 
Quimica ambiental
Quimica ambientalQuimica ambiental
Quimica ambiental
Romulo Viana
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
Cláudio Santos
 
Comb petroleo e gasolina
Comb petroleo e gasolinaComb petroleo e gasolina
Comb petroleo e gasolina
tamandarealfamanha
 
Aula 06 classificação do petroleo e introdução ao refino
Aula 06   classificação do petroleo e introdução ao refinoAula 06   classificação do petroleo e introdução ao refino
Aula 06 classificação do petroleo e introdução ao refino
Anderson Pontes
 
Livros petróleo
Livros petróleoLivros petróleo
Livros petróleo
Sunnah
 
Integração do parque de refino com a indústria petroquímica de primeira geração
Integração do parque de refino com a indústria petroquímica de primeira geraçãoIntegração do parque de refino com a indústria petroquímica de primeira geração
Integração do parque de refino com a indústria petroquímica de primeira geração
Junior Ozono
 
Curso de Química p/ Concurso ANP
Curso de Química p/ Concurso ANPCurso de Química p/ Concurso ANP
Curso de Química p/ Concurso ANP
Estratégia Concursos
 
Curso de Química para Concurso Petrobras 2015
Curso de Química para Concurso Petrobras 2015Curso de Química para Concurso Petrobras 2015
Curso de Química para Concurso Petrobras 2015
Estratégia Concursos
 
Curso de Biologia para ENEM 2016
Curso de Biologia para ENEM 2016Curso de Biologia para ENEM 2016
Curso de Biologia para ENEM 2016
Estratégia ENEM
 
Curso de Química para ENEM 2016
Curso de Química para ENEM 2016Curso de Química para ENEM 2016
Curso de Química para ENEM 2016
Estratégia ENEM
 
Seguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalhoSeguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalho
institutocarvalho
 
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitárioLivro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
João Ricardo Bertoncini
 
Ind.petroquimicas
Ind.petroquimicasInd.petroquimicas
Ind.petroquimicas
Charles aguilar
 
Aula 3 prof° pedro - ibrapeq
Aula 3   prof° pedro - ibrapeqAula 3   prof° pedro - ibrapeq
Aula 3 prof° pedro - ibrapeq
Pedro Monteiro
 
Industria de Alimentos
Industria de AlimentosIndustria de Alimentos
Industria de Alimentos
cleberson.souza
 
Engenharia Ambiental
Engenharia AmbientalEngenharia Ambiental
Engenharia Ambiental
Dinis Oliveira
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
Nelson Costa
 
Noções de Sustentabilidade p/ Concurso STJ
Noções de Sustentabilidade p/ Concurso STJNoções de Sustentabilidade p/ Concurso STJ
Noções de Sustentabilidade p/ Concurso STJ
Estratégia Concursos
 

Destaque (20)

Química ambiental - poluição ambiental
 Química ambiental - poluição ambiental Química ambiental - poluição ambiental
Química ambiental - poluição ambiental
 
Introdução à engenharia ambiental ecologia.sustentabilidade.ciclos biogeoqu...
Introdução à engenharia ambiental   ecologia.sustentabilidade.ciclos biogeoqu...Introdução à engenharia ambiental   ecologia.sustentabilidade.ciclos biogeoqu...
Introdução à engenharia ambiental ecologia.sustentabilidade.ciclos biogeoqu...
 
Quimica ambiental
Quimica ambientalQuimica ambiental
Quimica ambiental
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
 
Comb petroleo e gasolina
Comb petroleo e gasolinaComb petroleo e gasolina
Comb petroleo e gasolina
 
Aula 06 classificação do petroleo e introdução ao refino
Aula 06   classificação do petroleo e introdução ao refinoAula 06   classificação do petroleo e introdução ao refino
Aula 06 classificação do petroleo e introdução ao refino
 
Livros petróleo
Livros petróleoLivros petróleo
Livros petróleo
 
Integração do parque de refino com a indústria petroquímica de primeira geração
Integração do parque de refino com a indústria petroquímica de primeira geraçãoIntegração do parque de refino com a indústria petroquímica de primeira geração
Integração do parque de refino com a indústria petroquímica de primeira geração
 
Curso de Química p/ Concurso ANP
Curso de Química p/ Concurso ANPCurso de Química p/ Concurso ANP
Curso de Química p/ Concurso ANP
 
Curso de Química para Concurso Petrobras 2015
Curso de Química para Concurso Petrobras 2015Curso de Química para Concurso Petrobras 2015
Curso de Química para Concurso Petrobras 2015
 
Curso de Biologia para ENEM 2016
Curso de Biologia para ENEM 2016Curso de Biologia para ENEM 2016
Curso de Biologia para ENEM 2016
 
Curso de Química para ENEM 2016
Curso de Química para ENEM 2016Curso de Química para ENEM 2016
Curso de Química para ENEM 2016
 
Seguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalhoSeguranca no-trabalho
Seguranca no-trabalho
 
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitárioLivro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
Livro Coleta e Tratamento de esgoto sanitário
 
Ind.petroquimicas
Ind.petroquimicasInd.petroquimicas
Ind.petroquimicas
 
Aula 3 prof° pedro - ibrapeq
Aula 3   prof° pedro - ibrapeqAula 3   prof° pedro - ibrapeq
Aula 3 prof° pedro - ibrapeq
 
Industria de Alimentos
Industria de AlimentosIndustria de Alimentos
Industria de Alimentos
 
Engenharia Ambiental
Engenharia AmbientalEngenharia Ambiental
Engenharia Ambiental
 
Aula de ecologia curso completo
Aula de ecologia   curso completoAula de ecologia   curso completo
Aula de ecologia curso completo
 
Noções de Sustentabilidade p/ Concurso STJ
Noções de Sustentabilidade p/ Concurso STJNoções de Sustentabilidade p/ Concurso STJ
Noções de Sustentabilidade p/ Concurso STJ
 

Semelhante a Quimica ambiental

Aula 24 poluição
Aula 24   poluiçãoAula 24   poluição
Aula 24 poluição
Jonatas Carlos
 
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
Leonor Vaz Pereira
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
Charlles Moreira
 
Poluição e desertificao final
Poluição e desertificao finalPoluição e desertificao final
Poluição e desertificao final
bfp1997
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
BIOLOGIA Associação Pré-FEDERAL
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
Helena Marques
 
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpointPertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Carla Ramalho
 
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemasPerturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Carla Ramalho
 
Catastrofes humanas novo
Catastrofes humanas novoCatastrofes humanas novo
Poluição e desertificao final
Poluição e desertificao finalPoluição e desertificao final
Poluição e desertificao final
bfp1997
 
Power Point Pinto
Power  Point  PintoPower  Point  Pinto
Power Point Pinto
elvira.sequeira
 
DesequilíBrios Ambientais
DesequilíBrios AmbientaisDesequilíBrios Ambientais
DesequilíBrios Ambientais
profatatiana
 
DesequilíBrios Ambientais Completo
DesequilíBrios Ambientais CompletoDesequilíBrios Ambientais Completo
DesequilíBrios Ambientais Completo
profatatiana
 
Desequilíbrios ambientais
Desequilíbrios ambientaisDesequilíbrios ambientais
Desequilíbrios ambientais
profatatiana
 
Final
Final Final
Final
Inês Varela
 
Alterações na atmosfera e suas implicações
Alterações na atmosfera e suas implicaçõesAlterações na atmosfera e suas implicações
Alterações na atmosfera e suas implicações
guest3eaec9
 
27072437 4-ciencias-naturais-8âº-ano-perturbacoes-no-equilibrio-dos-ecossistemas
27072437 4-ciencias-naturais-8âº-ano-perturbacoes-no-equilibrio-dos-ecossistemas27072437 4-ciencias-naturais-8âº-ano-perturbacoes-no-equilibrio-dos-ecossistemas
27072437 4-ciencias-naturais-8âº-ano-perturbacoes-no-equilibrio-dos-ecossistemas
Deolinda Silva
 
Poluição
PoluiçãoPoluição
Poluição
vidasegura
 
Poluição _ Profo James Martins
Poluição _ Profo James MartinsPoluição _ Profo James Martins
Poluição _ Profo James Martins
James Martins
 
Catástrofes provocadas pelo homem
Catástrofes provocadas pelo homemCatástrofes provocadas pelo homem
Catástrofes provocadas pelo homem
Ideia de CN
 

Semelhante a Quimica ambiental (20)

Aula 24 poluição
Aula 24   poluiçãoAula 24   poluição
Aula 24 poluição
 
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
 
Impactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequênciasImpactos ambientais causas e consequências
Impactos ambientais causas e consequências
 
Poluição e desertificao final
Poluição e desertificao finalPoluição e desertificao final
Poluição e desertificao final
 
Impactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivoImpactos ambientais intensivo
Impactos ambientais intensivo
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
 
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpointPertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
 
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemasPerturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
 
Catastrofes humanas novo
Catastrofes humanas novoCatastrofes humanas novo
Catastrofes humanas novo
 
Poluição e desertificao final
Poluição e desertificao finalPoluição e desertificao final
Poluição e desertificao final
 
Power Point Pinto
Power  Point  PintoPower  Point  Pinto
Power Point Pinto
 
DesequilíBrios Ambientais
DesequilíBrios AmbientaisDesequilíBrios Ambientais
DesequilíBrios Ambientais
 
DesequilíBrios Ambientais Completo
DesequilíBrios Ambientais CompletoDesequilíBrios Ambientais Completo
DesequilíBrios Ambientais Completo
 
Desequilíbrios ambientais
Desequilíbrios ambientaisDesequilíbrios ambientais
Desequilíbrios ambientais
 
Final
Final Final
Final
 
Alterações na atmosfera e suas implicações
Alterações na atmosfera e suas implicaçõesAlterações na atmosfera e suas implicações
Alterações na atmosfera e suas implicações
 
27072437 4-ciencias-naturais-8âº-ano-perturbacoes-no-equilibrio-dos-ecossistemas
27072437 4-ciencias-naturais-8âº-ano-perturbacoes-no-equilibrio-dos-ecossistemas27072437 4-ciencias-naturais-8âº-ano-perturbacoes-no-equilibrio-dos-ecossistemas
27072437 4-ciencias-naturais-8âº-ano-perturbacoes-no-equilibrio-dos-ecossistemas
 
Poluição
PoluiçãoPoluição
Poluição
 
Poluição _ Profo James Martins
Poluição _ Profo James MartinsPoluição _ Profo James Martins
Poluição _ Profo James Martins
 
Catástrofes provocadas pelo homem
Catástrofes provocadas pelo homemCatástrofes provocadas pelo homem
Catástrofes provocadas pelo homem
 

Último

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 

Quimica ambiental

  • 2. ALTERAÇÕES AMBIENTAIS: Poluição das Águas; Poluição do Ar: Efeito Estufa; Camada de Ozônio; Chuva Ácida. Poluição dos Solos.
  • 3. POLUIÇÃO: Introdução de substâncias no ambiente que normalmente não são encontradas, ou que existem em pequenas quantidades. Poluente: detrito introduzido num ecossistema não adaptado a ele, ou que não o suporta nas quantidades em que é feito.
  • 4. O conceito de poluente depende de fatores como:  tipo de substância envolvida,  sua concentração,  tipo de ecossistema envolvido,  tolerância dos organismos envolvidos  combinação dessa substância com outros componentes do ambiente.
  • 5. O CO2 dependendo da concentração na atmosfera poderá desempenhar funções: Benéficas: Estimulando o processo fotossintético. Prejudiciais: Intensificando o efeito estufa e provocando aquecimento global. ExemploExemplo
  • 6. Poluição das Águas Agentes poluidores:  Microorganismos;  Esgotos residenciais;  Fertilizantes Agrícolas;  Compostos Orgânicos: Ex.: detergentes, solventes, inseticidas.  Compostos Inorgânicos: Ex. Metais Pesados.
  • 8. Aspectos Ligados à Poluição da Água: Aumento da matéria orgânica; Aumento do número de bactérias; Aumento do consumo de oxigênio e diminuição desse gás na água; Morte dos seres aeróbicos; Proliferação de organismos anaeróbicos; Acúmulo de resíduos em função da degradação incompleta da matéria orgânica.
  • 9. Eutrofização das águas É o aumento da disponibilidade de nutrientes minerais, de forma natural ou pela liberação de esgotos e fertilizantes químicos, em ambientes aquáticos, que favorece a proliferação de algas e plantas.
  • 11. Maré Vermelha Eliminação de nutrientes em ambientes marinhos(nitratos e fosfatos); Produção e liberação de toxinas letais no meio. Mortalidade de peixes, moluscos, crustáceos, podendo afetar outros animais que se alimentam de outros animais contaminados
  • 13. Poluição do Ar Resulta da emissão de gases poluentes ou de partículas sólidas na atmosfera. Efeitos sobre a saúde humana: provoca diversas doenças crônicas tais como a asma, bronquite crônica, infecções nos pulmões, enfisema pulmonar, doenças do coração e câncer do pulmão.
  • 14. Efeito Estufa É um processo que ocorre quando uma parte da radiação solar refletida pela superfície terrestre é absorvida por determinados gases presentes na atmosfera. Como consequência disso, o calor fica retido, não sendo liberado ao espaço. O efeito estufa dentro de uma determinada faixa é de vital importância pois, sem ele, a vida como a conhecemos não poderia existir.
  • 15. Gás carbônico (CO2) Liberado na atmosfera a partir da queima de combustíveis fósseis, e queimadas nas florestas A principal consequência da emissão de CO2 é o aumento do efeito estufa. Outros gases que também contribuem para o aumento do efeito estufa são o metano, óxido nitroso, vapor de água, CFC.
  • 16. Consequências do Efeito Estufa aumento da temperatura atmosférica; alterações climáticas; degelo de calotas polares extinção de espécies; inundação de áreas litorâneas.
  • 19. Chuva Ácida Decorrente da liberação de resíduos gasosos ( óxido de enxofre e o óxido de nitrogênio), na atmosfera durante a queima de combustíveis fósseis e atividade industrial. Na atmosfera esses gases reagem com a água formando ácidos que retornam a superfície como chuva ,contaminando rios, lagos e solo.
  • 21. Como evitar a Chuva Ácida: Conservar a energia; Transporte coletivo; Utilizar fontes de energia menos poluentes; Purificação dos escapamentos dos veículos; Utilizar combustíveis com baixo teor de enxofre.
  • 26. Inversão térmica Alteração nas condições climáticas que impedem a dispersão de poluentes. Na inversão térmica ocorre interposição da camada de ar quente com a camada de ar frio impedindo que ocorra dispersão dos poluentes.
  • 28. Camada de Ozônio A camada de ozônio ou ozonosfera é um filtro de proteção formado pelo gás ozônio (oxigênio concentrado) que protege a atmosfera das radiações liberadas pelo Sol. Impedir a passagem dos raios ultravioletas , que se chegassem à atmosfera acabariam com todo ser vivo existente.
  • 29. Buraco na Camada de Ozônio Uma série de fatores climáticos faz da estratosfera sobre a Antártida uma região especialmente suscetível à destruição do ozônio.  Toda primavera, no Hemisfério Sul, aparece um buraco na camada de ozônio sobre o continente.  Os cientistas observaram que o buraco vem crescendo e que seus efeitos se tornam mais evidentes.
  • 31. Ação do CFC Nas camadas altas da atmosfera o CFC se decompõe por ação da radiação ultravioleta liberando átomos de cloro que reagem com o ozônio formando óxido de cloro e liberando oxigênio molecular. Cl + O3 ClO + O2
  • 32. O óxido de cloro reage com o oxigênio atômico formando oxigênio molecular e liberando o átomo de cloro que pode reagir com outra molécula de ozônio. ClO + O Cl + O2
  • 34. Buraco na Camada de Ozônio
  • 35. Efeitos da destruição da camada de ozônio Aumento das taxas de mutações em plantas e animais; Cegueira de insetos polinizadores; Destruição do fitoplâncton; Queimaduras na pele; Aumento da incidência de câncer; Fragilização do sistema imunológico; Alteração da distribuição térmica e da circulação de ar.
  • 36. Poluição do Solo Forma de poluição, que afeta a camada superficial da crosta terrestre, causando malefícios diretos ou indiretos à vida humana, à natureza e ao meio ambiente em geral. Consiste na presença indevida, no solo, de elementos químicos estranhos, de origem humana, que prejudiquem as formas de vida e seu desenvolvimento regular.
  • 37. Poluição de origem urbana Nas áreas urbanas o lixo jogado sobre a superfície, sem o devido tratamento, são uma das principais causas dessa poluição. A presença humana, lançando detritos e substâncias químicas, como os derivados do petróleo, constitui-se num dos problemas ambientais que necessitam de atenção das autoridades públicas e da sociedade.
  • 38. Aterros Sanitários Uma das formas de se lidar com os resíduos urbanos é a destinação de locais de depósito para os mesmos, denominados aterros. Nestes lugares todo o lixo urbano é depositado, sem qualquer forma de tratamento ou reciclagem.
  • 39. Fontes de poluição do solo Pode ocorrer por: urbanização e ocupação do solo; atividades agropastoris: atividades extrativas: mineração; armazenamento de produtos e resíduos; acidentes no transporte de cargas: vazamento de produtos ou resíduos perigosos; lançamento de águas residuárias (esgotos sanitários e efluentes industriais); disposição de resíduos sólidos de diversas origens, destaque para os industriais em termos de significância de poluição.
  • 41. Poluição de origem agrícola A contaminação do solo, nas áreas rurais, dá-se sobretudo pelo uso indevido de agrotóxicos, técnicas arcaicas de produção (a exemplo do subproduto da cana-de-açúcar, o vinhoto; dos curtumes e a criação de suínos).
  • 46. Poluentes do solo PoluentePoluente OrigemOrigem EfeitosEfeitos AcidezAcidez Solos ácidos ouSolos ácidos ou alterados por chuvasalterados por chuvas ácidasácidas Aumenta a solubilidadeAumenta a solubilidade de metais e inviabiliza ade metais e inviabiliza a vida de animais evida de animais e vegetais.vegetais. MicrorgaMicrorga nismosnismos EsgotoEsgoto Bactérias patogênicasBactérias patogênicas Nitratos eNitratos e fosfatosfosfatos Adubos minerais, lodoAdubos minerais, lodo de esgoto, esterco, etc.de esgoto, esterco, etc. Tóxicos:cancerígenos.Tóxicos:cancerígenos. Alteram o ciclo do NAlteram o ciclo do N22.. Eutrofização da águaEutrofização da água MetaisMetais Presentes nos solos (Al,Presentes nos solos (Al, Cd) ,lodo de esgoto eCd) ,lodo de esgoto e resíduos industriais.resíduos industriais. Pesticidas (Hg), emPesticidas (Hg), em tintas (Cd), na gasolinatintas (Cd), na gasolina (Pb).(Pb). Tóxicos. O chumbo -Tóxicos. O chumbo - ossos. O mercúrio-ossos. O mercúrio- sistema nervoso. Osistema nervoso. O zinco interfere nozinco interfere no processo deprocesso de fotossíntese.fotossíntese. Sais (salitoSais (salito negro)negro) Evaporação da água deEvaporação da água de irrigação.irrigação. São tóxicos para osSão tóxicos para os vegetaisvegetais Gases deGases de aterroaterro Locais de disposição deLocais de disposição de lixolixo CHCH44é explosivo e o COé explosivo e o CO22 éé asfixiante. No soloasfixiante. No solo podem restringir opodem restringir o crescimento das plantascrescimento das plantas
  • 47. Lixo eletrônico é todo e qualquer tipo de material produzido a partir do descarte de equipamentos eletrônicos, como : computadores, celulares, baterias, pilhas , tablets e etc .(E-lixo) Eletrodomésticos(geladeiras, fogões, microondas , etc).
  • 50. “Nós precisamos ser a mudança que queremos ver no mundo.” Mahatma Gandhi Obrigado!