SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
1
PROVA COMENTADA
BIOLOGIA / EDUARDO LUIZ
TIPO A
1. “As primeiras referências a presença do bócio (papo) endêmico no Brasil, São encontradas
somente a partir dos fins do século XVIII e início do século XIX. Antes da descoberta da nossa
terra, não existia qualquer notícia a respeito da endemia bociógena, em nossas várias
populações indígenas. O índio brasileiro parecia ter certa "imunidade" a referida doença. Mais
tarde, porém, Augusto de Saint-Hilaire registra a ocorrência do bócio, tal vez devido a
mestiçagem da raça, absorvido o índio puro com os hábitos, os vícios e os costumes dos
brancos.”
http://www.alternativamedicina.com/medicina-tropical/historia-bocio-endemico
O “bócio” ou “papo” pode ser ocasionado por falta de iodo na alimentação. A glândula que
precisa desse elemento químico para produzir seu hormônio é chamada:
a) Paratireóide.
b) Supra-renal.
c) Hipófise.
d) Tireóide.
e) Pineal
2. Na época do descobrimento do Brasil, os marujos da esquadra de Pedro Álvares Cabral
recebiam, mensalmente, para suas refeições, 15 kg de carne salgada, cebola, vinagre, azeite e
biscoitos. O vinagre era utilizado nas refeições e para desinfetar os porões dos navios, nos
quais acreditava-se estar escondida a mais terrível das enfermidades. A partir do século XVIII
essa doença foi evitada introduzindo-se frutas ácidas na alimentação da tripulação. Na
realidade, a temível doença era causada pela deficiência de um nutriente essencial na dieta
dos marinheiros. Pergunta-se:
a) Que nutriente era esse? : vitamina C
b) Qual é o nome da doença causada pela falta desse nutriente? escorbuto
c) Cite duas manifestações visíveis ou sintomas dessa doença.
Alterações gengivais e dentárias
Dores nas articulações
d) Quanto à sua solubilidade, como é classificado esse nutriente? Hidrossolúvel
e) Considerando a presença da vitamina D como importante na prevenção do raquitismo, por
que se indica tomar sol como parte da prevenção e do tratamento dessa patologia?
Responsta 1: Os raios solares convertem o colesterol sob a pele em calciol e posteriormente
em calcitriol, este atuará no metabolismo do cálcio e do fósforo, prevenindo assim o raquitismo
(mineralização inadequada do osso).
Resposta 2: Para tornar a vitamina D ativa, ou ainda... para converter a forma inativa da
vitamina numa forma ativa.
2
3. Na charge a seguir, extraída da Revista Saúde (fevereiro de 1996, p. 130, Seção Humor
Spacca), encontram-se à venda, em forma de pastilhas, de comprimidos e de cápsulas,
vitaminas extraídas de vegetais.
a) Quando ingeridas em doses insatisfatórias, qual das vitaminas que estão à venda na figura
acima, evitam o beribéri?
Vitamina B1
b) Que distúrbios orgânicos podem ser evitados pela ingestão de alimentos ricos em vitaminas
A?
Infecções recorrentes
Cegueira noturna e xeroftalmia (olhos secos)  podem levar à cegueira definitiva
4. Sobre componentes inorgânicos fundamentais à célula, responda:
a) Entre os componentes químicos de uma célula, a água é o que se apresenta em maior
quantidade. Associe tal substância à ocorrência de reações químicas num organismo.
As reações químicas que ocorrem nas células vivas são processadas em soluções onde a
água é o solvente. A água, ainda, atua como meio de transporte de moléculas, tem ação
lubrificante e participa da regulação térmica, entre outras funções nos seres vivos.
b) Explique como a taxa de água pode variar em função do metabolismo de um tecido e em
relação à idade de um organismo:
A taxa de água é tanto maior quanto maior o metabolismo de um tecido e tanto menor quanto
maior a idade de um organismo.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

A giant leap for mankind cloud computing
A giant leap for mankind cloud computingA giant leap for mankind cloud computing
A giant leap for mankind cloud computingPeopleWorks IN
 
Bulletin staccato 14 15 orchestre lamoureux
Bulletin staccato 14 15 orchestre lamoureuxBulletin staccato 14 15 orchestre lamoureux
Bulletin staccato 14 15 orchestre lamoureuxOrchestre Lamoureux
 
Commonalities document1
Commonalities document1Commonalities document1
Commonalities document1Amit Desai
 
Mi primer portfolio 2
Mi primer portfolio  2Mi primer portfolio  2
Mi primer portfolio 2nuriahys
 
강남오피℡강남오피방((다솜넷))천안오피걸o동탄안마H세종건마
강남오피℡강남오피방((다솜넷))천안오피걸o동탄안마H세종건마강남오피℡강남오피방((다솜넷))천안오피걸o동탄안마H세종건마
강남오피℡강남오피방((다솜넷))천안오피걸o동탄안마H세종건마dasom12net06
 
For booking plots in sky aangan
For booking plots in sky aangan For booking plots in sky aangan
For booking plots in sky aangan Rajat Kumar
 
المخدرات أضرار ..وأمراض
المخدرات أضرار ..وأمراضالمخدرات أضرار ..وأمراض
المخدرات أضرار ..وأمراضmoe_gov
 

Destaque (9)

A giant leap for mankind cloud computing
A giant leap for mankind cloud computingA giant leap for mankind cloud computing
A giant leap for mankind cloud computing
 
Bulletin staccato 14 15 orchestre lamoureux
Bulletin staccato 14 15 orchestre lamoureuxBulletin staccato 14 15 orchestre lamoureux
Bulletin staccato 14 15 orchestre lamoureux
 
Commonalities document1
Commonalities document1Commonalities document1
Commonalities document1
 
Mi primer portfolio 2
Mi primer portfolio  2Mi primer portfolio  2
Mi primer portfolio 2
 
강남오피℡강남오피방((다솜넷))천안오피걸o동탄안마H세종건마
강남오피℡강남오피방((다솜넷))천안오피걸o동탄안마H세종건마강남오피℡강남오피방((다솜넷))천안오피걸o동탄안마H세종건마
강남오피℡강남오피방((다솜넷))천안오피걸o동탄안마H세종건마
 
For booking plots in sky aangan
For booking plots in sky aangan For booking plots in sky aangan
For booking plots in sky aangan
 
المخدرات أضرار ..وأمراض
المخدرات أضرار ..وأمراضالمخدرات أضرار ..وأمراض
المخدرات أضرار ..وأمراض
 
Po
PoPo
Po
 
Certificate
CertificateCertificate
Certificate
 

Semelhante a Prova comentada de biologia sobre bócio, escorbuto e vitaminas

Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicinaTreinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicinaemanuel
 
Vitaminas hidrossolúveis
Vitaminas hidrossolúveisVitaminas hidrossolúveis
Vitaminas hidrossolúveisrafael
 
Doc pdf - vitaminas
Doc  pdf - vitaminasDoc  pdf - vitaminas
Doc pdf - vitaminasSid Siqueira
 
52528850 avaliacao-de-ciencias-8-ano-junho-2010
52528850 avaliacao-de-ciencias-8-ano-junho-201052528850 avaliacao-de-ciencias-8-ano-junho-2010
52528850 avaliacao-de-ciencias-8-ano-junho-2010cristiana Leal
 
Lista de exercícios - 3º bim - 3º ano - prof james - com respostas esperadas
Lista de exercícios - 3º bim - 3º ano - prof james - com respostas esperadasLista de exercícios - 3º bim - 3º ano - prof james - com respostas esperadas
Lista de exercícios - 3º bim - 3º ano - prof james - com respostas esperadasJames Martins
 
BIOQUIMICA-NUTRIENTES-APOSTILA-DE-BIOLOGIA.pdf
BIOQUIMICA-NUTRIENTES-APOSTILA-DE-BIOLOGIA.pdfBIOQUIMICA-NUTRIENTES-APOSTILA-DE-BIOLOGIA.pdf
BIOQUIMICA-NUTRIENTES-APOSTILA-DE-BIOLOGIA.pdfErivaldo Laurindo Gomes
 
Caderno de provas SSA 2 UPE - 2º dia
Caderno de provas SSA 2 UPE -  2º diaCaderno de provas SSA 2 UPE -  2º dia
Caderno de provas SSA 2 UPE - 2º diaPortal NE10
 
BIOQUIMIA-VITAMINAS -BIOLOGIA ENSINO MEDIO
BIOQUIMIA-VITAMINAS -BIOLOGIA ENSINO MEDIOBIOQUIMIA-VITAMINAS -BIOLOGIA ENSINO MEDIO
BIOQUIMIA-VITAMINAS -BIOLOGIA ENSINO MEDIOPAULOLERISSONCARDOSO1
 
organismo-em-equilibrio-docx
organismo-em-equilibrio-docxorganismo-em-equilibrio-docx
organismo-em-equilibrio-docxvcrf
 
Fitoterapia e Alimentação Saudável
Fitoterapia e Alimentação SaudávelFitoterapia e Alimentação Saudável
Fitoterapia e Alimentação SaudávelDouglas Carrara
 
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
14816 aula 01-a_ciência_microbiologiaHamilton Aguiar
 
AULA-017---NUTRICAO---REVISAO_59ca80fadfcc4851bd1ab7934f006cc3.pptx
AULA-017---NUTRICAO---REVISAO_59ca80fadfcc4851bd1ab7934f006cc3.pptxAULA-017---NUTRICAO---REVISAO_59ca80fadfcc4851bd1ab7934f006cc3.pptx
AULA-017---NUTRICAO---REVISAO_59ca80fadfcc4851bd1ab7934f006cc3.pptxKatiaMatosRochaMinei
 
Trabalho sobre a fome somos contra
Trabalho sobre a fome somos contraTrabalho sobre a fome somos contra
Trabalho sobre a fome somos contraufmt
 

Semelhante a Prova comentada de biologia sobre bócio, escorbuto e vitaminas (20)

Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicinaTreinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
 
Vitaminas hidrossolúveis
Vitaminas hidrossolúveisVitaminas hidrossolúveis
Vitaminas hidrossolúveis
 
Doc pdf - vitaminas
Doc  pdf - vitaminasDoc  pdf - vitaminas
Doc pdf - vitaminas
 
Componentes orgânicos: Vitaminas
Componentes orgânicos: VitaminasComponentes orgânicos: Vitaminas
Componentes orgânicos: Vitaminas
 
52528850 avaliacao-de-ciencias-8-ano-junho-2010
52528850 avaliacao-de-ciencias-8-ano-junho-201052528850 avaliacao-de-ciencias-8-ano-junho-2010
52528850 avaliacao-de-ciencias-8-ano-junho-2010
 
Lista de exercícios - 3º bim - 3º ano - prof james - com respostas esperadas
Lista de exercícios - 3º bim - 3º ano - prof james - com respostas esperadasLista de exercícios - 3º bim - 3º ano - prof james - com respostas esperadas
Lista de exercícios - 3º bim - 3º ano - prof james - com respostas esperadas
 
BIOQUIMICA-NUTRIENTES-APOSTILA-DE-BIOLOGIA.pdf
BIOQUIMICA-NUTRIENTES-APOSTILA-DE-BIOLOGIA.pdfBIOQUIMICA-NUTRIENTES-APOSTILA-DE-BIOLOGIA.pdf
BIOQUIMICA-NUTRIENTES-APOSTILA-DE-BIOLOGIA.pdf
 
Vitaminas
VitaminasVitaminas
Vitaminas
 
Caderno de provas SSA 2 UPE - 2º dia
Caderno de provas SSA 2 UPE -  2º diaCaderno de provas SSA 2 UPE -  2º dia
Caderno de provas SSA 2 UPE - 2º dia
 
BIOQUIMIA-VITAMINAS -BIOLOGIA ENSINO MEDIO
BIOQUIMIA-VITAMINAS -BIOLOGIA ENSINO MEDIOBIOQUIMIA-VITAMINAS -BIOLOGIA ENSINO MEDIO
BIOQUIMIA-VITAMINAS -BIOLOGIA ENSINO MEDIO
 
Biologia Tércio
Biologia TércioBiologia Tércio
Biologia Tércio
 
organismo-em-equilibrio-docx
organismo-em-equilibrio-docxorganismo-em-equilibrio-docx
organismo-em-equilibrio-docx
 
Efeitos da vitamina_c_na_pele[1]
Efeitos da vitamina_c_na_pele[1]Efeitos da vitamina_c_na_pele[1]
Efeitos da vitamina_c_na_pele[1]
 
Fitoterapia e Alimentação Saudável
Fitoterapia e Alimentação SaudávelFitoterapia e Alimentação Saudável
Fitoterapia e Alimentação Saudável
 
Biologia Prof. Alissony
Biologia   Prof. AlissonyBiologia   Prof. Alissony
Biologia Prof. Alissony
 
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
14816 aula 01-a_ciência_microbiologia
 
AULA-017---NUTRICAO---REVISAO_59ca80fadfcc4851bd1ab7934f006cc3.pptx
AULA-017---NUTRICAO---REVISAO_59ca80fadfcc4851bd1ab7934f006cc3.pptxAULA-017---NUTRICAO---REVISAO_59ca80fadfcc4851bd1ab7934f006cc3.pptx
AULA-017---NUTRICAO---REVISAO_59ca80fadfcc4851bd1ab7934f006cc3.pptx
 
Exercicios FUNGOS 7º ano
Exercicios FUNGOS  7º anoExercicios FUNGOS  7º ano
Exercicios FUNGOS 7º ano
 
Trabalho sobre a fome somos contra
Trabalho sobre a fome somos contraTrabalho sobre a fome somos contra
Trabalho sobre a fome somos contra
 
Vitaminas p imprimir
Vitaminas p imprimirVitaminas p imprimir
Vitaminas p imprimir
 

Mais de Evandro Batista (20)

Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações Ecológicas
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Bacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elasBacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elas
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
 
POLÍTICA DE ARISTÓTELES
POLÍTICA DE ARISTÓTELESPOLÍTICA DE ARISTÓTELES
POLÍTICA DE ARISTÓTELES
 
A POLÍTICA - ARISTÓTELES
A POLÍTICA - ARISTÓTELESA POLÍTICA - ARISTÓTELES
A POLÍTICA - ARISTÓTELES
 
Estrutura Geológica do Planeta
Estrutura Geológica do Planeta Estrutura Geológica do Planeta
Estrutura Geológica do Planeta
 
Modelo de Fichamento
Modelo de FichamentoModelo de Fichamento
Modelo de Fichamento
 
Bioquímica 3
Bioquímica 3 Bioquímica 3
Bioquímica 3
 
Bioquímica 2
Bioquímica 2Bioquímica 2
Bioquímica 2
 
Bioquímica 1
Bioquímica 1Bioquímica 1
Bioquímica 1
 
Membrana Plasmática
Membrana PlasmáticaMembrana Plasmática
Membrana Plasmática
 
Movimento de Rotacao e Translacao
Movimento de Rotacao e TranslacaoMovimento de Rotacao e Translacao
Movimento de Rotacao e Translacao
 
SEMANA 25
SEMANA 25SEMANA 25
SEMANA 25
 
SEMANA 24
SEMANA 24SEMANA 24
SEMANA 24
 
SEMANA 23
SEMANA 23SEMANA 23
SEMANA 23
 
SEMANA 22
SEMANA 22SEMANA 22
SEMANA 22
 
SEMANA 21
SEMANA 21SEMANA 21
SEMANA 21
 

Último

cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Prova comentada de biologia sobre bócio, escorbuto e vitaminas

  • 1. 1 PROVA COMENTADA BIOLOGIA / EDUARDO LUIZ TIPO A 1. “As primeiras referências a presença do bócio (papo) endêmico no Brasil, São encontradas somente a partir dos fins do século XVIII e início do século XIX. Antes da descoberta da nossa terra, não existia qualquer notícia a respeito da endemia bociógena, em nossas várias populações indígenas. O índio brasileiro parecia ter certa "imunidade" a referida doença. Mais tarde, porém, Augusto de Saint-Hilaire registra a ocorrência do bócio, tal vez devido a mestiçagem da raça, absorvido o índio puro com os hábitos, os vícios e os costumes dos brancos.” http://www.alternativamedicina.com/medicina-tropical/historia-bocio-endemico O “bócio” ou “papo” pode ser ocasionado por falta de iodo na alimentação. A glândula que precisa desse elemento químico para produzir seu hormônio é chamada: a) Paratireóide. b) Supra-renal. c) Hipófise. d) Tireóide. e) Pineal 2. Na época do descobrimento do Brasil, os marujos da esquadra de Pedro Álvares Cabral recebiam, mensalmente, para suas refeições, 15 kg de carne salgada, cebola, vinagre, azeite e biscoitos. O vinagre era utilizado nas refeições e para desinfetar os porões dos navios, nos quais acreditava-se estar escondida a mais terrível das enfermidades. A partir do século XVIII essa doença foi evitada introduzindo-se frutas ácidas na alimentação da tripulação. Na realidade, a temível doença era causada pela deficiência de um nutriente essencial na dieta dos marinheiros. Pergunta-se: a) Que nutriente era esse? : vitamina C b) Qual é o nome da doença causada pela falta desse nutriente? escorbuto c) Cite duas manifestações visíveis ou sintomas dessa doença. Alterações gengivais e dentárias Dores nas articulações d) Quanto à sua solubilidade, como é classificado esse nutriente? Hidrossolúvel e) Considerando a presença da vitamina D como importante na prevenção do raquitismo, por que se indica tomar sol como parte da prevenção e do tratamento dessa patologia? Responsta 1: Os raios solares convertem o colesterol sob a pele em calciol e posteriormente em calcitriol, este atuará no metabolismo do cálcio e do fósforo, prevenindo assim o raquitismo (mineralização inadequada do osso). Resposta 2: Para tornar a vitamina D ativa, ou ainda... para converter a forma inativa da vitamina numa forma ativa.
  • 2. 2 3. Na charge a seguir, extraída da Revista Saúde (fevereiro de 1996, p. 130, Seção Humor Spacca), encontram-se à venda, em forma de pastilhas, de comprimidos e de cápsulas, vitaminas extraídas de vegetais. a) Quando ingeridas em doses insatisfatórias, qual das vitaminas que estão à venda na figura acima, evitam o beribéri? Vitamina B1 b) Que distúrbios orgânicos podem ser evitados pela ingestão de alimentos ricos em vitaminas A? Infecções recorrentes Cegueira noturna e xeroftalmia (olhos secos)  podem levar à cegueira definitiva 4. Sobre componentes inorgânicos fundamentais à célula, responda: a) Entre os componentes químicos de uma célula, a água é o que se apresenta em maior quantidade. Associe tal substância à ocorrência de reações químicas num organismo. As reações químicas que ocorrem nas células vivas são processadas em soluções onde a água é o solvente. A água, ainda, atua como meio de transporte de moléculas, tem ação lubrificante e participa da regulação térmica, entre outras funções nos seres vivos. b) Explique como a taxa de água pode variar em função do metabolismo de um tecido e em relação à idade de um organismo: A taxa de água é tanto maior quanto maior o metabolismo de um tecido e tanto menor quanto maior a idade de um organismo.