Bioquímica 2

618 visualizações

Publicada em

BIOQUÍMICA

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
618
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
431
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bioquímica 2

  1. 1. BIOQUÍMICA II BIOVEST10.BLOGSPOT.COM – O BLOG DA BIOLOGIA 1  PROTEÍNAS - São macromoléculas (polímeros) formadas por moléculas menores (monômeros) denominadas aminoácidos. - Desempenham funções diversas no organismo, tais como: ▪ Estrutural ▪ Enzimática ▪ Defesa – formam os anticorpos ▪ Hormonal ▪ Energética – em casos extremos ▪ Transporte de gases e outras substâncias - São formadas essencialmente por carbono (C), hidrogênio (H), oxigênio (O) e nitrogênio (N), podendo também conter enxofre (S).  AMINOÁCIDOS - São moléculas orgânicas composta por: ▪ Grupamento amina (NH2) ▪ Grupamento carboxila ▪ Átomo de carbono – denominado de carbono alfa ▪ Um átomo de hidrogênio ▪ Radical R Fórmula geral de um aminoácido - Existem 20 tipos de aminoácidos diferentes na natureza, e podem ser divididos em dois tipos: ▪ Essenciais – são aqueles que não são sintetizados pelo organismo ou são produzidos em quantidades insuficientes. ▪ Naturais – são aqueles que são sintetizados pelo organismo em quantidade suficiente. Bio√est → No caso da espécie humana, os aminoácidos considerados essenciais são: fenilalanina, isoleucina, lisina, metionina, treonina, triptofano e valina. Além desses, a arginina e a histidina são considerados essenciais por alguns pesquisadores. Bio√est → O radical R é o fator que varia de um aminoácido para o outro, sendo, portanto em função dele é que se diferenciam os aminoácidos. - A ligação que ocorre entre os aminoácidos é denominada de ligação peptídica. Bio√est → A ligação peptídica ocorre sempre entre o grupamento carboxílico de um aminoácido e o grupamento amina do outro aminoácido e libera uma molécula de água. Esquema da ligação peptídica
  2. 2. BIOQUÍMICA II BIOVEST10.BLOGSPOT.COM – O BLOG DA BIOLOGIA 2 - Moléculas resultantes da condensação dos aminoácidos são denominadas de peptídios. Dois aminoácidos formam um dipeptídio. , três formam um tripeptídio e vários um polipeptídio. As proteínas são polipeptídios. Bio√est → Sempre em um peptídio existe um grupo amina (amina terminal) e um grupo carboxila (ácido terminal) livres.  ESTRUTURA DAS PROTEÍNAS - Uma proteína pode apresentar quatro tipos de estrutura. ▪ Primária – corresponde a sequência linear de aminoácidos de uma cadeia polipeptídica, e tem fundamental importância para a função que a proteína irá desempenhar. ▪ Secundária – corresponde a estrutura primária que se torce e adquire a forma de uma hélice, semelhante a um fio de telefone. ▪ Terciária – corresponde a uma estrutura secundária dobrada várias vezes sobre si mesma, adquirindo a forma tridimensional. ▪ Quaternária – corresponde à proteína formada pela associação de mais de uma cadeia polipeptídica. Bio√est → A função de uma proteína é determinada pela sua forma. Estrutura primária Estrutura secundária Estrutura terciária Estrutura quaternária Bio√est → Os dobramentos e os enrolamentos descritos pelas proteínas é resultado das várias atrações químicas entre os aminoácidos de diferentes pontos da cadeia, proporcionadas pelas pontes de hidrogênio, pontes de bissulfeto e pelas atrações elétricas entre aminoácidos de cargas diferentes.  FATORES QUE DIFERENCIAM AS PROTEÍNAS - As proteínas podem diferir umas das outras nos seguintes aspectos: ▪ Pela quantidade de aminoácidos da cadeia. ▪ Pelos tipos de aminoácidos presentes na cadeia. ▪ Pela sequência em que os aminoácidos estão unidos na cadeia. Bio√est → Para que duas proteínas sejam consideradas iguais elas devem apresentar o mesmo número, os mesmos tipos e a mesma sequência de aminoácidos.  DESNATURAÇÃO PROTEICA - Processo que consiste em alterar a configuração – estrutura – espacial de uma proteína. - Pode ser provocada pela temperatura, pelo grau de acidez, pela concentração de sais do meio e por substâncias químicas. - A proteína desnaturada deixa de realizar a sua função. Bio√est → A desnaturação pode ser revertida em alguns casos, desde que o meio retorne as condições ideais para a proteína e o processo tenha sido de grau leve.  TIPOS DE PROTEÍNAS - As proteínas podem ser classificadas em: ▪ Simples – são formadas apenas por aminoácidos. ▪ Conjugadas – são aquelas que além de aminoácidos (grupo protéico) apresentam outras substâncias (grupo prostético) associadas, como glicídios, lipídios, ácidos nucléicos, ferro.  ENZIMAS - São catalisadores biológicos que aceleram a velocidade das reações.
  3. 3. BIOQUÍMICA II BIOVEST10.BLOGSPOT.COM – O BLOG DA BIOLOGIA 3 - Diminuem a energia de ativação – energia necessária para iniciar uma reação química. - Podem ser moléculas protéicas ou em alguns casos moléculas de RNA (ribozimas). - Participam dos processos biológicos, aumentando sua velocidade, porém sem se alterar durante o processo; pois ao final dele permanecem inalteradas, prontas para iniciar uma nova reação. - São específicas sobre os substratos em que agem – a especificidade de uma enzima é explicada pelo fato de seus centros ou sítios ativos se encaixarem perfeitamente apenas a seus substratos específicos, como uma chave se encaixa apenas à sua fechadura. Esse modelo é chamado de complexo chave-fechadura. Modelo chave-fechadura - As enzimas apresentam reversibilidade de substrato, ou seja, a enzima catalisa a reação química nos dois sentidos.  FATORES QUE AFETAM A ATIVAIDADE ENZIMÁTICA - A atividade das enzimas pode ser afetada por diversos fatores, entre eles: ▪ Temperatura - A velocidade das reações químicas catalisadas por enzimas aumenta até certo ponto (ponto ótimo) com a elevação da temperatura e a partir de certa temperatura ótima de ação enzimática ocorre à desnaturação protéica, o que torna a enzima inativa. Bio√est → O ponto ótimo é aquele que indica a velocidade máxima da reação. ▪ pH - Cada enzima tem seu ótimo de atividade em determinado pH. Qualquer alteração no pH do meio pode provocar desnaturação e conseqüente inativação da enzima. ▪ Concentração do substrato - Com o aumento da concentração do substrato ocorre um aumento da velocidade da reação até o momento em que todas as moléculas de enzimas estiverem atuando. Nesse ponto a velocidade da reação é máxima e torna-se constante.  NOMENCLATURA DAS ENZIMAS - O nome da maioria das enzimas é dado acrescentando-se ao nome do substrato em que ela age o sufixo ase. Lipídio + ase = lipase Peptídio + ase = peptidase
  4. 4. BIOQUÍMICA II BIOVEST10.BLOGSPOT.COM – O BLOG DA BIOLOGIA 4  TIPO DE ENZIMAS ▪ Simples – são aquelas constituídas apenas por cadeias polipeptídicas. ▪ Conjugadas – são aquelas constituídas por uma parte protéica, chamada de apoenzima, combinada a uma parte não protéica, denominada de cofator. Bio√est → Quando o cofator enzimático é uma molécula orgânica, ele é denominado de coenzima. A apoenzima e a coenzima atuam em conjunto, formando a holoenzima.  INIBIÇÃO ENZIMÁTICA - A atividade enzimática pode ser inibida por certos tipos de substâncias químicas. Em alguns casos, a inibição é irreversível, levando à inativação definitiva da molécula enzimática e em outros, a inibição é reversível e a enzima volta a funcionar. - Os inibidores mais conhecidos são: ▪ íon cianeto (CN-) – ele se combina à enzima citocromo oxidase e impede a realização da cadeia respiratória na respiração celular. ▪ Penicilina – inibe a enzima transpeptidase, impedindo a bactéria de produzir a parede celular e com isso ela não pode se reproduzir. ▪ Sulfa ou sulfanilamida – inibe as bactérias de fabricarem ácido fólico.  ANTICORPOS - São moléculas de proteínas produzidas por um organismo e que se destinam a combater os antígenos que o invadiram. Bio√est → Os antígenos são qualquer corpo ou substância reconhecida como estranha ao organismo, podendo ser uma molécula de proteína, de polissacarídeo e até mesmo um ácido nucléico. Nas bactérias, fungos e protozoários, os antígenos são moléculas que existem nos envoltórios das células invasoras, ou nas toxinas por elas produzidas e nos vírus, os antígenos estão localizados nas capas que os revestem. - As células produzidas pelos órgãos do sistema imunológico atuam na produção de antígenos. Uma vez passada a infecção, permanece apenas um pequeno número de células de memória, que poderão, caso ocorra outra infecção provocada pelo mesmo agente infeccioso, efetuar o combate rápido e eficiente.  VACINA - Possui antígenos atenuados (modificados), que estimulam a produção de anticorpos. - Proporciona uma resposta lenta, ativa e duradoura.  SORO - Possui anticorpos para o pronto e rápido combate aos antígenos. - Proporciona uma resposta rápida, passiva e curta. - A produção dos anticorpos presentes no soro ocorre com a introdução de pequenas quantidades de antígenos em animais para que eles possam ser estimulados a produzi-los.

×