SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 73
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO PLANETA.
ERAS GEOLÓGICAS OU TEMPO
GEOLÓGICO
ROCHAS
• Rocha é um agregado sólido que ocorre
naturalmente e é constituído por um ou mais
minerais. A camada externa sólida da Terra,
conhecida por litosfera, é constituída por
rochas. O estudo científico das rochas é
chamado de petrologia, um ramo da geologia.
Os termos populares pedra e calhau se
referem a pedaços soltos de rochas, ou
fragmentos.
CROSTA TERRESTRE OU LITOSFERA
• ROCHAS = MAGMÁTICAS INTRUSIVAS OU
PLUTÔNICAS OU EXTRUSIVAS OU
VULCÂNICAS.
SEDIMENTARES – CLÁSTICAS,
QUÍMICAS E ORGÂNICAS.
• CLÁSTICAS = COMPACTAÇÃO DE OUTRAS
ROCHAS.
QUÍMICAS
ORGÂNICA
PETRÓLEO E CARVÃO MINERAL.
FORMAÇÕES CÁRSTICAS – CALCÁRIAS.
METAMÓRFICAS – diagenético –
mudanças físicas e químicas.
• METAMORFOSE = MUDANÇAS = AUMENTYO
DE PRESSÃO E TEMPERATURA DAS ROCHAS.
• ALTA DUREZA E DURABILIDADE.
DIVIDIDA EM PLACAS TECTÔNICAS.
CICLO DAS ROCHAS.
BRASIL
• MAGMÁTICAS.
• MACIÇO DE ITATIAIA – RJ
• ILHA DE SEBASTIÃO – SP
• MACIÇO DE POÇOS DE CALDAS – MG
• BACIA DO PARANÁ – TERRA ROXA
58% do território brasileiro é coberto
por rochas sedimentares.
8% vulcânica e 34% metamórfico.
MANTO
NÚCLEO – NÍQUEL E FERRO
MINÉRIO
• Todas as rochas e minerais quando adquirem
um valor econômico, passam a ser chamados
de Minérios.
• Brasil é detentor de uma infinidade de
riquezas naturais: uma delas é o minério. O
país destaca-se principalmente na produção
de ferro, bauxita (alumínio), manganês e
nióbio.
Minérios Encontrados no Brasil.
FERRO
• SERRA DOS CARAJÁS = PARÁ = M. EXTERNO
• MACIÇO DO URUCUM = MS = M. INTERNO
• QUADRILÁTERO FERRÍFERO = MG = M.
INTERNO.
A teoria da Tectônica de Placas.
• Antes de se entender a teoria mais aceita nos
dias de hoje sobre a movimentação dos
continentes (Tectônica de Placas), devemos
analisar os estudos de um cientista alemão
chamado Alfred Wegener, chamado de Deriva
continental.
A DERIVA CONTINENTAL, em 1915.
• Alfred Wegener foi pioneiro nos estudos sobre
a separação dos continentes e a
movimentação dos mesmos. Diversos foram
os argumentos que Wegener teve, dentre
eles:
• Argumentos Morfológicos: Os continentes
encaixam entre si como peças de um grande
quebra cabeça, sendo mais evidente entre as
costas atlânticas de África e América do Sul.
PANGEIA – LAURÁSIA E GONDWANA
A TEORIA DA TECTÔNICA DE PLACAS,
DE 1960.
• A partir da década de 60 do século passado,
alguns geólogos retomaram as inquietações
de Wegener, e começaram a estudar a fundo a
possível movimentação dos continentes. Até
que descobriram que o fundo oceânico não é
homogêneo, mas que existe formas de relevo
submarino bastante diversificado. Dentre elas,
uma cadeia montanhosa (Dorsal
mesooceânica) bem no meio do oceâno
Atlântico.
continuação
• A conclusão de que os continentes realmente
estão em deslocamento foi tirada quando
foram feiras medições da idade das rochas do
assoalho oceânico. Quanto mais próximas da
dorsal, mais jovens eram as rochas, e tanto
pra esquerda quanto pra direita, a idade delas
amumentava.
O QUE CAUSA O MOVIMENTO DAS
PLACAS. FLUXO DE MATERIAS.
PLACAS TECTONICAS
OS LIMITES DE PLACAS TECTÔNICAS
• Todas as placas tectônicas possuem dinâmicas
nas suas extremidades, ou limites. Como foi
visto anteriormente, a placa Sulamericana vai
aumentando e se locomovendo para a
esquerda, na medida que a placa Africana se
move para a direita.
LIMITES DIVERGENTES (ZONAS DE
EXPANSÃO)
• Um dos tipos de limites, são os divergentes,
conforme já foi colocado sobre a dinâmica da
expansão do assoalho oceânico das placas
Sulamericana e Africana.
A Dorsal Meso-oceânica entre a
América do Sul (esquerda) e África
(direita)
LIMITES CONVERGENTES (ZONAS DE
SUBDUCÇÃO)
A fossa submarina formada devido ao
encontro da placa de Nazca com a Sul-
Americana
LIMITES TRANSFORMANTES
(TANGENCIAIS OU TRANSCORRENTES)
• SAN ANDRES NOS EUA.
TECTONISMO – orogênese e
epirogênese
• Orogênese = geração de montanhas.
• Podem está associados ao vulcanismo e aos
falhamentos.
• Montanhas Rochosas, Andes, Alpes e
Himalaia.
• Movimento horizontal, choque das placas.
• Pode ser convergente, Andes ou divergente,
Dorsais, ilhas, como Fernando de Noronha.
Continuação
• Epirogênese = movimento vertical.
• Transgressão e regressão marinha.
• Formação dos continentes.
Consequências do choque das placas.
• VULCANISMO
• TERREMOTO
• MAREMOTO (tsunami)
Estrutura do relevo
• Bacias sedimentares
Escudos cristalinos
Dobramentos modernos
Formas de relevo
• Planaltos, planícies, depressões e montanhas.
Agentes do relevo
• Internos ou endógenos, responsáveis por
transformar o relevo.
Agentes externos ou exógenos.
• São modeladores do relevo.
• Ação do vento ou eólica.
Ação das chuvas ou pluvial
Ação dos rios ou fluvial
Ação do mar ou marítimo ou abrasão
Ação antrópica
Estrutura Geológica da Terra
Estrutura Geológica da Terra
Estrutura Geológica da Terra

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
DinâMica GeolóGica E Formas Da LitosferaDinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
DinâMica GeolóGica E Formas Da LitosferaRodrigo Leão
 
Camadas internas da terra
Camadas internas da terraCamadas internas da terra
Camadas internas da terraIsabele.geo
 
Estrutura da Terra
Estrutura da TerraEstrutura da Terra
Estrutura da Terraguestdbe434
 
Estrutura e Dinâmica da Geosfera
Estrutura e Dinâmica da GeosferaEstrutura e Dinâmica da Geosfera
Estrutura e Dinâmica da Geosferaguestdbe434
 
12. A Terra e os planetas telúricos
12. A Terra e os planetas telúricos12. A Terra e os planetas telúricos
12. A Terra e os planetas telúricosguestf7e853
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placasmargaridabt
 
As placas tectônicas
As placas tectônicas As placas tectônicas
As placas tectônicas João Monteiro
 
As marcas do tempo geológico: Estrutura geológica e formas do relevo terrestre.
As marcas do tempo geológico: Estrutura geológica e formas do relevo terrestre.As marcas do tempo geológico: Estrutura geológica e formas do relevo terrestre.
As marcas do tempo geológico: Estrutura geológica e formas do relevo terrestre.Jones Godinho
 
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solarguestf7e853
 
Aula estrutura da terra e placas tectônicas - 1série 3 bimestre - geografia f...
Aula estrutura da terra e placas tectônicas - 1série 3 bimestre - geografia f...Aula estrutura da terra e placas tectônicas - 1série 3 bimestre - geografia f...
Aula estrutura da terra e placas tectônicas - 1série 3 bimestre - geografia f...Eduardo Mendes
 
Estrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da TerraEstrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da TerraGiovana Pimentel
 
Correção da ficha de avaliação
Correção da ficha de avaliação Correção da ficha de avaliação
Correção da ficha de avaliação Francisca Santos
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terraElô Steffens
 

Mais procurados (20)

DinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
DinâMica GeolóGica E Formas Da LitosferaDinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
DinâMica GeolóGica E Formas Da Litosfera
 
Estrutura da terra
Estrutura da terraEstrutura da terra
Estrutura da terra
 
Camadas internas da terra
Camadas internas da terraCamadas internas da terra
Camadas internas da terra
 
Estrutura da Terra
Estrutura da TerraEstrutura da Terra
Estrutura da Terra
 
Estrutura e Dinâmica da Geosfera
Estrutura e Dinâmica da GeosferaEstrutura e Dinâmica da Geosfera
Estrutura e Dinâmica da Geosfera
 
Dinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da  crosta terrestreDinâmica da  crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestre
 
12. A Terra e os planetas telúricos
12. A Terra e os planetas telúricos12. A Terra e os planetas telúricos
12. A Terra e os planetas telúricos
 
A superfície da terra
A superfície da terraA superfície da terra
A superfície da terra
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placas
 
As placas tectônicas
As placas tectônicas As placas tectônicas
As placas tectônicas
 
As marcas do tempo geológico: Estrutura geológica e formas do relevo terrestre.
As marcas do tempo geológico: Estrutura geológica e formas do relevo terrestre.As marcas do tempo geológico: Estrutura geológica e formas do relevo terrestre.
As marcas do tempo geológico: Estrutura geológica e formas do relevo terrestre.
 
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
11.1 FormaçãO Do Sistema Solar
 
Aula estrutura da terra e placas tectônicas - 1série 3 bimestre - geografia f...
Aula estrutura da terra e placas tectônicas - 1série 3 bimestre - geografia f...Aula estrutura da terra e placas tectônicas - 1série 3 bimestre - geografia f...
Aula estrutura da terra e placas tectônicas - 1série 3 bimestre - geografia f...
 
Aula 2 tectonica placas
Aula 2 tectonica placasAula 2 tectonica placas
Aula 2 tectonica placas
 
Estrutura da terra
Estrutura da terraEstrutura da terra
Estrutura da terra
 
Tectonica Placas
Tectonica PlacasTectonica Placas
Tectonica Placas
 
Crosta terrestre
Crosta terrestreCrosta terrestre
Crosta terrestre
 
Estrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da TerraEstrutura Interna Da Terra
Estrutura Interna Da Terra
 
Correção da ficha de avaliação
Correção da ficha de avaliação Correção da ficha de avaliação
Correção da ficha de avaliação
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terra
 

Semelhante a Estrutura Geológica da Terra

vter7_objetivo04- estrutura e dinâmica interna da Terra.pptx
vter7_objetivo04- estrutura e dinâmica interna da Terra.pptxvter7_objetivo04- estrutura e dinâmica interna da Terra.pptx
vter7_objetivo04- estrutura e dinâmica interna da Terra.pptxTiagoBrito87
 
Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020CecliaGuise
 
Dinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestreDinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestrerdbtava
 
Deriva continental
Deriva continentalDeriva continental
Deriva continentalMario Lopes
 
Geologia, geomorfologia e estrutura do relevo mundial e brasileiro phn
Geologia, geomorfologia e estrutura do relevo mundial e brasileiro phnGeologia, geomorfologia e estrutura do relevo mundial e brasileiro phn
Geologia, geomorfologia e estrutura do relevo mundial e brasileiro phnPaulo Henrique Netinho
 
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptxDerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptxmariagrave
 
Estrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da TerraEstrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da Terracleiton denez
 
A estrutura da_terra[1]
A estrutura da_terra[1]A estrutura da_terra[1]
A estrutura da_terra[1]Fabiane Dariva
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentestalexandra
 
28 origem e-distribuicao-dos-continentes
28 origem e-distribuicao-dos-continentes28 origem e-distribuicao-dos-continentes
28 origem e-distribuicao-dos-continentesAlessandra Carvalho
 

Semelhante a Estrutura Geológica da Terra (20)

Geologia e Rochas
Geologia e RochasGeologia e Rochas
Geologia e Rochas
 
vter7_objetivo04- estrutura e dinâmica interna da Terra.pptx
vter7_objetivo04- estrutura e dinâmica interna da Terra.pptxvter7_objetivo04- estrutura e dinâmica interna da Terra.pptx
vter7_objetivo04- estrutura e dinâmica interna da Terra.pptx
 
Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020Teoria da deriva 2020
Teoria da deriva 2020
 
Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico
 
Abalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Abalos Sismicos No Brasil E No MundoAbalos Sismicos No Brasil E No Mundo
Abalos Sismicos No Brasil E No Mundo
 
Deriva Continental
Deriva Continental Deriva Continental
Deriva Continental
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geologia
 
Dinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestreDinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestre
 
Dinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestreDinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestre
 
Deriva continental
Deriva continentalDeriva continental
Deriva continental
 
Geologia, geomorfologia e estrutura do relevo mundial e brasileiro phn
Geologia, geomorfologia e estrutura do relevo mundial e brasileiro phnGeologia, geomorfologia e estrutura do relevo mundial e brasileiro phn
Geologia, geomorfologia e estrutura do relevo mundial e brasileiro phn
 
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptxDerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
DerivaContinentalTectónicaPlacas....pptx
 
Teroria da deriva continental
Teroria da deriva continentalTeroria da deriva continental
Teroria da deriva continental
 
Teroria da deriva continental
Teroria da deriva continentalTeroria da deriva continental
Teroria da deriva continental
 
Estrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da TerraEstrutura Interna da Terra
Estrutura Interna da Terra
 
A estrutura da_terra[1]
A estrutura da_terra[1]A estrutura da_terra[1]
A estrutura da_terra[1]
 
Resumo 3º módulo
Resumo 3º móduloResumo 3º módulo
Resumo 3º módulo
 
Eras geologicas placas_tectonicas
Eras geologicas placas_tectonicasEras geologicas placas_tectonicas
Eras geologicas placas_tectonicas
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentes
 
28 origem e-distribuicao-dos-continentes
28 origem e-distribuicao-dos-continentes28 origem e-distribuicao-dos-continentes
28 origem e-distribuicao-dos-continentes
 

Mais de Evandro Batista (20)

Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações Ecológicas
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Bacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elasBacterias e as doenças causadas por elas
Bacterias e as doenças causadas por elas
 
Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
 
Mitose e Meiose
Mitose e MeioseMitose e Meiose
Mitose e Meiose
 
POLÍTICA DE ARISTÓTELES
POLÍTICA DE ARISTÓTELESPOLÍTICA DE ARISTÓTELES
POLÍTICA DE ARISTÓTELES
 
A POLÍTICA - ARISTÓTELES
A POLÍTICA - ARISTÓTELESA POLÍTICA - ARISTÓTELES
A POLÍTICA - ARISTÓTELES
 
Modelo de Fichamento
Modelo de FichamentoModelo de Fichamento
Modelo de Fichamento
 
Bioquímica 3
Bioquímica 3 Bioquímica 3
Bioquímica 3
 
Bioquímica 2
Bioquímica 2Bioquímica 2
Bioquímica 2
 
Bioquímica 1
Bioquímica 1Bioquímica 1
Bioquímica 1
 
Membrana Plasmática
Membrana PlasmáticaMembrana Plasmática
Membrana Plasmática
 
Movimento de Rotacao e Translacao
Movimento de Rotacao e TranslacaoMovimento de Rotacao e Translacao
Movimento de Rotacao e Translacao
 
SEMANA 25
SEMANA 25SEMANA 25
SEMANA 25
 
SEMANA 24
SEMANA 24SEMANA 24
SEMANA 24
 
SEMANA 23
SEMANA 23SEMANA 23
SEMANA 23
 
SEMANA 22
SEMANA 22SEMANA 22
SEMANA 22
 
SEMANA 21
SEMANA 21SEMANA 21
SEMANA 21
 
SEMANA 20
SEMANA 20SEMANA 20
SEMANA 20
 

Último

BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavrasMary Alvarenga
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfArthurRomanof1
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 

Último (20)

BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavras
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 

Estrutura Geológica da Terra

  • 2. ERAS GEOLÓGICAS OU TEMPO GEOLÓGICO
  • 3.
  • 4. ROCHAS • Rocha é um agregado sólido que ocorre naturalmente e é constituído por um ou mais minerais. A camada externa sólida da Terra, conhecida por litosfera, é constituída por rochas. O estudo científico das rochas é chamado de petrologia, um ramo da geologia. Os termos populares pedra e calhau se referem a pedaços soltos de rochas, ou fragmentos.
  • 5. CROSTA TERRESTRE OU LITOSFERA • ROCHAS = MAGMÁTICAS INTRUSIVAS OU PLUTÔNICAS OU EXTRUSIVAS OU VULCÂNICAS.
  • 6.
  • 7.
  • 8. SEDIMENTARES – CLÁSTICAS, QUÍMICAS E ORGÂNICAS. • CLÁSTICAS = COMPACTAÇÃO DE OUTRAS ROCHAS.
  • 12.
  • 14. METAMÓRFICAS – diagenético – mudanças físicas e químicas. • METAMORFOSE = MUDANÇAS = AUMENTYO DE PRESSÃO E TEMPERATURA DAS ROCHAS. • ALTA DUREZA E DURABILIDADE.
  • 15.
  • 16. DIVIDIDA EM PLACAS TECTÔNICAS.
  • 17.
  • 19. BRASIL • MAGMÁTICAS. • MACIÇO DE ITATIAIA – RJ • ILHA DE SEBASTIÃO – SP • MACIÇO DE POÇOS DE CALDAS – MG • BACIA DO PARANÁ – TERRA ROXA
  • 20.
  • 21. 58% do território brasileiro é coberto por rochas sedimentares.
  • 22. 8% vulcânica e 34% metamórfico.
  • 23. MANTO
  • 25. MINÉRIO • Todas as rochas e minerais quando adquirem um valor econômico, passam a ser chamados de Minérios. • Brasil é detentor de uma infinidade de riquezas naturais: uma delas é o minério. O país destaca-se principalmente na produção de ferro, bauxita (alumínio), manganês e nióbio.
  • 26. Minérios Encontrados no Brasil. FERRO • SERRA DOS CARAJÁS = PARÁ = M. EXTERNO • MACIÇO DO URUCUM = MS = M. INTERNO • QUADRILÁTERO FERRÍFERO = MG = M. INTERNO.
  • 27.
  • 28. A teoria da Tectônica de Placas. • Antes de se entender a teoria mais aceita nos dias de hoje sobre a movimentação dos continentes (Tectônica de Placas), devemos analisar os estudos de um cientista alemão chamado Alfred Wegener, chamado de Deriva continental.
  • 29. A DERIVA CONTINENTAL, em 1915. • Alfred Wegener foi pioneiro nos estudos sobre a separação dos continentes e a movimentação dos mesmos. Diversos foram os argumentos que Wegener teve, dentre eles: • Argumentos Morfológicos: Os continentes encaixam entre si como peças de um grande quebra cabeça, sendo mais evidente entre as costas atlânticas de África e América do Sul.
  • 30. PANGEIA – LAURÁSIA E GONDWANA
  • 31.
  • 32. A TEORIA DA TECTÔNICA DE PLACAS, DE 1960. • A partir da década de 60 do século passado, alguns geólogos retomaram as inquietações de Wegener, e começaram a estudar a fundo a possível movimentação dos continentes. Até que descobriram que o fundo oceânico não é homogêneo, mas que existe formas de relevo submarino bastante diversificado. Dentre elas, uma cadeia montanhosa (Dorsal mesooceânica) bem no meio do oceâno Atlântico.
  • 33. continuação • A conclusão de que os continentes realmente estão em deslocamento foi tirada quando foram feiras medições da idade das rochas do assoalho oceânico. Quanto mais próximas da dorsal, mais jovens eram as rochas, e tanto pra esquerda quanto pra direita, a idade delas amumentava.
  • 34.
  • 35. O QUE CAUSA O MOVIMENTO DAS PLACAS. FLUXO DE MATERIAS.
  • 37. OS LIMITES DE PLACAS TECTÔNICAS • Todas as placas tectônicas possuem dinâmicas nas suas extremidades, ou limites. Como foi visto anteriormente, a placa Sulamericana vai aumentando e se locomovendo para a esquerda, na medida que a placa Africana se move para a direita.
  • 38.
  • 39. LIMITES DIVERGENTES (ZONAS DE EXPANSÃO) • Um dos tipos de limites, são os divergentes, conforme já foi colocado sobre a dinâmica da expansão do assoalho oceânico das placas Sulamericana e Africana.
  • 40.
  • 41. A Dorsal Meso-oceânica entre a América do Sul (esquerda) e África (direita)
  • 42. LIMITES CONVERGENTES (ZONAS DE SUBDUCÇÃO)
  • 43.
  • 44. A fossa submarina formada devido ao encontro da placa de Nazca com a Sul- Americana
  • 45. LIMITES TRANSFORMANTES (TANGENCIAIS OU TRANSCORRENTES) • SAN ANDRES NOS EUA.
  • 46.
  • 47. TECTONISMO – orogênese e epirogênese • Orogênese = geração de montanhas. • Podem está associados ao vulcanismo e aos falhamentos. • Montanhas Rochosas, Andes, Alpes e Himalaia. • Movimento horizontal, choque das placas. • Pode ser convergente, Andes ou divergente, Dorsais, ilhas, como Fernando de Noronha.
  • 48.
  • 49. Continuação • Epirogênese = movimento vertical. • Transgressão e regressão marinha. • Formação dos continentes.
  • 50. Consequências do choque das placas. • VULCANISMO • TERREMOTO • MAREMOTO (tsunami)
  • 51.
  • 52.
  • 53.
  • 54.
  • 55. Estrutura do relevo • Bacias sedimentares
  • 58.
  • 59. Formas de relevo • Planaltos, planícies, depressões e montanhas.
  • 60.
  • 61. Agentes do relevo • Internos ou endógenos, responsáveis por transformar o relevo.
  • 62. Agentes externos ou exógenos. • São modeladores do relevo. • Ação do vento ou eólica.
  • 63.
  • 64. Ação das chuvas ou pluvial
  • 65. Ação dos rios ou fluvial
  • 66.
  • 67.
  • 68.
  • 69. Ação do mar ou marítimo ou abrasão