SlideShare uma empresa Scribd logo
Introdução
• Grupo formado por mais de 20.000 espécies.
• Estão dividas em três filos: Hepatophyta,
Anthocerophyta e Bryophyta.
• Primeiro grupo de plantas terrestres. Conquista
ocorreu aproximadamente a 430 milhões de anos
(Período Devoniano, Era Paleozóica).
• Origem provável a partir de algas verdes
denominadas Chlorophyta.
• Pertencem ao sub-reino Embryophyta.
• Possuem clorofilas A e B, carotenos, xantofilas,
amido, gorduras, celulose e hemicelulose, assim
como as outras plantas do Reino Plantae.
• Foram as primeiras plantas a deixar o meio aquático
e a colonizar o meio terrestre.
Algumas
variedades de
Chlorophyta.
Morfologia
• Avasculares de pequeno porte que possuem muitos
e pequenos cloroplastos em suas células.
• Algumas são aquáticas e outras são capazes de
sobreviver em regiões ardias e secas. Embora seu
tamanho varie de microscópico a 30 cm, a briófita
média mede aproximadamente entre 1,2 e 5 cm,
variando sua coloração, que pode ser verde, negra
e até quase incolor.
• Maioria de ambiente terrestre úmido.
• São organismos eucariontes, pluricelulares, onde
apenas os elementos reprodutivos são unicelulares.
• Não possuem raízes, caule e folhas verdadeiros.
• Conhecidas popularmente como “musgos” ou
“hepáticas”.
• Formado basicamente de três partes ou estruturas:
 Rizoides:
filamentos
(raízes) que
fixam a planta
no ambiente
em que ela
vive e
absorvem a
água e os
sais minerais
disponíveis
nesse
ambiente.
 Cauloide: epiderme, parênquima e uma zona
central com células alongadas mas sem
espessamentos, com função de ajudar no
transporte de água e nutrientes; dá
sustentação à planta e suportando filoides e
rizoides.
 Filoides: com apenas uma célula de espessura;
são semelhantes às folhas em seu formato e
possuem uma grande área para a realização da
fotossíntese.
Divisão Hepatophyta
• Chamados de hepáticas.
• Aproximadamente 8000 espécies.
• Conhecidas como “fígado”, devido à
semelhança do contorno do gametófito com um
fígado.
• Em ambientes úmidos, formam extensos
tapetes, recobrindo rochas e troncos.
• São as mais simples de todas as plantas (Reino
Plantae) vivas.
• Altamente dependentes da água.
• Estão divididas em: hepáticas talosas e
hepáticas folhosas
Frullania, uma hepática
folhosa.
Marchantia, uma hepática
talosa.
• Gênero mais comum é Marchantia, que ocorre
no mundo todo, em regiões úmidas. No Brasil,
típico de Mata Atlântica.
• Gametófitos são monoicos.
Aspecto do talo de Marchantia
Hepáticas Talosas
Hepáticas Folhosas
• Cerca de 6000 espécies. Mais comuns do que
as talosas.
• Típicas de regiões tropicais (alta umidade).
• Plantas bem ramificadas, formando pequenos
emaranhados.
• Plantas podem ser unissexuais ou bissexuais.
Uma hepática folhosa da
espécie Plagiochila
aspleniodes.
• Seus talos, tanto nas
aquáticas como nas
terrestres, é uma
lâmina
extremamente
delgada. Nas
aquáticas, elas
formam aglomerados
na superfície de
lagos e represas. As
terrestres apoiam-se
no solo através de
finíssimos rizoides.
Divisão Anthocerotophyta
• Aproximadamente 100 espécies.
• Gênero mais comum é Anthoceros.
• Podem ser monoicos ou dioicos.
Imagem de um
Antocero, Divisão
Anthocerotophyta,
mostrando seu
esporófito
cilíndrico.
Divisão Bryophyta
• Popularmente conhecidos como musgos. São
plantas avasculares e de pequeno porte.
• Cerca de 9500 espécies.
• São plantas sensíveis à poluição, assim como
os liquens.
Imagem de uma briófita do
gênero Bartramia. Atenção
para o esporófito (cápsula)
crescendo sobre o
gametófito.
• Seu talo lembra muito um vegetal superior.
Apresenta-se ereto, crescendo a partir do solo.
Também há musgos que formam tapetes.
Existem três classes:
 Classe Bryidae (ou Bryopsida): conhecidos como
os musgos verdadeiros.
 Classe Sphagnidae: conhecidos como musgos
de turfeiras.
• Aproximadamente 350 espécies: gênero
Sphagnum.
• As células mortas têm grande capacidade de
absorção de água (20 x seu peso seco).
Por isso, foi utilizado para curativos em
machucados e furúnculos.
• São muito usados no mundo inteiro para
jardinagem.
O musgo esfagno,
do
gênero Sphagnum,
em ambiente natural.
 Classe Andreaeidae: conhecidos como musgos
de granito.
• Ocorrem em regiões ou montanhas árticas e
são tipicamente encontrados sobre rochas de
granito.
• 100 espécies de musgos pequenos, verde-
escuros ou castanho-avermelhados.
Por que estudar as briófitas?
a) Importância ecológica: auxiliam a manter a
integridade de uma encosta, permitida pelo
entrelaçamento dos rizoides. *Turfeiras.
b) Importância evolutiva: foram os primeiros
vegetais complexos que surgiram na Terra.
Reprodução
• A metagênese envolve a alternância de duas
gerações diferentes na forma e no tamanho. Os
gametófitos, verdes, são de sexos separados e
duram mais que os esporófitos.
• Existem órgãos especializados na produção de
gametas chamados gametângios e que ficam
localizados no ápice dos gametófitos.
• Masculino: anterídio – anterozoides.
• Feminino: arquegônio – oosfera.
• Como se dá o encontro desses gametas, e
assim, a fecundação?
• Origina-se uma fase assexuada chamada esporófito,
isto é, a fase produtora de esporos.
Briófitas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
infoeducp2
 
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
guest78da28
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
Renata Magalhães
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
emanuel
 
Plano de aula 2ª Série do Ensino Médio
Plano de aula   2ª Série do Ensino MédioPlano de aula   2ª Série do Ensino Médio
Plano de aula 2ª Série do Ensino Médio
KeSantos03
 
Botânica
BotânicaBotânica
Botânica
familiaestagio
 
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermasAula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Fatima Comiotto
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
DeaaSouza
 
Briofitas
BriofitasBriofitas
Nomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomiaNomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomia
Iuri Fretta Wiggers
 
7º ano reino plantae 1
7º ano    reino plantae 17º ano    reino plantae 1
7º ano reino plantae 1
Simone Maia
 
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
Rebeca Vale
 
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Leonardo Kaplan
 
Princípios de taxonomia
Princípios de taxonomiaPrincípios de taxonomia
Princípios de taxonomia
Universidade Federal do Oeste Pará
 
7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas
crisbassanimedeiros
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
Juliana Mendes
 
Aula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetaisAula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetais
Ronaldo Professorr
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
Gabriela de Lima
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
Fatima Comiotto
 
Reino plantae primeira aula
Reino plantae primeira aulaReino plantae primeira aula
Reino plantae primeira aula
Professora Raquel
 

Mais procurados (20)

Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Plano de aula 2ª Série do Ensino Médio
Plano de aula   2ª Série do Ensino MédioPlano de aula   2ª Série do Ensino Médio
Plano de aula 2ª Série do Ensino Médio
 
Botânica
BotânicaBotânica
Botânica
 
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermasAula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Briofitas
BriofitasBriofitas
Briofitas
 
Nomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomiaNomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomia
 
7º ano reino plantae 1
7º ano    reino plantae 17º ano    reino plantae 1
7º ano reino plantae 1
 
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
 
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
Aula 7º ano - Reino Animalia (Vertebrados)
 
Princípios de taxonomia
Princípios de taxonomiaPrincípios de taxonomia
Princípios de taxonomia
 
7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas7 ano classificação das plantas
7 ano classificação das plantas
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 
Aula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetaisAula tecidos vegetais
Aula tecidos vegetais
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 
Reino plantae primeira aula
Reino plantae primeira aulaReino plantae primeira aula
Reino plantae primeira aula
 

Destaque

Briofitas pteridofitas bioloja
Briofitas pteridofitas biolojaBriofitas pteridofitas bioloja
Briofitas pteridofitas bioloja
Joseane Pasini CB
 
5. plantas
5. plantas5. plantas
01 sistemática
01 sistemática01 sistemática
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
João Silva
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
Bio Sem Limites
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
Bio Sem Limites
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
Bio Sem Limites
 
Aula briófitas (21 04-2012)
Aula briófitas (21 04-2012)Aula briófitas (21 04-2012)
Aula briófitas (21 04-2012)
BotanicaCPVA
 
2S Reino vegetal completo - reprodução
2S Reino vegetal completo - reprodução 2S Reino vegetal completo - reprodução
2S Reino vegetal completo - reprodução
Ionara Urrutia Moura
 
Nomenclatura iac parte 1
Nomenclatura iac parte 1Nomenclatura iac parte 1
Nomenclatura iac parte 1
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Bri
BriBri
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
Míria Alves Cirqueira
 
Vegetais inferiores
Vegetais inferioresVegetais inferiores
Vegetais inferiores
Altair Hoepers
 
Seminario micro geral_ciano
Seminario micro geral_cianoSeminario micro geral_ciano
Seminario micro geral_ciano
MICROBIOLOGIA-CSL-UFSJ
 
Ponto 1
Ponto 1Ponto 1
Aula 2 Prof. Guth Berger
Aula 2 Prof. Guth BergerAula 2 Prof. Guth Berger
Aula 2 Prof. Guth Berger
Matheus Yuri
 
Tecidos de condução
Tecidos de condução Tecidos de condução
Tecidos de condução
Mara Dalila Ribeiro
 
Herbário Digital
Herbário DigitalHerbário Digital
Herbário Digital
2° PD
 
Briofitas pteridofitas
Briofitas pteridofitasBriofitas pteridofitas
Briofitas pteridofitas
Iuri Fretta Wiggers
 

Destaque (20)

Briofitas pteridofitas bioloja
Briofitas pteridofitas biolojaBriofitas pteridofitas bioloja
Briofitas pteridofitas bioloja
 
5. plantas
5. plantas5. plantas
5. plantas
 
01 sistemática
01 sistemática01 sistemática
01 sistemática
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Briófitas
BriófitasBriófitas
Briófitas
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Aula briófitas (21 04-2012)
Aula briófitas (21 04-2012)Aula briófitas (21 04-2012)
Aula briófitas (21 04-2012)
 
2S Reino vegetal completo - reprodução
2S Reino vegetal completo - reprodução 2S Reino vegetal completo - reprodução
2S Reino vegetal completo - reprodução
 
Nomenclatura iac parte 1
Nomenclatura iac parte 1Nomenclatura iac parte 1
Nomenclatura iac parte 1
 
Bri
BriBri
Bri
 
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
 
Vegetais inferiores
Vegetais inferioresVegetais inferiores
Vegetais inferiores
 
Seminario micro geral_ciano
Seminario micro geral_cianoSeminario micro geral_ciano
Seminario micro geral_ciano
 
Ponto 1
Ponto 1Ponto 1
Ponto 1
 
Aula 2 Prof. Guth Berger
Aula 2 Prof. Guth BergerAula 2 Prof. Guth Berger
Aula 2 Prof. Guth Berger
 
Tecidos de condução
Tecidos de condução Tecidos de condução
Tecidos de condução
 
Herbário Digital
Herbário DigitalHerbário Digital
Herbário Digital
 
Briofitas pteridofitas
Briofitas pteridofitasBriofitas pteridofitas
Briofitas pteridofitas
 

Semelhante a Briófitas

3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
PatriciaFerreiradaSi9
 
Plantas
PlantasPlantas
Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193
Isabella Silva
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
Bio Sem Limites
 
Gminospermas
GminospermasGminospermas
Gminospermas
Bruna Medeiros
 
Aula 7º ano - Reino Protoctista
Aula 7º ano - Reino ProtoctistaAula 7º ano - Reino Protoctista
Aula 7º ano - Reino Protoctista
Leonardo Kaplan
 
Dia Mundial da Bolota.pdf
Dia Mundial da Bolota.pdfDia Mundial da Bolota.pdf
Dia Mundial da Bolota.pdf
AndreMorais38
 
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e AngiospermasEvolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Sergio Nascimento
 
Formas das plantas
Formas das plantasFormas das plantas
Formas das plantas
Gerdian Teixeira
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
hiagolopes11
 
Apostila botanica
Apostila botanicaApostila botanica
Apostila botanica
Aline Volpini
 
Morcegos 2º D
Morcegos 2º DMorcegos 2º D
Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193
sergio_chumbinho
 
Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193
Silvana De Fátima Engelmann
 
Macrófitas aquáticas
Macrófitas aquáticasMacrófitas aquáticas
Macrófitas aquáticas
Limnos Ufsc
 
Projeto trilha2007
Projeto trilha2007Projeto trilha2007
Plantas
PlantasPlantas
Plantas
David Pereira
 
Pteridófitas1804.docx
Pteridófitas1804.docxPteridófitas1804.docx
Pteridófitas1804.docx
Lilian Silva
 
Araucária angustifolia
Araucária angustifoliaAraucária angustifolia
Araucária angustifolia
Alyne Regina Ruggiero
 
Zoologia dos invertebrados
Zoologia dos invertebradosZoologia dos invertebrados
Zoologia dos invertebrados
paulogrillo
 

Semelhante a Briófitas (20)

3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
3-Biologia_e_sistematica_das_plantas_vasculares.pdf
 
Plantas
PlantasPlantas
Plantas
 
Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193
 
Pteridófitas
PteridófitasPteridófitas
Pteridófitas
 
Gminospermas
GminospermasGminospermas
Gminospermas
 
Aula 7º ano - Reino Protoctista
Aula 7º ano - Reino ProtoctistaAula 7º ano - Reino Protoctista
Aula 7º ano - Reino Protoctista
 
Dia Mundial da Bolota.pdf
Dia Mundial da Bolota.pdfDia Mundial da Bolota.pdf
Dia Mundial da Bolota.pdf
 
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e AngiospermasEvolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
 
Formas das plantas
Formas das plantasFormas das plantas
Formas das plantas
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
 
Apostila botanica
Apostila botanicaApostila botanica
Apostila botanica
 
Morcegos 2º D
Morcegos 2º DMorcegos 2º D
Morcegos 2º D
 
Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193
 
Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193Apostila botânica-pronta.107.193
Apostila botânica-pronta.107.193
 
Macrófitas aquáticas
Macrófitas aquáticasMacrófitas aquáticas
Macrófitas aquáticas
 
Projeto trilha2007
Projeto trilha2007Projeto trilha2007
Projeto trilha2007
 
Plantas
PlantasPlantas
Plantas
 
Pteridófitas1804.docx
Pteridófitas1804.docxPteridófitas1804.docx
Pteridófitas1804.docx
 
Araucária angustifolia
Araucária angustifoliaAraucária angustifolia
Araucária angustifolia
 
Zoologia dos invertebrados
Zoologia dos invertebradosZoologia dos invertebrados
Zoologia dos invertebrados
 

Último

QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
JuliaMachado73
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 

Último (20)

QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptxapresentação sobre Clarice Lispector .pptx
apresentação sobre Clarice Lispector .pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 

Briófitas

  • 1.
  • 2. Introdução • Grupo formado por mais de 20.000 espécies. • Estão dividas em três filos: Hepatophyta, Anthocerophyta e Bryophyta. • Primeiro grupo de plantas terrestres. Conquista ocorreu aproximadamente a 430 milhões de anos (Período Devoniano, Era Paleozóica). • Origem provável a partir de algas verdes denominadas Chlorophyta. • Pertencem ao sub-reino Embryophyta. • Possuem clorofilas A e B, carotenos, xantofilas, amido, gorduras, celulose e hemicelulose, assim como as outras plantas do Reino Plantae. • Foram as primeiras plantas a deixar o meio aquático e a colonizar o meio terrestre.
  • 4.
  • 5. Morfologia • Avasculares de pequeno porte que possuem muitos e pequenos cloroplastos em suas células. • Algumas são aquáticas e outras são capazes de sobreviver em regiões ardias e secas. Embora seu tamanho varie de microscópico a 30 cm, a briófita média mede aproximadamente entre 1,2 e 5 cm, variando sua coloração, que pode ser verde, negra e até quase incolor. • Maioria de ambiente terrestre úmido. • São organismos eucariontes, pluricelulares, onde apenas os elementos reprodutivos são unicelulares. • Não possuem raízes, caule e folhas verdadeiros.
  • 6. • Conhecidas popularmente como “musgos” ou “hepáticas”.
  • 7. • Formado basicamente de três partes ou estruturas:  Rizoides: filamentos (raízes) que fixam a planta no ambiente em que ela vive e absorvem a água e os sais minerais disponíveis nesse ambiente.
  • 8.  Cauloide: epiderme, parênquima e uma zona central com células alongadas mas sem espessamentos, com função de ajudar no transporte de água e nutrientes; dá sustentação à planta e suportando filoides e rizoides.
  • 9.  Filoides: com apenas uma célula de espessura; são semelhantes às folhas em seu formato e possuem uma grande área para a realização da fotossíntese.
  • 10.
  • 11. Divisão Hepatophyta • Chamados de hepáticas. • Aproximadamente 8000 espécies. • Conhecidas como “fígado”, devido à semelhança do contorno do gametófito com um fígado. • Em ambientes úmidos, formam extensos tapetes, recobrindo rochas e troncos. • São as mais simples de todas as plantas (Reino Plantae) vivas. • Altamente dependentes da água. • Estão divididas em: hepáticas talosas e hepáticas folhosas
  • 13. • Gênero mais comum é Marchantia, que ocorre no mundo todo, em regiões úmidas. No Brasil, típico de Mata Atlântica. • Gametófitos são monoicos. Aspecto do talo de Marchantia Hepáticas Talosas
  • 14. Hepáticas Folhosas • Cerca de 6000 espécies. Mais comuns do que as talosas. • Típicas de regiões tropicais (alta umidade). • Plantas bem ramificadas, formando pequenos emaranhados. • Plantas podem ser unissexuais ou bissexuais. Uma hepática folhosa da espécie Plagiochila aspleniodes.
  • 15. • Seus talos, tanto nas aquáticas como nas terrestres, é uma lâmina extremamente delgada. Nas aquáticas, elas formam aglomerados na superfície de lagos e represas. As terrestres apoiam-se no solo através de finíssimos rizoides.
  • 16.
  • 17. Divisão Anthocerotophyta • Aproximadamente 100 espécies. • Gênero mais comum é Anthoceros. • Podem ser monoicos ou dioicos. Imagem de um Antocero, Divisão Anthocerotophyta, mostrando seu esporófito cilíndrico.
  • 18. Divisão Bryophyta • Popularmente conhecidos como musgos. São plantas avasculares e de pequeno porte. • Cerca de 9500 espécies. • São plantas sensíveis à poluição, assim como os liquens. Imagem de uma briófita do gênero Bartramia. Atenção para o esporófito (cápsula) crescendo sobre o gametófito.
  • 19. • Seu talo lembra muito um vegetal superior. Apresenta-se ereto, crescendo a partir do solo. Também há musgos que formam tapetes.
  • 20. Existem três classes:  Classe Bryidae (ou Bryopsida): conhecidos como os musgos verdadeiros.
  • 21.  Classe Sphagnidae: conhecidos como musgos de turfeiras. • Aproximadamente 350 espécies: gênero Sphagnum. • As células mortas têm grande capacidade de absorção de água (20 x seu peso seco). Por isso, foi utilizado para curativos em machucados e furúnculos. • São muito usados no mundo inteiro para jardinagem.
  • 22. O musgo esfagno, do gênero Sphagnum, em ambiente natural.
  • 23.  Classe Andreaeidae: conhecidos como musgos de granito. • Ocorrem em regiões ou montanhas árticas e são tipicamente encontrados sobre rochas de granito. • 100 espécies de musgos pequenos, verde- escuros ou castanho-avermelhados.
  • 24. Por que estudar as briófitas? a) Importância ecológica: auxiliam a manter a integridade de uma encosta, permitida pelo entrelaçamento dos rizoides. *Turfeiras. b) Importância evolutiva: foram os primeiros vegetais complexos que surgiram na Terra.
  • 25. Reprodução • A metagênese envolve a alternância de duas gerações diferentes na forma e no tamanho. Os gametófitos, verdes, são de sexos separados e duram mais que os esporófitos. • Existem órgãos especializados na produção de gametas chamados gametângios e que ficam localizados no ápice dos gametófitos. • Masculino: anterídio – anterozoides. • Feminino: arquegônio – oosfera. • Como se dá o encontro desses gametas, e assim, a fecundação?
  • 26. • Origina-se uma fase assexuada chamada esporófito, isto é, a fase produtora de esporos.