SlideShare uma empresa Scribd logo
DESENHO INFANTIL:
Desvios e Alterações no Processo Criativo

Autor: Rose Aparecida da Silva
Arte-Educadora
Currículo Lattes

BAURU
2012
Entendemos o desenho como sendo a arte de pensar através de
traços, também uma manifestação conceitual fundamental para a
formação humana e ferramenta de reflexão e sensibilidade
No entanto, a linguagem gráfica foi no decorrer dos tempos, sendo
substituída por outras atividades, por outras áreas do
conhecimento.
A nossa inquietação foi a seguinte:
 Será possível reverter esse processo?
Pensamos que aprendendo a desenhar, as pessoas passem a ver a
vida de forma diferente, de forma global, simultânea e intuitiva.
Adquirindo assim um nível de consciência profunda em que a
racionalidade e a sensibilidade trabalhem juntas, de forma
concomitante e cooperativamente.


Perceber as conexões, que abrangem formas, cores,
volumes, texturas, perspectivas, jogos de luz e sombra;
que vão se desencadeando, no complexo processo da
percepção visual



Compreender o desenho como sendo instrumento que
permite ao indivíduo comunicar um pensamento, uma
ideia, um conceito.


Inicialmente enfocamos na concepção de desenho enquanto
linguagem e como forma de educação. Para tanto foram
estudadas as ideias de Tiburi, Edwards, Cotrim, Ostrower,
Barbosa e Dworecki. Também mudando a forma de ver o
desenho na vida, segundo estudos de Arheim e analogias de
Rubem Alves. Dando enfoque na perspectiva sócio-cultural de
Vigotsky e sua forma de pensar o desenvolvimento gráfico na
infância e adolescência.






O desenho primeira forma do ser humano
manifestar seu entendimento do mundo
Desenho é intenção, meta, propósito, é um
plano que se concretiza. Não é coordenação
motora, mas fruto do aprimoramento da
percepção e da inteligência.
Pessoas que desenham costumam enxergar o
mundo de forma mais minuciosa, numa relação
íntima entre o observador e a paisagem que
contempla.
Imagem1- Zé Otávio
Linguagem:




códigos pelos quais se
comunicam a cultura e o
conhecimento de um povo.
Esses
códigos
são
organizados dentro de uma
logicidade própria de cada
cultura proporcionando a
interação na sociedade.

Desenho:


composição
de
vários
elementos plásticos que
organizados
transmitem
uma produção de sentido,
que permite ao indivíduo
comunicar um pensamento,
uma ideia, um conceito.

Quanto maior a possibilidade de interpretação dessas
informações, maior a comunicação.
insegurança

Abandono do
desenho

moldes que
ensinam
como se faz
Arte
“corretament
e”

Desenho
geométrico

Laissez- faire
Aguçar
mudança de
hábitos

percepção

desconstruir
pré-conceitos
estereotipados

Criatividade e desenho frutos de Arte pensante
O ver é compreender. (ARHEIM. 2005, p.39)










Ensinar a ver é:
ensinar a conhecer,
ensinar a explorar o mundo pelo olhar,
apreender e compreendê-lo;

quem compreende o que vê:
cria novas possibilidades,
inventa novas saídas,
percebe o mundo de forma global;
Imagem 2 – acervo
pessoal
Desenhar na infância significa:
 brincar, ela brinca com seus desenhos.
 Gestualidade;
 Prazer;
 Comunicação;
 Transitar livremente entre o imaginário e o real;
 pura satisfação pessoal.

Imagem3- google imagens
a criança amadurece:
 Não incentivo
 Adestramento motor gráfico
 Crítica pessoal e social da produção gráfica
 Perca do desejo do acesso ao desenho

Desenho = velhos brinquedos
empoeirados guardados
no fundo dos baús


Imagem4 – Ricardo Antunes
Edwards

DWORECKI

aprender a desenhar:
 aprender a ver de um modo
diferente,
 reeducar o sistema visual
espacial,
 estreitamente
ligado ao
processo criativo e ao ato de
ver.

Desenho:
 instrumento de imersão no
universo criativo
 percurso
de
contínua
experimentação e pesquisa
da representação de formas
através de traços.
 Sugere a redescoberta do
traço ao gesto








O desenho é uma fazer criativo muita vezes não compreendido, faz parte
de o senso comum, afirmar que desenhar é dom, um fazer desprovido de
intelectualidade, coisa de criança ou de especialistas. O desenho é relegado
a um fazer manual que não envolve o pensamento, o que o torna uma
linguagem muitas vezes não desenvolvida pelas pessoas.
Basta olhar e conseguir ver, adestrar o traço através de técnicas motoras
repetitivas, ou promover desenhos através de desenhos livres, frutos de um
espontaneísmo sem critérios, é desrespeitar o desenvolvimento cognitivo
da criança. É impedir-lhe de desenvolver-se na sua plenitude intelectual.
O desenho é muito mais que a ação das mãos é a ação do olhar, é
linguagem, é uma forma de manifestar e de comunicar um pensamento; a
mais antiga forma de comunicação plástica da humanidade.
O desenho como linguagem é fruto de um conhecimento constituído a
partir de experimentações, acertos e erros, trata-se de um fazer global de
apropriação de mundo, estreitamente ligado ao processo criativo, ao ato de
ver e ao pensamento.


ARNHEIM, Rudolf. Arte e Percepção Visual: Uma psicologia da visão criadora: nova versão / Rudolf Arnheim; trad.
Ivone Terezinha de Faria. São Paulo : Pioneira Thomson Learning.2005.



ANDRADE, Maria. Método de Redação Científica: Elaboração do TCC passo a passo. São Paulo: Factash, 2007.



BARBOSA, Ana Mae. Ed. Perspectiva. 4ºed. 2001



COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. Gilberto Cotrim, Mirna Fernandes. 1 ed.. São Paulo: Saraiva, 2010



DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo, Scipione, 1989.



DWORECKI, Silvio. Em Busca do Traço Perdido. São Paulo. Scipione.



EDWARDS, Betty. Desenhando Com o Artista Interior. Trad. Maria Cristina Guimarães Cupertino. São Paulo:
Claridade.2002.



FERREIRA. Sueli. Imaginação e Linguagem no Desenho da Criança. Campinas, SP: Papirus, 3ª Ed. 2003. ( Coleção
Papirus Educação)



IAVELBERG, Rosa. O Desenho Cultivado da Criança. São Paulo: Zouk, 2007.



MEREDIÉU, Florence de. O Desenho Infantil. Trad. Álvaro Lorencini, Sandra M. Nutrini.11.ed. São Paulo: Cutrix, 2006.



MOREIRA, Ana Angélica Albano. O Espaço Do Desenho: A Educação Do Educador. Col. Espaço. Ed. Loyola. São
Paulo.1984. 12ª Edição. 2008.



TIBURI, Márcia. Diálogo/Desenho. Marcia Tiburi, Fernando Chuí. São Paulo. Ed.Senac. São Paulo. 2010.



VYGOTSKY, L. S. La Imaginacion Y El Arte En La Infancia (Ensayo Psicologico). S. de C.V, Hipanicos-Ediciones Y
Distribuciones, 1989



São Paulo ( Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, códigos e suas
tecnologias/secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Alice Vieira. São Paulo : SEE,
2010



ALVES, Rubem. A Complicada Arte de Ver. Disponível em: www.rubemalves.com.br Acesso em: 12/10/2011.

EDUSP.1998

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Percepção - Psicologia
Percepção - PsicologiaPercepção - Psicologia
Percepção - Psicologia
Saul Marques da Silva
 
Comunicacao Visual
Comunicacao VisualComunicacao Visual
Comunicacao Visual
ricreis
 
Psicologia da forma GESTALT
Psicologia da forma GESTALTPsicologia da forma GESTALT
Psicologia da forma GESTALT
Elizabeth Fantauzzi
 
A arte de ver
A arte de verA arte de ver
A arte de ver
liliane10
 
Desenho infantil
Desenho infantilDesenho infantil
Desenho infantil
Teresa Andrade
 
TEXTURAS ed. visual
TEXTURAS   ed. visualTEXTURAS   ed. visual
TEXTURAS ed. visual
Agostinho NSilva
 
Linguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensionalLinguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensional
Kadu Sp
 
Texturas
TexturasTexturas
Texturas
Susana Vieira
 
Visão e Percepção
Visão e PercepçãoVisão e Percepção
Visão e Percepção
Vale Rodrigues
 
Aula simetria com escher
Aula simetria com escherAula simetria com escher
Aula simetria com escher
solanis oliveira
 
Op Art
Op ArtOp Art
A teoria de gestalt
A teoria de gestaltA teoria de gestalt
A teoria de gestalt
Rute Oliveira
 
Percepção visual
Percepção visualPercepção visual
Percepção visual
Raphael Araujo
 
A evolução do desenho
A evolução do desenhoA evolução do desenho
A evolução do desenho
Leandra Teixeira Falcão
 
OT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
OT O Ensino de Arte nas Series IniciaisOT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
OT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
Claudia Elisabete Silva
 
PERCEPÇÃO VISUAL
PERCEPÇÃO VISUALPERCEPÇÃO VISUAL
PERCEPÇÃO VISUAL
Andrea Dalforno
 
Teoria da Gestalt
Teoria da GestaltTeoria da Gestalt
Teoria da Gestalt
Lilian Mascarenhas
 
Apresentação percepção
Apresentação percepçãoApresentação percepção
Apresentação percepção
Mariana Rezende
 
Percepção visual
Percepção visualPercepção visual
Percepção visual
SofiaOliveira96
 
3º - Sintaxe visual
3º - Sintaxe visual3º - Sintaxe visual
3º - Sintaxe visual
Caio Cæsar
 

Mais procurados (20)

Percepção - Psicologia
Percepção - PsicologiaPercepção - Psicologia
Percepção - Psicologia
 
Comunicacao Visual
Comunicacao VisualComunicacao Visual
Comunicacao Visual
 
Psicologia da forma GESTALT
Psicologia da forma GESTALTPsicologia da forma GESTALT
Psicologia da forma GESTALT
 
A arte de ver
A arte de verA arte de ver
A arte de ver
 
Desenho infantil
Desenho infantilDesenho infantil
Desenho infantil
 
TEXTURAS ed. visual
TEXTURAS   ed. visualTEXTURAS   ed. visual
TEXTURAS ed. visual
 
Linguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensionalLinguagem bidimensional e tridimensional
Linguagem bidimensional e tridimensional
 
Texturas
TexturasTexturas
Texturas
 
Visão e Percepção
Visão e PercepçãoVisão e Percepção
Visão e Percepção
 
Aula simetria com escher
Aula simetria com escherAula simetria com escher
Aula simetria com escher
 
Op Art
Op ArtOp Art
Op Art
 
A teoria de gestalt
A teoria de gestaltA teoria de gestalt
A teoria de gestalt
 
Percepção visual
Percepção visualPercepção visual
Percepção visual
 
A evolução do desenho
A evolução do desenhoA evolução do desenho
A evolução do desenho
 
OT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
OT O Ensino de Arte nas Series IniciaisOT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
OT O Ensino de Arte nas Series Iniciais
 
PERCEPÇÃO VISUAL
PERCEPÇÃO VISUALPERCEPÇÃO VISUAL
PERCEPÇÃO VISUAL
 
Teoria da Gestalt
Teoria da GestaltTeoria da Gestalt
Teoria da Gestalt
 
Apresentação percepção
Apresentação percepçãoApresentação percepção
Apresentação percepção
 
Percepção visual
Percepção visualPercepção visual
Percepção visual
 
3º - Sintaxe visual
3º - Sintaxe visual3º - Sintaxe visual
3º - Sintaxe visual
 

Destaque

Projeto Desenho Animado
Projeto Desenho AnimadoProjeto Desenho Animado
Projeto Desenho Animado
profjaque
 
Relatório - Desenho e Projeto
Relatório - Desenho e ProjetoRelatório - Desenho e Projeto
Relatório - Desenho e Projeto
Rodrigo Thiago Passos Silva
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artes
Júlia Gama
 
Apresentação - Desenho e Projeto
Apresentação - Desenho e ProjetoApresentação - Desenho e Projeto
Apresentação - Desenho e Projeto
Rodrigo Thiago Passos Silva
 
Arte no Desenho
Arte no DesenhoArte no Desenho
Arte no Desenho
Ana Lu Freitas
 
Artes visuais: desenho e pintura
Artes visuais: desenho e pinturaArtes visuais: desenho e pintura
Artes visuais: desenho e pintura
lechemi
 
Projeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeirasProjeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeiras
Shirley Costa
 
Projeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo ArteProjeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo Arte
Lene Reis
 
Apostila de arte
Apostila de arteApostila de arte
Artes atividades
Artes   atividadesArtes   atividades
Artes atividades
Ronaldo Russou
 

Destaque (10)

Projeto Desenho Animado
Projeto Desenho AnimadoProjeto Desenho Animado
Projeto Desenho Animado
 
Relatório - Desenho e Projeto
Relatório - Desenho e ProjetoRelatório - Desenho e Projeto
Relatório - Desenho e Projeto
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artes
 
Apresentação - Desenho e Projeto
Apresentação - Desenho e ProjetoApresentação - Desenho e Projeto
Apresentação - Desenho e Projeto
 
Arte no Desenho
Arte no DesenhoArte no Desenho
Arte no Desenho
 
Artes visuais: desenho e pintura
Artes visuais: desenho e pinturaArtes visuais: desenho e pintura
Artes visuais: desenho e pintura
 
Projeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeirasProjeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeiras
 
Projeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo ArteProjeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo Arte
 
Apostila de arte
Apostila de arteApostila de arte
Apostila de arte
 
Artes atividades
Artes   atividadesArtes   atividades
Artes atividades
 

Semelhante a Projeto de desenho apresentação

Projeto desenho completo
Projeto desenho completoProjeto desenho completo
Projeto desenho completo
Rose Silva
 
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
Vis-UAB
 
Meu tcc
Meu tccMeu tcc
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
Vanessa Gontscharow
 
Artigo 1 desenho.pdf
Artigo 1 desenho.pdfArtigo 1 desenho.pdf
Artigo 1 desenho.pdf
Andrea Nogueira
 
Processos
ProcessosProcessos
Processos
Alfredo Lopes
 
Meu tcc
Meu tccMeu tcc
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDODESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
Flávia Gonzales Correia
 
Artigo o desenho no desenvolvimento infantil
Artigo o desenho no desenvolvimento infantilArtigo o desenho no desenvolvimento infantil
Artigo o desenho no desenvolvimento infantil
ariana limonta
 
3º congresso internacional de educaçao
3º congresso internacional de educaçao3º congresso internacional de educaçao
3º congresso internacional de educaçao
Solange Cordeiro
 
Aline eliane
Aline elianeAline eliane
Aline eliane
Fernando Pissuto
 
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptxModulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Beans Projetos Culturais
 
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
Julia Aguiar
 
A CriançA Conhecendo Arte
A CriançA Conhecendo ArteA CriançA Conhecendo Arte
A CriançA Conhecendo Arte
Edmilson Faria
 
Formas de pensar o desenho
Formas de pensar o desenhoFormas de pensar o desenho
Formas de pensar o desenho
Lídia Ganhito
 
Por que estudar arte na escola...
Por que estudar arte na escola...Por que estudar arte na escola...
Por que estudar arte na escola...
Doroteia Marra
 
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
Ateliê Giramundo
 
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
Ateliê Giramundo
 
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Julian Coelho
 
O desenho infantil
O desenho infantil   O desenho infantil
O desenho infantil
gabifavarim
 

Semelhante a Projeto de desenho apresentação (20)

Projeto desenho completo
Projeto desenho completoProjeto desenho completo
Projeto desenho completo
 
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
 
Meu tcc
Meu tccMeu tcc
Meu tcc
 
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
 
Artigo 1 desenho.pdf
Artigo 1 desenho.pdfArtigo 1 desenho.pdf
Artigo 1 desenho.pdf
 
Processos
ProcessosProcessos
Processos
 
Meu tcc
Meu tccMeu tcc
Meu tcc
 
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDODESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
 
Artigo o desenho no desenvolvimento infantil
Artigo o desenho no desenvolvimento infantilArtigo o desenho no desenvolvimento infantil
Artigo o desenho no desenvolvimento infantil
 
3º congresso internacional de educaçao
3º congresso internacional de educaçao3º congresso internacional de educaçao
3º congresso internacional de educaçao
 
Aline eliane
Aline elianeAline eliane
Aline eliane
 
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptxModulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
 
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
 
A CriançA Conhecendo Arte
A CriançA Conhecendo ArteA CriançA Conhecendo Arte
A CriançA Conhecendo Arte
 
Formas de pensar o desenho
Formas de pensar o desenhoFormas de pensar o desenho
Formas de pensar o desenho
 
Por que estudar arte na escola...
Por que estudar arte na escola...Por que estudar arte na escola...
Por que estudar arte na escola...
 
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
 
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
 
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
 
O desenho infantil
O desenho infantil   O desenho infantil
O desenho infantil
 

Mais de Rose Silva

Nuno ramos
Nuno ramosNuno ramos
Nuno ramos
Rose Silva
 
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando ArteProposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Rose Silva
 
Carta da terra
Carta da terraCarta da terra
Carta da terra
Rose Silva
 
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºAProposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Rose Silva
 
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaproposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
Rose Silva
 
Proposições de arte
Proposições de arteProposições de arte
Proposições de arte
Rose Silva
 
Rizoma em Artes Visuais
Rizoma em Artes VisuaisRizoma em Artes Visuais
Rizoma em Artes Visuais
Rose Silva
 
Projeto maçã
Projeto maçãProjeto maçã
Projeto maçã
Rose Silva
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
Rose Silva
 
ARTE A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
ARTE  A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANAARTE  A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
ARTE A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANARose Silva
 
A ARTE E O TEMPO NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
 A ARTE E O TEMPO  NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU A ARTE E O TEMPO  NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
A ARTE E O TEMPO NO JORNAL DA CIDADE DE BAURURose Silva
 
Dona luci a4
Dona luci a4Dona luci a4
Dona luci a4
Rose Silva
 
Dona Luci - Memórias
Dona Luci - MemóriasDona Luci - Memórias
Dona Luci - Memórias
Rose Silva
 
Dona luci
Dona luciDona luci
Dona luci
Rose Silva
 
A arte e o tempo pdf
A arte e o tempo pdfA arte e o tempo pdf
A arte e o tempo pdf
Rose Silva
 
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASISSÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
Rose Silva
 
A cidade que é a nossa cara
A cidade que é a nossa caraA cidade que é a nossa cara
A cidade que é a nossa cara
Rose Silva
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
Rose Silva
 
Dona dita
Dona ditaDona dita
Dona dita
Rose Silva
 
Projeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power pointProjeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power point
Rose Silva
 

Mais de Rose Silva (20)

Nuno ramos
Nuno ramosNuno ramos
Nuno ramos
 
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando ArteProposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
 
Carta da terra
Carta da terraCarta da terra
Carta da terra
 
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºAProposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
 
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaproposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
 
Proposições de arte
Proposições de arteProposições de arte
Proposições de arte
 
Rizoma em Artes Visuais
Rizoma em Artes VisuaisRizoma em Artes Visuais
Rizoma em Artes Visuais
 
Projeto maçã
Projeto maçãProjeto maçã
Projeto maçã
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
 
ARTE A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
ARTE  A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANAARTE  A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
ARTE A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
 
A ARTE E O TEMPO NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
 A ARTE E O TEMPO  NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU A ARTE E O TEMPO  NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
A ARTE E O TEMPO NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
 
Dona luci a4
Dona luci a4Dona luci a4
Dona luci a4
 
Dona Luci - Memórias
Dona Luci - MemóriasDona Luci - Memórias
Dona Luci - Memórias
 
Dona luci
Dona luciDona luci
Dona luci
 
A arte e o tempo pdf
A arte e o tempo pdfA arte e o tempo pdf
A arte e o tempo pdf
 
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASISSÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
 
A cidade que é a nossa cara
A cidade que é a nossa caraA cidade que é a nossa cara
A cidade que é a nossa cara
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
 
Dona dita
Dona ditaDona dita
Dona dita
 
Projeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power pointProjeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power point
 

Último

Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 

Projeto de desenho apresentação

  • 1. DESENHO INFANTIL: Desvios e Alterações no Processo Criativo Autor: Rose Aparecida da Silva Arte-Educadora Currículo Lattes BAURU 2012
  • 2. Entendemos o desenho como sendo a arte de pensar através de traços, também uma manifestação conceitual fundamental para a formação humana e ferramenta de reflexão e sensibilidade No entanto, a linguagem gráfica foi no decorrer dos tempos, sendo substituída por outras atividades, por outras áreas do conhecimento. A nossa inquietação foi a seguinte:  Será possível reverter esse processo? Pensamos que aprendendo a desenhar, as pessoas passem a ver a vida de forma diferente, de forma global, simultânea e intuitiva. Adquirindo assim um nível de consciência profunda em que a racionalidade e a sensibilidade trabalhem juntas, de forma concomitante e cooperativamente.
  • 3.  Perceber as conexões, que abrangem formas, cores, volumes, texturas, perspectivas, jogos de luz e sombra; que vão se desencadeando, no complexo processo da percepção visual  Compreender o desenho como sendo instrumento que permite ao indivíduo comunicar um pensamento, uma ideia, um conceito.
  • 4.  Inicialmente enfocamos na concepção de desenho enquanto linguagem e como forma de educação. Para tanto foram estudadas as ideias de Tiburi, Edwards, Cotrim, Ostrower, Barbosa e Dworecki. Também mudando a forma de ver o desenho na vida, segundo estudos de Arheim e analogias de Rubem Alves. Dando enfoque na perspectiva sócio-cultural de Vigotsky e sua forma de pensar o desenvolvimento gráfico na infância e adolescência.
  • 5.    O desenho primeira forma do ser humano manifestar seu entendimento do mundo Desenho é intenção, meta, propósito, é um plano que se concretiza. Não é coordenação motora, mas fruto do aprimoramento da percepção e da inteligência. Pessoas que desenham costumam enxergar o mundo de forma mais minuciosa, numa relação íntima entre o observador e a paisagem que contempla. Imagem1- Zé Otávio
  • 6. Linguagem:   códigos pelos quais se comunicam a cultura e o conhecimento de um povo. Esses códigos são organizados dentro de uma logicidade própria de cada cultura proporcionando a interação na sociedade. Desenho:  composição de vários elementos plásticos que organizados transmitem uma produção de sentido, que permite ao indivíduo comunicar um pensamento, uma ideia, um conceito. Quanto maior a possibilidade de interpretação dessas informações, maior a comunicação.
  • 7. insegurança Abandono do desenho moldes que ensinam como se faz Arte “corretament e” Desenho geométrico Laissez- faire
  • 9. O ver é compreender. (ARHEIM. 2005, p.39)         Ensinar a ver é: ensinar a conhecer, ensinar a explorar o mundo pelo olhar, apreender e compreendê-lo; quem compreende o que vê: cria novas possibilidades, inventa novas saídas, percebe o mundo de forma global; Imagem 2 – acervo pessoal
  • 10. Desenhar na infância significa:  brincar, ela brinca com seus desenhos.  Gestualidade;  Prazer;  Comunicação;  Transitar livremente entre o imaginário e o real;  pura satisfação pessoal. Imagem3- google imagens
  • 11. a criança amadurece:  Não incentivo  Adestramento motor gráfico  Crítica pessoal e social da produção gráfica  Perca do desejo do acesso ao desenho Desenho = velhos brinquedos empoeirados guardados no fundo dos baús  Imagem4 – Ricardo Antunes
  • 12. Edwards DWORECKI aprender a desenhar:  aprender a ver de um modo diferente,  reeducar o sistema visual espacial,  estreitamente ligado ao processo criativo e ao ato de ver. Desenho:  instrumento de imersão no universo criativo  percurso de contínua experimentação e pesquisa da representação de formas através de traços.  Sugere a redescoberta do traço ao gesto
  • 13.     O desenho é uma fazer criativo muita vezes não compreendido, faz parte de o senso comum, afirmar que desenhar é dom, um fazer desprovido de intelectualidade, coisa de criança ou de especialistas. O desenho é relegado a um fazer manual que não envolve o pensamento, o que o torna uma linguagem muitas vezes não desenvolvida pelas pessoas. Basta olhar e conseguir ver, adestrar o traço através de técnicas motoras repetitivas, ou promover desenhos através de desenhos livres, frutos de um espontaneísmo sem critérios, é desrespeitar o desenvolvimento cognitivo da criança. É impedir-lhe de desenvolver-se na sua plenitude intelectual. O desenho é muito mais que a ação das mãos é a ação do olhar, é linguagem, é uma forma de manifestar e de comunicar um pensamento; a mais antiga forma de comunicação plástica da humanidade. O desenho como linguagem é fruto de um conhecimento constituído a partir de experimentações, acertos e erros, trata-se de um fazer global de apropriação de mundo, estreitamente ligado ao processo criativo, ao ato de ver e ao pensamento.
  • 14.  ARNHEIM, Rudolf. Arte e Percepção Visual: Uma psicologia da visão criadora: nova versão / Rudolf Arnheim; trad. Ivone Terezinha de Faria. São Paulo : Pioneira Thomson Learning.2005.  ANDRADE, Maria. Método de Redação Científica: Elaboração do TCC passo a passo. São Paulo: Factash, 2007.  BARBOSA, Ana Mae. Ed. Perspectiva. 4ºed. 2001  COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. Gilberto Cotrim, Mirna Fernandes. 1 ed.. São Paulo: Saraiva, 2010  DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo, Scipione, 1989.  DWORECKI, Silvio. Em Busca do Traço Perdido. São Paulo. Scipione.  EDWARDS, Betty. Desenhando Com o Artista Interior. Trad. Maria Cristina Guimarães Cupertino. São Paulo: Claridade.2002.  FERREIRA. Sueli. Imaginação e Linguagem no Desenho da Criança. Campinas, SP: Papirus, 3ª Ed. 2003. ( Coleção Papirus Educação)  IAVELBERG, Rosa. O Desenho Cultivado da Criança. São Paulo: Zouk, 2007.  MEREDIÉU, Florence de. O Desenho Infantil. Trad. Álvaro Lorencini, Sandra M. Nutrini.11.ed. São Paulo: Cutrix, 2006.  MOREIRA, Ana Angélica Albano. O Espaço Do Desenho: A Educação Do Educador. Col. Espaço. Ed. Loyola. São Paulo.1984. 12ª Edição. 2008.  TIBURI, Márcia. Diálogo/Desenho. Marcia Tiburi, Fernando Chuí. São Paulo. Ed.Senac. São Paulo. 2010.  VYGOTSKY, L. S. La Imaginacion Y El Arte En La Infancia (Ensayo Psicologico). S. de C.V, Hipanicos-Ediciones Y Distribuciones, 1989  São Paulo ( Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, códigos e suas tecnologias/secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Alice Vieira. São Paulo : SEE, 2010  ALVES, Rubem. A Complicada Arte de Ver. Disponível em: www.rubemalves.com.br Acesso em: 12/10/2011. EDUSP.1998