SlideShare uma empresa Scribd logo
DESENHO INFANTIL:
Desvios e Alterações no Processo Criativo

Autor: Rose Aparecida da Silva
Arte-Educadora
Currículo Lattes

BAURU
2012
Entendemos o desenho como sendo a arte de pensar através de
traços, também uma manifestação conceitual fundamental para a
formação humana e ferramenta de reflexão e sensibilidade
No entanto, a linguagem gráfica foi no decorrer dos tempos, sendo
substituída por outras atividades, por outras áreas do
conhecimento.
A nossa inquietação foi a seguinte:
 Será possível reverter esse processo?
Pensamos que aprendendo a desenhar, as pessoas passem a ver a
vida de forma diferente, de forma global, simultânea e intuitiva.
Adquirindo assim um nível de consciência profunda em que a
racionalidade e a sensibilidade trabalhem juntas, de forma
concomitante e cooperativamente.


Perceber as conexões, que abrangem formas, cores,
volumes, texturas, perspectivas, jogos de luz e sombra;
que vão se desencadeando, no complexo processo da
percepção visual



Compreender o desenho como sendo instrumento que
permite ao indivíduo comunicar um pensamento, uma
ideia, um conceito.


Inicialmente enfocamos na concepção de desenho enquanto
linguagem e como forma de educação. Para tanto foram
estudadas as ideias de Tiburi, Edwards, Cotrim, Ostrower,
Barbosa e Dworecki. Também mudando a forma de ver o
desenho na vida, segundo estudos de Arheim e analogias de
Rubem Alves. Dando enfoque na perspectiva sócio-cultural de
Vigotsky e sua forma de pensar o desenvolvimento gráfico na
infância e adolescência.






O desenho primeira forma do ser humano
manifestar seu entendimento do mundo
Desenho é intenção, meta, propósito, é um
plano que se concretiza. Não é coordenação
motora, mas fruto do aprimoramento da
percepção e da inteligência.
Pessoas que desenham costumam enxergar o
mundo de forma mais minuciosa, numa relação
íntima entre o observador e a paisagem que
contempla.
Imagem1- Zé Otávio
Linguagem:




códigos pelos quais se
comunicam a cultura e o
conhecimento de um povo.
Esses
códigos
são
organizados dentro de uma
logicidade própria de cada
cultura proporcionando a
interação na sociedade.

Desenho:


composição
de
vários
elementos plásticos que
organizados
transmitem
uma produção de sentido,
que permite ao indivíduo
comunicar um pensamento,
uma ideia, um conceito.

Quanto maior a possibilidade de interpretação dessas
informações, maior a comunicação.
insegurança

Abandono do
desenho

moldes que
ensinam
como se faz
Arte
“corretament
e”

Desenho
geométrico

Laissez- faire
Aguçar
mudança de
hábitos

percepção

desconstruir
pré-conceitos
estereotipados

Criatividade e desenho frutos de Arte pensante
O ver é compreender. (ARHEIM. 2005, p.39)










Ensinar a ver é:
ensinar a conhecer,
ensinar a explorar o mundo pelo olhar,
apreender e compreendê-lo;

quem compreende o que vê:
cria novas possibilidades,
inventa novas saídas,
percebe o mundo de forma global;
Imagem 2 – acervo
pessoal
Desenhar na infância significa:
 brincar, ela brinca com seus desenhos.
 Gestualidade;
 Prazer;
 Comunicação;
 Transitar livremente entre o imaginário e o real;
 pura satisfação pessoal.

Imagem3- google imagens
a criança amadurece:
 Não incentivo
 Adestramento motor gráfico
 Crítica pessoal e social da produção gráfica
 Perca do desejo do acesso ao desenho

Desenho = velhos brinquedos
empoeirados guardados
no fundo dos baús


Imagem4 – Ricardo Antunes
Edwards

DWORECKI

aprender a desenhar:
 aprender a ver de um modo
diferente,
 reeducar o sistema visual
espacial,
 estreitamente
ligado ao
processo criativo e ao ato de
ver.

Desenho:
 instrumento de imersão no
universo criativo
 percurso
de
contínua
experimentação e pesquisa
da representação de formas
através de traços.
 Sugere a redescoberta do
traço ao gesto








O desenho é uma fazer criativo muita vezes não compreendido, faz parte
de o senso comum, afirmar que desenhar é dom, um fazer desprovido de
intelectualidade, coisa de criança ou de especialistas. O desenho é relegado
a um fazer manual que não envolve o pensamento, o que o torna uma
linguagem muitas vezes não desenvolvida pelas pessoas.
Basta olhar e conseguir ver, adestrar o traço através de técnicas motoras
repetitivas, ou promover desenhos através de desenhos livres, frutos de um
espontaneísmo sem critérios, é desrespeitar o desenvolvimento cognitivo
da criança. É impedir-lhe de desenvolver-se na sua plenitude intelectual.
O desenho é muito mais que a ação das mãos é a ação do olhar, é
linguagem, é uma forma de manifestar e de comunicar um pensamento; a
mais antiga forma de comunicação plástica da humanidade.
O desenho como linguagem é fruto de um conhecimento constituído a
partir de experimentações, acertos e erros, trata-se de um fazer global de
apropriação de mundo, estreitamente ligado ao processo criativo, ao ato de
ver e ao pensamento.


ARNHEIM, Rudolf. Arte e Percepção Visual: Uma psicologia da visão criadora: nova versão / Rudolf Arnheim; trad.
Ivone Terezinha de Faria. São Paulo : Pioneira Thomson Learning.2005.



ANDRADE, Maria. Método de Redação Científica: Elaboração do TCC passo a passo. São Paulo: Factash, 2007.



BARBOSA, Ana Mae. Ed. Perspectiva. 4ºed. 2001



COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. Gilberto Cotrim, Mirna Fernandes. 1 ed.. São Paulo: Saraiva, 2010



DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo, Scipione, 1989.



DWORECKI, Silvio. Em Busca do Traço Perdido. São Paulo. Scipione.



EDWARDS, Betty. Desenhando Com o Artista Interior. Trad. Maria Cristina Guimarães Cupertino. São Paulo:
Claridade.2002.



FERREIRA. Sueli. Imaginação e Linguagem no Desenho da Criança. Campinas, SP: Papirus, 3ª Ed. 2003. ( Coleção
Papirus Educação)



IAVELBERG, Rosa. O Desenho Cultivado da Criança. São Paulo: Zouk, 2007.



MEREDIÉU, Florence de. O Desenho Infantil. Trad. Álvaro Lorencini, Sandra M. Nutrini.11.ed. São Paulo: Cutrix, 2006.



MOREIRA, Ana Angélica Albano. O Espaço Do Desenho: A Educação Do Educador. Col. Espaço. Ed. Loyola. São
Paulo.1984. 12ª Edição. 2008.



TIBURI, Márcia. Diálogo/Desenho. Marcia Tiburi, Fernando Chuí. São Paulo. Ed.Senac. São Paulo. 2010.



VYGOTSKY, L. S. La Imaginacion Y El Arte En La Infancia (Ensayo Psicologico). S. de C.V, Hipanicos-Ediciones Y
Distribuciones, 1989



São Paulo ( Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, códigos e suas
tecnologias/secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Alice Vieira. São Paulo : SEE,
2010



ALVES, Rubem. A Complicada Arte de Ver. Disponível em: www.rubemalves.com.br Acesso em: 12/10/2011.

EDUSP.1998

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte na antiguidade
Arte na antiguidadeArte na antiguidade
Arte na antiguidade
Rafael Lucas da Silva
 
leitura de uma obra
leitura de uma obraleitura de uma obra
leitura de uma obra
Daiana Holz
 
Pop projeto oficina de pintura
Pop projeto oficina de pinturaPop projeto oficina de pintura
Pop projeto oficina de pintura
Nuno Quaresma
 
Plano de aula romero ok
Plano de aula romero okPlano de aula romero ok
Plano de aula romero ok
timtimbella
 
Guia de aprendizagem arte
Guia de aprendizagem   arteGuia de aprendizagem   arte
Guia de aprendizagem arte
LANCIATIAGO
 
Arte na escola
Arte na escolaArte na escola
Arte na escola
Magda Marques
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
Claudio Bastos
 
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabaritoExercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Suelen Freitas
 
Plano anual de arte 1º ano
Plano anual de arte 1º anoPlano anual de arte 1º ano
Plano anual de arte 1º ano
Nildemar Lago
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
Andrea Dressler
 
Plano de Aula de Artes.docx
Plano de Aula de Artes.docxPlano de Aula de Artes.docx
Plano de Aula de Artes.docx
GiovannaOliveira436544
 
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Secretaria de Educação do Maranhão e Imagética Consultoria e Design
 
ARTE E CONSUMO.pptx
ARTE E CONSUMO.pptxARTE E CONSUMO.pptx
ARTE E CONSUMO.pptx
celsofernandobuckerf2
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
Cristiane Seibt
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
Eponina Alencar
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
Geo Honório
 
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
Pedro Alcantara
 
tutoria - ficha de trabalho
tutoria - ficha de trabalhotutoria - ficha de trabalho
tutoria - ficha de trabalho
paulacaravelas
 
Sequencia didatica arte
Sequencia didatica arteSequencia didatica arte
Sequencia didatica arte
Emanoel Jackson Lisboa
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Raphael Lanzillotte
 

Mais procurados (20)

Arte na antiguidade
Arte na antiguidadeArte na antiguidade
Arte na antiguidade
 
leitura de uma obra
leitura de uma obraleitura de uma obra
leitura de uma obra
 
Pop projeto oficina de pintura
Pop projeto oficina de pinturaPop projeto oficina de pintura
Pop projeto oficina de pintura
 
Plano de aula romero ok
Plano de aula romero okPlano de aula romero ok
Plano de aula romero ok
 
Guia de aprendizagem arte
Guia de aprendizagem   arteGuia de aprendizagem   arte
Guia de aprendizagem arte
 
Arte na escola
Arte na escolaArte na escola
Arte na escola
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabaritoExercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
 
Plano anual de arte 1º ano
Plano anual de arte 1º anoPlano anual de arte 1º ano
Plano anual de arte 1º ano
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
 
Plano de Aula de Artes.docx
Plano de Aula de Artes.docxPlano de Aula de Artes.docx
Plano de Aula de Artes.docx
 
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
 
ARTE E CONSUMO.pptx
ARTE E CONSUMO.pptxARTE E CONSUMO.pptx
ARTE E CONSUMO.pptx
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
 
tutoria - ficha de trabalho
tutoria - ficha de trabalhotutoria - ficha de trabalho
tutoria - ficha de trabalho
 
Sequencia didatica arte
Sequencia didatica arteSequencia didatica arte
Sequencia didatica arte
 
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
Revisão - Arte contemporânea (Novas Linguagens)
 

Destaque

Projeto Desenho Animado
Projeto Desenho AnimadoProjeto Desenho Animado
Projeto Desenho Animado
profjaque
 
Relatório - Desenho e Projeto
Relatório - Desenho e ProjetoRelatório - Desenho e Projeto
Relatório - Desenho e Projeto
Rodrigo Thiago Passos Silva
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artes
Júlia Gama
 
Apresentação - Desenho e Projeto
Apresentação - Desenho e ProjetoApresentação - Desenho e Projeto
Apresentação - Desenho e Projeto
Rodrigo Thiago Passos Silva
 
Arte no Desenho
Arte no DesenhoArte no Desenho
Arte no Desenho
Ana Lu Freitas
 
Artes visuais: desenho e pintura
Artes visuais: desenho e pinturaArtes visuais: desenho e pintura
Artes visuais: desenho e pintura
lechemi
 
Projeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeirasProjeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeiras
Shirley Costa
 
Projeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo ArteProjeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo Arte
Lene Reis
 
Apostila de arte
Apostila de arteApostila de arte
Artes atividades
Artes   atividadesArtes   atividades
Artes atividades
Ronaldo Russou
 

Destaque (10)

Projeto Desenho Animado
Projeto Desenho AnimadoProjeto Desenho Animado
Projeto Desenho Animado
 
Relatório - Desenho e Projeto
Relatório - Desenho e ProjetoRelatório - Desenho e Projeto
Relatório - Desenho e Projeto
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artes
 
Apresentação - Desenho e Projeto
Apresentação - Desenho e ProjetoApresentação - Desenho e Projeto
Apresentação - Desenho e Projeto
 
Arte no Desenho
Arte no DesenhoArte no Desenho
Arte no Desenho
 
Artes visuais: desenho e pintura
Artes visuais: desenho e pinturaArtes visuais: desenho e pintura
Artes visuais: desenho e pintura
 
Projeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeirasProjeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeiras
 
Projeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo ArteProjeto Fazendo Arte
Projeto Fazendo Arte
 
Apostila de arte
Apostila de arteApostila de arte
Apostila de arte
 
Artes atividades
Artes   atividadesArtes   atividades
Artes atividades
 

Semelhante a Projeto de desenho apresentação

Projeto desenho completo
Projeto desenho completoProjeto desenho completo
Projeto desenho completo
Rose Silva
 
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
Vis-UAB
 
Meu tcc
Meu tccMeu tcc
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
Vanessa Gontscharow
 
Artigo 1 desenho.pdf
Artigo 1 desenho.pdfArtigo 1 desenho.pdf
Artigo 1 desenho.pdf
Andrea Nogueira
 
Processos
ProcessosProcessos
Processos
Alfredo Lopes
 
Meu tcc
Meu tccMeu tcc
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDODESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
Flávia Gonzales Correia
 
Artigo o desenho no desenvolvimento infantil
Artigo o desenho no desenvolvimento infantilArtigo o desenho no desenvolvimento infantil
Artigo o desenho no desenvolvimento infantil
ariana limonta
 
3º congresso internacional de educaçao
3º congresso internacional de educaçao3º congresso internacional de educaçao
3º congresso internacional de educaçao
Solange Cordeiro
 
Aline eliane
Aline elianeAline eliane
Aline eliane
Fernando Pissuto
 
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptxModulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Beans Projetos Culturais
 
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
Julia Aguiar
 
A CriançA Conhecendo Arte
A CriançA Conhecendo ArteA CriançA Conhecendo Arte
A CriançA Conhecendo Arte
Edmilson Faria
 
Formas de pensar o desenho
Formas de pensar o desenhoFormas de pensar o desenho
Formas de pensar o desenho
Lídia Ganhito
 
Por que estudar arte na escola...
Por que estudar arte na escola...Por que estudar arte na escola...
Por que estudar arte na escola...
Doroteia Marra
 
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
Ateliê Giramundo
 
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
Ateliê Giramundo
 
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Julian Coelho
 
O desenho infantil
O desenho infantil   O desenho infantil
O desenho infantil
gabifavarim
 

Semelhante a Projeto de desenho apresentação (20)

Projeto desenho completo
Projeto desenho completoProjeto desenho completo
Projeto desenho completo
 
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
A INVESTIGAÇÃO DA CULTURA VISUAL E SUA INFLUÊNCIA NA FORMAÇÃO DE POÉTICAS IND...
 
Meu tcc
Meu tccMeu tcc
Meu tcc
 
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
-Textos-de-Apoio-DesenhoInfantil.pdf
 
Artigo 1 desenho.pdf
Artigo 1 desenho.pdfArtigo 1 desenho.pdf
Artigo 1 desenho.pdf
 
Processos
ProcessosProcessos
Processos
 
Meu tcc
Meu tccMeu tcc
Meu tcc
 
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDODESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
DESENHO: CAMINHO PARA UMA NOVA VISÃO DE MUNDO
 
Artigo o desenho no desenvolvimento infantil
Artigo o desenho no desenvolvimento infantilArtigo o desenho no desenvolvimento infantil
Artigo o desenho no desenvolvimento infantil
 
3º congresso internacional de educaçao
3º congresso internacional de educaçao3º congresso internacional de educaçao
3º congresso internacional de educaçao
 
Aline eliane
Aline elianeAline eliane
Aline eliane
 
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptxModulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
Modulo 3_1_Conceituação do desenho.pptx
 
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
A criança e_seu_desenho_-_oficina_uneb (1)
 
A CriançA Conhecendo Arte
A CriançA Conhecendo ArteA CriançA Conhecendo Arte
A CriançA Conhecendo Arte
 
Formas de pensar o desenho
Formas de pensar o desenhoFormas de pensar o desenho
Formas de pensar o desenho
 
Por que estudar arte na escola...
Por que estudar arte na escola...Por que estudar arte na escola...
Por que estudar arte na escola...
 
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
 
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
A arte como um direito da criança - o papel do professor na construção de um ...
 
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
Artigo: A Percepção do desenho infantil : Como pensar o desenho infantil?
 
O desenho infantil
O desenho infantil   O desenho infantil
O desenho infantil
 

Mais de Rose Silva

Nuno ramos
Nuno ramosNuno ramos
Nuno ramos
Rose Silva
 
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando ArteProposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Rose Silva
 
Carta da terra
Carta da terraCarta da terra
Carta da terra
Rose Silva
 
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºAProposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Rose Silva
 
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaproposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
Rose Silva
 
Proposições de arte
Proposições de arteProposições de arte
Proposições de arte
Rose Silva
 
Rizoma em Artes Visuais
Rizoma em Artes VisuaisRizoma em Artes Visuais
Rizoma em Artes Visuais
Rose Silva
 
Projeto maçã
Projeto maçãProjeto maçã
Projeto maçã
Rose Silva
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
Rose Silva
 
ARTE A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
ARTE  A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANAARTE  A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
ARTE A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
Rose Silva
 
A ARTE E O TEMPO NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
 A ARTE E O TEMPO  NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU A ARTE E O TEMPO  NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
A ARTE E O TEMPO NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
Rose Silva
 
Dona luci a4
Dona luci a4Dona luci a4
Dona luci a4
Rose Silva
 
Dona Luci - Memórias
Dona Luci - MemóriasDona Luci - Memórias
Dona Luci - Memórias
Rose Silva
 
Dona luci
Dona luciDona luci
Dona luci
Rose Silva
 
A arte e o tempo pdf
A arte e o tempo pdfA arte e o tempo pdf
A arte e o tempo pdf
Rose Silva
 
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASISSÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
Rose Silva
 
A cidade que é a nossa cara
A cidade que é a nossa caraA cidade que é a nossa cara
A cidade que é a nossa cara
Rose Silva
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
Rose Silva
 
Dona dita
Dona ditaDona dita
Dona dita
Rose Silva
 
Projeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power pointProjeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power point
Rose Silva
 

Mais de Rose Silva (20)

Nuno ramos
Nuno ramosNuno ramos
Nuno ramos
 
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando ArteProposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
Proposições e Estudos na Visualidade - Provocando Arte
 
Carta da terra
Carta da terraCarta da terra
Carta da terra
 
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºAProposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
 
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaproposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
 
Proposições de arte
Proposições de arteProposições de arte
Proposições de arte
 
Rizoma em Artes Visuais
Rizoma em Artes VisuaisRizoma em Artes Visuais
Rizoma em Artes Visuais
 
Projeto maçã
Projeto maçãProjeto maçã
Projeto maçã
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
 
ARTE A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
ARTE  A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANAARTE  A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
ARTE A FAVOR DA TRANSFORMAÇÃO URBANA
 
A ARTE E O TEMPO NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
 A ARTE E O TEMPO  NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU A ARTE E O TEMPO  NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
A ARTE E O TEMPO NO JORNAL DA CIDADE DE BAURU
 
Dona luci a4
Dona luci a4Dona luci a4
Dona luci a4
 
Dona Luci - Memórias
Dona Luci - MemóriasDona Luci - Memórias
Dona Luci - Memórias
 
Dona luci
Dona luciDona luci
Dona luci
 
A arte e o tempo pdf
A arte e o tempo pdfA arte e o tempo pdf
A arte e o tempo pdf
 
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASISSÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
SÃO PAULO NA NOITE DOS BRASIS
 
A cidade que é a nossa cara
A cidade que é a nossa caraA cidade que é a nossa cara
A cidade que é a nossa cara
 
Portfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenhoPortfólio digital projeto desenho
Portfólio digital projeto desenho
 
Dona dita
Dona ditaDona dita
Dona dita
 
Projeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power pointProjeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power point
 

Último

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 

Último (20)

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 

Projeto de desenho apresentação

  • 1. DESENHO INFANTIL: Desvios e Alterações no Processo Criativo Autor: Rose Aparecida da Silva Arte-Educadora Currículo Lattes BAURU 2012
  • 2. Entendemos o desenho como sendo a arte de pensar através de traços, também uma manifestação conceitual fundamental para a formação humana e ferramenta de reflexão e sensibilidade No entanto, a linguagem gráfica foi no decorrer dos tempos, sendo substituída por outras atividades, por outras áreas do conhecimento. A nossa inquietação foi a seguinte:  Será possível reverter esse processo? Pensamos que aprendendo a desenhar, as pessoas passem a ver a vida de forma diferente, de forma global, simultânea e intuitiva. Adquirindo assim um nível de consciência profunda em que a racionalidade e a sensibilidade trabalhem juntas, de forma concomitante e cooperativamente.
  • 3.  Perceber as conexões, que abrangem formas, cores, volumes, texturas, perspectivas, jogos de luz e sombra; que vão se desencadeando, no complexo processo da percepção visual  Compreender o desenho como sendo instrumento que permite ao indivíduo comunicar um pensamento, uma ideia, um conceito.
  • 4.  Inicialmente enfocamos na concepção de desenho enquanto linguagem e como forma de educação. Para tanto foram estudadas as ideias de Tiburi, Edwards, Cotrim, Ostrower, Barbosa e Dworecki. Também mudando a forma de ver o desenho na vida, segundo estudos de Arheim e analogias de Rubem Alves. Dando enfoque na perspectiva sócio-cultural de Vigotsky e sua forma de pensar o desenvolvimento gráfico na infância e adolescência.
  • 5.    O desenho primeira forma do ser humano manifestar seu entendimento do mundo Desenho é intenção, meta, propósito, é um plano que se concretiza. Não é coordenação motora, mas fruto do aprimoramento da percepção e da inteligência. Pessoas que desenham costumam enxergar o mundo de forma mais minuciosa, numa relação íntima entre o observador e a paisagem que contempla. Imagem1- Zé Otávio
  • 6. Linguagem:   códigos pelos quais se comunicam a cultura e o conhecimento de um povo. Esses códigos são organizados dentro de uma logicidade própria de cada cultura proporcionando a interação na sociedade. Desenho:  composição de vários elementos plásticos que organizados transmitem uma produção de sentido, que permite ao indivíduo comunicar um pensamento, uma ideia, um conceito. Quanto maior a possibilidade de interpretação dessas informações, maior a comunicação.
  • 7. insegurança Abandono do desenho moldes que ensinam como se faz Arte “corretament e” Desenho geométrico Laissez- faire
  • 9. O ver é compreender. (ARHEIM. 2005, p.39)         Ensinar a ver é: ensinar a conhecer, ensinar a explorar o mundo pelo olhar, apreender e compreendê-lo; quem compreende o que vê: cria novas possibilidades, inventa novas saídas, percebe o mundo de forma global; Imagem 2 – acervo pessoal
  • 10. Desenhar na infância significa:  brincar, ela brinca com seus desenhos.  Gestualidade;  Prazer;  Comunicação;  Transitar livremente entre o imaginário e o real;  pura satisfação pessoal. Imagem3- google imagens
  • 11. a criança amadurece:  Não incentivo  Adestramento motor gráfico  Crítica pessoal e social da produção gráfica  Perca do desejo do acesso ao desenho Desenho = velhos brinquedos empoeirados guardados no fundo dos baús  Imagem4 – Ricardo Antunes
  • 12. Edwards DWORECKI aprender a desenhar:  aprender a ver de um modo diferente,  reeducar o sistema visual espacial,  estreitamente ligado ao processo criativo e ao ato de ver. Desenho:  instrumento de imersão no universo criativo  percurso de contínua experimentação e pesquisa da representação de formas através de traços.  Sugere a redescoberta do traço ao gesto
  • 13.     O desenho é uma fazer criativo muita vezes não compreendido, faz parte de o senso comum, afirmar que desenhar é dom, um fazer desprovido de intelectualidade, coisa de criança ou de especialistas. O desenho é relegado a um fazer manual que não envolve o pensamento, o que o torna uma linguagem muitas vezes não desenvolvida pelas pessoas. Basta olhar e conseguir ver, adestrar o traço através de técnicas motoras repetitivas, ou promover desenhos através de desenhos livres, frutos de um espontaneísmo sem critérios, é desrespeitar o desenvolvimento cognitivo da criança. É impedir-lhe de desenvolver-se na sua plenitude intelectual. O desenho é muito mais que a ação das mãos é a ação do olhar, é linguagem, é uma forma de manifestar e de comunicar um pensamento; a mais antiga forma de comunicação plástica da humanidade. O desenho como linguagem é fruto de um conhecimento constituído a partir de experimentações, acertos e erros, trata-se de um fazer global de apropriação de mundo, estreitamente ligado ao processo criativo, ao ato de ver e ao pensamento.
  • 14.  ARNHEIM, Rudolf. Arte e Percepção Visual: Uma psicologia da visão criadora: nova versão / Rudolf Arnheim; trad. Ivone Terezinha de Faria. São Paulo : Pioneira Thomson Learning.2005.  ANDRADE, Maria. Método de Redação Científica: Elaboração do TCC passo a passo. São Paulo: Factash, 2007.  BARBOSA, Ana Mae. Ed. Perspectiva. 4ºed. 2001  COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. Gilberto Cotrim, Mirna Fernandes. 1 ed.. São Paulo: Saraiva, 2010  DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho: desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo, Scipione, 1989.  DWORECKI, Silvio. Em Busca do Traço Perdido. São Paulo. Scipione.  EDWARDS, Betty. Desenhando Com o Artista Interior. Trad. Maria Cristina Guimarães Cupertino. São Paulo: Claridade.2002.  FERREIRA. Sueli. Imaginação e Linguagem no Desenho da Criança. Campinas, SP: Papirus, 3ª Ed. 2003. ( Coleção Papirus Educação)  IAVELBERG, Rosa. O Desenho Cultivado da Criança. São Paulo: Zouk, 2007.  MEREDIÉU, Florence de. O Desenho Infantil. Trad. Álvaro Lorencini, Sandra M. Nutrini.11.ed. São Paulo: Cutrix, 2006.  MOREIRA, Ana Angélica Albano. O Espaço Do Desenho: A Educação Do Educador. Col. Espaço. Ed. Loyola. São Paulo.1984. 12ª Edição. 2008.  TIBURI, Márcia. Diálogo/Desenho. Marcia Tiburi, Fernando Chuí. São Paulo. Ed.Senac. São Paulo. 2010.  VYGOTSKY, L. S. La Imaginacion Y El Arte En La Infancia (Ensayo Psicologico). S. de C.V, Hipanicos-Ediciones Y Distribuciones, 1989  São Paulo ( Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, códigos e suas tecnologias/secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Alice Vieira. São Paulo : SEE, 2010  ALVES, Rubem. A Complicada Arte de Ver. Disponível em: www.rubemalves.com.br Acesso em: 12/10/2011. EDUSP.1998