SlideShare uma empresa Scribd logo
Filosofia	
  –	
  10º	
  Ano	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  O	
  problema	
  do	
  mal	
  	
  
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                   	
  	
  
                                                                                                                                                                                                                                                                          Problema	
  do	
  Mal	
  

                                  “Há	
  mal	
  no	
  mundo:	
  isto	
  não	
  pode	
  ser	
  seriamente	
  negado.	
  Basta	
  pensar	
  no	
  Holocausto,	
  
nos	
  massacres	
  de	
  Pol	
  Pot	
  no	
  Camboja	
  ou	
  na	
  prática	
  generalizada	
  da	
  tortura.	
  Todos	
  eles	
  são	
  
exemplos	
  de	
  mal	
  moral	
  e	
  crueldade:	
  seres	
  humanos	
  que	
  provocam	
  sofrimento	
  a	
  outros	
  seres	
  
humanos	
  por	
  uma	
  razão	
  qualquer.	
  A	
  crueldade	
  tem	
  também	
  muitas	
  vezes	
  como	
  objecto	
  os	
  
animais.	
   Há	
   também	
   outro	
   tipo	
   de	
   mal,	
   conhecido	
   como	
   mal	
   natural	
   ou	
   metafísico:	
  
terramotos,	
  doença	
  e	
  fome	
  são	
  exemplos	
  deste	
  tipo	
  de	
  mal.	
  
                                  O	
  mal	
  natural	
  tem	
  causas	
  naturais,	
  apesar	
  de	
  se	
  poder	
  tornar	
  ainda	
  pior	
  em	
  função	
  da	
  
incompetência	
  humana	
  ou	
  falta	
  de	
  cuidado.	
  A	
  palavra	
  «mal«	
  talvez	
  não	
  seja	
  a	
  melhor	
  para	
  
designar	
  estes	
  fenómenos	
  naturais,	
  que	
  dão	
  origem	
  ao	
  sofrimento	
  humano,	
  uma	
  vez	
  que	
  é	
  
habitualmente	
  usada	
  para	
  referir	
  a	
  crueldade	
  deliberada.	
  Contudo,	
  quer	
  lhe	
  chamemos	
  «mal	
  
natural»,	
  quer	
  lhe	
  chamemos	
  qualquer	
  outra	
  coisa,	
  a	
  existência	
  de	
  coisas	
  como	
  a	
  doença	
  e	
  as	
  
calamidades	
   naturais	
   tem,	
   sem	
   dúvida,	
   de	
   ser	
   tomada	
   em	
   conta	
   se	
   queremos	
   manter	
   a	
  
crença	
  num	
  deus	
  benevolente.	
  
                                  Visto	
   existir	
   tanto	
   mal,	
   como	
   pode	
   alguém	
   acreditar	
   seriamente	
   na	
   existência	
   de	
   um	
  
deus	
   sumamente	
   bom?	
   Um	
   deus	
   omnisciente	
   saberia	
   que	
   o	
   mal	
   existe;	
   um	
   deus	
   todo	
  
poderoso	
   poderia	
   evitar	
   que	
   o	
   mal	
   ocorresse;	
   e	
   um	
   Deus	
   sumamente	
   bom	
   não	
  quereria	
  que	
  
o	
   mal	
   existisse.	
   Mas	
   o	
   mal	
   continua	
   a	
   existir.	
   Este	
   é	
   o	
   problema	
   do	
   mal:	
   o	
   problema	
   de	
  
explicar	
   como	
   os	
   alegados	
   atributos	
   de	
   Deus	
   podem	
   ser	
   compatíveis	
   com	
   o	
   facto	
  
inegável	
   de	
   o	
   mal	
   existir.	
   Este	
   é	
   o	
   mais	
   sério	
   desafio	
   à	
   crença	
   no	
   deus	
   dos	
   teístas.	
   O	
  
problema	
   do	
   mal	
   levou	
   muitas	
   pessoas	
   a	
   rejeitar	
   completamente	
   a	
   crença	
   em	
   Deus,	
   ou,	
   pelo	
  
menos,	
  a	
  rever	
  a	
  sua	
  opinião	
  acerca	
  da	
  suposta	
  benevolência,	
  omnipotência	
  ou	
  omnisciência	
  
de	
  Deus.”	
  
                                                                                                             Nigel	
  Warburton,	
  Elementos	
  Básicos	
  de	
  Filosofia,	
  Gradiva,	
  Lisboa,	
  1998,	
  pp.	
  45-­‐52.	
  
	
  
	
  
	
  

                                                                                                            MAL	
  NATURAL	
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               MAL	
  MORAL	
  

Terramotos,	
   cheias,	
   secas,	
   doenças	
   e	
   tudo	
   o	
   Assassinatos,	
   torturas,	
   violações,	
   guerras	
   e	
  
resto	
   que	
   provoca	
   sofrimento	
   sem	
   que	
   isso	
   tudo	
   o	
   resto	
   que	
   provoca	
   sofrimento	
   em	
  
resulte	
   diretamente	
   do	
   que	
   os	
   seres	
   resultado	
  do	
  que	
  os	
  seres	
  humanos	
  fazem.	
  	
  
humanos	
  fazem.	
  	
  

	
  


                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                              Professora	
  	
  Joana	
  Inês	
  Pontes	
  

Mais conteúdo relacionado

Mais de Universidade Católica Portuguesa

Ética do Dever (Kant)
Ética do Dever (Kant)Ética do Dever (Kant)
Ética do Dever (Kant)
Universidade Católica Portuguesa
 
Utilitarismo - Stuart Mill (texto)
Utilitarismo - Stuart Mill (texto)Utilitarismo - Stuart Mill (texto)
Utilitarismo - Stuart Mill (texto)
Universidade Católica Portuguesa
 
Egoísmo Ético (texto)
Egoísmo Ético (texto)Egoísmo Ético (texto)
Egoísmo Ético (texto)
Universidade Católica Portuguesa
 
Guião de Visionamento Gran Torino
Guião de Visionamento Gran TorinoGuião de Visionamento Gran Torino
Guião de Visionamento Gran Torino
Universidade Católica Portuguesa
 
Argumento teleológico - William Paley
Argumento teleológico - William PaleyArgumento teleológico - William Paley
Argumento teleológico - William Paley
Universidade Católica Portuguesa
 
Argumento a favor da Existência de Deus
Argumento a favor da Existência de DeusArgumento a favor da Existência de Deus
Argumento a favor da Existência de Deus
Universidade Católica Portuguesa
 
O que é a religião?
O que é a religião?O que é a religião?
O que é a religião?
Universidade Católica Portuguesa
 
Tolstoi - Confissão
Tolstoi - Confissão Tolstoi - Confissão
Tolstoi - Confissão
Universidade Católica Portuguesa
 
Kurt Baier - Sentido da vida
Kurt Baier - Sentido da vidaKurt Baier - Sentido da vida
Kurt Baier - Sentido da vida
Universidade Católica Portuguesa
 
Ficha de Trabalho Psicologia B
Ficha de Trabalho Psicologia BFicha de Trabalho Psicologia B
Ficha de Trabalho Psicologia B
Universidade Católica Portuguesa
 
Ficha de trabalho
Ficha de trabalho Ficha de trabalho
ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)
Universidade Católica Portuguesa
 
Piaget Desenvolvimento
Piaget DesenvolvimentoPiaget Desenvolvimento
Piaget Desenvolvimento
Universidade Católica Portuguesa
 
Piaget - construtivismo
Piaget - construtivismoPiaget - construtivismo
Piaget - construtivismo
Universidade Católica Portuguesa
 
Freud. psicanálise.parte.i ippt
Freud. psicanálise.parte.i ipptFreud. psicanálise.parte.i ippt
Freud. psicanálise.parte.i ippt
Universidade Católica Portuguesa
 
Freud.conceitos. doc
Freud.conceitos. docFreud.conceitos. doc
Freud.conceitos. doc
Universidade Católica Portuguesa
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
Universidade Católica Portuguesa
 
Ensaio do filme, psicologia
Ensaio do filme, psicologiaEnsaio do filme, psicologia
Ensaio do filme, psicologia
Universidade Católica Portuguesa
 
Ensaio "Inception"
Ensaio "Inception"Ensaio "Inception"
Ensaio "Cisne negro" - Catarina
Ensaio "Cisne negro" - CatarinaEnsaio "Cisne negro" - Catarina
Ensaio "Cisne negro" - Catarina
Universidade Católica Portuguesa
 

Mais de Universidade Católica Portuguesa (20)

Ética do Dever (Kant)
Ética do Dever (Kant)Ética do Dever (Kant)
Ética do Dever (Kant)
 
Utilitarismo - Stuart Mill (texto)
Utilitarismo - Stuart Mill (texto)Utilitarismo - Stuart Mill (texto)
Utilitarismo - Stuart Mill (texto)
 
Egoísmo Ético (texto)
Egoísmo Ético (texto)Egoísmo Ético (texto)
Egoísmo Ético (texto)
 
Guião de Visionamento Gran Torino
Guião de Visionamento Gran TorinoGuião de Visionamento Gran Torino
Guião de Visionamento Gran Torino
 
Argumento teleológico - William Paley
Argumento teleológico - William PaleyArgumento teleológico - William Paley
Argumento teleológico - William Paley
 
Argumento a favor da Existência de Deus
Argumento a favor da Existência de DeusArgumento a favor da Existência de Deus
Argumento a favor da Existência de Deus
 
O que é a religião?
O que é a religião?O que é a religião?
O que é a religião?
 
Tolstoi - Confissão
Tolstoi - Confissão Tolstoi - Confissão
Tolstoi - Confissão
 
Kurt Baier - Sentido da vida
Kurt Baier - Sentido da vidaKurt Baier - Sentido da vida
Kurt Baier - Sentido da vida
 
Ficha de Trabalho Psicologia B
Ficha de Trabalho Psicologia BFicha de Trabalho Psicologia B
Ficha de Trabalho Psicologia B
 
Ficha de trabalho
Ficha de trabalho Ficha de trabalho
Ficha de trabalho
 
ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)
 
Piaget Desenvolvimento
Piaget DesenvolvimentoPiaget Desenvolvimento
Piaget Desenvolvimento
 
Piaget - construtivismo
Piaget - construtivismoPiaget - construtivismo
Piaget - construtivismo
 
Freud. psicanálise.parte.i ippt
Freud. psicanálise.parte.i ipptFreud. psicanálise.parte.i ippt
Freud. psicanálise.parte.i ippt
 
Freud.conceitos. doc
Freud.conceitos. docFreud.conceitos. doc
Freud.conceitos. doc
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
 
Ensaio do filme, psicologia
Ensaio do filme, psicologiaEnsaio do filme, psicologia
Ensaio do filme, psicologia
 
Ensaio "Inception"
Ensaio "Inception"Ensaio "Inception"
Ensaio "Inception"
 
Ensaio "Cisne negro" - Catarina
Ensaio "Cisne negro" - CatarinaEnsaio "Cisne negro" - Catarina
Ensaio "Cisne negro" - Catarina
 

Último

Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
Guardioes Digitais em ação: Como criar senhas seguras!
Guardioes Digitais em ação: Como criar senhas seguras!Guardioes Digitais em ação: Como criar senhas seguras!
Guardioes Digitais em ação: Como criar senhas seguras!
Jonathas Muniz
 

Último (7)

Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
Guardioes Digitais em ação: Como criar senhas seguras!
Guardioes Digitais em ação: Como criar senhas seguras!Guardioes Digitais em ação: Como criar senhas seguras!
Guardioes Digitais em ação: Como criar senhas seguras!
 

Problema.mal

  • 1. Filosofia  –  10º  Ano                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  O  problema  do  mal         Problema  do  Mal   “Há  mal  no  mundo:  isto  não  pode  ser  seriamente  negado.  Basta  pensar  no  Holocausto,   nos  massacres  de  Pol  Pot  no  Camboja  ou  na  prática  generalizada  da  tortura.  Todos  eles  são   exemplos  de  mal  moral  e  crueldade:  seres  humanos  que  provocam  sofrimento  a  outros  seres   humanos  por  uma  razão  qualquer.  A  crueldade  tem  também  muitas  vezes  como  objecto  os   animais.   Há   também   outro   tipo   de   mal,   conhecido   como   mal   natural   ou   metafísico:   terramotos,  doença  e  fome  são  exemplos  deste  tipo  de  mal.   O  mal  natural  tem  causas  naturais,  apesar  de  se  poder  tornar  ainda  pior  em  função  da   incompetência  humana  ou  falta  de  cuidado.  A  palavra  «mal«  talvez  não  seja  a  melhor  para   designar  estes  fenómenos  naturais,  que  dão  origem  ao  sofrimento  humano,  uma  vez  que  é   habitualmente  usada  para  referir  a  crueldade  deliberada.  Contudo,  quer  lhe  chamemos  «mal   natural»,  quer  lhe  chamemos  qualquer  outra  coisa,  a  existência  de  coisas  como  a  doença  e  as   calamidades   naturais   tem,   sem   dúvida,   de   ser   tomada   em   conta   se   queremos   manter   a   crença  num  deus  benevolente.   Visto   existir   tanto   mal,   como   pode   alguém   acreditar   seriamente   na   existência   de   um   deus   sumamente   bom?   Um   deus   omnisciente   saberia   que   o   mal   existe;   um   deus   todo   poderoso   poderia   evitar   que   o   mal   ocorresse;   e   um   Deus   sumamente   bom   não  quereria  que   o   mal   existisse.   Mas   o   mal   continua   a   existir.   Este   é   o   problema   do   mal:   o   problema   de   explicar   como   os   alegados   atributos   de   Deus   podem   ser   compatíveis   com   o   facto   inegável   de   o   mal   existir.   Este   é   o   mais   sério   desafio   à   crença   no   deus   dos   teístas.   O   problema   do   mal   levou   muitas   pessoas   a   rejeitar   completamente   a   crença   em   Deus,   ou,   pelo   menos,  a  rever  a  sua  opinião  acerca  da  suposta  benevolência,  omnipotência  ou  omnisciência   de  Deus.”   Nigel  Warburton,  Elementos  Básicos  de  Filosofia,  Gradiva,  Lisboa,  1998,  pp.  45-­‐52.         MAL  NATURAL   MAL  MORAL   Terramotos,   cheias,   secas,   doenças   e   tudo   o   Assassinatos,   torturas,   violações,   guerras   e   resto   que   provoca   sofrimento   sem   que   isso   tudo   o   resto   que   provoca   sofrimento   em   resulte   diretamente   do   que   os   seres   resultado  do  que  os  seres  humanos  fazem.     humanos  fazem.       Professora    Joana  Inês  Pontes