SlideShare uma empresa Scribd logo
T E X T O D O D I A
"Está Cristo dividido?
Foi Paulo crucificado por vós?
Ou fostes vós batizados em nome
de Paulo?"
(1 Co 1.13)
SÍNTESE
As divisões e partidarismos
demonstravam a imaturidade
espiritual dos membros da igreja
de Corinto.
Coríntios 1.10-17
10 Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais
todos uma mesma coisa e que não haja entre vós dissensões; antes, sejais
unidos, em um mesmo sentido e em um mesmo parecer.
11 Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família de
Cloe que há contendas entre vós.
12 Quero dizer, com isso, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu, de
Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo.
13 Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em
nome de Paulo?
14 Dou graças a Deus, porque a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio;
15 Para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome.
16 E batizei também a família de Estéfanas; além destes, não sei se batizei algum
outro.
17 Porque Cristo enviou-me não para batizar, mas para evangelizar; não em
sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã.
Leitura bíblica
INTRODUÇÃO
• A partir de 1 Co 1.10, o apóstolo trata do assunto
que mais o preocupava: as divisões internas
da igreja.
• Por isso, ele pontua os prejuízos que as
divisões podem trazer para a Igreja do Senhor.
• Estudaremos a formação de grupos rivais na
igreja de Corinto.
• Paulo também faz sérias advertências a respeito
do perigo de tentar substituir os méritos da
cruz de Cristo pela ostentação e orgulho
pessoal.
INTRODUÇÃO
TÓPICO I
AS DISSENSÕES E SEUS
PREJUÍZOS
PARA A IGREJA (1.10,11)
• Paulo fazia uma exortação, geralmente era para
iniciar um aconselhamento pastoral.
• Como fundador da igreja de Corinto, devia ser
muito duro para o apóstolo exortar aquelas
ovelhas, mas era necessário e ele o fez com
amor e firmeza.
• As dissensões estavam trazendo prejuízos
sérios a toda igreja, algo precisava ser feito.
1. Uma exortação para não causar dissensões
• Para exortar, Paulo toma uma atitude humilde:
"Rogo-vos".
• Paulo chama os membros de irmãos, que sugere
uma ideia de amor fraternal.
• Por fim, evoca a autoridade do nome de Jesus
fazendo uso da expressão: "Pelo nome de nosso
Senhor Jesus Cristo".
1. Uma exortação para não causar dissensões
• O apóstolo havia ensinado aos coríntios o
modelo de vida das primeiras igrejas cristãs.
• ... perseverar nos ensinamentos dos apóstolos,
na comunhão, no partir do pão e nas orações
(At 2.42-47; At 4.32-35).
• Os coríntios ainda estavam acostumados com o
modelo das sociedades romanas e gregas
(poder aquisitivo e classes sociais).
2. As dissenções prejudicavam a unidade da igreja
• Ao contrário do sistema dominante, nas igrejas
cristãs todos deveriam ser tratados com amor e
respeito: escravos, pobres, marginalizados, ....
• Paulo estimula seus leitores a retomarem a
harmonia, buscando a concordância = um o
coração deles em Cristo.
• Eles deveriam também viver de forma
harmoniosa quanto à doutrina que lhes era
ensinada.
2. As dissenções prejudicavam a unidade da igreja
• O apóstolo expõe diretamente o problema e
não esconde a sua fonte: "Me foi comunicado
pelos da família de Cloe".
• Novamente trata seus leitores como irmãos
(v.11) – família fraterna.
• Geralmente as pessoas não gostam de expor os
problemas, elas preferem escondê-los, fingir
que não veem.
• Mas as dissensões precisam ser tratadas com
amor e firmeza para que sejam estancadas.
3. Paulo identifica a fonte de suas informações (1.11)
• Certamente os da família de Cloe fez isso porque
amava Paulo e confiava nele, reconhecendo sua
autoridade apostólica.
• Há uma grande diferença quando alguém
comunica algum erro à liderança da igreja por
inveja ou para prejudicar alguém.
• As informações dessa família deram origem aos
quatro primeiros capítulos da carta.
3. Paulo identifica a fonte de suas informações (1.11)
PENSE
Você tem fugido das contendas e
confusões entre os irmãos?
Ou você tem tentado alimentar
tal atitude?
IMPORTANTE
Precisamos desejar e fazer a
nossa parte para que haja
unidade na igreja.
TÓPICO II
O PARTIDARISMO NA IGREJA
(1.12)
• Desconsideravam que Cristo deve ser o centro
de todas as coisas.
• Tendência de impor opiniões pessoais com
vistas o controle e domínio.
• O cristianismo era uma novidade em Corinto =
oportunidade de sobrepor sobre os outros por
ambição.
• A organização e estilo de vida da igreja deveria
ser alicerçado nos ensinamentos de Cristo.
• Paulo busca resgatar esse modelo.
1. O tratamento inadequado
acerca das diferenças de opinião
• Formação de 4 grupos rivais: Paulo, Apolo,
Pedro e Cristo.
• Usavam o nome dos líderes por ambição pelo
poder.
• Mas esses líderes servos não priorizavam o
poder, mas a confirmação do Reino de Deus.
• Cultura de veneração a heróis da mitologia
grega e do culto a personalidades.
• Paulo não se aliou nem àqueles que se diziam
seus seguidores exclusivos.
2. A formação de grupos rivais
• Os membros dos grupos se guiavam pelo estilo
de ministério e liderança de cada um, com
espírito partidário.
• Possíveis especificidades de cada grupo:
1) Grupo de Paulo - os primeiros cristãos,
principalmente os gentios;
2) Grupo de Apolo - membros que se converteram e
aqueles que se entusiasmaram com seu estilo
eloquente;
3) Grupo de Pedro - judeus de origem legalista; e
4) Grupo de Cristo - aqueles que se achavam mais
santos do que os outros, com base na justiça própria.
3. Os tipos de grupos rivais
• A preferência ou identificação por alguém é
natural, o perigo é quando essa relação se torna
motivo para se achar superior aos outros.
3. Os tipos de grupos rivais
TÓPICO III
AS DIVISÕES E SEUS PERIGOS
(1.13-17)
• Paulo aponta para a possível causa das
discórdias e formação de grupos rivais.
• Eles estavam "idolatrando" o líder que os havia
batizados/evangelizados.
• Eles valorizavam mais esses líderes do que o
próprio sacrifício de Cristo.
• Paulo é categórico:
"Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós?
Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?" (v. 13).
1. O perigo de abafar
os méritos da Cruz de Cristo (v. 13)
• Paulo faz um agradecimento que causa
espanto e pode ser mal interpretado.
• Ele dá graças a Deus, por ter batizado apenas
algumas pessoas da igreja: Crispo, Gaio e a
casa de Estéfanas.
• Motivo: para que ninguém se vangloriasse por
ter sido batizado por ele (v. 15).
• O apóstolo não tinha a preocupação de manter
o "controle" sobre as pessoas que se
convertiam por intermédio da sua pregação.
2. O perigo de ser um narcisista (vv. 14-16)
• Atualmente vivemos em uma sociedade
narcisista, onde muitos buscam erroneamente a
satisfação dos próprios desejos e consideram os
outros como "meros objetos".
• Paulo seguia o modelo de Cristo.
• Ele amava as pessoas e não estava em busca
de recompensas pessoais ou do
reconhecimento público.
2. O perigo de ser um narcisista (vv. 14-16)
• A cultura helenista (grega), valorizava o grau de
conhecimento como forma de ostentação.
• Esse sentimento ainda estava presente entre os
membros da igreja.
• Paulo não confiava na "sabedoria de palavras",
mas na pregação e poder do Evangelho.
• Nos dias atuais é comum ver pregadores
confiando apenas em sua capacidade
intelectual e desejando somente a promoção do
seu nome, do seu ministério.
3. O perigo de pregar o Evangelho por ostentação (v. 17)
• A pregação do Evangelho é para exaltar a Jesus
e a eficácia do seu sacrifício na cruz do Calvário.
• O beneficio da pregação é a “salvação de todo
aquele que crê" (Rm 1.16)
3. O perigo de pregar o Evangelho por ostentação (v. 17)
PENSE
Você ama a sua igreja como Paulo
amava a igreja em Corinto?
IMPORTANTE
Precisamos seguir o modelo de
Cristo, amar as pessoas e não
viver em busca de recompensas
pessoais ou do reconhecimento
de homem.
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
1. As divisões internas na igreja de Corinto
estavam prejudicando a unidade da
comunidade e tirando o foco principal na
missão da igreja.
2. Alguns membros estavam se vangloriando pela
proximidade com alguns líderes e
menosprezando o próprio sacrifício de Cristo.
3. Esse comportamento revelava a imaturidade
espiritual dos crentes de Corinto e impedia o
crescimento da igreja.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
CONTATOS
Pr. Natalino das Neves
natalinoteologo@gmail.com
(41) 98409 8094
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Natalino das neves; natalino das neves II; e
Pastor Natalino das Neves (página)
@Natalinoneves
natalinodasneves

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTELição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Erberson Pinheiro
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Pastor Natalino Das Neves
 
20151126.Estudo PGs 30
20151126.Estudo PGs 3020151126.Estudo PGs 30
20151126.Estudo PGs 30
Andre Nascimento
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
Pastor Natalino Das Neves
 
Lição 08 artigo
Lição 08   artigoLição 08   artigo
Lição 08 artigo
Carlos Franco Almeida
 
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
Natalino das Neves Neves
 
2013_3 TRI_LIÇÃO 3 - O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO
2013_3 TRI_LIÇÃO 3 - O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO2013_3 TRI_LIÇÃO 3 - O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO
2013_3 TRI_LIÇÃO 3 - O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO
Natalino das Neves Neves
 
2021 2º trimestre jovem - lição 03
2021   2º trimestre jovem - lição 032021   2º trimestre jovem - lição 03
2021 2º trimestre jovem - lição 03
Joel Silva
 
4 Motivos Para Você não ir Para Emaús
4 Motivos Para Você não ir Para Emaús4 Motivos Para Você não ir Para Emaús
4 Motivos Para Você não ir Para Emaús
Samuel Couto
 
009 galatas
009 galatas009 galatas
009 galatas
Diógenes Gimenes
 
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
2013 3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
2013   3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade2013   3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
2013 3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Pastor Natalino Das Neves
 
Os Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De TarsoOs Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De Tarso
Grupo Espírita Cristão
 
LBA Lição 11 - A tolerância cristã
LBA Lição 11 - A tolerância cristãLBA Lição 11 - A tolerância cristã
LBA Lição 11 - A tolerância cristã
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
Pastor Natalino Das Neves
 
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITEIASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
ASD Remanescentes
 
Paulo e Estevão
Paulo e EstevãoPaulo e Estevão

Mais procurados (18)

Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTELição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
Lição 7 - A IGREJA NA REFORMA PROTESTANTE
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
20151126.Estudo PGs 30
20151126.Estudo PGs 3020151126.Estudo PGs 30
20151126.Estudo PGs 30
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
Lição 08 artigo
Lição 08   artigoLição 08   artigo
Lição 08 artigo
 
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
 
2013_3 TRI_LIÇÃO 3 - O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO
2013_3 TRI_LIÇÃO 3 - O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO2013_3 TRI_LIÇÃO 3 - O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO
2013_3 TRI_LIÇÃO 3 - O COMPORTAMENTO DOS SALVOS EM CRISTO
 
2021 2º trimestre jovem - lição 03
2021   2º trimestre jovem - lição 032021   2º trimestre jovem - lição 03
2021 2º trimestre jovem - lição 03
 
4 Motivos Para Você não ir Para Emaús
4 Motivos Para Você não ir Para Emaús4 Motivos Para Você não ir Para Emaús
4 Motivos Para Você não ir Para Emaús
 
009 galatas
009 galatas009 galatas
009 galatas
 
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HERESIOLOGIA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
 
2013 3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
2013   3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade2013   3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
2013 3 tri - lição 2 - esperança em meio à adversidade
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
Os Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De TarsoOs Tudo De Paulo De Tarso
Os Tudo De Paulo De Tarso
 
LBA Lição 11 - A tolerância cristã
LBA Lição 11 - A tolerância cristãLBA Lição 11 - A tolerância cristã
LBA Lição 11 - A tolerância cristã
 
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITEIASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
IASD FAZENDO PARTE DA UNIÃO DAS IGREJAS PREVISTA POR ELLEN WHITE
 
Paulo e Estevão
Paulo e EstevãoPaulo e Estevão
Paulo e Estevão
 

Semelhante a PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja

PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
Natalino das Neves Neves
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
Ricardo Gondim
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
Joel Silva
 
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintiosEstudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
Jose Emerson Barbosa da Silva
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Natalino das Neves Neves
 
2015 3º trimestre adultos lição 02.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 02.pptx2015 3º trimestre adultos lição 02.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 02.pptx
Joel Silva
 
3° Trimestre 2015 Lição 02 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 02 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 02 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 02 Adultos
Joel Silva
 
O evangélio da graça
O evangélio da graçaO evangélio da graça
O evangélio da graça
José Nilson Virgino
 
3º trimestre 2015 lição 02 adultos
3º trimestre 2015 lição 02 adultos3º trimestre 2015 lição 02 adultos
3º trimestre 2015 lição 02 adultos
Joel Silva
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
Natalino das Neves Neves
 
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
Natalino das Neves Neves
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
boasnovassena
 
2015 3 tri lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
2015 3 tri lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs2015 3 tri lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs
2015 3 tri lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
Natalino das Neves Neves
 
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
Andre Nascimento
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossenses
UEPB
 
A Fidelidade de Deus.
A  Fidelidade de Deus.A  Fidelidade de Deus.
A Fidelidade de Deus.
Márcio Martins
 
Como exortar com amor
Como exortar com amorComo exortar com amor
Como exortar com amor
Rosangela Vitor
 
Socorro - Minha Igreja se Dividiu
Socorro -  Minha Igreja se DividiuSocorro -  Minha Igreja se Dividiu
Socorro - Minha Igreja se Dividiu
Tsushya marco
 
Livro de tiago 1.1 5.20
Livro de tiago 1.1 5.20Livro de tiago 1.1 5.20
Livro de tiago 1.1 5.20
Pr. Eli Rocha Silva
 

Semelhante a PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja (20)

PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintiosEstudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
2015 3º trimestre adultos lição 02.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 02.pptx2015 3º trimestre adultos lição 02.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 02.pptx
 
3° Trimestre 2015 Lição 02 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 02 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 02 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 02 Adultos
 
O evangélio da graça
O evangélio da graçaO evangélio da graça
O evangélio da graça
 
3º trimestre 2015 lição 02 adultos
3º trimestre 2015 lição 02 adultos3º trimestre 2015 lição 02 adultos
3º trimestre 2015 lição 02 adultos
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
 
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
 
2015 3 tri lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
2015 3 tri lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs2015 3 tri lição 3   oração e recomendação às mulheres cristãs
2015 3 tri lição 3 oração e recomendação às mulheres cristãs
 
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossenses
 
A Fidelidade de Deus.
A  Fidelidade de Deus.A  Fidelidade de Deus.
A Fidelidade de Deus.
 
Como exortar com amor
Como exortar com amorComo exortar com amor
Como exortar com amor
 
Socorro - Minha Igreja se Dividiu
Socorro -  Minha Igreja se DividiuSocorro -  Minha Igreja se Dividiu
Socorro - Minha Igreja se Dividiu
 
Livro de tiago 1.1 5.20
Livro de tiago 1.1 5.20Livro de tiago 1.1 5.20
Livro de tiago 1.1 5.20
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
Natalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Natalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Natalino das Neves Neves
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
Natalino das Neves Neves
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
Natalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 

PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja

  • 1.
  • 2.
  • 3. T E X T O D O D I A "Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?" (1 Co 1.13)
  • 4. SÍNTESE As divisões e partidarismos demonstravam a imaturidade espiritual dos membros da igreja de Corinto.
  • 5. Coríntios 1.10-17 10 Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa e que não haja entre vós dissensões; antes, sejais unidos, em um mesmo sentido e em um mesmo parecer. 11 Porque a respeito de vós, irmãos meus, me foi comunicado pelos da família de Cloe que há contendas entre vós. 12 Quero dizer, com isso, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Cefas, e eu, de Cristo. 13 Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo? 14 Dou graças a Deus, porque a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio; 15 Para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome. 16 E batizei também a família de Estéfanas; além destes, não sei se batizei algum outro. 17 Porque Cristo enviou-me não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã. Leitura bíblica
  • 7. • A partir de 1 Co 1.10, o apóstolo trata do assunto que mais o preocupava: as divisões internas da igreja. • Por isso, ele pontua os prejuízos que as divisões podem trazer para a Igreja do Senhor. • Estudaremos a formação de grupos rivais na igreja de Corinto. • Paulo também faz sérias advertências a respeito do perigo de tentar substituir os méritos da cruz de Cristo pela ostentação e orgulho pessoal. INTRODUÇÃO
  • 8. TÓPICO I AS DISSENSÕES E SEUS PREJUÍZOS PARA A IGREJA (1.10,11)
  • 9. • Paulo fazia uma exortação, geralmente era para iniciar um aconselhamento pastoral. • Como fundador da igreja de Corinto, devia ser muito duro para o apóstolo exortar aquelas ovelhas, mas era necessário e ele o fez com amor e firmeza. • As dissensões estavam trazendo prejuízos sérios a toda igreja, algo precisava ser feito. 1. Uma exortação para não causar dissensões
  • 10. • Para exortar, Paulo toma uma atitude humilde: "Rogo-vos". • Paulo chama os membros de irmãos, que sugere uma ideia de amor fraternal. • Por fim, evoca a autoridade do nome de Jesus fazendo uso da expressão: "Pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo". 1. Uma exortação para não causar dissensões
  • 11. • O apóstolo havia ensinado aos coríntios o modelo de vida das primeiras igrejas cristãs. • ... perseverar nos ensinamentos dos apóstolos, na comunhão, no partir do pão e nas orações (At 2.42-47; At 4.32-35). • Os coríntios ainda estavam acostumados com o modelo das sociedades romanas e gregas (poder aquisitivo e classes sociais). 2. As dissenções prejudicavam a unidade da igreja
  • 12. • Ao contrário do sistema dominante, nas igrejas cristãs todos deveriam ser tratados com amor e respeito: escravos, pobres, marginalizados, .... • Paulo estimula seus leitores a retomarem a harmonia, buscando a concordância = um o coração deles em Cristo. • Eles deveriam também viver de forma harmoniosa quanto à doutrina que lhes era ensinada. 2. As dissenções prejudicavam a unidade da igreja
  • 13. • O apóstolo expõe diretamente o problema e não esconde a sua fonte: "Me foi comunicado pelos da família de Cloe". • Novamente trata seus leitores como irmãos (v.11) – família fraterna. • Geralmente as pessoas não gostam de expor os problemas, elas preferem escondê-los, fingir que não veem. • Mas as dissensões precisam ser tratadas com amor e firmeza para que sejam estancadas. 3. Paulo identifica a fonte de suas informações (1.11)
  • 14. • Certamente os da família de Cloe fez isso porque amava Paulo e confiava nele, reconhecendo sua autoridade apostólica. • Há uma grande diferença quando alguém comunica algum erro à liderança da igreja por inveja ou para prejudicar alguém. • As informações dessa família deram origem aos quatro primeiros capítulos da carta. 3. Paulo identifica a fonte de suas informações (1.11)
  • 15. PENSE Você tem fugido das contendas e confusões entre os irmãos? Ou você tem tentado alimentar tal atitude?
  • 16. IMPORTANTE Precisamos desejar e fazer a nossa parte para que haja unidade na igreja.
  • 17. TÓPICO II O PARTIDARISMO NA IGREJA (1.12)
  • 18. • Desconsideravam que Cristo deve ser o centro de todas as coisas. • Tendência de impor opiniões pessoais com vistas o controle e domínio. • O cristianismo era uma novidade em Corinto = oportunidade de sobrepor sobre os outros por ambição. • A organização e estilo de vida da igreja deveria ser alicerçado nos ensinamentos de Cristo. • Paulo busca resgatar esse modelo. 1. O tratamento inadequado acerca das diferenças de opinião
  • 19. • Formação de 4 grupos rivais: Paulo, Apolo, Pedro e Cristo. • Usavam o nome dos líderes por ambição pelo poder. • Mas esses líderes servos não priorizavam o poder, mas a confirmação do Reino de Deus. • Cultura de veneração a heróis da mitologia grega e do culto a personalidades. • Paulo não se aliou nem àqueles que se diziam seus seguidores exclusivos. 2. A formação de grupos rivais
  • 20. • Os membros dos grupos se guiavam pelo estilo de ministério e liderança de cada um, com espírito partidário. • Possíveis especificidades de cada grupo: 1) Grupo de Paulo - os primeiros cristãos, principalmente os gentios; 2) Grupo de Apolo - membros que se converteram e aqueles que se entusiasmaram com seu estilo eloquente; 3) Grupo de Pedro - judeus de origem legalista; e 4) Grupo de Cristo - aqueles que se achavam mais santos do que os outros, com base na justiça própria. 3. Os tipos de grupos rivais
  • 21. • A preferência ou identificação por alguém é natural, o perigo é quando essa relação se torna motivo para se achar superior aos outros. 3. Os tipos de grupos rivais
  • 22. TÓPICO III AS DIVISÕES E SEUS PERIGOS (1.13-17)
  • 23. • Paulo aponta para a possível causa das discórdias e formação de grupos rivais. • Eles estavam "idolatrando" o líder que os havia batizados/evangelizados. • Eles valorizavam mais esses líderes do que o próprio sacrifício de Cristo. • Paulo é categórico: "Está Cristo dividido? Foi Paulo crucificado por vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?" (v. 13). 1. O perigo de abafar os méritos da Cruz de Cristo (v. 13)
  • 24. • Paulo faz um agradecimento que causa espanto e pode ser mal interpretado. • Ele dá graças a Deus, por ter batizado apenas algumas pessoas da igreja: Crispo, Gaio e a casa de Estéfanas. • Motivo: para que ninguém se vangloriasse por ter sido batizado por ele (v. 15). • O apóstolo não tinha a preocupação de manter o "controle" sobre as pessoas que se convertiam por intermédio da sua pregação. 2. O perigo de ser um narcisista (vv. 14-16)
  • 25. • Atualmente vivemos em uma sociedade narcisista, onde muitos buscam erroneamente a satisfação dos próprios desejos e consideram os outros como "meros objetos". • Paulo seguia o modelo de Cristo. • Ele amava as pessoas e não estava em busca de recompensas pessoais ou do reconhecimento público. 2. O perigo de ser um narcisista (vv. 14-16)
  • 26. • A cultura helenista (grega), valorizava o grau de conhecimento como forma de ostentação. • Esse sentimento ainda estava presente entre os membros da igreja. • Paulo não confiava na "sabedoria de palavras", mas na pregação e poder do Evangelho. • Nos dias atuais é comum ver pregadores confiando apenas em sua capacidade intelectual e desejando somente a promoção do seu nome, do seu ministério. 3. O perigo de pregar o Evangelho por ostentação (v. 17)
  • 27. • A pregação do Evangelho é para exaltar a Jesus e a eficácia do seu sacrifício na cruz do Calvário. • O beneficio da pregação é a “salvação de todo aquele que crê" (Rm 1.16) 3. O perigo de pregar o Evangelho por ostentação (v. 17)
  • 28. PENSE Você ama a sua igreja como Paulo amava a igreja em Corinto?
  • 29. IMPORTANTE Precisamos seguir o modelo de Cristo, amar as pessoas e não viver em busca de recompensas pessoais ou do reconhecimento de homem.
  • 31. 1. As divisões internas na igreja de Corinto estavam prejudicando a unidade da comunidade e tirando o foco principal na missão da igreja. 2. Alguns membros estavam se vangloriando pela proximidade com alguns líderes e menosprezando o próprio sacrifício de Cristo. 3. Esse comportamento revelava a imaturidade espiritual dos crentes de Corinto e impedia o crescimento da igreja. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 33. CONTATOS Pr. Natalino das Neves natalinoteologo@gmail.com (41) 98409 8094 www.natalinodasneves.blogspot.com.br Natalino das neves; natalino das neves II; e Pastor Natalino das Neves (página) @Natalinoneves natalinodasneves