SlideShare uma empresa Scribd logo
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
T E X T O D O D I A
"A minha palavra e a minha
pregação não consistiram em
palavras persuasivas de sabedoria
humana, mas em demonstração
do Espírito e de poder." (1 Co 2.4)
SÍNTESE
O poder da pregação não está no
conhecimento secular ou no
desempenho da oratória, mas na
fidelidade à mensagem do
Evangelho, que pode transformar
a vida de todo aquele que crê.
1 Coríntios 2.1-7
1 E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de
Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria.
2 Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este
crucificado.
3 E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor.
4 A minha palavra e a minha pregação não consistiram em palavras
persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e
de poder.
5 Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no
poder de Deus.
6 Todavia, falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria
deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam.
7 Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus
ordenou antes dos séculos para nossa glória.
Leitura bíblica
1 Coríntios 2.8-13
8 A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a
conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória.
9 Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não
ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou
para os que o amam.
10Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra
todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.
11 Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito
do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de
Deus, senão o Espírito de Deus.
12 Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que
provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado
gratuitamente por Deus.
13 As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana,
mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas
espirituais com as espirituais.
Leitura bíblica
INTRODUÇÃO
• Embora o apóstolo Paulo tenha tido uma boa formação
educacional e religiosa, seu compromisso como apóstolo
de Cristo era com a mensagem do Evangelho.
• Seu objetivo não era impressionar as pessoas com a sua
oratória, mas levar os crentes e seus ouvintes a um
conhecimento mais profundo de Jesus Cristo.
• Constataremos que, mesmo caluniado e ofendido pelos
"sábios" da igreja de Corinto, ele não usou suas
habilidades humanas para se defender ou vangloriar, mas
se ocupou em apresentar a mensagem simples e genuína
do Evangelho de Cristo.
INTRODUÇÃO
TÓPICO I
PAULO ERA CAPACITADO
E CHAMADO POR DEUS
• Como todo judeu, Paulo recebeu uma educação
familiar e também na sinagoga.
• Foi instruído aos pés de Gamaliel (At 22.3),
membro do sinédrio e um dos rabinos mais
respeitados em Jerusalém.
• A religiosidade e o rigor ao cumprimento da lei o
transformaram em perseguidor dos seguidores de
Cristo (1 Co 15.9; Gl 1.13,14; Fp 3.6).
• Apesar de todo o seu conhecimento, le teve a
experiência mais profunda com Deus no caminho
para Damasco (At 9).
1. A formação religiosa de Paulo no judaísmo
• Como judeu da diáspora (Tarso), também recebeu
a educação helenista em uma escola grega.
• Quanto à sua formação ministerial:
• após sua conversão no caminho para Damasco, ele se
dirigiu à Arábia (Gl 1.17);
• em seguida retornou para Damasco e ficou nessa
cidade por três anos (Gl 1.17,18);
• depois subiu para Jerusalém e ficou ali por um período
de quinze dias na companhia dos apóstolos Pedro e
Tiago (Gl 1.18-20);
• depois ele viajou para Síria e Cilícia (Gl 1.21);
• Somente depois desse período de preparação, foi
enviado pela igreja de Jerusalém, juntamente com
Barnabé, para Antioquia.
2. A formação educacional e ministerial de Paulo
• Diferente de muitos obreiros na atualidade, Paulo
não era um aventureiro.
• Ele teve um longo processo de capacitação antes
de assumir maiores responsabilidades no
ministério.
2. A formação educacional e ministerial de Paulo
• Paulo afirmou que o seu chamado foi semelhante
aos profetas do AT, se deu quando ele ainda
estava no ventre de sua mãe (Gl 1.15).
• Paulo assevera que entendeu o seu chamado
quando o Senhor revelou a ele o seu próprio
Filho, Jesus.
• Afirma que fora chamado diretamente pelo Jesus
ressurreto - legitimidade de seu apostolado.
• Ele defendia a legitimidade de seu apostolado
devido aos questionamentos dos falsos mestres.
Estes queriam denegrir sua imagem e sua
mensagem.
3. A autoridade do apostolado
PENSE
Você tem buscado, como Paulo,
se preparar para o chamado que
Deus tem em sua vida?
IMPORTANTE
Paulo não era um aventureiro,
mas alguém que foi escolhido por
Deus e capacitado por Ele para
relaizar uma grande obra.
TÓPICO II
A CONFIANÇA DE PAULO NÃO
ESTAVA EM SEU INTELECTO
• Experiência de vida e ministério ao longo de
décadas de serviço (gozo, sofrimentos,
decepções, entre outros).
• Transformação de vida, caráter e pensamento.
• Ele não se envergonhava do Evangelho e não se
deixava abater com nada.
• Sua base era a convicção de sua comunhão com
Deus, chamado e esperança da vida eterna com
o Pai Celeste após a morte.
• Com toda sua experiência intelectual e ministerial,
o apóstolo dos gentios reconhecia sua
dependência de Deus.
1. Paulo reconhecia que a sua capacidade vinha de Deus
• Paulo faz seus destinatários lembrarem,
juntamente com ele, da última vez que esteve
presente com eles.
• Relembra que não estava preocupado em
demonstrar que era forte ou dono de si; pelo
contrário, com franqueza, temor e grande tremor
ele estava buscando a edificação da Igreja do
Senhor.
• Fazia questão de não ser venerado pela sua
sabedoria, mas apontando para o poder de Deus.
2. Paulo não usava de nenhum
tipo de ostentação humana (vv. 1-5)
• A fé de seus ouvintes não deveria ser construída
sobre o alicerce da sabedoria humana, mas sobre
a sabedoria e o poder de Deus.
• O apóstolo Paulo certamente agiria de maneira
contrária a muitos pregadores dos dias atuais,
que se parecem mais com os adversários dele em
Corinto.
• Estes gostam de chamar atenção para si e
demonstrar um conhecimento que não tem.
2. Paulo não usava de nenhum
tipo de ostentação humana (vv. 1-5)
• Para os gregos, a busca pela sabedoria somente
era possível com muita investigação, averiguação
e questionamentos a respeito da verdade.
• Algo que não era para qualquer um, mas sim para
a elite.
• Paulo conhecia bem a cultura grega, mas depois
de sua conversão a Jesus Cristo ele descobriu
onde está a fonte da verdadeira sabedoria.
3. Paulo confiava na revelação do mistério
da sabedoria de Deus (vv. 6-9).
• Cristo, o esplendor da expressa imagem da glória
do Pai (Hb 1.3).
• Como um sábio grego poderia aceitar isso, um
homem que foi condenado como criminoso, teve
a morte mais humilhante e, agora, ser a
expressão exata de Deus?
3. Paulo confiava na revelação do mistério
da sabedoria de Deus (vv. 6-9).
PENSE
Paulo buscava a verdadeira
sabedoria em Deus. Quais tem
sido a sua fonte na busca pela
sabedoria?
IMPORTANTE
Somente Deus conhece e sabe de
todas as coisas. Seu
conhecimento é perfeito,
completo
TÓPICO III
TUDO QUE PRECISAMOS SABER
PARA RECEBERMOS A SALVAÇÃO
• O poder de Deus para a salvação da humanidade
não é uma mensagem secreta. Todos podem ter
acesso a essa mensagem.
• Para o homem natural, especialmente os gregos,
crer na vitória da cruz era uma vergonha e
maldição.
• Isso é o que o apóstolo Paulo chamava de
loucura da pregação para esse homem.
• Assim, só o Espírito Santo pode regenerar o
coração do homem natural e fazê-lo compreender
e aceitar a mensagem da cruz.
1. A revelação do Espírito Santo
a respeito da mensagem da cruz (vv. 10,11)
• O apóstolo Paulo coloca de um lado os que
receberam o espírito do mundo; do outro, os que
receberam Espírito Santo que vem de Deus.
• O amor à paixão e à concupiscência impedem o
ser humano de receber o Espírito de Deus.
• Por isso, Paulo diz que os que receberam o
Espírito de Deus são ensinados por Ele e, assim,
vivem as realidades espirituais e podem discernir
a vida sob a sabedoria de Deus.
• Mas para aprender é preciso ter disposição e
vontade para se submeter ao mestre que ensina.
2. Disposição para receber o
Espírito de Deus (vv. 12,13)
• Na igreja de Corinto existia um grupo de pessoas
que se consideravam espirituais com base na
sabedoria humana e consideravam os demais
como crianças espirituais.
• O apóstolo rebate esses membros que
questionavam a mensagem da cruz de Cristo e a
consideravam loucura. Não compreendiam "as
coisas do Espírito de Deus" (v. 14).
• Desse modo, eles não poderiam compreender o
ensinamento do apóstolo, porque eles não eram
espirituais.
3. O salvo tem a mente de Cristo (vv. 14-16).
• Paulo cita Is 40.13,14: "Quem guiou o Espírito do
SENHOR? E que conselheiro o ensinou? Com
quem tomou conselho, para que lhes desse
entendimento [...]".
• Assim, quem é um cristão maduro vive na
unidade do Espírito e tem a mente de Cristo
(v.16).
3. O salvo tem a mente de Cristo (vv. 14-16).
PENSE
Você tem a mente de Cristo? Seus
pensamentos são puros, santos?
IMPORTANTE
O homem que tem a mente carnal
jamais vai conseguir entender as
coisas espirituais. Somente o
Espírito Santo de Deus em nós faz
com que venhamos entender os
ensinamentos divino.
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
1. O apóstolo teve uma excelente formação
educacional e religiosa com os melhores mestres,
incluindo o principal rabino do judaísmo,
Gamaliel.
2. Ele não se vangloriava disso, mas de sua
experiência de conversão, de sua disposição
para receber o Espírito de Deus e ter a mente de
Cristo.
3. Essa experiência com a sabedoria de Deus, o
Evangelho de Cristo, que ele anunciava.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
CONTATOS
Pr. Natalino das Neves
natalinoteologo@gmail.com
(41) 98409 8094
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Natalino das neves; natalino das neves II; e
Pastor Natalino das Neves (página)
@Natalinoneves
natalinodasneves

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
capriello
 
18. como estudar a biblía ii
18. como estudar a biblía ii18. como estudar a biblía ii
18. como estudar a biblía ii
pohlos
 
Lição 2 como deus se faz conhecer - examinai as escrituras - ed. cristã eva...
Lição 2   como deus se faz conhecer - examinai as escrituras - ed. cristã eva...Lição 2   como deus se faz conhecer - examinai as escrituras - ed. cristã eva...
Lição 2 como deus se faz conhecer - examinai as escrituras - ed. cristã eva...
Sergio Silva
 
Mente e vontade
Mente e vontadeMente e vontade
Mente e vontade
Pastor Robson Colaço
 
Teologia Sistemática - Revelação Geral
Teologia Sistemática - Revelação GeralTeologia Sistemática - Revelação Geral
Teologia Sistemática - Revelação Geral
Pr. Luiz Carlos Lopes
 
Cristo é a_nossa_suficiencia.
Cristo é a_nossa_suficiencia.Cristo é a_nossa_suficiencia.
Cristo é a_nossa_suficiencia.
levibanez
 
3° Trimestre 2015 Lição 05 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 05 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 05 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 05 Adultos
Joel Silva
 
Panorama do AT - Revelação Progressiva
Panorama do AT - Revelação ProgressivaPanorama do AT - Revelação Progressiva
Panorama do AT - Revelação Progressiva
Ricardo Gondim
 
Silas a importância de ser cheio do espírito santo
Silas a importância de ser cheio do espírito santoSilas a importância de ser cheio do espírito santo
Silas a importância de ser cheio do espírito santo
Tarcila Lais
 
Apologética (Aula 1): Bases da Fé Cristã
Apologética (Aula 1): Bases da Fé CristãApologética (Aula 1): Bases da Fé Cristã
Apologética (Aula 1): Bases da Fé Cristã
Gustavo Zimmermann
 
Teologia Sistemática - Revelação Especifica
Teologia Sistemática - Revelação EspecificaTeologia Sistemática - Revelação Especifica
Teologia Sistemática - Revelação Especifica
Pr. Luiz Carlos Lopes
 
A Revelação de Deus
A Revelação de DeusA Revelação de Deus
A Revelação de Deus
Geversom Sousa
 
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014 pib 05.01.14
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014   pib 05.01.14precisamos ser cheios do espírito santo em 2014   pib 05.01.14
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014 pib 05.01.14
Pastor Cerqueira
 
Lição 3 dons de revelacao - CPAD 2 trimestre de 2014 - Dons Espirituais e Min...
Lição 3 dons de revelacao - CPAD 2 trimestre de 2014 - Dons Espirituais e Min...Lição 3 dons de revelacao - CPAD 2 trimestre de 2014 - Dons Espirituais e Min...
Lição 3 dons de revelacao - CPAD 2 trimestre de 2014 - Dons Espirituais e Min...
pralucianaevangelista
 
Espírito Santo - O Intérprete da Bíblia
Espírito Santo - O Intérprete da BíbliaEspírito Santo - O Intérprete da Bíblia
Espírito Santo - O Intérprete da Bíblia
Elder Moraes
 
Estudo adicional_O chamado da sabedoria_112015
Estudo adicional_O chamado da sabedoria_112015Estudo adicional_O chamado da sabedoria_112015
Estudo adicional_O chamado da sabedoria_112015
Gerson G. Ramos
 
Aula 1 - Apologética e suas Metodologias
Aula 1 - Apologética e suas MetodologiasAula 1 - Apologética e suas Metodologias
Aula 1 - Apologética e suas Metodologias
Gustavo Zimmermann
 
Aula 2 - Teologia Natural
Aula 2 - Teologia NaturalAula 2 - Teologia Natural
Aula 2 - Teologia Natural
Gustavo Zimmermann
 

Mais procurados (18)

Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. CapriRevelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
Revelação Progressiva de DEUS a humanidade Prof. Capri
 
18. como estudar a biblía ii
18. como estudar a biblía ii18. como estudar a biblía ii
18. como estudar a biblía ii
 
Lição 2 como deus se faz conhecer - examinai as escrituras - ed. cristã eva...
Lição 2   como deus se faz conhecer - examinai as escrituras - ed. cristã eva...Lição 2   como deus se faz conhecer - examinai as escrituras - ed. cristã eva...
Lição 2 como deus se faz conhecer - examinai as escrituras - ed. cristã eva...
 
Mente e vontade
Mente e vontadeMente e vontade
Mente e vontade
 
Teologia Sistemática - Revelação Geral
Teologia Sistemática - Revelação GeralTeologia Sistemática - Revelação Geral
Teologia Sistemática - Revelação Geral
 
Cristo é a_nossa_suficiencia.
Cristo é a_nossa_suficiencia.Cristo é a_nossa_suficiencia.
Cristo é a_nossa_suficiencia.
 
3° Trimestre 2015 Lição 05 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 05 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 05 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 05 Adultos
 
Panorama do AT - Revelação Progressiva
Panorama do AT - Revelação ProgressivaPanorama do AT - Revelação Progressiva
Panorama do AT - Revelação Progressiva
 
Silas a importância de ser cheio do espírito santo
Silas a importância de ser cheio do espírito santoSilas a importância de ser cheio do espírito santo
Silas a importância de ser cheio do espírito santo
 
Apologética (Aula 1): Bases da Fé Cristã
Apologética (Aula 1): Bases da Fé CristãApologética (Aula 1): Bases da Fé Cristã
Apologética (Aula 1): Bases da Fé Cristã
 
Teologia Sistemática - Revelação Especifica
Teologia Sistemática - Revelação EspecificaTeologia Sistemática - Revelação Especifica
Teologia Sistemática - Revelação Especifica
 
A Revelação de Deus
A Revelação de DeusA Revelação de Deus
A Revelação de Deus
 
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014 pib 05.01.14
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014   pib 05.01.14precisamos ser cheios do espírito santo em 2014   pib 05.01.14
precisamos ser cheios do espírito santo em 2014 pib 05.01.14
 
Lição 3 dons de revelacao - CPAD 2 trimestre de 2014 - Dons Espirituais e Min...
Lição 3 dons de revelacao - CPAD 2 trimestre de 2014 - Dons Espirituais e Min...Lição 3 dons de revelacao - CPAD 2 trimestre de 2014 - Dons Espirituais e Min...
Lição 3 dons de revelacao - CPAD 2 trimestre de 2014 - Dons Espirituais e Min...
 
Espírito Santo - O Intérprete da Bíblia
Espírito Santo - O Intérprete da BíbliaEspírito Santo - O Intérprete da Bíblia
Espírito Santo - O Intérprete da Bíblia
 
Estudo adicional_O chamado da sabedoria_112015
Estudo adicional_O chamado da sabedoria_112015Estudo adicional_O chamado da sabedoria_112015
Estudo adicional_O chamado da sabedoria_112015
 
Aula 1 - Apologética e suas Metodologias
Aula 1 - Apologética e suas MetodologiasAula 1 - Apologética e suas Metodologias
Aula 1 - Apologética e suas Metodologias
 
Aula 2 - Teologia Natural
Aula 2 - Teologia NaturalAula 2 - Teologia Natural
Aula 2 - Teologia Natural
 

Semelhante a PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO

2021 2º trimestre jovem - lição 05
2021   2º trimestre jovem - lição 052021   2º trimestre jovem - lição 05
2021 2º trimestre jovem - lição 05
Joel Silva
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
Natalino das Neves Neves
 
Lição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanosLição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanos
Ailton da Silva
 
vdocuments.com.br_introducao-a-teologia-55c3b7b07dc6d.ppt
vdocuments.com.br_introducao-a-teologia-55c3b7b07dc6d.pptvdocuments.com.br_introducao-a-teologia-55c3b7b07dc6d.ppt
vdocuments.com.br_introducao-a-teologia-55c3b7b07dc6d.ppt
Sergio Reis
 
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos JovensO fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
Francelia Carvalho Oliveira
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
Pastor Natalino Das Neves
 
2021 4º Trimestre Adulto Lição 05.pptx
2021 4º Trimestre Adulto Lição 05.pptx2021 4º Trimestre Adulto Lição 05.pptx
2021 4º Trimestre Adulto Lição 05.pptx
Joel Silva
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
Ricardo Gondim
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
Ricardo Gondim
 
Epistola de efeso
Epistola de efesoEpistola de efeso
Epistola de efeso
Junior Miranda
 
A importância do Estudo Bíblico
A importância do Estudo BíblicoA importância do Estudo Bíblico
A importância do Estudo Bíblico
Eder L. Souza
 
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade
Lição 1 - Deus se revelou à humanidadeLição 1 - Deus se revelou à humanidade
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade
Éder Tomé
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Hebreus
Hebreus Hebreus
Hebreus
Paulo Ferreira
 
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Éder Tomé
 
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
Joel Silva
 
A fé
A féA fé
3º trimestre 2015 lição 05 adultos
3º trimestre 2015 lição 05 adultos3º trimestre 2015 lição 05 adultos
3º trimestre 2015 lição 05 adultos
Joel Silva
 
2021 2º trimestre jovem - lição 04
2021   2º trimestre jovem - lição 042021   2º trimestre jovem - lição 04
2021 2º trimestre jovem - lição 04
Joel Silva
 

Semelhante a PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO (20)

2021 2º trimestre jovem - lição 05
2021   2º trimestre jovem - lição 052021   2º trimestre jovem - lição 05
2021 2º trimestre jovem - lição 05
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
Lição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanosLição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanos
 
vdocuments.com.br_introducao-a-teologia-55c3b7b07dc6d.ppt
vdocuments.com.br_introducao-a-teologia-55c3b7b07dc6d.pptvdocuments.com.br_introducao-a-teologia-55c3b7b07dc6d.ppt
vdocuments.com.br_introducao-a-teologia-55c3b7b07dc6d.ppt
 
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos JovensO fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
2021 4º Trimestre Adulto Lição 05.pptx
2021 4º Trimestre Adulto Lição 05.pptx2021 4º Trimestre Adulto Lição 05.pptx
2021 4º Trimestre Adulto Lição 05.pptx
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
 
Epistola de efeso
Epistola de efesoEpistola de efeso
Epistola de efeso
 
A importância do Estudo Bíblico
A importância do Estudo BíblicoA importância do Estudo Bíblico
A importância do Estudo Bíblico
 
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade
Lição 1 - Deus se revelou à humanidadeLição 1 - Deus se revelou à humanidade
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
 
Hebreus
Hebreus Hebreus
Hebreus
 
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
 
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
 
A fé
A féA fé
A fé
 
3º trimestre 2015 lição 05 adultos
3º trimestre 2015 lição 05 adultos3º trimestre 2015 lição 05 adultos
3º trimestre 2015 lição 05 adultos
 
2021 2º trimestre jovem - lição 04
2021   2º trimestre jovem - lição 042021   2º trimestre jovem - lição 04
2021 2º trimestre jovem - lição 04
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
Natalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Natalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Natalino das Neves Neves
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
Natalino das Neves Neves
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
Natalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJAPROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 3 - DIVISÕES NA IGREJA
 

Último

Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 

PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO

  • 3. T E X T O D O D I A "A minha palavra e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder." (1 Co 2.4)
  • 4. SÍNTESE O poder da pregação não está no conhecimento secular ou no desempenho da oratória, mas na fidelidade à mensagem do Evangelho, que pode transformar a vida de todo aquele que crê.
  • 5. 1 Coríntios 2.1-7 1 E eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. 2 Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado. 3 E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor. 4 A minha palavra e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder. 5 Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. 6 Todavia, falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam. 7 Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória. Leitura bíblica
  • 6. 1 Coríntios 2.8-13 8 A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória. 9 Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam. 10Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. 11 Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. 12 Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. 13 As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. Leitura bíblica
  • 8. • Embora o apóstolo Paulo tenha tido uma boa formação educacional e religiosa, seu compromisso como apóstolo de Cristo era com a mensagem do Evangelho. • Seu objetivo não era impressionar as pessoas com a sua oratória, mas levar os crentes e seus ouvintes a um conhecimento mais profundo de Jesus Cristo. • Constataremos que, mesmo caluniado e ofendido pelos "sábios" da igreja de Corinto, ele não usou suas habilidades humanas para se defender ou vangloriar, mas se ocupou em apresentar a mensagem simples e genuína do Evangelho de Cristo. INTRODUÇÃO
  • 9. TÓPICO I PAULO ERA CAPACITADO E CHAMADO POR DEUS
  • 10. • Como todo judeu, Paulo recebeu uma educação familiar e também na sinagoga. • Foi instruído aos pés de Gamaliel (At 22.3), membro do sinédrio e um dos rabinos mais respeitados em Jerusalém. • A religiosidade e o rigor ao cumprimento da lei o transformaram em perseguidor dos seguidores de Cristo (1 Co 15.9; Gl 1.13,14; Fp 3.6). • Apesar de todo o seu conhecimento, le teve a experiência mais profunda com Deus no caminho para Damasco (At 9). 1. A formação religiosa de Paulo no judaísmo
  • 11. • Como judeu da diáspora (Tarso), também recebeu a educação helenista em uma escola grega. • Quanto à sua formação ministerial: • após sua conversão no caminho para Damasco, ele se dirigiu à Arábia (Gl 1.17); • em seguida retornou para Damasco e ficou nessa cidade por três anos (Gl 1.17,18); • depois subiu para Jerusalém e ficou ali por um período de quinze dias na companhia dos apóstolos Pedro e Tiago (Gl 1.18-20); • depois ele viajou para Síria e Cilícia (Gl 1.21); • Somente depois desse período de preparação, foi enviado pela igreja de Jerusalém, juntamente com Barnabé, para Antioquia. 2. A formação educacional e ministerial de Paulo
  • 12. • Diferente de muitos obreiros na atualidade, Paulo não era um aventureiro. • Ele teve um longo processo de capacitação antes de assumir maiores responsabilidades no ministério. 2. A formação educacional e ministerial de Paulo
  • 13. • Paulo afirmou que o seu chamado foi semelhante aos profetas do AT, se deu quando ele ainda estava no ventre de sua mãe (Gl 1.15). • Paulo assevera que entendeu o seu chamado quando o Senhor revelou a ele o seu próprio Filho, Jesus. • Afirma que fora chamado diretamente pelo Jesus ressurreto - legitimidade de seu apostolado. • Ele defendia a legitimidade de seu apostolado devido aos questionamentos dos falsos mestres. Estes queriam denegrir sua imagem e sua mensagem. 3. A autoridade do apostolado
  • 14. PENSE Você tem buscado, como Paulo, se preparar para o chamado que Deus tem em sua vida?
  • 15. IMPORTANTE Paulo não era um aventureiro, mas alguém que foi escolhido por Deus e capacitado por Ele para relaizar uma grande obra.
  • 16. TÓPICO II A CONFIANÇA DE PAULO NÃO ESTAVA EM SEU INTELECTO
  • 17. • Experiência de vida e ministério ao longo de décadas de serviço (gozo, sofrimentos, decepções, entre outros). • Transformação de vida, caráter e pensamento. • Ele não se envergonhava do Evangelho e não se deixava abater com nada. • Sua base era a convicção de sua comunhão com Deus, chamado e esperança da vida eterna com o Pai Celeste após a morte. • Com toda sua experiência intelectual e ministerial, o apóstolo dos gentios reconhecia sua dependência de Deus. 1. Paulo reconhecia que a sua capacidade vinha de Deus
  • 18. • Paulo faz seus destinatários lembrarem, juntamente com ele, da última vez que esteve presente com eles. • Relembra que não estava preocupado em demonstrar que era forte ou dono de si; pelo contrário, com franqueza, temor e grande tremor ele estava buscando a edificação da Igreja do Senhor. • Fazia questão de não ser venerado pela sua sabedoria, mas apontando para o poder de Deus. 2. Paulo não usava de nenhum tipo de ostentação humana (vv. 1-5)
  • 19. • A fé de seus ouvintes não deveria ser construída sobre o alicerce da sabedoria humana, mas sobre a sabedoria e o poder de Deus. • O apóstolo Paulo certamente agiria de maneira contrária a muitos pregadores dos dias atuais, que se parecem mais com os adversários dele em Corinto. • Estes gostam de chamar atenção para si e demonstrar um conhecimento que não tem. 2. Paulo não usava de nenhum tipo de ostentação humana (vv. 1-5)
  • 20. • Para os gregos, a busca pela sabedoria somente era possível com muita investigação, averiguação e questionamentos a respeito da verdade. • Algo que não era para qualquer um, mas sim para a elite. • Paulo conhecia bem a cultura grega, mas depois de sua conversão a Jesus Cristo ele descobriu onde está a fonte da verdadeira sabedoria. 3. Paulo confiava na revelação do mistério da sabedoria de Deus (vv. 6-9).
  • 21. • Cristo, o esplendor da expressa imagem da glória do Pai (Hb 1.3). • Como um sábio grego poderia aceitar isso, um homem que foi condenado como criminoso, teve a morte mais humilhante e, agora, ser a expressão exata de Deus? 3. Paulo confiava na revelação do mistério da sabedoria de Deus (vv. 6-9).
  • 22. PENSE Paulo buscava a verdadeira sabedoria em Deus. Quais tem sido a sua fonte na busca pela sabedoria?
  • 23. IMPORTANTE Somente Deus conhece e sabe de todas as coisas. Seu conhecimento é perfeito, completo
  • 24. TÓPICO III TUDO QUE PRECISAMOS SABER PARA RECEBERMOS A SALVAÇÃO
  • 25. • O poder de Deus para a salvação da humanidade não é uma mensagem secreta. Todos podem ter acesso a essa mensagem. • Para o homem natural, especialmente os gregos, crer na vitória da cruz era uma vergonha e maldição. • Isso é o que o apóstolo Paulo chamava de loucura da pregação para esse homem. • Assim, só o Espírito Santo pode regenerar o coração do homem natural e fazê-lo compreender e aceitar a mensagem da cruz. 1. A revelação do Espírito Santo a respeito da mensagem da cruz (vv. 10,11)
  • 26. • O apóstolo Paulo coloca de um lado os que receberam o espírito do mundo; do outro, os que receberam Espírito Santo que vem de Deus. • O amor à paixão e à concupiscência impedem o ser humano de receber o Espírito de Deus. • Por isso, Paulo diz que os que receberam o Espírito de Deus são ensinados por Ele e, assim, vivem as realidades espirituais e podem discernir a vida sob a sabedoria de Deus. • Mas para aprender é preciso ter disposição e vontade para se submeter ao mestre que ensina. 2. Disposição para receber o Espírito de Deus (vv. 12,13)
  • 27. • Na igreja de Corinto existia um grupo de pessoas que se consideravam espirituais com base na sabedoria humana e consideravam os demais como crianças espirituais. • O apóstolo rebate esses membros que questionavam a mensagem da cruz de Cristo e a consideravam loucura. Não compreendiam "as coisas do Espírito de Deus" (v. 14). • Desse modo, eles não poderiam compreender o ensinamento do apóstolo, porque eles não eram espirituais. 3. O salvo tem a mente de Cristo (vv. 14-16).
  • 28. • Paulo cita Is 40.13,14: "Quem guiou o Espírito do SENHOR? E que conselheiro o ensinou? Com quem tomou conselho, para que lhes desse entendimento [...]". • Assim, quem é um cristão maduro vive na unidade do Espírito e tem a mente de Cristo (v.16). 3. O salvo tem a mente de Cristo (vv. 14-16).
  • 29. PENSE Você tem a mente de Cristo? Seus pensamentos são puros, santos?
  • 30. IMPORTANTE O homem que tem a mente carnal jamais vai conseguir entender as coisas espirituais. Somente o Espírito Santo de Deus em nós faz com que venhamos entender os ensinamentos divino.
  • 32. 1. O apóstolo teve uma excelente formação educacional e religiosa com os melhores mestres, incluindo o principal rabino do judaísmo, Gamaliel. 2. Ele não se vangloriava disso, mas de sua experiência de conversão, de sua disposição para receber o Espírito de Deus e ter a mente de Cristo. 3. Essa experiência com a sabedoria de Deus, o Evangelho de Cristo, que ele anunciava. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 34. CONTATOS Pr. Natalino das Neves natalinoteologo@gmail.com (41) 98409 8094 www.natalinodasneves.blogspot.com.br Natalino das neves; natalino das neves II; e Pastor Natalino das Neves (página) @Natalinoneves natalinodasneves