SlideShare uma empresa Scribd logo
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
T E X T O D O D I A
"Ora, no tocante às coisas
sacrificadas aos ídolos, sabemos
que todos temos ciência. A
ciência incha, mas o amor
edifica."
SÍNTESE
O que salva o ser humano
não são os rituais religiosos, mas
a fé no sacrifício
vicário de Cristo Jesus.
1 Coríntio 7.18,19
18 É alguém chamado, estando circuncidado? Fique
circuncidado. É alguém chamado, estando incircuncidado?
Não se circuncide.
19 A circuncisão é nada, e a incircuncisão nada é, mas, sim, a
observância dos mandamentos de Deus.
Leitura bíblica
1 Coríntios 8.2-5
2 E, se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe
como convém saber.
3 Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele.
4 Assim que, quanto ao comer das coisas sacrificadas aos
ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo e que não há
outro Deus, senão um só.
5 Porque, ainda que haja também alguns que se chamem
deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e
muitos senhores).
Leitura bíblica
INTRODUÇÃO
• Na igreja em Corinto havia alguns judeus
convertidos a Jesus Cristo influentes e mantinham
ainda regras e costumes do judaísmo.
• Destaque para a circuncisão e o tratamento aos
alimentos sacrificados aos ídolos.
• Paulo apela para o bom senso nas questões
acima.
INTRODUÇÃO
TÓPICO I
A CIRCUNCISÃO
NO ANTIGO TESTAMENTO
1. A circuncisão teve sua origem em Abraão;
2. A circuncisão passou a ser um ritual
obrigatório na Lei de Moisés; e
3. A lei e a circuncisão não libertaram o povo
judeu da escravidão do pecado.
I - A CIRCUNCISÃO
NO ANTIGO TESTAMENTO
• A circuncisão é a remoção do prepúcio (pele que recobre
a glande do órgão sexual masculino).
• Sinal da aliança de Deus com o patriarca Abraão (Gn
12.1-3; 17.2,10-14).
• Todos os seus descendentes, do sexo masculino,
deveriam fazer a circuncisão no oitavo dia de vida.
• A desobediência resultaria na expulsão da comunidade.
• Função em relação à saúde (ambiente nômade).
1. A circuncisão teve sua origem em Abraão
• Iniciada por Abraão, com o tempo passou a ser um
requisito obrigatório na Lei Mosaica (Lv 12.2,3).
• A não observância dessa regra poderia ser punida
com a morte.
• Importância – deveria ser realizada até no sábado,
caso o coincidisse com oitavo dia.
• Paulo destaca a "circuncisão espiritual” - já
ensinado também no AT - “Circuncisão do coração”
= Dt 10.16; 30.6 - Jr 4.4; Jr 9.25).
2. A circuncisão passou a ser um
ritual obrigatório na Lei de Moisés
• Os judeus se achavam superiores aos gentios por
serem herdeiros da promessa feita por Deus a Abraão e
por serem os receptores da Lei.
• O ritual da circuncisão aumentava mais a arrogância e a
hipocrisia.
• Eles buscavam a Deus, mas de maneira equivocada.
• Os rituais e as práticas de purificação e pretensa
santificação não foram suficientes para alcançarem a tão
sonhada justificação.
• A justificação se dá mediante a fé (Gl 3, Rm 4).
3. A lei e a circuncisão não libertaram
o povo judeu da escravidão do pecado
TÓPICO II
A CIRCUNCISÃO E
O CRISTIANISMO
1. O concílio de Jerusalém deliberou a respeito
da questão da circuncisão;
2. Na igreja em Corinto não se deveria fazer
distinção entre circuncisos e incircuncisos (1
Co 7.18); e
3. A verdadeira circuncisão é a do coração.
II - A CIRCUNCISÃO E
O CRISTIANISMO
• A expansão do Evangelho entre os gentios e os
conflitos em relação à circuncisão.
• Assunto tratado no concílio em Jerusalém (At 15.1-29; Gl
2.1-10).
• Práticas universais Vs práticas exclusivas/culturais.
• A decisão foi de que a circuncisão seria observada
somente pelos judeus.
• Todavia, infelizmente o concílio não extinguiu os
conflitos entre os judeus convertidos e os cristãos
gentílicos.
1. O concílio de Jerusalém deliberou
a respeito da questão da circuncisão
• Abraão não foi justificado pelas obras, mas pela fé (Rm
4).
• Paulo afirma que tanto os judeus quanto os cristãos são
descendentes espirituais de Abraão.
• Então, aos coríntios ele orienta:
“Quem está circuncidado, continue circuncidado; quem não está
circuncidado, continue incircunciso”.
• Ele deixa bem claro que a circuncisão é apenas um sinal
externo para os judeus e não implica diretamente a
salvação.
2. Na igreja em Corinto não se deveria fazer
distinção entre circuncisos e incircuncisos (1 Co 7.18)
• Os judeus ensinavam, mas nem eles conseguiam
cumprir a Lei.
• O sinal externo não fazia sentido se as práticas não
condiziam com o que ensinavam.
• A circuncisão do coração somente pode ser realizada
pelo Senhor (Rm 2.25-29).
• Isso não significa que o exterior não é importante, mas
sim que a verdadeira transformação deve acontecer de
dentro para fora.
3. A verdadeira circuncisão é a do coração
TÓPICO III
ALIMENTOS SACRIFICADOS
AOS ÍDOLOS
1. Os "açougues" em Corinto nos dias de Paulo;
2. Comprar carne sacrificada aos ídolos?; e
3. Orientações e conselhos a respeito de
alimentos sacrificados aos ídolos.
III - ALIMENTOS SACRIFICADOS
AOS ÍDOLOS
• Os “açougues” de Corinto vendiam as sobras das carnes
dos animais que eram sacrificados aos ídolos nos
templos pagãos.
• Comprar nesses açougues era uma rotina normal na
cidade, com exceção dos judeus.
• Festas nos pátios dos templos dos ídolos com
participação popular (8.10).
• Para a maioria (escravos), essa era praticamente quase
a única oportunidade de comer carne.
1. Os "açougues" em Corinto nos dias de Paulo
• A compra de carne vendida nos açougue começou a
gerar conflitos entre os cristãos.
• Alguns membros continuaram comprando desses
açougues.
• Alimento sacrificado aos ídolos também foi tratado no
Concílio de Jerusalém (At 15.22-29).
• Para os judeus, quem comia destas carnes estava
cometendo o mesmo pecado de quem fazia os
sacrifícios.
2. Comprar carne sacrificada aos ídolos?
• Paulo traz duas orientações importantes :
1. para os crentes mais maduros, que não acreditavam
em outros deuses além do único Deus Criador -
recomenda que continuem no mesmo procedimento de
sempre: Vá e compre o que tiver no mercado (8.4-6);
e
2. para os crentes mais fracos, que continuavam “no seu
costume para com o ídolo” (v.7) e ficavam com a
consciência contaminada – não comam.
3. Orientações e conselhos a respeito de alimentos
sacrificados aos ídolos
• Porém, o mais importante é o fato de que Paulo
recomenda que a nossa "liberdade não seja de alguma
maneira escândalo para os fracos" (v.9).
• Ele é bem enfático ao afirmar:
"Pelo que, se o manjar escandalizar a meu irmão, nunca mais comerá
carne, para que meu irmão não se escandalize".
• Os crentes maduros deveriam evitar comer a carne
oferecida aos ídolos se isso fosse prejudicar de alguma
forma a fé, a consciência dos irmãos mais fracos.
3. Orientações e conselhos a respeito de alimentos
sacrificados aos ídolos
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
1. Havia vários conflitos entre os judeus convertidos e os
crentes gentios em Corinto.
2. Quanto à circuncisão Paulo é bem claro em suas
orientações: Cada um fique como está, pois a
circuncisão é um ritual externo com significado para os
judeus.
3. Quanto à carne sacrificada aos ídolos ele esclarece
que os ídolos nada são e que só existe um Deus, mas
para evitar conflitos entre os irmãos, não se comesse a
carne sacrificada que era vendida nos mercados da
cidade.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
CONTATOS
Pr. Natalino das Neves
natalinoteologo@gmail.com
(41) 98409 8094
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Natalino das neves; natalino das neves II; e
Pastor Natalino das Neves (página)
@Natalinoneves
natalinodasneves

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Éder Tomé
 
29 joão
29 joão29 joão
29 joão
PIB Penha
 
Timoteo
TimoteoTimoteo
Estudo das alianças bíblicas
Estudo das alianças bíblicasEstudo das alianças bíblicas
Estudo das alianças bíblicas
Estudos Bíblicos
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
Respirando Deus
 
O caminho da vida eterna.
O caminho da vida eterna.O caminho da vida eterna.
O caminho da vida eterna.
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito SantoLição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
Erberson Pinheiro
 
Lição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da ExpiaçãoLição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da Expiação
Éder Tomé
 
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante VigilânciaLição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Éder Tomé
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Éder Tomé
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
Carlos Cirleno Neves
 
O arrebatamento da igreja lição 5
O arrebatamento da igreja   lição 5O arrebatamento da igreja   lição 5
O arrebatamento da igreja lição 5
ANTONIO CORDEIRO DA SILVA - ADORADOR
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Erberson Pinheiro
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
Ednilson do Valle
 
A Formação do Caráter Cristão
A Formação do Caráter CristãoA Formação do Caráter Cristão
A Formação do Caráter Cristão
Márcio Martins
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
Moisés Sampaio
 
LIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃOLIBERTAÇÃO
Lição 12 - A Volta do Exílio e a Preservação do Povo de Israel
Lição 12 - A Volta do Exílio e a Preservação do Povo de IsraelLição 12 - A Volta do Exílio e a Preservação do Povo de Israel
Lição 12 - A Volta do Exílio e a Preservação do Povo de Israel
Éder Tomé
 
Palestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblicaPalestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblica
ADMILTON SOARES
 
A Doutrina de Cristo
A Doutrina de CristoA Doutrina de Cristo
A Doutrina de Cristo
André Luiz Marques
 

Mais procurados (20)

Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
 
29 joão
29 joão29 joão
29 joão
 
Timoteo
TimoteoTimoteo
Timoteo
 
Estudo das alianças bíblicas
Estudo das alianças bíblicasEstudo das alianças bíblicas
Estudo das alianças bíblicas
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
 
O caminho da vida eterna.
O caminho da vida eterna.O caminho da vida eterna.
O caminho da vida eterna.
 
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito SantoLição 5 - A identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A identidade do Espírito Santo
 
Lição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da ExpiaçãoLição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da Expiação
 
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante VigilânciaLição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
Lição 12 – Vivendo em Constante Vigilância
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
 
O arrebatamento da igreja lição 5
O arrebatamento da igreja   lição 5O arrebatamento da igreja   lição 5
O arrebatamento da igreja lição 5
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
 
A Formação do Caráter Cristão
A Formação do Caráter CristãoA Formação do Caráter Cristão
A Formação do Caráter Cristão
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
LIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃOLIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃO
 
Lição 12 - A Volta do Exílio e a Preservação do Povo de Israel
Lição 12 - A Volta do Exílio e a Preservação do Povo de IsraelLição 12 - A Volta do Exílio e a Preservação do Povo de Israel
Lição 12 - A Volta do Exílio e a Preservação do Povo de Israel
 
Palestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblicaPalestra escatologia bíblica
Palestra escatologia bíblica
 
A Doutrina de Cristo
A Doutrina de CristoA Doutrina de Cristo
A Doutrina de Cristo
 

Semelhante a LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)

2021 2º trimestre jovens lição 12
2021 2º trimestre jovens lição 122021 2º trimestre jovens lição 12
2021 2º trimestre jovens lição 12
Joel Silva
 
Juvenis lição 04 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 04 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 04 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 04 - 3° trimestre 2015
Joel Oliveira
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 04
3º trimestre 2015 juvenis lição 043º trimestre 2015 juvenis lição 04
3º trimestre 2015 juvenis lição 04
Joel Silva
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
Joel Silva
 
32 i e ii corintios
32  i e ii corintios32  i e ii corintios
32 i e ii corintios
PIB Penha
 
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidadeLição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Éder Tomé
 
Lição 3 aluno
Lição 3 alunoLição 3 aluno
Lição 3 aluno
Demerval Fernandes
 
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
Natalino das Neves Neves
 
Curso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoCurso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo Bíblico
Pés Descalços
 
pregação: As faces da Espiritualidade
pregação: As faces da Espiritualidadepregação: As faces da Espiritualidade
pregação: As faces da Espiritualidade
AndersonCarlosdaCruz
 
Lição 2 - A Mordomia do Corpo
Lição 2 - A Mordomia do CorpoLição 2 - A Mordomia do Corpo
Lição 2 - A Mordomia do Corpo
Éder Tomé
 
Aula 6 (I Coríntios 14-16).pptx
Aula 6 (I Coríntios 14-16).pptxAula 6 (I Coríntios 14-16).pptx
Aula 6 (I Coríntios 14-16).pptx
Inclusão em LIBRAS
 
Aula 4 gálatas e efésios
Aula 4   gálatas e efésiosAula 4   gálatas e efésios
Aula 4 gálatas e efésios
Pastor W. Costa
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
10 - As indulgencias.pptx
10 - As indulgencias.pptx10 - As indulgencias.pptx
10 - As indulgencias.pptx
PIB Penha - SP
 
142 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_3
142 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_3142 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_3
142 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_3
Robson Tavares Fernandes
 
6 galatas.pptx
6 galatas.pptx6 galatas.pptx
6 galatas.pptx
PIB Penha - SP
 
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Natalino das Neves Neves
 
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
JUERP
 
Veja Especial Papa
Veja Especial PapaVeja Especial Papa
Veja Especial Papa
Direito2012sl08
 

Semelhante a LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8) (20)

2021 2º trimestre jovens lição 12
2021 2º trimestre jovens lição 122021 2º trimestre jovens lição 12
2021 2º trimestre jovens lição 12
 
Juvenis lição 04 - 3° trimestre 2015
Juvenis   lição 04 - 3° trimestre 2015Juvenis   lição 04 - 3° trimestre 2015
Juvenis lição 04 - 3° trimestre 2015
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 04
3º trimestre 2015 juvenis lição 043º trimestre 2015 juvenis lição 04
3º trimestre 2015 juvenis lição 04
 
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03
 
32 i e ii corintios
32  i e ii corintios32  i e ii corintios
32 i e ii corintios
 
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidadeLição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
Lição 7 - Prostituição, a perversão da sexualidade
 
Lição 3 aluno
Lição 3 alunoLição 3 aluno
Lição 3 aluno
 
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
2016 3 TRI LIÇÃO 8 - A EVANGELIZAÇÃO DOS GRUPOS RELIGIOSOS
 
Curso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoCurso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo Bíblico
 
pregação: As faces da Espiritualidade
pregação: As faces da Espiritualidadepregação: As faces da Espiritualidade
pregação: As faces da Espiritualidade
 
Lição 2 - A Mordomia do Corpo
Lição 2 - A Mordomia do CorpoLição 2 - A Mordomia do Corpo
Lição 2 - A Mordomia do Corpo
 
Aula 6 (I Coríntios 14-16).pptx
Aula 6 (I Coríntios 14-16).pptxAula 6 (I Coríntios 14-16).pptx
Aula 6 (I Coríntios 14-16).pptx
 
Aula 4 gálatas e efésios
Aula 4   gálatas e efésiosAula 4   gálatas e efésios
Aula 4 gálatas e efésios
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
 
10 - As indulgencias.pptx
10 - As indulgencias.pptx10 - As indulgencias.pptx
10 - As indulgencias.pptx
 
142 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_3
142 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_3142 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_3
142 estudo panoramico-da_biblia-o_livro_de_1_corintios-parte_3
 
6 galatas.pptx
6 galatas.pptx6 galatas.pptx
6 galatas.pptx
 
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
 
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
 
Veja Especial Papa
Veja Especial PapaVeja Especial Papa
Veja Especial Papa
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
Natalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
Natalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
Natalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Natalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Natalino das Neves Neves
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
Natalino das Neves Neves
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
Natalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
 

Último

6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 

Último (20)

6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 

LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)

  • 3. T E X T O D O D I A "Ora, no tocante às coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que todos temos ciência. A ciência incha, mas o amor edifica."
  • 4. SÍNTESE O que salva o ser humano não são os rituais religiosos, mas a fé no sacrifício vicário de Cristo Jesus.
  • 5. 1 Coríntio 7.18,19 18 É alguém chamado, estando circuncidado? Fique circuncidado. É alguém chamado, estando incircuncidado? Não se circuncide. 19 A circuncisão é nada, e a incircuncisão nada é, mas, sim, a observância dos mandamentos de Deus. Leitura bíblica
  • 6. 1 Coríntios 8.2-5 2 E, se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber. 3 Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele. 4 Assim que, quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo e que não há outro Deus, senão um só. 5 Porque, ainda que haja também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores). Leitura bíblica
  • 8. • Na igreja em Corinto havia alguns judeus convertidos a Jesus Cristo influentes e mantinham ainda regras e costumes do judaísmo. • Destaque para a circuncisão e o tratamento aos alimentos sacrificados aos ídolos. • Paulo apela para o bom senso nas questões acima. INTRODUÇÃO
  • 9. TÓPICO I A CIRCUNCISÃO NO ANTIGO TESTAMENTO
  • 10. 1. A circuncisão teve sua origem em Abraão; 2. A circuncisão passou a ser um ritual obrigatório na Lei de Moisés; e 3. A lei e a circuncisão não libertaram o povo judeu da escravidão do pecado. I - A CIRCUNCISÃO NO ANTIGO TESTAMENTO
  • 11. • A circuncisão é a remoção do prepúcio (pele que recobre a glande do órgão sexual masculino). • Sinal da aliança de Deus com o patriarca Abraão (Gn 12.1-3; 17.2,10-14). • Todos os seus descendentes, do sexo masculino, deveriam fazer a circuncisão no oitavo dia de vida. • A desobediência resultaria na expulsão da comunidade. • Função em relação à saúde (ambiente nômade). 1. A circuncisão teve sua origem em Abraão
  • 12. • Iniciada por Abraão, com o tempo passou a ser um requisito obrigatório na Lei Mosaica (Lv 12.2,3). • A não observância dessa regra poderia ser punida com a morte. • Importância – deveria ser realizada até no sábado, caso o coincidisse com oitavo dia. • Paulo destaca a "circuncisão espiritual” - já ensinado também no AT - “Circuncisão do coração” = Dt 10.16; 30.6 - Jr 4.4; Jr 9.25). 2. A circuncisão passou a ser um ritual obrigatório na Lei de Moisés
  • 13. • Os judeus se achavam superiores aos gentios por serem herdeiros da promessa feita por Deus a Abraão e por serem os receptores da Lei. • O ritual da circuncisão aumentava mais a arrogância e a hipocrisia. • Eles buscavam a Deus, mas de maneira equivocada. • Os rituais e as práticas de purificação e pretensa santificação não foram suficientes para alcançarem a tão sonhada justificação. • A justificação se dá mediante a fé (Gl 3, Rm 4). 3. A lei e a circuncisão não libertaram o povo judeu da escravidão do pecado
  • 14. TÓPICO II A CIRCUNCISÃO E O CRISTIANISMO
  • 15. 1. O concílio de Jerusalém deliberou a respeito da questão da circuncisão; 2. Na igreja em Corinto não se deveria fazer distinção entre circuncisos e incircuncisos (1 Co 7.18); e 3. A verdadeira circuncisão é a do coração. II - A CIRCUNCISÃO E O CRISTIANISMO
  • 16. • A expansão do Evangelho entre os gentios e os conflitos em relação à circuncisão. • Assunto tratado no concílio em Jerusalém (At 15.1-29; Gl 2.1-10). • Práticas universais Vs práticas exclusivas/culturais. • A decisão foi de que a circuncisão seria observada somente pelos judeus. • Todavia, infelizmente o concílio não extinguiu os conflitos entre os judeus convertidos e os cristãos gentílicos. 1. O concílio de Jerusalém deliberou a respeito da questão da circuncisão
  • 17. • Abraão não foi justificado pelas obras, mas pela fé (Rm 4). • Paulo afirma que tanto os judeus quanto os cristãos são descendentes espirituais de Abraão. • Então, aos coríntios ele orienta: “Quem está circuncidado, continue circuncidado; quem não está circuncidado, continue incircunciso”. • Ele deixa bem claro que a circuncisão é apenas um sinal externo para os judeus e não implica diretamente a salvação. 2. Na igreja em Corinto não se deveria fazer distinção entre circuncisos e incircuncisos (1 Co 7.18)
  • 18. • Os judeus ensinavam, mas nem eles conseguiam cumprir a Lei. • O sinal externo não fazia sentido se as práticas não condiziam com o que ensinavam. • A circuncisão do coração somente pode ser realizada pelo Senhor (Rm 2.25-29). • Isso não significa que o exterior não é importante, mas sim que a verdadeira transformação deve acontecer de dentro para fora. 3. A verdadeira circuncisão é a do coração
  • 20. 1. Os "açougues" em Corinto nos dias de Paulo; 2. Comprar carne sacrificada aos ídolos?; e 3. Orientações e conselhos a respeito de alimentos sacrificados aos ídolos. III - ALIMENTOS SACRIFICADOS AOS ÍDOLOS
  • 21. • Os “açougues” de Corinto vendiam as sobras das carnes dos animais que eram sacrificados aos ídolos nos templos pagãos. • Comprar nesses açougues era uma rotina normal na cidade, com exceção dos judeus. • Festas nos pátios dos templos dos ídolos com participação popular (8.10). • Para a maioria (escravos), essa era praticamente quase a única oportunidade de comer carne. 1. Os "açougues" em Corinto nos dias de Paulo
  • 22. • A compra de carne vendida nos açougue começou a gerar conflitos entre os cristãos. • Alguns membros continuaram comprando desses açougues. • Alimento sacrificado aos ídolos também foi tratado no Concílio de Jerusalém (At 15.22-29). • Para os judeus, quem comia destas carnes estava cometendo o mesmo pecado de quem fazia os sacrifícios. 2. Comprar carne sacrificada aos ídolos?
  • 23. • Paulo traz duas orientações importantes : 1. para os crentes mais maduros, que não acreditavam em outros deuses além do único Deus Criador - recomenda que continuem no mesmo procedimento de sempre: Vá e compre o que tiver no mercado (8.4-6); e 2. para os crentes mais fracos, que continuavam “no seu costume para com o ídolo” (v.7) e ficavam com a consciência contaminada – não comam. 3. Orientações e conselhos a respeito de alimentos sacrificados aos ídolos
  • 24. • Porém, o mais importante é o fato de que Paulo recomenda que a nossa "liberdade não seja de alguma maneira escândalo para os fracos" (v.9). • Ele é bem enfático ao afirmar: "Pelo que, se o manjar escandalizar a meu irmão, nunca mais comerá carne, para que meu irmão não se escandalize". • Os crentes maduros deveriam evitar comer a carne oferecida aos ídolos se isso fosse prejudicar de alguma forma a fé, a consciência dos irmãos mais fracos. 3. Orientações e conselhos a respeito de alimentos sacrificados aos ídolos
  • 26. 1. Havia vários conflitos entre os judeus convertidos e os crentes gentios em Corinto. 2. Quanto à circuncisão Paulo é bem claro em suas orientações: Cada um fique como está, pois a circuncisão é um ritual externo com significado para os judeus. 3. Quanto à carne sacrificada aos ídolos ele esclarece que os ídolos nada são e que só existe um Deus, mas para evitar conflitos entre os irmãos, não se comesse a carne sacrificada que era vendida nos mercados da cidade. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 28. CONTATOS Pr. Natalino das Neves natalinoteologo@gmail.com (41) 98409 8094 www.natalinodasneves.blogspot.com.br Natalino das neves; natalino das neves II; e Pastor Natalino das Neves (página) @Natalinoneves natalinodasneves