SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO
1. Considerações preliminares
A Epístola de Efésios, ao contrario de muitas outras cartas.
Não tem o proposito doutrinário, ou problemas pastorais,
litúrgicos ou visa combater heresias.
Ao contrario, Efésios transmite a impressão de um rico
transbordar de revelações divina, brotando da vida de
oração de Paulo. Ele escreveu essa carta quando estava
preso, provavelmente em Roma. Cerca de 62 d.C.
INTRODUÇÃO
2. Propósito
Em oração, Paulo anseia que seus leitores cresçam na fé,
no amor, na sabedoria e nas revelações de Deus.
Almejando que os cristões em Éfeso vivam uma vida digna
do Senhor Jesus Cristo.
Paulo, portanto, procura fortalecer-lhes a fé e os alicerces
espirituais ao revelar a plenitude do propósito eterno de
Deus na redenção em Cristo.
INTRODUÇÃO
3. Visão Panorâmica
Há dois temas fundamentais na Epístola de Efésios:
• Como somos redimidos por Deus;
• Como nós (os redimidos) devemos viver.
INTRODUÇÃO
• Como somos redimidos por Deus:
Os capítulos 1-3 Torna-se um grandioso hino sobre
redenção. Tributando louvores ao Pai pela eleição,
predestinação e adoção que Ele nos propiciou, por nossa
redenção mediante o sangue de Cristo e pelo Espírito,
como selo e garantia da nossa herança.
INTRODUÇÃO
Nesses capítulos. Paulo ressalta que a redenção pela
graça é mediante a fé. Deus nos reconcilia consigo mesmo
e com outros que estão sendo salvos. E em Cristo, nos uni
em um só corpo (a Igreja).
O alvo da redenção é tornar a congregar em Cristo todas
as coisas, tanto as que estão nos céus como as que estão
na terra.
INTRODUÇÃO
• Como nós (os redimidos) devemos viver :
Os capítulos 4-6. Consistem mais em instruções práticas
para a Igreja no tocante aos requisitos que a redenção em
Cristo demanda de nossa vida individual e coletiva. Entre as
35 diretrizes dadas em Efésios, sobre como os redimidos
devem viver, destacam-se três categorias gerais:
INTRODUÇÃO
a) Os crentes são chamados a uma nova vida de pureza e
separação do mundo. São chamados a serem santos e
irrepreensíveis diante de Deus, a andar como é digno da
vocação com que fostes chamados (como varão perfeito),
a viver em verdadeira justiça e santidade, a andar em
amor e a serem santos pela palavra. Afim de que Cristo
tenha uma Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga... Santa
e irrepreensível.
INTRODUÇÃO
b) O crente é chamado a um novo modo de viver nos
relacionamentos familiares e vocacionais. Esses
relacionamentos devem ser regidos por princípios de
conduta que distingam o crente da sociedade descrente à
sua volta.
INTRODUÇÃO
c) Finalmente o crente é chamado a manter-se firme
contra as astutas ciladas do diabo e as terríveis hostes
espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
INTRODUÇÃO
4. Características Especiais
Há quatro características predominantes nesta epístola:
1) A revelação da grande verdade teológica dos capítulos 1-3
é interrompida por duas grandiosas orações. Em sua primeira
oração, Paulo pede para os crentes sabedoria e revelação no
conhecimento de Deus; Em sua segunda oração. Paulo, pede
aos crentes de Éfeso, que tenham mais profundidade com
Deus, para compreender os seus caminhos.
INTRODUÇÃO
2) A carta aos Efésios salienta o propósito e alvo eterno de
Deus para a Igreja;
3) Há um realce multifacetado (possui diferentes ângulos,
faces e lado) do papel do Espírito Santo na vida cristã.
4) Efésios é considerada por muitos uma carta gêmea a de
Colossenses. Por terem seus conteúdos semelhantes e
terem sido escritas quase ao mesmo tempo. E podem ter
sidas levadas simultaneamente ao seu destino por Tíquico.
CAPÍTULO 1
1. Predestinação 3-14
• Deus nos escolheu antes da fundação do mundo;
- Para sermos santos e irrepreensíveis.
• Em amor nos predestinou para Ele;
- Somos adotados por meio de Jesus Cristo.
- Somos redimidos de nossos pecados pelo
sangue de Cristo através da rica graça de Deus.
CAPÍTULO 1
1. Predestinação 3-14
• Deus derramou sua sabedoria sobre nós:
- Para fazer conhecer os mistérios da salvação
em Cristo.
- Fazer convergir todas as coisas. Tanto no céu
quanto na terra, em Jesus Cristo.
- Para sermos sua herança. Predestinados
segundo o seu propósito.
CAPÍTULO 1
1. Predestinação 3-14
• O Santo Espírito da Promessa:
- Somos selados através do conhecimento da sua
palavra.
- O Espírito da promessa. Torna-se o penhor de
nossa salvação até o resgate da Sua propriedade.
CAPÍTULO 1
2. Primeira oração de Paulo 15-23
Características:
• Elogia a fé em Cristo e o amor entre os cristãos.
• Intercede à Deus para que derrame sabedoria e
revelação do pleno conhecimento de Deus.
• E iluminar os “olhos do coração” para saber qual
seja o chamado de Cristo.
CAPÍTULO 2
1. Da morte para a vida. A salvação pela graça 1-10
• “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos
delitos e pecados, nos quais andastes outrora,
segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe
da potestade do ar, do espírito que agora atua nos
filhos da desobediência.;” (v.1)
• Deus por sua infinita misericórdia nos salva pela
graça por meio do sacrifício de Jesus Cristo.
CAPÍTULO 2
• “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e
isso não vem de vós; é dom de Deus; não de obras
para que ninguém se glorie.” (v.8)
CAPÍTULO 2
2. Cristo uni a todos os povos mediante a cruz 11-22
• Os gentios são chamados por meio de Cristo a
participar do reino de Deus.
• Fomos aproximados através do sangue de Jesus.
• Cristo aboliu em sua carne, os mandamentos em
forma de ordenança para que tanto gentio quanto
judeu pudessem ser renascidos em um novo
homem e se reconciliasse com Deus.
CAPÍTULO 2
• Assim não somos mais estrangeiros. E sim
concidadãos e herdeiros de Deus.
• Somos edificados sobre os fundamentos dos
profetas e apóstolos, sendo Cristo a pedra angular.
• Todo o edifício bem ajustado, cresce para santuário
de Deus.
CAPÍTULO 3
1. Apostolado de Paulo e vocação dos gentios 1-13
• Paulo se tornou prisioneiro por amor a palavra de
Cristo e se considerava prisioneiro de Cristo por
amor as pessoas.
• O ministério evangelístico de Paulo foi dado através
de revelação. No qual, este ministério, não foi dado
a conhecer em outras épocas.
CAPÍTULO 3
• Paulo se considerava o menos de todos os
apóstolos. E recebeu de Deus a graça de pregar
entre os gentios e revelar a multiforme sabedoria
de Deus, revelando a vontade de Deus, escondida
através dos séculos.
CAPÍTULO 3
2. Segunda oração de Paulo 14-21
• Paulo Intercede para que para que o povo
conheça a plenitude de Deus.
• Para serem fortalecidos mediante o Espírito.
• Para que Cristo habite no coração, pela fé,
estando alicerçados no amor.
• Afim de compreender a largura, comprimento,
altura e profundidade do poder de Deus.
CAPÍTULO 3
• Conhecer o amor de Deus que excede todo
entendimento, para que sejam tomados de toda
plenitude de Deus.
• Pois Deus é capaz de fazer muito além do que
pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que
opera em nós.
CAPÍTULO 4
1. A unidade da fé (1-6)
• Temos que andar de forma digna, na vocação que
fomos chamados .
• Com humildade, mansidão, longanimidade,
suportando uns aos outros em amor.
• Esforçando para preservar a unidade do Espírito no
vinculo da paz.
• Pois há um só Deus, uma só fé e um só batismo.
CAPÍTULO 4
2. O santo ministério e os serviços dos cristãos (7-16)
• A graça foi concedida a cada um segundo a proporção
do dom de Cristo.
• Deus concedeu uns para apóstolos, outros para profetas,
outros para evangelistas, e outros para pastores e
mestres.
• Com vista no aperfeiçoamento do cristão, para
desempenho em seu serviço. Para edificação do corpo
de Cristo, ou seja a IGREJA.
CAPÍTULO 4
• Para que todos cheguem à unidade da fé e a
plenitude de Cristo.
• E deixemos de ser meninos agitados, de uma lado
para o outro com qualquer vento de doutrina.
• Devemos crescer a cada dia em Cristo, que é o
cabeça.
CAPÍTULO 4
3. A busca pela santidade. Separação do mundo (17-24)
• Não devemos andar como os gentios. Na vaidade de
seus próprios pensamentos.
- Com os olhos obscuros as coisas de Deus.
- Tomado pela ignorância e dureza de coração.
- Insensíveis e ávidos para cometerem toda sorte
de pecado.
CAPÍTULO 4
• Se te fato ouvimos e fomos instruídos, segundo a
verdade de Cristo:
- Devemos despojar do velho homem que se
corrompe segundo as concupiscências do engano.
- Renovar no espírito de nosso entendimento.
- Revestir do novo homem, criado segundo a
vontade de Deus, em justiça e retidão procedentes da
verdade.
CAPÍTULO 4
4. Exortação à santidade (25-32 / 5:1-2)
• Devemos deixar a mentira e falar a verdade.
• Podemos irar, mas não pecar contra o nosso irmão.
• Não devemos dar lugar ao diabo.
• Aquele que furtava, não furte mais. Antes trabalhe
e ajude a quem precisa.
• Não sai da vossa boca palavras torpe. E sim
palavras boas, para edificação e salvação.
CAPÍTULO 4
• Não entristeças o Espírito Santo. O qual, nos foi
selados para a redenção.
• Longe de nós, toda amargura, cólera, ira, gritaria,
blasfêmia, e toda a malicia.
CAPÍTULO 4
• Antes, devemos ser benignos, compassivos. E
devemos perdoar uns aos outros, assim como Deus
em Cristo nos perdoou.
• Devemos imitar a Deus, como filhos amados.
• Andar em amor. Assim como Cristo nos amou
devemos amar também.
CAPÍTULO 5
1. O fruto da luz e as obras das trevas (3-21)
O capítulo 5 se inicia trazendo uma visão de dois
estilos de vida, totalmente diferentes. Um é bom e
agradável a Deus, e outro que só traz destruição:
- Obras das trevas:
• Imoralidade ou desonestidade, impurezas e cobiças
nem se quer devem ser falada entre nós;
CAPÍTULO 5
• Conversas torpes, zombarias, arrogância e
desrespeito ou coisas inconvenientes;
• Incontinentes, impuros, avarentos e idólatras. Não
tem herança no reino de Deus;
• Não podemos ser enganados com palavras vãs. Pois
a ira de Deus virá sobre os filhos da desobediência;
CAPÍTULO 5
• No passado estávamos nas trevas, mas agora
estamos com Cristo por isso devemos ser
totalmente diferentes dos aspectos deste mundo. E
devemos andar como filhos da luz;
• Não podemos ser cúmplices nas obras infrutíferas
das trevas. Devemos reprovar tudo o que não é
lícito ao Senhor;
CAPÍTULO 5
• “Desperta tu que dormes, levanta-te de entre os
mortos, e Cristo te iluminara”.
• Seja prudente em examinar a si mesmo e não seja
néscio;
• Não sejamos insensatos, devemos procurar
compreender qual a vontade do Senhor;
• Não se embriague com o vinho, mas se encha com
o Espírito Santo;
CAPÍTULO 5
- Frutos da Luz:
• O fruto da luz consiste em toda a bondade, justiça
e verdade;
• Devemos sempre louvar ao Senhor de todo coração,
dando graças em tudo. Com louvores e hinos
espirituais;
• Ajudando uns aos outros no temor de Cristo.
CAPÍTULO 5
2. O lar cristão: Marido e Mulher (22-33)
• “As mulheres devem ser submissas ao seu próprio
marido, como ao Senhor. Porque o marido é o
cabeça da mulher, como Cristo é o cabeça da
Igreja”;
• “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo
amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela,
para que a santificasse”.
CAPÍTULO 5
• Cada um deve fazer a sua parte: A mulher seja
submissa ao marido. E o marido ame e proteja a
sua esposa.
CAPÍTULO 6
1. O lar cristão: Pais e filhos (1-4)
• Filhos: obedecei a seu pai e sua mãe. Pois essa é a
vontade do Senhor. Sendo esse o primeiro
mandamento com promessa. Para que tudo vá bem
e seja longa a sua vida na terra;
• Pais: Não provoque a ira de seus filhos. Antes,
ensine no caminho do Senhor.
CAPÍTULO 6
2. O lar cristão: Servos e senhores (5-9)
• Servos: Obedeça ao seu senhor, como se
estivessem obedecendo a Cristo. Não somente em
sua presença, mas em tudo tempo. Sempre de boa
vontade, como se fosse para agradar a Cristo, pois
a recompensa vem de Deus;
CAPÍTULO 6
2. O lar cristão: Servos e senhores (5-9)
• Senhores: Trate bem seus servos, sem ameaças ou
insultos. Pois Deus é Senhor de todos e não faz
acepção de pessoas.
CAPÍTULO 6
3. Armadura de Deus (10-20)
“Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne
e sim contra os principados e potestades, contra os
dominadores deste mundo tenebroso, contra as
forças espirituais do mal, nas regiões celestes”.
CAPÍTULO 6
“portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que
possais resistir no dia mau e, depois de terdes
vencido tudo, permanecer inabaláveis”.
• Couraça da Justiça;
• Sandálias do Evangelho da Paz;
• Escudo da Fé;
• Capacete da Salvação;
• Espada do Espírito.
CAPÍTULO 6
“com toda oração e súplica, orando em todo tempo
no Espírito e para isso vigiando com toda
perseverança e súplica por todos os santos”.
CAPÍTULO 6
4. Considerações finais (21-24)
• Paulo termina sua carta pedindo orações para que
ele possa continuar pregando a palavra de Deus
com ousadia. Mesmo estando preso.
• Paulo ainda faz menção de Tíquico, um irmão em
Cristo que o ajudava em seu ministério.
• A epístola finaliza com a “Benção apostólica”;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1. período interbíblico
1. período interbíblico1. período interbíblico
1. período interbíblico
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
CARTA AOS GÁLATAS
CARTA AOS GÁLATASCARTA AOS GÁLATAS
CARTA AOS GÁLATAS
Cesar Oliveira
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da Salvação
RODRIGO FERREIRA
 
Introdução Bíblica - atualizado
Introdução Bíblica - atualizadoIntrodução Bíblica - atualizado
Introdução Bíblica - atualizado
Viva a Igreja
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
Moisés Sampaio
 
A Doutrina de Cristo
A Doutrina de CristoA Doutrina de Cristo
A Doutrina de Cristo
André Luiz Marques
 
Estudos os evangelhos
Estudos os evangelhosEstudos os evangelhos
Estudos os evangelhos
André Rocha
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
Romulo Roosemberg
 
antropologia teológica
antropologia teológicaantropologia teológica
antropologia teológica
RODRIGO FERREIRA
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
Respirando Deus
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
Pastor W. Costa
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
Filipe
 
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Como interpretar a Bíblia 1
Como interpretar a Bíblia 1Como interpretar a Bíblia 1
Como interpretar a Bíblia 1
Viva a Igreja
 
Atos
AtosAtos
Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
Luciana Lisboa
 
Lição 3 - Melquisedeque, o Rei de Justiça
Lição 3 - Melquisedeque, o Rei de JustiçaLição 3 - Melquisedeque, o Rei de Justiça
Lição 3 - Melquisedeque, o Rei de Justiça
Éder Tomé
 
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebdRevista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Hamilton Souza
 

Mais procurados (20)

1. período interbíblico
1. período interbíblico1. período interbíblico
1. período interbíblico
 
CARTA AOS GÁLATAS
CARTA AOS GÁLATASCARTA AOS GÁLATAS
CARTA AOS GÁLATAS
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da Salvação
 
Introdução Bíblica - atualizado
Introdução Bíblica - atualizadoIntrodução Bíblica - atualizado
Introdução Bíblica - atualizado
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
 
A Doutrina de Cristo
A Doutrina de CristoA Doutrina de Cristo
A Doutrina de Cristo
 
Estudos os evangelhos
Estudos os evangelhosEstudos os evangelhos
Estudos os evangelhos
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
antropologia teológica
antropologia teológicaantropologia teológica
antropologia teológica
 
Panorama do NT - Mateus
Panorama do NT - MateusPanorama do NT - Mateus
Panorama do NT - Mateus
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
 
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
O pecado e suas consequencias parte 1-22.02.2015
 
Como interpretar a Bíblia 1
Como interpretar a Bíblia 1Como interpretar a Bíblia 1
Como interpretar a Bíblia 1
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
 
Lição 3 - Melquisedeque, o Rei de Justiça
Lição 3 - Melquisedeque, o Rei de JustiçaLição 3 - Melquisedeque, o Rei de Justiça
Lição 3 - Melquisedeque, o Rei de Justiça
 
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebdRevista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
Revista COMPLETA adultos 4° trimestre 2017 ebd
 

Semelhante a Epistola de efeso

E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
Joel Silva
 
Lição 6 a igreja e a obra missionária
Lição 6 a igreja e a obra missionáriaLição 6 a igreja e a obra missionária
Lição 6 a igreja e a obra missionária
Adriana Cunha
 
2016 2º trimestre adultos lição 09.pptx
2016 2º trimestre adultos lição 09.pptx2016 2º trimestre adultos lição 09.pptx
2016 2º trimestre adultos lição 09.pptx
Joel Silva
 
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e IntegridadeLição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Éder Tomé
 
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 09
Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 09Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 09
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 09
Joel Silva
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
Natalino das Neves Neves
 
Em que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianosEm que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianos
IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA DE RICHMOND, CA
 
Em que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianosEm que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianos
IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA DE RICHMOND, CA
 
Lição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanosLição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanos
Ailton da Silva
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
Ricardo Gondim
 
Servos comprometidos integralmente.
Servos comprometidos integralmente.Servos comprometidos integralmente.
Servos comprometidos integralmente.
AdSede Assis
 
Servos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmenteServos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmente
AdSede Assis
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
boasnovassena
 
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos JovensA alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
Francelia Carvalho Oliveira
 
Licao 3 2 trim - 2020 eleicao e predestinacao
Licao 3   2 trim - 2020 eleicao e predestinacaoLicao 3   2 trim - 2020 eleicao e predestinacao
Licao 3 2 trim - 2020 eleicao e predestinacao
Vilma Longuini
 
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno LageO que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
Igreja Presbiteriana Renovada de Castelo Branco
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Quenia Damata
 
A fé
A féA fé
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos JovensO fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
Francelia Carvalho Oliveira
 

Semelhante a Epistola de efeso (20)

E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
 
Lição 6 a igreja e a obra missionária
Lição 6 a igreja e a obra missionáriaLição 6 a igreja e a obra missionária
Lição 6 a igreja e a obra missionária
 
2016 2º trimestre adultos lição 09.pptx
2016 2º trimestre adultos lição 09.pptx2016 2º trimestre adultos lição 09.pptx
2016 2º trimestre adultos lição 09.pptx
 
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e IntegridadeLição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
 
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 09
Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 09Ebd adultos   2ºtrimestre 2016 - lição 09
Ebd adultos 2ºtrimestre 2016 - lição 09
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
 
Em que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianosEm que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianos
 
Em que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianosEm que creem os presbiterianos
Em que creem os presbiterianos
 
Lição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanosLição 1 - A epístola aos romanos
Lição 1 - A epístola aos romanos
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
 
Servos comprometidos integralmente.
Servos comprometidos integralmente.Servos comprometidos integralmente.
Servos comprometidos integralmente.
 
Servos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmenteServos comprometidos integralmente
Servos comprometidos integralmente
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
 
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos JovensA alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
 
Licao 3 2 trim - 2020 eleicao e predestinacao
Licao 3   2 trim - 2020 eleicao e predestinacaoLicao 3   2 trim - 2020 eleicao e predestinacao
Licao 3 2 trim - 2020 eleicao e predestinacao
 
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno LageO que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
 
A fé
A féA fé
A fé
 
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos JovensO fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
 

Mais de Junior Miranda

Lição 3 – a salvação e o advento do salvador
Lição 3 – a salvação e o advento do salvadorLição 3 – a salvação e o advento do salvador
Lição 3 – a salvação e o advento do salvador
Junior Miranda
 
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Lição 2  a salvação na páscoa judaicaLição 2  a salvação na páscoa judaica
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Junior Miranda
 
Lição 3 o problema da fome no mundo contemporâneo
Lição 3  o problema da fome no mundo contemporâneoLição 3  o problema da fome no mundo contemporâneo
Lição 3 o problema da fome no mundo contemporâneo
Junior Miranda
 
07 Laodiceia
07 Laodiceia07 Laodiceia
07 Laodiceia
Junior Miranda
 
06 filadelfia
06 filadelfia06 filadelfia
06 filadelfia
Junior Miranda
 
05 Sardes
05 Sardes05 Sardes
05 Sardes
Junior Miranda
 
03 Pérgamo
03 Pérgamo03 Pérgamo
03 Pérgamo
Junior Miranda
 
02 Esmirna
02 Esmirna02 Esmirna
02 Esmirna
Junior Miranda
 
01 Éfeso
01 Éfeso01 Éfeso
01 Éfeso
Junior Miranda
 
04 Tiatira
04 Tiatira04 Tiatira
04 Tiatira
Junior Miranda
 

Mais de Junior Miranda (10)

Lição 3 – a salvação e o advento do salvador
Lição 3 – a salvação e o advento do salvadorLição 3 – a salvação e o advento do salvador
Lição 3 – a salvação e o advento do salvador
 
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Lição 2  a salvação na páscoa judaicaLição 2  a salvação na páscoa judaica
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
 
Lição 3 o problema da fome no mundo contemporâneo
Lição 3  o problema da fome no mundo contemporâneoLição 3  o problema da fome no mundo contemporâneo
Lição 3 o problema da fome no mundo contemporâneo
 
07 Laodiceia
07 Laodiceia07 Laodiceia
07 Laodiceia
 
06 filadelfia
06 filadelfia06 filadelfia
06 filadelfia
 
05 Sardes
05 Sardes05 Sardes
05 Sardes
 
03 Pérgamo
03 Pérgamo03 Pérgamo
03 Pérgamo
 
02 Esmirna
02 Esmirna02 Esmirna
02 Esmirna
 
01 Éfeso
01 Éfeso01 Éfeso
01 Éfeso
 
04 Tiatira
04 Tiatira04 Tiatira
04 Tiatira
 

Último

Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
JaquelineSantosBasto
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
André Luiz Marques
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
A Verdade Sôbre As Profecias Do Apocalipse.pdf
A Verdade Sôbre As Profecias Do Apocalipse.pdfA Verdade Sôbre As Profecias Do Apocalipse.pdf
A Verdade Sôbre As Profecias Do Apocalipse.pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
REFORMADOR PROTESTANTE
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
Nilson Almeida
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 

Último (14)

Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
A Verdade Sôbre As Profecias Do Apocalipse.pdf
A Verdade Sôbre As Profecias Do Apocalipse.pdfA Verdade Sôbre As Profecias Do Apocalipse.pdf
A Verdade Sôbre As Profecias Do Apocalipse.pdf
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 

Epistola de efeso

  • 1.
  • 2. INTRODUÇÃO 1. Considerações preliminares A Epístola de Efésios, ao contrario de muitas outras cartas. Não tem o proposito doutrinário, ou problemas pastorais, litúrgicos ou visa combater heresias. Ao contrario, Efésios transmite a impressão de um rico transbordar de revelações divina, brotando da vida de oração de Paulo. Ele escreveu essa carta quando estava preso, provavelmente em Roma. Cerca de 62 d.C.
  • 3. INTRODUÇÃO 2. Propósito Em oração, Paulo anseia que seus leitores cresçam na fé, no amor, na sabedoria e nas revelações de Deus. Almejando que os cristões em Éfeso vivam uma vida digna do Senhor Jesus Cristo. Paulo, portanto, procura fortalecer-lhes a fé e os alicerces espirituais ao revelar a plenitude do propósito eterno de Deus na redenção em Cristo.
  • 4. INTRODUÇÃO 3. Visão Panorâmica Há dois temas fundamentais na Epístola de Efésios: • Como somos redimidos por Deus; • Como nós (os redimidos) devemos viver.
  • 5. INTRODUÇÃO • Como somos redimidos por Deus: Os capítulos 1-3 Torna-se um grandioso hino sobre redenção. Tributando louvores ao Pai pela eleição, predestinação e adoção que Ele nos propiciou, por nossa redenção mediante o sangue de Cristo e pelo Espírito, como selo e garantia da nossa herança.
  • 6. INTRODUÇÃO Nesses capítulos. Paulo ressalta que a redenção pela graça é mediante a fé. Deus nos reconcilia consigo mesmo e com outros que estão sendo salvos. E em Cristo, nos uni em um só corpo (a Igreja). O alvo da redenção é tornar a congregar em Cristo todas as coisas, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra.
  • 7. INTRODUÇÃO • Como nós (os redimidos) devemos viver : Os capítulos 4-6. Consistem mais em instruções práticas para a Igreja no tocante aos requisitos que a redenção em Cristo demanda de nossa vida individual e coletiva. Entre as 35 diretrizes dadas em Efésios, sobre como os redimidos devem viver, destacam-se três categorias gerais:
  • 8. INTRODUÇÃO a) Os crentes são chamados a uma nova vida de pureza e separação do mundo. São chamados a serem santos e irrepreensíveis diante de Deus, a andar como é digno da vocação com que fostes chamados (como varão perfeito), a viver em verdadeira justiça e santidade, a andar em amor e a serem santos pela palavra. Afim de que Cristo tenha uma Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga... Santa e irrepreensível.
  • 9. INTRODUÇÃO b) O crente é chamado a um novo modo de viver nos relacionamentos familiares e vocacionais. Esses relacionamentos devem ser regidos por princípios de conduta que distingam o crente da sociedade descrente à sua volta.
  • 10. INTRODUÇÃO c) Finalmente o crente é chamado a manter-se firme contra as astutas ciladas do diabo e as terríveis hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
  • 11. INTRODUÇÃO 4. Características Especiais Há quatro características predominantes nesta epístola: 1) A revelação da grande verdade teológica dos capítulos 1-3 é interrompida por duas grandiosas orações. Em sua primeira oração, Paulo pede para os crentes sabedoria e revelação no conhecimento de Deus; Em sua segunda oração. Paulo, pede aos crentes de Éfeso, que tenham mais profundidade com Deus, para compreender os seus caminhos.
  • 12. INTRODUÇÃO 2) A carta aos Efésios salienta o propósito e alvo eterno de Deus para a Igreja; 3) Há um realce multifacetado (possui diferentes ângulos, faces e lado) do papel do Espírito Santo na vida cristã. 4) Efésios é considerada por muitos uma carta gêmea a de Colossenses. Por terem seus conteúdos semelhantes e terem sido escritas quase ao mesmo tempo. E podem ter sidas levadas simultaneamente ao seu destino por Tíquico.
  • 13. CAPÍTULO 1 1. Predestinação 3-14 • Deus nos escolheu antes da fundação do mundo; - Para sermos santos e irrepreensíveis. • Em amor nos predestinou para Ele; - Somos adotados por meio de Jesus Cristo. - Somos redimidos de nossos pecados pelo sangue de Cristo através da rica graça de Deus.
  • 14. CAPÍTULO 1 1. Predestinação 3-14 • Deus derramou sua sabedoria sobre nós: - Para fazer conhecer os mistérios da salvação em Cristo. - Fazer convergir todas as coisas. Tanto no céu quanto na terra, em Jesus Cristo. - Para sermos sua herança. Predestinados segundo o seu propósito.
  • 15. CAPÍTULO 1 1. Predestinação 3-14 • O Santo Espírito da Promessa: - Somos selados através do conhecimento da sua palavra. - O Espírito da promessa. Torna-se o penhor de nossa salvação até o resgate da Sua propriedade.
  • 16. CAPÍTULO 1 2. Primeira oração de Paulo 15-23 Características: • Elogia a fé em Cristo e o amor entre os cristãos. • Intercede à Deus para que derrame sabedoria e revelação do pleno conhecimento de Deus. • E iluminar os “olhos do coração” para saber qual seja o chamado de Cristo.
  • 17. CAPÍTULO 2 1. Da morte para a vida. A salvação pela graça 1-10 • “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência.;” (v.1) • Deus por sua infinita misericórdia nos salva pela graça por meio do sacrifício de Jesus Cristo.
  • 18. CAPÍTULO 2 • “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus; não de obras para que ninguém se glorie.” (v.8)
  • 19. CAPÍTULO 2 2. Cristo uni a todos os povos mediante a cruz 11-22 • Os gentios são chamados por meio de Cristo a participar do reino de Deus. • Fomos aproximados através do sangue de Jesus. • Cristo aboliu em sua carne, os mandamentos em forma de ordenança para que tanto gentio quanto judeu pudessem ser renascidos em um novo homem e se reconciliasse com Deus.
  • 20. CAPÍTULO 2 • Assim não somos mais estrangeiros. E sim concidadãos e herdeiros de Deus. • Somos edificados sobre os fundamentos dos profetas e apóstolos, sendo Cristo a pedra angular. • Todo o edifício bem ajustado, cresce para santuário de Deus.
  • 21. CAPÍTULO 3 1. Apostolado de Paulo e vocação dos gentios 1-13 • Paulo se tornou prisioneiro por amor a palavra de Cristo e se considerava prisioneiro de Cristo por amor as pessoas. • O ministério evangelístico de Paulo foi dado através de revelação. No qual, este ministério, não foi dado a conhecer em outras épocas.
  • 22. CAPÍTULO 3 • Paulo se considerava o menos de todos os apóstolos. E recebeu de Deus a graça de pregar entre os gentios e revelar a multiforme sabedoria de Deus, revelando a vontade de Deus, escondida através dos séculos.
  • 23. CAPÍTULO 3 2. Segunda oração de Paulo 14-21 • Paulo Intercede para que para que o povo conheça a plenitude de Deus. • Para serem fortalecidos mediante o Espírito. • Para que Cristo habite no coração, pela fé, estando alicerçados no amor. • Afim de compreender a largura, comprimento, altura e profundidade do poder de Deus.
  • 24. CAPÍTULO 3 • Conhecer o amor de Deus que excede todo entendimento, para que sejam tomados de toda plenitude de Deus. • Pois Deus é capaz de fazer muito além do que pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós.
  • 25. CAPÍTULO 4 1. A unidade da fé (1-6) • Temos que andar de forma digna, na vocação que fomos chamados . • Com humildade, mansidão, longanimidade, suportando uns aos outros em amor. • Esforçando para preservar a unidade do Espírito no vinculo da paz. • Pois há um só Deus, uma só fé e um só batismo.
  • 26. CAPÍTULO 4 2. O santo ministério e os serviços dos cristãos (7-16) • A graça foi concedida a cada um segundo a proporção do dom de Cristo. • Deus concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres. • Com vista no aperfeiçoamento do cristão, para desempenho em seu serviço. Para edificação do corpo de Cristo, ou seja a IGREJA.
  • 27. CAPÍTULO 4 • Para que todos cheguem à unidade da fé e a plenitude de Cristo. • E deixemos de ser meninos agitados, de uma lado para o outro com qualquer vento de doutrina. • Devemos crescer a cada dia em Cristo, que é o cabeça.
  • 28. CAPÍTULO 4 3. A busca pela santidade. Separação do mundo (17-24) • Não devemos andar como os gentios. Na vaidade de seus próprios pensamentos. - Com os olhos obscuros as coisas de Deus. - Tomado pela ignorância e dureza de coração. - Insensíveis e ávidos para cometerem toda sorte de pecado.
  • 29. CAPÍTULO 4 • Se te fato ouvimos e fomos instruídos, segundo a verdade de Cristo: - Devemos despojar do velho homem que se corrompe segundo as concupiscências do engano. - Renovar no espírito de nosso entendimento. - Revestir do novo homem, criado segundo a vontade de Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.
  • 30. CAPÍTULO 4 4. Exortação à santidade (25-32 / 5:1-2) • Devemos deixar a mentira e falar a verdade. • Podemos irar, mas não pecar contra o nosso irmão. • Não devemos dar lugar ao diabo. • Aquele que furtava, não furte mais. Antes trabalhe e ajude a quem precisa. • Não sai da vossa boca palavras torpe. E sim palavras boas, para edificação e salvação.
  • 31. CAPÍTULO 4 • Não entristeças o Espírito Santo. O qual, nos foi selados para a redenção. • Longe de nós, toda amargura, cólera, ira, gritaria, blasfêmia, e toda a malicia.
  • 32. CAPÍTULO 4 • Antes, devemos ser benignos, compassivos. E devemos perdoar uns aos outros, assim como Deus em Cristo nos perdoou. • Devemos imitar a Deus, como filhos amados. • Andar em amor. Assim como Cristo nos amou devemos amar também.
  • 33. CAPÍTULO 5 1. O fruto da luz e as obras das trevas (3-21) O capítulo 5 se inicia trazendo uma visão de dois estilos de vida, totalmente diferentes. Um é bom e agradável a Deus, e outro que só traz destruição: - Obras das trevas: • Imoralidade ou desonestidade, impurezas e cobiças nem se quer devem ser falada entre nós;
  • 34. CAPÍTULO 5 • Conversas torpes, zombarias, arrogância e desrespeito ou coisas inconvenientes; • Incontinentes, impuros, avarentos e idólatras. Não tem herança no reino de Deus; • Não podemos ser enganados com palavras vãs. Pois a ira de Deus virá sobre os filhos da desobediência;
  • 35. CAPÍTULO 5 • No passado estávamos nas trevas, mas agora estamos com Cristo por isso devemos ser totalmente diferentes dos aspectos deste mundo. E devemos andar como filhos da luz; • Não podemos ser cúmplices nas obras infrutíferas das trevas. Devemos reprovar tudo o que não é lícito ao Senhor;
  • 36. CAPÍTULO 5 • “Desperta tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminara”. • Seja prudente em examinar a si mesmo e não seja néscio; • Não sejamos insensatos, devemos procurar compreender qual a vontade do Senhor; • Não se embriague com o vinho, mas se encha com o Espírito Santo;
  • 37. CAPÍTULO 5 - Frutos da Luz: • O fruto da luz consiste em toda a bondade, justiça e verdade; • Devemos sempre louvar ao Senhor de todo coração, dando graças em tudo. Com louvores e hinos espirituais; • Ajudando uns aos outros no temor de Cristo.
  • 38. CAPÍTULO 5 2. O lar cristão: Marido e Mulher (22-33) • “As mulheres devem ser submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor. Porque o marido é o cabeça da mulher, como Cristo é o cabeça da Igreja”; • “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a Igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse”.
  • 39. CAPÍTULO 5 • Cada um deve fazer a sua parte: A mulher seja submissa ao marido. E o marido ame e proteja a sua esposa.
  • 40. CAPÍTULO 6 1. O lar cristão: Pais e filhos (1-4) • Filhos: obedecei a seu pai e sua mãe. Pois essa é a vontade do Senhor. Sendo esse o primeiro mandamento com promessa. Para que tudo vá bem e seja longa a sua vida na terra; • Pais: Não provoque a ira de seus filhos. Antes, ensine no caminho do Senhor.
  • 41. CAPÍTULO 6 2. O lar cristão: Servos e senhores (5-9) • Servos: Obedeça ao seu senhor, como se estivessem obedecendo a Cristo. Não somente em sua presença, mas em tudo tempo. Sempre de boa vontade, como se fosse para agradar a Cristo, pois a recompensa vem de Deus;
  • 42. CAPÍTULO 6 2. O lar cristão: Servos e senhores (5-9) • Senhores: Trate bem seus servos, sem ameaças ou insultos. Pois Deus é Senhor de todos e não faz acepção de pessoas.
  • 43. CAPÍTULO 6 3. Armadura de Deus (10-20) “Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”.
  • 44. CAPÍTULO 6 “portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis”. • Couraça da Justiça; • Sandálias do Evangelho da Paz; • Escudo da Fé; • Capacete da Salvação; • Espada do Espírito.
  • 45.
  • 46. CAPÍTULO 6 “com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isso vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos”.
  • 47. CAPÍTULO 6 4. Considerações finais (21-24) • Paulo termina sua carta pedindo orações para que ele possa continuar pregando a palavra de Deus com ousadia. Mesmo estando preso. • Paulo ainda faz menção de Tíquico, um irmão em Cristo que o ajudava em seu ministério. • A epístola finaliza com a “Benção apostólica”;