SlideShare uma empresa Scribd logo
PLATELMINTOS E NEMATELMIN TOS
PLATELMINTOS    Os platelmintos são animais que possuem o corpo alongado e achatado, com aspectos de fita . São conhecidos por'' vermes chatos'', ( plati = chato,   helmintos  =vermes).
São indivíduos de vida livre ou parasitas. Podem reproduzir-se sexuada e assexuadamente. Frequentemente são hermafroditas.  São desprovidos de aparelhos circulatório e respiratório. O aparelho digestivo quando existente é desprovido de ânus.
Planária As planá rias vivem em água  doce. Sã o inofensivas ao homem, mas são carnívoras e se alimentam de pequenos invertebrados, como crustáceos e insetos. Podem comer também animais mortos. As planárias são fotofóbicas, ou seja, possuem aversão à luz e, por isso preferem viver em locais sombreados.
 
Reprodução Assexuada
Reprodução Sexuada
Tênia solium A  Tênia solium  adulta vive no intestino delgado do homem e tem como uma das características distintivas da  Tênia saginata , a presença de uma dupla coroa de ganchos, armada sobre o rostelo, que auxilia na fixação do helminto à mucosa intestinal.
O homem que possui teníase ou solitária, como também é chamada a doença causada pela presença desse animal no intestino, libera cerca de 40.000 ovos fecundados por anel eliminado nas fezes.
 
Ao ingerir ovos da tênia em vez de cisticercos, o homem passa a ser hospedeiro intermediário. Quando os ovos sofrem maturação e se tornam cisticerco no organismo humano, podem causar deficiência visual, fraqueza muscular e/ou epilepsia, dependendo do local onde se alojam. Essa doença é chamada cisticercose e é mais grave que a teníase. O tratamento normalmente é feito com Mebendazol administrado durante 3 dias.
Tênia saginata Há também a  Taenia saginata , cujos hospedeiros intermediários são os bovinos, que se infectam através da ingestão dos ovos desse parasita, eliminados nas fezes do homem. No caso da  Taenia saginata  o homem pode ser apenas hospedeiro definitivo, diferente do que ocorre com a  Taenia solium . As proglótides são eliminadas individualmente e fora das evacuações, forçando o esfíncter anal do portador. Esta espécie está disseminada mundialmente e o número de portadores humanos está estimado entre 40 e 60 milhões.  T. saginata  pode atingir até 12m de comprimento (comprimento do intestino humano).
E squistossomo O  esquistossomo  ou  chistossoma  é um platelminto causador da esquistossomose, uma verminose bastante perigosa e comum em áreas com saneamento precário. A fêmea mede cerca de 1,5 cm de comprimento e o macho cerca de 1 cm. O macho possui um canal onde a fêmea se abriga na época da reprodução, o chamado canal ginecóforo.
 
O esquitossomo parasita as veias do intestino, afetando também o fígado e as vias urinárias. A barriga de quem tem essa doença fica inchada por causa dasalterações no fígado e no baço .Esses animais alimentam-se de sangue por isso as pessoas ficam enfraquecidas.
A doença tem uma fase aguda e outra crônica. Na fase aguda, pode apresentar manifestações clínicas como coceiras e dermatites, febre, inapetência, tosse, diarréia, enjôos, vômitos e emagrecimento.  Na fase crônica, episódios de diarréia podem alternar-se com períodos de obstipação (prisão de ventre) e a doença pode evoluir para um quadro mais grave com aumento do fígado (hepatomegalia) e cirrose, aumento do baço (esplenomegalia), hemorragias provocadas por rompimento de veias do esôfago, e ascite ou barriga d’água, isto é, o abdômen fica dilatado e proeminente porque escapa plasma do sangue.
Precauções nunca entrar em água onde existam caramujos hospedeiros do esquistossomo (rios, açudes, lagos, várzeas ou represas); construir instalações sanitárias adequadas, evitando assim que as fezes com os ovos sejam lançadas em ambiente livre, atinjam os rios e propaguem o verme; combater o caramujo hospedeiro. Dessa maneira impede-se a formação de cercárias, interrompendo o ciclo vital do esquistossomo.
Nematelmintos Os nematelmintos (do grego  nematos : 'filamento', e  helmin : 'vermes') são vermes de corpo cilíndrico, afilado nas extremidades. Muitas espécies são de  vida livre  e vivem em  ambiente aquático  ou  terrestre ; outras são parasitas de plantas e de animais, inclusive o ser humano. Há mais de 10 mil espécies desse tipo de vermes catalogadas, mas cálculos feitos indicam a existência de muitas outras espécies, ainda desconhecidas. Ao contrário dos platelmintos, os nematelmintos possuem tubo digestório completo, com boca e ânus. Geralmente têm sexos separados, e as diferenças entre o macho e a fêmea podem ser bem nítidas, como no caso dos principais parasitas humanos. De modo geral o macho é menor do que a fêmea da mesma idade e sua extremidade posterior possui forma de gancho.  Porção anterior de  Ancylostoma duodenale , mostrando boca com dentículos dilacerantes Lombriga ( Ascaris lumbricoides )
Filaríase: elefantíase A  filariose  ou  elefantíase  é a doença causada pela  filária , que se alojam nos vasos linfáticos. Esta doença é também conhecida como elefantíase, devido ao aspecto do(s) membro(s) afetado(s) elefante do paciente com esta doença. Tem como transmissor os mosquitos dos gêneros Culex, Anopheles, Mansonia ou Aedes, presentes nas regiões tropicais e subtropicais. Quando o nematódeo obstrui o vaso linfático, o edema é irreversível, daí a importância da prevenção com mosquiteiros e repelentes, além de evitar o acúmulo de águas paradas em pneus velhos, latas, potes e outros.
Os episódios de transmissão de microfilárias (geralmente à noite, a depender da espécie do vetor) pelos vasos sanguíneos podem levar a reações do sistema imunológico, como prurido, febre, mal estar, tosse, asma, fadiga, exantemas, adenopatias (inchaço dos gânglios linfáticos) e com inchaços nos membros, escroto ou mamas. Por vezes causa inflamação dos testículos (orquite).
Ascaris lumbricoides - Lombriga O nome científico das lombrigas é Ascaris lumbricoides. Medem aproximadamente 25 centímetros de comprimento e vivem no intestino humano. Geralmente encontram-se entre quatro e dez lombrigas nas pessoas atacadas, mas esse número pode ser bem maior.  As lombrigas são muito prejudiciais à saúde, pois se alimentam das substâncias nutritivas necessárias à vida do homem. A doença provocada por esses vermes é chamada ascaridíase e, entre seus sintomas, podemos considerar a ocorrência de náuseas, vômitos, cólicas abdominais e emagrecimento. 
No intestino humano, as fêmeas fecundadas liberam milhares de ovos por dia. Esses ovos são eliminados juntamente com as fezes e podem contaminar a água e alimentos diversos. Quando uma pessoa engole ovos deste verme juntamente com alimentos crus, frutas mal lavadas e água contaminada, esses ovos alcançam o intestino, onde se rompem e liberam larvas. As larvas atravessam a parede intestinal, caem na corrente sangüínea e migram sucessivamente para os pulmões, os brônquios, a traquéia, a laringe e a faringe. São então engolidas e retornam ao intestino, onde se desenvolvem e se transformam em vermes adultos, fechando o ciclo.  Pode-se evitar a ascaridíase, lavando cuidadosamente frutas e verduras, ingerindo apenas água tratada ou fervida e usando instalações sanitárias adequadas
PARA EVITAR AS VERMINOSES  1- Lavar as mãos antes de cada refeição e depois de evacuar; 2- Lavar as frutas, legumes e verduras; 3- Não comer raizes cruas (cenoura, etc...),nem frutas com casca; 4- Não comer carnes mal cozidas, nem salames de carne crua; 5- Não comer alimentos expostos as moscas; 6- Para bebida e uso da cozinha, utilizar  água  de hidráulica ou de poço artesiano (água tratada); 7- Usar sapatos; 8- Destruir os caramujos e evitar o contato e uso da água dos locais em que eles vivem; 9- Usar privadas higiênicas onde não existe rede de esgoto. Mais o mais importante é: 10- Jamais deixar fezes humanas na superfície do solo.
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoários
Marcos Santos
 
Os invertebrados
Os invertebrados Os invertebrados
Os invertebrados
unhadecorada
 
Filo nematoda
Filo nematodaFilo nematoda
Doenças causadas por protozoários e vermes
Doenças causadas por protozoários e vermesDoenças causadas por protozoários e vermes
Doenças causadas por protozoários e vermes
ingridavilez
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
GabrielaMansur
 
Reino protista protozoarios
Reino protista protozoariosReino protista protozoarios
Reino protista protozoarios
Iuri Fretta Wiggers
 
Classificação dos reinos
Classificação dos reinosClassificação dos reinos
Classificação dos reinos
emanuel
 
Doenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação HídricaDoenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação Hídrica
Shirley Alencar
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
7 ano invertebrados
7 ano invertebrados7 ano invertebrados
7 ano invertebrados
crisbassanimedeiros
 
Teníase
TeníaseTeníase
Protozoários e protozooses
Protozoários e protozoosesProtozoários e protozooses
Protozoários e protozooses
Guilherme Orlandi Goulart
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
naiellyrodrigues
 
Caracteristicas do reino animal
Caracteristicas do reino animalCaracteristicas do reino animal
Caracteristicas do reino animal
Thainá Carvalho
 
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Bio
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Animais invertebrados parte 1
Animais invertebrados   parte 1Animais invertebrados   parte 1
Animais invertebrados parte 1
Grazi Grazi
 
Revisão ENEM- Doenças causadas por protozoários e fungos
Revisão ENEM- Doenças causadas por protozoários e fungosRevisão ENEM- Doenças causadas por protozoários e fungos
Revisão ENEM- Doenças causadas por protozoários e fungos
Elisa Margarita Orlandi
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
Danillo Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
 
Doenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoáriosDoenças causadas por protozoários
Doenças causadas por protozoários
 
Os invertebrados
Os invertebrados Os invertebrados
Os invertebrados
 
Filo nematoda
Filo nematodaFilo nematoda
Filo nematoda
 
Doenças causadas por protozoários e vermes
Doenças causadas por protozoários e vermesDoenças causadas por protozoários e vermes
Doenças causadas por protozoários e vermes
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Reino protista protozoarios
Reino protista protozoariosReino protista protozoarios
Reino protista protozoarios
 
Classificação dos reinos
Classificação dos reinosClassificação dos reinos
Classificação dos reinos
 
Doenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação HídricaDoenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação Hídrica
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
 
7 ano invertebrados
7 ano invertebrados7 ano invertebrados
7 ano invertebrados
 
Teníase
TeníaseTeníase
Teníase
 
Protozoários e protozooses
Protozoários e protozoosesProtozoários e protozooses
Protozoários e protozooses
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Caracteristicas do reino animal
Caracteristicas do reino animalCaracteristicas do reino animal
Caracteristicas do reino animal
 
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Animais invertebrados parte 1
Animais invertebrados   parte 1Animais invertebrados   parte 1
Animais invertebrados parte 1
 
Revisão ENEM- Doenças causadas por protozoários e fungos
Revisão ENEM- Doenças causadas por protozoários e fungosRevisão ENEM- Doenças causadas por protozoários e fungos
Revisão ENEM- Doenças causadas por protozoários e fungos
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
 

Destaque

Invertebrados platelmintos e nematelmintos
Invertebrados   platelmintos e nematelmintosInvertebrados   platelmintos e nematelmintos
Invertebrados platelmintos e nematelmintos
NAPNE
 
Botânica classificação dos vegetais
Botânica   classificação dos vegetaisBotânica   classificação dos vegetais
Botânica classificação dos vegetais
Paulo Henrique Alencar Nunes
 
Reino das Plantas
Reino das PlantasReino das Plantas
Reino das Plantas
00367p
 
Reino das plantas
Reino das plantasReino das plantas
Reino animalia - características gerais
Reino animalia - características geraisReino animalia - características gerais
Reino animalia - características gerais
Ricardo Mateus Brito Menezes
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
Carolina Suisso
 
Filo porifera Prof Ricardo
Filo porifera Prof RicardoFilo porifera Prof Ricardo
Filo porifera Prof Ricardo
Ricardo Mateus Brito Menezes
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
NAPNE
 
Classificação do Reino Vegetal
Classificação do Reino VegetalClassificação do Reino Vegetal
Classificação do Reino Vegetal
lindana01
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
Erick Ortiz
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
Lucas Castro
 
Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais
Ronalld Sabino
 
filo molusca
filo moluscafilo molusca
filo molusca
Fabio Santos Nery
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
Diego Yamazaki Bolano
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
Teresa Cristina
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
Bio
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
Ernesto Argüello
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
Pedr457
 
Reino Vegetal
Reino VegetalReino Vegetal
Reino Vegetal
Giseli Trento
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
Julianalfaria
 

Destaque (20)

Invertebrados platelmintos e nematelmintos
Invertebrados   platelmintos e nematelmintosInvertebrados   platelmintos e nematelmintos
Invertebrados platelmintos e nematelmintos
 
Botânica classificação dos vegetais
Botânica   classificação dos vegetaisBotânica   classificação dos vegetais
Botânica classificação dos vegetais
 
Reino das Plantas
Reino das PlantasReino das Plantas
Reino das Plantas
 
Reino das plantas
Reino das plantasReino das plantas
Reino das plantas
 
Reino animalia - características gerais
Reino animalia - características geraisReino animalia - características gerais
Reino animalia - características gerais
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Filo porifera Prof Ricardo
Filo porifera Prof RicardoFilo porifera Prof Ricardo
Filo porifera Prof Ricardo
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
 
Classificação do Reino Vegetal
Classificação do Reino VegetalClassificação do Reino Vegetal
Classificação do Reino Vegetal
 
Reino animalia
Reino animaliaReino animalia
Reino animalia
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
 
Moluscos caracteristicas gerais
Moluscos   caracteristicas geraisMoluscos   caracteristicas gerais
Moluscos caracteristicas gerais
 
filo molusca
filo moluscafilo molusca
filo molusca
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Reino Vegetal
Reino VegetalReino Vegetal
Reino Vegetal
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 

Semelhante a Platelmintos

Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
ProfDeboraCursinho
 
Bloco_17_e_18_Platelmintos_e_Nematelmintos.ppt
Bloco_17_e_18_Platelmintos_e_Nematelmintos.pptBloco_17_e_18_Platelmintos_e_Nematelmintos.ppt
Bloco_17_e_18_Platelmintos_e_Nematelmintos.ppt
PatriciaZanoli
 
Platelminto se Nematelmintos.ppt
Platelminto se Nematelmintos.pptPlatelminto se Nematelmintos.ppt
Platelminto se Nematelmintos.ppt
LussandraMarquez
 
Platelmintos_e_Nematelmintos (1).ppt
Platelmintos_e_Nematelmintos (1).pptPlatelmintos_e_Nematelmintos (1).ppt
Platelmintos_e_Nematelmintos (1).ppt
robson226649
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
familiaestagio
 
Aula 22 verminoses
Aula 22   verminosesAula 22   verminoses
Aula 22 verminoses
Jonatas Carlos
 
Principais verminoses humanas
Principais verminoses humanasPrincipais verminoses humanas
Principais verminoses humanas
Marcos Santos
 
Reino protista: protozoarios
Reino protista: protozoariosReino protista: protozoarios
Reino protista: protozoarios
Ernesto Silva
 
Filo platelminto
Filo platelmintoFilo platelminto
Filo platelminto
Danie Gongui
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
infoeducp2
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
Andre Luiz Nascimento
 
008 helmintos
008   helmintos008   helmintos
008 helmintos
Jonatas Barros
 
Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)
Romualdo Caetano Barros
 
Reino animalia (metazoa)
Reino animalia (metazoa)Reino animalia (metazoa)
Reino animalia (metazoa)
Jocimara Monsani
 
Parte II Reino Animal - vermes
Parte II   Reino Animal - vermesParte II   Reino Animal - vermes
Parte II Reino Animal - vermes
Ribeirocan
 
Parte II Reino animal - Vermes
Parte II   Reino animal - VermesParte II   Reino animal - Vermes
Parte II Reino animal - Vermes
Ribeirocan
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Turma Olímpica
 
7º ano cap 7 reino protoctistas
7º ano cap 7  reino protoctistas7º ano cap 7  reino protoctistas
7º ano cap 7 reino protoctistas
ISJ
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
Matheus Bringel
 
Platelmintos.pdf
Platelmintos.pdfPlatelmintos.pdf
Platelmintos.pdf
Heber Mello
 

Semelhante a Platelmintos (20)

Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Bloco_17_e_18_Platelmintos_e_Nematelmintos.ppt
Bloco_17_e_18_Platelmintos_e_Nematelmintos.pptBloco_17_e_18_Platelmintos_e_Nematelmintos.ppt
Bloco_17_e_18_Platelmintos_e_Nematelmintos.ppt
 
Platelminto se Nematelmintos.ppt
Platelminto se Nematelmintos.pptPlatelminto se Nematelmintos.ppt
Platelminto se Nematelmintos.ppt
 
Platelmintos_e_Nematelmintos (1).ppt
Platelmintos_e_Nematelmintos (1).pptPlatelmintos_e_Nematelmintos (1).ppt
Platelmintos_e_Nematelmintos (1).ppt
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
 
Aula 22 verminoses
Aula 22   verminosesAula 22   verminoses
Aula 22 verminoses
 
Principais verminoses humanas
Principais verminoses humanasPrincipais verminoses humanas
Principais verminoses humanas
 
Reino protista: protozoarios
Reino protista: protozoariosReino protista: protozoarios
Reino protista: protozoarios
 
Filo platelminto
Filo platelmintoFilo platelminto
Filo platelminto
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
 
Aula invertebrados
Aula invertebradosAula invertebrados
Aula invertebrados
 
008 helmintos
008   helmintos008   helmintos
008 helmintos
 
Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)
 
Reino animalia (metazoa)
Reino animalia (metazoa)Reino animalia (metazoa)
Reino animalia (metazoa)
 
Parte II Reino Animal - vermes
Parte II   Reino Animal - vermesParte II   Reino Animal - vermes
Parte II Reino Animal - vermes
 
Parte II Reino animal - Vermes
Parte II   Reino animal - VermesParte II   Reino animal - Vermes
Parte II Reino animal - Vermes
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino ProtistaSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Reino Protista
 
7º ano cap 7 reino protoctistas
7º ano cap 7  reino protoctistas7º ano cap 7  reino protoctistas
7º ano cap 7 reino protoctistas
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
Platelmintos.pdf
Platelmintos.pdfPlatelmintos.pdf
Platelmintos.pdf
 

Mais de Flávio Booz

Landmine field classroom objects
Landmine field   classroom objectsLandmine field   classroom objects
Landmine field classroom objects
Flávio Booz
 
Raiz
RaizRaiz
Projeto de Leitura- Menina Bonita do Laço de Fita
Projeto de Leitura- Menina Bonita do Laço de FitaProjeto de Leitura- Menina Bonita do Laço de Fita
Projeto de Leitura- Menina Bonita do Laço de Fita
Flávio Booz
 
Projeto curso otília
Projeto curso otíliaProjeto curso otília
Projeto curso otília
Flávio Booz
 

Mais de Flávio Booz (17)

Landmine field classroom objects
Landmine field   classroom objectsLandmine field   classroom objects
Landmine field classroom objects
 
!ª série 03
!ª série 03!ª série 03
!ª série 03
 
1ª série 05
1ª série 051ª série 05
1ª série 05
 
1ª série 04
1ª série 041ª série 04
1ª série 04
 
1ª série 04(3)
1ª série 04(3)1ª série 04(3)
1ª série 04(3)
 
1ª série 04(2)
1ª série 04(2)1ª série 04(2)
1ª série 04(2)
 
1ª série 02
1ª série 021ª série 02
1ª série 02
 
1ª série 02(4)
1ª série 02(4)1ª série 02(4)
1ª série 02(4)
 
1ª série 02(3)
1ª série 02(3)1ª série 02(3)
1ª série 02(3)
 
1ª série 02(2)
1ª série 02(2)1ª série 02(2)
1ª série 02(2)
 
1ª série 01
1ª série 011ª série 01
1ª série 01
 
1ª série 01(3)
1ª série 01(3)1ª série 01(3)
1ª série 01(3)
 
1ª série 01(2)
1ª série 01(2)1ª série 01(2)
1ª série 01(2)
 
1ª série 4
1ª série 41ª série 4
1ª série 4
 
Raiz
RaizRaiz
Raiz
 
Projeto de Leitura- Menina Bonita do Laço de Fita
Projeto de Leitura- Menina Bonita do Laço de FitaProjeto de Leitura- Menina Bonita do Laço de Fita
Projeto de Leitura- Menina Bonita do Laço de Fita
 
Projeto curso otília
Projeto curso otíliaProjeto curso otília
Projeto curso otília
 

Último

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 

Platelmintos

  • 2. PLATELMINTOS   Os platelmintos são animais que possuem o corpo alongado e achatado, com aspectos de fita . São conhecidos por'' vermes chatos'', ( plati = chato,  helmintos =vermes).
  • 3. São indivíduos de vida livre ou parasitas. Podem reproduzir-se sexuada e assexuadamente. Frequentemente são hermafroditas. São desprovidos de aparelhos circulatório e respiratório. O aparelho digestivo quando existente é desprovido de ânus.
  • 4. Planária As planá rias vivem em água doce. Sã o inofensivas ao homem, mas são carnívoras e se alimentam de pequenos invertebrados, como crustáceos e insetos. Podem comer também animais mortos. As planárias são fotofóbicas, ou seja, possuem aversão à luz e, por isso preferem viver em locais sombreados.
  • 5.  
  • 8. Tênia solium A Tênia solium adulta vive no intestino delgado do homem e tem como uma das características distintivas da Tênia saginata , a presença de uma dupla coroa de ganchos, armada sobre o rostelo, que auxilia na fixação do helminto à mucosa intestinal.
  • 9. O homem que possui teníase ou solitária, como também é chamada a doença causada pela presença desse animal no intestino, libera cerca de 40.000 ovos fecundados por anel eliminado nas fezes.
  • 10.  
  • 11. Ao ingerir ovos da tênia em vez de cisticercos, o homem passa a ser hospedeiro intermediário. Quando os ovos sofrem maturação e se tornam cisticerco no organismo humano, podem causar deficiência visual, fraqueza muscular e/ou epilepsia, dependendo do local onde se alojam. Essa doença é chamada cisticercose e é mais grave que a teníase. O tratamento normalmente é feito com Mebendazol administrado durante 3 dias.
  • 12. Tênia saginata Há também a Taenia saginata , cujos hospedeiros intermediários são os bovinos, que se infectam através da ingestão dos ovos desse parasita, eliminados nas fezes do homem. No caso da Taenia saginata o homem pode ser apenas hospedeiro definitivo, diferente do que ocorre com a Taenia solium . As proglótides são eliminadas individualmente e fora das evacuações, forçando o esfíncter anal do portador. Esta espécie está disseminada mundialmente e o número de portadores humanos está estimado entre 40 e 60 milhões. T. saginata pode atingir até 12m de comprimento (comprimento do intestino humano).
  • 13. E squistossomo O esquistossomo ou chistossoma é um platelminto causador da esquistossomose, uma verminose bastante perigosa e comum em áreas com saneamento precário. A fêmea mede cerca de 1,5 cm de comprimento e o macho cerca de 1 cm. O macho possui um canal onde a fêmea se abriga na época da reprodução, o chamado canal ginecóforo.
  • 14.  
  • 15. O esquitossomo parasita as veias do intestino, afetando também o fígado e as vias urinárias. A barriga de quem tem essa doença fica inchada por causa dasalterações no fígado e no baço .Esses animais alimentam-se de sangue por isso as pessoas ficam enfraquecidas.
  • 16. A doença tem uma fase aguda e outra crônica. Na fase aguda, pode apresentar manifestações clínicas como coceiras e dermatites, febre, inapetência, tosse, diarréia, enjôos, vômitos e emagrecimento. Na fase crônica, episódios de diarréia podem alternar-se com períodos de obstipação (prisão de ventre) e a doença pode evoluir para um quadro mais grave com aumento do fígado (hepatomegalia) e cirrose, aumento do baço (esplenomegalia), hemorragias provocadas por rompimento de veias do esôfago, e ascite ou barriga d’água, isto é, o abdômen fica dilatado e proeminente porque escapa plasma do sangue.
  • 17. Precauções nunca entrar em água onde existam caramujos hospedeiros do esquistossomo (rios, açudes, lagos, várzeas ou represas); construir instalações sanitárias adequadas, evitando assim que as fezes com os ovos sejam lançadas em ambiente livre, atinjam os rios e propaguem o verme; combater o caramujo hospedeiro. Dessa maneira impede-se a formação de cercárias, interrompendo o ciclo vital do esquistossomo.
  • 18. Nematelmintos Os nematelmintos (do grego nematos : 'filamento', e helmin : 'vermes') são vermes de corpo cilíndrico, afilado nas extremidades. Muitas espécies são de vida livre e vivem em ambiente aquático ou terrestre ; outras são parasitas de plantas e de animais, inclusive o ser humano. Há mais de 10 mil espécies desse tipo de vermes catalogadas, mas cálculos feitos indicam a existência de muitas outras espécies, ainda desconhecidas. Ao contrário dos platelmintos, os nematelmintos possuem tubo digestório completo, com boca e ânus. Geralmente têm sexos separados, e as diferenças entre o macho e a fêmea podem ser bem nítidas, como no caso dos principais parasitas humanos. De modo geral o macho é menor do que a fêmea da mesma idade e sua extremidade posterior possui forma de gancho. Porção anterior de Ancylostoma duodenale , mostrando boca com dentículos dilacerantes Lombriga ( Ascaris lumbricoides )
  • 19. Filaríase: elefantíase A filariose ou elefantíase é a doença causada pela filária , que se alojam nos vasos linfáticos. Esta doença é também conhecida como elefantíase, devido ao aspecto do(s) membro(s) afetado(s) elefante do paciente com esta doença. Tem como transmissor os mosquitos dos gêneros Culex, Anopheles, Mansonia ou Aedes, presentes nas regiões tropicais e subtropicais. Quando o nematódeo obstrui o vaso linfático, o edema é irreversível, daí a importância da prevenção com mosquiteiros e repelentes, além de evitar o acúmulo de águas paradas em pneus velhos, latas, potes e outros.
  • 20. Os episódios de transmissão de microfilárias (geralmente à noite, a depender da espécie do vetor) pelos vasos sanguíneos podem levar a reações do sistema imunológico, como prurido, febre, mal estar, tosse, asma, fadiga, exantemas, adenopatias (inchaço dos gânglios linfáticos) e com inchaços nos membros, escroto ou mamas. Por vezes causa inflamação dos testículos (orquite).
  • 21. Ascaris lumbricoides - Lombriga O nome científico das lombrigas é Ascaris lumbricoides. Medem aproximadamente 25 centímetros de comprimento e vivem no intestino humano. Geralmente encontram-se entre quatro e dez lombrigas nas pessoas atacadas, mas esse número pode ser bem maior.  As lombrigas são muito prejudiciais à saúde, pois se alimentam das substâncias nutritivas necessárias à vida do homem. A doença provocada por esses vermes é chamada ascaridíase e, entre seus sintomas, podemos considerar a ocorrência de náuseas, vômitos, cólicas abdominais e emagrecimento. 
  • 22. No intestino humano, as fêmeas fecundadas liberam milhares de ovos por dia. Esses ovos são eliminados juntamente com as fezes e podem contaminar a água e alimentos diversos. Quando uma pessoa engole ovos deste verme juntamente com alimentos crus, frutas mal lavadas e água contaminada, esses ovos alcançam o intestino, onde se rompem e liberam larvas. As larvas atravessam a parede intestinal, caem na corrente sangüínea e migram sucessivamente para os pulmões, os brônquios, a traquéia, a laringe e a faringe. São então engolidas e retornam ao intestino, onde se desenvolvem e se transformam em vermes adultos, fechando o ciclo.  Pode-se evitar a ascaridíase, lavando cuidadosamente frutas e verduras, ingerindo apenas água tratada ou fervida e usando instalações sanitárias adequadas
  • 23. PARA EVITAR AS VERMINOSES 1- Lavar as mãos antes de cada refeição e depois de evacuar; 2- Lavar as frutas, legumes e verduras; 3- Não comer raizes cruas (cenoura, etc...),nem frutas com casca; 4- Não comer carnes mal cozidas, nem salames de carne crua; 5- Não comer alimentos expostos as moscas; 6- Para bebida e uso da cozinha, utilizar  água  de hidráulica ou de poço artesiano (água tratada); 7- Usar sapatos; 8- Destruir os caramujos e evitar o contato e uso da água dos locais em que eles vivem; 9- Usar privadas higiênicas onde não existe rede de esgoto. Mais o mais importante é: 10- Jamais deixar fezes humanas na superfície do solo.
  • 24. FIM