SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ETNICORRACIAIS

                                   MEDIADOR: SÓCRATES PEREIRA
                            "Enquanto imperar a filosofia de que há uma raça inferior e outra superior o mundo
                           estará permanentemente em guerra. É uma profecia, mas todo mundo sabe que isso é
                                                          verdade" (Bob Marley)



                                           PLANO DE AULA

                A CULTURA QUILOMBOLA NA SALA DE AULA

AUTORA: Francisca Roseane Franco Ribeiro de Sousa1




NÍVEL DE ENSINO: FUNDAMENTAL II

MODALIDADE DE ENSINO: REGULAR ANO/SEMESTRE: 2º Semestre-2012

PÚBLICO ALVO: Alunos do 6º ao 9º ANO

PERÍODO DE DURAÇÃO: 10 aulas

1
 Pedagoga, Especialista em Orientação e Supervisão Educacional. Professora de Ensino Religioso da Rede
Municipal de João Pessoa e do Estado da Paraíba. Mestranda do PPGCR- Programa de Pós Graduação em
Ciências das Religiões- UFPB. E-mail: roseaneribeiro40@gamil.com
COMPONENTES CURRICULARES: Ensino Religioso, Português, História,
Geografia, Artes, Matemática

TEMA: A história do povo Quilombola

OBJETIVOS:

        Conhecer e valorizar a cultura Quilombola em sala de aula;
        Identificar as grandes contribuições da cultura Quilombola para
        construção da nossa história;
        Ampliar o conceito de cidadania, discutindo questões como respeito ao próximo,
        religiosidade e sincretismo, preconceito, direitos, inclusão, luta, resistência.


PRÉ-REQUISITOS DOS ESTUDANTES:


        Espera-se que os estudantes estejam abertos a aceitar o outro convivendo em
sociedade, realizando atividades em equipes, sendo solidários e respeitosos, assim
como, saibam fazer uso dos recursos tecnológicos, estejam envolvidos participando
ativamente das atividades planejadas.


RECURSOS/MATERIAIS DE APOIO:


        Livros, dicionários, computadores, câmeras digitais, internet, gravuras, celulares,
        cartolinas, materiais de uso comum (lápis, borracha, cadernos, etc)

GLOSSÁRIO:

Quilombo: s.m. Aldeia em que se concentravam os escravos que fugiam das fazendas, minas e casas de
família, onde eram explorados e sofriam maus tratos. Os escravos, para não serem encontrados,
escondiam-se nas matas, nos lugares mais inacessíveis, como o alto das montanhas e grutas. Aí se
reuniam e levavam vida livre. As pequenas aldeias eram também chamadas mocambos. Os maiores
quilombos eram formados por vários mocambos. Seus habitantes eram chamados quilombolas. Enquanto
durou a escravidão no Brasil, desde a colonização até o final do Império, existiram os quilombos.
Quilombolas: s.f. são grupos sociais remanescentes de quilombos, marcados                         pela resistência e
autonomia caracterizando um movimento na história do Brasil de transição na condição de escravo para a
de camponês livre
Resistência:     s.f.   Qualidade    de   um        corpo    que   reage   contra   a    ação     de   outro   corpo.
Aptidão   para      suportar    a   fadiga,     a    fome,    o    esforço:   soldados      que    têm   resistência.
Defesa         contra      um         ataque:          opor        forte      resistência         a      assaltantes.
Oposição, reação, recusa de submissão à vontade de outrem: obedecer sem resistência.
Exaustão: s.f. Ação ou efeito de exaustar; esgotamento; extremo cansaço.


Outras palavras serão construídas no decorrer das aulas


QUESTÕES PROBLEMATIZADORAS:




                                          Alguém sabe dizer quem é esta pessoa?




                                              Já ouviram falar em Quilombolas?




                                                       O que vocês entendem por resistência?
TEXTO CONCEITUAL


                                                QUILOMBOS



A utilização do trabalho escravo no Brasil foi uma prática marcada por diversas manifestações de resistência contra esse tipo
de relação de trabalho opressivo. Entre tantas alternativas, a constituição dos quilombos foi uma das mais ousadas e bem
articuladas ações que buscavam quebrar as imposições da administração colonial. Apesar de sua relevância, poucos são os
registros que demonstram a presença e o funcionamento desse tipo instituição no período colonial.

Formado a partir da reunião de vários escravos fugitivos, um quilombo passava a constituir um tipo de comunidade bastante
diferente das que foram criadas pela ação dos colonizadores portugueses. Os habitantes dos quilombos, chamados de
“quilombolas”, participavam de todo o trabalho que envolvia a obtenção de alimentos e construíam pequenas oficinas onde
fabricavam      suas       roupas,     utensílios     domésticos,     ferramentas      de       trabalho    e     móveis.

Mais do que uma simples comunidade, o quilombo era formado em locais de difícil acesso. Tal medida visava impedir a
recaptura dos escravos fugidos. Geralmente, o quilombo também era organizado na proximidade de estradas para que os
quilombolas pudessem assaltar os viajantes que por ali transitavam. Não se limitando ao abrigo de escravos africanos, os
quilombos    também     serviam   de    morada     para    índios   e   criminosos    que    escapavam     da    justiça.

Nessas comunidades, conforme aponta alguns relatos, houve o desenvolvimento de um código moral e de justiça bastante
peculiares. O adultério, o roubo, o homicídio e a deserção eram severamente punidos com a pena de morte. Ao mesmo tempo,
os quilombos foram importantes para que traços diversos da cultura africana se mantivessem vivos em nossa própria cultura
atual. Ritos, danças, pratos e expressões comuns ao território brasileiro são nitidamente influenciados pela cultura africana.

Um dos mais importantes quilombos do período colonial foi criado na serra da Barriga Verde, no estado de Alagoas. O
Quilombo dos Palmares, formado no início do século XVII, abrigava uma série de quilombos menores e constituía uma grande
comunidade integrada por milhares de pessoas. O período de expansão desse quilombo aconteceu durante as invasões
holandesas, momento em que vários escravos aproveitaram do distúrbio para fugirem dos engenhos.

Durante muito tempo, a destruição deste quilombo preocupou as autoridades coloniais daquela região. Após a deflagração de
várias batalhas, o capitão-mor Fernão Carrilho quase deu fim à Palmares em 1678, após aprisionar vários de seus principais
líderes. Quando a contenda parecia estar finalmente resolvida, apareceu a figura do líder Zumbi rearticulando novas forças que
resistiram            até           os             últimos            anos               do             século            XVII.

Atualmente, existem várias comunidades que são remanescentes de quilombos formados durante a época colonial.
Reconhecendo a presença e a soberania dos descendentes de quilombolas nessas regiões, o governo concedeu títulos de
propriedade aos habitantes dessas regiões. Estimativas publicadas no ano de 2008 apontam que existem 185 comunidades
quilombolas espalhadas em cerca de 980 mil hectares.


Disponível em: http://www.mundoeducacao.com.br/historiadobrasil/quilombos.htm


PARA REFLETIR COM OS ALUNOS:


O que vocês acharam do texto?
Que podemos dizer sobre a vida dos quilombolas?
Podemos dizer que a vida dos quilombolas mudou ou continua passível de sofrimento?
Perto de vocês ou na sala de aula tem alguém que se identifica como quilombola? Por
quê?
Que atitudes estão sendo tomadas para reconhecer os direitos destas comunidades?


ATIVIDADES DO PROFESSOR:
Prepara slides sobre a cultura quilombola
        Apresentar textos sobre os quilombos
        Explorar vídeos que retratem a realidade do povo nos quilombos
        Explorar elementos da cultura quilombola
        Pesquisar sites que apresentem materiais para os alunos terem mais
        conhecimentos
        Elaborar questões para a realização de entrevistas na comunidade sobre
        quilombos
        Assistir o documetário: A Terra e o Tempo: Vozes do Quilombo disponível em
        http://www.youtube.com/watch?v=7tws2MMsh9A
        Debates.


TAREFAS DOS ALUNOS:

        Pesquisar na internet textos que falem sobre os Quilombos e as comunidades
        Quilombolas existentes no Brasil
        Assistir vídeos sobre Quilombo dos Palmares, para discussão em sala de aula
        Pesquisar na comunidade em que vivem se existem descendentes de
        Quilombolas
        Apresentar os resultados das pesquisas através de gráficos
        Confeccionar painéis com temas sobre os Quilombos.
        Identificar as heranças culturais quilombolas para nossa sociedade

PARA SABER MAIS

ZUMBI DOS PALMARES




Hoje, passado um século
Alegremente, venho exaltar
O rei negro, valente, indomável
Que viveu prá sua raça libertar


Quem ainda nunca ouviu falar do negro
Pare um pouco agora prá escutar
Como é linda a história deste anjo
Que resolvi, neste dia, lhes contar


Cansado de viver no cativeiro
E vendo sua gente só sofrer
Zumbi rompeu a rede da injustiça
E nas matas, com seu povo foi viver


Negro de pele brilhante e de idéias liberais
Célebre, por sua coragem e por sonhos divinais
Zumbi, fundou no Estado de Alagoas
O "Quilombo dos Palmares"

Na busca incessante, da paz tão sonhada
Fugindo dos açoites e dos ferros em brasa,
Do medo dos senhores e da aflição da senzala,
Na Serra da "Barriga" fizeram morada


Protegidos por florestas de palmeiras
E tendo o velho mestre na dianteira
Os filhos do infortúnio e da tortura
Esqueceram-se das algemas e das canseiras


Filhos das matas, dos rios e cascatas
Amigos dos bichos e da lua prateada
Ignoraram o grito de dor, que longo tempo suportaram
Respirando o ar puro das montanhas abençoadas


Subiram serras, ouvindo o sabiá
Pularam vales, atrás do uirapuru
Dormiram no seio da noite azul
Correram montes de Norte a Sul


Mas, um dia o terror lá no morro chegou
E o que era só felicidade, de repente sucumbiu
Os capitães do mato os encontrou
E uma enxurrada de sangue, desceu pelo triste rio


Só que o pai negro, gigante e justiceiro
Guardião da fortaleza e protetor dos infelizes
Que tinha no sangue a justa rebeldia
Driblou a todos com grandiosa maestria


Passado alguns anos, o nosso herói, tombou vencido
Traído cruelmente, por um antigo amigo
Seu povo finalmente, foi dominado e humilhado
E o "Quilombo de Zumbi", foi esquecido.

Disponível em:http://www.brasilwiki.com.br/noticia.php?id_noticia=7792



Sites relacionados:
http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/historia-local-afro-
descendentes-472191.shtm
http://www.cpisp.org.br/comunidades/html/brasil/pe/pe_conceicao_educacao.html
Contas do Google


AVALIAÇÃO


O aluno será avaliado através da observação do seu interesse, participação e realização
das atividades propostas individuais e coletivas.


EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO:


    1- Conforme o que já estudamos sobre a cultura Quilombola, respondam as
        seguintes questões?
    a) O que você aprendeu sobre os Quilombos?
    b) Como é a vida dos Quilombolas no cotidiano?
    c) Existem políticas públicas voltadas para os interesses dos Quilombolas?
    d) Se você governasse o Brasil, que medida tomaria para viabilizar a melhoria de
        vida do povo Quilombola? Por quê?


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


Documentário :Terra de Quilombo - Uma dívida Histórica (30min)

http://video.google.com/videoplay?docid=-2531992243254208946 - Filme: Aruanda

http://video.google.com/videoplay?docid=298537318361371655

http://www.institutosumauma.org.br/imagem/arquivo/Terra_Qulombola.pdf - BARATA,
Rogério; BARROS, Maria das Dores; SILVA, Delma Josefa da. Terra de Quilombo.
http://www.redeh.org.br/biblioteca/publicacoes-conteudo.asp?cod=12 - Quilombos - Espaço
de resistência de crianças, jovens, mulheres e homens negros

http://www.redeh.org.br/biblioteca/publicacoes-conteudo.asp?cod=2 - História em
Quadrinhos: Minas de Quilombos

http://www.sec.pb.gov.br/ead/pluginfile.php/138/mod_forum/attachment/6739/LISTA%20C
OMUNIDADADES.doc - Lista das Comunidades Quilombolas

http://www.seppir.gov.br/.arquivos/pbq.pdf - II- Conceito e Histórico da Questão
Quilombola no Brasil e III Legislação

http://www.seppir.gov.br/destaques/Cartilha%20Quilombola-screen.pdf - Cartilha
Quilombola

http://www.smec.salvador.ba.gov.br/documentos/quilombos-no-brasil.pdf - SIQUEIRA,
Maria de Lourdes. Quilombos no Brasil e a singularidade de Palmares

http://www.vimeo.com/1436330 - Filme: Dança das Cabaças

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prova ciências adaptada
Prova ciências adaptada Prova ciências adaptada
Prova ciências adaptada
Isa ...
 
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Washington Rocha
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
SimoneHelenDrumond
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Lucilene Rocha
 
Gabarito 60 questoes
Gabarito 60 questoesGabarito 60 questoes
Gabarito 60 questoes
Maykon Santos
 
Avaliação de geografia
Avaliação de geografiaAvaliação de geografia
Avaliação de geografia
Fábio Leandro Oliveira Santos
 
Gabarito: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
 Gabarito: Atividade interdisciplinar:  Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta Gabarito: Atividade interdisciplinar:  Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
Gabarito: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Avaliação de história do 5º ano
Avaliação de história do 5º anoAvaliação de história do 5º ano
Avaliação de história do 5º ano
Leo Rodrigues
 
Parecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovadaParecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovada
SimoneHelenDrumond
 
Caça-palavras Dia internacional da mulher
Caça-palavras   Dia internacional da mulherCaça-palavras   Dia internacional da mulher
Caça-palavras Dia internacional da mulher
Mary Alvarenga
 
Modelo de parecer descritivo
Modelo de parecer descritivoModelo de parecer descritivo
Modelo de parecer descritivo
SimoneHelenDrumond
 
Atividades sobre índios de Goiás
Atividades sobre índios de GoiásAtividades sobre índios de Goiás
Atividades sobre índios de Goiás
Letras Mágicas
 
As fases da Lua
As fases da LuaAs fases da Lua
As fases da Lua
Mary Alvarenga
 
Caça palavras - Bullying
Caça palavras - BullyingCaça palavras - Bullying
Caça palavras - Bullying
Mary Alvarenga
 
Cadeia alimentar - Atividade e texto
Cadeia alimentar - Atividade e texto  Cadeia alimentar - Atividade e texto
Cadeia alimentar - Atividade e texto
Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Prova ciências adaptada
Prova ciências adaptada Prova ciências adaptada
Prova ciências adaptada
 
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
 
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANOINTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO: CUIDE DAS SUAS ATITUDES – 8º OU 9º ANO
 
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista80 planejamento de  atividades para desenvolver a linguagem do autista
80 planejamento de atividades para desenvolver a linguagem do autista
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
 
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO  2017
AVALIAÇÃO DE HISTÓRIA - 5º ANO - PROCESSO DE REAVALIAÇAO 2017
 
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
 
Gabarito 60 questoes
Gabarito 60 questoesGabarito 60 questoes
Gabarito 60 questoes
 
Avaliação de geografia
Avaliação de geografiaAvaliação de geografia
Avaliação de geografia
 
Gabarito: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
 Gabarito: Atividade interdisciplinar:  Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta Gabarito: Atividade interdisciplinar:  Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
Gabarito: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
 
Avaliação de história do 5º ano
Avaliação de história do 5º anoAvaliação de história do 5º ano
Avaliação de história do 5º ano
 
Parecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovadaParecer escolar de uma aluna reprovada
Parecer escolar de uma aluna reprovada
 
Caça-palavras Dia internacional da mulher
Caça-palavras   Dia internacional da mulherCaça-palavras   Dia internacional da mulher
Caça-palavras Dia internacional da mulher
 
Modelo de parecer descritivo
Modelo de parecer descritivoModelo de parecer descritivo
Modelo de parecer descritivo
 
Migrações no brasil
Migrações no brasilMigrações no brasil
Migrações no brasil
 
Cidade e município
Cidade e municípioCidade e município
Cidade e município
 
Atividades sobre índios de Goiás
Atividades sobre índios de GoiásAtividades sobre índios de Goiás
Atividades sobre índios de Goiás
 
As fases da Lua
As fases da LuaAs fases da Lua
As fases da Lua
 
Caça palavras - Bullying
Caça palavras - BullyingCaça palavras - Bullying
Caça palavras - Bullying
 
Cadeia alimentar - Atividade e texto
Cadeia alimentar - Atividade e texto  Cadeia alimentar - Atividade e texto
Cadeia alimentar - Atividade e texto
 

Destaque

Atividade avaliativa de história
Atividade avaliativa de históriaAtividade avaliativa de história
Atividade avaliativa de história
Paulo Alves de Araujo
 
A assunção quilombola e os limites entre memória e história SILVÂNIO BARCELOS
A assunção quilombola e os limites entre memória e história SILVÂNIO BARCELOSA assunção quilombola e os limites entre memória e história SILVÂNIO BARCELOS
A assunção quilombola e os limites entre memória e história SILVÂNIO BARCELOS
Silvânio Barcelos
 
Quilombo
QuilomboQuilombo
Aula Ensino Médio: Relações Genero
Aula Ensino Médio: Relações GeneroAula Ensino Médio: Relações Genero
Aula Ensino Médio: Relações Genero
Cristiano Bodart
 
História em quadrinhos escravidao
História em quadrinhos escravidaoHistória em quadrinhos escravidao
História em quadrinhos escravidao
Atividades Diversas Cláudia
 
Sociologia - Diversidade Cultural - Prof.Altair Aguilar.
Sociologia - Diversidade Cultural - Prof.Altair Aguilar.Sociologia - Diversidade Cultural - Prof.Altair Aguilar.
Sociologia - Diversidade Cultural - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Educação quilombola
Educação quilombolaEducação quilombola
Educação quilombola
Geraa Ufms
 
Escravidão racial o legado do racismo aula de história prof. silvânio barcelos
Escravidão racial o legado do racismo  aula de história prof. silvânio barcelosEscravidão racial o legado do racismo  aula de história prof. silvânio barcelos
Escravidão racial o legado do racismo aula de história prof. silvânio barcelos
Silvânio Barcelos
 
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humano
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humanoFronteira. a degradação do outro nos confins do humano
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humano
Silvânio Barcelos
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
proftathi
 
Plano de aula 05 sistema excretor e respiratório
Plano de aula 05 sistema excretor e respiratórioPlano de aula 05 sistema excretor e respiratório
Plano de aula 05 sistema excretor e respiratório
familiaestagio
 
Comunidades quilombolas em ms
Comunidades quilombolas em msComunidades quilombolas em ms
Comunidades quilombolas em ms
Nelia Salles Nantes
 
DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA
DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLADIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA
DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA
Joel Soares
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
culturaafro
 
Projetodevalorizacao quilombola
Projetodevalorizacao quilombolaProjetodevalorizacao quilombola
Projetodevalorizacao quilombola
Secretaria Municipal de São Bento do Una
 
Conjuração Mineira
Conjuração MineiraConjuração Mineira
Conjuração Mineira
Gisele Finatti Baraglio
 
Plano de aula consciencia negra
Plano de aula consciencia negraPlano de aula consciencia negra
Plano de aula consciencia negra
Luciasf
 
ENSINO RELIGIOSO
ENSINO RELIGIOSOENSINO RELIGIOSO
ENSINO RELIGIOSO
Éder Oliveira
 
O quilombo de palmares texto de raquel funari
O quilombo de palmares texto de raquel funariO quilombo de palmares texto de raquel funari
O quilombo de palmares texto de raquel funari
luiskerber2013
 
Educacao Quilombola
Educacao QuilombolaEducacao Quilombola
Educacao Quilombola
culturaafro
 

Destaque (20)

Atividade avaliativa de história
Atividade avaliativa de históriaAtividade avaliativa de história
Atividade avaliativa de história
 
A assunção quilombola e os limites entre memória e história SILVÂNIO BARCELOS
A assunção quilombola e os limites entre memória e história SILVÂNIO BARCELOSA assunção quilombola e os limites entre memória e história SILVÂNIO BARCELOS
A assunção quilombola e os limites entre memória e história SILVÂNIO BARCELOS
 
Quilombo
QuilomboQuilombo
Quilombo
 
Aula Ensino Médio: Relações Genero
Aula Ensino Médio: Relações GeneroAula Ensino Médio: Relações Genero
Aula Ensino Médio: Relações Genero
 
História em quadrinhos escravidao
História em quadrinhos escravidaoHistória em quadrinhos escravidao
História em quadrinhos escravidao
 
Sociologia - Diversidade Cultural - Prof.Altair Aguilar.
Sociologia - Diversidade Cultural - Prof.Altair Aguilar.Sociologia - Diversidade Cultural - Prof.Altair Aguilar.
Sociologia - Diversidade Cultural - Prof.Altair Aguilar.
 
Educação quilombola
Educação quilombolaEducação quilombola
Educação quilombola
 
Escravidão racial o legado do racismo aula de história prof. silvânio barcelos
Escravidão racial o legado do racismo  aula de história prof. silvânio barcelosEscravidão racial o legado do racismo  aula de história prof. silvânio barcelos
Escravidão racial o legado do racismo aula de história prof. silvânio barcelos
 
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humano
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humanoFronteira. a degradação do outro nos confins do humano
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humano
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Plano de aula 05 sistema excretor e respiratório
Plano de aula 05 sistema excretor e respiratórioPlano de aula 05 sistema excretor e respiratório
Plano de aula 05 sistema excretor e respiratório
 
Comunidades quilombolas em ms
Comunidades quilombolas em msComunidades quilombolas em ms
Comunidades quilombolas em ms
 
DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA
DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLADIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA
DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA
 
Cultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileiraCultura afro-brasileira
Cultura afro-brasileira
 
Projetodevalorizacao quilombola
Projetodevalorizacao quilombolaProjetodevalorizacao quilombola
Projetodevalorizacao quilombola
 
Conjuração Mineira
Conjuração MineiraConjuração Mineira
Conjuração Mineira
 
Plano de aula consciencia negra
Plano de aula consciencia negraPlano de aula consciencia negra
Plano de aula consciencia negra
 
ENSINO RELIGIOSO
ENSINO RELIGIOSOENSINO RELIGIOSO
ENSINO RELIGIOSO
 
O quilombo de palmares texto de raquel funari
O quilombo de palmares texto de raquel funariO quilombo de palmares texto de raquel funari
O quilombo de palmares texto de raquel funari
 
Educacao Quilombola
Educacao QuilombolaEducacao Quilombola
Educacao Quilombola
 

Semelhante a Plano de aula quilombolas- francisca roseane

Aula Quilombos no Brasil - Prof. Elsa Avancini
Aula Quilombos no Brasil - Prof. Elsa AvanciniAula Quilombos no Brasil - Prof. Elsa Avancini
Aula Quilombos no Brasil - Prof. Elsa Avancini
alexrrosaueja
 
Aula de historia pp
Aula de historia ppAula de historia pp
Aula de historia pp
Daniela Figueiredo
 
Quilombos no Brasil
Quilombos no BrasilQuilombos no Brasil
Quilombos
QuilombosQuilombos
Quilombos no Brasil - (Aluna - Manuela Pessoa Amorim)
Quilombos no Brasil - (Aluna - Manuela Pessoa Amorim)Quilombos no Brasil - (Aluna - Manuela Pessoa Amorim)
Quilombos no Brasil - (Aluna - Manuela Pessoa Amorim)
Escola Secundária Carlos Amarante - Braga - Portugal
 
Desterrados na própria terra.
Desterrados na própria terra.Desterrados na própria terra.
Desterrados na própria terra.
Jessica Nuvens
 
Aula 1: História local no Quilombo do Fortunato
Aula 1: História local no Quilombo do FortunatoAula 1: História local no Quilombo do Fortunato
Aula 1: História local no Quilombo do Fortunato
Viegas Fernandes da Costa
 
Consciência Negra
Consciência Negra Consciência Negra
Consciência Negra
NNDA1234
 
Resistencia escravidao 8 ano - Copia.pptx
Resistencia escravidao 8 ano - Copia.pptxResistencia escravidao 8 ano - Copia.pptx
Resistencia escravidao 8 ano - Copia.pptx
FabioRibeiro561695
 
Projeto de vida.docx
Projeto de vida.docxProjeto de vida.docx
Projeto de vida.docx
VivianyLocatelli
 
a) Ler os materiais de apoio disponíveis na pasta: “Materiais da Disciplina”.
a) Ler os materiais de apoio disponíveis na pasta: “Materiais da Disciplina”.a) Ler os materiais de apoio disponíveis na pasta: “Materiais da Disciplina”.
a) Ler os materiais de apoio disponíveis na pasta: “Materiais da Disciplina”.
Azul Assessoria Acadêmica
 
b) A partir de sua escolha, grave um vídeo (duração: mínimo 2 min. e máximo 5...
b) A partir de sua escolha, grave um vídeo (duração: mínimo 2 min. e máximo 5...b) A partir de sua escolha, grave um vídeo (duração: mínimo 2 min. e máximo 5...
b) A partir de sua escolha, grave um vídeo (duração: mínimo 2 min. e máximo 5...
Azul Assessoria Acadêmica
 
e) Justifique a escolha do material e explique porquê ele é imprescindível na...
e) Justifique a escolha do material e explique porquê ele é imprescindível na...e) Justifique a escolha do material e explique porquê ele é imprescindível na...
e) Justifique a escolha do material e explique porquê ele é imprescindível na...
Azul Assessoria Acadêmica
 
c) Inicie a gravação apresentando-se brevemente.
c) Inicie a gravação apresentando-se brevemente.c) Inicie a gravação apresentando-se brevemente.
c) Inicie a gravação apresentando-se brevemente.
Azul Assessoria Acadêmica
 
d) Coloque-se como um(a) professor(a) e apresente o recurso escolhido e o ano...
d) Coloque-se como um(a) professor(a) e apresente o recurso escolhido e o ano...d) Coloque-se como um(a) professor(a) e apresente o recurso escolhido e o ano...
d) Coloque-se como um(a) professor(a) e apresente o recurso escolhido e o ano...
Azul Assessoria Acadêmica
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Azul Assessoria Acadêmica
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Azul Assessoria Acadêmica
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Azul Assessoria Acadêmica
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Azul Assessoria Acadêmica
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Azul Assessoria Acadêmica
 

Semelhante a Plano de aula quilombolas- francisca roseane (20)

Aula Quilombos no Brasil - Prof. Elsa Avancini
Aula Quilombos no Brasil - Prof. Elsa AvanciniAula Quilombos no Brasil - Prof. Elsa Avancini
Aula Quilombos no Brasil - Prof. Elsa Avancini
 
Aula de historia pp
Aula de historia ppAula de historia pp
Aula de historia pp
 
Quilombos no Brasil
Quilombos no BrasilQuilombos no Brasil
Quilombos no Brasil
 
Quilombos
QuilombosQuilombos
Quilombos
 
Quilombos no Brasil - (Aluna - Manuela Pessoa Amorim)
Quilombos no Brasil - (Aluna - Manuela Pessoa Amorim)Quilombos no Brasil - (Aluna - Manuela Pessoa Amorim)
Quilombos no Brasil - (Aluna - Manuela Pessoa Amorim)
 
Desterrados na própria terra.
Desterrados na própria terra.Desterrados na própria terra.
Desterrados na própria terra.
 
Aula 1: História local no Quilombo do Fortunato
Aula 1: História local no Quilombo do FortunatoAula 1: História local no Quilombo do Fortunato
Aula 1: História local no Quilombo do Fortunato
 
Consciência Negra
Consciência Negra Consciência Negra
Consciência Negra
 
Resistencia escravidao 8 ano - Copia.pptx
Resistencia escravidao 8 ano - Copia.pptxResistencia escravidao 8 ano - Copia.pptx
Resistencia escravidao 8 ano - Copia.pptx
 
Projeto de vida.docx
Projeto de vida.docxProjeto de vida.docx
Projeto de vida.docx
 
a) Ler os materiais de apoio disponíveis na pasta: “Materiais da Disciplina”.
a) Ler os materiais de apoio disponíveis na pasta: “Materiais da Disciplina”.a) Ler os materiais de apoio disponíveis na pasta: “Materiais da Disciplina”.
a) Ler os materiais de apoio disponíveis na pasta: “Materiais da Disciplina”.
 
b) A partir de sua escolha, grave um vídeo (duração: mínimo 2 min. e máximo 5...
b) A partir de sua escolha, grave um vídeo (duração: mínimo 2 min. e máximo 5...b) A partir de sua escolha, grave um vídeo (duração: mínimo 2 min. e máximo 5...
b) A partir de sua escolha, grave um vídeo (duração: mínimo 2 min. e máximo 5...
 
e) Justifique a escolha do material e explique porquê ele é imprescindível na...
e) Justifique a escolha do material e explique porquê ele é imprescindível na...e) Justifique a escolha do material e explique porquê ele é imprescindível na...
e) Justifique a escolha do material e explique porquê ele é imprescindível na...
 
c) Inicie a gravação apresentando-se brevemente.
c) Inicie a gravação apresentando-se brevemente.c) Inicie a gravação apresentando-se brevemente.
c) Inicie a gravação apresentando-se brevemente.
 
d) Coloque-se como um(a) professor(a) e apresente o recurso escolhido e o ano...
d) Coloque-se como um(a) professor(a) e apresente o recurso escolhido e o ano...d) Coloque-se como um(a) professor(a) e apresente o recurso escolhido e o ano...
d) Coloque-se como um(a) professor(a) e apresente o recurso escolhido e o ano...
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
 
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
Olá, futuro docente de História da Educação Básica! Nesta atividade MAPA te c...
 

Plano de aula quilombolas- francisca roseane

  • 1. CURSO EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ETNICORRACIAIS MEDIADOR: SÓCRATES PEREIRA "Enquanto imperar a filosofia de que há uma raça inferior e outra superior o mundo estará permanentemente em guerra. É uma profecia, mas todo mundo sabe que isso é verdade" (Bob Marley) PLANO DE AULA A CULTURA QUILOMBOLA NA SALA DE AULA AUTORA: Francisca Roseane Franco Ribeiro de Sousa1 NÍVEL DE ENSINO: FUNDAMENTAL II MODALIDADE DE ENSINO: REGULAR ANO/SEMESTRE: 2º Semestre-2012 PÚBLICO ALVO: Alunos do 6º ao 9º ANO PERÍODO DE DURAÇÃO: 10 aulas 1 Pedagoga, Especialista em Orientação e Supervisão Educacional. Professora de Ensino Religioso da Rede Municipal de João Pessoa e do Estado da Paraíba. Mestranda do PPGCR- Programa de Pós Graduação em Ciências das Religiões- UFPB. E-mail: roseaneribeiro40@gamil.com
  • 2. COMPONENTES CURRICULARES: Ensino Religioso, Português, História, Geografia, Artes, Matemática TEMA: A história do povo Quilombola OBJETIVOS: Conhecer e valorizar a cultura Quilombola em sala de aula; Identificar as grandes contribuições da cultura Quilombola para construção da nossa história; Ampliar o conceito de cidadania, discutindo questões como respeito ao próximo, religiosidade e sincretismo, preconceito, direitos, inclusão, luta, resistência. PRÉ-REQUISITOS DOS ESTUDANTES: Espera-se que os estudantes estejam abertos a aceitar o outro convivendo em sociedade, realizando atividades em equipes, sendo solidários e respeitosos, assim como, saibam fazer uso dos recursos tecnológicos, estejam envolvidos participando ativamente das atividades planejadas. RECURSOS/MATERIAIS DE APOIO: Livros, dicionários, computadores, câmeras digitais, internet, gravuras, celulares, cartolinas, materiais de uso comum (lápis, borracha, cadernos, etc) GLOSSÁRIO: Quilombo: s.m. Aldeia em que se concentravam os escravos que fugiam das fazendas, minas e casas de família, onde eram explorados e sofriam maus tratos. Os escravos, para não serem encontrados, escondiam-se nas matas, nos lugares mais inacessíveis, como o alto das montanhas e grutas. Aí se reuniam e levavam vida livre. As pequenas aldeias eram também chamadas mocambos. Os maiores quilombos eram formados por vários mocambos. Seus habitantes eram chamados quilombolas. Enquanto durou a escravidão no Brasil, desde a colonização até o final do Império, existiram os quilombos.
  • 3. Quilombolas: s.f. são grupos sociais remanescentes de quilombos, marcados pela resistência e autonomia caracterizando um movimento na história do Brasil de transição na condição de escravo para a de camponês livre Resistência: s.f. Qualidade de um corpo que reage contra a ação de outro corpo. Aptidão para suportar a fadiga, a fome, o esforço: soldados que têm resistência. Defesa contra um ataque: opor forte resistência a assaltantes. Oposição, reação, recusa de submissão à vontade de outrem: obedecer sem resistência. Exaustão: s.f. Ação ou efeito de exaustar; esgotamento; extremo cansaço. Outras palavras serão construídas no decorrer das aulas QUESTÕES PROBLEMATIZADORAS: Alguém sabe dizer quem é esta pessoa? Já ouviram falar em Quilombolas? O que vocês entendem por resistência?
  • 4. TEXTO CONCEITUAL QUILOMBOS A utilização do trabalho escravo no Brasil foi uma prática marcada por diversas manifestações de resistência contra esse tipo de relação de trabalho opressivo. Entre tantas alternativas, a constituição dos quilombos foi uma das mais ousadas e bem articuladas ações que buscavam quebrar as imposições da administração colonial. Apesar de sua relevância, poucos são os registros que demonstram a presença e o funcionamento desse tipo instituição no período colonial. Formado a partir da reunião de vários escravos fugitivos, um quilombo passava a constituir um tipo de comunidade bastante diferente das que foram criadas pela ação dos colonizadores portugueses. Os habitantes dos quilombos, chamados de “quilombolas”, participavam de todo o trabalho que envolvia a obtenção de alimentos e construíam pequenas oficinas onde fabricavam suas roupas, utensílios domésticos, ferramentas de trabalho e móveis. Mais do que uma simples comunidade, o quilombo era formado em locais de difícil acesso. Tal medida visava impedir a recaptura dos escravos fugidos. Geralmente, o quilombo também era organizado na proximidade de estradas para que os quilombolas pudessem assaltar os viajantes que por ali transitavam. Não se limitando ao abrigo de escravos africanos, os quilombos também serviam de morada para índios e criminosos que escapavam da justiça. Nessas comunidades, conforme aponta alguns relatos, houve o desenvolvimento de um código moral e de justiça bastante peculiares. O adultério, o roubo, o homicídio e a deserção eram severamente punidos com a pena de morte. Ao mesmo tempo, os quilombos foram importantes para que traços diversos da cultura africana se mantivessem vivos em nossa própria cultura atual. Ritos, danças, pratos e expressões comuns ao território brasileiro são nitidamente influenciados pela cultura africana. Um dos mais importantes quilombos do período colonial foi criado na serra da Barriga Verde, no estado de Alagoas. O Quilombo dos Palmares, formado no início do século XVII, abrigava uma série de quilombos menores e constituía uma grande comunidade integrada por milhares de pessoas. O período de expansão desse quilombo aconteceu durante as invasões holandesas, momento em que vários escravos aproveitaram do distúrbio para fugirem dos engenhos. Durante muito tempo, a destruição deste quilombo preocupou as autoridades coloniais daquela região. Após a deflagração de várias batalhas, o capitão-mor Fernão Carrilho quase deu fim à Palmares em 1678, após aprisionar vários de seus principais líderes. Quando a contenda parecia estar finalmente resolvida, apareceu a figura do líder Zumbi rearticulando novas forças que resistiram até os últimos anos do século XVII. Atualmente, existem várias comunidades que são remanescentes de quilombos formados durante a época colonial. Reconhecendo a presença e a soberania dos descendentes de quilombolas nessas regiões, o governo concedeu títulos de propriedade aos habitantes dessas regiões. Estimativas publicadas no ano de 2008 apontam que existem 185 comunidades quilombolas espalhadas em cerca de 980 mil hectares. Disponível em: http://www.mundoeducacao.com.br/historiadobrasil/quilombos.htm PARA REFLETIR COM OS ALUNOS: O que vocês acharam do texto? Que podemos dizer sobre a vida dos quilombolas? Podemos dizer que a vida dos quilombolas mudou ou continua passível de sofrimento? Perto de vocês ou na sala de aula tem alguém que se identifica como quilombola? Por quê? Que atitudes estão sendo tomadas para reconhecer os direitos destas comunidades? ATIVIDADES DO PROFESSOR:
  • 5. Prepara slides sobre a cultura quilombola Apresentar textos sobre os quilombos Explorar vídeos que retratem a realidade do povo nos quilombos Explorar elementos da cultura quilombola Pesquisar sites que apresentem materiais para os alunos terem mais conhecimentos Elaborar questões para a realização de entrevistas na comunidade sobre quilombos Assistir o documetário: A Terra e o Tempo: Vozes do Quilombo disponível em http://www.youtube.com/watch?v=7tws2MMsh9A Debates. TAREFAS DOS ALUNOS: Pesquisar na internet textos que falem sobre os Quilombos e as comunidades Quilombolas existentes no Brasil Assistir vídeos sobre Quilombo dos Palmares, para discussão em sala de aula Pesquisar na comunidade em que vivem se existem descendentes de Quilombolas Apresentar os resultados das pesquisas através de gráficos Confeccionar painéis com temas sobre os Quilombos. Identificar as heranças culturais quilombolas para nossa sociedade PARA SABER MAIS ZUMBI DOS PALMARES Hoje, passado um século Alegremente, venho exaltar
  • 6. O rei negro, valente, indomável Que viveu prá sua raça libertar Quem ainda nunca ouviu falar do negro Pare um pouco agora prá escutar Como é linda a história deste anjo Que resolvi, neste dia, lhes contar Cansado de viver no cativeiro E vendo sua gente só sofrer Zumbi rompeu a rede da injustiça E nas matas, com seu povo foi viver Negro de pele brilhante e de idéias liberais Célebre, por sua coragem e por sonhos divinais Zumbi, fundou no Estado de Alagoas O "Quilombo dos Palmares" Na busca incessante, da paz tão sonhada Fugindo dos açoites e dos ferros em brasa, Do medo dos senhores e da aflição da senzala, Na Serra da "Barriga" fizeram morada Protegidos por florestas de palmeiras E tendo o velho mestre na dianteira Os filhos do infortúnio e da tortura Esqueceram-se das algemas e das canseiras Filhos das matas, dos rios e cascatas Amigos dos bichos e da lua prateada Ignoraram o grito de dor, que longo tempo suportaram Respirando o ar puro das montanhas abençoadas Subiram serras, ouvindo o sabiá Pularam vales, atrás do uirapuru Dormiram no seio da noite azul Correram montes de Norte a Sul Mas, um dia o terror lá no morro chegou E o que era só felicidade, de repente sucumbiu Os capitães do mato os encontrou E uma enxurrada de sangue, desceu pelo triste rio Só que o pai negro, gigante e justiceiro Guardião da fortaleza e protetor dos infelizes Que tinha no sangue a justa rebeldia Driblou a todos com grandiosa maestria Passado alguns anos, o nosso herói, tombou vencido
  • 7. Traído cruelmente, por um antigo amigo Seu povo finalmente, foi dominado e humilhado E o "Quilombo de Zumbi", foi esquecido. Disponível em:http://www.brasilwiki.com.br/noticia.php?id_noticia=7792 Sites relacionados: http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/historia-local-afro- descendentes-472191.shtm http://www.cpisp.org.br/comunidades/html/brasil/pe/pe_conceicao_educacao.html Contas do Google AVALIAÇÃO O aluno será avaliado através da observação do seu interesse, participação e realização das atividades propostas individuais e coletivas. EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO: 1- Conforme o que já estudamos sobre a cultura Quilombola, respondam as seguintes questões? a) O que você aprendeu sobre os Quilombos? b) Como é a vida dos Quilombolas no cotidiano? c) Existem políticas públicas voltadas para os interesses dos Quilombolas? d) Se você governasse o Brasil, que medida tomaria para viabilizar a melhoria de vida do povo Quilombola? Por quê? REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Documentário :Terra de Quilombo - Uma dívida Histórica (30min) http://video.google.com/videoplay?docid=-2531992243254208946 - Filme: Aruanda http://video.google.com/videoplay?docid=298537318361371655 http://www.institutosumauma.org.br/imagem/arquivo/Terra_Qulombola.pdf - BARATA, Rogério; BARROS, Maria das Dores; SILVA, Delma Josefa da. Terra de Quilombo.
  • 8. http://www.redeh.org.br/biblioteca/publicacoes-conteudo.asp?cod=12 - Quilombos - Espaço de resistência de crianças, jovens, mulheres e homens negros http://www.redeh.org.br/biblioteca/publicacoes-conteudo.asp?cod=2 - História em Quadrinhos: Minas de Quilombos http://www.sec.pb.gov.br/ead/pluginfile.php/138/mod_forum/attachment/6739/LISTA%20C OMUNIDADADES.doc - Lista das Comunidades Quilombolas http://www.seppir.gov.br/.arquivos/pbq.pdf - II- Conceito e Histórico da Questão Quilombola no Brasil e III Legislação http://www.seppir.gov.br/destaques/Cartilha%20Quilombola-screen.pdf - Cartilha Quilombola http://www.smec.salvador.ba.gov.br/documentos/quilombos-no-brasil.pdf - SIQUEIRA, Maria de Lourdes. Quilombos no Brasil e a singularidade de Palmares http://www.vimeo.com/1436330 - Filme: Dança das Cabaças