SlideShare uma empresa Scribd logo
Boa noite, sejam todos muito benvindos a nossa casa espírita,
para continuarmos o nosso estudo dos ensinamentos de Jesus Cristo!
Hoje vamos falar sobre o tema “A compreensão e a prática”,
retirado do cap. 17: Sede Perfeitos; do livro ESE de Allan Kardec.
São Paulo, 21 de Setembro de 2016 – SEAC/CEEAK
Palestrante: Tiburcio Santos
Nossa Casa Espírita: assistência social e espiritual
S.E.A.C. = Sopa, Esperança, Amor e Caridade
 Assistência Social: sopa, cestas Natal, Dia das crianças, etc...
 Assistência Espiritual: passes e vibrações positivas
Alimento para o corpo e para a alma!
Nossa Casa Espírita: estudos espíritas
C.E.E.A.K. = Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec
 Estudos: diversos cursos de evangelização
Sem fins lucrativos... 100% trabalho voluntário!
Sintonia com o plano espiritual
 Vamos RESPIRAR profundamente,
desligando dos sentidos materiais,
para uma ligação mais rápida e verdadeira com o plano espiritual,
fechando levemente nossos olhos,
e elevando nosso pensamento à Jesus.
Prece de abertura
 Pedimos ao nosso irmão maior e modelo que,
juntamente com os mensageiros, espíritos simpatizantes e protetores,
nos leve até a PRESENÇA DE DEUS; e juntos oremos:
 “Amado Deus, pedimos que nos ajude a compreender
as mensagens de hoje e receber os benefícios desta assistência
criando as melhores condições no meu corpo, mente e espírito.
 Que assim seja, graças a Deus!
A palestra e a assistência espiritual
 Aproveitem esta oportunidade de sintonia com o plano espiritual!
 A partir da sua entrada no salão, você já esta sendo assistido;
portanto esta palestra é parte integrante do seu passe,
e foi desenvolvida a partir do Evangelho de Jesus,
sob a interpretação espírita.
 Convido a todos para RETORNAR AO SALÃO, após o passe.
SEDE PERFEITOS
 O que Deus pretende é fazer-nos deuses
por participação Sendo-O Ele por natureza
Como fogo que converte tudo em fogo
O que Deus pretende é fazer-nos deuses.
 Deixa-te ensinar, deixa-te mandar, deixa-te sujeitar.
Deixa-te ensinar, deixa-te mandar e desprezar
E serás perfeita.
 Nega aos teus desejos e encontrarás o que deseja teu coração.
Põe amorosa atenção em Deus,
Sem desejo de querer sentir ou entender
Coisa particular a respeito dEle.
 Aprende a amar como Deus quer ser amado
E deixa a tua condição
O demônio teme a alma unida a Deus
Como ao próprio Deus.
Música: Sede perfeitos
Autor: Irmã Kelly Patricia
O espiritismo e as Leis Divinas ou Naturais
 Avançamos rumo a integração com à Consciência Divina
(Deus) e à planos mais evoluídos, a cada encarnação,
através do conhecimento das verdades universais
que hoje já estão ao alcance da nossa compreensão.
Espírito – Perispírito – Corpo Físico
Perispírito: as três partes do ser
 Um dos conceitos que diferencia o Espiritismo das demais religiões
é um corpo fluídico denominado perispírito,
responsável pelos principais fenômenos mediúnicos.
Plexos e chacras ou centros de força
 A cada plexo ou feixe de pequenos nervos – no corpo físico,
corresponde um centro de força (ou chacra) - no perispírito,
responsáveis por um sistema ou região de nosso organismo.
 É muito importante ter sempre em mente que os centros de força
captam energias, transferindo-as ao corpo físico.
Corpo Físico Perispírito
Centros de força
 Os centros de força são verdadeiros vórtices, por onde os dinâmicos
campos magnéticos da personalidade espiritual se ligam ao físico.
 Todos eles encontram-se em constante permuta energética entre si,
fazendo com que qualquer desequilíbrio em um deles reflita-se em todo
o conjunto e, por consequência, em todo o corpo físico.
O passe espírita: colaboração entre os dois planos
 O fluido cósmico universal é captado pelo passista,
e transformado em fluido vital. Este é disponibilizado aos
trabalhadores espirituais que, conhecedores das nossas necessidades,
harmonizam os chacras e o períspirito do assistido,
refletindo na saúde física, psíquica e mental.
Reforma moral
 São os passes e a prece veículos intercessórios,
MEDICAMENTOS reparativos complementares,
que embora dos mais úteis e, diríamos indispensáveis,
não é a base real do reequilíbrio e da re-harmonização
dos centros de força, a qual se estriba na reforma moral.
Doenças do Corpo e do Espírito
 O Espiritismo dá a chave das relações que existem entre a alma e o corpo,
e prova que há REAÇÃO INCESSANTE de um sobre o outro.
 Ele abre, assim, novo caminho à ciência e, em lhe mostrando a
verdadeira causa de certas doenças, lhe dá os meios de combatê-las.
Outras práticas saudáveis e recomendadas
 Oração noturna e matinal
 Agradecimento pelo dia e pedindo proteção para o sono.
 Pedir para fluidificar a água!
 Agradecimento pela vida e pedindo proteção para o novo dia.
 Beber a água fluidificada!
 Evangelho no lar (semanalmente)
 Leitura e comentários de curto trecho de livro espírita
 Higiene da casa e dos moradores (encarnados e desencarnados)!
Divaldo
A Doutrina Espírita: o Pentateuco
 AK elaborou muitos livros, reunindo revelações do mundo todo,
principalmente os cinco livros básicos que compõem a
Doutrina Espírita, chamados de Pentateuco Espírita:
 1857 - Livro dos Espíritos
 1861 - Livro dos Médiuns
 1864 - O Evangelho segundo o Espiritismo (ESE)
 1865 - O Céu e o Inferno
 1868 - A Gênese
 O que é o Espiritismo?
 Obras póstumas
Educação Espírita
 A Educação Espírita é inerente à doutrina:
quem estuda as obras básicas da Codificação
e complementares estará recebendo esta educação.
 Por isso meus amigos, recomendamos: LEIAM, leiam e releiam
as obras básicas espíritas e grandes escritores com FCX, DPF, etc.
O estudo do ESE
 O ESE é uma seleção de passagens da Bíblia,
organizadas de acordo com temas retirados dos 4 evangelhos,
e contendo a explicação das máximas morais do Cristo,
sua concordância com o Espiritismo e
sua aplicação às diversas situações da vida.
 Hoje abordaremos os seguintes tópicos:
 Caracteres da Perfeição O Homem de Bem
 Os Bons Espíritas Parábola do Semeador
A perfeição relativa
 Hoje a palestra aborda a questão da perfeição;
na verdade a perfeição relativa de que a humanidade é suscetível,
e que mais pode aproximá-la da Divindade.
 Deus nos criou simples e ignorantes para que,
através do nosso próprio esforço,
evoluíssemos até chegar a perfeição divina.
O verdadeiro espírita
 No ESE cap 17, item 4 “Os bons espíritas”, temos a explicação:
 O Espiritismo não cria uma nova moral,
mas facilita aos homens a compreensão e a prática da moral do Cristo,
ao dar uma fé sólida e esclarecida aos que duvidam ou vacilam.
 O Espiritismo bem compreendido, mas sobretudo bem sentido,
conduz forçosamente a bons resultados, que caracterizam o verdadeiro
espírita, como o verdadeiro cristão,
pois um e outro são a mesma coisa.
A clareza da doutrina espírita
 Muitos dos que crêem na realidade das manifestações não
compreendem as suas consequências nem o seu alcance moral,
ou, se os compreendem, não os aplicam a si mesmos.
 Por que acontece isso? Será por uma falta de precisão da doutrina?
 Não, porque ela não contém alegorias,
nem figuras que possam dar lugar a falsas interpretações.
 A clareza é a sua própria essência, e é isso que lhe dá força, para que
atinja diretamente a inteligência. Nada tem de mistérios, e seus
iniciados não possuem nenhum segredo que seja oculto ao povo.
Inteligência e maturidade do senso moral
 Seria necessária uma inteligência fora do comum para compreendê-la?
 Não, pois vêem-se homens de notória capacidade
que não a compreendem, enquanto inteligências vulgares,
até mesmo de jovens que mal saíram da adolescência,
apreendem com admirável justeza as suas mais delicadas nuanças.
 Isso acontece porque a parte material da ciência
não requer mais do que os olhos para ser observada,
enquanto a parte essencial exige um certo grau de sensibilidade,
que podemos chamar de maturidade do senso moral.
Crescimento espiritual: evolução
 Maturidade essa independente da idade e do grau de instrução,
porque é inerente ao desenvolvimento,
num sentido especial, do espírito encarnado.
 O Deus verdadeiro criou-nos simples e ignorantes para que,
através do nosso próprio esforço, EVOLUÍSSEMOS.
Transformação espiritual: persistência e boas atitudes
 É necessário muita persistência para modificar os nossos
pensamentos e as nossas ações, reconhecer nossas imperfeições
e transformá-las em boas atitudes.
 A sede insaciável de perfeição, que o espírito experimenta,
constitui a prova de sua origem divina.
Andrea Bocelli e Celine Dion: The Prayer (A Oração)
O homem de bem: vontade firme
 Enquanto o espírita imperfeito se compraz no seu horizonte limitado,
o bom espírita, que compreende a existência de alguma coisa melhor,
esforça-se para se libertar, e sempre o consegue,
quando dispõe de uma vontade firme.
 No item 3. O homem de bem, temos a seguinte mensagem:
 O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça,
de amor e caridade, na sua maior pureza.
 Se interroga a sua consciência sobre os próprios atos,
pergunta se não violou essa lei, se não cometeu o mal,
 se fez todo o bem que podia,
 se não deixou escapar voluntariamente uma ocasião de ser útil,
 se ninguém tem do que se queixar dele, enfim,
 se fez aos outros aquilo que queria que os outros fizessem por ele.
 Tem fé em Deus, na sua bondade, na sua justiça e na sua sabedoria;
sabe que nada acontece sem a sua permissão,
e submete-se em todas as coisas à sua vontade.
 Tem fé no futuro,
e por isso coloca os bens espirituais acima dos bens temporais.
A virtude
 No ESE cap.17, item 8. A virtude, temos:
 8. A virtude, no seu grau mais elevado,
abrange o conjunto de todas as qualidades essenciais
que constituem o homem de bem.
 Ser bom, caridoso, trabalhador, sóbrio, modesto,
são as qualidades do homem virtuoso.
 Infelizmente, são quase sempre acompanhadas de
pequenas falhas morais, que as deslustram e enfraquecem.
A virtude sem ostentação
 Aquele que faz alarde de sua virtude não é virtuoso,
pois lhe falta a principal qualidade: a modéstia,
e sobra-lhe o vício mais oposto: o orgulho.
 A virtude realmente digna desse nome não gosta de exibir-se...
ela se esconde na sombra, foge à admiração das multidões.
Santas inspirações
 Todos os homens de bem ignoravam que eram virtuosos.
Deixavam-se levar pela corrente das suas santas inspirações,
e praticavam o bem com absoluto desinteresse
e completo esquecimento de si mesmos.
 É para essa virtude, assim compreendida e praticada,
que eu vos convido, meus filhos. Para essa virtude realmente cristã
e verdadeiramente espírita, que eu vos convido a consagrar-vos.
Simplicidade
 Mas afastai de vossos corações o sentimento do orgulho, da vaidade,
do amor próprio, que deslustram sempre as mais belas qualidades.
 Não imiteis esse homem que se apresenta como modelo e
se gaba das próprias qualidades, para todos os ouvidos tolerantes.
 Essa virtude de ostentação esconde, quase sempre,
uma infinidade de pequenas torpezas e odiosas fraquezas.
Fazer o bem
 O homem que se exalta a si mesmo, que eleva estátuas
à sua própria virtude, em princípio aniquila, por essa única razão,
todos os méritos que efetivamente podia ter.
 E que direi daquele cujo valor se reduz a parecer o que não é?
 Compreendo perfeitamente que aquele que faz o bem
sente uma satisfação íntima, no fundo do coração.
 Mas desde o momento em que essa satisfação se exterioriza, para
provocar elogios, degenera em amor-próprio.
A humildade
 A virtude é uma graça, que desejo para todos os espíritas sinceros,
mas com esta advertência:
 Mais vale menos virtude na modéstia,
do que muitas no orgulho.
 Foi pelo orgulho que as humanidades se perderam sucessivamente.
 É pela humildade que elas um dia deverão redimir-se.
O modelo: Jesus
 No Livro dos Espíritos, na questão 625, temos:
 “Qual o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem
para lhe servir de guia e modelo? Vede Jesus. Para o homem,
Jesus constitui o tipo da perfeição moral que a humanidade pode
aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo (...)”
 O Espírito marcha, impávido e radiante, de etapa em etapa,
de estágio em estágio, ascendendo continuamente pela senda intérmina
da perfectibilidade, em obediência ao sublime imperativo do maior
expoente da verdade neste mundo: o Mestre Jesus.
A Parábola do Semeador
Pela sua atenção e paciência, meu muito obrigado!
Tenham todos uma ótima semana.
Mensagem de Chico Xavier: Prece do trabalhador

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
Denise Tamaê
 
Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
Marcos Antônio Alves
 
Ano novo
Ano novoAno novo
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
gmo1973
 
Estudos do evangelho " Fé e caridade"
Estudos do evangelho " Fé e caridade"Estudos do evangelho " Fé e caridade"
Estudos do evangelho " Fé e caridade"
Leonardo Pereira
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Divulgador do Espiritismo
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
Jose Ferreira Almeida Almeida
 
Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
Débora Homobono
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 
Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
Unesp
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
Grupo Espírita Cristão
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIVHonrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Fábio Paiva
 
Causas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshareCausas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshare
Almir Silva
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
Dalila Melo
 
Amem seus inimigos
Amem seus inimigosAmem seus inimigos
Amem seus inimigos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
O Dever
O DeverO Dever
O Dever
CEENA_SS
 

Mais procurados (20)

Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
 
Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
 
Ano novo
Ano novoAno novo
Ano novo
 
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos InimigosCap 12 Amar os vossos Inimigos
Cap 12 Amar os vossos Inimigos
 
Estudos do evangelho " Fé e caridade"
Estudos do evangelho " Fé e caridade"Estudos do evangelho " Fé e caridade"
Estudos do evangelho " Fé e caridade"
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
Palestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bemPalestra 29 o homem de bem
Palestra 29 o homem de bem
 
Infortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestraInfortunios ocultos palestra
Infortunios ocultos palestra
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
 
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIVHonrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
 
Causas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshareCausas das aflições slideshare
Causas das aflições slideshare
 
A piedade
A piedadeA piedade
A piedade
 
Amem seus inimigos
Amem seus inimigosAmem seus inimigos
Amem seus inimigos
 
O Dever
O DeverO Dever
O Dever
 

Destaque

SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
Isnande Mota Barros
 
Palestra Espírita - Sede perfeitos
Palestra Espírita - Sede perfeitosPalestra Espírita - Sede perfeitos
Palestra Espírita - Sede perfeitos
Divulgador do Espiritismo
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Patricia Farias
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Tiburcio Santos
 
A Miséria Humana
A Miséria HumanaA Miséria Humana
A Miséria Humana
-
 
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meuCapítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Eduardo Ottonelli Pithan
 

Destaque (7)

SEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOSSEDE PERFEITOS
SEDE PERFEITOS
 
Palestra Espírita - Sede perfeitos
Palestra Espírita - Sede perfeitosPalestra Espírita - Sede perfeitos
Palestra Espírita - Sede perfeitos
 
Sede perfeitos
Sede perfeitosSede perfeitos
Sede perfeitos
 
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
Os Mensageiros - A vida no Mundo espiritual Cap 06
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
 
A Miséria Humana
A Miséria HumanaA Miséria Humana
A Miséria Humana
 
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meuCapítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
Capítulo 3 ESE - Há muitas moradas na casa de meu
 

Semelhante a Palestra ESE cap17 Sede perfeitos

O que é o espiritismo
O que é o espiritismo O que é o espiritismo
O que é o espiritismo
grupodepaisceb
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
18 encontro espírita sobre medicina espiritual (celd)
18 encontro espírita sobre medicina espiritual (celd)18 encontro espírita sobre medicina espiritual (celd)
18 encontro espírita sobre medicina espiritual (celd)
Ricardo Akerman
 
Como proceder no estudo do espiritismo
Como proceder no estudo do espiritismoComo proceder no estudo do espiritismo
Como proceder no estudo do espiritismo
Helio Cruz
 
Como proceder no estudo do espiritismo
Como proceder no estudo do espiritismoComo proceder no estudo do espiritismo
Como proceder no estudo do espiritismo
Helio Cruz
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Alessandru2
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiososPalestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Tiburcio Santos
 
principios basicos do espiritismo
principios basicos do espiritismoprincipios basicos do espiritismo
principios basicos do espiritismo
cleomarjunior
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Quem domina a sua mente
Quem domina a sua menteQuem domina a sua mente
Quem domina a sua mente
Vilma Longuini
 
( Espiritismo) # - a e e - 3º p e e
( Espiritismo)   # - a e e - 3º p e e( Espiritismo)   # - a e e - 3º p e e
( Espiritismo) # - a e e - 3º p e e
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - a e e - 3º p e e
( Espiritismo)   # - a e e - 3º p e e( Espiritismo)   # - a e e - 3º p e e
( Espiritismo) # - a e e - 3º p e e
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
1 O que é Espiritismo
1   O que é Espiritismo1   O que é Espiritismo
1 O que é Espiritismo
CEJG
 
Conhecendo o-espiritismo
Conhecendo o-espiritismoConhecendo o-espiritismo
Conhecendo o-espiritismo
Flavio Oliveira
 
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
João nunes maia   miramez - filosofia espirita iJoão nunes maia   miramez - filosofia espirita i
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
havatar
 

Semelhante a Palestra ESE cap17 Sede perfeitos (20)

O que é o espiritismo
O que é o espiritismo O que é o espiritismo
O que é o espiritismo
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
18 encontro espírita sobre medicina espiritual (celd)
18 encontro espírita sobre medicina espiritual (celd)18 encontro espírita sobre medicina espiritual (celd)
18 encontro espírita sobre medicina espiritual (celd)
 
Como proceder no estudo do espiritismo
Como proceder no estudo do espiritismoComo proceder no estudo do espiritismo
Como proceder no estudo do espiritismo
 
Como proceder no estudo do espiritismo
Como proceder no estudo do espiritismoComo proceder no estudo do espiritismo
Como proceder no estudo do espiritismo
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
05 ciclo basico
05 ciclo basico05 ciclo basico
05 ciclo basico
 
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010Espiritismo e a casa esp+ìrita ii  agosto 2010
Espiritismo e a casa esp+ìrita ii agosto 2010
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
 
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiososPalestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
 
principios basicos do espiritismo
principios basicos do espiritismoprincipios basicos do espiritismo
principios basicos do espiritismo
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
 
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo( Espiritismo)   # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
( Espiritismo) # - a e nosso lar - curso basico de espiritismo
 
Quem domina a sua mente
Quem domina a sua menteQuem domina a sua mente
Quem domina a sua mente
 
( Espiritismo) # - a e e - 3º p e e
( Espiritismo)   # - a e e - 3º p e e( Espiritismo)   # - a e e - 3º p e e
( Espiritismo) # - a e e - 3º p e e
 
( Espiritismo) # - a e e - 3º p e e
( Espiritismo)   # - a e e - 3º p e e( Espiritismo)   # - a e e - 3º p e e
( Espiritismo) # - a e e - 3º p e e
 
1 O que é Espiritismo
1   O que é Espiritismo1   O que é Espiritismo
1 O que é Espiritismo
 
Conhecendo o-espiritismo
Conhecendo o-espiritismoConhecendo o-espiritismo
Conhecendo o-espiritismo
 
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
João nunes maia   miramez - filosofia espirita iJoão nunes maia   miramez - filosofia espirita i
João nunes maia miramez - filosofia espirita i
 

Mais de Tiburcio Santos

Palestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 SemeadoresPalestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 Semeadores
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE25 buscai e achareis
Palestra ESE25   buscai e achareis Palestra ESE25   buscai e achareis
Palestra ESE25 buscai e achareis
Tiburcio Santos
 
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Tiburcio Santos
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Tiburcio Santos
 
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Tiburcio Santos
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda... Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consoladorPalestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Tiburcio Santos
 
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Curso de passe   centro de força 2011113 v1Curso de passe   centro de força 2011113 v1
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Tiburcio Santos
 

Mais de Tiburcio Santos (10)

Palestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 SemeadoresPalestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 Semeadores
 
Palestra ESE25 buscai e achareis
Palestra ESE25   buscai e achareis Palestra ESE25   buscai e achareis
Palestra ESE25 buscai e achareis
 
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
 
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
 
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda... Palestra ESE13 que a mão esquerda...
Palestra ESE13 que a mão esquerda...
 
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consoladorPalestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
 
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Curso de passe   centro de força 2011113 v1Curso de passe   centro de força 2011113 v1
Curso de passe centro de força 2011113 v1
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
 

Último

Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 

Último (18)

Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 

Palestra ESE cap17 Sede perfeitos

  • 1. Boa noite, sejam todos muito benvindos a nossa casa espírita, para continuarmos o nosso estudo dos ensinamentos de Jesus Cristo! Hoje vamos falar sobre o tema “A compreensão e a prática”, retirado do cap. 17: Sede Perfeitos; do livro ESE de Allan Kardec. São Paulo, 21 de Setembro de 2016 – SEAC/CEEAK Palestrante: Tiburcio Santos
  • 2. Nossa Casa Espírita: assistência social e espiritual S.E.A.C. = Sopa, Esperança, Amor e Caridade  Assistência Social: sopa, cestas Natal, Dia das crianças, etc...  Assistência Espiritual: passes e vibrações positivas Alimento para o corpo e para a alma!
  • 3. Nossa Casa Espírita: estudos espíritas C.E.E.A.K. = Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec  Estudos: diversos cursos de evangelização Sem fins lucrativos... 100% trabalho voluntário!
  • 4. Sintonia com o plano espiritual  Vamos RESPIRAR profundamente, desligando dos sentidos materiais, para uma ligação mais rápida e verdadeira com o plano espiritual, fechando levemente nossos olhos, e elevando nosso pensamento à Jesus.
  • 5. Prece de abertura  Pedimos ao nosso irmão maior e modelo que, juntamente com os mensageiros, espíritos simpatizantes e protetores, nos leve até a PRESENÇA DE DEUS; e juntos oremos:  “Amado Deus, pedimos que nos ajude a compreender as mensagens de hoje e receber os benefícios desta assistência criando as melhores condições no meu corpo, mente e espírito.  Que assim seja, graças a Deus!
  • 6. A palestra e a assistência espiritual  Aproveitem esta oportunidade de sintonia com o plano espiritual!  A partir da sua entrada no salão, você já esta sendo assistido; portanto esta palestra é parte integrante do seu passe, e foi desenvolvida a partir do Evangelho de Jesus, sob a interpretação espírita.  Convido a todos para RETORNAR AO SALÃO, após o passe.
  • 7. SEDE PERFEITOS  O que Deus pretende é fazer-nos deuses por participação Sendo-O Ele por natureza Como fogo que converte tudo em fogo O que Deus pretende é fazer-nos deuses.  Deixa-te ensinar, deixa-te mandar, deixa-te sujeitar. Deixa-te ensinar, deixa-te mandar e desprezar E serás perfeita.  Nega aos teus desejos e encontrarás o que deseja teu coração. Põe amorosa atenção em Deus, Sem desejo de querer sentir ou entender Coisa particular a respeito dEle.  Aprende a amar como Deus quer ser amado E deixa a tua condição O demônio teme a alma unida a Deus Como ao próprio Deus. Música: Sede perfeitos Autor: Irmã Kelly Patricia
  • 8. O espiritismo e as Leis Divinas ou Naturais  Avançamos rumo a integração com à Consciência Divina (Deus) e à planos mais evoluídos, a cada encarnação, através do conhecimento das verdades universais que hoje já estão ao alcance da nossa compreensão.
  • 9. Espírito – Perispírito – Corpo Físico Perispírito: as três partes do ser  Um dos conceitos que diferencia o Espiritismo das demais religiões é um corpo fluídico denominado perispírito, responsável pelos principais fenômenos mediúnicos.
  • 10. Plexos e chacras ou centros de força  A cada plexo ou feixe de pequenos nervos – no corpo físico, corresponde um centro de força (ou chacra) - no perispírito, responsáveis por um sistema ou região de nosso organismo.  É muito importante ter sempre em mente que os centros de força captam energias, transferindo-as ao corpo físico. Corpo Físico Perispírito
  • 11. Centros de força  Os centros de força são verdadeiros vórtices, por onde os dinâmicos campos magnéticos da personalidade espiritual se ligam ao físico.  Todos eles encontram-se em constante permuta energética entre si, fazendo com que qualquer desequilíbrio em um deles reflita-se em todo o conjunto e, por consequência, em todo o corpo físico.
  • 12. O passe espírita: colaboração entre os dois planos  O fluido cósmico universal é captado pelo passista, e transformado em fluido vital. Este é disponibilizado aos trabalhadores espirituais que, conhecedores das nossas necessidades, harmonizam os chacras e o períspirito do assistido, refletindo na saúde física, psíquica e mental.
  • 13. Reforma moral  São os passes e a prece veículos intercessórios, MEDICAMENTOS reparativos complementares, que embora dos mais úteis e, diríamos indispensáveis, não é a base real do reequilíbrio e da re-harmonização dos centros de força, a qual se estriba na reforma moral.
  • 14. Doenças do Corpo e do Espírito  O Espiritismo dá a chave das relações que existem entre a alma e o corpo, e prova que há REAÇÃO INCESSANTE de um sobre o outro.  Ele abre, assim, novo caminho à ciência e, em lhe mostrando a verdadeira causa de certas doenças, lhe dá os meios de combatê-las.
  • 15. Outras práticas saudáveis e recomendadas  Oração noturna e matinal  Agradecimento pelo dia e pedindo proteção para o sono.  Pedir para fluidificar a água!  Agradecimento pela vida e pedindo proteção para o novo dia.  Beber a água fluidificada!  Evangelho no lar (semanalmente)  Leitura e comentários de curto trecho de livro espírita  Higiene da casa e dos moradores (encarnados e desencarnados)! Divaldo
  • 16. A Doutrina Espírita: o Pentateuco  AK elaborou muitos livros, reunindo revelações do mundo todo, principalmente os cinco livros básicos que compõem a Doutrina Espírita, chamados de Pentateuco Espírita:  1857 - Livro dos Espíritos  1861 - Livro dos Médiuns  1864 - O Evangelho segundo o Espiritismo (ESE)  1865 - O Céu e o Inferno  1868 - A Gênese  O que é o Espiritismo?  Obras póstumas
  • 17. Educação Espírita  A Educação Espírita é inerente à doutrina: quem estuda as obras básicas da Codificação e complementares estará recebendo esta educação.  Por isso meus amigos, recomendamos: LEIAM, leiam e releiam as obras básicas espíritas e grandes escritores com FCX, DPF, etc.
  • 18. O estudo do ESE  O ESE é uma seleção de passagens da Bíblia, organizadas de acordo com temas retirados dos 4 evangelhos, e contendo a explicação das máximas morais do Cristo, sua concordância com o Espiritismo e sua aplicação às diversas situações da vida.  Hoje abordaremos os seguintes tópicos:  Caracteres da Perfeição O Homem de Bem  Os Bons Espíritas Parábola do Semeador
  • 19. A perfeição relativa  Hoje a palestra aborda a questão da perfeição; na verdade a perfeição relativa de que a humanidade é suscetível, e que mais pode aproximá-la da Divindade.  Deus nos criou simples e ignorantes para que, através do nosso próprio esforço, evoluíssemos até chegar a perfeição divina.
  • 20. O verdadeiro espírita  No ESE cap 17, item 4 “Os bons espíritas”, temos a explicação:  O Espiritismo não cria uma nova moral, mas facilita aos homens a compreensão e a prática da moral do Cristo, ao dar uma fé sólida e esclarecida aos que duvidam ou vacilam.  O Espiritismo bem compreendido, mas sobretudo bem sentido, conduz forçosamente a bons resultados, que caracterizam o verdadeiro espírita, como o verdadeiro cristão, pois um e outro são a mesma coisa.
  • 21. A clareza da doutrina espírita  Muitos dos que crêem na realidade das manifestações não compreendem as suas consequências nem o seu alcance moral, ou, se os compreendem, não os aplicam a si mesmos.  Por que acontece isso? Será por uma falta de precisão da doutrina?  Não, porque ela não contém alegorias, nem figuras que possam dar lugar a falsas interpretações.  A clareza é a sua própria essência, e é isso que lhe dá força, para que atinja diretamente a inteligência. Nada tem de mistérios, e seus iniciados não possuem nenhum segredo que seja oculto ao povo.
  • 22. Inteligência e maturidade do senso moral  Seria necessária uma inteligência fora do comum para compreendê-la?  Não, pois vêem-se homens de notória capacidade que não a compreendem, enquanto inteligências vulgares, até mesmo de jovens que mal saíram da adolescência, apreendem com admirável justeza as suas mais delicadas nuanças.  Isso acontece porque a parte material da ciência não requer mais do que os olhos para ser observada, enquanto a parte essencial exige um certo grau de sensibilidade, que podemos chamar de maturidade do senso moral.
  • 23. Crescimento espiritual: evolução  Maturidade essa independente da idade e do grau de instrução, porque é inerente ao desenvolvimento, num sentido especial, do espírito encarnado.  O Deus verdadeiro criou-nos simples e ignorantes para que, através do nosso próprio esforço, EVOLUÍSSEMOS.
  • 24. Transformação espiritual: persistência e boas atitudes  É necessário muita persistência para modificar os nossos pensamentos e as nossas ações, reconhecer nossas imperfeições e transformá-las em boas atitudes.  A sede insaciável de perfeição, que o espírito experimenta, constitui a prova de sua origem divina.
  • 25. Andrea Bocelli e Celine Dion: The Prayer (A Oração)
  • 26. O homem de bem: vontade firme  Enquanto o espírita imperfeito se compraz no seu horizonte limitado, o bom espírita, que compreende a existência de alguma coisa melhor, esforça-se para se libertar, e sempre o consegue, quando dispõe de uma vontade firme.  No item 3. O homem de bem, temos a seguinte mensagem:  O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça, de amor e caridade, na sua maior pureza.  Se interroga a sua consciência sobre os próprios atos, pergunta se não violou essa lei, se não cometeu o mal,  se fez todo o bem que podia,  se não deixou escapar voluntariamente uma ocasião de ser útil,  se ninguém tem do que se queixar dele, enfim,  se fez aos outros aquilo que queria que os outros fizessem por ele.  Tem fé em Deus, na sua bondade, na sua justiça e na sua sabedoria; sabe que nada acontece sem a sua permissão, e submete-se em todas as coisas à sua vontade.  Tem fé no futuro, e por isso coloca os bens espirituais acima dos bens temporais.
  • 27. A virtude  No ESE cap.17, item 8. A virtude, temos:  8. A virtude, no seu grau mais elevado, abrange o conjunto de todas as qualidades essenciais que constituem o homem de bem.  Ser bom, caridoso, trabalhador, sóbrio, modesto, são as qualidades do homem virtuoso.  Infelizmente, são quase sempre acompanhadas de pequenas falhas morais, que as deslustram e enfraquecem.
  • 28. A virtude sem ostentação  Aquele que faz alarde de sua virtude não é virtuoso, pois lhe falta a principal qualidade: a modéstia, e sobra-lhe o vício mais oposto: o orgulho.  A virtude realmente digna desse nome não gosta de exibir-se... ela se esconde na sombra, foge à admiração das multidões.
  • 29. Santas inspirações  Todos os homens de bem ignoravam que eram virtuosos. Deixavam-se levar pela corrente das suas santas inspirações, e praticavam o bem com absoluto desinteresse e completo esquecimento de si mesmos.  É para essa virtude, assim compreendida e praticada, que eu vos convido, meus filhos. Para essa virtude realmente cristã e verdadeiramente espírita, que eu vos convido a consagrar-vos.
  • 30. Simplicidade  Mas afastai de vossos corações o sentimento do orgulho, da vaidade, do amor próprio, que deslustram sempre as mais belas qualidades.  Não imiteis esse homem que se apresenta como modelo e se gaba das próprias qualidades, para todos os ouvidos tolerantes.  Essa virtude de ostentação esconde, quase sempre, uma infinidade de pequenas torpezas e odiosas fraquezas.
  • 31. Fazer o bem  O homem que se exalta a si mesmo, que eleva estátuas à sua própria virtude, em princípio aniquila, por essa única razão, todos os méritos que efetivamente podia ter.  E que direi daquele cujo valor se reduz a parecer o que não é?  Compreendo perfeitamente que aquele que faz o bem sente uma satisfação íntima, no fundo do coração.  Mas desde o momento em que essa satisfação se exterioriza, para provocar elogios, degenera em amor-próprio.
  • 32. A humildade  A virtude é uma graça, que desejo para todos os espíritas sinceros, mas com esta advertência:  Mais vale menos virtude na modéstia, do que muitas no orgulho.  Foi pelo orgulho que as humanidades se perderam sucessivamente.  É pela humildade que elas um dia deverão redimir-se.
  • 33. O modelo: Jesus  No Livro dos Espíritos, na questão 625, temos:  “Qual o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e modelo? Vede Jesus. Para o homem, Jesus constitui o tipo da perfeição moral que a humanidade pode aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo (...)”  O Espírito marcha, impávido e radiante, de etapa em etapa, de estágio em estágio, ascendendo continuamente pela senda intérmina da perfectibilidade, em obediência ao sublime imperativo do maior expoente da verdade neste mundo: o Mestre Jesus.
  • 34. A Parábola do Semeador
  • 35. Pela sua atenção e paciência, meu muito obrigado! Tenham todos uma ótima semana. Mensagem de Chico Xavier: Prece do trabalhador