SlideShare uma empresa Scribd logo
Boa noite, sejam todos muito benvindos a nossa casa espírita,
para continuarmos o nosso estudo dos ensinamentos de Jesus Cristo!
Hoje vamos falar sobre o tema “Alegria”,
retirado do cap. 13: Que a mão esquerda não saiba o que faz a mão direita;
do livro ESE de Allan Kardec.
São Paulo, 27 de Julho de 2016 – SEAC/CEEAK
Palestrante: Tiburcio Santos
Alegria
 Alegria é o cântico das horas com que Deus te afaga a passagem no
mundo.
 Em toda parte, desabrocham flores por sorrisos da natureza
e o vento penteia a cabeleira do campo com música de ninar.
 A água da fonte é carinho liquefeito no coração da terra
e o próprio grão de areia, inundado de sol,
é mensagem de alegria a falar-te do chão.
 Não permitas, assim, que a tua dificuldade
se faça tristeza entorpecente nos outros.
 Ainda mesmo que tudo pareça conspirar contra a felicidade que
esperas, ergue os olhos para a face risonha da vida que te rodeia
e alimenta a alegria por onde passes.
 Abençoa e auxilia sempre, mesmo por entre lágrimas.
 A rosa oferece perfume sobre a garra do espinho
e a alvorada aguarda, generosa, que a noite cesse
para renovar-se diariamente, em festa de amor e luz.
Autor: Meimei Psicografia de Chico Xavier
Nazareno Feitosa
O estudo do ESE
 O ESE é uma seleção de passagens da Bíblia,
organizadas de acordo com temas retirados dos 4 evangelhos,
e contendo a explicação das máximas morais do Cristo,
sua concordância com o Espiritismo e
sua aplicação às diversas situações da vida.
 Hoje abordaremos os tópicos das Instruções dos Espíritos:
 Fazer o bem sem ostentação Os infortúnios ocultos
 O óbolo da viúva Convidar os pobres e estropiados
Nossa Casa Espírita: assistência social e espiritual
S.E.A.C. = Sopa, Esperança, Amor e Caridade
 Assistência Social: sopa, cestas Natal, Dia das crianças, etc...
 Assistência Espiritual: passes e vibrações positivas
Alimento para o corpo e para a alma!
Nossa Casa Espírita: estudos espíritas
C.E.E.A.K. = Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec
 Estudos: diversos cursos de evangelização
Sem fins lucrativos... 100% trabalho voluntário!
Sintonia com o plano espiritual
 Vamos RESPIRAR profundamente,
desligando dos sentidos materiais,
para uma ligação mais rápida e verdadeira com o plano espiritual,
fechando levemente nossos olhos,
e elevando nosso pensamento à Jesus.
Prece de abertura
 Pedimos ao nosso irmão maior e modelo que,
juntamente com os mensageiros, espíritos simpatizantes e protetores,
nos leve até a PRESENÇA DE DEUS; e juntos oremos:
 “Amado Deus, pedimos que nos ajude a compreender
as mensagens de hoje e receber os benefícios desta assistência
criando as melhores condições no meu corpo, mente e espírito.
 Que assim seja, graças a Deus!!
A decisão de vir ao SEAC
 É com muita alegria que convido vcs para estudarmos o ESE,
junto com os amigos espirituais aqui presentes;
pois desde a nossa decisão de vir ao SEAC hoje, já estamos
sendo acompanhados dos nossos anjos protetores e espíritos
simpatizantes, que atraímos segundo nossos pensamentos e ações.
A palestra e a assistência espiritual
 A partir da entrada no salão, já estamos sendo assistidos;
esta palestra é parte integrante do passe,
e foi desenvolvida a partir do Evangelho de Jesus,
sob a interpretação espírita.
 Convido a todos para RETORNAR AO SALÃO, após o passe.
O passe espírita: colaboração entre os dois planos
 O fluido cósmico universal é captado pelo passista,
e transformado em fluido vital.
Este é disponibilizado aos trabalhadores espirituais que,
conhecedores das nossas necessidades,
harmonizam os chacras e o PERÍSPIRITO do assistido,
refletindo na saúde física, psíquica e mental.
Espírito – Perispírito – Corpo Físico
As três partes do ser
 Um dos conceitos que diferencia o Espiritismo das demais religiões
é um corpo fluídico denominado perispírito,
responsável pelos principais fenômenos mediúnicos.
Plexos e chacras
 A cada plexo ou feixe de pequenos nervos no corpo físico,
corresponde um centro de força (ou chacra) no perispírito,
responsáveis por um sistema ou região de nosso organismo.
 É muito importante ter sempre em mente que os centros de força
captam energias, transferindo-as ao corpo físico.
Corpo Físico (plexos) Perispírito (chacras)
Centros de força
 Os centros de força são verdadeiros vórtices, por onde os dinâmicos
campos magnéticos da personalidade espiritual se ligam ao físico.
 Todos eles encontram-se em constante permuta energética entre si,
fazendo com que qualquer desequilíbrio em um deles reflita-se em todo
o conjunto e, por consequência, em todo o corpo físico.
Reforma moral
 São os passes e a prece veículos intercessórios,
MEDICAMENTOS reparativos complementares,
que embora dos mais úteis e, diríamos indispensáveis,
não é a base real do reequilíbrio e da re-harmonização
dos centros de força, a qual se estriba na reforma moral.
Doenças do Corpo e do Espírito
 O Espiritismo dá a chave das relações que existem entre a alma e o corpo,
e prova que há REAÇÃO INCESSANTE de um sobre o outro.
 Ele abre, assim, novo caminho à ciência e, em lhe mostrando a
verdadeira causa de certas doenças, lhe dá os meios de combatê-las.
Outras práticas saudáveis e recomendadas
 Oração noturna e matinal
 Agradecimento pelo dia e pedindo proteção para o sono.
 Pedir para fluidificar a água!
 Agradecimento pela vida e pedindo proteção para o novo dia.
 Beber a água fluidificada!
 Evangelho no lar (semanalmente)
 Leitura e comentários de curto trecho de livro espírita
 Higiene da casa e dos moradores (encarnados e desencarnados)!
O espiritismo e as Leis Divinas ou Naturais
 Avançamos rumo a integração com à Consciência Divina
(Deus) e à planos mais evoluídos, a cada encarnação,
através do conhecimento das verdades universais
que hoje já estão ao alcance da nossa compreensão.
Fazer o bem sem ostentação
 O cap. 13 do ESE aborda a caridade, o perdão e a piedade:
 Guardai-vos, não façais as vossas boas obras diante dos homens,
com o fim de serdes vistos por eles; de outra sorte
não tereis a recompensa da mão de vosso Pai, que está nos Céus.
A caridade
 Esse ensinamento do Mestre Jesus é de suma importância para os que
possuem a consciência de que o Bem é o único meio para o
aprimoramento do homem.
 Tanto que Kardec o elegeu como lema do Espiritismo:
o ”FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO”; com a prática da caridade
o homem adquire aptidões e virtudes, e se salva do estágio em que se
encontra, e adentra em outro mais adiantado.
O perdão
 Jesus mostra a importância da aplicação da Lei de Causa e Efeito nos
nossos atos diários: tudo o que fizermos, voltará para nós mesmos.
 Ensina que temos que compreender o nosso companheiro mais
problemático, causador de contrariedades,
pois também nós muitas vezes necessitamos de compreensão.
 Esse é o sentido do perdão:
perdoar porque todos também precisaremos ser perdoados.
A piedade
 A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos;
é a irmã da caridade, que vos conduz a Deus.
 A piedade bem sentida é amor; AMOR É DEVOTAMENTO;
devotamento é o esquecimento de si mesmo e
esse esquecimento, essa abnegação em favor dos desgraçados,
é a virtude por excelência, a que em toda a sua vida praticou o divino
Messias e ensinou na sua doutrina tão santa e tão sublime.
O óbolo da viúva
 Nesta passagem, temos as figuras da viúva (simbolizando as pessoas
com poucos recursos) e a dos abastados.
 Ambos contribuíam,
porém Jesus considerou que o VALOR ofertado pela viúva,
embora fosse de menor, era o mais valioso em termos espirituais.
Convidar os pobres e os estropiados
 Jesus não queria dizer que, ao invés de convidar os amigos,
é preciso reunir à mesa os mendigos da rua, sua linguagem era quase
sempre simbólica.
 o Mestre recomenda que convide para a fartura de que desfrutas
aqueles que não tem condições de retribuir:
parentes e amigos menos afortunados.
Os infortúnios ocultos
 Nas grades calamidades, a caridade se agita, e vêem-se generosos
impulsos para reparar os desastres.
Mas, ao lado desses desastres gerais, há milhares de desastres
particulares, que passam desapercebidos, de pessoas que jazem num
miserável catre, sem se queixarem.
 São esses os infortúnios discretos e ocultos, que a verdadeira
generosidade sabe descobrir, sem esperar que venham pedir
assistência.
Pela sua atenção e paciência, meu muito obrigado!
Tenham todos um ótimo final de semana.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
ÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão EspíritaÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
Sergio Menezes
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
Fatoze
 
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptxProvas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
francisco celio
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
Denise Tamaê
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
Unesp
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
Izabel Cristina Fonseca
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
Leonardo Pereira
 
O poder da Prece
O poder da PreceO poder da Prece
O poder da Prece
Cleuta Fraga
 
Palestra mágoa
Palestra mágoaPalestra mágoa
Palestra mágoa
Leonardo Pereira
 
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmoCapítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
Graça Maciel
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
Grupo Espírita Cristão
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Eduardo Ottonelli Pithan
 

Mais procurados (20)

Caridade na ótica espirita
Caridade na ótica espiritaCaridade na ótica espirita
Caridade na ótica espirita
 
ÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão EspíritaÓDIO na visão Espírita
ÓDIO na visão Espírita
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
 
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptxProvas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
Provas Voluntárias e Verdadeiro Cilício.pptx
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Perdão na visão espírita
Perdão na visão espíritaPerdão na visão espírita
Perdão na visão espírita
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Palestra beneficência
Palestra beneficênciaPalestra beneficência
Palestra beneficência
 
Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17Motivos de resignação 05 05-17
Motivos de resignação 05 05-17
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
 
Provas voluntárias
Provas voluntáriasProvas voluntárias
Provas voluntárias
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
 
O poder da Prece
O poder da PreceO poder da Prece
O poder da Prece
 
Palestra mágoa
Palestra mágoaPalestra mágoa
Palestra mágoa
 
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmoCapítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
Capítulo XI do evangelho Segundo o Espiritismo Amar ao próximo como a si mesmo
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
 
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRiosReconciliaçãO Com Os AdversáRios
ReconciliaçãO Com Os AdversáRios
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 

Destaque

A Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra EspíritaA Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra Espírita
Thiago Garcia
 
Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma BadanQue a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
Wilma Badan C.G.
 
Infortúnios ocultos
Infortúnios ocultosInfortúnios ocultos
Infortúnios ocultos
Nertan Jucá
 
Fazer o Bem Sem Olhar a Quem
Fazer o Bem Sem Olhar a QuemFazer o Bem Sem Olhar a Quem
Fazer o Bem Sem Olhar a Quem
-
 
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.pptLivro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Patricia Farias
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
gmo1973
 

Destaque (6)

A Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra EspíritaA Beneficência - Palestra Espírita
A Beneficência - Palestra Espírita
 
Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma BadanQue a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
Que a vossa mão esquerda não saiba.... - Wilma Badan
 
Infortúnios ocultos
Infortúnios ocultosInfortúnios ocultos
Infortúnios ocultos
 
Fazer o Bem Sem Olhar a Quem
Fazer o Bem Sem Olhar a QuemFazer o Bem Sem Olhar a Quem
Fazer o Bem Sem Olhar a Quem
 
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.pptLivro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
 

Semelhante a Palestra ESE13 que a mão esquerda...

Bem aventuradososquetemosolhosfechados
Bem aventuradososquetemosolhosfechadosBem aventuradososquetemosolhosfechados
Bem aventuradososquetemosolhosfechados
Magali ..
 
Boletim 84
Boletim 84Boletim 84
Boletim 84
CEJG
 
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiososPalestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Tiburcio Santos
 
Beume jan15(2)
Beume jan15(2)Beume jan15(2)
Beume jan15(2)
Ume Maria
 
Beume jan15(2)
Beume jan15(2)Beume jan15(2)
Beume jan15(2)
Ume Maria
 
Beume julho15
Beume julho15Beume julho15
Beume julho15
Ume Maria
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 RenovaçãoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Jose Luiz Maio
 
A razão da dor
A razão da dorA razão da dor
A razão da dor
Helio Cruz
 
Mensagens da XX Semana da Fraternidade
Mensagens da  XX Semana da FraternidadeMensagens da  XX Semana da Fraternidade
Mensagens da XX Semana da Fraternidade
Movimento da Fraternidade
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Tiburcio Santos
 
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
A energia da prece
A energia da preceA energia da prece
A energia da prece
Ricardo Azevedo
 
14 essência da luz
14  essência da luz14  essência da luz
14 essência da luz
Nelson Soares
 
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
FilipeDuartedeBem
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Conduta Espírita
Conduta EspíritaConduta Espírita
Conduta Espírita
Izabel Cristina Fonseca
 
Estudando a mediunidade
Estudando a mediunidadeEstudando a mediunidade
Estudando a mediunidade
havatar
 
Boletim 81
Boletim 81Boletim 81
Boletim 81
CEJG
 

Semelhante a Palestra ESE13 que a mão esquerda... (20)

Bem aventuradososquetemosolhosfechados
Bem aventuradososquetemosolhosfechadosBem aventuradososquetemosolhosfechados
Bem aventuradososquetemosolhosfechados
 
Boletim 84
Boletim 84Boletim 84
Boletim 84
 
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiososPalestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
Palestra ESE cap 10 Bem-aventurados os misericordiosos
 
Beume jan15(2)
Beume jan15(2)Beume jan15(2)
Beume jan15(2)
 
Beume jan15(2)
Beume jan15(2)Beume jan15(2)
Beume jan15(2)
 
Beume julho15
Beume julho15Beume julho15
Beume julho15
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 RenovaçãoEstudando com Andre Luiz - Os Mensageiros   capitulo 01 Renovação
Estudando com Andre Luiz - Os Mensageiros capitulo 01 Renovação
 
A razão da dor
A razão da dorA razão da dor
A razão da dor
 
Mensagens da XX Semana da Fraternidade
Mensagens da  XX Semana da FraternidadeMensagens da  XX Semana da Fraternidade
Mensagens da XX Semana da Fraternidade
 
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
Palestra ese 15 fora da caridade 20160824 v1
 
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espiritoPalestra ESE cap 7 pobres espirito
Palestra ESE cap 7 pobres espirito
 
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
64014763 saude-joao-nunes-maia-pelo-espirito-miramez
 
A energia da prece
A energia da preceA energia da prece
A energia da prece
 
14 essência da luz
14  essência da luz14  essência da luz
14 essência da luz
 
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
aula 7 - evangelho no lar.pdf - esde - G6
 
Evangelho no lar
Evangelho no larEvangelho no lar
Evangelho no lar
 
Conduta Espírita
Conduta EspíritaConduta Espírita
Conduta Espírita
 
Estudando a mediunidade
Estudando a mediunidadeEstudando a mediunidade
Estudando a mediunidade
 
Boletim 81
Boletim 81Boletim 81
Boletim 81
 

Mais de Tiburcio Santos

Palestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 SemeadoresPalestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 Semeadores
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE25 buscai e achareis
Palestra ESE25   buscai e achareis Palestra ESE25   buscai e achareis
Palestra ESE25 buscai e achareis
Tiburcio Santos
 
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitosPalestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Tiburcio Santos
 
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Tiburcio Santos
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consoladorPalestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Tiburcio Santos
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Tiburcio Santos
 
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Curso de passe   centro de força 2011113 v1Curso de passe   centro de força 2011113 v1
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Tiburcio Santos
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Tiburcio Santos
 

Mais de Tiburcio Santos (10)

Palestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 SemeadoresPalestra FV64 Semeadores
Palestra FV64 Semeadores
 
Palestra ESE25 buscai e achareis
Palestra ESE25   buscai e achareis Palestra ESE25   buscai e achareis
Palestra ESE25 buscai e achareis
 
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem Palestra pao nosso 64   melhor sofrer no bem
Palestra pao nosso 64 melhor sofrer no bem
 
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitosPalestra ESE cap17 Sede perfeitos
Palestra ESE cap17 Sede perfeitos
 
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2Palestra boa nova   o bom servo 20160820 v2
Palestra boa nova o bom servo 20160820 v2
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
 
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consoladorPalestra ESE cap 6 cristo consolador
Palestra ESE cap 6 cristo consolador
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
 
Curso de passe centro de força 2011113 v1
Curso de passe   centro de força 2011113 v1Curso de passe   centro de força 2011113 v1
Curso de passe centro de força 2011113 v1
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
 

Último

15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 

Último (15)

15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 

Palestra ESE13 que a mão esquerda...

  • 1. Boa noite, sejam todos muito benvindos a nossa casa espírita, para continuarmos o nosso estudo dos ensinamentos de Jesus Cristo! Hoje vamos falar sobre o tema “Alegria”, retirado do cap. 13: Que a mão esquerda não saiba o que faz a mão direita; do livro ESE de Allan Kardec. São Paulo, 27 de Julho de 2016 – SEAC/CEEAK Palestrante: Tiburcio Santos
  • 2. Alegria  Alegria é o cântico das horas com que Deus te afaga a passagem no mundo.  Em toda parte, desabrocham flores por sorrisos da natureza e o vento penteia a cabeleira do campo com música de ninar.  A água da fonte é carinho liquefeito no coração da terra e o próprio grão de areia, inundado de sol, é mensagem de alegria a falar-te do chão.  Não permitas, assim, que a tua dificuldade se faça tristeza entorpecente nos outros.  Ainda mesmo que tudo pareça conspirar contra a felicidade que esperas, ergue os olhos para a face risonha da vida que te rodeia e alimenta a alegria por onde passes.  Abençoa e auxilia sempre, mesmo por entre lágrimas.  A rosa oferece perfume sobre a garra do espinho e a alvorada aguarda, generosa, que a noite cesse para renovar-se diariamente, em festa de amor e luz. Autor: Meimei Psicografia de Chico Xavier Nazareno Feitosa
  • 3. O estudo do ESE  O ESE é uma seleção de passagens da Bíblia, organizadas de acordo com temas retirados dos 4 evangelhos, e contendo a explicação das máximas morais do Cristo, sua concordância com o Espiritismo e sua aplicação às diversas situações da vida.  Hoje abordaremos os tópicos das Instruções dos Espíritos:  Fazer o bem sem ostentação Os infortúnios ocultos  O óbolo da viúva Convidar os pobres e estropiados
  • 4. Nossa Casa Espírita: assistência social e espiritual S.E.A.C. = Sopa, Esperança, Amor e Caridade  Assistência Social: sopa, cestas Natal, Dia das crianças, etc...  Assistência Espiritual: passes e vibrações positivas Alimento para o corpo e para a alma!
  • 5. Nossa Casa Espírita: estudos espíritas C.E.E.A.K. = Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec  Estudos: diversos cursos de evangelização Sem fins lucrativos... 100% trabalho voluntário!
  • 6. Sintonia com o plano espiritual  Vamos RESPIRAR profundamente, desligando dos sentidos materiais, para uma ligação mais rápida e verdadeira com o plano espiritual, fechando levemente nossos olhos, e elevando nosso pensamento à Jesus.
  • 7. Prece de abertura  Pedimos ao nosso irmão maior e modelo que, juntamente com os mensageiros, espíritos simpatizantes e protetores, nos leve até a PRESENÇA DE DEUS; e juntos oremos:  “Amado Deus, pedimos que nos ajude a compreender as mensagens de hoje e receber os benefícios desta assistência criando as melhores condições no meu corpo, mente e espírito.  Que assim seja, graças a Deus!!
  • 8. A decisão de vir ao SEAC  É com muita alegria que convido vcs para estudarmos o ESE, junto com os amigos espirituais aqui presentes; pois desde a nossa decisão de vir ao SEAC hoje, já estamos sendo acompanhados dos nossos anjos protetores e espíritos simpatizantes, que atraímos segundo nossos pensamentos e ações.
  • 9. A palestra e a assistência espiritual  A partir da entrada no salão, já estamos sendo assistidos; esta palestra é parte integrante do passe, e foi desenvolvida a partir do Evangelho de Jesus, sob a interpretação espírita.  Convido a todos para RETORNAR AO SALÃO, após o passe.
  • 10. O passe espírita: colaboração entre os dois planos  O fluido cósmico universal é captado pelo passista, e transformado em fluido vital. Este é disponibilizado aos trabalhadores espirituais que, conhecedores das nossas necessidades, harmonizam os chacras e o PERÍSPIRITO do assistido, refletindo na saúde física, psíquica e mental.
  • 11. Espírito – Perispírito – Corpo Físico As três partes do ser  Um dos conceitos que diferencia o Espiritismo das demais religiões é um corpo fluídico denominado perispírito, responsável pelos principais fenômenos mediúnicos.
  • 12. Plexos e chacras  A cada plexo ou feixe de pequenos nervos no corpo físico, corresponde um centro de força (ou chacra) no perispírito, responsáveis por um sistema ou região de nosso organismo.  É muito importante ter sempre em mente que os centros de força captam energias, transferindo-as ao corpo físico. Corpo Físico (plexos) Perispírito (chacras)
  • 13. Centros de força  Os centros de força são verdadeiros vórtices, por onde os dinâmicos campos magnéticos da personalidade espiritual se ligam ao físico.  Todos eles encontram-se em constante permuta energética entre si, fazendo com que qualquer desequilíbrio em um deles reflita-se em todo o conjunto e, por consequência, em todo o corpo físico.
  • 14. Reforma moral  São os passes e a prece veículos intercessórios, MEDICAMENTOS reparativos complementares, que embora dos mais úteis e, diríamos indispensáveis, não é a base real do reequilíbrio e da re-harmonização dos centros de força, a qual se estriba na reforma moral.
  • 15. Doenças do Corpo e do Espírito  O Espiritismo dá a chave das relações que existem entre a alma e o corpo, e prova que há REAÇÃO INCESSANTE de um sobre o outro.  Ele abre, assim, novo caminho à ciência e, em lhe mostrando a verdadeira causa de certas doenças, lhe dá os meios de combatê-las.
  • 16. Outras práticas saudáveis e recomendadas  Oração noturna e matinal  Agradecimento pelo dia e pedindo proteção para o sono.  Pedir para fluidificar a água!  Agradecimento pela vida e pedindo proteção para o novo dia.  Beber a água fluidificada!  Evangelho no lar (semanalmente)  Leitura e comentários de curto trecho de livro espírita  Higiene da casa e dos moradores (encarnados e desencarnados)!
  • 17. O espiritismo e as Leis Divinas ou Naturais  Avançamos rumo a integração com à Consciência Divina (Deus) e à planos mais evoluídos, a cada encarnação, através do conhecimento das verdades universais que hoje já estão ao alcance da nossa compreensão.
  • 18. Fazer o bem sem ostentação  O cap. 13 do ESE aborda a caridade, o perdão e a piedade:  Guardai-vos, não façais as vossas boas obras diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; de outra sorte não tereis a recompensa da mão de vosso Pai, que está nos Céus.
  • 19. A caridade  Esse ensinamento do Mestre Jesus é de suma importância para os que possuem a consciência de que o Bem é o único meio para o aprimoramento do homem.  Tanto que Kardec o elegeu como lema do Espiritismo: o ”FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO”; com a prática da caridade o homem adquire aptidões e virtudes, e se salva do estágio em que se encontra, e adentra em outro mais adiantado.
  • 20. O perdão  Jesus mostra a importância da aplicação da Lei de Causa e Efeito nos nossos atos diários: tudo o que fizermos, voltará para nós mesmos.  Ensina que temos que compreender o nosso companheiro mais problemático, causador de contrariedades, pois também nós muitas vezes necessitamos de compreensão.  Esse é o sentido do perdão: perdoar porque todos também precisaremos ser perdoados.
  • 21. A piedade  A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos; é a irmã da caridade, que vos conduz a Deus.  A piedade bem sentida é amor; AMOR É DEVOTAMENTO; devotamento é o esquecimento de si mesmo e esse esquecimento, essa abnegação em favor dos desgraçados, é a virtude por excelência, a que em toda a sua vida praticou o divino Messias e ensinou na sua doutrina tão santa e tão sublime.
  • 22. O óbolo da viúva  Nesta passagem, temos as figuras da viúva (simbolizando as pessoas com poucos recursos) e a dos abastados.  Ambos contribuíam, porém Jesus considerou que o VALOR ofertado pela viúva, embora fosse de menor, era o mais valioso em termos espirituais.
  • 23. Convidar os pobres e os estropiados  Jesus não queria dizer que, ao invés de convidar os amigos, é preciso reunir à mesa os mendigos da rua, sua linguagem era quase sempre simbólica.  o Mestre recomenda que convide para a fartura de que desfrutas aqueles que não tem condições de retribuir: parentes e amigos menos afortunados.
  • 24. Os infortúnios ocultos  Nas grades calamidades, a caridade se agita, e vêem-se generosos impulsos para reparar os desastres. Mas, ao lado desses desastres gerais, há milhares de desastres particulares, que passam desapercebidos, de pessoas que jazem num miserável catre, sem se queixarem.  São esses os infortúnios discretos e ocultos, que a verdadeira generosidade sabe descobrir, sem esperar que venham pedir assistência.
  • 25. Pela sua atenção e paciência, meu muito obrigado! Tenham todos um ótimo final de semana.