SlideShare uma empresa Scribd logo
Livro EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO- Cap. 11
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO Item - 13
Um Espírito Protetor - Cracóvia, 1861
Fé é uma convicção firme e inabalável de que algo é
verdadeiro, mesmo sem nenhuma prova ou confirmação. É a
absoluta confiança numa ideia, mesmo que evidências
apontem o oposto.
A fé é essencial para o homem, ela nos oferece consolação,
coragem e resignação nos momentos difíceis da vida.
A fé sincera e verdadeira é
sempre calma, dá a
paciência que sabe
esperar, porque,
apoiando-se na
inteligência e na
compreensão das coisas,
tem a certeza de ser forte.
A fé vacilante sente sua
própria fraqueza;
Kardec
 “Fé inabalável somente o é a que pode encarar frente a
frente a razão, em todas as épocas da Humanidade”, Kardec
Para um indivíduo imbuído de uma fé cega, não é necessária a
compreensão do objeto de fé, mas tão somente a aceitação sem
indagações ou dúvidas.
A verdadeira fé
nos livra do
desespero.
Fe e caridade  gec 05 12-2015
EM DIVERSOS MOMENTOS DE NOSSA
HISTÓRIA, OBREIROS POSSUIDORES DE
FÉ INABALÁVEL, COMTRIBUÍRAM COM O
CRESCIMENTO DA HUMANIDADE:
SÓCRATES JESUS GANDHI M. L. KING
Evite expressões como:
 “Não vai dar certo”;
 “A tendência é piorar”,
 Não vai dar tempo”
“A desonestidade sempre vence”.
Jamais permita que
o pessimismo e
idéias negativas
tomem conta de sua
mente.
Tudo é possível
ao obreiro que
tem fé.
“Como se explica que um
homem pobre, doente e semi-
instruído, nascido mulato no
início do século passado, em
um rincão distante de Minas
Gerais, viesse a se tornar, ao
longo de seus 92 anos de vida,
uma espécie de mito brasileiro
– um nome capaz de
emocionar, motivar e organizar
as pessoas em torno de uma fé
e do trabalho filantrópico que
ela inspira?”
 451 livros
 50 milhões de exemplares
vendidos em português.
 Traduções em + 10 idiomas.
 10 mil cartas psicografadas.
 Na década de 50 (maior projeção):
o número de centros espíritas
dobraram de 8 mil para 18 mil.
FONTE VIVAFONTE VIVA (Emmanuel)
Revelemos a nossa fé, através das nossas obrasnossas obras
na felicidade comum e o Senhor conferirá à nossa
vida o indefinível acréscimo de amor e sabedoria,
de beleza e poder.
“... e eu te mostrarei a minha fé
pe­las minhas obras.”
(TIAGO, capítulo 2, versículo 18.)
O QUE É O TRABALHO:
Podemos definir trabalho como qualquer
atividade física ou intelectual, realizada por
ser humano, cujo objetivo é fazer,
transformar ou obter algo.
Toda OCUPAÇÃO ÚTIL
é trabalho.”
Para o espiritismo, que é
trabalho: L.E. Pergunta 675.
Por trabalho só se devem
entender as ocupações
materiais?
“Não; o Espírito trabalha,
assim como o corpo...
QUALQUER
TRABALHO
NO BEM
Todos trabalham. Do animal ao homem.Todos trabalham. Do animal ao homem.
O espírito desencarnado trabalha?O espírito desencarnado trabalha?
... Somos felizes, porque temos trabalho, e
a alegria habita cada recanto da colônia,
porque o Senhor não nos retirou o pão
abençoado do serviço.”
(F.C.Xavier/André Luiz – Nosso Lar (FEB), p 37)
Operários - Tarsila do Amaral - 1933
TEMOS ENTÃO
MUITO TRABALHO A
REALIZAR EM NOSSA
VIDA
IMPORTÂNCIA DO TRABALHO:
O trabalho é, ao lado da oração, o mais eficiente
antídoto contra o mal.
ORAR + AÇÃOORAÇÃO =
“ Um dia estava me sentindo
muito mal e comecei a pensar:
-Meu Deus! Estou sem poder
andar, quase sem poder escrever
aos amigos, quase sem poder
psicografar, quase sem poder
ouvir. Minha voz está um sopro...
Perguntei ao espírito de
Emmanuel:
-Quando é que eu vou?
E ele me respondeu:
-Nem pense nisso. Enquanto você
puder fazer uma prece por
alguém, estará sendo útil.
Fe e caridade  gec 05 12-2015
Kardec, seguindo Jesus, também não se isola numa atitude
contemplativa; Sua meditação é a prática da Doutrina Espírita por
meio da caridade, pois:
Consolou inúmeros companheiros nas suas dificuldades,
Incentivou donativos a desabrigados através da Revista
Espírita,
Junto a sua esposa (Amélie Gabrielle Boudet) fez visitas a
famílias em franca decomposição social.
Exatamente por sentir essa necessidade o gênio de Lyon
produziu O Evangelho Segundo o Espiritismo, obra que se tornou
indispensável ao entendimento do
sofrimento humano, ensinando-nos
que a caridade é o melhor
caminho a dar sentido e
significado à nossa presença
no mundo.
Espiritismo vem reafirmar os ensinos de
Jesus com a máxima:
Nossa doutrina não prega que
“fora do espiritismo não há
salvação”, pois bem sabe que o
Cristo não fundou nenhuma
religião, por isso mesmo respeita
a liberdade de crença de todos
os seus irmãos em humanidade.
TRABALH
O e
CARIDADEPRECE
SOLIDARIEDADE
SINTONIA
COLABORAÇÃO
- VIVER JUNTO
- SER COLETIVO
UBUNTU
“sou quem sou,
porque somos
todos nós”.
Fe e caridade  gec 05 12-2015
Quem não sabe ser útil, não corresponde à bondade do
céu, não atende aos seus justos deveres para com a
humanidade e nem retribui a dignidade da pátria
amorosa que lhe
serve de mãe.
O trabalho e a
caridade
São instituições de
Deus.
Mensagem de Meimei, livro Pai Nosso, psicografado por Chico
Xavier.
UBUNTU - THIAGO RODRIGO
Um antropólogo estava estuando os costumes e a cultura de uma tribo africana quando ao final dos trabalhos propôs uma
brincadeira às crianças da região. Colocou um cesto de doces em baixo de uma árvore e propôs uma corrida dizendo: quem
chegar primeiro em baixo da árvore leva o cesto.
As crianças se alinharam para iniciar a corrida e ele disse “já”. Todas deram as mãos, correram juntas até à árvore, pegaram o
cesto juntas e comemoraram juntas.
O antropólogo ficou olhando surpreso e curioso para aquela situação, e uma das crianças olhou de volta para ele e disse
“UBUNTU tio”. “Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras ficariam tristes.
Ubuntu é uma palavra que representa uma filosofia e uma ética antiga africana que significa “sou quem sou, porque somo todos
nós”.
Uma pessoa com Ubuntu tem consciência que ela é afetada quando um semelhante seu é afetado. Ela sabe que precisa dos
outros para ser ela mesma. Ubuntu é respeito, é saber que ser como os outros deve ser tudo.
Esta idéia me lembra muito a conduta de Jesus e eu faço uma pequena comparação com o espiritismo. Jesus é muito lembrado
por ter andado sobre as águas, multiplicado pães e peixes. Mas quero chamar a atenção para o seu sentimento de compaixão, ter
chorado a morte de um amigo como Lázaro, Jesus certamente lacrimejou ao ver mulheres serem arrastadas e apedrejadas por
terem cometido “pecados”. Isso mostra o espírito Ubuntu de Jesus, este sentimento caridoso e misericordioso como seu
semelhante.
Com esta atitude Jesus mostra o quanto é necessário nos importar com os outros. Falar de IM-PORTAR.
Precisamos um dos outros. Por mais que uma pessoa queira ficar sozinha e isolada, eu acredito que ninguém consegue ser
totalmente feliz sozinho. É muito antiga a ideia sermos sempre nós, sempre juntos, de vivermos em pares. Somos plurais, apesar
de sermos únicos.
Ninguém nasce sozinho, ninguém brinca sozinho, ninguém joga bola sozinho, ninguém namora sozinho.
Seremos mais humanos se formos um com o outro, em outras palavras “gente precisa de gente para ser gente”.
Deve ser por isso que na oração que Jesus nos ensinou ele disse que o “Pai é NOSSO”, o pão é NOSSO, ele disse que venha o
teu reino a NÓS.
Sendo assim, quando falamos de Lei do Trabalho, estamos falando essencialmente de NÓS.
Nós precisamos para ser gente estarmos diretamente ligados com vínculos de amor, amizade de afeto com outra gente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
Candice Gunther
 
Palestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdãoPalestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdão
Jose Ferreira Almeida
 
O maior mandamento
O maior mandamentoO maior mandamento
O maior mandamento
Lorena Dias
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Os trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última horaOs trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última hora
Isnande Mota Barros
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na práticaPalestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Divulgador do Espiritismo
 
Ajuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudaráAjuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudará
Lisete B.
 
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmoPalestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
Divulgador do Espiritismo
 
Se alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direitaSe alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direita
Izabel Cristina Fonseca
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
Graça Maciel
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
Divulgador do Espiritismo
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
umecamaqua
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espírita
Jerri Almeida
 
Não vos afadigueis pela posse do ouro
Não vos afadigueis pela posse do ouroNão vos afadigueis pela posse do ouro
Não vos afadigueis pela posse do ouro
Henrique Vieira
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Divulgador do Espiritismo
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Eduardo Ottonelli Pithan
 

Mais procurados (20)

Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
 
Palestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdãoPalestra 22 a força do perdão
Palestra 22 a força do perdão
 
O maior mandamento
O maior mandamentoO maior mandamento
O maior mandamento
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Os trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última horaOs trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última hora
 
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
Capítulo 7 do evangelho segundo o espiritismo - Bem-aventurados os pobres de ...
 
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na práticaPalestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
 
Ajuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudaráAjuda te que o céu te ajudará
Ajuda te que o céu te ajudará
 
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmoPalestra Espírita -  Amar ao próximo como a si mesmo
Palestra Espírita - Amar ao próximo como a si mesmo
 
Se alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direitaSe alguém bater na face direita
Se alguém bater na face direita
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espírita
 
Não vos afadigueis pela posse do ouro
Não vos afadigueis pela posse do ouroNão vos afadigueis pela posse do ouro
Não vos afadigueis pela posse do ouro
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 

Semelhante a Fe e caridade gec 05 12-2015

Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
J espiritismo nov-dez-2011
J espiritismo nov-dez-2011J espiritismo nov-dez-2011
J espiritismo nov-dez-2011
Associação Espírita Allan Kardec
 
Edição n. 63 do CH Noticias - Setembro/2020
Edição n. 63 do CH Noticias - Setembro/2020Edição n. 63 do CH Noticias - Setembro/2020
Edição n. 63 do CH Noticias - Setembro/2020
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Edição n. 43 do CH Noticias - Janeiro/2019
Edição n. 43 do CH Noticias - Janeiro/2019Edição n. 43 do CH Noticias - Janeiro/2019
Edição n. 43 do CH Noticias - Janeiro/2019
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Mediunidade & Misticismo
Mediunidade & MisticismoMediunidade & Misticismo
Mediunidade & Misticismo
2225165
 
O mensageiro fev-14-publicação
O  mensageiro fev-14-publicaçãoO  mensageiro fev-14-publicação
O mensageiro fev-14-publicação
Ume Maria
 
Os dragões cap. 12 ppt
Os dragões cap. 12 pptOs dragões cap. 12 ppt
Os dragões cap. 12 ppt
Silvânio Barcelos
 
Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)
Silvânio Barcelos
 
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Beume set 16
Beume set 16Beume set 16
Beume set 16
Ume Maria
 
Smf vi antes do consolador 1 setembro 2014
Smf vi antes do consolador  1 setembro 2014Smf vi antes do consolador  1 setembro 2014
Smf vi antes do consolador 1 setembro 2014
Marcílio Pereira
 
Por que tenho medo de lhe dizer quem sou? - John Powell
Por que tenho medo de lhe dizer quem sou? - John PowellPor que tenho medo de lhe dizer quem sou? - John Powell
Por que tenho medo de lhe dizer quem sou? - John Powell
Carlos Junior
 
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto DomesticoOs Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Patricia Farias
 
Obàtálà & Odùdúwà na gênese yorubá
Obàtálà & Odùdúwà na gênese yorubáObàtálà & Odùdúwà na gênese yorubá
Obàtálà & Odùdúwà na gênese yorubá
J. Alfredo Bião
 
Obàtálà e Òdùdúwà na Gênese Iorubá
Obàtálà e Òdùdúwà na Gênese IorubáObàtálà e Òdùdúwà na Gênese Iorubá
Obàtálà e Òdùdúwà na Gênese Iorubá
J. Alfredo Bião
 
Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
 Home cartasde_public_html_downloads_45167_26 Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Carta 9
Carta 9Carta 9
Carta 9
Carta 9Carta 9
Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
 Home cartasde_public_html_downloads_45167_26 Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
A familia espiritual
A familia espiritualA familia espiritual
A familia espiritual
Rosemary Zillig Chile
 

Semelhante a Fe e caridade gec 05 12-2015 (20)

Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
Edição n. 14 do CH Noticias - Agosto/2016
 
J espiritismo nov-dez-2011
J espiritismo nov-dez-2011J espiritismo nov-dez-2011
J espiritismo nov-dez-2011
 
Edição n. 63 do CH Noticias - Setembro/2020
Edição n. 63 do CH Noticias - Setembro/2020Edição n. 63 do CH Noticias - Setembro/2020
Edição n. 63 do CH Noticias - Setembro/2020
 
Edição n. 43 do CH Noticias - Janeiro/2019
Edição n. 43 do CH Noticias - Janeiro/2019Edição n. 43 do CH Noticias - Janeiro/2019
Edição n. 43 do CH Noticias - Janeiro/2019
 
Mediunidade & Misticismo
Mediunidade & MisticismoMediunidade & Misticismo
Mediunidade & Misticismo
 
O mensageiro fev-14-publicação
O  mensageiro fev-14-publicaçãoO  mensageiro fev-14-publicação
O mensageiro fev-14-publicação
 
Os dragões cap. 12 ppt
Os dragões cap. 12 pptOs dragões cap. 12 ppt
Os dragões cap. 12 ppt
 
Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)Os dragões (apresentação Power Point)
Os dragões (apresentação Power Point)
 
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
Edição n. 41 do CH Noticias - Novembro/2018
 
Beume set 16
Beume set 16Beume set 16
Beume set 16
 
Smf vi antes do consolador 1 setembro 2014
Smf vi antes do consolador  1 setembro 2014Smf vi antes do consolador  1 setembro 2014
Smf vi antes do consolador 1 setembro 2014
 
Por que tenho medo de lhe dizer quem sou? - John Powell
Por que tenho medo de lhe dizer quem sou? - John PowellPor que tenho medo de lhe dizer quem sou? - John Powell
Por que tenho medo de lhe dizer quem sou? - John Powell
 
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto DomesticoOs Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
 
Obàtálà & Odùdúwà na gênese yorubá
Obàtálà & Odùdúwà na gênese yorubáObàtálà & Odùdúwà na gênese yorubá
Obàtálà & Odùdúwà na gênese yorubá
 
Obàtálà e Òdùdúwà na Gênese Iorubá
Obàtálà e Òdùdúwà na Gênese IorubáObàtálà e Òdùdúwà na Gênese Iorubá
Obàtálà e Òdùdúwà na Gênese Iorubá
 
Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
 Home cartasde_public_html_downloads_45167_26 Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
 
Carta 9
Carta 9Carta 9
Carta 9
 
Carta 9
Carta 9Carta 9
Carta 9
 
Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
 Home cartasde_public_html_downloads_45167_26 Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
Home cartasde_public_html_downloads_45167_26
 
A familia espiritual
A familia espiritualA familia espiritual
A familia espiritual
 

Mais de Izabel Cristina Fonseca

O advento do cristo
O advento do cristoO advento do cristo
O advento do cristo
Izabel Cristina Fonseca
 
Misterios ocultos aos doutos e prudentes
Misterios ocultos aos doutos e prudentesMisterios ocultos aos doutos e prudentes
Misterios ocultos aos doutos e prudentes
Izabel Cristina Fonseca
 
Melodia natalina
Melodia natalinaMelodia natalina
Melodia natalina
Izabel Cristina Fonseca
 
Bem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechadosBem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechados
Izabel Cristina Fonseca
 
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-aSe a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
Izabel Cristina Fonseca
 
Misterios ocultos aos prudentes
Misterios ocultos aos prudentesMisterios ocultos aos prudentes
Misterios ocultos aos prudentes
Izabel Cristina Fonseca
 
Poemas
PoemasPoemas
Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado
Izabel Cristina Fonseca
 
Solidão fonte viva
Solidão   fonte vivaSolidão   fonte viva
Solidão fonte viva
Izabel Cristina Fonseca
 
Simpatia
SimpatiaSimpatia
Progressão e escala espírita
Progressão e escala espíritaProgressão e escala espírita
Progressão e escala espírita
Izabel Cristina Fonseca
 
Palestra lei destruição
Palestra lei destruiçãoPalestra lei destruição
Palestra lei destruição
Izabel Cristina Fonseca
 
Pal janfevmar 2017
Pal janfevmar 2017Pal janfevmar 2017
Pal janfevmar 2017
Izabel Cristina Fonseca
 
Oração nossa
Oração nossaOração nossa
Oração nossa
Izabel Cristina Fonseca
 
O mancebo rico
O mancebo ricoO mancebo rico
O mancebo rico
Izabel Cristina Fonseca
 
O bem e o mal esde - leis divinas
O bem e o mal  esde - leis divinasO bem e o mal  esde - leis divinas
O bem e o mal esde - leis divinas
Izabel Cristina Fonseca
 
Natal palestra
Natal palestraNatal palestra
Natal palestra
Izabel Cristina Fonseca
 
Não desanimar bezerra
Não desanimar   bezerraNão desanimar   bezerra
Não desanimar bezerra
Izabel Cristina Fonseca
 
Inteligência e instinto
Inteligência e instintoInteligência e instinto
Inteligência e instinto
Izabel Cristina Fonseca
 
Incompreensão palestra 2016
Incompreensão   palestra 2016Incompreensão   palestra 2016
Incompreensão palestra 2016
Izabel Cristina Fonseca
 

Mais de Izabel Cristina Fonseca (20)

O advento do cristo
O advento do cristoO advento do cristo
O advento do cristo
 
Misterios ocultos aos doutos e prudentes
Misterios ocultos aos doutos e prudentesMisterios ocultos aos doutos e prudentes
Misterios ocultos aos doutos e prudentes
 
Melodia natalina
Melodia natalinaMelodia natalina
Melodia natalina
 
Bem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechadosBem aventurados os que temos olhos fechados
Bem aventurados os que temos olhos fechados
 
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-aSe a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
Se a vossa mao e motivo de escandalo, cortai-a
 
Misterios ocultos aos prudentes
Misterios ocultos aos prudentesMisterios ocultos aos prudentes
Misterios ocultos aos prudentes
 
Poemas
PoemasPoemas
Poemas
 
Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado
 
Solidão fonte viva
Solidão   fonte vivaSolidão   fonte viva
Solidão fonte viva
 
Simpatia
SimpatiaSimpatia
Simpatia
 
Progressão e escala espírita
Progressão e escala espíritaProgressão e escala espírita
Progressão e escala espírita
 
Palestra lei destruição
Palestra lei destruiçãoPalestra lei destruição
Palestra lei destruição
 
Pal janfevmar 2017
Pal janfevmar 2017Pal janfevmar 2017
Pal janfevmar 2017
 
Oração nossa
Oração nossaOração nossa
Oração nossa
 
O mancebo rico
O mancebo ricoO mancebo rico
O mancebo rico
 
O bem e o mal esde - leis divinas
O bem e o mal  esde - leis divinasO bem e o mal  esde - leis divinas
O bem e o mal esde - leis divinas
 
Natal palestra
Natal palestraNatal palestra
Natal palestra
 
Não desanimar bezerra
Não desanimar   bezerraNão desanimar   bezerra
Não desanimar bezerra
 
Inteligência e instinto
Inteligência e instintoInteligência e instinto
Inteligência e instinto
 
Incompreensão palestra 2016
Incompreensão   palestra 2016Incompreensão   palestra 2016
Incompreensão palestra 2016
 

Último

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 

Último (14)

Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 

Fe e caridade gec 05 12-2015

  • 1. Livro EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO- Cap. 11 AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO Item - 13
  • 2. Um Espírito Protetor - Cracóvia, 1861
  • 3. Fé é uma convicção firme e inabalável de que algo é verdadeiro, mesmo sem nenhuma prova ou confirmação. É a absoluta confiança numa ideia, mesmo que evidências apontem o oposto. A fé é essencial para o homem, ela nos oferece consolação, coragem e resignação nos momentos difíceis da vida. A fé sincera e verdadeira é sempre calma, dá a paciência que sabe esperar, porque, apoiando-se na inteligência e na compreensão das coisas, tem a certeza de ser forte. A fé vacilante sente sua própria fraqueza;
  • 4. Kardec  “Fé inabalável somente o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade”, Kardec Para um indivíduo imbuído de uma fé cega, não é necessária a compreensão do objeto de fé, mas tão somente a aceitação sem indagações ou dúvidas. A verdadeira fé nos livra do desespero.
  • 6. EM DIVERSOS MOMENTOS DE NOSSA HISTÓRIA, OBREIROS POSSUIDORES DE FÉ INABALÁVEL, COMTRIBUÍRAM COM O CRESCIMENTO DA HUMANIDADE: SÓCRATES JESUS GANDHI M. L. KING
  • 7. Evite expressões como:  “Não vai dar certo”;  “A tendência é piorar”,  Não vai dar tempo” “A desonestidade sempre vence”. Jamais permita que o pessimismo e idéias negativas tomem conta de sua mente. Tudo é possível ao obreiro que tem fé.
  • 8. “Como se explica que um homem pobre, doente e semi- instruído, nascido mulato no início do século passado, em um rincão distante de Minas Gerais, viesse a se tornar, ao longo de seus 92 anos de vida, uma espécie de mito brasileiro – um nome capaz de emocionar, motivar e organizar as pessoas em torno de uma fé e do trabalho filantrópico que ela inspira?”
  • 9.  451 livros  50 milhões de exemplares vendidos em português.  Traduções em + 10 idiomas.  10 mil cartas psicografadas.  Na década de 50 (maior projeção): o número de centros espíritas dobraram de 8 mil para 18 mil.
  • 10. FONTE VIVAFONTE VIVA (Emmanuel) Revelemos a nossa fé, através das nossas obrasnossas obras na felicidade comum e o Senhor conferirá à nossa vida o indefinível acréscimo de amor e sabedoria, de beleza e poder.
  • 11. “... e eu te mostrarei a minha fé pe­las minhas obras.” (TIAGO, capítulo 2, versículo 18.) O QUE É O TRABALHO: Podemos definir trabalho como qualquer atividade física ou intelectual, realizada por ser humano, cujo objetivo é fazer, transformar ou obter algo.
  • 12. Toda OCUPAÇÃO ÚTIL é trabalho.” Para o espiritismo, que é trabalho: L.E. Pergunta 675. Por trabalho só se devem entender as ocupações materiais? “Não; o Espírito trabalha, assim como o corpo...
  • 14. Todos trabalham. Do animal ao homem.Todos trabalham. Do animal ao homem. O espírito desencarnado trabalha?O espírito desencarnado trabalha? ... Somos felizes, porque temos trabalho, e a alegria habita cada recanto da colônia, porque o Senhor não nos retirou o pão abençoado do serviço.” (F.C.Xavier/André Luiz – Nosso Lar (FEB), p 37)
  • 15. Operários - Tarsila do Amaral - 1933
  • 16. TEMOS ENTÃO MUITO TRABALHO A REALIZAR EM NOSSA VIDA IMPORTÂNCIA DO TRABALHO: O trabalho é, ao lado da oração, o mais eficiente antídoto contra o mal. ORAR + AÇÃOORAÇÃO =
  • 17. “ Um dia estava me sentindo muito mal e comecei a pensar: -Meu Deus! Estou sem poder andar, quase sem poder escrever aos amigos, quase sem poder psicografar, quase sem poder ouvir. Minha voz está um sopro... Perguntei ao espírito de Emmanuel: -Quando é que eu vou? E ele me respondeu: -Nem pense nisso. Enquanto você puder fazer uma prece por alguém, estará sendo útil.
  • 19. Kardec, seguindo Jesus, também não se isola numa atitude contemplativa; Sua meditação é a prática da Doutrina Espírita por meio da caridade, pois: Consolou inúmeros companheiros nas suas dificuldades, Incentivou donativos a desabrigados através da Revista Espírita, Junto a sua esposa (Amélie Gabrielle Boudet) fez visitas a famílias em franca decomposição social. Exatamente por sentir essa necessidade o gênio de Lyon produziu O Evangelho Segundo o Espiritismo, obra que se tornou indispensável ao entendimento do sofrimento humano, ensinando-nos que a caridade é o melhor caminho a dar sentido e significado à nossa presença no mundo.
  • 20. Espiritismo vem reafirmar os ensinos de Jesus com a máxima: Nossa doutrina não prega que “fora do espiritismo não há salvação”, pois bem sabe que o Cristo não fundou nenhuma religião, por isso mesmo respeita a liberdade de crença de todos os seus irmãos em humanidade.
  • 22. UBUNTU “sou quem sou, porque somos todos nós”.
  • 24. Quem não sabe ser útil, não corresponde à bondade do céu, não atende aos seus justos deveres para com a humanidade e nem retribui a dignidade da pátria amorosa que lhe serve de mãe. O trabalho e a caridade São instituições de Deus. Mensagem de Meimei, livro Pai Nosso, psicografado por Chico Xavier.
  • 25. UBUNTU - THIAGO RODRIGO Um antropólogo estava estuando os costumes e a cultura de uma tribo africana quando ao final dos trabalhos propôs uma brincadeira às crianças da região. Colocou um cesto de doces em baixo de uma árvore e propôs uma corrida dizendo: quem chegar primeiro em baixo da árvore leva o cesto. As crianças se alinharam para iniciar a corrida e ele disse “já”. Todas deram as mãos, correram juntas até à árvore, pegaram o cesto juntas e comemoraram juntas. O antropólogo ficou olhando surpreso e curioso para aquela situação, e uma das crianças olhou de volta para ele e disse “UBUNTU tio”. “Como uma de nós poderia ficar feliz se todas as outras ficariam tristes. Ubuntu é uma palavra que representa uma filosofia e uma ética antiga africana que significa “sou quem sou, porque somo todos nós”. Uma pessoa com Ubuntu tem consciência que ela é afetada quando um semelhante seu é afetado. Ela sabe que precisa dos outros para ser ela mesma. Ubuntu é respeito, é saber que ser como os outros deve ser tudo. Esta idéia me lembra muito a conduta de Jesus e eu faço uma pequena comparação com o espiritismo. Jesus é muito lembrado por ter andado sobre as águas, multiplicado pães e peixes. Mas quero chamar a atenção para o seu sentimento de compaixão, ter chorado a morte de um amigo como Lázaro, Jesus certamente lacrimejou ao ver mulheres serem arrastadas e apedrejadas por terem cometido “pecados”. Isso mostra o espírito Ubuntu de Jesus, este sentimento caridoso e misericordioso como seu semelhante. Com esta atitude Jesus mostra o quanto é necessário nos importar com os outros. Falar de IM-PORTAR. Precisamos um dos outros. Por mais que uma pessoa queira ficar sozinha e isolada, eu acredito que ninguém consegue ser totalmente feliz sozinho. É muito antiga a ideia sermos sempre nós, sempre juntos, de vivermos em pares. Somos plurais, apesar de sermos únicos. Ninguém nasce sozinho, ninguém brinca sozinho, ninguém joga bola sozinho, ninguém namora sozinho. Seremos mais humanos se formos um com o outro, em outras palavras “gente precisa de gente para ser gente”. Deve ser por isso que na oração que Jesus nos ensinou ele disse que o “Pai é NOSSO”, o pão é NOSSO, ele disse que venha o teu reino a NÓS. Sendo assim, quando falamos de Lei do Trabalho, estamos falando essencialmente de NÓS. Nós precisamos para ser gente estarmos diretamente ligados com vínculos de amor, amizade de afeto com outra gente.