SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
Os Movimentos Sociais
Contemporâneos
Abordagens
• Conceitos Clássicos• Conceitos Clássicos
• Os Movimentos Sociais
Contemporâneos
• Contextualização das Teorias
• Articulação Curricular
• O Modelo Clássico
- Do pensamento marxiano às
principais correntes marxistas.
• Concepções contemporâneas
- Neomarxismo ou marxismo ocidental.
- Análise principalmente dos
movimentos que surgiram na Europa
a partir de 1960.
Superação das opressões de classes
Projeto de transformação radical
O Modelo Clássico
Projeto de transformação radical
das estruturas sociais
Práxis Revolucionária
Capital x Trabalho
Luta
Proletariado Burguesia
O Modelo Clássico
Luta
de ClassesProletariado Burguesia
Motor da História
Organização
da classe
trabalhadora
Partido Operário
O Modelo Clássico
Nesta concepção, as ações dos Movimentos
Sociais serviriam principalmente de
instrumentos para a efetivação do processo
revolucionário, o que diminui, desta forma,
o seu papel de protagonismo.
Duas correntes marxistas:
Ortodoxa
• Inspirada nos trabalhos de Marx
elaborados após 1850);
O Modelo Clássico
elaborados após 1850);
• Determinações dos fatores
macroestruturais da sociedade
(principalmente o econômico);
• Lênin e Trotsky.
Heterodoxa
• Inspirada nos estudos sobre alienação,
ideologia, consciência etc.;
• Críticas ao modelo ortodoxo;
• Insere uma visão histórico-humanista;
• Gramsci, Rosa Luxemburgo, Lukács etc.
Surgem no contexto de 1960, tanto
Os Movimentos Sociais
Contemporâneos
• Surgem no contexto de 1960, tanto
na Europa como no continente
americano;
• Seu referencial teórico busca
influência no marxismo heterodoxo
e sua crítica sobre a concepçãoe sua crítica sobre a concepção
da determinação preponderante da
macroestrutura nas ações humanas.
• Alain Touraine – Sociólogo francês,
nascido em 1925
• Alberto Melucci – Sociólogo italiano• Alberto Melucci – Sociólogo italiano
(1943-2001)
Alain Touraine
Define dois padrões de sociedade:
• Sociedade industrial Produção
(técnica) e Reprodução (cultura);(técnica) e Reprodução (cultura);
• Sociedade pós-industrial Controle
cultural por meio da informação
(tecnocracia).
Alain Touraine
Técnica Cultura
• Num panorama em que a técnica
e a cultura estão interligadas e se
interpenetram, ocorre também o
enfraquecimento das delimitações do
mundo privado e do público, originandomundo privado e do público, originando
conflitos específicos de tal contexto
histórico.
• O conflito adquire dimensões simbólicas.
Alain Touraine
• Redefinição do Sujeito e seu papel
perante as mobilizações;
• Foco não só na esfera do trabalho,
mas principalmente na esfera da
vida cotidiana;
• Os “atores” de tal contexto não seriam
referenciados determinantemente por
sua classe social, mas pela sua interação
com a totalidade do jogo social, suascom a totalidade do jogo social, suas
influências e possibilidades de
intervenção nos padrões socioculturais.
Alain Touraine
• O foco dos movimentos sociais nesse
contexto migra dos objetivos decontexto migra dos objetivos de
transformações das macroestruturas
para o plano da vida cotidiana;
• Inserem um projeto de
transformação cultural que não
visa mais à tomada de poder, masvisa mais à tomada de poder, mas
a democratização do Estado e suas
estruturas, advindas do nível social;
• Para isso, se utilizam da “ação direta”
nas condições sociais que os oprimemnas condições sociais que os oprimem
e afetam cotidianamente.
Alberto Melucci
Empreende uma reavaliação das
ações coletivas dos anos 70.
As Sociedades Complexas
(capitalismos pós-industriais)
• Novas formas de associações;
• Novas formas de solidariedade
conflitual (fazer político);
Novas formas de ação (não• Novas formas de ação (não
adaptáveis aos canais antigos).
Alberto Melucci
“ (...) a concentração na análise do
como, sem negligenciar o porquê.”
“Os movimentos são sistemas de“Os movimentos são sistemas de
ação que operam num campo
sistêmico de possibilidades e limites.
É por isso que a organização se torna
um ponto crítico de observação, um
nível analítico que não pode ser
ignorado. O modo como os atoresignorado. O modo como os atores
constituem sua ação é a conexão
concreta entre orientações e
oportunidades e coerções sistêmicas.”
Os Atores
• São motivados pela construção
de solidariedade e identidade,de solidariedade e identidade,
não apenas pelo cálculo do
custo-benefício da ação;
• Não são definidos apenas pelas
classes sociais ou grupos estáveis
(como a classe trabalhadora, durante
a industrialização capitalista);a industrialização capitalista);
• Lutam por projetos simbólicos
e culturais que intervenham
diretamente na vida cotidiana.
Dimensão analítica de Melucci
“Eu defino um movimento social
como uma forma de ação coletiva
(a) baseada na solidariedade, (b)(a) baseada na solidariedade, (b)
desenvolvendo um conflito, (c)
rompendo os limites do sistema
em que ocorre a ação.”
O Padrão Organizacional Atual
• Redes de Movimento ou Áreas
de Movimento
Características:Características:
a) Permitem associação múltipla;
b) A militância é apenas parcial
e de curta duração;
c)O envolvimento pessoal e a
solidariedade afetiva como umasolidariedade afetiva como uma
condição.
“A nova forma organizacional
dos movimentos contemporâneos
não é exatamente instrumental paranão é exatamente instrumental para
seus objetivos. É um objetivo em si
mesma.”
Visão geral:
• Contexto histórico: Sociedades
complexas, pós-industriais;
• Revisão teórica sobre a importância• Revisão teórica sobre a importância
de outras estruturas e bases
determinantes, como a estrutura
cultural;
• Forte intervenção nas relações
sociais, nos sistemas simbólicos,
nas identidades individuaisnas identidades individuais
e nas necessidades das pessoas.
Os Movimentos Sociais
Contemporâneos
• Importância dos sistemas informacionais
na esfera da vida cotidiana.
Indivíduo
Produz
Consome
Dissemina
Terminal efetivo da rede
Contextualizando as teorias
São Paulo
• A expansão da metrópole baseada na
lógica do automóvel, da especulaçãológica do automóvel, da especulação
imobiliária e dos grandes
empreendimentos (concentrados
no centro expandido).
Contextualizando as teorias
Problematização:
• O território como espaço para• O território como espaço para
o entendimento das desigualdades
e contradições;
• Explosão das periferias (década de 60).
Contextualizando as teorias
Periferias:
• Serviços e infraestrutura;• Serviços e infraestrutura;
• Consolidação de territórios;
• Estigmatização e identidade.
Contextualizando as teorias
Novos atores e novas pautas:
• Os coletivos culturais das periferias;• Os coletivos culturais das periferias;
• O direito à cidade.
Articulação Curricular
Currículo de Sociologia do Estado
de São Paulo
O princípio pedagógico que orienta
essa proposta é o estabelecimentoessa proposta é o estabelecimento
de um diálogo entre o aluno, pensado
como recurso para superar os limites
de uma aula meramente expositiva.
O ponto de partida desse diálogo é o
conhecimento do senso comum que
o aluno tem a respeito da sociedade,
mas com objetivo de superá-lo,mas com objetivo de superá-lo,
ao fornecer-lhe o conhecimento
propiciado pela Sociologia enquanto
disciplina científica.
Articulação Curricular
O Diálogo em Freire:
Por isto, o diálogo é uma exigência
existencial. E, se ele é o encontro emexistencial. E, se ele é o encontro em
que se solidariza o refletir e o agir de
seus sujeitos endereçados ao mundo
a ser transformado e humanizado,...
...não pode reduzir-se a um ato
de depositar ideias de um sujeito
no outro, nem tampouco tornar-se
simples troca de ideias a seremsimples troca de ideias a serem
consumidas pelos permutantes.
(FREIRE, 1987, p. 44)
Articulação Curricular
O Diálogo em Freire:
Ação
+
Reflexão
Diálogo Práxis
Articulação Curricular
O Diálogo em Freire:
• Para um educador-educando,
dialógico, problematizador, o conteúdodialógico, problematizador, o conteúdo
programático da educação não é uma
doação ou uma imposição – um
conjunto de informes a ser depositados
nos educandos (...) (Ibid. p. 46);
• Nosso papel não é falar ao povo sobre
a nossa visão de mundo, ou tentar
impô-la a ele, mas dialogar com ele
sobre a sua e a nossa. Temos de estarsobre a sua e a nossa. Temos de estar
convencidos de que a sua visão do
mundo, que se manifesta nas várias
formas de sua ação,...
...reflete a sua situação no mundo,
em que se constitui. A Ação
educativa e política não pode
prescindir do conhecimento críticoprescindir do conhecimento crítico
dessa situação, sob pena de se fazer
“bancária” ou de pregar no deserto.
(Ibid, p. 48)
Articulação Curricular
O Diálogo em Freire:
Não há também diálogo, se não há uma
intensa fé nos homens. Fé no seu poderintensa fé nos homens. Fé no seu poder
de fazer e refazer. De criar e recriar.
Fé na vocação de ser mais, que não é
privilégio de alguns eleitos, mas direito
dos homens. (Ibid, p. 45)
Muito obrigado!Muito obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Sociologia - Os Movimentos Sociais
Sociologia  - Os Movimentos SociaisSociologia  - Os Movimentos Sociais
Sociologia - Os Movimentos Sociais
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
 
Sociologia: Principais correntes
Sociologia: Principais correntes Sociologia: Principais correntes
Sociologia: Principais correntes
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Karl marx (materialismo histórico)
Karl marx (materialismo histórico)Karl marx (materialismo histórico)
Karl marx (materialismo histórico)
 
Emile Durkheim
Emile DurkheimEmile Durkheim
Emile Durkheim
 
Capítulo 8 - Classe e Estratificação Social
Capítulo 8 - Classe e Estratificação SocialCapítulo 8 - Classe e Estratificação Social
Capítulo 8 - Classe e Estratificação Social
 
As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1
 
Industria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaIndustria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de Massa
 
Sociologia e Sociedade
Sociologia e SociedadeSociologia e Sociedade
Sociologia e Sociedade
 
As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
 
Aula 15 sociologia contemporânea
Aula 15   sociologia contemporâneaAula 15   sociologia contemporânea
Aula 15 sociologia contemporânea
 
O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?
 
Aula classes sociais
Aula classes sociaisAula classes sociais
Aula classes sociais
 
Classes sociais
Classes sociaisClasses sociais
Classes sociais
 
história da sociologia
   história da sociologia   história da sociologia
história da sociologia
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
 

Semelhante a Os Movimentos Sociais Contemporâneos: Teorias de Touraine e Melucci

Fundamentos históricos, teóricos e metodológicos do serviço social unip
Fundamentos históricos, teóricos e metodológicos do serviço social unipFundamentos históricos, teóricos e metodológicos do serviço social unip
Fundamentos históricos, teóricos e metodológicos do serviço social unipArte de Lorena
 
Apresentação2 versão alunos
Apresentação2   versão alunosApresentação2   versão alunos
Apresentação2 versão alunosMyrian Del Vecchio
 
O urbano contemporâneo e as condições da produção de moradia no Brasil
O urbano contemporâneo e as condições da produção de moradia no BrasilO urbano contemporâneo e as condições da produção de moradia no Brasil
O urbano contemporâneo e as condições da produção de moradia no BrasilCRESS-MG
 
Movimentos sociais na américa latina na atualidade
Movimentos sociais na américa latina na atualidadeMovimentos sociais na américa latina na atualidade
Movimentos sociais na américa latina na atualidadeGracy Garcia
 
Movimentos sociais na américa latina na atualidade
Movimentos sociais na américa latina na atualidadeMovimentos sociais na américa latina na atualidade
Movimentos sociais na américa latina na atualidadeGracy Garcia
 
1 o servico_social_na_cena_contemporanea (1)
1 o servico_social_na_cena_contemporanea (1)1 o servico_social_na_cena_contemporanea (1)
1 o servico_social_na_cena_contemporanea (1)Maria Ígia
 
O Serviço Social na cena contemporânea-Marilda Villela Iamamoto
O Serviço Social na cena contemporânea-Marilda Villela IamamotoO Serviço Social na cena contemporânea-Marilda Villela Iamamoto
O Serviço Social na cena contemporânea-Marilda Villela IamamotoRosane Domingues
 
Estudos culturais e teoria jornalística
Estudos culturais e teoria jornalísticaEstudos culturais e teoria jornalística
Estudos culturais e teoria jornalísticaAna Beatriz Cozza
 
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação  Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação Queite Lima
 
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação Queite Lima
 
2001-A actualidade do DC como estratégia de intervenção social-ISPA.pdf
2001-A actualidade do DC como estratégia de intervenção social-ISPA.pdf2001-A actualidade do DC como estratégia de intervenção social-ISPA.pdf
2001-A actualidade do DC como estratégia de intervenção social-ISPA.pdfElisa Dias
 
Movimentos Sociais na Ciência Política Chazel.pptx
Movimentos Sociais na Ciência Política Chazel.pptxMovimentos Sociais na Ciência Política Chazel.pptx
Movimentos Sociais na Ciência Política Chazel.pptxJOOLUIZDASILVALOPES
 
Fundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosFundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosEdivânia Monteiro
 
Parte I do livro MUDAR A CIDADE - Marcelo Lopes de Souza (Planejamento Urbano...
Parte I do livro MUDAR A CIDADE - Marcelo Lopes de Souza (Planejamento Urbano...Parte I do livro MUDAR A CIDADE - Marcelo Lopes de Souza (Planejamento Urbano...
Parte I do livro MUDAR A CIDADE - Marcelo Lopes de Souza (Planejamento Urbano...UNICAMP/SP
 
Andreia Galvão Movimentos sociais - Uma apresentação de power point
Andreia Galvão   Movimentos sociais - Uma apresentação de power pointAndreia Galvão   Movimentos sociais - Uma apresentação de power point
Andreia Galvão Movimentos sociais - Uma apresentação de power pointrennata kelly muniz alves
 

Semelhante a Os Movimentos Sociais Contemporâneos: Teorias de Touraine e Melucci (20)

Anete Brito leal Ivo.pptx
Anete Brito leal Ivo.pptxAnete Brito leal Ivo.pptx
Anete Brito leal Ivo.pptx
 
Fundamentos históricos, teóricos e metodológicos do serviço social unip
Fundamentos históricos, teóricos e metodológicos do serviço social unipFundamentos históricos, teóricos e metodológicos do serviço social unip
Fundamentos históricos, teóricos e metodológicos do serviço social unip
 
Apresentação2 versão alunos
Apresentação2   versão alunosApresentação2   versão alunos
Apresentação2 versão alunos
 
O urbano contemporâneo e as condições da produção de moradia no Brasil
O urbano contemporâneo e as condições da produção de moradia no BrasilO urbano contemporâneo e as condições da produção de moradia no Brasil
O urbano contemporâneo e as condições da produção de moradia no Brasil
 
Dce sociologia
Dce sociologiaDce sociologia
Dce sociologia
 
Movimentos sociais na américa latina na atualidade
Movimentos sociais na américa latina na atualidadeMovimentos sociais na américa latina na atualidade
Movimentos sociais na américa latina na atualidade
 
Exclusão social tsp
Exclusão social tspExclusão social tsp
Exclusão social tsp
 
Movimentos sociais na américa latina na atualidade
Movimentos sociais na américa latina na atualidadeMovimentos sociais na américa latina na atualidade
Movimentos sociais na américa latina na atualidade
 
1 o servico_social_na_cena_contemporanea (1)
1 o servico_social_na_cena_contemporanea (1)1 o servico_social_na_cena_contemporanea (1)
1 o servico_social_na_cena_contemporanea (1)
 
Dede2
Dede2Dede2
Dede2
 
O Serviço Social na cena contemporânea-Marilda Villela Iamamoto
O Serviço Social na cena contemporânea-Marilda Villela IamamotoO Serviço Social na cena contemporânea-Marilda Villela Iamamoto
O Serviço Social na cena contemporânea-Marilda Villela Iamamoto
 
Estudos culturais e teoria jornalística
Estudos culturais e teoria jornalísticaEstudos culturais e teoria jornalística
Estudos culturais e teoria jornalística
 
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação  Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
 
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
Gohn, maria da. glória. movimentos sociais e educação
 
2001-A actualidade do DC como estratégia de intervenção social-ISPA.pdf
2001-A actualidade do DC como estratégia de intervenção social-ISPA.pdf2001-A actualidade do DC como estratégia de intervenção social-ISPA.pdf
2001-A actualidade do DC como estratégia de intervenção social-ISPA.pdf
 
Movimentos Sociais na Ciência Política Chazel.pptx
Movimentos Sociais na Ciência Política Chazel.pptxMovimentos Sociais na Ciência Política Chazel.pptx
Movimentos Sociais na Ciência Política Chazel.pptx
 
Sociologia iv
Sociologia ivSociologia iv
Sociologia iv
 
Fundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosFundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicos
 
Parte I do livro MUDAR A CIDADE - Marcelo Lopes de Souza (Planejamento Urbano...
Parte I do livro MUDAR A CIDADE - Marcelo Lopes de Souza (Planejamento Urbano...Parte I do livro MUDAR A CIDADE - Marcelo Lopes de Souza (Planejamento Urbano...
Parte I do livro MUDAR A CIDADE - Marcelo Lopes de Souza (Planejamento Urbano...
 
Andreia Galvão Movimentos sociais - Uma apresentação de power point
Andreia Galvão   Movimentos sociais - Uma apresentação de power pointAndreia Galvão   Movimentos sociais - Uma apresentação de power point
Andreia Galvão Movimentos sociais - Uma apresentação de power point
 

Mais de Rosane Domingues

Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020Rosane Domingues
 
Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia Rosane Domingues
 
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - InovaAcolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - InovaRosane Domingues
 
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELOAcolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELORosane Domingues
 
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.Rosane Domingues
 
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...Rosane Domingues
 
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Rosane Domingues
 
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...Rosane Domingues
 
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Rosane Domingues
 
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional Rosane Domingues
 
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016Rosane Domingues
 
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIALMANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIALRosane Domingues
 
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...Rosane Domingues
 
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...Rosane Domingues
 
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
Plano municipal - CULTURA- social  - 2012Plano municipal - CULTURA- social  - 2012
Plano municipal - CULTURA- social - 2012Rosane Domingues
 
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...Rosane Domingues
 
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...Rosane Domingues
 

Mais de Rosane Domingues (20)

Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
Projeto de vida- Brincadeira poética- 2020
 
Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia Eletiva- Cinema e Fotografia
Eletiva- Cinema e Fotografia
 
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - InovaAcolhimento Aula de Eletiva - Inova
Acolhimento Aula de Eletiva - Inova
 
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELOAcolhimento-  Projeto d Vida- Inova- MODELO
Acolhimento- Projeto d Vida- Inova- MODELO
 
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
1960 Quarto de despejo - Carolina maria de jesus.
 
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
101 questões- Ética no serviço social - simulado grupo de estudo- CONCURSO SE...
 
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 3 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
 
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
Parte 2 de 4-ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441 d...
 
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
Parte 1 de 4- ECA -2017- Anotado e Interpretado- atualizado até a Lei 13.441d...
 
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
MODELO- Pesquisa Socioeconômica clima organizacional
 
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL-  versão 2016
FORMULÁRIO DE DENÚNCIA ÉTICA-SERVIÇO SOCIAL- versão 2016
 
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIALMANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
MANUAL DE ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
 
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
OS CONTEÚDOS E AS REFERÊNCIAS PARA CONSTRUÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA CULTURA E ...
 
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL PLURIANUAL DE ASSISTÊNCIA SO...
 
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
Plano municipal - CULTURA- social  - 2012Plano municipal - CULTURA- social  - 2012
Plano municipal - CULTURA- social - 2012
 
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
Plano municipal social - Vulnerabilidade e riscos sociais-2012
 
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 176 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 276 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
PEDAGOGIA- 150 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE PEDAGOGIA PARA ESTUDANTE ...
 
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
PEDAGOGIA- 200 DE 809 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PARA ESTUDANTE E PROFESSORES...
 

Último

Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 

Último (20)

Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 

Os Movimentos Sociais Contemporâneos: Teorias de Touraine e Melucci

  • 1. Os Movimentos Sociais Contemporâneos Abordagens • Conceitos Clássicos• Conceitos Clássicos • Os Movimentos Sociais Contemporâneos • Contextualização das Teorias • Articulação Curricular
  • 2. • O Modelo Clássico - Do pensamento marxiano às principais correntes marxistas. • Concepções contemporâneas - Neomarxismo ou marxismo ocidental. - Análise principalmente dos movimentos que surgiram na Europa a partir de 1960.
  • 3. Superação das opressões de classes Projeto de transformação radical O Modelo Clássico Projeto de transformação radical das estruturas sociais Práxis Revolucionária
  • 4. Capital x Trabalho Luta Proletariado Burguesia O Modelo Clássico Luta de ClassesProletariado Burguesia Motor da História
  • 5. Organização da classe trabalhadora Partido Operário O Modelo Clássico Nesta concepção, as ações dos Movimentos Sociais serviriam principalmente de instrumentos para a efetivação do processo revolucionário, o que diminui, desta forma, o seu papel de protagonismo.
  • 6. Duas correntes marxistas: Ortodoxa • Inspirada nos trabalhos de Marx elaborados após 1850); O Modelo Clássico elaborados após 1850); • Determinações dos fatores macroestruturais da sociedade (principalmente o econômico); • Lênin e Trotsky.
  • 7. Heterodoxa • Inspirada nos estudos sobre alienação, ideologia, consciência etc.; • Críticas ao modelo ortodoxo; • Insere uma visão histórico-humanista; • Gramsci, Rosa Luxemburgo, Lukács etc.
  • 8. Surgem no contexto de 1960, tanto Os Movimentos Sociais Contemporâneos • Surgem no contexto de 1960, tanto na Europa como no continente americano;
  • 9. • Seu referencial teórico busca influência no marxismo heterodoxo e sua crítica sobre a concepçãoe sua crítica sobre a concepção da determinação preponderante da macroestrutura nas ações humanas.
  • 10. • Alain Touraine – Sociólogo francês, nascido em 1925 • Alberto Melucci – Sociólogo italiano• Alberto Melucci – Sociólogo italiano (1943-2001)
  • 11. Alain Touraine Define dois padrões de sociedade: • Sociedade industrial Produção (técnica) e Reprodução (cultura);(técnica) e Reprodução (cultura); • Sociedade pós-industrial Controle cultural por meio da informação (tecnocracia).
  • 13. • Num panorama em que a técnica e a cultura estão interligadas e se interpenetram, ocorre também o enfraquecimento das delimitações do mundo privado e do público, originandomundo privado e do público, originando conflitos específicos de tal contexto histórico. • O conflito adquire dimensões simbólicas.
  • 14. Alain Touraine • Redefinição do Sujeito e seu papel perante as mobilizações; • Foco não só na esfera do trabalho, mas principalmente na esfera da vida cotidiana;
  • 15. • Os “atores” de tal contexto não seriam referenciados determinantemente por sua classe social, mas pela sua interação com a totalidade do jogo social, suascom a totalidade do jogo social, suas influências e possibilidades de intervenção nos padrões socioculturais.
  • 16. Alain Touraine • O foco dos movimentos sociais nesse contexto migra dos objetivos decontexto migra dos objetivos de transformações das macroestruturas para o plano da vida cotidiana;
  • 17. • Inserem um projeto de transformação cultural que não visa mais à tomada de poder, masvisa mais à tomada de poder, mas a democratização do Estado e suas estruturas, advindas do nível social;
  • 18. • Para isso, se utilizam da “ação direta” nas condições sociais que os oprimemnas condições sociais que os oprimem e afetam cotidianamente.
  • 19. Alberto Melucci Empreende uma reavaliação das ações coletivas dos anos 70. As Sociedades Complexas (capitalismos pós-industriais) • Novas formas de associações;
  • 20. • Novas formas de solidariedade conflitual (fazer político); Novas formas de ação (não• Novas formas de ação (não adaptáveis aos canais antigos).
  • 21. Alberto Melucci “ (...) a concentração na análise do como, sem negligenciar o porquê.” “Os movimentos são sistemas de“Os movimentos são sistemas de ação que operam num campo sistêmico de possibilidades e limites.
  • 22. É por isso que a organização se torna um ponto crítico de observação, um nível analítico que não pode ser ignorado. O modo como os atoresignorado. O modo como os atores constituem sua ação é a conexão concreta entre orientações e oportunidades e coerções sistêmicas.”
  • 23. Os Atores • São motivados pela construção de solidariedade e identidade,de solidariedade e identidade, não apenas pelo cálculo do custo-benefício da ação;
  • 24. • Não são definidos apenas pelas classes sociais ou grupos estáveis (como a classe trabalhadora, durante a industrialização capitalista);a industrialização capitalista); • Lutam por projetos simbólicos e culturais que intervenham diretamente na vida cotidiana.
  • 25. Dimensão analítica de Melucci “Eu defino um movimento social como uma forma de ação coletiva (a) baseada na solidariedade, (b)(a) baseada na solidariedade, (b) desenvolvendo um conflito, (c) rompendo os limites do sistema em que ocorre a ação.”
  • 26. O Padrão Organizacional Atual • Redes de Movimento ou Áreas de Movimento Características:Características: a) Permitem associação múltipla; b) A militância é apenas parcial e de curta duração;
  • 27. c)O envolvimento pessoal e a solidariedade afetiva como umasolidariedade afetiva como uma condição.
  • 28. “A nova forma organizacional dos movimentos contemporâneos não é exatamente instrumental paranão é exatamente instrumental para seus objetivos. É um objetivo em si mesma.”
  • 29. Visão geral: • Contexto histórico: Sociedades complexas, pós-industriais; • Revisão teórica sobre a importância• Revisão teórica sobre a importância de outras estruturas e bases determinantes, como a estrutura cultural;
  • 30. • Forte intervenção nas relações sociais, nos sistemas simbólicos, nas identidades individuaisnas identidades individuais e nas necessidades das pessoas.
  • 31. Os Movimentos Sociais Contemporâneos • Importância dos sistemas informacionais na esfera da vida cotidiana. Indivíduo Produz Consome Dissemina Terminal efetivo da rede
  • 32. Contextualizando as teorias São Paulo • A expansão da metrópole baseada na lógica do automóvel, da especulaçãológica do automóvel, da especulação imobiliária e dos grandes empreendimentos (concentrados no centro expandido).
  • 33. Contextualizando as teorias Problematização: • O território como espaço para• O território como espaço para o entendimento das desigualdades e contradições; • Explosão das periferias (década de 60).
  • 34. Contextualizando as teorias Periferias: • Serviços e infraestrutura;• Serviços e infraestrutura; • Consolidação de territórios; • Estigmatização e identidade.
  • 35. Contextualizando as teorias Novos atores e novas pautas: • Os coletivos culturais das periferias;• Os coletivos culturais das periferias; • O direito à cidade.
  • 36. Articulação Curricular Currículo de Sociologia do Estado de São Paulo O princípio pedagógico que orienta essa proposta é o estabelecimentoessa proposta é o estabelecimento de um diálogo entre o aluno, pensado como recurso para superar os limites de uma aula meramente expositiva.
  • 37. O ponto de partida desse diálogo é o conhecimento do senso comum que o aluno tem a respeito da sociedade, mas com objetivo de superá-lo,mas com objetivo de superá-lo, ao fornecer-lhe o conhecimento propiciado pela Sociologia enquanto disciplina científica.
  • 38. Articulação Curricular O Diálogo em Freire: Por isto, o diálogo é uma exigência existencial. E, se ele é o encontro emexistencial. E, se ele é o encontro em que se solidariza o refletir e o agir de seus sujeitos endereçados ao mundo a ser transformado e humanizado,...
  • 39. ...não pode reduzir-se a um ato de depositar ideias de um sujeito no outro, nem tampouco tornar-se simples troca de ideias a seremsimples troca de ideias a serem consumidas pelos permutantes. (FREIRE, 1987, p. 44)
  • 40. Articulação Curricular O Diálogo em Freire: Ação + Reflexão Diálogo Práxis
  • 41. Articulação Curricular O Diálogo em Freire: • Para um educador-educando, dialógico, problematizador, o conteúdodialógico, problematizador, o conteúdo programático da educação não é uma doação ou uma imposição – um conjunto de informes a ser depositados nos educandos (...) (Ibid. p. 46);
  • 42. • Nosso papel não é falar ao povo sobre a nossa visão de mundo, ou tentar impô-la a ele, mas dialogar com ele sobre a sua e a nossa. Temos de estarsobre a sua e a nossa. Temos de estar convencidos de que a sua visão do mundo, que se manifesta nas várias formas de sua ação,...
  • 43. ...reflete a sua situação no mundo, em que se constitui. A Ação educativa e política não pode prescindir do conhecimento críticoprescindir do conhecimento crítico dessa situação, sob pena de se fazer “bancária” ou de pregar no deserto. (Ibid, p. 48)
  • 44. Articulação Curricular O Diálogo em Freire: Não há também diálogo, se não há uma intensa fé nos homens. Fé no seu poderintensa fé nos homens. Fé no seu poder de fazer e refazer. De criar e recriar. Fé na vocação de ser mais, que não é privilégio de alguns eleitos, mas direito dos homens. (Ibid, p. 45)