SlideShare uma empresa Scribd logo
SISTEMA CARDIO-RESPIRATÓRIO
O Organismo Humano em Equilíbrio
SISTEMA CARDIO-RESPIRATÓRIO
 As nossas células necessitam de:
 Oxigénio;
 Nutrientes;
 Eliminar Dióxido de Carbono;
 Entre outros.
 O nosso organismo realiza as
trocas de substâncias com o
meio extracelular através de um
sistema baseado na circulação
de um fluído:
 SANGUE
SISTEMA CIRCULATÓRIO
 É um sistema fechado constituído
por:
 Coração; órgão propulsor;
 Vasos sanguíneo; asseguram a
distribuição do sangue.
 Sangue; tecido líquido viscoso que
assegura o equilíbrio fundamental
entre os vários sistemas do corpo
humano.
SANGUE
 É constituído por:
 Plasma (±55%);
substância
intercelular líquida.
 Células sanguíneas
ou elementos
figurados do sangue
(±45%); células em
suspensão.
CÉLULAS SANGUÍNEAS
 Eritrócitos (hemácias ou glóbulos vermelhos)
Características Funções
- Em forma de disco
biconcavo;
- Transporte de gases: O2
e CO2
- Não têm núcleo;
- Mudam de forma
conseguindo adaptar-se
aos capilares;
- Vermelhos devido à
presença de hemoglobina;
- Presença de ferro;
- São as mais abundantes
do sangue
CÉLULAS SANGUÍNEAS
 Leucócitos (glóbulos brancos)
Características Funções
- De forma irregular;
- Defesa do organismo
- Presença de núcleo com
formas variadas;
- Capacidade de emitir
pseudópodes;
- Capacidade de
fagocitose;
- Capacidade de mudar
de forma e de diapedese,
isto é, sair dos capilares;
- Incolores
CÉLULAS SANGUÍNEAS
 Plaquetas (trombocitos)
Características Funções
- Fragmentos de células
especializadas; - Coagulação do sangue;
- Sem núcleo;
- Impedem hemorragias
através da formaçaõ de um
tampão na zona lesada;
- Sem forma definida.
- Auxiliam na reparação da
parede dos vasos
sanguíneos.
CÉLULAS SANGUÍNEAS
 Plasma
Características Funções
- Parte líquida do sangue;
- Transporte dos elementos
figurados do sangue, nutrientes,
excreções e hormonas;
- Cerca de 90% de água;
- Desempenha funções de regulação
e distribuição do calor;
- Presença de sais minerais,
substâncias orgânicas (glícidos;
lípidos; proteínas e vitaminas) e
hormonas.
- Desempenha funções na
coagulação do sangue devido à
presença de proteinas como
fibrogénio.
SANGUE
 Os elementos figurados do sangue têm vida curta;
 São renovados constantemente;
 A sua produção é realizada na medula óssea
através da maturação de diferentes células
sanguíneas.
 Processo designado de hematopoiese.
 Os leucócitos são produzidos ao nível dos órgãos
linfoides.
 Baço; Fígado e Gânglios linfáticos.
FUNÇÕES DO SANGUE
 Transporte de O2;
 Transporte de nutrientes;
 Transporte de produtos de excreção;
 Transporte de hormonas;
 Defesa do organismo;
 Coagulação;
 Regulação da temperatura corporal.
VASOS SANGUÍNEOS
 Artérias
 Paredes espessas;
 Várias camadas de células;
 Elásticas;
 Células musculares;
 Transporta o sangue, sob
pressão, do coração.
 Arteríolas
 Menores dimensões que as
artérias;
 São ramificações das artérias.
VASOS SANGUÍNEOS
 Capilares
 Vasos muito finos;
 Uma só camada de células.
 Através deles dão-se as
trocas com as células;
 Gasosas;
 Nutrientes;
 Hormonas;
 Células do Sistema
Imunitário.
VASOS SANGUÍNEOS
 Vénulas
 Pequenas dimensões;
 Várias camadas de células;
 Não musculares.
 Veias
 Grande calibre;
 Paredes delgadas;
 São reservatórios de sangue;
 Apresentam válvulas venosas
 Impedem o refluxo, fazendo com que o
fluxo seja apenas num sentido.
CORAÇÃO
CORAÇÃO
 Órgão muscular
 Miocárdio
 Cavidades superiores
 Aurículas
 Cavidades inferiores
 Ventrículos
 Artérias
 Aorta – leva sangue arterial para todo o corpo (Grande Circulação)
 Pulmonar – leva sangue venoso para os pulmões (Pequena Circulação)
 Veias
 Cava superior e inferior – trazem sangue venoso de todo o corpo (Grande
Circulação)
 Pulmonar – traz sangue arterial ao coração (Pequena Circulação)
ESTRUTURA INTERNA DO CORAÇÃO
Aurícula esquerda
Artéria Pulmonar
Artéria Aorta
Válvula bicúspide
Válvulas semilunares
Ventrículo esquerdo
Ventrículo direito
Válvula Tricúspide
Aurícula direita
Veia Pulmonar
Válvulas semilunares
Septo interventricular
CICLO CARDÍACO
CICLO CARDÍACO
 Ciclo Cardíaco
 Período compreendido entre o
início de um batimento cardíaco
e o inicio do batimento
seguinte.
 Dois movimento principais
 Diástole – relaxamento;
 Sístole – contracção.
CICLO CARDÍACO
 Diástole Geral
 Válvulas tricúspide, bicúspide e semilunares
fechadas;
 Aurículas relaxadas, recebem o sangue;
 Aumenta a pressão auricular e diminui a ventricular
(por relaxamento do miocárdio ventricular).
 Sístole Auricular
 As válvulas auriculoventriculares abrem;
 O sangue sai para os ventrículos sobre pressão;
 As aurículas semilunares estão fechadas.
 Ao passar todo o sangue as válvulas
auriculoventriculares fecham para evitar o refluxo
(1º Ruido).
 Sístole Ventricular
 Os ventrículos contraem;
 As válvulas semilunares abrem sob pressão;
 Quando todo o sangue passa para as artérias, as
válvulas semilunares fecham para evitar o refluxo (2º
Ruido)
RITMO CARDÍACO E PRESSÃO SANGUÍNEA
 O número de ciclos cardíacos por minuto designa-se
de ritmo cardíaco.
 Em circunstâncias normais ronda os 60 a 80 por minuto.
 Altera de acordo com o exercício físico e com a acção do
sistema nervoso autónomo.
 À pressão exercida pelo sangue nas paredes dos vasos
sanguíneos dá-se o nome de pressão sanguínea.
 Quando a pressão é ao nível das artérias designa-se
pressão arterial.
 A quando da sístole ventricular a pressão atinge um valor
máximo – pressão arterial máxima (120 mm Hg);
 A quando da diástole atinge o valor mínimo – pressão
arterial mínima (80 mm Hg).
CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA
 À medida que o sangue se afasta
do coração a pressão e a
velocidade diminuem.
 Ao nível dos capilares atinge os
valores mínimos o que permite
as trocas de materiais.
 Estes valores não podem no
entanto diminuir mais pois o
regresso do sangue ao coração
poderia ficar comprometida.
 Para evitar essa situação:
 Existem válvulas ao nível das
veias;
 Os músculos circundantes
contraem-se.
CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA
 Circulação Pulmonar e Circulação Sistémica.
CIRCULAÇÃO PULMONAR OU PEQUENA
CIRCULAÇÃO
Ventrículo
Direito
Artéria
Pulmonar
Pulmões
Veias
Pulmonares
Aurícula
Esquerda
Sangue Venoso
Sangue Arterial
o Inicia-se com sangue venoso;
o Entra no coração proveniente de todo o corpo;
o Dirige-se até aos pulmões onde nos alvéolos pulmonares é
oxigenado;
o Volta ao coração para ser distribuído por todo o corpo.
CIRCULAÇÃO SISTÉMICA OU GRANDE
CIRCULAÇÃO
Ventrículo
Esquerda
Artéria
Aorta
Organismo
Veias
cavas
superior e
inferior
Aurícula
Direita
Sangue Venoso
Sangue Arterial
o Inicia-se com sangue arterial;
o Entra no coração proveniente dos pulmões;
o Irriga todos os tecidos do corpo, onde liberta o oxigénio e recebe
as excreções;
o Volta ao coração (sangue venosos) para ser levado aos pulmões
LINFA
 Além dos vasos sanguíneos existe um outro
sistema de vasos denominado de Sistema
Linfático, responsável pelo transporte da Linfa.
 Linfa é um fluído constituido por plasma e pelos
glóbulos brancos que atravessam as paredes dos
capilares sanguíneos para os espaços
intersticiais.
LINFA
 A linfa encontra-se em contacto directo com as
células, pelo que permite a troca de materiais
indispensáveis a estas.
 É depois recolhida pelos capilares linfáticos.
 Os capilares linfáticos reúnem-se em vasos de
maior calibre que devolvem a linfa à circulação
sanguínea.
LINFA
 A linfa representa assim um meio intermédio entre o
sangue e as células.
 Linfa intersticial – fluido que se encontra nos tecidos, entre
as células.
 Linfa circulante – fluido que circula no interior dos vasos
linfáticos.
1. Capilar Sanguíneo;
2. Plaquetas;
3. Eritrócitos;
4. Leucócitos;
5. Plasma;
6. Células;
7. Linfa intersticial;
8. Capilar linfático;
9. Linfa circulante.
PERTURBAÇÕES DO SISTEMA
CIRCULATÓRIO (DCV)
 Aterosclerose;
 Enfarte miocárdio;
 Valvulopatias;
 AVC;
 Embolias.
SISTEMA RESPIRATÓRIO
 Sistema encarregue por manter o
intercâmbio de gases entre o meio
externo e interno.
 É constituído por:
 Pulmões;
 Vias respiratórios;
 Fossas nasais;
 Faringe;
 Laringe;
 Traqueia;
 Bronquios;
 Bronquíolos.
VIAS RESPIRATÓRIAS
 Têm como função: filtrar, humidificar e aquecer o
ar inspirado.
 Fossas nasais – duas cavidades, que comunicam com
o exterior pelos orifícios nasais, revestidas
internamente por células secretoras de muco e por
células ciliadas.
VIAS RESPIRATÓRIAS
 Faringe – tubo muscular, que
permite a passagem de ar
para laringe;
 Laringe
 Canal formado por estruturas
cartilagíneas sobrepostas;
 Unidas entre si por ligamentos
e músculos;
 Serve de comunicação entre a
faringe e a traqueia;
 No seu interior existem pregas
membranosas que são as
cordas vocais
VIAS RESPIRATÓRIAS
 Traqueia
 Estrutura tubular;
 Constituído por anéis cartilagíneos incompletos e
músculos;
 É revestido internamente por mucosa e por células
ciliadas e secretoras de muco.
 Brônquios
 Canais formados por aneis cartilagíneos completos;
 Revestidos internamente por uma membrana mucosa
com células secretoras e ciliadas;
 Os brônquios primários vão-se ramificando dentro
dos pulmões, formando a chamada árvore brônquica.
VIAS RESPIRATÓRIAS
 Bronquíolos
 Tubos finos que apresentam
dilatações nas extremidades;
 Semelhantes aos brônquios mas
mais finos.
 Sacos alveolares
 Sacos com pequenas câmaras
esféricas, alvéolos pulmonares.
 São constituídos por uma
camada de células e são
densamente vascularizados.
 Local onde ocorre as trocas
gasosas.
PULMÕES
 Órgãos elásticos e
esponjosos;
 Cor rosada;
 Contêm inúmeros alvéolos
pulmonares;
 Encontram-se divididos
em lobos pulmunares;
 Pulmão esquerdo – dois
lobos;
 Pulmão direito – três lobos.
SISTEMA RESPIRATÓRIO
 Pleura
 Membrana dupla que reveste
e protege os pulmões.
 Possui dois folhetos:
 Visceral
 Parietal
 Entre os dois folhetos existe
um líquido que facilita a
expansão e contracção dos
pulmões.
 Diafragma
 Músculo largo e fino;
 Separa a cavidade torácica
da cavidade abdominal
FUNÇÕES DAS VIAS RESPIRATÓRIAS
 Através das vias respiratórias o
ar chega aos pulmões.
 Durante este processo o ar é:
 Aquecido – pelo sangue dos capilares
das fossas nasais.
 Humidificado – pela mucosa produzida
ao nível das fossas nasais e das
restantes vias respiratórias.
 Filtrado – através do muco nasal que
aprisiona pequenas impurezas, bem
como pelos cílios vibráteis.
VENTILAÇÃO
 A renovação do ar nos alvéolos pulmonares dá-se
através da
 Ventilação pulmonar
 A ventilação ocorre através de dois movimentos
respiratórios:
 Inspiração – entrada de ar nos pulmões;
 Expiração – saída de ar nos pulmões.
 O ar circula sempre de locais de maior pressão para
locais de menor pressão.
 Através da variação do volume dos pulmões, o
organismo consegue variar a pressão de ar no interior
dos pulmões.
VENTILAÇÃO
 A ventilação depende da
actuação dos músculos
intercostais e do diafragma.
 Estes fazem movimentar a caixa
torácica.
 Quando a caixa torácica aumenta
o seu volume dá-se a inspiração.
 Quando a caixa torácica diminui o
seu volume dá-se a expiração.
 Os pulmões e a pleura
conseguem acompanhar estes
movimentos pois são órgãos
extremamente elásticos.
CICLO RESPIRATÓRIO
 Ao conjunto de uma inspiração
seguida de uma expiração dá-se o
nome de ciclo respiratório.
 É um conjunto de movimentos
involuntários, que é controlado
pelo Sistema Nervoso Autónomo.
 A frequência dos movimentos
respiratórios altera-se de acordo
com a actividade do organismo.
 Em repouso pode chegar as 17
movimentos por minuto.
 Em actividade esse número pode
aumentar grandemente.
TROCAS GASOSAS
 As trocas gasosas são essenciais para a
manutenção da vidas dos seres vivos aeróbios.
 No interior dos organismos os gases deslocam-se
de locais de maior pressão para locais de menor
pressão, tal fenómeno denomina-se de difusão.
 As trocas de gases:
 Ao nível dos pulmões denomina-se de Hematose
Pulmonar.
 Ao nível das restantes células do corpo denomina-se
de Hematose Celular.
TROCAS GASOSAS
 Hematose Pulmonar
 As paredes dos alvéolos são
constituídas apenas por uma camada
de células o que permite a troca de
gases.
 A pressão de oxigénio é maior nos
alvéolos do que no sangue, pelo que se
dá a movimentação do oxigénio dos
alvéolos para o sangue.
 O inverso se passa em relação ao
dióxido de carbono.
 Este fenómeno ocorre ao nível da
Circulação Pulmonar.
TROCAS GASOSAS
 Hematose celular
 Durante a Circulação Sistémica, o
sangue oxigenado é levado até às
diferentes células do corpo
 Ao nível das células a pressão de
dióxido de carbono é maior nas
células, pelo que sai para o sangue.
 Por seu lado a pressão de oxigénio é
maior no sangue, pelo que este sai
para as células.
DOENÇAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 05 sistema circulatoriomoodle
Aula 05   sistema circulatoriomoodleAula 05   sistema circulatoriomoodle
Aula 05 sistema circulatoriomoodle
Felipe Beijamini
 
Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão
Aula 04 de fisiologia   ventilação-perfusãoAula 04 de fisiologia   ventilação-perfusão
Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão
Flávia Salame
 
Sistema Urinário e a Pele
Sistema Urinário e a PeleSistema Urinário e a Pele
Sistema Urinário e a Pele
Helena Borralho
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
Susana Ferrão
 
Infarto Agudo do Miocárdio e Fisioterapia
Infarto Agudo do Miocárdio e FisioterapiaInfarto Agudo do Miocárdio e Fisioterapia
Infarto Agudo do Miocárdio e Fisioterapia
Josi Amorim
 
Tipos De CirculaçãO
Tipos De CirculaçãOTipos De CirculaçãO
Tipos De CirculaçãO
s1lv1alouro
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema RespiratórioSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
Turma Olímpica
 
Coraçao
CoraçaoCoraçao
Coraçao
Ronny Jara
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
César Milani
 
SISTEMA DIGESTIVO
SISTEMA DIGESTIVOSISTEMA DIGESTIVO
SISTEMA DIGESTIVO
Sofia Mendes
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
emanuel
 
Sistema Urinario
Sistema UrinarioSistema Urinario
Sistema Urinario
ANDRÉA FERREIRA
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
MariaJoão Agualuza
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratório
Flávia Salame
 
Enfisema Pulmonar
Enfisema PulmonarEnfisema Pulmonar
Enfisema Pulmonar
Nutricionista
 
I.E.D - Integração do Direito e o Problema das Lacunas Jurídicas (4)
I.E.D - Integração do Direito e o Problema das Lacunas Jurídicas (4)I.E.D - Integração do Direito e o Problema das Lacunas Jurídicas (4)
I.E.D - Integração do Direito e o Problema das Lacunas Jurídicas (4)
Diego Sampaio
 
Sistema Digestivo
Sistema DigestivoSistema Digestivo
Sistema Digestivo
pedropereiraeu
 
Tcar de pulmão enfisema pdf
Tcar de pulmão   enfisema pdfTcar de pulmão   enfisema pdf
Tcar de pulmão enfisema pdf
isadoracordenonsi
 
Sistema Cardiovascular
Sistema CardiovascularSistema Cardiovascular
Sistema Cardiovascular
Carlos Antunes
 
Fisiologia Cardiaca
Fisiologia CardiacaFisiologia Cardiaca
Fisiologia Cardiaca
LAC
 

Mais procurados (20)

Aula 05 sistema circulatoriomoodle
Aula 05   sistema circulatoriomoodleAula 05   sistema circulatoriomoodle
Aula 05 sistema circulatoriomoodle
 
Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão
Aula 04 de fisiologia   ventilação-perfusãoAula 04 de fisiologia   ventilação-perfusão
Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão
 
Sistema Urinário e a Pele
Sistema Urinário e a PeleSistema Urinário e a Pele
Sistema Urinário e a Pele
 
Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Infarto Agudo do Miocárdio e Fisioterapia
Infarto Agudo do Miocárdio e FisioterapiaInfarto Agudo do Miocárdio e Fisioterapia
Infarto Agudo do Miocárdio e Fisioterapia
 
Tipos De CirculaçãO
Tipos De CirculaçãOTipos De CirculaçãO
Tipos De CirculaçãO
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema RespiratórioSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Sistema Respiratório
 
Coraçao
CoraçaoCoraçao
Coraçao
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
SISTEMA DIGESTIVO
SISTEMA DIGESTIVOSISTEMA DIGESTIVO
SISTEMA DIGESTIVO
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Sistema Urinario
Sistema UrinarioSistema Urinario
Sistema Urinario
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratório
 
Enfisema Pulmonar
Enfisema PulmonarEnfisema Pulmonar
Enfisema Pulmonar
 
I.E.D - Integração do Direito e o Problema das Lacunas Jurídicas (4)
I.E.D - Integração do Direito e o Problema das Lacunas Jurídicas (4)I.E.D - Integração do Direito e o Problema das Lacunas Jurídicas (4)
I.E.D - Integração do Direito e o Problema das Lacunas Jurídicas (4)
 
Sistema Digestivo
Sistema DigestivoSistema Digestivo
Sistema Digestivo
 
Tcar de pulmão enfisema pdf
Tcar de pulmão   enfisema pdfTcar de pulmão   enfisema pdf
Tcar de pulmão enfisema pdf
 
Sistema Cardiovascular
Sistema CardiovascularSistema Cardiovascular
Sistema Cardiovascular
 
Fisiologia Cardiaca
Fisiologia CardiacaFisiologia Cardiaca
Fisiologia Cardiaca
 

Destaque

Sistema Cardio-Respiratório
Sistema Cardio-RespiratórioSistema Cardio-Respiratório
Sistema Cardio-Respiratório
Gabriela Bruno
 
CirculatóRio Parte I
CirculatóRio Parte ICirculatóRio Parte I
CirculatóRio Parte I
Ana Ferreira
 
Ventilação pulmonar
Ventilação pulmonarVentilação pulmonar
Ventilação pulmonar
igrejasp
 
Sistema CáRdio RespiratóRio
Sistema CáRdio RespiratóRioSistema CáRdio RespiratóRio
Sistema CáRdio RespiratóRioCristina Vitória
 
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorioApresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Deolinda Silva
 
Unidade 6 sistema cardio respiratório
Unidade 6   sistema cardio respiratórioUnidade 6   sistema cardio respiratório
Unidade 6 sistema cardio respiratório
Margarida Cardoso
 
Fisiologia da Microcirculação
Fisiologia da MicrocirculaçãoFisiologia da Microcirculação
Fisiologia da Microcirculação
delanievov
 
Biofísica da respiração
Biofísica da respiraçãoBiofísica da respiração
Biofísica da respiração
Junior França
 
Órgãos linfóides
Órgãos linfóidesÓrgãos linfóides
Órgãos linfóides
LABIMUNO UFBA
 
Biofísica aula 3
Biofísica aula 3Biofísica aula 3
Biofísica aula 3
Biomedicina_
 
Fisiologia pulmonar
Fisiologia pulmonarFisiologia pulmonar
SISTEMA CARDIO RESPIRATORIO
SISTEMA CARDIO RESPIRATORIOSISTEMA CARDIO RESPIRATORIO
SISTEMA CARDIO RESPIRATORIO
jose026
 
Orgãos Linfóides Primários e Secundários
Orgãos Linfóides Primários e SecundáriosOrgãos Linfóides Primários e Secundários
Orgãos Linfóides Primários e Secundários
LABIMUNO UFBA
 
Sistema circulatorio 9º
Sistema circulatorio 9ºSistema circulatorio 9º
Sistema circulatorio 9º
Carla Scala
 
Sistema cardio respiratorio
Sistema cardio respiratorioSistema cardio respiratorio
Sistema cardio respiratorio
UCV, Universidad Yacambu
 
Sistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratórioSistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratório
xanapreto
 
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioFisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Herbert Santana
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
Cláudia Moura
 

Destaque (18)

Sistema Cardio-Respiratório
Sistema Cardio-RespiratórioSistema Cardio-Respiratório
Sistema Cardio-Respiratório
 
CirculatóRio Parte I
CirculatóRio Parte ICirculatóRio Parte I
CirculatóRio Parte I
 
Ventilação pulmonar
Ventilação pulmonarVentilação pulmonar
Ventilação pulmonar
 
Sistema CáRdio RespiratóRio
Sistema CáRdio RespiratóRioSistema CáRdio RespiratóRio
Sistema CáRdio RespiratóRio
 
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorioApresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
Apresentacao 7-sistema-cardiorespiratorio
 
Unidade 6 sistema cardio respiratório
Unidade 6   sistema cardio respiratórioUnidade 6   sistema cardio respiratório
Unidade 6 sistema cardio respiratório
 
Fisiologia da Microcirculação
Fisiologia da MicrocirculaçãoFisiologia da Microcirculação
Fisiologia da Microcirculação
 
Biofísica da respiração
Biofísica da respiraçãoBiofísica da respiração
Biofísica da respiração
 
Órgãos linfóides
Órgãos linfóidesÓrgãos linfóides
Órgãos linfóides
 
Biofísica aula 3
Biofísica aula 3Biofísica aula 3
Biofísica aula 3
 
Fisiologia pulmonar
Fisiologia pulmonarFisiologia pulmonar
Fisiologia pulmonar
 
SISTEMA CARDIO RESPIRATORIO
SISTEMA CARDIO RESPIRATORIOSISTEMA CARDIO RESPIRATORIO
SISTEMA CARDIO RESPIRATORIO
 
Orgãos Linfóides Primários e Secundários
Orgãos Linfóides Primários e SecundáriosOrgãos Linfóides Primários e Secundários
Orgãos Linfóides Primários e Secundários
 
Sistema circulatorio 9º
Sistema circulatorio 9ºSistema circulatorio 9º
Sistema circulatorio 9º
 
Sistema cardio respiratorio
Sistema cardio respiratorioSistema cardio respiratorio
Sistema cardio respiratorio
 
Sistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratórioSistema cardiorrespiratório
Sistema cardiorrespiratório
 
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioFisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 

Semelhante a organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza

Sistema circulatório 6º ano
Sistema circulatório 6º anoSistema circulatório 6º ano
Sistema circulatório 6º ano
Isabel Ribeiro
 
(8) 2008 - 2009 - 9º ano - organismo em equilíbrio - sistema cardio-respira...
(8)   2008 - 2009 - 9º ano - organismo em equilíbrio - sistema cardio-respira...(8)   2008 - 2009 - 9º ano - organismo em equilíbrio - sistema cardio-respira...
(8) 2008 - 2009 - 9º ano - organismo em equilíbrio - sistema cardio-respira...
Hugo Martins
 
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
tatimantilla
 
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
tatimantilla
 
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
tatimantilla
 
Sistema circulatório 6º ano
Sistema circulatório 6º anoSistema circulatório 6º ano
Sistema circulatório 6º ano
Isabel Ribeiro
 
Sistema Circulatorio
Sistema CirculatorioSistema Circulatorio
Sistema Circulatorio
Eunice Palma
 
Sistema circulatório 2
Sistema circulatório 2Sistema circulatório 2
Sistema circulatório 2
bioconectado
 
Sistema cardio respiratorio
Sistema cardio respiratorio Sistema cardio respiratorio
Sistema cardio respiratorio
Susana Barrios
 
Sistema cardiovascular e o sangue
Sistema cardiovascular e o sangueSistema cardiovascular e o sangue
Sistema cardiovascular e o sangue
robioprof
 
Sistema Circulatório....
Sistema Circulatório....Sistema Circulatório....
Sistema Circulatório....
Gabriela Bruno
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular Sistema cardiovascular
Sistema circulatório_Lidiane
Sistema circulatório_LidianeSistema circulatório_Lidiane
Sistema circulatório_Lidiane
Marcia Regina
 
Circulatorio
CirculatorioCirculatorio
Circulatorio
Magali Feldmann
 
Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011
Antonio Fernandes
 
Cap 04 circulação e excreção
Cap 04 circulação e excreçãoCap 04 circulação e excreção
Cap 04 circulação e excreção
Grazielly Katarinni Gomes Lemos
 
sistema circulatorio Enfermagehhhhhm.pptx
sistema circulatorio Enfermagehhhhhm.pptxsistema circulatorio Enfermagehhhhhm.pptx
sistema circulatorio Enfermagehhhhhm.pptx
HitaloSantos7
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
Isabel Canova
 
Ciências 9º ano
Ciências 9º anoCiências 9º ano
Ciências 9º ano
lolzirasomfg
 
Sistema circulatorio
Sistema circulatorioSistema circulatorio
Sistema circulatorio
Fernando Moreira
 

Semelhante a organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza (20)

Sistema circulatório 6º ano
Sistema circulatório 6º anoSistema circulatório 6º ano
Sistema circulatório 6º ano
 
(8) 2008 - 2009 - 9º ano - organismo em equilíbrio - sistema cardio-respira...
(8)   2008 - 2009 - 9º ano - organismo em equilíbrio - sistema cardio-respira...(8)   2008 - 2009 - 9º ano - organismo em equilíbrio - sistema cardio-respira...
(8) 2008 - 2009 - 9º ano - organismo em equilíbrio - sistema cardio-respira...
 
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
 
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
 
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
Sistemacirculatorio 100318163738-phpapp02
 
Sistema circulatório 6º ano
Sistema circulatório 6º anoSistema circulatório 6º ano
Sistema circulatório 6º ano
 
Sistema Circulatorio
Sistema CirculatorioSistema Circulatorio
Sistema Circulatorio
 
Sistema circulatório 2
Sistema circulatório 2Sistema circulatório 2
Sistema circulatório 2
 
Sistema cardio respiratorio
Sistema cardio respiratorio Sistema cardio respiratorio
Sistema cardio respiratorio
 
Sistema cardiovascular e o sangue
Sistema cardiovascular e o sangueSistema cardiovascular e o sangue
Sistema cardiovascular e o sangue
 
Sistema Circulatório....
Sistema Circulatório....Sistema Circulatório....
Sistema Circulatório....
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Sistema circulatório_Lidiane
Sistema circulatório_LidianeSistema circulatório_Lidiane
Sistema circulatório_Lidiane
 
Circulatorio
CirculatorioCirculatorio
Circulatorio
 
Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011Sistema circulatorio 2011
Sistema circulatorio 2011
 
Cap 04 circulação e excreção
Cap 04 circulação e excreçãoCap 04 circulação e excreção
Cap 04 circulação e excreção
 
sistema circulatorio Enfermagehhhhhm.pptx
sistema circulatorio Enfermagehhhhhm.pptxsistema circulatorio Enfermagehhhhhm.pptx
sistema circulatorio Enfermagehhhhhm.pptx
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Ciências 9º ano
Ciências 9º anoCiências 9º ano
Ciências 9º ano
 
Sistema circulatorio
Sistema circulatorioSistema circulatorio
Sistema circulatorio
 

Mais de Yolanda Maria

Tabela de aditivos alimentares
Tabela de aditivos alimentaresTabela de aditivos alimentares
Tabela de aditivos alimentares
Yolanda Maria
 
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v19 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
Yolanda Maria
 
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da NaturezaSistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Yolanda Maria
 
Seguranca e prevenção- 9º ano
Seguranca e prevenção- 9º anoSeguranca e prevenção- 9º ano
Seguranca e prevenção- 9º ano
Yolanda Maria
 
Circuitos electricos 9º ano, Fisica
Circuitos electricos 9º ano, FisicaCircuitos electricos 9º ano, Fisica
Circuitos electricos 9º ano, Fisica
Yolanda Maria
 
Ex mat a635-f1-2015-v2
Ex mat a635-f1-2015-v2Ex mat a635-f1-2015-v2
Ex mat a635-f1-2015-v2
Yolanda Maria
 
Ex mat a635-f1-2015-v1
Ex mat a635-f1-2015-v1Ex mat a635-f1-2015-v1
Ex mat a635-f1-2015-v1
Yolanda Maria
 
Pf mat92-f1-2015-cad2
Pf mat92-f1-2015-cad2Pf mat92-f1-2015-cad2
Pf mat92-f1-2015-cad2
Yolanda Maria
 
Pf mat92-f1-2015-cad1
Pf mat92-f1-2015-cad1Pf mat92-f1-2015-cad1
Pf mat92-f1-2015-cad1
Yolanda Maria
 
Pf port91-f1-2015
Pf port91-f1-2015Pf port91-f1-2015
Pf port91-f1-2015
Yolanda Maria
 
2015 prova c1
2015 prova c12015 prova c1
2015 prova c1
Yolanda Maria
 
2015 prova c2
2015 prova c22015 prova c2
2015 prova c2
Yolanda Maria
 
Ti port2 mai2015_cad1_ext
Ti port2 mai2015_cad1_extTi port2 mai2015_cad1_ext
Ti port2 mai2015_cad1_ext
Yolanda Maria
 
Ti port2 mai2015_cad2_ext
Ti port2 mai2015_cad2_extTi port2 mai2015_cad2_ext
Ti port2 mai2015_cad2_ext
Yolanda Maria
 
Ti mat2-jun2011-cad2
Ti mat2-jun2011-cad2Ti mat2-jun2011-cad2
Ti mat2-jun2011-cad2
Yolanda Maria
 
Ti mat2-jun2011-cad1
Ti mat2-jun2011-cad1Ti mat2-jun2011-cad1
Ti mat2-jun2011-cad1
Yolanda Maria
 
Ti mat2-jun2012-cad2
Ti mat2-jun2012-cad2Ti mat2-jun2012-cad2
Ti mat2-jun2012-cad2
Yolanda Maria
 
Ti mat2-jun2012-cad1
Ti mat2-jun2012-cad1Ti mat2-jun2012-cad1
Ti mat2-jun2012-cad1
Yolanda Maria
 
Ti mat2 mai2013_cad2
Ti mat2 mai2013_cad2Ti mat2 mai2013_cad2
Ti mat2 mai2013_cad2
Yolanda Maria
 
Ti mat2 mai2013_cad1
Ti mat2 mai2013_cad1Ti mat2 mai2013_cad1
Ti mat2 mai2013_cad1
Yolanda Maria
 

Mais de Yolanda Maria (20)

Tabela de aditivos alimentares
Tabela de aditivos alimentaresTabela de aditivos alimentares
Tabela de aditivos alimentares
 
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v19 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
9 ano ficha_diagnostico_11_12_v1
 
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da NaturezaSistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
Sistemaneuro hormonal- 9º ano ,Ciências da Natureza
 
Seguranca e prevenção- 9º ano
Seguranca e prevenção- 9º anoSeguranca e prevenção- 9º ano
Seguranca e prevenção- 9º ano
 
Circuitos electricos 9º ano, Fisica
Circuitos electricos 9º ano, FisicaCircuitos electricos 9º ano, Fisica
Circuitos electricos 9º ano, Fisica
 
Ex mat a635-f1-2015-v2
Ex mat a635-f1-2015-v2Ex mat a635-f1-2015-v2
Ex mat a635-f1-2015-v2
 
Ex mat a635-f1-2015-v1
Ex mat a635-f1-2015-v1Ex mat a635-f1-2015-v1
Ex mat a635-f1-2015-v1
 
Pf mat92-f1-2015-cad2
Pf mat92-f1-2015-cad2Pf mat92-f1-2015-cad2
Pf mat92-f1-2015-cad2
 
Pf mat92-f1-2015-cad1
Pf mat92-f1-2015-cad1Pf mat92-f1-2015-cad1
Pf mat92-f1-2015-cad1
 
Pf port91-f1-2015
Pf port91-f1-2015Pf port91-f1-2015
Pf port91-f1-2015
 
2015 prova c1
2015 prova c12015 prova c1
2015 prova c1
 
2015 prova c2
2015 prova c22015 prova c2
2015 prova c2
 
Ti port2 mai2015_cad1_ext
Ti port2 mai2015_cad1_extTi port2 mai2015_cad1_ext
Ti port2 mai2015_cad1_ext
 
Ti port2 mai2015_cad2_ext
Ti port2 mai2015_cad2_extTi port2 mai2015_cad2_ext
Ti port2 mai2015_cad2_ext
 
Ti mat2-jun2011-cad2
Ti mat2-jun2011-cad2Ti mat2-jun2011-cad2
Ti mat2-jun2011-cad2
 
Ti mat2-jun2011-cad1
Ti mat2-jun2011-cad1Ti mat2-jun2011-cad1
Ti mat2-jun2011-cad1
 
Ti mat2-jun2012-cad2
Ti mat2-jun2012-cad2Ti mat2-jun2012-cad2
Ti mat2-jun2012-cad2
 
Ti mat2-jun2012-cad1
Ti mat2-jun2012-cad1Ti mat2-jun2012-cad1
Ti mat2-jun2012-cad1
 
Ti mat2 mai2013_cad2
Ti mat2 mai2013_cad2Ti mat2 mai2013_cad2
Ti mat2 mai2013_cad2
 
Ti mat2 mai2013_cad1
Ti mat2 mai2013_cad1Ti mat2 mai2013_cad1
Ti mat2 mai2013_cad1
 

Último

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 

organismo em equilíbrio-sistema cardio-respiratório 9º ano ,Ciências da Natureza

  • 2. SISTEMA CARDIO-RESPIRATÓRIO  As nossas células necessitam de:  Oxigénio;  Nutrientes;  Eliminar Dióxido de Carbono;  Entre outros.  O nosso organismo realiza as trocas de substâncias com o meio extracelular através de um sistema baseado na circulação de um fluído:  SANGUE
  • 3. SISTEMA CIRCULATÓRIO  É um sistema fechado constituído por:  Coração; órgão propulsor;  Vasos sanguíneo; asseguram a distribuição do sangue.  Sangue; tecido líquido viscoso que assegura o equilíbrio fundamental entre os vários sistemas do corpo humano.
  • 4. SANGUE  É constituído por:  Plasma (±55%); substância intercelular líquida.  Células sanguíneas ou elementos figurados do sangue (±45%); células em suspensão.
  • 5. CÉLULAS SANGUÍNEAS  Eritrócitos (hemácias ou glóbulos vermelhos) Características Funções - Em forma de disco biconcavo; - Transporte de gases: O2 e CO2 - Não têm núcleo; - Mudam de forma conseguindo adaptar-se aos capilares; - Vermelhos devido à presença de hemoglobina; - Presença de ferro; - São as mais abundantes do sangue
  • 6. CÉLULAS SANGUÍNEAS  Leucócitos (glóbulos brancos) Características Funções - De forma irregular; - Defesa do organismo - Presença de núcleo com formas variadas; - Capacidade de emitir pseudópodes; - Capacidade de fagocitose; - Capacidade de mudar de forma e de diapedese, isto é, sair dos capilares; - Incolores
  • 7. CÉLULAS SANGUÍNEAS  Plaquetas (trombocitos) Características Funções - Fragmentos de células especializadas; - Coagulação do sangue; - Sem núcleo; - Impedem hemorragias através da formaçaõ de um tampão na zona lesada; - Sem forma definida. - Auxiliam na reparação da parede dos vasos sanguíneos.
  • 8. CÉLULAS SANGUÍNEAS  Plasma Características Funções - Parte líquida do sangue; - Transporte dos elementos figurados do sangue, nutrientes, excreções e hormonas; - Cerca de 90% de água; - Desempenha funções de regulação e distribuição do calor; - Presença de sais minerais, substâncias orgânicas (glícidos; lípidos; proteínas e vitaminas) e hormonas. - Desempenha funções na coagulação do sangue devido à presença de proteinas como fibrogénio.
  • 9. SANGUE  Os elementos figurados do sangue têm vida curta;  São renovados constantemente;  A sua produção é realizada na medula óssea através da maturação de diferentes células sanguíneas.  Processo designado de hematopoiese.  Os leucócitos são produzidos ao nível dos órgãos linfoides.  Baço; Fígado e Gânglios linfáticos.
  • 10. FUNÇÕES DO SANGUE  Transporte de O2;  Transporte de nutrientes;  Transporte de produtos de excreção;  Transporte de hormonas;  Defesa do organismo;  Coagulação;  Regulação da temperatura corporal.
  • 11. VASOS SANGUÍNEOS  Artérias  Paredes espessas;  Várias camadas de células;  Elásticas;  Células musculares;  Transporta o sangue, sob pressão, do coração.  Arteríolas  Menores dimensões que as artérias;  São ramificações das artérias.
  • 12. VASOS SANGUÍNEOS  Capilares  Vasos muito finos;  Uma só camada de células.  Através deles dão-se as trocas com as células;  Gasosas;  Nutrientes;  Hormonas;  Células do Sistema Imunitário.
  • 13. VASOS SANGUÍNEOS  Vénulas  Pequenas dimensões;  Várias camadas de células;  Não musculares.  Veias  Grande calibre;  Paredes delgadas;  São reservatórios de sangue;  Apresentam válvulas venosas  Impedem o refluxo, fazendo com que o fluxo seja apenas num sentido.
  • 15. CORAÇÃO  Órgão muscular  Miocárdio  Cavidades superiores  Aurículas  Cavidades inferiores  Ventrículos  Artérias  Aorta – leva sangue arterial para todo o corpo (Grande Circulação)  Pulmonar – leva sangue venoso para os pulmões (Pequena Circulação)  Veias  Cava superior e inferior – trazem sangue venoso de todo o corpo (Grande Circulação)  Pulmonar – traz sangue arterial ao coração (Pequena Circulação)
  • 16. ESTRUTURA INTERNA DO CORAÇÃO Aurícula esquerda Artéria Pulmonar Artéria Aorta Válvula bicúspide Válvulas semilunares Ventrículo esquerdo Ventrículo direito Válvula Tricúspide Aurícula direita Veia Pulmonar Válvulas semilunares Septo interventricular
  • 18. CICLO CARDÍACO  Ciclo Cardíaco  Período compreendido entre o início de um batimento cardíaco e o inicio do batimento seguinte.  Dois movimento principais  Diástole – relaxamento;  Sístole – contracção.
  • 19. CICLO CARDÍACO  Diástole Geral  Válvulas tricúspide, bicúspide e semilunares fechadas;  Aurículas relaxadas, recebem o sangue;  Aumenta a pressão auricular e diminui a ventricular (por relaxamento do miocárdio ventricular).  Sístole Auricular  As válvulas auriculoventriculares abrem;  O sangue sai para os ventrículos sobre pressão;  As aurículas semilunares estão fechadas.  Ao passar todo o sangue as válvulas auriculoventriculares fecham para evitar o refluxo (1º Ruido).  Sístole Ventricular  Os ventrículos contraem;  As válvulas semilunares abrem sob pressão;  Quando todo o sangue passa para as artérias, as válvulas semilunares fecham para evitar o refluxo (2º Ruido)
  • 20. RITMO CARDÍACO E PRESSÃO SANGUÍNEA  O número de ciclos cardíacos por minuto designa-se de ritmo cardíaco.  Em circunstâncias normais ronda os 60 a 80 por minuto.  Altera de acordo com o exercício físico e com a acção do sistema nervoso autónomo.  À pressão exercida pelo sangue nas paredes dos vasos sanguíneos dá-se o nome de pressão sanguínea.  Quando a pressão é ao nível das artérias designa-se pressão arterial.  A quando da sístole ventricular a pressão atinge um valor máximo – pressão arterial máxima (120 mm Hg);  A quando da diástole atinge o valor mínimo – pressão arterial mínima (80 mm Hg).
  • 21. CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA  À medida que o sangue se afasta do coração a pressão e a velocidade diminuem.  Ao nível dos capilares atinge os valores mínimos o que permite as trocas de materiais.  Estes valores não podem no entanto diminuir mais pois o regresso do sangue ao coração poderia ficar comprometida.  Para evitar essa situação:  Existem válvulas ao nível das veias;  Os músculos circundantes contraem-se.
  • 22. CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA  Circulação Pulmonar e Circulação Sistémica.
  • 23. CIRCULAÇÃO PULMONAR OU PEQUENA CIRCULAÇÃO Ventrículo Direito Artéria Pulmonar Pulmões Veias Pulmonares Aurícula Esquerda Sangue Venoso Sangue Arterial o Inicia-se com sangue venoso; o Entra no coração proveniente de todo o corpo; o Dirige-se até aos pulmões onde nos alvéolos pulmonares é oxigenado; o Volta ao coração para ser distribuído por todo o corpo.
  • 24. CIRCULAÇÃO SISTÉMICA OU GRANDE CIRCULAÇÃO Ventrículo Esquerda Artéria Aorta Organismo Veias cavas superior e inferior Aurícula Direita Sangue Venoso Sangue Arterial o Inicia-se com sangue arterial; o Entra no coração proveniente dos pulmões; o Irriga todos os tecidos do corpo, onde liberta o oxigénio e recebe as excreções; o Volta ao coração (sangue venosos) para ser levado aos pulmões
  • 25. LINFA  Além dos vasos sanguíneos existe um outro sistema de vasos denominado de Sistema Linfático, responsável pelo transporte da Linfa.  Linfa é um fluído constituido por plasma e pelos glóbulos brancos que atravessam as paredes dos capilares sanguíneos para os espaços intersticiais.
  • 26. LINFA  A linfa encontra-se em contacto directo com as células, pelo que permite a troca de materiais indispensáveis a estas.  É depois recolhida pelos capilares linfáticos.  Os capilares linfáticos reúnem-se em vasos de maior calibre que devolvem a linfa à circulação sanguínea.
  • 27. LINFA  A linfa representa assim um meio intermédio entre o sangue e as células.  Linfa intersticial – fluido que se encontra nos tecidos, entre as células.  Linfa circulante – fluido que circula no interior dos vasos linfáticos. 1. Capilar Sanguíneo; 2. Plaquetas; 3. Eritrócitos; 4. Leucócitos; 5. Plasma; 6. Células; 7. Linfa intersticial; 8. Capilar linfático; 9. Linfa circulante.
  • 28. PERTURBAÇÕES DO SISTEMA CIRCULATÓRIO (DCV)  Aterosclerose;  Enfarte miocárdio;  Valvulopatias;  AVC;  Embolias.
  • 29. SISTEMA RESPIRATÓRIO  Sistema encarregue por manter o intercâmbio de gases entre o meio externo e interno.  É constituído por:  Pulmões;  Vias respiratórios;  Fossas nasais;  Faringe;  Laringe;  Traqueia;  Bronquios;  Bronquíolos.
  • 30. VIAS RESPIRATÓRIAS  Têm como função: filtrar, humidificar e aquecer o ar inspirado.  Fossas nasais – duas cavidades, que comunicam com o exterior pelos orifícios nasais, revestidas internamente por células secretoras de muco e por células ciliadas.
  • 31. VIAS RESPIRATÓRIAS  Faringe – tubo muscular, que permite a passagem de ar para laringe;  Laringe  Canal formado por estruturas cartilagíneas sobrepostas;  Unidas entre si por ligamentos e músculos;  Serve de comunicação entre a faringe e a traqueia;  No seu interior existem pregas membranosas que são as cordas vocais
  • 32. VIAS RESPIRATÓRIAS  Traqueia  Estrutura tubular;  Constituído por anéis cartilagíneos incompletos e músculos;  É revestido internamente por mucosa e por células ciliadas e secretoras de muco.  Brônquios  Canais formados por aneis cartilagíneos completos;  Revestidos internamente por uma membrana mucosa com células secretoras e ciliadas;  Os brônquios primários vão-se ramificando dentro dos pulmões, formando a chamada árvore brônquica.
  • 33. VIAS RESPIRATÓRIAS  Bronquíolos  Tubos finos que apresentam dilatações nas extremidades;  Semelhantes aos brônquios mas mais finos.  Sacos alveolares  Sacos com pequenas câmaras esféricas, alvéolos pulmonares.  São constituídos por uma camada de células e são densamente vascularizados.  Local onde ocorre as trocas gasosas.
  • 34. PULMÕES  Órgãos elásticos e esponjosos;  Cor rosada;  Contêm inúmeros alvéolos pulmonares;  Encontram-se divididos em lobos pulmunares;  Pulmão esquerdo – dois lobos;  Pulmão direito – três lobos.
  • 35. SISTEMA RESPIRATÓRIO  Pleura  Membrana dupla que reveste e protege os pulmões.  Possui dois folhetos:  Visceral  Parietal  Entre os dois folhetos existe um líquido que facilita a expansão e contracção dos pulmões.  Diafragma  Músculo largo e fino;  Separa a cavidade torácica da cavidade abdominal
  • 36. FUNÇÕES DAS VIAS RESPIRATÓRIAS  Através das vias respiratórias o ar chega aos pulmões.  Durante este processo o ar é:  Aquecido – pelo sangue dos capilares das fossas nasais.  Humidificado – pela mucosa produzida ao nível das fossas nasais e das restantes vias respiratórias.  Filtrado – através do muco nasal que aprisiona pequenas impurezas, bem como pelos cílios vibráteis.
  • 37. VENTILAÇÃO  A renovação do ar nos alvéolos pulmonares dá-se através da  Ventilação pulmonar  A ventilação ocorre através de dois movimentos respiratórios:  Inspiração – entrada de ar nos pulmões;  Expiração – saída de ar nos pulmões.  O ar circula sempre de locais de maior pressão para locais de menor pressão.  Através da variação do volume dos pulmões, o organismo consegue variar a pressão de ar no interior dos pulmões.
  • 38. VENTILAÇÃO  A ventilação depende da actuação dos músculos intercostais e do diafragma.  Estes fazem movimentar a caixa torácica.  Quando a caixa torácica aumenta o seu volume dá-se a inspiração.  Quando a caixa torácica diminui o seu volume dá-se a expiração.  Os pulmões e a pleura conseguem acompanhar estes movimentos pois são órgãos extremamente elásticos.
  • 39. CICLO RESPIRATÓRIO  Ao conjunto de uma inspiração seguida de uma expiração dá-se o nome de ciclo respiratório.  É um conjunto de movimentos involuntários, que é controlado pelo Sistema Nervoso Autónomo.  A frequência dos movimentos respiratórios altera-se de acordo com a actividade do organismo.  Em repouso pode chegar as 17 movimentos por minuto.  Em actividade esse número pode aumentar grandemente.
  • 40. TROCAS GASOSAS  As trocas gasosas são essenciais para a manutenção da vidas dos seres vivos aeróbios.  No interior dos organismos os gases deslocam-se de locais de maior pressão para locais de menor pressão, tal fenómeno denomina-se de difusão.  As trocas de gases:  Ao nível dos pulmões denomina-se de Hematose Pulmonar.  Ao nível das restantes células do corpo denomina-se de Hematose Celular.
  • 41. TROCAS GASOSAS  Hematose Pulmonar  As paredes dos alvéolos são constituídas apenas por uma camada de células o que permite a troca de gases.  A pressão de oxigénio é maior nos alvéolos do que no sangue, pelo que se dá a movimentação do oxigénio dos alvéolos para o sangue.  O inverso se passa em relação ao dióxido de carbono.  Este fenómeno ocorre ao nível da Circulação Pulmonar.
  • 42. TROCAS GASOSAS  Hematose celular  Durante a Circulação Sistémica, o sangue oxigenado é levado até às diferentes células do corpo  Ao nível das células a pressão de dióxido de carbono é maior nas células, pelo que sai para o sangue.  Por seu lado a pressão de oxigénio é maior no sangue, pelo que este sai para as células.
  • 43. DOENÇAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO