Mário de sá carneiro

18.144 visualizações

Publicada em

1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Na 2ª estrofe o que se verifica????????
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.144
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
205
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mário de sá carneiro

  1. 1. Mário De Sá CarneiroLíngua Portuguesa David Vicente, nº8 Ana Soares, nº27
  2. 2. Biografia • Nasceu a 19 de Maio de 1890 em Lisboa e morreu a 26 de Abril de 1916 em Paris. • Viveu a maior parte da sua vida em Paris, onde estudou Direito e onde escreveu a maior parte da sua obra. • Fundou a revista Orpheu juntamente com os seus amigos, nomeadamente Fernando Pessoa. • A sua obra reflecte que o poeta está e sente-se numa insatisfação constante. • Suícidou-se num quarto de hotel em 1916 com 26 anos. • Antes de morrer escreveu uma carta de despedida ao seu grande amigo Fernando Pessoa.
  3. 3. Bibliografia Algumas das suas obras: • Fim • Além-Tédio (14/6/99) • Último Soneto (21/6/99) • Epígrafe (26/7/99) • O Recreio (8/11/99) • Amizade (1912) • Álcool (24/1/00) • O Lord (31/1/00) • Céu em fogo (1915) • O amor (03/12/01) • Serradura (13/10/03)
  4. 4. Análise Do Poema • Fim Quando eu morrer batam em latas, Rompam aos saltos e aos pinotes, Façam estalar no ar chicotes, Chamem palhaços e acrobatas! Que o meu caixão vá sobre um burro Ajaezado à andaluza... A um morto nada se recusa, Eu quero por força ir de burro.
  5. 5. Análise Formal do Poema • O poema é constituído por 2 estrofes (quadras); • O esquema rimático do poema é : abba/cddc ; • A rima em ambas as estrofes é interpolada;
  6. 6. Análise do Conteúdo • Mário de Sá Carneiro era um homem melancólico, deprimido e pessimista, isto, revela-se através dos seus poemas. • Neste poema em particular, manifesta um desprezo e uma desvalorização à sua vida; • Na primeira estrofe verifica-se que o poeta não valorizava a sua vida, e achava que quem o rodeava pensaria o mesmo.
  7. 7. Balanço Final/Conclusão • Concluímos que apesar de um grande poeta, Sá Carneiro era um homem triste e melancólico….

×