SlideShare uma empresa Scribd logo
NOS DOMÍNIOS DA
MEDIUNIDADE
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
PELO ESPÍRITO ANDRÉ LUIZ
PREFÁCIO
MIRNA MUNCKE 05/09/2017
“Para conhecer as coisas do mundo visível e descobrir
os segredos da natureza material, outorgou Deus ao
homem a vista corpórea, os sentidos e instrumentos
especiais.
Com o telescópio ele mergulha o olhar nas profundezas
do espaco e, com o microscópio, descobriu o mundo
dos infinitamente pequenos.
Para penetrar no mundo invisível, deu-lhe a
mediunidade”.
Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. XXVIII, item 9
"NOS DOMÍNIOS DA
MEDIUNIDADE"
Autor: Espírito ANDRÉ LUIZ (pseudônimo
espiritual de um consagrado médico que
exerceu a Medicina no Rio de Janeiro)
Psicografia: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
(concluída em 1954).
Edição: Primeira edição em 1955, pela
Federação Espírita Brasileira (Rio de
Janeiro/RJ)
Nota: Até 2002 já haviam 29 reedições, num
total de 348.000 exemplares.
PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES…
A ciência do século XX, estudando a constituição da matéria, caminha de surpresa a
surpresa, renovando aspectos de sua conceituação milenar.
Não obstante a teoria de Leucipo, o mentor de Demócrito, o qual, quase cinco séculos
antes do Cristo, considerava todas as coisas formadas de partículas infinitesimais
(átomos), em constante movimentação, a cultura clássica prosseguiu detida nos quatros
principios de Aristóteles, a água, a terra, o ar, o fogo,, ou nos três elementos
hipostáticos dos antigos alquimistas,o enxofre, o sal e o mercúrio, para explicar as
múltiplas combinações no campo da forma.
Leucipo é relatado em algumas fontes antigas ter sido um filósofo
que foi o primeiro grego a desenvolver a teoria do atomismo a idéia de
que tudo é composto inteiramente de vários elementos imperecíveis,
indivisíveis chamadas átomos.
Morreu: 370 A.C.
Mas o que é mesmo um átomo?
O átomo é partícula fundamental da matéria
• Toda matéria é formada por diminutas partículas, os átomos.
• Existe um número finito de átomos na natureza.
• A combinação entre átomos iguais ou diferentes origina os materiais.
PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES…
• No século XIX, Dalton concebe cientificamente a teoria corpuscular da matéria, é um maravilhoso
periodo de investigações se inicia, por intermédio de inteligências respeitabilissimas, renovando
ideias e concepções em volta da chamada “particula indivisível”.
• Extraordinárias descobertas descortinam novos e grandiosos horizontes aos conhecimentos
humanos.
• Crookes surpreende o estado radiante da matéria e estuda os raios catódicos.
William Crookes,
Nasceu: Londres 17 de junho de 1832
Morreu: Londres, 4 de abril de 1919
Foi um químico e físico britânico.
Röntgen observa que radiações invisíveis atravessam o tubo de Crookes envolvido por
uma caixa de papelão preto e conclui pela existência dos raios X.
Henri Becquerel, seduzido pelo assunto, experimenta o urânio, à procura de radiações
do mesmo teor, e encontra motivos para novas indagações.
O casal Curie, intrigado com o enigma, analisa toneladas de pechblenda e detém o
rádio.
Wilhelm Conrad Röntgen era um engenheiro mecânico e
físico alemão, que, em 8 de Novembro 1895, produzido e
detectado radiação eletromagnética em uma faixa de
comprimento de onda conhecida como raios-X ou do
Röntgen,
Antoine Henri Becquerel, de origem francesa,
fez parte da equipe de cientistas que
desvendou os mistérios da radioatividade. Sua
principal colaboração veio da descoberta de
que o urânio emitia radiação.
Descoberta por Antoine Henri Becquerel,
a pechblenda é uma variedade,
provavelmente impura, de uraninita. Dela é
retirado o urânio, que é constituinte de muitas
rochas.
Velhas afirmações científicas tremem nas bases.
Rutherford, à frente de larga turma de pioneiros, inicia preciosos estudos, em torno da
radioatividade.
O átomo sofre irresistível perseguição na fortaleza a que se acolhe e confia ao homem a solução
de numerosos segredos.
E, desde o último quartel do século passado, a Terra se converteu num reino de ondas e raios,
correntes e vibrações.
A eletricidade e o magnetismo, o movimento e a atração palpitam em tudo.
O estudo dos raios cósmicos evidencia as fantásticas energias espalhadas no Universo, provendo
os físicos de poderosíssimo instrumento para a investigação dos fenômenos atômicos e
subatômicos.
Bohrs, Planck, Einstein erigem novas e grandiosas concepções.
Max Karl Ernst Ludwig Planck, cientista
alemão nascido em Kiel no dia 23 de abril
de 1858, abriu caminho para o que hoje
conhecemos como teoria quântica
Niels Bohr (1885-1962) foi um físico
dinamarquês. Suas pesquisas foram
fundamentais para compreensão da
estrutura dos átomos e da Física
Quântica
O veículo carnal agora não é mais que um turbilhão eletrônico, regido pela consciência.
Cada corpo tangível é um feixe de energia concentrada. A matéria é transformada em
energia e esta desaparece para dar lugar à matéria.
Químicos e físicos, geômetras e matemáticos, erguidos à condição de investigadores da
verdade, são hoje, sem o desejarem, sacerdotes do Espírito, porque, como conseqüência
de seus porfiados estudos, o materialismo e o ateísmo serão compelidos a desaparecer,
por falta de matéria, a base que lhes assegurava as especulações negativistas.
Quantos atomos formam o corpo humano?
O corpo humano é formado por 7 octilhões
de átomos e possui aproximadamente 10
trilhões de células
PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES…
Os laboratórios são templos em que a inteligência é concitada ao serviço de Deus, e,
ainda mesmo quando a cerebração se perverte, transitoriamente subornada pela
hegemonia política, geradora de guerras, o progresso da Ciência, como conquista
divina, permanece na exaltação do bem, rumo a glorioso porvir.
O futuro pertence ao Espírito!
PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES…
E, meditando no amanhã da coletividade terrestre, André Luiz organizou estas ligeiras
páginas, em torno da mediunidade, compreendendo a importância, cada vez maior, do
intercâmbio espiritual entre as criaturas.
Quanto mais avança na ascensão evolutiva, mais seguramente percebe o homem a
inexistência da morte como cessação da vida.
E agora, mais que nunca, reconhece-se na posição de uma consciência retida entre
forças e fluidos, provisoriamente aglutinados para fins educativos.
Compreende, pouco a pouco, que o túmulo é porta à renovação, como o berço é acesso
à experiência, e observa que o seu estágio no Planeta é uma viagem com destino às
estações do Progresso Maior.
E, na grande romagem, todos somos instrumentos das forças com as quais estamos em sintonia.
Todos somos médiuns, dentro do campo mental que nos é próprio, associando-nos às energias
edificantes, se o nosso pensamento flui na direção da vida superior, ou às forças perturbadoras e
deprimentes, se ainda nos escravizamos às sombras da vida primitivista ou torturada.
Cada criatura com os sentimentos que lhe caracterizam a vida íntima emite raios específicos e
vive na onda espiritual com que se identifica.
Semelhantes verdades não permanecerão semi-ocultas em nossos santuários de fé. Irradiar-se-
ão dos templos da Ciência como equações matemáticas.
Médium é toda pessoa que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos.
Essa faculdade é inerente ao homem e, por conseguinte, não constitui um
privilégio exclusivo. Por isso mesmo, raras as pessoas que não possuam alguns
rudimentos dessa faculdade. Pode-se, pois dizer que todos são mais ou menos
médiuns. Usualmente, porém, essa qualificação só se aplica aqueles em quem a
faculdade se mostra bem caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de
certa intensidade, o que depende de uma organização mais ou menos sensitiva.
Cap. XIV – Livro dos Mediuns
PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES…
E enquanto variados aprendizes focalizam a mediunidade, estudando-a da Terra para o
Céu, nosso amigo procura analisar-lhe a posição e os valores, do Céu para a Terra,
colaborando na construção dos tempos novos.
Todavia, o que destacamos por mais alto em suas páginas é a necessidade do Cristo no
coração e na consciência, para que não estejamos desorientados ao toque dos
fenômenos.
Sem noção de responsabilidade, sem devoção à prática do bem, sem amor ao estudo e
sem esforço perseverante em nosso próprio burilamento moral, é impraticável a
peregrinação libertadora para os Cimos da Vida.
PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES…
André Luiz é bastante claro para que nos alonguemos em qualquer consideração.
Cada médium com a sua mente.
Cada mente com os seus raios, personalizando observações e interpretações.
E, conforme os raios que arremessamos, erguer-se-nos-á o domicílio espiritual na onda
de pensamentos a que nossas almas se afeiçoam.
Isso, em boa síntese, equivale ainda a repetir com Jesus:
- A cada qual segundo suas obras.
Emmanuel
Pedro Leopoldo, 03 de outubro de 1954
SINOPSE
• Em uma nova missão de trabalho, os Espíritos André Luiz e Hilário deixam a colônia espiritual
Nosso Lar rumo à Crosta, onde presenciam situações de comunicação entre os planos superior
e terrestre e reconhecem a responsabilidade do serviço mediúnico, compreendendo o grande
esforço dos trabalhadores e a importância do intercâmbio entre os dois mundos. Partindo do
preceito de que a mediunidade está presente em toda a humanidade, o autor espiritual
analisa diversas formas de contato entre encarnados e desencarnados, esclarecendo termos e
conceitos como psicofonia, psicometria, sonambulismo, possessão, clarividência,
clariaudiência, desdobramento, mediunidade de efeitos físicos, entre outros.
CONCEITO DE MEDIUNIDADE
Médium quer dizer medianeiro, intermediário, mediunidade é a faculdade
humana, natural, pela qual se estabelecem as relações entre homens e
espíritos. Não é um poder oculto que se possa desenvolver através de práticas,
rituais ou pelo poder misterioso de um iniciado ou de um guru. A mediunidade
pertence ao campo da comunicação. Desenvolve-se naturalmente nas pessoas
de maior sensibilidade para a captação mental e sensorial de coisas e fatos do
mundo espiritual que nos cerca e nos afeta com as vibrações psíquicas e
afetivas.
Livro: Mediunidade – J. Herculano Pires
Se o homem pudesse contemplar com os próprios olhos as correntes de
pensamento reconheceria de pronto que todos vivemos em regime de comunhão
segundo os princípios de afinidade. A associação mora em todas as coisas precide
em todos os acontecimentos comanda a existência de todos os seres.
Livro: Pensamento e Vida - cap.8 - Emmanuel
Acompanhe nossas reuniões:
Aplicativo – MixIr
http://www.mixir.com (procurar grupo GECD)
Blog - GECD
http://www.espacodespertar.blogspot.com
Acompanhe nossas reuniões:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
Izabel Cristina Fonseca
 
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 28
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 28Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 28
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 28
Patricia Farias
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
Nos domínios da mediunidade aula9
Nos domínios da mediunidade aula9Nos domínios da mediunidade aula9
Nos domínios da mediunidade aula9
Leonardo Pereira
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Antonino Silva
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
Divulgador do Espiritismo
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
Leonardo Pereira
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
Jorge Luiz dos Santos
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidadeQuarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
CeiClarencio
 
Emancipação parcial da alma 1
Emancipação parcial da alma 1Emancipação parcial da alma 1
Emancipação parcial da alma 1
Graça Maciel
 
Há muitas moradas na casa do Pai
Há muitas moradas na casa do PaiHá muitas moradas na casa do Pai
Há muitas moradas na casa do Pai
Henrique Vieira
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A morte na visão espírita.pptx
A morte na visão espírita.pptxA morte na visão espírita.pptx
A morte na visão espírita.pptx
LeandroMoreira198849
 
Caridade e amor ao próximo
Caridade e amor ao próximoCaridade e amor ao próximo
Caridade e amor ao próximo
Eduardo Manoel Araujo
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
gmo1973
 

Mais procurados (20)

Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
 
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 28
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 28Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 28
Evangelho Segundo o Espiritismo Cap 28
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
Nos domínios da mediunidade aula9
Nos domínios da mediunidade aula9Nos domínios da mediunidade aula9
Nos domínios da mediunidade aula9
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
 
Palestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciênciaPalestra Espírita - A paciência
Palestra Espírita - A paciência
 
Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!Estudo sobre prece!
Estudo sobre prece!
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidadeQuarto Módulo - 2ª  aula - Tipo de mediunidade
Quarto Módulo - 2ª aula - Tipo de mediunidade
 
Emancipação parcial da alma 1
Emancipação parcial da alma 1Emancipação parcial da alma 1
Emancipação parcial da alma 1
 
Há muitas moradas na casa do Pai
Há muitas moradas na casa do PaiHá muitas moradas na casa do Pai
Há muitas moradas na casa do Pai
 
Bem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficosBem aventurados os mansos e pacíficos
Bem aventurados os mansos e pacíficos
 
A morte na visão espírita.pptx
A morte na visão espírita.pptxA morte na visão espírita.pptx
A morte na visão espírita.pptx
 
Caridade e amor ao próximo
Caridade e amor ao próximoCaridade e amor ao próximo
Caridade e amor ao próximo
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 

Semelhante a Nos domínios da mediunidade - Prefacio

Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
Antonio SSantos
 
Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
guestae3c203
 
9 nos dominios-da_mediunidade-1954
9 nos dominios-da_mediunidade-19549 nos dominios-da_mediunidade-1954
9 nos dominios-da_mediunidade-1954
paulasa pin
 
Mediunidade com jesus
Mediunidade com jesusMediunidade com jesus
Mediunidade com jesus
NILTON CARVALHO
 
Leon Denis - Os Espíritos e os Médiuns
Leon Denis - Os Espíritos e os MédiunsLeon Denis - Os Espíritos e os Médiuns
Leon Denis - Os Espíritos e os Médiuns
Fernando Anselmo
 
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Espiritismo e mediunidade -  10 - conexõesEspiritismo e mediunidade -  10 - conexões
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Leonardo Pereira
 
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediunsLeon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
EWALDO DE SOUZA
 
Teoria da mediunidade
Teoria da mediunidadeTeoria da mediunidade
Teoria da mediunidade
Ponte de Luz ASEC
 
Nos dominios-da-mediunidade
Nos dominios-da-mediunidadeNos dominios-da-mediunidade
Nos dominios-da-mediunidade
lilianehenz
 
Nos dominios-da-mediunidade
Nos dominios-da-mediunidadeNos dominios-da-mediunidade
Nos dominios-da-mediunidade
lilianehenz
 
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOSAllan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Fatima Carvalho
 
Mecanismos da mediunidade
Mecanismos da mediunidadeMecanismos da mediunidade
Mecanismos da mediunidade
EWALDO DE SOUZA
 
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITAESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
Almir Silva
 
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Tacaraci Fernandes Vieira
 
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEBA mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
Mima Badan
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Antonino Silva
 
O alem e a sobrevivencia do ser
O alem e a sobrevivencia do serO alem e a sobrevivencia do ser
O alem e a sobrevivencia do ser
Milton De Souza Oliveira
 
Mediunidade: qual o seu lugar no futuro da humanidade? - Lígia Pinto
Mediunidade: qual o seu lugar no futuro da humanidade? - Lígia PintoMediunidade: qual o seu lugar no futuro da humanidade? - Lígia Pinto
Mediunidade: qual o seu lugar no futuro da humanidade? - Lígia Pinto
ADEP Portugal
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
igmateus
 
Atualidade espirita (americo d. nunes filho, aureliano alves netto e celso ma...
Atualidade espirita (americo d. nunes filho, aureliano alves netto e celso ma...Atualidade espirita (americo d. nunes filho, aureliano alves netto e celso ma...
Atualidade espirita (americo d. nunes filho, aureliano alves netto e celso ma...
Fernando Moraes
 

Semelhante a Nos domínios da mediunidade - Prefacio (20)

Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
 
Nos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidadeNos dominios da mediunidade
Nos dominios da mediunidade
 
9 nos dominios-da_mediunidade-1954
9 nos dominios-da_mediunidade-19549 nos dominios-da_mediunidade-1954
9 nos dominios-da_mediunidade-1954
 
Mediunidade com jesus
Mediunidade com jesusMediunidade com jesus
Mediunidade com jesus
 
Leon Denis - Os Espíritos e os Médiuns
Leon Denis - Os Espíritos e os MédiunsLeon Denis - Os Espíritos e os Médiuns
Leon Denis - Os Espíritos e os Médiuns
 
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Espiritismo e mediunidade -  10 - conexõesEspiritismo e mediunidade -  10 - conexões
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
 
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediunsLeon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
 
Teoria da mediunidade
Teoria da mediunidadeTeoria da mediunidade
Teoria da mediunidade
 
Nos dominios-da-mediunidade
Nos dominios-da-mediunidadeNos dominios-da-mediunidade
Nos dominios-da-mediunidade
 
Nos dominios-da-mediunidade
Nos dominios-da-mediunidadeNos dominios-da-mediunidade
Nos dominios-da-mediunidade
 
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOSAllan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
Allan Kardec 150 Anos LIVRO DOS ESPÍRITOS
 
Mecanismos da mediunidade
Mecanismos da mediunidadeMecanismos da mediunidade
Mecanismos da mediunidade
 
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITAESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
 
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
 
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEBA mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
A mediunidade através dos tempos - Coeem-GEB
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
 
O alem e a sobrevivencia do ser
O alem e a sobrevivencia do serO alem e a sobrevivencia do ser
O alem e a sobrevivencia do ser
 
Mediunidade: qual o seu lugar no futuro da humanidade? - Lígia Pinto
Mediunidade: qual o seu lugar no futuro da humanidade? - Lígia PintoMediunidade: qual o seu lugar no futuro da humanidade? - Lígia Pinto
Mediunidade: qual o seu lugar no futuro da humanidade? - Lígia Pinto
 
Comunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
Comunicabilidade dos Espíritos
 
Atualidade espirita (americo d. nunes filho, aureliano alves netto e celso ma...
Atualidade espirita (americo d. nunes filho, aureliano alves netto e celso ma...Atualidade espirita (americo d. nunes filho, aureliano alves netto e celso ma...
Atualidade espirita (americo d. nunes filho, aureliano alves netto e celso ma...
 

Mais de Patricia Farias

evangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptxevangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptxevangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptxevangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptxevangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptxevangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptxevangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptxevangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptx
Patricia Farias
 
evangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptxevangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptx
Patricia Farias
 
Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1
Patricia Farias
 
Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7
Patricia Farias
 
Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9 Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9
Patricia Farias
 
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaEvangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
Patricia Farias
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
Patricia Farias
 
Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1
Patricia Farias
 
Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13
Patricia Farias
 
Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11
Patricia Farias
 

Mais de Patricia Farias (20)

evangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptxevangelho_cap16_item8.pptx
evangelho_cap16_item8.pptx
 
evangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptxevangelho_cap16_item7.pptx
evangelho_cap16_item7.pptx
 
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptxevangelho_cap16_item4_parte3.pptx
evangelho_cap16_item4_parte3.pptx
 
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptxevangelho_cap16_item4_parte2.pptx
evangelho_cap16_item4_parte2.pptx
 
evangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptxevangelho_cap16_item4.pptx
evangelho_cap16_item4.pptx
 
evangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptxevangelho_cap16_item1.pptx
evangelho_cap16_item1.pptx
 
evangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptxevangelho_cap15_item4.pptx
evangelho_cap15_item4.pptx
 
evangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptxevangelho_cap15_item1.pptx
evangelho_cap15_item1.pptx
 
Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1Evangelho cap14 item1
Evangelho cap14 item1
 
Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7Evangelho cap14 item7
Evangelho cap14 item7
 
Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9 Evangelho Cap14 item9
Evangelho Cap14 item9
 
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da ViuvaEvangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
Evangelho Cap13 item 5 - O Obulo da Viuva
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
 
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...CAPÍTULO XIII   NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
CAPÍTULO XIII NÃO SAIBA A VOSSA MÃO ESQUERDA O QUE DÊ A VOSSA MÃO DIREITA -...
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 9
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 7
 
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
CAPÍTULO XII – AMAI AOS VOSSOS INIMIGOS - item 5
 
Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1Evangelho cap12 item1
Evangelho cap12 item1
 
Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13Evangelho cap11 item13
Evangelho cap11 item13
 
Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11Evangelho cap11 item11
Evangelho cap11 item11
 

Último

Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 

Último (12)

Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 

Nos domínios da mediunidade - Prefacio

  • 1. NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER PELO ESPÍRITO ANDRÉ LUIZ PREFÁCIO MIRNA MUNCKE 05/09/2017
  • 2. “Para conhecer as coisas do mundo visível e descobrir os segredos da natureza material, outorgou Deus ao homem a vista corpórea, os sentidos e instrumentos especiais. Com o telescópio ele mergulha o olhar nas profundezas do espaco e, com o microscópio, descobriu o mundo dos infinitamente pequenos. Para penetrar no mundo invisível, deu-lhe a mediunidade”. Allan Kardec – O Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. XXVIII, item 9
  • 3.
  • 4. "NOS DOMÍNIOS DA MEDIUNIDADE" Autor: Espírito ANDRÉ LUIZ (pseudônimo espiritual de um consagrado médico que exerceu a Medicina no Rio de Janeiro) Psicografia: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER (concluída em 1954). Edição: Primeira edição em 1955, pela Federação Espírita Brasileira (Rio de Janeiro/RJ) Nota: Até 2002 já haviam 29 reedições, num total de 348.000 exemplares.
  • 5. PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES… A ciência do século XX, estudando a constituição da matéria, caminha de surpresa a surpresa, renovando aspectos de sua conceituação milenar. Não obstante a teoria de Leucipo, o mentor de Demócrito, o qual, quase cinco séculos antes do Cristo, considerava todas as coisas formadas de partículas infinitesimais (átomos), em constante movimentação, a cultura clássica prosseguiu detida nos quatros principios de Aristóteles, a água, a terra, o ar, o fogo,, ou nos três elementos hipostáticos dos antigos alquimistas,o enxofre, o sal e o mercúrio, para explicar as múltiplas combinações no campo da forma.
  • 6. Leucipo é relatado em algumas fontes antigas ter sido um filósofo que foi o primeiro grego a desenvolver a teoria do atomismo a idéia de que tudo é composto inteiramente de vários elementos imperecíveis, indivisíveis chamadas átomos. Morreu: 370 A.C. Mas o que é mesmo um átomo? O átomo é partícula fundamental da matéria • Toda matéria é formada por diminutas partículas, os átomos. • Existe um número finito de átomos na natureza. • A combinação entre átomos iguais ou diferentes origina os materiais.
  • 7. PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES… • No século XIX, Dalton concebe cientificamente a teoria corpuscular da matéria, é um maravilhoso periodo de investigações se inicia, por intermédio de inteligências respeitabilissimas, renovando ideias e concepções em volta da chamada “particula indivisível”. • Extraordinárias descobertas descortinam novos e grandiosos horizontes aos conhecimentos humanos. • Crookes surpreende o estado radiante da matéria e estuda os raios catódicos. William Crookes, Nasceu: Londres 17 de junho de 1832 Morreu: Londres, 4 de abril de 1919 Foi um químico e físico britânico.
  • 8. Röntgen observa que radiações invisíveis atravessam o tubo de Crookes envolvido por uma caixa de papelão preto e conclui pela existência dos raios X. Henri Becquerel, seduzido pelo assunto, experimenta o urânio, à procura de radiações do mesmo teor, e encontra motivos para novas indagações. O casal Curie, intrigado com o enigma, analisa toneladas de pechblenda e detém o rádio. Wilhelm Conrad Röntgen era um engenheiro mecânico e físico alemão, que, em 8 de Novembro 1895, produzido e detectado radiação eletromagnética em uma faixa de comprimento de onda conhecida como raios-X ou do Röntgen, Antoine Henri Becquerel, de origem francesa, fez parte da equipe de cientistas que desvendou os mistérios da radioatividade. Sua principal colaboração veio da descoberta de que o urânio emitia radiação. Descoberta por Antoine Henri Becquerel, a pechblenda é uma variedade, provavelmente impura, de uraninita. Dela é retirado o urânio, que é constituinte de muitas rochas.
  • 9. Velhas afirmações científicas tremem nas bases. Rutherford, à frente de larga turma de pioneiros, inicia preciosos estudos, em torno da radioatividade. O átomo sofre irresistível perseguição na fortaleza a que se acolhe e confia ao homem a solução de numerosos segredos. E, desde o último quartel do século passado, a Terra se converteu num reino de ondas e raios, correntes e vibrações. A eletricidade e o magnetismo, o movimento e a atração palpitam em tudo. O estudo dos raios cósmicos evidencia as fantásticas energias espalhadas no Universo, provendo os físicos de poderosíssimo instrumento para a investigação dos fenômenos atômicos e subatômicos. Bohrs, Planck, Einstein erigem novas e grandiosas concepções. Max Karl Ernst Ludwig Planck, cientista alemão nascido em Kiel no dia 23 de abril de 1858, abriu caminho para o que hoje conhecemos como teoria quântica Niels Bohr (1885-1962) foi um físico dinamarquês. Suas pesquisas foram fundamentais para compreensão da estrutura dos átomos e da Física Quântica
  • 10. O veículo carnal agora não é mais que um turbilhão eletrônico, regido pela consciência. Cada corpo tangível é um feixe de energia concentrada. A matéria é transformada em energia e esta desaparece para dar lugar à matéria. Químicos e físicos, geômetras e matemáticos, erguidos à condição de investigadores da verdade, são hoje, sem o desejarem, sacerdotes do Espírito, porque, como conseqüência de seus porfiados estudos, o materialismo e o ateísmo serão compelidos a desaparecer, por falta de matéria, a base que lhes assegurava as especulações negativistas. Quantos atomos formam o corpo humano? O corpo humano é formado por 7 octilhões de átomos e possui aproximadamente 10 trilhões de células
  • 11. PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES… Os laboratórios são templos em que a inteligência é concitada ao serviço de Deus, e, ainda mesmo quando a cerebração se perverte, transitoriamente subornada pela hegemonia política, geradora de guerras, o progresso da Ciência, como conquista divina, permanece na exaltação do bem, rumo a glorioso porvir. O futuro pertence ao Espírito!
  • 12. PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES… E, meditando no amanhã da coletividade terrestre, André Luiz organizou estas ligeiras páginas, em torno da mediunidade, compreendendo a importância, cada vez maior, do intercâmbio espiritual entre as criaturas. Quanto mais avança na ascensão evolutiva, mais seguramente percebe o homem a inexistência da morte como cessação da vida. E agora, mais que nunca, reconhece-se na posição de uma consciência retida entre forças e fluidos, provisoriamente aglutinados para fins educativos. Compreende, pouco a pouco, que o túmulo é porta à renovação, como o berço é acesso à experiência, e observa que o seu estágio no Planeta é uma viagem com destino às estações do Progresso Maior.
  • 13. E, na grande romagem, todos somos instrumentos das forças com as quais estamos em sintonia. Todos somos médiuns, dentro do campo mental que nos é próprio, associando-nos às energias edificantes, se o nosso pensamento flui na direção da vida superior, ou às forças perturbadoras e deprimentes, se ainda nos escravizamos às sombras da vida primitivista ou torturada. Cada criatura com os sentimentos que lhe caracterizam a vida íntima emite raios específicos e vive na onda espiritual com que se identifica. Semelhantes verdades não permanecerão semi-ocultas em nossos santuários de fé. Irradiar-se- ão dos templos da Ciência como equações matemáticas. Médium é toda pessoa que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos. Essa faculdade é inerente ao homem e, por conseguinte, não constitui um privilégio exclusivo. Por isso mesmo, raras as pessoas que não possuam alguns rudimentos dessa faculdade. Pode-se, pois dizer que todos são mais ou menos médiuns. Usualmente, porém, essa qualificação só se aplica aqueles em quem a faculdade se mostra bem caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade, o que depende de uma organização mais ou menos sensitiva. Cap. XIV – Livro dos Mediuns
  • 14. PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES… E enquanto variados aprendizes focalizam a mediunidade, estudando-a da Terra para o Céu, nosso amigo procura analisar-lhe a posição e os valores, do Céu para a Terra, colaborando na construção dos tempos novos. Todavia, o que destacamos por mais alto em suas páginas é a necessidade do Cristo no coração e na consciência, para que não estejamos desorientados ao toque dos fenômenos. Sem noção de responsabilidade, sem devoção à prática do bem, sem amor ao estudo e sem esforço perseverante em nosso próprio burilamento moral, é impraticável a peregrinação libertadora para os Cimos da Vida.
  • 15. PREFÁCIO: RAIOS, ONDAS, MÉDIUNS, MENTES… André Luiz é bastante claro para que nos alonguemos em qualquer consideração. Cada médium com a sua mente. Cada mente com os seus raios, personalizando observações e interpretações. E, conforme os raios que arremessamos, erguer-se-nos-á o domicílio espiritual na onda de pensamentos a que nossas almas se afeiçoam. Isso, em boa síntese, equivale ainda a repetir com Jesus: - A cada qual segundo suas obras. Emmanuel Pedro Leopoldo, 03 de outubro de 1954
  • 16. SINOPSE • Em uma nova missão de trabalho, os Espíritos André Luiz e Hilário deixam a colônia espiritual Nosso Lar rumo à Crosta, onde presenciam situações de comunicação entre os planos superior e terrestre e reconhecem a responsabilidade do serviço mediúnico, compreendendo o grande esforço dos trabalhadores e a importância do intercâmbio entre os dois mundos. Partindo do preceito de que a mediunidade está presente em toda a humanidade, o autor espiritual analisa diversas formas de contato entre encarnados e desencarnados, esclarecendo termos e conceitos como psicofonia, psicometria, sonambulismo, possessão, clarividência, clariaudiência, desdobramento, mediunidade de efeitos físicos, entre outros.
  • 17. CONCEITO DE MEDIUNIDADE Médium quer dizer medianeiro, intermediário, mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos. Não é um poder oculto que se possa desenvolver através de práticas, rituais ou pelo poder misterioso de um iniciado ou de um guru. A mediunidade pertence ao campo da comunicação. Desenvolve-se naturalmente nas pessoas de maior sensibilidade para a captação mental e sensorial de coisas e fatos do mundo espiritual que nos cerca e nos afeta com as vibrações psíquicas e afetivas. Livro: Mediunidade – J. Herculano Pires
  • 18. Se o homem pudesse contemplar com os próprios olhos as correntes de pensamento reconheceria de pronto que todos vivemos em regime de comunhão segundo os princípios de afinidade. A associação mora em todas as coisas precide em todos os acontecimentos comanda a existência de todos os seres. Livro: Pensamento e Vida - cap.8 - Emmanuel
  • 19. Acompanhe nossas reuniões: Aplicativo – MixIr http://www.mixir.com (procurar grupo GECD) Blog - GECD http://www.espacodespertar.blogspot.com Acompanhe nossas reuniões: