SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Fotografia & Cinema
Fotografia
Projecção


Séc. 5-4 A.C. - Descrição do princípio da câmara escura pelos
  filósofos Mo Ti (China) e Aristóteles (Grécia) (Fotografia
  Estenopeica ou sem lente)
       princípio recuperado por Leonardo da Vinci, no século XV
       invento desenvolvido por Giambattista Della Porta (Físico),
       no século XVI
   Séc. XVI – Utilização do princípio da câmara escura para
   projecção com fins de reprodução artística de imagens
   (desenho ou pintura)

Sécs. XVI-XVIII – experiências com reacção química dos sais de
  prata quando expostos a luz solar
Sécs. XVIII-XIX: os precursores da fotogravura

1826 - Joseph Niépce (litógrafo) cria a Heliografia, gravação de imagem
numa liga de estanho, quando pesquisava um método para copiar desenho
nas pedras de litografia
    exposição de até oito horas
    não pode usar papel como suporte: o resultado era demasiado claro
    é convocado para a vida militar dado o interesse estratégico do seu
    invento

1839 - Louis Daguerre (pintor), discípulo de Niépce, cria a Daguerreotipia,
gravação da imagem em placas de zinco com sais de prata e emulsão de
iodo, revelada após exposição a vapor de mercúrio
    exposição de até 30 minutos
    não permitia cópias
    suporte frágil
    responde a procura de retratos pela classe média (demasiado caro para
    as restantes), promovida durante a Revolução Industrial, uma procura
    que não era suficientemente satisfeita pela pintura
    pressiona o desenvolvimento da Química
Sécs. XVIII-XIX: os precursores da fotografia
              contemporânea (1)
1841 - William Talbot cria a Calotipia, método de desenho
fotogénico associado às Ciências da Natureza
   requer tempos de exposição superior
   produz negativos em suporte mais suave que as placas de
   estanho: papel impregnado de iodeto de prata (positivo
   obtido por contacto)

1841-1851:
   luz vermelha não danifica negativos (Claudet)
   transformação das emulsões (Goddard) reduz exposição
   para 3 minutos, e pouco depois para 30 segundos
   lentes mais rápidas (Petzval) e caixa fotográfica mais
   portátil (Voigtländer)
   invenção do papel de albumina (clara de ovo, que
   amarelece) (Blanquart-Evrard)
Sécs. XVIII-XIX: os precursores da fotografia
              contemporânea (2)
1851 – Frederick Archer, discípulo de Talbot, cria a Ambrotipia
(negativos em placas de vidro húmidas e aperfeiçoamento do
processo de revelação através de uma emulsão de colódio húmido,
substituída por colódio seco em 1864)
   mais barato
   material frágil
   permite cópias em papel
   tempos de exposição baixos
   tem de ser preparado e revelado imediatamente (obriga a ter
   estúdio portátil)

1854 - Disdéri cria a fotografia Carte de Visite
   economia (só usa uma placa para oito imagens)
   baixo custo
   popularidade

1871, Richard Maddox substitui o colódio por placas secas com
gelatina, sendo as emulsões lavadas com água a partir de 1874
Sécs. XIX-XX: a fotografia moderna

 1887 – Goodwin cria a película de Nitro-celulóide
    inflamável, de deterioração rápida

   1888 – Eastman comercializa a Kodak n°1, primeira câmara de
utilização leiga, de massas, transformando a fotografia numa prática
acessível e, sobretudo, personalizada (quer o resultado, quer o próprio
objecto máquina)

  1907 – O Autochrome Lumière é o primeiro processo de revelação
fotográfica de cor

 1923 - Edgerton cria o flash e o estroboscópio

 1939 – Criação da película Agfacolor, a primeira película “moderna” a
cor

 1948 - Edwin H. Land introduz a primeira câmara Polaroid
Cinema
Bases do Cinema
Indícios históricos e arqueológicos comprovam que é antiga a preocupação do
   homem com o registo do movimento (o desenho e a pintura foram as
   primeiras formas).
O jogo de sombras do teatro oriental de marionetas é considerado um dos mais
   remotos precursores do cinema.

Nasceu da articulação de várias inovações tecnológicas:
    fotografia
    1826 - persistência retiniana, (fração de segundo em que a imagem
    permanece na retina), descoberto por Peter Roger
    jogos ópticos
         1820-1835 - Thaumatrópio (William Fitton)
         1829 - Fenacistoscópio (Joseph-Antoine Plateau), o primeiro a medir o
         tempo da persistência retiniana (para que uma série de imagens fixas
         dêem a ilusão de movimento, é necessário que se sucedam à razão de
         dez por segundo)
         1834 - Zootropo (William Horner)
         1877 - Praxinoscópio (Émile Reynaud)
    Acompanhamento de música ao vivo, efeitos especiais, narração, ou
    leitura individual de diálogos escritos entre cenas
Séc. XIX: Os precursores do Cinema
  1860 – o princípio da lanterna mágica, criada por Athanasius Kirchner, no século
XVII
       baseia-se no processo inverso da câmara escura
       caixa cilíndrica iluminada a vela, que projecta as imagens desenhadas em
       uma lâmina de vidro
   1878 - Edward Muybridge realiza uma demonstração da Cronofotografia,
ilustrada por um cavalo em movimento (princípio igualmente pesquisado por
Étienne-Jules Marey)
       colocou 12 (e depois 24) câmaras fotográficas ao longo de um hipódromo
       e tirou várias fotos, possibilitando a decomposição do movimento
  1891 - Thomas Edison patenteia o Kinetoscópio
       utilização comercial pouco ambiciosa (peepshows)
  1895 - Auguste and Louis Lumière criam o Cinematógrafo
       realizam uma série de estudos sobre os processos fotográficos
       o nome do seu aparelho passou a identificar, em todas as línguas, a nova
       arte (ciné, cinema, kino etc.)
       aparelho portátil três-em-um (máquina de filmar, de revelar e projectar)
       primeira exibição pública paga de filmes
       filmes de pequena duração, essencialmente de natureza documental (o
       primeiro género cinematográfico da História)
Séc. XX: o Cinema antes da I Guerra Mundial
 1896 - Georges Méliès (ilusionista) começa a exibir filmes
     pioneiro em alguns efeitos especiais
     considerado o pai da arte do cinema

  1903 - Edwin S. Porter (cameraman de Thomas Edison) usou pela primeira vez a
técnica de edição de imagens
      duas imagens diferentes mas que ocorreram simultaneamente (a visão de
      uma mulher sendo resgatada por um bombeiro e a mesma cena pelos
      olhos do bombeiro)
      o "cross-cutting" (imagens simultâneas em diferentes lugares)

   Maior oferta de filmes transforma a oferta de espaços de visionamento:
aumenta o número de Nickelodeons, pequenos lugares de exibição de filmes
onde se pagava 1 nickel por bilhete
  Aumenta a duração dos filmes: de uma duração média de 10-15 minutos à
primeiro longa metragem da história do cinema (o filme australiano "The Story of
the Kelly Gang", com 70 minutos, de 1906)
  Popularização vs Elitismo: em 1907, os irmãos Lafitte criaram os filmes de arte na
França, com a intenção de levar as classes mais altas ao cinema (as quais
consideravam o cinema como medium para classes menos educadas)
 Europa vs EUA: antes da I Guerra Mundial, Itália e França tinham o cinema mais
popular e poderoso do mundo mas no seu decurso a indústria europeia de
cinema é arrasada.
Séc. XX: a emergência de Hollywood

Condições que favorecem o fluxo de produtores para Hollywood:

    boas condições climatéricas
    local sem actividade económica particular, disponível para
    acolher empreendedores
    diferentes paisagens
    concentração empresarial
        Edison tenta tomar o controle dos direitos sobre a exploração
        do cinematógrafo
        são fundados os mais importantes estúdios de cinema (Fox,
        Universal, Paramount) e, mais tarde, a 20th Century Fox (da
        antiga Fox) e Metro Goldwyn Meyer (união dos estúdios de
        Samuel Goldwyn com Louis Meyer)
    convergência de meios técnicos e humanos
        Charles Chaplin cria a United Artists, com Douglas Fairbanks,
        Mary Pickford e David Griffith, para desafiar o poder dos
        grandes estúdios
Séc. XX: o pós-Guerra e a resposta europeia
                a Hollywood
A partir de 1945, com o fim da II Guerra, há um renascimento das
  produções nacionais – os chamados cinemas novos:

  movimento Impressionista francês, também conhecido por cinema
  avant-garde, ou de autor
     Abel Gance filma "J’Accuse"
     Jean Epstein filma "A queda da casa de Usher"

  movimento Expressionista alemão
    Robert Wiene filma "Das Cabinet des Dr. Caligari"
    Friedrich Murnau filma "Nosferatu" e "Phantom"
    Fritz Lang filma “Metrópolis”

  movimento surrealista espanhol
    Luis Buñel filma "Un Perro andaluz"

  Serguei Eisenstein filma "The Battleship Potemkin"
     Instituindo uma nova técnica de montagem,          chamada
     montagem intelectual ou dialéctica
A transição para o som
     1889 - primeiras experiências de sonorização feitas por Thomas Edison
     1896 - Grafonoscópio de Auguste Baron
     1900 - Cronógrafo de Henri Joly
     1907 - Lee de Forest cria um aparelho de gravação magnética em
     película, que permite a reprodução simultânea de imagens e sons
     1926 – a Warner Brothers compra a patente de Forest, e introduz o sistema
     de som Vitaphone (gravação de som sobre um disco)
     1927 – a Warner lança "The Jazz Singer", um musical que pela primeira vez
     na história do cinema possuia alguns diálogos e trechos cantados
     sincronizados, aliados a partes totalmente sem som
     1928 – a Warner lança "The Lights of New York" o primeiro filme com som
     totalmente sincronizado
     1929 – a MGM lança “O Beijo”, o último filme mudo da história de
     Hollywood (com excepção de duas jóias raras de Chaplin, “Luzes da
     Cidade” e “Tempos Modernos”)
     1929 – é criado o Óscar da Academia

No final de 1929, a maioria do cinema de Hollywood já era falada, suscitando
  uma multiplicação dos géneros cinematográficos
No resto do mundo, por razões económicas, a transição do mudo para o falado
  foi feito mais lentamente.
Séc. XX: politização do Cinema pós- II
                Guerra Mundial

  A Segunda Guerra Mundial fez com que a Inglaterra e Estados Unidos
produzissem vários filmes com apelo patriota e que serviram de
propaganda de guerra
 Sistemas de quotas de produção nacional introduzido no Reino Unido
  1947 - o Comité de Segurança dos Estados Unidos faz a primeira lista
negra de Hollywood, acusando 10 realizadores e escritores de promover
propaganda comunista
 Na Itália nasce o Neo-realismo
      reacção ao cinema fascista de Mussolini
      buscava a máxima naturalidade, com actores não profissionais,
      iluminação natural
      com conteúdo de forte crítica social
  1950 - surge em França o movimento nouvelle vague donde se
destacaram Claude Chabrol, Jean-Luc Godard ("O Acossado") e
François Truffaut ("Os Incompreendidos")
Nos anos 60 o sistema Hollywood começou a entrar em declínio. Muitas
  produções passaram a ser feitas em Pinewood Studios (Inglaterra) e
  Cinecittà (Itália) ficando fora de Hollywood

O cinema americano passou a tomar novos rumos com a produção
  independente, de orçamento reduzido e de autor

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

História do Cinema
História do CinemaHistória do Cinema
História do CinemaFilipe Leal
 
Evolução do Cinema
Evolução do CinemaEvolução do Cinema
Evolução do CinemaMichele Pó
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaMauricio Mallet Duprat
 
A história do cinema
A história do cinemaA história do cinema
A história do cinemaRebeca Neiva
 
Cinema, filosofia e sociedade.pptx
Cinema, filosofia e sociedade.pptx   Cinema, filosofia e sociedade.pptx
Cinema, filosofia e sociedade.pptx gabiimedeiros
 
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)Mauricio Mallet Duprat
 
história_cinema
história_cinemahistória_cinema
história_cinemaladybru
 
História do cinema blog
História do cinema blogHistória do cinema blog
História do cinema blogOver Lane
 
EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS AUDIOVISUAIS
EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS AUDIOVISUAISEVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS AUDIOVISUAIS
EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS AUDIOVISUAISTiago Lopes
 
O cinema na segunda metade do século XIX
O cinema na segunda metade do século XIXO cinema na segunda metade do século XIX
O cinema na segunda metade do século XIXTomasalexandre
 
História do cinema
História do cinemaHistória do cinema
História do cinemaemanoellym
 

Mais procurados (20)

Evolução do Cinema
Evolução do CinemaEvolução do Cinema
Evolução do Cinema
 
História do Cinema
História do CinemaHistória do Cinema
História do Cinema
 
Trabalho cinema
Trabalho  cinemaTrabalho  cinema
Trabalho cinema
 
Evolução do Cinema
Evolução do CinemaEvolução do Cinema
Evolução do Cinema
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
 
A história do cinema
A história do cinemaA história do cinema
A história do cinema
 
Cinema, filosofia e sociedade.pptx
Cinema, filosofia e sociedade.pptx   Cinema, filosofia e sociedade.pptx
Cinema, filosofia e sociedade.pptx
 
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
CINEMA - Parte 2 (Desenvolvimento e indústria)
 
história_cinema
história_cinemahistória_cinema
história_cinema
 
Cinema 2c16 2012
Cinema 2c16 2012Cinema 2c16 2012
Cinema 2c16 2012
 
História do cinema blog
História do cinema blogHistória do cinema blog
História do cinema blog
 
Setima Arte
Setima ArteSetima Arte
Setima Arte
 
EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS AUDIOVISUAIS
EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS AUDIOVISUAISEVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS AUDIOVISUAIS
EVOLUÇÃO DAS TECNOLOGIAS AUDIOVISUAIS
 
Módulo 1 - CGA
Módulo 1 - CGAMódulo 1 - CGA
Módulo 1 - CGA
 
Atividade de arte Historia do cinema
Atividade de arte Historia do cinemaAtividade de arte Historia do cinema
Atividade de arte Historia do cinema
 
Cinema01
Cinema01Cinema01
Cinema01
 
A Era do Cinema mudo
A Era do Cinema mudoA Era do Cinema mudo
A Era do Cinema mudo
 
Historia do cinema
Historia do cinema Historia do cinema
Historia do cinema
 
O cinema na segunda metade do século XIX
O cinema na segunda metade do século XIXO cinema na segunda metade do século XIX
O cinema na segunda metade do século XIX
 
História do cinema
História do cinemaHistória do cinema
História do cinema
 

Semelhante a Neto a emergencia da fotografia e do cinema

Fotografia cinematografica
Fotografia cinematograficaFotografia cinematografica
Fotografia cinematograficaGleimeson Souza
 
Primórdios da Fotografia
Primórdios da FotografiaPrimórdios da Fotografia
Primórdios da FotografiaMichele Pó
 
Slides Histoire de la Photographie
Slides Histoire de la PhotographieSlides Histoire de la Photographie
Slides Histoire de la Photographieolharfrancess
 
historiadocinemamatheusvieira-120505123320-phpapp02.pdf
historiadocinemamatheusvieira-120505123320-phpapp02.pdfhistoriadocinemamatheusvieira-120505123320-phpapp02.pdf
historiadocinemamatheusvieira-120505123320-phpapp02.pdfWeslleyDias8
 
Mcs o cinema, c daniel e vero
Mcs   o cinema, c daniel e veroMcs   o cinema, c daniel e vero
Mcs o cinema, c daniel e veroJosé Palma
 
A sétima arte e os irmãos lumiére
A sétima arte e os irmãos lumiéreA sétima arte e os irmãos lumiére
A sétima arte e os irmãos lumiérekanina211
 
Irmãos Lumiére - Artes
Irmãos Lumiére - ArtesIrmãos Lumiére - Artes
Irmãos Lumiére - ArtesRayra Santos
 
História da fotografia
História da fotografiaHistória da fotografia
História da fotografiaTatiana Aneas
 
História da fotografia aula 1
História da fotografia   aula 1História da fotografia   aula 1
História da fotografia aula 1Luci Correia
 
Histriadocinemablog 120819075351-phpapp02-131003130910-phpapp01
Histriadocinemablog 120819075351-phpapp02-131003130910-phpapp01Histriadocinemablog 120819075351-phpapp02-131003130910-phpapp01
Histriadocinemablog 120819075351-phpapp02-131003130910-phpapp01keelresende
 
3º ano - Capítulo 10 e 11 - Impressões e Atitudes.pptx
3º ano - Capítulo 10 e 11 - Impressões e Atitudes.pptx3º ano - Capítulo 10 e 11 - Impressões e Atitudes.pptx
3º ano - Capítulo 10 e 11 - Impressões e Atitudes.pptxRaquelFerreira565645
 
Historia da Fotografia
Historia da FotografiaHistoria da Fotografia
Historia da FotografiaCid Costa Neto
 
Historiada fotografia
Historiada fotografia Historiada fotografia
Historiada fotografia cafumilena
 

Semelhante a Neto a emergencia da fotografia e do cinema (20)

Fotografia cinematografica
Fotografia cinematograficaFotografia cinematografica
Fotografia cinematografica
 
Primórdios da Fotografia
Primórdios da FotografiaPrimórdios da Fotografia
Primórdios da Fotografia
 
Slides Histoire de la Photographie
Slides Histoire de la PhotographieSlides Histoire de la Photographie
Slides Histoire de la Photographie
 
Cinema
CinemaCinema
Cinema
 
430488
430488430488
430488
 
História do cinema
História do cinemaHistória do cinema
História do cinema
 
historiadocinemamatheusvieira-120505123320-phpapp02.pdf
historiadocinemamatheusvieira-120505123320-phpapp02.pdfhistoriadocinemamatheusvieira-120505123320-phpapp02.pdf
historiadocinemamatheusvieira-120505123320-phpapp02.pdf
 
Mcs o cinema, c daniel e vero
Mcs   o cinema, c daniel e veroMcs   o cinema, c daniel e vero
Mcs o cinema, c daniel e vero
 
Setima arte
Setima arteSetima arte
Setima arte
 
A sétima arte e os irmãos lumiére
A sétima arte e os irmãos lumiéreA sétima arte e os irmãos lumiére
A sétima arte e os irmãos lumiére
 
1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx1-historia do cinema.pptx
1-historia do cinema.pptx
 
Irmãos Lumiére - Artes
Irmãos Lumiére - ArtesIrmãos Lumiére - Artes
Irmãos Lumiére - Artes
 
História da fotografia
História da fotografiaHistória da fotografia
História da fotografia
 
História da fotografia aula 1
História da fotografia   aula 1História da fotografia   aula 1
História da fotografia aula 1
 
Cinematografo
CinematografoCinematografo
Cinematografo
 
Histriadocinemablog 120819075351-phpapp02-131003130910-phpapp01
Histriadocinemablog 120819075351-phpapp02-131003130910-phpapp01Histriadocinemablog 120819075351-phpapp02-131003130910-phpapp01
Histriadocinemablog 120819075351-phpapp02-131003130910-phpapp01
 
3º ano - Capítulo 10 e 11 - Impressões e Atitudes.pptx
3º ano - Capítulo 10 e 11 - Impressões e Atitudes.pptx3º ano - Capítulo 10 e 11 - Impressões e Atitudes.pptx
3º ano - Capítulo 10 e 11 - Impressões e Atitudes.pptx
 
Historia da Fotografia
Historia da FotografiaHistoria da Fotografia
Historia da Fotografia
 
Historiada fotografia
Historiada fotografia Historiada fotografia
Historiada fotografia
 
Cinema
CinemaCinema
Cinema
 

Mais de Pedro Pereira Neto

Neto - Comunicação e informação: entre eufemismos e determinismos
Neto - Comunicação e informação: entre eufemismos e determinismosNeto - Comunicação e informação: entre eufemismos e determinismos
Neto - Comunicação e informação: entre eufemismos e determinismosPedro Pereira Neto
 
Pedro Pereira Neto - Analise Fotografica
Pedro Pereira Neto - Analise FotograficaPedro Pereira Neto - Analise Fotografica
Pedro Pereira Neto - Analise FotograficaPedro Pereira Neto
 
Neto a emergencia e desenvolvimento da imprensa
Neto   a emergencia e desenvolvimento da imprensaNeto   a emergencia e desenvolvimento da imprensa
Neto a emergencia e desenvolvimento da imprensaPedro Pereira Neto
 
Neto a emergencia da televisao
Neto   a emergencia da televisaoNeto   a emergencia da televisao
Neto a emergencia da televisaoPedro Pereira Neto
 
Neto a comunicação na 2ª metade do séc. xx
Neto   a comunicação na 2ª metade do séc. xxNeto   a comunicação na 2ª metade do séc. xx
Neto a comunicação na 2ª metade do séc. xxPedro Pereira Neto
 
Neto a comunicacao enquanto ideologia
Neto   a comunicacao enquanto ideologiaNeto   a comunicacao enquanto ideologia
Neto a comunicacao enquanto ideologiaPedro Pereira Neto
 
Neto a evolucao das tecnicas e tecnologias da comunicacao social
Neto   a evolucao das tecnicas e tecnologias da comunicacao socialNeto   a evolucao das tecnicas e tecnologias da comunicacao social
Neto a evolucao das tecnicas e tecnologias da comunicacao socialPedro Pereira Neto
 

Mais de Pedro Pereira Neto (8)

Neto - Comunicação e informação: entre eufemismos e determinismos
Neto - Comunicação e informação: entre eufemismos e determinismosNeto - Comunicação e informação: entre eufemismos e determinismos
Neto - Comunicação e informação: entre eufemismos e determinismos
 
Pedro Pereira Neto - Analise Fotografica
Pedro Pereira Neto - Analise FotograficaPedro Pereira Neto - Analise Fotografica
Pedro Pereira Neto - Analise Fotografica
 
Neto a emergencia e desenvolvimento da imprensa
Neto   a emergencia e desenvolvimento da imprensaNeto   a emergencia e desenvolvimento da imprensa
Neto a emergencia e desenvolvimento da imprensa
 
Neto a emergencia da televisao
Neto   a emergencia da televisaoNeto   a emergencia da televisao
Neto a emergencia da televisao
 
Neto a emergencia da radio
Neto   a emergencia da radioNeto   a emergencia da radio
Neto a emergencia da radio
 
Neto a comunicação na 2ª metade do séc. xx
Neto   a comunicação na 2ª metade do séc. xxNeto   a comunicação na 2ª metade do séc. xx
Neto a comunicação na 2ª metade do séc. xx
 
Neto a comunicacao enquanto ideologia
Neto   a comunicacao enquanto ideologiaNeto   a comunicacao enquanto ideologia
Neto a comunicacao enquanto ideologia
 
Neto a evolucao das tecnicas e tecnologias da comunicacao social
Neto   a evolucao das tecnicas e tecnologias da comunicacao socialNeto   a evolucao das tecnicas e tecnologias da comunicacao social
Neto a evolucao das tecnicas e tecnologias da comunicacao social
 

Neto a emergencia da fotografia e do cinema

  • 3. Projecção Séc. 5-4 A.C. - Descrição do princípio da câmara escura pelos filósofos Mo Ti (China) e Aristóteles (Grécia) (Fotografia Estenopeica ou sem lente) princípio recuperado por Leonardo da Vinci, no século XV invento desenvolvido por Giambattista Della Porta (Físico), no século XVI Séc. XVI – Utilização do princípio da câmara escura para projecção com fins de reprodução artística de imagens (desenho ou pintura) Sécs. XVI-XVIII – experiências com reacção química dos sais de prata quando expostos a luz solar
  • 4. Sécs. XVIII-XIX: os precursores da fotogravura 1826 - Joseph Niépce (litógrafo) cria a Heliografia, gravação de imagem numa liga de estanho, quando pesquisava um método para copiar desenho nas pedras de litografia exposição de até oito horas não pode usar papel como suporte: o resultado era demasiado claro é convocado para a vida militar dado o interesse estratégico do seu invento 1839 - Louis Daguerre (pintor), discípulo de Niépce, cria a Daguerreotipia, gravação da imagem em placas de zinco com sais de prata e emulsão de iodo, revelada após exposição a vapor de mercúrio exposição de até 30 minutos não permitia cópias suporte frágil responde a procura de retratos pela classe média (demasiado caro para as restantes), promovida durante a Revolução Industrial, uma procura que não era suficientemente satisfeita pela pintura pressiona o desenvolvimento da Química
  • 5. Sécs. XVIII-XIX: os precursores da fotografia contemporânea (1) 1841 - William Talbot cria a Calotipia, método de desenho fotogénico associado às Ciências da Natureza requer tempos de exposição superior produz negativos em suporte mais suave que as placas de estanho: papel impregnado de iodeto de prata (positivo obtido por contacto) 1841-1851: luz vermelha não danifica negativos (Claudet) transformação das emulsões (Goddard) reduz exposição para 3 minutos, e pouco depois para 30 segundos lentes mais rápidas (Petzval) e caixa fotográfica mais portátil (Voigtländer) invenção do papel de albumina (clara de ovo, que amarelece) (Blanquart-Evrard)
  • 6. Sécs. XVIII-XIX: os precursores da fotografia contemporânea (2) 1851 – Frederick Archer, discípulo de Talbot, cria a Ambrotipia (negativos em placas de vidro húmidas e aperfeiçoamento do processo de revelação através de uma emulsão de colódio húmido, substituída por colódio seco em 1864) mais barato material frágil permite cópias em papel tempos de exposição baixos tem de ser preparado e revelado imediatamente (obriga a ter estúdio portátil) 1854 - Disdéri cria a fotografia Carte de Visite economia (só usa uma placa para oito imagens) baixo custo popularidade 1871, Richard Maddox substitui o colódio por placas secas com gelatina, sendo as emulsões lavadas com água a partir de 1874
  • 7. Sécs. XIX-XX: a fotografia moderna 1887 – Goodwin cria a película de Nitro-celulóide inflamável, de deterioração rápida 1888 – Eastman comercializa a Kodak n°1, primeira câmara de utilização leiga, de massas, transformando a fotografia numa prática acessível e, sobretudo, personalizada (quer o resultado, quer o próprio objecto máquina) 1907 – O Autochrome Lumière é o primeiro processo de revelação fotográfica de cor 1923 - Edgerton cria o flash e o estroboscópio 1939 – Criação da película Agfacolor, a primeira película “moderna” a cor 1948 - Edwin H. Land introduz a primeira câmara Polaroid
  • 9. Bases do Cinema Indícios históricos e arqueológicos comprovam que é antiga a preocupação do homem com o registo do movimento (o desenho e a pintura foram as primeiras formas). O jogo de sombras do teatro oriental de marionetas é considerado um dos mais remotos precursores do cinema. Nasceu da articulação de várias inovações tecnológicas: fotografia 1826 - persistência retiniana, (fração de segundo em que a imagem permanece na retina), descoberto por Peter Roger jogos ópticos 1820-1835 - Thaumatrópio (William Fitton) 1829 - Fenacistoscópio (Joseph-Antoine Plateau), o primeiro a medir o tempo da persistência retiniana (para que uma série de imagens fixas dêem a ilusão de movimento, é necessário que se sucedam à razão de dez por segundo) 1834 - Zootropo (William Horner) 1877 - Praxinoscópio (Émile Reynaud) Acompanhamento de música ao vivo, efeitos especiais, narração, ou leitura individual de diálogos escritos entre cenas
  • 10. Séc. XIX: Os precursores do Cinema 1860 – o princípio da lanterna mágica, criada por Athanasius Kirchner, no século XVII baseia-se no processo inverso da câmara escura caixa cilíndrica iluminada a vela, que projecta as imagens desenhadas em uma lâmina de vidro 1878 - Edward Muybridge realiza uma demonstração da Cronofotografia, ilustrada por um cavalo em movimento (princípio igualmente pesquisado por Étienne-Jules Marey) colocou 12 (e depois 24) câmaras fotográficas ao longo de um hipódromo e tirou várias fotos, possibilitando a decomposição do movimento 1891 - Thomas Edison patenteia o Kinetoscópio utilização comercial pouco ambiciosa (peepshows) 1895 - Auguste and Louis Lumière criam o Cinematógrafo realizam uma série de estudos sobre os processos fotográficos o nome do seu aparelho passou a identificar, em todas as línguas, a nova arte (ciné, cinema, kino etc.) aparelho portátil três-em-um (máquina de filmar, de revelar e projectar) primeira exibição pública paga de filmes filmes de pequena duração, essencialmente de natureza documental (o primeiro género cinematográfico da História)
  • 11. Séc. XX: o Cinema antes da I Guerra Mundial 1896 - Georges Méliès (ilusionista) começa a exibir filmes pioneiro em alguns efeitos especiais considerado o pai da arte do cinema 1903 - Edwin S. Porter (cameraman de Thomas Edison) usou pela primeira vez a técnica de edição de imagens duas imagens diferentes mas que ocorreram simultaneamente (a visão de uma mulher sendo resgatada por um bombeiro e a mesma cena pelos olhos do bombeiro) o "cross-cutting" (imagens simultâneas em diferentes lugares) Maior oferta de filmes transforma a oferta de espaços de visionamento: aumenta o número de Nickelodeons, pequenos lugares de exibição de filmes onde se pagava 1 nickel por bilhete Aumenta a duração dos filmes: de uma duração média de 10-15 minutos à primeiro longa metragem da história do cinema (o filme australiano "The Story of the Kelly Gang", com 70 minutos, de 1906) Popularização vs Elitismo: em 1907, os irmãos Lafitte criaram os filmes de arte na França, com a intenção de levar as classes mais altas ao cinema (as quais consideravam o cinema como medium para classes menos educadas) Europa vs EUA: antes da I Guerra Mundial, Itália e França tinham o cinema mais popular e poderoso do mundo mas no seu decurso a indústria europeia de cinema é arrasada.
  • 12. Séc. XX: a emergência de Hollywood Condições que favorecem o fluxo de produtores para Hollywood: boas condições climatéricas local sem actividade económica particular, disponível para acolher empreendedores diferentes paisagens concentração empresarial Edison tenta tomar o controle dos direitos sobre a exploração do cinematógrafo são fundados os mais importantes estúdios de cinema (Fox, Universal, Paramount) e, mais tarde, a 20th Century Fox (da antiga Fox) e Metro Goldwyn Meyer (união dos estúdios de Samuel Goldwyn com Louis Meyer) convergência de meios técnicos e humanos Charles Chaplin cria a United Artists, com Douglas Fairbanks, Mary Pickford e David Griffith, para desafiar o poder dos grandes estúdios
  • 13. Séc. XX: o pós-Guerra e a resposta europeia a Hollywood A partir de 1945, com o fim da II Guerra, há um renascimento das produções nacionais – os chamados cinemas novos: movimento Impressionista francês, também conhecido por cinema avant-garde, ou de autor Abel Gance filma "J’Accuse" Jean Epstein filma "A queda da casa de Usher" movimento Expressionista alemão Robert Wiene filma "Das Cabinet des Dr. Caligari" Friedrich Murnau filma "Nosferatu" e "Phantom" Fritz Lang filma “Metrópolis” movimento surrealista espanhol Luis Buñel filma "Un Perro andaluz" Serguei Eisenstein filma "The Battleship Potemkin" Instituindo uma nova técnica de montagem, chamada montagem intelectual ou dialéctica
  • 14. A transição para o som 1889 - primeiras experiências de sonorização feitas por Thomas Edison 1896 - Grafonoscópio de Auguste Baron 1900 - Cronógrafo de Henri Joly 1907 - Lee de Forest cria um aparelho de gravação magnética em película, que permite a reprodução simultânea de imagens e sons 1926 – a Warner Brothers compra a patente de Forest, e introduz o sistema de som Vitaphone (gravação de som sobre um disco) 1927 – a Warner lança "The Jazz Singer", um musical que pela primeira vez na história do cinema possuia alguns diálogos e trechos cantados sincronizados, aliados a partes totalmente sem som 1928 – a Warner lança "The Lights of New York" o primeiro filme com som totalmente sincronizado 1929 – a MGM lança “O Beijo”, o último filme mudo da história de Hollywood (com excepção de duas jóias raras de Chaplin, “Luzes da Cidade” e “Tempos Modernos”) 1929 – é criado o Óscar da Academia No final de 1929, a maioria do cinema de Hollywood já era falada, suscitando uma multiplicação dos géneros cinematográficos No resto do mundo, por razões económicas, a transição do mudo para o falado foi feito mais lentamente.
  • 15. Séc. XX: politização do Cinema pós- II Guerra Mundial A Segunda Guerra Mundial fez com que a Inglaterra e Estados Unidos produzissem vários filmes com apelo patriota e que serviram de propaganda de guerra Sistemas de quotas de produção nacional introduzido no Reino Unido 1947 - o Comité de Segurança dos Estados Unidos faz a primeira lista negra de Hollywood, acusando 10 realizadores e escritores de promover propaganda comunista Na Itália nasce o Neo-realismo reacção ao cinema fascista de Mussolini buscava a máxima naturalidade, com actores não profissionais, iluminação natural com conteúdo de forte crítica social 1950 - surge em França o movimento nouvelle vague donde se destacaram Claude Chabrol, Jean-Luc Godard ("O Acossado") e François Truffaut ("Os Incompreendidos")
  • 16. Nos anos 60 o sistema Hollywood começou a entrar em declínio. Muitas produções passaram a ser feitas em Pinewood Studios (Inglaterra) e Cinecittà (Itália) ficando fora de Hollywood O cinema americano passou a tomar novos rumos com a produção independente, de orçamento reduzido e de autor