SlideShare uma empresa Scribd logo
Anatomia e Sistemática Vegetal Prof. Dr. Elizeu Luís Brachtvogel Alunos(as): David Oliveira Rodrigues Confresa-MT  17 de maio de 2011 INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO  Campus Confresa Curso: Bacharelado em Agronomia
 
O QUE É FLOR ? Podemos classificar a  flor  como uma estrutura de reprodução, gerada pelo esporófito, que compreende a reunião de órgãos férteis (o gineceu e o androceu) e inférteis (cálice e corola). Embora espacial e temporalmente relacionada com o processo de reprodução sexuada das Angiospermas, a flor não apresenta caráter sexuado.
FUNÇÃO Apesar de contribuírem com a beleza da natureza, principalmente durante a estação da primavera, a existência das flores possui um objetivo reprodutivo: contribuir com a produção de sementes do vegetal. Desta maneira, novas plantas são capazes de surgir e crescer.  Gimnospermas: flores incompletas (não possuem ovários) Angiospermas: flores completas (com ovário).
PARTES DAS FLORES
VERTICILOS FLORAIS São 4 verticilos florais: Cálice: sépalas Corola: pétalas Androceu: estames Gineceu: carpelos Todos os verticilos são formados a partir de folhas modificadas: os antófilos. Verticilos protetores
CLASSIFICAÇÃO DA FLOR QUANTO AOS VERTICILOS Quanto aos verticilos as flores podem ser classificadas em: Flor completa. Flor que possui todos os verticilos florais férteis (androceu e gineceu) e inférteis (cálice e corola). Flor incompleta . Flor onde pelo menos um dos verticilos florais está ausente
FLORES COMPLETAS
FLORES INCOMPLETAS Sem corola apétalas Sem cálice assépalas sem perianto (cálice e corola) nua Sem gineceu unissexuadas masculina Sem androceu unissexuadas feminina Sem gineceu nem androceu
CLASSIFICAÇÃO DAS FLORES Quanto à: Semelhança entre cálice e corola; Presença de cálice e corola; Número de peças por verticilo floral; e Presença de verticilos reprodutores.
SEMELHANÇA ENTRE CÁLICE E COROLA Perianto: sépalas e pétalas diferentes; Perigônio: sépalas e pétalas iguais na cor e no tamanho (chamadas de tépalas). Rosa
PRESENÇA DE CÁLICE E COROLA Diclamídea: apresenta ambos verticilos protetores. Aclamídea: não apresenta nenhum dos verticilos protetores. Monoclamídea: apresenta somente o  cálice .
NÚMERO DE PEÇAS POR VERTICILO FLORAL Trímera: três ou múltiplo de três peças em cada verticilo (Monocotiledôneas) Tetrâmera: quatro ou múltiplo de quatro peças em cada verticilo (Dicotiledôneas) Pentâmera: Cinco ou múltiplo de cinco peças em cada verticilo (Dicotiledôneas)
PRESENÇA DE VERTICILOS REPRODUTORES
ANDROCEU Peças: Filete Conectivo Antera: produção de grãos de pólen. O  androceu  é o conjunto dos estames, órgãos reprodutores masculinos de uma flor, com a função de produzir grãos de pólen. Cada estame é uma folha modificada especificamente para a função reprodutiva.
GINECEU O  gineceu  é o conjunto de órgãos reprodutores femininos de uma flor, o conjunto dos pistilos. Engloba os carpelos, constituídos pelos estigmas, estiletes e ovários, localizando-se, em quase todos os casos, no centro da flor. Por vezes, é constituído apenas por um único carpelo. O seu nome provém da divisão, existente nas casas da antiga Grécia, reservada às mulheres. A parte masculina da flor designa-se como androceu. A contagem do número de carpelos numa flor deve ser feita tendo em conta os ovários, que constituem a base dos mesmos, já que alguns estigmas são profundamente fendidos. O gineceu é designado como sincárpico se for formado por um ou mais carpelos fundidos na base e é classificado como apocárpico se os carpelos aparecem distintos uns dos outros.
GINECEU OU PISTILO Formado por folhas modificadas (carpelos); Partes: Estigma Estilete Ovário Dá origem ao fruto.
CLASSIFICAÇÃO DO GINECEU DE ACORDO COM O NÚMERO DE PISTILOS Unipistilado: um só pistilo, podendo este estar representado apenas por um carpelo (monocarpelar) ou por vários carpelos unidos (cenocárpico) Monocarpelar : um só carpelo  Cenocárpico : vários carpelos unidos originando um pistilo  Sincárpico: os carpelos do gineceu cenocárpico estão fechados internamente, existindo várias cavidades ou lóculos (ex. tomateiro, pimenteiro)  Paracárpico: os carpelos do gineceu cenocárpico estão abertos internamente, existindo apenas uma cavidade ou lóculo (ex. violeta) Multipistilado ou apocárpico: vários carpelos (pistilos simples) livres (ex. morangueiro, anémona, silva). Dentro de cada lóculo poderá existir um ou mais óvulos que podem originar uma ou mais sementes.
CARPELOS Quando um único carpelo está presente, dizemos que a flor possui um  ovário simples . Quando mais de um carpelo está presente, pode ser: Apocárpico:  formado por vários carpelos livres entre si. Cada carpelo é monolocular, isto é, constituído por apenas um lóculo.  Sincárpico : formado por vários carpelos unidos entre si.
POSIÇÃO DO OVÁRIO Caráter de importância taxonômica, principalmente na classificação das ordens e famílias: Ínfero  (ovário abaixo do plano do receptáculo). Semi-ínfero  (ovário acima do plano do receptáculo, parcialmente envolto por ele, mas sem fusão). Súpero  (ovário acima do plano do receptáculo).
POSIÇÃO DO OVÁRIO Imagem da estrutura de uma flor de ovário ínfero. Esta mesma flor também é classificada como epígina. Imagem da estrutura de uma flor de ovário semi-ínfero. Esta mesma flor também é classificada como perígina. Imagem da estrutura de uma flor de ovário súpero. Esta mesma flor também é classificada como hipógina.
FLORES NA AGRONOMIA Usada como apoio no controle biológico de artrópodes-praga em lavouras; arma biológica para controle da dengue; Grande importância econômica, quando trata-se  de plantas ornamentais; De essencial importância na apicultura.
BIBLIOGRAFIA Anatomia vegetal/ Beatriz Appezzato-da-Gloria, Sandra Maria Carmelho-Guerreiro(editoras)-2.ed.atual.-Viçosa:ed. UFV,2006. E.G. Gonçalves, Harri Lorenzi. Morfologia vegetal: organografia e dicionário ilustrado de morfologia das plantas vasculares/ São Paulo: Instituto Plantarum de estudos da flora, 2007. Sites relacionados ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE CASTELO BRANCO  Laboratório de Biologia Vegetal. http://docentes.esa.ipcb.pt/lab.biologia/disciplinas/botanica/morfologia.html Atlas de fotografias de Botânica http://www.nucleodeapredizagem.com.br http://www.anglovicosa.com.br/quarto bimestre/ materiais/ anatomia do caule folha e flor.pdf www. embrapa .br Confresa 17 de  maio de 2011

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Morfologia: Raiz, Caule e Folhas
Morfologia: Raiz, Caule e FolhasMorfologia: Raiz, Caule e Folhas
Morfologia: Raiz, Caule e Folhas
Aline Souza
 
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Heitor de Oliveira Braga
 
Folhas 2012 aula
Folhas 2012 aulaFolhas 2012 aula
Folhas 2012 aula
Priscila Belintani
 
Morfologia vegetal da inflorescência
Morfologia vegetal da inflorescênciaMorfologia vegetal da inflorescência
Morfologia vegetal da inflorescência
Joseanny Pereira
 
Semente e germinação
Semente e germinaçãoSemente e germinação
Semente e germinação
Marcos Albuquerque
 
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetaisBotânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
harleyac
 
Apostila-entomologia-geral
Apostila-entomologia-geralApostila-entomologia-geral
Apostila-entomologia-geral
Fabricia Maisa
 
Tipos de folhas
Tipos de folhasTipos de folhas
Tipos de folhas
Felipe Nascimento
 
Anatomia Vegetal: Aulas Práticas
Anatomia Vegetal: Aulas PráticasAnatomia Vegetal: Aulas Práticas
Anatomia Vegetal: Aulas Práticas
Luane Bosetto
 
Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule
Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Órgãos Vegetativos
Órgãos VegetativosÓrgãos Vegetativos
Órgãos Vegetativos
Jézili Dias
 
Morfologia vegetal da raiz
Morfologia vegetal da raizMorfologia vegetal da raiz
Morfologia vegetal da raiz
Joseanny Pereira
 
Frutos
FrutosFrutos
Sistemática vegetal
Sistemática vegetalSistemática vegetal
Sistemática vegetal
emanuel
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
guest78da28
 
Aula 9 fruto
Aula 9 frutoAula 9 fruto
Aula 9 fruto
Fabiano Capato
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FloresSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Turma Olímpica
 
Angiospermas basais monocotiledoneas
Angiospermas basais monocotiledoneas Angiospermas basais monocotiledoneas
Angiospermas basais monocotiledoneas
Martinha Bagé
 
Monocotiledôneas e dicotiledôneas
Monocotiledôneas e dicotiledôneasMonocotiledôneas e dicotiledôneas
Monocotiledôneas e dicotiledôneas
Vitor Morais
 

Mais procurados (20)

Morfologia: Raiz, Caule e Folhas
Morfologia: Raiz, Caule e FolhasMorfologia: Raiz, Caule e Folhas
Morfologia: Raiz, Caule e Folhas
 
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
 
Folhas 2012 aula
Folhas 2012 aulaFolhas 2012 aula
Folhas 2012 aula
 
Morfologia vegetal da inflorescência
Morfologia vegetal da inflorescênciaMorfologia vegetal da inflorescência
Morfologia vegetal da inflorescência
 
Semente e germinação
Semente e germinaçãoSemente e germinação
Semente e germinação
 
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetaisBotânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
Botânica, morfologia e tipos de células e tecidos vegetais
 
Apostila-entomologia-geral
Apostila-entomologia-geralApostila-entomologia-geral
Apostila-entomologia-geral
 
Tipos de folhas
Tipos de folhasTipos de folhas
Tipos de folhas
 
Anatomia Vegetal: Aulas Práticas
Anatomia Vegetal: Aulas PráticasAnatomia Vegetal: Aulas Práticas
Anatomia Vegetal: Aulas Práticas
 
Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule
 
Órgãos Vegetativos
Órgãos VegetativosÓrgãos Vegetativos
Órgãos Vegetativos
 
Morfologia vegetal da raiz
Morfologia vegetal da raizMorfologia vegetal da raiz
Morfologia vegetal da raiz
 
Frutos
FrutosFrutos
Frutos
 
Sistemática vegetal
Sistemática vegetalSistemática vegetal
Sistemática vegetal
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
 
Aula 9 fruto
Aula 9 frutoAula 9 fruto
Aula 9 fruto
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FloresSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Flores
 
Angiospermas basais monocotiledoneas
Angiospermas basais monocotiledoneas Angiospermas basais monocotiledoneas
Angiospermas basais monocotiledoneas
 
Monocotiledôneas e dicotiledôneas
Monocotiledôneas e dicotiledôneasMonocotiledôneas e dicotiledôneas
Monocotiledôneas e dicotiledôneas
 

Semelhante a Morfologia floral

Flores
FloresFlores
Flor – morfologia e anatomia
Flor – morfologia e anatomiaFlor – morfologia e anatomia
Flor – morfologia e anatomia
profatatiana
 
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
MayaraOliveira228
 
Angiospermas - Slide.pptx
Angiospermas  - Slide.pptxAngiospermas  - Slide.pptx
Angiospermas - Slide.pptx
LuisRicardoMonteiroC
 
Flores e frutos
Flores e frutosFlores e frutos
Flores e frutos
URCA
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
biologando
 
3 flor
3 flor3 flor
Power point webquest
Power point webquestPower point webquest
Power point webquest
luizmarmozer
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
Isabella Silva
 
FLOR E FRUTO
FLOR E FRUTOFLOR E FRUTO
Morfologia da flor angiosperma
Morfologia da flor angiospermaMorfologia da flor angiosperma
Morfologia da flor angiosperma
Heider Franco
 
Angiosperma
AngiospermaAngiosperma
Angiosperma
Ronan Carvalho
 
Angiospermas - Renato Paiva
Angiospermas - Renato PaivaAngiospermas - Renato Paiva
Angiospermas - Renato Paiva
Turma Olímpica
 
Flores angiospermas
Flores angiospermasFlores angiospermas
Flores angiospermas
Andrea Barreto
 
Biologia
BiologiaBiologia
Angiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_brAngiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_br
EduardoEmiliano
 
Angiosperma
AngiospermaAngiosperma
Angiosperma
brasilina
 
2 angiospermas
2   angiospermas2   angiospermas
2 angiospermas
genashb
 
O Sexo das Plantas - Webquest
O Sexo das Plantas - WebquestO Sexo das Plantas - Webquest
O Sexo das Plantas - Webquest
luizmarmozer
 
Ativi2webquestluizmarmozer
Ativi2webquestluizmarmozerAtivi2webquestluizmarmozer
Ativi2webquestluizmarmozer
luizmarmozer
 

Semelhante a Morfologia floral (20)

Flores
FloresFlores
Flores
 
Flor – morfologia e anatomia
Flor – morfologia e anatomiaFlor – morfologia e anatomia
Flor – morfologia e anatomia
 
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
2º ano - Aula - Fanerógamas.ppt
 
Angiospermas - Slide.pptx
Angiospermas  - Slide.pptxAngiospermas  - Slide.pptx
Angiospermas - Slide.pptx
 
Flores e frutos
Flores e frutosFlores e frutos
Flores e frutos
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
3 flor
3 flor3 flor
3 flor
 
Power point webquest
Power point webquestPower point webquest
Power point webquest
 
Angiospermas
AngiospermasAngiospermas
Angiospermas
 
FLOR E FRUTO
FLOR E FRUTOFLOR E FRUTO
FLOR E FRUTO
 
Morfologia da flor angiosperma
Morfologia da flor angiospermaMorfologia da flor angiosperma
Morfologia da flor angiosperma
 
Angiosperma
AngiospermaAngiosperma
Angiosperma
 
Angiospermas - Renato Paiva
Angiospermas - Renato PaivaAngiospermas - Renato Paiva
Angiospermas - Renato Paiva
 
Flores angiospermas
Flores angiospermasFlores angiospermas
Flores angiospermas
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Angiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_brAngiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_br
 
Angiosperma
AngiospermaAngiosperma
Angiosperma
 
2 angiospermas
2   angiospermas2   angiospermas
2 angiospermas
 
O Sexo das Plantas - Webquest
O Sexo das Plantas - WebquestO Sexo das Plantas - Webquest
O Sexo das Plantas - Webquest
 
Ativi2webquestluizmarmozer
Ativi2webquestluizmarmozerAtivi2webquestluizmarmozer
Ativi2webquestluizmarmozer
 

Último

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 

Morfologia floral

  • 1. Anatomia e Sistemática Vegetal Prof. Dr. Elizeu Luís Brachtvogel Alunos(as): David Oliveira Rodrigues Confresa-MT 17 de maio de 2011 INSTITUTO FEDERAL DE MATO GROSSO Campus Confresa Curso: Bacharelado em Agronomia
  • 2.  
  • 3. O QUE É FLOR ? Podemos classificar a flor como uma estrutura de reprodução, gerada pelo esporófito, que compreende a reunião de órgãos férteis (o gineceu e o androceu) e inférteis (cálice e corola). Embora espacial e temporalmente relacionada com o processo de reprodução sexuada das Angiospermas, a flor não apresenta caráter sexuado.
  • 4. FUNÇÃO Apesar de contribuírem com a beleza da natureza, principalmente durante a estação da primavera, a existência das flores possui um objetivo reprodutivo: contribuir com a produção de sementes do vegetal. Desta maneira, novas plantas são capazes de surgir e crescer.  Gimnospermas: flores incompletas (não possuem ovários) Angiospermas: flores completas (com ovário).
  • 6. VERTICILOS FLORAIS São 4 verticilos florais: Cálice: sépalas Corola: pétalas Androceu: estames Gineceu: carpelos Todos os verticilos são formados a partir de folhas modificadas: os antófilos. Verticilos protetores
  • 7. CLASSIFICAÇÃO DA FLOR QUANTO AOS VERTICILOS Quanto aos verticilos as flores podem ser classificadas em: Flor completa. Flor que possui todos os verticilos florais férteis (androceu e gineceu) e inférteis (cálice e corola). Flor incompleta . Flor onde pelo menos um dos verticilos florais está ausente
  • 9. FLORES INCOMPLETAS Sem corola apétalas Sem cálice assépalas sem perianto (cálice e corola) nua Sem gineceu unissexuadas masculina Sem androceu unissexuadas feminina Sem gineceu nem androceu
  • 10. CLASSIFICAÇÃO DAS FLORES Quanto à: Semelhança entre cálice e corola; Presença de cálice e corola; Número de peças por verticilo floral; e Presença de verticilos reprodutores.
  • 11. SEMELHANÇA ENTRE CÁLICE E COROLA Perianto: sépalas e pétalas diferentes; Perigônio: sépalas e pétalas iguais na cor e no tamanho (chamadas de tépalas). Rosa
  • 12. PRESENÇA DE CÁLICE E COROLA Diclamídea: apresenta ambos verticilos protetores. Aclamídea: não apresenta nenhum dos verticilos protetores. Monoclamídea: apresenta somente o cálice .
  • 13. NÚMERO DE PEÇAS POR VERTICILO FLORAL Trímera: três ou múltiplo de três peças em cada verticilo (Monocotiledôneas) Tetrâmera: quatro ou múltiplo de quatro peças em cada verticilo (Dicotiledôneas) Pentâmera: Cinco ou múltiplo de cinco peças em cada verticilo (Dicotiledôneas)
  • 14. PRESENÇA DE VERTICILOS REPRODUTORES
  • 15. ANDROCEU Peças: Filete Conectivo Antera: produção de grãos de pólen. O  androceu  é o conjunto dos estames, órgãos reprodutores masculinos de uma flor, com a função de produzir grãos de pólen. Cada estame é uma folha modificada especificamente para a função reprodutiva.
  • 16. GINECEU O  gineceu  é o conjunto de órgãos reprodutores femininos de uma flor, o conjunto dos pistilos. Engloba os carpelos, constituídos pelos estigmas, estiletes e ovários, localizando-se, em quase todos os casos, no centro da flor. Por vezes, é constituído apenas por um único carpelo. O seu nome provém da divisão, existente nas casas da antiga Grécia, reservada às mulheres. A parte masculina da flor designa-se como androceu. A contagem do número de carpelos numa flor deve ser feita tendo em conta os ovários, que constituem a base dos mesmos, já que alguns estigmas são profundamente fendidos. O gineceu é designado como sincárpico se for formado por um ou mais carpelos fundidos na base e é classificado como apocárpico se os carpelos aparecem distintos uns dos outros.
  • 17. GINECEU OU PISTILO Formado por folhas modificadas (carpelos); Partes: Estigma Estilete Ovário Dá origem ao fruto.
  • 18. CLASSIFICAÇÃO DO GINECEU DE ACORDO COM O NÚMERO DE PISTILOS Unipistilado: um só pistilo, podendo este estar representado apenas por um carpelo (monocarpelar) ou por vários carpelos unidos (cenocárpico) Monocarpelar : um só carpelo  Cenocárpico : vários carpelos unidos originando um pistilo  Sincárpico: os carpelos do gineceu cenocárpico estão fechados internamente, existindo várias cavidades ou lóculos (ex. tomateiro, pimenteiro)  Paracárpico: os carpelos do gineceu cenocárpico estão abertos internamente, existindo apenas uma cavidade ou lóculo (ex. violeta) Multipistilado ou apocárpico: vários carpelos (pistilos simples) livres (ex. morangueiro, anémona, silva). Dentro de cada lóculo poderá existir um ou mais óvulos que podem originar uma ou mais sementes.
  • 19. CARPELOS Quando um único carpelo está presente, dizemos que a flor possui um  ovário simples . Quando mais de um carpelo está presente, pode ser: Apocárpico:  formado por vários carpelos livres entre si. Cada carpelo é monolocular, isto é, constituído por apenas um lóculo.  Sincárpico : formado por vários carpelos unidos entre si.
  • 20. POSIÇÃO DO OVÁRIO Caráter de importância taxonômica, principalmente na classificação das ordens e famílias: Ínfero  (ovário abaixo do plano do receptáculo). Semi-ínfero  (ovário acima do plano do receptáculo, parcialmente envolto por ele, mas sem fusão). Súpero  (ovário acima do plano do receptáculo).
  • 21. POSIÇÃO DO OVÁRIO Imagem da estrutura de uma flor de ovário ínfero. Esta mesma flor também é classificada como epígina. Imagem da estrutura de uma flor de ovário semi-ínfero. Esta mesma flor também é classificada como perígina. Imagem da estrutura de uma flor de ovário súpero. Esta mesma flor também é classificada como hipógina.
  • 22. FLORES NA AGRONOMIA Usada como apoio no controle biológico de artrópodes-praga em lavouras; arma biológica para controle da dengue; Grande importância econômica, quando trata-se de plantas ornamentais; De essencial importância na apicultura.
  • 23. BIBLIOGRAFIA Anatomia vegetal/ Beatriz Appezzato-da-Gloria, Sandra Maria Carmelho-Guerreiro(editoras)-2.ed.atual.-Viçosa:ed. UFV,2006. E.G. Gonçalves, Harri Lorenzi. Morfologia vegetal: organografia e dicionário ilustrado de morfologia das plantas vasculares/ São Paulo: Instituto Plantarum de estudos da flora, 2007. Sites relacionados ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE CASTELO BRANCO  Laboratório de Biologia Vegetal. http://docentes.esa.ipcb.pt/lab.biologia/disciplinas/botanica/morfologia.html Atlas de fotografias de Botânica http://www.nucleodeapredizagem.com.br http://www.anglovicosa.com.br/quarto bimestre/ materiais/ anatomia do caule folha e flor.pdf www. embrapa .br Confresa 17 de maio de 2011