SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 49
Profª.
Laurinda Lima

    Métodos
 Contraceptivos
       ou
Anticoncepcionais
Reprodução


A reprodução é a “função que permite
 aos seres vivos produzirem outros
 semelhantes, mantendo-se a espécie”

A  reprodução envolve aspectos físicos,
 sociais, financeiros e etc...por isso MUITO
 CUIDADO antes do ato sexual!!!
Um pouco de
                                                      história...
Parece que foi num papiro egípcio que surgiu, pela primeira vez, uma receita
 contraceptiva: Uma mistura à base de excrementos de crocodilo que as mulheres
 deviam colocar no fundo da vagina antes de qualquer relação sexual!
Não se riam meninos… É que os primeiros preservativos eram feitos de tripas de
 animais! (intestinos de cabras ou carneiros).
Por vezes eram usados vários tipos de produtos que se acreditavam ter a
 capacidade de destruir os espermatozóides.


                                                                       Tudo colocado
                                                                        no fundo da
                                               Pós
                      Ácido cítrico                                      vagina !!!
  Vinagre       (existente no sumo de frutos
                  como o limão, limas, etc)

No início do séc. XX a contracepção era um assunto tabu nos Estados Unidos e
 Europa!
Em 1920 foi votada uma lei em França que proibia todo o tipo de publicidade a
 favor da contracepção.

                                                     Ufff… finalmente esse tempo passou…
Métodos
                               Naturais
 Há que determinar o PERÍODO FÉRTIL da
 mulher e evitar relações sexuais durante essa
 altura.

EXEMPLOS:

 Tabelinha;
 Muco  cervical;
 Temperatura;
 Coito interrompido.
Métodos
                                 Naturais
    Tabelinha
   Consiste em não realizar o ato sexual durante o
    período fértil.
Métodos
                   Naturais
Método do Muco Cervical (Billing)
Baseia-se na observação do muco segregado pelo colo do útero
(substância gelatinosa) e que sai pela vagina. Este muda de aspecto
durante o ciclo sexual feminino. Quando ele se torna “grudento” é
necessária a interrupção do ato sexual durante 4 dias (período de
ovulação).
Métodos
Temperatura              Naturais
Baseia-se no estudo da
temperatura – o dia da
ovulação é determinado
por uma descida nos
valores de temperatura
seguida de uma subida.
Métodos de
                            Barreira
Coito interrompido
 Consiste
         na retirada do pênis antes da
 ejaculação. Como é de difícil controle,
 NÃO É UM MÉTODO EFICAZ!
Métodos
                              Hormonais
 Atuam inibindo a estimulação do ovário,
  não permitindo a ovulação.




EXEMPLOS:

 Pílula
       anticoncepcional;
 Hormônio de efeito prolongado;
 Minipílula ou implante subdérmico;
 Adesivo Dérmico.
Métodos
                                Hormonais

Pílula anticoncepcional
   São Administrados 21
    comprimidos que
    contém uma
    combinação hormonal
    para inibir a fertilidade
    normal da mulher.

   Desvantagens: fácil
    esquecimento;
    influência
    medicamentosa;
    vômitos ou diarréias.
Métodos
                          Hormonais

                         Pílulas anticoncepcionais




As pílulas não protegem de DST/HIV/AIDS.
           Use sempre camisinha
Métodos
                                     Hormonais
Hormônio de efeito prolongado
(Injeções)
   Utilização: Injeção hormonais sexuais femininas, com
    duração de eficácia contraceptiva de três meses.

   Vantagem adicional: elimina o risco de esquecimento.

   Desvantagens: a sua ação não só pode ser
    interrompida como pode prolongar-se para além dos 3
    meses (até 12 meses), não permitindo retomar de
    imediato a capacidade reprodutiva quando
    desejada; ciclo menstrual irregular e amenorreia
    (ausência de menstruação).
Métodos
                                Hormonais
               Injeções anticoncepcionais




As pílulas não protegem de DST/HIV/AIDS.
           Use sempre camisinha
Métodos
                                   Hormonais
Minipílula ou Implante Subdérmico
   Contém apenas um hormônio semelhante a
    progesterona e garante a eficácia contraceptiva
    durante três anos. A sua colocação exige o recurso a
    anestesia local e é aplicado, pelo médico, através
    duma agulha.

   Vantagem adicional: elimina o risco de esquecimento;
    indicado para mulheres com história de anemia e de
    menstruações abundantes e para as que não podem
    ou não querem usar estrogênios.

   Desvantagens: algumas mulheres (cerca de 20%)
    podem manter-se sem menstruação durante algum
    tempo (muitas delas consideram uma vantagem); o
    implante pode ser sentido através duma palpação
    digital.
Métodos
Hormonais
Métodos
                                          Hormonais
    Adesivo dérmico
   Utilização: 1 por semana durante 3 semanas. Deve ser colocado
    na face externa e superior do braço ou aplicado acima da linha
    dos pêlos púbicos.
   Vantagem adicional: não obriga a um cuidado diário.
   Desvantagem: é preciso ter cuidado na frequência de saunas e
    banhos turcos ou com a aplicação de cremes na pele, para
    evitar o descolamento do adesivo.
Métodos de
                                     Barreira
 Implicam a colocação de dispositivos que impeçam a
  fecundação ou implantação do embrião no útero.

Tipos de barreira:
 Físicas:
 DIU (Dispositivo intrauterino);
 Diafragma;
 Camisinha Masculina e Feminina;


 Química:
 Espermicidas.
Métodos de
                              Barreira
  DIU – Dispositivo intrauterino
 Utilização:são colocados, pelo médico, dentro
  da cavidade uterina para impedir que haja
  fecundação e que o óvulo fecundado se
  implante na parede do útero. Podem ser
  medicados com uma espiral de cobre ou com
  uma hormônio (progesterona), aumentando a
  sua eficácia. Têm duração entre três a cinco
  anos.
 Vantagens: alternativa para mulheres que não
  possam ou não queiram utilizar contracepção
  hormonal e que desejem uma contracepção
  prolongada.
 Desvantagens: provoca fluxos menstruais mais
  abundantes e ligeiro aumento de dores pré-
  menstruais nas mulheres com essa propensão
Métodos de
 Barreira
Métodos de
                           Barreira

Diafragma
É um anel flexível de borracha fina, que
 a mulher deve colocar na vagina
 recobrindo o colo do útero, ele impede a
 passagem do espermatozóide.
Métodos de
 Barreira
Métodos de
                                         Barreira
     Camisinha Masculina e Feminina
   É um envoltório de látex que recobre o pênis, retendo o
    esperma no ato sexual.

            Masculina                       Feminina




   Vantagens: Protege contra doenças sexualmente
    transmissíveis, inclusive AIDS; previne doenças do colo
    uterino; não faz mal a saúde; é de fácil acesso.
Métodos de
 Barreira
Métodos de
 Barreira




 Posicionamento
     Correto
Métodos de
                      Barreira
 CAMISINHAS MASCULINAS E FEMININAS
          OBSERVAÇÕES
 As camisinhas masculina ou feminina são os únicos
 métodos que oferecem dupla proteção: protegem, ao
 mesmo tempo, de DST/HIV/AIDS e da gravidez. A
camisinha é prática. É usada apenas na hora da relação
       sexual e não atrapalha o prazer sexual.
Métodos de
               Barreira

Espermicida
Técnicas de
                            Esterilização
 Pequena  intervenção cirúrgica sobre as
 trompas, interrompendo o canal que dá
 passagem aos óvulos na muIher (Laqueação
 de trompas) e dos espermatozóides no canal
 deferente do homem (Vasectomia).

 Vantagens:liberta a mulher da preocupação
 de uso de contraceptivos.

 Desvantagens:é muito difícil de recuperar a
 capacidade reprodutora, no caso do casal
 mudar de idéias em relação à sua reprodução.
Técnicas de
                          Esterilização
Vasectomia

   O médico corta apenas o canal que
    leva os espermatozóides do testículo
    até as outras glândulas que produzem
    o esperma.
   Cirurgia simples e rápida.
   Não deixa o homem impotente!!!
Técnicas de
Esterilização
Técnicas de
                             Esterilização
Laqueadura
É  uma intervenção cirúrgica, onde as tubas são
  amarradas ou cortadas.
 É um método definitivo, mas pode ser reversível.
 Evita que o óvulo e os espermatozóides se
  encontrem.
Técnicas de
Esterilização
Métodos de
                                       Emergência
Pílula do dia seguinte
                                  É importante esclarecer
                                   que essas não são pílulas
                                   de aborto e não causam
                                   aborto, e elas não ajudarão
                                   se a mulher já estiver
                                   grávida. Ela pode ajudar
      A anticoncepção de           somente a prevenir a
emergência é um uso alternativo    gravidez. Esta medida tem
de contracepção hormonal oral      causado vários efeitos
(tomado antes de 72 horas após     colaterais e não deve ser
o coito) evitando-se a gestação    usada regularmente.
   após uma relação sexual
          desprotegida.
Alguns conceitos:
 Menarca:   É a primeira menstruação.

 Menstruação:  é a descamação do endométrio,
 região interna do útero.

 Menopausa:    Inicia após a liberação do último
 óvulo.
Tuba uterina

 São duas, elas recebem os óvulos, protegem e
  os movimentam.
 É na tuba uterina que ocorre a fecundação.
Vagina
É   um canal que liga o útero ao meio exterior.

 Nas meninas e moças que nunca tiveram
 relações sexuais, a entrada da vagina é
 parcialmente fechada por uma membrana
 denominada hímen.
Ovário
 Sãodois. Produzem os óvulos e os hormônios
 sexuais femininos denominados estrógeno e
 progesterona.
Útero
Éum órgão cuja função é guardar o óvulo após
 a fecundação e alojar esse novo ser até o
 nascimento.
Óvulo
É   a célula reprodutora feminina.

A mulher já nasce com cerca de 400.000
 óvulos porém apenas cerca de 400
 serão liberados durante toda sua vida
 fértil.

 Apósa liberação de todos os óvulos a
 mulher entra na menopausa.
Espermatozóides
 São as células reprodutoras masculinas.
O    adolescente inicia sua produção de
  espermatozóides entre 11 e 13 anos e produz
  durante toda sua vida.
 O aparelho reprodutor masculino é dependente
  do urinário, pelo mesmo orifício são expelidos
  tanto na urina quanto o sêmen.
Glossário A

 Aids:
     Síndrome da Imunodeficiência adquirida, é
 causada pelo vírus HIV.
Glossário C
 Zigoto:   Fusão entre o óvulo e o espermatozóide.
Glossário B
 Tuba  uterina: São os canais que ligam os ovários ao
  útero.
 Ovário:órgãos onde são produzidos os óvulos,
  células reprodutoras femininas.
 Útero: Meio ideal ao desenvolvimento do embrião.
Ductos deferentes
 Estão  ligados por meio do epidídimo aos
 testículos, e após ele esta a uretra que é o canal
 por onde são expelidos os espermatozóides.



 Na vasectomia os ductos são cortados
impedindo a passagem dos espermatozóides.
Pênis
É  o órgão copulador que            lança   os
 espermatozóides na hora do coito.
Uretra

 Canal
      comum tanto ao aparelho reprodutor
 masculino quanto ao urinário.
Testículos
 Ougônadas, são órgãos presentes apenas nos
 homens. Eles são responsáveis pela produção
 de espermatozóides e também do hormônio
 masculino denominado testosterona.
Próstata
A   próstata um órgão exclusivo do sexo
 masculino. Está localizada abaixo da bexiga, na
 frente do reto.

 Tem por finalidade secretar um líquido que se
 junta à secreção da vesícula seminal para
 formar o sêmen (esperma) e auxiliar no
 transporte dos espermatozóides.
Escroto
 Bolsa   na qual os testículos ficam armazenados.
Bibliografia
 www.notapositiva.com/trab_estudantes/t
  rab_est... em 07/08/09
 (Diciopédia      2005,    Porto Editora
  Multimédia).Conceito de reprodução.
 http://dicionario.papylon.com
 www.cienciamao.if.usp.br
 GOWDAK, Demetrio. Corpo Humano.
  São Paulo, 2003.
 Fotos: Google.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Metodos contracetivos quimicos
Metodos contracetivos quimicosMetodos contracetivos quimicos
Metodos contracetivos quimicos
gracindabento
 
Trabalho de grupo. métodos contracetivos
Trabalho de grupo. métodos contracetivosTrabalho de grupo. métodos contracetivos
Trabalho de grupo. métodos contracetivos
Rita Inês Martins
 
Métodos Contraceptivos Hormonais
Métodos Contraceptivos HormonaisMétodos Contraceptivos Hormonais
Métodos Contraceptivos Hormonais
MMBento
 
MéTodos Contraceptivos
MéTodos  ContraceptivosMéTodos  Contraceptivos
MéTodos Contraceptivos
tiafer96
 
Metodos contaceptivos
Metodos contaceptivosMetodos contaceptivos
Metodos contaceptivos
Maita Landim
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
César Milani
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
Peses Ourique
 
MÉTODOS CONTRACEPTIVOS
MÉTODOS CONTRACEPTIVOSMÉTODOS CONTRACEPTIVOS
MÉTODOS CONTRACEPTIVOS
gmmma
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
Gerson Melo
 
Mtodos cotraceptivosppt-1065
Mtodos cotraceptivosppt-1065Mtodos cotraceptivosppt-1065
Mtodos cotraceptivosppt-1065
Pelo Siro
 
Métodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturaisMétodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturais
Gonçalo Gonçalves
 
Contracepção
ContracepçãoContracepção
Contracepção
ana mendes
 
Métodos contraceptivos pilula
Métodos contraceptivos pilulaMétodos contraceptivos pilula
Métodos contraceptivos pilula
esas8e
 
Métodos contraceptivos químicos
Métodos contraceptivos   químicosMétodos contraceptivos   químicos
Métodos contraceptivos químicos
ap3bmachado
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonais
zeopas
 

Mais procurados (20)

Metodos contracetivos quimicos
Metodos contracetivos quimicosMetodos contracetivos quimicos
Metodos contracetivos quimicos
 
Trabalho de grupo. métodos contracetivos
Trabalho de grupo. métodos contracetivosTrabalho de grupo. métodos contracetivos
Trabalho de grupo. métodos contracetivos
 
Métodos Contraceptivos Hormonais
Métodos Contraceptivos HormonaisMétodos Contraceptivos Hormonais
Métodos Contraceptivos Hormonais
 
Métodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPTMétodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPT
 
MéTodos Contraceptivos
MéTodos  ContraceptivosMéTodos  Contraceptivos
MéTodos Contraceptivos
 
Metodos contaceptivos
Metodos contaceptivosMetodos contaceptivos
Metodos contaceptivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
MÉTODOS CONTRACEPTIVOS
MÉTODOS CONTRACEPTIVOSMÉTODOS CONTRACEPTIVOS
MÉTODOS CONTRACEPTIVOS
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonais
 
Mtodos cotraceptivosppt-1065
Mtodos cotraceptivosppt-1065Mtodos cotraceptivosppt-1065
Mtodos cotraceptivosppt-1065
 
Quadro comparativo dos Métodos Contraceptivos
Quadro comparativo dos Métodos ContraceptivosQuadro comparativo dos Métodos Contraceptivos
Quadro comparativo dos Métodos Contraceptivos
 
Métodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturaisMétodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturais
 
Contracepção
ContracepçãoContracepção
Contracepção
 
Métodos contraceptivos pilula
Métodos contraceptivos pilulaMétodos contraceptivos pilula
Métodos contraceptivos pilula
 
METODOS CONTRACEPTIVEIS
METODOS CONTRACEPTIVEISMETODOS CONTRACEPTIVEIS
METODOS CONTRACEPTIVEIS
 
Métodos contraceptivos químicos
Métodos contraceptivos   químicosMétodos contraceptivos   químicos
Métodos contraceptivos químicos
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonais
 

Semelhante a Mc métodos contraceptivos

Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, VitorMétodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
jluis505
 
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Angela Boucinha
 
Mtodos contraceptivos
Mtodos contraceptivosMtodos contraceptivos
Mtodos contraceptivos
miguelpim
 
biologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosbiologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivos
Daniela Filipa Sousa
 
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoSeminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
NTE RJ14/SEEDUC RJ
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
Pelo Siro
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
Zaara Miranda
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
Isabel Lopes
 
M+®todos contraceptivos n+úo naturais qu+¡micos
M+®todos contraceptivos n+úo naturais qu+¡micosM+®todos contraceptivos n+úo naturais qu+¡micos
M+®todos contraceptivos n+úo naturais qu+¡micos
Cláudia Bonifácio
 

Semelhante a Mc métodos contraceptivos (20)

Contraceptivos
ContraceptivosContraceptivos
Contraceptivos
 
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, VitorMétodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
 
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
Helena reis 333 novo apresenta+º+úo do microsoft power_point (2)
 
Mtodos contraceptivos
Mtodos contraceptivosMtodos contraceptivos
Mtodos contraceptivos
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Apresenta..(1)
Apresenta..(1)Apresenta..(1)
Apresenta..(1)
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Métodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosMétodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanos
 
biologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosbiologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivos
 
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoSeminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
 
Fecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivosFecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
 
Métodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaMétodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos Química
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionais
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionaisMétodos anticonceptivos ou anticoncepcionais
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionais
 
M+®todos contraceptivos n+úo naturais qu+¡micos
M+®todos contraceptivos n+úo naturais qu+¡micosM+®todos contraceptivos n+úo naturais qu+¡micos
M+®todos contraceptivos n+úo naturais qu+¡micos
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 

Último (20)

livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 

Mc métodos contraceptivos

  • 1. Profª. Laurinda Lima Métodos Contraceptivos ou Anticoncepcionais
  • 2. Reprodução A reprodução é a “função que permite aos seres vivos produzirem outros semelhantes, mantendo-se a espécie” A reprodução envolve aspectos físicos, sociais, financeiros e etc...por isso MUITO CUIDADO antes do ato sexual!!!
  • 3. Um pouco de história... Parece que foi num papiro egípcio que surgiu, pela primeira vez, uma receita contraceptiva: Uma mistura à base de excrementos de crocodilo que as mulheres deviam colocar no fundo da vagina antes de qualquer relação sexual! Não se riam meninos… É que os primeiros preservativos eram feitos de tripas de animais! (intestinos de cabras ou carneiros). Por vezes eram usados vários tipos de produtos que se acreditavam ter a capacidade de destruir os espermatozóides. Tudo colocado no fundo da Pós Ácido cítrico vagina !!! Vinagre (existente no sumo de frutos como o limão, limas, etc) No início do séc. XX a contracepção era um assunto tabu nos Estados Unidos e Europa! Em 1920 foi votada uma lei em França que proibia todo o tipo de publicidade a favor da contracepção. Ufff… finalmente esse tempo passou…
  • 4. Métodos Naturais  Há que determinar o PERÍODO FÉRTIL da mulher e evitar relações sexuais durante essa altura. EXEMPLOS:  Tabelinha;  Muco cervical;  Temperatura;  Coito interrompido.
  • 5. Métodos Naturais Tabelinha  Consiste em não realizar o ato sexual durante o período fértil.
  • 6. Métodos Naturais Método do Muco Cervical (Billing) Baseia-se na observação do muco segregado pelo colo do útero (substância gelatinosa) e que sai pela vagina. Este muda de aspecto durante o ciclo sexual feminino. Quando ele se torna “grudento” é necessária a interrupção do ato sexual durante 4 dias (período de ovulação).
  • 7. Métodos Temperatura Naturais Baseia-se no estudo da temperatura – o dia da ovulação é determinado por uma descida nos valores de temperatura seguida de uma subida.
  • 8. Métodos de Barreira Coito interrompido  Consiste na retirada do pênis antes da ejaculação. Como é de difícil controle, NÃO É UM MÉTODO EFICAZ!
  • 9. Métodos Hormonais  Atuam inibindo a estimulação do ovário, não permitindo a ovulação. EXEMPLOS:  Pílula anticoncepcional;  Hormônio de efeito prolongado;  Minipílula ou implante subdérmico;  Adesivo Dérmico.
  • 10. Métodos Hormonais Pílula anticoncepcional  São Administrados 21 comprimidos que contém uma combinação hormonal para inibir a fertilidade normal da mulher.  Desvantagens: fácil esquecimento; influência medicamentosa; vômitos ou diarréias.
  • 11. Métodos Hormonais Pílulas anticoncepcionais As pílulas não protegem de DST/HIV/AIDS. Use sempre camisinha
  • 12. Métodos Hormonais Hormônio de efeito prolongado (Injeções)  Utilização: Injeção hormonais sexuais femininas, com duração de eficácia contraceptiva de três meses.  Vantagem adicional: elimina o risco de esquecimento.  Desvantagens: a sua ação não só pode ser interrompida como pode prolongar-se para além dos 3 meses (até 12 meses), não permitindo retomar de imediato a capacidade reprodutiva quando desejada; ciclo menstrual irregular e amenorreia (ausência de menstruação).
  • 13. Métodos Hormonais Injeções anticoncepcionais As pílulas não protegem de DST/HIV/AIDS. Use sempre camisinha
  • 14. Métodos Hormonais Minipílula ou Implante Subdérmico  Contém apenas um hormônio semelhante a progesterona e garante a eficácia contraceptiva durante três anos. A sua colocação exige o recurso a anestesia local e é aplicado, pelo médico, através duma agulha.  Vantagem adicional: elimina o risco de esquecimento; indicado para mulheres com história de anemia e de menstruações abundantes e para as que não podem ou não querem usar estrogênios.  Desvantagens: algumas mulheres (cerca de 20%) podem manter-se sem menstruação durante algum tempo (muitas delas consideram uma vantagem); o implante pode ser sentido através duma palpação digital.
  • 16. Métodos Hormonais Adesivo dérmico  Utilização: 1 por semana durante 3 semanas. Deve ser colocado na face externa e superior do braço ou aplicado acima da linha dos pêlos púbicos.  Vantagem adicional: não obriga a um cuidado diário.  Desvantagem: é preciso ter cuidado na frequência de saunas e banhos turcos ou com a aplicação de cremes na pele, para evitar o descolamento do adesivo.
  • 17. Métodos de Barreira  Implicam a colocação de dispositivos que impeçam a fecundação ou implantação do embrião no útero. Tipos de barreira:  Físicas:  DIU (Dispositivo intrauterino);  Diafragma;  Camisinha Masculina e Feminina;  Química:  Espermicidas.
  • 18. Métodos de Barreira DIU – Dispositivo intrauterino  Utilização:são colocados, pelo médico, dentro da cavidade uterina para impedir que haja fecundação e que o óvulo fecundado se implante na parede do útero. Podem ser medicados com uma espiral de cobre ou com uma hormônio (progesterona), aumentando a sua eficácia. Têm duração entre três a cinco anos.  Vantagens: alternativa para mulheres que não possam ou não queiram utilizar contracepção hormonal e que desejem uma contracepção prolongada.  Desvantagens: provoca fluxos menstruais mais abundantes e ligeiro aumento de dores pré- menstruais nas mulheres com essa propensão
  • 20. Métodos de Barreira Diafragma É um anel flexível de borracha fina, que a mulher deve colocar na vagina recobrindo o colo do útero, ele impede a passagem do espermatozóide.
  • 22. Métodos de Barreira Camisinha Masculina e Feminina  É um envoltório de látex que recobre o pênis, retendo o esperma no ato sexual. Masculina Feminina  Vantagens: Protege contra doenças sexualmente transmissíveis, inclusive AIDS; previne doenças do colo uterino; não faz mal a saúde; é de fácil acesso.
  • 24. Métodos de Barreira Posicionamento Correto
  • 25. Métodos de Barreira CAMISINHAS MASCULINAS E FEMININAS OBSERVAÇÕES As camisinhas masculina ou feminina são os únicos métodos que oferecem dupla proteção: protegem, ao mesmo tempo, de DST/HIV/AIDS e da gravidez. A camisinha é prática. É usada apenas na hora da relação sexual e não atrapalha o prazer sexual.
  • 26. Métodos de Barreira Espermicida
  • 27. Técnicas de Esterilização  Pequena intervenção cirúrgica sobre as trompas, interrompendo o canal que dá passagem aos óvulos na muIher (Laqueação de trompas) e dos espermatozóides no canal deferente do homem (Vasectomia).  Vantagens:liberta a mulher da preocupação de uso de contraceptivos.  Desvantagens:é muito difícil de recuperar a capacidade reprodutora, no caso do casal mudar de idéias em relação à sua reprodução.
  • 28. Técnicas de Esterilização Vasectomia  O médico corta apenas o canal que leva os espermatozóides do testículo até as outras glândulas que produzem o esperma.  Cirurgia simples e rápida.  Não deixa o homem impotente!!!
  • 30. Técnicas de Esterilização Laqueadura É uma intervenção cirúrgica, onde as tubas são amarradas ou cortadas.  É um método definitivo, mas pode ser reversível.  Evita que o óvulo e os espermatozóides se encontrem.
  • 32. Métodos de Emergência Pílula do dia seguinte É importante esclarecer que essas não são pílulas de aborto e não causam aborto, e elas não ajudarão se a mulher já estiver grávida. Ela pode ajudar A anticoncepção de somente a prevenir a emergência é um uso alternativo gravidez. Esta medida tem de contracepção hormonal oral causado vários efeitos (tomado antes de 72 horas após colaterais e não deve ser o coito) evitando-se a gestação usada regularmente. após uma relação sexual desprotegida.
  • 33. Alguns conceitos:  Menarca: É a primeira menstruação.  Menstruação: é a descamação do endométrio, região interna do útero.  Menopausa: Inicia após a liberação do último óvulo.
  • 34. Tuba uterina  São duas, elas recebem os óvulos, protegem e os movimentam.  É na tuba uterina que ocorre a fecundação.
  • 35. Vagina É um canal que liga o útero ao meio exterior.  Nas meninas e moças que nunca tiveram relações sexuais, a entrada da vagina é parcialmente fechada por uma membrana denominada hímen.
  • 36. Ovário  Sãodois. Produzem os óvulos e os hormônios sexuais femininos denominados estrógeno e progesterona.
  • 37. Útero Éum órgão cuja função é guardar o óvulo após a fecundação e alojar esse novo ser até o nascimento.
  • 38. Óvulo É a célula reprodutora feminina. A mulher já nasce com cerca de 400.000 óvulos porém apenas cerca de 400 serão liberados durante toda sua vida fértil.  Apósa liberação de todos os óvulos a mulher entra na menopausa.
  • 39. Espermatozóides  São as células reprodutoras masculinas. O adolescente inicia sua produção de espermatozóides entre 11 e 13 anos e produz durante toda sua vida.  O aparelho reprodutor masculino é dependente do urinário, pelo mesmo orifício são expelidos tanto na urina quanto o sêmen.
  • 40. Glossário A  Aids: Síndrome da Imunodeficiência adquirida, é causada pelo vírus HIV.
  • 41. Glossário C  Zigoto: Fusão entre o óvulo e o espermatozóide.
  • 42. Glossário B  Tuba uterina: São os canais que ligam os ovários ao útero.  Ovário:órgãos onde são produzidos os óvulos, células reprodutoras femininas.  Útero: Meio ideal ao desenvolvimento do embrião.
  • 43. Ductos deferentes  Estão ligados por meio do epidídimo aos testículos, e após ele esta a uretra que é o canal por onde são expelidos os espermatozóides.  Na vasectomia os ductos são cortados impedindo a passagem dos espermatozóides.
  • 44. Pênis É o órgão copulador que lança os espermatozóides na hora do coito.
  • 45. Uretra  Canal comum tanto ao aparelho reprodutor masculino quanto ao urinário.
  • 46. Testículos  Ougônadas, são órgãos presentes apenas nos homens. Eles são responsáveis pela produção de espermatozóides e também do hormônio masculino denominado testosterona.
  • 47. Próstata A próstata um órgão exclusivo do sexo masculino. Está localizada abaixo da bexiga, na frente do reto.  Tem por finalidade secretar um líquido que se junta à secreção da vesícula seminal para formar o sêmen (esperma) e auxiliar no transporte dos espermatozóides.
  • 48. Escroto  Bolsa na qual os testículos ficam armazenados.
  • 49. Bibliografia  www.notapositiva.com/trab_estudantes/t rab_est... em 07/08/09  (Diciopédia 2005, Porto Editora Multimédia).Conceito de reprodução.  http://dicionario.papylon.com  www.cienciamao.if.usp.br  GOWDAK, Demetrio. Corpo Humano. São Paulo, 2003.  Fotos: Google.