Métodos contraceptivos

34.345 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação

Métodos contraceptivos

  1. 1. Disciplina de Biologia 12ºMétodos Contraceptivos Trabalho Realizado Por: Fábio Anastácio, Nº7 12ºA João Rodrigues, Nº10 12ºA Luzia Lampreia, Nº13 12ºA Margarida Correia. Nº15 12ºA Novembro de 2009
  2. 2. Métodos ContraceptivosO que é a ContracepçãoMétodos Contraceptivos Métodos Irreversíveis Métodos Reversíveis Métodos Reversivos Naturais Métodos Reversíveis Não naturais Métodos QuímicosA Pílula e a Mulher Métodos de BarreiraConsultas de Planeamento Familiar
  3. 3. Métodos Contraceptivos A contracepção O que é?A contracepção é um conjunto de métodos que se destinam acontrolar e a evitar a procriação.A utilização destes métodos é de elevada responsabilidade para oscasais, tendo que ser a decisão tomada com base em conceitoscomo a consciência, o respeito mútuo e o direito à vida.A utilização de o método adequado é muito importante, de modo aque as consequências negativas das sua utilização sejam asminimizadas.A contracepção é um problema com questões de aspectos :ético,religioso e moral.
  4. 4. Métodos ContraceptivosIrreversíveis Reversíveis Naturais Não Naturais Químicos Barreira
  5. 5. Métodos ContraceptivosMétodos Irreversíveis Destinam-se a casais que não pretendem ter mais filhos, possuindo uma relação duradoira e estável. Mesmo assim não protegem das DST. São praticamente 100 por cento eficazes sendo permanentes, resultando na consequência de uma intervenção cirúrgica. Não apresentam qualquer efeito negativo no acto sexual.
  6. 6. Métodos ContraceptivosLaqueação Das Trompas Consiste no método de esterilização feminina. A cirurgia é realizada através do corte das trompas de falópio ou pela colocação de anéis ou clipes de titânio, que vão obstruir estes canais. Se assim for, os resultados destas cirurgia poderão ser reversíveis. Evita o contacto dos espermatozóides com o oócito II, não havendo a formação do ovo.
  7. 7. Métodos ContraceptivosVasectomia ou DeferentectomiaConsiste no método de esterilização masculina.Consiste em cortar e fechar os dois tubos por onde os gâmetasmasculinos são transportados até ao pénis (canais deferentes).Esta cirurgia impede que os espermatozóides consigamprosseguir o seu caminho não havendo a formação do ovo.
  8. 8. Métodos ContraceptivosMétodos ReversíveisSão métodos que ao deixarem de ser utilizados permitem a possibilidadede uma gravidez.Podem ser Naturais e Não Naturais
  9. 9. Métodos Contraceptivos Métodos Reversíveis NaturaisConsistem em calcular o período fértil, de forma a evitar a ocorrência derelações sexuais nessa data, para não ocorra fecundação;Os métodos naturais não apresentam efeitos secundários, no entanto, asua taxa de eficácia é relativamente baixa. Não NaturaisImpedem a fecundação através de dispositivos colocados no organismo;Podem ser de natureza obstrutiva( os preservativos, o diafragma e aindaos dispositivos intra-uterinos), ou baseiam-se no uso de substâncias, istoé, hormonas( pílulas, os adesivos e os implantes);Todos estes métodos contraceptivos, apresentam estatisticamente umataxa de eficácia superior a 90%.
  10. 10. Métodos Contraceptivos Naturais Método Do Calendário Este método permite calcular os dias férteis da mulher mediante a duração dos ciclos menstruais e a previsão do momento da ovulação. Este cálculo baseia-se num ciclo menstrual de 28 dias, avaliado sempre nas mesmas condições.Nota: O primeiro dia do ciclo é o primeiro dia em que aparece a menstruação.
  11. 11. Métodos ContraceptivosNaturais Método Da Temperatura Este método consiste em avaliar diariamente a temperatura de repouso corporal ao longo do ciclo menstrual da mulher e posteriormente determinar o dia da ovulação ; Antes da ovulação, a temperatura de repouso corporal permanece num nível baixo; Após esta fase, ela sobe algumas décimas de grau, permanecendo nesse nível até a próxima menstruação. Este método não é muito eficaz, sendo a sua taxa de sucesso bastante baixa.
  12. 12. Métodos ContraceptivosNaturais Método Muco Cervical Produzido pelas glândulas do colo do útero, o muco é uma substância gelatinosa, que se altera ao longo do ciclo menstrual. Durante o período de ovulação, adquire uma aparência esbranquiçada e com grande elasticidade, aumentado a facilidade de movimentação de espermatozóides no interior do útero; Todas as manhas, observar se tem muco na vulva e sua constituição. Pode existir alguma dificuldade em distinguir-se sémen residual ou algum corrimento; Só se deverá ter relações sexuais 3 dias após a ocorrência do ponto máximo de elasticidade do muco; A taxa de eficácia é baixa.
  13. 13. Métodos ContraceptivosNaturais Coito Interrompido Consiste em retirar o pénis do interior da vagina antes da ejaculação durante o acto sexual. Na realidade, não é nenhum método contraceptivo, mas sim uma prática muito pouco segura que pode não evitar a gravidez, já que o fluido pré- ejaculatório (ou seja antes da ejaculação) pode já conter espermatozóides aptos para fecundar o oócito II. Este método além de provocar ansiedade em ambos os parceiros, pode no futuro causar distúrbios a nível psicológico.
  14. 14. Métodos Contraceptivos(N/N) Químicos Injecções Hormonais  Consiste na administração de uma injecção intra-muscular, contendo substância que, tal como as pílulas combinadas, impedem a ovulação.  A sua eficácia é elevada (cerca de 99%),  Pare além de prevenirem de uma gravidez, aumenta a protecção contra diversos tipos de cancro.  Não protegem contra as DST, e provoca a alteração hormonal
  15. 15. Métodos Contraceptivos(N/N) Químicos Adesivo  Este método é constituído por um adesivo fino, impregnado de hormonas que são continuamente transferidas, através da pele, para a corrente sanguínea, e como tal a ovulação e evitada.  Aumentam a quantidade e a espessura das secreções do muco da cerviz, tornando a entrado do esperma no útero mais difícil. As hormonas constituintes são os estrogénios e as progesteronas.
  16. 16. Métodos Contraceptivos(N/N) Químicos Espermicida  Destroem os espermatozóides impedindo que estes encontrem o oócito II, podendo existir sobre a forma de gel ou espuma;  É introduzido no interior da vagina, perto do colo do útero, antes da relação sexual;  Este método não coloca problemas em relação à fertilidade nem ao ciclo hormonal. Contudo pode provocar lesões e alergias.
  17. 17. Métodos Contraceptivos(N/N) Químicos Anel Vaginal  É um contraceptivo hormonal de aplicação vaginal, sendo constituído por um anel revestido por hormonas que se vão lentamente libertando para a corrente sanguínea;  Essas hormonas evitam que os oócitos sejam libertados;  Este método pode posteriormente provocar cancro mamário ou vaginal, problemas hepáticos graves e ainda epilepsia.
  18. 18. Métodos Contraceptivos(N/N) Químicos Pílula do Dia Seguinte  É um contraceptivo de emergência, significa que não deve ser utilizada como um método contraceptivo convencional;  Cada pílula do dia seguinte, possui cerca dez vezes mais hormonas que as pílulas normais.  Quanto mais cedo for aplicado, após a relação sexual desprotegida, mais eficaz será o seu efeito.  Pode ter efeitos secundários ainda desconhecidos, e outros como o cancro vaginal ou do colo do útero em futuras gerações.
  19. 19. Métodos Contraceptivos(N/N) Químicos Pílula Combinada São constituídas por estrogénios e progesterona de síntese. São tomadas diariamente durante 21 dias consecutivos, a partir do primeiro dia da menstruação, interrompendo-se nos restantes dias do ciclo. Durante a toma destas pílulas ocorrem diversas mudanças a nível ovárico, uterino e do colo do útero. Elevada eficácia Ovários: Como não existem o estimulo das gonadoestimulinas, os folículos ováricos não atingem a fase de maturação, não ocorrendo a ovulação. Útero: Devido á acção e não acção de certas hormonas, o endométrio, não se apresenta apto para a nidação. Colo do Útero: O muco cervical torna-se espesso impedindo a passagem dos espermatozóides.
  20. 20. Métodos Contraceptivos(N/N) Químicos Pílula Microprogestativa  Possuem apenas progesterona sintetizada sendo tomadas sem interrupção;  Uma vez que só possuem um derivado sintetizado desta hormona não impedem a ovulação, sendo de menor eficácia.  Este tipo de pílulas é aconselhado a mulheres cujas pílulas combinadas são fortemente contra-indicadas ou que estejam a amamentar, pois não provocam diminuição nem na quantidade nem na qualidade do leite. Pílulas
  21. 21. Métodos ContraceptivosA Pílula e a Mulher O surgimento da pílula possibilitou à mulher:A sua emancipação; Participar na planeamento familiar do seu próprio agregado;
  22. 22. Métodos Contraceptivos(N/N) Barreira Preservativo Masculino  É uma membrana cilíndrica de látex que deve ser colocada sobre o pénis em erecção, de modo a revesti-lo e impedir que o sémen saia do seu interior;  Previne o contágio e propagação das DST;  É um método contraceptivo muito eficaz, isto é, se for devidamente colocado e utilizado;  Em relação à sua instalação, deve ser realizada quando o pénis está erecto, antes de qualquer contacto, logo a seguir deve-se apertar o espaço correspondente ao reservatório para que não fique ar. Posteriormente desenrola-lo até ao fim.
  23. 23. Métodos Contraceptivos(N/N) Barreira Preservativo Feminino  É constituído por látex e possui anéis nas suas duas extremidades;  Uma é inserida na vagina tapando o colo do útero, a outra extremidade ajusta-se à abertura da vulva. O sémen fica retido no seu interior;  Protege contra as DST;  É um método contraceptivo muito eficaz desde que a sua colocação seja efectuada de forma adequada;  Pelos dados recolhidos, este método contraceptivo não se encontra disponível em Portugal.
  24. 24. Métodos Contraceptivos(N/N) Barreira Dispositivo Intra-Uterino( DIU)  Os DIU são pequenos aparelhos que são colocados no interior do útero;  È flexível, constituído por cobre e plástico com cerca de 3 cm, podendo alguns ter hormonas na sua constituição;  É um método muito eficaz uma vez que provoca uma diminuição de espermatozóides capazes de fecundar o oócito II, e ainda cria um ambiente que dificulta a nidação do ovo;  Permanece no útero durante um período que vai desde 5 a 10 anos, sendo a sua utilização derivada de uma decisão médica ou por pedido explícito da mulher.
  25. 25. Métodos Contraceptivos(N/N) Barreira Diafragma  É uma borracha muito fina que está a cobrir um anel flexível;  Deve ser colocado sobre o colo do útero, não permitindo a passagem dos espermatozóides até as trompas de falópio;  Só se deve colocar quando se deseja ter relações sexuais;  Pode-se usar várias vezes, lava-se e volta-se a utilizar;  O diafragma deve permanecer na vagina até, pelo menos, 6 horas depois da última relação sexual.
  26. 26. Métodos Contraceptivos Consultas de Planeamento FamiliarTêm como objectivo assegurar que as pessoas têm acesso a: Métodos Reduzir as pessoas Contraceptivos Serviços de saúde infectadas com DST que contribuem para a vivência da sexualidade de forma segura e saudável
  27. 27. Métodos ContraceptivosConsultas de Planeamento Familiar A prática do planeamento familiar permite que homens e mulheres decidam se e quando querem ter filhos, assim como programarem a gravidez e o parto nas condições mais adequadas. Para estas consultas não é necessária a autorização parental, do encarregado de educação ou do adulto responsável pelo menor. São Gratuitas
  28. 28. Métodos Contraceptivos Síntese Conclusiva Que aprendemos? Existe uma grande variedade de métodos contraceptivos, mas apenasalguns são efectivamente seguros, tal como a pílula, o DIU (dispositivointra-uterino), as injecções hormonais, e os preservativos. Não existe nenhum método reversível 100% eficaz Todos os métodos têm as suas contra-indicações, por isso antesde optar por algum, ler com atenção o folheto informativo. Para a utilizaçãode algum dos métodos químicos é conveniente o aconselhamento médicopara proceder à escolha mais adequada. Só os preservativos protegem das Doenças Sexualmentetransmissíveis( DST).
  29. 29. Perguntas1. Escolhe a opção correcta.1.1. A contracepção é um conjunto demétodos :A- Destinado somente às mulheres.B- Originados pela via religiosa.C- Destinam a controlar e a eleminar aprocriação. DD- Destinam a controlar e a evitar a procriação.1.2. Os métodos contraceptivosirreversíveis actuam de modo a impedirque:A- Exista propagação das DST.B- Não ocorra fecundação.C- Tenha-se uma vida sexual activa, assimsendo, mais saudável. BD- Possa-se ter mais do que dois filhos aomesmo tempo.
  30. 30. Perguntas1. Escolhe a opção correcta.1.3. Os métodos naturais efeitossecundários, a sua taxa de eficácia é_________, implicam uma _________observação diária e _______ das doençassexualmente transmissíveis.A- Não apresentam / Relativamente baixa /Constante / Não protegem.B- Apresentam / Relativamente baixa /Constante / Não protegem. AC- Não apresentam / Relativamente Média/ Constante / Não protegem.
  31. 31. Perguntas1.4. Durante a toma destas pílulasocorrem diversas mudanças a nível:A- Ovários, Útero e Epididimo.B- Ovários, Útero e Cevix.C- Oócito, Útero e Colo do Útero.D- Ovários e Útero e Vagina. B1.5. As consultas de PlaneamentoFamiliar têm como objectivo assegurar queas pessoas tenham acesso a:A- A bilhetes para o cinema.B- Métodos Contrafectivos.C- Métodos ContraceptivosD- A uma casa nova. C

×