SlideShare uma empresa Scribd logo
LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016
1
1. (Uema 2014) O bafômetro é um instrumento que detecta álcool no ar exalado por meio de
uma reação de transferência de elétrons. Esses dispositivos mais simples e descartáveis
consistem num pequeno tubo que contém dicromato de potássio, 2 2 7K Cr O , umedecido com
ácido sulfúrico, 2 4H SO , com coloração amarelo-alaranjada. Quando a pessoa sopra, por meio
da mistura, provoca a reação dos íons dicromato, detectando a presença de álcool, devido à
mudança da cor para verde, conforme equação abaixo. A mudança de cor ocorre pela diferença
do número de oxidação, observada na reação, que indica o número de elétrons que um átomo
ou íon perde ou ganha para adquirir estabilidade química.
Equação:
 2 2 7 2 4 3 2 2 4 2 3 2 43
Alaranjada incolor incolorVerde
K Cr O 4H SO 3CH CH OH Cr SO 7H O 3CH CHO K SO     
Os números de oxidação identificados nas espécies químicas responsáveis pela mudança de
coloração são, respectivamente,
a) 6+ e 3+.
b) 6- e 3-.
c) 1+ e 2-.
d) 5+ e 2+.
e) 5- e 2-.
2. (Mackenzie 2014) A respeito da equação iônica de oxirredução abaixo, não balanceada, são
feitas as seguintes afirmações:
2
3 3 2 4 2IO HSO I SO H H O   
    
I. a soma dos menores coeficientes inteiros possível para o balanceamento é 17.
II. o agente oxidante é o ânion iodato.
III. o composto que ganha elétrons sofre oxidação.
IV. o Nox do enxofre varia de +5 para +6.
Das afirmações acima, estão corretas somente
a) II e III.
b) I e II.
c) I e III.
d) II e IV.
e) I e IV.
3. (Espcex (Aman) 2013) Dada a seguinte equação iônica de oxidorredução da reação,
usualmente utilizada em etapas de sínteses químicas, envolvendo o íon dicromato  2
2 7Cr O 
e
o ácido oxálico  2 2 4H C O :
2 3
2 7 2 2 4 2 2Cr O H C O H Cr CO H O  
    
Considerando a equação acima e o balanceamento de equações químicas por oxidorredução, a
soma total dos coeficientes mínimos e inteiros obtidos das espécies envolvidas e a substância
que atua como agente redutor são, respectivamente,
a) 21 e ácido oxálico.
b) 26 e dicromato.
c) 19 e dicromato.
d) 27 e ácido oxálico.
e) 20 e hidrogênio.
4. (Upe-ssa 3 2016) Em um estaleiro, o casco de aço de um navio foi totalmente recoberto com
novas placas de magnésio metálico.
LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016
2
Dados:
2 0
(s) (aq) red
2 0
(s) (aq) red
Mg Mg 2e E 2,37 V
Fe Fe 2e E 0,44 V
 
 
  
  
Sobre esse tipo de processo, qual alternativa está CORRETA?
a) O magnésio possui menor poder de redução que o principal constituinte da estrutura do navio,
por isso é "sacrificado" para protegê-la.
b) O magnésio ganha elétrons para o ferro, que se mantém protegido, mesmo que exposto ao
ar, pois a reação de oxirredução continua.
c) O revestimento de magnésio funciona como um anodo em um circuito de eletrólise, evitando
que o ferro se envolva em processos de oxirredução.
d) O metal de sacrifício vai reagir com a água do mar, protegendo o ferro da mesma forma que
as tintas antiferrugem existentes no mercado da construção civil.
e) A reação que ocorre na presença do metal de sacrifício é denominada de pilha eletroquímica,
uma vez que a diferença de potencial entre os reagentes é negativa.
5. (Enem 2015) A calda bordalesa é uma alternativa empregada no combate a doenças que
afetam folhas de plantas. Sua produção consiste na mistura de uma solução aquosa de sulfato
de cobre(II), 4CuSO , com óxido de cálcio, CaO, e sua aplicação só deve ser realizada se estiver
levemente básica. A avaliação rudimentar da basicidade dessa solução é realizada pela adição
de três gotas sobre uma faca de ferro limpa. Após três minutos, caso surja uma mancha
avermelhada no local da aplicação, afirma-se que a calda bordalesa ainda não está com a
basicidade necessária. O quadro apresenta os valores de potenciais padrão de redução 0
(E )
para algumas semirreações de redução.
Semirreação de redução 0
E (V)
2
Ca 2 e Ca 
  2,87
3
Fe 3 e Fe 
  0,04
2
Cu 2 e Cu 
  0,34
Cu e Cu 
  0,52
3 2
Fe e Fe  
  0,77
MOTTA, I. S. Calda bordalesa: utilidades e preparo. Dourados: Embrapa, 2008 (adaptado).
A equação química que representa a reação de formação da mancha avermelhada é:
a) 2 2
(aq) (aq) (s) (aq)Ca 2 Cu Ca 2 Cu .  
  
b) 2 2 3
(aq) (aq) (s) (aq)Ca 2 Fe Ca 2 Fe .  
  
c) 2 2 3
(aq) (aq) (s) (aq)Cu 2 Fe Cu 2 Fe .  
  
d) 2 3
(aq) (s) (s) (aq)3 Ca 2 Fe 3 Ca 2 Fe . 
  
e) 2 3
(aq) (s) (s) (aq)3 Cu 2 Fe 3 Cu 2 Fe . 
  
6. Os milhões de veículos automotores que circulam nas grandes metrópoles liberam, na
atmosfera, os gases SO2 e NO. A equação abaixo representa a produção do NO a partir do SO2.
SO2 + HNO3 + H2O  H2SO4 + NO
Com base nessa reação, nos conhecimentos sobre reações químicas, pode-se afirmar:
LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016
3
01) O HNO3 é agente redutor.
02) Cada átomo de nitrogênio ganha 3 elétrons.
03) O elemento químico enxofre é reduzido.
04) A água é agente redutor.
05) No SO2 o enxofre apresenta o maior NOx para o seu grupo.
7. A água oxigenada é uma importante substância da química. Ela pode participar de uma
série de reações: em algumas agindo como oxidante, em outras como redutora. Um exemplo de
reação envolvendo a água oxigenada é:
H2O2 + KMnO4 + H3PO4  K3PO4 + Mn3(PO4)2 + H2O + O2
Após o balanceamento da equação por oxirredução e com os menores coeficientes inteiros
possíveis, pode-se afirmar que a soma dos coeficientes dos reagentes é:
01) 21
02) 23
03) 25
04) 27
05) 29
8. As reações químicas de oxirredução são importantes no nosso cotidiano; muitas delas
fazem parte das funções vitais dos organismos de plantas e animais, como a fotossíntese e a
respiração. O cromo trivalente é reconhecido atualmente como um elemento essencial no
metabolismo de carboidratos e lipídeos, sendo que sua função está relacionada ao mecanismo
de ação da insulina. Ao contrário do íon trivalente, no estado de oxidação VI o cromo é
classificado como composto mutagênico e carcinogênico em animais.
A equação química, não balanceada, apresenta a reação do cromo (VI) com a glicose, em
meio ácido:
K2Cr2O7 + C6H12O6 + H2SO4  Cr2(SO4)3 + K2SO4 + CO2 + H2O
O coeficiente estequiométrico da água dessa equação química balanceada com os
menores coeficientes inteiros possíveis é igual a:
01) 20
02) 21
03) 22
04) 42
05) 44
9. (Uece 2015) O conhecimento dos conceitos de oxidação e redução é de fundamental
importância no estudo da biologia molecular associado à fotossíntese e à respiração, na redução
de minerais para a obtenção de metais, em cálculos estequiométricos, na prevenção da corrosão
e no estudo da eletroquímica. Dada a equação não balanceada,
2 3 3 2 3 4 2 4As S HNO H O H AsO H SO NO,    
marque a única afirmação verdadeira.
LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016
4
a) Representa uma reação de auto-oxirredução.
b) Indica uma reação de oxidorredução parcial.
c) Dois elementos sofrem oxidação e um elemento sofre redução.
d) Quando balanceada, a soma de seus coeficientes é 76.
10. (Fgv 2015) As fosfinas, 3PH , são precursoras de compostos empregados na indústria
petroquímica, de mineração e hidrometalurgia. Sua obtenção é feita a partir do fósforo elementar,
em meio ácido, sob elevada pressão, e a reação se processa de acordo com
4 2 3 3 4P H O PH H PO  
A soma dos menores valores inteiros dos coeficientes estequiométricos dessa equação
corretamente balanceada é igual a
a) 10.
b) 11.
c) 15.
d) 22.
e) 24.
11.O cloro é empregado para potabilizar a água de consumo dissolvendo-o nela.
Também é usado como oxidante, branqueador e desinfetante. É gasoso e muito tóxico
(neurotóxico), foi usado como gás de guerra na Primeira e na Segunda Guerra Mundial.
Ele pode ser obtido, de acordo com a reação não-balanceada:
2 2 2 2MnO HC MnC H O C   
Os coeficientes (menores números inteiros possíveis) que tornam a reação balanceada são,
respectivamente, iguais a
a) 1; 2;1;1;1.
b) 1; 4;1; 2;1.
c) 2; 6; 2;1;1.
d) 2; 8; 2;1; 2.
12. (Ifsc 2015) A figura a seguir representa uma pilha com os respectivos potenciais de redução.
0
E 0,34V 
2
(aq) (s)Ni 2e Ni
  0
E 0,25V 
2
(aq) (s)Cu 2e Cu
 
LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016
5
Sobre as pilhas, leia e analise as seguintes proposições e assinale a soma da(s) CORRETA(S).
01) Uma pilha é o emprego controlado de reações espontâneas de óxido-redução, gerando
corrente elétrica.
02) Em uma pilha os elétrons são transferidos do cátodo para o ânodo.
04) Na pilha apresentada, o cobre atua como agente oxidante.
08) A pilha acima gera uma voltagem de 90 milivolts.
16) Em todas as pilhas o ânodo corresponde ao polo positivo, ou seja, polo onde ocorre a reação
de oxidação.
32) O níquel sofre redução na pilha apresentada.
13. (Mackenzie 2016) Em instalações industriais sujeitas à corrosão, é muito comum a utilização
de um metal de sacrifício, o qual sofre oxidação mais facilmente que o metal principal que
compõe essa instalação, diminuindo, portanto eventuais desgastes dessa estrutura. Quando o
metal de sacrifício encontra-se deteriorado, é providenciada sua troca, garantindo-se a eficácia
do processo denominado proteção catódica.
Considerando uma estrutura formada predominantemente por ferro e analisando a tabela abaixo
que indica os potenciais-padrão de redução red(E ) de alguns outros metais, ao ser eleito um
metal de sacrifício, a melhor escolha seria
Metal Equação da semirreação Potenciais-padrão de redução red(E )
Magnésio
2
(aq) (s)Mg 2e Mg 
 2,38 V
Zinco
2
(aq) (s)Zn 2e Zn 
 0,76 V
Ferro
2
(aq) (s)Fe 2e Fe 
 0,44 V
Chumbo
2
(aq) (s)Pb 2e Pb 
 0,13 V
Cobre
2
(aq) (s)Cu 2e Cu 
 0,34 V
Prata (aq) (s)Ag e Ag 
 0,80 V
a) o magnésio.
b) o cobre.
c) o ferro.
d) o chumbo.
e) a prata.
14. (Upf 2015) Na pilha de Daniell, ocorre uma reação de oxirredução espontânea,
conforme representado esquematicamente na figura abaixo.
Considerando a informação apresentada, analise as afirmações a seguir.
LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016
6
I. Na reação de oxirredução espontânea, representada na pilha de Daniell, a espécie
que se oxida, no caso o (s)Zn , transfere elétrons para a espécie que sofre redução, os
íons 2
(aq)Cu .
II. O (s)Zn sofre redução, transferindo elétrons para os íons 2
(aq)Cu 
que sofrem
oxidação.
III. Para que ocorra a reação de oxirredução espontânea, o potencial de redução do
eletrodo de cobre deve ser maior do que o do eletrodo de zinco.
IV. A placa de (s)Zn sofre corrosão, tendo sua massa diminuída, e sobre a placa de
cobre ocorre depósito de cobre metálico.
V. A concentração de íons 2
(aq)Cu 
aumenta, e a concentração de íons 2
(aq)Zn 
diminui
em cada um dos seus respectivos compartimentos.
Está correto apenas o que se afirma em:
a) I, III e IV.
b) II e V.
c) I, II e V.
d) III, IV e V.
e) II e III.
15. (Unesp 2016)
Nas últimas décadas, o dióxido de enxofre 2(SO ) tem sido o principal contaminante atmosférico
que afeta a distribuição de liquens em áreas urbanas e industriais. Os liquens absorvem o dióxido
de enxofre e, havendo repetidas exposições a esse poluente, eles acumulam altos níveis de
sulfatos 2
4(SO )
e bissulfatos 4(HSO ),
o que incapacita os constituintes dos liquens de
realizarem funções vitais, como fotossíntese, respiração e, em alguns casos, fixação de
nitrogênio.
(Rubén Lijteroff et al. Revista Internacional de contaminación
ambiental, maio de 2009. Adaptado.)
Nessa transformação do dióxido de enxofre em sulfatos e bissulfatos, o número de oxidação do
elemento enxofre varia de __________ para __________, portanto, sofre __________.
As lacunas desse texto são, correta e respectivamente, preenchidas por:
a) 4; 6 e redução.
b) 4; 6 e oxidação.
c) 2; 4 e redução.
d) 2; 4 e oxidação.
e) 2; 4 e oxidação.
LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016
7
16. (Enem 2014) A aplicação excessiva de fertilizantes nitrogenados na agricultura pode
acarretar alterações no solo e na água pelo acúmulo de compostos nitrogenados,
principalmente a forma mais oxidada, favorecendo a proliferação de algas e plantas aquáticas
e alterando o ciclo do nitrogênio, representado no esquema. A espécie nitrogenada mais
oxidada tem sua quantidade controlada por ação de microrganismos que promovem a reação
de redução dessa espécie, no processo denominado desnitrificação.
O processo citado está representado na etapa
a) I.
b) II.
c) III.
d) IV.
e) V.
Resposta da questão 1:
[A]
Resposta da questão 2:
[B]
Resposta da questão 3:
[D]
Resposta da questão 4:
[A]
Resposta da questão 5:
[E]
Resposta da questão 6:
[02]
Resposta da questão 7:
[04]
Resposta da questão 8:
[SALA]
Resposta da questão 9:
[C]
Resposta da questão 10:
[D]
Resposta da questão 11:
[B]
Resposta da questão 12:
[01 + 04 = 05]
Resposta da questão 13:
[A]
Resposta da questão 14:
LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016
8
[A]
Resposta da questão 15:
[B]
Resposta da questão 16:
[E]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Rodrigo Sampaio
 
Nox e oxirredução
Nox e oxirreduçãoNox e oxirredução
Nox e oxirredução
Rodrigo Sampaio
 
Aula pilhas
Aula pilhasAula pilhas
Aula pilhas
CamachoJAAMC
 
Classificação e Propriedades da Matéria
Classificação e Propriedades da MatériaClassificação e Propriedades da Matéria
Classificação e Propriedades da Matéria
Fábio Oisiovici
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
Rodrigo Sampaio
 
Simulado ENEM Química
Simulado ENEM QuímicaSimulado ENEM Química
Simulado ENEM Química
Fábio Oisiovici
 
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boaEstequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Rodrigo Sampaio
 
Exercicios pilha
Exercicios pilhaExercicios pilha
Exercicios pilha
Professora Analynne Almeida
 
EQUILÍBRIO REVISÃO ENEM
EQUILÍBRIO REVISÃO ENEMEQUILÍBRIO REVISÃO ENEM
EQUILÍBRIO REVISÃO ENEM
Fábio Oisiovici
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
cáculos com mol
cáculos com molcáculos com mol
cáculos com mol
Fábio Oisiovici
 
revisão enem cálculos químicos
revisão enem cálculos químicosrevisão enem cálculos químicos
revisão enem cálculos químicos
Fábio Oisiovici
 
Exercícios 3º valdecir
Exercícios   3º valdecirExercícios   3º valdecir
Exercícios 3º valdecir
valdecirkelvin
 
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 anoRevisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Rodrigo Sampaio
 
Inor parte 1
Inor parte 1Inor parte 1
Inor parte 1
Fábio Oisiovici
 
Quimica 001 funcoes inorganicas
Quimica  001 funcoes inorganicasQuimica  001 funcoes inorganicas
Quimica 001 funcoes inorganicas
con_seguir
 
Estequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impurezaEstequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impureza
Rodrigo Sampaio
 
Apsa serie electroquimica[1]
Apsa  serie electroquimica[1]Apsa  serie electroquimica[1]
Apsa serie electroquimica[1]
Rosa Sousa
 
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESREVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
Rodrigo Sampaio
 

Mais procurados (19)

Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
 
Nox e oxirredução
Nox e oxirreduçãoNox e oxirredução
Nox e oxirredução
 
Aula pilhas
Aula pilhasAula pilhas
Aula pilhas
 
Classificação e Propriedades da Matéria
Classificação e Propriedades da MatériaClassificação e Propriedades da Matéria
Classificação e Propriedades da Matéria
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
Simulado ENEM Química
Simulado ENEM QuímicaSimulado ENEM Química
Simulado ENEM Química
 
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boaEstequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
 
Exercicios pilha
Exercicios pilhaExercicios pilha
Exercicios pilha
 
EQUILÍBRIO REVISÃO ENEM
EQUILÍBRIO REVISÃO ENEMEQUILÍBRIO REVISÃO ENEM
EQUILÍBRIO REVISÃO ENEM
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
cáculos com mol
cáculos com molcáculos com mol
cáculos com mol
 
revisão enem cálculos químicos
revisão enem cálculos químicosrevisão enem cálculos químicos
revisão enem cálculos químicos
 
Exercícios 3º valdecir
Exercícios   3º valdecirExercícios   3º valdecir
Exercícios 3º valdecir
 
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 anoRevisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
 
Inor parte 1
Inor parte 1Inor parte 1
Inor parte 1
 
Quimica 001 funcoes inorganicas
Quimica  001 funcoes inorganicasQuimica  001 funcoes inorganicas
Quimica 001 funcoes inorganicas
 
Estequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impurezaEstequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impureza
 
Apsa serie electroquimica[1]
Apsa  serie electroquimica[1]Apsa  serie electroquimica[1]
Apsa serie electroquimica[1]
 
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESREVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
 

Semelhante a Lista 2 ano final nox

Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
Escola Pública/Particular
 
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃOCINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
Fábio Oisiovici
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
Hugo Cruz Rangel
 
Sais e óxidos
Sais e óxidosSais e óxidos
Pru enem
Pru enemPru enem
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Lista 35   funções inorgânicas - difícilLista 35   funções inorgânicas - difícil
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Colegio CMC
 
EsPCEx - QUÍMICA - 2012
EsPCEx - QUÍMICA - 2012EsPCEx - QUÍMICA - 2012
EsPCEx - QUÍMICA - 2012
profleco
 
Fuvest 1999 - 2º fase - química
Fuvest   1999 - 2º fase - químicaFuvest   1999 - 2º fase - química
Fuvest 1999 - 2º fase - química
Simone Rocha
 
Quimica ligacoes quimicas_exercicios
Quimica ligacoes quimicas_exerciciosQuimica ligacoes quimicas_exercicios
Quimica ligacoes quimicas_exercicios
Water Rodrigues
 
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Maiquel Vieira
 
145 093513 reacoes_inorganicasagamenon
145 093513 reacoes_inorganicasagamenon145 093513 reacoes_inorganicasagamenon
145 093513 reacoes_inorganicasagamenon
Andrey Luiz
 
Apoio 2ªsuplementar
Apoio 2ªsuplementarApoio 2ªsuplementar
Apoio 2ªsuplementar
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Apoio 2ªsuplementar
Apoio 2ªsuplementarApoio 2ªsuplementar
Apoio 2ªsuplementar
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Exercícios cinética química
Exercícios cinética químicaExercícios cinética química
Exercícios cinética química
fabioquimico
 
Exercicios gerais
Exercicios geraisExercicios gerais
Exercicios gerais
SEED
 
2002ed d2 qui
2002ed d2 qui2002ed d2 qui
2002ed d2 qui
Marcio Cicchelli
 
Apoio 2ªsuplementar gabarito
Apoio 2ªsuplementar gabaritoApoio 2ªsuplementar gabarito
Apoio 2ªsuplementar gabarito
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 

Semelhante a Lista 2 ano final nox (20)

Questões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º anoQuestões gerais de química_2º ano
Questões gerais de química_2º ano
 
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃOCINÉTICA QUIMICA REVISÃO
CINÉTICA QUIMICA REVISÃO
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
Calculo estequiometrico
Calculo estequiometricoCalculo estequiometrico
Calculo estequiometrico
 
Sais e óxidos
Sais e óxidosSais e óxidos
Sais e óxidos
 
Pru enem
Pru enemPru enem
Pru enem
 
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Lista 35   funções inorgânicas - difícilLista 35   funções inorgânicas - difícil
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
 
EsPCEx - QUÍMICA - 2012
EsPCEx - QUÍMICA - 2012EsPCEx - QUÍMICA - 2012
EsPCEx - QUÍMICA - 2012
 
Fuvest 1999 - 2º fase - química
Fuvest   1999 - 2º fase - químicaFuvest   1999 - 2º fase - química
Fuvest 1999 - 2º fase - química
 
Quimica ligacoes quimicas_exercicios
Quimica ligacoes quimicas_exerciciosQuimica ligacoes quimicas_exercicios
Quimica ligacoes quimicas_exercicios
 
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
Exercícios Enem Química - Treinamento aulas 7, 8 e 9
 
145 093513 reacoes_inorganicasagamenon
145 093513 reacoes_inorganicasagamenon145 093513 reacoes_inorganicasagamenon
145 093513 reacoes_inorganicasagamenon
 
Apoio 2ªsuplementar
Apoio 2ªsuplementarApoio 2ªsuplementar
Apoio 2ªsuplementar
 
Apoio 2ªsuplementar
Apoio 2ªsuplementarApoio 2ªsuplementar
Apoio 2ªsuplementar
 
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
Unidade7 c 2014_csa_v3_gabaritop378a384
 
Exercícios cinética química
Exercícios cinética químicaExercícios cinética química
Exercícios cinética química
 
Exercicios gerais
Exercicios geraisExercicios gerais
Exercicios gerais
 
2002ed d2 qui
2002ed d2 qui2002ed d2 qui
2002ed d2 qui
 
Apoio 2ªsuplementar gabarito
Apoio 2ªsuplementar gabaritoApoio 2ªsuplementar gabarito
Apoio 2ªsuplementar gabarito
 

Último

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 

Último (20)

Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 

Lista 2 ano final nox

  • 1. LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016 1 1. (Uema 2014) O bafômetro é um instrumento que detecta álcool no ar exalado por meio de uma reação de transferência de elétrons. Esses dispositivos mais simples e descartáveis consistem num pequeno tubo que contém dicromato de potássio, 2 2 7K Cr O , umedecido com ácido sulfúrico, 2 4H SO , com coloração amarelo-alaranjada. Quando a pessoa sopra, por meio da mistura, provoca a reação dos íons dicromato, detectando a presença de álcool, devido à mudança da cor para verde, conforme equação abaixo. A mudança de cor ocorre pela diferença do número de oxidação, observada na reação, que indica o número de elétrons que um átomo ou íon perde ou ganha para adquirir estabilidade química. Equação:  2 2 7 2 4 3 2 2 4 2 3 2 43 Alaranjada incolor incolorVerde K Cr O 4H SO 3CH CH OH Cr SO 7H O 3CH CHO K SO      Os números de oxidação identificados nas espécies químicas responsáveis pela mudança de coloração são, respectivamente, a) 6+ e 3+. b) 6- e 3-. c) 1+ e 2-. d) 5+ e 2+. e) 5- e 2-. 2. (Mackenzie 2014) A respeito da equação iônica de oxirredução abaixo, não balanceada, são feitas as seguintes afirmações: 2 3 3 2 4 2IO HSO I SO H H O         I. a soma dos menores coeficientes inteiros possível para o balanceamento é 17. II. o agente oxidante é o ânion iodato. III. o composto que ganha elétrons sofre oxidação. IV. o Nox do enxofre varia de +5 para +6. Das afirmações acima, estão corretas somente a) II e III. b) I e II. c) I e III. d) II e IV. e) I e IV. 3. (Espcex (Aman) 2013) Dada a seguinte equação iônica de oxidorredução da reação, usualmente utilizada em etapas de sínteses químicas, envolvendo o íon dicromato  2 2 7Cr O  e o ácido oxálico  2 2 4H C O : 2 3 2 7 2 2 4 2 2Cr O H C O H Cr CO H O        Considerando a equação acima e o balanceamento de equações químicas por oxidorredução, a soma total dos coeficientes mínimos e inteiros obtidos das espécies envolvidas e a substância que atua como agente redutor são, respectivamente, a) 21 e ácido oxálico. b) 26 e dicromato. c) 19 e dicromato. d) 27 e ácido oxálico. e) 20 e hidrogênio. 4. (Upe-ssa 3 2016) Em um estaleiro, o casco de aço de um navio foi totalmente recoberto com novas placas de magnésio metálico.
  • 2. LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016 2 Dados: 2 0 (s) (aq) red 2 0 (s) (aq) red Mg Mg 2e E 2,37 V Fe Fe 2e E 0,44 V           Sobre esse tipo de processo, qual alternativa está CORRETA? a) O magnésio possui menor poder de redução que o principal constituinte da estrutura do navio, por isso é "sacrificado" para protegê-la. b) O magnésio ganha elétrons para o ferro, que se mantém protegido, mesmo que exposto ao ar, pois a reação de oxirredução continua. c) O revestimento de magnésio funciona como um anodo em um circuito de eletrólise, evitando que o ferro se envolva em processos de oxirredução. d) O metal de sacrifício vai reagir com a água do mar, protegendo o ferro da mesma forma que as tintas antiferrugem existentes no mercado da construção civil. e) A reação que ocorre na presença do metal de sacrifício é denominada de pilha eletroquímica, uma vez que a diferença de potencial entre os reagentes é negativa. 5. (Enem 2015) A calda bordalesa é uma alternativa empregada no combate a doenças que afetam folhas de plantas. Sua produção consiste na mistura de uma solução aquosa de sulfato de cobre(II), 4CuSO , com óxido de cálcio, CaO, e sua aplicação só deve ser realizada se estiver levemente básica. A avaliação rudimentar da basicidade dessa solução é realizada pela adição de três gotas sobre uma faca de ferro limpa. Após três minutos, caso surja uma mancha avermelhada no local da aplicação, afirma-se que a calda bordalesa ainda não está com a basicidade necessária. O quadro apresenta os valores de potenciais padrão de redução 0 (E ) para algumas semirreações de redução. Semirreação de redução 0 E (V) 2 Ca 2 e Ca    2,87 3 Fe 3 e Fe    0,04 2 Cu 2 e Cu    0,34 Cu e Cu    0,52 3 2 Fe e Fe     0,77 MOTTA, I. S. Calda bordalesa: utilidades e preparo. Dourados: Embrapa, 2008 (adaptado). A equação química que representa a reação de formação da mancha avermelhada é: a) 2 2 (aq) (aq) (s) (aq)Ca 2 Cu Ca 2 Cu .      b) 2 2 3 (aq) (aq) (s) (aq)Ca 2 Fe Ca 2 Fe .      c) 2 2 3 (aq) (aq) (s) (aq)Cu 2 Fe Cu 2 Fe .      d) 2 3 (aq) (s) (s) (aq)3 Ca 2 Fe 3 Ca 2 Fe .     e) 2 3 (aq) (s) (s) (aq)3 Cu 2 Fe 3 Cu 2 Fe .     6. Os milhões de veículos automotores que circulam nas grandes metrópoles liberam, na atmosfera, os gases SO2 e NO. A equação abaixo representa a produção do NO a partir do SO2. SO2 + HNO3 + H2O  H2SO4 + NO Com base nessa reação, nos conhecimentos sobre reações químicas, pode-se afirmar:
  • 3. LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016 3 01) O HNO3 é agente redutor. 02) Cada átomo de nitrogênio ganha 3 elétrons. 03) O elemento químico enxofre é reduzido. 04) A água é agente redutor. 05) No SO2 o enxofre apresenta o maior NOx para o seu grupo. 7. A água oxigenada é uma importante substância da química. Ela pode participar de uma série de reações: em algumas agindo como oxidante, em outras como redutora. Um exemplo de reação envolvendo a água oxigenada é: H2O2 + KMnO4 + H3PO4  K3PO4 + Mn3(PO4)2 + H2O + O2 Após o balanceamento da equação por oxirredução e com os menores coeficientes inteiros possíveis, pode-se afirmar que a soma dos coeficientes dos reagentes é: 01) 21 02) 23 03) 25 04) 27 05) 29 8. As reações químicas de oxirredução são importantes no nosso cotidiano; muitas delas fazem parte das funções vitais dos organismos de plantas e animais, como a fotossíntese e a respiração. O cromo trivalente é reconhecido atualmente como um elemento essencial no metabolismo de carboidratos e lipídeos, sendo que sua função está relacionada ao mecanismo de ação da insulina. Ao contrário do íon trivalente, no estado de oxidação VI o cromo é classificado como composto mutagênico e carcinogênico em animais. A equação química, não balanceada, apresenta a reação do cromo (VI) com a glicose, em meio ácido: K2Cr2O7 + C6H12O6 + H2SO4  Cr2(SO4)3 + K2SO4 + CO2 + H2O O coeficiente estequiométrico da água dessa equação química balanceada com os menores coeficientes inteiros possíveis é igual a: 01) 20 02) 21 03) 22 04) 42 05) 44 9. (Uece 2015) O conhecimento dos conceitos de oxidação e redução é de fundamental importância no estudo da biologia molecular associado à fotossíntese e à respiração, na redução de minerais para a obtenção de metais, em cálculos estequiométricos, na prevenção da corrosão e no estudo da eletroquímica. Dada a equação não balanceada, 2 3 3 2 3 4 2 4As S HNO H O H AsO H SO NO,     marque a única afirmação verdadeira.
  • 4. LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016 4 a) Representa uma reação de auto-oxirredução. b) Indica uma reação de oxidorredução parcial. c) Dois elementos sofrem oxidação e um elemento sofre redução. d) Quando balanceada, a soma de seus coeficientes é 76. 10. (Fgv 2015) As fosfinas, 3PH , são precursoras de compostos empregados na indústria petroquímica, de mineração e hidrometalurgia. Sua obtenção é feita a partir do fósforo elementar, em meio ácido, sob elevada pressão, e a reação se processa de acordo com 4 2 3 3 4P H O PH H PO   A soma dos menores valores inteiros dos coeficientes estequiométricos dessa equação corretamente balanceada é igual a a) 10. b) 11. c) 15. d) 22. e) 24. 11.O cloro é empregado para potabilizar a água de consumo dissolvendo-o nela. Também é usado como oxidante, branqueador e desinfetante. É gasoso e muito tóxico (neurotóxico), foi usado como gás de guerra na Primeira e na Segunda Guerra Mundial. Ele pode ser obtido, de acordo com a reação não-balanceada: 2 2 2 2MnO HC MnC H O C    Os coeficientes (menores números inteiros possíveis) que tornam a reação balanceada são, respectivamente, iguais a a) 1; 2;1;1;1. b) 1; 4;1; 2;1. c) 2; 6; 2;1;1. d) 2; 8; 2;1; 2. 12. (Ifsc 2015) A figura a seguir representa uma pilha com os respectivos potenciais de redução. 0 E 0,34V  2 (aq) (s)Ni 2e Ni   0 E 0,25V  2 (aq) (s)Cu 2e Cu  
  • 5. LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016 5 Sobre as pilhas, leia e analise as seguintes proposições e assinale a soma da(s) CORRETA(S). 01) Uma pilha é o emprego controlado de reações espontâneas de óxido-redução, gerando corrente elétrica. 02) Em uma pilha os elétrons são transferidos do cátodo para o ânodo. 04) Na pilha apresentada, o cobre atua como agente oxidante. 08) A pilha acima gera uma voltagem de 90 milivolts. 16) Em todas as pilhas o ânodo corresponde ao polo positivo, ou seja, polo onde ocorre a reação de oxidação. 32) O níquel sofre redução na pilha apresentada. 13. (Mackenzie 2016) Em instalações industriais sujeitas à corrosão, é muito comum a utilização de um metal de sacrifício, o qual sofre oxidação mais facilmente que o metal principal que compõe essa instalação, diminuindo, portanto eventuais desgastes dessa estrutura. Quando o metal de sacrifício encontra-se deteriorado, é providenciada sua troca, garantindo-se a eficácia do processo denominado proteção catódica. Considerando uma estrutura formada predominantemente por ferro e analisando a tabela abaixo que indica os potenciais-padrão de redução red(E ) de alguns outros metais, ao ser eleito um metal de sacrifício, a melhor escolha seria Metal Equação da semirreação Potenciais-padrão de redução red(E ) Magnésio 2 (aq) (s)Mg 2e Mg   2,38 V Zinco 2 (aq) (s)Zn 2e Zn   0,76 V Ferro 2 (aq) (s)Fe 2e Fe   0,44 V Chumbo 2 (aq) (s)Pb 2e Pb   0,13 V Cobre 2 (aq) (s)Cu 2e Cu   0,34 V Prata (aq) (s)Ag e Ag   0,80 V a) o magnésio. b) o cobre. c) o ferro. d) o chumbo. e) a prata. 14. (Upf 2015) Na pilha de Daniell, ocorre uma reação de oxirredução espontânea, conforme representado esquematicamente na figura abaixo. Considerando a informação apresentada, analise as afirmações a seguir.
  • 6. LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016 6 I. Na reação de oxirredução espontânea, representada na pilha de Daniell, a espécie que se oxida, no caso o (s)Zn , transfere elétrons para a espécie que sofre redução, os íons 2 (aq)Cu . II. O (s)Zn sofre redução, transferindo elétrons para os íons 2 (aq)Cu  que sofrem oxidação. III. Para que ocorra a reação de oxirredução espontânea, o potencial de redução do eletrodo de cobre deve ser maior do que o do eletrodo de zinco. IV. A placa de (s)Zn sofre corrosão, tendo sua massa diminuída, e sobre a placa de cobre ocorre depósito de cobre metálico. V. A concentração de íons 2 (aq)Cu  aumenta, e a concentração de íons 2 (aq)Zn  diminui em cada um dos seus respectivos compartimentos. Está correto apenas o que se afirma em: a) I, III e IV. b) II e V. c) I, II e V. d) III, IV e V. e) II e III. 15. (Unesp 2016) Nas últimas décadas, o dióxido de enxofre 2(SO ) tem sido o principal contaminante atmosférico que afeta a distribuição de liquens em áreas urbanas e industriais. Os liquens absorvem o dióxido de enxofre e, havendo repetidas exposições a esse poluente, eles acumulam altos níveis de sulfatos 2 4(SO ) e bissulfatos 4(HSO ), o que incapacita os constituintes dos liquens de realizarem funções vitais, como fotossíntese, respiração e, em alguns casos, fixação de nitrogênio. (Rubén Lijteroff et al. Revista Internacional de contaminación ambiental, maio de 2009. Adaptado.) Nessa transformação do dióxido de enxofre em sulfatos e bissulfatos, o número de oxidação do elemento enxofre varia de __________ para __________, portanto, sofre __________. As lacunas desse texto são, correta e respectivamente, preenchidas por: a) 4; 6 e redução. b) 4; 6 e oxidação. c) 2; 4 e redução. d) 2; 4 e oxidação. e) 2; 4 e oxidação.
  • 7. LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016 7 16. (Enem 2014) A aplicação excessiva de fertilizantes nitrogenados na agricultura pode acarretar alterações no solo e na água pelo acúmulo de compostos nitrogenados, principalmente a forma mais oxidada, favorecendo a proliferação de algas e plantas aquáticas e alterando o ciclo do nitrogênio, representado no esquema. A espécie nitrogenada mais oxidada tem sua quantidade controlada por ação de microrganismos que promovem a reação de redução dessa espécie, no processo denominado desnitrificação. O processo citado está representado na etapa a) I. b) II. c) III. d) IV. e) V. Resposta da questão 1: [A] Resposta da questão 2: [B] Resposta da questão 3: [D] Resposta da questão 4: [A] Resposta da questão 5: [E] Resposta da questão 6: [02] Resposta da questão 7: [04] Resposta da questão 8: [SALA] Resposta da questão 9: [C] Resposta da questão 10: [D] Resposta da questão 11: [B] Resposta da questão 12: [01 + 04 = 05] Resposta da questão 13: [A] Resposta da questão 14:
  • 8. LISTA NOX / ELETROQUÍMICA – FINAL 2 ANO 2016 8 [A] Resposta da questão 15: [B] Resposta da questão 16: [E]