SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof.Rodriguinho
1 EletroQUÍMICA de boa!
Questão 01
Uma bateria comum produz tensão, ou diferença de potencial elétrico, quando duas soluções salinas
com cargas elétricas diferentes são separadas dentro de uma célula eletroquímica. Cargas opostas se
atraem e o movimento resultante cria uma corrente elétrica.
(Adaptado de Scientific American Brasil. Setembro 2007. p. 36)
Nas baterias recarregáveis do tipo níquel-cádmio, o cátodo é coberto de hidróxido de níquel e o ânodo,
coberto de material sensível ao cádmio. Ambos são isolados por um separador, imersos, geralmente,
numa solução de hidróxido de potássio (KOH). A reação global que representa a descarga dessa bateria,
acompanhada da tensão elétrica padrão, é representada por:
Dados:
Potenciais padrão de redução, E
o
(V):
NiO2(s) + 2H2O + 2e
–
→ Ni(OH)2(s) + 2OH
–
E = +0,49
Cd(OH)2(s) + 2e
–
→ Cd(s) + 2OH(aq) E = –0,76
a) NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s) → Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s); Eº = –1,25 V
b) NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s) → Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s); Eº = +1,25 V
c) NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s) → Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s); Eº = +2,50 V
d) Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s) → NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s); Eº = +1,25 V
e) Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s) → NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s); Eº = –2,50 V
Questão 02
Jeremy Nicholson, ao estudar a absorção do cádmio, um metal que provoca câncer, pelas células
vermelhas do sangue, observou os metabólitos – assinaturas de todas as reações químicas que ocorrem
no organismo. Descobriu, também, que os microrganismos do intestino representam um papel crucial
na saúde e nas doenças humanas.
(Adaptado de Jeremy Nicholson. Scientific American. Brasil. Agosto, 2007)
O metal cádmio, apesar de ser cancerígeno, é utilizado como revestimento de certos parafusos. Mas não
pode ser utilizado próximo de outros metais capazes de oxidá-lo. Das espécies químicas da tabela, não
se deve utilizar próximo de parafusos de cádmio;
Considere a seguinte tabela de potenciais padrão de redução:
Semirreações E
o
(V)
Al
3+
+ 3e
–
→ Al –1,67
Fe
2+
+ 2e
–
→ Fe –0,44
Cd
2+
+ 2e
–
→ Cd –0,40
Co
2+
+ 2e
–
→ Co –0,28
H
+
+ e
–
→ ½ H2 0,0
a) Al
3+
e Fe
2+
b) Fe
2+
e Co
2+
c) Fe
2+
e H
+
d) Co
2+
e Al
3+
e) Co
2+
e H
+
Questão 03
Recifes de corais artificiais estão sendo usados para acelerar o processo de restauração dos recifes
naturais. Para isso, a Biorock Inc. utiliza armações de aço que são energizadas por uma corrente elétrica
de baixa voltagem. Isto faz com que os minerais da água do mar nelas se prendam, formando uma fina
camada de calcário. Desse modo, pode-se prender pequenos pedaços de coral nas armações, que ficam
seguras devido ao calcário acumulado.
(BBC Knowledge, out. de 2009, p. 9)
Prof.Rodriguinho
2 EletroQUÍMICA de boa!
A armação de aço, citada no texto, é utilizada para
a) impedir a captura de elétrons pelos íons da água do mar.
b) que os íons do aço aumentem a condutibilidade elétrica da água do mar.
c) usar matéria-prima de recursos renováveis.
d) que os corais se alimentem do ferro contido no aço.
e) permitir boa condução de eletricidade por toda a estrutura metálica.
Questão 04
Recifes de corais artificiais estão sendo usados para acelerar o processo de restauração dos recifes
naturais. Para isso, a Biorock Inc. utiliza armações de aço que são energizadas por uma corrente elétrica
de baixa voltagem. Isto faz com que os minerais da água do mar nelas se prendam, formando uma fina
camada de calcário. Desse modo, pode-se prender pequenos pedaços de coral nas armações, que ficam
seguras devido ao calcário acumulado.
(BBC Knowledge, out. de 2009, p. 9)
Considerando uma corrente elétrica de 1,0 Ma (1.10
-3
A), o tempo gasto, em segundos, para depositar
20 g de Ca
+2
, considerando somente esta reação no cátodo, é, aproximadamente,
Dados:
Constante de Faraday: 9,65 × 10
4
C mol
−1
Massa molar (g mol
−1
): Ca = 40,0
a) 9,7 × 10
7
b) 1,0 × 10
6
c) 9,0 × 10
5
d) 15 × 10
5
e) 19 × 10
3
QUESTÃO 05
A expressão “célula a combustível” designa um novo conceito de geração de energia. Em princípio, é
uma bateria de funcionamento contínuo que produz corrente contínua, por meio da combustão
eletroquímica, a frio, de um combustível gasoso.
Um esquema simplificado de uma célula a combustível de H2 / O2 é:
Quando os eletrodos A e B estão em equilíbrio, Ε°red = 0,00 V, para A, e Ε°red = 1,23 V, para B, sendo
Ε°red o potencial padrão de redução. Nesta célula combustível, o processo é;
DADO: Sabendo-se que a reação global de tal célula possui ΔH° = –286 KJ/mol, a 25°C,
a) não espontâneo que absorve calor.
b) espontâneo que absorve calor.
c) não espontâneo que libera calor.
d) espontâneo que libera calor.
e) espontâneo sem haver trocar de calor.
Prof.Rodriguinho
3 EletroQUÍMICA de boa!
Questão 06
A expressão “célula a combustível” designa um novo conceito de geração de energia. Em princípio, é
uma bateria de funcionamento contínuo que produz corrente contínua, por meio da combustão
eletroquímica, a frio, de um combustível gasoso.
Um esquema simplificado de uma célula a combustível de H2 / O2 é:
Considerando-se o esquema anterior, a opção de resposta que descreve o sentido do fluxo de elétrons
no instante em que o circuito é fechado e a diferença de potencial ΔΕ°, em condições-padrão, é:
a) de A para B, e ΔΕ° = +1,23 V.
b) de B para A, e ΔΕ° = +0,66 V.
c) de A para B, e ΔΕ° = –0,66 V.
d) de B para A, e ΔΕ° = –1,23 V
e) de A para B, e ΔΕ° = –2,46 V
Questão 07
As células galvânicas comerciais, que conhecemos como baterias, são no momento objeto de pesquisa
entre os cientistas, que veem seu potencial para resolver problemas de meio ambiente, saúde,
comunicação e transporte. Entre elas, encontra-se a célula de sódio e enxofre, cuja aplicação mais
comum é em veículos elétricos. Esta é uma das baterias mais surpreendentes. Possui reagentes líquidos
(sódio e enxofre) e eletrólito sólido (uma cerâmica porosa de óxido de alumínio). Esta bateria é a fonte
de energia do Ecostar, o carro elétrico da Ford. A reação global de descarga de uma bateria de sódio e
enxofre pode ser representada por:
16 Na(l) + S8(l) → 16 Na
+
(solução) + 8 S
2−
(solução)
Nesta reação,
a) o sódio não apresenta variação de nox.
b) o sódio é o agente oxidante.
c) o enxofre sofre oxidação.
d) o material do cátodo é constituído do metal sódio.
e) o enxofre recebe elétrons do sódio.
QUESTÃO 08
As naves espaciais utilizam pilhas de combustível, alimentadas por oxigênio e hidrogênio, as quais, além
de fornecerem a energia necessária para a operação das naves, produzem água, utilizada pelos
tripulantes. Essas pilhas usam, como eletrólito, o KOH(aq), de modo que todas as reações ocorrem em
meio alcalino. A troca de elétrons se dá na superfície de um material poroso. Um esquema dessas pilhas,
com o material poroso representado na cor cinza, é apresentado a seguir.
Prof.Rodriguinho
4 EletroQUÍMICA de boa!
Escrevendo as equações das semirreações que ocorrem nessas pilhas de combustível, verifica-se que,
nesse esquema, as setas com as letras a e b indicam, respectivamente, o sentido de movimento dos
a) íons OH
–
e dos elétrons.
b) elétrons e dos íons OH
–
.
c) íons K
+
e dos elétrons.
d) elétrons e dos íons K
+
.
e) elétrons e dos íons H
+
.
Questão 09
Baterias de níquel-hidreto metálico, MH, são empregadas em aparelhos eletrônicos como telefones,
máquinas fotográficas etc. Considere que a reação global desse tipo de bateria seja
MH + NiO(OH) → M + Ni(OH)2
com uma diferença de potencial de saída de 1,35 V. Teoricamente, a tensão mínima, em volts, que se
deve aplicar para recarregar essa bateria é de:
a) –0,5
b) –1,0
c) +0,5
d) +1,0
e) +1,5
Questão 10
Em que pese o risco acarretado pela utlização do chumbo, que é tóxico, a bateria usada em automóveis,
inventada pelo francês Gaston Piantei em 1860, ainda é considerada bastante segura e
economicamente viável. Ela é uma associação de pilhas ligadas em série em cujo interior ocorrem as
reações:
• 2 H2SO4(l) + 2 H2O(l) → 2 HSO4
–
(aq) + 2 H3O
+
(aq)
• Pb(s) + HSO4
–
(aq) + H2O(l) → PbSO4(s) + H3O
+
(aq) + 2 e
–
• PbO2(s) + 3 H3O
+
(aq) + HSO4
–
(aq) + 2e
–
→ PbSO4(s) + 5H2O(l)
Sobre a bateria de automóvel um estudante escreveu as seguintes considerações:
I. O ânodo é o chumbo e o cátodo é o dióxido de chumbo.
II. Quando a bateria descarrega, a densidade da solução aumenta.
III. No ânodo ocorre a redução do chumbo.
IV. Ao ser carregada, o sulfato de chumbo se transforma em chumbo e dióxido de chumbo.
Prof.Rodriguinho
5 EletroQUÍMICA de boa!
É correto o que se afirma apenas em
a) I e II.
b) II e III.
c) II e IV.
d) I e IV.
e) III e IV
Questão 11
Na produção de alumínio, uma indústria utiliza 15 cubas eletrolíticas em série. Sabendo que a corrente
aplicada é 120 kA, qual a massa, em kg, de alumínio produzida por hora?
Dados: Constante de Faraday (F) = 96 500 C · ; Massa molar Al = 27,0 g · .
a) 604.
b) 201.
c) 1812.
d) 400.
e) 150.
Questão 12
O escurecimento de objetos de prata, como baixelas e talheres, é muito comum. Ao se cozinhar
demasiadamente os ovos, as proteínas da clara, que contêm átomos de enxofre, liberam o ácido
sulfídrico, que na forma gasosa e na presença de oxigênio, na água de cozimento, pode levar à oxidação
do objeto de prata, com formação de uma fina camada insolúvel de sulfeto de prata (Ag2S). O mesmo
ocorre quando se cozinha alimentos como o repolho, que contém compostos sulfurados como a
cisteína, estrutura representada na figura, que sofre decomposição durante o cozimento, liberando o
H2S. As principais reações envolvidas nesse fenômeno são apresentadas nas equações:
Ag2S(s) + 2e
–
2 Ag(s) + S
2–
(aq) E
o
= – 0,69 V
O2(g) + 4 H
+
(aq) + 4e
–
2 H2O(l) E
o
= + 1,23 V
(www.qnesc.sbq.org.br/online/qnesc30/11-EEQ-4407.pdf. Adaptado)
A diferença de potencial (ddp) para a reação global que representa o fenômeno do escurecimento dos
objetos de prata tem valor igual a
a) – 2,61 V.
b) – 1,92 V.
c) + 0,54 V.
d) + 1,92 V.
e) + 2,61 V.
Questão 13
Prof.Rodriguinho
6 EletroQUÍMICA de boa!
O etanol pode ser utilizado como combustível em Células a Combustível de Etanol Direto (CCED). A CCED
é uma célula galvânica que utiliza a oxidação de etanol no anodo e a redução de oxigênio no catodo
para gerar energia elétrica, conforme as reações abaixo:
Anodo: CH3CH2OH + 3 H2O → 12 e
–
+ 12 H
+
+ 2 CO2
Catodo: 3 O2 + 12 e
–
+ 12 H
+
→ 6 H2O
Global: CH3CH2OH + 3 O2 → 2 CO2 + 3 H2O
Caso uma CCED tenha 40% de eficiência na conversão de energia química em energia elétrica, qual a
quantidade de matéria (mol) de etanol mínima para que essa célula mantenha funcionando um
computador portátil, que consome 2,8 A de corrente, por um período de 10h?
Dados:
F = 100.000 C mol
–1
a) 2,3 × 10
5
b) 3,4 × 10
3
c) 2,8 × 10
2
d) 2,1 × 10
–1
e) 3,4 × 10
–2
Questão 14
O ferro é um dos metais mais abundantes do planeta, e devido à facilidade de redução dos seus
minérios é um dos mais baratos, tendo por isso larga aplicação na construção civil, indústria automotiva,
em eletrodomésticos etc. No entanto, sofre com o problema da corrosão, sendo necessária a utilização
de estratégias para evitar esse processo.
Uma das técnicas empregadas é a utilização de metais de sacrifício que, em contato com o ferro
impedem sua oxidação. Considere os dados referentes aos potenciais de redução de alguns metais:
Fe
2+
+ 2 e
–
→ Feº Eº = – 0,44 V
Mg
2+
+ 2 e
–
→ Mgº Eº = – 2,37 V
Cu
2+
+ 2 e
–
→ Cuº Eº = + 0,34 V
Pode-se afirmar que
a) o ferro será melhor protegido pelo cobre, que possui um potencial de redução maior que o do
ferro.
b) o ferro será melhor protegido pelo magnésio, que possui maior tendência a reduzir do que o
ferro.
c) nenhum dos metais oferece proteção ao ferro, que será oxidado em presença de qualquer um
deles.
d) o magnésio, tendo um potencial de redução menor que o do ferro, sofrerá oxidação mais
facilmente, protegendo o ferro da oxidação.
e) os dois metais protegem o ferro, pois o mesmo possui um potencial de redução intermediário.
Questão 15
O mar contribui com a maior parte da produção industrial de magnésio metálico. O elemento é
precipitado como Mg(OH)2. Em seguida, esse material é convertido em MgCl2, pela reação com HCl. O
cloreto de magnésio seco é misturado a outros sais para que possa ser fundido e, então, sofrer eletrólise
Prof.Rodriguinho
7 EletroQUÍMICA de boa!
para obtenção do metal. Supondo que o rendimento seja 100%, para cada tonelada de magnésio
metálico produzido por eletrólise, a carga elétrica necessária, em faradays, é
Dados:
1 faraday = carga elétrica de 1 mol de elétrons
Massa molar do Mg = 24 g/mol
a) 2.
b) 8 x 10
4
.
c) 2 x 10
6
.
d) 1 x 10
24
.
e) 5 x 10
28
.
Questão 16
A eletrólise é um processo que separa, na cela eletrolítica, os elementos químicos de uma substância,
através do uso da eletricidade. Esse processo é um fenômeno físico-químico de reação de oxirredução
não espontânea. Uma importante aplicação industrial da eletrólise é a obtenção de sódio metálico, com
eletrodos inertes, a partir de cloreto de sódio fundido.
A respeito desse processo industrial, é correto afirmar que além da obtenção do sódio metálico,
também se observa a formação
a) de hidróxido de sódio fundido, basificando a cela eletrolítica
b) de moléculas de gás cloro no ânodo e de gás hidrogênio no cátodo.
c) de moléculas de gás cloro no ânodo da cela eletrolítica.
d) de moléculas de gás hidrogênio no cátodo da cela eletrolítica.
e) de moléculas de gás oxigênio no cátodo da cela eletrolítica.
Questão 17
A primeira pilha elétrica produzida pelo italiano Alessandro Volta em 1800 consistia em discos de Zn e
Ag metálicos, separados por discos de papelão molhados com solução aquosa de cloreto de sódio.
Desde então, vários outros modelos e combinações de elementos foram sendo propostos. Uma das
pilhas mais simples é a de Daniell, a qual é obtida da montagem adequada das semicélulas Cu
2+
/ Cu
0
e
Zn
2+
/ Zn
0
.
Considerando as informações, assinale a alternativa correta.
a) O potencial padrão da pilha é de -1,10 v.
b) O potencial padrão da pilha é de 0,76 v.
c) O anodo de cobre tem polaridade negativa.
d) O potencial E
o
(Cu/Cu
2+
) é 0,34 v.
e) O anodo é formado pela semicélula do zinco.
Questão 18
Prof.Rodriguinho
8 EletroQUÍMICA de boa!
Para a proteção contra corrosão de tubos metálicos, é comum o uso de eletrodos de sacrifício (blocos
metálicos conectados à tubulação). Esses blocos metálicos formam com a tubulação uma célula
eletroquímica que atua como ânodo de sacrifício, fornecendo elétrons aos tubos metálicos para impedir
sua corrosão, conforme representado na figura abaixo.
Semirreação de redução E°(V)
Zn
2+
(aq) + 2e
–
→ Zn(s) –0,76
Fe
2+
(aq) + 2e
–
→ Fe(s) –0,44
Cu
2+
(aq) + 2e
–
→ Cu(s) +0,34
Ag
+
(aq) + e
–
→ Ag(s) +0,80
Usando a tabela de potenciais-padrão de redução, considere as seguintes afirmativas:
1. A reação química que ocorre no ânodo de sacrifício é a reação de oxidação.
2. Se a tubulação (metal 1) for de ferro, o ânodo de sacrifício (metal 2) pode ser feito de zinco.
3. Se a tubulação (metal 1) for de cobre, o ânodo de sacrifício (metal 2) pode ser feito de prata.
4. O metal usado no eletrodo de sacrifício será o agente redutor na reação eletroquímica.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira.
b) Somente a afirmativa 3 é verdadeira.
c) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeira
Questão 19
Uma tubulação de aço enterrada em solo de baixa resistividade elétrica é protegida catodicamente
contra corrosão, pela aplicação de corrente elétrica proveniente de um gerador de corrente contínua.
Considere os seguintes parâmetros:
I. Área da tubulação a ser protegida: 480 m
2
;
II. Densidade de corrente de proteção: 10 mA/m
2
Considere que a polaridade do sistema de proteção catódica seja invertida pelo período de 1 hora.
Assinale a opção que expressa a massa, em gramas, de ferro consumida no processo de corrosão,
calculada em função de íons Fe
2+
(aq). Admita que a corrente total fornecida pelo gerador será consumida
no processo de corrosão da tubulação.
a) 1 × 10
–3
b) 6 × 10
–2
c) 3 × 10
–1
d) 5
e) 20
Questão 20
A corrosão é um processo de oxidorredução que ocorre em metais. Este problema é frequentemente
observado em canalizações de água e lataria de automóveis. Em automóveis, por exemplo, a lataria
(constituída de ferro) é oxidada facilmente quando exposta à maresia. A corrosão pode ser evitada pelo
uso de revestimentos de proteção, como tintas, graxas ou alguns metais de sacrifício, tornando a lataria
mais resistente ao processo oxidativo. A tabela a seguir apresenta as semirreações e o potencial padrão
(E
0
) para cinco metais.
Prof.Rodriguinho
9 EletroQUÍMICA de boa!
De acordo com os dados apresentados, conclui-se que os metais mais indicados para proteger o ferro e,
consequentemente, retardar sua corrosão são:
a) Mg e Pb
b) Mg e Zn
c) Zn e Pb
d) Sn e Mg
e) Sn e Pb
Questão 21
A energia que consumimos em nossos organismos pode ser representada como sendo oriunda da
respiração, através da reação da glicose com o oxigênio, na seguinte reação: C6(H2O)6 + 6 O2 6 CO2 + 6
H2O. Se a mesma reação fosse realizada em uma célula eletroquímica, poderíamos dizer que:
a) o carbono atua como agente oxidante.
b) o oxigênio molecular estaria no cátodo.
c) o número de elétrons transferidos por mol de glicose é 6.
d) o número de oxidação do carbono na glicose é –4.
e) o hidrogênio atua como agente redutor.
Questão 22
As medalhas olímpicas não são de ouro, prata ou bronze maciços, mas sim peças de metal submetidas a
processos de galvanoplastia que lhes conferem as aparências características, graças ao revestimento
com metais nobres.
Este processo supracitado:
a) é espontâneo e gera energia elétrica no revestimento das peças metálicas, além de ser
ambientalmente correto.
b) consiste em revestir a superfície de uma peça metálica com uma fina camada de outro metal,
por meio de eletrólise aquosa de seu sal.
c) É um fenômeno físico, pois, no revestimento da peça metálica, ocorrem fenômenos que não
alteram a estrutura do material.
d) É realizado de modo que a peça submetida ao revestimento metálico atuará como ânodo e
será o eletrodo de sinal positivo.
e) é um processo eletroquímico semelhante ao funcionamento de uma pilha capaz de converter
energia química em elétrica.
Questão 23
Prof.Rodriguinho
10 EletroQUÍMICA de boa!
Baterias de íon-lítio empregam o lítio na forma iônica, que está presente no eletrólito pela dissolução de
sais de lítio em solventes não aquosos. Durante o processo de descarga da bateria, os íons lítio
deslocam-se do interior da estrutura que compõe o anodo (grafite) até a estrutura que compõe o
catodo (CoO2), enquanto os elétrons se movem através do circuito externo (figura).
Circuito externo.
Neste processo, o cobalto sofre uma alteração representada pela equação a seguir.
CoO2(s) + 1Li
+
(solv) + 1e
–
→ LiCoO2(s)
Com base no enunciado, assinale a alternativa correta.
a) Durante a descarga, o número de oxidação do cobalto aumenta.
b) O cobalto recebe elétrons, para haver a recarga da bateria.
c) No catodo, o cobalto é reduzido durante a descarga.
d) O íon de lítio se desloca para o catodo, durante a descarga, devido à atração magnética.
e) O solvente utilizado entre os polos deve ser um líquido orgânico apolar.
Questão 24
Energia portátil é o que podemos dizer de uma das maiores invenções da humanidade: a pilha elétrica.
Desenvolvida em 1800 por Alessandro Volta, a pilha é um dispositivo que transforma espontaneamente
a energia química armazenada nas ligações em energia elétrica. Sendo a primeira fonte de corrente
contínua desenvolvida pelo homem, permitiu a realização de um outro processo importante: a
eletrólise. Foi somente com o advento dessa técnica que se conseguiu isolar os metais alcalinos e
alcalino-terrosos (o sódio, por exemplo, foi isolado por Sir Humphry Davy em 1807, e o magnésio, em
1808, pelo mesmo cientista).
Na eletrólise ígnea do cloreto de magnésio (MgCl2), a reação que ocorre no cátodo pode ser
representada por
a) 2 Cl
–
→ Cl2 + 2 e
–
.
b) Mg → Mg
2+
+ 2 e
–
.
c) Cl2 + 2 e
–
→ 2 Cl
–
.
d) Mg
2+
+ 2 e
–
→ Mg.
e) 2 Mg
+
+ 2 e
–
→ Mg2.
Prof.Rodriguinho
11 EletroQUÍMICA de boa!
Questão 25
Na década de 1780, o médico italiano Luigi Galvani realizou algumas observações, utilizando rãs
recentemente dissecadas. Em um dos experimentos, Galvani tocou dois pontos da musculatura de uma
rã com dois arcos de metais diferentes, que estavam em contato entre si, observando uma contração
dos músculos, conforme mostra a figura:
Interpretando essa observação com os conhecimentos atuais, pode-se dizer que as pernas da rã
continham soluções diluídas de sais. Pode-se, também, fazer uma analogia entre o fenômeno observado
e o funcionamento de uma pilha.
Considerando essas informações, foram feitas as seguintes afirmações:
I. Devido à diferença de potencial entre os dois metais, que estão em contato entre si e em contato com
a solução salina da perna da rã, surge uma corrente elétrica.
II. Nos metais, a corrente elétrica consiste em um fluxo de elétrons.
III. Nos músculos da rã, há um fluxo de íons associado ao movimento de contração.
Está correto o que se afirma em
a) I, apenas.
b) III, apenas.
c) I e II, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.
GABARITO:
1) B
2) E
3) E
4) A
5) D
6) A
7) E
8) B
9) E
10) D
11) A
12) D
Prof.Rodriguinho
12 EletroQUÍMICA de boa!
13) D
14) D
15) B
16) C
17) E
18) E
19) D
20) B
21) B
22) B
23) C
24) D
25) E

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Atividades sobre sustentabilidade
Atividades sobre sustentabilidadeAtividades sobre sustentabilidade
Atividades sobre sustentabilidade
Giselda morais rodrigues do
 
Identidade e Alteridade
Identidade e AlteridadeIdentidade e Alteridade
Identidade e Alteridade
Paula Meyer Piagentini
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
Paula Meyer Piagentini
 
Eja ciências biologia
Eja   ciências biologiaEja   ciências biologia
Eja ciências biologia
Edilson Silva
 
Atividades Revolução Francesa Charges
Atividades Revolução Francesa ChargesAtividades Revolução Francesa Charges
Atividades Revolução Francesa Charges
Doug Caesar
 
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia - Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
Miro Santos
 
Plano de aula Queimada
Plano de aula Queimada Plano de aula Queimada
Plano de aula Queimada
Diógenes Gomes
 
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Experimento sobre densidade
Experimento sobre densidadeExperimento sobre densidade
Experimento sobre densidade
Heitor Rodrigues
 
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Edenilson Morais
 
Avaliaçao sociologia 2º ano
Avaliaçao sociologia 2º anoAvaliaçao sociologia 2º ano
Avaliaçao sociologia 2º ano
ananiasdoamaral
 
A criança e a hora cívica por simone drumond
A criança e a hora cívica por simone drumondA criança e a hora cívica por simone drumond
A criança e a hora cívica por simone drumond
SimoneHelenDrumond
 
Semana 1 - Luz e Tecnologia.pptx
Semana 1 - Luz e Tecnologia.pptxSemana 1 - Luz e Tecnologia.pptx
Semana 1 - Luz e Tecnologia.pptx
PriTangerino
 
Questões de sociologia
Questões de sociologiaQuestões de sociologia
Questões de sociologia
José Luiz Costa
 
Aulas de sociologia ensino médio para o 2 ano em.
Aulas de sociologia ensino médio   para o 2 ano em.Aulas de sociologia ensino médio   para o 2 ano em.
Aulas de sociologia ensino médio para o 2 ano em.
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
O que é Sociologia?
O que é Sociologia?O que é Sociologia?
O que é Sociologia?
Gilmar Rodrigues
 
Banco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologiaBanco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologia
José Luiz Costa
 
Exercícios tipos de sujeito 8 ano
Exercícios tipos de sujeito 8 anoExercícios tipos de sujeito 8 ano
Exercícios tipos de sujeito 8 ano
KarlaAlves45
 
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - EDUCAÇÃO ESPECIAL
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - EDUCAÇÃO ESPECIAL8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - EDUCAÇÃO ESPECIAL
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - EDUCAÇÃO ESPECIAL
Jakes Paulo
 

Mais procurados (20)

Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Atividades sobre sustentabilidade
Atividades sobre sustentabilidadeAtividades sobre sustentabilidade
Atividades sobre sustentabilidade
 
Identidade e Alteridade
Identidade e AlteridadeIdentidade e Alteridade
Identidade e Alteridade
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
 
Eja ciências biologia
Eja   ciências biologiaEja   ciências biologia
Eja ciências biologia
 
Atividades Revolução Francesa Charges
Atividades Revolução Francesa ChargesAtividades Revolução Francesa Charges
Atividades Revolução Francesa Charges
 
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia - Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
 
Plano de aula Queimada
Plano de aula Queimada Plano de aula Queimada
Plano de aula Queimada
 
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)
 
Experimento sobre densidade
Experimento sobre densidadeExperimento sobre densidade
Experimento sobre densidade
 
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
Avaliação de Sociologia (P1 - Primeiro Bimestre CNDL 2012)
 
Avaliaçao sociologia 2º ano
Avaliaçao sociologia 2º anoAvaliaçao sociologia 2º ano
Avaliaçao sociologia 2º ano
 
A criança e a hora cívica por simone drumond
A criança e a hora cívica por simone drumondA criança e a hora cívica por simone drumond
A criança e a hora cívica por simone drumond
 
Semana 1 - Luz e Tecnologia.pptx
Semana 1 - Luz e Tecnologia.pptxSemana 1 - Luz e Tecnologia.pptx
Semana 1 - Luz e Tecnologia.pptx
 
Questões de sociologia
Questões de sociologiaQuestões de sociologia
Questões de sociologia
 
Aulas de sociologia ensino médio para o 2 ano em.
Aulas de sociologia ensino médio   para o 2 ano em.Aulas de sociologia ensino médio   para o 2 ano em.
Aulas de sociologia ensino médio para o 2 ano em.
 
O que é Sociologia?
O que é Sociologia?O que é Sociologia?
O que é Sociologia?
 
Banco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologiaBanco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologia
 
Exercícios tipos de sujeito 8 ano
Exercícios tipos de sujeito 8 anoExercícios tipos de sujeito 8 ano
Exercícios tipos de sujeito 8 ano
 
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - EDUCAÇÃO ESPECIAL
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - EDUCAÇÃO ESPECIAL8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - EDUCAÇÃO ESPECIAL
8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL - EDUCAÇÃO ESPECIAL
 

Destaque

Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]
leveson
 
Aula eletroquimica
Aula eletroquimica Aula eletroquimica
Aula eletroquimica
vargastania
 
Eletroquímica - células eletrolíticas
Eletroquímica  -  células eletrolíticasEletroquímica  -  células eletrolíticas
Eletroquímica - células eletrolíticas
stagewd
 
Seminário corrosão
Seminário corrosãoSeminário corrosão
Seminário corrosão
Lucas Oliveira
 
HTSI ExecutiveSummary_OCT2015_V5
HTSI ExecutiveSummary_OCT2015_V5HTSI ExecutiveSummary_OCT2015_V5
HTSI ExecutiveSummary_OCT2015_V5
Kristin Wiebe
 
Prova terceiro ano 2009
Prova   terceiro ano 2009Prova   terceiro ano 2009
Prova terceiro ano 2009
Wilson Freire
 
2° simulado 2014 / Curso Popular / Uepa Salvaterra
2° simulado 2014 / Curso Popular / Uepa Salvaterra2° simulado 2014 / Curso Popular / Uepa Salvaterra
2° simulado 2014 / Curso Popular / Uepa Salvaterra
Wender Gomes
 
Célula de combustível
Célula de combustívelCélula de combustível
Célula de combustível
Luiz0795
 
Células a combustível
Células a combustível Células a combustível
Eletrostatica e lei de coulomb
Eletrostatica e lei de coulombEletrostatica e lei de coulomb
Eletrostatica e lei de coulomb
Anselmo Roxa
 
Termoquímica ex da aula parte I
Termoquímica ex da aula parte ITermoquímica ex da aula parte I
Termoquímica ex da aula parte I
Rodrigo Sampaio
 
Revisão prova 1 unidade 1 ano
Revisão prova 1 unidade 1 anoRevisão prova 1 unidade 1 ano
Revisão prova 1 unidade 1 ano
Rodrigo Sampaio
 
Termoquímica ex da aula parte I
Termoquímica ex da aula parte ITermoquímica ex da aula parte I
Termoquímica ex da aula parte I
Rodrigo Sampaio
 
Revisao vieira
Revisao vieiraRevisao vieira
Revisao vieira
Rodrigo Sampaio
 
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 anoRevisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Rodrigo Sampaio
 
Resumo separação de misturas heterogêneas
Resumo separação de misturas heterogêneasResumo separação de misturas heterogêneas
Resumo separação de misturas heterogêneas
Rodrigo Sampaio
 
Estequiometria simples
Estequiometria simplesEstequiometria simples
Estequiometria simples
Rodrigo Sampaio
 
Modelo analise _ MARATONA CIENTÍFICA QUARKS
Modelo analise _ MARATONA CIENTÍFICA QUARKSModelo analise _ MARATONA CIENTÍFICA QUARKS
Modelo analise _ MARATONA CIENTÍFICA QUARKS
Rodrigo Sampaio
 
Modelo artigo para Maratona Científica
Modelo artigo para Maratona CientíficaModelo artigo para Maratona Científica
Modelo artigo para Maratona Científica
Rodrigo Sampaio
 
Passo a passo ftool
Passo a passo ftoolPasso a passo ftool
Passo a passo ftool
Rodrigo Sampaio
 

Destaque (20)

Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]
 
Aula eletroquimica
Aula eletroquimica Aula eletroquimica
Aula eletroquimica
 
Eletroquímica - células eletrolíticas
Eletroquímica  -  células eletrolíticasEletroquímica  -  células eletrolíticas
Eletroquímica - células eletrolíticas
 
Seminário corrosão
Seminário corrosãoSeminário corrosão
Seminário corrosão
 
HTSI ExecutiveSummary_OCT2015_V5
HTSI ExecutiveSummary_OCT2015_V5HTSI ExecutiveSummary_OCT2015_V5
HTSI ExecutiveSummary_OCT2015_V5
 
Prova terceiro ano 2009
Prova   terceiro ano 2009Prova   terceiro ano 2009
Prova terceiro ano 2009
 
2° simulado 2014 / Curso Popular / Uepa Salvaterra
2° simulado 2014 / Curso Popular / Uepa Salvaterra2° simulado 2014 / Curso Popular / Uepa Salvaterra
2° simulado 2014 / Curso Popular / Uepa Salvaterra
 
Célula de combustível
Célula de combustívelCélula de combustível
Célula de combustível
 
Células a combustível
Células a combustível Células a combustível
Células a combustível
 
Eletrostatica e lei de coulomb
Eletrostatica e lei de coulombEletrostatica e lei de coulomb
Eletrostatica e lei de coulomb
 
Termoquímica ex da aula parte I
Termoquímica ex da aula parte ITermoquímica ex da aula parte I
Termoquímica ex da aula parte I
 
Revisão prova 1 unidade 1 ano
Revisão prova 1 unidade 1 anoRevisão prova 1 unidade 1 ano
Revisão prova 1 unidade 1 ano
 
Termoquímica ex da aula parte I
Termoquímica ex da aula parte ITermoquímica ex da aula parte I
Termoquímica ex da aula parte I
 
Revisao vieira
Revisao vieiraRevisao vieira
Revisao vieira
 
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 anoRevisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
Revisão rendimento excesso pureza e consecutivas 3 ano
 
Resumo separação de misturas heterogêneas
Resumo separação de misturas heterogêneasResumo separação de misturas heterogêneas
Resumo separação de misturas heterogêneas
 
Estequiometria simples
Estequiometria simplesEstequiometria simples
Estequiometria simples
 
Modelo analise _ MARATONA CIENTÍFICA QUARKS
Modelo analise _ MARATONA CIENTÍFICA QUARKSModelo analise _ MARATONA CIENTÍFICA QUARKS
Modelo analise _ MARATONA CIENTÍFICA QUARKS
 
Modelo artigo para Maratona Científica
Modelo artigo para Maratona CientíficaModelo artigo para Maratona Científica
Modelo artigo para Maratona Científica
 
Passo a passo ftool
Passo a passo ftoolPasso a passo ftool
Passo a passo ftool
 

Semelhante a Eletroquimica

Pilha2013
Pilha2013Pilha2013
Pilha2013
Fábio Oisiovici
 
PILHAS DE VOLTAS
PILHAS DE VOLTASPILHAS DE VOLTAS
PILHAS DE VOLTAS
Alberto Pethrus
 
Lista de exercícios 35 eletrólise
Lista de exercícios 35   eletróliseLista de exercícios 35   eletrólise
Lista de exercícios 35 eletrólise
Colegio CMC
 
CORREÇÃO DA LISTA de exercício sobre redox
CORREÇÃO DA LISTA de exercício sobre redoxCORREÇÃO DA LISTA de exercício sobre redox
CORREÇÃO DA LISTA de exercício sobre redox
CleideSilva988844
 
Exercícios 3º valdecir
Exercícios   3º valdecirExercícios   3º valdecir
Exercícios 3º valdecir
valdecirkelvin
 
pilhas-prof.melucas.pptxkkjniniin8nnihnni8b
pilhas-prof.melucas.pptxkkjniniin8nnihnni8bpilhas-prof.melucas.pptxkkjniniin8nnihnni8b
pilhas-prof.melucas.pptxkkjniniin8nnihnni8b
almeidapottervictori
 
Eletroquímica ii
Eletroquímica iiEletroquímica ii
Eletroquímica ii
japquimica
 
ELETROQUIMICA REVISÃO ENEM
ELETROQUIMICA REVISÃO ENEMELETROQUIMICA REVISÃO ENEM
ELETROQUIMICA REVISÃO ENEM
Fábio Oisiovici
 
Exercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimicaExercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimica
Estude Mais
 
Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de Química
Felicio1956
 
Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica
Felicio1956
 
Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de Química
Felicio1956
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
Alovargao Alquimista
 
Eletroquímica
EletroquímicaEletroquímica
Eletroquímica
cris_bastardis
 
Aula pilhas
Aula pilhasAula pilhas
Aula pilhas
Andre Semensato
 
Aula pilhas
Aula pilhasAula pilhas
Aula pilhas
CamachoJAAMC
 
EletroquÍmica
EletroquÍmicaEletroquÍmica
EletroquÍmica
Vinny Silva
 
Resolucao dos exercicios_sobre_pilhas_-_3bimestre_-_2series
Resolucao dos exercicios_sobre_pilhas_-_3bimestre_-_2seriesResolucao dos exercicios_sobre_pilhas_-_3bimestre_-_2series
Resolucao dos exercicios_sobre_pilhas_-_3bimestre_-_2series
Eldmara Santos
 

Semelhante a Eletroquimica (20)

Pilha2013
Pilha2013Pilha2013
Pilha2013
 
PILHAS DE VOLTAS
PILHAS DE VOLTASPILHAS DE VOLTAS
PILHAS DE VOLTAS
 
Lista de exercícios 35 eletrólise
Lista de exercícios 35   eletróliseLista de exercícios 35   eletrólise
Lista de exercícios 35 eletrólise
 
CORREÇÃO DA LISTA de exercício sobre redox
CORREÇÃO DA LISTA de exercício sobre redoxCORREÇÃO DA LISTA de exercício sobre redox
CORREÇÃO DA LISTA de exercício sobre redox
 
Exercícios 3º valdecir
Exercícios   3º valdecirExercícios   3º valdecir
Exercícios 3º valdecir
 
pilhas-prof.melucas.pptxkkjniniin8nnihnni8b
pilhas-prof.melucas.pptxkkjniniin8nnihnni8bpilhas-prof.melucas.pptxkkjniniin8nnihnni8b
pilhas-prof.melucas.pptxkkjniniin8nnihnni8b
 
Eletroquímica ii
Eletroquímica iiEletroquímica ii
Eletroquímica ii
 
ELETROQUIMICA REVISÃO ENEM
ELETROQUIMICA REVISÃO ENEMELETROQUIMICA REVISÃO ENEM
ELETROQUIMICA REVISÃO ENEM
 
Exercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimicaExercicio de eletroquimica
Exercicio de eletroquimica
 
Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de Química
 
Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica
 
Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de Química
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
Lista de revisão2 ano
Lista de revisão2 anoLista de revisão2 ano
Lista de revisão2 ano
 
Eletroquímica
EletroquímicaEletroquímica
Eletroquímica
 
Aula pilhas
Aula pilhasAula pilhas
Aula pilhas
 
Aula pilhas
Aula pilhasAula pilhas
Aula pilhas
 
EletroquÍmica
EletroquÍmicaEletroquÍmica
EletroquÍmica
 
Resolucao dos exercicios_sobre_pilhas_-_3bimestre_-_2series
Resolucao dos exercicios_sobre_pilhas_-_3bimestre_-_2seriesResolucao dos exercicios_sobre_pilhas_-_3bimestre_-_2series
Resolucao dos exercicios_sobre_pilhas_-_3bimestre_-_2series
 

Mais de Rodrigo Sampaio

Bioquimica revisão
Bioquimica revisãoBioquimica revisão
Bioquimica revisão
Rodrigo Sampaio
 
Gases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabaritoGases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabarito
Rodrigo Sampaio
 
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemasConceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Rodrigo Sampaio
 
Questões revisão - Prova
Questões revisão - ProvaQuestões revisão - Prova
Questões revisão - Prova
Rodrigo Sampaio
 
Lista equilíbrio
Lista equilíbrioLista equilíbrio
Lista equilíbrio
Rodrigo Sampaio
 
Expressoes de concentração
Expressoes de concentraçãoExpressoes de concentração
Expressoes de concentração
Rodrigo Sampaio
 
Modelo de anteprojeto cultural
Modelo de anteprojeto culturalModelo de anteprojeto cultural
Modelo de anteprojeto cultural
Rodrigo Sampaio
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
Rodrigo Sampaio
 
Radioatividade - Exerícicios
Radioatividade - ExeríciciosRadioatividade - Exerícicios
Radioatividade - Exerícicios
Rodrigo Sampaio
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Rodrigo Sampaio
 
lista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COClista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COC
Rodrigo Sampaio
 
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boaEstequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Rodrigo Sampaio
 
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESREVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
Rodrigo Sampaio
 
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Rodrigo Sampaio
 
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Rodrigo Sampaio
 
Lista 2 recuperacao
Lista 2   recuperacaoLista 2   recuperacao
Lista 2 recuperacao
Rodrigo Sampaio
 
Cinética química questoes
Cinética química questoesCinética química questoes
Cinética química questoes
Rodrigo Sampaio
 
Entalpia de formaçao combustao 3 questoes
Entalpia de formaçao combustao 3 questoesEntalpia de formaçao combustao 3 questoes
Entalpia de formaçao combustao 3 questoes
Rodrigo Sampaio
 
Estequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impurezaEstequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impureza
Rodrigo Sampaio
 
Nox e oxirredução
Nox e oxirreduçãoNox e oxirredução
Nox e oxirredução
Rodrigo Sampaio
 

Mais de Rodrigo Sampaio (20)

Bioquimica revisão
Bioquimica revisãoBioquimica revisão
Bioquimica revisão
 
Gases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabaritoGases ideais - Questões com gabarito
Gases ideais - Questões com gabarito
 
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemasConceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
Conceitos básicos de química - estados, mudanças, fenômenos e sistemas
 
Questões revisão - Prova
Questões revisão - ProvaQuestões revisão - Prova
Questões revisão - Prova
 
Lista equilíbrio
Lista equilíbrioLista equilíbrio
Lista equilíbrio
 
Expressoes de concentração
Expressoes de concentraçãoExpressoes de concentração
Expressoes de concentração
 
Modelo de anteprojeto cultural
Modelo de anteprojeto culturalModelo de anteprojeto cultural
Modelo de anteprojeto cultural
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Radioatividade - Exerícicios
Radioatividade - ExeríciciosRadioatividade - Exerícicios
Radioatividade - Exerícicios
 
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADELista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
Lista estudo - Terceiro COC - 3 UNIDADE
 
lista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COClista de questões - Volta são joão - COC
lista de questões - Volta são joão - COC
 
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boaEstequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
Estequiometria - casos simples Rodriguinho Química de boa
 
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARESREVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
REVISÃO COC POLARIDADE E FORÇAS INTERMOLECULARES
 
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
Lista geometria polaridade TERCEIRÃO SARTRE
 
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
Treinamento Balanceamento pelo método da tentativa
 
Lista 2 recuperacao
Lista 2   recuperacaoLista 2   recuperacao
Lista 2 recuperacao
 
Cinética química questoes
Cinética química questoesCinética química questoes
Cinética química questoes
 
Entalpia de formaçao combustao 3 questoes
Entalpia de formaçao combustao 3 questoesEntalpia de formaçao combustao 3 questoes
Entalpia de formaçao combustao 3 questoes
 
Estequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impurezaEstequiometria pureza e impureza
Estequiometria pureza e impureza
 
Nox e oxirredução
Nox e oxirreduçãoNox e oxirredução
Nox e oxirredução
 

Último

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 

Último (20)

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 

Eletroquimica

  • 1. Prof.Rodriguinho 1 EletroQUÍMICA de boa! Questão 01 Uma bateria comum produz tensão, ou diferença de potencial elétrico, quando duas soluções salinas com cargas elétricas diferentes são separadas dentro de uma célula eletroquímica. Cargas opostas se atraem e o movimento resultante cria uma corrente elétrica. (Adaptado de Scientific American Brasil. Setembro 2007. p. 36) Nas baterias recarregáveis do tipo níquel-cádmio, o cátodo é coberto de hidróxido de níquel e o ânodo, coberto de material sensível ao cádmio. Ambos são isolados por um separador, imersos, geralmente, numa solução de hidróxido de potássio (KOH). A reação global que representa a descarga dessa bateria, acompanhada da tensão elétrica padrão, é representada por: Dados: Potenciais padrão de redução, E o (V): NiO2(s) + 2H2O + 2e – → Ni(OH)2(s) + 2OH – E = +0,49 Cd(OH)2(s) + 2e – → Cd(s) + 2OH(aq) E = –0,76 a) NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s) → Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s); Eº = –1,25 V b) NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s) → Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s); Eº = +1,25 V c) NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s) → Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s); Eº = +2,50 V d) Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s) → NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s); Eº = +1,25 V e) Ni(OH)2(s) + Cd(OH)2(s) → NiO2(s) + 2H2O(l) + Cd(s); Eº = –2,50 V Questão 02 Jeremy Nicholson, ao estudar a absorção do cádmio, um metal que provoca câncer, pelas células vermelhas do sangue, observou os metabólitos – assinaturas de todas as reações químicas que ocorrem no organismo. Descobriu, também, que os microrganismos do intestino representam um papel crucial na saúde e nas doenças humanas. (Adaptado de Jeremy Nicholson. Scientific American. Brasil. Agosto, 2007) O metal cádmio, apesar de ser cancerígeno, é utilizado como revestimento de certos parafusos. Mas não pode ser utilizado próximo de outros metais capazes de oxidá-lo. Das espécies químicas da tabela, não se deve utilizar próximo de parafusos de cádmio; Considere a seguinte tabela de potenciais padrão de redução: Semirreações E o (V) Al 3+ + 3e – → Al –1,67 Fe 2+ + 2e – → Fe –0,44 Cd 2+ + 2e – → Cd –0,40 Co 2+ + 2e – → Co –0,28 H + + e – → ½ H2 0,0 a) Al 3+ e Fe 2+ b) Fe 2+ e Co 2+ c) Fe 2+ e H + d) Co 2+ e Al 3+ e) Co 2+ e H + Questão 03 Recifes de corais artificiais estão sendo usados para acelerar o processo de restauração dos recifes naturais. Para isso, a Biorock Inc. utiliza armações de aço que são energizadas por uma corrente elétrica de baixa voltagem. Isto faz com que os minerais da água do mar nelas se prendam, formando uma fina camada de calcário. Desse modo, pode-se prender pequenos pedaços de coral nas armações, que ficam seguras devido ao calcário acumulado. (BBC Knowledge, out. de 2009, p. 9)
  • 2. Prof.Rodriguinho 2 EletroQUÍMICA de boa! A armação de aço, citada no texto, é utilizada para a) impedir a captura de elétrons pelos íons da água do mar. b) que os íons do aço aumentem a condutibilidade elétrica da água do mar. c) usar matéria-prima de recursos renováveis. d) que os corais se alimentem do ferro contido no aço. e) permitir boa condução de eletricidade por toda a estrutura metálica. Questão 04 Recifes de corais artificiais estão sendo usados para acelerar o processo de restauração dos recifes naturais. Para isso, a Biorock Inc. utiliza armações de aço que são energizadas por uma corrente elétrica de baixa voltagem. Isto faz com que os minerais da água do mar nelas se prendam, formando uma fina camada de calcário. Desse modo, pode-se prender pequenos pedaços de coral nas armações, que ficam seguras devido ao calcário acumulado. (BBC Knowledge, out. de 2009, p. 9) Considerando uma corrente elétrica de 1,0 Ma (1.10 -3 A), o tempo gasto, em segundos, para depositar 20 g de Ca +2 , considerando somente esta reação no cátodo, é, aproximadamente, Dados: Constante de Faraday: 9,65 × 10 4 C mol −1 Massa molar (g mol −1 ): Ca = 40,0 a) 9,7 × 10 7 b) 1,0 × 10 6 c) 9,0 × 10 5 d) 15 × 10 5 e) 19 × 10 3 QUESTÃO 05 A expressão “célula a combustível” designa um novo conceito de geração de energia. Em princípio, é uma bateria de funcionamento contínuo que produz corrente contínua, por meio da combustão eletroquímica, a frio, de um combustível gasoso. Um esquema simplificado de uma célula a combustível de H2 / O2 é: Quando os eletrodos A e B estão em equilíbrio, Ε°red = 0,00 V, para A, e Ε°red = 1,23 V, para B, sendo Ε°red o potencial padrão de redução. Nesta célula combustível, o processo é; DADO: Sabendo-se que a reação global de tal célula possui ΔH° = –286 KJ/mol, a 25°C, a) não espontâneo que absorve calor. b) espontâneo que absorve calor. c) não espontâneo que libera calor. d) espontâneo que libera calor. e) espontâneo sem haver trocar de calor.
  • 3. Prof.Rodriguinho 3 EletroQUÍMICA de boa! Questão 06 A expressão “célula a combustível” designa um novo conceito de geração de energia. Em princípio, é uma bateria de funcionamento contínuo que produz corrente contínua, por meio da combustão eletroquímica, a frio, de um combustível gasoso. Um esquema simplificado de uma célula a combustível de H2 / O2 é: Considerando-se o esquema anterior, a opção de resposta que descreve o sentido do fluxo de elétrons no instante em que o circuito é fechado e a diferença de potencial ΔΕ°, em condições-padrão, é: a) de A para B, e ΔΕ° = +1,23 V. b) de B para A, e ΔΕ° = +0,66 V. c) de A para B, e ΔΕ° = –0,66 V. d) de B para A, e ΔΕ° = –1,23 V e) de A para B, e ΔΕ° = –2,46 V Questão 07 As células galvânicas comerciais, que conhecemos como baterias, são no momento objeto de pesquisa entre os cientistas, que veem seu potencial para resolver problemas de meio ambiente, saúde, comunicação e transporte. Entre elas, encontra-se a célula de sódio e enxofre, cuja aplicação mais comum é em veículos elétricos. Esta é uma das baterias mais surpreendentes. Possui reagentes líquidos (sódio e enxofre) e eletrólito sólido (uma cerâmica porosa de óxido de alumínio). Esta bateria é a fonte de energia do Ecostar, o carro elétrico da Ford. A reação global de descarga de uma bateria de sódio e enxofre pode ser representada por: 16 Na(l) + S8(l) → 16 Na + (solução) + 8 S 2− (solução) Nesta reação, a) o sódio não apresenta variação de nox. b) o sódio é o agente oxidante. c) o enxofre sofre oxidação. d) o material do cátodo é constituído do metal sódio. e) o enxofre recebe elétrons do sódio. QUESTÃO 08 As naves espaciais utilizam pilhas de combustível, alimentadas por oxigênio e hidrogênio, as quais, além de fornecerem a energia necessária para a operação das naves, produzem água, utilizada pelos tripulantes. Essas pilhas usam, como eletrólito, o KOH(aq), de modo que todas as reações ocorrem em meio alcalino. A troca de elétrons se dá na superfície de um material poroso. Um esquema dessas pilhas, com o material poroso representado na cor cinza, é apresentado a seguir.
  • 4. Prof.Rodriguinho 4 EletroQUÍMICA de boa! Escrevendo as equações das semirreações que ocorrem nessas pilhas de combustível, verifica-se que, nesse esquema, as setas com as letras a e b indicam, respectivamente, o sentido de movimento dos a) íons OH – e dos elétrons. b) elétrons e dos íons OH – . c) íons K + e dos elétrons. d) elétrons e dos íons K + . e) elétrons e dos íons H + . Questão 09 Baterias de níquel-hidreto metálico, MH, são empregadas em aparelhos eletrônicos como telefones, máquinas fotográficas etc. Considere que a reação global desse tipo de bateria seja MH + NiO(OH) → M + Ni(OH)2 com uma diferença de potencial de saída de 1,35 V. Teoricamente, a tensão mínima, em volts, que se deve aplicar para recarregar essa bateria é de: a) –0,5 b) –1,0 c) +0,5 d) +1,0 e) +1,5 Questão 10 Em que pese o risco acarretado pela utlização do chumbo, que é tóxico, a bateria usada em automóveis, inventada pelo francês Gaston Piantei em 1860, ainda é considerada bastante segura e economicamente viável. Ela é uma associação de pilhas ligadas em série em cujo interior ocorrem as reações: • 2 H2SO4(l) + 2 H2O(l) → 2 HSO4 – (aq) + 2 H3O + (aq) • Pb(s) + HSO4 – (aq) + H2O(l) → PbSO4(s) + H3O + (aq) + 2 e – • PbO2(s) + 3 H3O + (aq) + HSO4 – (aq) + 2e – → PbSO4(s) + 5H2O(l) Sobre a bateria de automóvel um estudante escreveu as seguintes considerações: I. O ânodo é o chumbo e o cátodo é o dióxido de chumbo. II. Quando a bateria descarrega, a densidade da solução aumenta. III. No ânodo ocorre a redução do chumbo. IV. Ao ser carregada, o sulfato de chumbo se transforma em chumbo e dióxido de chumbo.
  • 5. Prof.Rodriguinho 5 EletroQUÍMICA de boa! É correto o que se afirma apenas em a) I e II. b) II e III. c) II e IV. d) I e IV. e) III e IV Questão 11 Na produção de alumínio, uma indústria utiliza 15 cubas eletrolíticas em série. Sabendo que a corrente aplicada é 120 kA, qual a massa, em kg, de alumínio produzida por hora? Dados: Constante de Faraday (F) = 96 500 C · ; Massa molar Al = 27,0 g · . a) 604. b) 201. c) 1812. d) 400. e) 150. Questão 12 O escurecimento de objetos de prata, como baixelas e talheres, é muito comum. Ao se cozinhar demasiadamente os ovos, as proteínas da clara, que contêm átomos de enxofre, liberam o ácido sulfídrico, que na forma gasosa e na presença de oxigênio, na água de cozimento, pode levar à oxidação do objeto de prata, com formação de uma fina camada insolúvel de sulfeto de prata (Ag2S). O mesmo ocorre quando se cozinha alimentos como o repolho, que contém compostos sulfurados como a cisteína, estrutura representada na figura, que sofre decomposição durante o cozimento, liberando o H2S. As principais reações envolvidas nesse fenômeno são apresentadas nas equações: Ag2S(s) + 2e – 2 Ag(s) + S 2– (aq) E o = – 0,69 V O2(g) + 4 H + (aq) + 4e – 2 H2O(l) E o = + 1,23 V (www.qnesc.sbq.org.br/online/qnesc30/11-EEQ-4407.pdf. Adaptado) A diferença de potencial (ddp) para a reação global que representa o fenômeno do escurecimento dos objetos de prata tem valor igual a a) – 2,61 V. b) – 1,92 V. c) + 0,54 V. d) + 1,92 V. e) + 2,61 V. Questão 13
  • 6. Prof.Rodriguinho 6 EletroQUÍMICA de boa! O etanol pode ser utilizado como combustível em Células a Combustível de Etanol Direto (CCED). A CCED é uma célula galvânica que utiliza a oxidação de etanol no anodo e a redução de oxigênio no catodo para gerar energia elétrica, conforme as reações abaixo: Anodo: CH3CH2OH + 3 H2O → 12 e – + 12 H + + 2 CO2 Catodo: 3 O2 + 12 e – + 12 H + → 6 H2O Global: CH3CH2OH + 3 O2 → 2 CO2 + 3 H2O Caso uma CCED tenha 40% de eficiência na conversão de energia química em energia elétrica, qual a quantidade de matéria (mol) de etanol mínima para que essa célula mantenha funcionando um computador portátil, que consome 2,8 A de corrente, por um período de 10h? Dados: F = 100.000 C mol –1 a) 2,3 × 10 5 b) 3,4 × 10 3 c) 2,8 × 10 2 d) 2,1 × 10 –1 e) 3,4 × 10 –2 Questão 14 O ferro é um dos metais mais abundantes do planeta, e devido à facilidade de redução dos seus minérios é um dos mais baratos, tendo por isso larga aplicação na construção civil, indústria automotiva, em eletrodomésticos etc. No entanto, sofre com o problema da corrosão, sendo necessária a utilização de estratégias para evitar esse processo. Uma das técnicas empregadas é a utilização de metais de sacrifício que, em contato com o ferro impedem sua oxidação. Considere os dados referentes aos potenciais de redução de alguns metais: Fe 2+ + 2 e – → Feº Eº = – 0,44 V Mg 2+ + 2 e – → Mgº Eº = – 2,37 V Cu 2+ + 2 e – → Cuº Eº = + 0,34 V Pode-se afirmar que a) o ferro será melhor protegido pelo cobre, que possui um potencial de redução maior que o do ferro. b) o ferro será melhor protegido pelo magnésio, que possui maior tendência a reduzir do que o ferro. c) nenhum dos metais oferece proteção ao ferro, que será oxidado em presença de qualquer um deles. d) o magnésio, tendo um potencial de redução menor que o do ferro, sofrerá oxidação mais facilmente, protegendo o ferro da oxidação. e) os dois metais protegem o ferro, pois o mesmo possui um potencial de redução intermediário. Questão 15 O mar contribui com a maior parte da produção industrial de magnésio metálico. O elemento é precipitado como Mg(OH)2. Em seguida, esse material é convertido em MgCl2, pela reação com HCl. O cloreto de magnésio seco é misturado a outros sais para que possa ser fundido e, então, sofrer eletrólise
  • 7. Prof.Rodriguinho 7 EletroQUÍMICA de boa! para obtenção do metal. Supondo que o rendimento seja 100%, para cada tonelada de magnésio metálico produzido por eletrólise, a carga elétrica necessária, em faradays, é Dados: 1 faraday = carga elétrica de 1 mol de elétrons Massa molar do Mg = 24 g/mol a) 2. b) 8 x 10 4 . c) 2 x 10 6 . d) 1 x 10 24 . e) 5 x 10 28 . Questão 16 A eletrólise é um processo que separa, na cela eletrolítica, os elementos químicos de uma substância, através do uso da eletricidade. Esse processo é um fenômeno físico-químico de reação de oxirredução não espontânea. Uma importante aplicação industrial da eletrólise é a obtenção de sódio metálico, com eletrodos inertes, a partir de cloreto de sódio fundido. A respeito desse processo industrial, é correto afirmar que além da obtenção do sódio metálico, também se observa a formação a) de hidróxido de sódio fundido, basificando a cela eletrolítica b) de moléculas de gás cloro no ânodo e de gás hidrogênio no cátodo. c) de moléculas de gás cloro no ânodo da cela eletrolítica. d) de moléculas de gás hidrogênio no cátodo da cela eletrolítica. e) de moléculas de gás oxigênio no cátodo da cela eletrolítica. Questão 17 A primeira pilha elétrica produzida pelo italiano Alessandro Volta em 1800 consistia em discos de Zn e Ag metálicos, separados por discos de papelão molhados com solução aquosa de cloreto de sódio. Desde então, vários outros modelos e combinações de elementos foram sendo propostos. Uma das pilhas mais simples é a de Daniell, a qual é obtida da montagem adequada das semicélulas Cu 2+ / Cu 0 e Zn 2+ / Zn 0 . Considerando as informações, assinale a alternativa correta. a) O potencial padrão da pilha é de -1,10 v. b) O potencial padrão da pilha é de 0,76 v. c) O anodo de cobre tem polaridade negativa. d) O potencial E o (Cu/Cu 2+ ) é 0,34 v. e) O anodo é formado pela semicélula do zinco. Questão 18
  • 8. Prof.Rodriguinho 8 EletroQUÍMICA de boa! Para a proteção contra corrosão de tubos metálicos, é comum o uso de eletrodos de sacrifício (blocos metálicos conectados à tubulação). Esses blocos metálicos formam com a tubulação uma célula eletroquímica que atua como ânodo de sacrifício, fornecendo elétrons aos tubos metálicos para impedir sua corrosão, conforme representado na figura abaixo. Semirreação de redução E°(V) Zn 2+ (aq) + 2e – → Zn(s) –0,76 Fe 2+ (aq) + 2e – → Fe(s) –0,44 Cu 2+ (aq) + 2e – → Cu(s) +0,34 Ag + (aq) + e – → Ag(s) +0,80 Usando a tabela de potenciais-padrão de redução, considere as seguintes afirmativas: 1. A reação química que ocorre no ânodo de sacrifício é a reação de oxidação. 2. Se a tubulação (metal 1) for de ferro, o ânodo de sacrifício (metal 2) pode ser feito de zinco. 3. Se a tubulação (metal 1) for de cobre, o ânodo de sacrifício (metal 2) pode ser feito de prata. 4. O metal usado no eletrodo de sacrifício será o agente redutor na reação eletroquímica. Assinale a alternativa correta. a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira. b) Somente a afirmativa 3 é verdadeira. c) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras. e) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeira Questão 19 Uma tubulação de aço enterrada em solo de baixa resistividade elétrica é protegida catodicamente contra corrosão, pela aplicação de corrente elétrica proveniente de um gerador de corrente contínua. Considere os seguintes parâmetros: I. Área da tubulação a ser protegida: 480 m 2 ; II. Densidade de corrente de proteção: 10 mA/m 2 Considere que a polaridade do sistema de proteção catódica seja invertida pelo período de 1 hora. Assinale a opção que expressa a massa, em gramas, de ferro consumida no processo de corrosão, calculada em função de íons Fe 2+ (aq). Admita que a corrente total fornecida pelo gerador será consumida no processo de corrosão da tubulação. a) 1 × 10 –3 b) 6 × 10 –2 c) 3 × 10 –1 d) 5 e) 20 Questão 20 A corrosão é um processo de oxidorredução que ocorre em metais. Este problema é frequentemente observado em canalizações de água e lataria de automóveis. Em automóveis, por exemplo, a lataria (constituída de ferro) é oxidada facilmente quando exposta à maresia. A corrosão pode ser evitada pelo uso de revestimentos de proteção, como tintas, graxas ou alguns metais de sacrifício, tornando a lataria mais resistente ao processo oxidativo. A tabela a seguir apresenta as semirreações e o potencial padrão (E 0 ) para cinco metais.
  • 9. Prof.Rodriguinho 9 EletroQUÍMICA de boa! De acordo com os dados apresentados, conclui-se que os metais mais indicados para proteger o ferro e, consequentemente, retardar sua corrosão são: a) Mg e Pb b) Mg e Zn c) Zn e Pb d) Sn e Mg e) Sn e Pb Questão 21 A energia que consumimos em nossos organismos pode ser representada como sendo oriunda da respiração, através da reação da glicose com o oxigênio, na seguinte reação: C6(H2O)6 + 6 O2 6 CO2 + 6 H2O. Se a mesma reação fosse realizada em uma célula eletroquímica, poderíamos dizer que: a) o carbono atua como agente oxidante. b) o oxigênio molecular estaria no cátodo. c) o número de elétrons transferidos por mol de glicose é 6. d) o número de oxidação do carbono na glicose é –4. e) o hidrogênio atua como agente redutor. Questão 22 As medalhas olímpicas não são de ouro, prata ou bronze maciços, mas sim peças de metal submetidas a processos de galvanoplastia que lhes conferem as aparências características, graças ao revestimento com metais nobres. Este processo supracitado: a) é espontâneo e gera energia elétrica no revestimento das peças metálicas, além de ser ambientalmente correto. b) consiste em revestir a superfície de uma peça metálica com uma fina camada de outro metal, por meio de eletrólise aquosa de seu sal. c) É um fenômeno físico, pois, no revestimento da peça metálica, ocorrem fenômenos que não alteram a estrutura do material. d) É realizado de modo que a peça submetida ao revestimento metálico atuará como ânodo e será o eletrodo de sinal positivo. e) é um processo eletroquímico semelhante ao funcionamento de uma pilha capaz de converter energia química em elétrica. Questão 23
  • 10. Prof.Rodriguinho 10 EletroQUÍMICA de boa! Baterias de íon-lítio empregam o lítio na forma iônica, que está presente no eletrólito pela dissolução de sais de lítio em solventes não aquosos. Durante o processo de descarga da bateria, os íons lítio deslocam-se do interior da estrutura que compõe o anodo (grafite) até a estrutura que compõe o catodo (CoO2), enquanto os elétrons se movem através do circuito externo (figura). Circuito externo. Neste processo, o cobalto sofre uma alteração representada pela equação a seguir. CoO2(s) + 1Li + (solv) + 1e – → LiCoO2(s) Com base no enunciado, assinale a alternativa correta. a) Durante a descarga, o número de oxidação do cobalto aumenta. b) O cobalto recebe elétrons, para haver a recarga da bateria. c) No catodo, o cobalto é reduzido durante a descarga. d) O íon de lítio se desloca para o catodo, durante a descarga, devido à atração magnética. e) O solvente utilizado entre os polos deve ser um líquido orgânico apolar. Questão 24 Energia portátil é o que podemos dizer de uma das maiores invenções da humanidade: a pilha elétrica. Desenvolvida em 1800 por Alessandro Volta, a pilha é um dispositivo que transforma espontaneamente a energia química armazenada nas ligações em energia elétrica. Sendo a primeira fonte de corrente contínua desenvolvida pelo homem, permitiu a realização de um outro processo importante: a eletrólise. Foi somente com o advento dessa técnica que se conseguiu isolar os metais alcalinos e alcalino-terrosos (o sódio, por exemplo, foi isolado por Sir Humphry Davy em 1807, e o magnésio, em 1808, pelo mesmo cientista). Na eletrólise ígnea do cloreto de magnésio (MgCl2), a reação que ocorre no cátodo pode ser representada por a) 2 Cl – → Cl2 + 2 e – . b) Mg → Mg 2+ + 2 e – . c) Cl2 + 2 e – → 2 Cl – . d) Mg 2+ + 2 e – → Mg. e) 2 Mg + + 2 e – → Mg2.
  • 11. Prof.Rodriguinho 11 EletroQUÍMICA de boa! Questão 25 Na década de 1780, o médico italiano Luigi Galvani realizou algumas observações, utilizando rãs recentemente dissecadas. Em um dos experimentos, Galvani tocou dois pontos da musculatura de uma rã com dois arcos de metais diferentes, que estavam em contato entre si, observando uma contração dos músculos, conforme mostra a figura: Interpretando essa observação com os conhecimentos atuais, pode-se dizer que as pernas da rã continham soluções diluídas de sais. Pode-se, também, fazer uma analogia entre o fenômeno observado e o funcionamento de uma pilha. Considerando essas informações, foram feitas as seguintes afirmações: I. Devido à diferença de potencial entre os dois metais, que estão em contato entre si e em contato com a solução salina da perna da rã, surge uma corrente elétrica. II. Nos metais, a corrente elétrica consiste em um fluxo de elétrons. III. Nos músculos da rã, há um fluxo de íons associado ao movimento de contração. Está correto o que se afirma em a) I, apenas. b) III, apenas. c) I e II, apenas. d) II e III, apenas. e) I, II e III. GABARITO: 1) B 2) E 3) E 4) A 5) D 6) A 7) E 8) B 9) E 10) D 11) A 12) D
  • 12. Prof.Rodriguinho 12 EletroQUÍMICA de boa! 13) D 14) D 15) B 16) C 17) E 18) E 19) D 20) B 21) B 22) B 23) C 24) D 25) E