SlideShare uma empresa Scribd logo
Lição 13   o legado de moisés
O LEGADO DE
MOISÉS
José Roberto Alves da SilvaJosé Roberto Alves da Silva
Petrolina, 29 de Março de 2014
O LEGADO DE MOISÉS
Texto para Estudo: Êxodo 34.10-12; Hb 11.23-29.
INTRODUÇÃO:
Chegamos ao final do nosso primeiro trimestre, levando em conta um bom conhecimento,
de forma sólida e consistente aprendizado sobre o povo de Israel e sobre a vida de um grande
líder e homem de Deus: Moisés. Como o título da nossa revista nos expressa: “Uma Jornada
de Fé” apresenta de forma concisa e paulatinamente a jornada de um povo, povo este tirado
dos lombos de Abraão como cumprimento de uma promessa que Deus fizera a ele (Gn 12.3).
Nessas treze lições incluindo esta a que estaremos estudando, nos trouxeram grande
despertamento, ensinos profundos e reflexões que penetra nossa alma e faz arder os
corações. E de grande valia, precisávamos de um ensino profícuo a despeito da fé e jornada
que uma vez foi proposta para nós a Igreja de Cristo (Hb 12.1,2). Pois bem, o Livro de Êxodo
começa narrando a triste história de Israel, já vivendo seus momentos angustiantes de
sofrimentos e escravidão, o povo vivia em total opressão por haver multiplicado de tal forma,
que seu anfitrião achou por seu próprio bem escravizar o povo e torturá-lo, temendo ser
destruído (Êx 1.9-14). Nos diz a bíblia que Deus ao ouvir o clamor daquele povo, lembrou-se
da promessa feita a Abraão (Êx 2.23-25), de que ali não seria o lugar daquele povo, havia um
lugar que Deus havia dado a descendência de Abraão, a terra que mana leite e mel, que seria
a terra dos cananeus (Gn 15.18-21; Êx 3.17). É neste ínterim que Deus levanta Moisés, livrando
da morte quando ainda criança (Êx 1.17; 2.1-10), e deu-lhe a oportunidade de permanecer vivo,
promovendo sua criação aos cuidados da filha de Faraó, conhecendo toda ciência do Egito
(At 7.22), queria por si mesmo fazer justiça com as próprias mãos por causa de seu povo e
por fim fugiu para Midiã (Êx 2.11-22), ali teve a oportunidade de reaprender novamente a
maneira rústica e simples como pastor de ovelhas a saber liderar com amor e paciência as
ovelhas de seu sogro, trabalho este que o capacitara para guiar povo de Deus, pois é ali que
Deus se manifesta a ele e apresenta o plano de redenção do povo de Israel (Êx 3.1-22) . E
concluindo esta trajetória, aprendemos sobre a saída do povo, a travessia do Mar Vermelho, a
jornada pelo deserto: o recebimento das leis, o estabelecimento do culto, a consagração dos
sacerdotes, a idolatria e suas consequências, e por fim nos resta apresentar o seu grande
legado. Vejamos:
1. O LEGADO.
Sobre a palavra “Legado” existem várias definições, se fizermos uma pesquisa
encontraremos vários significados, por exemplo: Legado (legatus, em latim) era um general
do exército romano, equivalente ao moderno oficial general. “Em termos jurídicos, na área de
direito das sucessões, legado é quando um bem, ou vários bens, são deixados para outra
pessoa que não é herdeira, quando o proprietário original falece, então ele deixa todo, ou
parte, do seu legado para alguém, que pode ser da família, ou não.” E por fim Legado se refere
a aquilo que é transmitido ás gerações que se sucedem, é uma “doação” deixada pelo o
defunto, é constituído por algo imaterial, segundo as Institutas de Justiniano, no Manual de
Direito Romano. Quando se referimos ao Legado de Moisés, falamos sobre os benefícios, os
exemplos, as doações deixadas por Moisés, que não se limitava somente a Israel, como
trouxe grandes benefícios a humanidade e consequentemente á Igreja Cristã. Hoje para os
israelitas, Moisés é considerado como o maior israelita que já houve em toda história da
nação. Iremos de acordo com o livro de apoio da lição do trimestre, falar sobre o legado de
Moisés em três situações, ou seja, o seu legado foi doado a três “povos”, tudo em acordo com
sua posição: Israel, a Humanidade e a Igreja.
2. O LEGADO DE MOISÉS PARA ISRAEL.
Com relação a nação judia, se formos enumerar as doações que Moisés deixara para o seu
povo, teríamos muito a falar, mas iremos enumerar alguns benefícios entregue a nação.
2.1 – Israel torna-se nação com lugar definido.
A consolidação de um povo em um lugar definido eu creio que o sonho de Israel, pois até
mesmo fora uma promessa de Deus dada ao patriarca Abraão e repassado aos seus
descendentes. Os hebreus almejavam está livres da escravidão, ao ponto, de quando o Faraó
que reinava sobre eles morreu, o povo “...suspiraram por causa da servidão...” e ai sentiram
que era a hora do agir de Deus, pois eles “...clamaram; e seu clamor subiu a Deus por causa
de sua servidão” (Êx 2.23). Deus atendeu o clamor do povo, enviou Moisés, o mesmo deixou
este legado, a definição de um povo como nação, pois em Moisés Deus cumpriu com a
promessa, levando o povo para o lugar que “mana leite e mel” (Êx 3.8,17; 13.5; 33.3; Lv 20.24;
Nm 13.27; 14.8; 16.13,14; Dt 6.3; 11.9; 26.9,15; 27.3; 31.20; Js 5.6). E pergunto: Quem não quer
viver no que é seu? Moisés trouxe esta esperança, apresentando a Israel que haveria sim um
lugar para eles habitarem, e além disso um Deus para os guardarem. A nação estava em
apuros, como já mencionei, e Deus socorreu o seu povo, eles tiveram a oportunidade de
estabelecer nacionalidade, e, além disso, obtiveram uma língua própria, escrita própria,
cultura e identidade religiosa distinta, receberam um sistema jurídico diferente das demais
nações, um código civil e penal do mais avançado daqueles, tudo isso ainda influencia
muitos povos e nações, trouxeram para todos grande contribuição, veremos estes benefícios
no próximo tópico. Tudo que conhecemos sobre a historicidade de Israel nos primórdios do
mundo, estão escritos com punho do próprio Moisés, seus escritos são conhecidos com Torá
pelos os judeus, e nós o conhecemos como o Pentateuco, foi ele mesmo que recebera do
próprio Deus a sua palavra e registrou toda a sua vontade, vontade esta que estabelecia a
Aliança de Deus com Israel, também está registrado a liturgia e rituais religiosos, o
estabelecimento da presença de Deus por meio do Tabernáculo e a ordenação de sacerdotes
que serviriam a Deus com intermediação com o povo.
2.2 – A estruturação da fé e da religião.
Segundo o apóstolo Paulo, pelo menos Deus havia dado sete coisas importantes para o seu
povo (Rm 9.4,5).
a) Adotou os israelitas como filhos;
b) Manifestou a eles um pouco da sua glória;
c)Estabeleceu uma Aliança com seu eles, deu-lhes os patriarcas;
d) Entregou-lhes a legislação;
e) Deu-lhes o modelo litúrgico e ritualístico do culto.
f) Cumpriu e deu-lhes promessas;
g) e por meio das promessas, deu-lhes o Messias;
Além do Pentateuco, Moisés deixou escrito o Livro de Jó e um salmo, que faz parte da
coleção de salmos de Israel, que são cânticos de adoração, memorias de vitorias, conselhos e
advertências para o povo, o Salmo 90.
3. O LEGADO DE MOISÉS PARA OS DEMAIS POVOS.
3.1 – Legislação hebraica.
Como já foi explicado, a legislação ou o Código da Aliança era entre todos daquele mundo,
o mais avançado, estudamos este assunto na Lição 10, ali conhecemos um pouco sobre os
vários tipos de códigos que existiram nas demais nações, como: Código Urukagina; Estrela
dos Abutres; Ur-Nammu; Eshnunna; e o mais conhecido Código de Hamurabi. O Código da
Aliança em sua essência influencia a humanidade no seu sentido moral e espiritual.
Moralmente estabelece a preservação a vida, o respeito e a dignidade da mulher, a forma de
como se trata a escravidão, que também se encontra inserido em nossa constituição, no
código civil do nosso país e demais países, todos eles em sua estrutura contém o que já
existia há mais ou menos 3.000 anos atrás.
3.2 – Os valores judaicos.
No sentido espiritual, todos nós, principalmente o Continente Ocidental, fomos
influenciados pelos os costumes e valores advindo dos judeus, com seu sistema religioso, os
quais foram extraídos pela a cultura judaica, foram eles os responsáveis “... pela sua
formação e se constituem a base de todas as suas conquistas, de valores judaico-cristãos”.
Podemos contar com o conhecimento dos escritos sagrados da Torá, como também dos
Profetas e demais escritos, tendo em vista o “Decálogo” que ajudou a moldar nossos valores
juntamente com o Cristianismo (Êx 20.1-17).
4. O LEGADO DE MOISÉS DOADO Á IGREJA.
4.1 – Doação da fé e fidelidade.
Em Hebreus encontramos o escritor relatando com avidez e segurança a fervorosa fé de
Moisés, que mesmo sendo criado em todo conhecimento do Egito, recusou fazer parte da
linhagem real egípcia, preferindo identificasse com seu povo, demonstrando uma fé firme e
fidedigna em Deus, crendo que seria ele mesmo usado pelo o Todo Poderoso a favor de seu
povo. Pela fé Moisés deixou o Egito levando consigo o seu povo, por que via o “invisível”,
celebrou a páscoa e aspersão do sangue, atravessou o Mar Vermelho e viu a derrota de seus
inimigos (Hb 11.23-29). “Moisés e Arão realizaram muitos milagres perante Faraó e seus
oficiais no período que precedeu a saída de Israel do Egito (Êx 4-12).” Moisés nos desperta
para a realidade espiritual, de que não devemos se conformar com a situação caótica deste
século, procurando assim como ele, resgatar os que se encontram na escravidão do Egito
(pecado), enfrentando as hostes das maldades com firmeza e fé no Deus de Abraão, Isaque e
Jacó, olhando com fidelidade o que está reservada para nós, a igreja do Senhor Jesus Cristo,
como disse o apóstolo Paulo: “Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o
ouvido não ouviram, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para
os que o amam” (I Co 2. 9). Almejamos o invisível, uma pátria, um lugar assim como Israel
recebera, embora que a nação israelita recebera uma herança terrena, nós receberemos a que
é celestial (Hb 11.16).
4.2 – Exemplo de Liderança.
Moisés obteve muitas experiências, era capacitado para guiar a nação judia, mesmo
humilhando-se diante de Deus e dizendo que não seria capaz para realizar a vontade do Todo
Poderoso, Deus sabia muito sobre ele, desde quando ele ainda nem havia nascido, e Deus
conhecia o oculto do seu coração, sabia que ele era capaz sim de retirar um numero povo de
uma terra estranha e opressora. Moisés temia a fúria de Faraó, sua posição diante de sua
gente, achava-se inferior para cumprir esta tarefa, poderia ser o ambiente simples de Midiã,
como pastor de ovelhas, mas era ali a escola de capacitação que Moisés estava aprendendo a
guiar, pastorear, conduzir o povo assim como fazia com o rebanho de ovelhas, com amor,
cuidado e zelo. A liderança de nossos dias deve aprender com Moisés, saber de sua origem,
conhecer de fato os sentimentos de sua gente, da igreja, dos pequeninos e menos favorecidos,
enfim de toda a comunidade em geral, priorizando a condução do povo á presença de Deus.
4.3 - Paciente.
Soube ser Moisés “aquele varão encolerizado, que cometeu o homicídio” quando ainda
estava na corte egípcia, ser um homem manso, os mais manso encontrado naqueles dias
como diz as escrituras (Nm 12.3), com paciência e perseverança conseguiu retirar o povo das
mãos de Faraó, jamais fez isso levantando uma revolta, uma revolução, uma guerra, mas fez
de forma pacífica. Ele é o exemplo tanto para a liderança da igreja, como para a liderança
familiar, em nossos dias existem muitas famílias que foram dissolvidas, desprovidas e
incapacitadas por falha de suas lideranças, os chefes de famílias, que comumente chamamos.
Famílias despertam busquem ao Senhor a direção certa, o agir certo assim como Moisés,
realizando passa a passo a vontade de Deus. O cristão em si deve-se está inteiramente
dominado pela a ação do Espirito Santo, adquirindo o Fruto do Espirito, que são
características visíveis na vida do crente, que chamamos de testemunhos, entre eles está o de
domínio próprio, o principal para conter a natureza do pecado.
4.4 – Intercessor.
Moisés se tornou o modelo referencial de intercessão, ele teve a primazia de está face a face
com Deus, ouvir de boca com precisão cada palavra, de forma mais precisa e concisa, como
também teve a oportunidade de perto falar a favor de seu povo. Ele foi chamado de amigo
intimo de Deus (Êx 33.11), por que mantinha essa comunhão intima com Deus, em Cristo nós
podemos manter intimidade com Deus, mas como Moisés isso não é possível, mas em
Espirito podemos sentir sua presença, por meio da graça de Cristo (Jo 15.1-7). Matthew Henry
comenta: “...Isto sugere que Deus se revelou a Moisés, não só com clareza e evidencias
maiores da luz divina do que a qualquer outro dos profetas, mas também com expressões
particulares e ainda maiores de bondade e graça. Ele fala não como um príncipe á um súdito,
mas como qualquer que fala com o seu amigo, a quem ama.”
CONCLUSÃO.
São muitas as doações ou o Legado que Moisés nos deixou, muito ainda se poderia dizer,
como sua persistência, sua integridade, sua fidelidade, seu amor, sua visão sobre o futuro,
enfim mutos outros que poderíamos enumerar aqui, mas concluiremos falando sobre a sua
morte. Pois bem, segundo o relato bíblico, Moisés subiu ao Monte Nebo, não apenas para
morrer, mas ouvir as últimas palavras de Deus no que se dizia ao lugar que a nação judia iria
ser estabelecida, apesar de ser um homem manso em toda terra, o episódio das águas de
Meribá o fizeram perder a oportunidade de entrar na terra prometida, “Moisés ao receber a
ordem de Deus sobre como tirar água da rocha, ele não fez de forma correta, pois Deus disse
que ele apenas deveria falar á rocha para liberar a água, para que pudesse santificar o nome
de Deus, mas ao invés disso, ele insultou diante da nação, dizendo: “Ouvi agora, rebeldes,
porventura tiraremos água desta rocha para vós”, e então fere a rocha duas vezes, e assim
disse o Senhor: “Porquanto não me crestes a mim, para me santificar diante dos filhos de
Israel, por isso não metereis esta congregação na terra que lhes tenho dado” (Nm
20.10,12,24,26,29; 27.14), diante desse episódio nem os israelitas rebeldes e nem mesmo
Moisés e Arão puderam entrar na terra prometida. Por fim, Moisés foi levado por Deus, seu
corpo fora enterrado, não sabendo onde fora, ao ponto de a Bíblia relatar sobre a disputa
entre o arcanjo Miguel e satanás sobre o corpo de Moisés (Jd v.9), mas Moisés fora o homem
que cumpriu sua carreira com fé, coragem e determinação em Deus, sendo fiel em tudo, que
possamos pelo menos vivenciar os exemplos que ele nos deixou, a doação do seu legado para
nós é uma joia preciosíssima que precisa moldar as nossas vidas. Amém...
BIBLIOGRAFIA
Revista Lições Bíblicas, 1º Trimestre de 20014, Lição 13, Coment. Pr. Antônio Gilberto, págs.
93,95, CPAD, Rio de Janeiro.
Comentário Beacon do A.T – Gênesis a Deuteronômio – pg.339, CPAD, Rio de Janeiro.
Livro de Apoio – O Legado de Moisés – Capitulo 13, Silas Daniel, págs. 146-157, CPAD, 2013,
Rio de Janeiro.
Bíblia de Estudo Pentecostal – CPAD e SBB.
Bíblia com Referencias e Dicionário Conciso – IBB.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
dimas campos
 
Pentateuco
PentateucoPentateuco
Pentateuco
Alex Gotardi
 
Introdução ao 1º Trimestre de 2014.
Introdução ao 1º Trimestre de 2014.Introdução ao 1º Trimestre de 2014.
Introdução ao 1º Trimestre de 2014.
Antonio Fernandes
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
O pentateuco
O pentateucoO pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
Ricardo Gondim
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateuco
Paulo Ferreira
 
018 hebreus
018 hebreus018 hebreus
018 hebreus
Diógenes Gimenes
 
Livro de Mórmon
Livro de Mórmon Livro de Mórmon
Livro de Mórmon
Michael Santos
 
Evangelho de marcos
Evangelho de marcos Evangelho de marcos
Evangelho de marcos
welingtonjh
 
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israelHistoria de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
RICARDO CARDOSO
 
5º Aula do Pentateuco
5º Aula do Pentateuco5º Aula do Pentateuco
5º Aula do Pentateuco
Jefferson Evangelista
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
yosseph2013
 
Teologia do antigo testamento a esperança messianica
Teologia do antigo testamento a esperança messianicaTeologia do antigo testamento a esperança messianica
Teologia do antigo testamento a esperança messianica
Jose Ventura
 
Aula 7 - Números
Aula 7 - NúmerosAula 7 - Números
Aula 7 - Números
ibrdoamor
 
Bibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula UnicaBibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula Unica
neymattos
 
Evangelho segundo Marcos
Evangelho segundo MarcosEvangelho segundo Marcos
Evangelho segundo Marcos
Ramon Gimenez
 
Entre a verdade está aqui
Entre   a verdade está aquiEntre   a verdade está aqui
Entre a verdade está aqui
Diego Fortunatto
 
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
pralucianaevangelista
 
1 apresentacao profetas do velho testamento
1   apresentacao profetas do velho testamento1   apresentacao profetas do velho testamento
1 apresentacao profetas do velho testamento
PIB Penha
 

Mais procurados (20)

O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
 
Pentateuco
PentateucoPentateuco
Pentateuco
 
Introdução ao 1º Trimestre de 2014.
Introdução ao 1º Trimestre de 2014.Introdução ao 1º Trimestre de 2014.
Introdução ao 1º Trimestre de 2014.
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
 
O pentateuco
O pentateucoO pentateuco
O pentateuco
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
 
Panorama do pentateuco
Panorama do pentateucoPanorama do pentateuco
Panorama do pentateuco
 
018 hebreus
018 hebreus018 hebreus
018 hebreus
 
Livro de Mórmon
Livro de Mórmon Livro de Mórmon
Livro de Mórmon
 
Evangelho de marcos
Evangelho de marcos Evangelho de marcos
Evangelho de marcos
 
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israelHistoria de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
Historia de israel aula 5 e 6 o relacionamento da igreja com israel
 
5º Aula do Pentateuco
5º Aula do Pentateuco5º Aula do Pentateuco
5º Aula do Pentateuco
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
 
Teologia do antigo testamento a esperança messianica
Teologia do antigo testamento a esperança messianicaTeologia do antigo testamento a esperança messianica
Teologia do antigo testamento a esperança messianica
 
Aula 7 - Números
Aula 7 - NúmerosAula 7 - Números
Aula 7 - Números
 
Bibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula UnicaBibliologia Aula Unica
Bibliologia Aula Unica
 
Evangelho segundo Marcos
Evangelho segundo MarcosEvangelho segundo Marcos
Evangelho segundo Marcos
 
Entre a verdade está aqui
Entre   a verdade está aquiEntre   a verdade está aqui
Entre a verdade está aqui
 
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
Lição 1 O Livro de Exodo e o Cativeiro de Israel no Egito & Licao 2 Um Libert...
 
1 apresentacao profetas do velho testamento
1   apresentacao profetas do velho testamento1   apresentacao profetas do velho testamento
1 apresentacao profetas do velho testamento
 

Semelhante a Lição 13 o legado de moisés

Aula 13 o legado de moisés em slides
Aula 13   o legado de moisés em slidesAula 13   o legado de moisés em slides
Aula 13 o legado de moisés em slides
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Introdução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelhoIntrodução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelho
Cláudio Fajardo
 
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1   deus dá sua lei ao povo de israelLição 1   deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
Adriano Pascoa
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
mbrandao7
 
Paralelismo moises e Jesus
Paralelismo moises e JesusParalelismo moises e Jesus
Paralelismo moises e Jesus
Bruno Da Montanha
 
14 ise - levítico - números - deuteronômio
14   ise - levítico - números - deuteronômio14   ise - levítico - números - deuteronômio
14 ise - levítico - números - deuteronômio
Léo Mendonça
 
Lição 5 Hebreus
Lição 5   Hebreus Lição 5   Hebreus
Lição 5 Hebreus
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESPAprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Jose Maria Magalhaes
 
Comentário: O Batismo do Senhor - Ano C
Comentário: O Batismo do Senhor - Ano CComentário: O Batismo do Senhor - Ano C
Comentário: O Batismo do Senhor - Ano C
José Lima
 
As Ideias Mestras Da Antiga AliançA
As Ideias Mestras Da Antiga AliançAAs Ideias Mestras Da Antiga AliançA
As Ideias Mestras Da Antiga AliançA
DimensaoCatolica
 
Dispensação da lei.pptx
Dispensação da lei.pptxDispensação da lei.pptx
Dispensação da lei.pptx
SamyraAlves3
 
Jesus o homem (alcione moreno)
Jesus o homem (alcione moreno)Jesus o homem (alcione moreno)
Jesus o homem (alcione moreno)
Jônata Barbosa
 
Manual Básico do Novo Testamento
Manual Básico do Novo TestamentoManual Básico do Novo Testamento
Manual Básico do Novo Testamento
Temistocles Santos
 
Algumas notas sobre as provas baha'i's baseadas na bi blia
Algumas notas sobre as provas baha'i's baseadas na bi bliaAlgumas notas sobre as provas baha'i's baseadas na bi blia
Algumas notas sobre as provas baha'i's baseadas na bi blia
Mauricio Gonçalves
 
Basicão em pdf
Basicão em pdfBasicão em pdf
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
panorama.pdf
panorama.pdfpanorama.pdf
panorama.pdf
JoSantos34
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
Eraldo Luciano
 
Eclesiologia Ana Cristina Leão
Eclesiologia Ana Cristina LeãoEclesiologia Ana Cristina Leão
Eclesiologia Ana Cristina Leão
Eraldo Luciano
 
Mes Da BíBlia Carlos E Dionice
Mes Da BíBlia Carlos E DioniceMes Da BíBlia Carlos E Dionice
Mes Da BíBlia Carlos E Dionice
DIALOGO CONJUGAL DE UBERLANDIA
 

Semelhante a Lição 13 o legado de moisés (20)

Aula 13 o legado de moisés em slides
Aula 13   o legado de moisés em slidesAula 13   o legado de moisés em slides
Aula 13 o legado de moisés em slides
 
Introdução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelhoIntrodução ao estudo do evangelho
Introdução ao estudo do evangelho
 
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1   deus dá sua lei ao povo de israelLição 1   deus dá sua lei ao povo de israel
Lição 1 deus dá sua lei ao povo de israel
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
 
Paralelismo moises e Jesus
Paralelismo moises e JesusParalelismo moises e Jesus
Paralelismo moises e Jesus
 
14 ise - levítico - números - deuteronômio
14   ise - levítico - números - deuteronômio14   ise - levítico - números - deuteronômio
14 ise - levítico - números - deuteronômio
 
Lição 5 Hebreus
Lição 5   Hebreus Lição 5   Hebreus
Lição 5 Hebreus
 
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESPAprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
Aprendizes do Evangelho 2º Ano - 18ª aula - Parte B - Epístola aos Efésios FEESP
 
Comentário: O Batismo do Senhor - Ano C
Comentário: O Batismo do Senhor - Ano CComentário: O Batismo do Senhor - Ano C
Comentário: O Batismo do Senhor - Ano C
 
As Ideias Mestras Da Antiga AliançA
As Ideias Mestras Da Antiga AliançAAs Ideias Mestras Da Antiga AliançA
As Ideias Mestras Da Antiga AliançA
 
Dispensação da lei.pptx
Dispensação da lei.pptxDispensação da lei.pptx
Dispensação da lei.pptx
 
Jesus o homem (alcione moreno)
Jesus o homem (alcione moreno)Jesus o homem (alcione moreno)
Jesus o homem (alcione moreno)
 
Manual Básico do Novo Testamento
Manual Básico do Novo TestamentoManual Básico do Novo Testamento
Manual Básico do Novo Testamento
 
Algumas notas sobre as provas baha'i's baseadas na bi blia
Algumas notas sobre as provas baha'i's baseadas na bi bliaAlgumas notas sobre as provas baha'i's baseadas na bi blia
Algumas notas sobre as provas baha'i's baseadas na bi blia
 
Basicão em pdf
Basicão em pdfBasicão em pdf
Basicão em pdf
 
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGRLição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
Lição 6 - Atos simbólicos + textos_GGR
 
panorama.pdf
panorama.pdfpanorama.pdf
panorama.pdf
 
Eclesiologia ana
Eclesiologia anaEclesiologia ana
Eclesiologia ana
 
Eclesiologia Ana Cristina Leão
Eclesiologia Ana Cristina LeãoEclesiologia Ana Cristina Leão
Eclesiologia Ana Cristina Leão
 
Mes Da BíBlia Carlos E Dionice
Mes Da BíBlia Carlos E DioniceMes Da BíBlia Carlos E Dionice
Mes Da BíBlia Carlos E Dionice
 

Mais de JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA

Licao 4 3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
Licao 4   3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILALicao 4   3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
Licao 4 3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYERTODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
A salvação judaica
A salvação judaicaA salvação judaica
A salvação judaica
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lições biblicas do 4 trimestre 2017
Lições biblicas do 4 trimestre 2017 Lições biblicas do 4 trimestre 2017
Lições biblicas do 4 trimestre 2017
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Quem foi barrabás
Quem foi barrabásQuem foi barrabás
Quem foi barrabás
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Dicionário de acordes violão(port revisado)
Dicionário de acordes violão(port revisado)Dicionário de acordes violão(port revisado)
Dicionário de acordes violão(port revisado)
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Mil esbocos para_sermoes
Mil esbocos para_sermoesMil esbocos para_sermoes
Mil esbocos para_sermoes
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Comentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I CoríntiosComentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I Coríntios
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTOAula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologoA consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recifeLição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 9 um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9    um lugar de adoração a deus no desertoLição 9    um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9 um lugar de adoração a deus no deserto
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdfAula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitasLição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas   originalAs leis civis entregues por moisés aos israelitas   original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 

Mais de JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA (19)

Licao 4 3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
Licao 4   3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILALicao 4   3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
Licao 4 3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
 
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYERTODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
 
A salvação judaica
A salvação judaicaA salvação judaica
A salvação judaica
 
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
 
Lições biblicas do 4 trimestre 2017
Lições biblicas do 4 trimestre 2017 Lições biblicas do 4 trimestre 2017
Lições biblicas do 4 trimestre 2017
 
Quem foi barrabás
Quem foi barrabásQuem foi barrabás
Quem foi barrabás
 
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
 
Dicionário de acordes violão(port revisado)
Dicionário de acordes violão(port revisado)Dicionário de acordes violão(port revisado)
Dicionário de acordes violão(port revisado)
 
Mil esbocos para_sermoes
Mil esbocos para_sermoesMil esbocos para_sermoes
Mil esbocos para_sermoes
 
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
 
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
 
Comentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I CoríntiosComentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I Coríntios
 
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTOAula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
 
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologoA consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
 
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recifeLição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
 
Lição 9 um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9    um lugar de adoração a deus no desertoLição 9    um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9 um lugar de adoração a deus no deserto
 
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdfAula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
 
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitasLição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
 
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas   originalAs leis civis entregues por moisés aos israelitas   original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
 

Último

Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 

Último (20)

Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 

Lição 13 o legado de moisés

  • 2. O LEGADO DE MOISÉS José Roberto Alves da SilvaJosé Roberto Alves da Silva Petrolina, 29 de Março de 2014
  • 3. O LEGADO DE MOISÉS Texto para Estudo: Êxodo 34.10-12; Hb 11.23-29. INTRODUÇÃO: Chegamos ao final do nosso primeiro trimestre, levando em conta um bom conhecimento, de forma sólida e consistente aprendizado sobre o povo de Israel e sobre a vida de um grande líder e homem de Deus: Moisés. Como o título da nossa revista nos expressa: “Uma Jornada de Fé” apresenta de forma concisa e paulatinamente a jornada de um povo, povo este tirado dos lombos de Abraão como cumprimento de uma promessa que Deus fizera a ele (Gn 12.3). Nessas treze lições incluindo esta a que estaremos estudando, nos trouxeram grande despertamento, ensinos profundos e reflexões que penetra nossa alma e faz arder os corações. E de grande valia, precisávamos de um ensino profícuo a despeito da fé e jornada que uma vez foi proposta para nós a Igreja de Cristo (Hb 12.1,2). Pois bem, o Livro de Êxodo começa narrando a triste história de Israel, já vivendo seus momentos angustiantes de sofrimentos e escravidão, o povo vivia em total opressão por haver multiplicado de tal forma, que seu anfitrião achou por seu próprio bem escravizar o povo e torturá-lo, temendo ser destruído (Êx 1.9-14). Nos diz a bíblia que Deus ao ouvir o clamor daquele povo, lembrou-se da promessa feita a Abraão (Êx 2.23-25), de que ali não seria o lugar daquele povo, havia um lugar que Deus havia dado a descendência de Abraão, a terra que mana leite e mel, que seria a terra dos cananeus (Gn 15.18-21; Êx 3.17). É neste ínterim que Deus levanta Moisés, livrando da morte quando ainda criança (Êx 1.17; 2.1-10), e deu-lhe a oportunidade de permanecer vivo, promovendo sua criação aos cuidados da filha de Faraó, conhecendo toda ciência do Egito (At 7.22), queria por si mesmo fazer justiça com as próprias mãos por causa de seu povo e por fim fugiu para Midiã (Êx 2.11-22), ali teve a oportunidade de reaprender novamente a maneira rústica e simples como pastor de ovelhas a saber liderar com amor e paciência as ovelhas de seu sogro, trabalho este que o capacitara para guiar povo de Deus, pois é ali que Deus se manifesta a ele e apresenta o plano de redenção do povo de Israel (Êx 3.1-22) . E concluindo esta trajetória, aprendemos sobre a saída do povo, a travessia do Mar Vermelho, a jornada pelo deserto: o recebimento das leis, o estabelecimento do culto, a consagração dos sacerdotes, a idolatria e suas consequências, e por fim nos resta apresentar o seu grande legado. Vejamos:
  • 4. 1. O LEGADO. Sobre a palavra “Legado” existem várias definições, se fizermos uma pesquisa encontraremos vários significados, por exemplo: Legado (legatus, em latim) era um general do exército romano, equivalente ao moderno oficial general. “Em termos jurídicos, na área de direito das sucessões, legado é quando um bem, ou vários bens, são deixados para outra pessoa que não é herdeira, quando o proprietário original falece, então ele deixa todo, ou parte, do seu legado para alguém, que pode ser da família, ou não.” E por fim Legado se refere a aquilo que é transmitido ás gerações que se sucedem, é uma “doação” deixada pelo o defunto, é constituído por algo imaterial, segundo as Institutas de Justiniano, no Manual de Direito Romano. Quando se referimos ao Legado de Moisés, falamos sobre os benefícios, os exemplos, as doações deixadas por Moisés, que não se limitava somente a Israel, como trouxe grandes benefícios a humanidade e consequentemente á Igreja Cristã. Hoje para os israelitas, Moisés é considerado como o maior israelita que já houve em toda história da nação. Iremos de acordo com o livro de apoio da lição do trimestre, falar sobre o legado de Moisés em três situações, ou seja, o seu legado foi doado a três “povos”, tudo em acordo com sua posição: Israel, a Humanidade e a Igreja. 2. O LEGADO DE MOISÉS PARA ISRAEL. Com relação a nação judia, se formos enumerar as doações que Moisés deixara para o seu povo, teríamos muito a falar, mas iremos enumerar alguns benefícios entregue a nação. 2.1 – Israel torna-se nação com lugar definido. A consolidação de um povo em um lugar definido eu creio que o sonho de Israel, pois até mesmo fora uma promessa de Deus dada ao patriarca Abraão e repassado aos seus descendentes. Os hebreus almejavam está livres da escravidão, ao ponto, de quando o Faraó que reinava sobre eles morreu, o povo “...suspiraram por causa da servidão...” e ai sentiram que era a hora do agir de Deus, pois eles “...clamaram; e seu clamor subiu a Deus por causa de sua servidão” (Êx 2.23). Deus atendeu o clamor do povo, enviou Moisés, o mesmo deixou este legado, a definição de um povo como nação, pois em Moisés Deus cumpriu com a promessa, levando o povo para o lugar que “mana leite e mel” (Êx 3.8,17; 13.5; 33.3; Lv 20.24; Nm 13.27; 14.8; 16.13,14; Dt 6.3; 11.9; 26.9,15; 27.3; 31.20; Js 5.6). E pergunto: Quem não quer viver no que é seu? Moisés trouxe esta esperança, apresentando a Israel que haveria sim um lugar para eles habitarem, e além disso um Deus para os guardarem. A nação estava em apuros, como já mencionei, e Deus socorreu o seu povo, eles tiveram a oportunidade de estabelecer nacionalidade, e, além disso, obtiveram uma língua própria, escrita própria,
  • 5. cultura e identidade religiosa distinta, receberam um sistema jurídico diferente das demais nações, um código civil e penal do mais avançado daqueles, tudo isso ainda influencia muitos povos e nações, trouxeram para todos grande contribuição, veremos estes benefícios no próximo tópico. Tudo que conhecemos sobre a historicidade de Israel nos primórdios do mundo, estão escritos com punho do próprio Moisés, seus escritos são conhecidos com Torá pelos os judeus, e nós o conhecemos como o Pentateuco, foi ele mesmo que recebera do próprio Deus a sua palavra e registrou toda a sua vontade, vontade esta que estabelecia a Aliança de Deus com Israel, também está registrado a liturgia e rituais religiosos, o estabelecimento da presença de Deus por meio do Tabernáculo e a ordenação de sacerdotes que serviriam a Deus com intermediação com o povo. 2.2 – A estruturação da fé e da religião. Segundo o apóstolo Paulo, pelo menos Deus havia dado sete coisas importantes para o seu povo (Rm 9.4,5). a) Adotou os israelitas como filhos; b) Manifestou a eles um pouco da sua glória; c)Estabeleceu uma Aliança com seu eles, deu-lhes os patriarcas; d) Entregou-lhes a legislação; e) Deu-lhes o modelo litúrgico e ritualístico do culto. f) Cumpriu e deu-lhes promessas; g) e por meio das promessas, deu-lhes o Messias; Além do Pentateuco, Moisés deixou escrito o Livro de Jó e um salmo, que faz parte da coleção de salmos de Israel, que são cânticos de adoração, memorias de vitorias, conselhos e advertências para o povo, o Salmo 90. 3. O LEGADO DE MOISÉS PARA OS DEMAIS POVOS. 3.1 – Legislação hebraica. Como já foi explicado, a legislação ou o Código da Aliança era entre todos daquele mundo, o mais avançado, estudamos este assunto na Lição 10, ali conhecemos um pouco sobre os vários tipos de códigos que existiram nas demais nações, como: Código Urukagina; Estrela dos Abutres; Ur-Nammu; Eshnunna; e o mais conhecido Código de Hamurabi. O Código da Aliança em sua essência influencia a humanidade no seu sentido moral e espiritual. Moralmente estabelece a preservação a vida, o respeito e a dignidade da mulher, a forma de como se trata a escravidão, que também se encontra inserido em nossa constituição, no código civil do nosso país e demais países, todos eles em sua estrutura contém o que já
  • 6. existia há mais ou menos 3.000 anos atrás. 3.2 – Os valores judaicos. No sentido espiritual, todos nós, principalmente o Continente Ocidental, fomos influenciados pelos os costumes e valores advindo dos judeus, com seu sistema religioso, os quais foram extraídos pela a cultura judaica, foram eles os responsáveis “... pela sua formação e se constituem a base de todas as suas conquistas, de valores judaico-cristãos”. Podemos contar com o conhecimento dos escritos sagrados da Torá, como também dos Profetas e demais escritos, tendo em vista o “Decálogo” que ajudou a moldar nossos valores juntamente com o Cristianismo (Êx 20.1-17). 4. O LEGADO DE MOISÉS DOADO Á IGREJA. 4.1 – Doação da fé e fidelidade. Em Hebreus encontramos o escritor relatando com avidez e segurança a fervorosa fé de Moisés, que mesmo sendo criado em todo conhecimento do Egito, recusou fazer parte da linhagem real egípcia, preferindo identificasse com seu povo, demonstrando uma fé firme e fidedigna em Deus, crendo que seria ele mesmo usado pelo o Todo Poderoso a favor de seu povo. Pela fé Moisés deixou o Egito levando consigo o seu povo, por que via o “invisível”, celebrou a páscoa e aspersão do sangue, atravessou o Mar Vermelho e viu a derrota de seus inimigos (Hb 11.23-29). “Moisés e Arão realizaram muitos milagres perante Faraó e seus oficiais no período que precedeu a saída de Israel do Egito (Êx 4-12).” Moisés nos desperta para a realidade espiritual, de que não devemos se conformar com a situação caótica deste século, procurando assim como ele, resgatar os que se encontram na escravidão do Egito (pecado), enfrentando as hostes das maldades com firmeza e fé no Deus de Abraão, Isaque e Jacó, olhando com fidelidade o que está reservada para nós, a igreja do Senhor Jesus Cristo, como disse o apóstolo Paulo: “Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviram, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam” (I Co 2. 9). Almejamos o invisível, uma pátria, um lugar assim como Israel recebera, embora que a nação israelita recebera uma herança terrena, nós receberemos a que é celestial (Hb 11.16). 4.2 – Exemplo de Liderança. Moisés obteve muitas experiências, era capacitado para guiar a nação judia, mesmo humilhando-se diante de Deus e dizendo que não seria capaz para realizar a vontade do Todo Poderoso, Deus sabia muito sobre ele, desde quando ele ainda nem havia nascido, e Deus conhecia o oculto do seu coração, sabia que ele era capaz sim de retirar um numero povo de
  • 7. uma terra estranha e opressora. Moisés temia a fúria de Faraó, sua posição diante de sua gente, achava-se inferior para cumprir esta tarefa, poderia ser o ambiente simples de Midiã, como pastor de ovelhas, mas era ali a escola de capacitação que Moisés estava aprendendo a guiar, pastorear, conduzir o povo assim como fazia com o rebanho de ovelhas, com amor, cuidado e zelo. A liderança de nossos dias deve aprender com Moisés, saber de sua origem, conhecer de fato os sentimentos de sua gente, da igreja, dos pequeninos e menos favorecidos, enfim de toda a comunidade em geral, priorizando a condução do povo á presença de Deus. 4.3 - Paciente. Soube ser Moisés “aquele varão encolerizado, que cometeu o homicídio” quando ainda estava na corte egípcia, ser um homem manso, os mais manso encontrado naqueles dias como diz as escrituras (Nm 12.3), com paciência e perseverança conseguiu retirar o povo das mãos de Faraó, jamais fez isso levantando uma revolta, uma revolução, uma guerra, mas fez de forma pacífica. Ele é o exemplo tanto para a liderança da igreja, como para a liderança familiar, em nossos dias existem muitas famílias que foram dissolvidas, desprovidas e incapacitadas por falha de suas lideranças, os chefes de famílias, que comumente chamamos. Famílias despertam busquem ao Senhor a direção certa, o agir certo assim como Moisés, realizando passa a passo a vontade de Deus. O cristão em si deve-se está inteiramente dominado pela a ação do Espirito Santo, adquirindo o Fruto do Espirito, que são características visíveis na vida do crente, que chamamos de testemunhos, entre eles está o de domínio próprio, o principal para conter a natureza do pecado. 4.4 – Intercessor. Moisés se tornou o modelo referencial de intercessão, ele teve a primazia de está face a face com Deus, ouvir de boca com precisão cada palavra, de forma mais precisa e concisa, como também teve a oportunidade de perto falar a favor de seu povo. Ele foi chamado de amigo intimo de Deus (Êx 33.11), por que mantinha essa comunhão intima com Deus, em Cristo nós podemos manter intimidade com Deus, mas como Moisés isso não é possível, mas em Espirito podemos sentir sua presença, por meio da graça de Cristo (Jo 15.1-7). Matthew Henry comenta: “...Isto sugere que Deus se revelou a Moisés, não só com clareza e evidencias maiores da luz divina do que a qualquer outro dos profetas, mas também com expressões particulares e ainda maiores de bondade e graça. Ele fala não como um príncipe á um súdito, mas como qualquer que fala com o seu amigo, a quem ama.”
  • 8. CONCLUSÃO. São muitas as doações ou o Legado que Moisés nos deixou, muito ainda se poderia dizer, como sua persistência, sua integridade, sua fidelidade, seu amor, sua visão sobre o futuro, enfim mutos outros que poderíamos enumerar aqui, mas concluiremos falando sobre a sua morte. Pois bem, segundo o relato bíblico, Moisés subiu ao Monte Nebo, não apenas para morrer, mas ouvir as últimas palavras de Deus no que se dizia ao lugar que a nação judia iria ser estabelecida, apesar de ser um homem manso em toda terra, o episódio das águas de Meribá o fizeram perder a oportunidade de entrar na terra prometida, “Moisés ao receber a ordem de Deus sobre como tirar água da rocha, ele não fez de forma correta, pois Deus disse que ele apenas deveria falar á rocha para liberar a água, para que pudesse santificar o nome de Deus, mas ao invés disso, ele insultou diante da nação, dizendo: “Ouvi agora, rebeldes, porventura tiraremos água desta rocha para vós”, e então fere a rocha duas vezes, e assim disse o Senhor: “Porquanto não me crestes a mim, para me santificar diante dos filhos de Israel, por isso não metereis esta congregação na terra que lhes tenho dado” (Nm 20.10,12,24,26,29; 27.14), diante desse episódio nem os israelitas rebeldes e nem mesmo Moisés e Arão puderam entrar na terra prometida. Por fim, Moisés foi levado por Deus, seu corpo fora enterrado, não sabendo onde fora, ao ponto de a Bíblia relatar sobre a disputa entre o arcanjo Miguel e satanás sobre o corpo de Moisés (Jd v.9), mas Moisés fora o homem que cumpriu sua carreira com fé, coragem e determinação em Deus, sendo fiel em tudo, que possamos pelo menos vivenciar os exemplos que ele nos deixou, a doação do seu legado para nós é uma joia preciosíssima que precisa moldar as nossas vidas. Amém... BIBLIOGRAFIA Revista Lições Bíblicas, 1º Trimestre de 20014, Lição 13, Coment. Pr. Antônio Gilberto, págs. 93,95, CPAD, Rio de Janeiro. Comentário Beacon do A.T – Gênesis a Deuteronômio – pg.339, CPAD, Rio de Janeiro. Livro de Apoio – O Legado de Moisés – Capitulo 13, Silas Daniel, págs. 146-157, CPAD, 2013, Rio de Janeiro. Bíblia de Estudo Pentecostal – CPAD e SBB. Bíblia com Referencias e Dicionário Conciso – IBB.