SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA
BÍBLICA
2015
TEMA
LIÇÃO
Lição 02: O PROPÓSITO DA
TENTAÇÃO
TEXTO ÁUREO
Lição 02: O PROPÓSITO DA
TENTAÇÃO
VERDADE PRÁTICA
Lição 02: O PROPÓSITO DA
TENTAÇÃO
LEITURA DIÁRIA
 Pv 1.10 - Tentado, não cedas!
 Hb 2.18 - Jesus foi provado assim como nós
 1Pe 1.7 - Tentação, a provação da fé
 Dt 8.2,3 - Conheça a ti mesmo
 Mt 26.41 - Vigilância e oração
 1Pe 5.9 - Identificação através das provações
Lição 02: O PROPÓSITO DA
TENTAÇÃO
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Tiago 1.2-4,12-15
Lição 02: O PROPÓSITO DA
TENTAÇÃO
INTERAÇÃO
“Pare de sofrer!”, “É tempo de vitória!”, “Você vai
conquistar!”. Estas são frases de efeito bem conhecidas
no meio evangélico. Nelas, está presente a ideia do não
sofrimento. A lição desta semana é um resgate do
ensino bíblico quanto ao valor do sofrimento por Cristo e
da sua importância para o nosso crescimento espiritual.
A epístola de Tiago nos mostra que devemos nos alegrar
na tentação, pois a partir desta reconhecemos a nossa
inteira dependência de Deus. O sofrimento é uma
realidade e não podemos fugir dele. Em Cristo, temos o
privilégio de sofrermos para a honra do seu nome. A cruz
Lição 02: O PROPÓSITO DA
TENTAÇÃO
OBJETIVOS
Após esta lição, deveremos estar aptos a:
 Conceituar a tentação.
 Pontuar a origem da tentação.
 Compreender o propósito da
tentação.
INTRODUÇÃO
Definitivamente, o homem moderno não está preparado
para sofrer. Os membros de muitas igrejas evangélicas,
através da Teologia da Prosperidade, têm se iludido
com a filosofia enganosa do “não sofrimento”. O
resultado é que quando o iludido sofre o infortúnio,
perde a fé em “Deus”.
Mas, que se entenda bem, num “deus” que nada tem
com as Escrituras! A lição dessa semana tem o objetivo
de resgatar esse ensinamento evangélico (Tg 1.2).
Aprenderemos acerca da tentação, do sofrimento e da
provação, não como consequência de uma vida de
pecado ou de falta de fé, mas como o caminho
delineado por Deus para o nosso aperfeiçoamento.
Ninguém melhor do que Jesus Cristo, com seu exemplo
de vida, para nos ensinar tal lição (Hb 5.8). O convite do
I. DEFINIÇÃO E CONCEITO
1. O que é tentação. O termo empregado na Bíblia tanto no
hebraico, massah, quanto no grego, peirasmos, para
tentação, significa “prova”, “provação” “tentar” ou “teste”.
O que define se é provação ou tentação é o contexto no
qual a palavra aparece. A expressão pode estar
relacionada também ao conflito moral, isto é, a uma
incitação ao pecado. De fato, como mostram as Escrituras,
a tentação é uma provação, uma espécie de teste. O
pecado, por sua vez, já se trata de um ato imoral
consumado. Por isso, a tentação não é, em si mesma,
pecado, pois ninguém peca quando passa pelo processo
“probatório”. A própria vida terrena do Senhor Jesus
demonstra, com clareza, a distinção entre tentação e
I. DEFINIÇÃO E CONCEITO
Todos carregamos, nas profundezas do nosso ser, esta
natureza perversa que, se não for dia a dia sufocada, se
manifestara e nos arrastara ao pecado. Jesus mesmo disse que
o que sai do nosso coração são: "os maus pensamentos, as
imoralidades sexuais, os roubos, os homicídios, os adultérios,
as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a
calúnia, a arrogância e a insensatez" (Mc 7:21,22). Esse câncer
corrói o nosso relacionamento com o próximo (inveja,
homicídio, furtos, adultério, fornicação, engano etc) e com Deus
(arrogância, amor próprio, independência, insensatez etc).
Também em Gálatas 5:19-21, estão descritas as obras da
"carne".
 Paulo aconselha a Timóteo dizendo: "Tu porém, ó
A Epístola aos Hebreus afirma que Jesus,
o nosso Senhor, em tudo foi tentado. Ele
foi provado e testado em todas as coisas.
Todavia, o Mestre não pecou (Hb 4.14-16).
Portanto, confiantes de que Jesus Cristo é
o nosso Sumo Sacerdote perfeito,
devemos nos aproximar, com fé, do trono
da graça sabendo que Ele conhece as
nossas tentações e pode nos dar a força
I. DEFINIÇÃO E CONCEITO
II. A ORIGEM DAS
TENTAÇÕES
1. A tentação é humana.
Embora a tentação objetive
provar o crente, as Escrituras
afirmam que ela não vem da
parte de Deus, mas da
fragilidade humana (Tg 1.13).
O ser humano é atraído por
aquilo que deseja. A história
de Adão e Eva nos mostra o
primeiro casal sendo tentado
por aquilo que lhe atraía (Gn
II. A ORIGEM DAS
TENTAÇÕES
Mesmo sabendo que não poderiam tocar na árvore no
centro do Jardim do Éden, depois de atraídos pelo
desejo, Adão e Eva entregaram-se ao pecado (Gn 3.6-
9). A Epístola de Tiago aplica o termo “gerar”, utilizado
no versículo 15, à ideia de que ninguém peca sem
desejar o pecado. Assim, antes de ser efetivamente
consumada, a transgressão passa por um processo
de gestação interior no ser humano. Portanto, a
origem da tentação está nos desejos humanos e
jamais no Altíssimo, “porque Deus [...] a ninguém
tenta.
II. A ORIGEM DAS
TENTAÇÕES
Atração pela própria concupiscência. O texto bíblico é
claro ao dizer que “cada um é tentado, quando atraído
e engodado pela sua própria concupiscência” (v.14). A
tentação exterioriza o vício, os desejos, a malignidade
da natureza humana, isto é, a concupiscência. Ser
tentado é sentir-se aliciado pela própria malícia ou os
sentimentos mais reclusos de nossa natureza má.
Você tem ouvido o ressoar das suas malícias? Elas te
atraem? Ouça a Epístola de Tiago! Não dê vazão às
pulsões interiores, antes procure imitar Jesus
afastando-se do pecado. Assim, não darás luz ao
pecado e viverás.
2. Pode vir do maligno “[...] mas livra-nos do mal.” (v. 13).
Não há nenhum outro que possa nos livrar do mal, a não ser
Deus. O mal, no caso o próprio maligno, trata-se de uma
entidade espiritual. Sendo que estamos em um corpo físico e
enxergamos o mundo físico, não temos defesa por nós
mesmos. Temos as armas espirituais que Deus nos dá, mas
na prática, só Deus vê o que acontece no mundo espiritual ao
nosso redor, por isso é Ele que impede Satanás de nos
destruir.
O máximo que podemos fazer é ter uma vida na presença
d’Ele, o que nos trará livramento do mal. Alguns acham que
ficarão livres do mal se o ignorarem, se não falarem a
respeito dele. Jesus não o ignorou, mais combateu.
Se Jesus nos ensinou a orar pedindo que o Pai celestial nos
livre do mal. Essa é uma petição que precisa estar
diariamente em nossas orações, pois se trata de batalha
espiritual, da qual nenhum cristão está isento.
II. A ORIGEM DAS
TENTAÇÕES
3. Não vem de Deus. Tiago 1.13 “Ninguém sendo
tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus
não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém
tenta. Preste atenção que neste verso tem três
vezes “tentado” e uma tenta, mas nem todas são as
mesmas no grego, (peirasmos) veja o verso escrito
com a palavra no grego na frente da palavra tentado
e tenta:
Ninguém sendo tentado(peirasmos), diga: De Deus
sou tentado,(peirasmos); porque Deus não pode
ser tentado(apeirastos) pelo mal, e Ele mesmo a
ninguém tenta(peirasmos).
II. A ORIGEM DAS
TENTAÇÕES
Em Mateus 6.13 temos “E não nos induzas a tentação, mas
livra-nos do mal...”aqui parece haver uma contradição com o
texto acima estudado, pois pede ao Senhor para não induzir a
tentação, mas cuidado, não pense assim, a Bíblia não se
contradiz, vamos pensar no texto, o Senhor Jesus é que está
ensinado os discípulos a orarem desta forma. A Palavra
induzas no grego é (esphiero) e significa; trazer para dentro,
introduzir, ou seja no texto grego o sentido é para que Deus
não nos introduza na tentação, não nos "conduzir", "levar" (ao
local de sermos provados).
Na versão atualizada de JFA o termo usado “não nos deixe cair
em tentação” facilita a compreensão mas, este não é um
pedido para escapar completamente da tentação, pois isto é
inconcebível, em vista de tais passagens como 1 Coríntios
III. ANALISANDO TEXTOS
Quando o Senhor ensinou os discípulos não nos induzas a
tentação era o teste como o de Jó vindo da parte de Satanás
com a permissão de Deus para testar a fé, isso sempre é algo
terrível, e o Senhor nos ensina a rogar ao Pai que nos livre
deste tipo de teste, Lucas 22.31-31
Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos
pediu para vos cirandar como trigo, Mas eu roguei por ti,
para que a tua fé não desfaleça... Neste verso temos o
exemplo do porquê o Senhor Jesus ensinou a pedir não nos
induzas a tentação, este relato diz que Satanás pediu a Pedro
para ser peneirado (nota: alguns pensam que Satanás queria
destruir todos os apóstolos, mas neste caso o interesse de
Satanás era apenas em Pedro) Satanás queria destruir Pedro,
ele exigiu ao Senhor que lhe deixasse testar Pedro, a palavra
peneirar indica: testar a fé pela agitação interna até o limite,
III. ANALISANDO TEXTOS
O Exemplo de Jesus: Mateus 4.1-11 a tentação de
Jesus, vemos a origem satânica do teste, a finalidade
era desviar o Senhor Jesus de seus propósitos
divinos, isso conhecemos como tentação, mas a
palavra grega em todos os casos é a mesma
(peirasmos) por isso Jesus foi tentado/provado; Para
sabermos a diferença precisamos olhar a origem e
finalidade do teste e não apenas ficarmos apegados a
palavras. “Então foi conduzido Jesus pelo
Espírito ao deserto, para ser tentado pelo
diabo.” (Mateus 4:1)
III. ANALISANDO TEXTOS
Um outro exemplo: Abraão foi provado/testado
por Deus, Gênesis 22.2-13; aqui temos uma
tentação/provação que teve a origem em Deus e com
a finalidade de fazer Abraão confiar ainda mais em
Deus, foi um teste, e no português chamamos de
provação. Resumindo, Deus não pode ser
tentado/provado/experimentado por Satanás, e no
sentido de tentar/provar/experimentar alguém para
errar, Deus a ninguém tenta, Deus pode nos induzir a
tentação/provação para nos fortificar na fé, para que
através de nós seu nome seja glorificado.
III. ANALISANDO TEXTOS
1. Deus nos fortalece na tentação. Embora a
tentação seja fruto da fragilidade humana, quando
ouvimos o Espírito Santo, Deus nos dá o escape em
tempo oportuno: “Não veio sobre vós tentação, senão
humana; mas fiel é Deus, que vos não deixará tentar
acima do que podeis, antes com a tentação dará
também o escape, para que a possais suportar” (1Co
10.13). O Santo Espírito nos fará lembrar a Palavra de
Deus para não pecarmos contra o nosso Senhor
Altíssimo (Is 30.21; Jo 14.26). Todavia, para que isso
seja uma realidade em nossa vida, precisamos
cultivara Palavra de Deus em nossos corações (Sl
I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO
PELAS TENTAÇÕES
I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO
PELAS TENTAÇÕES
2. Fortalecimento após a
tentação (v.2). Do mesmo modo
que o ouro precisa do fogo para ser
refinado ou purificado, o cristão
passa pelas tentações para se
aperfeiçoar no Reino de Deus (1Pe
1.7). Quando tentado, o crente é
posto à prova para mostrar-se
aprovado tal como Cristo, que foi
conduzido ao deserto para ser
tentado por Satanás e embora
debilitado e provado
espiritualmente, saiu do deserto
vitorioso e fortalecido, tendo em
seguida iniciado seu ministério
I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO
PELAS TENTAÇÕES
3. Felicidade pela tentação (v.12). Quando o cristão é
submetido às tentações há uma tendência de ele entregar-
se à tristeza e à angústia. Mas atentemos para esta
expressão: “Bem-aventurado o varão que sofre a
tentação”. Em outras palavras, como é feliz, realizado ou
atingiu a felicidade aquele crente que é provado, não em
uma, mas em várias tentações (v.2). Ser participantes dos
sofrimentos de Cristo e ao mesmo tempo felizes parece
paradoxal. A Bíblia, porém, orienta-nos a que nos
alegremos em Deus porque a tribulação produz a
paciência, e esta, a experiência que, finalmente, culmina
na esperança (Rm 5.3-5). Isto mesmo! Vivemos sob a
esperança de receber diretamente de Jesus a coroa da
I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO
PELAS TENTAÇÕES
À luz do exemplo de
Cristo, compreendemos
bem o que Tiago quer dizer
quando exorta-nos a
termos “grande gozo
quando [cairmos] em
várias tentações”. Tal
conselho aponta para a
certeza de que ao passar
pela tentação, além de
paciente e maduro, o
crente se sentirá ainda
mais fortalecido pela graça
I. O FORTALECIMENTO
PRODUZIDO PELAS TENTAÇÕES
Você ama ao Senhor? É
discípulo dEle? Então, não
tema passar pela tentação.
Há uma promessa: Você
“receberá a coroa da vida, a
qual o Senhor tem prometido
aos que o amam”. Alegre-se
e regozije-se em ser
participante das aflições de
Cristo, pois é justamente
nessa condição — de
felicidade verdadeira —, que
Ele nos deixará por toda a
IV. O PROPÓSITO DAS
TENTAÇÕES
1. Produzir a paciência
(vv.3,4). No grego,
“paciência” deriva de
hupomone e denota a
capacidade de perseverar,
ser constante, ser firme,
suportar as circunstâncias
difíceis. A palavra aparece
em o Novo Testamento ao
lado de “tribulações” (Rm
5.3), aflições (2Co 6.4) e
perseguições (2Ts 1.4).
III. O PROPÓSITO DAS
TENTAÇÕES
2. Chegar à perfeição. A habilidade de perseverar ou
desenvolver a paciência não acontece da noite para o
dia. Envolve tempo, experiência e maturidade. O
meio-irmão do Senhor destaca na epístola a paciência
para que o leitor seja estimulado a chegar à perfeição
e, consequentemente, à completude da vida cristã,
que se dará na eternidade. A expressão “obra perfeita”
traz a ideia de algo gradual, em desenvolvimento
constante, com vistas à maturidade espiritual. O
motivo pelo qual o cristão é provado não é outro
senão para que persevere na vida cristã e atinja o
modelo de perfeição segundo Cristo Jesus (Sl 119.67;
Hb 5.8; Ef 4.13).
CONCLUSÃO
A diferença existe na origem do teste e na finalidade do teste. Como
descobrir se o que enfrento é uma tentação/provação/teste, vindo de
mim mesmo, de Deus ou de Satanás?
 Analise as circunstâncias, como começou, que rumo está tomando,
está te afastando de Deus? Seus desejos carnais estão sendo
realizados? Você está desanimado de ler a Bíblia? Está desanimado
com a obra do Senhor? Deus parece estar longe? Cuidado isso são
indícios dos ataques de Satanás, mas esses só ganham forças se você
mesmo abrir brechas para isso através da suas próprias vontades.
 Porém, se as lutas e adversidades forem muitas e mesmo assim sua
alma chora na presença do Senhor, e mesmo quando tudo está contrário
você confia em Deus, sabendo que Ele está no controle, derramando
suas angustias diante do Senhor e encontra na Bíblia forças para lutar,
então: Bem-aventurado o varão que suporta a tentação/provação,
porque quando for provado receberá a coroa da vida? Tiago 1.12 Deus
está preparando você para ser um instrumento em suas santas mãos.
CONCLUSÃO
Sabemos que todo cristão passa por aflições e
tentações ao longo da vida. Talvez você esteja
vivendo tal situação. Lembre-se de que o nosso
Senhor Jesus passou por inúmeras tribulações e
tentações, mas venceu todas, tornando-se o maior
exemplo de vida para os seus seguidores. Cada
tentação vencida pelo crente significa um avanço
rumo ao amadurecimento espiritual. Um dia ele
atingirá a estatura de varão perfeito à medida da
estatura de Cristo (Ef 4.13). Este é o nosso objetivo
na jornada cristã! Deus nos recompensará!
Estejamos firmes no Senhor Jesus, pois Ele já

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

EBD Palavra e Vida.2T2015.Aula 9: Encarnação ou reencarnação?
EBD Palavra e Vida.2T2015.Aula 9: Encarnação ou reencarnação?EBD Palavra e Vida.2T2015.Aula 9: Encarnação ou reencarnação?
EBD Palavra e Vida.2T2015.Aula 9: Encarnação ou reencarnação?
Andre Nascimento
 
LIÇÃO 2 - O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO
LIÇÃO 2 - O PROPÓSITO DA TENTAÇÃOLIÇÃO 2 - O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO
LIÇÃO 2 - O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO
Alexsandro Martins
 
Não estou só
Não estou sóNão estou só
Não estou só
MOISSESIMONEFirmo
 
A tentação de Jesus - Lição 04 - 2º/2015
A tentação de Jesus - Lição 04 - 2º/2015A tentação de Jesus - Lição 04 - 2º/2015
A tentação de Jesus - Lição 04 - 2º/2015
Pr. Andre Luiz
 
A tentação de Jesus
A tentação de Jesus A tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Quenia Damata
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis   lição 093º trimestre 2015 juvenis   lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
Joel Oliveira
 
O livro de jó
O livro de jóO livro de jó
O livro de jó
Élida Rolim
 
Panorama do AT - Jó
Panorama do AT - JóPanorama do AT - Jó
Panorama do AT - Jó
Respirando Deus
 
A TENTAÇÃO DE JESUS
A TENTAÇÃO DE JESUSA TENTAÇÃO DE JESUS
A TENTAÇÃO DE JESUS
Pr. Gerson Eller
 
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Pr. Eli Rocha Silva
 
Ebook o poder da palavra
Ebook o poder da palavraEbook o poder da palavra
Ebook o poder da palavra
JulioSantos198
 
Tentação e provação
Tentação e provaçãoTentação e provação
Tentação e provação
Vilmar Nascimento
 
Na cruz de Cristo
Na cruz de Cristo Na cruz de Cristo
Na cruz de Cristo
Juraci Rocha
 
Slides reflexão bíblica
Slides   reflexão bíblicaSlides   reflexão bíblica
Slides reflexão bíblica
eschappy
 
IBBC - Livros poéticos - Jó
IBBC - Livros poéticos  - Jó IBBC - Livros poéticos  - Jó
IBBC - Livros poéticos - Jó
PrAndré Luiz
 
5 a restituição da liberdade 1
5 a restituição da liberdade 15 a restituição da liberdade 1
5 a restituição da liberdade 1
Josenilton Pinheiro Pinheiro
 

Mais procurados (16)

EBD Palavra e Vida.2T2015.Aula 9: Encarnação ou reencarnação?
EBD Palavra e Vida.2T2015.Aula 9: Encarnação ou reencarnação?EBD Palavra e Vida.2T2015.Aula 9: Encarnação ou reencarnação?
EBD Palavra e Vida.2T2015.Aula 9: Encarnação ou reencarnação?
 
LIÇÃO 2 - O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO
LIÇÃO 2 - O PROPÓSITO DA TENTAÇÃOLIÇÃO 2 - O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO
LIÇÃO 2 - O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO
 
Não estou só
Não estou sóNão estou só
Não estou só
 
A tentação de Jesus - Lição 04 - 2º/2015
A tentação de Jesus - Lição 04 - 2º/2015A tentação de Jesus - Lição 04 - 2º/2015
A tentação de Jesus - Lição 04 - 2º/2015
 
A tentação de Jesus
A tentação de Jesus A tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis   lição 093º trimestre 2015 juvenis   lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
 
O livro de jó
O livro de jóO livro de jó
O livro de jó
 
Panorama do AT - Jó
Panorama do AT - JóPanorama do AT - Jó
Panorama do AT - Jó
 
A TENTAÇÃO DE JESUS
A TENTAÇÃO DE JESUSA TENTAÇÃO DE JESUS
A TENTAÇÃO DE JESUS
 
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
 
Ebook o poder da palavra
Ebook o poder da palavraEbook o poder da palavra
Ebook o poder da palavra
 
Tentação e provação
Tentação e provaçãoTentação e provação
Tentação e provação
 
Na cruz de Cristo
Na cruz de Cristo Na cruz de Cristo
Na cruz de Cristo
 
Slides reflexão bíblica
Slides   reflexão bíblicaSlides   reflexão bíblica
Slides reflexão bíblica
 
IBBC - Livros poéticos - Jó
IBBC - Livros poéticos  - Jó IBBC - Livros poéticos  - Jó
IBBC - Livros poéticos - Jó
 
5 a restituição da liberdade 1
5 a restituição da liberdade 15 a restituição da liberdade 1
5 a restituição da liberdade 1
 

Destaque

Roteiro homilético do 6.º domingo do tempo comum – ano b – verde – 15.02.2015...
Roteiro homilético do 6.º domingo do tempo comum – ano b – verde – 15.02.2015...Roteiro homilético do 6.º domingo do tempo comum – ano b – verde – 15.02.2015...
Roteiro homilético do 6.º domingo do tempo comum – ano b – verde – 15.02.2015...
José Luiz Silva Pinto
 
Felicidade e Liberdade - Youcat School (Comunidade Oásis)
Felicidade e Liberdade - Youcat School (Comunidade Oásis)Felicidade e Liberdade - Youcat School (Comunidade Oásis)
Felicidade e Liberdade - Youcat School (Comunidade Oásis)
Comunidade Católica Oásis
 
Lição 02 | O batismo e as tentações | Escola Sabatina | Power point
Lição 02 | O batismo e as tentações | Escola Sabatina | Power pointLição 02 | O batismo e as tentações | Escola Sabatina | Power point
Lição 02 | O batismo e as tentações | Escola Sabatina | Power point
jespadill
 
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
Natalino das Neves Neves
 
Sermão da Montanha, Mateus 5
Sermão da Montanha, Mateus 5Sermão da Montanha, Mateus 5
Sermão da Montanha, Mateus 5
JP Sanita
 
LIÇÃO 10- O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10- O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10- O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10- O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
Alexsandro Martins
 
O Sermão da Montanha
O Sermão da MontanhaO Sermão da Montanha
O Sermão da Montanha
Igreja Bíblica da Confissão
 
Cateq pt 15
Cateq pt 15Cateq pt 15
Cateq pt 15
Cursos Católicos
 
lição 4 A tentação de Jesus
lição 4  A tentação de Jesuslição 4  A tentação de Jesus
lição 4 A tentação de Jesus
antonio vieira
 
A Nova AliançA De Cristo
A Nova AliançA De CristoA Nova AliançA De Cristo
A Nova AliançA De Cristo
DimensaoCatolica
 
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
José Luiz Silva Pinto
 
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do MonteAs Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
Mensageiros De Luz
 
Roteiro homilético do 9.º domingo do tempo comum ano c
Roteiro homilético do 9.º domingo do tempo comum   ano cRoteiro homilético do 9.º domingo do tempo comum   ano c
Roteiro homilético do 9.º domingo do tempo comum ano c
José Luiz Silva Pinto
 
Roteiro homilético do 3.º domingo do tempo comum – ano c
Roteiro homilético do 3.º domingo do tempo comum – ano cRoteiro homilético do 3.º domingo do tempo comum – ano c
Roteiro homilético do 3.º domingo do tempo comum – ano c
José Luiz Silva Pinto
 
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum  ano cRoteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum  ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum ano c
José Luiz Silva Pinto
 
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano c
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano cRoteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano c
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano c
José Luiz Silva Pinto
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
Leonardo Pereira
 
Sermão da montanha
Sermão da montanhaSermão da montanha
Sermão da montanha
Graça Maciel
 
O sermão da montanha e os valores humanos
O sermão da montanha e os valores humanosO sermão da montanha e os valores humanos
O sermão da montanha e os valores humanos
Dalila Melo
 

Destaque (20)

Roteiro homilético do 6.º domingo do tempo comum – ano b – verde – 15.02.2015...
Roteiro homilético do 6.º domingo do tempo comum – ano b – verde – 15.02.2015...Roteiro homilético do 6.º domingo do tempo comum – ano b – verde – 15.02.2015...
Roteiro homilético do 6.º domingo do tempo comum – ano b – verde – 15.02.2015...
 
Felicidade e Liberdade - Youcat School (Comunidade Oásis)
Felicidade e Liberdade - Youcat School (Comunidade Oásis)Felicidade e Liberdade - Youcat School (Comunidade Oásis)
Felicidade e Liberdade - Youcat School (Comunidade Oásis)
 
Lição 02 | O batismo e as tentações | Escola Sabatina | Power point
Lição 02 | O batismo e as tentações | Escola Sabatina | Power pointLição 02 | O batismo e as tentações | Escola Sabatina | Power point
Lição 02 | O batismo e as tentações | Escola Sabatina | Power point
 
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
 
Sermão da Montanha, Mateus 5
Sermão da Montanha, Mateus 5Sermão da Montanha, Mateus 5
Sermão da Montanha, Mateus 5
 
LIÇÃO 10- O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10- O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10- O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10- O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
 
O Sermão da Montanha
O Sermão da MontanhaO Sermão da Montanha
O Sermão da Montanha
 
Cateq pt 15
Cateq pt 15Cateq pt 15
Cateq pt 15
 
lição 4 A tentação de Jesus
lição 4  A tentação de Jesuslição 4  A tentação de Jesus
lição 4 A tentação de Jesus
 
A Nova AliançA De Cristo
A Nova AliançA De CristoA Nova AliançA De Cristo
A Nova AliançA De Cristo
 
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano a – 09.02.2014 – verde...
 
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do MonteAs Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
 
Roteiro homilético do 9.º domingo do tempo comum ano c
Roteiro homilético do 9.º domingo do tempo comum   ano cRoteiro homilético do 9.º domingo do tempo comum   ano c
Roteiro homilético do 9.º domingo do tempo comum ano c
 
Roteiro homilético do 3.º domingo do tempo comum – ano c
Roteiro homilético do 3.º domingo do tempo comum – ano cRoteiro homilético do 3.º domingo do tempo comum – ano c
Roteiro homilético do 3.º domingo do tempo comum – ano c
 
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum  ano cRoteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum  ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo do tempo comum ano c
 
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano c
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano cRoteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano c
Roteiro homilético do 5.º domingo do tempo comum – ano c
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
 
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
O sermão da montanha ( Leonardo Pereira
 
Sermão da montanha
Sermão da montanhaSermão da montanha
Sermão da montanha
 
O sermão da montanha e os valores humanos
O sermão da montanha e os valores humanosO sermão da montanha e os valores humanos
O sermão da montanha e os valores humanos
 

Semelhante a Lição 02 ester

Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação
Ismael Isidio
 
O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO - LIÇÃO 02 - 3°TRI.2014
O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO - LIÇÃO 02 - 3°TRI.2014 O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO - LIÇÃO 02 - 3°TRI.2014
O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO - LIÇÃO 02 - 3°TRI.2014
Pr. Andre Luiz
 
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptxLição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Celso Napoleon
 
EBJ - Encontro 01/07/2012
EBJ - Encontro 01/07/2012EBJ - Encontro 01/07/2012
EBJ - Encontro 01/07/2012
EBJ IPBCP
 
Lição 10 Vencendo as Tentações
Lição 10   Vencendo as TentaçõesLição 10   Vencendo as Tentações
Lição 10 Vencendo as Tentações
Wander Sousa
 
Pai nosso 6 - Tema 01/07/12
Pai nosso 6 - Tema 01/07/12Pai nosso 6 - Tema 01/07/12
Pai nosso 6 - Tema 01/07/12
EBJ IPBCP
 
O Propósito da Tentação
O Propósito da TentaçãoO Propósito da Tentação
O Propósito da Tentação
pralucianaevangelista
 
Lição 2 - O propósito da tentação
Lição 2 - O propósito da tentaçãoLição 2 - O propósito da tentação
Lição 2 - O propósito da tentação
Natalino das Neves Neves
 
ASSIM DIZ O SENHOR
ASSIM DIZ O SENHORASSIM DIZ O SENHOR
ASSIM DIZ O SENHOR
ibpd
 
02 Corrigindo 5 Distorcoes
02 Corrigindo 5 Distorcoes02 Corrigindo 5 Distorcoes
02 Corrigindo 5 Distorcoes
Herbert de Carvalho
 
A armadura de deus 1
A armadura de deus 1A armadura de deus 1
A armadura de deus 1
Antonio Proclamai Santos
 
Heresias
HeresiasHeresias
Pastora welma confadesp_2012
Pastora welma confadesp_2012Pastora welma confadesp_2012
Pastora welma confadesp_2012
cynthiapalmas
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de Tiago
UEPB
 
LIÇÃO 04 - A TENTAÇÃO DE JESUS
LIÇÃO 04 - A TENTAÇÃO DE JESUSLIÇÃO 04 - A TENTAÇÃO DE JESUS
LIÇÃO 04 - A TENTAÇÃO DE JESUS
Lourinaldo Serafim
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Moisés Sampaio
 
Lição 11 - O processo de formação do discipulado i
Lição 11 - O processo de formação do discipulado iLição 11 - O processo de formação do discipulado i
Lição 11 - O processo de formação do discipulado i
Erberson Pinheiro
 
Tiago lição 03
Tiago lição 03Tiago lição 03
Tiago lição 03
SANDRO AMORA
 
Lição 3 tentação
Lição 3   tentação Lição 3   tentação
Lição 3 tentação
Wilson Paulo de Santana Paulo
 
Licao-1-O-Perigo-das-Tentacoes.pptx
Licao-1-O-Perigo-das-Tentacoes.pptxLicao-1-O-Perigo-das-Tentacoes.pptx
Licao-1-O-Perigo-das-Tentacoes.pptx
FranciscoClaudioAlve1
 

Semelhante a Lição 02 ester (20)

Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação Lição 02 – o propósito da tentação
Lição 02 – o propósito da tentação
 
O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO - LIÇÃO 02 - 3°TRI.2014
O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO - LIÇÃO 02 - 3°TRI.2014 O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO - LIÇÃO 02 - 3°TRI.2014
O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO - LIÇÃO 02 - 3°TRI.2014
 
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptxLição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
Lição 9 - Resistindo à Tentação no Caminho.pptx
 
EBJ - Encontro 01/07/2012
EBJ - Encontro 01/07/2012EBJ - Encontro 01/07/2012
EBJ - Encontro 01/07/2012
 
Lição 10 Vencendo as Tentações
Lição 10   Vencendo as TentaçõesLição 10   Vencendo as Tentações
Lição 10 Vencendo as Tentações
 
Pai nosso 6 - Tema 01/07/12
Pai nosso 6 - Tema 01/07/12Pai nosso 6 - Tema 01/07/12
Pai nosso 6 - Tema 01/07/12
 
O Propósito da Tentação
O Propósito da TentaçãoO Propósito da Tentação
O Propósito da Tentação
 
Lição 2 - O propósito da tentação
Lição 2 - O propósito da tentaçãoLição 2 - O propósito da tentação
Lição 2 - O propósito da tentação
 
ASSIM DIZ O SENHOR
ASSIM DIZ O SENHORASSIM DIZ O SENHOR
ASSIM DIZ O SENHOR
 
02 Corrigindo 5 Distorcoes
02 Corrigindo 5 Distorcoes02 Corrigindo 5 Distorcoes
02 Corrigindo 5 Distorcoes
 
A armadura de deus 1
A armadura de deus 1A armadura de deus 1
A armadura de deus 1
 
Heresias
HeresiasHeresias
Heresias
 
Pastora welma confadesp_2012
Pastora welma confadesp_2012Pastora welma confadesp_2012
Pastora welma confadesp_2012
 
A Epistola de Tiago
A Epistola de TiagoA Epistola de Tiago
A Epistola de Tiago
 
LIÇÃO 04 - A TENTAÇÃO DE JESUS
LIÇÃO 04 - A TENTAÇÃO DE JESUSLIÇÃO 04 - A TENTAÇÃO DE JESUS
LIÇÃO 04 - A TENTAÇÃO DE JESUS
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
Lição 11 - O processo de formação do discipulado i
Lição 11 - O processo de formação do discipulado iLição 11 - O processo de formação do discipulado i
Lição 11 - O processo de formação do discipulado i
 
Tiago lição 03
Tiago lição 03Tiago lição 03
Tiago lição 03
 
Lição 3 tentação
Lição 3   tentação Lição 3   tentação
Lição 3 tentação
 
Licao-1-O-Perigo-das-Tentacoes.pptx
Licao-1-O-Perigo-das-Tentacoes.pptxLicao-1-O-Perigo-das-Tentacoes.pptx
Licao-1-O-Perigo-das-Tentacoes.pptx
 

Mais de Escola Bíblica Sem Fronteiras

Lição 11 final
Lição 11   finalLição 11   final
Lição 10
Lição 10Lição 10
Lição 09
Lição 09Lição 09
Lição 08
Lição 08Lição 08
Lição 07
Lição 07Lição 07
Lição 06
Lição 06Lição 06
Lição 05
Lição 05Lição 05
Lição 04
Lição 04Lição 04
Lição 03
Lição 03Lição 03
Lição 02
Lição 02Lição 02
Lição 01
Lição 01Lição 01
Lição 19 - Livro Apocalipse FINAL
Lição 19 - Livro Apocalipse FINALLição 19 - Livro Apocalipse FINAL
Lição 19 - Livro Apocalipse FINAL
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 18 - Livro de Apocalipse
Lição 18 - Livro de ApocalipseLição 18 - Livro de Apocalipse
Lição 18 - Livro de Apocalipse
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 17 Livro Apocalipse
Lição 17 Livro Apocalipse Lição 17 Livro Apocalipse
Lição 17 Livro Apocalipse
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 16 Livro Apocalipse
Lição 16 Livro Apocalipse Lição 16 Livro Apocalipse
Lição 16 Livro Apocalipse
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 15 Livro Apocalipse
Lição 15 Livro Apocalipse Lição 15 Livro Apocalipse
Lição 15 Livro Apocalipse
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 14 Livro Apocalipse
Lição 14 Livro Apocalipse Lição 14 Livro Apocalipse
Lição 14 Livro Apocalipse
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 12 Livro Apocalipse
Lição 12 Livro Apocalipse Lição 12 Livro Apocalipse
Lição 12 Livro Apocalipse
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 11 Livro Apocalipse
Lição 11 Livro Apocalipse Lição 11 Livro Apocalipse
Lição 11 Livro Apocalipse
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 

Mais de Escola Bíblica Sem Fronteiras (20)

Lição 11 final
Lição 11   finalLição 11   final
Lição 11 final
 
Lição 10
Lição 10Lição 10
Lição 10
 
Lição 09
Lição 09Lição 09
Lição 09
 
Lição 08
Lição 08Lição 08
Lição 08
 
Lição 07
Lição 07Lição 07
Lição 07
 
Lição 06
Lição 06Lição 06
Lição 06
 
Lição 05
Lição 05Lição 05
Lição 05
 
Lição 04
Lição 04Lição 04
Lição 04
 
Lição 03
Lição 03Lição 03
Lição 03
 
Lição 02
Lição 02Lição 02
Lição 02
 
Lição 01
Lição 01Lição 01
Lição 01
 
Lição 19 - Livro Apocalipse FINAL
Lição 19 - Livro Apocalipse FINALLição 19 - Livro Apocalipse FINAL
Lição 19 - Livro Apocalipse FINAL
 
Lição 18 - Livro de Apocalipse
Lição 18 - Livro de ApocalipseLição 18 - Livro de Apocalipse
Lição 18 - Livro de Apocalipse
 
Lição 17 Livro Apocalipse
Lição 17 Livro Apocalipse Lição 17 Livro Apocalipse
Lição 17 Livro Apocalipse
 
Lição 16 Livro Apocalipse
Lição 16 Livro Apocalipse Lição 16 Livro Apocalipse
Lição 16 Livro Apocalipse
 
Lição 15 Livro Apocalipse
Lição 15 Livro Apocalipse Lição 15 Livro Apocalipse
Lição 15 Livro Apocalipse
 
Lição 14 Livro Apocalipse
Lição 14 Livro Apocalipse Lição 14 Livro Apocalipse
Lição 14 Livro Apocalipse
 
Lição 13 Livro Apocalipse
Lição 13 Livro Apocalipse Lição 13 Livro Apocalipse
Lição 13 Livro Apocalipse
 
Lição 12 Livro Apocalipse
Lição 12 Livro Apocalipse Lição 12 Livro Apocalipse
Lição 12 Livro Apocalipse
 
Lição 11 Livro Apocalipse
Lição 11 Livro Apocalipse Lição 11 Livro Apocalipse
Lição 11 Livro Apocalipse
 

Lição 02 ester

  • 3. Lição 02: O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO TEXTO ÁUREO
  • 4. Lição 02: O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO VERDADE PRÁTICA
  • 5. Lição 02: O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO LEITURA DIÁRIA  Pv 1.10 - Tentado, não cedas!  Hb 2.18 - Jesus foi provado assim como nós  1Pe 1.7 - Tentação, a provação da fé  Dt 8.2,3 - Conheça a ti mesmo  Mt 26.41 - Vigilância e oração  1Pe 5.9 - Identificação através das provações
  • 6. Lição 02: O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Tiago 1.2-4,12-15
  • 7. Lição 02: O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO INTERAÇÃO “Pare de sofrer!”, “É tempo de vitória!”, “Você vai conquistar!”. Estas são frases de efeito bem conhecidas no meio evangélico. Nelas, está presente a ideia do não sofrimento. A lição desta semana é um resgate do ensino bíblico quanto ao valor do sofrimento por Cristo e da sua importância para o nosso crescimento espiritual. A epístola de Tiago nos mostra que devemos nos alegrar na tentação, pois a partir desta reconhecemos a nossa inteira dependência de Deus. O sofrimento é uma realidade e não podemos fugir dele. Em Cristo, temos o privilégio de sofrermos para a honra do seu nome. A cruz
  • 8. Lição 02: O PROPÓSITO DA TENTAÇÃO OBJETIVOS Após esta lição, deveremos estar aptos a:  Conceituar a tentação.  Pontuar a origem da tentação.  Compreender o propósito da tentação.
  • 9. INTRODUÇÃO Definitivamente, o homem moderno não está preparado para sofrer. Os membros de muitas igrejas evangélicas, através da Teologia da Prosperidade, têm se iludido com a filosofia enganosa do “não sofrimento”. O resultado é que quando o iludido sofre o infortúnio, perde a fé em “Deus”. Mas, que se entenda bem, num “deus” que nada tem com as Escrituras! A lição dessa semana tem o objetivo de resgatar esse ensinamento evangélico (Tg 1.2). Aprenderemos acerca da tentação, do sofrimento e da provação, não como consequência de uma vida de pecado ou de falta de fé, mas como o caminho delineado por Deus para o nosso aperfeiçoamento. Ninguém melhor do que Jesus Cristo, com seu exemplo de vida, para nos ensinar tal lição (Hb 5.8). O convite do
  • 10. I. DEFINIÇÃO E CONCEITO 1. O que é tentação. O termo empregado na Bíblia tanto no hebraico, massah, quanto no grego, peirasmos, para tentação, significa “prova”, “provação” “tentar” ou “teste”. O que define se é provação ou tentação é o contexto no qual a palavra aparece. A expressão pode estar relacionada também ao conflito moral, isto é, a uma incitação ao pecado. De fato, como mostram as Escrituras, a tentação é uma provação, uma espécie de teste. O pecado, por sua vez, já se trata de um ato imoral consumado. Por isso, a tentação não é, em si mesma, pecado, pois ninguém peca quando passa pelo processo “probatório”. A própria vida terrena do Senhor Jesus demonstra, com clareza, a distinção entre tentação e
  • 11. I. DEFINIÇÃO E CONCEITO Todos carregamos, nas profundezas do nosso ser, esta natureza perversa que, se não for dia a dia sufocada, se manifestara e nos arrastara ao pecado. Jesus mesmo disse que o que sai do nosso coração são: "os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, os homicídios, os adultérios, as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, a arrogância e a insensatez" (Mc 7:21,22). Esse câncer corrói o nosso relacionamento com o próximo (inveja, homicídio, furtos, adultério, fornicação, engano etc) e com Deus (arrogância, amor próprio, independência, insensatez etc). Também em Gálatas 5:19-21, estão descritas as obras da "carne".  Paulo aconselha a Timóteo dizendo: "Tu porém, ó
  • 12. A Epístola aos Hebreus afirma que Jesus, o nosso Senhor, em tudo foi tentado. Ele foi provado e testado em todas as coisas. Todavia, o Mestre não pecou (Hb 4.14-16). Portanto, confiantes de que Jesus Cristo é o nosso Sumo Sacerdote perfeito, devemos nos aproximar, com fé, do trono da graça sabendo que Ele conhece as nossas tentações e pode nos dar a força I. DEFINIÇÃO E CONCEITO
  • 13. II. A ORIGEM DAS TENTAÇÕES 1. A tentação é humana. Embora a tentação objetive provar o crente, as Escrituras afirmam que ela não vem da parte de Deus, mas da fragilidade humana (Tg 1.13). O ser humano é atraído por aquilo que deseja. A história de Adão e Eva nos mostra o primeiro casal sendo tentado por aquilo que lhe atraía (Gn
  • 14. II. A ORIGEM DAS TENTAÇÕES Mesmo sabendo que não poderiam tocar na árvore no centro do Jardim do Éden, depois de atraídos pelo desejo, Adão e Eva entregaram-se ao pecado (Gn 3.6- 9). A Epístola de Tiago aplica o termo “gerar”, utilizado no versículo 15, à ideia de que ninguém peca sem desejar o pecado. Assim, antes de ser efetivamente consumada, a transgressão passa por um processo de gestação interior no ser humano. Portanto, a origem da tentação está nos desejos humanos e jamais no Altíssimo, “porque Deus [...] a ninguém tenta.
  • 15. II. A ORIGEM DAS TENTAÇÕES Atração pela própria concupiscência. O texto bíblico é claro ao dizer que “cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência” (v.14). A tentação exterioriza o vício, os desejos, a malignidade da natureza humana, isto é, a concupiscência. Ser tentado é sentir-se aliciado pela própria malícia ou os sentimentos mais reclusos de nossa natureza má. Você tem ouvido o ressoar das suas malícias? Elas te atraem? Ouça a Epístola de Tiago! Não dê vazão às pulsões interiores, antes procure imitar Jesus afastando-se do pecado. Assim, não darás luz ao pecado e viverás.
  • 16. 2. Pode vir do maligno “[...] mas livra-nos do mal.” (v. 13). Não há nenhum outro que possa nos livrar do mal, a não ser Deus. O mal, no caso o próprio maligno, trata-se de uma entidade espiritual. Sendo que estamos em um corpo físico e enxergamos o mundo físico, não temos defesa por nós mesmos. Temos as armas espirituais que Deus nos dá, mas na prática, só Deus vê o que acontece no mundo espiritual ao nosso redor, por isso é Ele que impede Satanás de nos destruir. O máximo que podemos fazer é ter uma vida na presença d’Ele, o que nos trará livramento do mal. Alguns acham que ficarão livres do mal se o ignorarem, se não falarem a respeito dele. Jesus não o ignorou, mais combateu. Se Jesus nos ensinou a orar pedindo que o Pai celestial nos livre do mal. Essa é uma petição que precisa estar diariamente em nossas orações, pois se trata de batalha espiritual, da qual nenhum cristão está isento. II. A ORIGEM DAS TENTAÇÕES
  • 17. 3. Não vem de Deus. Tiago 1.13 “Ninguém sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Preste atenção que neste verso tem três vezes “tentado” e uma tenta, mas nem todas são as mesmas no grego, (peirasmos) veja o verso escrito com a palavra no grego na frente da palavra tentado e tenta: Ninguém sendo tentado(peirasmos), diga: De Deus sou tentado,(peirasmos); porque Deus não pode ser tentado(apeirastos) pelo mal, e Ele mesmo a ninguém tenta(peirasmos). II. A ORIGEM DAS TENTAÇÕES
  • 18. Em Mateus 6.13 temos “E não nos induzas a tentação, mas livra-nos do mal...”aqui parece haver uma contradição com o texto acima estudado, pois pede ao Senhor para não induzir a tentação, mas cuidado, não pense assim, a Bíblia não se contradiz, vamos pensar no texto, o Senhor Jesus é que está ensinado os discípulos a orarem desta forma. A Palavra induzas no grego é (esphiero) e significa; trazer para dentro, introduzir, ou seja no texto grego o sentido é para que Deus não nos introduza na tentação, não nos "conduzir", "levar" (ao local de sermos provados). Na versão atualizada de JFA o termo usado “não nos deixe cair em tentação” facilita a compreensão mas, este não é um pedido para escapar completamente da tentação, pois isto é inconcebível, em vista de tais passagens como 1 Coríntios III. ANALISANDO TEXTOS
  • 19. Quando o Senhor ensinou os discípulos não nos induzas a tentação era o teste como o de Jó vindo da parte de Satanás com a permissão de Deus para testar a fé, isso sempre é algo terrível, e o Senhor nos ensina a rogar ao Pai que nos livre deste tipo de teste, Lucas 22.31-31 Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo, Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça... Neste verso temos o exemplo do porquê o Senhor Jesus ensinou a pedir não nos induzas a tentação, este relato diz que Satanás pediu a Pedro para ser peneirado (nota: alguns pensam que Satanás queria destruir todos os apóstolos, mas neste caso o interesse de Satanás era apenas em Pedro) Satanás queria destruir Pedro, ele exigiu ao Senhor que lhe deixasse testar Pedro, a palavra peneirar indica: testar a fé pela agitação interna até o limite, III. ANALISANDO TEXTOS
  • 20. O Exemplo de Jesus: Mateus 4.1-11 a tentação de Jesus, vemos a origem satânica do teste, a finalidade era desviar o Senhor Jesus de seus propósitos divinos, isso conhecemos como tentação, mas a palavra grega em todos os casos é a mesma (peirasmos) por isso Jesus foi tentado/provado; Para sabermos a diferença precisamos olhar a origem e finalidade do teste e não apenas ficarmos apegados a palavras. “Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.” (Mateus 4:1) III. ANALISANDO TEXTOS
  • 21. Um outro exemplo: Abraão foi provado/testado por Deus, Gênesis 22.2-13; aqui temos uma tentação/provação que teve a origem em Deus e com a finalidade de fazer Abraão confiar ainda mais em Deus, foi um teste, e no português chamamos de provação. Resumindo, Deus não pode ser tentado/provado/experimentado por Satanás, e no sentido de tentar/provar/experimentar alguém para errar, Deus a ninguém tenta, Deus pode nos induzir a tentação/provação para nos fortificar na fé, para que através de nós seu nome seja glorificado. III. ANALISANDO TEXTOS
  • 22. 1. Deus nos fortalece na tentação. Embora a tentação seja fruto da fragilidade humana, quando ouvimos o Espírito Santo, Deus nos dá o escape em tempo oportuno: “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” (1Co 10.13). O Santo Espírito nos fará lembrar a Palavra de Deus para não pecarmos contra o nosso Senhor Altíssimo (Is 30.21; Jo 14.26). Todavia, para que isso seja uma realidade em nossa vida, precisamos cultivara Palavra de Deus em nossos corações (Sl I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO PELAS TENTAÇÕES
  • 23. I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO PELAS TENTAÇÕES 2. Fortalecimento após a tentação (v.2). Do mesmo modo que o ouro precisa do fogo para ser refinado ou purificado, o cristão passa pelas tentações para se aperfeiçoar no Reino de Deus (1Pe 1.7). Quando tentado, o crente é posto à prova para mostrar-se aprovado tal como Cristo, que foi conduzido ao deserto para ser tentado por Satanás e embora debilitado e provado espiritualmente, saiu do deserto vitorioso e fortalecido, tendo em seguida iniciado seu ministério
  • 24. I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO PELAS TENTAÇÕES 3. Felicidade pela tentação (v.12). Quando o cristão é submetido às tentações há uma tendência de ele entregar- se à tristeza e à angústia. Mas atentemos para esta expressão: “Bem-aventurado o varão que sofre a tentação”. Em outras palavras, como é feliz, realizado ou atingiu a felicidade aquele crente que é provado, não em uma, mas em várias tentações (v.2). Ser participantes dos sofrimentos de Cristo e ao mesmo tempo felizes parece paradoxal. A Bíblia, porém, orienta-nos a que nos alegremos em Deus porque a tribulação produz a paciência, e esta, a experiência que, finalmente, culmina na esperança (Rm 5.3-5). Isto mesmo! Vivemos sob a esperança de receber diretamente de Jesus a coroa da
  • 25. I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO PELAS TENTAÇÕES À luz do exemplo de Cristo, compreendemos bem o que Tiago quer dizer quando exorta-nos a termos “grande gozo quando [cairmos] em várias tentações”. Tal conselho aponta para a certeza de que ao passar pela tentação, além de paciente e maduro, o crente se sentirá ainda mais fortalecido pela graça
  • 26. I. O FORTALECIMENTO PRODUZIDO PELAS TENTAÇÕES Você ama ao Senhor? É discípulo dEle? Então, não tema passar pela tentação. Há uma promessa: Você “receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam”. Alegre-se e regozije-se em ser participante das aflições de Cristo, pois é justamente nessa condição — de felicidade verdadeira —, que Ele nos deixará por toda a
  • 27. IV. O PROPÓSITO DAS TENTAÇÕES 1. Produzir a paciência (vv.3,4). No grego, “paciência” deriva de hupomone e denota a capacidade de perseverar, ser constante, ser firme, suportar as circunstâncias difíceis. A palavra aparece em o Novo Testamento ao lado de “tribulações” (Rm 5.3), aflições (2Co 6.4) e perseguições (2Ts 1.4).
  • 28. III. O PROPÓSITO DAS TENTAÇÕES 2. Chegar à perfeição. A habilidade de perseverar ou desenvolver a paciência não acontece da noite para o dia. Envolve tempo, experiência e maturidade. O meio-irmão do Senhor destaca na epístola a paciência para que o leitor seja estimulado a chegar à perfeição e, consequentemente, à completude da vida cristã, que se dará na eternidade. A expressão “obra perfeita” traz a ideia de algo gradual, em desenvolvimento constante, com vistas à maturidade espiritual. O motivo pelo qual o cristão é provado não é outro senão para que persevere na vida cristã e atinja o modelo de perfeição segundo Cristo Jesus (Sl 119.67; Hb 5.8; Ef 4.13).
  • 29. CONCLUSÃO A diferença existe na origem do teste e na finalidade do teste. Como descobrir se o que enfrento é uma tentação/provação/teste, vindo de mim mesmo, de Deus ou de Satanás?  Analise as circunstâncias, como começou, que rumo está tomando, está te afastando de Deus? Seus desejos carnais estão sendo realizados? Você está desanimado de ler a Bíblia? Está desanimado com a obra do Senhor? Deus parece estar longe? Cuidado isso são indícios dos ataques de Satanás, mas esses só ganham forças se você mesmo abrir brechas para isso através da suas próprias vontades.  Porém, se as lutas e adversidades forem muitas e mesmo assim sua alma chora na presença do Senhor, e mesmo quando tudo está contrário você confia em Deus, sabendo que Ele está no controle, derramando suas angustias diante do Senhor e encontra na Bíblia forças para lutar, então: Bem-aventurado o varão que suporta a tentação/provação, porque quando for provado receberá a coroa da vida? Tiago 1.12 Deus está preparando você para ser um instrumento em suas santas mãos.
  • 30. CONCLUSÃO Sabemos que todo cristão passa por aflições e tentações ao longo da vida. Talvez você esteja vivendo tal situação. Lembre-se de que o nosso Senhor Jesus passou por inúmeras tribulações e tentações, mas venceu todas, tornando-se o maior exemplo de vida para os seus seguidores. Cada tentação vencida pelo crente significa um avanço rumo ao amadurecimento espiritual. Um dia ele atingirá a estatura de varão perfeito à medida da estatura de Cristo (Ef 4.13). Este é o nosso objetivo na jornada cristã! Deus nos recompensará! Estejamos firmes no Senhor Jesus, pois Ele já

Notas do Editor

  1. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  2. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  3. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  4. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  5. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  6. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  7. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  8. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  9. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  10. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  11. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  12. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  13. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  14. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  15. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  16. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  17. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  18. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  19. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  20. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  21. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  22. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  23. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  24. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.
  25. Beginning course details and/or books/materials needed for a class/project.