SlideShare uma empresa Scribd logo
LEUCEMIA
ORIENTADOR: ARLYSSON DA SILVA
EQUIPE: ANA LUZIA, VIVIANNE FARIAS, JOSIELE PORTELA
O QUE É LEUCEMIA ?
A Leucemia é um tipo de câncer
que afeta as células brancas do
sangue, geralmente de origem
desconhecida. É uma
enfermidade que se desenvolve
na medula óssea, parte do
corpo que produz as células
sanguíneas. Um organismo com
leucemia produz
exageradamente certos tipos de
glóbulos brancos, chamados
blastos (células jovens ), que
substituem as células
sanguíneas normais.
TIPOS DE LEUCEMIA
Os tipos de leucemia são agrupados pela sua rapidez de
desenvolvimento e agravamento da doença. A Leucemia
pode ser:
 Aguda: a leucemia aguda progride rapidamente, porque
há mais células imaturas do que células maduras.
 Crônica: a leucemia crônica geralmente progride
lentamente e permite que as células cancerosas se
desenvolvam mais.
 Mielóides: quando as células anormais afetam as células
mielóides.
 Linfoide: quando as células anormais afetam os linfócitos;
SUBTIPOS DA LEUCEMIA
SINAIS E SINTOMAS
CAUSAS
Não existe uma causa única para todos os tipos de
leucemia. Cada tipo de leucemia possui sua própria causa.
Suspeita-se de ser causada por fatores diversos, dentro
deles:
 Tabagismo;
 Radiação (radioterapia, raios X);
 Síndrome de Down e outras doenças hereditárias
 Benzeno;
 Quimioterapia (algumas classes de drogas);
 Síndrome mielodisplásica e outras desordens sanguíneas;
DIAGNÓSTICO
O diagnóstico é feito por meio de uma análise
laboratorial ao paciente. Porém, a confirmação só é feita
com exames da medula óssea.
 Exame físico;
 Análises sanguíneas;
 Biópsia;
 Punção lombar;
 Radiografia ao tórax.
TRATAMENTO
 O tratamento das leucemias tem o objetivo de destruir
as células neoplásicas, para que a medula óssea volte a
produzir células normais. Isso é feito através da
radioterapia, quimioterapia, imunoterapia e transplante
de medula.
 A depender o tipo de doença, existem três etapas para o
tratamento:
1. Consolidação;
2. Reindução;
3. Manutenção;
DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM
 Intolerância à atividade relacionada: Fraqueza; repouso
no leito.
 Risco de infecção relacionado: procedimentos invasivos;
defesa primária inadequada; imunossupressão.
 Hipertermia relacionado: doença; medicamentos.
 Risco da Integridade da pele prejudicada relacionada:
invasão de estruturas no corpo; medicamentos.
INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM
 Conversar com o paciente encorajando o enfrentamento
da situação, proporcionando-o atividades recreativas, que
o estimulem.
 Prevenir complicações e infecções; utilizando sempre as
técnicas assépticas. Avaliar estado geral, realizar exame
físico e aferir os sinais vitais constantemente.
 Avaliar freqüentemente o local do acesso venoso quanto à
permeabilidade, sinais flogísticos e condições da fixação;
COMO DOAR
REFERÊNCIAS
 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LINFOMA E LEUCEMIA (ABRALE). O que é leucemia.
Disponível em: . Acesso em: 16 ABR. 2017.
 NANDA. Diagnóstico de Enfermagem da Nanda: definições e classificações-
2001-2002.Nort American nursing Diagnosis Association. Porto Alegre: Artes
Médicas Sul, 2002.
 INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA). Leucemia linfóide aguda em adulto.
Revista Brasileira de Cancerologia, v. 48, n. 3, p. 309-312, jul./set. 2002.
Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2017.
 LORENZI, Therezinha F. Manual de hematologia. 3 ed. Belo Horizonte: Medsi,
2003.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Anemias
AnemiasAnemias
Anemias
Luna Vit
 
Leucemia slide
Leucemia   slideLeucemia   slide
Leucemia slide
Gildo Oliveira
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
minater
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
adrieila
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
Danielle Alexia
 
Hemograma
HemogramaHemograma
Hemograma
Fábio Falcão
 
Sistema hematológico
Sistema hematológicoSistema hematológico
Sistema hematológico
Denise Terenzi
 
Interpretação do hemograma
Interpretação do hemogramaInterpretação do hemograma
Interpretação do hemograma
Joziane Brunelli
 
Anemia 20
Anemia 20Anemia 20
Anemia 20
pauloalambert
 
Interpretao de-exames-laboratoriais
Interpretao de-exames-laboratoriaisInterpretao de-exames-laboratoriais
Interpretao de-exames-laboratoriais
Levi Lopes
 
Leucemia Mielóide Crônica
Leucemia Mielóide CrônicaLeucemia Mielóide Crônica
Leucemia Mielóide Crônica
João Marcos
 
Cancer
CancerCancer
1 c
1  c1  c
Aula Insuficiência Renal Crônica
Aula Insuficiência Renal CrônicaAula Insuficiência Renal Crônica
Aula Insuficiência Renal Crônica
Jucie Vasconcelos
 
Hipertensão
Hipertensão Hipertensão
Hipertensão
Nome Sobrenome
 
Anemia Falciforme
Anemia FalciformeAnemia Falciforme
Anemia Falciforme
Samuel Cevidanes
 
Anemia hemolitica
Anemia hemoliticaAnemia hemolitica
Anemia hemolitica
dapab
 
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de EnfermagemPaciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Bruna Guimarães
 
1 aula enfermagem em oncologia
1 aula enfermagem em oncologia1 aula enfermagem em oncologia
1 aula enfermagem em oncologia
Ana Paula Ribeiro da Fonseca Lopes
 
Cancer de prostata
Cancer de prostataCancer de prostata
Cancer de prostata
Lorena Serenita
 

Mais procurados (20)

Anemias
AnemiasAnemias
Anemias
 
Leucemia slide
Leucemia   slideLeucemia   slide
Leucemia slide
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
 
Infarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do MiocárdioInfarto Agudo do Miocárdio
Infarto Agudo do Miocárdio
 
Hemograma
HemogramaHemograma
Hemograma
 
Sistema hematológico
Sistema hematológicoSistema hematológico
Sistema hematológico
 
Interpretação do hemograma
Interpretação do hemogramaInterpretação do hemograma
Interpretação do hemograma
 
Anemia 20
Anemia 20Anemia 20
Anemia 20
 
Interpretao de-exames-laboratoriais
Interpretao de-exames-laboratoriaisInterpretao de-exames-laboratoriais
Interpretao de-exames-laboratoriais
 
Leucemia Mielóide Crônica
Leucemia Mielóide CrônicaLeucemia Mielóide Crônica
Leucemia Mielóide Crônica
 
Cancer
CancerCancer
Cancer
 
1 c
1  c1  c
1 c
 
Aula Insuficiência Renal Crônica
Aula Insuficiência Renal CrônicaAula Insuficiência Renal Crônica
Aula Insuficiência Renal Crônica
 
Hipertensão
Hipertensão Hipertensão
Hipertensão
 
Anemia Falciforme
Anemia FalciformeAnemia Falciforme
Anemia Falciforme
 
Anemia hemolitica
Anemia hemoliticaAnemia hemolitica
Anemia hemolitica
 
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de EnfermagemPaciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
 
1 aula enfermagem em oncologia
1 aula enfermagem em oncologia1 aula enfermagem em oncologia
1 aula enfermagem em oncologia
 
Cancer de prostata
Cancer de prostataCancer de prostata
Cancer de prostata
 

Semelhante a Leucemia

Apresentação leucemia
Apresentação leucemiaApresentação leucemia
Apresentação leucemia
Sérgio Franco - CDPI
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Doencas em geral
Doencas em geralDoencas em geral
Doencas em geral
Natanael Signorini
 
Doencas em geral
Doencas em geralDoencas em geral
Doencas em geral
Natanael Signorini
 
O Cancro
O CancroO Cancro
O Cancro
AnaGomes40
 
Interpretação do hemograma
Interpretação do hemogramaInterpretação do hemograma
Interpretação do hemograma
Messias Miranda
 
Para a Minha Irmã
Para a Minha IrmãPara a Minha Irmã
Para a Minha Irmã
blackshark
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
raquelpiress
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
BibJoseRegio
 
Mielomas
MielomasMielomas
[c7s] Desvendando fisiopatologias
[c7s] Desvendando fisiopatologias[c7s] Desvendando fisiopatologias
[c7s] Desvendando fisiopatologias
7 de Setembro
 
Apresentação lupus
Apresentação lupusApresentação lupus
Apresentação lupus
Sérgio Franco - CDPI
 
Apresentação lupus
Apresentação lupusApresentação lupus
Apresentação lupus
Laboratório Sérgio Franco
 
LMA slides com caso clínico e explicação
LMA slides com caso clínico e explicaçãoLMA slides com caso clínico e explicação
LMA slides com caso clínico e explicação
beautteclinic
 
Lupus 100126052754-phpapp01
Lupus 100126052754-phpapp01Lupus 100126052754-phpapp01
Lupus 100126052754-phpapp01
Jagone Jacunda
 
Lupus
LupusLupus
Lupus
LupusLupus
Relação da Vitamina C com o Colágeno
Relação da Vitamina C com o ColágenoRelação da Vitamina C com o Colágeno
Relação da Vitamina C com o Colágeno
gizadgp
 
Lupus
LupusLupus
oncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptxoncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptx
KarinyNayara1
 

Semelhante a Leucemia (20)

Apresentação leucemia
Apresentação leucemiaApresentação leucemia
Apresentação leucemia
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
 
Doencas em geral
Doencas em geralDoencas em geral
Doencas em geral
 
Doencas em geral
Doencas em geralDoencas em geral
Doencas em geral
 
O Cancro
O CancroO Cancro
O Cancro
 
Interpretação do hemograma
Interpretação do hemogramaInterpretação do hemograma
Interpretação do hemograma
 
Para a Minha Irmã
Para a Minha IrmãPara a Minha Irmã
Para a Minha Irmã
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
 
Leucemia
LeucemiaLeucemia
Leucemia
 
Mielomas
MielomasMielomas
Mielomas
 
[c7s] Desvendando fisiopatologias
[c7s] Desvendando fisiopatologias[c7s] Desvendando fisiopatologias
[c7s] Desvendando fisiopatologias
 
Apresentação lupus
Apresentação lupusApresentação lupus
Apresentação lupus
 
Apresentação lupus
Apresentação lupusApresentação lupus
Apresentação lupus
 
LMA slides com caso clínico e explicação
LMA slides com caso clínico e explicaçãoLMA slides com caso clínico e explicação
LMA slides com caso clínico e explicação
 
Lupus 100126052754-phpapp01
Lupus 100126052754-phpapp01Lupus 100126052754-phpapp01
Lupus 100126052754-phpapp01
 
Lupus
LupusLupus
Lupus
 
Lupus
LupusLupus
Lupus
 
Relação da Vitamina C com o Colágeno
Relação da Vitamina C com o ColágenoRelação da Vitamina C com o Colágeno
Relação da Vitamina C com o Colágeno
 
Lupus
LupusLupus
Lupus
 
oncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptxoncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptx
 

Mais de Ana Luzia

Outubro Rosa
Outubro RosaOutubro Rosa
Outubro Rosa
Ana Luzia
 
Da Cultura de Violência Para a cultura de Paz
Da Cultura de Violência Para a cultura de PazDa Cultura de Violência Para a cultura de Paz
Da Cultura de Violência Para a cultura de Paz
Ana Luzia
 
Sindrome de crouzon
Sindrome de crouzonSindrome de crouzon
Sindrome de crouzon
Ana Luzia
 
Cobras Peçonhentas - Gênero Crotalus - Cascavel
Cobras Peçonhentas - Gênero Crotalus - CascavelCobras Peçonhentas - Gênero Crotalus - Cascavel
Cobras Peçonhentas - Gênero Crotalus - Cascavel
Ana Luzia
 
Inicio dos cuidados Paliativos no Brasil e a importância da Enfermagem
Inicio dos cuidados Paliativos no Brasil e a importância da EnfermagemInicio dos cuidados Paliativos no Brasil e a importância da Enfermagem
Inicio dos cuidados Paliativos no Brasil e a importância da Enfermagem
Ana Luzia
 
Tudo sobre Sexualidade
Tudo sobre SexualidadeTudo sobre Sexualidade
Tudo sobre Sexualidade
Ana Luzia
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na Escola
Ana Luzia
 
Plano de aula - Alimentação saudável
Plano de aula - Alimentação saudávelPlano de aula - Alimentação saudável
Plano de aula - Alimentação saudável
Ana Luzia
 

Mais de Ana Luzia (8)

Outubro Rosa
Outubro RosaOutubro Rosa
Outubro Rosa
 
Da Cultura de Violência Para a cultura de Paz
Da Cultura de Violência Para a cultura de PazDa Cultura de Violência Para a cultura de Paz
Da Cultura de Violência Para a cultura de Paz
 
Sindrome de crouzon
Sindrome de crouzonSindrome de crouzon
Sindrome de crouzon
 
Cobras Peçonhentas - Gênero Crotalus - Cascavel
Cobras Peçonhentas - Gênero Crotalus - CascavelCobras Peçonhentas - Gênero Crotalus - Cascavel
Cobras Peçonhentas - Gênero Crotalus - Cascavel
 
Inicio dos cuidados Paliativos no Brasil e a importância da Enfermagem
Inicio dos cuidados Paliativos no Brasil e a importância da EnfermagemInicio dos cuidados Paliativos no Brasil e a importância da Enfermagem
Inicio dos cuidados Paliativos no Brasil e a importância da Enfermagem
 
Tudo sobre Sexualidade
Tudo sobre SexualidadeTudo sobre Sexualidade
Tudo sobre Sexualidade
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na Escola
 
Plano de aula - Alimentação saudável
Plano de aula - Alimentação saudávelPlano de aula - Alimentação saudável
Plano de aula - Alimentação saudável
 

Último

higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
WilberthLincoln1
 
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
BeatrizLittig1
 
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptxTreinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Ruan130129
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
jhordana1
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
jhordana1
 
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
DavyllaVerasMenezes
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 

Último (8)

higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
3° Aula.ppt historia do Sistema Unico de Saude
 
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptxBioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
Bioquímica [Salvo automaticamente] [Salvo automaticamente].pptx
 
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptxTreinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
Treinamento NR35_Trabalho em Altura 2024.pptx
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
 
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 

Leucemia

  • 1. LEUCEMIA ORIENTADOR: ARLYSSON DA SILVA EQUIPE: ANA LUZIA, VIVIANNE FARIAS, JOSIELE PORTELA
  • 2. O QUE É LEUCEMIA ? A Leucemia é um tipo de câncer que afeta as células brancas do sangue, geralmente de origem desconhecida. É uma enfermidade que se desenvolve na medula óssea, parte do corpo que produz as células sanguíneas. Um organismo com leucemia produz exageradamente certos tipos de glóbulos brancos, chamados blastos (células jovens ), que substituem as células sanguíneas normais.
  • 3. TIPOS DE LEUCEMIA Os tipos de leucemia são agrupados pela sua rapidez de desenvolvimento e agravamento da doença. A Leucemia pode ser:  Aguda: a leucemia aguda progride rapidamente, porque há mais células imaturas do que células maduras.  Crônica: a leucemia crônica geralmente progride lentamente e permite que as células cancerosas se desenvolvam mais.
  • 4.  Mielóides: quando as células anormais afetam as células mielóides.  Linfoide: quando as células anormais afetam os linfócitos;
  • 7. CAUSAS Não existe uma causa única para todos os tipos de leucemia. Cada tipo de leucemia possui sua própria causa. Suspeita-se de ser causada por fatores diversos, dentro deles:  Tabagismo;  Radiação (radioterapia, raios X);  Síndrome de Down e outras doenças hereditárias  Benzeno;  Quimioterapia (algumas classes de drogas);  Síndrome mielodisplásica e outras desordens sanguíneas;
  • 8. DIAGNÓSTICO O diagnóstico é feito por meio de uma análise laboratorial ao paciente. Porém, a confirmação só é feita com exames da medula óssea.  Exame físico;  Análises sanguíneas;  Biópsia;  Punção lombar;  Radiografia ao tórax.
  • 9. TRATAMENTO  O tratamento das leucemias tem o objetivo de destruir as células neoplásicas, para que a medula óssea volte a produzir células normais. Isso é feito através da radioterapia, quimioterapia, imunoterapia e transplante de medula.  A depender o tipo de doença, existem três etapas para o tratamento: 1. Consolidação; 2. Reindução; 3. Manutenção;
  • 10.
  • 11. DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM  Intolerância à atividade relacionada: Fraqueza; repouso no leito.  Risco de infecção relacionado: procedimentos invasivos; defesa primária inadequada; imunossupressão.  Hipertermia relacionado: doença; medicamentos.  Risco da Integridade da pele prejudicada relacionada: invasão de estruturas no corpo; medicamentos.
  • 12. INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM  Conversar com o paciente encorajando o enfrentamento da situação, proporcionando-o atividades recreativas, que o estimulem.  Prevenir complicações e infecções; utilizando sempre as técnicas assépticas. Avaliar estado geral, realizar exame físico e aferir os sinais vitais constantemente.  Avaliar freqüentemente o local do acesso venoso quanto à permeabilidade, sinais flogísticos e condições da fixação;
  • 13.
  • 15. REFERÊNCIAS  ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LINFOMA E LEUCEMIA (ABRALE). O que é leucemia. Disponível em: . Acesso em: 16 ABR. 2017.  NANDA. Diagnóstico de Enfermagem da Nanda: definições e classificações- 2001-2002.Nort American nursing Diagnosis Association. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2002.  INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA). Leucemia linfóide aguda em adulto. Revista Brasileira de Cancerologia, v. 48, n. 3, p. 309-312, jul./set. 2002. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2017.  LORENZI, Therezinha F. Manual de hematologia. 3 ed. Belo Horizonte: Medsi, 2003.