SlideShare uma empresa Scribd logo
Pneumonia
Jessica Gonçalves Silva
A pneumonia é uma doença
infecciosa que se instala nos
pulmões, mais precisamente,
nos tecidos pulmonares e seus
alvéolos.
Na pneumonia, o alvéolo que
deveria ter apenas ar, fica cheio
de secreções purulentas,
impedindo seu funcionamento.
Nestes alvéolos não há troca
gasosa. Quantos mais alvéolos
acometidos, mais extensa é a
pneumonia e mais grave é o
quadro.
Causas
Agentes infecciosos ou irritantes que
penetram no espaço alveolar.
Existem diversos tipos de pneumonia. Entre
eles estão:
• Pneumonia provocada por vírus;
• Pneumonia provocada por fungos;
• Pneumonia provocada por bactérias
• Pneumonia química.
• Pneumonia por aspiração.
Etiologia
• Pneumonia Viral: Causadas por vírus que afetam os pulmões. Com
mais frequência podem ser encontrados os vírus sincicial , adenovirus,
parainfluienza e o vírus da gripe. O vírus do sarampo e da herpes
simples, se instalados nos pulmões, também podem provocar
pneumonia.
• Pneumonia Bacteriana: O Streptococcus pneumoniae (pneumococo) é a
causa bacteriana mais frequente de pneumonia. Já Staphylococcus
aureus causa somente 2% adquridas fora do ambiente hospitalar e 10 a
15% em ambiente hospitalar.
• Pneumonia Fúngica: A pneumonia deve-se,
frequentemente, a três tipos de fungos:
Histoplasma capsulatum, que causa a
histoplasmose, Coccidioides immits, que causa a
coccidioidomicose, e Blastomyces dermatitidis,
que causa a blastomicose. Os indivíduos que
contraem a infecção, em geral, só têm sintomas
menores e não se dão conta de que estão
infectados. Alguns adoecem gravemente;
• Pneumonia Química
Diferente das pneumonias mais conhecidas, a pneumonia química não é causada por vírus ou
bactérias, mas sim pela inalação de substâncias agressivas ao pulmão, como a fumaça,
agrotóxicos ou outros produtos químicos. Quando aspiradas, essas substâncias vão para os
pulmões e inflamam os alvéolos - estruturas que fazem o transporte do oxigênio para o sangue.
Essas infecções dificultam as trocas respiratórias, causando a penumonia e a insuficiência
respiratória. Diferente da pneumonia bacteriana, cuja a bactéria afeta apenas uma parte do
pulmão, a pneumonia química pode comprometer todo o órgão.
A pneumonia química
pode acontecer em ate
72h após o incidente e
causar uma espécie de
asma não alérgica para o
resto da vida.
• Pneumonia por aspiração
Este tipo de pneumonia ocorre quando acontece a entrada de líquidos, secreções do
próprio corpo ou outras substâncias, da via aérea superior ou do estômago para dentro dos
pulmões. Muitas vezes o conteúdo que é aspirado para um ou ambos pulmões é o suco
gástrico do estômago, o qual, por ser ácido, inicialmente causa uma pneumonite
(inflamação) nos pulmões; após isso, ocorre o desenvolvimento da pneumonia
propriamente. É muito comum em paciente muito jovens, idosos e acamados.
Sintomas
• Febre
• Suor intenso ou calafrios
• Tosse com secreção amarelada ou esverdeada (em alguns
tipos a tosse pode ser seca ou sem secreção)
• Dor no peito
• Falta de ar
O sintomas mais comuns são:
Outros sintomas gerais são:
• Náuseas
• Dores de cabeça
• Diminuição do apetite
• Dores musculares
• Prostração(fraqueza)
• Alterações de PA
Fatores de risco
Os principais fatores de risco para pneumonia são:
• Idade maior que 65 anos
• Tabagismo
• Doenças imunossupressoras ( HIV, transplante,
câncer ...)
DPOC (bronquite crônica e enfisema pulmonar)
• Usuários de drogas
• Doentes acamados
• Doentes com redução do nível de consciência
• Hospitalizações prolongadas
• Doentes em ventilação mecânica
• Doentes com outra doença pulmonar prévia
Diagnóstico
O diagnóstico inicialmente é feito
com base apenas no exame físico
alterado e na presença de sinais e
sintomas compatíveis com a doença.
Alguns exames complementares
podem ser importantes para
confirmar o diagnóstico e ajudar a
definir o tratamento mais adequado
para cada caso.
Geralmente o médico utiliza exames
de imagem como raios X de tórax ou ,
quando necessário, tomografia
computadorizada de tórax além de
exames de sangue
Para identificar o patógeno causador
da pneumonia pode-se utilizar o
exame do escarro. Assim, o médico
poderá definir o antibiótico mais
indicado para cada caso.
Opacidade alveolar
de limites mal
definidos
Tratamento
O tratamento é feito
conforme o tipo de
pneumonia, a
gravidade da doença
e as condições do
paciente:
Prevenção
• A melhor maneira de prevenir a pneumonia
é manter uma rotina de vida saudável;
• Pacientes com fatores de risco (idosos e
portadores de doença pulmonar crônica ou
deficiência imunológica) devem ser
vacinados para Influenza e pneumonia
bacteriana (pneumococo), não fumar, fazer
uma dieta saudável, exercitar-se e repousar;
• Esses bons hábitos preservam o sistema
imunológico e impedem que o resfriado ou
a gripe evoluam para um quadro de
pneumonia
A criança deve
ser vacinada ao
nascer contra
formas graves de
tuberculose.
Vacina BCG
Cuidados de enfermagem
• Auxiliar o paciente a tossir produtivamente.
• Encorajar a ingestão de líquidos.
• Observar o paciente para náusea, vômito, diarreia,
erupções e reações nos tecidos moles.
• Fornecer oxigênio, conforme prescrito, para a dispneia,
distúrbio circulatório, hipoxemia ou delírio.
• Monitorar a resposta do paciente à terapia.
• Avaliar o nível de consciência antes que sedativos ou
tranquilizantes sejam administrados.
• Monitorizar a ingestão e excreção, a pele e os sinais
vitais.
• Monitorizar o estado respiratório, incluindo
frequência e padrão da respiração, sons respiratórios
e sinais e sintomas de angústia respiratória.
Referências
• http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/233_pneumonia.html
• https://www.abcdasaude.com.br/pneumologia/pneumonia-por-aspiracao
• http://peneumoniaumperigo.blogspot.com.br/
• http://revistacrescer.globo.com/Criancas/Saude/noticia/2014/07/pneumo
nia-saiba-tudo-sobre-doenca.html
• http://www.atlasdasaude.pt/publico/content/pneumonia-bacteriana
Pneumonia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumoniaCuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Manoela Correia
 
Aula sobre DPOC
Aula sobre DPOCAula sobre DPOC
MORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADEMORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADE
Ana Carolina Costa
 
Trabalho de pneumonia
Trabalho de pneumoniaTrabalho de pneumonia
Trabalho de pneumonia
Daniela Santos
 
Pneumonias - Aula de Microbiologia
Pneumonias - Aula de MicrobiologiaPneumonias - Aula de Microbiologia
Pneumonias - Aula de Microbiologia
Pedro Oliveira Santos
 
Bronquite
BronquiteBronquite
Bronquite
Mônica Firmida
 
Oxigenoterapia
Oxigenoterapia Oxigenoterapia
Oxigenoterapia
resenfe2013
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
Rodrigo Abreu
 
Enfisema Pulmonar
Enfisema PulmonarEnfisema Pulmonar
Enfisema Pulmonar
Bruno Cavalcante Costa
 
Tuberculose
TuberculoseTuberculose
Tuberculose
TAS2214
 
Difteria
DifteriaDifteria
Aula Hanseníase
Aula Hanseníase Aula Hanseníase
Aula Hanseníase
Alinebrauna Brauna
 
Asma
AsmaAsma
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
Adriana Bonadia dos Santos
 
Bronquite[1]
Bronquite[1]Bronquite[1]
Bronquite[1]
emefguerreiro
 
Prevenção e controle de infecções- Tópico 9_Guia curricular da OMS
Prevenção e controle de infecções- Tópico 9_Guia curricular da OMSPrevenção e controle de infecções- Tópico 9_Guia curricular da OMS
Prevenção e controle de infecções- Tópico 9_Guia curricular da OMS
Proqualis
 
Pneumonia rnc 2013
Pneumonia rnc 2013Pneumonia rnc 2013
Pneumonia rnc 2013
Mariana Freire
 
Tuberculose Aula
Tuberculose   AulaTuberculose   Aula
Tuberculose Aula
douglas silva
 
Varíola, rubéola, sarampo e caxumba
Varíola, rubéola, sarampo e caxumbaVaríola, rubéola, sarampo e caxumba
Varíola, rubéola, sarampo e caxumba
Silmara da Rocha Moura
 
DPOC
DPOCDPOC

Mais procurados (20)

Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumoniaCuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
Cuidados de enfermagem ao paciente com pneumonia
 
Aula sobre DPOC
Aula sobre DPOCAula sobre DPOC
Aula sobre DPOC
 
MORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADEMORBIDADE E MORTALIDADE
MORBIDADE E MORTALIDADE
 
Trabalho de pneumonia
Trabalho de pneumoniaTrabalho de pneumonia
Trabalho de pneumonia
 
Pneumonias - Aula de Microbiologia
Pneumonias - Aula de MicrobiologiaPneumonias - Aula de Microbiologia
Pneumonias - Aula de Microbiologia
 
Bronquite
BronquiteBronquite
Bronquite
 
Oxigenoterapia
Oxigenoterapia Oxigenoterapia
Oxigenoterapia
 
Aula 09 oxigênioterapia
Aula 09  oxigênioterapiaAula 09  oxigênioterapia
Aula 09 oxigênioterapia
 
Enfisema Pulmonar
Enfisema PulmonarEnfisema Pulmonar
Enfisema Pulmonar
 
Tuberculose
TuberculoseTuberculose
Tuberculose
 
Difteria
DifteriaDifteria
Difteria
 
Aula Hanseníase
Aula Hanseníase Aula Hanseníase
Aula Hanseníase
 
Asma
AsmaAsma
Asma
 
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
Saúde coletiva - Difiteria (crupe)
 
Bronquite[1]
Bronquite[1]Bronquite[1]
Bronquite[1]
 
Prevenção e controle de infecções- Tópico 9_Guia curricular da OMS
Prevenção e controle de infecções- Tópico 9_Guia curricular da OMSPrevenção e controle de infecções- Tópico 9_Guia curricular da OMS
Prevenção e controle de infecções- Tópico 9_Guia curricular da OMS
 
Pneumonia rnc 2013
Pneumonia rnc 2013Pneumonia rnc 2013
Pneumonia rnc 2013
 
Tuberculose Aula
Tuberculose   AulaTuberculose   Aula
Tuberculose Aula
 
Varíola, rubéola, sarampo e caxumba
Varíola, rubéola, sarampo e caxumbaVaríola, rubéola, sarampo e caxumba
Varíola, rubéola, sarampo e caxumba
 
DPOC
DPOCDPOC
DPOC
 

Semelhante a Pneumonia

pneumonia-161113222159 (1) (2).pptx
pneumonia-161113222159 (1) (2).pptxpneumonia-161113222159 (1) (2).pptx
pneumonia-161113222159 (1) (2).pptx
EvertonMonteiro19
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Pneumonia
AndreHermann2
 
Ciências morfofuncionais ii
Ciências morfofuncionais iiCiências morfofuncionais ii
Ciências morfofuncionais ii
Ana Araujo
 
TRABALHO PNEUMONIA Pronto para pequisa ou seminário.pptx
TRABALHO PNEUMONIA Pronto para pequisa ou seminário.pptxTRABALHO PNEUMONIA Pronto para pequisa ou seminário.pptx
TRABALHO PNEUMONIA Pronto para pequisa ou seminário.pptx
JessicaSantosNascime1
 
Pneumonia adquirida na comunidade
Pneumonia adquirida na comunidadePneumonia adquirida na comunidade
Pneumonia adquirida na comunidade
Thiago Hubner
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Pneumonia trabalho do
Pneumonia trabalho doPneumonia trabalho do
Pneumonia trabalho do
emefguerreiro
 
Assistência à criança nas disfunções respiratórias e cardiovasculares
Assistência  à criança nas disfunções respiratórias e cardiovascularesAssistência  à criança nas disfunções respiratórias e cardiovasculares
Assistência à criança nas disfunções respiratórias e cardiovasculares
Tércio David
 
Apresentação pneumonia
Apresentação pneumoniaApresentação pneumonia
Apresentação pneumonia
Sérgio Franco - CDPI
 
Instituto Politécnico Médio de Moçambique.pptx
Instituto Politécnico Médio de Moçambique.pptxInstituto Politécnico Médio de Moçambique.pptx
Instituto Politécnico Médio de Moçambique.pptx
LucasMarage1
 
Asma brônquica alérgica
Asma brônquica alérgicaAsma brônquica alérgica
Asma brônquica alérgica
Renan Ribeiro
 
DoençAs RespiratóRias
DoençAs RespiratóRiasDoençAs RespiratóRias
DoençAs RespiratóRias
Elaine Mai
 
Aula 15 - Doenças Respiratórias - Pneumonia.pdf
Aula 15 - Doenças Respiratórias - Pneumonia.pdfAula 15 - Doenças Respiratórias - Pneumonia.pdf
Aula 15 - Doenças Respiratórias - Pneumonia.pdf
Giza Carla Nitz
 
Pneumonia Adquirida Na Comunidade
Pneumonia Adquirida Na ComunidadePneumonia Adquirida Na Comunidade
Pneumonia Adquirida Na Comunidade
Alex Eduardo Ribeiro
 
Apresentação tratamento para Hemophilus influenzae tem como medicamento de ...
Apresentação tratamento para Hemophilus influenzae tem como medicamento de ...Apresentação tratamento para Hemophilus influenzae tem como medicamento de ...
Apresentação tratamento para Hemophilus influenzae tem como medicamento de ...
ClaudiaPereiraBrito
 
pneumonia-7c2b0.ppt
pneumonia-7c2b0.pptpneumonia-7c2b0.ppt
pneumonia-7c2b0.ppt
carlasuzane2
 
Doenças dos sistema respiratório
Doenças dos sistema respiratórioDoenças dos sistema respiratório
Doenças dos sistema respiratório
pibidmarilia
 
5.doc
5.doc5.doc
Aula 12 doencas do sistema respiratorio
Aula 12  doencas do sistema respiratorioAula 12  doencas do sistema respiratorio
Aula 12 doencas do sistema respiratorio
Vanessa Maia
 
Aula 12 doencas do sistema respiratorio
Aula 12  doencas do sistema respiratorioAula 12  doencas do sistema respiratorio
Aula 12 doencas do sistema respiratorio
Rogério Minini
 

Semelhante a Pneumonia (20)

pneumonia-161113222159 (1) (2).pptx
pneumonia-161113222159 (1) (2).pptxpneumonia-161113222159 (1) (2).pptx
pneumonia-161113222159 (1) (2).pptx
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Pneumonia
 
Ciências morfofuncionais ii
Ciências morfofuncionais iiCiências morfofuncionais ii
Ciências morfofuncionais ii
 
TRABALHO PNEUMONIA Pronto para pequisa ou seminário.pptx
TRABALHO PNEUMONIA Pronto para pequisa ou seminário.pptxTRABALHO PNEUMONIA Pronto para pequisa ou seminário.pptx
TRABALHO PNEUMONIA Pronto para pequisa ou seminário.pptx
 
Pneumonia adquirida na comunidade
Pneumonia adquirida na comunidadePneumonia adquirida na comunidade
Pneumonia adquirida na comunidade
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Pneumonia
 
Pneumonia trabalho do
Pneumonia trabalho doPneumonia trabalho do
Pneumonia trabalho do
 
Assistência à criança nas disfunções respiratórias e cardiovasculares
Assistência  à criança nas disfunções respiratórias e cardiovascularesAssistência  à criança nas disfunções respiratórias e cardiovasculares
Assistência à criança nas disfunções respiratórias e cardiovasculares
 
Apresentação pneumonia
Apresentação pneumoniaApresentação pneumonia
Apresentação pneumonia
 
Instituto Politécnico Médio de Moçambique.pptx
Instituto Politécnico Médio de Moçambique.pptxInstituto Politécnico Médio de Moçambique.pptx
Instituto Politécnico Médio de Moçambique.pptx
 
Asma brônquica alérgica
Asma brônquica alérgicaAsma brônquica alérgica
Asma brônquica alérgica
 
DoençAs RespiratóRias
DoençAs RespiratóRiasDoençAs RespiratóRias
DoençAs RespiratóRias
 
Aula 15 - Doenças Respiratórias - Pneumonia.pdf
Aula 15 - Doenças Respiratórias - Pneumonia.pdfAula 15 - Doenças Respiratórias - Pneumonia.pdf
Aula 15 - Doenças Respiratórias - Pneumonia.pdf
 
Pneumonia Adquirida Na Comunidade
Pneumonia Adquirida Na ComunidadePneumonia Adquirida Na Comunidade
Pneumonia Adquirida Na Comunidade
 
Apresentação tratamento para Hemophilus influenzae tem como medicamento de ...
Apresentação tratamento para Hemophilus influenzae tem como medicamento de ...Apresentação tratamento para Hemophilus influenzae tem como medicamento de ...
Apresentação tratamento para Hemophilus influenzae tem como medicamento de ...
 
pneumonia-7c2b0.ppt
pneumonia-7c2b0.pptpneumonia-7c2b0.ppt
pneumonia-7c2b0.ppt
 
Doenças dos sistema respiratório
Doenças dos sistema respiratórioDoenças dos sistema respiratório
Doenças dos sistema respiratório
 
5.doc
5.doc5.doc
5.doc
 
Aula 12 doencas do sistema respiratorio
Aula 12  doencas do sistema respiratorioAula 12  doencas do sistema respiratorio
Aula 12 doencas do sistema respiratorio
 
Aula 12 doencas do sistema respiratorio
Aula 12  doencas do sistema respiratorioAula 12  doencas do sistema respiratorio
Aula 12 doencas do sistema respiratorio
 

Último

4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
AmaroAlmeidaChimbala
 
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
JandersonGeorgeGuima
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptxDESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
Klaisn
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 

Último (8)

4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
4.Tecidos Excitáveis - Tecido Nervoso.pptx
 
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdfHistória da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
História da Enfermagem-Enfermagem 2024.pdf
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptxDESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
DESVIOS POSTURAIS DA COLUNA VERTEBRAL 0001.pptx
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
 

Pneumonia

  • 2. A pneumonia é uma doença infecciosa que se instala nos pulmões, mais precisamente, nos tecidos pulmonares e seus alvéolos. Na pneumonia, o alvéolo que deveria ter apenas ar, fica cheio de secreções purulentas, impedindo seu funcionamento. Nestes alvéolos não há troca gasosa. Quantos mais alvéolos acometidos, mais extensa é a pneumonia e mais grave é o quadro.
  • 3. Causas Agentes infecciosos ou irritantes que penetram no espaço alveolar. Existem diversos tipos de pneumonia. Entre eles estão: • Pneumonia provocada por vírus; • Pneumonia provocada por fungos; • Pneumonia provocada por bactérias • Pneumonia química. • Pneumonia por aspiração.
  • 4. Etiologia • Pneumonia Viral: Causadas por vírus que afetam os pulmões. Com mais frequência podem ser encontrados os vírus sincicial , adenovirus, parainfluienza e o vírus da gripe. O vírus do sarampo e da herpes simples, se instalados nos pulmões, também podem provocar pneumonia. • Pneumonia Bacteriana: O Streptococcus pneumoniae (pneumococo) é a causa bacteriana mais frequente de pneumonia. Já Staphylococcus aureus causa somente 2% adquridas fora do ambiente hospitalar e 10 a 15% em ambiente hospitalar. • Pneumonia Fúngica: A pneumonia deve-se, frequentemente, a três tipos de fungos: Histoplasma capsulatum, que causa a histoplasmose, Coccidioides immits, que causa a coccidioidomicose, e Blastomyces dermatitidis, que causa a blastomicose. Os indivíduos que contraem a infecção, em geral, só têm sintomas menores e não se dão conta de que estão infectados. Alguns adoecem gravemente;
  • 5. • Pneumonia Química Diferente das pneumonias mais conhecidas, a pneumonia química não é causada por vírus ou bactérias, mas sim pela inalação de substâncias agressivas ao pulmão, como a fumaça, agrotóxicos ou outros produtos químicos. Quando aspiradas, essas substâncias vão para os pulmões e inflamam os alvéolos - estruturas que fazem o transporte do oxigênio para o sangue. Essas infecções dificultam as trocas respiratórias, causando a penumonia e a insuficiência respiratória. Diferente da pneumonia bacteriana, cuja a bactéria afeta apenas uma parte do pulmão, a pneumonia química pode comprometer todo o órgão. A pneumonia química pode acontecer em ate 72h após o incidente e causar uma espécie de asma não alérgica para o resto da vida.
  • 6. • Pneumonia por aspiração Este tipo de pneumonia ocorre quando acontece a entrada de líquidos, secreções do próprio corpo ou outras substâncias, da via aérea superior ou do estômago para dentro dos pulmões. Muitas vezes o conteúdo que é aspirado para um ou ambos pulmões é o suco gástrico do estômago, o qual, por ser ácido, inicialmente causa uma pneumonite (inflamação) nos pulmões; após isso, ocorre o desenvolvimento da pneumonia propriamente. É muito comum em paciente muito jovens, idosos e acamados.
  • 7. Sintomas • Febre • Suor intenso ou calafrios • Tosse com secreção amarelada ou esverdeada (em alguns tipos a tosse pode ser seca ou sem secreção) • Dor no peito • Falta de ar O sintomas mais comuns são: Outros sintomas gerais são: • Náuseas • Dores de cabeça • Diminuição do apetite • Dores musculares • Prostração(fraqueza) • Alterações de PA
  • 8. Fatores de risco Os principais fatores de risco para pneumonia são: • Idade maior que 65 anos • Tabagismo • Doenças imunossupressoras ( HIV, transplante, câncer ...) DPOC (bronquite crônica e enfisema pulmonar) • Usuários de drogas • Doentes acamados • Doentes com redução do nível de consciência • Hospitalizações prolongadas • Doentes em ventilação mecânica • Doentes com outra doença pulmonar prévia
  • 9. Diagnóstico O diagnóstico inicialmente é feito com base apenas no exame físico alterado e na presença de sinais e sintomas compatíveis com a doença. Alguns exames complementares podem ser importantes para confirmar o diagnóstico e ajudar a definir o tratamento mais adequado para cada caso. Geralmente o médico utiliza exames de imagem como raios X de tórax ou , quando necessário, tomografia computadorizada de tórax além de exames de sangue Para identificar o patógeno causador da pneumonia pode-se utilizar o exame do escarro. Assim, o médico poderá definir o antibiótico mais indicado para cada caso. Opacidade alveolar de limites mal definidos
  • 10. Tratamento O tratamento é feito conforme o tipo de pneumonia, a gravidade da doença e as condições do paciente:
  • 11. Prevenção • A melhor maneira de prevenir a pneumonia é manter uma rotina de vida saudável; • Pacientes com fatores de risco (idosos e portadores de doença pulmonar crônica ou deficiência imunológica) devem ser vacinados para Influenza e pneumonia bacteriana (pneumococo), não fumar, fazer uma dieta saudável, exercitar-se e repousar; • Esses bons hábitos preservam o sistema imunológico e impedem que o resfriado ou a gripe evoluam para um quadro de pneumonia A criança deve ser vacinada ao nascer contra formas graves de tuberculose. Vacina BCG
  • 12. Cuidados de enfermagem • Auxiliar o paciente a tossir produtivamente. • Encorajar a ingestão de líquidos. • Observar o paciente para náusea, vômito, diarreia, erupções e reações nos tecidos moles. • Fornecer oxigênio, conforme prescrito, para a dispneia, distúrbio circulatório, hipoxemia ou delírio. • Monitorar a resposta do paciente à terapia. • Avaliar o nível de consciência antes que sedativos ou tranquilizantes sejam administrados. • Monitorizar a ingestão e excreção, a pele e os sinais vitais. • Monitorizar o estado respiratório, incluindo frequência e padrão da respiração, sons respiratórios e sinais e sintomas de angústia respiratória.
  • 13. Referências • http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/233_pneumonia.html • https://www.abcdasaude.com.br/pneumologia/pneumonia-por-aspiracao • http://peneumoniaumperigo.blogspot.com.br/ • http://revistacrescer.globo.com/Criancas/Saude/noticia/2014/07/pneumo nia-saiba-tudo-sobre-doenca.html • http://www.atlasdasaude.pt/publico/content/pneumonia-bacteriana