SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
HISTÓRIAILUSTRADA,VOL.2
HISTÓRIAILUSTRADA,VOL.2
A IMPORTÂNCIA DOS RIOS PARA
AS PRIMEIRAS CIVILIZAÇÕES
POR MARCOS FABER
1ª Edição (Agosto 2011)
www.historialivre.com
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
ÍNDICE
Introdução ......................................................................................................................... 3
A Sedentarização do Homem ........................................................................................... 4
A Formação do Estado .................................................................................................... 8A Formação do Estado .................................................................................................... 8
O Egito e o Rio Nilo ........................................................................................................ 10
A Mesopotâmia e os Rios Tigre e Eufrates ..................................................................... 14
A Palestina e o Rio Jordão ............................................................................................... 18
Conclusão ....................................................................................................................... 20
Glossário ........................................................................................................................ 21
Bibliografia ...................................................................................................................... 22
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
INTRODUÇÃO
Para entendermos como surgiram as primeiras grandes civilizações da humanidade,
3
Para entendermos como surgiram as primeiras grandes civilizações da humanidade,
precisamos compreender como nasceram as primeiras cidades. Também sendo
importante entender a importância que os rios tiveram neste processo.
Neste breve estudo, analisaremos em especial a formação das cidades formadas às
margens dos rios Nilo (Egito), Jordão (Israel/Palestina), Tigre e Eufrates (Mesopotâmia,
atual Iraque e Kuwait), ou seja, estudaremos somente a região do Crescente Fértil. Não
ignorando a existência de outras civilizações nascidas às margens de outros importantes
rios, tais como os Indo e Ganges (Índia) e Amarelo e Azul (China) e tantos outros casos.
Estas civilizações serão analisadas em trabalhos futuros. Neste momento, a pesquisa
ocorrerá somente em torno do surgimento dos Estados da região do Crescente Fértil.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
4
Mapa do Crescente Fértil pelo Google Maps (satélite). A imagem acima nos fornece uma visão panorâmica
da região que estudaremos a seguir.
A SEDENTARIZAÇÃO DO HOMEM
Para começar, é importante entendermos que o surgimento das primeiras cidades do
Crescente Fértil não ocorreram de forma homogênea*, na verdade, em cada região
as cidades nasceram dentro de características próprias.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
5
Enquanto nômades, os seres humanos dividiam-se em
caçadores (homens) e coletores (mulheres). O desenvolvimento
da agricultura forçou a sedentarização dos homens, que
passaram a habitar uma região fixa. (fotos: Sebastião Salgado)
Entretanto, devemos levar em consideração que praticamente todas elas surgiram
como uma evolução natural das aldeias tribais que haviam nestas regiões. Aldeias,
aliás, que se formaram a partir da sedentarização* do homem. Outro fator de
aproximação dos homens aos rios, foram os fatores geográficos, já que boa parte do
entorno do Crescente Fértil é formado por desertos.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
6
Mapas do Crescente Fértil, área que abrange as regiões do Egito, Israel/Palestina e Mesopotâmia.
Porém, o rio sozinho não foi o responsável pela sedentarização dos seres humanos.
Este processo ocorreu como consequência direta da necessidade de alimentar toda a
população tribal. Por isso, desde muito cedo, os homens procuraram habitar em
regiões próximas aos rios, pois nestas regiões existia abundância* de água potável
para os membros da tribo e para os seus animais.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
7
Imagem ao lado: rio Tigre na Mesopotâmia. Acima foto
de uma tribo nômade atual (foto: Sebastião Salgado).
Até o período Neolítico (aproximadamente 5000 a.C.), os seres humanos viviam de
forma nômade*, ou seja, mudavam constantemente o lugar de habitação. Não
vivendo em uma terra fixa, os homens aproveitavam uma região até que esta
estivesse com os recursos naturais esgotados, então se mudavam para outra área.
Para que se tornassem sedentários, foi essencial o desenvolvimento da agricultura,
que, por sua vez, exigia terras férteis, e estas eram proporcionadas pelos rios.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
8
A fertilidade do solo foi essencial para
o desenvolvimento da agricultura.
A FORMAÇÃO DO ESTADO
Com o domínio da agricultura, o homem buscou se fixar próximo às margens dos rios,
onde teria acesso à água potável e à terras mais férteis. Com isso, a produção de
alimentos, que antes era destinada ao consumo imediato, tornou-se muito grande, o que
levou os homens a estocarem alimentos. Consequentemente a população começou a
aumentar, pois havia alimentos para todos. Assim, começaram a surgir as primeiras vilas
ou aldeias e, depois, as cidades. A vida dos homens começava a deixar de ser simples
para se tornar complexa. Tornando-se necessária a organização da sociedade que surgia.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
As primeiras cidades foram formadas nas regiões da
Mesopotâmia e do Egito, locais onde os homens
passaram a se organizar em sociedade.
Nestas cidades surgiu o comércio, que no início era
feito somente com os excedentes* da produção, mas
com o tempo se passou a plantar visando a venda
e/ou a troca.
9
Os verdes pastos também favorecem a pecuária.
e/ou a troca.
Nas recém constituídas cidades, os homens
passaram a ser classificados de acordo com
a função que exerciam (sacerdotes, ferreiros,
agricultores, guerreiros, comerciantes,
pescadores, professores, escribas, etc.). As
diferentes funções criaram diferenças
sociais, afinal, uns tinham mais recursos do
que os outros.
A divisão do trabalho tornou necessária a
organização do Estado* e a criação de leis.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
O EGITO E O RIO NILO
O Egito Antigo surgiu e se desenvolveu no
entorno do rio Nilo. Conforme afirmou o
historiador grego Heródoto “O Egito é uma
dádiva do Nilo”. Com isso, não é incorreto
afirmar que o Egito Antigo existia graças ao
Nilo.
10
Fotos aéreas do rio Nilo.
Nilo.
Como nesta região a terra era bastante fértil,
as comunidades locais logo se tornaram
sedentárias, desenvolvendo a agricultura.
O desenvolvimento da agricultura foi
essencial para que as tribos que habitavam
a região passassem a se organizar de forma
mais complexa. Afinal, agora era necessário
contabilizar a produção agrícola que era
produzida de forma coletiva.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
11
Fotos de satélite do rio Nilo, Egito.
Nas ilustrações ao lado e acima.
observe que a faixa de terra fértil
(verde) cobre apenas o contorno
do rio Nilo, o restante é formado
pelo deserto. Na foz do rio (topo na
imagem) está o Delta do Nilo, uma
região pantanosa, mas muito fértil.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
12
Pequena faixa de terra fértil às margens do Nilo. Observe que ao fundo,
o deserto toma conta da paisagem. Ao lado, outra foto aérea do Nilo.
A primeira forma de organização egípcia foram os
nomos, espécie de vilarejos independentes, que se
organizavam de forma cooperativada. A produção
agrícola era comunitária, isto é, pertencia a todos.
A unificação dos diversos nomos resultou na formação
do Estado egípcio.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
Salve, ó Nilo! Ó tu que manifestaste sobre esta
terra e vens em paz para dar.
Vida ao Egito. Regas a terra em toda a parte, deus
dos grãos, senhor dos peixes, criador do trigo,
produtor da cevada. (...) Ele traz as provisões
deliciosas, cria todas as coisas boas, é o senhor
das nutrições agradáveis e escolhidas. Ele
Palavras de Heródoto
sobre o Egito e o Nilo
(Heródoto, “História”, livro II, “Euterpe”)
13
produz a forragem para os animais, provê os
sacrifícios para todos os deuses.
Ele se apodera de dois países e os celeiros se
enchem, os entrepostos regurgitam, os bens dos
pobres se multiplicam; torna feliz cada um
conforme seu desejo. (...) Não se esculpem pedras
nem estátuas em tua honra, nem se conhece o
lugar onde ele está. Entretanto, governas como um
rei cujos decretos estão estabelecidos pela terra
inteira, por quem são bebidas as lágrimas de todos
os olhos e que é pródigo de tuas bondades.
O Egito é uma dádiva do Nilo.
Busto de Heródoto,
considerado o pai da
História.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
14
Imagem ao lado, rios Tigre e Eufrates na
Mesopotâmia. Acima, imagem de satélite
da mesma região (em azul, no sul, está o
Golfo Pérsico, rico em petróleo).
A MESOPOTÂMIA E OS RIOS TIGRE E EUFRATES
Mesopotâmia vem do grego e quer dizer “entre rios” (meso = meio, entre. Já potamus
= rio. Potamus deu origem ao termo que designa a água que é boa para beber, ou
seja, potável). “Entre Rios” faz referência ao fato da região ficar entre os rios Tigre e
Eufrates.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
15
Fotos do rio Eufrates. Observe que a
faixa de terra fértil é bastante estreita,
com o deserto muito próximo.
A localização privilegiada proporcionou à
Mesopotâmia um solo muito fértil, responsável por
duas colheitas anuais.
A fertilidade do solo permitiu o desenvolvimento da
agricultura e da pecuária na região. Porém essa
abundância ocasionou numa série de disputas pelo
controle das terras beira rio.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
16
A gravura ao lado representa os Jardins
Suspensos da Babilônia de frente para o
rio Eufrates. Abaixo gravura da Babilônia
antiga. A cidade foi construída no
entorno do rio.
Na Mesopotâmia, a formação das primeiras cidades foi muito
parecida com a do Egito, mas com uma diferença muito
importante, isto é, na região não existiu apenas um Estado
centralizado, mas vários reinos que disputavam o controle da
área.
Destes reinos destacaram-se, em ordem cronológica, sumérios,
acádios, babilônicos, assírios e caldeus.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
17
Maquete do Portal de Ishtar, o belo
portal era a entrada para a cidade de
Babilônia. Acima detalhe da parede em
azulejos com figuras de animais em
relevo.
A riqueza natural da Mesopotâmia possibilitou o nascimento de uma próspera sociedade
agrícola. A cidade da Babilônia (imagens acima) demonstra toda essa riqueza. Por sinal, a
prosperidade e a riqueza que atraíram a cobiça de Ciro, rei da Pérsia, que conquistou a
cidade e toda a região em 550 a.C., pondo fim na independência política mesopotâmica.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
18
Fotos do rio Jordão. O Jordão é um importante
ponto turístico em Israel por ser o local onde
Jesus foi batizado por João Batista.
A PALESTINA E O RIO JORDÃO
A fertilidade das terras do entorno do rio Jordão (e
seus afluentes) criou o ambiente para que se
formasse, na região, uma série de aldeias de povos
pastores (em sua maioria de origem semita), que logo
desenvolveram a agricultura.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
O desenvolvimento da agricultura na
região, tornou a Palestina alvo de disputas
por seu controle.
Foram vários os Estados formados na
19
Mapa atual da localização do rio Jordão e seus
afluentes. Até hoje o Jordão é alvo de disputas
pelo controle da água.
Foram vários os Estados formados na
região. Dos reinos nascidos no entorno do
Jordão se destacaram Israel, Judá,
Fenícia, Filisteia e Síria.
Mas a região também sofreu com as
invasões estrangeiras. Egito, Assíria e
Babilônia conquistaram e controlaram a
região por breves períodos de tempo.
CONCLUSÃO
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
20
Homens tocando o gado.
Foto Sebastião Salgado.
A Imensidão do deserto.
Foto Sebastião Salgado.
CONCLUSÃO
Como vimos anteriormente, o acesso à água potável foi essencial na formação das primeiras
aldeias e, conseqüentemente, nas primeiras cidades. A proximidade dos rios permitiu o
desenvolvimento e o aprimoramento da agricultura que, por sua vez, possibilitou um
aumento considerável da produção de alimentos.
O aumento da oferta de comida, permitiu um crescimento vertiginoso da população. Devido
a isso, o excedente de alimentos passou a ser comercializado com outros povos.
Nascia assim a figura do Estado e a conseqüente divisão do trabalho. Com isso, as
primeiras civilizações criaram diferenças entre a população, se no período nômade todos
eram iguais e tinham direito igual à comida, agora era diferente, pois a divisão do trabalho
criou diferenças entre as novas classes sociais.
Assim, a organização do Estado criou uma elite que não precisava trabalhar para sobreviver,
pois vivia da exploração do trabalho alheio. Por tudo isso, o surgimento do Estado na
Antigüidade criou as bases da sociedade como conhecemos hoje.
GLOSSÁRIO
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
21
Quente durante o dia, frio durante
a noite. Assim é o deserto.
Foto Sebastião Salgado.
Rochas do deserto.
Foto Sebastião Salgado.
GLOSSÁRIO
* Homogêneo: Que tem a mesma natureza, ou é do mesmo gênero que outro objeto;
idêntico no seu todo.
* Sedentário: Que tem residência ou habitat fixos.
* Abundância: Fartura, grande quantidade.
* Nômade: Diz-se das tribos humanas que não têm sede fixa e vagueiam errantes por
diversas regiões.
* Excedente: Que excede ou sobeja.
* Estado: Nação politicamente organizada por leis próprias; Terras ou países sujeitos à
mesma autoridade ou jurisdição; Conjunto de poderes políticos de uma nação; Divisão
territorial de certos países, como o Brasil, os Estados Unidos.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
BIBLIOGRAFIA
CARDOSO, Ciro Flamarion S. O Egito Antigo. São Paulo: Brasiliense, 1982.
CARDOSO, Ciro Flamarion S. Antiguidade Oriental: Politica e Religião. São Paulo:
Contexto, 1990.
FABER, Marcos Emílio Ekman. A Constituição Geográfica do Egito Antigo. Disponível
em: <http://www.historialivre.com/antiga/geoegito.htm> Acesso em 14 de jul. 2011.
22
em: <http://www.historialivre.com/antiga/geoegito.htm> Acesso em 14 de jul. 2011.
FABER, Marcos Emílio Ekman. A Mesopotâmia. Disponível em:
<http://www.historialivre.com/antiga/mesopotamia.htm> Acesso em 14 de jul. 2011.
FERREIRA, Olavo Leonel. Mesopotâmia. São Paulo: Editora Moderna, 1993.
FOTOS
SALGADO, Sebastião. Site da Unicef. Disponível em: <http://www.unicef.org/salgado>
SALGADO, Sebastião. Álbum África. Disponível em:
<http://entretenimento.uol.com.br/album/sebastiao_africa_album.jhtm>
SALGADO, Sebastião. Terra. São Paulo: Cia das Letras, 1997.
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
OUTROS E-BOOKS (Grátis)
Renascimento. História Ilustrada da Arte, Volume 1. Marcos Emílio Ekman Faber.
Disponível em: <http://www.historialivre.com/moderna/renascimento2.pdf>
Moda. História Ilustrada da Arte, Volume 2. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em
Breve em <http://www.historialivre.com/arte/moda.pdf>.
História Ilustrada do Feudalismo. História Ilustrada, Volume 1. Marcos Emílio Ekman
23
História Ilustrada do Feudalismo. História Ilustrada, Volume 1. Marcos Emílio Ekman
Faber. Disponível em: <http://www.historialivre.com/medieval/feudalismo.pdf>
A História dos Partidos Políticos no Brasil. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em:
<http://www.historialivre.com/brasil/partidos_politicos.pdf>
A História dos Partidos Políticos na Revolução Francesa. Marcos Emílio Ekman Faber.
Disponível em: <http://www.historialivre.com/contemporanea/partidos_politicos_franca.pdf>
O Imperialismo em Charges. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em:
<http://www.historialivre.com/contemporanea/imperialismo.pdf>
A História do Dinheiro no Brasil. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em:
<http://www.historialivre.com/brasil/dinheiro_brasil.pdf>
AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações
1ªEdição(Agosto2011)
FIMFIM
Marcos Faber
www.historialivre.com
marfaber@hotmail.com
Mais materiais gratuitamente no site www.historialivre.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação bimestral de história
Avaliação bimestral de históriaAvaliação bimestral de história
Avaliação bimestral de históriasomasantos
 
A ocupação humana na América
A ocupação  humana na América    A ocupação  humana na América
A ocupação humana na América Mary Alvarenga
 
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdfAtividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdfAndré Moraes
 
Cruzadinha de História: Povos da Antiguidade - As primeiras cidades e impérios
Cruzadinha  de História:  Povos da Antiguidade - As primeiras cidades e impériosCruzadinha  de História:  Povos da Antiguidade - As primeiras cidades e impérios
Cruzadinha de História: Povos da Antiguidade - As primeiras cidades e impériosMary Alvarenga
 
Linha do tempo da pré-história
Linha do tempo da pré-históriaLinha do tempo da pré-história
Linha do tempo da pré-históriaMariaHelenaPassos
 
Atividades mesopotâmia ii
Atividades mesopotâmia iiAtividades mesopotâmia ii
Atividades mesopotâmia iiDoug Caesar
 
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdfIII Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdfAndré Moraes
 
Aula 2-matemática-5º-ano-revisão-atividades-para-imprimir
Aula 2-matemática-5º-ano-revisão-atividades-para-imprimirAula 2-matemática-5º-ano-revisão-atividades-para-imprimir
Aula 2-matemática-5º-ano-revisão-atividades-para-imprimirMaria Brasil
 
Cruzadinha - A Grécia Antiga
Cruzadinha  - A Grécia AntigaCruzadinha  - A Grécia Antiga
Cruzadinha - A Grécia AntigaMary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Mesopotamia cruzadinha
Mesopotamia cruzadinhaMesopotamia cruzadinha
Mesopotamia cruzadinha
 
Avaliação bimestral de história
Avaliação bimestral de históriaAvaliação bimestral de história
Avaliação bimestral de história
 
A ocupação humana na América
A ocupação  humana na América    A ocupação  humana na América
A ocupação humana na América
 
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdfAtividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
Atividade avaliatíva de hist 4º e 5º ano pdf
 
Cruzadinha de História: Povos da Antiguidade - As primeiras cidades e impérios
Cruzadinha  de História:  Povos da Antiguidade - As primeiras cidades e impériosCruzadinha  de História:  Povos da Antiguidade - As primeiras cidades e impérios
Cruzadinha de História: Povos da Antiguidade - As primeiras cidades e impérios
 
Egito antigo e atualidades 6º ano
Egito antigo e atualidades 6º anoEgito antigo e atualidades 6º ano
Egito antigo e atualidades 6º ano
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
 
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
AVALIAÇÃO DE GEOGRAFIA: 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - II CICLO - 4º BIMEST...
 
Cruzadinha his
Cruzadinha hisCruzadinha his
Cruzadinha his
 
Proclamacao da republica no brasil
Proclamacao da republica no brasilProclamacao da republica no brasil
Proclamacao da republica no brasil
 
Atividades independencia do brasil
Atividades independencia do brasilAtividades independencia do brasil
Atividades independencia do brasil
 
Linha do tempo da pré-história
Linha do tempo da pré-históriaLinha do tempo da pré-história
Linha do tempo da pré-história
 
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperioTrabalho de historia brasil colonia e imperio
Trabalho de historia brasil colonia e imperio
 
Atividades mesopotâmia ii
Atividades mesopotâmia iiAtividades mesopotâmia ii
Atividades mesopotâmia ii
 
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
Gabarito: Avaliação de História: Períodos Paleolítico e Neolítico – 6º ano – ...
 
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdfIII Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
 
Quiz - Grandes Navegações
Quiz -  Grandes NavegaçõesQuiz -  Grandes Navegações
Quiz - Grandes Navegações
 
Cruzadinha política
Cruzadinha políticaCruzadinha política
Cruzadinha política
 
Aula 2-matemática-5º-ano-revisão-atividades-para-imprimir
Aula 2-matemática-5º-ano-revisão-atividades-para-imprimirAula 2-matemática-5º-ano-revisão-atividades-para-imprimir
Aula 2-matemática-5º-ano-revisão-atividades-para-imprimir
 
Cruzadinha - A Grécia Antiga
Cruzadinha  - A Grécia AntigaCruzadinha  - A Grécia Antiga
Cruzadinha - A Grécia Antiga
 

Destaque

As primeiras cidades
As primeiras cidadesAs primeiras cidades
As primeiras cidadesprofdu
 
O surgimento das cidades
O surgimento das cidadesO surgimento das cidades
O surgimento das cidadesLucas Degiovani
 
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e Fenícios
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e FeníciosAs primeiras civilizações: Hebreus, Persas e Fenícios
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e FeníciosAlícia Quintino
 
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra MundialImperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra MundialDouglas Barraqui
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOScarlosbidu
 
Das aldeias pré históricas aos primeiros estados
Das aldeias pré históricas aos primeiros estadosDas aldeias pré históricas aos primeiros estados
Das aldeias pré históricas aos primeiros estadosMárcia Sousa
 
A Inquisição
A InquisiçãoA Inquisição
A InquisiçãoGateira
 
03 aula, crescente fertil
03 aula, crescente fertil03 aula, crescente fertil
03 aula, crescente fertilClaytoncr
 
instrumentos de tortura
instrumentos de torturainstrumentos de tortura
instrumentos de torturaDuarte Vargas
 
Instrumentos de tortura usados pela inquisição em nome da religião
Instrumentos de tortura usados pela inquisição em nome da religiãoInstrumentos de tortura usados pela inquisição em nome da religião
Instrumentos de tortura usados pela inquisição em nome da religiãoAdail Silva
 

Destaque (20)

Os rios
Os riosOs rios
Os rios
 
Rios
RiosRios
Rios
 
As primeiras cidades
As primeiras cidadesAs primeiras cidades
As primeiras cidades
 
As primeiras cidades
As primeiras cidadesAs primeiras cidades
As primeiras cidades
 
O surgimento das cidades
O surgimento das cidadesO surgimento das cidades
O surgimento das cidades
 
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e Fenícios
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e FeníciosAs primeiras civilizações: Hebreus, Persas e Fenícios
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e Fenícios
 
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra MundialImperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo, Belle Époque e Primeira Guerra Mundial
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
 
António eliseu
António eliseuAntónio eliseu
António eliseu
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
 
Alta idade média
Alta idade médiaAlta idade média
Alta idade média
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Das aldeias pré históricas aos primeiros estados
Das aldeias pré históricas aos primeiros estadosDas aldeias pré históricas aos primeiros estados
Das aldeias pré históricas aos primeiros estados
 
A Inquisição
A InquisiçãoA Inquisição
A Inquisição
 
03 aula, crescente fertil
03 aula, crescente fertil03 aula, crescente fertil
03 aula, crescente fertil
 
A importância-das-árvores
A importância-das-árvoresA importância-das-árvores
A importância-das-árvores
 
instrumentos de tortura
instrumentos de torturainstrumentos de tortura
instrumentos de tortura
 
Dia da Árvore
Dia da ÁrvoreDia da Árvore
Dia da Árvore
 
Instrumentos de tortura usados pela inquisição em nome da religião
Instrumentos de tortura usados pela inquisição em nome da religiãoInstrumentos de tortura usados pela inquisição em nome da religião
Instrumentos de tortura usados pela inquisição em nome da religião
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 

Semelhante a Importancia dos rios para as primeiras civilizações

sllide-2-egito-antigo-437180.pdf
sllide-2-egito-antigo-437180.pdfsllide-2-egito-antigo-437180.pdf
sllide-2-egito-antigo-437180.pdfRichardLeo10
 
Aula a água e os assentamentos humanos
Aula a água e os assentamentos humanosAula a água e os assentamentos humanos
Aula a água e os assentamentos humanosGilberto Pires
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesinessalgado
 
O Neolítico
O NeolíticoO Neolítico
O NeolíticoHistN
 
A mesopotamia e_seus_povos (1)
A mesopotamia e_seus_povos (1)A mesopotamia e_seus_povos (1)
A mesopotamia e_seus_povos (1)Joao Cassul
 
Mesopotâmia as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia   as civilizações da antiguidadeMesopotâmia   as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia as civilizações da antiguidadeElaine Santos
 
A história da água
A história da águaA história da água
A história da águaOmar Fürst
 
A RelaçãO SimbóLica Homem áGua
A RelaçãO SimbóLica Homem áGuaA RelaçãO SimbóLica Homem áGua
A RelaçãO SimbóLica Homem áGuaJoseSimas
 
2. a cidade, 2011
2. a cidade, 20112. a cidade, 2011
2. a cidade, 2011Ana Cunha
 
Organização social e política do antigo oriente
Organização social e política do antigo orienteOrganização social e política do antigo oriente
Organização social e política do antigo orienteTânia Regina
 
Revisão de história
Revisão de históriaRevisão de história
Revisão de históriaCinara Venzel
 
AULÃO – CIÊNCIAS HUMANAS.pptx
AULÃO – CIÊNCIAS HUMANAS.pptxAULÃO – CIÊNCIAS HUMANAS.pptx
AULÃO – CIÊNCIAS HUMANAS.pptxLucasFrana890836
 
Manual de educação ambiental vol 3
Manual de educação ambiental vol 3Manual de educação ambiental vol 3
Manual de educação ambiental vol 3Ananda Helena
 
A história do brasil vista das margens de um rio
A história do brasil vista das margens de um rioA história do brasil vista das margens de um rio
A história do brasil vista das margens de um rioThais Eastwood Vaine
 
Gabarito antiguidade oriental
Gabarito   antiguidade orientalGabarito   antiguidade oriental
Gabarito antiguidade orientalBreno Girotto
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesAna Barreiros
 
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01Elizeu Andrade
 

Semelhante a Importancia dos rios para as primeiras civilizações (20)

sllide-2-egito-antigo-437180.pdf
sllide-2-egito-antigo-437180.pdfsllide-2-egito-antigo-437180.pdf
sllide-2-egito-antigo-437180.pdf
 
Aula a água e os assentamentos humanos
Aula a água e os assentamentos humanosAula a água e os assentamentos humanos
Aula a água e os assentamentos humanos
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
 
O Neolítico
O NeolíticoO Neolítico
O Neolítico
 
A mesopotamia e_seus_povos (1)
A mesopotamia e_seus_povos (1)A mesopotamia e_seus_povos (1)
A mesopotamia e_seus_povos (1)
 
Mesopotâmia as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia   as civilizações da antiguidadeMesopotâmia   as civilizações da antiguidade
Mesopotâmia as civilizações da antiguidade
 
A história da água
A história da águaA história da água
A história da água
 
A RelaçãO SimbóLica Homem áGua
A RelaçãO SimbóLica Homem áGuaA RelaçãO SimbóLica Homem áGua
A RelaçãO SimbóLica Homem áGua
 
2. a cidade, 2011
2. a cidade, 20112. a cidade, 2011
2. a cidade, 2011
 
Organização social e política do antigo oriente
Organização social e política do antigo orienteOrganização social e política do antigo oriente
Organização social e política do antigo oriente
 
Ceha Newsletter 5.10
Ceha Newsletter 5.10Ceha Newsletter 5.10
Ceha Newsletter 5.10
 
Revisão de história
Revisão de históriaRevisão de história
Revisão de história
 
AULÃO – CIÊNCIAS HUMANAS.pptx
AULÃO – CIÊNCIAS HUMANAS.pptxAULÃO – CIÊNCIAS HUMANAS.pptx
AULÃO – CIÊNCIAS HUMANAS.pptx
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Manual de educação ambiental vol 3
Manual de educação ambiental vol 3Manual de educação ambiental vol 3
Manual de educação ambiental vol 3
 
A história do brasil vista das margens de um rio
A história do brasil vista das margens de um rioA história do brasil vista das margens de um rio
A história do brasil vista das margens de um rio
 
Gabarito antiguidade oriental
Gabarito   antiguidade orientalGabarito   antiguidade oriental
Gabarito antiguidade oriental
 
Ficha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoesFicha formativa grandes_civilizacoes
Ficha formativa grandes_civilizacoes
 
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
 
2 A Cidade
2  A Cidade2  A Cidade
2 A Cidade
 

Último

UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoCelimaraTiski
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfFbioFerreira207918
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanomarla71199
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSPedro Luis Moraes
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaCentro Jacques Delors
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioWyngDaFelyzitahLamba
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)Centro Jacques Delors
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Centro Jacques Delors
 

Último (20)

UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de PlatãoQuestões sobre o Mito da Caverna de Platão
Questões sobre o Mito da Caverna de Platão
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºanoCATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
CATEQUESE primeiro ano . CATEQUESE 1ºano
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 

Importancia dos rios para as primeiras civilizações

  • 1. HISTÓRIAILUSTRADA,VOL.2 HISTÓRIAILUSTRADA,VOL.2 A IMPORTÂNCIA DOS RIOS PARA AS PRIMEIRAS CIVILIZAÇÕES POR MARCOS FABER 1ª Edição (Agosto 2011) www.historialivre.com
  • 2. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações ÍNDICE Introdução ......................................................................................................................... 3 A Sedentarização do Homem ........................................................................................... 4 A Formação do Estado .................................................................................................... 8A Formação do Estado .................................................................................................... 8 O Egito e o Rio Nilo ........................................................................................................ 10 A Mesopotâmia e os Rios Tigre e Eufrates ..................................................................... 14 A Palestina e o Rio Jordão ............................................................................................... 18 Conclusão ....................................................................................................................... 20 Glossário ........................................................................................................................ 21 Bibliografia ...................................................................................................................... 22
  • 3. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações INTRODUÇÃO Para entendermos como surgiram as primeiras grandes civilizações da humanidade, 3 Para entendermos como surgiram as primeiras grandes civilizações da humanidade, precisamos compreender como nasceram as primeiras cidades. Também sendo importante entender a importância que os rios tiveram neste processo. Neste breve estudo, analisaremos em especial a formação das cidades formadas às margens dos rios Nilo (Egito), Jordão (Israel/Palestina), Tigre e Eufrates (Mesopotâmia, atual Iraque e Kuwait), ou seja, estudaremos somente a região do Crescente Fértil. Não ignorando a existência de outras civilizações nascidas às margens de outros importantes rios, tais como os Indo e Ganges (Índia) e Amarelo e Azul (China) e tantos outros casos. Estas civilizações serão analisadas em trabalhos futuros. Neste momento, a pesquisa ocorrerá somente em torno do surgimento dos Estados da região do Crescente Fértil.
  • 4. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 4 Mapa do Crescente Fértil pelo Google Maps (satélite). A imagem acima nos fornece uma visão panorâmica da região que estudaremos a seguir. A SEDENTARIZAÇÃO DO HOMEM Para começar, é importante entendermos que o surgimento das primeiras cidades do Crescente Fértil não ocorreram de forma homogênea*, na verdade, em cada região as cidades nasceram dentro de características próprias.
  • 5. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 5 Enquanto nômades, os seres humanos dividiam-se em caçadores (homens) e coletores (mulheres). O desenvolvimento da agricultura forçou a sedentarização dos homens, que passaram a habitar uma região fixa. (fotos: Sebastião Salgado) Entretanto, devemos levar em consideração que praticamente todas elas surgiram como uma evolução natural das aldeias tribais que haviam nestas regiões. Aldeias, aliás, que se formaram a partir da sedentarização* do homem. Outro fator de aproximação dos homens aos rios, foram os fatores geográficos, já que boa parte do entorno do Crescente Fértil é formado por desertos.
  • 6. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 6 Mapas do Crescente Fértil, área que abrange as regiões do Egito, Israel/Palestina e Mesopotâmia. Porém, o rio sozinho não foi o responsável pela sedentarização dos seres humanos. Este processo ocorreu como consequência direta da necessidade de alimentar toda a população tribal. Por isso, desde muito cedo, os homens procuraram habitar em regiões próximas aos rios, pois nestas regiões existia abundância* de água potável para os membros da tribo e para os seus animais.
  • 7. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 7 Imagem ao lado: rio Tigre na Mesopotâmia. Acima foto de uma tribo nômade atual (foto: Sebastião Salgado). Até o período Neolítico (aproximadamente 5000 a.C.), os seres humanos viviam de forma nômade*, ou seja, mudavam constantemente o lugar de habitação. Não vivendo em uma terra fixa, os homens aproveitavam uma região até que esta estivesse com os recursos naturais esgotados, então se mudavam para outra área. Para que se tornassem sedentários, foi essencial o desenvolvimento da agricultura, que, por sua vez, exigia terras férteis, e estas eram proporcionadas pelos rios.
  • 8. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 8 A fertilidade do solo foi essencial para o desenvolvimento da agricultura. A FORMAÇÃO DO ESTADO Com o domínio da agricultura, o homem buscou se fixar próximo às margens dos rios, onde teria acesso à água potável e à terras mais férteis. Com isso, a produção de alimentos, que antes era destinada ao consumo imediato, tornou-se muito grande, o que levou os homens a estocarem alimentos. Consequentemente a população começou a aumentar, pois havia alimentos para todos. Assim, começaram a surgir as primeiras vilas ou aldeias e, depois, as cidades. A vida dos homens começava a deixar de ser simples para se tornar complexa. Tornando-se necessária a organização da sociedade que surgia.
  • 9. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações As primeiras cidades foram formadas nas regiões da Mesopotâmia e do Egito, locais onde os homens passaram a se organizar em sociedade. Nestas cidades surgiu o comércio, que no início era feito somente com os excedentes* da produção, mas com o tempo se passou a plantar visando a venda e/ou a troca. 9 Os verdes pastos também favorecem a pecuária. e/ou a troca. Nas recém constituídas cidades, os homens passaram a ser classificados de acordo com a função que exerciam (sacerdotes, ferreiros, agricultores, guerreiros, comerciantes, pescadores, professores, escribas, etc.). As diferentes funções criaram diferenças sociais, afinal, uns tinham mais recursos do que os outros. A divisão do trabalho tornou necessária a organização do Estado* e a criação de leis.
  • 10. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações O EGITO E O RIO NILO O Egito Antigo surgiu e se desenvolveu no entorno do rio Nilo. Conforme afirmou o historiador grego Heródoto “O Egito é uma dádiva do Nilo”. Com isso, não é incorreto afirmar que o Egito Antigo existia graças ao Nilo. 10 Fotos aéreas do rio Nilo. Nilo. Como nesta região a terra era bastante fértil, as comunidades locais logo se tornaram sedentárias, desenvolvendo a agricultura. O desenvolvimento da agricultura foi essencial para que as tribos que habitavam a região passassem a se organizar de forma mais complexa. Afinal, agora era necessário contabilizar a produção agrícola que era produzida de forma coletiva.
  • 11. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 11 Fotos de satélite do rio Nilo, Egito. Nas ilustrações ao lado e acima. observe que a faixa de terra fértil (verde) cobre apenas o contorno do rio Nilo, o restante é formado pelo deserto. Na foz do rio (topo na imagem) está o Delta do Nilo, uma região pantanosa, mas muito fértil.
  • 12. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 12 Pequena faixa de terra fértil às margens do Nilo. Observe que ao fundo, o deserto toma conta da paisagem. Ao lado, outra foto aérea do Nilo. A primeira forma de organização egípcia foram os nomos, espécie de vilarejos independentes, que se organizavam de forma cooperativada. A produção agrícola era comunitária, isto é, pertencia a todos. A unificação dos diversos nomos resultou na formação do Estado egípcio.
  • 13. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações Salve, ó Nilo! Ó tu que manifestaste sobre esta terra e vens em paz para dar. Vida ao Egito. Regas a terra em toda a parte, deus dos grãos, senhor dos peixes, criador do trigo, produtor da cevada. (...) Ele traz as provisões deliciosas, cria todas as coisas boas, é o senhor das nutrições agradáveis e escolhidas. Ele Palavras de Heródoto sobre o Egito e o Nilo (Heródoto, “História”, livro II, “Euterpe”) 13 produz a forragem para os animais, provê os sacrifícios para todos os deuses. Ele se apodera de dois países e os celeiros se enchem, os entrepostos regurgitam, os bens dos pobres se multiplicam; torna feliz cada um conforme seu desejo. (...) Não se esculpem pedras nem estátuas em tua honra, nem se conhece o lugar onde ele está. Entretanto, governas como um rei cujos decretos estão estabelecidos pela terra inteira, por quem são bebidas as lágrimas de todos os olhos e que é pródigo de tuas bondades. O Egito é uma dádiva do Nilo. Busto de Heródoto, considerado o pai da História.
  • 14. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 14 Imagem ao lado, rios Tigre e Eufrates na Mesopotâmia. Acima, imagem de satélite da mesma região (em azul, no sul, está o Golfo Pérsico, rico em petróleo). A MESOPOTÂMIA E OS RIOS TIGRE E EUFRATES Mesopotâmia vem do grego e quer dizer “entre rios” (meso = meio, entre. Já potamus = rio. Potamus deu origem ao termo que designa a água que é boa para beber, ou seja, potável). “Entre Rios” faz referência ao fato da região ficar entre os rios Tigre e Eufrates.
  • 15. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 15 Fotos do rio Eufrates. Observe que a faixa de terra fértil é bastante estreita, com o deserto muito próximo. A localização privilegiada proporcionou à Mesopotâmia um solo muito fértil, responsável por duas colheitas anuais. A fertilidade do solo permitiu o desenvolvimento da agricultura e da pecuária na região. Porém essa abundância ocasionou numa série de disputas pelo controle das terras beira rio.
  • 16. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 16 A gravura ao lado representa os Jardins Suspensos da Babilônia de frente para o rio Eufrates. Abaixo gravura da Babilônia antiga. A cidade foi construída no entorno do rio. Na Mesopotâmia, a formação das primeiras cidades foi muito parecida com a do Egito, mas com uma diferença muito importante, isto é, na região não existiu apenas um Estado centralizado, mas vários reinos que disputavam o controle da área. Destes reinos destacaram-se, em ordem cronológica, sumérios, acádios, babilônicos, assírios e caldeus.
  • 17. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 17 Maquete do Portal de Ishtar, o belo portal era a entrada para a cidade de Babilônia. Acima detalhe da parede em azulejos com figuras de animais em relevo. A riqueza natural da Mesopotâmia possibilitou o nascimento de uma próspera sociedade agrícola. A cidade da Babilônia (imagens acima) demonstra toda essa riqueza. Por sinal, a prosperidade e a riqueza que atraíram a cobiça de Ciro, rei da Pérsia, que conquistou a cidade e toda a região em 550 a.C., pondo fim na independência política mesopotâmica.
  • 18. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 18 Fotos do rio Jordão. O Jordão é um importante ponto turístico em Israel por ser o local onde Jesus foi batizado por João Batista. A PALESTINA E O RIO JORDÃO A fertilidade das terras do entorno do rio Jordão (e seus afluentes) criou o ambiente para que se formasse, na região, uma série de aldeias de povos pastores (em sua maioria de origem semita), que logo desenvolveram a agricultura.
  • 19. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações O desenvolvimento da agricultura na região, tornou a Palestina alvo de disputas por seu controle. Foram vários os Estados formados na 19 Mapa atual da localização do rio Jordão e seus afluentes. Até hoje o Jordão é alvo de disputas pelo controle da água. Foram vários os Estados formados na região. Dos reinos nascidos no entorno do Jordão se destacaram Israel, Judá, Fenícia, Filisteia e Síria. Mas a região também sofreu com as invasões estrangeiras. Egito, Assíria e Babilônia conquistaram e controlaram a região por breves períodos de tempo.
  • 20. CONCLUSÃO AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 20 Homens tocando o gado. Foto Sebastião Salgado. A Imensidão do deserto. Foto Sebastião Salgado. CONCLUSÃO Como vimos anteriormente, o acesso à água potável foi essencial na formação das primeiras aldeias e, conseqüentemente, nas primeiras cidades. A proximidade dos rios permitiu o desenvolvimento e o aprimoramento da agricultura que, por sua vez, possibilitou um aumento considerável da produção de alimentos. O aumento da oferta de comida, permitiu um crescimento vertiginoso da população. Devido a isso, o excedente de alimentos passou a ser comercializado com outros povos. Nascia assim a figura do Estado e a conseqüente divisão do trabalho. Com isso, as primeiras civilizações criaram diferenças entre a população, se no período nômade todos eram iguais e tinham direito igual à comida, agora era diferente, pois a divisão do trabalho criou diferenças entre as novas classes sociais. Assim, a organização do Estado criou uma elite que não precisava trabalhar para sobreviver, pois vivia da exploração do trabalho alheio. Por tudo isso, o surgimento do Estado na Antigüidade criou as bases da sociedade como conhecemos hoje.
  • 21. GLOSSÁRIO AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações 21 Quente durante o dia, frio durante a noite. Assim é o deserto. Foto Sebastião Salgado. Rochas do deserto. Foto Sebastião Salgado. GLOSSÁRIO * Homogêneo: Que tem a mesma natureza, ou é do mesmo gênero que outro objeto; idêntico no seu todo. * Sedentário: Que tem residência ou habitat fixos. * Abundância: Fartura, grande quantidade. * Nômade: Diz-se das tribos humanas que não têm sede fixa e vagueiam errantes por diversas regiões. * Excedente: Que excede ou sobeja. * Estado: Nação politicamente organizada por leis próprias; Terras ou países sujeitos à mesma autoridade ou jurisdição; Conjunto de poderes políticos de uma nação; Divisão territorial de certos países, como o Brasil, os Estados Unidos.
  • 22. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações BIBLIOGRAFIA CARDOSO, Ciro Flamarion S. O Egito Antigo. São Paulo: Brasiliense, 1982. CARDOSO, Ciro Flamarion S. Antiguidade Oriental: Politica e Religião. São Paulo: Contexto, 1990. FABER, Marcos Emílio Ekman. A Constituição Geográfica do Egito Antigo. Disponível em: <http://www.historialivre.com/antiga/geoegito.htm> Acesso em 14 de jul. 2011. 22 em: <http://www.historialivre.com/antiga/geoegito.htm> Acesso em 14 de jul. 2011. FABER, Marcos Emílio Ekman. A Mesopotâmia. Disponível em: <http://www.historialivre.com/antiga/mesopotamia.htm> Acesso em 14 de jul. 2011. FERREIRA, Olavo Leonel. Mesopotâmia. São Paulo: Editora Moderna, 1993. FOTOS SALGADO, Sebastião. Site da Unicef. Disponível em: <http://www.unicef.org/salgado> SALGADO, Sebastião. Álbum África. Disponível em: <http://entretenimento.uol.com.br/album/sebastiao_africa_album.jhtm> SALGADO, Sebastião. Terra. São Paulo: Cia das Letras, 1997.
  • 23. AImportânciadosRiosparaasPrimeirasCivilizações OUTROS E-BOOKS (Grátis) Renascimento. História Ilustrada da Arte, Volume 1. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em: <http://www.historialivre.com/moderna/renascimento2.pdf> Moda. História Ilustrada da Arte, Volume 2. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em Breve em <http://www.historialivre.com/arte/moda.pdf>. História Ilustrada do Feudalismo. História Ilustrada, Volume 1. Marcos Emílio Ekman 23 História Ilustrada do Feudalismo. História Ilustrada, Volume 1. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em: <http://www.historialivre.com/medieval/feudalismo.pdf> A História dos Partidos Políticos no Brasil. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em: <http://www.historialivre.com/brasil/partidos_politicos.pdf> A História dos Partidos Políticos na Revolução Francesa. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em: <http://www.historialivre.com/contemporanea/partidos_politicos_franca.pdf> O Imperialismo em Charges. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em: <http://www.historialivre.com/contemporanea/imperialismo.pdf> A História do Dinheiro no Brasil. Marcos Emílio Ekman Faber. Disponível em: <http://www.historialivre.com/brasil/dinheiro_brasil.pdf>