SlideShare uma empresa Scribd logo
HUMANIZAÇÃO NA
ENFERMAGEM
Prof. Fabiano Vale
HUMANIZAÇÃO NA ENFERMAGEM
A humanização na enfermagem é um processo importante para os
profissionais que atuam diretamente com o paciente, uma vez, que
os Profissionais de saúde deve saber avaliar de maneira correta os
sentimentos, perspectivas, dúvidas e percepções que estejam relacionados
ao paciente.
No entanto, muitos profissionais encontram dificuldades ao realizar um
atendimento humanizado, devido à superlotação das unidades de saúde.
Sendo assim, iremos ver , com mais detalhes, os fundamentos da
humanização da enfermagem, bem como os benefícios para os pacientes e
para o complexo sistema de saúde.
O que significa humanização na enfermagem?
Humanização na enfermagem é o efeito de olhar para um paciente em
uma perspectiva mais integrada e completa e não apenas para as
questões clínicas e assistenciais envolvidas no processo do adoecimento.
Nesse sentido, cabe aos profissionais de saúde entender todas as queixas
do paciente e intervir de forma gentil e acolhedora. Isso é feito com o
objetivo de amenizar o sofrimento, melhorar a percepção dos problemas
ou proporcionar mais conforto diante da situação vivenciada.
Às vezes, o pouco que se faz já representa muito em valores para o
paciente. Outra questão abordada na humanização da enfermagem é
compreender a linguagem não verbal por meio de gestos do indivíduo que
está se comunicando de forma indireta, mas externando suas emoções
Diante disso, a humanização da enfermagem tem como fundamento
proporcionar assistência ao ser humano portador de uma condição
clínica, considerando as questões psicológicas, sociais, religiosas e
financeiras, entre outras variáveis que afetam o prognóstico do paciente.
Como isso pode ser observado na prática?
A humanização não devia ser a exceção, mas a regra para todos os
atendimentos em saúde. Isso significa que tratar educadamente os
pacientes, descrevendo os problemas em linguagem de fácil
entendimento e se solidarizando com eles são procedimentos que
deveriam ser comuns.
No entanto, devido ao acúmulo de serviço, muitos profissionais da
enfermagem se referem apenas ao “paciente do leito X” ou à “mãe da
criança do ambulatório Y”, o que traz uma conotação fria e pouco
personalizada.
Na prática, a humanização da enfermagem não requer grandes
investimentos, mas muito aprendizado, capacitação e entendimento
sobre o tipo de paciente que é atendido nos níveis de atenção à saúde
(postos de saúde, ambulatórios, hospitais etc.).
Sabe-se que os profissionais de saúde tem papel fundamental nesse
contexto, pois ele está em contato com todos os profissionais clínicos
e, com isso, tem uma visão mais global da situação, o que traz grandes
vantagens nessa posição.
Para o paciente
Melhor resposta ao tratamento
Um Profissional de saúde que preza pela humanização no contato com
os pacientes já deve ter percebido uma melhora significativa na resposta
ao tratamento. Isso porque o paciente pode compartilhar seus anseios,
medos e dúvidas e, nesse contexto, um enfermeiro capacitado pode
intervir em todas as etapas do processo de saúde e doença, gerando
melhorias ao quadro clínico do paciente.
Nesse contexto, diversos estudos já comprovaram a eficácia do
tratamento quando ele é submetido ao processo de humanização e às
condutas mais adequadas do ponto de vista clínico e socioeconômico.
Aumenta a colaboração
Quando um profissional de saúde conduz de forma adequada e com
profissionalismo um procedimento de enfermagem a uma pessoa
fragilizada fisicamente e/ou emocionalmente, é notória uma colaboração
maior e uma gratidão tanto do paciente quanto do seu acompanhante.
Nesse sentido, é necessário que o enfermeiro seja claro e objetivo nas
orientações, alertando, inclusive, sobre possíveis incômodos durante os
procedimentos, para não frustrar as expectativas.
Tranquiliza
A humanização é um ponto forte na carreira do profissional de
enfermagem, pois traz mais tranquilidade aos pacientes diante de um
problema clínico e, com isso, é possível tratá-lo adequadamente.
Isso significa que, mesmo diante das situações clínicas mais difíceis, é
importante que o profissional de saúde se solidarize com os
sentimentos dos pacientes e seja mais compreensivo diante de alguns
comportamentos apresentados.
Nesse contexto, é esperado que, enquanto articulador desse processo,
possa transmitir confiança para o paciente e seus familiares por meio de
orientações objetivas e claras.
Para os Profissionais de saúde:
Demonstra profissionalismo
A humanização na enfermagem significa acolher todas as variáveis que
estejam interferindo no prognóstico do paciente, sejam clínicas,
sociais, psicológicas, financeiras, psiquiátricas ou religiosas, por
exemplo.
O profissionalismo da enfermagem deve ir além para entender essas
variáveis, superar os preconceitos dos pacientes e prover uma
assistência clínica adequada ao quadro completo do paciente.
É um diferencial
A forma humanizada de tratar um paciente não é apenas um diferencial
para quem recebe o atendimento, mas também para o profissional que
consegue captar fatores imperceptíveis aos olhos focados na doença.
Essa percepção pode ser uma característica necessária e bem
representativa diante dos demais profissionais que lidam diretamente com
o paciente, de forma a ser um modelo a ser seguido.
A humanização na enfermagem é um processo necessário e importante no
contexto da saúde do paciente. Por meio de atitudes acolhedoras e
eficientes, os profissionais de enfermagem absorvem as principais
queixas físicas e emocionais e fazem intervenções, considerando todas as
variáveis relacionadas à efetividade do tratamento. No entanto, esse
processo requer capacitação contínua e experiência para lidar com
diversas questões ao longo da trajetória profissional.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a bioética aula 2.2.pdf

Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
rosiclermalta
 
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUSEspecialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Sebástian Freire
 
Atenção à saúde no nível secundário e terciário
Atenção à saúde no nível secundário e terciárioAtenção à saúde no nível secundário e terciário
Atenção à saúde no nível secundário e terciário
UNIME
 
A Importância Da Relação Médico Versao Explicita
A Importância Da Relação Médico Versao ExplicitaA Importância Da Relação Médico Versao Explicita
A Importância Da Relação Médico Versao Explicita
Josiane M F Tonelotto
 
aula 2 saude coletiva II_1691079403 (1).pptx
aula 2 saude coletiva II_1691079403 (1).pptxaula 2 saude coletiva II_1691079403 (1).pptx
aula 2 saude coletiva II_1691079403 (1).pptx
Francielttonsantos
 
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidadoComunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Gabriela Montargil
 
Humanização hospitalar
Humanização hospitalarHumanização hospitalar
Humanização hospitalar
Kelvyane Fonseca
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
carloslins20
 
2020 Enfermagem_em_ginecologia_e_obstetrcia_1._ed._-_www.meulivro.biz (1).pdf
2020 Enfermagem_em_ginecologia_e_obstetrcia_1._ed._-_www.meulivro.biz (1).pdf2020 Enfermagem_em_ginecologia_e_obstetrcia_1._ed._-_www.meulivro.biz (1).pdf
2020 Enfermagem_em_ginecologia_e_obstetrcia_1._ed._-_www.meulivro.biz (1).pdf
cristinafafia
 
Fundamentos de Enfermagem -
Fundamentos de Enfermagem -Fundamentos de Enfermagem -
Fundamentos de Enfermagem -
LucianaSousa469679
 
04.Artigo_A_Conferencia_familiar.pdf
04.Artigo_A_Conferencia_familiar.pdf04.Artigo_A_Conferencia_familiar.pdf
04.Artigo_A_Conferencia_familiar.pdf
Gabinete De Psicologia
 
Papel do cuidador na dor oncolã³gica
Papel do cuidador na dor oncolã³gicaPapel do cuidador na dor oncolã³gica
Papel do cuidador na dor oncolã³gica
Augusto Senna
 
Por que alguns pacientes desaparecem.pdf
Por que alguns pacientes desaparecem.pdfPor que alguns pacientes desaparecem.pdf
Por que alguns pacientes desaparecem.pdf
Senior Consultoria em Gestão e Marketing
 
A comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidade
A comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidadeA comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidade
A comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidade
Lurdes Martins
 
Equipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúdeEquipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúde
naiellyrodrigues
 
Acolhimentoehumanização
AcolhimentoehumanizaçãoAcolhimentoehumanização
Acolhimentoehumanização
Saúde Hervalense
 
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdfAula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
profalicebolelli
 
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdfTanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
AndressaMolina3
 
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdfTanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
AndressaMolina3
 
AULA 2 SAÚDE PÚBLICA saude coletiva.pptx
AULA 2 SAÚDE PÚBLICA saude coletiva.pptxAULA 2 SAÚDE PÚBLICA saude coletiva.pptx
AULA 2 SAÚDE PÚBLICA saude coletiva.pptx
EnfaVivianeCampos
 

Semelhante a bioética aula 2.2.pdf (20)

Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
Acolhimentoehumanizao 111011082936-phpapp01
 
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUSEspecialização em Saúde da Família UNA - SUS
Especialização em Saúde da Família UNA - SUS
 
Atenção à saúde no nível secundário e terciário
Atenção à saúde no nível secundário e terciárioAtenção à saúde no nível secundário e terciário
Atenção à saúde no nível secundário e terciário
 
A Importância Da Relação Médico Versao Explicita
A Importância Da Relação Médico Versao ExplicitaA Importância Da Relação Médico Versao Explicita
A Importância Da Relação Médico Versao Explicita
 
aula 2 saude coletiva II_1691079403 (1).pptx
aula 2 saude coletiva II_1691079403 (1).pptxaula 2 saude coletiva II_1691079403 (1).pptx
aula 2 saude coletiva II_1691079403 (1).pptx
 
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidadoComunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
Comunicação terapêutica em enfermagem: instrumento essencial do cuidado
 
Humanização hospitalar
Humanização hospitalarHumanização hospitalar
Humanização hospitalar
 
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
Humanização na Enfermagem: o que é e qual a importância?
 
2020 Enfermagem_em_ginecologia_e_obstetrcia_1._ed._-_www.meulivro.biz (1).pdf
2020 Enfermagem_em_ginecologia_e_obstetrcia_1._ed._-_www.meulivro.biz (1).pdf2020 Enfermagem_em_ginecologia_e_obstetrcia_1._ed._-_www.meulivro.biz (1).pdf
2020 Enfermagem_em_ginecologia_e_obstetrcia_1._ed._-_www.meulivro.biz (1).pdf
 
Fundamentos de Enfermagem -
Fundamentos de Enfermagem -Fundamentos de Enfermagem -
Fundamentos de Enfermagem -
 
04.Artigo_A_Conferencia_familiar.pdf
04.Artigo_A_Conferencia_familiar.pdf04.Artigo_A_Conferencia_familiar.pdf
04.Artigo_A_Conferencia_familiar.pdf
 
Papel do cuidador na dor oncolã³gica
Papel do cuidador na dor oncolã³gicaPapel do cuidador na dor oncolã³gica
Papel do cuidador na dor oncolã³gica
 
Por que alguns pacientes desaparecem.pdf
Por que alguns pacientes desaparecem.pdfPor que alguns pacientes desaparecem.pdf
Por que alguns pacientes desaparecem.pdf
 
A comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidade
A comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidadeA comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidade
A comunicação na interação com indivíduos em situações de vulnerabilidade
 
Equipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúdeEquipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúde
 
Acolhimentoehumanização
AcolhimentoehumanizaçãoAcolhimentoehumanização
Acolhimentoehumanização
 
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdfAula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
Aula 1-2. Cuidado de Enf, Anotações e Evolução.pdf
 
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdfTanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
 
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdfTanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
Tanatologia clinica e cuidados paliativos-luto oncológico pediátrico.pdf
 
AULA 2 SAÚDE PÚBLICA saude coletiva.pptx
AULA 2 SAÚDE PÚBLICA saude coletiva.pptxAULA 2 SAÚDE PÚBLICA saude coletiva.pptx
AULA 2 SAÚDE PÚBLICA saude coletiva.pptx
 

Mais de FabianoDoVale

BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptxBIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
FabianoDoVale
 
BIOSSEGURANÇA AULA 01 (2).pptx
BIOSSEGURANÇA AULA 01 (2).pptxBIOSSEGURANÇA AULA 01 (2).pptx
BIOSSEGURANÇA AULA 01 (2).pptx
FabianoDoVale
 
PPTX_378775_2021_09_03_10_48_20 (1).pptx
PPTX_378775_2021_09_03_10_48_20 (1).pptxPPTX_378775_2021_09_03_10_48_20 (1).pptx
PPTX_378775_2021_09_03_10_48_20 (1).pptx
FabianoDoVale
 
A 7 Cateteres.pptx
A 7 Cateteres.pptxA 7 Cateteres.pptx
A 7 Cateteres.pptx
FabianoDoVale
 
SISTEMA MUSCULA POSTAR.pptx
SISTEMA MUSCULA POSTAR.pptxSISTEMA MUSCULA POSTAR.pptx
SISTEMA MUSCULA POSTAR.pptx
FabianoDoVale
 
MICRO 01.pptx
MICRO 01.pptxMICRO 01.pptx
MICRO 01.pptx
FabianoDoVale
 
EMPATIA COMPARTILHAR.pptx
EMPATIA COMPARTILHAR.pptxEMPATIA COMPARTILHAR.pptx
EMPATIA COMPARTILHAR.pptx
FabianoDoVale
 
Educação para o Trabalho ENVIAR.pptx
Educação para o Trabalho ENVIAR.pptxEducação para o Trabalho ENVIAR.pptx
Educação para o Trabalho ENVIAR.pptx
FabianoDoVale
 
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptxINFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
FabianoDoVale
 
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptxEDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
FabianoDoVale
 
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptxEDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
FabianoDoVale
 
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptxAULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
FabianoDoVale
 
A 3.1 Coleta de Exames AE 64.pptx
A 3.1 Coleta de Exames AE 64.pptxA 3.1 Coleta de Exames AE 64.pptx
A 3.1 Coleta de Exames AE 64.pptx
FabianoDoVale
 
BIOETICA 02 02.pdf
BIOETICA 02 02.pdfBIOETICA 02 02.pdf
BIOETICA 02 02.pdf
FabianoDoVale
 
BIOETICA 02 01.pdf
BIOETICA 02 01.pdfBIOETICA 02 01.pdf
BIOETICA 02 01.pdf
FabianoDoVale
 

Mais de FabianoDoVale (15)

BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptxBIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
BIOSSEGURANÇA EM SAUDE AULA 07 (1).pptx
 
BIOSSEGURANÇA AULA 01 (2).pptx
BIOSSEGURANÇA AULA 01 (2).pptxBIOSSEGURANÇA AULA 01 (2).pptx
BIOSSEGURANÇA AULA 01 (2).pptx
 
PPTX_378775_2021_09_03_10_48_20 (1).pptx
PPTX_378775_2021_09_03_10_48_20 (1).pptxPPTX_378775_2021_09_03_10_48_20 (1).pptx
PPTX_378775_2021_09_03_10_48_20 (1).pptx
 
A 7 Cateteres.pptx
A 7 Cateteres.pptxA 7 Cateteres.pptx
A 7 Cateteres.pptx
 
SISTEMA MUSCULA POSTAR.pptx
SISTEMA MUSCULA POSTAR.pptxSISTEMA MUSCULA POSTAR.pptx
SISTEMA MUSCULA POSTAR.pptx
 
MICRO 01.pptx
MICRO 01.pptxMICRO 01.pptx
MICRO 01.pptx
 
EMPATIA COMPARTILHAR.pptx
EMPATIA COMPARTILHAR.pptxEMPATIA COMPARTILHAR.pptx
EMPATIA COMPARTILHAR.pptx
 
Educação para o Trabalho ENVIAR.pptx
Educação para o Trabalho ENVIAR.pptxEducação para o Trabalho ENVIAR.pptx
Educação para o Trabalho ENVIAR.pptx
 
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptxINFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
INFECÇÃO COMPARTILHAR.pptx
 
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptxEDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
 
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptxEDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
EDT CHAVE - COMPARTILHAR.pptx
 
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptxAULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
 
A 3.1 Coleta de Exames AE 64.pptx
A 3.1 Coleta de Exames AE 64.pptxA 3.1 Coleta de Exames AE 64.pptx
A 3.1 Coleta de Exames AE 64.pptx
 
BIOETICA 02 02.pdf
BIOETICA 02 02.pdfBIOETICA 02 02.pdf
BIOETICA 02 02.pdf
 
BIOETICA 02 01.pdf
BIOETICA 02 01.pdfBIOETICA 02 01.pdf
BIOETICA 02 01.pdf
 

Último

tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptxtccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
DvilaSoares1
 
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabiConferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
FabianeOlegario2
 
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema TegumentarSeminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
PatrciaOliveiraPat
 
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamenteSeminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
LasAraujo12
 
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
NanandorMacosso
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
danielecarvalho75
 
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagemAula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Jssica597589
 
Tuberculose manual modulo 1 micobacterias
Tuberculose manual modulo 1 micobacteriasTuberculose manual modulo 1 micobacterias
Tuberculose manual modulo 1 micobacterias
CarolLopes74
 
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
balmeida871
 

Último (9)

tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptxtccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
tccemmodelodeslideparaparesentacaotcc2.pptx
 
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabiConferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
Conferência de saúde - Fpolis.pptx01fabi
 
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema TegumentarSeminário para saúde: Sistema Tegumentar
Seminário para saúde: Sistema Tegumentar
 
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamenteSeminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
Seminário Aleitamento Materno em PDF disponivel gratuitamente
 
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
02. Alimentação saudável Autor Biblioteca Virtual em Saúde MS.pdf
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA (1).pptx
 
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagemAula PNAB.... curso técnico de enfermagem
Aula PNAB.... curso técnico de enfermagem
 
Tuberculose manual modulo 1 micobacterias
Tuberculose manual modulo 1 micobacteriasTuberculose manual modulo 1 micobacterias
Tuberculose manual modulo 1 micobacterias
 
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
Vitamina K2 e a Pele Saudável: Descubra os Segredos para uma Aparência Jovem ...
 

bioética aula 2.2.pdf

  • 2. HUMANIZAÇÃO NA ENFERMAGEM A humanização na enfermagem é um processo importante para os profissionais que atuam diretamente com o paciente, uma vez, que os Profissionais de saúde deve saber avaliar de maneira correta os sentimentos, perspectivas, dúvidas e percepções que estejam relacionados ao paciente. No entanto, muitos profissionais encontram dificuldades ao realizar um atendimento humanizado, devido à superlotação das unidades de saúde. Sendo assim, iremos ver , com mais detalhes, os fundamentos da humanização da enfermagem, bem como os benefícios para os pacientes e para o complexo sistema de saúde.
  • 3. O que significa humanização na enfermagem? Humanização na enfermagem é o efeito de olhar para um paciente em uma perspectiva mais integrada e completa e não apenas para as questões clínicas e assistenciais envolvidas no processo do adoecimento. Nesse sentido, cabe aos profissionais de saúde entender todas as queixas do paciente e intervir de forma gentil e acolhedora. Isso é feito com o objetivo de amenizar o sofrimento, melhorar a percepção dos problemas ou proporcionar mais conforto diante da situação vivenciada. Às vezes, o pouco que se faz já representa muito em valores para o paciente. Outra questão abordada na humanização da enfermagem é compreender a linguagem não verbal por meio de gestos do indivíduo que está se comunicando de forma indireta, mas externando suas emoções
  • 4. Diante disso, a humanização da enfermagem tem como fundamento proporcionar assistência ao ser humano portador de uma condição clínica, considerando as questões psicológicas, sociais, religiosas e financeiras, entre outras variáveis que afetam o prognóstico do paciente.
  • 5. Como isso pode ser observado na prática? A humanização não devia ser a exceção, mas a regra para todos os atendimentos em saúde. Isso significa que tratar educadamente os pacientes, descrevendo os problemas em linguagem de fácil entendimento e se solidarizando com eles são procedimentos que deveriam ser comuns. No entanto, devido ao acúmulo de serviço, muitos profissionais da enfermagem se referem apenas ao “paciente do leito X” ou à “mãe da criança do ambulatório Y”, o que traz uma conotação fria e pouco personalizada.
  • 6. Na prática, a humanização da enfermagem não requer grandes investimentos, mas muito aprendizado, capacitação e entendimento sobre o tipo de paciente que é atendido nos níveis de atenção à saúde (postos de saúde, ambulatórios, hospitais etc.). Sabe-se que os profissionais de saúde tem papel fundamental nesse contexto, pois ele está em contato com todos os profissionais clínicos e, com isso, tem uma visão mais global da situação, o que traz grandes vantagens nessa posição.
  • 7. Para o paciente Melhor resposta ao tratamento Um Profissional de saúde que preza pela humanização no contato com os pacientes já deve ter percebido uma melhora significativa na resposta ao tratamento. Isso porque o paciente pode compartilhar seus anseios, medos e dúvidas e, nesse contexto, um enfermeiro capacitado pode intervir em todas as etapas do processo de saúde e doença, gerando melhorias ao quadro clínico do paciente. Nesse contexto, diversos estudos já comprovaram a eficácia do tratamento quando ele é submetido ao processo de humanização e às condutas mais adequadas do ponto de vista clínico e socioeconômico.
  • 8. Aumenta a colaboração Quando um profissional de saúde conduz de forma adequada e com profissionalismo um procedimento de enfermagem a uma pessoa fragilizada fisicamente e/ou emocionalmente, é notória uma colaboração maior e uma gratidão tanto do paciente quanto do seu acompanhante. Nesse sentido, é necessário que o enfermeiro seja claro e objetivo nas orientações, alertando, inclusive, sobre possíveis incômodos durante os procedimentos, para não frustrar as expectativas. Tranquiliza A humanização é um ponto forte na carreira do profissional de enfermagem, pois traz mais tranquilidade aos pacientes diante de um problema clínico e, com isso, é possível tratá-lo adequadamente.
  • 9. Isso significa que, mesmo diante das situações clínicas mais difíceis, é importante que o profissional de saúde se solidarize com os sentimentos dos pacientes e seja mais compreensivo diante de alguns comportamentos apresentados. Nesse contexto, é esperado que, enquanto articulador desse processo, possa transmitir confiança para o paciente e seus familiares por meio de orientações objetivas e claras.
  • 10. Para os Profissionais de saúde: Demonstra profissionalismo A humanização na enfermagem significa acolher todas as variáveis que estejam interferindo no prognóstico do paciente, sejam clínicas, sociais, psicológicas, financeiras, psiquiátricas ou religiosas, por exemplo. O profissionalismo da enfermagem deve ir além para entender essas variáveis, superar os preconceitos dos pacientes e prover uma assistência clínica adequada ao quadro completo do paciente.
  • 11. É um diferencial A forma humanizada de tratar um paciente não é apenas um diferencial para quem recebe o atendimento, mas também para o profissional que consegue captar fatores imperceptíveis aos olhos focados na doença. Essa percepção pode ser uma característica necessária e bem representativa diante dos demais profissionais que lidam diretamente com o paciente, de forma a ser um modelo a ser seguido. A humanização na enfermagem é um processo necessário e importante no contexto da saúde do paciente. Por meio de atitudes acolhedoras e eficientes, os profissionais de enfermagem absorvem as principais queixas físicas e emocionais e fazem intervenções, considerando todas as variáveis relacionadas à efetividade do tratamento. No entanto, esse processo requer capacitação contínua e experiência para lidar com diversas questões ao longo da trajetória profissional.