SlideShare uma empresa Scribd logo
VOLTAR PARA LINHA DO TEMPO PRÓXIMO ESTILO
ARTS AND
CRAFTS
CONTEXTO HISTÓRICO
CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS
PRINCIPAIS DESIGNERS
FATOS E ACONTECIMENTOS
CONTEXTO BRASILEIRO
CONTEXTO HISTÓRICO
• Na segunda metade do século XIX, a qualidade do
design e dos artefatos e objetos tornaram-se vítima do
desenvolvimento e avanço da Revolução Industrial.
• Nesse contexto, surgiu o Arts and Crafts, um
movimento estético e social inglês, que defendia o
artesanato criativo como alternativa à mecanização e à
produção em massa.
• Reuniu teóricos e artistas em busca da revalorização
do trabalho manual e da recuperação da dimensão
estética dos objetos produzidos industrialmente para
uso cotidiano. 
AVANÇARVOLTAR
ARTS AND CRAFTS| 1860-1900
1871 - Xilogravura de crianças inglesas trabalhando em uma fábrica de cerâmicas
CONTEXTO HISTÓRICO
• As ideias do escritor e artista John Ruskin e do
Arquiteto Augustus Pugin foram fundamentais para a
consolidação da base teórica do movimento. Na vasta
produção escrita de Ruskin, observa-se uma tentativa
de combinar esteticismo e reforma social,
relacionando arte à vida diária do povo.
• O movimento teve duas fortes influências: o
socialismo e o medievalismo.
• De maneira geral, o movimento realizava um elogio aos
padrões artesanais e à organização do trabalho das
guildas medievais.
AVANÇARVOLTAR
ARTS AND CRAFTS| 1860-1900
1772 - John Cuff, oficina artesanal
FATOS E ACONTECIMENTOS
AVANÇAR
1862 - William Morris inaugura a Morris, Marshall, Faulkner and Company, especializada em decoração artística.
1847 - Pickering publica The Elements of Euclid
1883 - Arthur Mackmurdo cria a Century Guild.
1891 - William Morris cria a Kelmscott Press, especializada em livros com acabamento primoroso.
1894 - William Morris e Walter Crane publicam The Story of the Glittering Plain.
1877 - William Morris faz suas primeiras conferências públicas sobre design.
1896 - Fundação da Eragny Press por Lucien Pissarro e John Ashendene Press por Hornby
VOLTAR
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
1884 - Criada a Guilda dos Trabalhadores da Arte.
1888 - Dissidentes da Guilda dos Trabalhadores da Arte, criam a Sociedade de Exposições de Artes e Ofícios.
FATOS E ACONTECIMENTOS
VOLTAR AVANÇAR
1874
À medida que se encerrava o século XIX, a qualidade do
design e da produção de livros tornou-se vítima da
revolução industrial, como algumas excessões notáveis,
como os livros do editor inglês William Pickering. Ele
desempenhou papel importante na separação do design
gráfico da produção tipográfica. Controlava a definição de
formato, seleção de tipos, ilustrações e todos os demais
aspectos visuais. Sua paixão pelo design o levou a
encomendar novos ornamentos, iniciais e ilustrações
xilográficas.
Elements of Euclid, edição de William Pickering
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Arts and Crafts
FATOS E ACONTECIMENTOS
VOLTAR AVANÇAR
1862
William Morris inaugura a Morris, Marshall, Faulkner and
Company, uma loja especializada em móveis e objetos de
decoração.
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Oficina de estamparia
FATOS E ACONTECIMENTOS
VOLTAR AVANÇAR
1883
Em 1982 o arquiteto Arthur H. Mackmurdo, e inspirou-se
na ideias e realizações no design aplicado de seu amigo
William Morris, e uniu-se a um grupo de jovens artistas e
designers para criar a Century Guild. O grupo desenvolveu
uma nova estética incorporando a seus trabalhos
características do renascimento e do Japão. O objetivo da
Century Guild era “passar todos os ramos da arte para a
esfera, não mais do comerciante, mas do artista”.As artes
do design deveriam ser elevadas ao “seu lugar de direito
ao lado da pintura e da escultura”.
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Hobby Horse, revista publicada pela Century Guild
FATOS E ACONTECIMENTOS
VOLTAR AVANÇAR
1884
Criada a Guilda dos Trabalhadores da Arte, uma tentativa
de conjugar ensino de arte e nova forma de organização
do trabalho.
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
FATOS E ACONTECIMENTOS
VOLTAR AVANÇAR
1888
Dissidentes da Guilda dos Trabalhadores da Arte, criam a
Sociedade de Exposições de Artes e Ofícios.
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Cartaz da primeira exposição Arts and Crafts
FATOS E ACONTECIMENTOS
VOLTAR AVANÇAR
1891
Em 1891,William Morris criou a Kelmscott Press, uma
editora para produzir exemplos de design aprimorado de
impressão e livros que eram inspirados pelos primeiros
livros impressos no século XV e suas ilustrações talhadas
em madeira.
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Logotipo da Kelmscott Press
FATOS E ACONTECIMENTOS
VOLTAR AVANÇAR
1894
William Morris e Walter Crane publicam The Story of the
Glittering Plain, primeiro livro produzido pela Kelmscott
Press.
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Páginas de The Story of the Glittering Plain
FATOS E ACONTECIMENTOS
VOLTAR AVANÇAR
1896
Fundação da Eragny Press por Lucien e Esther Pissarro e e
Ashendene Press por Hornby, duas importantes gráficas
particulares.
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Logo da Eragny Press
• Oposição à produção de bens de consumo em série, e
consequentemente, sem utilização de procedimentos
industriais;
• Emprego de técnicas artesanais e materiais nobres;
• Design com alusão a elementos da natureza;
• Equilíbrio entre forma, função e ornamentação;
• Utilização do design como instrumento de mudança
social;
• Trabalho realizado não só pela obtenção de benefícios,
mas também pela satisfação de um trabalho bem feito.
CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS
AVANÇAR
Papel de parede criado por William Morris
VOLTAR
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
De modo geral, as peças feitas nos estúdios do Arts and
Crafts seguiam os princípios estabelecidos por William
Morris:
• considerar o material (qualidade e nobreza);
• considerar o uso (função);
• considerar a construção (design);
• considerar a ferramenta (técnica).
CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS
AVANÇAR
Cadeira desenhada por William Morris
VOLTAR
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS
AVANÇARVOLTAR
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Arts And Crafts Estilo Vitoriano
Simplicidade Ornamentos complexos
Sistema de Guildas Produção Industrial
Acabamento artesanal Acabamento Industrial
CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS
AVANÇARVOLTAR
ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
Arts And Crafts Estilo Vitoriano
PRINCIPAIS DESIGNERS
AVANÇAR
Augustus Pugin William Morris
Arthur Mackmurdo
Walter CraneWilliam Pickering
VOLTAR
John Horbny Lucien Pissaro
e Esther BensusanSelwyn Image Charles Ashbee
1812–1852
Arquiteto, designer, artista e crítico inglês que é lembrado
principalmente por seu papel pioneiro no estilo de
arquitetura neogótico. Seu trabalho culminou em projetar
o interior do Palácio de Westminster em Westminster,
Londres, Inglaterra e sua icônica torre do relógio, mais
tarde renomeada como Elizabeth Tower, que abriga o sino
conhecido como Big Ben. Suas idéias nostálgicas sobre as
glórias do passado medieval diante da mediocridade das
criações modernas tiveram impacto sobre Jonh Ruskin,
que, como ele, realiza um elogio aos padrões artesanais e
à organização do trabalho das guildas medievais e,
sobretudo, no trabalho de William Morris.
Augustus Pugin
AVANÇARVOLTAR
AVANÇARVOLTAR
Ornamentos de inspiração gótica
desenhados por Augustus Pugin
Editor inglês, aos 14 anos de idade tornou-se um livreiro e
editor de Londres; aos 24 montou sua própria livraria
especializada em títulos antigos e raros. Desempenhou
papel importante na separação do design gráfico da
produção tipográfica. Controlava a definição de formato,
seleção de tipos, ilustrações e todos os demais aspectos
visuais. Sua paixão pelo design o levou a encomendar
novos ornamentos, iniciais e ilustrações xilográficas.
William Pickering
AVANÇARVOLTAR
1796–1854
AVANÇARVOLTAR
William Pickering,The book of Common
Prayer, 1844
Principal líder do movimento Arts and Crafts, pintor,
escritor e socialista militante, Morris tentou combinar as
teses de John Ruskin às de Karl Marx, na defesa de uma
arte "feita pelo povo e para o povo”. Profundamente
preocupado com os problemas da industrialização e do
sistema fabril, acreditava que a insipidez dos bens
produzidos em massa e a falta de trabalho digno podiam
ser sanadas pela junção de arte e ofício, que poderiam
combinar-se para criar belos objetos e assim os
trabalhadores poderiam novamente encontrar alegria no
trabalho, e o ambiente feito pelo homem seria
revitalizado.
William Morris
AVANÇARVOLTAR
1834-1896
AVANÇARVOLTAR
Papeis de parede criados por William Morris
AVANÇARVOLTAR
Móveis de parede criados por William Morris
AVANÇARVOLTAR
Livros editados por William Morris
na Kelmscott Press
AVANÇARVOLTAR
Páginas de livro editado pela
Kelmscott Press
AVANÇARVOLTAR
Páginas de livro editado pela
Kelmscott Press
AVANÇARVOLTAR
The Works of Geoffrey Chaucer, de 556 páginas.
Quatro anos de preparação, com 87 ilustrações
xilográficas projetadas por Burne-Jones, além de
catorze filetes largos e dezoito molduras menores
em torno de ilustrações gravadas a partir do design
de Morris.
O paradoxo de William Morris é que, enquanto procurava
refúgio no trabalho manual feito no passado, desenvolveu
atitudes em relação ao design que delineavam seu futuro.
Seu clamor pelo ofício manual, fidelidade aos materiais, a
conversão do útil em belo e a adequação do design à
função são comportamentos adotados pelas gerações
ulteriores, que procuravam unificar não a arte e o ofício,
mas a arte e a industria. Morris ensinou que o design
podia trazer a arte para a classe trabalhadora, mas os
móveis refinados da Morris & Co e os magníficos livros da
Kelmscott estavam apenas ao alcance dos ricos.
AVANÇARVOLTAR
Os elementos de design do movimento Arts and Crafts
influenciaram claramente o estilo de Walter Crane. Como
John Ruskin, Edward Burne-Jones e William Morris,
grande parte de seu trabalho foi influenciado pelo estilo
gótico inglês. Suas ilustrações para The Faerie Queene
(1894-1897) receberam inúmeros elogios e são
consideradas uma das mais belas obras do movimento
Arts and Crafts.As bordas primorosamente decoradas, as
caligrafias e as imagens do revivalismo gótico se
misturam em um todo harmonioso, ecoando produções
luxuosas de William Morris e sua Kelmscott Press.
Walter Crane
AVANÇARVOLTAR
1845–1915
AVANÇAR
Walter Crane, Household Stories (1882) Walter Crane, Household Stories (1882)
VOLTAR
AVANÇAR
Walter Crane,The Faire Queen (1882)
VOLTAR
AVANÇARVOLTAR
ilustrações de Walter Crane
Arquiteto inglês, designer e pioneiro do movimento Arts
and Crafts. Depois de estudar na Escola de Belas Artes e
Desenho de Ruskin, em Oxford, e de viajar com John
Ruskin para a Itália, Mackmurdo se estabeleceu em
Londres. Ele fundou o Century Guild of Artists (1882),
baseado nos ensinamentos de William Morris, para
produzir melhores móveis e acessórios decorativos do que
os disponíveis comercialmente. No início da década de
1880, ele também projetou tecidos, tapeçarias, papel de
parede e trabalhos em metal, muitas vezes caracterizados
por formas de plantas em espiral, prenunciando as formas
do Art Nouveau.
Arthur Mackmurdo
AVANÇARVOLTAR
1851–1942
AVANÇARVOLTAR
Criações de Arthur Mackmurdo: cadeira de 1881;
Estampa “pavão" para tecido de algodão, de 1883;
Folha de rosto do livro “Wrens City Churches, 1883 e
ornamento para a revista “Hoby Horse”, de 1884.
Foi um importante artista, designer, escritor e poeta
britânico associado ao movimento Arts and Crafts.
Associado à Century Guild, projetou vitrais, móveis,
bordados. Era também ilustrador de livros e foi professor
de Belas Artes em Oxford de 1910 a 1916.
Selwyn Image
AVANÇARVOLTAR
1849–1930
AVANÇARVOLTAR
Ilustrações de Selwyn Image
Arquiteto, designer gráfico, joalheiro e prateiro, fundou a
Guilda de Artesanato em 1888 com três membros. Sua
escola unificou o ensino do design e da teoria com a
experiência da oficina, procurando reestabelecer a
experiência holística da aprendizagem que fora destruída
pela subdivisão do trabalho e produção mecânica.Após a
morte de Morris, tentou adquirir a Kelmscott Press. No
entanto, as xilogravuras e tipos foram depositados no
Museu Britânico com a norma de que não fossem usados
para impressão por cem anos. Ele então contratou os
principais funcionários, comprou os equipamentos
disponíveis e fundou a Essex House Press.
Charles Ashbee
AVANÇARVOLTAR
1863–1942
AVANÇARVOLTAR
Objetos criados por Charles Ashbee
AVANÇARVOLTAR
O Salmo de 1902 é uma obra-prima
do design, O texto está em inglês
vernacular, com um projeto gráfico
para cada salmo, com numeral
romano, o título em latim em versais
vermelhas, um título descritivo em
inglês em versais pretas, uma
capitular composta em xilogravura e
o corpo do salmo. Os versículos eram
separados por ornamentos foliáceos
xilográficos impressos em vermelho.
John Hornby fundou a Ashendene Press em 1895, uma
excepcional imprensa particular. Os tipos projetados para
a Ashendene era inspirados em tipos semi-gótigos,
tinham elegância vibrante e boa legibilidade, como
moderadas diferenças de peso entre os traços grossos e
finos e uma letra ligeiramente comprida.
John Hornby
AVANÇARVOLTAR
1867–1946
AVANÇARVOLTAR
Páginad de "Three Poems of John Milton
(1896) e “Lenda de São Francisco de Assis”,
(1922), editados pela Ashendene Press
Em 1984 Lucien Pissarro e Esther Bensusan fundaram a
Erangy Press, inspirados pela Kelmscott.Trabalharam
juntos na concepção, gravação de xilos e impressão dos
livros. Muitos deles tinha xilogravuras de três ou quatro
cores produzidas com base em ilustrações feitas por
Lucien. Diferente de outros membros do Arts and Crafts, o
casal Pissarro era inspirado tanto pelo passado como pelo
presente; seus livros combinavam as sensibilidades
tradicionais do movimento da imprensa particular com
um interesse pelo florescente movimento Art Nouveau.
Lucien Pissarro
AVANÇARVOLTAR
1866–1944
Esther Bensusan
1870–1951
AVANÇARVOLTAR
Livros editados pela Erangy Press
SÉCULO XIX
No Brasil, especificamente, o Liceu de Artes e Ofícios,
criado em diversas cidades (Rio de Janeiro, Salvador e São
Paulo), encontram na experiência do Arts & Crafts e na
valorização do trabalho artesanal no interior da indústria
de feição capitalista um modelo a ser seguido. 
CONTEXTO BRASILEIRO
AVANÇARVOLTAR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Art Decó
Art DecóArt Decó
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
Ana Barreiros
 
De Stijl
De StijlDe Stijl
Estilo Internacional
Estilo InternacionalEstilo Internacional
Estilo Internacional
Carlos Vieira
 
História do Design - Mov Reforma - Hd04
História do Design - Mov Reforma - Hd04História do Design - Mov Reforma - Hd04
História do Design - Mov Reforma - Hd04
Valdir Soares
 
A Arte Rococó
A Arte RococóA Arte Rococó
A Arte Rococó
Carlos Pinheiro
 
Art Deco
Art DecoArt Deco
Breve História do Design
Breve História do DesignBreve História do Design
Breve História do Design
Tales Bündchen Záccaro de Oliveira
 
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
Valdir Soares
 
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
Valdir Soares
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
Daniel Bohn
 
História do Design
História do DesignHistória do Design
História do Design
Luciana Lopes
 
Timeline e historia do design
Timeline e historia do designTimeline e historia do design
Timeline e historia do design
Marcio Duarte
 
Neoplasticismo
Neoplasticismo Neoplasticismo
Neoplasticismo
Michele Pó
 
Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhaus
Fellipe Lucas
 
A arte nova
A arte novaA arte nova
A arte nova
Feliciabalan04
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
Sofia Andrade
 
História do Design - RevoluçãO Industrial - Hd03
História do Design - RevoluçãO Industrial - Hd03História do Design - RevoluçãO Industrial - Hd03
História do Design - RevoluçãO Industrial - Hd03
Valdir Soares
 
A arquitetura da 1ª metade século xx
A arquitetura da 1ª metade século xxA arquitetura da 1ª metade século xx
A arquitetura da 1ª metade século xx
Ana Barreiros
 
Era Vitoriana
Era VitorianaEra Vitoriana
Era Vitoriana
Hely Costa Júnior
 

Mais procurados (20)

Art Decó
Art DecóArt Decó
Art Decó
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
De Stijl
De StijlDe Stijl
De Stijl
 
Estilo Internacional
Estilo InternacionalEstilo Internacional
Estilo Internacional
 
História do Design - Mov Reforma - Hd04
História do Design - Mov Reforma - Hd04História do Design - Mov Reforma - Hd04
História do Design - Mov Reforma - Hd04
 
A Arte Rococó
A Arte RococóA Arte Rococó
A Arte Rococó
 
Art Deco
Art DecoArt Deco
Art Deco
 
Breve História do Design
Breve História do DesignBreve História do Design
Breve História do Design
 
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
História do Design - Movimento de Vanguarda - Hd05
 
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
 
História do Design
História do DesignHistória do Design
História do Design
 
Timeline e historia do design
Timeline e historia do designTimeline e historia do design
Timeline e historia do design
 
Neoplasticismo
Neoplasticismo Neoplasticismo
Neoplasticismo
 
Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhaus
 
A arte nova
A arte novaA arte nova
A arte nova
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
 
História do Design - RevoluçãO Industrial - Hd03
História do Design - RevoluçãO Industrial - Hd03História do Design - RevoluçãO Industrial - Hd03
História do Design - RevoluçãO Industrial - Hd03
 
A arquitetura da 1ª metade século xx
A arquitetura da 1ª metade século xxA arquitetura da 1ª metade século xx
A arquitetura da 1ª metade século xx
 
Era Vitoriana
Era VitorianaEra Vitoriana
Era Vitoriana
 

Semelhante a Arts and Crafts

Album de figurinhas ana caroline venturi
Album de figurinhas   ana caroline venturiAlbum de figurinhas   ana caroline venturi
Album de figurinhas ana caroline venturi
Ana Caroline Venturi
 
Aula 01 - Movimento Arts and Crafts.pdf
Aula 01 - Movimento Arts and Crafts.pdfAula 01 - Movimento Arts and Crafts.pdf
Aula 01 - Movimento Arts and Crafts.pdf
Bruna804599
 
Evolução das Artes Visuais IV
Evolução das Artes Visuais IVEvolução das Artes Visuais IV
Evolução das Artes Visuais IV
renatomacedo
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Hely Costa Júnior
 
Aula 04 arts & crafts 2013
Aula 04   arts & crafts 2013Aula 04   arts & crafts 2013
Aula 04 arts & crafts 2013
Maureen França
 
02 art nouveau
02 art nouveau02 art nouveau
02 art nouveau
Monique Araripe
 
Album de Figurinhas Introdução ao Design
Album de Figurinhas Introdução ao DesignAlbum de Figurinhas Introdução ao Design
Album de Figurinhas Introdução ao Design
Andressa Baptista
 
A evolução da cadeira ao longo dos séculos
A evolução da cadeira ao longo dos séculosA evolução da cadeira ao longo dos séculos
A evolução da cadeira ao longo dos séculos
angelarts569
 
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art decoAula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Leonardo Borges
 
Vitrais decorativos do século xix
Vitrais decorativos do século xixVitrais decorativos do século xix
Vitrais decorativos do século xix
Taciane Silveira Souza
 
História da Cadeira
História da CadeiraHistória da Cadeira
História da Cadeira
Esc Sec Caneças
 
Artes Gráficas no Sec. XIX
Artes Gráficas no Sec. XIXArtes Gráficas no Sec. XIX
Artes Gráficas no Sec. XIX
Lídia Ganhito
 
Estilo Vitoriano
Estilo VitorianoEstilo Vitoriano
Estilo Vitoriano
Lívia Priscilla
 
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
jvthomaz
 
Arts and crafts e a arte nova
Arts and crafts  e a arte novaArts and crafts  e a arte nova
Arts and crafts e a arte nova
Ana Barrelas
 
Revista Ideia Abstrata
Revista Ideia AbstrataRevista Ideia Abstrata
Revista Ideia Abstrata
Lidiane Gleyce
 
Marli
MarliMarli
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Vinicius Longo
 
Land art
Land artLand art
Land art
Andrea Sulzbach
 
Artigo bimestral introd design
Artigo bimestral introd designArtigo bimestral introd design
Artigo bimestral introd design
Ariceli Nunes
 

Semelhante a Arts and Crafts (20)

Album de figurinhas ana caroline venturi
Album de figurinhas   ana caroline venturiAlbum de figurinhas   ana caroline venturi
Album de figurinhas ana caroline venturi
 
Aula 01 - Movimento Arts and Crafts.pdf
Aula 01 - Movimento Arts and Crafts.pdfAula 01 - Movimento Arts and Crafts.pdf
Aula 01 - Movimento Arts and Crafts.pdf
 
Evolução das Artes Visuais IV
Evolução das Artes Visuais IVEvolução das Artes Visuais IV
Evolução das Artes Visuais IV
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Aula 04 arts & crafts 2013
Aula 04   arts & crafts 2013Aula 04   arts & crafts 2013
Aula 04 arts & crafts 2013
 
02 art nouveau
02 art nouveau02 art nouveau
02 art nouveau
 
Album de Figurinhas Introdução ao Design
Album de Figurinhas Introdução ao DesignAlbum de Figurinhas Introdução ao Design
Album de Figurinhas Introdução ao Design
 
A evolução da cadeira ao longo dos séculos
A evolução da cadeira ao longo dos séculosA evolução da cadeira ao longo dos séculos
A evolução da cadeira ao longo dos séculos
 
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art decoAula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
Aula 7 arts&crafts + art nouveau + art deco
 
Vitrais decorativos do século xix
Vitrais decorativos do século xixVitrais decorativos do século xix
Vitrais decorativos do século xix
 
História da Cadeira
História da CadeiraHistória da Cadeira
História da Cadeira
 
Artes Gráficas no Sec. XIX
Artes Gráficas no Sec. XIXArtes Gráficas no Sec. XIX
Artes Gráficas no Sec. XIX
 
Estilo Vitoriano
Estilo VitorianoEstilo Vitoriano
Estilo Vitoriano
 
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
Os primórdios do Design - João Victor P. Thomaz
 
Arts and crafts e a arte nova
Arts and crafts  e a arte novaArts and crafts  e a arte nova
Arts and crafts e a arte nova
 
Revista Ideia Abstrata
Revista Ideia AbstrataRevista Ideia Abstrata
Revista Ideia Abstrata
 
Marli
MarliMarli
Marli
 
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
Álbum de Figurinhas - Os Primórdios da Teoria do Design
 
Land art
Land artLand art
Land art
 
Artigo bimestral introd design
Artigo bimestral introd designArtigo bimestral introd design
Artigo bimestral introd design
 

Mais de Hely Costa Júnior

Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
Hely Costa Júnior
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo Russo
Hely Costa Júnior
 
História do Design Gráfico
História do Design GráficoHistória do Design Gráfico
História do Design Gráfico
Hely Costa Júnior
 
Semiótica Aplicada Ao Design (Aula 03)
Semiótica Aplicada Ao Design (Aula 03)Semiótica Aplicada Ao Design (Aula 03)
Semiótica Aplicada Ao Design (Aula 03)
Hely Costa Júnior
 
Identidade Visual - Aula 01
Identidade Visual - Aula 01Identidade Visual - Aula 01
Identidade Visual - Aula 01
Hely Costa Júnior
 
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 02)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 02)Semiótica Aplicada ao Design (Aula 02)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 02)
Hely Costa Júnior
 
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Hely Costa Júnior
 

Mais de Hely Costa Júnior (7)

Vanguardas Europeias
Vanguardas EuropeiasVanguardas Europeias
Vanguardas Europeias
 
Construtivismo Russo
Construtivismo RussoConstrutivismo Russo
Construtivismo Russo
 
História do Design Gráfico
História do Design GráficoHistória do Design Gráfico
História do Design Gráfico
 
Semiótica Aplicada Ao Design (Aula 03)
Semiótica Aplicada Ao Design (Aula 03)Semiótica Aplicada Ao Design (Aula 03)
Semiótica Aplicada Ao Design (Aula 03)
 
Identidade Visual - Aula 01
Identidade Visual - Aula 01Identidade Visual - Aula 01
Identidade Visual - Aula 01
 
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 02)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 02)Semiótica Aplicada ao Design (Aula 02)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 02)
 
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
Semiótica Aplicada ao Design (Aula 01)
 

Arts and Crafts

  • 1. VOLTAR PARA LINHA DO TEMPO PRÓXIMO ESTILO ARTS AND CRAFTS CONTEXTO HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS PRINCIPAIS DESIGNERS FATOS E ACONTECIMENTOS CONTEXTO BRASILEIRO
  • 2. CONTEXTO HISTÓRICO • Na segunda metade do século XIX, a qualidade do design e dos artefatos e objetos tornaram-se vítima do desenvolvimento e avanço da Revolução Industrial. • Nesse contexto, surgiu o Arts and Crafts, um movimento estético e social inglês, que defendia o artesanato criativo como alternativa à mecanização e à produção em massa. • Reuniu teóricos e artistas em busca da revalorização do trabalho manual e da recuperação da dimensão estética dos objetos produzidos industrialmente para uso cotidiano.  AVANÇARVOLTAR ARTS AND CRAFTS| 1860-1900 1871 - Xilogravura de crianças inglesas trabalhando em uma fábrica de cerâmicas
  • 3. CONTEXTO HISTÓRICO • As ideias do escritor e artista John Ruskin e do Arquiteto Augustus Pugin foram fundamentais para a consolidação da base teórica do movimento. Na vasta produção escrita de Ruskin, observa-se uma tentativa de combinar esteticismo e reforma social, relacionando arte à vida diária do povo. • O movimento teve duas fortes influências: o socialismo e o medievalismo. • De maneira geral, o movimento realizava um elogio aos padrões artesanais e à organização do trabalho das guildas medievais. AVANÇARVOLTAR ARTS AND CRAFTS| 1860-1900 1772 - John Cuff, oficina artesanal
  • 4. FATOS E ACONTECIMENTOS AVANÇAR 1862 - William Morris inaugura a Morris, Marshall, Faulkner and Company, especializada em decoração artística. 1847 - Pickering publica The Elements of Euclid 1883 - Arthur Mackmurdo cria a Century Guild. 1891 - William Morris cria a Kelmscott Press, especializada em livros com acabamento primoroso. 1894 - William Morris e Walter Crane publicam The Story of the Glittering Plain. 1877 - William Morris faz suas primeiras conferências públicas sobre design. 1896 - Fundação da Eragny Press por Lucien Pissarro e John Ashendene Press por Hornby VOLTAR ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 1884 - Criada a Guilda dos Trabalhadores da Arte. 1888 - Dissidentes da Guilda dos Trabalhadores da Arte, criam a Sociedade de Exposições de Artes e Ofícios.
  • 5. FATOS E ACONTECIMENTOS VOLTAR AVANÇAR 1874 À medida que se encerrava o século XIX, a qualidade do design e da produção de livros tornou-se vítima da revolução industrial, como algumas excessões notáveis, como os livros do editor inglês William Pickering. Ele desempenhou papel importante na separação do design gráfico da produção tipográfica. Controlava a definição de formato, seleção de tipos, ilustrações e todos os demais aspectos visuais. Sua paixão pelo design o levou a encomendar novos ornamentos, iniciais e ilustrações xilográficas. Elements of Euclid, edição de William Pickering ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
  • 7. FATOS E ACONTECIMENTOS VOLTAR AVANÇAR 1862 William Morris inaugura a Morris, Marshall, Faulkner and Company, uma loja especializada em móveis e objetos de decoração. ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 Oficina de estamparia
  • 8. FATOS E ACONTECIMENTOS VOLTAR AVANÇAR 1883 Em 1982 o arquiteto Arthur H. Mackmurdo, e inspirou-se na ideias e realizações no design aplicado de seu amigo William Morris, e uniu-se a um grupo de jovens artistas e designers para criar a Century Guild. O grupo desenvolveu uma nova estética incorporando a seus trabalhos características do renascimento e do Japão. O objetivo da Century Guild era “passar todos os ramos da arte para a esfera, não mais do comerciante, mas do artista”.As artes do design deveriam ser elevadas ao “seu lugar de direito ao lado da pintura e da escultura”. ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 Hobby Horse, revista publicada pela Century Guild
  • 9. FATOS E ACONTECIMENTOS VOLTAR AVANÇAR 1884 Criada a Guilda dos Trabalhadores da Arte, uma tentativa de conjugar ensino de arte e nova forma de organização do trabalho. ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
  • 10. FATOS E ACONTECIMENTOS VOLTAR AVANÇAR 1888 Dissidentes da Guilda dos Trabalhadores da Arte, criam a Sociedade de Exposições de Artes e Ofícios. ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 Cartaz da primeira exposição Arts and Crafts
  • 11. FATOS E ACONTECIMENTOS VOLTAR AVANÇAR 1891 Em 1891,William Morris criou a Kelmscott Press, uma editora para produzir exemplos de design aprimorado de impressão e livros que eram inspirados pelos primeiros livros impressos no século XV e suas ilustrações talhadas em madeira. ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 Logotipo da Kelmscott Press
  • 12. FATOS E ACONTECIMENTOS VOLTAR AVANÇAR 1894 William Morris e Walter Crane publicam The Story of the Glittering Plain, primeiro livro produzido pela Kelmscott Press. ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 Páginas de The Story of the Glittering Plain
  • 13. FATOS E ACONTECIMENTOS VOLTAR AVANÇAR 1896 Fundação da Eragny Press por Lucien e Esther Pissarro e e Ashendene Press por Hornby, duas importantes gráficas particulares. ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 Logo da Eragny Press
  • 14. • Oposição à produção de bens de consumo em série, e consequentemente, sem utilização de procedimentos industriais; • Emprego de técnicas artesanais e materiais nobres; • Design com alusão a elementos da natureza; • Equilíbrio entre forma, função e ornamentação; • Utilização do design como instrumento de mudança social; • Trabalho realizado não só pela obtenção de benefícios, mas também pela satisfação de um trabalho bem feito. CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS AVANÇAR Papel de parede criado por William Morris VOLTAR ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
  • 15. De modo geral, as peças feitas nos estúdios do Arts and Crafts seguiam os princípios estabelecidos por William Morris: • considerar o material (qualidade e nobreza); • considerar o uso (função); • considerar a construção (design); • considerar a ferramenta (técnica). CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS AVANÇAR Cadeira desenhada por William Morris VOLTAR ARTS AND CRAFTS | 1860-1900
  • 16. CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS AVANÇARVOLTAR ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 Arts And Crafts Estilo Vitoriano Simplicidade Ornamentos complexos Sistema de Guildas Produção Industrial Acabamento artesanal Acabamento Industrial
  • 17. CARACTERÍSTICAS ESTÉTICAS AVANÇARVOLTAR ARTS AND CRAFTS | 1860-1900 Arts And Crafts Estilo Vitoriano
  • 18. PRINCIPAIS DESIGNERS AVANÇAR Augustus Pugin William Morris Arthur Mackmurdo Walter CraneWilliam Pickering VOLTAR John Horbny Lucien Pissaro e Esther BensusanSelwyn Image Charles Ashbee
  • 19. 1812–1852 Arquiteto, designer, artista e crítico inglês que é lembrado principalmente por seu papel pioneiro no estilo de arquitetura neogótico. Seu trabalho culminou em projetar o interior do Palácio de Westminster em Westminster, Londres, Inglaterra e sua icônica torre do relógio, mais tarde renomeada como Elizabeth Tower, que abriga o sino conhecido como Big Ben. Suas idéias nostálgicas sobre as glórias do passado medieval diante da mediocridade das criações modernas tiveram impacto sobre Jonh Ruskin, que, como ele, realiza um elogio aos padrões artesanais e à organização do trabalho das guildas medievais e, sobretudo, no trabalho de William Morris. Augustus Pugin AVANÇARVOLTAR
  • 20. AVANÇARVOLTAR Ornamentos de inspiração gótica desenhados por Augustus Pugin
  • 21. Editor inglês, aos 14 anos de idade tornou-se um livreiro e editor de Londres; aos 24 montou sua própria livraria especializada em títulos antigos e raros. Desempenhou papel importante na separação do design gráfico da produção tipográfica. Controlava a definição de formato, seleção de tipos, ilustrações e todos os demais aspectos visuais. Sua paixão pelo design o levou a encomendar novos ornamentos, iniciais e ilustrações xilográficas. William Pickering AVANÇARVOLTAR 1796–1854
  • 23. Principal líder do movimento Arts and Crafts, pintor, escritor e socialista militante, Morris tentou combinar as teses de John Ruskin às de Karl Marx, na defesa de uma arte "feita pelo povo e para o povo”. Profundamente preocupado com os problemas da industrialização e do sistema fabril, acreditava que a insipidez dos bens produzidos em massa e a falta de trabalho digno podiam ser sanadas pela junção de arte e ofício, que poderiam combinar-se para criar belos objetos e assim os trabalhadores poderiam novamente encontrar alegria no trabalho, e o ambiente feito pelo homem seria revitalizado. William Morris AVANÇARVOLTAR 1834-1896
  • 24. AVANÇARVOLTAR Papeis de parede criados por William Morris
  • 25. AVANÇARVOLTAR Móveis de parede criados por William Morris
  • 26. AVANÇARVOLTAR Livros editados por William Morris na Kelmscott Press
  • 27. AVANÇARVOLTAR Páginas de livro editado pela Kelmscott Press
  • 28. AVANÇARVOLTAR Páginas de livro editado pela Kelmscott Press
  • 29. AVANÇARVOLTAR The Works of Geoffrey Chaucer, de 556 páginas. Quatro anos de preparação, com 87 ilustrações xilográficas projetadas por Burne-Jones, além de catorze filetes largos e dezoito molduras menores em torno de ilustrações gravadas a partir do design de Morris.
  • 30. O paradoxo de William Morris é que, enquanto procurava refúgio no trabalho manual feito no passado, desenvolveu atitudes em relação ao design que delineavam seu futuro. Seu clamor pelo ofício manual, fidelidade aos materiais, a conversão do útil em belo e a adequação do design à função são comportamentos adotados pelas gerações ulteriores, que procuravam unificar não a arte e o ofício, mas a arte e a industria. Morris ensinou que o design podia trazer a arte para a classe trabalhadora, mas os móveis refinados da Morris & Co e os magníficos livros da Kelmscott estavam apenas ao alcance dos ricos. AVANÇARVOLTAR
  • 31. Os elementos de design do movimento Arts and Crafts influenciaram claramente o estilo de Walter Crane. Como John Ruskin, Edward Burne-Jones e William Morris, grande parte de seu trabalho foi influenciado pelo estilo gótico inglês. Suas ilustrações para The Faerie Queene (1894-1897) receberam inúmeros elogios e são consideradas uma das mais belas obras do movimento Arts and Crafts.As bordas primorosamente decoradas, as caligrafias e as imagens do revivalismo gótico se misturam em um todo harmonioso, ecoando produções luxuosas de William Morris e sua Kelmscott Press. Walter Crane AVANÇARVOLTAR 1845–1915
  • 32. AVANÇAR Walter Crane, Household Stories (1882) Walter Crane, Household Stories (1882) VOLTAR
  • 33. AVANÇAR Walter Crane,The Faire Queen (1882) VOLTAR
  • 35. Arquiteto inglês, designer e pioneiro do movimento Arts and Crafts. Depois de estudar na Escola de Belas Artes e Desenho de Ruskin, em Oxford, e de viajar com John Ruskin para a Itália, Mackmurdo se estabeleceu em Londres. Ele fundou o Century Guild of Artists (1882), baseado nos ensinamentos de William Morris, para produzir melhores móveis e acessórios decorativos do que os disponíveis comercialmente. No início da década de 1880, ele também projetou tecidos, tapeçarias, papel de parede e trabalhos em metal, muitas vezes caracterizados por formas de plantas em espiral, prenunciando as formas do Art Nouveau. Arthur Mackmurdo AVANÇARVOLTAR 1851–1942
  • 36. AVANÇARVOLTAR Criações de Arthur Mackmurdo: cadeira de 1881; Estampa “pavão" para tecido de algodão, de 1883; Folha de rosto do livro “Wrens City Churches, 1883 e ornamento para a revista “Hoby Horse”, de 1884.
  • 37. Foi um importante artista, designer, escritor e poeta britânico associado ao movimento Arts and Crafts. Associado à Century Guild, projetou vitrais, móveis, bordados. Era também ilustrador de livros e foi professor de Belas Artes em Oxford de 1910 a 1916. Selwyn Image AVANÇARVOLTAR 1849–1930
  • 39. Arquiteto, designer gráfico, joalheiro e prateiro, fundou a Guilda de Artesanato em 1888 com três membros. Sua escola unificou o ensino do design e da teoria com a experiência da oficina, procurando reestabelecer a experiência holística da aprendizagem que fora destruída pela subdivisão do trabalho e produção mecânica.Após a morte de Morris, tentou adquirir a Kelmscott Press. No entanto, as xilogravuras e tipos foram depositados no Museu Britânico com a norma de que não fossem usados para impressão por cem anos. Ele então contratou os principais funcionários, comprou os equipamentos disponíveis e fundou a Essex House Press. Charles Ashbee AVANÇARVOLTAR 1863–1942
  • 41. AVANÇARVOLTAR O Salmo de 1902 é uma obra-prima do design, O texto está em inglês vernacular, com um projeto gráfico para cada salmo, com numeral romano, o título em latim em versais vermelhas, um título descritivo em inglês em versais pretas, uma capitular composta em xilogravura e o corpo do salmo. Os versículos eram separados por ornamentos foliáceos xilográficos impressos em vermelho.
  • 42. John Hornby fundou a Ashendene Press em 1895, uma excepcional imprensa particular. Os tipos projetados para a Ashendene era inspirados em tipos semi-gótigos, tinham elegância vibrante e boa legibilidade, como moderadas diferenças de peso entre os traços grossos e finos e uma letra ligeiramente comprida. John Hornby AVANÇARVOLTAR 1867–1946
  • 43. AVANÇARVOLTAR Páginad de "Three Poems of John Milton (1896) e “Lenda de São Francisco de Assis”, (1922), editados pela Ashendene Press
  • 44. Em 1984 Lucien Pissarro e Esther Bensusan fundaram a Erangy Press, inspirados pela Kelmscott.Trabalharam juntos na concepção, gravação de xilos e impressão dos livros. Muitos deles tinha xilogravuras de três ou quatro cores produzidas com base em ilustrações feitas por Lucien. Diferente de outros membros do Arts and Crafts, o casal Pissarro era inspirado tanto pelo passado como pelo presente; seus livros combinavam as sensibilidades tradicionais do movimento da imprensa particular com um interesse pelo florescente movimento Art Nouveau. Lucien Pissarro AVANÇARVOLTAR 1866–1944 Esther Bensusan 1870–1951
  • 46. SÉCULO XIX No Brasil, especificamente, o Liceu de Artes e Ofícios, criado em diversas cidades (Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo), encontram na experiência do Arts & Crafts e na valorização do trabalho artesanal no interior da indústria de feição capitalista um modelo a ser seguido.  CONTEXTO BRASILEIRO AVANÇARVOLTAR