SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Hidrostática
aula de reforço
Professor Marco Antonio – março 2015
Hidrostática
Massa específica ou densidade absoluta
A relação entre sua massa e o volume de uma substância
define sua massa específica ou densidade absoluta:
𝜇 =
𝑚
𝑣
Onde:
 µ é a densidade ou massa específica
(g/cm³)
 m é a massa do corpo (g)
 v é o volume do corpo (cm³)
1 g/cm³ = 10³ kg/m³ 1 kg/L = 1 g/cm³
Hidrostática
Pressão exercida sobre a superfície
Consideremos uma força F aplicada perpendicularmente a uma
superfície com área A. Definimos a pressão (p) aplicada pela
força sobre a área pela seguinte relação:
𝑝 =
𝐹
𝐴
Onde:
 p é a pressão exercida pela força
 F é a força (N)
 A é a área da superfície (m²)
No SI , a unidade de pressão é o pascal (Pa) que
corresponde a N/m2 .
Hidrostática
Pressão exercida sobre a superfície
 O conceito de pressão nos permite entender muitos dos
fenômenos físicos que nos rodeiam.
 Por exemplo, para cortar um pedaço de pão, utilizamos o
lado afiado da faca (menor área), pois, para uma mesma
força, quanto menor a área, maior a pressão produzida.
Hidrostática
Pressão exercida sobre a superfície
Aplicação:
I- Para caminhar na neve você usa sapatos parecidos com raquetes de
tênis. Por que esse formato facilita a caminhada?
a) A grande área de apoio distribui a força e diminui a pressão sobre a
neve, impedindo o caminhante de afundar.
b) A grande área de apoio do sapato aumenta a pressão do corpo
sobre a neve, facilitando a aderência ao solo.
c) Os sapatos gigantes assustam os ursos polares das redondezas, e a
caminhada segue tranquila.
Hidrostática
Aplicação:
1I- Com uma faca bem afiada um açougueiro consegue tirar bifes de
uma peça de carne com muita facilidade. Com essa mesma faca “cega”
e com o mesmo esforço, entretanto, a tarefa fica mais difícil. A melhor
explicação para o fato é que:
a) a faca afiada exerce sobre a carne uma pressão maior que a exercida
pela faca “cega”.
b) a faca afiada exerce sobre a carne uma pressão menor que a
exercida pela faca “cega”.
c) o coeficiente de atrito cinético entre a faca afiada e a carne é menor
que o coeficiente de atrito cinético entre a faca “cega” e a carne.
d) a área de contato entre a faca afiada e a carne é maior que a área de
contato entre a faca “cega” e a carne.
e) nenhuma das alternativas explica satisfatoriamente o fato.
Pressão exercida sobre a superfície
Hidrostática
Pressão Hidrostática e o Teorema de Stevin
Pressão hidrostática é a pressão exercida em sua base por
uma coluna de um líquido.
A pressão hidrostática pode ser
calculada pela seguinte expressão,
𝑝 = d. 𝑔. ℎ
Onde:
 p é a pressão hidrostática
 d é a densidade do líquido
 g é a aceleração da gravidade
 h é a altura da coluna de líquido
Hidrostática
Teorema de Stevin
Δ𝑝 = d. 𝑔. ∆ℎ
O alcance a é tanto maior quanto mais profundo for o orifício praticado no
barril, o que prova que a pressão aumenta com a profundidade.
Hidrostática
Consequências do Teorema de Stevin:
a) Pressão para pontos situados num mesmo nível (ou seja,
sobre a mesma horizontal) serão iguais.
Hidrostática
b) Vasos comunicantes
 A altura alcançada por um líquido em equilíbrio em diversos
vasos comunicantes é sempre a mesma.
hA = hB = hC
Hidrostática
Aplicação
(UFRJ) Um tubo em U, aberto em ambos os ramos, contém dois
líquidos não miscíveis em equilíbrio hidrostático. Observe, como
mostra a figura, que a altura da coluna do líquido (1) é de 34 cm e que
a diferença de nível entre a superfície livre do líquido (2), no ramo da
direita, e a superfície de separação dos líquidos, no ramo da esquerda,
é de 2,0 cm. Considere a densidade do líquido (1) igual a 0,80g/cm³.
Calcule a densidade do líquido (2).
Hidrostática
Aplicação
(UEL) Quando as dimensões de uma fossa são alteradas, o aumento da
pressão em qualquer ponto de sua base, quando cheia, deve-se,
exclusivamente, à mudança de
a) área da base
b) diâmetro.
c) formato da base.
d) profundidade.
e) perímetro da base.
Hidrostática
O que é pressão atmosférica?
É a pressão que os gases que compõem a camada de ar que
envolve a Terra exerce sobre sua superfície.
A coluna de ar é maior na cidade A, portanto, a pressão atmosférica
ali também é maior!!
Hidrostática
Aplicação:
1- Calcule em atm a pressão a que um submarino fica sujeito quando
baixa a uma profundidade de 100 metros. Para a água do mar adote
que a densidade vale 1000 kg/m3.
a) 10 atm
b) 11 atm
c) 12 atm
d) 13 atm
e) 14 atm
2- (VUNESP) Um fazendeiro manda cavar um poço e encontra água a
12m de profundidade. Ele resolve colocar uma bomba de sucção muito
possante na boca do poço, isto é, bem ao nível do chão. A posição da
bomba é:
a) ruim, porque não conseguirá tirar água alguma do poço;
b) boa, porque não faz diferença o lugar onde se coloca a bomba;
c) ruim, porque gastará muita energia e tirará pouca água;
d) boa, apenas terá de usar canos de diâmetro maior;
e) boa, porque será fácil consertar a bomba se quebrar, embora tire
pouca água.
Hidrostática
Experiência de Torricelli
Em 1644, Torricelli mediu a pressão
atmosférica, usando um tubo de vidro
com cerca de meio metro, fechado em
uma extremidade e cheio de mercúrio.
Assim, Torricelli mostrou que a
pressão atmosférica equivale à
pressão exercida por uma
coluna de mercúrio de 760
mmHg.
1 atm = 760 mmHg = 105 Pa
Hidrostática
Princípio de Pascal
Quando um ponto de um líquido em equilíbrio
sofre variação de pressão, acontece o mesmo
com os demais pontos dele, em igual
intensidade
Hidrostática
Aplicação
(PUC-MG) Em uma reunião de família, no momento de abrir uma
garrafa de vinho, o saca-rolhas não foi encontrado. Entretanto, João
tomou a garrafa e, batendo com o fundo dela contra a parede,
devidamente acolchoada, conseguiu retirar a rolha.
Com relação a esse efeito, é correto afirmar que:
a) está relacionado com o princípio de Stevin, da diferença de pressão.
b) está relacionado com o princípio de Pascal, da transmissão de
pressão.
c) pode ser explicado pelo princípio de Arquimedes, do empuxo.
d) a situação é inverídica: não se pode retirar a rolha da maneira
descrita.
Hidrostática
Aplicação
(CESUPA) Desde a remota Antiguidade, o homem, sabendo de suas
limitações, procurou dispositivos para multiplicar a força humana. A
invenção da RODA foi, sem sombra de dúvida, um largo passo para
isso. Hoje, uma jovem dirigindo seu CLASSE A, com um leve toque no
freio consegue pará-lo, mesmo que ele venha a 100 km/h. É o FREIO
HIDRÁULICO. Tal dispositivo está fundamentado no PRINCÍPIO de:
a) Newton
b) Stevin
c) Pascal
d) Arquimedes
e) Einstein
Hidrostática
Princípio de Pascal
Graças a esse princípio, podemos montar
dispositivos multiplicadores de intensidade de
força, mesmo mantendo-se a pressão constante,
como por exemplo, as prensas hidráulicas.
Hidrostática
Empuxo ou Princípio de Arquimedes
Quando um corpo está parcial ou totalmente imerso num fluido
em equilíbrio, sob ação da gravidade, ele fica sujeito a uma
força E vertical, de baixo para cima, igual ao peso do fluido que
foi deslocado.
E = dL. g. Vd
Onde:
 d é a densidade do líquido
 g = 10 m/s² é a aceleração da gravidade
 V é o volume de líquido deslocado
Hidrostática
Observações:
 Quando P > E  o corpo desce no líquido (dc > dL)
 Quando P = E  o corpo fica em equilíbrio, em qualquer
posição, no interior do líquido (dc = dL)
 Quando P < E  o corpo sobe no líquido (dc < dL)
 O peso aparente (Pap) de um corpo, com relação a um
líquido, é a diferença entre seu peso real e o empuxo que
ele sofreria se estivesse totalmente submerso no líquido.
Pap = P − E
Hidrostática
Corpos flutuantes:
dc. 𝑉𝑐 = 𝑑 𝐿. 𝑉𝑠
Onde:
 dc = densidade do corpo
 vc = volume do corpo
 dL = densidade do líquido
 vs = volume submerso (parte do corpo que está embaixo
d’água
Hidrostática
Aplicação
(CPS) Um passeio de balão é uma das atrações para quem visita a
Capadócia, na Turquia.
Esses balões ganham altitude porque
a) o ar aquecido é menos denso que o ar atmosférico.
b) a queima do combustível gera oxigênio, que é mais leve que o ar.
c) a pressão interna torna-se maior que a pressão externa, ao serem
inflados.
d) o gás liberado na queima aumenta a inércia sobre a superfície do
balão.
e) o calor da chama é dirigido para baixo e, como reação, o balão é
empurrado para cima.
Os balões utilizados para esse tipo de
passeio possuem um grande bocal por
onde uma forte chama aquece o ar do
interior do balão. Abaixo do bocal, está
presa a gôndola onde os turistas se
instalam para fazer um passeio
inesquecível.
Hidrostática
Aplicação
(UFPEL) A expressão "Isso é apenas a ponta de um iceberg" -muito
usada conotativamente, hoje em dia, para mostrar que se vê apenas
uma parte muito pequena de um problema, ficando o resto
"escondido" - faz referência a uma situação física. Assinale a alternativa
cujos dados se relacionam corretamente com essa situação.
a) o Poder das Pontas e a Rigidez Dielétrica.
b) Arquimedes e o Teorema do Empuxo.
c) Pascal e o Princípio da Prensa Hidráulica.
d) Newton e o Princípio da Ação e Reação.
e) A Lei de Stevin e a Diferença de Pressão.
Hidrostática
Aplicação
(Espcex - Aman) Um cubo maciço e homogêneo, com 40 cm de
aresta, está em equilíbrio estático flutuando em uma piscina, com
parte de seu volume submerso, conforme desenho abaixo.
Sabendo-se que a densidade da
água é igual a 1 g/cm3 e a
distância entre o fundo do cubo
(face totalmente submersa) e a
superfície da água é de 32 cm,
então a densidade do cubo:
a) 0,20 g/cm3
b) 0,40 g/cm3
c) 0,60 g/cm3
d) 0,70 g/cm3
e) 0,80 g/cm3
Hidrostática
Aplicação
Assinale verdadeiro ou falso:
( ) O funcionamento dos macacos hidráulicos baseia-se no principio de
Pascal.
( ) Um transatlântico mantém-se sobre as ondas devido ao princípio de
Arquimedes.
( ) Um cubo maciço de ferro afunda na água e flutua no mercúrio.
porque a densidade do mercúrio é maior que a da água.
( ) Um manômetro é um instrumento para medir empuxo.
( ) Pelo principio de Arquimedes, o empuxo é igual ao volume do
liquido deslocado.
( ) Pelo princípio de Pascal, a pressão no interior de um líquido
transmite-se integralmente em todas as direções.
Hidrostática
Nossa tabelinha: Mudança de unidades e transformações
Hidrostática
1- Um mergulhador que trabalhe à profundidade de 20 m no lago sofre,
em relação à superfície, uma variação de pressão, em N/m2, devida ao
líquido, estimada em
Dados: d(água) = 1,0 g/cm3 e g = 10 m/s2
a) 20
b) 2,0 . 102
c) 2,0 . 103
d) 2,0 . 104
e) 2,0 . 105
2- Um tijolo de massa igual a 2 kg e volume de 1000 cm³, encontra-se
totalmente mergulhado em água, suspenso por um fio. Determine a
tensão no fio.
Dados: g = 10 m/s² e d = 1,0 g/cm³.
3- Um bloco repousa no fundo de um lago, sujeito a uma pressão de
6.105 N/m². Sabendo-se que a pressão na superfície do lago é de 1.105
N/m², a densidade da água do lago 1,0 g/cm³ e a aceleração da
gravidade no local 10 m/s², determine a profundidade que se encontra o
bloco.
Aplicação
Hidrostática
Aplicação
(UEPB) Os precursores no estudo da Hidrostática propuseram princípios
que têm uma diversidade de aplicações em inúmeros “aparelhos” que
simplificam as atividades extenuantes e penosas das pessoas, diminuindo
muito o esforço físico, como também encontraram situações que
evidenciam os efeitos da pressão atmosférica. A seguir, são apresentadas
as situações-problema que ilustram aplicações de alguns dos princípios da
Hidrostática.
Hidrostática
Assinale a alternativa que corresponde, respectivamente, às aplicações
dos princípios e do experimento formulados por:
a) Arquimedes (Situação I), Pascal (Situação II) e Arquimedes (Situação III)
b) Pascal (Situação I), Arquimedes (Situação II) e Stevin (Situação III)
c) Stevin (Situação I), Torricelli (Situação II) e Pascal (Situação III)
d) Pascal (Situação I), Stevin (Situação II) e Torricelli (Situação III)
e) Stevin (Situação I), Arquimedes (Situação II) e Torricelli (Situação III).
Hidrostática
Bônus
(UCMG) A figura mostra um frasco contendo ar, conectado a um
manômetro de mercúrio em tubo "U". O desnível indicado vale 8,0 cm.
A pressão atmosférica é 69 cm Hg. A pressão do ar dentro do frasco é,
em cm Hg:
a) 61
b) 69
c) 76
d) 77
e) 85
Fim

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
fisicaatual
 
Fisica ppt 2º a - plano inclinado e força de atrito
Fisica ppt   2º a - plano inclinado e força de atritoFisica ppt   2º a - plano inclinado e força de atrito
Fisica ppt 2º a - plano inclinado e força de atrito
Cristiane Tavolaro
 
Movimento Uniforme
Movimento UniformeMovimento Uniforme
Movimento Uniforme
fisicaatual
 
Sistema Internacional de Unidades
Sistema Internacional de UnidadesSistema Internacional de Unidades
Sistema Internacional de Unidades
O mundo da FÍSICA
 
Introdução à ondulatória
Introdução à ondulatóriaIntrodução à ondulatória
Introdução à ondulatória
Marcelo Alano
 

Mais procurados (20)

Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
 
Trabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia SlideTrabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia Slide
 
Física 2º ano ensino médio ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
Física 2º ano ensino médio   ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...Física 2º ano ensino médio   ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
Física 2º ano ensino médio ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
 
Transmissão de calor
Transmissão de calorTransmissão de calor
Transmissão de calor
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
Física Hidrostática
Física HidrostáticaFísica Hidrostática
Física Hidrostática
 
Temperatura
TemperaturaTemperatura
Temperatura
 
Ondulatoria
OndulatoriaOndulatoria
Ondulatoria
 
Fisica ppt 2º a - plano inclinado e força de atrito
Fisica ppt   2º a - plano inclinado e força de atritoFisica ppt   2º a - plano inclinado e força de atrito
Fisica ppt 2º a - plano inclinado e força de atrito
 
Maquinas simples - Plano Alavancas
Maquinas simples - Plano AlavancasMaquinas simples - Plano Alavancas
Maquinas simples - Plano Alavancas
 
Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)
 
Movimento Uniforme
Movimento UniformeMovimento Uniforme
Movimento Uniforme
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Sistema Internacional de Unidades
Sistema Internacional de UnidadesSistema Internacional de Unidades
Sistema Internacional de Unidades
 
Trabalho e potência
Trabalho e potênciaTrabalho e potência
Trabalho e potência
 
Introdução à ondulatória
Introdução à ondulatóriaIntrodução à ondulatória
Introdução à ondulatória
 
Slide Cinemática
Slide CinemáticaSlide Cinemática
Slide Cinemática
 
Fluidos
FluidosFluidos
Fluidos
 
Leis De Newton
Leis De NewtonLeis De Newton
Leis De Newton
 

Semelhante a Hidrostática reforço

Atividades 1 ano .empuxo e estática prof.waldir montenegro
Atividades 1 ano .empuxo  e estática prof.waldir montenegroAtividades 1 ano .empuxo  e estática prof.waldir montenegro
Atividades 1 ano .empuxo e estática prof.waldir montenegro
Waldir Montenegro
 
Exercícios do capítulo 2
Exercícios do capítulo 2Exercícios do capítulo 2
Exercícios do capítulo 2
tiagobarreto528
 

Semelhante a Hidrostática reforço (20)

Noções básicas de hidrostática
Noções básicas de hidrostáticaNoções básicas de hidrostática
Noções básicas de hidrostática
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
OPF HIDROSTÁTICA.pptx
OPF HIDROSTÁTICA.pptxOPF HIDROSTÁTICA.pptx
OPF HIDROSTÁTICA.pptx
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
Apostila hidrostatica1
Apostila   hidrostatica1Apostila   hidrostatica1
Apostila hidrostatica1
 
apostila - hidrostatica1.pdf
apostila - hidrostatica1.pdfapostila - hidrostatica1.pdf
apostila - hidrostatica1.pdf
 
Hidrostática hidrodinâmica
Hidrostática hidrodinâmicaHidrostática hidrodinâmica
Hidrostática hidrodinâmica
 
Hidrostática hidrodinâmica
Hidrostática hidrodinâmicaHidrostática hidrodinâmica
Hidrostática hidrodinâmica
 
Reshidrostatica
ReshidrostaticaReshidrostatica
Reshidrostatica
 
Fluidos
FluidosFluidos
Fluidos
 
Atividades 1 ano .empuxo e estática prof.waldir montenegro
Atividades 1 ano .empuxo  e estática prof.waldir montenegroAtividades 1 ano .empuxo  e estática prof.waldir montenegro
Atividades 1 ano .empuxo e estática prof.waldir montenegro
 
Hidrostática marcelo alano
Hidrostática   marcelo alanoHidrostática   marcelo alano
Hidrostática marcelo alano
 
aula-2-hidrostatica.ppt
aula-2-hidrostatica.pptaula-2-hidrostatica.ppt
aula-2-hidrostatica.ppt
 
aula-2-hidrostatica.ppt
aula-2-hidrostatica.pptaula-2-hidrostatica.ppt
aula-2-hidrostatica.ppt
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
Hidrostática - Física
Hidrostática - FísicaHidrostática - Física
Hidrostática - Física
 
Exercícios do capítulo 2
Exercícios do capítulo 2Exercícios do capítulo 2
Exercícios do capítulo 2
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
15 fluidos vi
15 fluidos vi15 fluidos vi
15 fluidos vi
 
Hidrostática resumo
Hidrostática resumoHidrostática resumo
Hidrostática resumo
 

Mais de Marco Antonio Sanches

Mais de Marco Antonio Sanches (20)

Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
 
Mecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEMMecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEM
 
Estudo dos receptores (2017)
Estudo dos receptores (2017)Estudo dos receptores (2017)
Estudo dos receptores (2017)
 
Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)
 
Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)
 
Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)
 
Primeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da TermodinâmicaPrimeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da Termodinâmica
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
Diagrama de fases
Diagrama de fasesDiagrama de fases
Diagrama de fases
 
Ondulatória
OndulatóriaOndulatória
Ondulatória
 
Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)
 
Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)
 
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
 
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
 
Apostila eletrostática
Apostila eletrostáticaApostila eletrostática
Apostila eletrostática
 
Oficina App Inventor
Oficina App InventorOficina App Inventor
Oficina App Inventor
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
 

Último

Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 

Hidrostática reforço

  • 1. Hidrostática aula de reforço Professor Marco Antonio – março 2015
  • 2. Hidrostática Massa específica ou densidade absoluta A relação entre sua massa e o volume de uma substância define sua massa específica ou densidade absoluta: 𝜇 = 𝑚 𝑣 Onde:  µ é a densidade ou massa específica (g/cm³)  m é a massa do corpo (g)  v é o volume do corpo (cm³) 1 g/cm³ = 10³ kg/m³ 1 kg/L = 1 g/cm³
  • 3. Hidrostática Pressão exercida sobre a superfície Consideremos uma força F aplicada perpendicularmente a uma superfície com área A. Definimos a pressão (p) aplicada pela força sobre a área pela seguinte relação: 𝑝 = 𝐹 𝐴 Onde:  p é a pressão exercida pela força  F é a força (N)  A é a área da superfície (m²) No SI , a unidade de pressão é o pascal (Pa) que corresponde a N/m2 .
  • 4. Hidrostática Pressão exercida sobre a superfície  O conceito de pressão nos permite entender muitos dos fenômenos físicos que nos rodeiam.  Por exemplo, para cortar um pedaço de pão, utilizamos o lado afiado da faca (menor área), pois, para uma mesma força, quanto menor a área, maior a pressão produzida.
  • 5. Hidrostática Pressão exercida sobre a superfície Aplicação: I- Para caminhar na neve você usa sapatos parecidos com raquetes de tênis. Por que esse formato facilita a caminhada? a) A grande área de apoio distribui a força e diminui a pressão sobre a neve, impedindo o caminhante de afundar. b) A grande área de apoio do sapato aumenta a pressão do corpo sobre a neve, facilitando a aderência ao solo. c) Os sapatos gigantes assustam os ursos polares das redondezas, e a caminhada segue tranquila.
  • 6. Hidrostática Aplicação: 1I- Com uma faca bem afiada um açougueiro consegue tirar bifes de uma peça de carne com muita facilidade. Com essa mesma faca “cega” e com o mesmo esforço, entretanto, a tarefa fica mais difícil. A melhor explicação para o fato é que: a) a faca afiada exerce sobre a carne uma pressão maior que a exercida pela faca “cega”. b) a faca afiada exerce sobre a carne uma pressão menor que a exercida pela faca “cega”. c) o coeficiente de atrito cinético entre a faca afiada e a carne é menor que o coeficiente de atrito cinético entre a faca “cega” e a carne. d) a área de contato entre a faca afiada e a carne é maior que a área de contato entre a faca “cega” e a carne. e) nenhuma das alternativas explica satisfatoriamente o fato. Pressão exercida sobre a superfície
  • 7. Hidrostática Pressão Hidrostática e o Teorema de Stevin Pressão hidrostática é a pressão exercida em sua base por uma coluna de um líquido. A pressão hidrostática pode ser calculada pela seguinte expressão, 𝑝 = d. 𝑔. ℎ Onde:  p é a pressão hidrostática  d é a densidade do líquido  g é a aceleração da gravidade  h é a altura da coluna de líquido
  • 8. Hidrostática Teorema de Stevin Δ𝑝 = d. 𝑔. ∆ℎ O alcance a é tanto maior quanto mais profundo for o orifício praticado no barril, o que prova que a pressão aumenta com a profundidade.
  • 9. Hidrostática Consequências do Teorema de Stevin: a) Pressão para pontos situados num mesmo nível (ou seja, sobre a mesma horizontal) serão iguais.
  • 10. Hidrostática b) Vasos comunicantes  A altura alcançada por um líquido em equilíbrio em diversos vasos comunicantes é sempre a mesma. hA = hB = hC
  • 11. Hidrostática Aplicação (UFRJ) Um tubo em U, aberto em ambos os ramos, contém dois líquidos não miscíveis em equilíbrio hidrostático. Observe, como mostra a figura, que a altura da coluna do líquido (1) é de 34 cm e que a diferença de nível entre a superfície livre do líquido (2), no ramo da direita, e a superfície de separação dos líquidos, no ramo da esquerda, é de 2,0 cm. Considere a densidade do líquido (1) igual a 0,80g/cm³. Calcule a densidade do líquido (2).
  • 12. Hidrostática Aplicação (UEL) Quando as dimensões de uma fossa são alteradas, o aumento da pressão em qualquer ponto de sua base, quando cheia, deve-se, exclusivamente, à mudança de a) área da base b) diâmetro. c) formato da base. d) profundidade. e) perímetro da base.
  • 13. Hidrostática O que é pressão atmosférica? É a pressão que os gases que compõem a camada de ar que envolve a Terra exerce sobre sua superfície. A coluna de ar é maior na cidade A, portanto, a pressão atmosférica ali também é maior!!
  • 14. Hidrostática Aplicação: 1- Calcule em atm a pressão a que um submarino fica sujeito quando baixa a uma profundidade de 100 metros. Para a água do mar adote que a densidade vale 1000 kg/m3. a) 10 atm b) 11 atm c) 12 atm d) 13 atm e) 14 atm 2- (VUNESP) Um fazendeiro manda cavar um poço e encontra água a 12m de profundidade. Ele resolve colocar uma bomba de sucção muito possante na boca do poço, isto é, bem ao nível do chão. A posição da bomba é: a) ruim, porque não conseguirá tirar água alguma do poço; b) boa, porque não faz diferença o lugar onde se coloca a bomba; c) ruim, porque gastará muita energia e tirará pouca água; d) boa, apenas terá de usar canos de diâmetro maior; e) boa, porque será fácil consertar a bomba se quebrar, embora tire pouca água.
  • 15. Hidrostática Experiência de Torricelli Em 1644, Torricelli mediu a pressão atmosférica, usando um tubo de vidro com cerca de meio metro, fechado em uma extremidade e cheio de mercúrio. Assim, Torricelli mostrou que a pressão atmosférica equivale à pressão exercida por uma coluna de mercúrio de 760 mmHg. 1 atm = 760 mmHg = 105 Pa
  • 16. Hidrostática Princípio de Pascal Quando um ponto de um líquido em equilíbrio sofre variação de pressão, acontece o mesmo com os demais pontos dele, em igual intensidade
  • 17. Hidrostática Aplicação (PUC-MG) Em uma reunião de família, no momento de abrir uma garrafa de vinho, o saca-rolhas não foi encontrado. Entretanto, João tomou a garrafa e, batendo com o fundo dela contra a parede, devidamente acolchoada, conseguiu retirar a rolha. Com relação a esse efeito, é correto afirmar que: a) está relacionado com o princípio de Stevin, da diferença de pressão. b) está relacionado com o princípio de Pascal, da transmissão de pressão. c) pode ser explicado pelo princípio de Arquimedes, do empuxo. d) a situação é inverídica: não se pode retirar a rolha da maneira descrita.
  • 18. Hidrostática Aplicação (CESUPA) Desde a remota Antiguidade, o homem, sabendo de suas limitações, procurou dispositivos para multiplicar a força humana. A invenção da RODA foi, sem sombra de dúvida, um largo passo para isso. Hoje, uma jovem dirigindo seu CLASSE A, com um leve toque no freio consegue pará-lo, mesmo que ele venha a 100 km/h. É o FREIO HIDRÁULICO. Tal dispositivo está fundamentado no PRINCÍPIO de: a) Newton b) Stevin c) Pascal d) Arquimedes e) Einstein
  • 19. Hidrostática Princípio de Pascal Graças a esse princípio, podemos montar dispositivos multiplicadores de intensidade de força, mesmo mantendo-se a pressão constante, como por exemplo, as prensas hidráulicas.
  • 20. Hidrostática Empuxo ou Princípio de Arquimedes Quando um corpo está parcial ou totalmente imerso num fluido em equilíbrio, sob ação da gravidade, ele fica sujeito a uma força E vertical, de baixo para cima, igual ao peso do fluido que foi deslocado. E = dL. g. Vd Onde:  d é a densidade do líquido  g = 10 m/s² é a aceleração da gravidade  V é o volume de líquido deslocado
  • 21. Hidrostática Observações:  Quando P > E  o corpo desce no líquido (dc > dL)  Quando P = E  o corpo fica em equilíbrio, em qualquer posição, no interior do líquido (dc = dL)  Quando P < E  o corpo sobe no líquido (dc < dL)  O peso aparente (Pap) de um corpo, com relação a um líquido, é a diferença entre seu peso real e o empuxo que ele sofreria se estivesse totalmente submerso no líquido. Pap = P − E
  • 22. Hidrostática Corpos flutuantes: dc. 𝑉𝑐 = 𝑑 𝐿. 𝑉𝑠 Onde:  dc = densidade do corpo  vc = volume do corpo  dL = densidade do líquido  vs = volume submerso (parte do corpo que está embaixo d’água
  • 23. Hidrostática Aplicação (CPS) Um passeio de balão é uma das atrações para quem visita a Capadócia, na Turquia. Esses balões ganham altitude porque a) o ar aquecido é menos denso que o ar atmosférico. b) a queima do combustível gera oxigênio, que é mais leve que o ar. c) a pressão interna torna-se maior que a pressão externa, ao serem inflados. d) o gás liberado na queima aumenta a inércia sobre a superfície do balão. e) o calor da chama é dirigido para baixo e, como reação, o balão é empurrado para cima. Os balões utilizados para esse tipo de passeio possuem um grande bocal por onde uma forte chama aquece o ar do interior do balão. Abaixo do bocal, está presa a gôndola onde os turistas se instalam para fazer um passeio inesquecível.
  • 24. Hidrostática Aplicação (UFPEL) A expressão "Isso é apenas a ponta de um iceberg" -muito usada conotativamente, hoje em dia, para mostrar que se vê apenas uma parte muito pequena de um problema, ficando o resto "escondido" - faz referência a uma situação física. Assinale a alternativa cujos dados se relacionam corretamente com essa situação. a) o Poder das Pontas e a Rigidez Dielétrica. b) Arquimedes e o Teorema do Empuxo. c) Pascal e o Princípio da Prensa Hidráulica. d) Newton e o Princípio da Ação e Reação. e) A Lei de Stevin e a Diferença de Pressão.
  • 25. Hidrostática Aplicação (Espcex - Aman) Um cubo maciço e homogêneo, com 40 cm de aresta, está em equilíbrio estático flutuando em uma piscina, com parte de seu volume submerso, conforme desenho abaixo. Sabendo-se que a densidade da água é igual a 1 g/cm3 e a distância entre o fundo do cubo (face totalmente submersa) e a superfície da água é de 32 cm, então a densidade do cubo: a) 0,20 g/cm3 b) 0,40 g/cm3 c) 0,60 g/cm3 d) 0,70 g/cm3 e) 0,80 g/cm3
  • 26. Hidrostática Aplicação Assinale verdadeiro ou falso: ( ) O funcionamento dos macacos hidráulicos baseia-se no principio de Pascal. ( ) Um transatlântico mantém-se sobre as ondas devido ao princípio de Arquimedes. ( ) Um cubo maciço de ferro afunda na água e flutua no mercúrio. porque a densidade do mercúrio é maior que a da água. ( ) Um manômetro é um instrumento para medir empuxo. ( ) Pelo principio de Arquimedes, o empuxo é igual ao volume do liquido deslocado. ( ) Pelo princípio de Pascal, a pressão no interior de um líquido transmite-se integralmente em todas as direções.
  • 27. Hidrostática Nossa tabelinha: Mudança de unidades e transformações
  • 28. Hidrostática 1- Um mergulhador que trabalhe à profundidade de 20 m no lago sofre, em relação à superfície, uma variação de pressão, em N/m2, devida ao líquido, estimada em Dados: d(água) = 1,0 g/cm3 e g = 10 m/s2 a) 20 b) 2,0 . 102 c) 2,0 . 103 d) 2,0 . 104 e) 2,0 . 105 2- Um tijolo de massa igual a 2 kg e volume de 1000 cm³, encontra-se totalmente mergulhado em água, suspenso por um fio. Determine a tensão no fio. Dados: g = 10 m/s² e d = 1,0 g/cm³. 3- Um bloco repousa no fundo de um lago, sujeito a uma pressão de 6.105 N/m². Sabendo-se que a pressão na superfície do lago é de 1.105 N/m², a densidade da água do lago 1,0 g/cm³ e a aceleração da gravidade no local 10 m/s², determine a profundidade que se encontra o bloco. Aplicação
  • 29. Hidrostática Aplicação (UEPB) Os precursores no estudo da Hidrostática propuseram princípios que têm uma diversidade de aplicações em inúmeros “aparelhos” que simplificam as atividades extenuantes e penosas das pessoas, diminuindo muito o esforço físico, como também encontraram situações que evidenciam os efeitos da pressão atmosférica. A seguir, são apresentadas as situações-problema que ilustram aplicações de alguns dos princípios da Hidrostática.
  • 30. Hidrostática Assinale a alternativa que corresponde, respectivamente, às aplicações dos princípios e do experimento formulados por: a) Arquimedes (Situação I), Pascal (Situação II) e Arquimedes (Situação III) b) Pascal (Situação I), Arquimedes (Situação II) e Stevin (Situação III) c) Stevin (Situação I), Torricelli (Situação II) e Pascal (Situação III) d) Pascal (Situação I), Stevin (Situação II) e Torricelli (Situação III) e) Stevin (Situação I), Arquimedes (Situação II) e Torricelli (Situação III).
  • 31. Hidrostática Bônus (UCMG) A figura mostra um frasco contendo ar, conectado a um manômetro de mercúrio em tubo "U". O desnível indicado vale 8,0 cm. A pressão atmosférica é 69 cm Hg. A pressão do ar dentro do frasco é, em cm Hg: a) 61 b) 69 c) 76 d) 77 e) 85 Fim