SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
FÍSICA
HIDROSTÁTICA

Turma
10

Alunas: Daynara Luana Dresch, Isabel Schneiders, Paula Thalia Rech e Viviane Dilkin Endler
Pressão e massa específica
Hidrostática é referente aos fluídos em
repouso.
Fluídos são substâncias que podem escoar
facilmente e que sofre mudanças na forma sob
a ação de forças

Líquidos e gases são fluídos.
Os fluídos existentes na natureza
apresentam um atrito interno, viscosidade.
2
Pressão
Se uma força F comprime uma superfície, estando
distribuída sobre uma área A, a pressão p, exercida pela
força sobre essa superfície, é, por definição:

Pressão é uma grandeza escalar e a sua unidade
no Sistema Internacional de Unidades é o Pa.
3
Unidades de pressão
Além do Pa, engenheiros e técnicos costumam
usar a unidade 1kgf/cm². Em algumas máquinas é
usada como unidade de pressão, 1 libra/polegada².
Se tratando de fluídos é comum usar como
unidade de pressão 1 milímetro de mercúrio (1
mmHg).
Para medir pressões elevadas usamos 1atm
(1 atmosfera). 1atm = 76 cmHg mmHg
4
Massa específica
Massa específica ou densidade absoluta de
um corpo é a razão entre a sua massa e o seu
volume:

ρ

=

_
m
v

Um corpo de massa m cujo volume é v. A
massa específica é representada pela letra grega ρ
(rô).
5
O teorema de Arquimedes

Todo corpo solido mergulhado num fluido em
equilíbrio recebe uma força de direção vertical e
sentido de baixo para cima cuja intensidade é igual
ao peso do fluído descolado.

6
Pressão atmosférica
O ar tem peso pois é atraído pela Terra.
A camada atmosférica exerce uma pressão sobre
os corpos nela mergulhados. Chama-se pressão
atmosférica.

Na lua não há pressão atmosférica porque não há
atmosfera nela.
Até antes de Galileu a existência da pressão
atmosférica era desconhecida pela população e
contestada por Físicos.
7
A tabela a seguir apresenta a variação da
pressão atmosférica de acordo com a
altitude.
Altitud Pressão
e (m) atmosférica
(mmHg)

Altitud Pressão
e (m) (mmHg)

0

760

1200

658

200

742

1400

642

400

724

1600

627

600

707

1800

612

800

690

2000

598

1000

674

3000

527

8
A experiência de Torricelli
Ele usou um tubo de aproximadamente 1,0 m
de comprimento, cheio de mercúrio (Hg) e com a
extremidade tampada. Depois, colocou o tubo , em
pé e com a boca tampada para baixo, dentro de
um recipiente que também continha mercúrio.
Torricelli observou que, após destampar o tubo, o
nível do mercúrio desceu e estabilizou-se na posição
correspondente a 76 cm, restando o vácuo na parte
vazia do tubo.
Comprova que a pressão atmosférica ao nível
do mar é igual à pressão exercida por uma coluna
de mercúrio de 76 cm de altura.
9
Variação da pressão com a
profundidade
A pressão atmosférica diminui à medida que
nos elevamos na atmosfera.

Dentro da água a medida que nos afundamos
na água a pressão aumenta.

10
Cálculo da pressão no interior de
um fluído
A diferença entre pontos denominados ρ

É h.
→
Peso = P
→
Força = F

Condição de equilíbrio:
F2 = F1 + P

Se m é a massa da porção cilíndrica e V o seu
volume, podemos expressar o peso P dessa porção
da seguinte maneira:
P=mg mas m= ρV= ρAh
P= ρAhg
11
Se a superfície de um líquido, cuja densidade é
ρ, está submetida a uma pressão pa, a pressão p no
interior desse líquido, a uma profundidade h, é dada
por:
p = pa + ρgh

12
Aplicações da equação fundamental
Vasos comunicantes:
Dois recipientes sem necessidade de possuir a mesma
forma com as bases ligadas a mesma forma de um tubo. Assim
são vasos comunicantes.
Sendo ρ a densidade do líquido, A e B representando os
tubos respectivamente, temos:
para o ponto A: pA=pa+ρghA
para o ponto B: pB=pa+ρghB

Como pA = pB, concluímos que hA=hB, ou seja, nos vasos

comunicantes o líquido atinge alturas iguais em ambos os
recipientes

13
Princípio de Pascal
Estabelece que a alteração de pressão produzida
num fluido em equilíbrio transmite-se integralmente a
todos os pontos do líquido e às paredes do recipiente.
A diferença de pressão devida a uma diferença na
elevação de uma coluna de fluido é dada por:

ΔP é a pressão hidrostática (em pascal)
ρ é a densidade do fluido)
g é aceleração da gravidade da Terra ao nível do mar
Δh é a altura do fluido acima
14
Princípio de Arquimedes
Empuxo:
A tendência ou capacidade de flutuar em um
líquido ou de se elevar em ar ou gás; força vertical,
dirigida para cima, que um líquido exerce sobre um
objeto menos denso que o próprio líquido.

15
O empuxo acontece porque a pressão do
fluido na parte inferior do objeto imerso é maior do
que no topo.

16
O Princípio de Arquimedes
O princípio de Arquimedes diz que:
Todo corpo imerso em um fluido sofre ação de uma
força (empuxo) verticalmente para cima, cuja
intensidade é igual ao peso do fluido deslocado pelo
corpo.
Sendo Vf o volume do fluido deslocado, então a
massa do fluido deslocado é:
Mf = df. Vf
Sabendo que o módulo do empuxo é igual ao módulo do
peso:
E=P=m.g
Assim temos que o empuxo é:
E = df. Vf . g
17
Condições para um corpo flutuar em
um líquido
Se um corpo está totalmente mergulhado em
um líquido, seu peso é igual ao empuxo que ele está
recebendo (E=P).

18
O valor do empuxo é menor do que o peso do
corpo (E<P). Neste caso, a resultante destas forças
estará dirigida para baixo e o corpo afundará, até
atingir o fundo do recipiente.

19
O valor do empuxo é maior do que o peso do
corpo (E>P). Neste caso, a resultante destas forças
estará dirigida para cima e o corpo sobe no interior
do líquido.

20
Empuxo e densidade do líquido
Empuxo = peso do líquido deslocado

Onde md é a massa do liquido deslocado
e g gravidade.
Quando o corpo
estiver totalmente mergulhado no líquido, ele estará
deslocado um volume de líquido Vd igual ao seu
próprio volume Vc , isto é, Vd = Vc.

21
Densímetros
Densímetro é um aparato que tem por objetivo
medir a massa específica.
Uma das utilidades do densímetro é inferir
propriedades dos líquidos através da inspeção de
sua massa específica, principalmente quando os
líquidos são misturas de substâncias.

22
Arquimedes
Arquimedes foi um importante cientista , inventor e
matemático grego. Nasceu na cidade de Siracusa.
Determinou o princípio da hidrostática, chamado
de Princípio de Arquimedes.
Ele fez esta importante descoberta quando tomava
banha em sua banheira. Percebendo a importância da
descoberta, saiu gritando pela rua: “Eureka!, Eureka!”,

Este termo é até os dias de hoje usado
quando uma pessoa faz uma
grande descoberta.

23
O valor do empuxo e as leis de
Newton
Quando um corpo é mergulhado em um
líquido, atua sobre ele um empuxo vertical, dirigido
para cima, de módulo igual ao peso do líquido
deslocado pelo corpo.

24

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A 2ª lei da termodinâmica
A 2ª lei da termodinâmicaA 2ª lei da termodinâmica
A 2ª lei da termodinâmica
natyloyra
 
Aula 1- Mecânica dos Fluidos
Aula 1- Mecânica dos Fluidos Aula 1- Mecânica dos Fluidos
Aula 1- Mecânica dos Fluidos
Charles Guidotti
 
Noções básicas de cinemática
Noções básicas de cinemáticaNoções básicas de cinemática
Noções básicas de cinemática
Angélica Brasil
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
fisicaatual
 

Mais procurados (20)

Força de atrito
Força de atritoForça de atrito
Força de atrito
 
Mecânica dos fluidos
Mecânica dos fluidosMecânica dos fluidos
Mecânica dos fluidos
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Hidrostática hidrodinâmica
Hidrostática hidrodinâmicaHidrostática hidrodinâmica
Hidrostática hidrodinâmica
 
Calor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latenteCalor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latente
 
A 2ª lei da termodinâmica
A 2ª lei da termodinâmicaA 2ª lei da termodinâmica
A 2ª lei da termodinâmica
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
 
Fluidos
FluidosFluidos
Fluidos
 
Aula 1- Mecânica dos Fluidos
Aula 1- Mecânica dos Fluidos Aula 1- Mecânica dos Fluidos
Aula 1- Mecânica dos Fluidos
 
mecanica dos fluidos
mecanica dos fluidosmecanica dos fluidos
mecanica dos fluidos
 
Noções básicas de cinemática
Noções básicas de cinemáticaNoções básicas de cinemática
Noções básicas de cinemática
 
Maquinas simples - Plano Alavancas
Maquinas simples - Plano AlavancasMaquinas simples - Plano Alavancas
Maquinas simples - Plano Alavancas
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Transformações químicas da matéria
Transformações químicas da matériaTransformações químicas da matéria
Transformações químicas da matéria
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
 
Gases perfeitos
Gases  perfeitosGases  perfeitos
Gases perfeitos
 
As leis de newton pronto
As leis de newton prontoAs leis de newton pronto
As leis de newton pronto
 
Impulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de MovimentoImpulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de Movimento
 
Primeira lei da termodinâmica
Primeira lei da termodinâmicaPrimeira lei da termodinâmica
Primeira lei da termodinâmica
 
Segunda lei da termodinâmica
Segunda lei da termodinâmicaSegunda lei da termodinâmica
Segunda lei da termodinâmica
 

Destaque (9)

Geometria espacial de posição
Geometria espacial de posiçãoGeometria espacial de posição
Geometria espacial de posição
 
Fisica ondas 4
Fisica ondas 4Fisica ondas 4
Fisica ondas 4
 
Posições relativas entre dois planos
Posições relativas entre dois planosPosições relativas entre dois planos
Posições relativas entre dois planos
 
Ondulatoria
OndulatoriaOndulatoria
Ondulatoria
 
Apresentação batimentos
Apresentação batimentosApresentação batimentos
Apresentação batimentos
 
Planos
PlanosPlanos
Planos
 
Posições relativas matemática
Posições relativas   matemáticaPosições relativas   matemática
Posições relativas matemática
 
Ponto, reta e plano
Ponto, reta e planoPonto, reta e plano
Ponto, reta e plano
 
Posições de pontos, retas e planos
Posições de pontos, retas e planosPosições de pontos, retas e planos
Posições de pontos, retas e planos
 

Semelhante a Física Hidrostática

Mecânica dos fluidos (parte 1)
Mecânica dos fluidos (parte 1)Mecânica dos fluidos (parte 1)
Mecânica dos fluidos (parte 1)
Charlesguidotti
 
Ap fisica modulo 02 exercicios
Ap fisica modulo 02 exerciciosAp fisica modulo 02 exercicios
Ap fisica modulo 02 exercicios
comentada
 
Jp jornal do poli 3ª edição
Jp jornal do poli 3ª ediçãoJp jornal do poli 3ª edição
Jp jornal do poli 3ª edição
Gabriel Barreiros
 

Semelhante a Física Hidrostática (20)

Conceitos basicos de hidrostática
Conceitos basicos de hidrostáticaConceitos basicos de hidrostática
Conceitos basicos de hidrostática
 
Noções básicas de hidrostática
Noções básicas de hidrostáticaNoções básicas de hidrostática
Noções básicas de hidrostática
 
Hidrostática reforço
Hidrostática   reforçoHidrostática   reforço
Hidrostática reforço
 
OPF HIDROSTÁTICA.pptx
OPF HIDROSTÁTICA.pptxOPF HIDROSTÁTICA.pptx
OPF HIDROSTÁTICA.pptx
 
Física hidro basica
Física  hidro basicaFísica  hidro basica
Física hidro basica
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
aula-2-hidrostatica.ppt
aula-2-hidrostatica.pptaula-2-hidrostatica.ppt
aula-2-hidrostatica.ppt
 
aula-2-hidrostatica.ppt
aula-2-hidrostatica.pptaula-2-hidrostatica.ppt
aula-2-hidrostatica.ppt
 
Trabalho de física
Trabalho de físicaTrabalho de física
Trabalho de física
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
Mecânica dos fluidos (parte 1)
Mecânica dos fluidos (parte 1)Mecânica dos fluidos (parte 1)
Mecânica dos fluidos (parte 1)
 
Ap fisica modulo 02 exercicios
Ap fisica modulo 02 exerciciosAp fisica modulo 02 exercicios
Ap fisica modulo 02 exercicios
 
hidrostatica
hidrostaticahidrostatica
hidrostatica
 
AULA - RESUMO SOBRE CONCEITOS E DEFINIÇÕES HIDROSTÁTICA
AULA - RESUMO SOBRE CONCEITOS E DEFINIÇÕES HIDROSTÁTICAAULA - RESUMO SOBRE CONCEITOS E DEFINIÇÕES HIDROSTÁTICA
AULA - RESUMO SOBRE CONCEITOS E DEFINIÇÕES HIDROSTÁTICA
 
Mec Fluidos.pdf
Mec Fluidos.pdfMec Fluidos.pdf
Mec Fluidos.pdf
 
Hidrostática resumo
Hidrostática resumoHidrostática resumo
Hidrostática resumo
 
Física II - Dinâmica de Fluidos
Física II - Dinâmica de FluidosFísica II - Dinâmica de Fluidos
Física II - Dinâmica de Fluidos
 
Jp jornal do poli 3ª edição
Jp jornal do poli 3ª ediçãoJp jornal do poli 3ª edição
Jp jornal do poli 3ª edição
 
Fluidos
FluidosFluidos
Fluidos
 
At087 aula03
At087 aula03At087 aula03
At087 aula03
 

Mais de Viviane Dilkin Endler

Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Viviane Dilkin Endler
 

Mais de Viviane Dilkin Endler (19)

Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
 
Acentuação das paroxítonas e acentos diferenciais
Acentuação das paroxítonas e acentos diferenciaisAcentuação das paroxítonas e acentos diferenciais
Acentuação das paroxítonas e acentos diferenciais
 
Segunda geração do modernismo
Segunda geração do modernismoSegunda geração do modernismo
Segunda geração do modernismo
 
John locke
John lockeJohn locke
John locke
 
Benzeno
BenzenoBenzeno
Benzeno
 
Interpretação das pesquisas de Mendel
Interpretação das pesquisas de MendelInterpretação das pesquisas de Mendel
Interpretação das pesquisas de Mendel
 
Present continuous - Inglês
Present continuous - InglêsPresent continuous - Inglês
Present continuous - Inglês
 
Mollusca - Biologia
Mollusca - BiologiaMollusca - Biologia
Mollusca - Biologia
 
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
 
Santo Anselmo
Santo AnselmoSanto Anselmo
Santo Anselmo
 
Vaporização e condensação
Vaporização e condensaçãoVaporização e condensação
Vaporização e condensação
 
Religião e sociedade na América Portuguesa
Religião e sociedade na América PortuguesaReligião e sociedade na América Portuguesa
Religião e sociedade na América Portuguesa
 
Ácidos - Química
Ácidos - QuímicaÁcidos - Química
Ácidos - Química
 
Modelo molecular de um gás.
Modelo molecular de um gás.Modelo molecular de um gás.
Modelo molecular de um gás.
 
Uso de plantas para melhorar a qualidade do ar
Uso de plantas para melhorar a qualidade do arUso de plantas para melhorar a qualidade do ar
Uso de plantas para melhorar a qualidade do ar
 
O Poder e o Estado
O Poder e o EstadoO Poder e o Estado
O Poder e o Estado
 
O trabalho na sociedade moderna capitalista
O trabalho na sociedade moderna capitalistaO trabalho na sociedade moderna capitalista
O trabalho na sociedade moderna capitalista
 
Fenícios
FeníciosFenícios
Fenícios
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 

Último

ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 

Último (20)

Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 

Física Hidrostática

  • 1. FÍSICA HIDROSTÁTICA Turma 10 Alunas: Daynara Luana Dresch, Isabel Schneiders, Paula Thalia Rech e Viviane Dilkin Endler
  • 2. Pressão e massa específica Hidrostática é referente aos fluídos em repouso. Fluídos são substâncias que podem escoar facilmente e que sofre mudanças na forma sob a ação de forças Líquidos e gases são fluídos. Os fluídos existentes na natureza apresentam um atrito interno, viscosidade. 2
  • 3. Pressão Se uma força F comprime uma superfície, estando distribuída sobre uma área A, a pressão p, exercida pela força sobre essa superfície, é, por definição: Pressão é uma grandeza escalar e a sua unidade no Sistema Internacional de Unidades é o Pa. 3
  • 4. Unidades de pressão Além do Pa, engenheiros e técnicos costumam usar a unidade 1kgf/cm². Em algumas máquinas é usada como unidade de pressão, 1 libra/polegada². Se tratando de fluídos é comum usar como unidade de pressão 1 milímetro de mercúrio (1 mmHg). Para medir pressões elevadas usamos 1atm (1 atmosfera). 1atm = 76 cmHg mmHg 4
  • 5. Massa específica Massa específica ou densidade absoluta de um corpo é a razão entre a sua massa e o seu volume: ρ = _ m v Um corpo de massa m cujo volume é v. A massa específica é representada pela letra grega ρ (rô). 5
  • 6. O teorema de Arquimedes Todo corpo solido mergulhado num fluido em equilíbrio recebe uma força de direção vertical e sentido de baixo para cima cuja intensidade é igual ao peso do fluído descolado. 6
  • 7. Pressão atmosférica O ar tem peso pois é atraído pela Terra. A camada atmosférica exerce uma pressão sobre os corpos nela mergulhados. Chama-se pressão atmosférica. Na lua não há pressão atmosférica porque não há atmosfera nela. Até antes de Galileu a existência da pressão atmosférica era desconhecida pela população e contestada por Físicos. 7
  • 8. A tabela a seguir apresenta a variação da pressão atmosférica de acordo com a altitude. Altitud Pressão e (m) atmosférica (mmHg) Altitud Pressão e (m) (mmHg) 0 760 1200 658 200 742 1400 642 400 724 1600 627 600 707 1800 612 800 690 2000 598 1000 674 3000 527 8
  • 9. A experiência de Torricelli Ele usou um tubo de aproximadamente 1,0 m de comprimento, cheio de mercúrio (Hg) e com a extremidade tampada. Depois, colocou o tubo , em pé e com a boca tampada para baixo, dentro de um recipiente que também continha mercúrio. Torricelli observou que, após destampar o tubo, o nível do mercúrio desceu e estabilizou-se na posição correspondente a 76 cm, restando o vácuo na parte vazia do tubo. Comprova que a pressão atmosférica ao nível do mar é igual à pressão exercida por uma coluna de mercúrio de 76 cm de altura. 9
  • 10. Variação da pressão com a profundidade A pressão atmosférica diminui à medida que nos elevamos na atmosfera. Dentro da água a medida que nos afundamos na água a pressão aumenta. 10
  • 11. Cálculo da pressão no interior de um fluído A diferença entre pontos denominados ρ É h. → Peso = P → Força = F Condição de equilíbrio: F2 = F1 + P Se m é a massa da porção cilíndrica e V o seu volume, podemos expressar o peso P dessa porção da seguinte maneira: P=mg mas m= ρV= ρAh P= ρAhg 11
  • 12. Se a superfície de um líquido, cuja densidade é ρ, está submetida a uma pressão pa, a pressão p no interior desse líquido, a uma profundidade h, é dada por: p = pa + ρgh 12
  • 13. Aplicações da equação fundamental Vasos comunicantes: Dois recipientes sem necessidade de possuir a mesma forma com as bases ligadas a mesma forma de um tubo. Assim são vasos comunicantes. Sendo ρ a densidade do líquido, A e B representando os tubos respectivamente, temos: para o ponto A: pA=pa+ρghA para o ponto B: pB=pa+ρghB Como pA = pB, concluímos que hA=hB, ou seja, nos vasos comunicantes o líquido atinge alturas iguais em ambos os recipientes 13
  • 14. Princípio de Pascal Estabelece que a alteração de pressão produzida num fluido em equilíbrio transmite-se integralmente a todos os pontos do líquido e às paredes do recipiente. A diferença de pressão devida a uma diferença na elevação de uma coluna de fluido é dada por: ΔP é a pressão hidrostática (em pascal) ρ é a densidade do fluido) g é aceleração da gravidade da Terra ao nível do mar Δh é a altura do fluido acima 14
  • 15. Princípio de Arquimedes Empuxo: A tendência ou capacidade de flutuar em um líquido ou de se elevar em ar ou gás; força vertical, dirigida para cima, que um líquido exerce sobre um objeto menos denso que o próprio líquido. 15
  • 16. O empuxo acontece porque a pressão do fluido na parte inferior do objeto imerso é maior do que no topo. 16
  • 17. O Princípio de Arquimedes O princípio de Arquimedes diz que: Todo corpo imerso em um fluido sofre ação de uma força (empuxo) verticalmente para cima, cuja intensidade é igual ao peso do fluido deslocado pelo corpo. Sendo Vf o volume do fluido deslocado, então a massa do fluido deslocado é: Mf = df. Vf Sabendo que o módulo do empuxo é igual ao módulo do peso: E=P=m.g Assim temos que o empuxo é: E = df. Vf . g 17
  • 18. Condições para um corpo flutuar em um líquido Se um corpo está totalmente mergulhado em um líquido, seu peso é igual ao empuxo que ele está recebendo (E=P). 18
  • 19. O valor do empuxo é menor do que o peso do corpo (E<P). Neste caso, a resultante destas forças estará dirigida para baixo e o corpo afundará, até atingir o fundo do recipiente. 19
  • 20. O valor do empuxo é maior do que o peso do corpo (E>P). Neste caso, a resultante destas forças estará dirigida para cima e o corpo sobe no interior do líquido. 20
  • 21. Empuxo e densidade do líquido Empuxo = peso do líquido deslocado Onde md é a massa do liquido deslocado e g gravidade. Quando o corpo estiver totalmente mergulhado no líquido, ele estará deslocado um volume de líquido Vd igual ao seu próprio volume Vc , isto é, Vd = Vc. 21
  • 22. Densímetros Densímetro é um aparato que tem por objetivo medir a massa específica. Uma das utilidades do densímetro é inferir propriedades dos líquidos através da inspeção de sua massa específica, principalmente quando os líquidos são misturas de substâncias. 22
  • 23. Arquimedes Arquimedes foi um importante cientista , inventor e matemático grego. Nasceu na cidade de Siracusa. Determinou o princípio da hidrostática, chamado de Princípio de Arquimedes. Ele fez esta importante descoberta quando tomava banha em sua banheira. Percebendo a importância da descoberta, saiu gritando pela rua: “Eureka!, Eureka!”, Este termo é até os dias de hoje usado quando uma pessoa faz uma grande descoberta. 23
  • 24. O valor do empuxo e as leis de Newton Quando um corpo é mergulhado em um líquido, atua sobre ele um empuxo vertical, dirigido para cima, de módulo igual ao peso do líquido deslocado pelo corpo. 24